You are on page 1of 2

Unrate

Método de indução de Strosberg na hipnose


d

O exercício abaixo foi sugerido pelo Dr. I. M. Strosberg, em artigo publicado pela
revista Hypnosis Techniques (International Journal of Psychosomatics - 1989).
Depois de acomodar confortavelmente o paciente, deve-se repetir as seguintes
palavras, em tom baixo de voz e o mais monotônico possível:
“Se você me ouvir e tentar fazer o que eu digo, eu lhe mostrarei como você pode
melhorar seu relaxamento. Isto o ajudará a ficar muito mais confortável e vai
eliminar o desconforto ou a dor que você está sentindo.
Permaneça tão confortável quanto possível. Agora faça uma respiração profunda.
Inale profundamente e exale lentamente deixando seu corpo o mais relaxado
possível. Feche seus olhos e mantenha-os fechados. (Pausa). Ainda com os olhos
fechados faça-os girar para cima, para baixo e para os lados. Isso. Mais uma vez.
Deixe os músculos de seus olhos ficarem completamente relaxados, tão relaxados
que eles deixam de trabalhar. Ótimo. (Pausa). Neste momento eu lhe pedirei para
fazer um teste. O teste é para descobrir o quão relaxados estão os músculos de seus
olhos. Quando você fizer esse teste não abra seus olhos só para mostrar-me que
você pode abri-los. Eu sei que você pode. O teste é apenas para provar a você
mesmo que você está tão relaxado que seus olhos não funcionarão, mesmo quando
você tenta fazê-los funcionar. Quando você sentir que eles estão muito relaxados,
pode testá-los, e você vai perceber que eles estão paralisados, como se estivessem
grudados. (Pausa). Agora, se você estiver completamente relaxado, e pronto para o
teste, pode tentar.”
OBS: Este é um duplo cego para o paciente. Se ele abrir os olhos você saberá que
ele não está relaxado. Se ele não abrir os olhos você poder observar suas pálpebras
tremerem (catalepsia). Continuando...
“Isso é ótimo. Mais uma vez, faça seus olhos girarem para cima, para baixo e para
os lados. Isso. Agora gire seus olhos para baixo e deixe seu corpo todo relaxar.
Tome essa sensação agradável de relaxamento que está em seus olhos e a leve para
o resto de seu corpo, do topo de sua cabeça até as pontas de seus dedos dos pés.
Esta é uma sensação muito agradável.
O relaxamento pode significar várias coisas para pessoas diferentes. Para algumas
relaxar é sentir-se pesado e afundar numa cama confortável. Outras pessoas
sentem-se leves como uma pluma, como se flutuassem. Você sente-se pesado?
Apenas acene. Ou você sente leveza, como se estivesse num tapete mágico?
Apenas acene. Agora pense num lugar agradável, pode ser real ou imaginário. Um
lugar de calma, paz, serenidade, tranquilidade, seu próprio lugar. Seu lugar secreto
especial. Comece a se sentir ainda melhor. Sinta a temperatura... veja as cores...
ouça os sons...sinta os cheiros...Sinta o seu lugar especial. (Pausa).
Fique assim por um tempo. Daqui há pouco você vai despertar. Eu vou contar
lentamente até 5, e você vai sentir a excitação aumentar a cada número. Quando eu
disser 5 você estar totalmente acordado e continuará sentindo-se bem. Tudo voltará
ao normal. 1...........2...........3...........4..........5"
Este exercício não implica risco para o paciente e permite resultados bastante
animadores já nas primeiras experiências. É recomendável ao iniciantes, contudo,
não proceder duas tentativas seguidas com o mesmo paciente. A frustração de uma
primeira tentativa pode inibir ou gerar um certo clima de desconfiança entre as
partes e que resultará, quase sempre, na ineficácia de um procedimento seguinte.
Nota importante: Não é apenas o bisturi do cirurgião, a corrente elétrica do cérebro
ou um droga química que podem provocar alterações em nossas funções
somáticas. Estimulando-se, física ou quimicamente, o hipotálamo, ocorre
imediatamente o aumento da pressão sangüínea. Quando, entretanto, nos
encontramos em perigo real (ou imaginário), a pressão também pode subir; basta
que imaginemos, vivamente, estar em condição de grande perigo para aque ela
suba perigosamente.
Portanto, “não apenas intervenções químicas ou físicas alteram nosso consciente e
subconsciente. Até a imaginação pode fazer isto.” Assim sendo, ninguém deve se
surpreender quando ouvir dizer que, durante a hipnose ou auto-hipnose são
manifestadas alterações do suco gástrico, alterações do pulso, do ritmo respiratório
etc., se houver o correspondente estímulo.
Podemos, através de medicamentos, influenciar a região cerebral do sono e assim
dormir. Mas podemos também provocar o centro cerebral do sono pela sugestão e
adormecer. Injetando-se água estilada num paciente e dizendo-lhe que dormirá
dentro de poucos minutos porque tal injeção era um forte soporífero, em pouco
tempo começará a bocejar e logo irá dormir. É por isso que a imaginação negativa,
como o medo justificado ou não, pode provocar doença. Ao contrário, sentimentos
positivos como confiança nas forças de auto-defesa do organismo ou uma sólida
esperança no restabelecimento da saúde ativam a capacidade de resistência e
podem levar a uma “cura pelo poder da mente”. Nada sobrenatural. Apenas...
natureza.
Fonte: http://www.camarabrasileira.com/projetosaber.htm