You are on page 1of 25

Os Fungos

Artur Alves – CESAM & Departamento de Biologia – Universidade de Aveiro

MICOLOGIA

estudo dos fungos

do grego “mykes" que quer dizer fungo e "logos" estudo

1
O que é um fungo?

• Eucariotas

• Na maioria multicelulares

• Crescimento filamentoso (hifas)

• Paredes celulares com quitina e vários polissacarídeos


complexos

• Ergosterol na membrana plasmática, em vez de colesterol

• Heterotróficos

• Digerem o alimento segregando enzimas extracelulares e


absorvendo os nutrientes

• Reprodução assexuada, sexuada ou ambas produzindo esporos

Leveduras
(uma forma de crescimento)

2
Bolores ou fungos filamentosos
(uma forma de crescimento)

Alguns exibem
dimorfismo!

Líquenes
(uma outra forma de crescimento)

Associação mutualista entre uma alga (ou


uma cianobactéria) e um fungo

3
Hifas

• Filamentos cilíndricos, ramificados compostos de uma


parede celular tubular preenchida com citoplasma e
organelos.

• Podem ser cenocíticas ou septadas e crescem por


extensão apical

• A maioria das hifas fúngicas têm entre 2-10 µm de


diâmetro

• Ao conjunto das hifas dá-se o nome de micélio

4
Composição da parede celular fúngica

• Microfibrilhas de quitina [polímero ß(1-4)- de N-


acetilglucosamina]
– quitosano em Zygomycota [polímero ß(1-4)-de
glucosamina]
• ß glucanas
• Manoproteínas
• Glicoproteínas – à superfície da parede
• Melaninas – pigmentos castanho escuro ou pretos
(conferem resistência à lise por enzimas, resistência
mecânica, protegem da radiação UV, etc.)
• Membrana plasmática – semi-permeável

5
Nutrição e metabolismo

• saprofíticos
– obtêm nutrientes de matéria orgânica morta
– segregam enzimas hidrolíticas

• simbiontes (parasitas, comensais, mutualistas)

• patogénicos, endofíticos

• quimiorganoheterotróficos

• glicogénio é o principal polissacarídeo de armazenamento

• na maioria são aeróbios

– alguns são anaeróbios facultativos

– fungos anaeróbios obrigatórios são encontrados no


rúmen de alguns animais

6
Reprodução

• Reprodução sexuada
– Esporos com núcleos resultantes de meiose
• Homotálicos
• Heterotálicos
• Pseudohomotálicos
• Sistema de “mating”
– MAT loci
– 1 até centenas de “sexos”
• Reprodução assexuada
– Esporos com núcleos resultantes de mitose

Reprodução

• Anamorfo = estágio assexual


– Mitosporo = esporo formado via reprodução
assexuada (mitose), normalmente chamado
conídio ou esporangiosporo (dependendo do grupo
de fungos)

• Teleomorfo = estágio sexual


– Meiosporo = esporo formado via reprodução
sexuada (meiose). Tipo de esporo varia com o Filo.

7
Conceito de holomorfo

• Os fungos podem reproduzir-se assexuada e/ou


sexuadamente

• A reprodução assexuada e sexuada podem estar


separadas no espaço e no tempo

• O holomorfo é “todo o fungo” – incluindo ambos os


estágios sexuado e assexuado.

Importância dos fungos

• Metabolitos primários
- álcoois
- ácidos orgânicos
- vitaminas
- …

• Enzimas
• Metabolitos secundários
- antibióticos
- antifúngicos
- antitumorais
- imunossupressores
- micotoxinas
- pigmentos
- …

• Biotecnologia

8
Importância dos fungos

Organismos modelo em Genética

• Usando a espécie
Neurospora crassa
desenvolveram o conceito
clássico de “um gene, uma
proteína”
Beadle e Tatum

• Receberam o prémio Nobel


em 1945

9
Onde podemos encontrar fungos?

Fungos - diversidade

10
Fungos - diversidade

Quantas espécies existem ???

• cerca de 100 000 sps conhecidas e 1700 descritas anualmente


• nº total de espécies estimado em 1,5 milhões !!!

11
FUNGI – MYCOTA - EUMYCOTA

Fungos NÃO são plantas !!!

verdadeiros fungos ou Fungi

“fungos”

Fungi
Oomicetos
Dictyostelídios
etc

12
Fungos - classificação

 Ascomycota
 Basidiomycota
Grupo mais importante com
 Glomeromycota cerca de 60 000 sps
 Zygomycota
 Chytridiomycota

 Deuteromycota (Fungos imperfeitos)

Basidiomycota

Ascomycota

Glomeromycota

Chytridiomycota

Zygomycota

Grupos possivelmente não monofiléticos ???

13
Características gerais dos diferentes Phyla do Reino
Fungi
Chytridiomycota:
• unicelulares ou miceliais (cenocíticos)
• zoósporos com um flagelo posterior
• aquáticos e terrestres
• não produzem esporocarpo

Chytridium Allomyces

Características gerais dos diferentes Phyla do Reino


Fungi
Zygomycota:
• micélio geralmente cenocítico
• produção de zigosporângios e zigósporos
• não produzem esporocarpo

zigosporângio

Pilobolus Rhizopus Mucor

14
Ciclo de vida de um zigomiceto

Características gerais dos diferentes Phyla do Reino


Fungi
Glomeromycota:
• anteriormente parte de Zygomycota
• micélio cenocítico
• sem reprodução sexual
• micorrizas arbusculares
• não produzem esporocarpo

Glomus Micorriza arbuscular

15
Características gerais dos diferentes Phyla do Reino
Fungi
Basidiomycota:
• micélio septado
• septos complexos
• micélio haplóide dicariótico
• produção de exósporos (basidiósporos) num basídio
• produção de esporocarpos complexos Agaricus

Boletus Geastrum Mycena

Ciclo de vida de um basidiomiceto

16
Características gerais dos diferentes Phyla do Reino
Fungi
Ascomycota:
• micélio septado
• septos simples
• micélio haplóide monocariótico produção de endósporos (ascósporos)
num asco
• produção de esporocarpos complexos
• reprodução assexuada frequentemente dominante

Morchella Cucurbitaria Botryosphaeria Neurospora Cryphonectria

Ciclo de vida de um ascomiceto

17
Deuteromycota:
• não é um grupo natural (filogenético)
• criado exclusivamente por razões práticas
• inclui todos aqueles fungos que se reproduzem apenas de forma
assexuada ou para os quais não foi descoberta ainda a forma sexuada
• a grande maioria pertence ao Phylum Ascomycota e alguns ao Phylum
Basidiomycota

Aspergillus Alternaria Penicillium Fusicoccum

Fungos - identificação

Amostra isolamento
cultura

isolamento

IDENTIFICAÇÃO

18
Caracteres macromorfológicos

• Micélio: cor
textura
morfologia da colónia

19
Caracteres micromorfológicos

• esporos: cor, forma, comprimento, largura


• parede: espessa, fina, lisa, rugosa
• estrias e septos
• etc

Conídios – esporos assexuados

20
Anamorfos de Ascomicetos

Vários tipos de
conídios,
conídioforos e
conidioma

• Hifomicetos - hifas

• Coelomicetos - acérvulo e
pícnidio

Ascosporos – esporos sexuados

21
Teleomorfos de Ascomicetos

Ascoma:
cleistotécio
apotécio
peritécio
pseudotécio

Ascos:
ascoforo
prototunicado
unitunicado operculado
unitunicado inoperculado
bitunicado

Caracteres fisiológicos

• Temperaturas cardinais
• Taxas de crescimento

• Produção de pigmentos

22
Caracteres bioquímicos

leveduras 
fungos
filamentosos 

• Utilização de compostos de carbono, azoto…

Caracteres moleculares

PCR-RFLP
PCR fingerprinting

Sequenciação de DNA

23
? Os RNAs ribossomais

• Universalidade de distribuição

• Conservação de função e estrutura geral

• Existência de regiões com diferentes taxas de evolução de


sequências (cronómetros moleculares de diferentes passos)

• Ausência de fenómenos de transferência lateral entre


organismos contemporâneos

• Facilidade de extracção e sequenciação

Sequenciação de rDNA

17-
17-18S 5,8S 25-
25-28S 5S
ITS1 ITS2 IGS

ITS total Sequenciação

Amplificação
por PCR

Região Nível Taxonómico


5S > Família
5,8S > Género
18S Espécie/Género/Ordem
28S Espécie/Género
ITS Sub-espécie/Espécie
IGS Estirpe

24
Genes que codificam
proteínas

EF1α – factor de alongamento 1 alfa


TUB – β-tubulina
ACT – actina
RPB2 – RNA polimerase subunidade 2
Cyt C – citocromo oxidase (mitocondrial)

Vários outros

Guignardia bidwellii AF216533


Mycosphaerella africana AF283690
B. rhodina CBS339.90
85
B. rhodina CBS124.13
L. heobromae CAA006 B. rhodina
100 B. rhodina AF027762
83 B. rhodina AF027761
B. mamane AF246929 B. mamane
B. corticis AF243397 B. corticis
100 B. dothidea CBS110731
B. dothidea AF027747
96 B.dothidea AF027749
B. dothidea CAP127
60 B. dothidea CAP125 B. dothidea
92
Fusicoccum sp. JL339
Fusicoccum sp. FE 2
B. dothidea CBS110302
B. populi CAP086
Fusicoccum sp. FA 1
B. ribis AY236936
B. ribis AF027743 B. ribis
100
B dothidea JL352
98

Morfologia
Fusicoccum sp. JL387
87 88 B. parva AF243395 B. parva
B. parva CBS110301
B. protearum AF452530

100
B. protearum AF452531 B. protearum
74 B. protearum AF452534

96 94
81

88
Fusicoccum luteum AF243396
B. lutea CBS110299
B. australis AF452548
B. australis AF293480
B.
B. lutea

australis
vs
100 B. eucalyptorum AF283686
B. eucalyptorum
100 B. eucalyptorum AF283687
98 D. sarmentorum CAP 145
D. sarmentorum DA 1
D. sarmentorum JL 209
D. sarmentorum JL 361
Análise
D. sarmentorum
100 D. sarmentorum DE 27
D. sarmentorum CAP 147
D. sarmentorum CBS 120.41
molecular
89 D. sarmentorum IMI 63581
D. pruni CBS 165.33
B. tsugae AF243405 B. tsugae
B. corticola DOA 1
71 B. corticola
B. corticola CBS110272
100
89
B. corticola CBS678.88
Sphaeropsis sapinea AF243402
B. stevensii
100 B. stevensii AF243403
B stevensii CBS230.30
B. stevensii CAP062 B. stevensii
100
81 B. stevensii AF243406
Diplodia sp. AJ292761
79 Sphaeropsis sapinea AF243409 D. pinea
Sphaeropsis sapinea AF027756
91 B. obtusa CAP148
B. obtusa AF243408
B. obtusa AF027759
81 B. obtusa JL414 B. obtusa
B. obtusa JL379
B. obtusa CAP063
D. alni CBS 200.49
10

25