You are on page 1of 10

Exercícios sobre Interpretação de texto

Dicas para uma boa interpretação de texto. Ler o texto, no mínimo
três
vezes. Observe que cada leitura apresenta uma visão diferente sobre
o
texto.
Leitura informativa – buscar palavras mais importantes em cada
parágrafo que produzam significados.
Leitura interpretativa – compreender, analisar, sintetizar as informações do
texto e o que esta leitura requer.
Compreensão – entender a mensagem real contida no texto.

TEXTO I
A FALA HUMANA E O CANTO DOS
PÁSSAROS

O passarinho recém-nascido pode
aprender o canto típico de seus pais.
Mas, se entrar em contato com outra
espécie, também aprenderá o jeito de
cantar estranho. A princípio, o ser
humano recém-nascido também pode
gravar perfeitamente sons de qualquer
língua.
Mais tarde, os filhotes de aves
ficam desconfiados quando ouvem sons
diferentes e tendem a só prestar atenção
no canto da sua espécie. O cérebro da
criança também passa a só gravar sons
mais comuns – justamente os sons da
sua língua.
Pássaros e crianças, na etapa
seguinte, repetem os sons dos adultos.
Isso marcará o cérebro de ambos para
sempre, criando conexões de neurônios.
A criança, ao se tornar adulta, jamais
perderá o sotaque de sua língua de
origem. Experiências em que os
cientistas tentaram ensinar cantos
estranhos para pássaros maduros
mostraram que, quando eles conseguem
aprender, o “sotaque” estrangeiro
também é inevitável.
Superinteressante, jan. 1996.

Questão A – Considerando as idéias e
estruturas do texto acima, julgue os itens
em CERTO (C) ou ERRADO (E).
(c)1. ( ) O passarinho recém-nascido
pode aprender o canto de outras
espécies como o ser humano
recém-nascido pode aprender os
sons de qualquer língua.
(e)2. ( ) O pássaro adulto quando
consegue aprender o canto de
outra espécie não possui o
“sotaque” estrangeiro.
(c)3. ( ) A criança ao se tornar
adulta pode aprender outra
língua, entretanto nunca perderá
o sotaque de sua língua de
origem.
(e)4..( ) No processo de construção
do texto é usada a linguagem
denotativa

Texto II
DROGAS E ROCK’N’ ROLL
“Não é de hoje que essa
combinação está presente na vida de
muitos jovens. Pensando nisso, o
psiquiatra Jorge Jaber e o professor
adjunto de neurologia da UFRJ, Charles
André, aproveitaram o Rock in Rio 3 para
realizar uma pesquisa sobre o uso de
entorpecentes entre a juventude.
Segundo André, a principal constatação
foi que, entre o público do festival,
formado basicamente por classes média
e média alta, a maconha figura em
terceiro lugar entre as drogas já
experimentadas, com 43%.
__De uns tempos para cá, as
pessoas estão tratando o assunto da
maconha como algo inócuo, sem
conseqüências. Muitos esquecem, no
entanto, que ela é uma porta de entrada
no mundo das drogas ilícitas.
Durante os sete dias do festival,
cem voluntários da Associação de Pais e
Amigos dos Dependentes Químicos
entrevistaram 1.900 pessoas. O trabalho
incluiu ainda a distribuição de adesivos e
folhetos explicativos sobre a questão.
A pesquisa revela que o álcool
ainda é a droga mais popular: 88,2% das
pessoas já experimentaram. Em segundo
lugar, está o tabaco, com 57,7%.
Completam a lista, além da maconha,
com 43%, a cocaína com 15,7% e os
anabolizantes, com 4,1%.
Outra constatação importante é a
idade em que as pessoas
experimentaram a primeira droga. No
caso das lícitas, 71% tiveram o primeiro
contato até os 15 anos. Com as ilícitas,
89% consumiram pela primeira vez até
os 18 anos, o que mostra que a droga
está presente no período escolar.
Para o neurologista Charles André,
os resultados da pesquisa no Rock in Rio
3 servem de alerta para uma questão
ainda vista como preconceito entre as
classes de maior poder aquisitivo:
__ Tanto as escolas particulares
quanto as famílias agem com hipocrisia
em relação ao tema. Como nos colégios
é difícil fazer um levantamento, uma
pesquisa como esta nos dá dados para
que o problema seja visto com atenção.
O Globo

Questão B - Quanto à interpretação do
texto, assinale a alternativa CORRETA:

a) Na frase: “Não é de hoje que essa
combinação está presente na vida de
muitos jovens” - o termo destacado
está usado em sentido conotativo.
b) Álcool –tabaco e maconha, nessa
ordem, são as drogas mais utilizadas
pela população de baixa renda.
( correta) c) O texto caracteriza com clareza os
conceitos de “drogas lícitas” e
“drogas ilícitas”.

TEXTO III
O DESAFIO DO PRIMEIRO AMOR
Dos tempos do romantismo,
serenata, bailes de gala e muita emoção
no primeiro encontro, pouca coisa restou,
e assim mesmo, só na memória dos pais
e avós. Aos jovens e adolescentes de
hoje, o mundo apresenta-lhes com outra
velocidade e constituído por critérios que
passam mais pelo crivo da aparência e
do consumismo do que pelos valores
morais e sentimentos puros.
Se o amor transformou-se e muitas vezes
é visto como coisa do passado, como é
que ficou o primeiro namoro do
adolescente? Existe, ainda hoje?
Sobrevive na sua antiga fórmula do
parzinho romântico, que caminha passo a
passo, descobrindo a vida e novas
emoções? Ou tornou obsoleto,
substituído pela “transa”
descompromissada, despida de emoção
e pouco importante na preparação do
futuro, descartável?
“O primeiro namoro, o namoro do
adolescente, existe sim, embora de forma
diferente daquela a que nos
acostumamos a ver em épocas
passadas, nas quais o romantismo era a
tônica dominante e o sentimento pesava
muito e revestia-se de um significado
mais amplo. Não que o jovem, o
adolescente atual não sinta, não vivencie,
não se deixe tocar pelo sentimento. O
que acontece é que a cultura e a própria
civilização mudaram, relegando o
sentimento a um segundo plano dentro
da aceitação grupal. Assim, o
adolescente tem até um certo medo de
gostar, de admitir que ama, de valorizar
seus sentimentos. Diria, de forma geral,
que ele não admite que a Lua esteja
bonita, mas sente, intimamente, que a
Lua brilha e está ali.”
Quem afirma isso é a psicóloga
Maria Ângela Pazelli, que coloca também
a questão da dificuldade do adolescente,
primeiro, em verbalizar de forma
adequada suas emoções e vivências, e
segundo, em aceitar de forma tranqüila e
pacífica seus sentimentos, por medo de
parecer excessivamente “careta” perante
os amigos. Hoje, dentro do contexto
grupal, a própria palavra “namoro” já
parece fora da realidade e, mesmo para
os jovens que mantêm um tipo de
relacionamento nestes termos, a palavra
deixou de ser usada, sendo substituída
por expressões equivalentes, mas não
tão adequadas: “transas”, por exemplo.
Conforme relata Maria Ângela
Pazelli, basicamente o sentimento
continua o mesmo, embora a forma de
manifestá-lo seja diferente. Também as
necessidades não mudaram. “Na
verdade, o que mudou foi o conceito, a
idéia básica do sentimento. A premissa
do que é o amor. Este foi e continua
sendo algo maior, assim como é muito
importante o primeiro namoro, o namoro
adolescente. O que noto, às vezes, é a
juventude meio perdida, confusa,
interpretando erroneamente os conceitos
de amor e existência.”
O Desafio do Primeiro Amor, reportagem de
Maria Eliza Cerazetti – Revista Família Critã –
junho de 1989.

Vocabulário:
Critérios que passam mais pelo crivo
da aparência: julgamento.
Obsoleto: Velho, antigo, em desuso.
Tônica dominante: coisa principal.
Relegando: abandonando.
Segundo plano da aceitação grupal:
aquilo, que para o grupo não é tão
importante assim.
Verbalizar de forma adequada:
transformar o pensamento em palavras
corretas e compreensíveis.
Premissa: aquilo que serve de base para
uma conclusão.

QUESTÃO C - A autora do texto afirma
que dos tempos do romantismo pouca
coisa restou e só existe na memória dos
pais e avós. Para a autora, o mundo hoje
apresenta com outra velocidade. Como a
autora reconhece o primeiro namoro nos
dias de hoje?

(correto)a) É tudo que passa pelo crivo da
aparência e do consumismo.
b) Sobrevive na sua antiga fórmula do
parzinho romântico, que caminha
passo a passo.
c) Descompromissado, despido de
emoção.
d) A cultura e a própria civilização
mudaram, relegando o sentimento a
um segundo plano dentro da
aceitação grupal.

TEXTO IV
“Morreu Peri, incomparável dum
homem natural como sonhava Rousseau,
protótipo de tantas perfeições humanas
que no romance, ombro a ombro com
altos tipos civilizados, a todos sobreleva
em beleza de alma e de corpo.(...) O
indianismo está de novo a deitar copa, de
nome mudado. Crismou-se de
‘caboclismo’. ”
(Monteiro Lobato)

Questão D- No artigo “Urupês” (do qual
se extraiu o trecho acima), Lobato
chamou a atenção para um grave
problema brasileiro. Assinale a alternativaCORRETA que sintetiza a natureza
desse problema.

a) Cientificismo, o retrato fiel de um
acontecimento histórico
contemporâneo.
b) Nada vale nesta vida.
c) Destaca a própria evolução da vida.
(correto)d) O problema da idealização do
caboclo, assim se idealizou o índio
(no texto representado por Peri),
durante o Romantismo.

TEXTO V
SERMÃO DO BOM LADRÃO
“Não são só ladrões, diz o Santo,
os que cortam bolsas ou espreitam os
que vão se banhar para lhes colher a
roupa; os ladrões que mais própria e
dignamente merecem este título são
aqueles a quem os reis encomendam os
exércitos, ou o governo das províncias,
ou a administração das cidades, os quais
já com manha, já com força, roubam e
despojam os povos. Os outros ladrões
roubam um homem, estes roubam
cidades e reinos; os outros furtam
debaixo do seu risco, estes sem temor
nem perigo; os outros, se furtam são
enforcados, estes furtam e enforcam.”
Padre Antônio Vieira

Questão E - De acordo com o texto lido,
assinale a alternativa CORRETA:

(correto)a) O autor critica os ladrões porque eles
invadem a propriedade alheia.
b) Vieira acha que a propriedade privada
deve ser defendida a qualquer custo,
mesmo que para isso inocentes sejam
confundidos com criminosos.
c) O autor distingue dois tipos de
ladrões; os que estão no poder e
roubam os povos e os outros que se
furtam são enforcados.
d) De acordo com o texto, o autor acha
que apesar de haver dois tipos de
ladrões, ambos devem ser
enforcados, pois ladrão é sempre
ladrão.
Leia o texto abaixo extraído da revista
Veja, 2003.

TEXTO VI
A GALERA ILUSTRADA
Foi-se o tempo em que a tatuagem
era símbolo de rebeldia. De tão comum,
virou um acessório do corpo. Depois da
fase dos desenhos tradicionais dos
marinheiros, do abstracionismo dos
símbolos tribais e dos nativos orientais,
com dragões e ideogramas, a moda são
os grafismos e a releitura de motivos
clássicos como corações partidos e
personagens de história em quadrinhos.
Discretas, as tatuagens conquistaram a
pele de modelos, das patricinhas e dos
adolescentes em geral. É claro que o
preconceito ainda existe e que o exagero
talvez se torne uma dor de cabeça na
vida adulta.
Em carreiras conservadoras, como
mediana e direito, a tatuagem pode ser
encarada como desvario ou um perigoso
sinal de desleixo, o que não quer dizer
que médicos e advogados não possam
ter uma. Na hora de escolher lugar, é só
dar preferência a locais do corpo fáceis
de esconder com roupa.
A panturrilha, a parte interna do
antebraço e o ombro são as regiões
preferidas dos garotos. Já as meninas
tatuam mais o tornozelo, a nuca, a virilha
e a base da coluna vertebral. Em alguns
lugares, como o Estado de São Paulo, é
proibida a tatuagem em menores de
idade. Ignorar a lei tem seus riscos.

Questão F - A partir da leitura do texto
acima, podemos perceber que segundo o
autor: A tatuagem já foi sinal de rebeldia. Hoje é apenas decoração do
próprio corpo. Isso ocorre devido:

a) Não existir mais nenhum tipo de
preconceito para com o uso de
tatuagem.
(correto)b) Até em carreiras conservadoras as
tatuagens conquistaram espaço.
c) Sendo discretas, as tatuagens
conquistaram a pele de modelos, das
patricinhas e dos adolescentes em
geral.
d) A tatuagem já tem alcançado espaço
em vários lugares do mundo.
Leia o texto abaixo e responda as questões
abaixo:

TEXTO VII
CONSUMISMO
Os homens, através da tecnologia,
inventam a cada dia novas formas de
conforto e lazer. E objetos que possam
atender à demanda do consumo.
Uma das formas de convencer o
consumidor a compra os novos produtos é a
publicidade. A publicidade é feita das formas
mais variadas. Vai de um simples folheto
distribuído nas ruas, ou pelos correios, até
sofisticados filmes, que contam muito caro e
que os anunciantes passam nas principais
emissoras de televisão ou nos cinemas.
Nós falamos em televisão, mas é bom
lembrar que outros veículos de comunicação
– rádios e jornais – também vivem do que
cobram pelos anúncios.
Toda essa carga é jogada em cima
das pessoas e fica difícil resistir à vontade de
comprar. E comprar cada vez mais, mesmo
que não se necessite deste ou daquele
brinquedo, ou eletrodoméstico.
Isto é consumismo. Ele atinge mais
diretamente as crianças, que acabam sempre
desejando tudo o que é anunciado. Até por
que não têm a noção real do valor do
dinheiro e a dificuldade que seus pais
enfrentam para consegui-los.
O consumismo é um tal que deve ser
combatido em todas as idades. Mas é difícil
acabar com ele, porque as crianças vêem,
nas ruas e em suas escolas, os colegas com
um tênis da moda ou uma mochila nova e
logo querem ter essas novidades.
Esse espírito de competição também
leva os adultos à compra de objetos que são
absolutamente desnecessários. Se nosso
vizinho compra um carro novo, logo
queremos trocar o nosso.
A necessidade da conscientização do
que é consumismo é uma busca constante
das famílias hoje em dia. Também de uma
grande parte da sociedade. E todos
reconhecem que é preciso resistir ao
consumismo.
André Carvalho e Alencar Abujamra,
Consumidor e consumismo, Coleção “Pegante ao
José”, Lê, 1993.
Questão G – Segundo o texto, o que é
consumismo:

a) É o espírito de competição.
b) É um mal que deve ser combatido.
(correto)c) É comprar cada vez mais, mesmo que
não necessite.
d) É uma necessidade de
conscientização.

Questão H – De acordo com o texto,
quem é diretamente mais atingida pela
publicidade?

a) Os jovens pelo excesso de vaidade.
b) Os mais velhos pelo desejo de
consumir.
(correto)c) As crianças por não terem noção do
valor do dinheiro.
d) Todas as idades.

Questão I – A publicidade é feita das
formas mais variadas. Isso faz com que:

a) Os produtos sejam oferecidos.
(correto)b) As pessoas não resistam à vontade
de comprar.
c) As pessoas assistam mais televisão.
d) Leiam mais jornais.

Questão J – “Toda essa carga é
jogada em cima das pessoas...” . Isso
significa que:

a) As pessoas não precisam consumir.
b) Todos esses estímulos ao consumo
são dirigidos com insistência às
pessoas.
c) O consumo fica a vontade das
pessoas.
(correto)d) Só quem tem poder de compra
consome.