You are on page 1of 19

Gerenciamento financeiro

Desenho Industrial 6º semestre Disciplina: Gestão de projeto e de produto. Prof. Paulo Magri

Terminologias de custos (Martins, 1994; Massayuki, 1993)

Gastos São todas as destinações de recursos, desenbolsados ou não, que traduzem o sacrifício financeiro que a empresa realiza para oferecer um produto ou serviço qualquer. Por ser um conceito amplo, abrange investimentos, custos e despesas.

Investimentos São gastos considerados contabilmente como ativos em função de sua vida útil ou dos benefícios atribuíveis a período(s) futuro(s); por exemplo: estoques, bens imóveis, maquinário, consultorias e treinamentos.

Custos São recursos aplicados na transformação dos ativos e representados por gastos relativos à utilização de bem ou serviço na produção de outros bens e serviços;

logo, os gastos são reconhecidos como custos no momento da utilização dos fatores de

produção na fabricação de um produto ou execução de um serviço. Por exemplo: a

matéria prima foi um gasto na ocasião de sua aquisição e tornou-se investimento enquanto manteve-se em estoque; no momento de sua utilização na fabricação de um bem, assume-se o custo da matéria prima como parte integrante do bem elaborado; a mão-de-obra direta utilizada na execução do serviço é um dos custos necessários à

elaboração do mesmo.

Despesas São recursos empenhados em destinações que não transformam o ativo, mas contribuem para o esforço de geração de receitas (exemplo: a comissão do vendedor é um gasto tratado como despesa de venda; os juros pagos ou incorridos em virtude de financiamento bancário são tratados como despesas financeiras; os salários dos

vendedores ou funcionários administrativos são tratados como despesas de vendas e

administrativa, respectivamente).

Dispêndios, pagamentos ou desembolsos Representam saídas de caixa para atender à aquisição de um bem ou serviço, podendo ocorrer antes, durante ou após a entrada do bem ou serviço adquirido e , portanto, com ou sem defasagem em relação aos

gastos.

Perdas Recursos que não contribuem para gerar ativos ou receitas e que são representados por bens ou serviços consumidos de forma anormal e involuntária. Por exemplo: perdas com incêndio, obsolescência de estoques ou gastos com mão-de-obra em período de greve.

Principais classificações de custos e despesas:

Custos e despesas diretos São aqueles diretamente identificados e associados aos produtos e serviços, não necessitando de qualquer procedimento de rateio.

Principais classificações de custos e despesas: • Custos e despesas diretos – São aqueles diretamente identificados
+ =
+
=

Exemplo: Confecção que fabrica calças e camisas:

Principais classificações de custos e despesas: • Custos e despesas diretos – São aqueles diretamente identificados

Calças fabricadas no mês (unidades)

20.000

Calças fabricadas no mês (unidades) 20.000 Camisas fabricadas no mês (unidades) 30.000 Jeans consumido na produção

Camisas fabricadas no mês (unidades)

30.000

Jeans consumido na produção das calças

R$ 150.000,00

Tecido consumido na produção das camisas

R$ 80.000,00

Mão-de-obra direta utilizada na fabricação de calças

R$ 30.000,00

Mão-de-obra direta utilizada na fabricação de camisas

R$ 16.000,00

Apuração do custo direto de fabricação:

CALÇAS

 

Jeans consumidos (MP)

R$ 150.000,00

Mão-de-obra direta utilizada

R$ 30.000,00

Total de custos diretos

R$ 180.000,00

(÷) Calças fabricadas no mês

20.000

(=) Custo unitário direto / calça

9,00

 

CAMISAS

 

Tecido consumido (MP)

R$ 80.000,00

Mão-de-obra direta utilizada

R$ 16.000,00

Total de custos diretos

R$ 96.000,00

(÷) Calças fabricadas no mês

30.000

(=) Custo unitário direto / camisa

3,20

Custos e despesas indiretos São aqueles cuja associação direta e objetiva aos produtos e serviços não é possível, seja porque não foram apurados isoladamente, seja porque foram compartilhados por outros produtos / serviços, necessitando de um procedimento de rateio para fins de alocação.

Custos e despesas indiretos na confecção.

Custo da mão-de-obra indireta utilizada na fábrica.

R$ 10.000,00

Despesa com o aluguel do prédio da fábrica.

R$ 26.000,00

Outros custos fixos de fabricação

R$ 40.000,00

Despesas fixas com a comercialização dos produtos.

R$ 28.000,00

Despesas administrativas fixas

R$ 16.000,00

Total de custos e despesas indiretos

R$ 120.000,00

Neste caso percebemos que os custos e despesas não sugerem nenhuma relação direta com os produtos fabricados. Por isso é necessário criar um critério para rateio e alocação destas despesas nos produtos fabricados.

Este rateio e alocação deve ser feito levando em consideração quais os produtos mais vendidos, quais os menos vendidos e quais são mais trabalhosos ou menos trabalhosos em uma percepção pessoal do administrador.

 

Calças (%)

Camisas (%)

TOTAL

Custo da mão-de-obra indireta utilizada na fábrica.

40

  • 60 100%

 

Despesa com o aluguel do prédio da fábrica.

70

  • 30 100%

 

Outros custos fixos de fabricação

80

  • 20 100%

 

Despesas fixas com a comercialização dos produtos.

40

  • 60 100%

 

Despesas administrativas fixas

50

  • 50 100%

 

Definição do custo unitário (diretos + indiretos):

 

Calças (R$)

Camisas (R$)

TOTAL (R$)

Custo da mão-de-obra indireta utilizada na fábrica.

4.000,00

6.000,00

10.000,00

Despesa com o aluguel do prédio da fábrica.

18.200,00

7.800,00

26.000,00

Outros custos fixos de fabricação

32.000,00

8.000,00

40.000,00

Despesas fixas com a comercialização dos produtos.

11.200,00

16.800,00

28.000,00

Despesas administrativas fixas

8.000,00

8.000,00

16.000,00

       

Total de custos distribuídos por produto

73.400,00

46.600,00

120.000,00

       

(÷) Quantidade produzida

20.000 pç

30.000 pç

 

(=) Custo unitário indireto do produto

3,67

1,55

 

(+) Custo unitário direto do produto

9,00

3,20

 
       

(=) Custo unitário total do produto

12,67

4,75

 

Custos e despesas fixas São aqueles cujo valor não sofre nenhuma influência do nível de atividade da empresa. Esses custos e despesas são completamente independentes dos volumes de produção, ou seja, dentro da capacidade instalada,

qualquer flutuação no volume de produção não modificaria em nada o valor destes custos

e despesas.

Custos e despesas variáveis São aqueles que flutuam em função do nível de atividade da empresa. Como são custos e despesas variáveis, quaisquer variações no volume de produção, para mais ou para menos, faria aumentar ou diminuir esses custos e despesas.

Obs: A associação entre custos diretos e variáveis ou indiretos e fixos nem sempre é verdadeira. Por exemplo: A referida confecção aluga um quiosque para a comercialização das calças jeans. Este aluguel é custo fixo, porém, por ser custo exclusivo das calças é custo direto.

Exemplo com preço da calça a R$ 20,00 e da

Calças (R$)

Camisas

TOTAL (R$)

camisa a R$ 8,00.

(R$)

Volume fabricado e vendido

20.000 pç

30.000

 

(x) Preço unitário de venda

20,00

8,00

 

(=) Receita Bruta

400.000,00

240.000,00

640.000,00

(-) Impostos e contribuições sobre vendas 30%

120.000,00

72.000,00

192.000,00

(-) Custo da matéria prima

150.000,00

80.000,00

230.000,00

(-) Custo da mão-de-obra indireta utilizada na fábrica.

4.000,00

6.000,00

10.000,00

(-) Despesa com o aluguel do prédio da fábrica.

18.200,00

7.800,00

26.000,00

(-) Outros custos fixos de fabricação

32.000,00

8.000,00

40.000,00

(-) Despesas fixas com a comercialização dos

11.200,00

16.800,00

28.000,00

produtos.

(-) Despesas administrativas fixas

8.000,00

8.000,00

16.000,00

(=) Lucro antes do IR / Contribuição social

26.600,00

25.400

52.000,00

(-) IR / Contribuição social 35%

9.310,00

8.890,00

18.200,00

(=) Lucro Líquido

17.290,00

16.510,00

33.800,00

Métodos de definição de preços:

Podem ser classificados em 03 categorias principais:

Baseado em custos; Baseado na demanda (oferta e procura); Baseado na concorrência.

Métodos baseados em custos:

Determinação do preço através do acréscimo ao custo:

Mark’up = Marcar para cima

Um percentual pré-definido tem seu preço marcado para cima a partir dos custos variáveis.

Preço do produto = custos variáveis x (1+ % mark’up)

Exemplo:

Cvunit = 200 mark’up = 15%

P = 200 x (1+0,15) = 230

Método geralmente utilizado por varejistas e representantes.

Algumas empresas aplicam o mark’up a partir da soma dos custos diretos mais uma

parcela dos custos indiretos unitários:

Preço = (custos diretos + parcela dos custos indiretos) x (1+ % mark’up).

Algumas empresas definem uma quantia em moeda corrente no lugar de um percentual para somar-se ao custo do produto. Esta quantia em moeda é chamada de cost-plus (custo mais).

Preço do produto = custos variáveis + cost-plus

Exemplo:

Cvunit = $200 cost-plus = $30

P = $200 + $30 = $230

Outras empresas preferem o sistema de margem sobre vendas, ou seja, margem percentual de lucro em relação ao preço de venda.

Preço do produto = custos variáveis ÷ (1 - % margem sobre vendas)

Exemplo:

Cvunit = $200

%margem sobre vendas = 20%

P = $200 ÷ (1- 0,20) = $250

Margem sobre vendas = 250 200 = 50 %Margem sobre vendas = 50 / 250 = 20%

Margem de contribuição:

A margem de contribuição representa a diferença entre a receita de venda e os custos e as despesas variáveis (numa abordagem global) ou a diferença entre o preço unitário de venda e os custos e despesas variáveis unitários (numa abordagem na base unitária)

Global

Calças (R$)

Camisas

TOTAL (R$)

(R$)

Receita bruta

 
  • 400.000 640.000

240.000

 

(-) Impostos e contribuições sobre vendas 30%

 
  • 120.000 192.000

72.000

 

(-) Custo de matéria prima

 
  • 150.000 230.000

80.000

 

(-) Custo da mão-de-obra direta

30.000

16.000

46.000

       

(=) Margem de contribuição global

100.000

72.000

172.000

       

Margem de contribuição (percentual da receita bruta)

25%

30%

27%

Margem de contribuição:

Unitária

Calças

Camisas

Volume fabricado e vendido no mês

20.000

30.000

Preço de venda unitário

20,00

8,00

(-) Impostos e contribuições sobre vendas 30%

6,00

2,40

(-) Custo de matéria prima

7,50

2,67

(-) Custo da mão-de-obra direta

1,50

0,53

(=) Margem de contribuição unitária

5,00

2,40

     

Margem de contribuição (percentual do preço unitário)

25%

30%

Métodos de definição de preços:

Determinação do preço através da análise do ponto de equilíbrio:

A análise do ponto de equilíbrio é um método para se definir o número mínimo de unidades que têm que ser vendidas, a um determinado preço, de forma a cobrir todos os custos fixos. A utilização deste método leva em consideração os custos fixos totais e os custos variáveis.

O ponto de equilíbrio é aquele em que a receita total do produto é igual aos

seus custos totais (fixos e variáveis). Dado um determinado preço pode-se saber qual a quantidade que deve ser produzida para cobrir os custos.

Receitas e custos totais.
Receitas e custos totais.

Ponto de equilíbrio.

Unidades vendidas.

Para se calcular o ponto de equilíbrio deve-se considerar as seguintes variáveis:

CFtotais = Custos fixos totais;

P = Preço de venda

CVunit = Custo variável unitário

MCunit = Margem de contribuição unitária, que representa o acréscimo no lucro proporcionado por unidade a mais vendida (MCunit = P CVunit).

MCtotal = Margem de contribuição proporcionada pelo conjunto de todas as unidades vendidas.

Q = Quantidade-alvo de unidades a serem vendidas.

Ponto de equilíbrio com base no sistema de custeio variável

Receitas

P x Q

(-) Custos variáveis

CVunit x Q

= Margem de contribuição

(P - CVunit) x Q

(-) Custos fixos

CFtotais

= Lucro

MCtotal CFtotais

Por exemplo:

CFtotais = $ 40.000,00

P = $ 10,00

CVunit = $ 6,00

 

Receitas

10 x Q

(-) Custos variáveis

  • 6 x Q

= Margem de contribuição

  • 4 x Q

(-) Custos fixos

40.000

= Lucro

0

4.Q 40.000 = 0 Q = 40.000 ÷ 4 Q = 10.000 unidades

Na prática muitos executivos estipulam metas para o valor do lucro e calculam o quanto precisam vender para atingir as metas, ou quanto precisam cobrar sobre uma quantidade estimada de vendas.

Hora Técnica:

Receita = P x Quantidade de horas

Cálculo da Hora Técnica:

Funcionário: Salário + 72,32% = Total

Total ÷ nº de horas =

Valor Hora

Valor Hora + Margem de lucro = Hora técnica

Proprietário: Pro Labore + 48% = Total

Total ÷ nº de horas =

Valor Hora

Valor Hora + Margem de lucro = Hora técnica

Exemplo:

Cálculo da Hora Técnica:

Pro Labore = R$ 4.000,00

Horas Trabalhadas = 176h / mês

Margem de lucro = 30%

Proprietário: Pro Labore + 48% = Total

Total ÷ nº de horas =

Valor Hora

Valor Hora + Margem de lucro = Hora técnica

Sr. José: 4.000,00 + 48% = 5920

5920 ÷ 176 = 33,63

33,63 + 30% = R$ 43,72