Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Vila Mariana – IPVM ( 2008) Profs Eleusis e Wanda Di Creddo

O PODER CURADOR DA GRAÇA Vimos nas aulas passadas que a graça dos liberta das nossas culpas e nos dá liberdade, que ela nos santifica. Nessa aula veremos que a graça executa uma outra grande maravilha na nossa vida. Ela nos faz perdoadores. "Ser cristão significa perdoar o imperdoável, porque Deus perdoou o imperdoável em você". C.S Lewis O evangelho diz que não recebi o que mereço. Eu merecia castigo e obtive perdão. Merecia a ira e recebi amor. Merecia a cadeia do devedor e recebi, em vez disso, uma ficha limpa. Merecia advertências severas e devia me arrepender rastejando de joelhos, mas recebi um banquete — a festa de Babette — colocado diante de mim., Quando Israel era menino, eu o amei; e do Egito chamei o meu filho. Quanto mais eu os chamava, tanto mais se iam da minha presença; sacrificavam a baalins e queimavam incenso às imagens de escultura. Todavia, eu ensinei a andar a Efraim; tomei-os nos meus braços, mas não atinaram que eu os curava. Atraí-os com cordas humanas, com laços de amor; fui para eles como quem alivia o jugo de sobre as suas queixadas e me inclinei para dar-lhes de comer. Não voltarão para a terra do Egito, mas o assírio será seu rei, porque recusam converter-se. A espada cairá sobre as suas cidades, e consumirá os seus ferrolhos, e as devorará, por causa dos seus caprichos. Porque o meu povo é inclinado a desviar-se de mim; se é concitado a dirigir-se acima, ninguém o faz. Como te deixaria, ó Efraim? Como te entregaria, ó Israel? Como te faria como a Admá? Como fazer-te um Zeboim? Meu coração está comovido dentro de mim, as minhas compaixões, à uma, se acendem. Não executarei o furor da minha ira; não tornarei para destruir a Efraim, porque eu sou Deus e não homem, o Santo no meio de ti; não voltarei em ira. Oseias 11: 1 -9 Israel não recebeu imparcialidade, nem justiça; ela recebeu graça. "Como te deixaria, ó Efraim? Como te entregaria, ó Israel?" Substitua o nome de Efraim e Israel pelo seu próprio nome. No coração do evangelho está um Deus que deliberadamente submete-se ao poder selvagem e irresistível do amor. Paulo foi profundamente marcado pela Graça : a palavra sempre aparece o mais tardar na segunda frase de cada uma de suas cartas. "A graça é o melhor que ele pode desejar-lhes porque a graça é o melhor que ele sempre recebeu". Frederick Buechner Paulo repetia sempre a mesma coisa insistindo na graça porque sabia o que poderia acontecer se nós crêssemos que merecemos o amor de Deus. Nos momentos de crise, quando falhássemos completamente com Deus, ou quando por qualquer motivo não nos sentíssemos amados, ficaríamos em terreno inseguro. Teríamos medo de que Deus pudesse parar de nos amar quando descobrisse a verdade a nosso respeito. Paulo — "o principal dos pecadores", como ele mesmo se intitulou uma vez — sabia, sem sombra de dúvida, que Deus ama as pessoas pelo que Ele é, e não pelo que somos. O evangelho da graça começa e termina com o perdão.

MARAVILHOSA GRAÇA Acreditar nela é uma coisa, vivê-la é outra..

1

Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Vila Mariana – IPVM ( 2008) Profs Eleusis e Wanda Di Creddo
A GRAÇA NOS TORNA AGENTES DA GRAÇA ( PERDOADORES..) PORQUE ?

MARAVILHOSA GRAÇA Acreditar nela é uma coisa, vivê-la é outra..

1º. Motivo : A graça nos faz tomar decisões UNILATERAIS que promovem liberdade nos outros ( assim como Deus fez conosco) No centro das parábolas de Jesus a respeito da graça está um Deus que toma a iniciativa em nossa direção: um pai doente de amor que corre para se encontrar com o filho pródigo, um senhor que cancela uma dívida grande demais para o servo reembolsar, um empregador que paga aos trabalhadores da décima primeira hora o mesmo que pagou ao pessoal da primeira hora, um anfitrião que sai pelas estradas e caminhos à procura de convidados que não merecem o banquete. A graça é um ato unilateral de Deus em nossa direção; Um Deus que escolhe, UNILATERALMENTE, nos perdoar. Da mesma forma, a graça deve ser tão valorizada por nós, que nos capacite a tomar a decisão unilateral de sermos AGENTES DA GRAÇA na vida de outros,perdoando-os. Olhe esta parábola :
Por isso, o reino dos céus é semelhante a um rei que resolveu ajustar contas com os seus servos. E, passando a fazê-lo, trouxeram-lhe um que lhe devia dez mil talentos. Não tendo ele, porém, com que pagar, ordenou o senhor que fosse vendido ele, a mulher, os filhos e tudo quanto possuía e que a dívida fosse paga. Então, o servo, prostrando-se reverente, rogou: Sê paciente comigo, e tudo te pagarei. E o senhor daquele servo, compadecendo-se, mandou-o embora e perdoou-lhe a dívida. Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos que lhe devia cem denários; e, agarrando-o, o sufocava, dizendo: Paga-me o que me deves. Então, o seu conservo, caindo-lhe aos pés, lhe implorava: Sê paciente comigo, e te pagarei. Ele, entretanto, não quis; antes, indo-se, o lançou na prisão, até que saldasse a dívida. Vendo os seus companheiros o que se havia passado, entristeceram-se muito e foram relatar ao seu senhor tudo que acontecera. Então, o seu senhor, chamando-o, lhe disse: Servo malvado, perdoei-te aquela dívida toda porque me suplicaste; não devias tu, igualmente, compadecer-te do teu conservo, como também eu me compadeci de ti? E, indignando-se, o seu senhor o entregou aos verdugos, até que lhe pagasse toda a dívida. Assim também meu Pai celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão. Mateus 18 : 23 -35

Um talento equivale a seis denários. Um trabalhador normal ganhava um denário por dia. Se ele não gastasse nada do que recebesse ,a sua divida ( dez mil talentos ) equivale a 60.000 denários, ou seja, 60.000 dias de trabalho, ou seja 164 anos de trabalho...ou seja , era uma divida impagável...O que fez o rei perdoar a divida? Uma decisão sua UNILATERAL , movida unicamente pela compaixão. O fato de termos sido alvo do amor e do perdão de Des, deve nos capacitar a tomarmos decisão UNILATERAL de sermos agentes de graça e perdão na vida dos outros. Assim como fomos libertados, sejamos libertadores, e por uma decisão pessoal e unilateral.
Nós amamos porque ele nos amou primeiro. I João 4 : 19

2

Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Vila Mariana – IPVM ( 2008) Profs Eleusis e Wanda Di Creddo
2º. Motivo : A graça nos faz tomar decisões INCONDICIONAIS que promovem liberdade nos outros ( assim como Deus fez conosco) Os salvos em Cristo foram alvos de amor de Deus, sem merecerem pois a graça é incondicional ,não depende da resposta daqueles que foram alvo do perdão. Deus . ao me perdoar , atraves da sua graça, não estava preocupado com ele e sim conosco.
Digo com freqüência: "Eu perdôo você". Mas, mesmo quando digo essas palavras, meu coração continua zangado ou ressentido. Ainda quero ouvir a história que me diz que eu estava certo, afinal de contas; ainda quero ouvir pedidos de desculpas e justificativas; ainda quero ter a satisfação de receber algum louvor em troca — pelo menos o louvor de ser tão perdoador! O perdão de Deus, contudo, é incondicional; ele vem de um coração que não exige nada para si mesmo, um coração que está completamente vazio de interesses próprios. É o perdão divino que tenho de praticar em minha vida diária. Ele me convoca para continuar passando por cima de todos os meus argumentos que dizem que o perdão é loucura, doentio e impraticável. Ele me desafia a passar por cima de toda a minha necessidade de gratidão e elogios. Finalmente, ele exige de mim que eu passe por cima daquela parte ferida do meu coração que se sente machucada e maltratada e que deseja ficar no controle e colocar algumas condições entre mim e a pessoa a qual sou solicitado a perdoar. Henri Nouwen

MARAVILHOSA GRAÇA Acreditar nela é uma coisa, vivê-la é outra..

O grande problema que dificulta o perdão é que muitas vezes estabelecemos condições para o perdão . Muitas vezes pensamos mais em nós do que naquele que está sendo perdoado.
Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens; não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira; porque está escrito: A mim me pertence a vingança; eu é que retribuirei, diz o Senhor. Romanos 12 : 17-19

O perdão é um ato de fé. Perdoando outra pessoa, estou confiando que Deus é um juiz melhor do que eu. Perdoando, abandono meus próprios direitos de me vingar e deixo toda a questão da justiça nas mãos divinas.

Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos, o qual não cometeu pecado, nem dolo algum se achou em sua boca; pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente. I Pedro 2 : 21 -23

A vingança é uma paixão de acerto de contas. É um desejo ardente de devolver tanto sofrimento quanto alguém lhe infligiu... O problema com ela é que nunca alcança o que deseja; nunca chega ao empate. A justiça nunca acontece. A reação em cadeia iniciada por cada ato de vingança sempre segue o seu curso desimpedida. Ela amarra ambos, o injuriado e o injuriador, a uma escada rolante de sofrimento Lewis Smedes

Não perdoar é não colocar a pessoa nas mãos de Deus e querer segurá-la nas suas porque você acha que suas mãos são melhores que as dEle...
Depois da Guerra Civil, políticos e conselheiros insistiram em que Abraham Lincoln punisse o Sul severamente por todo o derramamento de sangue que provocou. "Eu não destruo meus inimigos quando os transformo em meus amigos?”.

3

Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Vila Mariana – IPVM ( 2008) Profs Eleusis e Wanda Di Creddo
Quando José, finalmente, chegou ao ponto de perdoar seus irmãos, a dor não desapareceu, mas o fardo de ser o juiz se desfez. Embora o mal não desapareça quando perdoamos, ele perde o seu poder sobre nós e é assumido por Deus, que sabe muito bem o que fazer. Tal decisão envolve risco, naturalmente: o risco de Deus não lidar com a pessoa como nós gostariamos que Ele fizesse (o profeta Jonas, por exemplo, ressentiu-se porque Deus foi mais misericordioso do que os ninivitas mereciam).
A primeira e geralmente única pessoa a ser curada pelo perdão é a pessoa que perdoa... Quando genuinamente perdoamos, libertamos um prisioneiro e então descobrimos que o prisioneiro que libertamos éramos nós". Lewis Smedes

MARAVILHOSA GRAÇA Acreditar nela é uma coisa, vivê-la é outra..

3º. Motivo : A graça nos faz tomar decisões SACRIFICIAIS que promovem liberdade nos outros ( assim como Deus fez conosco) O servo não teve que pagar a divida MOSTRUOSA pois o Rei, que tinha um direito de receber esse dinheiro, optou em deixer de recebe-lo...Se o Rei perdoou uma divida de 10.000 talentos, esse ato de perdão lhe custou 10.000 talentos..As dividas não desaparecem no ar.. Nesse caso o rei assumiu uma divida que não era sua... Lembram-se da festa de Babette. Não custou nada para nós e TUDO PARA DEUS. Perdoar é saber que iremos “ pagar a conta” de erros que não fizemos, de dores que não causamos... PERDOAR É ASSUMIR O PREJUÍZO E AS CONSEQUENCIAS DE ALGO QUE VOCÊ NÃO CRIOU. Amor verdadeiro e perdão significam amar tanto o outro que se está disposto a sofrer pelo outro, se colocar no lugar dele e inclusive partilhar da dor do outro como se fosse sua! É tratar o devedor como se ele não devesse nada.( Liberação de um castigo estabelecido).É tratar a pessoa tão bem DEPOIS da ofensa quanto ANTES da ofensa Foi isso que fez Jesus na cruz . ELE ASSUMIU UMA CULPA QUE NÃO ERA DELE..POR COMPAIXAO E AMOR... Ele não podia ter nos perdoado somente com uma frase? Somente dizendo eu te perdôo...? Porque Jesus teve que passar pela cruz para que fossemos perdoados ? Porque ele nos ama tanto que ele não nos “ despacha “ com um simples “ eu te perdôo”? Eu creio que é para mostrar o quanto Ele nos ama. Na cruz e no seu sofrimento, Jesus está me dizendo que palavras não são suficientes,é preciso demonstração desse amor em atos concretos. Na cruz ele está me dizendo que :
• • • ACEITASOFRER UMA DOR QUE NÃO É DELE , SE COLOCA NUM LUGAR QUE ELE NÃO MERECE, ASSUME UM CASTIGO QUE NÃO É DELE

Tudo isso para que eu me sinta PERDOADA(O)... AMADA(O)...., ou seja, PARA QUE EU SE SINTA melhor e liberto...

4

Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Vila Mariana – IPVM ( 2008) Profs Eleusis e Wanda Di Creddo
Ele fez isso por nós . FAZEMOS ISSOS PARA OS OUTROS ? Temos sido agentes de libertaçao e edificação dos outros? Aquele que pouco perdoa, pouco se sente perdoado. Deus perdoa minhas dívidas assim como eu perdôo meus devedores. O inverso também é verdadeiro: apenas vivendo na correnteza da graça de Deus encontrarei forças para reagir com graça para com os outros.

MARAVILHOSA GRAÇA Acreditar nela é uma coisa, vivê-la é outra..

..... Então, o servo, prostrando-se reverente, rogou: Sê paciente comigo, e tudo te pagarei. E o senhor daquele servo, compadecendo-se, mandou-o embora e perdoou-lhe a dívida. Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos que lhe devia cem denários; e, agarrando-o, o sufocava, dizendo: Pagame o que me deves. Então, o seu conservo, caindo-lhe aos pés, lhe implorava: Sê paciente comigo, e te pagarei. Ele, entretanto, não quis; antes, indo-se, o lançou na prisão, até que saldasse a dívida. ... Mateus 18 : 27-30

Para aquele servo perdoado de uma divida impagavel ( 10.000 talentos) não perdoar uma duvida de 100 denários ( 100 dias de trabalho) foi um ato de INGRATIDÁO AO REI QUE O HAVIA PERDOADO, DESPREZO PELO AMOR E COMPAIXÃO QUE O REI LHE HAVIA CONCEDIDO.. Náo perdoar o outro foi desprezar o perdão com que ele tinha sido perdoado pelo rei..FOI NÃO DAR VALOR AO ATO DE SACRIFICIO DO REI PARA COM ELE.... • • • • Portanto, não perdoar é um ato de rebelião contra DEUS... Portanto, não perdoar é uma demonstração que o sacrificio de Cristo na cruz náo vale nada para voce.. Não perdoar é achar que a SUA DIVIDA QUE JESUS PAGOU NA CRUZ NÁO ERA TÁO GRANDE ASSIM.. NÁO PERDOAR É NÁO RECONHECER A ENORMIDADE DO PERDAO QUE VOCE RECEBEU..

Em Cristo fomos alvo de Misericórdia ( não ganhamos o que merecíamos) e graça ( ganhamos ao que não mereciamos..) Temos sido fontes de misericordia e graça aos outros,o só estamos dando a eles o que eles merecem?

5