You are on page 1of 84

A Liahona

A I g re ja de Jesu s C ri s to dos Sa n tos dos Ú lt i m os Dia s • De zem bro de 2010

Venham Ver o
Cristo Hoje, p. 4
Receber uma Dádiva Maior, p. 26
Salvos pela Noite Sem
Escuridão, p. 50
Atividade: Procurar
Servir, p. 72
Reprodução proibida

Com o Olhar Voltado para o Oeste,


de Julie Rogers
Após o Martírio de Joseph Smith, o Presidente e mandamentos que compõem este livro de
John Taylor (1808–1887) escreveu: “Joseph Doutrina e Convênios (…); reuniu muitos
Smith, o Profeta e Vidente do Senhor, com milhares de santos dos últimos dias [e] fundou
exceção apenas de Jesus, fez mais pela salva- uma grande cidade. (…) Viveu grandiosa-
ção dos homens neste mundo do que qual- mente e morreu grandiosamente aos olhos de
quer outro homem que jamais viveu nele. Deus e de seu povo; e como a maior parte dos
No curto espaço de vinte anos trouxe à luz o ungidos do Senhor na antiguidade, selou sua
Livro de Mórmon, que traduziu pelo dom e missão e suas obras com o próprio sangue”
poder de Deus, (…) trouxe à luz as revelações (D&C 135:3).
A Liahona, dezembro de 2010

20

Mensagens 20 Händel e a Dádiva do 12 Nosso Lar, Nossa Família:


4 Mensagem da Primeira Presi- Messias
Élder Spencer J. Condie
Ajudar os Filhos a Exercerem
o Arbítrio
dência: Será que Enxergamos Marcos Fernando dos Santos
a Cristo? Sete lições a serem aprendidas
Presidente Dieter F. Uchtdorf
com a composição do Messias de
Händel.
14 Nossa Crença: Jesus Cristo
É o Filho Unigênito de Deus
7 Mensagem das Professoras 26 Um Dom a Ser Zelado
Visitantes: Nossa Responsabi-
com Esmero
16 Clássicos do Evangelho:
lidade de Participar do Traba- A História Que Sempre Se
lho do Templo e de História Élder Neil L. Andersen Renova
da Família Podemos usar esta dádiva celeste Presidente Heber J. Grant
— o Espírito Santo — como uma
Artigos bússola vital para nossas ações 37 Falamos de Cristo: A Dádiva
diárias. Joan M. Olenycz
18 Canção de Ninar para 38 Vozes da Igreja
o Timothy 32 Tradições Natalinas dos
Katherine Clement Poulsen
O Salvador ajudou a transfor-
Setenta
74 Notícias da Igreja
mar minha dor em paz. Seções 79 Ideias para a Reunião Familiar
8 Coisas Pequenas e Simples 80 Até Voltarmos a Nos
Na capa
Primeira capa:
11 Servir na Igreja: A Um Destes Encontrar: O Natal na Vinha
Larry Hiller
O Nascimento do Rei, de Meus Pequeninos
Michael Dudash. Última
capa: Boas Novas de Dianne W. Stoddard
Grande Alegria — Pastores
à Noite, de Michael Dudash.
Telas e gravuras com edição
limitada disponíveis no site
somersetfineart.com.

Dezembro de 2010 1
Jovens Adultos Jovens Crianças

64

42 50

42 Eles Falaram para Nós: 46 Perguntas e Respostas 58 A Visitação Pública


Não Temas “Tenho muita dificuldade em Jane McBride Choate
Élder Tad R. Callister motivar-me para estudar as Eu mal podia crer que não
45 O Evangelho em Minha Vida: escrituras. Como posso encon-
trar motivação?”
haveria a festa de Natal da ala.
Mas acabamos ganhando algo
Sem Tempo?
melhor.
Hong Ook Son
48 Pôster: A Luz Pura do Amor
60 Um Presente de Natal para
49 Nosso Espaço Jesus
50 O Natal no Novo Mundo Cinco presentes que você pode
oferecer ao Salvador para come-
Wendy Kenney
morar o nascimento Dele.
O sinal do nascimento do
Salvador salvou os fiéis nas 61 Nossa Página
Américas.
62 Tempo de Compartilhar:
Veja se consegue
encontrar a
54 O Melhor Presente Sei que Meu Salvador Vive
Ailson Sales Sandra Tanner e Cristina Franco
liahona oculta
nesta edição.


Na manhã de Natal,
ouvíamos nossos vizi-
64 Palha para a Manjedoura
Dica: Serviço. Jacob F. Frandsen
nhos comemorando
Sempre que Marcos ajudava
ao ar livre, mas não
alguém, podia acrescentar uma
saíamos, esperando
palhinha na manjedoura.
um milagre.
56 Como Eu Sei?: 66 Jesus Nasceu
Diane L. Mangum
Como Leite
com Açúcar As promessas dos profetas se
Yolanda Morales cumpriram. Os anjos jubilaram.
Posadas Os pastores deram glória a Deus.
68 Um Convidado Especial
Lorraine Richardson
Convidamos o Profeta Joseph
para nossa reunião familiar.
70 Para as Criancinhas

49
2
Mais na Internet
DEZEMBRO de 2010 Vol. 63 Nº 12
A LIAHONA 09292 059
Revista Oficial em Português de A Igreja de
Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Liahona.LDS.org
A Primeira Presidência: Thomas S. Monson,
Henry B. Eyring e Dieter F. Uchtdorf
Para os Adultos
Quórum dos Doze Apóstolos: Boyd K. Packer,
L. Tom Perry, Russell M. Nelson, Dallin H. Oaks,
M. Russell Ballard, Richard G. Scott, Robert D. Hales,
O Élder Spencer J. Condie compartilha
Jeffrey R. Holland, David A. Bednar, Quentin L. Cook, sete lições que podemos aprender
D. Todd Christofferson e Neil L. Andersen
Editor: Paul B. Pieper
com a vida de Händel, o compositor
Consultores: Stanley G. Ellis, Christoffel Golden Jr., do Messias (ver página 20). Para
Yoshihiko Kikuchi
Diretor Administrativo: David L. Frischknecht ouvir o Coro do Tabernáculo
Diretor Editorial: Vincent A. Vaughn
Diretor Gráfico: Allan R. Loyborg
cantar parte do Messias, visite www.liahona.LDS.org.
Gerente Editorial: R. Val Johnson
Gerentes Editoriais Assistentes: Jenifer L. Greenwood,
Adam C. Olson Para os Jovens Adultos
Editor Associado: Ryan Carr
Editora Adjunta: Susan Barrett
Equipe Editorial: David A. Edwards, Matthew D. Flitton, Um rapaz na África do Sul compôs
LaRene Porter Gaunt, Larry Hiller, Carrie Kasten, Jennifer
Maddy, Melissa Merrill, Michael R. Morris, Sally J. Odekirk,
uma cantata, que foi apresentada por
Joshua J. Perkey, Chad E. Phares, Jan Pinborough, outros jovens adultos de sua estaca, em
Richard M. Romney, Don L. Searle, Janet Thomas, Paul
VanDenBerghe, Julie Wardell dezembro do ano passado (ver página
Secretária Sênior: Laurel Teuscher
Diretor Administrativo de Arte: J. Scott Knudsen
23). Ele conta: “O objetivo principal era
Diretor de Arte: Scott Van Kampen prestar nosso testemunho do Salvador
Gerente de Produção: Jane Ann Peters
Equipe de Diagramação e Produção: Cali R. Arroyo, por meio da música e da letra da cantata”. Para assistir a um vídeo de
Collette Nebeker Aune, Howard G. Brown, Julie Burdett,
Thomas S. Child, Reginald J. Christensen, Kim Fenstermaker, partes da cantata, acesse www.liahona.LDS.org.
Kathleen Howard, Eric P. Johnsen, Denise Kirby, Scott M.
Mooy, Ginny J. Nilson
Pré-Impressão: Jeff L. Martin
Diretor de Impressão: Craig K. Sedgwick
Diretor de Distribuição: Evan Larsen
Tradução: Edson Lopes
Para as Crianças
Para assinaturas e preços fora dos Estados Unidos e do Nas páginas 72–73, tente achar cinco atos de serviço
Canadá, consulte o centro de distribuição local em seu
país ou o líder da ala ou do ramo. escondidos na Praça do Templo. Em seguida, vá para
Envie manuscritos e perguntas para Liahona, www.liahona.LDS.org para participar on-line de
Room 2420, 50 E. North Temple St., Salt Lake City, UT
84150-0024, USA; ou mande e-mail para: outro jogo parecido.
liahona@LDSchurch.org.
A ­Liahona, termo do Livro de Mórmon que significa
“bússola” ou “guia”, é publicada em albanês, alemão, Em Seu Idioma
armênio, bislama, búlgaro, cambojano, cebuano, chinês,
cingalês, coreano, croata, dinamarquês, esloveno, espanhol, A revista A L­ iahona e outros materiais da Igreja acham-se
estoniano, fijiano, finlandês, francês, grego, hindi, húngaro,
holandês, indonésio, inglês, islandês, italiano, japonês, disponíveis em muitos idiomas em www.languages.LDS.org.
letão, lituano, malgaxe, marshalês, mongol, norueguês,
polonês, português, quiribati, romeno, russo, samoano,
sueco, tagalo, tailandês, taitiano, tâmil, tcheco, télugo,
tonganês, ucraniano, urdu e vietnamita. (A periodicidade Tópicos desta Edição
varia de um idioma para outro.)
Os números representam a primeira página de cada artigo.
© 2010 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos
reservados. Impresso nos Estados Unidos da América.
Arbítrio, 12 Música, 20, 38
O texto e o material visual encontrados na revista A L­ iahona
podem ser copiados para uso eventual, na Igreja ou no lar, Chamados, 11 Natal, 4, 32, 37, 38, 40, 50, 54, 58,
não para uso comercial. O material visual não poderá ser
copiado se houver qualquer restrição indicada nos créditos Conversão, 56 62, 64, 70
constantes da obra. As perguntas sobre direitos autorais Deficiências, 18 Obediência, 26
devem ser encaminhadas para Intellectual Property Office,
50 E. North Temple St., Salt Lake City, UT 84150, USA; Espírito Santo, 26 Padrões, 49
e-mail: cor-intellectualproperty@LDSchurch.org.
For Readers in the United States and Canada:
Estudo das escrituras, 46 Paternidade/Maternidade, 12, 18
December 2010 Vol. 63 No. 12. LIAHONA (USPS 311-480) Expiação, 42 Prioridades, 45
Portuguese (ISSN 1044-3347) is published monthly by The
Church of Jesus Christ of Latter-day Saints, 50 E. North Família, 11, 12, 18 Serviço, 7, 11, 41, 45, 54, 64, 72, 80
Temple St., Salt Lake City, UT 84150. USA subscription price
is $10.00 per year; Canada, $12.00 plus applicable taxes. Fé, 26, 42, 50 Smith, Joseph, 39, 68
Periodicals Postage Paid at Salt Lake City, Utah. Sixty days’ Inspiração, 20, 26 Testemunho, 39, 62
notice required for change of address. Include address
label from a recent issue; old and new addresses must be Instituto, 45 Trabalho, 20
included. Send USA and Canadian subscriptions to Salt Lake
Distribution Center at address below. Subscription help Jesus Cristo, 4, 14, 16, 37, 48, 50, 58, Trabalho do templo, 7, 45
line: 1-800-537-5971. Credit card orders (Visa, MasterCard,
American Express) may be taken by phone. (Canada Poste
60, 62, 66, 70
Information: Publication Agreement #40017431)
POSTMASTER: Send address changes to Salt Lake
Distribution Center, Church Magazines, PO Box 26368,
Salt Lake City, UT 84126-0368.
Dezembro de 2010 3
M en s ag em da P r i m ei r a P res i d ên c i a

Presidente
Dieter F. Uchtdorf
Segundo Conselheiro na

Cristo?
Primeira Presidência

Será que Enxergamos a

C
erta noite, um avô estava lendo histórias para a neti- Assim como os pastores da antiguidade, devemos dizer
nha de quatro anos, quando ela olhou para o alto e no coração: “Vamos, pois, (…) e vejamos isso que aconte-
disse: “Vovô, olhe as estrelas!” O senhor idoso sorriu ceu”. Precisamos desejá-lo no coração. Vamos contemplar
gentilmente e disse: “Estamos dentro de casa, querida. o Santo de Israel na manjedoura, no templo, no monte e
Aqui não há estrelas”. Mas a menina insistiu: “Esta sala tem na cruz. Assim como os pastores, glorifiquemos e louve-
estrelas! Olhe!” mos a Deus por essas novas de grande alegria!
O avô olhou para cima e, surpreso, constatou que o Por vezes as coisas mais difíceis de serem vistas são as
teto estava salpicado de purpurina prateada. Essa deco- que sempre estiveram bem diante de nós. Tal como
ração ficava invisível na maior parte do tempo, mas o avô que não conseguia ver as estrelas no teto,
quando a luz incidia sobre ela de certa forma, de às vezes não conseguimos enxergar coisas de
fato parecia um campo de estrelas. Foi pre- grande visibilidade.
ciso contar com os olhos de uma criança para Nós, que ouvimos a gloriosa mensagem da
vê-las, mas elas estavam mesmo lá. A partir vinda do Filho de Deus; nós, que tomamos
daquele momento, sempre que o avô entrava Seu nome sobre nós e fizemos convênio de tri-
no recinto e olhava para cima, conseguia ver o lhar Seus caminhos como Seus discípulos — não
que antes não lhe fora possível. devemos deixar de abrir o coração e a mente e de
Estamos no início de outro maravilhoso período nata- vê-Lo de verdade.
lino, cheio de música, luzes, festas e presentes. Mais do O período natalino é maravilhoso sob vários aspectos. É
que qualquer outro povo, nós, como membros da Igreja um momento de agirmos com caridade, bondade e amor

Ilustração fotográfica de David Stucki; ilustração de Joe Flores


que leva o nome do Salvador, devemos ver bem mais do fraternal. É uma oportunidade para refletirmos mais sobre
que o caráter festivo do período e contemplar a sublime nossa própria vida e as muitas bênçãos que recebemos. É
verdade e beleza desta época do ano. tempo de perdoar e de ser perdoado. É tempo de apreciar
Será que muitas pessoas em Belém sabiam que ali, bem as músicas, a iluminação, as festividades e os presentes.
perto delas, nascera o Salvador? O Filho de Deus, o Mes- No entanto, o brilho externo desta época do ano jamais
sias prometido e esperado por tanto tempo, — estava no deve ofuscar nossa visão e impedir-nos de ver verdadeira-
meio delas! mente o Príncipe da Paz em toda Sua majestade.
Lembram-se do que o anjo anunciou aos pastores? Transformemos o período natalino deste ano num
“Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, momento de júbilo e comemoração, uma época em que
que é Cristo, o Senhor.” E eles disseram uns aos outros: reconhecemos o milagre que foi nosso Deus Todo-Pode-
“Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu” roso ter mandado Seu Filho Unigênito, Jesus Cristo, para
(Lucas 2:11, 15). redimir o mundo! ◼

4 A Liahona
Ensinar Usando
Esta Mensagem
1. “Podem-se utilizar
atividades motivado-
ras para despertar o
interesse dos alunos e
ajudá-los a voltarem a
atenção para o tema da
lição. (…) As gravuras
são ferramentas valiosas
para reforçar a ideia
principal de uma aula
e ajudar a conquistar
a atenção dos alunos”
(Ensino, Não Há Maior
Chamado, 2009, pp. 160,
176). Ao começar a dar
esta mensagem, pense
na possibilidade de
utilizar uma atividade
motivadora — como
mostrar uma gravura
ou ler uma escritura —
e pedir à família que
pense em como isso se
aplica à mensagem.

2. “Uma de suas metas


mais importantes deve
ser auxiliar as pessoas a
aplicarem os princípios
do evangelho no dia
a dia. (…) [Ajude] os
alunos a descobrirem
as bênçãos advindas da
prática do evangelho”
(Ensino, Não Há Maior
Chamado, p. 159).
Depois de dar esta
mensagem, convide,
caso julgue conveniente,
os membros da família
a relatarem experiências
que tiveram ao colo-
carem o Salvador no
centro das festividades
natalinas.

Dezembro de 2010 5
J ovens C rian ç as
Natal Missionário Procurar o Salvador
Loran Cook

E m meu segundo Natal como missionário de tempo


integral, meu companheiro e eu visitamos um mem-
O Presidente Uchtdorf disse que, no período nata-
lino, devemos procurar coisas que nos façam
recordar a vida do Salvador. Consultem as referências
bro recém-batizado e sua família. Após uma ceia nata-
das escrituras abaixo. Achem a gravura que corres-
lina maravilhosa, deixamos uma mensagem de Natal.
ponda a cada passagem e escrevam a referência abaixo
Pedimos à família que desenhasse coisas que remetes-
do desenho.
sem ao Natal, como estrelas, presentes, presépios e árvo-
res de Natal. Em seguida, lemos algumas escrituras, entre
elas, 2 Néfi 19:6: “Pois um menino nos nasceu, um filho
se nos deu; e o governo estará sobre seus ombros; e o seu
nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Poderoso Deus, Pai
Eterno, Príncipe da Paz”. Cantamos o hino “Once in Royal
David’s City” [Certa Vez, na Cidade Real de Davi] (Hymns,

À esquerda: ilustração de Paul Mann; ilustração de ornamentos de Joe Flores; Cristo Levanta dos Mortos a Filha de Jairo, de Greg Olsen © 1990; O Menino Jesus no Templo,
205), vimos um filme sobre o Natal e prestamos testemu-
nho de Jesus Cristo.

de Grant Romney Clawson © IRI; A Crucificação, de Harry Anderson © IRI; ilustração de Paul Mann; Ele Ressuscitou, de Del Parson; Os Três Reis Magos, de Paul Mann
Foi um Natal em circunstâncias simples, longe de nossa
família e das comemorações natalinas costumeiras, mas,
ao prestarmos testemunho do Salvador, senti um amor e Mateus 2:1–2 Lucas 2:46
uma gratidão mais profundos por Ele e por Seu nasci-
mento do que jamais sentira antes. Dei-me conta de que
seria meu último Natal como missionário de tempo inte-
gral para o Pai Celeste, mas compreendi que Seu Espírito
poderia testificar para mim de Seu Filho onde quer que Lucas 8:49–55
eu estivesse.

Mateus 15:32–38 Lucas 23:33–34, 44–46

João 20:11–20

6 A Liahona
M e n s ag e m da s P r o f e s s o r a s V i s i ta n t e s

Nossa Responsabilidade de Estude este material e, conforme julgar conveniente,


discuta-o com as irmãs que você visitar. Use as pergun-
Participar do Trabalho do tas para ajudar no fortalecimento das irmãs e para
fazer com que a Sociedade de Socorro seja parte ativa
Templo e de História da Família de sua própria vida.
Fé • Família • Auxílio

A o longo dos séculos, muitas pessoas morreram


sem o conhecimento do evangelho. Algumas
delas são seus familiares próximos ou distantes.
O que Posso
Fazer?
De Nossa História
“O Profeta Joseph Smith disse: ‘A maior res-
ponsabilidade que Deus nos deu neste mundo
Eles estão esperando que você faça as pesquisas
1. Como posso
ajudar as irmãs que é buscarmos nossos mortos’ (History of the
necessárias para unir seus familiares e realizar as visito a pesquisarem Church, vol. 6, p. 313). Desde o início, as irmãs
ordenanças salvadoras por eles. sobre seus antepas- da Sociedade de Socorro vêm apoiando esse
Em sua maioria, os templos de todo o mundo sados e a realiza- trabalho grandioso. Em Nauvoo, em 1842, o
não são tão frequentados quanto deveriam. O rem as ordenanças desejo de Sarah M. Kimball de ajudar os traba-
Senhor prometeu que o coração dos filhos se volta- do templo por eles?
lhadores na construção do templo levou um
Leve em conta as
ria para os pais, para que a Terra não fosse total- grupo de irmãs a se organizarem, a fim de servi-
circunstâncias de
mente destruída em Sua vinda (ver D&C 2:2–3). cada irmã, ao refle- rem com mais eficácia. Quando elas começaram
Há bênçãos pessoais que recebemos por partici- tir sobre como aten- a reunir-se, o Profeta (…) organizou a primeira
par do trabalho do templo e de história da família. der às necessidades Sociedade de Socorro, seguindo o modelo do
Uma delas é a alegria que sentimos ao servir aos dela. Lembre-se de sacerdócio. Depois disso, as irmãs da Sociedade
nossos antepassados. Outra é podermos tornar-nos que o trabalho de
de Socorro ajudaram a levar adiante o trabalho
história da famí-
dignos de uma recomendação para o templo, o no Templo de Nauvoo. (…)
lia pode, muitas
que denota dignidade diante do Senhor. Quem não vezes, fortalecer os Em 1855, oito anos depois da chegada dos
for digno hoje do privilégio de ter uma recomenda- membros novos, os santos a Utah, foi estabelecida a Casa de Inves-
ção, deve, com a ajuda do bispo ou presidente de menos ativos e os tiduras. Eliza R. Snow, que tinha sido um dos
ramo, preparar-se para qualificar-se o mais rápido que estão retor- membros originais da primeira Sociedade de
possível. Rogo que não fiquem sem essa qualifica- nando à atividade
Socorro e preservado os registros dessa orga-
na Igreja.
ção vital. Testifico que a Expiação é real e que os nização, foi chamada pelo Presidente Brigham
pecados podem ser perdoados mediante o devido 2. Em que ocasiões Young, em 1866, para ser a presidente geral da
arrependimento. o trabalho do tem-
Sociedade de Socorro. Ela e outras irmãs servi-
plo e de história da
Ao participarmos da obra do templo e da histó- ram fielmente na Casa de Investiduras. Depois,
família me consolou
ria da família, podemos ter certeza de que o Espí- em meus desafios quando os Templos de St. George, Logan e
rito nos consolará em nossos desafios e nos guiará ou me guiou Manti foram concluídos, essas irmãs viajaram
em decisões importantes. O trabalho do templo em decisões a cada templo, a fim de lá fazerem orde-
e de história da família faz parte de nossa missão importantes?
nanças vicárias.”1
de prestar socorro e serviço a nossos próprios
Nota
antepassados. 1. Mary Ellen Smoot, “Family
Julie B. Beck, presidente geral da Sociedade de Socorro. History: A Work of Love” [His-
tória da Família: Uma Obra
de Amor], ­Ensign, março de
1999, p. 15.
Das Escrituras
Malaquias 4:5–6; I Coríntios 15:29;
I Pedro 3:18–19; D&C 110:13–16; 128:24
Para mais informações, acesse
www.reliefsociety.LDS.org.
Ilustração fotográfica de Jerry Garns

Dezembro de 2010 7
Coisas Pequenas e Simples
“É por meio de coisas pequenas e simples que as
grandes são realizadas” (Alma 37:6).

N as P a l avras d o s P r o f e t as

Uma Lembrança Natalina


Presidente Thomas S. Monson bengala preta na mão, recitei minhas
falas: “Onde está aquele que é nas-

E m casa, num cantinho escondido,


guardo uma pequena bengala preta
de cabo prateado que pertenceu a um
cido rei dos judeus? Porque vimos
a sua estrela no oriente, e viemos a
adorá-lo” (Mateus 2:2). Lembro-me
parente distante. Querem saber por claramente do que senti no coração
que guardo esse objeto há mais de 70 quando nós, os três “Reis Magos”,
anos? Há um motivo especial. Quando olhamos para cima e vimos uma
menino, participei de uma peça de estrela, viajamos até o outro lado
Natal em nossa ala. Tive o privilégio de do palco, encontramos Maria com
ser um dos três Reis Magos. Com um o menino Jesus, e então caímos por
turbante, a capa do piano de minha terra e O adoramos, abrindo nossos
mãe enrolada nos ombros e aquela tesouros e apresentando nossos pre-
sentes: ouro, incenso e mirra.
Gostei particularmente do fato
de não termos voltado ao malvado
Herodes para trair o menino Jesus,
mas sim, obedecido a Deus e partido
por outro caminho.
Os anos se passaram, mas a No Calendário

O
bengala de Natal continua a ocupar Devocional de Natal da
um lugar especial em meu lar. Em Primeira Presidência está
meu coração ela representa um marcado para 5 de dezembro
compromisso de dedicação a de 2010. Haverá mensagens da
Cristo.
Primeira Presidência e música
Extraído de “Dádivas Preciosas”,
do Coro do Tabernáculo e da
A ­Liahona, dezembro de 2006,
pp. 3–4. Orquestra da Praça do Templo.
Consulte seu líder do sacerdócio
ou o site www.LDS.org para obter
mais informações sobre horários e
locais de transmissão. Também é
possível assistir ao devocional on-
line em www.broadcast.LDS.org.

8 A Liahona
O Poder da Reunião Familiar
M eu marido, Luiz Antônio, e eu o batismo à irmã mais nova, Ellen.
temos um firme testemunho A reunião familiar continuou a
do poder da reunião familiar e de sua abençoar a nós e nossos filhos em meio
capacidade de fortalecer nossa família aos desafios da adolescência. Ajudou-os
no evangelho. Nem sempre foi fácil a conservarem o testemunho e a per-
perseverar, mas com o tempo isso fez manecerem fiéis no evangelho. Hoje
toda a diferença para nós e nossos nosso filho é ex-missionário e nossas
quatro filhos. filhas casaram-se no templo e já têm os
Um dos momentos mais especiais já próprios filhos.
ocorridos na reunião familiar foi quando Prestamos testemunho de que a
nosso filho Renan estava preparando-se reunião familiar é um dos melhores
para o batismo. Nossas duas filhas mais programas da Igreja. Sabemos que a
velhas, Cynthia e Lilian, ofereceram-se obediência aos conselhos dos profetas
para dar as aulas no mês que precedeu para realizarmos a reunião familiar regu-
o oitavo aniversário do irmão. Foi com larmente trouxe bênçãos grandiosas a
grande prazer que meu marido e eu nossa vida e sabemos que pode resultar
observamos as meninas ensinarem o em bênçãos a qualquer pessoa disposta
significado e propósito do batismo — a seguir essa orientação. Reconhecemos
os mesmos princípios que lhes tínha- que é preciso muito trabalho e plane-
mos ensinado, quando elas estavam jamento, mas para nós as bênçãos da
preparando-se para o batismo. Quatro eternidade compensarão cada minuto de
anos depois, o Renan seguiu o exemplo nosso empenho.

Fotografias de Welden C. Andersen; pintura dos Reis Magos de Paul Mann © IRI 1999; O Nascimento de Jesus, de Carl Heinrich Bloch, usado
com permissão do Museu Histórico Nacional de Frederiksborg, em Hillerød, Dinamarca, reprodução proibida; silhueta de Beth M. Whittaker
das irmãs mais velhas e deu aulas sobre Walkiria Santana Cairo, Brasil

A História do Natal

M uitas pessoas conhecem bem a história da Natividade, conforme contada em Lucas


1–2. No entanto, há várias outras passagens das escrituras que falam do nascimento
miraculoso do Salvador Jesus Cristo. Pense em incluir os versículos a seguir em seu estudo
pessoal das escrituras deste mês:

Velho Novo Livro de Doutrina e Pérola de


Testamento Testamento Mórmon Convênios Grande Valor

Isaías 7:14; 9:6–7 Mateus 1–2 1 Néfi 10:4–6; D&C 76:41 Moisés 5:57
11:13–21
Miqueias 5:2 João 1:1–14 Alma 7:9–13 D&C 93:1–4

Helamã 14:1–9

3 Néfi 1

Dezembro de 2010 9
C o i s a s P e q u e n a s e S i mp l e s

Hora da reunião familiar

P ara os membros da Igreja, a noite de segunda-feira é sinônimo de


reunião familiar. Mas como tudo começou? Esta linha cronológica
conta a história.

1909: 1915: 1935: 1965: 1970: 1985: 1999:


A Estaca O Presidente O Presidente É publicado A Primeira Reunião A Primeira
Granite Utah Joseph F. David O. o primeiro Presidência Familiar: Livro Presidência
desenvolve um Smith e seus McKay lembra manual oficial designa a noite de Recursos é publica uma
programa for- conselheiros aos pais que da reunião de segunda- apresentado carta lem-
mal de Reunião na Primeira “nenhum familiar; edi- feira para com mais brando aos
Familiar. Presidência sucesso na vida ções revisadas a reunião materiais e membros que

A partir da esquerda: fotografia de capela da Estaca Granite Utah, cortesia da Biblioteca de História da Igreja; Joseph F. Smith, de A. Salzbrenner;
instam os pais compensa o são lançadas familiar. aplicações. não devem
da Igreja a reu- fracasso no anualmente planejar
nirem os filhos lar”. 1 até 1984. atividades de
uma vez por ala ou estaca

fotografia de Boyart Studios; 1985 capa de manual de Phyllis Luch; fotografia de Jed A. Clark; silhueta de Beth M. Whittaker
semana numa nas noites
“Reunião Nota de segunda-
Familiar”. 1. David O. McKay, citado por J. E. McCulloch, Home: The Savior of feira ou — na
Civilization [Lar: O Salvador da Civilização], 1924, p. 42; em
 Conference Report, abril de 1935, p. 116. medida do
possível —
não participar
de atividades
comunitárias
Ideias para a Reunião Familiar para Pessoas
nessas noites.
Solteiras ou Sem Filhos
• Estudar as escrituras, manuais da Sociedade de Socorro
ou do sacerdócio ou artigos de revistas da Igreja.
• Trabalhar na sua história da família.
• Convidar membros da ala ou do ramo para assistir à
reunião familiar em sua casa.
• Escrever cartas para familiares que morem longe ou
missionários de sua ala ou ramo que estejam no campo.
• Servir ao próximo. Pensar na possibilidade de levar
uma refeição a alguém necessitado, visitar idosos num
asilo ou apresentar-se como voluntário num projeto da
comunidade.

10 A L i a h o n a
S erv i r n a I g re ja

A Um Destes Meus
Pequeninos
Dianne W. Stoddard

M
Servir com
ãe de quatro filhos peque- banho num bebê que ela veio a desco- Sabedoria
nos, eu nunca parecia ter um
instante de sossego. Num
brir tratar-Se do Menino Jesus. Ela pen-
sou: Oh, que grande honra é servir ao É preciso sabedoria
para achar um equilí-
brio entre os chamados
de meus dias mais atarefados e cor- próprio Cristo desta forma! Ao segurar
de liderança e as responsabilidades
ridos, o bispo telefonou e perguntou o bebê no colo, ficou extasiada. (…) familiares, profissionais e outras. Aqui
se poderia conversar comigo e com Uma alegria indescritível preencheu- vão seis sugestões:
meu marido. Para minha surpresa, ele lhe o ser. (…) Sua felicidade foi tão
1. Concentre-se nas pessoas e não
me chamou para ser a presidente da grande que ela acordou. Ao despertar, nos programas. A tônica das reu-
Sociedade de Socorro. ouviu as seguintes palavras: ‘Quando o niões de conselho, presidência e
Eu disse ao bispo que teria de orar fizestes a um destes meus pequeninos liderança deve ser as necessidades
a respeito. Eu simplesmente não sabia irmãos, a mim o fizestes’.” 1 das pessoas.
como conseguiria desempenhar um Essa história encheu-me o coração 2. Inove. Use criatividade e a orienta-
cargo que exigia tanto tempo naquele e a alma de consolo e paz. Eu sabia ção do Espírito dentro das normas
e dos princípios da Igreja.
período de minha vida. Fui tomada que o Senhor estava a par de minhas
3. Delegue responsabilidades e per-
por sentimentos de inadequação e circunstâncias, que desejava que eu mita aos outros que cresçam. Um
incerteza, e chorei muitas vezes nos servisse às irmãs da ala e que me líder deve aconselhar, orientar e
dois dias seguintes. abençoaria, a fim de me permitir que motivar, mas não fazer o trabalho
Uma de minhas professoras visi- cumprisse todas as minhas responsa- alheio.
tantes, que nem fazia ideia de minha bilidades. Aceitei o chamado. 4. Elimine o sentimento de culpa.
Perceba que devemos fazer todas
angústia, telefonou e marcou uma Ainda me surpreendo com o fato de
as coisas “com sabedoria e ordem”
hora para me visitar. Durante a visita, haver conseguido cumprir meu cha- (Mosias 4:27), dando maior
ela contou uma história sobre Emma mado e ao mesmo tempo atender às atenção a prioridades diversas em
Somerville McConkie, que servira necessidades e aos anseios de minha momentos diferentes.
como presidente da Sociedade de família, e sou grata por uma professora 5. Faça o melhor possível. Com-
Socorro durante os primeiros tempos visitante que foi inspirada a deixar preenda suas habilidades, siga seu
da Igreja em Utah. Uma senhora da uma mensagem oportuna. Desde essa próprio ritmo e priorize seus recur-
sos para ajudar os outros, sempre
ala da irmã McConkie tinha vários época, nunca hesitei em aceitar um
protegendo sua saúde.
filhos, inclusive um recém-nascido. chamado. Tenho o testemunho de 6. Esteja atento às necessidades dos
À direita: ilustração fotográfica de Laureni Fochetto

Como a família dessa mulher era que, ao servirmos ao Pai Celestial, Ele membros novos. Dê-lhes oportuni-
pobre, a irmã McConkie ia diaria- nos abençoa com o tempo, a energia dades de aprender o evangelho, de
mente à casa dela para levar comida e a capacidade necessários para cum- conhecer outros membros e prestar
e ajudá-la a cuidar do filho. prirmos nossos chamados. ◼ serviço significativo.
“Certo dia, [a irmã McConkie] voltou Extraído do artigo do Élder M. Russell Ballard, do
Nota
para casa mais cansada e esgotada 1. Bruce R. McConkie, “Charity Which Never Quórum dos Doze Apóstolos, “Oh! Sede Sábios!”
Faileth” [A Caridade Que Nunca Falha], A ­Liahona, novembro de 2006, pp. 18–20.
do que de costume. Dormiu sentada Relief Society Magazine, março de 1970,
na cadeira. Sonhou que estava dando p. 169; grifo da autora.

Dezembro de 2010 11
N o s s o L a r , N o s s a Fa m í l i a

Ajudar os Filhos a Exercerem o Podemos ensinar-lhes que, devido

Ilustração: Michael Parker


Arbítrio
a nossas fraquezas, nós como pais
precisamos de Seu amor, Sua miseri-
córdia e paciência assim como nos-
sos filhos precisam.
Às vezes, quando nossos filhos
pequenos se comportam mal, pode
ser que comecemos a perder as
Assim como o Pai Celestial ensinou a Adão e Eva sobre o esperanças, mas o Pai Celestial
arbítrio, precisamos ajudar nossos filhos a compreenderem jamais perderá a esperança em nós.
Precisamos aprender a ver nossos
e exercerem o deles. filhos como o Pai Celestial nos vê:

Q
Marcos Fernando dos Santos nossos filhos, mesmo quando o como filhos Dele, com o potencial
uando o Pai Celestial criou aprendizado com os erros lhes seria de nos tornarmos semelhantes a Ele
Adão e Eva, eles eram ino- benéfico. por meio do poder e da graça de
centes. Não sabiam muito O Pai Celestial foi paciente ao Seu Filho. Não temos o poder de
sobre a vida e suas consequências. ensinar o arbítrio a Adão e Eva salvar nossos filhos, mas podemos
Mas o Pai Celestial andava com eles desde o início. Deu-lhes manda- ser bons exemplos e exercer fé em
e os ensinava e foi paciente com eles mentos, consequências e a capaci- seu benefício.
ao aprenderem sobre sua existência dade de exercer o arbítrio, dizendo: Não cabe a nós forçar ninguém
terrena. “De toda árvore do jardim podes
Como pais, também temos o pri- comer livremente, mas da árvore
vilégio de estar com nossos peque- do conhecimento do bem e do mal
ninos e ensiná-los. Contudo, acho não comerás; não obstante, podes
que às vezes tendemos a esquecer escolher segundo tua vontade, por-
que nossos filhos também são filhos que te é dado; mas lembra-te de que
espirituais do Pai Celestial. Temos eu o proíbo, porque no dia em que
a responsabilidade de ajudá-los a dela comeres, certamente morrerás”
aprender suas primeiras lições e a (Moisés 3:16–17; grifo do autor).
missão de guiá-los na direção do Talvez não saibamos exatamente
Salvador Jesus Cristo. como incentivar os filhos a seguirem
Caso sigamos o exemplo do Pai os mandamentos sem os forçar. Há
Celestial no Jardim do Éden, toma- várias coisas que podemos fazer
remos sobre nós a responsabilidade para ajudar. Podemos ensinar o
de cuidar dos filhos e instruí-los evangelho aos filhos, principal-
sobre o evangelho de Jesus Cristo. mente usando as escrituras,
Ao fazermos isso, precisamos ensi- e viver de acordo com esses
nar-lhes as consequências de seus princípios. Podemos ensinar-
atos. Não é uma tarefa fácil, pois nós lhes por preceito e exemplo
mesmos ainda estamos aprendendo, a confiar no Pai Celestial e
e às vezes deixamos de cumprir a partilhar com eles as bên-
vontade do nosso Pai Celestial. E não çãos recebidas por meio da
raro queremos intervir para socorrer obediência ao evangelho.

12 A L i a h o n a
a fazer a vontade do Pai Celestial. exercerem o arbítrio adequadamente, A Importância do Ensino
É claro que o grau de liberdade e será mais fácil ensiná-los e amá-los,
“Já ouvi alguns
responsabilidade que damos aos a despeito do que façam.
pais dize-
filhos dependerá de sua idade e O Pai Celestial sabia que Adão e
rem que não
capacidade. Quando os ajudarmos a Eva seriam tentados e comeriam do
querem impor
fruto da árvore do conhecimento o evangelho
do bem e do mal. Ele já preparara a seus filhos,
um caminho para eles voltarem por mas desejam
meio de Seu Filho. Mandou um que eles decidam por si mes-
anjo para ensinar-lhes sobre o mos sobre o que acreditarão e
sacrifício expiatório do nosso seguirão. Esses pais pensam que
Salvador, os princípios do arre- assim estarão permitindo que
pendimento e como poderiam os filhos exerçam seu arbítrio. O
invocar a Deus em nome do que eles esquecem é que o exer-
Filho e alcançar a remissão dos cício inteligente do arbítrio exige
pecados por meio da mise- o conhecimento da verdade,
ricórdia e do amor do Pai das coisas como elas realmente
são (ver D&C 93:24). Sem esse
Celestial (ver Moisés 5).
conhecimento, não se pode
Ao externarmos amor
esperar que os jovens compreen-
por nossos filhos e lhes
dam e avaliem as alternativas
ensinarmos [esses princípios],
que se lhes apresentarem.”
mesmo que se desen-
Élder D. Todd Christofferson, do Quórum
caminhem, não nos dos Doze Apóstolos, “Disciplina Moral”,
distanciaremos deles; A ­Liahona, novembro de 2009, p. 105.

permaneceremos
orando e esperando
que encontrem ale-
gria por meio da fé
em Jesus Cristo e do
arrependimento ver- abençoados mais abundantemente
dadeiro. Se mantiver- com o puro amor de Cristo e tere-
mos em mente esses mos mais sucesso como pais (ver
princípios, seremos D&C 121:41–46). ◼

Dezembro de 2010 13
N o s s a C ren ç a

Jesus Cristo
É o Filho Unigênito de Deus

J
esus foi a única pessoa nascida que seria chamado de Jesus era o Filho Uni-
de uma mãe mortal, Maria, e gênito de Deus.
de um pai imortal, Deus, o Pai. O anjo Gabriel também disse a Maria
É por isso que Jesus é chamado de que sua prima Isabel estava grávida de um
Filho Unigênito de Deus. De Seu menino. Quando Maria a visitou, Isabel
Pai, Ele herdou poderes divinos (ver foi cheia do Espírito Santo e disse:
João 10:17–18). Da mãe, herdou a “E de onde me provém isto a
mortalidade e tornou-Se sujeito a mim, que venha visitar-me
fome, sede, fadiga, dor e morte. a mãe do meu Senhor?”
A vida mortal de Jesus Cristo (Ver Lucas 1:39–45.)
começou quando nasceu em Belém. Isabel soube naquele
Lucas fez o seguinte relato: “Foi o momento que Maria
anjo Gabriel enviado por Deus (…) seria a mãe do Filho
a uma virgem desposada com um de Deus.
homem, cujo nome era José. (…)
Disse-lhe, então, o anjo: (…) em teu
ventre conceberás e darás à luz um
filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus.
Este será grande, e será chamado
filho do Altíssimo; (…) Descerá sobre
ti o Espírito Santo, e a virtude do
Altíssimo te cobrirá com a sua som-
bra; por isso também o Santo, que de
ti há de nascer, será chamado Filho
de Deus” (Lucas 1:26–27, 30–32, 35;
ver também 1 Néfi 11:16–21; Alma
7:10).
Mateus registrou que um anjo
também apareceu a José em sonho
e disse: “[Maria] dará à luz um filho
e chamarás o seu nome Jesus; por-
que ele salvará o seu povo dos seus
pecados” (ver Mateus 1:20–21). Tanto
Maria quanto José compreendiam
que o filho que Maria daria à luz e

14 A L i a h o n a
1. Alguns dos discípulos
do Salvador estavam num 3. Antes de Jesus levantar
barco quando viram Jesus Lázaro dos mortos, per-
Cristo caminhar sobre a guntou a Marta, irmã de
água. “Então aproxima- 2. Quando Jesus perguntou Lázaro, se ela acreditava
A partir da esquerda: Bendita És Tu entre as Mulheres, de Walter Rane © IRI; Adão e Eva Oferecem Sacrifícios, de Del Parson; Cristo Caminha sobre as Águas, de

ram-se os que estavam a Seus discípulos: “Quem que Ele era “a ressurreição
Robert T. Barrett; ilustração fotográfica de Hyun Gyu Lee; detalhe de Vinde e Vede, de Liz Lemon Swindle, Foundation Arts, reprodução proibida; Samuel,

no barco, e adoraram-no, dizeis que eu sou?” Pedro e a vida”. Ela respondeu:


dizendo: És verdadeira- respondeu: “Tu és o Cristo, “Sim, Senhor, creio que tu
mente o Filho de Deus” o Filho do Deus vivo” és o Cristo, o Filho de Deus”
Outros também rece- (Mateus 14:33). (Mateus 16:15, 16). (João 11:25, 27).
beram um testemunho
do Espírito Santo de
que Jesus Cristo é o
Filho de Deus. Abaixo
estão alguns desses
testemunhos.
o Lamanita Profetiza, de Arnold Friberg © IRI; Marta Saúda Jesus, Robert T. Barrett.

4. Adão e Eva ofereciam 5. Deus ensinou a Adão que


sacrifícios “à semelhança do deveria ser “batizado, sim,
sacrifício do Unigênito do na água, em nome de meu
Pai” (Moisés 5:7). Filho Unigênito, que é cheio
de graça e verdade, que é
Jesus Cristo” (Moisés 6:52).

O Apóstolo João ensinou: “E o Verbo [ Jesus 6. Nas Américas, cinco anos antes do nascimento do
Cristo] se fez carne, e habitou entre nós, e Salvador, Samuel, o Lamanita, profetizou: “O Filho de
vimos a sua glória, como a glória do uni- Deus virá para redimir todos os que crerem em seu nome”
(Helamã 14:2). ◼
gênito do Pai, cheio de graça e de verdade”
( João 1:14; ver também D&C 93:11).

Para mais informações, ver Princípios do Evangelho, 2009,


pp. 52–60; Sempre Fiéis, 2004, pp. 103–106; e Richard C. Edgley,
“The Condescension of God” [A Condescendência de Deus],
­Ensign, dezembro de 2001, pp. 16–21.

Dezembro de 2010 15
C l á s s i co s d o E va n g el h o

A História
Que Sempre Se Renova Ninguém que tenha vivido na Terra exerceu tanta
influência sobre os destinos do mundo quanto
nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo.

Heber J. Grant, sétimo Presidente da Igreja, e mesmo assim, no mundo todo, apesar
nasceu em 22 de novembro de 1856. Foi de todos os conflitos e caos, ainda arde no
ordenado apóstolo em 16 de outubro coração de milhões de pessoas um teste-
de 1882, aos 25 anos de idade, e em 23 munho da divindade do trabalho que Ele
de novembro de 1918 foi apoiado como realizou. (…)
Presidente da Igreja. O artigo a seguir foi Meu coração se enche de alegria inco-
extraído de “Story of Old” [História Antiga], mensurável e indescritível quando penso
Improvement Era, dezembro de 1940, que Deus nosso Pai Celestial e nosso Senhor
pp. 713, 765. Jesus Cristo visitaram a Terra e tornaram a
revelar o evangelho ao homem. E sinto pro-
Presidente Heber J. Grant (1856–1945) funda gratidão e reconhecimento, a ponto

A
de ficar sem palavras, por Ele ter-me aben-
história de Jesus o Cristo é uma história çoado com o conhecimento da divindade da
antiga que sempre permanece nova. obra na qual estamos empenhados. Sempre
Quanto mais leio sobre Sua vida e obra, Lhe pedi em oração constante e sincera que

Mãe e Filho, de J. Kirk Richards; ilustração fotográfica de Christina Smith


maior é a alegria, paz, felicidade e satisfação minha mente nunca se escureça, que eu
que me enchem a alma. Sempre há um encanto nunca me desvie do caminho da retidão,
renovado que se acende em mim ao refletir mas que com o passar dos anos eu aumente
sobre Suas palavras e o plano de vida e salva- meu entendimento, que a luz e a inspiração
ção que Ele ensinou aos homens durante Sua do Espírito de Deus ardam em meu cora-
vida na Terra. ção e iluminem minha compreensão e me
Todos sabemos que ninguém que tenha mantenham firme e fiel ao servir meu Pai
vivido na Terra exerceu tanta influência Celestial.
sobre os destinos do mundo quanto nosso E gostaria de dizer aos membros da Igreja
Senhor e Salvador, Jesus Cristo. No entanto, que nos convém, nós que recebemos um
Ele nasceu na obscuridade, colocado numa testemunho da divindade da obra na qual
manjedoura. Ele escolheu como apóstolos estamos envolvidos, pôr nossa vida diária
pescadores pobres e iletrados. [Mais de] 1.900 em ordem a fim de que a obra de Deus seja
anos já se passaram desde Sua Crucificação glorificada pelas boas ações que praticarmos.

16 A L i a h o n a
A obra de Deus será glorifi-
cada pelas boas ações que
praticarmos.

Assim, deixemos brilhar nossa luz para


que os homens, ao verem nossas boas
obras, glorifiquem a Deus. Nenhum
povo na face da Terra foi tão aben-
çoado como nós, santos dos últimos
dias. Nenhum povo jamais recebeu
as manifestações de bondade, mise-
ricórdia e magnanimidade de Deus
que nos foram concedidas. Assim,
digo que nós, mais do que quaisquer
outros homens e mulheres do mundo,
devemos levar uma vida digna e pau-
tada por princípios divinos. ◼
A ortografia, a pontuação e o uso de ini-
ciais maiúsculas foram padronizados.

Dezembro de 2010 17


Canção de Ninar para


o Timothy
Meu coração se condoía de meu bebê enfermo
até que me lembrei dos dons ofertados por
outra criança nascida 2.000 anos antes.
Katherine Clement Poulsen

L
embro-me das palavras ater- Três semanas depois, na mesma honestamente, com o que eu conside-
rorizadoras da enfermeira que sala de conferências do hospital, um rava nossa vida recém-destruída.
ajudou no parto: “Acho que neurologista tentou explicar a má- Quando cheguei ao fundo do poço,
ele tem algumas anomalias”. Nesse formação cerebral que deixaria nosso invoquei fervorosamente o Senhor,
momento, o número de pessoas na filho com um atraso cognitivo signi- mencionando todas as maneiras
sala de parto aumentou para permitir ficativo, dificuldades na fala e poste- maravilhosas pelas quais eu O serviria
a ressuscitação de meu recém-nas- riormente, convulsões. se Ele levasse o Timothy de volta, me
cido gravemente debilitado. Alguns dias depois disso, na deixasse chorar sua perda e me per-
Eu já passara por muitas situações mesma sala, o neonatologista disse: mitisse dar prosseguimento a minha
semelhantes antes, mas do outro lado, “É inconcebível mandar o Timothy vida. Qualquer coisa além disso era
como enfermeira. Eu é que tinha de para casa sem um tubo para alimen- certamente mais do que eu poderia
reavivar o recém-nascido. Agora eu tação”. Nosso bebê nasceu magrinho, suportar.
era a mãe que tentava tocar a mão- com um quilo e quatrocentos gramas, Em meio a tudo isso, meu próprio
zinha de meu filho na incubadora, anêmico e quase não reagia a estímu- milagre pessoal estava começando.
enquanto uma equipe de transporte los. Quando lhe oferecíamos a mama- Muitos membros de nossa ala, junta-
esperava para levá-lo a outro hospital. deira, ele mal tinha forças para sugar, mente com vários familiares e amigos,
Na manhã seguinte, recebi um e se engasgava com o leite. estavam jejuando e orando por nossa
telefonema da unidade de terapia Nosso bebê estava praticamente família. Certa manhã de domingo,
intensiva neonatal, onde meu marido, desenganado. Meu mundo estava quando acordei tive a forte impressão
Andrew, estava cercado de médicos desabando sobre mim. Questionei a de que algo muito bom ia acontecer
que lhe explicavam a cirurgia que promessa do Senhor de que nunca naquele dia em consequência de todas
Timothy teria de sofrer de imediato nos daria uma provação maior que as orações e jejuns. Eu esperava, é
para remover enormes tumores nossa capacidade de suportar. Senti claro, que Timothy ficasse mais alerta
abdominais. que esse fardo estava me esmagando repentinamente e começasse a se
Apeguei-me à esperança de que a física, mental e espiritualmente. Nas alimentar miraculosamente. Quando
cirurgia curaria nosso filho e que ele muitas horas diárias que eu passava no cheguei à UTI neonatal, Timothy
levaria uma vida normal e feliz. Eu hospital, ansiava por estar ao lado de continuava tão inerte quanto antes, e
já conseguia visualizá-lo como um meus dois filhos mais velhos e retomar ainda não apresentava o menor inte-
menino gordinho com uma pequena a vida tranquila que levávamos antes. resse pela mamadeira. Naturalmente,
cicatriz, lembrança do susto passa- Quando eu estava em casa, ficava fiquei decepcionada, mas ao segurá-lo,
geiro que deu aos pais. obcecada com o bem-estar do bebê e, fui tomada por um sentimento intenso

18 A L i a h o n a


melhorado de várias formas, ainda


desconheço o significado exato disso.
Mas tenho sentido uma presença
muito consoladora comigo desde
aquele momento. E sempre que me
deparo com algo que talvez constitua
motivo de preocupação, esse senti-
mento se apodera de mim de novo,
e a mensagem é a mesma: “Não se
preocupe. Tudo vai ficar bem. Sim-
plesmente desfrute a presença dele”.
Nesta época de Natal, meus pensa-
mentos voltam-se para as belas dádi-
vas que o Salvador nos concedeu. Ele
permite que tenhamos paz na Terra
de várias formas. Um dos dons de paz
mais maravilhosos é a oportunidade
de, em espírito de oração, fazermos
tudo a nosso alcance e depois depor-
mos nossas tristezas aos pés Dele.
Ao depositarmos nossa confiança
no Senhor, podemos entregar nossas
preocupações a Ele, e Ele por Sua vez
que me indicava que ele ficaria bem. nos fortalecerá, concedendo-nos dons
Eu nem sabia o que significava esse especiais para nos suster — muitas
“bem”, mas não tinha dúvidas de vezes por meio de outras pessoas.
que o Senhor estava à frente e estava Dorme, pois nada te molestará. Para mim, essas dádivas vieram na
atento a nossa família. Dorme, menino, dorme feliz forma de pessoas que cuidaram de
Algumas semanas depois, minha Que o teu sono Jesus guardará. 1 meus outros dois filhos, refeições
mãe e eu fomos ao hospital. Naquela trazidas por membros da ala, enfer-
sala silenciosa e de iluminação suave, Eu soube que a paz viria por meio meiros e médicos maravilhosos e o
minha mãe segurou meu bebezinho do Salvador, que veio à Terra para apoio amoroso de familiares e amigos.
frágil perto do peito e embalou-o ao trazer paz e felicidade eterna a cada Contudo, a maior dádiva foi a paz con-
som da seguinte canção de ninar: um de nós. Ele certamente cuidaria cedida pelo Pai Celestial quando Seu
daquele pequenino e fortaleceria a Filho tomou sobre Si minhas tristezas
Não chores, menino, eu vou nós, que fôramos escolhidos para e preocupações. Por causa Dele, sou
te contar cuidar dele. livre para amar o pequeno Timothy
De como num lindo país de Algumas semanas depois, o e desfrutar de seu convívio e para
além mar Timothy foi transferido para a unidade regozijar-me com todas as pessoas e
Jesus, pequenino, ao mundo de enfermagem especial onde trabalho bênçãos postas em meu caminho por
Ilustração: Scott Snow

desceu atualmente. Lá ele miraculosamente causa de sua vida especial. ◼


Qual tu, um menino bonito aprendeu a comer. E mais uma vez
Nota
nasceu. tive o sentimento maravilhoso de que 1. “Dorme, Menino”, Músicas para Crianças,
Dorme, menino, dorme feliz. ele ficaria bem. E embora ele tenha p. 30.

Dezembro de 2010 19



Élder
Spencer J. Condie
Serviu como membro dos
Setenta de 1989 a 2010

Messias
Händel e a Dádiva do

Ao fim de nossos dias determinados por Deus,


Retrato de Händel, atribuído a Balthasar Denner © Getty Images; fotografia de violino: Matthew Reier; ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA: JED CLARK © IRI

espero que possamos reconhecer, como Händel,


que Deus nos visitou.

G
eorg Friedrich Händel parece de doze meses, o compositor de 52
já ter nascido músico. Ainda anos sofreu um derrame que deixou
jovem na Alemanha, tor- seu braço direito temporariamente
nou-se exímio violinista e organista. paralisado. Um médico disse ao
Depois de compor sua primeira fiel secretário de Händel: “Talvez
ópera na Alemanha, mudou-se para consigamos salvar o homem — mas
a Itália, o centro mundial da ópera, o músico perdeu-se para sempre.
para aprender composição musical Parece-me que seu cérebro foi atin-
no estilo italiano. Lá alcançou certo gido de modo irreversível”. 1
sucesso compondo óperas e músicas de O compositor desafiou esse diagnóstico.
câmara. Com o tempo, seu corpo reagiu positivamente
Em 1711, aos 26 anos de idade, decidiu ao tratamento nas fontes termais de Aix-la-
mudar-se para a Inglaterra, onde seus oratórios Chapelle (Aachen, Alemanha), e ele recobrou
e óperas inicialmente ganharam aceitação. o vigor físico. Depois de testar sua habilidade
Contudo, ao fim da década de 1730, o público de tocar órgão numa catedral das imediações,
britânico começou a perder o entusiasmo por proclamou com júbilo: “Voltei do Hades”. 2
óperas cantadas em alemão ou italiano; passou Quando retornou a Londres e começou
a dar preferência a espetáculos teatrais como a compor óperas de novo, sua obra não
The Beggar’s Opera. Assim, durante vários anos foi bem recebida, e os credores voltaram a
Händel teve dificuldade para manter os lobos rondá-lo. No auge do desânimo, começou a
— seus credores — longe da porta. questionar-se: “Por que Deus permitiu minha
Em 1737, depois de pôr à prova seus limites ressurreição, apenas para deixar meus seme-
físicos compondo quatro óperas no espaço lhantes me enterrarem de novo?” 3 Em abril

Dezembro de 2010 21


palavras de Isaías, que prediziam o nas-


cimento de Jesus Cristo e descreviam Seu

O Nascimento de Cristo, Carl Heinrich Bloch, usado com permissão do Museu Histórico Nacional de Frederiksborg, em Hillerød, Dinamarca; Cristo Ensina Maria e Marta, de Soren Edsberg, reprodução proibida;
ministério, Sua crucificação e Ressurreição.
Essa obra deveria tornar-se um oratório.

Cristo Cura o Cego, de Carl Heinrich Bloch, usado com permissão do Museu Histórico Nacional de Frederiksborg, em Hillerød, Dinamarca, reprodução proibida; fotografias de Richard M. Romney
Devido a seus fracassos anteriores, Händel
ficou apreensivo ao começar a ler o texto.
“Comfort Ye” (“Consolai”), as primeiras
palavras do manuscrito, pareciam saltar da
página. Dissiparam as névoas escuras que
vinham envolvendo Händel havia tanto
Um poeta e antigo tempo. Sua depressão diminuiu e suas emo-
colaborador deixou ções se exaltaram, passando do mero interesse
um manuscrito ao entusiasmo à medida que lia as proclama-
para Händel, ções angélicas do nascimento do Salvador e
citando fartamente as profecias de Isaías sobre o Messias, que
as escrituras, nasceria na Terra como as outras crianças
principalmente as mortais. Uma melodia conhecida que Händel
palavras de Isaías, compusera antes lhe veio à mente ao ler “For
que prediziam o unto Us a Child is Born” (“Porque um Menino
nos Nasceu”). As notas musicais foram-se
nascimento de Jesus
destilando em sua mente mais rápido do que
Cristo e descreviam
conseguia registrar no papel, quando ele
Seu ministério, visualizou a imagem do Bom Pastor amoroso
Sua crucificação e na ária intitulada “He Shall Feed His Flock”
Ressurreição. (“Apascentará o Seu Rebanho”). Depois veio
a exultação arrebatadora refletida no “Coro
de Aleluia”, seguida pelo testemunho suave
e sublime de “I Know That My Redeemer
Liveth” (“Eu Sei que o Meu Redentor Vive”).
A obra foi concluída de modo majestoso com
“Worthy is the Lamb” (“Digno é o Cordeiro”).
de 1741, Händel realizou o que achou que Depois de toda a música que compusera
seria seu concerto de despedida. Sua criati- ao longo da vida, Händel acabaria por ficar
vidade se esgotara. Um biógrafo escreveu: conhecido mundialmente por essa obra singu-
“Não havia nada para começar nem terminar. lar, O Messias, composto em sua essência em
Händel estava diante do vazio”. 4 apenas três semanas no fim do verão boreal
No fim de uma tarde de agosto do mesmo de 1741. Ao terminar sua composição, reco-
ano, ao voltar de uma longa e extenuante nheceu com humildade: “Deus me visitou”. 5 As
caminhada, Händel viu que um poeta e pessoas que sentem o toque do Espírito Santo
antigo colaborador, Charles Jennens, tinha ao ouvirem o testemunho arrebatador de O
lhe deixado um manuscrito. O livreto citava Messias, de Händel, certamente concordariam.
fartamente as escrituras, principalmente as Aos patrocinadores da primeira

22 A L i a h o n a
J ov e n s A du ltos Richard M. Romney
Revistas da Igreja

“Se Eu Estivesse Lá”


A letra e a música de uma obra de autoria de um rapaz da África do Sul incentivam cada um de nós
a pensar profundamente no Salvador — não apenas no Natal, mas sempre.

A melodia começa tão suave quanto


um sussurro e enche a alma tão
rápido quanto os ouvidos. Torna-se
simplesmente cumprindo uma desig-
nação feita aos jovens adultos solteiros
de sua estaca de preparar uma cantata
canção que fale do evangelho. Gosto
muito de observar os membros da con-
gregação quando a música os toca e de
ainda mais memorável quando o coro — um programa com música e uma sentir o Espírito ao mesmo tempo que
começa a cantar: mensagem que ajudasse as pessoas a eles. Acho que estarei sempre envol-
louvarem ao Salvador. De fato, o pro- vido com música ao longo de toda a
Se eu estivesse lá para vê-Lo chegar,
grama foi marcado originalmente para vida, pois é algo muito importante
esse homem, um carpinteiro cha-
junho ou julho de 2009, mas depois para mim”.
mado Jesus.
de vários adiamentos, foi programado Mas, acima de tudo, Michael adora
Ao ver a multidão a Sua volta,
para dezembro. partilhar seu testemunho do Salvador,
será que eu não a seguiria para
“Quando os representantes dos e fazê-lo com música no período nata-
ouvi-Lo?
adultos solteiros me disseram o que lino foi uma oportunidade perfeita.
Quando eu O visse, não O reconhe-
lhes fora pedido, eu disse logo: ‘Por “O objetivo principal era prestar nosso
ceria com apenas um olhar?
que não usamos música original, em testemunho do Salvador por meio
Eu saberia que Ele é o Cristo?
vez de composições já existentes?’” da música e da letra da cantata”,
Observando-se o coro, percebe-se lembra-se Michael. Os representantes conta ele. “Queríamos música forte
que todos estão cantando com o dos jovens adultos solteiros concorda- e ao mesmo tempo usar testemu-
coração. Os instrumentistas também ram. E também conheciam a pessoa nhos contundentes. Assim, usamos os
fazem soar cada nota com esmero, e certa para tornar tudo isso possível — testemunhos de pessoas das escrituras
os técnicos de som equilibram todos Michael McLeod. que conheceram o Salvador: Maria,
os componentes para que se chegue a Michael é estudante de letras — José, Ana, Simeão, Pedro, Tiago, João
uma bela harmonia. Ao observarmos Inglês e Matemática na Universidade (o Amado), Maria Madalena e outras
os jovens adultos da Estaca Pretória de Pretória. “O que quero mesmo é pessoas a quem Cristo curou e ensinou.
África do Sul, vemos que têm origens e ser professor”, revela ele. Mas Michael Tentamos transmitir o que eles sabiam,
experiências diversas e unem a voz em sempre se interessou por música. De e é algo de grande poder. Também usa-
louvor ao Senhor Jesus Cristo. fato, estudou seriamente música até mos o próprio testemunho do Salvador.
E na origem disso tudo, há um os dezessete anos. O resultado foi maravilhoso.”
regente de vinte anos de idade que “A música tornou-se meu passa-
escreveu cada palavra, compôs cada tempo”, explica ele, “e é algo que
nota, coordenou cada ensaio e apre- ainda adoro. Adoro como a
sentação e criou o que acabou se música consegue tocar
tornando um presente de Natal para o coração das pessoas.
seus amigos, os membros da Igreja, a Adoro reger e sentir a
comunidade e até mesmo o Salva- energia que emana
dor e o Pai Celestial. de um coro, principal-
Michael McLeod, que logo mente quando é uma
servirá como missionário de tempo
integral, nem sequer esperava que
seu tributo viesse a tornar-se um
evento tão significativo — apre-
sentações em quatro capelas
lotadas, com centenas de espec-
tadores emocionados. Ele estava

Para assistir a um vídeo de partes da cantata, acesse www.liahona.LDS.org.


Dezembro de 2010 23


de O Messias, um espectador felicitou Händel

Pedro Nega a Cristo, de Carl Heinrich Bloch, fotografia de Charlie Baird, do original que se encontra no Museu Histórico Nacional de Frederiksborg, em Hillerød, Dinamarca; As Três Marias na Tumba© SuperStock,
pelo excelente “entretenimento”.
“Caro senhor, muito me entristeceria saber
que apenas entretive o público”, respondeu
Händel com humildade. “Quisera tornar as
pessoas melhores.” 7
Ele por fim se livrara de sua busca infa-
tigável pela fama, fortuna e pelo louvor do
público — mas somente depois de compor
sua obra máxima para um público que incluía
Cada um de nós, seres que não são deste mundo. As coisas de
assim como Händel, maior importância não mais estavam à mercê
está envolvido das coisas de menor valor. Händel, o compo-
nesta vida numa sitor incansável, finalmente podia repousar.
criativa empreitada
espiritual. Oro para Lições da Vida de Händel
que sejamos sensíveis Que lições podemos aprender com a vida
à inspiração que de Georg Friedrich Händel e a composição
de uma obra musical que se tornou um

reprodução proibida; ilustrações fotográficas de Matthew Reier, Craig Dimond, Christina Smith , John Luke e Hyun-Gyu Lee.
vem do alto, a fim
marco espiritual?
de que sejamos
inspirados de tal
1. Devemos desenvolver confiança em
modo que os frutos nossa capacidade e aprender a lidar
de nossos labores com as críticas a nosso trabalho. Nas
sejam inspiradores palavras do poeta Rudyard Kipling: “Con-
para os outros. fia em ti mesmo quando todos duvidarem,
mas sem ignorar por completo as ressalvas
que expressarem”. 8
2. A quantidade não substitui a quali-
dade e variedade. As primeiras óperas
de Händel foram em grande parte esque-
cidas. Sua estrutura previsível e mecâ-
nica simplesmente perdera o poder de
encanto; cada ópera parecia-se demais
apresentação do oratório, Händel estipulou com as outras que ele já compusera.
que os lucros daquela apresentação de O 3. Quando agimos sob inspiração, esta-
Messias e de todas as demais fossem “doa- mos fazendo o trabalho dos céus. Não
dos aos prisioneiros, órfãos e enfermos. Eu podemos forçar o Espírito, mas quando
mesmo já fui um homem muito doente, e a inspiração e a revelação vêm, devemos
agora estou curado”, disse ele. “Já fui prisio- dar ouvidos aos sussurros e segui-los. O
neiro, mas reconquistei a liberdade.” 6 Senhor prometeu: “o poder de meu Espí-
Após a primeira apresentação em Londres rito vivifica todas as coisas” (D&C 33:16).

24 A L i a h o n a


Isaías sobre o nascimento e ministério do Salvador ou


o cumprimento dessas profecias conforme consta do
Apocalipse e dos evangelhos de Lucas e João. Em O
Messias, de Händel, encontramos tanto a aparência da
religiosidade quanto seu poder. Em O Messias, os lábios
e o coração se aproximam mais do céu.

Cada um de nós, tal qual Georg Friedrich Händel, está


envolvido numa empreitada espiritual criativa nesta vida.
Tanto a criação física da vida mortal quanto um viver reto em
nossos dias na Terra são grandes conquistas espirituais. Oro
para que sejamos sensíveis à inspiração que vem do alto, a
fim de que sejamos inspirados de tal modo que os frutos de
nossos labores sejam inspiradores para os outros. Ao nos
empenharmos para resgatar o próximo, oro para que não nos
limitemos a estruturas rígidas e percepções pessoais que res-
trinjam nossa criatividade espiritual e bloqueiem a revelação.
Em seu poema épico, Aurora Leigh, Elizabeth Barrett
Browning expressou este pensamento com eloquência:
4. Devemos reconhecer nossa fonte de inspiração A glória celeste está na Terra por toda parte,
e revelação. Somos apenas instrumentos no trabalho E cada sarça do campo com Deus arde.
que fazemos para abençoar os outros. Precisamos per- Mas só tira os sapatos quem tem olhos para ver,
ceber, assim como Händel, ao recusar as honras que Os demais se contentam em amoras colher. 9
recebeu por sua obra, que “Deus [nos] visitou”.
5. Jamais devemos subestimar o poder da palavra. Que cada um de nós desamarre os cadarços e permeie
Há um poder na palavra de Deus que em muito ultra- seus labores com a essência do céu, e que nenhum de nós
passa as narrativas dos escritores mais talentosos do seja surpreendido apanhando amoras quando uma obra
mundo (ver Alma 31:5). muito mais grandiosa e sublime precisa ser realizada.
6. O verdadeiro significado espiritual de uma obra E ao fim dos dias que Deus nos determinar, espero que
é transmitido pelo testemunho do Espírito Santo. consigamos reconhecer, assim como Händel, que Deus
“Quando [uma pessoa fala ou canta] pelo poder do Espí- nos visitou em nossos labores. ◼
rito Santo, o poder do Espírito Santo leva as suas pala- Notas
vras ao coração dos filhos dos homens” (2 Néfi 33:1). 1. Em Stefan Zweig, The Tide of Fortune: Twelve Historical Miniatures
[A Maré da Fortuna: Doze Miniaturas Históricas] , 1940, p. 104.
7. O poder está em Deus e Suas obras, não em nossas 2. Em The Tide of Fortune, p. 107.
palavras. Ao referir-se aos professores de religião da 3. Em The Tide of Fortune, p. 108.
4. Em The Tide of Fortune, p. 110.
época, o Salvador disse a Joseph Smith: “Eles se apro- 5. Em The Tide of Fortune, p. 121.
ximam de mim com os lábios, mas seu coração está 6. Em The Tide of Fortune, p. 122.
7. Em Donald Burrows, Händel: Messiah [Handel: O Messias] , 1991,
longe de mim; (…) tendo aparência de religiosidade, p. 28; ver também “A Tribute to Handel [Um Tributo a Händel],” Impro-
mas negam o seu poder” ( Joseph Smith—História 1:19). vement Era, maio de 1929, p. 574.
8. Rudyard Kipling, “IF [Se]—”, em The Best Loved Poems of the Ameri-
Händel compusera outros oratórios e óperas com textos can People [Os Poemas Mais Queridos do Povo Americano], seleção
de Hazel Felleman, 1936, p. 65.
bíblicos, mas a forma de sua música não se igualava ao 9. Elizabeth Barrett Browning, em John Bartlett, comp., Familiar
poder das escrituras — as profecias contundentes de Quotations [Citações Familiares], 14a ed., 1968, p. 619.

Dezembro de 2010 25


Élder
Neil L. Andersen
Do Quórum dos
Doze Apóstolos

Um Dom a Ser
Zelado com Esmero Com todas as bênçãos que os tempos modernos nos
proporcionam, não ignoremos as coisas que
promovem o influxo do Espírito Santo.

J
á faz mais de 50 anos, mas lembro-me nitidamente presente pelo qual fui grato por muito tempo e que estimei
da manhã de Natal de 1959. Com a ansiedade típica imensamente.
das crianças, eu esperava muito ganhar uma bicicleta
nova. Eu dividia uma bicicleta com meu irmão e minha Um Dom Maior
irmã mais velhos — uma verdadeira antiguidade de 60 Apenas três meses antes daquele Natal, eu recebera
centímetros que cada um de nós usara para aprender a outro presente muito mais importante e relevante que uma
andar de bicicleta. Ela já saíra da moda havia muito tempo, bicicleta. Eu fora batizado e recebera o dom do Espírito
e eu pedira uma bicicleta nova a meus pais. Ao fazer um Santo. Naqueles anos distantes e talvez com demasiada
retrospecto, sinto certa vergonha por não ter tido mais frequência nos muitos anos seguintes, eu era como os
consciência, pois se tratava de um presente muito caro lamanitas que o Salvador descreveu como tendo sido
para uma família de baixa renda. “batizados com fogo e com o Espírito Santo e não o sou-
Com a chegada da manhã de Natal, subi saltitante as beram” (3 Néfi 9:20).
escadas de nosso quarto que ficava no subsolo. Ao correr Jesus salientou o valor inestimável do batismo e do
para a sala de estar, procurei em vão a bicicleta. Foi com dom do Espírito Santo: “Na verdade, na verdade te digo
dor no coração que vi um presentinho embaixo de minha que aquele que não nascer da água e do Espírito, não
meia, e tentei conter a decepção. pode entrar no reino de Deus” ( João 3:5). E para aliviar o
Quando a família estava reunida na sala, meu pai impacto do anúncio aos discípulos de que os deixaria em
O Dom, de Walter Rane, reprodução proibida

pediu-me que fosse buscar uma faca na cozinha logo ao breve, o Salvador prometeu este dom celeste: “Vo-lo envia-
lado, a fim de abrirmos uma caixa que continha um pre- rei [o Consolador]” ( João 16:7).
sente para meu irmão. Andei até a pequena cozinha e Trata-se de um dom de enorme poder. Nas escrituras
segui desajeitadamente até o interruptor para achar o cami- aprendemos que esse dom trará, a quem o receber com
nho. Assim que a luz preencheu o recinto, foi grande meu diligência: “[O] Espírito Santo (…) presta testemunho do
entusiasmo. Logo diante de mim estava uma linda bicicleta Pai e do Filho” (D&C 20:27; ver também I Coríntios 12:3;
preta de 66 cm! Andei naquela bicicleta por anos a fio, 3 Néfi 28:11; D&C 42:17). O Espírito Santo ensina-nos
cuidei bem dela e zelei por ela com todo o carinho — um todas as coisas e faz-nos recordar todas as coisas (ver João

26 A L i a h o n a
14:26). Ele nos guia para a verdade e nos mostra a todos nós, se buscarmos diligentemente nosso
coisas futuras (ver João 16:13). Ele nos ilumina a caminho de volta ao lar celestial. O Presidente
mente e enche-nos a alma de alegria (ver D&C Wilford Woodruff (1807–1898) salientou a neces-
11:13). Por meio de Seu poder, podemos conhe- sidade de cada membro da Igreja contar com o
cer a verdade de todas as coisas (ver Morôni Espírito Santo: “Trabalhemos para receber o Espí-
10:5). Ele nos revelará os mistérios de Deus (ver rito Santo. (…) Este é o Espírito que devemos ter
1 Néfi 10:19). conosco a fim de cumprirmos os propósitos de
Ele nos mostra o que devemos fazer (ver 1 Néfi Deus na Terra. Necessitamos mais Dele do que
4:6; D&C 8:2). Ele inspira a quem ensinamos de qualquer outro dom. (…) Devemos orar ao
Senhor até recebermos o Consolador. É isso que
nos é prometido quando somos batizados. É o

Pintura de Walter Rane


espírito de luz, verdade e revelação e pode estar
com todos nós ao mesmo tempo”. 3
Como discípulos de Cristo, devemos
A Necessidade de Inspiração Pessoal
transformar o dom do Espírito Santo
Vivemos numa época em que os meios de
em parte consciente, diária e fervorosa transporte, as comunicações e o acesso às infor-
de nossa vida. mações superam em muito todos os avanços
do passado. No entanto, questões morais como
a honestidade, a castidade, a observância do
Dia do Senhor, a responsabilidade familiar e
até mesmo a santidade da vida — questões que
durante muito tempo foram apoiadas consensual-
(ver 2 Néfi 33:1). Ainda mais importante, a remis- mente pelo mundo e pelos membros da Igreja
são dos pecados vem por meio da Expiação “por — hoje são interpretadas de várias formas e estão
batismo e por fogo, sim, pelo Espírito Santo” no centro dos debates (ver D&C 1:16).
(D&C 19:31; ver também 2 Néfi 31:17), permitin- À medida que os avanços da tecnologia e das
do-nos, por fim, ser santificados por esse dom e comunicações continuam a aumentar a pressão
comparecer sem mancha perante Cristo no último do mundo moderno sobre nós, estar no mundo
dia (ver 3 Néfi 27:20). sem ser do mundo exige que façamos escolhas
O dom da companhia constante do Espírito e tomemos decisões constantemente (ver João
Santo só está ao alcance dos que foram batizados 17:14). O discernimento espiritual é impres-
e confirmados como membros da Igreja de Jesus cindível. Como discípulos de Cristo, devemos
Cristo dos Santos dos Últimos Dias. 1 O Espírito transformar o dom do Espírito Santo em parte
Santo pode influenciar ocasionalmente todos os consciente, diária e fervorosa de nossa vida. O
que buscam a verdade, mas o dom do Espírito Presidente Boyd K. Packer, presidente do Quó-
Santo está reservado em sua plenitude àqueles rum dos Doze Apóstolos, disse: “Nenhum de nós
que tomaram sobre si os convênios do evange- pode sobreviver no mundo de hoje, muito menos
lho restaurado. 2 Esse dom é real. É uma bênção no que logo virá a ser, sem inspiração pessoal”. 4
sublime para os membros da Igreja. Como podemos usar esse dom celeste como
O Espírito Santo não é um dom reservado uma bússola vital para nossas ações diárias?
a poucos — o patriarca, a professora visitante Precisamos crer que, mesmo com nossas fraque-
dedicada, o amigo inspirado — mas é prometido zas, a voz mansa e delicada que sentimos vem

28 A L i a h o n a
• Uma mulher vinha pensando em algumas das
opções de emprego que ela poderia buscar, agora
que os filhos voltavam às aulas. Enquanto ela
assistia à reunião sacramental certo domingo, o
presidente da estaca levantou-se para prestar teste-
munho. Leu uma escritura: “Não busques as rique-
zas nem as coisas vãs deste mundo; pois eis que
não podes carregá-las contigo” (Alma 39:14). Esse
versículo penetrou profundamente o coração dela
naquele dia, como uma confirmação espiritual das
coisas que ela deveria fazer no ano que se iniciava.
• Uma criança de oito anos foi batizada e depois
confirmada como membro da Igreja. Recebeu o
dom do Espírito Santo pelas mãos de seu pai e
do avô. Quando o menino se levantou contente
para prestar testemunho, sentiu inesperadamente
uma emoção tão forte, que mal conseguia falar.
de nosso Pai. Devemos orar, pedir e buscar e depois não Um irmão, ao relatar essa experiência, disse: “Senti
ter medo, quando as respostas nos vierem ao coração e à a influência do Espírito muito fortemente naquela
mente. Precisamos crer que são divinas. Elas o são. ocasião”.
Em fevereiro de 1847, o Profeta Joseph Smith apareceu • Um missionário e seu companheiro bateram à porta de
para Brigham Young em sonho ou visão. O Presidente uma pesquisadora a quem haviam oferecido um Livro
Young perguntou ao Profeta se ele tinha uma mensagem de Mórmon. Quando a senhora idosa abriu a porta, o
para os santos. O Profeta respondeu: “Diga aos irmãos que missionário foi tomado de forte emoção. A senhora deu
sejam humildes e fiéis e que se certifiquem de manter o as boas-vindas aos missionários e explicou que lera
Espírito do Senhor, que os conduzirá ao caminho correto. o que eles lhe haviam ensinado e acreditara em tudo.
Sejam cuidadosos e não afastem a voz mansa e delicada; O jovem missionário ficou tão impressionado com o
ela vai ensinar-lhes o que fazer e para onde ir; ela pro- sentimento que teve, que orou: “Querido Pai, ajuda-me
porcionará os frutos do reino. Diga aos irmãos que man- a nunca esquecer o sentimento que vivenciei hoje”.
tenham seu coração aberto à convicção, de modo que, • Uma jovem universitária que estudava longe de casa
quando o Espírito Santo vier, seu coração esteja pronto começara a sentir enorme solidão. Suplicou em oração
para recebê-Lo”. 5 ajuda em sua crise. Certa manhã, durante as aulas, teve
Crer que todos nós podemos receber revelação é man- uma sensação extraordinária de consolo. Um pensa-
ter o coração aberto para a convicção. mento lhe veio à mente: “Nunca estás sozinha”. Suas
orações foram atendidas, e a tristeza e saudade passaram.
Atuação do Espírito Santo • Um pai fiel estava indo ajudar um filho que tomara
Os exemplos de como o Espírito Santo atua diariamente algumas decisões ruins e agora sofreria as consequên-
na vida dos membros da Igreja são numerosos e inspi- cias de suas escolhas. Nas longas horas de silêncio que
radores. A maioria deles é discreta e pessoal — só são foi preciso para chegar a seu filho, o pai orou, angus-
considerados marcantes quando fazemos um retrospecto e tiado, devido aos erros do filho. Então veio à mente do
vemos as mudanças que eles provocaram. Pense em suas pai o seguinte pensamento, de modo claro e distinto:
próprias experiências ao ler um conjunto de experiências “Ele também é Meu filho”.
que me foram relatadas. • Uma Laurel de dezesseis anos estava ouvindo um

Dezembro de 2010 29
professor numa aula da Escola Dominical. Era a
época da Páscoa, e o professor preparara uma
aula sobre a Expiação. Ao falar sobre o sofrimento
vivido pelo Salvador, mencionou o que significou
sangrar por todos os poros, levar chibatadas e
padecer na cruz. Essa jovem nunca pensara na
Expiação com tantos detalhes. Uma imagem veio-
lhe à mente. Com muita emoção, ela relatou essa
experiência mais de 25 anos depois: “Naquele dia,
o Espírito Santo testificou para mim que Jesus é o
Cristo”.

A Importância da Obediência
Vivemos numa época em que somos assolados
pelos elementos mais destrutivos do mal. A tecno-
logia das comunicações, que proporciona tantas coisas
maravilhosas a nossa vida, também invade nossa comuni- 1960. Longos dias construindo cercas com meu pai, horas
dade — e até mesmo nosso lar, se não tivermos cuidado de silêncio levando dutos de irrigação para plantações de
— com coisas que nos tornam insensíveis ao dom do batata, uma casa com um único televisor que recebia ape-
Espírito Santo. Devemos ficar vigilantes com o que permi- nas três canais, nenhum computador, nenhum aparelho de
timos que influencie nosso espírito. MP3, nenhum telefone celular, poucas viagens para além
Caso queiram mais clareza para compreender a voz das cidades próximas, poucas distrações e muito tempo
mansa e delicada e nela crer, não há melhor estratégia que passado em família — esses foram os alicerces de muitos
uma obediência maior. Jesus disse a Seus discípulos: “Se de minha geração.
alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome No mundo de hoje, devemos proporcionar aos filhos
sobre si a sua cruz, e siga-me” (Mateus 16:24). momentos serenos e de reflexão e ensinar-lhes a ouvir a
O Presidente James E. Faust (1920–2007), segundo voz mansa e delicada. Com todas as bênçãos que os tem-
conselheiro na Primeira Presidência, sugeriu uma solução pos modernos nos proporcionam, não ignoremos as coi-
simples para escolhermos a voz correta a seguir: “Ouvir sas que promovem o influxo do Espírito Santo: momentos
e seguir a voz do Espírito. É uma solução antiga, eterna de solidão para orar, meditar e ler as escrituras e tempo
e talvez não seja valorizada numa sociedade sempre em para a família, livre da interferência de ruídos, distrações e
busca de algo novo. Exige paciência num mundo que excesso de atividades.
procura a satisfação instantânea dos prazeres. Essa solução
é discreta, serena e sutil num mundo encantado pelo que Atender aos Sussurros
é ruidoso, apressado, trepidante, espalhafatoso e brutal. Ao seguirmos os sentimentos que recebemos, apren-
Essa solução exige que sejamos contemplativos. (…) Essa demos a confiar que provêm de nosso Pai. “Crescemos”
solução obriga-nos a andar pela fé num mundo governado (ver D&C 109:15) ao aprendermos a discernir essa voz.
pela visão”. 6 O Presidente Thomas S. Monson nos aconselhou a
nunca esperar para atender a um sussurro do Espírito.
Momentos Serenos de Reflexão “Observamos. Esperamos. Escutamos a voz mansa e deli-
Muitas vezes fico pensando como a vida de meus filhos cada”, disse ele numa conferência geral. “Quando ela fala,
difere de minha infância e adolescência numa pequena os homens e mulheres sensatos obedecem. Não devemos
fazenda familiar no sul de Idaho nas décadas de 1950 e adiar a obediência aos sussurros do Espírito.”

30 A L i a h o n a
Ensina-os a Compreender, de Walter Rane, cortesia do Museu de História da Igreja

O Presidente Monson contou então uma expe- verdade e tomado o Santo Espírito por seu guia e
riência sobre um amigo chamado Stan, que ficara não tiverem sido enganados — em verdade vos
parcialmente paralisado devido a uma enfermi- digo que não serão cortados e lançados no fogo,
dade. Mesmo com o melhor atendimento médico mas suportarão o dia” (D&C 45:57).
e as orações de familiares e amigos, Stan permane- Vivemos numa época maravilhosa, cheia de
cia confinado à cama e começou a se desesperar. oportunidades, aprendizado e prosperidade. Mas,
“Numa tarde, eu estava na piscina do ginásio ao lado dessas coisas magníficas, há também as
Deseret, olhando para o teto enquanto nadava artimanhas perniciosas do adversário, que tenta
de costas de uma ponta à outra”, recorda o Presi- insinuar-se em nossa vida e procura até mesmo
dente Monson. “Silenciosamente, mas com muita
clareza, um pensamento me veio à mente: ‘Aí
está você nadando tranquilamente enquanto seu
amigo Stan definha numa cama de hospital, inca-
paz de mover-se’. Ouvi o sussurro: ‘Vá ao hospital
e dê-lhe uma bênção’. No mundo de hoje, devemos proporcionar
Parei de nadar, vesti-me e fui às pressas até o aos filhos momentos calmos e de reflexão e
quarto de Stan no hospital. Sua cama estava vazia.
Uma enfermeira disse que ele estava na cadeira ensinar-lhes a ouvir a voz mansa e delicada.
de rodas, perto da piscina, preparando-se para
a fisioterapia. Fui até lá rapidamente e encontrei
Stan, sozinho à beira da parte mais funda da
piscina. Cumprimentamo-nos e voltamos para o
quarto, onde lhe dei uma bênção do sacerdócio.”
Com o tempo, Stan foi recobrando as forças e achar refúgio na segurança de nosso lar. Se
os movimentos das pernas e aprendeu a andar recebermos o Espírito Santo como nosso guia e
novamente. O Presidente Monson continuou: “A usarmos de sabedoria para conhecer, preservar e
alguns [Stan] revela os sombrios pensamentos de desenvolver esse dom, não seremos ludibriados.
depressão que dele se apossaram naquela tarde, E, à medida que o mal se alastrar pelo mundo,
em sua cadeira de rodas à beira da piscina, apa- haverá para os justos o poder compensador do
rentemente condenado a uma vida de desespero. dom do Espírito Santo.
Conta como chegou a pensar na alternativa. Teria Ao cultivarmos melhor esse dom divino,
sido tão fácil impelir a odiosa cadeira de rodas “suportaremos o dia” e voltaremos a viver com
para as águas silenciosas da piscina profunda. nosso Pai Celestial. ◼
A vida teria terminado. Mas, naquele preciso
Notas
momento, ele me viu, seu amigo. Naquele dia 1. Ver Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Wilford
Stan aprendeu literalmente que não estamos sós. Woodruff, 2004, p. 50.
2. Ver Dallin H. Oaks, “Always Have His Spirit” [Ter Sempre
Também aprendi uma lição naquele dia: Nunca, Seu Espírito], ­Ensign, novembro de 1996, pp. 59–61.
nunca mesmo, adiem a obediência a um sussurro 3. Ensinamentos: Wilford Woodruff, pp. 42, 52.
4. Boyd K. Packer, A Reverência Convida à Revelação,
do Espírito”. 7 A ­Liahona, janeiro de 1992, p. 23.
O Senhor, ao falar de Sua Segunda Vinda, 5. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith,
2007, p. 103, grifo do autor.
ressaltou que o dom do Espírito Santo deve estar 6. James E. Faust, “A Voz do Espírito”, A L­ iahona, junho de
2006, p. 6.
poderosamente atuante entre os Seus santos: “Pois 7. Thomas S. Monson, “The Spirit Giveth Life” [O Espírito Dá
aqueles que são prudentes e tiverem recebido a Vida], ­Ensign, maio de 1985, pp. 68, 70.

Dezembro de 2010 31
Tradições N
dos Setenta Membros dos Setenta contam como
comemoram o Natal e recordam o
nascimento do Salvador.

C
omo podemos comemorar esta data a fim de que
seja significativa para cada membro da família?
Como podemos manter o Salvador no centro do
Natal? Que tradições podem ajudar-nos a lembrar Dele e
de Seu nascimento?
Membros dos Setenta de vários países e culturas
contam maneiras pelas quais eles responderam a essas
perguntas por si mesmos e seus entes queridos. Aqui
Acendíamos velas na véspera de Natal, líamos a história da
eles contam lembranças, testemunhos e tradições sig-
Natividade, fazíamos uma refeição especial em família e
nificativos de Natal. (O país de origem aparece entre
depois desfrutávamos juntos o Natal.
parênteses.)
Élder Gérald Caussé (França): Em nossa
Élder Marcos A. Aidukaitis (Brasil): O Natal
Luke; globo de Mountain High Maps © 1993 Digital Wisdom
família, decidimos que o Natal não se resume à Fotografias de decorações natalinas tiradas por John
é uma oportunidade muito especial para a
diversão em conjunto, mas consiste também
família e eu falarmos de algumas coisas sagra-
em voltar a atenção para Cristo e servir ao
das que, em outras épocas do ano, talvez não
próximo. Há cerca de dez anos, criamos um coro com a
abordássemos de um modo tão específico. É uma oportu-
família. Íamos a hospitais e asilos e entoávamos músicas
nidade para demonstrarmos amor aos outros e gratidão
natalinas. No início éramos um grupo pequeno. Leváva-
pelos eventos felizes de nossa vida.
mos os bebês no colo e em carrinhos. Mas hoje essas
Élder David S. Baxter (Escócia): Quando crianças já estão crescidas e são coralistas experientes.
nossos filhos eram pequenos, saíamos cantando Temos um coro de 44 vozes e cantamos não só músicas
músicas natalinas na noite de Natal e dando natalinas francesas, mas também hinos da Igreja. Fazemos
presentes típicos a famílias menos ativas da ala. muito sucesso. Depois de cantarmos, as crianças
32 A L i a h o n a
 Natalinas

entregam aos enfermos ou idosos as lembrancinhas que


preparamos em família. Tentamos dar atenção a cada
pessoa, conversando sobre o verdadeiro significado do Élder Carlos A. Godoy (Brasil): Em família,
Natal e também ouvindo o que elas têm a dizer. Todos escrevemos nosso testemunho em exemplares
sempre têm muito a partilhar. do Livro de Mórmon e os mandamos a amigos e
Nossas visitas são ocasiões especiais para recordarmos parentes como presentes de Natal. Como é
o que sabemos sobre o significado de sermos cristãos e Natal, os presentes são sempre bem-vindos. E é uma boa
portarmos o nome de Cristo. O Natal é uma ótima lem- maneira de partilhar o evangelho e recordar que Cristo é a
brança de como devemos nos comportar durante o ano parte mais importante do dia.
inteiro.
Élder Christoffel Golden Jr. (África do Sul):
Élder Eduardo Gavarret (Uruguai): O Natal Na noite de Natal, participamos de uma ceia
é um período especial em nossa vida. Sempre formal e depois lemos o relato de Lucas sobre o
temos sensações cálidas nessa época. Quando nascimento do Salvador. Na manhã de Natal, em
chega o mês de dezembro, sentimos que o nossos trajes domingueiros, fazemos uma breve reunião
Natal é uma época de paz e de união familiar. Temos a natalina. Também convidamos vários não membros e
tradição de escrever cartas para nossos amigos, mas gosta- membros menos ativos para essa reunião. Mais tarde,
mos principalmente de escrever cartas para o Salvador e conversamos com amigos e outros familiares em reuniões
de colocá-las na árvore de Natal como um presente que de família e assim fortalecemos os laços familiares, no
desejamos oferecer-Lhe. verdadeiro espírito de Natal.
Dezembro de 2010 33
Élder Yoshihiko Kikuchi ( Japão): Cerca de
30 dias antes do Natal, minha mulher e eu
começávamos a ler as palavras dos profetas nas
escrituras relativas ao nascimento do Salvador.
Élder Donald L. Hallstrom (EUA): Antiga- Quem ler todos os dias até 25 de dezembro, sentirá o
mente, na noite de Natal, nós nos reuníamos espírito de Natal se intensificar gradualmente, história após
para prestar testemunho num momento agradá- história, uma escritura depois da outra. Isso é o que nossa
vel e inesquecível. Cada pessoa da família tinha família tenta fazer.
a oportunidade de externar seus sentimentos sobre o Sempre me lembro da resposta de Néfi à pergunta do
Salvador e o Pai Celestial. Esses profundos sentimentos anjo sobre o significado da árvore no sonho de seu pai.
de amor, então, nos aproximavam uns dos outros, e as Néfi disse: “Sim, é o amor de Deus, que se derrama no
expressões de amor pelos familiares eram sinceras e coração dos filhos dos homens” (1 Néfi 11:22). Para mim,
emotivas. Meu pai prestava testemunho para nós e incenti- o Natal tem a ver com o amor do Pai Celestial e de Jesus
vava fortemente cada membro da família a permanecer fiel Cristo.
à fé. Então, unidos, nós nos ajoelhávamos numa oração
Élder Erich W. Kopischke (Alemanha): Nesta
familiar de encerramento.
época, a casa toda passa por mudanças bem
Élder Paul V. Johnson (EUA): Uma de nossas visíveis. Decoramos ramos de pinheiro, coloca-
tradições é assistir a um concerto de O Messias mos candelabros com velas nas janelas e pen-
de Händel, em família. É algo que adoramos. duramos fios com pequenas lâmpadas. As crianças põem
Cada um de nós leva sua partitura e assim decorações natalinas nos quartos, fazemos bolachas e pão
podemos cantar as belas palavras musicadas por Händel de gengibre e um aroma permeia a casa inteira — cheiro
e recordar o ministério do Salvador. de canela e de pinheiro.
34 A L i a h o n a
Celestial e o Salvador e meu modo de agir como marido e
pai. Sou grato pela oportunidade de assistir à reunião
A noite de Natal é nosso momento de predileção para
sacramental no decorrer do ano, pois é uma ocasião de
convidar familiares e amigos a nossa casa. Acendemos
renovar esses convênios e recordar o Natal. É como se
velas e o fogo na lareira. Preparamos livros especiais com
fosse Natal toda semana, uma ocasião em que reassumo o
músicas natalinas que gostamos de cantar. Pego meu
compromisso de recordar o Salvador.
acordeão, e cada pessoa escolhe uma música de Natal
para cantarmos juntos. Há um espírito especial que todos Élder José A. Teixeira (Portugal): A melhor
apreciam. maneira de manter e conservar o espírito de
Em seguida, abrimos os presentes. As crianças peque- Natal em família, não só nesta época, mas ao
nas são as primeiras. Todos ficam observando e partilham longo do ano, é ler as escrituras. Ao lermos as
o entusiasmo de cada presente aberto. Depois da abertura escrituras em família, recordamos o Salvador e o verda-
de todos os presentes, as crianças logo somem com seus deiro espírito de Natal.
tesouros. Os adultos ficam e conversam. Na verdade, é Para minha família e eu, o Natal na verdade signi-
como uma reunião familiar especial. fica Jesus Cristo. É hora de dar, de receber, de reforçar
Às vezes convidamos para a noite de Natal pessoas os laços familiares, de oferecer mais amor às pessoas a
que ficariam sozinhas. Esses Natais têm um encanto a nossa volta.
mais.
Élder Francisco J. Viñas (Espanha): Gostaria
Élder Michael John U. Teh (Filipinas): O de contar-lhes uma experiência ocorrida
Natal para mim significa Cristo e minha família. durante meu chamado como presidente de
É uma oportunidade para renovar meu compro- missão em 1989. Enquanto servíamos na
misso de melhorar minha relação com o Pai Missão Argentina Salta, poucos dias antes do Natal o
Dezembro de 2010 35
Élder Jorge F. Zeballos (Chile): Quando
temos um testemunho de Jesus Cristo — de
Departamento Missionário determinou que os missioná-
que Ele vive e é nosso Salvador e Redentor
rios não saíssem de casa até nova ordem em virtude da
— a melhor maneira de manifestar amor por
invasão do Panamá pelos Estados Unidos.
Ele é obedecer a Seus mandamentos. Assim, para mim
Na manhã de 24 de dezembro, enchemos os carros da
a melhor maneira de recordá-Lo, não só no período
missão de presentes e dividimos a missão em duas partes:
natalino, mas todos os dias, é cumprir tudo o que Ele
os assistentes foram para o norte da missão, e meu filho
nos pediu.
de oito anos e eu fomos para o sul. O objetivo era visitar
cada dupla em sua casa, levar alimentos e deixar uma Élder Claudio D. Zivic (Argentina): O Natal
mensagem de Natal com eles. Foi uma experiência maravi- para mim e minha família significa comemorar
lhosa para meu filho e para mim. Visitar cada casa e estar o nascimento de Jesus Cristo, nosso Salvador e
com os missionários foi uma experiência magnífica para Redentor. Significa reunir-nos em família na
nós dois, — uma lembrança de Natal que sempre guarda- véspera de Natal numa reunião familiar em que todos
remos com carinho. participam fazendo apresentações, leituras e entoando
Minha mulher e nossas duas filhas ficaram na casa da hinos sobre os eventos especiais relacionados ao nasci-
missão, e nosso filho e eu voltamos na manhã do dia 25 mento do Infante de Belém. Essa sempre foi a comemo-
de dezembro, bem cedinho. Essa foi a primeira vez que ração mais importante de nossa casa, e tentamos manter
não ficamos em família na noite de Natal, mas para nós foi vivo o espírito dessa época, praticando o evangelho no
o Natal mais memorável de todos. cotidiano. ◼
36 A L i a h o n a
Falamos de C risto

A Dádiva
Joan M. Olenycz

U
ma de minhas músicas natalinas preferidas é “For unto Us
a Child Is Born” (“Porque um Menino Nos Nasceu”), de
O Messias de Händel. Ajuda-me a recordar o verdadeiro
significado do Natal. Muitas vezes me pergunto o que
Maria deve ter sentido quando o anjo Gabriel
lhe disse: “Salve, agraciada; o Senhor é contigo;
bendita és tu entre as mulheres” (Lucas 1:28).
Maria ficou desconcertada ao ouvir isso, e
o anjo prosseguiu:
“Maria, não temas, porque achaste graça
diante de Deus.
E eis que em teu ventre conceberás e darás
à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus.
Este será grande, e será chamado filho do
Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono
de Davi, seu pai;
E reinará eternamente na casa de Jacó, e
o seu reino não terá fim” (Lucas 1:30–33).
Que experiência maravilhosa deve ter
sido! O filho prometido de Maria viria
Envolto em Panos, de Liz Lemon Swindle, Foundation Arts, reprodução proibida

a ser o Filho Unigênito do Pai Celestial


na carne. Ela fora escolhida para trazer
ao mundo a maior de todas as dádivas:
nosso Salvador, Jesus Cristo.
O Pai Celestial concedeu essa
dádiva a todos nós, jovens ou
velhos, ricos ou pobres. Não pre-
cisamos procurá-la nas lojas. Não
nos custou um único centavo. Não
veio embalada em brilhante papel
Gostaria de contar às pessoas como Jesus Cristo
de presente. O mais precioso de tocou sua vida? Envie seu relato de experiências
todos os presentes foi envolto em espirituais e reflexões relacionadas ao minis-
tério e à missão do Salvador. Os temas podem
panos e posto numa manjedoura. incluir: a Expiação, graça, cura, esperança ou
arrependimento. Limite seu texto a 500 palavras
Foi enviado a todos nós com amor e envie-o para liahona@LDSchurch.org com a
pelo Pai Celestial. ◼ frase “We Talk of Christ” como título.

Dezembro de 2010 37
Vozes da I greja

Vocês Eram os Anjos


M eu coração bateu mais forte, pé para a sala de concertos. Fiz uma notamos que algumas pessoas vira-

Ilustrações de Allen Garns


quando li o cartaz: “O Messias oração silenciosa para que todos sen- ram para trás e apontavam para nós,
de Händel, apresentado pela Orques- tíssemos o caráter sagrado daquela olhando-nos fixamente. Tínhamos
tra e o Coro Galês de Swansea”. música inspiradora. entrado em silêncio e não sabíamos
Eu estava servindo como missioná- Quando chegamos, percebi que o que fizéramos para ser o centro das
ria em Swansea, País de Gales, havia estávamos atrasados e que o concerto atenções. Assim que começou o inter-
seis meses, e sentia-me saudosa, como já havia começado. Só poderíamos valo, fomos até nossos lugares.
costuma acontecer na época de Natal entrar no intervalo! Ao ouvir a música Quando o oratório recomeçou, a
com os missionários recém-chegados. através das portas, não pude conter música penetrou-me a alma. Chorei
Minha família tinha muitas as lágrimas. durante o “Coro Aleluia” e quando a

I
tradições natalinas, mas a ngressar Um recepcionista deve soprano cantou “Sei que Meu Reden-
minha favorita era ir a apre- naquela sala ter visto meu desespero e tor Vive”. Os missionários a meu lado
sentações de O Messias de foi como entrar decidiu que poderíamos também sentiram o poder da música
Händel. Minha mãe tocara no céu. Contudo, entrar. Pediu que ficás- e não tardaram em pegar seus len-
órgão em muitos desses pouco depois semos em pé, no fundo ços. Foi uma experiência que sempre
eventos. Eu ficava sentada, notamos que da sala, até o intervalo, a recordaríamos. Mas foi só após o fim
ouvia e sentia a música. algumas pessoas fim de não atrapalharmos da apresentação que veio o momento
Com a permissão do viraram para trás a apresentação. Abriu as verdadeiramente memorável.
presidente da missão, e apontavam para portas lentamente, e todos Ao sairmos do edifício, as pessoas
comprei ingressos para nós, olhando-nos entramos em silêncio. ainda estavam cochichando e apon-
os missionários de nossa fixamente. Ingressar naquela sala tando para nós, mas ninguém disse
área. Na noite da apre- era como entrar no céu. nada, antes de chegarmos ao lado de
sentação, nosso grupo Uma sensação de paz fora. Então, um homem se aproximou
agasalhou-se bem para e alegria subjugou-me. de nós e disse: “Foram vocês! Foram
enfrentar o frio e fomos a Contudo, pouco depois vocês!”

38
Defendi o Profeta Joseph
Ficamos todos à espera de uma
explicação.
“Na primeira parte da apresenta-
E m 1978, tive um sonho memorável
em que duas pessoas apareceram
para mim. Ao falar com elas nesse
Fui conversar com um clérigo da
igreja em que eu fora criada. Con-
tei-lhe o que os missionários tinham
ção, sentimos uma mudança na sala sonho, senti uma alegria incrível. A me ensinado e expressei meu forte
— uma forte sensação de que Cristo sensação de felicidade continuou, desejo de ouvi-los novamente. Porém,
estava presente”, disse o homem. “Por mesmo depois que acordei na manhã antes de eu dizer qualquer outra
isso, viramo-nos para ver o que pro- seguinte. coisa, ele me disse que Joseph Smith
vocara essa mudança. Quando olha- Naquele mesmo dia, dois missioná- era louco, um visionário.
mos para o fundo do auditório, vimos rios santos dos últimos dias bateram Subitamente, ouvi uma voz me
sete figuras brilhando como se fossem à porta de nossa casa e perguntaram dizer: “Joseph Smith é um profeta
anjos. Ao entrarem no recinto, vocês se poderiam deixar uma mensagem. verdadeiro”. Meu coração começou a
trouxeram o Espírito Santo. Estavam lá Ao lembrar-me de meu sonho, con- bater mais forte e, embora eu ainda
para representar a Cristo; vocês eram cordei e os convidei para entrar. Meu não tivesse sido batizada na Igreja,
os anjos.” marido ficou relutante, mas consentiu surpreendi a mim mesma defendendo
Enquanto ele falava, olhei para quando eu lhe disse que não suporta- o Profeta da Restauração.
minha plaqueta missionária e li a ria a ideia de deixá-los ir embora sem O sentimento de confirmação
inscrição abaixo de meu nome: “A conversar com eles. intensificou-se, quando saí da sala do
Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Entre outras coisas, os missionários clérigo. Eu recebera minha resposta
Últimos Dias”. Como me senti hon- me ensinaram naquele dia sobre os e sabia em qual igreja deveria criar
rada naquele momento por ser uma profetas. Eu conhecia os profetas da meus filhos.
representante do Messias e por haver Bíblia, como Abraão e Moisés, mas os Fui batizada pouco tempo depois
testificado Dele em silêncio naquela missionários me ensinaram também e senti um desejo muito forte de
noite, perante milhares de pessoas. ◼ sobre um profeta moderno, Joseph partilhar o que encontrara. Eu rece-
Smith. Ao fim de nossa lição, os élde- bera uma confirmação espiritual do
Heidi Windish Fernandez, Oregon, EUA res perguntaram se poderiam voltar Profeta Joseph Smith e queria que os
para mais lições. Concordei. outros conhecessem a mesma alegria
Depois de mais algumas lições, os que eu tinha em minha vida em con-
missionários convidaram-me para o sequência disso. Meu marido sentiu
batismo. Eu gostava do que apren- essa mesma alegria, quando se filiou
dera, mas antes de ser batizada, queria à Igreja dois anos depois de mim.
adquirir um testemunho de Joseph Sou grata por viver numa época
Smith. De tudo o que os missionários em que temos profetas na Terra de
tinham ensinado, a história de Joseph novo. Devido à orientação deles,
era o que eu mais tinha dificuldade de tenho um caminho seguro que posso
aceitar. Mas eu sabia que, se fosse sin- seguir. ◼
cera na busca desse testemunho, o Pai
Celestial me confirmaria a verdade. Maria Brando, Itália

39
Vo z es da I greja

N a varanda
da casa,
achamos uma
enorme cesta com
alimentos e outros apesar de ainda não ter voltado ao
artigos, inclusive normal. Meu tio de Copenhague, a
alguns brinquedos. mais de 60 quilômetros de distância,
Tínhamos certeza veio a nossa casa para ajudar nos
de que fora preparativos natalinos. Ele foi
entregue na casa generoso e fez o que pôde,
errada. como trazer uma árvore de
Natal e alguns alimentos para
a comemoração de nossa
família. Também deu alguns
presentes para minha irmã
e para mim. Quanto a nós,
tínhamos comprado alguns
presentes simples para nossa mãe
e nosso tio. Sabíamos que tínhamos
muito pelo que agradecer, mas por
sermos crianças, não deixávamos de
sentir certa decepção em virtude das
circunstâncias daquele Natal.
Na noite de Natal, a campainha
tocou. Olhei pela janela, mas não vi
Meu Melhor Natal ninguém. Concluí que deveria ser
um trote, mas minha irmã mandou

C erto dezembro, quando eu era


criança, minha mãe ficou grave-
mente enferma. Os remédios que ela
adoecera e como estávamos conse-
guindo nos virar sozinhas por tanto
tempo. Garantimos que, na medida
que eu abrisse a porta assim mesmo.
Na varanda da casa, achamos uma
enorme cesta com alimentos e outros
estava tomando a deixavam exausta, do possível, estávamos indo bem, artigos, inclusive alguns brinquedos.
e ela dormia cerca de dezoito horas mas agradecemos por sua bondade Tínhamos certeza de que fora entre-
por dia. ao nos trazer aquele alimento. gue na casa errada. Fomos até a casa
Como minha mãe era solteira, eu Depois de sair de nossa casa, essa dos vizinhos para perguntar se a
e minha irmã mais velha tentamos irmã telefonou para a presidente da cesta não se destinava a eles, mas não
cuidar das tarefas domésticas da Sociedade de Socorro e informou-a estavam em casa. Foi então que nota-
melhor maneira possível, mas éramos da situação de nossa família. No dia mos que todos os presentes traziam
muito novas e inexperientes e não seguinte e por vários dias, membros etiquetas com nosso nome. Havia até
nos saímos muito bem. Vários dias da ala vieram nos trazer refeições. objetos para meu tio. Alguém pensara
depois de nossa mãe adoecer, está- Sentimos enorme gratidão! Conge- em nós.
vamos procurando algo para comer. lávamos o que não comíamos na A generosidade anônima demons-
Enquanto vasculhávamos a cozinha, a hora e, por causa da bondade da ala, trada a minha família naquele ano
campainha tocou. nossa família teve o que comer nos transformou o que fora um Natal som-
Uma irmã de nossa ala estava na três meses seguintes, com fartura. brio e triste no melhor Natal de minha
varanda, com um prato de comida na Mas a generosidade deles não parou vida. A bondade e o amor dessas
mão. Ela não sabia de nossas neces- por aí. pessoas me emocionam até hoje. ◼
sidades, mas ali estava ela, com o O Natal estava às portas, e minha
jantar. Perguntou quando nossa mãe mãe estava melhorando aos poucos, Morten Sønderskov, Dinamarca

40 A L i a h o n a
Quem Virá?
E m 1982, no segundo Natal desde
nosso casamento, Cleto e eu
decidimos criar tradições familiares.
cores que víamos em toda parte.
Também planejamos uma ceia sim-
ples e pensamos em presentes úteis
nossa casa. Esforçamo-nos para achar
alguém que estivesse precisando de
alento e a quem pudéssemos ajudar.
Como éramos os primeiros da família e econômicos. Ao realizarmos nosso Esse seria nosso presente ao Salvador.
membros da Igreja, nossas antigas programa de estudo das escrituras, A cada vez que convidávamos um
comemorações natalinas — embora percebemos que uma verdadeira irmão ou uma irmã da ala ou estaca
nos trouxessem lembranças felizes — mudança em nosso modo de come- para nossa casa, ouvíamos que a
não eram marcadas pela compaixão morar o nascimento de Cristo envol- pessoa já tinha outros compromissos.
genuína nem pelo serviço. Além do veria a escolha de um presente para Mas a véspera de Natal logo chegou,
mais, nosso primeiro filho, Diego, de o Salvador. e ainda não acháramos alguém com
oito meses, era um motivo e tanto Ficamos na dúvida: “O que dar a quem partilhar nosso Natal.
para procurarmos nos aperfeiçoar Alguém que tem céu e Terra a Seu dis- Resignados com nosso fracasso,
nesse sentido. por?” As escrituras contêm a resposta, estávamos terminando os preparati-
Estávamos muito atarefados com ao declararem que tudo o que fizermos vos para a ceia, quando tocou a cam-
os estudos universitários, as tarefas “a um destes (…) pequeninos irmãos” painha. Ao abrir a porta, vibrei ao ver
domésticas, os chamados na Igreja (Mateus 25:40) é a Ele que fazemos. um amigo que não encontrava havia
e nossa primeira experiência como Como o Natal é uma época de ami- bastante tempo. Havia pouco tempo
pais, mas, ainda assim, nos dedica- zade e amor, queríamos convidar um que o Avelar passara por uma separa-
mos à preparação de uma ocasião membro da Igreja para partilhar o calor ção difícil e frustrante. Ele estava triste
especial. Usamos cada reunião fami- e o doce espírito que sentíamos em e solitário e sentiu o forte desejo de
liar do mês de contar com nossa companhia.
dezembro para Recebemos o Avelar com amor,
fazer decora- e ele nos disse que achara o
ções e tentar ambiente de que precisava para se
compreender consolar em meio às tribulações.
melhor os Contamos-lhe sobre nossos prepa-
símbolos e as rativos para servir e ajudar alguém
em dificuldade, a fim de que ele
reconhecesse que o Senhor o

R esignados conhecia e amava.


com nosso Para todos nós, foi maravilhoso
fracasso, perceber que o Salvador nos mandara
estávamos alguém que ainda não encontráramos:
terminando os nosso amigo Avelar. Demo-nos conta
preparativos da suma importância dos relaciona-
para a ceia mentos entre os filhos do Pai Celestial.
quando tocou a Por esse motivo, nos Natais seguintes
campainha. nós e nossos três filhos sempre nos
lembramos que o propósito dessa
época do ano é fortalecer os laços de
unidade, amor e amizade. ◼

Ana Márcia Agra de Oliveira,


Pernambuco, Brasil

Dezembro de 2010 41
Eles Falaram para N ó s

Élder
Tad R. Callister
Dos Setenta

Não Temas
Salvador. E esse ministério permitira
eliminar todos os temores de todas as
pessoas de todas as épocas.
Em virtude do nascimento, da vida
e da Expiação do Salvador, não há
Com Maria e José aprendemos que não precisamos problemas insolúveis. É claro que há
temer, pois para cada problema há tragédias e dificuldades temporárias,
mas elas não precisam ser perma-
uma solução.
nentes ou insuperáveis. Seria possível
imaginar alguém com um problema
que Deus não possa resolver? Ele

M
sempre terá uma solução que contri-
aria e José aprenderam ainda solução satisfatória a não ser romper buirá para nosso progresso eterno.
bem jovens que, para cada o noivado. Mas novamente o anjo Essa é a razão e a essência da Expia-
problema Deus tem uma aconselhou: “Não temas” (Mateus ção. É por isso que Mórmon disse:
solução. A Maria, o anjo disse: “Não 1:20). Foi a mesma orientação divina “Deveis ter esperança (…) por inter-
temas. (…) Porque para Deus nada é dada anteriormente a Zacarias (ver médio da expiação de Cristo”
impossível” (Lucas 1:30, 37). Lucas 1:13) e que depois seria trans- (Morôni 7:41).
Às vezes os jovens adultos depa- mitida aos pastores: “Não temais, Não restam dúvidas da capaci-
ram-se com um problema que parece porque eis aqui vos trago novas de dade da Expiação de trazer soluções
tão intransponível quanto o Monte grande alegria” (Lucas 2:10). para nossos problemas. As escrituras
Everest. Acham-no alto demais e Há muito medo no mundo hoje são claríssimas nesse ponto. O cerne
muito difícil de escalar. Como não — medo de casar-se, de ter filhos, de da questão é: Será que aceitaremos
veem solução, ficam desanimados assumir compromissos, de defender essas soluções? Escolheremos a
— talvez até negativos e pessimistas o que é certo e de resistir à pressão resposta do mundo ou a de Deus?
— em relação ao futuro. No entanto, negativa dos amigos. Há temores Vamo-nos arrepender ou racionali-
assim como Maria e José, podemos ligados à situação econômica e a zar? Vamos buscar a graça de Deus
aprender que, por mais insolúveis desastres naturais. Mas o conselho do para superar nossas fraquezas ou
que pareçam os problemas da vida, Senhor para nós hoje é semelhante “nos virar sozinhos”? Vamos reco-
Deus sempre tem uma solução. ao oferecido a Maria e a José: “Por- nhecer o amor de Deus em momen-
Quando Maria tomou conhe- tanto tende bom ânimo e não temais, tos trágicos ou maldizê-Lo em cada
cimento de seu chamado divino porque eu, o Senhor, estou convosco” contratempo da vida?
de ser mãe do Filho de Deus, sem (D&C 68:6; grifo do autor). A Expiação é o meio de resolver-
dúvida sua mente foi inundada por O conselho do anjo a Maria e a mos os grandes problemas da vida.
preocupações e dúvidas. Afinal, ela José de “não temer” foi mais do que Com a Expiação, Deus nos põe no
estava noiva de José — o que ele uma orientação sob medida para seus comando de nosso destino divino,
acharia? Foi então que o anjo do céu problemas individuais. Foi uma exor- contanto que sigamos Sua vontade.
a aconselhou: “Não temas” (Lucas tação universal para todas as pessoas, Maria foi um exemplo excelente
1:30). Quando José foi informado da pois Maria e José desempenhariam desse tipo de obediência. Ela disse ao
gravidez de Maria, não viu nenhuma um papel único no ministério do anjo: “Cumpra-se em mim segundo a

42 A L i a h o n a
Jovens Adultos

tua palavra” (Lucas 1:38). Não houve e perspicazes. Eles veem a profusão
racionalização, procrastinação nem e complexidade dos problemas que
reclamação, — mas simplesmente nos assolam, mas não raro desani-
a humilde submissão à vontade de mam, desesperados, pois não enxer-
Deus. José também era de natureza gam solução. Isso acontece porque
obediente. Embora racionalmente não compreendem a Expiação. Enxer-
tudo levasse a crer na infidelidade de gam o problema enorme a sua frente,
Maria, ele “fez como o anjo do Senhor mas sua visão é limitada. É como se
lhe ordenara, e recebeu a sua mulher” um muro lhes bloqueasse a visão do
(Mateus 1:24). horizonte: eles só veem o problema.
Maria e José aprenderam uma das Consequentemente, tornam-se céti-
A Maria, o anjo disse: “Não temas. (…) lições mais importantes da vida: se cos, desiludidos e pessimistas. A
Porque para Deus nada é impossível”. crermos na Expiação e fizermos a perspectiva deles está ilustrada no
vontade de Deus, não precisaremos diagrama 1.
temer, pois sempre haverá solução Por outro lado, há muitos outros
para nossos problemas. que são espiritualmente analíticos
Os críticos do mundo nunca sem serem críticos. Eles também são
aprenderam essa lição. Definitiva- brilhantes e perspicazes. Eles também
mente, eles costumam ser brilhantes veem os problemas complexos e difí-
ceis da vida, mas têm uma visão total-
mente diferente. Não há um muro
Diagrama 1: Críticos que lhes impeça a visão. Na verdade,
eles têm uma espécie de lente teles-
Segundo Tua Palavra, de Elspeth Young, reprodução proibida; ilustrações de Steve Kropp

problemas
cópica que os ajuda a ver não só os
problemas, mas ainda mais além. Em
soluções
outras palavras, eles também veem
as soluções oferecidas pela Expiação.
olhos naturais A perspectiva deles sobre a vida é
mostrada no diagrama 2.
Consequentemente, essas pessoas
têm poucos temores, se é que os
Diagrama 2: Espiritualmente analíticos têm. Apresentam uma atitude posi-
tiva, otimista e entusiasta em relação
problemas
à vida, pois têm absoluta certeza
soluções de que, para cada problema, há um
oferecidas
pela Expiação remédio espiritual. O Salvador decla-
rou: “Tende bom ânimo, eu venci
olhos espirituais o mundo” ( João 16:33). Portanto,
não há lugar para o negativismo na
Igreja de Cristo. O negativismo e o

Dezembro de 2010 43
E les F alaram para N ó s

ceticismo vêm de Satanás. A alegria e da Expiação] basta a todos os que


o otimismo provêm de Cristo. se humilham perante mim; porque
Todos os problemas do mundo caso se humilhem perante mim
parecem enquadrar-se em quatro e tenham fé em mim, então farei
categorias principais, e o Salvador com que as coisas fracas se tornem
desceu abaixo de todas elas e as fortes para eles” (Éter 12:27).
sobrepujou, por isso ordenou: “Tende • Em quarto lugar, problemas
bom ânimo”. comuns da vida que podem
não estar relacionados ao

Não Se Faça a Minha Vontade, Mas a Tua, de Harry Anderson © Pacific Press Publishing Association, reprodução proibida; ilustração fotográfica de Matthew Reier
• Primeiramente, a morte. As escri- pecado (como doenças, rejeição,
turas declaram: “Porque, assim depressão, desemprego e assim
como todos morrem em Adão, por diante). Isaías profetizou que
Ele é o Salvador porque de fato pode assim também todos serão vivifica- o Salvador “[restauraria] os contri-
salvar-nos da morte, do pecado, das dos em Cristo” (I Coríntios 15:22). tos de coração”, “[consolaria] todos
fraquezas e dos problemas comuns • Em segundo lugar, o pecado. O os tristes” e “lhes [daria] glória em
da vida. anjo disse a José que Jesus “[salva- vez de cinza” (Isaías 61:1–3; ver
ria] o seu povo dos seus pecados” também Alma 7:9–13).
(Mateus 1:21).
• Em terceiro lugar, as fraquezas. Para toda aflição que o mundo
O Salvador ensinou a Morôni: lança sobre nós, o Salvador tem um
“Minha graça [o poder capacitador remédio com sublime poder de cura.
Não é de estranhar que Maria tenha
exclamado: “A minha alma engran-
dece ao Senhor, e o meu espírito
se alegra em Deus meu Salvador”
(Lucas 1:46–47). Ele é o Salvador
porque de fato pode salvar-nos da
morte, do pecado, das fraquezas e
dos problemas comuns da vida.
O Pai Celestial queria que Maria e
José começassem o caminho incerto
da vida sem temores, cientes de
que Seu Filho estava ao lado deles
com todos os Seus poderes de
salvação. Da mesma forma,
Ele deseja que aprendamos
esta lição bem cedo na vida:
“Não temas. (…) Porque
para Deus nada é impossí-
vel” (Lucas 1:30, 37). ◼
O E vangel h o em M in h a Vida

Jovens Adultos

Sem Tempo? Eu achava que Ao assumir esses compromissos adicio-
não tinha tempo nais, logo ficou claro que eu teria de reduzir
várias horas de trabalho por semana. Como
para o instituto. trabalho com vendas, sou pago com base no
Contudo, o Espí- número de clientes que mantenho. Percebi
Hong Ook Son rito me instou a que, ao diminuir minhas horas de trabalho,

N
o fim de dezembro de 2008, lá estava era bem provável que também passasse a
encontrar tempo.
eu na sala celestial do Templo de ganhar muito menos. Contudo, lembrei-me
Seul Coreia, pensando no ano que da impressão que recebera e soube que tudo
logo se iniciaria. Eu me casara no mesmo ficaria bem, se eu me comprometesse plena-
templo cerca de dois meses antes, e nos mente a seguir ao Senhor.
últimos tempos meus dias e minhas semanas Ao frequentar o instituto e o templo com
pareciam totalmente tomados pelo trabalho, mais regularidade, muitas bênçãos come-
meu chamado na Igreja e por minha família çaram a fluir em minha vida. Percebi
recém-constituída. Eu vinha frequentando algumas mudanças notáveis. Passei a
o instituto regularmente, mas agora sentir o Espírito com maior proxi-
pensava na possibilidade de talvez midade e frequência, e meu teste-
parar de comparecer. munho do evangelho restaurado
Ao orar em busca de orientação cresceu. Minha mulher e eu
para o ano novo, senti-me nitidamente muito nos beneficiamos por
impelido a continuar frequentando o servirmos no templo e frequen-
instituto. Também senti-me inspirado a tarmos nossa classe do instituto.
aumentar minha frequência ao templo. E, inesperadamente, recebi
Ao sair do templo naquele dia, estava também bênçãos materiais. De
cheio de paz e gratidão pela nova dire- alguma forma, a despeito de
triz que o Senhor me concedera. Senti meu horário de trabalho redu-
fortemente que, caso seguisse a orien- zido, consegui mais clientes
tação recebida, seria abençoado. do que nunca antes. Minha
A partir de janeiro, comecei a servir renda não diminuiu; na ver-
como oficiante no Templo de Seul. dade quase dobrou.
Para isso, precisava viajar uma hora, Sei que essas bênçãos
duas vezes por semana, até o templo a maravilhosas vieram do
fim de cumprir minha escala. Além do Senhor. Sou grato por Ele
mais, duas vezes por semana, minha ter-me dado o consolo de
mulher também fazia uma viagem de saber que, ao “[buscarmos]
Ilustração: Scott Greer

uma hora: uma vez para servir como primeiro o reino de Deus e
oficiante no templo, e outra para a sua justiça; (…) todas estas
assistir comigo a uma aula do instituto coisas [nos] serão acrescenta-
sobre o Livro de Mórmon. das” (3 Néfi 13:33). ◼

Dezembro de 2010 45
Perguntas e Respostas
“Tenho muita dificuldade em motivar-me para
estudar as escrituras. Como posso encontrar
motivação?”

N
o início, estudar as escrituras pode ser difícil. Há mui- Um Testemunho Mais Forte
tos conceitos a aprender, e as pessoas e os lugares Só comecei a ler as escrituras depois
citados parecem inusitados. No entanto, o estudo das que minha presidente das Moças
escrituras se tornará uma experiência gratificante, caso sugeriu que eu me empenhasse no
perseveremos. Progresso Pessoal. Nele havia o
Faça a experiência descrita pelo profeta Alma (ver Alma 32:27–34). Ele desafio de ler as escrituras todos os
ensinou que, se “[dermos] lugar” em nossa vida para a palavra de Deus, ela dias durante algumas semanas. Depois de fazer
nos engrandecerá a alma e iluminará o entendimento. Também nos motivará isso, nunca mais parei de lê-las. O melhor conselho
a continuar lendo as escrituras, porque, conforme prometeu Alma, a palavra que posso dar é: dedique-se às metas propostas no
de Deus começará a ser-nos deliciosa (Alma 32:28). Progresso Pessoal ou no Dever para com Deus.
Outra maneira de achar motivação é buscar as muitas bênçãos advindas Faça o desafio pessoal de ler as escrituras cada vez
do estudo das escrituras. mais e verá uma mudança interior. Digo isso sem a
• O estudo regular e sincero das escrituras convidará o Espírito a nossa menor dúvida — você perceberá seu testemunho
vida, responderá a nossos questionamentos, nos ajudará a ter pensamen- mais forte.
tos puros, nos motivará a servir ao próximo, nos ajudará a orar com mais Paola S., 16 anos, Cortés, Honduras
eficácia e fortalecerá nosso testemunho de Jesus Cristo e da Restauração.
• As escrituras nos ensinarão a ter fé, a reconhecer o Espírito Santo e a Orar para Receber Entendimento
arrepender-nos. Elas nos ensinarão por que precisamos de um Salvador, Mesmo quando tenho muitos
por que a oposição é necessária, por que esta Terra foi criada e muito projetos e muitas tarefas escolares,
mais. deixo tudo isso de lado e primeiro
Ao desfrutar essas bênçãos, você não precisará se forçar a ler — na ver- leio as escrituras. Começo com uma
dade, ansiará por essa oportunidade. oração para convidar o Espírito
Santo, a fim de compreender a palavra de Deus.
E com a ajuda dos manuais do seminário, minha
motivação para ler as escrituras se desenvolveu
e continua a crescer.
Elieser N., 16 anos, Ilocos Norte, Filipinas

As Escrituras Contêm Respostas A Armadura de Deus


Ao ler 2 Néfi 32:3, você pode compreender de imediato por O segredo para formar qualquer
que precisamos ler e estudar as escrituras. Sei que as escrituras hábito é o desejo. Crie o desejo de
contêm todas as respostas para nossas perguntas! Devemos ler todos os dias. Faça um registro
compreender que as escrituras nos foram dadas para nos do quanto você lê e tente ler no
ajudar a progredir rumo à perfeição, uma parte necessária mesmo horário todos os dias. Isso
desta vida. Todos nós temos diariamente alguns minutos para dedicar-nos à vai ajudá-lo a desenvolver constância. Ler as
leitura das escrituras. escrituras é como revestir-se da armadura de
Sergij C., 21 anos, Novosibirsk, Rússia Deus. Não se vai para a guerra sem armadura.

46 A L i a h o n a As respostas são auxílios e pontos de vista, não pronunciamentos doutrinários oficiais da Igreja.
Jovens

Não se aventure num mundo de pecado tranquilidade. Você sentirá felicidade ao comunica com Seus filhos. Nas escritu-
sem a armadura de Deus. Proteja-se ouvir a voz Dele. ras achamos forças para enfrentar todo
— leia as escrituras. Elberth R., 18 anos, Ixtapaluca, México tipo de adversidades, e presto testemu-
Andrew G., 18 anos, Maine, EUA nho de que, se formos bem instruídos,
Criar um Hábito de Leitura conseguiremos discernir o bem do mal
Algo para Todos Criar um hábito pode ser de e evitaremos as ciladas de Satanás.
Algo útil para mim é pensar enorme valia. Comece Anderson F., 19 anos, São Paulo, Brasil
no conteúdo das escrituras. devagar: leia talvez um
Elas contêm não apenas o capítulo ou dois por dia.
evangelho, os ensinamentos Logo você terá adquirido o
de Cristo e os mandamen- hábito de ler as escrituras. Costumo ler
tos, mas também contêm — principal- uns dois capítulos todas as noites e cantar
mente o Livro de Mórmon — aventuras, um hino. Essa rotina me edifica e me Mais
guerras, heróis, mocinhos e bandidos. As ajuda a manter o otimismo em relação ao Agradável
“Sou grato pela ênfase
escrituras têm algo para todos. dia seguinte. E compreendo melhor as
na leitura das escrituras.
Eve W., 15 anos, Nevada, EUA aulas do seminário. As escrituras são uma Espero que se torne
bênção. Tire o máximo proveito delas. para vocês algo mais
Mais do que Meros Livros Taylor C., 15 anos, Washington, EUA agradável que um dever;
Não encare as escrituras como meros que, na verdade, se torne uma história de
livros que você precisa ler para o Orientação para Sua Vida amor com a palavra de Deus. Prometo-
seminário ou por obrigação. Você tem As escrituras relatam as experiências de lhes que, à medida que lerem, sua mente
se iluminará e seu espírito se elevará. Pode
o privilégio de ler a palavra de Deus. pessoas que passaram por dificuldades
ser que no início pareça entediante, mas
Elas trazem aventuras, aflições e guer- semelhantes às nossas. Ao começar a acabará por tornar-se uma experiência
ras. As escrituras são um testamento leitura das escrituras, faça uma oração maravilhosa com pensamentos e palavras
de Jesus Cristo — de que Ele é nosso e tenha fé em que achará orientação divinos.”
Salvador, de que sangrou e morreu por para sua vida. As escrituras são um dos Presidente Gordon B. Hinckley (1910–2008),
“The Light within You” [A Luz em Seu Inte-
nós. Os profetas profetizaram sobre meios pelos quais o Pai Celestial Se
rior], ­Ensign, maio de 1995, p. 99.
Sua divindade. Muitos morreram por
se recusarem a negar o que sabiam ser
verdade. Sua fé era inabalável. Devemos
esforçar-nos para tornar-nos tão fiéis
Envie sua resposta até 15 de janeiro de 2011 para:
quanto eles. Próxima
­Liahona, Questions & Answers, 01/11
Kaleb L., 14 anos, Utah, EUA Pergunta 50 E. North Temple St., Rm. 2420

Ele Quer Falar com Você “Nestes tempos con- Salt Lake City, UT 84150-0024, USA
Ou envie um e-mail para:
Nosso Pai Celestial tem resposta para turbados, como posso liahona@LDSchurch.org
cada pergunta que Lhe dirigirmos; a
única coisa a fazer é ler as escrituras
manter uma atitude As respostas podem ser editadas por motivo de
espaço ou clareza.
e aplicá-las a nossa vida. Saber que positiva em relação ao
o Pai Celestial quer falar com você e futuro?” As seguintes informações e a permissão precisam
constar de seu e-mail ou de sua carta: (1) nome
responder a suas orações o ajudará a
completo, (2) data de nascimento, (3) ala ou ramo,
buscá-Lo diariamente nas escrituras. (4) estaca ou distrito, (5) sua permissão por escrito
Ao obedecer à palavra Dele, sua vida e, se for menor de dezoito anos, a permissão por
melhorará e você encontrará proteção e escrito (aceita-se por e-mail) de um dos pais ou
responsável, para publicar sua resposta e fotografia.
A Luz Pura do Amor
No Natal e sempre, a Luz de Cristo ajuda-nos a encontrar o caminho
(ver João 8:12).

Ilustração fotográfica: Steve Bunderson © 2003

48 A L i a h o n a
Nosso Espaço

Jovens

P ara contribuir para a seção Nosso
Encontrar um Amigo

S
Espaço, mande sua história, foto-
empre acreditei no poder da oração. Logo que
grafia ou comentário por e-mail para:
me mudei para a Ásia, tive que esperar dois meses
liahona@LDSchurch.org. Escreva
para começar a estudar, pois só então começaria um novo semes-
“Our Space” no campo ‘assunto’ e
tre. Embora eu gostasse de ficar com a família, queria um bom amigo
inclua a permissão de
com as mesmas crenças que eu. Depois de algum tempo, já conhecia
seus pais (expressa no
todos os vizinhos e, embora alguns tivessem a mesma idade que eu, não
e-mail), para que você
seguiam os mesmos padrões.
compartilhe o que vai nos
Quando as aulas começaram, conheci muitos jovens de minha idade e fiz
enviar. Seus comentários
alguns amigos. Certa vez, saí para jantar fora com alguns amigos. Depois do
podem ser alterados por motivo
jantar, alguns deles voltaram para casa, mas o restante ainda queria fazer algo e
de espaço ou de clareza.
decidiu ir beber. Fui convidado, mas recusei. Senti-me ainda mais solitário. Voltei
para casa naquela noite e orei para encontrar um bom amigo.
Algumas semanas depois, saí para jantar de novo com amigos, mas dei-
xei logo bem claro que não iria beber com eles. Depois do jantar, todos
foram beber, com exceção de um deles. Começamos a conversar e
Padrões: descobrimos que tínhamos os mesmos padrões — que cumpría-
Fardo ou
mos por escolha pessoal.
Bênção?

Q
Sei que o Pai Celestial sempre responde às orações.
uem acha que os padrões
Jordan H., 17 anos, Texas, EUA
da Igreja são restrições, talvez
conheça alguns membros da
Igreja que consideram os padrões
um fardo, não uma vantagem
na vida. Se você quiser que seus
amigos saibam que seus padrões
o mantêm livre dos vícios, leve
uma vida feliz e tente demons-
Fotografia de pauzinhos © Getty Images; Moisés e as Tábuas da Lei, de Jerry Harston © IRI

trar a alegria que sente por meio


de um corpo, uma mente e um
coração saudáveis. Ensinamos
pelo exemplo, não só pelas pala-
vras. Mostre-lhes as bênçãos dos
padrões pelo seu modo de usar o
Minha
arbítrio para o bem.
Escritura
Patience O. (à direita), Favorita
19 anos, França
Moisés 1:39.
Sempre que penso nesse versículo, lem-
bro que se eu fizer minha parte nesse mundo
(que é seguir os mandamentos do Senhor),
serei recompensado com os dons que o
Senhor me prometeu.
Roland D. (acima), 17 anos,
Pangasinan, Filipinas

Dezembro de 2010 49
O Natal
no Novo Mundo Wendy Kenney

Nas Américas, o sinal do nascimento do Salvador —


uma noite sem escuridão — salvou os fiéis.

50 A L i a h o n a
Jovens

V
ocê notaria se uma estrela nova surgisse de repente
no céu certa noite? Talvez não. Mas certamente se
aBaIXo: pIntura de Walter Rane; acima: Samuel, o lamanita,

daria conta de uma noite em que nunca escure-


cesse — uma noite que ficasse clara como o meio-dia,
mesmo depois do pôr-do-sol. Certamente seria algo difícil
de passar despercebido, principalmente se você estivesse
na multidão quando Samuel, o Lamanita, subiu nas mura-
lhas da cidade e anunciou os grandes sinais e prodígios
Profetiza, de Arnold Friberg;

que marcariam o nascimento do Filho de Deus. Se você


tivesse ouvido a pregação de Samuel, certamente estaria à
espera dos sinais.

A Missão de Samuel em Zaraenla


Samuel era um lamanita que recebera de um anjo o
mandamento de ir à terra de Zaraenla para chamar os
nefitas ao arrependimento. A essa altura da história do
Novo Mundo, conforme registrada no Livro de Mórmon,
os lamanitas tinham-se tornado o povo mais justo — daí
a necessidade de um profeta lamanita. O Senhor certa-
mente sabia que os nefitas precisariam de algum tempo
para se arrependerem de suas iniquidades e O aceitarem
como Redentor do mundo, por isso mandou Samuel com
cinco anos de antecedência para preparar o povo para
Sua vinda.
Além de pregar o arrependimento, Samuel foi guiado
por um anjo, para ensinar o povo de Zaraenla sobre
os sinais do nascimento de Jesus Cristo. Assim, Samuel
proclamou que, dentro de cinco anos, haveria um
“sinal, na ocasião de sua vinda: Eis que haverá grandes
luzes no céu, de modo que na noite anterior a sua
vinda não haverá escuridão, tanto que aos homens
parecerá ser dia” (Helamã 14:3). Ele disse que esse
sinal ocorreria na noite que precederia o nascimento
do Senhor (ver Helamã 14:4). Além de profetizar sobre
uma noite sem escuridão, Samuel orientou-os a fica-
rem atentos a uma nova estrela nunca vista antes (ver
Helamã 14:5).

Dezembro de 2010 51


Fiéis Ridicularizados preocupação de seu povo entristeceu tanto o


Cerca de cinco anos depois das profecias profeta Néfi, que ele implorou ao Pai Celes-
de Samuel, os fiéis foram ridicularizados por tial “em favor do povo, sim, daqueles que
seus inimigos, que disseram “Eis que a hora estavam prestes a ser destruídos em virtude
já é passada e as palavras de Samuel não se de sua fé. E (…) clamou fervorosamente ao
cumpriram; portanto vossa alegria e vossa fé Senhor todo aquele dia” (3 Néfi 1:11–12). Suas
concernentes a isso foram inúteis” (3 Néfi 1:6). súplicas foram ouvidas, e o Senhor lhe disse:
Os descrentes chegaram até a conspirar para “Levanta a cabeça e tem bom ânimo; pois eis
matar os que acreditavam, caso os sinais não que é chegada a hora e esta noite será dado o
se manifestassem até certa data (ver 3 Néfi 1:9). sinal; e amanhã virei ao mundo para mostrar
À medida que se aproximava o fim ao mundo que cumprirei tudo aquilo que fiz
do prazo de cinco anos, “as pessoas que com que fosse dito pela boca de meus santos
haviam acreditado começaram a afligir-se profetas” (3 Néfi 1:13). Naquela noite, “ao pôr
muito, temendo que, por algum motivo, não do sol, não houve escuridão” (3 Néfi 1:15), tal
se cumprissem as coisas que haviam sido como predissera Samuel. Tudo o que Samuel
anunciadas” (3 Néfi 1:7). Mas continuaram a profetizara aconteceu, até mesmo o apareci-
“[aguardar] firmemente aquele dia e aquela mento de uma estrela.
noite e aquele dia que seriam como um dia
sem noite, para saberem que sua fé não havia Sem Motivo de Descrença
sido vã” (3 Néfi 1:8). Na Bíblia não há registro de uma noite
sem escuridão por época do nascimento de
Profecia Cumprida Cristo e somente uma breve menção à nova
O dia que fora estipulado para a execução estrela, vista pelos Reis Magos que a segui-
dos fiéis aproximava-se a passos largos. A ram até o menino Jesus (ver Mateus 2:2,

A Luz do Mundo

N o nascimento Dele, que certa vez se autodenominou ‘a
resplandecente estrela da manhã’ (Apocalipse 22:16),
uma nova estrela despontou no céu (ver Mateus 2:2; 3 Néfi
1:21). Brilhando sobre Belém com grande esplendor, essa estrela
fora posta em órbita muito tempo antes do evento predito, a fim
de que sua luz coincidisse em tempo e lugar com Seu nasci-
mento abençoado.
Com a chegada Daquele que é chamado de ‘luz do mundo’
(João 8:12), as trevas foram banidas como sinal de Seu santo
nascimento (ver 3 Néfi 1:15, 19).”
Élder Russell M. Nelson, do Quórum dos Doze Apóstolos, “In This Holy
Land” [Nesta Terra Santa], Tambuli, fevereiro de 1991, p. 11.

52 A L i a h o n a
Jovens

À esquerda: Os Pastores São Avisados do Nascimento de Cristo, de Arthur A. Dixon, cortesia do Museu de

9–10). Na região da Judeia, somente algumas pessoas dado” (3 Néfi 1:19). Imaginemos o júbilo! Os fiéis estavam
História da Igreja; acima: Eis o Cordeiro de Deus, de Walter Rane, cortesia do Museu de História da Igreja

presenciaram os sinais do nascimento de Cristo, como a salvo. Sua vida fora poupada da morte nas mãos de seus
os pastores (ver Lucas 2:8–18). Todavia, nas Américas, inimigos incrédulos. Espiritualmente, também tinham sido
“todo o povo de toda a face da terra, do oeste até o poupados, pois o Filho de Deus viera ao mundo para
leste, tanto na terra do norte quanto na terra do sul” viu salvar a humanidade de seus pecados por meio de Sua
os sinais e soube que “o Filho de Deus logo apareceria” Expiação.
(3 Néfi 1:17). Não costumamos pensar no Natal como uma come-
Por que muito mais pessoas testemunharam os sinais moração da libertação, como no caso da Páscoa para os
do nascimento do Salvador no Novo Mundo? As palavras judeus, que comemoram a libertação dos filhos de Israel
de Samuel contêm algumas explicações: “E o anjo dis- do cativeiro no Egito. Contudo, o dia em que o Salvador
se-me que muitos verão coisas maiores que estas, para nasceu foi de fato um dia de libertação para os fiéis no
que creiam que esses sinais e essas maravilhas aconte- Novo Mundo.
cerão por toda a face desta terra, a fim de que não haja Ao comemorar o Natal neste ano, lembre-se dos even-
motivo de descrença entre os filhos dos homens ” (Helamã tos que ocorreram nas Américas e também no outro lado
14:28; grifo do autor). do mundo, no local de nascimento do Salvador. Embora
Seu nascimento tenha trazido libertação espiritual para
Por Fim, Libertos toda a humanidade, salvou literalmente da morte um
Quando o sol despontou de novo no céu após uma grupo de leais seguidores no Novo Mundo. E Seu nasci-
noite sem escuridão, as pessoas “sabiam que era o dia mento continua a libertar todos os que O aceitam como
em que o Senhor iria nascer, por causa do sinal que fora Senhor e Salvador. ◼

Dezembro de 2010 53
No dia de Natal,
pouco antes do
almoço, alguém
bateu à porta. Lá
estava uma de
nossas vizinhas,
segurando uma
tigela enorme
coberta por uma
toalha.

54 A L i a h o n a


Jovens

O Melhor
Presente Não tínhamos comida naquele Natal.
Só nos restava esperar um milagre.
Ailson Sales

Q
uando eu tinha doze anos, minha famí- para descontar o cheque tinham sido em vão.
lia morava numa fazenda no Brasil, Ao voltarmos para casa sem os alimentos, minha mãe e
bem longe da cidade. Naquele mês os meus oito irmãos ficaram muito decepcionados. Tudo
de dezembro, meu irmão e eu estávamos traba- o que tínhamos era o cheque, que naquele momento não
lhando na colheita de nozes para outro fazendeiro, tinha valor algum para nós. Na noite de Natal não havia
quando começou a chover repentinamente. Choveu presentes, e a comida era pouca. Comemos arroz no jantar
tão forte por vários dias, que não podíamos trabalhar. e fomos dormir.
Aproximava-se o Natal, e nossa família estava quase Acordamos na manhã de Natal ao som das comemo-
sem alimento. Minha mãe estava preocupada com a pos- rações de nossos vizinhos ao ar livre, mas não saímos de
sibilidade de não termos uma ceia de Natal. Assim, pediu casa, esperando que um milagre pusesse comida em nossa
a mim e meu irmão mais velho que fôssemos cobrar mesa. Para nossa surpresa, pouco antes do almoço alguém
do fazendeiro o dinheiro relativo a nosso trabalho. Não bateu a nossa porta. Lá estava uma de nossas vizinhas,
seria muito, mas o suficiente para comprar um pouco de segurando uma tigela enorme coberta por uma toalha.
comida para nossa família numa época em que os outros “Vim trazer isto para vocês”, disse ela. Minha mãe acei-
estavam preparando seus banquetes natalinos. tou o presente e agradeceu. Quando olhamos o conteúdo,
Meu irmão e eu caminhamos vários quilômetros numa vimos que havia várias comidas de Natal. Para nós era um
estrada lamacenta para chegar à casa do fazendeiro. banquete, um verdadeiro milagre!
Quando chegamos, ele mostrou-se surpreso. “O que os Aquela refeição natalina foi o melhor presente que
traz aqui num dia tão chuvoso?” perguntou ele. Explica- já recebi, pois nos saciou num dia tão especial. Embora
mos nossa situação e ele disse: “Não tenho dinheiro vivo nossa vizinha não estivesse a par de nossas circunstân-
no momento, mas posso pagar com cheque”. Aceitamos e cias, eu sabia que o Pai Celestial estava, e Ele a usou
Ilustração: Bjorn Thorkelson

fomos logo embora, a fim de chegarmos à cidade, descon- como instrumento para nos alimentar naquele Natal. Sei
tarmos o cheque e comprarmos os mantimentos de que que quando não há outra saída, o Senhor, em Sua infinita
precisávamos. misericórdia e bondade, manda milagres grandiosos a
Quando chegamos à cidade, quase todos os estabeleci- nossa vida. E, como nossa família aprendeu naquele Natal,
mentos comerciais já tinham fechado as portas, por causa podemos servir ao Senhor — como o fez nossa vizinha —
do feriado de Natal. Estávamos exaustos, e nossos esforços levando milagres à vida dos outros. ◼

Dezembro de 2010 55
Co m o Eu S ei?

Como Leite com Açúcar


Se aceitarmos e aplicarmos o evangelho verdadeiro do Senhor,
ele adoçará nossa vida como o açúcar adoça o leite.

Yolanda Morales Posadas

F
ui criada para seguir os princí- irmã. Notei uma enorme mudança
pios que meus pais, com seu em minha mãe depois do batismo, a
conhecimento religioso limitado, ponto de parecer muito mais jovem
me transmitiram e tornei-me uma e feliz. Sua felicidade e paz enche-
jovem séria e responsável. Contudo, ram por completo nosso lar; bastava
depois da morte de meu pai, em alguém entrar para sentir de imediato
2005, quando eu tinha quinze anos, que algo estava diferente.
tornei-me alguém diferente. Talvez Percebi o que acontecera e decidi
tenha sido meu modo de externar ir à Igreja. Foi uma experiência estra-
minha dor por não ter-me despedido nha. Eu nunca fora tratada com
dele. Sempre me arrependerei de não tanta gentileza antes. As irmãs
lhe ter dado um beijo antes de ele ser eram simpáticas e me trataram
A verdadeira felicidade provém
hospitalizado. tão bem, que me senti muito
do evangelho de Jesus Cristo.
Depois da morte dele, comecei a à vontade na Igreja. Pouco a
andar com pessoas que não tinham pouco fui-me convencendo
bons valores. Eu estava fazendo ajudasse a ser feliz e me mostrasse da veracidade da Igreja e
coisas que julgava serem aceitáveis e se meu pai estava bem. Eu tinha decidi ouvir as lições dos
que todos estavam fazendo, mas hoje muito medo de que ele pudesse estar élderes.
compreendo que não eram do agrado sofrendo em algum lugar. Minhas Fui batizada em 3 de feve-
do Senhor. Eu estava me divertindo súplicas continuaram por várias reiro de 2007, na Ala Uribe,
segundo os padrões de diversão do noites. Estaca Veracruz México, por
mundo, mas na verdade não estava A resposta por fim chegou. Eu dois élderes maravilhosos. Sempre
feliz. Sentia um vazio e falta de algo, achava que receberia uma resposta me lembrarei deles. Considero-os
mas não sabia o quê. Comecei a tirar em sonho, mas na verdade ela veio nossos anjos. Meu batismo é um dia
notas baixas na escola. A pior parte na forma de dois élderes. Eles vie- que nunca esquecerei. Purifiquei-me
era não ter ideia de como encontrar ram a nossa casa em dezembro de de todo pecado. Meus erros foram
felicidade na vida. Naquela época, 2006. Não compreendi que eles apagados devido à Expiação de Jesus
não me dava conta do que estava eram a resposta a minhas preces Cristo. Superei a depressão, e o vazio
perdendo ao afastar-me do convívio e não quis ouvir nem mesmo uma existencial que sentia desapareceu. Foi
da família e da minha mãe, a pessoa lição. Minha mãe os recebeu e deci- substituído por uma enorme alegria em
que mais amo. diu ir à Igreja. Desde essa época, minha alma.
À noite eu orava a Deus. Ninguém não parou mais de ir. Foi batizada O evangelho verdadeiro trouxe
me ensinara a orar, mas eu sentia que e, algumas semanas depois, foi a muita felicidade a mim e minha famí-
Ele me escutava. Pedia-Lhe que me vez de meus sobrinhos e minha lia. Achei amigos eternos. Continuo a

56 A L i a h o n a
Jovens

lutar contra o mundo, mas agora tenho o evangelho verdadeiro e
o Espírito que me proporciona alegria e paz todos os dias. Agora
tenho resposta para a pergunta que fiz ao Senhor por tanto
tempo. Se meu pai tiver aceitado as ordenanças que fizemos
por ele no templo, sei que está feliz e em paz. Creio que
ele abraçou o evangelho e está a nossa espera.
Às vezes, olho para trás e percebo o quanto fui aben-
çoada. Vejo que há uma felicidade maior do que a ofere-
cida pelo mundo, com seus prazeres e suas distrações.
A verdadeira felicidade provém do evangelho de Jesus
Cristo. Tudo o que o evangelho ensina é para nosso
bem.
Certa vez recebi um e-mail no qual uma mãe explicava
ao filho mais novo que Deus é como o açúcar que se
coloca no leite. Não se pode vê-lo, mas ele adoça tudo.
Da mesma forma, não se pode ver o evangelho verda-
deiro do Senhor, mas, se o aceitarmos e o vivermos, ele
adoçará nossa vida como o açúcar adoça o leite. ◼

Detalhe de Cristo em Emaús, de Carl Heinrich Bloch, usado com permissão do Museu Histórico
Nacional de Frederiksborg, em Hillerød, Dinamarca; fotografIa do leIte: roBert casey

Dezembro de 2010 57
Jane McBride Choate
Inspirado numa história verídica

A Visitação
“Como membros
de A Igreja de Jesus
Cristo dos Santos

Pública
dos Últimos Dias,
vocês são cristãos.”
Élder Gary J. Coleman,
“Todos os que eram crentes verda- dos Setenta, “Mãe,
deiros em Cristo tomavam sobre si Somos Cristãos?”
A L­ iahona, maio de
alegremente o nome de Cristo, ou 2007, p. 94.

seja, de cristãos” (Alma 46:15).

A
line ouviu com entusiasmo Aline ficou pensando nisso. Ela pai convidaram uma
o bispo anunciar que a ala lembrou-se da ocasião em que sua vizinha idosa para o
organizaria uma noite nata- melhor amiga, Érica, dissera que evento. Aline convidou a Érica.
lina de visitação pública naquele os mórmons não eram cristãos. Ela Na noite da atividade, Aline aju-
ano. “Queremos que seja uma noite não entendera o que Érica queria dou a mãe a embalar em jornal os
especial”, disse ele. “Será uma opor- dizer, por isso fora consultar os pais dois presépios da família. Depois, a
tunidade maravilhosa de convidar- a respeito. mãe e o pai foram buscar Érica de
mos amigos e vizinhos.” “Muitas pessoas concentram-se carro.
Aline adorava o período natalino. demais no nome ‘mórmon’ ou Quando chegaram à Igreja,
Gostava de comprar presentes para ‘santos dos últimos dias’”, explicara Aline e Érica viram pre-
a família e amigos e cantar músicas a mãe. “Esquecem que nossa Igreja sépios do Japão, da
de Natal. E adorava ler a história do leva o nome de Jesus Cristo.” Áustria, das Filipi-
nascimento de Jesus e pensar Nele Na escola no dia seguinte, Aline nas e de muitos
como um menininho. recitara para Érica a primeira Regra outros países.
As palavras do bispo logo em de Fé: “Cremos em Deus, o Pai Em seguida, as
seguida chamaram a atenção dela. Eterno, e em Seu Filho, Jesus Cristo, meninas foram
“Por causa da noite de visitação e no Espírito Santo”. para o exterior
pública, não vamos fazer a festa de Mas Érica não se convenceu. da capela, onde
Natal tradicional da ala este ano.” “Então por que as pessoas não os os rapazes e
Aline fechou a cara. “Não vamos chamam de cristãos em vez de mór- as moças da ala
fazer a festa?” sussurrou ela para mons?” perguntou ela. estavam fazendo
a mãe. A festa de Natal da ala era Aline voltou a prestar atenção aos uma representação
uma de suas partes favoritas dessa anúncios do bispo. dos acontecimentos
época do ano. “A visitação pública vai centrar-se do Natal. Havia vacas,
A mãe pôs o dedo nos lábios, em Jesus Cristo”, disse ele. “Pedi- ovelhas e até mesmo uma
pedindo silêncio. mos às famílias que tragam enfeites cabra. “Tudo menos came-
“Alguns de nossos amigos e natalinos e vamos fazer um presé- los”, observou Aline.
vizinhos não entendem que somos pio vivo.” O bispo pediu a todos que se
cristãos”, continuou o bispo. “Que- À medida que o dia da visitação reunissem na capela. Aline e Érica
remos que eles saibam que cremos pública se aproximava, Aline come- sentaram-se com as crianças da Pri-
em Jesus Cristo.” çou a empolgar-se. Sua mãe e seu mária. As crianças cantaram “Picture
58 A L i a h o n a


Crianç as

a Christmas”1 [Faça um Desenho do Natal] e “Nativi-
dade”,2 e o coro da ala cantou trechos de O Messias.
“Foi ótimo”, disse Érica no carro, a caminho de casa.
“Eu queria que meus pais tivessem vindo.”
Ilustração: Greg Newbold

“Talvez no ano que vem”, disse Aline sorrindo. Ela


pensou na visitação pública e percebeu que, afinal de
contas, não sentira falta da festa de Natal. ◼
Notas
1. “Picture a Christmas”, Children’s Songbook, p. 50.
2. “Natividade”, Músicas para Crianças, p. 32.
Um Presente de Natal para

Je sus Os Reis Magos levaram presentes valiosos para Jesus.


Deram-Lhe ouro, um perfume caro chamado incenso e
um unguento chamado mirra. Que pre-
Um “Olá” para
Acolher. sente você poderia dar a Ele, ao come-
morarmos Seu nascimento neste mês?

Convite

Um Testemunho
Um Convite para Prestar
para Participar

Uma Mãozinha
para Ajudar

Ilustrações: Bryan Beach

Um Sorriso para
Animar

60 A L i a h o n a
Nossa Página

Crianç as

Mark K., 4 anos, Rússia

Amanda P., 9 anos, Brasil

Minha Família

E m minha família há
minha mãe, meu
pai, eu, um irmão mais
novo e uma irmã mais
nova. Eu os amo muito.
A coisa de que mais
gosto é quando meu pai
nos leva para passear.
Todas as manhãs, meu pai faz panquecas
para mim e depois me leva à escola. Eu
também frito ovos para minha mãe. Sou
grato por meu pai ter-me ensinado a cozi-
nhar. Espero que minha família fique
unida para sempre. Quero estudar Um BOTE Salva-Vidas para
as escrituras, orar todos os dias Minha Mãe salva-vidas”. Fico muito feliz quando me
e guardar os mandamentos
para alcançar essa meta. S ou a mais velha de quatro filhos. Adoro
ajudar minha mãe com meus irmãos
menores: uma com quatro anos, um com dois,
diz isso, pois ela faz tudo para mim e meus
irmãos. Saber que posso ajudar faz-me sentir
mais perto do Espírito.
Yuan-wei, 7 anos,
Taiwan e outra com onze meses. Canto músicas da As reuniões familiares em nossa casa são
Primária para eles. A preferida deles é “Sou maravilhosas. Ajudam a sentir-nos perto do
um Filho de Deus”. Pai Celestial.
Minha mãe diz que sou seu “bote Victoria M., 10 anos, Espanha

Dezembro de 2010 61
T em p o d e Co m pa r t i l h a r

Sei que Meu


Salvador Vive

À esquerda: ilustração de James Johnson; à direita: ilustração de enfeites de Thomas S. Child; Jesus Conta Histórias na Galileia, de Del Parson; Simeão Reverencia o Menino Jesus,
de Greg Olsen © 1987, reprodução proibida; A Segunda Vinda, de Harry Anderson © IRI; Maria e o Senhor Ressuscitado, de Harry Anderson © IRI; fundo © Dynamic Graphics
Sandra Tanner e Cristina Franco Diário das Escrituras de dezembro Escolha uma destas atividades ou

A
de 2010 crie a sua própria:
o ler as escrituras, você está Leia Doutrina e Convênios 76:22. • Ajude alguém a memorizar Dou-
tornando-se semelhante a Ore ao Pai Celestial para que o trina e Convênios 76:22.
algumas das pessoas que ajude a saber que Jesus Cristo vive. • Peça a um professor da Primária
Leí viu em sua visão da árvore da Memorize Doutrina e Convênios ou a seus pais que lhe mostrem
vida (ver 1 Néfi 8). Leí viu algumas 76:22. uma escritura de que eles gostam
pessoas apegarem-se à barra de e que ensine sobre Jesus.
ferro e não a soltarem. Essas pes- • Recorte os enfeites da página 63
soas tinham um testemunho de e consulte a escritura que está
Jesus Cristo, e a barra de ferro as em cada um deles. Ao colocar os
ajudava a vir a Ele. A barra de ferro enfeites numa árvore de Natal ou
é a palavra de Deus — as escrituras em algum lugar da casa, lembre
e as palavras de nossos profetas. que tratam do Salvador.
As pessoas que seguravam a barra • Aprenda uma música nova sobre
de ferro aprenderam que Jesus Jesus Cristo. Pode ser um cântico
Cristo vive. Ele é nosso Salva- ou hino de Natal.
dor e Redentor. Veio à Terra
como os profetas tinham pre- De que modo o que você fez
dito, e um dia voltará à Terra. o ajudou a compreender essa
Ao continuar a fazer as coisas escritura?
que aprendeu neste ano, você Escreva em seu diário ou faça um
receberá a bênção de saber que desenho contando o que fez. ◼
Jesus Cristo vive. Terá um teste-
munho próprio.

62 A L i a h o n a
Crianç as

Mateus 19:14
Isaías 9:6

Jó 19:25
D&C 76:22

Dezembro de 2010 63
Palha para a
Manjedoura
Jacob F. Frandsen
Inspirado numa história verídica
“Tudo o que convida e impele a
fazer o bem e a amar a Deus e
a servi-lo, é inspirado por Deus”
(Morôni 7:13).

M
arcos ficou olhando o maior presente que o Pai
a cama de palha, Celestial dera ao mundo. Em
tão pequena e seguida, ofereceu a cada filho
macia. “Estou feliz porque o uma manjedoura pequena
menino Jesus vai ter uma cama e vazia e uma figurinha do
bem quentinha e macia na menino Jesus.
noite de Natal”, pensou. “Na próxima semana cada
Na semana anterior, Marcos um de vocês terá a oportuni-
tinha empilhado cuidadosa- dade de dar um presente de
mente pedacinhos de palha volta ao Pai Celestial”, disse a
nessa pequena manjedoura, mãe. manjedoura na noite de Natal.”
um por vez. Marcos achou que “Como podemos fazer isso?” “Espero colocar mais palha
talvez fosse o melhor Natal que perguntou Marcos. do que todo mundo em minha
já tivera, pois agora já tinha “Seu presente ao Pai Celes- manjedoura!” pensou Marcos.
idade suficiente para com- tial será servir ao próximo”, No dia seguinte, Marcos
preender o que era comemo- respondeu ela. “Cada vez que começou a esforçar-se para
rado nessa data. vocês fizerem uma boa ação juntar palha.
Uma semana antes, a mãe ou ajudarem alguém, podem “Mãe, posso ajudá-la a varrer
apresentara uma lição na acrescentar uma palhinha à o chão?” perguntou Marcos, ao
reunião familiar sobre o ver- manjedoura. Quanto mais bon- vê-la limpar a cozinha.
dadeiro significado do Natal. dade vocês demonstrarem ao “Vou ajudá-lo a encontrar
Disse que Jesus Cristo era próximo, mais macia vai ser a seu ursinho de pelúcia”, disse
64 A L i a h o n a
A alegria (…) é fruto do

Crianç as

altruísmo e do serviço.”
Presidente Spencer W. Kimball
(1895–1985), “The Abundant
Life” [A Vida Abundante],
Tambuli, junho de 1979, p. 3.

ele ao irmãozinho que estava também notou uma mudança Natal, perto das luzes acon-
chorando por ter perdido o nele próprio. Começou a gos- chegantes da árvore de Natal,
brinquedo. tar de fazer o bem para os Marcos pôs com cuidado seu
“Também quero tirar um outros, pois sabia que essa menino Jesus na manjedoura,
pouco da neve”, disse ele, era a vontade do Pai Celestial que agora estava transbor-
quando o pai foi tirar a neve para ele. Às vezes, ele até se dando de palha.
da entrada do estacionamento. esquecia de pôr a palhinha na Marcos sabia que fizera o
Dentro de poucos dias, a manjedoura quando ajudava melhor possível para mostrar
Ilustração: Jim Madsen

pequena manjedoura de Mar- alguém. seu amor ao Pai Celestial e


cos já estava com um aspecto Marcos percebeu que fazer a Jesus. Aquele tinha sido o
bem diferente. Estava abar- coisas boas lhe trazia sen- melhor Natal de todos os
rotada de palha! Mas Marcos timentos bons. Na noite de tempos. ◼
Dezembro de 2010 65
Jesus Nasceu

Diane L. Mangum

A
escuridão aos pou- Maria. O bebê era o Filho de
cos cobria as verdes Deus, o Salvador do mundo.
encostas perto de Maria envolveu-O em panos
Belém. Era primavera, a esta- limpos e preparou uma cami-
ção em que nasciam muitos nha para Ele no feno limpo
cordeiros. Os pastores atare- e macio da manjedoura.
fados iam ver como estavam José sabia que esse bebê era
os muitos cordeiros recém- o Filho do Pai Celestial. Deu
nascidos antes do repouso ao recém-nascido o nome
noturno. de Jesus, tal como um anjo o
Cidade de Davi: Davi, o rapaz Belém também estava bas- orientara antes.
que lutara com Golias e depois se tante agitada. Muitos viajantes Os anjos do céu se rego-
tornou rei, nasceu em Belém. A tinham ido até lá porque o zijaram! As promessas dos
Cidade de Davi é outra denomina- imperador romano deter- profetas se cumpriram. Jeová,
ção para Belém. minara que todos fossem à agora chamado Jesus, nascera High Maps © 1993 Digital Wisdom; ilustrações de Sam Lawlor;
Heinrich Hofmann, cortesia de C. Harrison Conroy Co.;
A partir da esquerda: detalhe de Cristo e o Jovem Rico, de

fotografia de Belém de Scot Proctor; mapa de Mountain

cidade de seus antepassados na Terra. Uma nova estrela


para pagarem os tributos. brilhou no céu para anunciar
pintura dos Reis Magos de Paul Mann © 1999 IRI

Dois dos viajantes — José e as boas novas.


sua esposa, Maria, — preci- Numa encosta, um anjo
savam achar um local para apareceu aos pastores, e uma
Jerusalém
pernoitar. luz brilhante iluminou tudo
Belém Por fim José e Maria acha- em volta. Os pastores nunca
ram abrigo num estábulo, tinham visto nada semelhante
lugar onde eram guardados e sentiram muito medo.
animais. Nesse estábulo “Não temais”, disse o anjo,
humilde nasceu o filho de “porque eis aqui vos trago

66 A L i a h o n a
Crianç as

Estrela: Os Reis Magos, que viviam no
Oriente, longe de Belém, viram uma nova
estrela. Sabiam que isso significava que o
Salvador nascera. Viajaram para visitar o
menino Jesus, que seria o Rei dos judeus.
Levaram-Lhe presentes preciosos: ouro,
incenso e mirra.

novas de grande alegria, que Paz na terra, boa vontade para


será para todo o povo: Pois, com os homens”. Ver Mateus
na cidade de Davi, vos Quando os anjos foram 1:20–25;
nasceu hoje o Salvador, que embora, os pastores, maravi- 2:1–11; e
é Cristo, o Senhor. E isto vos lhados, correram para Belém, Lucas 2:1–20.
Manjedoura: será por sinal: Achareis o onde encontraram o menino
Caixa ou gamela menino envolto em panos, e Jesus deitado na manjedoura.
feita de madeira deitado numa manjedoura”. Ao voltarem para cuidar dos
ou pedra onde se Subitamente, havia anjos rebanhos, os pastores lou-
põe comida para exclamando aos pastores: varam a Deus e contaram a
os animais. “Glória a Deus nas alturas, todos o que tinham visto. ◼

Dezembro de 2010 67


Um Convidado
Especial
Lorraine Richardson
“Joseph Smith (…), com exceção apenas de
Jesus, fez mais pela salvação dos homens
neste mundo do que qualquer outro homem
que jamais viveu nele” (D&C 135:3).

Inspirado numa história verídica


V
amos ter um convidado espe- a família de Joseph. A mãe e o pai
cial na reunião familiar de hoje”, representaram pregadores de
anunciou o pai no desjejum. outras igrejas.
Daniel ergueu o olhar, surpreso. “Quem “Entrem para nossa igreja a fim
virá?” perguntou ele. de serem salvos!”
“Uma pessoa da qual vocês já sabem “Não, juntem-se a nós! Nós é que
muito”, disse a mãe. “Uma pessoa que vocês estamos certos!”
vão adorar conhecer!” “A Bíblia diz isto!”
Daniel passou o dia inteiro tentando adivi- “Mas não é isso que quer
nhar quem viria à reunião familiar. Faltavam dizer! ”
apenas alguns dias para o Natal. Talvez “E então, como acham
esse convidado especial tivesse algo a ver que Joseph Smith se sentiu?”
com essa data. perguntou o pai. “Vocês acham
Por fim, a família reuniu-se à noite. O pai que ele pensava: Por que todos os
disse: “Hoje à noite, Joseph Smith vai ser nosso pregadores diziam coisas diferentes?
convidado especial. Seu aniversário é no dia 23 de Quem tinha razão?”
dezembro. Nossa família vai fazer uma encenação da Daniel, Mateus e Isabel concordaram
história da Primeira Visão de Joseph Smith”. que Joseph deve ter ficado em dúvida com
Todos procuraram objetos e rou- relação a tudo isso.
pas para o papel que receberam. Em seguida, o pai acendeu uma vela.
Daniel ensaiou sua parte com o Daniel teve a sensação de estar bem do ladinho
pai, e os outros contaram com a de Joseph Smith, quando o pai leu Tiago 1:5 à luz de
ajuda da mãe. Em pouco tempo velas: “E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a
eles estavam prontos. Deus”. Logo depois, nosso pai começou a ler a história da
O pequeno Mateus mal Primeira Visão.
cabia em si de entusiasmo por No papel de Joseph Smith, Mateus ajoelhou-se, como se
fazer o papel de Joseph Smith. estivesse orando. Subitamente, a luz de uma lanterna atin-
Daniel e Isabel representaram giu-o em cheio, e Daniel recitou com reverência as pala-
Ilustrações: Jennifer Tolman

vras que o pai o ajudara a memorizar: “Este é Meu Filho


Amado. Ouve-O!” ( Joseph Smith—História 1:17.)
O pai explicou como o Pai Celestial e Jesus Cristo apa-
receram a Joseph Smith e disseram-lhe que não se filiasse
a nenhuma das igrejas então existentes na Terra.

68 A L i a h o n a


Crianç as


P assamos a acreditar em Jesus
Cristo por meio do testemunho
do Profeta Joseph Smith.”
Presidente Dieter F. Uchtdorf, Segundo
Conselheiro na Primeira Presidência,
“Frutos Preciosos da Primeira Visão”,
A ­Liahona, fevereiro de 2009, p. 5.

“O Senhor escolheu Joseph Smith para ser Seu pro-


feta e restaurar a verdadeira Igreja de Jesus Cristo na
Terra”, disse o pai. “Joseph cumpriu fielmente essa reunião familiar com Joseph Smith.
missão.” Virou-se para André e disse: “Conheço um profeta
Alguns dias depois, André, vizinho de Daniel, foi que viveu muito tempo atrás — Joseph Smith. Sabe
brincar na casa dele. Daniel ainda estava pensando na quem ele é?” ◼

Dezembro de 2010 69
Pa r a a s C r i a n c i n h a s
3. Henrique ficou confuso.

Quem tinha mandado

O Primeiro o presente, afinal?

Presente de Natal
Chad E. Phares
Revistas da Igreja
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho
unigênito” ( João 3:16).

Inspirado numa história verídica

1. Ainda faltavam algu-


mas semanas para o
Natal, mas Henrique
e sua família já tinham
montado a árvore
de Natal. Ele vibrava ao
pensar nos presentes que
esperava ver ao pé da árvore,
na manhã de Natal.
Vai ser preciso esperar
para ver. Tudo o que
podemos dizer é que é um
presente muito especial.

2. Alguns dias depois, Henrique Nosso primeiro presente!


entrou na sala de estar e viu que Quem o mandou? Teria
havia uma pequena caixa embaixo sido a Vovó? Não.
da árvore. Estava embrulhada em
papel vermelho e com um laço
verde.

Teria sido um dos primos?

Não.
Ilustrações: Adam Koford

70 A L i a h o n a
Crianç as

4. Com o passar dos dias, muitos presentes foram aparecendo
ao pé da árvore, mas Henrique não conseguia tirar da Ajuda para
mente aquele primeiro presente vermelho com a fita
os Pais
V
verde. De onde tinha vindo?
ocê pode achar uma caixa e
colocar nela objetos que ajuda-
rão você e sua família a recordarem o
nascimento de Jesus Cristo. Se desejar,
ponha objetos como poemas, gravu-
ras, estrelas de papel, uma ovelhinha
de brinquedo, um enfeite de anjo ou
qualquer outro objeto que ajude seus
filhos a lembrarem-se do nascimento
do Senhor. Embrulhe o presente.
Abra-o no Natal.

5. Na manhã de Natal, Henrique apressou-se para 7. Henrique removeu a tampa e achou alguns
acordar seus irmãos e seus pais. objetos pequenos. Tirou um de cada vez — uma
gravura de Jesus Cristo, um poema sobre o nas-
cimento de Jesus e uma estrela. Henrique mos-
Acordem! Chegou o Natal!
trou a gravura a todos, e seu pai leu o poema.

Coloquei a caixa embaixo da árvore, a fim de


recordarmos o verdadeiro motivo pelo qual
6. Depois de chegar à árvore, Henrique ficou animado comemoramos o Natal.
ao ver os presentes embaixo.
8. Henrique ficou feliz por lembrar-se de Jesus.
Henrique, agora
pode abrir a caixinha
com o papel verme- Pai, você pôs a caixa embaixo
lho e a fita verde. da árvore, mas agora eu sei
quem foi mesmo que nos deu
o presente.

Quem?

Henrique estava feliz por, finalmente, poder ver o que O Pai Celestial.
havia lá dentro.

Dezembro de 2010 71
Para as Criancinhas

Serviço no Natal
A Praça do Templo, em Salt Lake City, é um belo local para se visitar — principalmente
na época de Natal. As pessoas na Praça do Templo sentem o espírito natalino ao
servirem umas às outras. Todas as cenas nos pequenos círculos estão
incluídas na gravura grande. Encontre e circule cada cena. Consegue
achar outros atos de bondade no desenho?
Crianç as


Ilustração: Val Chadwick Bagley


Notícias da Igreja

Membros da Igreja “Mórmon” são até 80 por cento positivos.


O que causou mudança tão significativa? Além

Compartilham o dos sites oficiais da Igreja, estão-se espalhando


na rede sites não oficiais que compartilham infor-
Evangelho On-Line mações positivas sobre a Igreja. As pessoas estão
usando blogs para compartilhar seus valores, e
Breanna Olaveson mensagens do evangelho passaram a aparecer em

M
Revistas da Igreja sites de redes sociais.
issionários no mundo todo têm encon- Em resumo, por causa da forma como os mem-
trado um problema nos últimos anos: bros a usam, a Internet também está ajudando a
após uma visita ou duas, o pesquisador, levar pessoas até os missionários de tempo integral.
que havia mostrado verdadeiro interesse, encerra Muitos membros da Igreja foram inspirados
o contato. Após alguma averiguação, descobriu-se pelo conselho do Élder M. Russell Ballard, do
que a maioria desses pesquisadores tem uma Quórum dos Doze Apóstolos, que disse: “Peço
coisa em comum: eles perdem o interesse após que vocês se juntem à conversa, participando na
encontrar, on-line, falsas informações negativas Internet para compartilhar o evangelho e expli-
sobre a Igreja. car, em termos simples e claros, a mensagem da
Há seis anos, 80 por cento dos resultados em Os membros Restauração”. 1
sites de busca para o termo “Mórmon”, em inglês, estão desem- Seguem-se alguns exemplos de coisas que
eram negativos ou falsos. Hoje, a situação melho- penhando um os membros da Igreja estão fazendo na Internet
rou. Em alguns países, os resultados de busca papel cada vez para pregar o evangelho de maneira simples, mas
na Internet para mais impor- significativa.
tante on-line,
enquanto mais O Novo Mormon.org
Fotografia: Welden Andersen

pessoas pesqui- O Mormon.org, um dos sites oficiais da Igreja e


sam a Igreja na excelente ferramenta missionária, passa por modi-
Internet. ficações para conectar os usuários diretamente
com os membros da Igreja usando perfis pessoais.
O novo Mormon.org poderá ser acessado em
vários idiomas em meados de 2011, começando
com espanhol e português. Os membros pode-
rão criar um perfil explicando suas crenças e seu
estilo de vida. Os visitantes poderão ver esse
perfil e aprender mais sobre a Igreja diretamente
com os membros.
“Queremos que os visitantes conheçam
os membros da Igreja e interajam com eles”,
disse Ron Wilson, gerente de Internet e
marketing do Departamento Missionário
da Igreja.
(Para mais informações sobre esses perfis
e outros recursos do novo Mormon.org, ver a
história ao lado.)


Um Alicerce Ainda Melhor ‘blogueiros’ compartilharem coisas que são impor-


A More Good Foundation [Um Alicerce Ainda tantes na própria vida, então é natural que falem
Melhor] é uma organização sem fins lucrativos, sobre o evangelho.
criada por membros da Igreja, cujo trabalho visa a Uma jovem mãe que compartilha sua fé on-line
presença positiva da Igreja na Internet. Apesar de desenvolveu um público fiel. Stephanie Nielson
a fundação não ser dirigida nem patrocinada pela iniciou um blog, nieniedialogues.blogspot.com,
Igreja, desempenha um importante papel para onde compartilha em crônicas sua vida como
melhorar a presença da Igreja na Internet. dona de casa. Ela continua a atualizar o blog
Os fundadores da organização More Good depois de sobreviver a um acidente de avião em
Foundation começaram a estudar os mecanismos 2008 que a deixou visivelmente marcada, porém
de busca e como eles selecionam os resultados. espiritualmente mais dedicada.
Aprenderam que o Google, site de busca muito Stephanie compartilha o evangelho em seu
popular na Internet, permite que determinado site blog por meio de suas postagens e incluiu um
ocupe só dois espaços na página de resultados. grande botão com um link para o LDS.org. Ela
Isso significa que, mesmo que o LDS.org tenha também oferece aos visitantes um exemplar gra-
centenas de páginas relevantes, somente duas tuito de seu “livro favorito” — o Livro de Mórmon
aparecerão nos resultados de busca. Isso deixa — que ela enviará a “qualquer lugar do mundo
espaço para os sites negativos, e as pessoas pare- (…) qualquer lugar!”
cem ser levadas a sites que não estão relaciona-
dos à Igreja como instituição. Sites de Mídia Social
“Elas procuram a perspectiva de seus pares, em Milhões de pessoas estão conectadas ao Face-
vez de acreditar nas organizações”, disse Jonathan book, Orkut, Twitter e YouTube, e os membros
Johnson, presidente da More Good Foundation. “Se da Igreja compartilham o evangelho nesses locais
entendermos esse princípio, entenderemos o motivo também.
por que nossos líderes dizem que nós membros As informações se espalham rápida e facil-
podemos ser mais eficazes. Evitaremos as barreiras mente nas redes sociais, o que as torna ferramen-
que são criadas quando as pessoas veem que a tas excelentes para compartilhar o evangelho.
informação vem de alguém em um cargo oficial.” No LDS.org, todos os itens da seção Biblioteca
A More Good Foundation adquiriu direitos do Evangelho mostram a ferramenta “Comparti-
de mais de 1.400 URLs e recrutou membros da lhar”, que permite que os usuários compartilhem
Igreja para criar sites que discutem os princípios com facilidade links para os artigos das revistas
do evangelho. Assim, desenvolveram 320 sites em da Igreja, os discursos da conferência geral e as
mais de doze idiomas. Também postaram mais de lições dos manuais em vários sites de mídia social.
1.900 vídeos no YouTube, dando às pessoas que Os usuários das redes sociais podem tam-
pesquisam a Igreja muito mais chances de encon- bém tornar-se fãs das páginas oficiais da Igreja
trar a verdade. no Facebook. A Igreja tem mais de 280.000 fãs;
o Livro de Mórmon, mais de 162.000; e outros
Blogs milhares de usuários se uniram a outras páginas
Para os membros que não têm tempo ou afiliadas à Igreja. Quando um usuário do Face-
habilidades para criar um site, os blogs oferecem book une-se a um grupo e participa dele, seus
uma alternativa conveniente. Blogs (redução de amigos são notificados. Assim, os amigos de cen-
“weblogs”) são sites simples, fáceis de usar e tenas de milhares de usuários têm acesso à Igreja
geralmente gratuitos. por meio do Facebook.
Centenas de membros da Igreja no mundo Os membros da Igreja também usam o Twitter,
todo usam seus blogs para compartilhar o evange- site de rede social usado para enviar mensagens
lho com a família e com os amigos. É comum os curtas (“tweets”) via Internet, para compartilhar o

Dezembro de 2010 75
evangelho. E o mais notável, a conferência blog ou compartilhado via e-mail, Facebook ou
geral foi o assunto top trend [mais comentado] do Twitter.
Twitter durante o fim de semana da conferência A Internet oferece uma forma de os membros
geral de abril de 2009, 2 o que significa que a con- da Igreja encontrarem pessoas que seria inimagi-
ferência geral foi mencionada em mais tweets do nável para a geração passada e, com o progresso
que qualquer outro assunto. da tecnologia, a capacidade de os membros
A Igreja também marca presença no YouTube, da Igreja compartilharem o evangelho também
conhecido site de postagem de vídeos, gerando melhora. ◼
reações positivas tanto de membros quanto Notas
1. M. Russell Ballard, “Compartilhar o Evangelho Usando a
de não membros. Cada vídeo das Mensagens Internet”, A ­Liahona, junho de 2008, p. N1.
Mórmons, como todos os outros postados no 2. “Top Twitter trend: LDS General Conference”, Mary
Richards, ksl.com, 6 de abril de 2009. http://www.ksl.com/
YouTube, pode ser facilmente postado em um ?nid=148&sid=6074101.

O Mormon.org Renovado Conecta


Membros e Pesquisadores

D
esde seu lançamento em 2001, o site Mor-
mon.org ajuda pessoas a obterem respostas
sinceras e honestas com relação à Igreja. As
respostas vêm principalmente da sede da Igreja.
A mais recente atualização do site Mormon.org
— que incluiu uma remodelação completa — ofe-
rece ainda muito mais respostas e uma maneira
de contatar os missionários. E agora, graças a um
novo recurso de perfil on-line, muitas respos-
tas vêm diretamente dos membros da Igreja no
mundo todo.
Os visitantes do novo site — que estará dis-
ponível em outros idiomas além do inglês em
meados de 2011 — serão capazes de classificar
milhares de perfis de membros por sexo, idade,
etnia, religião e outras classificações para encon- O Mormon.org organização religiosa,” disse o Élder Richard G.
trar membros da Igreja com quem tenham algo renovado Hinckley, Diretor Executivo do Departamento
em comum. Na página do perfil, os usuários estará Missionário. “Por isso, os perfis dos membros são
podem ler testemunhos, fazer perguntas e, em disponível tão importantes no novo Mormon.org.”
alguns casos, conectar-se com membros da Igreja com opções O novo Mormon.org está dividido em qua-
em sites de rede social. Esse contato de igual para de outros tro áreas principais, cada uma com destaque no
igual permite aos pesquisadores acesso a um idiomas em ensino de um aspecto da Igreja: Nosso Povo; Nos-
ponto de vista não oficial da Igreja. meados sos Valores; Nossa Fé e Perguntas Frequentes.
“Quando as pessoas pesquisam informações de 2011.
na Internet, dão mais crédito às opiniões de seus Nosso Povo
pares do que para o que a organização diz sobre Essa seção contém os perfis dos membros,
si mesma, especialmente quando se refere a uma o que permite aos pesquisadores aprender

76 A L i a h o n a
Em Notícia

Em Notícia

mais sobre o evangelho “passando a conhecer” Música Simplificada coupler acionado [que acrescenta
aqueles que têm um testemunho do evangelho
restaurado.
para Órgão On-Line uma nota, uma oitava abaixo,
à nota mais baixa do acorde
“Uma coisa que ajuda as pessoas a muda-
rem suas ideias erradas sobre a Igreja é ter a
oportunidade de conhecer um mórmon”, disse
U m “kit de preparação de emer- tocado]. Apesar de conter algum
gência” para pianistas com
experiência limitada em órgãos
material com instruções, o livro
não pretende ser um manual
Ron Wilson, gerente de Internet e marketing do promete tornar mais fácil o acom- para ensinar a tocar órgão. Em
Departamento Missionário. “Elas se conscientizam panhamento dos hinos na reunião vez disso, é planejado para dar
de que as coisas negativas que ouviram sobre a sacramental. Dois novos recursos: ao pianista um meio para come-
Igreja não combinam com a vida que seus amigos Manual-Only Hymns for Organ çar a trabalhar com o órgão, se
mórmons levam.” [Hinos para Órgão – Somente ele não tiver experiência e tiver
para as Mãos] e Transformations pouco tempo para aprender.
Nossos Valores [Transformações] foram produzi- O projeto, que está sendo
A seção Nossos Valores ensina o que os mem- dos para ajudar pianistas a adap- feito desde 2008, foi liderado
bros fazem devido a suas crenças. Ela explica tarem-se ao órgão. pelo ex-organista do Coro do
algumas das prioridades da Igreja, como ajuda O Manual-Only Hymns for Tabernáculo, Robert Cundick,
humanitária, família, educação, serviço e história Organ é a compilação de 38 com a ajuda do atual organista
da família. Ajuda ainda os pesquisadores a conhe- hinos populares adaptados do coro, Richard Elliott e uma
cerem a doutrina da Igreja pelo estilo de vida de para serem tocados sem pedal. equipe de organistas da Uni-
seus membros. Transformations contém a versidade Brigham Young e da
introdução e o final dos mes- BYU–Idaho. ◼
Nossa Fé mos 38 hinos, que podem ser
A seção Nossa Fé explica as doutrinas fun- usados para “transformar” os
damentais da Igreja. Todo o conteúdo dessa hinos em música para prelúdio
Escrituras
seção do site responde à pergunta: “Em que os e poslúdio. O conjunto está Disponíveis
mórmons acreditam?” A seção também mostra o disponível on-line e pode ser On-Line em
conteúdo das outras áreas do site. Os visitantes baixado gratuitamente. Vá para Cebuano e Tagalo
do site aprendem sobre nossa fé em Jesus Cristo o site music.LDS.org; clique em
como nosso Salvador, a Restauração do evange-
lho, Joseph Smith, o plano de salvação, o Livro de
Mórmon e outros tópicos.
Learning Materials [Mate-
rial de Aprendizado], depois
em Accompanying Others
A s edições em cebuano
e tagalo da combinação
tríplice contendo o Livro de
[Acompanhar Outros], e Mórmon, Doutrina e Convênios
Perguntas Frequentes finalmente em Manual-Only e A Pérola de Grande Valor
Os membros da Igreja criam o conteúdo dessa Hymns for Organists [Hinos estão agora disponíveis on-line.
seção ao responder perguntas em seu perfil. Eles para Órgão – Somente com Elas podem ser acessadas em
respondem às FAQs com as próprias palavras e as Mãos]. É possível comprar scriptures.LDS.org/ceb e scriptu-
ajudam os visitantes a aprender sobre a Igreja por exemplares impressos dos res.LDS.org/tgl, respectivamente.
meio dos membros. ◼ livros em: http://creativeworks Os sites incluem notas de
.byu.edu/catalog/ViewItem rodapé, mapas e fotografias, e
.aspx?item=SM021. permitem aos leitores marcar as
Diferentemente dos hinos sim- escrituras e realizar pesquisas
plificados disponíveis para piano, por palavras-chave. O site de
esses acompanhamentos incluem escrituras inclui dezessete idio-
as notas de cada mão, que mas, com planos de acrescen-
podem ser tocadas em teclados tar o indonésio, o japonês e o
separados ou com o botão Bass tailandês em breve. ◼

Dezembro de 2010 77
Notícias dos Templos

Fotografia: Weston C. Colton


O Templo de Vancouver Cidade de Cebu Filipinas está
É Dedicado localizado a cerca de 560 qui-
O Presidente Thomas S. lômetros do Templo de Manila
Monson dedicou o 131º templo Filipinas. O templo atenderá
da Igreja, nos arredores de mais de 200.000 membros das
Vancouver, Colúmbia Britânica, áreas de Visayas e Mindanao.
em 2 de maio de 2010. Apro- Mais de 45.000 pessoas compa-
ximadamente 40.000 pessoas receram nas duas semanas de
foram ver o templo durante visitação pública. Na noite ante-
a visitação pública, que foi rior à dedicação, mais de 3.000
realizada dois meses após os jovens realizaram um evento
Jogos Olímpicos de Inverno cultural.
de 2010, em Vancouver. O Tem-
plo de Vancouver Colúmbia Abertura de Terra em
Britânica atenderá os membros Brigham City, Utah
da Colúmbia Britânica e do A abertura de terra para o
norte de Washington, EUA. A Templo de Brigham City Utah
Igreja tem atualmente oito tem- foi realizada no sábado, 31 de
plos planejados ou em funcio- julho de 2010, às 9 horas da
namento no Canadá. manhã. O Presidente Boyd K.
Packer, Presidente do Quórum
O Templo de Gila Valley dos Doze Apóstolos, presidiu
Arizona É Dedicado a abertura de terra que foi
O Presidente Thomas S. transmitida para as sedes das
Monson dedicou o Templo de estacas de todo o distrito do O Templo de continente Europeu. O Templo
Gila Valley Arizona em 23 de templo. O Templo de Brigham Kyev Ucrânia de Kyev atende os membros de
maio de 2010, em três sessões. City Utah foi anunciado na foi dedicado em treze países.
O templo atende os mem- conferência geral de 3 de outu- 29 de agosto de
bros do sudeste do Arizona bro de 2009. Será o 14º templo 2010. Rededicado o Templo
e sudoeste do Novo México. da Igreja em funcionamento de Laie Havaí
O templo está localizado no em Utah. Depois de extensa reforma,
sudeste do Arizona, não muito o Templo de Laie Havaí foi
distante do lugar onde o Pre- Dedicado o Templo de Kyev rededicado em três sessões,
sidente Spencer W. Kimball O Templo de Kyev Ucrânia em 21 de novembro de 2010,
(1895–1985) cresceu. O Tem- foi dedicado em 29 de agosto após a visitação pública que
plo de Gila Valley é o terceiro de 2010, em três sessões trans- ocorreu de 22 de outubro a
aberto no Arizona e mais dois mitidas para todo o distrito do 13 de novembro, e de uma
foram anunciados: de Gilbert templo. A visitação pública celebração cultural em 20 de
Arizona e de Phoenix Arizona. aconteceu de 7 a 21 de agosto, novembro. A rededicação foi
com uma celebração cultural transmitida nos distritos dos
O Templo da Cidade em 28 de agosto. O templo foi Templos de Laie e de Kona. O
de Cebu É Dedicado anunciado em 20 de julho de templo foi o quinto da Igreja,
O Presidente Thomas S. 1998. A construção foi iniciada dedicado em 1919 pelo Presi-
Monson dedicou o segundo em 23 de junho de 2007. É o dente Heber J. Grant e rededi-
templo nas Filipinas, em 13 de primeiro templo da Igreja na cado em 1978 pelo Presidente
junho de 2010. O Templo da Europa Oriental e o 11º no Spencer W. Kimball. ◼

78 A L i a h o n a
C o men t á r i o s

Comentários Ideias para a Reunião Familiar

A L­ iahona Transforma
Esta edição contém atividades e artigos que podem ser usados na
Quero agradecer pelas mensagens que leio em A
reunião familiar. Seguem-se alguns exemplos.
­Liahona todos os meses. Elas são muito úteis e me
ajudam a tornar cada dia melhor. Sempre que fico “Um Dom a Ser Zelado com Esmero”, página 26: O Élder Neil L.
desanimado e acho que a vida é muito difícil, leio uma Andersen compartilha alguns exemplos de como o Espírito Santo guia
mensagem de A ­Liahona e tudo se transforma. Obrigado as pessoas. Considere a possibilidade de ler alguns
pelo que fazem — por mim e por muitos outros. destes exemplos e peça aos membros da família que
Edgar Celestino, Texas, EUA falem de suas experiências quando sentiram o Espírito
Santo.

Manter Contato On-Line Para crianças menores, você pode mostrar obje-
Fui batizado em 1990 e sempre vou às reuniões tos que representem as bênçãos do Espírito Santo.
da Igreja. Mas recentemente fui mandado para outro Por exemplo, o Espírito Santo é como um cobertor, pois nos conforta
país como pacificador e, por enquanto, não posso ir às (ver João 14:26); ou como uma bússola, porque nos guia (ver 2 Néfi
reuniões. A forma de manter contato com a Igreja é ler as 32:5); e o sabão, porque Ele nos ajuda a saber quando ficamos limpos
revistas on-line. Isso tem sido uma grande inspiração para por meio da Expiação (ver 2 Néfi 31:17; 3 Néfi 27:20).
mim. Sinto fortemente o Espírito quando leio as palavras “Tradições Natalinas dos Setenta”, página 32: Depois de ler algu-
de nosso profeta e de outros líderes da Igreja. Sinto falta
mas tradições relacionadas no artigo, peça aos membros da família que
de partilhar do sacramento, mas sei que o Pai Celestial
compartilhem suas tradições favoritas de Natal. Há tradições novas que
entende minhas circunstâncias. Obrigado pelas revistas
on-line. você gostaria de adotar?
Olukunbi Orimoloye, Nigéria “Um Convidado Especial”, página 68: Como a família dessa
história, você poderia comemorar o aniversário do Profeta Joseph Smith
Envie seus comentários e sugestões para aprendendo sobre a Primeira Visão. Você também pode ler um discurso
Liahona@LDSchurch.org. Seus comentários podem de conferência a respeito de Joseph Smith (ver, por exemplo, Tad R.
ser alterados por motivo de espaço ou de clareza. ◼ Callister, “Joseph Smith — O Profeta da Restauração,” A ­Liahona e
­Ensign, novembro de 2009, pp. 35–37).

Solicitação de Artigos
Você já teve uma celebração de Natal que não dese-
java ou que não ocorreu como planejado? Talvez estivesse Valorizar a Missão do Salvador
doente, lamentando a morte de alguém, servindo nas Uma de nossas reuniões familiares favoritas nos ajudou a valorizar
forças armadas, estudando fora ou longe da família e dos mais a vida e a missão do Salvador. Pedimos a cada membro da família
amigos. Como você comemorou o nascimento do Salva- para encontrar escrituras sobre as mãos, os olhos, os pés e a boca do
dor naquelas circunstâncias? Limite sua experiência a 500 Salvador. Depois lemos aquelas escrituras. Por exemplo, as mãos do
palavras, coloque em assunto “Christmas Celebrations,” Salvador curaram o leproso, Seus pés andaram sobre as águas, e Seus
e envie para liahona@LDSchurch.org. ◼ olhos choraram na tumba de Lázaro. Também conversamos sobre as
feridas em Seu corpo e a perfeição de Seu sacrifício. Nossa conversa
sobre a vida e os atos de Jesus Cristo convidaram o Espírito, e os mem-
bros da família prestaram testemunho de nosso Salvador.
David R. Anderson, Utah, EUA ◼

Dezembro de 2010 79
At é Vo lta r m o s a N o s En co n t r a r

O Natal na
Vinha
Larry Hiller
Revistas da Igreja

N
o fim de dezembro, uma névoa fria
envolve as videiras no breu que antecede
o amanhecer. O vinhedo está silencioso, O que motiva um grupo de membros da
exceto num local onde há uma fogueira crepi- Igreja a sair de casa no Natal para um
tante e reluzente e se ouvem várias vozes. É a
manhã de Natal, e com exceção dali, as pessoas
dia de trabalho árduo? Seu desejo de ser-
de toda a região ainda estão quentinhas debaixo vir a Ele, cujo nascimento comemoramos.
dos cobertores ou reunidas em volta de árvo-
res de Natal observando as crianças em polvo-
rosa. Mas não é o caso daquele pequeno grupo
presente no vinhedo. Eles vieram oferecer um
presente. nesse ramo: podam vinhas e pomares como
Para entender o significado dessa oferenda, é atividade profissional. Seu trabalho é intenso
preciso saber que esse parreiral em Madera, Cali- nessa época do ano; assim, este é seu único dia
fórnia, EUA, faz parte do sistema de produção de folga em várias semanas. É Natal — e eles
de bem-estar da Igreja. Ali são produzidos anual- passam essa data aqui nas vinhas da Igreja. Na
mente cerca de 180 mil quilos de uvas-passas. verdade, fizeram isso em oito dos últimos quinze
Metade da colheita é destinada às prateleiras dos Natais. Para os membros da Ala Madera III, de
armazéns dos bispos. O restante vai para ações idioma espanhol, é seu presente para El Niño —
humanitárias em todo o mundo. Alas e ramos o menino Jesus.
de oito estacas da região recebem designações a Um trabalhador, Miguel Chavez, explica que
cumprir e ficam responsáveis por certas filas de é sua maneira de retribuir parte das bênçãos
videiras. que recebem do Senhor: “Estamos dando algo a
Uma tarefa crucial é podar as plantas. O ema- famílias carentes. Nossa pequena contribuição
ranhado que cresceu desde a estação passada torna-se uma grande bênção para os outros”.
precisa ser cortado, deixando apenas os pou- Outro membro da ala diz simplesmente: “Este é
cos talos que crescerão para produzir a safra o melhor trabalho que podemos fazer, porque
seguinte. Sem essa poda na entressafra, a vinha esta é a vinha de Deus”.
cresce demais. Uma quantidade excessiva de Assim, nesse dia de Natal peculiar, quando
Fotografia : Howard Collett

ramos prejudica a capacidade de sustentação das os membros da Ala Madera III terminarem de
raízes. O resultado é um número muito pequeno podar, cobrir e atar suas videiras designadas,
de frutas, o que compromete fortemente a safra. cuidarão de parte das fileiras inicialmente atri-
Por que fazer esse trabalho no dia de Natal? buídas a duas alas vizinhas. É um presente à
Porque muitos dos membros da ala trabalham altura de um Rei. ◼

80 A L i a h o n a
Pa l av r a s d e C r i s to
Trabalhadores na Vinha, de J. Kirk Richards Jesus Cristo ensinou: “Eu sou a videira, vós esse dá muito fruto; porque sem mim nada
as varas; quem está em mim, e eu nele, podeis fazer” ( João 15:5).
A   ssim como os pastores
da antiguidade, devemos
dizer em nosso coração:
‘Vamos, pois, (…) e vejamos isso que
aconteceu’, escreve o Presidente
Dieter F. Uchtdorf, segundo conselheiro
na Primeira Presidência. “Precisamos
desejá-lo no coração. Vamos contemplar o
Santo de Israel na manjedoura, no templo,
no monte e na cruz. Assim como os pasto-
res, glorifiquemos e louvemos a Deus por
essas novas de grande alegria!” Ver “Será
que Enxergamos a Cristo?”
página 4.