You are on page 1of 22

- PROCESSO CIVIL Guia de Estudo para o Exame da OAB 1ª Fase

SUMÁRIO
I. AÇÃO .......................................................................................................................................... 2 1 – Conceito: ................................................................................................................................. 2 2 – Natureza Jurídica do Direito de ação: ..................................................................................... 2 3 – Condições da ação: .................................................................................................................. 2 3.1. Interesse de agir................................................................................................................. 3 3.2. Possibilidade jurídica do pedido: ....................................................................................... 4 3.3. Legitimidade das partes: .................................................................................................... 4 4 – Elementos da Ação: ................................................................................................................. 5 4.1. Partes ................................................................................................................................. 7 QUESTÕES ..................................................................................................................................... 9 II. INTERVENÇÃO DE TERCEIROS ................................................................................................. 10 1. MODALIDADES DE INTERVENÇÃO........................................................................................... 10 1.1 – Assistência (art. 50/55, CPC): ......................................................................................... 11 1.2 – Nomeação a Autoria (art. 62/69, CPC):.......................................................................... 12 1.3 - Denunciação da Lide (Arts. 70/76) ................................................................................. 14 1.4 – Chamamento ao Processo (Arts. 77 a 80 do CPC) ......................................................... 16 QUESTÕES SOBRE OS TEMAS ...................................................................................................... 18

D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www.josehenriqueazeredo.blogspot.com | josehenrique@josehenrique.com.br | www.twitter.com/josehenrique

1

D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. 2 – NATUREZA JURÍDICA DO DIREITO DE AÇÃO: .Por meio da ação. A este fenômeno dá-se o nome de carência de ação. CARÊNCIA DE AÇÃO: caracteriza-se pela ausência de uma das condições da ação.twitter.josehenriqueazeredo.br | www. É o direito público subjetivo de obter do Estado a prestação da atividade jurisdicional num caso concreto (Amaral Santos). ligados unicamente à viabilidade ou não da ação.O direito de ação é uma garantia constitucional. VI. A qualquer momento. há uma provocação para que o Estado exerça sua atividade jurisdicional (atuando na solução de conflitos). isto significa que todos possuem amplo acesso à justiça.. Sem esses requisitos a ação é extinta sem a resolução do mérito (art.DIREITO PROCESSUAL CIVIL - I.Toda ação possui requisitos especiais de existência.com/josehenrique 2 .com.blogspot. 3 – CONDIÇÕES DA AÇÃO: . CPC). A requerimento das partes.com | josehenrique@josehenrique. AÇÃO 1 – CONCEITO: Consiste no direito subjetivo público que qualquer pessoa possui para deduzir uma pretensão em juízo. podendo se dar: o o o De ofício pelo juiz. 267. acarretando a extinção do feito sem a resolução do mérito. .

lide.1. as partes poderão suscitá-la a qualquer momento (em qualquer grau de jurisdição). deve a parte autora lançar mão da via adequada para satisfação desse interesse. neste caso. Interesse secundário: processual (utilidade da provocação do PJ para que o interesse primário seja satisfeito). não havendo. Não há. não se valeu ela de uma ação adequada. INTERESSE DE AGIR Verificar se há ou não interesse do autor numa determinada demanda. uma das vertentes do interesse de agir.: cheque – execução procedimento adequado.josehenriqueazeredo.twitter. portanto. o o Interesse primário: material (o bem da vida). neste caso.A carência de ação é matéria de ordem pública. . Para que exista interesse-necessidade é preciso existir lide: relação jurídica qualificada por uma pretensão de um lado e uma resistência do outro. por conseguinte.com. interesse de agir. Se a parte ré não se opõe a satisfazer à pretensão do autor. o interesse-necessidade.SÃO CONDIÇÕES DA AÇÃO: o o o Interesse de agir Possibilidade jurídica do pedido Legitimidade das partes 3. necessidade de acionamento do Poder Judiciário.: Nota promissória – execução antes do vencimento não-necessidade. não há resistência. para satisfazer a sua pretensão.com | josehenrique@josehenrique.blogspot. Se a parte autora. 2) Adequação = procedimento adequado. Falta. D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www.br | www. existindo desta forma dois elementos: necessidade + adequação. não decretada de ofício pelo juiz. Ex.com/josehenrique 3 . Ex. Falta. escolher uma via processual incapaz de possibilitar ao Poder Judiciário a composição da lide. Só haverá o interesse de agir quando houver a necessidade de ingressar com uma ação para conseguir o que se deseja e quando houver adequação da ação (ação própria para o pedido). o interesseadequação. 1) Necessidade = utilidade. portanto. Mesmo havendo interesse-necessidade.

: Júnior (parte) Alimentos (direito) Júnior titular do direito D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www.Espécies de Legitimação: o o Ordinária Extraordinária ou substituição processual a) Ordinária: é a regra. ou seja. Ex. Ex.: pelo CC a união estável equipara-se ao casamento (este possível entre homem e mulher).1 .: Ação de usucapião de bens públicos. As partes devem ter em comum o mesmo fato/contrato devem ter o mesmo ambiente/ligação A legitimidade não se confunde com capacidade. 3. portanto. POSSIBILIDADE JURÍDICA DO PEDIDO: O pedido deve ser contemplado pela nossa legislação expressa em lei ao pedido.josehenriqueazeredo. Ex. pois esta se relaciona com o estado da pessoa. aquele contra o qual o autor pretender algo.3.2.3. ausência de vedação Pedido juridicamente impossível: é aquele que não é contemplado pela legislação (vetado ou omitido).com. 3. que o autor seja aquele a quem a lei assegura o direito de invocar a tutela jurisdicional e o réu.twitter. É a relação de pertinência subjetiva entre a titularidade do direito material invocado e a titularidade do direito processual. * Não confundir impossibilidade jurídica do pedido com improcedência do pedido.: Cobrança de dívida de jogo proibido (causa de pedir juridicamente impossível). LEGITIMIDADE DAS PARTES: Está atrelada à existência de relação jurídica entre as partes e o direito. Ex.com/josehenrique 4 .com | josehenrique@josehenrique. seria impossível um casamento entre homossexuais.blogspot. quando a parte é titular do direito.3.br | www.

ação para haver crédito pertencente ao morto (falta de legitimidade ativa). constituem-se num elemento norteador da própria demanda em que o autor narrará o ocorrido. D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. b) Extraordinária ou substituição processual: é a exceção. B) PEDIDO: É o objeto da ação.com. de fato.blogspot. Exemplos de ilegitimidade de parte: a) . C) CAUSA DE PEDIR: A causa de pedir é o resultado da somatória dos fatos com a fundamentação jurídica do pedido. respectivamente.twitter. apenas para as partes. b) . possuem interesse na demanda.com | josehenrique@josehenrique. que reside no interior. quando a parte substitui o titular do direito. A) PARTES: Constituem-se. ação de despejo. apenas para as partes). As partes. contra “B”. MP. na Capital. dizendo-se herdeiro de outro e afirmando que o processo de inventário ainda será aberto. filha de “A”. ajuiza.Obs.alguém. nos titulares do direito e do dever jurídicos diante da formação da relação jurídico-processual. C) Causa de pedir. B) Pedido. um imóvel para “A”.josehenriqueazeredo. autor e réu.alguém. Os fatos. quando a lei autoriza que a pessoa vá a juízo defender direito alheio. 4 – ELEMENTOS DA AÇÃO: Os elementos da ação servem para identificar a natureza. em razão de “B”.com/josehenrique 5 . em nome próprio. afirmando haver alugado. ser a pessoa que.: Sindicato (Não há análise de legitimidade no que tange ao representante legal.br | www. Reforçando: Os elementos da ação têm o objetivo de identificar a ação. ocupa o imóvel locado (falta de legitimidade passiva). causa de pedir remota. ajuiza. São eles: A) Partes. o procedimento e a competência da ação proposta. Condomínio: Cada um dos condôminos possui uma parte ideal e apenas um deles entra em juízo para propor ação reivindicatória. Exs. pólos ativo e passivo.: Não há análise de legitimidade no que tange ao representante legal.

o Coisa julgada. LITISPENDÊNCIA: Ocorre quando da repetição de uma ação idêntica (identidade total dos elementos da ação) em andamento. quando se repete ação. Art. 301 e §§. 301 § 1º Verifica-se a litispendência ou a coisa julgada. em duas ou mais ações houver identidade entre a causa de pedir (art.twitter. 219.com | josehenrique@josehenrique. o Continência. CONEXÃO: Ocorre sempre que. A citação válida torna prevento o juízo.: o nome da ação não caracteriza litispendência. . há coisa julgada. induz litispendência e faz litigiosa a coisa. o juiz determina a extinção do feito (Art. § 3º Há litispendência.Da identificação da ação podem surgir: o Litispendência. Art. *citação válida = data de juntada do mandado aos autos.prevalece a teve a primeira citação válida* (art.com/josehenrique 6 . § 2º Uma ação é idêntica à outra quando tem as mesmas partes. . CPC) D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. quando se reproduz ação anteriormente ajuizada. COISA JULGADA: Ocorre a repetição de uma ação idêntica em que já ocorreu o trânsito em julgado. e.br | www.blogspot. . constitui em mora o devedor e interrompe a prescrição. ainda quando ordenada por juiz incompetente..argüir na contestação *Obs. de que não caiba recurso. 219.com.Havendo coisa julgada. quando se repete ação que já foi decidida por sentença. a mesma causa de pedir e o mesmo pedido. CPC).josehenriqueazeredo. que está em curso. o Conexão. 103. CPC).

de ofício ou a requerimento de qualquer das partes. pode ordenar a reunião de ações propostas em separado.com. . abrange o das outras.br | www. para que não haja decisões contraditórias/conflitantes. Art. um pedido é mais amplo que o outro. por ser mais amplo.josehenriqueazeredo. o mais amplo abrange os outros. 105. Reputam-se conexas duas ou mais ações. (Chiovenda) D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www.Juiz prevento: o as ações conexas na mesma comarca despacho. 103. 105.Art.1. mas o objeto de uma.Os processos serão reunidos ao juiz prevento. será o e que proferiu o 1º será aquele de onde ocorreu a o CONTINÊNCIA: Ocorre se entre duas ou mais ações há identidade quanto às partes e causa de pedir.twitter. ou em cujo nome é pedida.com/josehenrique 7 . Havendo conexão ou continência. 4. uma providência jurisdicional. as ações conexas em comarcas diferentes 1ª citação válida. a fim de que sejam decididas simultaneamente. Dá-se a continência entre duas ou mais ações sempre que há identidade quanto às partes e à causa de pedir. e aquele em face de quem essa atuação é pedida”. CPC).com | josehenrique@josehenrique. .blogspot. quando lhes for comum o objeto ou a causa de pedir. Art. o juiz. . sendo assim. porém.A conexão ou continência podem ser declaradas de ofício pelo juiz (Art. 104. PARTES “Parte é aquele que pede em seu próprio nome.

Capacidade postulatória.2. . CAPACIDADE POSTULATÓRIA . também chamada de capacidade processual (exerce normalmente suas capacidades civis).1.com | josehenrique@josehenrique.4. CAPACIDADE DE SER PARTE Capacidade De Direitos Capacidade De Ser PARTE + Capacidade De estar em juízo (capacidade processual) Direitos Obrigações + Exerce atividades civis Terá capacidade de ser parte todo àquele que puder exercer direitos e contrair obrigações. 4.1.Postular: significa pedir em nome de outro. . é exercida pelo advogado. mas não tiver capacidade de estar em juízo.com/josehenrique 8 .com.twitter.blogspot.1. D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www.josehenriqueazeredo.Capacidade de estar em juízo.br | www.Todo aquele que tiver a capacidade de ser parte. deverá ser representado ou assistido pelo responsável.

SP) O interesse de agir é A faculdade da ação. é atribuído a um terceiro interessado a legitimidade para litigar direito alheio em nome daquele que detém a titularidade do direito em litígio.josehenriqueazeredo. do ponto de vista prático. Assim. ainda.QUESTÕES 1. o menor de 16 anos de idade possui capacidade processual para propor ação contra o suposto pai para investigar a paternidade. D pretensão. por serem ambas pressupostos processuais que se relacionam com a capacidade para estar em juízo. 2. A Se restar comprovada a existência de outra causa igual. B Se o réu não alegar a falta de uma das condições da ação na primeira oportunidade que tiver para falar nos autos.1) A respeito das condições da ação no processo civil. (OAB/CESPE – 2006. ele responderá pelas custas de retardamento. (OAB/CESPE – 2006.3) Acerca das condições da ação e dos pressupostos processuais. ainda que já decidida. 3. quando essa tutela jurisdicional pode trazer-lhe alguma utilidade. C.com. 2.blogspot. C Existe interesse processual quando a parte tem necessidade de ir a juízo para alcançar a tutela pretendida e. razão pela qual a inadequação procedimental acarreta inexistência do interesse processual. em virtude da lei.3.com | josehenrique@josehenrique. C Os pressupostos processuais são os requisitos necessários à regularidade e à existência da relação processual e a falta de qualquer desses requisitos acarreta a extinção do processo sem resolução do mérito. A A verificação da presença das condições da ação faz-se quando do julgamento do mérito da pretensão do autor.br | www. o provimento jurisdicional não lhe será útil. D O reconhecimento da ausência de pressupostos processuais conduz à declaração incidental de improcedência da ação e à condenação do autor ao pagamento dos ônus sucumbenciais. mas sem o trânsito em julgado. Sendo essa uma das condições da ação. a pretensão do autor não será resolvida. por carência de ação. 3. o processo será extinto.com/josehenrique 9 . B elemento da ação. D Ocorre a legitimação extraordinária ou substituição processual quando. C condição da ação. D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. assinale a opção correta. B A capacidade processual se confunde com a legitimação para a causa. ajuizando a ação errada ou utilizando-se do procedimento incorreto. C. (OAB/CESPE – 2007. sendo essas condições requisitos indispensáveis à obtenção de uma decisão que acolha ou rejeite o pedido do autor. em virtude da ocorrência da litispendência.twitter. Assim. assinale a opção correta. B. muito embora ela possa ser conhecida de ofício. GABARITO 1.

56 A 80 DO CPC) CONCEITO: Dá-se a intervenção de terceiros quando alguém ingressa como parte ou coadjuvante da parte (assistente) em processo pendente. Nesses casos.br | www. o 1. o ordenamento autoriza a intervenção (cabível somente quando houver previsão legal). É que há situações em que os efeitos da sentença poderão alcançar terceiros.twitter. Terceiro (que deve ser juridicamente interessado) significa estranho à relação processual estabelecida entre o autor e réu. TERCEIRO L I D E AUTOR o RÉU Admite-se a intervenção de terceiros nos processos. quando houver interesse jurídico que justifique essa intervenção.Nomeação à autoria: Indicação do legítimo sujeito passivo .josehenriqueazeredo.II.Denunciação da lide: Ação regressiva com vistas a garantir o prejuízo da parte perdedora. INTERVENÇÃO DE TERCEIROS (Arts.Chamamento ao processo: Visa a declarar a responsabilidade dos co-devedores.com | josehenrique@josehenrique.Assistência: auxílio a uma das partes . . . D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. MODALIDADES DE INTERVENÇÃO • • • • • .com/josehenrique 10 .com.Oposição: exclusão do autor e réu.blogspot.

.josehenriqueazeredo. 499).com.Ingresso: O assistente ingressa por petição simples a qualquer momento. mesmo com a concordância das partes.: No segundo grau.1. . . Classificação da assistência a) Assistência adesiva ou simples: o terceiro (assistente) possui relação com apenas uma das partes. sendo necessária a ratificação pelo assistido dos atos praticados pelo assistente.Não havendo impugnação o pedido será deferido. decide em 5 dias o incidente. autorizando produção provas. D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. contudo. 1. LIDE . CPC): .com/josehenrique 11 . 9.Intimação (5 dias) NÃO: Juiz decide *O STJ. SIM: simples ingresso* . . O terceiro intervém no processo para prestar colaboração/auxílio a uma das partes.Havendo impugnação.Cabimento: Cabe em qualquer procedimento.com | josehenrique@josehenrique. sob pena de ineficácia dos mesmos.Ocorre quando o terceiro tem interesse jurídico em que uma das partes vença a demanda.Admissão: O assistente pode ser admitido até o trânsito em julgado da sentença. 50/55.br | www.1. a assistência denomina-se recurso de terceiro prejudicado (art.Abrangência da atuação: Admitido o assistente. .099/95). salvo no processo de execução (com exceção no caso de embargos do devedor e no processo de liquidação de sentença) e no procedimento sumaríssimo (Lei n. Depois. autua em apenso.twitter. já entendeu que o juiz pode indeferir a assistência. Obs.1. este recebe o processo no estado em que se encontra. juiz ordena desentranhamento da petição e da impugnação. .blogspot.A assistência é facultativa.1 – ASSISTÊNCIA (ART.

..: herdeiro legítimo.É a correção do pólo passivo da demanda em circunstâncias especiais. .: Sublocatário (assistente) que é atingido indiretamente pela sentença de rescisão do contrato de locação movida pelo locador (autor) contra o locatário (réu) por falta de pagamento. pois a condenação do condomínio repercutirá imediatamente na esfera jurídica de cada um dos condôminos. nesta o assistente é direta e imediatamente vinculado à relação jurídica objeto do processo. 301.br | www. .) X . . (locador e locatário)--{sublocatário} b) Assistência litisconsorcial: conhecida também como qualificada.josehenriqueazeredo.twitter. com sua conseqüente exclusão da lide. admitido como assistente litisconsorcial na ação de anulação de testamento promovida por outro herdeiro legítimo. Compete-lhe. 301.com | josehenrique@josehenrique. 62/63) Art.: ação promovida contra condomínio residencial. alegar: (. porém. para ajudar na defesa do condomínio.Ex.com. Ex. 1. é litisconsorcial.blogspot.Tem por fim fazer o acertamento da legitimidade ad causam passiva.2 – NOMEAÇÃO A AUTORIA (ART. antes de discutir o mérito. D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. 62/69. Ex. CPC): A X R Preliminar de contestação (art. mas o seu direito está em causa. que nomeia um terceiro para que figure no pólo passivo da demanda.: o Assistência simples interesse jurídico indireto.sendo uma modalidade exclusiva do réu. o Assistência litisconsorcial interesse jurídico direto. Aqui o assistente não é parte..com/josehenrique 12 . X) Nomear à autoria (arts.Nessa modalidade os atos do assistente são válidos independentemente de ratificação.carência de ação. A assistência de condômino. {(autor e condomínio-réu) (condômino)} Obs.

com/josehenrique 13 .twitter. 69). 63. quando Ihe D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. Ex. sendo-lhe demandado em nome próprio coisa alheia.63) Art.: depositário (cabeção!). ou em cumprimento de instruções de terceiro. na qualidade de mero detentor. AUTOR NOMEANTE NOMEADO . Quem detém coisa em nome alheio. se o réu nomear pessoa diversa daquela que deveria nomear (art. ou. . deve nomear à autoria proprietário ou o possuidor incidente 2. Quando o responsável pelos prejuízos alegar que praticou o ato por ordem.blogspot. toda vez que o responsável pelos prejuízos alegar que praticou o ato por ordem. suspenderá o feito e determinará que o autor se manifeste. 69.A nomeação a autoria é obrigatória. Obs. ou em cumprimento de instruções de terceiro. então. 62) ou na qualidade de mero cumpridor de ordem/executor.É possível ao réu nomear à autoria.josehenriqueazeredo.: caseiro (art.: Se a nomeação a autoria for julgada improcedente o magistrado devolverá o prazo de defesa. Aquele que detiver a coisa em nome alheio.com | josehenrique@josehenrique. intentada pelo proprietário ou pelo titular de um direito sobre a coisa. deverá nomear à autoria o proprietário ou o possuidor.deixando competir. quando demandado. . Responderá por perdas e danos aquele a quem incumbia a nomeação: I . 62. Ex.br | www. de nomear à autoria. Art. Cumpre ressaltar que responde por perdas e danos aquele que não apresentou a nomeação quando lhe competia.com. sendo-lhe demandada em nome próprio.Se o juiz deferir o pedido. . Aplica-se também o disposto no artigo antecedente à ação de indenização. (art. sendo-lhe demandada em nome próprio. Art.Processamento da Nomeação: O assistente ingressa com petição simples no prazo de defesa.L I D E RÉU SÓ CABE EM 2 HIPÓTESES: 1.

.3 .nomeando pessoa diversa daquela em cujo nome detém a coisa demandada.com | josehenrique@josehenrique. com o objetivo de garantir a indenização do denunciante caso perca a demanda. .twitter. Do autor.É intervenção de garantia. • • Autor denuncia na petição inicial. D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www.A nomeação à autoria exige tríplice concordância: o o o Do réu (nomeante). denunciando o terceiro para que este componha a lide.com/josehenrique 14 . evitam assim.Deferida a denunciação. Permite-se que o terceiro seja trazido ao processo para responder a obrigação regressivamente.É uma lide secundária dentro da originária.II . .br | www. isso por que.DENUNCIAÇÃO DA LIDE (ARTS. e Do nomeado. diretamente. uma ação de regresso.josehenriqueazeredo. Réu denuncia na contestação. . a pretensão do autor.O denunciado pelo réu não pode ser condenado a satisfazer.Pode ser proposta tanto pelo autor como pelo réu. em atendimento ao princípio da economia processual. que faz a nomeação. as partes. o juiz terá duas demandas. 70/76) .blogspot.com. 1. .

Há possibilidade de sucessivas denunciações (art. Para garantir direito regressivo de indenização.: Para a OAB.com. D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. posição não adotado pelo Código de 1973. 70): • • • Para garantir ao adquirente o direito que da evicção lhe resulta. .br | www.. será possível a denunciação quando aquele que adquiriu um bem está sendo demandando em ação reivindicatória e corre o risco de perder o bem por evicção.com | josehenrique@josehenrique. no caso concreto. C entra com ação contra B alegando a posse do imóvel. Para garantir a indenização ao possuidor direto. como. Ex. podendo. portanto. Ex. Carro roubado no shopping. 73).blogspot. denunciar o alienante do bem para que componha a lide. . Assim. .com/josehenrique 15 . objetivando o ressarcimento pela perda da cosia.twitter. B denuncia A à lide. em que o réu poderá denunciar a seguradora a fim de que ela integre o pólo passivo da demanda.josehenriqueazeredo.Evicção é a perda da coisa por decisão judicial. por exemplo. ação de reparação de danos causados por veículos terrestres. Autor ingressa contra shopping.A Jurisprudência e Doutrina se manifestam no sentido de que não existe obrigatoriedade. obrigatoriedade somente na hipótese da evicção. .Não é cabível no processo de execução.: A vende um imóvel para B.Hipóteses de admissibilidade (art. OBS. visto que a parte que deixar de denunciar a lide continua como direito regressivo em face do terceiro. caso perca a demanda. Shopping denuncia à lide seguradora do estacionamento.: Seguradora: É o caso que alguém por força de lei ou contrato deve indenizar o prejuízo decorrente da perda da demanda em ação regressiva.

com/josehenrique 16 .O chamamento só é cabível no processo de conhecimento. Não se trata. perdendo. acionado pelo credor em ação de cobrança. como se trata de faculdade. pois.twitter.Benefício do réu: é instituto criado para beneficiar o réu. ficando abrangidos pela eficácia da coisa julgada resultante da sentença. CPC). c) se o denunciado confessar os fatos alegados pelo autor. . desde logo. 1. poderá o denunciante prosseguir na defesa.blogspot.br | www. ampliandose a relação processual de forma excepcional. . denunciante e denunciado. cumprirá ao denunciante prosseguir na defesa até o final. sua resposta ao pedido do demandante. isso sem prejuízo de oferecer. d) se o denunciado for revel. entretanto. 77 A 80 DO CPC) É a intervenção de solidariedade passiva. deverá ele oferecer a denunciação e requerer a citação do denunciado no mesmo prazo de que dispõe para contestar a ação principal. .com.Natureza: pelo chamamento ao processo.Processamento: o autor denuncia a lide na petição inicial e o réu denuncia a lide na contestação. 80.Objetivo: é a formação de um litisconsórcio passivo. não ao chamante.josehenriqueazeredo.com | josehenrique@josehenrique. facultativo e ulterior. ao réu assiste a faculdade de. de exercício de ação regressiva do chamante contra o chamado.Não é admitido no processo de execução. D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. . . a) Quando for o réu. o processo prosseguirá de um lado com o autor. e de outro com os litisconsortes. b) se o denunciado a aceitar e contestar o pedido. fazer citar os co-obrigados. . mas apenas de convocação para a formação de litisconsórcio passivo. a vantagem processual de a sentença ser para ele título executivo contra os co-obrigados (art. ou comparecer apenas para negar a qualidade que lhe foi atribuída. não sofrerá sanções se não o fizer (podendo reaver a quantia em outro processo).4 – CHAMAMENTO AO PROCESSO (ARTS. a fim de que esses ingressem na relação jurídica processual como seus litisconsortes.Convocação para a formação de listisconsórcio: os chamados devem ao credor/autor.

Fiador (chama) Devedor Fiadores Devedores II. o juiz determinará a citação do terceiro. depois de ser citado. II . D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. em favor do que satisfizer a dívida.blogspot.de todos os devedores solidários.dos outros fiadores. a dívida comum. ou de cada um dos co-devedores a sua quota. Processamento: a) Formulado o chamamento ao processo pelo réu no prazo da contestação. a fim de que os outros integrem a demanda e.twitter.Não é possível chamar ao processo a execução.Avalista = só presta garantia dentro do crédito. a dívida comum. . na ação em que o fiador for réu.: Pretende que o devedor principal integre o pólo passivo. na proporção que lhes tocar. que julgar procedente a ação.Fiador = goza do benefício de ordem na hora de ser penhorado. parcial ou totalmente.com/josehenrique 17 . . OBS. havendo devedores solidários. por inteiro. Fiador (chama) III. condenando os devedores. do devedor principal. Ex.Admissibilidade / Modalidades de Chamamento: (Art. Devedor (chama) Art. quando para a ação for citado apenas um deles. quando o credor exigir de um ou de alguns deles.: . quando o credor exigir de um ou de alguns deles. 77 do CPC) I. c) A sentença. valerá como título executivo. pois será litisconsorte do chamante.com.com | josehenrique@josehenrique. o processo se suspende e o chamado terá prazo para a resposta.Salvo a assistência que cabe em todos os procedimentos (menos o juizado especial) as intervenções de terceiros somente serão cabíveis no rito ordinário. É admissível o chamamento ao processo: I . para exigi-Ia. 77.do devedor.br | www. quando na ação for citado apenas um dos fiadores. Atenção! .josehenriqueazeredo. parcial ou totalmente.. b) Admitido o chamamento. III .

com | josehenrique@josehenrique. o processo prosseguirá entre o autor. portanto. No chamamento.3) Acerca do litisconsórcio e da intervenção de terceiros no processo civil. assinale a opção correta. A Se o denunciado aceitar a denunciação e contestar o pedido.br | www. (OAB/CESPE – 2006. de um lado e. B O chamamento ao processo consiste na admissibilidade de o réu fazer com que co-devedores solidários passem a integrar o pólo passivo da demanda junto com ele. em litisconsórcio. sem discussão dos direitos que lhe cabem sobre o bem disputado na ação principal. uma vez extinta a ação principal. o requisito da legitimidade somente se aperfeiçoa se todos os litisconsortes integrarem o respectivo pólo da relação processual.com/josehenrique 18 . embora legitimado a figurar como réu desde o início.QUESTÕES SOBRE OS TEMAS 1.twitter. C Tratando-se de litisconsórcio unitário e necessário. D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. 3. Nesse litisconsórcio. resta prejudicada. (OAB/CESPE – 2007. coercitivamente. C Tanto o autor quanto o réu têm legitimidade para requerer o chamamento ao processo do devedor principal. mas a lide pode ser decidida de maneira diversa para eles. ou seja. A O terceiro que se sentir prejudicado ou que tiver seu direito ameaçado em virtude de uma pretensão discutida em juízo poderá ingressar na ação e nomear-se como legítimo detentor do direito disputado pelo autor. dos demais co-devedores solidários ou do fiador.com. a legitimidade é conjunta.3) Com referência a intervenção de terceiros e a assistência. é lide secundária em relação à ação principal. 2.josehenriqueazeredo. o juiz condenará o denunciado diretamente em favor do autor. Quando o chamamento for manejado pelo autor. o réu e os chamados mantêm vínculo de direito material com o autor. seja ativo ou passivo. B O chamamento ao processo permite ao réu incluir. assinale a opção correta. e. A Na oposição. Destinase. visando excluir a pretensão do autor e auxiliar o réu em sua defesa. a trazer para o pólo passivo da relação processual terceiro que.blogspot. D A denunciação à lide constitui uma nova ação. B A assistência somente é admissível até o julgamento da apelação. D Ocorre a denunciação da lide quando um terceiro interessado requer sua intervenção no processo pendente entre as partes. formando-se litisconsórcio passivo necessário entre os opostos. a lide secundária. o terceiro ingressa em juízo pretendendo defender sua posse ou propriedade sobre os bens apreendidos judicialmente. no pólo passivo todos os que devem responder solidariamente com ele pela satisfação do direito pretendido pelo autor.1) A respeito da intervenção de terceiros no processo civil. por falta de objeto. assinale a opção correta. (OAB/CESPE – 2006. o denunciado. Nesse caso. de outro. permite-se o aditamento da petição inicial pelo chamado. por meio do incidente denominado nomeação à autoria. por vontade do autor não ocupe essa posição.

B D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www.com/josehenrique 19 . B. pois outrem a ocupa. auxiliando a defesa do seu assistido.com | josehenrique@josehenrique. que tanto pode ser o autor como o réu.C Considere-se que o adquirente de uma área rural seja impedido de dela tomar posse.twitter.D. ficando assim o nomeado abrangido pela eficácia da coisa material resultante da sentença. por ter interesse econômico de que a sentença seja favorável ao litigante a quem assiste. D O assistente ingressa na relação processual como parte. ao promover a ação reivindicatória contra o ocupante. ao adquirente cumpre nomear à autoria o alienante.josehenriqueazeredo. alegando ser o legítimo proprietário.br | www. Nesse caso. para integrar a relação processual.blogspot. formando-se um litisconsórcio ativo.com. 2. 3. GABARITO: 1.

(20070020036000AGI. II. 1. que observou o art. julgado em 17/01/2007. 67 do Código de Processo Civil.com | josehenrique@josehenrique. 1ª Turma Cível. tampouco dificulta a defesa. Relator NATANAEL CAETANO.blogspot. Demonstrando a agravante que. também. Inteligência do art. 45. DECISÃO INDEFERITÓRIA DE PEDIDO DE INGRESSO NO FEITO COMO ASSISTENTE SIMPLES. 1ª Turma Cível. ASSIM. TORNANDOSE PRECISO QUE EM TESE O DIREITO CONEXO DO ASSITENTE SEJA AFETADO PELA SENTENÇA PROFERIDA ENTRE AS PARTES. INTERESSE JURÍDICO PRESENTE. julgado em 23/05/2007. LITISCONSÓRCIO ATIVO FACULTATIVO.com/josehenrique 20 . o anterior oferecimento de contestação simultaneamente com a nomeação à autoria. Não alcançando a nomeação à autoria a modificação subjetiva pretendida pelo nomeante. I. REABERTURA DO PRAZO DE RESPOSTA. DJ 14/06/2007 p. ingresse no processo como seu auxiliar. Unânime.Acolhida a preliminar de nulidade suscitada de ofício. de molde a interditar a nova oportunidade defensiva. DJ 08/02/2007 p.josehenriqueazeredo. a fim de assisti-la. Autoriza o art. titular de interesse jurídico na vitória de uma das partes. Relator VERA ANDRIGHI. D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. DJ 27/10/1993 p.com. III . iI . INEXISTÊNCIA DE PRECLUSÃO. DESACERTO DO DECISUM. julgado em 29/09/1993. QUE A DEMANDA AFETE O PATRIMÔNIO DO ASSISTIDO (INTERESSE ECONÔMICO). Não induz preclusão. além de interesse econômico. I . não pode ser indeferido de ofício. 2ª Turma Cível. ILEGITIMIDADE.O litisconsórcio ativo facultativo. possui interesse jurídico a justificar a sua intervenção no feito na qualidade de assistente simples da parte requerida em ação civil pública. NOMEAÇÃO À AUTORIA. O ASSISTENTE LITISCONSORCIAL É CONSIDERADO PARTE E COMO CONSEQUÊNCIA LÓGICA NÃO É QUALQUER RELAÇÃO JURÍDICA QUE O TERCEIRO TENHA COM O ASSISTIDO QUE O FARÁ PARTE LEGÍTIMA PARA INGRESSAR NA CAUSA. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. deve o Juiz assinar-lhe novo prazo para contestação. Relator GETÚLIO MORAES OLIVEIRA. Em sede de nomeação à autoria. de ofício.twitter. 46 do CPC. III. a simples recusa do nomeado é suficiente para manter inalterado o quadro subjetivo da relação processual. MAS SOMENTE AQUELA INTERLIGADA POR CONEXÃO COM A PRETENSÃO DO ADVERSÁRIO DO ASSISTIDO.564) NOMEAÇÃO À AUTORIA PROCESSO CIVIL. DECLINAÇÃO DE COMPETÊNCIA. 50 do CPC que o terceiro.É nula a decisão que declina. 67) ASSISTÊNCIA LITISCONSORCIAL ASSISTÊNCIA LITISCONSORCIAL PRETENDIDA POR CREDOR DO PROPRIETÁRIO CUJOS BENS SÃO OBJETO DE USUCAPIÃO.(20060020121244AGI. de competência relativa se a hipótese não se enquadra nas exceções legais. NÃO BASTA. especialmente se não causa embaraço à prestação jurisdicional. não compromete a rápida solução da lide. 127) ASSISTÊNCIA SIMPLES PROCESSO CIVIL.JULGADOS PERTINENTES (extra aula) LITISCONSÓRCIO AGRAVO DE INSTRUMENTO.br | www. a reforma da decisão agravada é medida que se impõe. (AGI428993. 2.

2.PRODUÇÃO DE PROVA ORAL DESNECESSIDADE . caso o denunciante reste vencido (art. Relator GEORGE LOPES LEITE.blogspot. A denunciação da lide é intervenção de terceiros forçada. 4ª Turma Cível. O rateio das despesas do condomínio decorre de lei e sendo regularmente aprovadas em assembléia.(20070020097774AGI. 126) CHAMAMENTO AO PROCESSO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. quando desnecessária a prova oral requerida. Nas sentenças de natureza condenatória. só deve ocorrer quando o denunciado esteja obrigado por força de lei ou contrato. obrigatória. DJ 24/05/2007 p. julgado em 07/02/2007. Cabe ao juiz. terceiro contra o qual tem direito de regresso.com/josehenrique 21 . INADIMPLÊNCIA COMPROVADA.com. 1. Relator SÉRGIO BITTENCOURT. julgado em 07/02/2007. 3.com | josehenrique@josehenrique. DJ 02/10/2007 p. 94) D(JH):\JOSE HENRIQUE\MY DOCS\NACIONAL\DIREITO\CURSOS\2009\LFG-OAB\1ª FASE\AULAS\PROCESSO CIVIL www. indeferi-la. 6ª Turma Cível. 70.AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS DENUNCIAÇÃO DA LIDE .br | www. mediante requerimento de uma das partes da relação jurídica principal. os honorários advocatícios devem ser fixados nos termos do § 3º do art. Relator JAMES EDUARDO OLIVEIRA. o condômino está obrigado ao seu pagamento. 4ª Turma Cível.NÃO CABIMENTO .MANUTENÇÃO DA DECISÃO RECORRIDA. Sua admissão. sob pena de responder pelo atraso. contudo. e não apenas por questão fática a garantir o resultado da lide. mas não furtar-se ao pagamento.IV. Subsiste. do CPC).twitter. inciso III. PAGAMENTO DEVIDO. Preliminar de nulidade rejeitada.josehenriqueazeredo. caso venha a ser perdedora na ação principal. o exercício do direito de regresso contra o devedor solidário em ação autônoma. 280 do CPC). O chamamento ao processo é espécie de intervenção de terceiros cuja utilização é vedada no procedimento sumário (art. pode valer-se da ação de prestação de contas. com o fim de trazer ao processo o seu garante. 20 do CPC. DJ 26/04/2007 p.(20060020142245AGI. contudo. Recurso improvido. 98) DENUNCIAÇÃO DA LIDE AGRAVO DE INSTRUMENTO .(20040110028144APC. Se duvida da correta aplicação dos recursos. AUSÊNCIA DE NULIDADE. Recurso conhecido e provido parcialmente. julgado em 12/09/2007. COBRANÇA DE TAXAS CONDOMINIAIS.