You are on page 1of 2

A22 – Apocalipse: Uma Mulher vestida do Sol; capítulo 12 Ruy Porto Fernandes O apóstolo João inicia a revelação do capítulo

12 destacando que viu um grande sinal (semeϊon méga) no céu. Muito apropriado, pois esta revelação é deveras surpreendente! Este símbolo tem sido exaustivamente estudado e interpretado de várias maneiras, quase todas corretamente. As corretas, o foram para determinadas épocas e lugares. Contudo, o que chama a atenção neste mega sinal é a Imanência de Deus no Universo. A Sua imanência na própria criação, e na luta entre Deus e Satanás, que tenta impedir esta realização! A Mulher vestida do Sol (Ap 12.1) simboliza o Universo. Tal como Gênesis 3 relata que Eva foi formada da costela Adão, o Universo também teve sua origem em Deus (creatio ex Deus). Criada de Sua própria “carne”, de sua essência e natureza, à sua própria imagem e semelhança. Assim, o universo foi formado a partir de Deus mesmo. A futura esposa de Deus foi sendo plasmada nos próprios sóis deste universo, daí simbolizada como vestida do sol. Nesses locais, os elementos químicos, que constituem a matéria, o corpo de sua mulher e futura mãe, foram formados. Tal como os mamíferos são formados em sua vida intra-uterina. Assim, desde o tempo de sua infância, adolescência, até sua maturidade, a mulher de Deus foi sendo formado com as inumeráveis galáxias que atualmente conhecemos. E a mulher, adornada e coroada com as galáxias, que as estrelas em sua coroa simbolizam (Ap 12.1), chegou à maioridade e Deus a desposou. Na visão, ela está grávida prestes a dar a luz em meio a grandes dores (Ap 12.2) e grandes perigos (Ap 12.4). E seu esposo a assiste (Ap 12.6), e vai ao seu socorro (Ap 12.7ss.). O seu filho macho ainda é um bebê, e Deus, o esposo, e agora pai, salva a ambos (Ap 12.5, 711, 13-16). Assim, seu filho é seguramente arrebatado e salvo, podendo continuar a descendência da mulher, conforme o plano do seu pai. Portanto, como este quadro deve ser interpretado? A mulher sendo o universo, o filho da mulher simboliza a natureza, destacando a humanidade como o governo de Deus. Como foi arrebatado, também representa a primeira ressurreição dos santos judeus (Mt 27.52-53), que já estão habitando com o Senhor Jesus Cristo neste mesmo universo. Também representa os cristãos da primeira ressurreição, que serão “arrebatados” por ocasião da volta do Senhor (Ap 20.6). E, por fim, também representa os sobreviventes da Grande Tribulação, judeus e cristãos, que serão “arrebatados” depois de purificados (Ap 7.9, 14) para darem continuidade à criação de Deus neste universo por mil anos (Ap 20.3). Sua tenra idade, diferentemente de sua mãe que lhe dá origem, simboliza que a criação dos filhos de Deus ainda está em seu início. Falta ainda crescer, amadurecer e se multiplicar! E isto somente se dará após a volta de Cristo, quando entrarmos no período do milênio. Com Satanás derrotado e preso (Ap 20.3), Deus viverá com sua Esposa e seu Filho para sempre. Deus irá nutri-la continuamente, adorná-la e fazê-la extremamente feliz (Ap 21).

Seu filho, depois da maturidade, também se multiplicará. Ou seja, este universo será inteiramente habitado pela descendência de Deus, de Abraão e de Cristo, a partir dos salvos da Grande Tribulação. Niterói, 1º de dezembro de 2010. ruyportofernandes@gmail.com ruyporto@hotmail.com http://ruyporto.blogspot.com/ http://ruyportofernandes.blogspot.com/ http://ruyporto.wordpress.com/