You are on page 1of 10

Aula de cinesiologia – 12.11.

10 (reposição)

*Relembrou os movimentos articulares do quadrante superior (movimentos escápulos umerais e escápulos torácicos) Agora veremos um grupo que não é ligado na escápula: a articulação glenoumeral (articulação do ombro) Deltóide anterior → flexão e adução horizontal Deltóide posterior → extensão e abdução horizontal Redondo menor → rotação externa

Ombro (gleno-umeral) → Flexão/extensão - deltóide anterior/posterior - redondo maior - grande dorsal (rotação interna, adução e extensão do braço) - peitoral maior esternal (faz extensão do ombro, quando o ombro alinha com a esternal, começa a contribuir com a flexão)

→ Adução/abdução - grande dosal (adução) - peitoral maior (as duas porções contribuem para adução) - redondo maior (adução) - deltóide medial (abdução) O supra espinhoso também ajuda na abdução, mas é estabilizador

A intenção é fazer agrupamento da musculatura.peitoral maior → Rotação externa . menor a propensão de desenvolver desequilíbrios Movimentos compensatórios → nado costas x basquete Quem pratica natação tem as costas mais largas A atividade física não causa crescimento longitudinal dos ossos.subescapular (entre a escápula e a superfície costal) .Supra espinhoso . Para haver desequilíbrio é fácil. Na transição tóraco-lombar temos a fáscia tóraco-lombar → Rotação interna . um grupo muscular ou uma estrutura completa. Deve-se fortalecer essa musculatura não só com musculação e ginásticas.redondo maior . ela somente interfere na densidade .grande dorsal .infra espinhoso Os músculos que fazem a rotação interna são mais potentes e os músculos da rotação externa são menores. Homens e mulheres estão sujeitos às mesmas alterações! Devemos estar atentos ao modelo cinésio patológico. quanto maior a variedade de movimentos.Fáscia → tecidos que envolvem um músculo. mas deve-se ter um cuidado com a postura.Redondo menor .

grande dorsal (“asa” do halterofilista) Todos estes músculos são agonistas nos movimentos. a escápula não rodou o suficiente → alguém está segurando) .coracobraquial → Abdução horizontal .deltóide posterior .após: 2:1 – 120° ombro e 60° escápula .peitoral maior .deltóide anterior . Deve haver sinergismo! Restrição de movimentos → rigidez (stiffness).60° flexão / 30° abdução: escápula variável Abdução do ombro: no início é irregular (até 30°) eu preciso ter rotação superior da escápula . Enquanto um estiver fazendo a ação em agonismo.Pode ocorrer expansão torácica. os outros estarão fazendo o antagonismo.ângulo inferior : tem que atingir a linha média axilar (se não atingir temos problemas no ritmo → não estará adequado. enfraquecimento Ritmo escápulo-umeral Abdução – rotação superior . alguma mudança na conformação da articulação → Adução horizontal .

aumentando a lordose ou reduz a rotação externa. temos também a bursa. tenho impacto! Ocorre uma rotação externa do ombro para completar o movimento sem que haja impacto Lordose no Thomas → tem algum músculo que tenha relação com a abdução? Há um músculo fraco se opondo à ele? Há uma tendência (grande dorsal encurtado) → muitas vezes vemos em pessoas que fazem musculação. o grande dorsal rígido. ocorreu uma supinação das mãos CIG melhora a congruência do movimento. A escápula gira par ter reposicionamento do úmero dentro da cavidade glenóide. que forma a cavidade glenóide) . Só com o CIG não dá para fazer o movimento sem impacto A mão do Thomas mudou de posição.acrômio ligeiramente inferior à T1 (acrômio = protusão óssea da escápula. acentuou a lordose Ao fazer a abdução de ombros completa. o ideal é que no fim do movimento.clavícula Exercícios: alongamento x fortalecimento Ex: Thomas não conseguiu encostar o ombro na orelha. teríamos a bursite) Mesmo tendo o CIG. uma palma da mão estivesse voltada para a outra (a cabeça do úmero não é perfeitamente redonda) Se fizer abdução e passar da linha do ombro (90°). Tenho rotação interna (grande dorsal faz esse movimento) e aumento da curvatura lombar . Com ele eu evito a síndrome de impacto (esmagamento dentro da articulação) Supra espinhoso → passa entre o acrômio e a cabeça do úmero (se não tivesse o CIG ele seria esmagado → patologia comum = tendinite. caso não houvesse deslocamento.Ritmo e depressão dos ombros . o ombro não faz abdução completa sem a rotação da escápula.

Ritmo e depressão do ombro Elevado demais → excesso de tensão nos elevadores Baixo demais → estress de alongamento nos elevadores Acrômio deve estar um pouquinho para baixo de T1 Alongamentos “Alongar é bom” Bom para que e bom para quem? Ex: pessoas com dor no ombro Quando alongamos.até 90° / 10° de hiper abdução: sem retração (não deveria ter movimento de retração escapular) . sobrecarga na musculatura! Na escola o alongamento é passado de forma indiscriminada Ritmo escapulo umeral Abdução horizontal – retração da escápula . tenho estress na gleno-umeral . eliminamos os receptores de dor. seria exatamente paralela a ele Como o gradil costal é curvo e as escápulas ficam coladas nele. estas ficam em uma inclinação de 30° em relação ao plano frontal Se a escápula não mexe.após: retração para recolocação da glenóide (essencial para ter amplittude maior de abdução) . As vezes a dor é por excesso de alongamento.inadequação: slide anterior (les capsular) Se a escápula tivesse no plano frontal.

supinador. braqui radial .bíceps braquial. bíceps braquial Punho → Flexão/extensão . braquial.pronador quadrado e redondo . ancôneo (quem malha tríceps “pesado”.extensores do punho e dos dedos → Desvio radial/ulnar .inespecíficos Coluna vertebral → estrutura ósteo articular responsável por: .flexores do punho e dos dedos . geralmente tem inflamação do ancôneo) Rádio ulnar → Pronação/supinação .tríceps.sustentação .Quadrante superior Cotovelo → Flexão/extensão .mobilidade .

ânulo fibroso (60% de colágeno) . pode ser uma rotação ou uma força direta) . por isso faz pouca extensão) 5 lombares (superfície do disco grande) 5 sacrais 3 a 4 coccígeas → corpo → processos transversos e espinhosos → arco neural (onde passa a medula espinhal) → forames intervertebrais (estruturas por onde saem as raízes nervosas) → disco intervertebral . a vértebra quebra antes do disco se romper) Baixa resistência posterior à cisalhamento (é quando aplicamos uma força paralela à secção transversa da estrutura.conexão MMSS e MMII .Ao mesmo tempo que sustenta (estável/rígida) é móvel (flexível) .transmissão de peso aos MMII/pés (em pé) e à tuberosidade isquiática (sentado) .proteção da medula Composição: → Vértebras 7 cervicais 12 torácicas (corpo do processo espinhoso grande.núcleo pulposo (visco elástico) Conecta aos ligamentos longitudinais e corpos vertebrais: limita movimentos! Se ele não fosse conectado as vértebras deslizariam e a coluna se desalinharia Boa resistência à compressão (quando aplicamos forças compressivas na coluna.

Cada lamela tem suas fibras voltadas para uma diagonal. O disco não está sujeito somente ao cisalhamento. a espessura também é menor.intertransversos . conecta as vértebras longitudinalmente. Cada uma inclina de um lado para possibilitar sustentação às torções. tudo o que ele faz é por osmose O disco não se adapta ao treinamento! .longitudinal posterior (dentro do arco neural. as fibras que suportam a tensão são as que se inclinam par aquele lado. suportando menos o cisalhamento Quanto maior a espessura. formando um x. maior a resistência Lamelas discais = estruturas que compõe o disco.interespinhosos A porção com ligamento posterior do disco é menor. somente metade das fibras vai suportar a pressão. tenho grande chances de lesionar Aumento da suscetibilidade de lesão na coluna – parte posterior é mais sensível! Alguns exercícios errôneos: abdominais (flexão máxima da coluna e gira) 30% da carga total está na lombar O disco não tem inervação e nem vascularização.longitudinal anterior (cobre e envolve lateralmente até a porção média do corpo da vértebra – a porção médio anterior é toda coberta) . Em uma torção. mas também à compressão e tração Ex: flexão da coluna O liquido dentro do disco se desloca Se eu faço flexão e rotação. a porção médio posterior fica descoberta) . Quando há cisalhamento.Cisalhamento + flexão → ligamentos .

com o tempo elas se fundem Pergunta feita pela Scheila: • Como é a atividade física para pessoas que já tiveram hérnia? Pode-se fazer o trabalho normal. (pressão no ciático. as vértebras vão começar a compensar os movimentos Os médicos evitam cirurgias na cervical O disco não tem recuperação! Unidade funcional . o disco fica ineficiente para suportar as cargas) Cirurgia: tira o disco e parafusa as vértebras. tomando os devidos cuidados O condicionamento físico é muito importante Quando tira o disco.2 vértebras adjacentes .O problema é na região póstero medial Disco intervertebral: herniação (desnivelamento do tecido) Compressão do canal neural e raízes nervosas Degeneração discal → prolapso → extrusão → seqüestro (o núcleo cai dentro do canal medular ou no forame onde passam as raízes nervosas) Pergunta feita pelo Tales: • E o bico de papagaio? É um osteófito. irradia par a perna inteira. A lombar é ainda mais. um esporão As regiões cervical e lombar são mais propícias.disco intervertebral .

.quando todos os pontos do corpo tem a mesma quantidade de deslocamento no intervalo de tempo) . compressão.movimentos: Flexão/extensão. rotações e translações (deslizamentos. é menos que a cervical ou lombar Para nós as mais interessantes/importantes vão do atlas e axis até a 5ª lombar . tração. deslocamentos laterais .curvaturas Lordoses: cervical e lombar Cifoses: torácica e sacral Função de absorção (mola) Lordose lombar → 30% da carga ADM varia de acordo com os segmentos Cervical vai ter uma ADM. rotação maior do que a torácica Torácica tem dificuldade de extensão. inclinações laterais.