You are on page 1of 10

Práticas e modelos de auto-avaliação em bibliotecas escolares

O Modelo de autoavaliação das bibliotecas escolares: metodologias de operacionalização (parte I)

Formadoras: Isabel Antunes / Maria José Vitorino

Formanda: Maria Celeste Fortunato Custódio
1

1- Selecção do domínio
A escolha para a elaboração do Plano de Avaliação Específico recaiu sobre o domínio B- Leitura e Literacia. Subjacente a esta escolha está a consciência de que este se reveste de uma importância crucial para a Biblioteca, para a Escola e para a Comunidade. E reveste-se de uma grande importância para a Biblioteca porque consideramos que o trabalho desenvolvido neste domínio, pela biblioteca da escola onde sou professora bibliotecária é, ainda, caracterizado por acções pontuais com fraco impacto no crescimento do gosto pela leitura e no desenvolvimento de competências associadas à leitura. Acresce, ainda, dizer que os indicadores constantes deste domínio apontam para o desenvolvimento de competências nos alunos, que são essenciais na actual sociedade da informação. Por fim, entendo que a escolha deste domínio constitui uma das áreas privilegiadas para demonstrar o contributo da biblioteca para a aprendizagem e para o sucesso educativo dos jovens (Texto da sessão, p. 1). Reveste-se, ainda, de uma importância para a Escola e para a Comunidade porque concretiza objectivos nucleares previstos nos documentos estruturantes da vida da escola: Projecto Educativo de Escola; Projecto Curricular de Escola e Regulamento Interno. A este propósito, cito o que consta do Regulamento Interno da Escola Secundária Raul Proença (secção II, artigo 54º): A biblioteca é uma unidade orgânica que desempenha um papel fundamental nos domínios da leitura, da literacia . 2 ± Análise dos indicadores Domínio/sub-domínio B- Leitura e Literacia B.1 (inputs) Processos B.2 (inputs) Impactos B.3 (outcomes) Tipo de Indicadores Indicador Processos Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na Escola/agrupamento Trabalho articulado da BE com departamentos e docentes e com o exterior, no âmbito da leitura. Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e das literacias

Uma análise atenta dos indicadores do domínio B, evidencia a interdependência existente entre eles. O primeiro e o segundo afiguram-se como indicadores de inputs (recursos) e de processos (serviços), pois centra-se no trabalho desenvolvido pela BE ao serviço da promoção da leitura na Escola e no trabalho desenvolvido em articulação com os Departamentos/Professores ou com o exterior. Já o terceiro surge como um indicador de outcomes, ou seja, centra-se no impacto do desempenho da BE, mais concretamente pretende avaliar a qualidade e o
2

impacto das acções desenvolvidas nos dois indicadores anteriores. Ou seja, é através do último indicador (B3) que se avalia se as acções desenvolvidas (em B.1 e B.2) têm o impacto desejado. Se atendermos ao facto de que, o modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares procurou orientar-se sobretudo segundo uma filosofia de avaliação baseada em outcomes e de natureza essencialmente qualitativa (texto da sessão, p. 2), este indicador é, por excelência, aquele que nos vai permitir demonstrar a contribuição da BE para o ensino- aprendizagem e para a concretização da missão/objectivos da Escola 3- Plano de Avaliação 3.1- Cronograma Período avaliação de Ano lectivo de 2010-2011

Etapas

Acções a desenvolver 
Fazer uma avaliação diagnóstica da situação da BE.  Sensibilizar os órgãos de administração e gestão para a pertinência da aplicação do MAABE.  Elaboração do Plano de Avaliação.  Seleccionar o domínio a avaliar.  Definir: métodos e os instrumentos a utilizar; intervenientes; calendarização; recolha e tratamento dos dados «  Aplicar os instrumentos correspondentes ao domínio seleccionado.  Tratar os dados.  Sistematizar os dados estatísticos fornecidos pela base de dados dos utilizadores.  Fazer o levantamento das actividades desenvolvidas em torno da leitura e literacia.  Concluir a recolha de evidências.  Reflectir sobre os dados recolhidos  Posicionar a BE no perfil de desempenho atingido ± preencher documento/relatório  Elaborar o relatório final, com indicação de pontos fortes/pontos fracos e acções de melhoria  Divulgar junto do Director e do Conselho Pedagógico.

1º Período

2º Período

3º Período

3

3.2- Identificar o Problema Pretende-se aferir o impacto das acções desenvolvidas por iniciativa da BE ou resultantes do trabalho colaborativo com os professores. Dito de outro modo, determinar o contributo das acções da biblioteca para o desenvolvimento de competências no âmbito da leitura/literacia junto das turmas/alunos.

3.3-Planificação da recolha e tratamento dos dados Indicadores B.1Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na Escola/agrupamento Factores críticos de sucesso A biblioteca escolar« - Disponibiliza uma colecção variada e adequada aos gostos, interesses e necessidades dos utilizadores Identifica novos públicos e adequa a colecção às práticas e às necessidades desses públicos. Identifica problemáticas neste domínio e delineia acções e programas que melhorem as situações identificadas. -Promove acções Actividades a realizar Instrumentos de recolha de evidências Intervenientes

Avaliar a colecção (lacunas - Questionários aos alunos e professores. Equipa da BE ao nível curricular, actualização e diversificação - Estatísticas de requisição, circulação e dos títulos) uso de recursos relacionados com a Coordenadores leitura. de disciplina - Estatísticas de utilização da BE para actividades de leitura. -Estatísticas do empréstimo domiciliário. -Estatística de utilização informal da BE. -Registo de actividades/projectos. Actividades de promoção da leitura/escrita: -hora do conto; Professores Português de

4

formativas que ajudem a desenvolver competências na área da leitura. -Incentiva o empréstimo domiciliário.

-maratona de leitura; - partilha de leituras; -Autor do Mês. - Actividades de Leitura em
articulação com a Escola EB1 do Bairro dos Arneiros;

Alunos do 3º ciclo /secundário Núcleo da Imagem e da Palavra Coordenadora do PNL

-Actividades associadas ao dia Mundial da Poesia e do livro (distribuição em cada sala de um
poema acompanhado do convite aos professores para leitura à turma, leitura de poesia para os seniores da cidade em articulação com a biblioteca municipal)

Alunos Professores

- Acompanha as linhas de orientação e actividades propostas pelo PNL e desenvolve as acções implicadas na sua implementação. -Participação no Concurso - Incentiva a leitura Nacional de Leitura informativa, articulando com os departamentos no desenvolvimento de actividades de ensinoaprendizagem ou em

Acções a desenvolver no âmbito do PNL: -disponibilização de livros para leitura orientada em sala de aula aos professores de Língua Portuguesa

Turmas/grupos de alunos

5

projectos e acções que incentivem a leitura. - Desenvolve, de forma sistemática, actividades no âmbito da promoção da leitura. - Promove encontros com escritores e/ ou outros eventos que aproximem os alunos dos livros. - Incentiva a leitura em ambientes digitais explorando as possibilidades facultadas pela WEB 2.0. - Organiza e difunde recursos documentais que garantam a transversalidade e o desenvolvimento de competências associadas à leitura. - Apoia os alunos nas suas escolhas e conhece/divulga as novidades literárias/divulgação que melhor se adequam aos seus gostos.

Encontros com escritores e outros eventos que incentivem o gosto de ler (ateliê de escrita com o escritor Luís Costa Pires) Feira do Livro e realização de outras actividades associadas: - Dramatização de excertos de obras; - Exposição de pintura; - Concurso de fotografia ³o Olhar das palavras´. Professores e alunos do Núcleo de Teatro

Leitura em suportes diversificados e com diversos fins: lúdicos, informativos e curriculares

-Divulgação das novas aquisições (elaboração de sinopses dos livros) através do boletim da biblioteca e da TV Raul .

6

B.2Trabalho articulado da BE com departamentos e docentes e com o exterior, no âmbito da leitura.

A biblioteca escolar« - Promove a leitura e a literacia em articulação com o previsto no Projecto Educativo e Curricular da Escola. - Favorece a existência de ambientes de leitura ricos e diversificados, fornecendo livros e outros recursos às salas de aula ou outros espaços de lazer ou de trabalho e aprendizagem. - Promove a discussão conjunta sobre a importância da leitura na formação pessoal e no sucesso educativo. - Realiza a articulação da leitura com os diferentes domínios curriculares, com departamentos e docentes e com outras instituições. - Articula actividades

- Promover o trabalho articulado com os departamentos/docentes na elaboração de projectos relacionados com a leitura e a escrita: Projectos LER+ para CONHECER, CRESCER e SER e Projecto FILIBE (Formação Integrada em literacia da Informação através da Biblioteca Escolar).

- Documentos oficiais da Escola. - Plano anual de actividades da Biblioteca. - Actas: Conselho Pedagógico/Departamentos/Coordenação dos directores de Turma/Conselhos de Turma/ Equipa da BE. - Projectos Curriculares de Turma. - Registos de reuniões com docentes do PNL e do projecto FILIBE.

Equipa da BE Professores e alunos do 7º ano, Área de Projecto

Professores (envolvidos nos projectos)

- Organização uma palestra sobre a importância da leitura na aprendizagem e sucesso - Relatórios de actividades. educativo dos alunos. - Materiais de apoio produzidos. - Blog da Biblioteca. - TV Raul.

Departamentos Conselhos de Turma

Turmas/Grupo de alunos

7

com os docentes/sala de aula no âmbito do PNL. - Difunde informação sobre livros e autores, organiza guiões de leitura, bibliografias e outros materiais de apoio relacionados com matérias de interesse curricular ou formativo. - Colabora com os docentes na construção de estratégias e em actividades que melhorem as competências dos alunos ao nível da leitura e da literacia. - Participa na criação de instrumentos de apoio a actividades de leitura e de escrita, e na produção de informação em diferentes ambientes: boletins, blogs, webquests e outros. - Envolve a família em projectos/actividades na área da leitura.

Criação de uma comunidade de leitores entre os encarregados de educação do alunos envolvidos no Projecto FILIBE

8

B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e das literacias

Os alunos «.. - Usam o livro e a BE para ler de forma recreativa, para se informar ou para realizar trabalhos escolares. - Mostram progressos nas competências de leitura, lendo mais e com maior profundidade. - Desenvolvem trabalhos onde interagem com equipamentos e ambientes informacionais variados, manifestando progressos nas suas competências no âmbito da leitura e da literacia. -Participam activamente em diferentes actividades associadas à promoção da leitura: hora da leitura, boletins, maratona de leitura e outros Questionários aos alunos e professores; - Estatísticas de utilização da BE para actividades de leitura - Estatísticas de requisição domiciliária - Estatística de utilização da BE -Grelhas verificação - Fichas de avaliação das actividades realizadas. de observação/listas de

Equipa da BE Professores (envolvidos nos projectos) Turmas/Grupo de alunos

9

3.4- Analisar as Evidências Tendo em conta que as evidências revelam o trabalho realizado, as actividades desenvolvidas, os resultados e o impacto alcançados (MAABE, p. 62) é importante, ao longo do ano lectivo, recolher diferentes tipos de evidências. Os elementos recolhidos serão depois sujeitos a uma análise e apreciação, orientados para uma confrontação dos dados obtidos com os factores críticos de sucesso e com os perfis de desempenho (MAABE, p. 68).

3.5- Elaborar o relatório final e comunicar resultados No final do ano lectivo, a elaboração do relatório é parte integrante e essencial do processo de planeamento e de auto-avaliação (MAABE, p. 71). O relatório é um instrumento de: - Descrição e análise dos resultados da avaliação; -Relação com os standards de desempenho. - Identificação dos pontos forte e dos pontos fracos. - Definição das acções de melhoria a ter em conta no plano futuro. Segue-se a comunicação dos resultados do processo de auto-avaliação à escola: equipa da biblioteca, órgãos de administração e gestão e às restantes estruturas de coordenação educativa e de supervisão pedagógica. Esta etapa é de crucial importância porque os resultados alcançados dizem respeito a toda a escola, devendo por isso ter uma ampla divulgação através dos suportes habituais de divulgação utilizados pela biblioteca.

10