You are on page 1of 9

Rendimento de matéria seca e de óleo essencial de Baccharis trimera com adubação química e orgânica1

Dry matter yield and essential oil of Baccharis trimera with mineral and organic fertilization Antonio Sergio do Amaral2, Lauri Lourenço Radünz2, Altemir José Mossi2, Anderson Santi3, Nádia Magali Farina Fiabane da Rosa4, Francisco Feiten5
Recebido em 20/05/2009; aprovado em 19/02/2010.

RESUMO Um dos principais problemas relacionados com a fertilidade do solo para as plantas medicinais e aromáticas é que só existem recomendações oficiais de calagem e adubação para poucas espécies. Isto é consequência direta do baixo número de trabalhos de pesquisa desenvolvidos nesta área. Assim, pouco se sabe a respeito do tipo ideal de solo, da resposta à adubação e calagem e dos efeitos dos nutrientes na concentração de compostos biologicamente ativos dessas culturas. Este trabalho objetivou avaliar o efeito de diferentes doses de NPK de fontes químicas (uréia, super triplo e cloreto de potássio) e de cama de aviário sobre a produção de matéria verde e seca, a concentração de nutrientes e o teor de óleo essencial na parte aérea da espécie Baccharis trimera (carqueja). O experimento foi realizado a campo, num Latossolo Vermelho Aluminoférrico típico, com os seguintes tratamentos: T1 (Testemunha); T2 (100 kg ha-1 da fórmula 10-30-15); T3 (150 kg ha-1 da fórmula 10-30-15); T4 (200 kg ha-1 da fórmula 10-30-15); T5 (250 kg ha-1 da fórmula 10-30-15); T6 (5 t ha-1 de cama de aviário); T7 (10 t ha-1 de cama de aviário) e T8 (15 t ha-1 de cama de aviário). O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso com três repetições. Os rendimentos médios de matéria seca e de óleo essencial foram de 10,3 t ha-1 e 134,5 L ha-1, respectivamente. Tais produtividades podem ser consideradas altas. Contudo, não foram diferentes
1 2

estatisticamente, em relação aos tratamentos utilizados. Os resultados do trabalho indicam que em solos previamente corrigidos, cultivados anteriormente com outras culturas e com teor médio de matéria orgânica, a Bacharis trimera poderá ser conduzida aproveitando os nutrientes residuais já disponíveis no solo, pelo menos para o primeiro corte. O acúmulo de macro e micronutrientes na parte aérea foi independente das fontes de adubação e das doses utilizadas. O rendimento de óleo foi independente dos teores de nutrientes na parte aérea da cultura. Os resultados obtidos permitiram concluir que não houve resposta da carqueja a adubação química e orgânica. PALAVRAS-CHAVE: plantas medicinais, carqueja, fertilizantes, produção. SUMMARY One of the main problems related to soil fertility for medicinal and aromatical plants is that official recommendations of liming and fertilization are only available for few species. This is a direct consequence of the scarce research performed in this area. Therefore, little is known regarding to the ideal soil type, the response to fertilization and liming and the effect of nutrients in the biologically active composite concentration of these species. This work was carried out aiming to evaluate the effect of different rates of NPK (10-30-15) and poultry manure on green and

Trabalho desenvolvido com recursos da FAPERGS. Edital 001/2005 - PROCOREDES. Professor do Departamento de Ciências Agrárias - Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões-URICampus de Erechim. Av. 7 de Setembro, 1621 - Erechim/RS - CEP 99.700-000. Autor para correspondência.E-mail: asamaral@uricer.edu.br . 3 Pesquisador da EMBRAPA - CNPT . E-mail: andersonsanti@embrapa.gov.br 4 Extensionista EMATER - Municipal - Erechim - RS. E-mail: emerechim@emater.tche.br. 5 Bolsista, Acadêmico do curso de Engenharia Agrícola. E-mail: franciscofeiten@gmail.com.

20 Revista de Ciências Agroveterinárias. Lages, v.9, n.1, p. 20-28, 2010

ISSN 1676-9732

INTRODUÇÃO A carqueja (Baccharis trimera (less. pouco se sabe a respeito do tipo ideal de solo. essas plantas devem responder positivamente a um adequado programa de produção. T7 (10 t ha-1 of poultry manure) and T8 (15 t ha-1 of poultry manure). KEY WORDS: medicinal plants. ereto.3 t ha-1 and 134. The oil yield was independent of the shoot nutrient content. n.9. proporcionam a formação de plantas mais vigorosas. Portanto.5 L ha-1 respectively. lucratividade e proteção ambiental. Como a grande maioria das culturas. Seu emprego é principalmente para amenizar problemas hepáticos (remove obstruções da vesícula e fígado) e contra disfunções estomacais e intestinais (PAVAN. Zn and B) and shoot essential oil content of Baccharis trimera. O crescimento vigoroso das plantas. um dos principais problemas relacionados com a fertilidade do solo para as plantas medicinais e aromáticas é que existem recomendações oficiais de calagem e adubação para poucas espécies. T3 (150 kg ha-1 of mixture 10-30-15). The following treatments were tested: T1 (control . Such productivities are considered high. associado a outras práticas culturais deverá promover result ados. provavelmente. Baccharis trimera can be produced without fertilization. sadias e produtivas. The average dry matter and essential oil yields were 10. ramificado na base. baseando-se em análises químicas do solo e de tecidos das plantas. 2000). The shoot accumulation of macro and micronutrients did not depend on the source and rate of fertilization. da resposta à adubação e calagem e dos efeitos dos nutrientes na concentração de compostos biologicamente ativos dessas culturas (POCÁ. 2000). diabetes. comparada com o número de espécies existentes. T4 (200 kg ha-1 of mixture 10-30-15). T2 (100 kg ha-1 of mixture 10-30-15). 2002). canfene e e -pirene (MELLO e PETROVICK. A respeito da adubação orgânica. Nonetheless.) é um subarbusto perene.) DC. Mg. envolvendo manejo correto do solo e das próprias espécies. with three repetitions. Níveis adequados de fertilidade do solo. Assim. O óleo essencial é constituído principalmente de carquejol. deverão garantir maior sustentabilidade à agricultura. nativa do sul e sudeste do Brasil. a industrialização e a comercialização.. especialmente se for criada uma cadeia produtiva. de 50-80 cm de altura. P. Baccharis trimera. As plantas medicinais. 2005).Amaral et al. 21 Revista de Ciências Agroveterinárias. Apesar do grande interesse por essa cultura. principalmente nos campos de altitude. The field work was carried out in a Rhodic Hapludox. de caule e ramos verdes com expansões trialadas. de fósforo (P) e nitrogênio (N) nos estágios iniciais de crescimento é especialmente importante para formação rápida da cobertura vegetal. N. Lages. a disponibilidade. à medida que deixarem de ser exploradas empiricamente ou de forma apenas extrativista. nutrient concentration (Ca. fertilization. yield. dry matter production. Cu. Our results demonstrate that Baccharis trimera did not respond to mineral and organic fertilization. T5 (250 kg ha-1 of mixture 10-30-15). using the available residual nutrients in the soil. para a maioria das culturas. De modo geral. As folhas estão dispostas ao longo do caule e ramos como expansões aladas e a inflorescência é do tipo capítulo (LORENZI e MATOS. there were no statistically differences among treatments. v. pelo menos metade do nitrogênio presente em adubos orgânicos de origem animal já se encontra na forma mineral e. aumenta a infiltração de água e a sua eficiência de uso e. etc. T6 (5 t ha-1 of poultry manure). malária. A randomized complete block design was used.1. carquejil acetato. como boa produtividade. sua exploração é ainda basicamente extrativista. (ALMEIDA. at least for the first cut. também. Entretanto. 1952).no fertilization). Isto. englobando a produção. 1993). ajuda a controlar a erosão do solo. 1993) e até como substituta do lúpulo na fabricação de cerveja e na aromatização de refrigerantes e licores (CASTRO e FERREIRA. K. aumenta a produtividade (CALEGARI et al. tanto da parte aérea como das raízes. diarréias. um adequado suprimento de nutrientes. previously grown with other crops and presenting average organic matter content. 2010 . Algumas publicações populares a recomendam ainda para tratamento de úlcera. é consequência direta da ausência ou de pouco número de experimentos desenvolvidos nesta área até o presente momento. além de propiciarem melhores rendimentos. This indicates that in limed soils.

não existe. Campus de Erechim. 29 g kg-1 e 19 g kg-1. O objetivo do trabalho foi avaliar o efeito de diferentes doses de uma fórmula NPK (10-30-15) e de cama de aviário sobre a produção de matéria verde e seca. T4 = 200 kg ha-1 da fórmula 10-30-15. A obtenção das mudas de carqueja foi através de estaquia. As determinações seguiram a metodologia descrita por Tedesco et al. cálcio trocável (KCl 1 M) = 7. Logo após.5 cm x 13. não houve necessidade de aplicação de calcário para correção de acidez. determinados conforme metodologia descrita por Tedesco et al. imediatamente. demarcação das parcelas e aplicação dos tratamentos foram realizadas seqüencialmente.1.4 cmolc dm-3. plantadas em tubetes rígidos pequenos (3. foram: 13 g kg-1.0 cmolc dm-3. até o pleno estabelecimento das mudas. O volume utilizado de substrato em cada tubete foi 120 cm3. Tais características foram: pH (H2O) = 5. O substrato foi mantido junto às mudas no momento do transplante. O solo do local é um Latossolo Vermelho Aluminoférrico típico. sobre a concentração de nutrientes e sobre o teor de óleo essencial na parte aérea da espécie Baccharis trimera. n. escolhendose os melhores exemplares. MATERIAL E MÉTODOS O experimento foi conduzido na área experimental da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI). 2003). T2 = 100 kg ha-1 da fórmula 10-30-15.4 cmolc dm-3 e saturação da CTC por bases de 75%. Logo após. (1995). controle de plantas concorrentes por meio de capinas manuais e controle de formigas. v.30 m entre plantas. Logo após a escolha do local do experimento. sendo irrigadas quando necessário. Estacas de 20 cm de comprimento foram coletadas diretamente do habitat natural. Assim. as mudas foram transplantadas para as parcelas do experimento no espaçamento de 0.3 mg dm-3. contendo como substrato uma mistura de 10% de vermiculita. respectivamente para N. índice SMP = 6. pois essa não tem "identidade" para as plantas. na profundidade de 0-20 cm com o objetivo de caracterizar quimicamente o solo. aveia preta e ervilhaca) no sistema plantio direto há três anos. 1991). matéria orgânica (combustão úmida) = 37 g kg-1. Lages. (1995). Os adubos foram aplicados a lanço e incorporados ao solo. 2008). 1991. P e K correspondentes à fórmula 10-30-15. T7 = 10 t ha-1 de cama de aviário e T8 = 15 t ha-1 de cama de aviário.9. respectivamente.0. Como consequência. as estacas receberam hormônio de enraizamento (auxina) e. magnésio trocável (KCl 1 M) = 4. Sob o ponto de vista da absorção de nutrientes pelas raízes das plantas. Foram realizados todos os tratos culturais necessários para a condução da cultura como: irrigação.7. ERNANI. As etapas de preparo do solo (com enxada rotativa). composta por seis subamostras. seca à sombra e peneirada. T6 = 5 t ha-1 de cama de aviário. tem o mesmo comportamento do nitrogênio oriundo dos fertilizantes minerais (ERNANI. As estacas permaneceram em área com sombrite por aproximadamente dois meses. Os tratamentos aplicados foram: T1 = Testemunha. a princípio. Revista de Ciências Agroveterinárias. 2010 . os fertilizantes orgânicos e os inorgânicos podem ser utilizados juntos para alcançar a produtividade máxima econômica. Conforme os resultados. que vinha sendo cultivado com culturas anuais (milho. se a fonte original é orgânica ou inorgânica. T5 = 250 kg ha-1 da fórmula 10-30-15. soja. super triplo e cloreto de potássio.Amaral et al. onde utiliza-se o extrato de digestão da amostra obtido com H2O2 + H2SO4 concentrados. seco à sombra e peneirado e 5% de cama de aviário. potássio disponível (Mehlich-1) = 400 mg dm-3. Os teores de N e os equivalentes a P2O5 e K2O encontrados na cama de aviário utilizada. As fontes dos nutrientes para adubação química foram: uréia. T3 = 150 kg ha-1 da fórmula 10-30-15. alumínio trocável (KCl 1 M) = 0.50 m entre filas por 0. 85% de solo coletado em área de mata. H+Al = 4.8 cmolc dm-3. A textura do solo correspondeu a muito 22 argilosa com 615 g kg-1 de argila (método do densímetro). diferença entre os adubos químicos ou orgânicos porque as plantas só os absorvem na forma mineral e a partir da solução do solo (RAIJ. coletou-se uma amostra de solo.5 cm). fósforo disponível (Mehlich-1) = 4. por isso. pouco difere. tendo os devidos cuidados em relação a contaminação do meio ambiente (RAIJ.

sendo uma importante medida tanto econômica quanto para a redução de risco de contaminação ambiental.2004). utilizando-se aproximadamente 25 g de amostra fresca. sendo quantificado no próprio aparelho (m/ v). indicando que em solos previamente corrigidos. aproximadamente. assim como a época de plantio. equivalente a 134. Para determinação da composição química da parte aérea foi utilizada a metodologia descrita em Tedesco et al. K. Para o cálculo do teor de óleo essencial. A temperatura de extração foi mantida em torno de 100°C. Zn. as diferenças do rendimento médio por planta devem-se principalmente pelos nutrientes disponíveis do solo.. 2000).Amaral et al. valor classificado como teor médio (COMISSÃO. Tal valor é superior aos encontrados na literatura. sendo retiradas subamostras para a determinação da umidade. a maior produtividade no presente trabalho pode ser atribuída a densidade. O teor de água foi determinado conforme a metodologia recomendada pela ASAE Standards (ASAE. (1996). trinta dias após o transplante foi realizado um corte com o objetivo de uniformizar a altura das plantas. Os resultados também indicam baixa exigência de fósforo (P) pela espécie. Transcorridos. (2004). (1995) que possibilita determinar N. Mn e Fe a digestão das amostras foi realizada com HNO 3 e HClO 4. Após.3 mL 100 g-1 de planta seca. Embora saiba-se que a carqueja tolera vários cortes durante o seu ciclo. Para a determinação de S. uma vez que o solo do tratamento testemunha apresentava um teor de apenas 4. Os dados obtidos foram submetidos à análise da variância. considerou-se apenas os dados de um corte. durante 24 horas.. cujas parcelas apresentavam área de 5. Biasi et al. O óleo extraído foi armazenado em frascos de vidro âmbar e refrigerado a 0oC para posterior análises. (1994) e Pocá (2005) encontraram valores médios entre 62 a 145 g por planta e produtividades variando de 1. as amostras foram levadas para secar à sombra. 1995). A colheita foi realizada aos 10 meses após o plantio. Utilizaram-se 100 gramas de matéria fresca para três litros de água destilada. A produção média de óleo essencial de carqueja foi de 1. também seguindo-se a metodologia descrita em Tedesco et al.000 plantas ha-1. observa-se que a produção de óleo essencial não apresentou diferenças significativas entre os tratamentos utilizados. Ca e Mg com uma única digestão por H2O2 + H2SO4 concentrados.. possibilitando o cultivo de 62. com posterior aplicação do teste de médias Tukey (P<0. a carqueja poderá ser conduzida aproveitando os nutrientes residuais já disponíveis no solo. n. 2010 . Correa Júnior et al. cortando-se a 10 cm a partir da superfície do solo.3 -1 t ha (Tabela 1). O delineamento experimental empregado foi o de blocos ao acaso. RESULTADOS E DISCUSSÃO Rendimento de matéria seca e de óleo essencial Conforme os resultados apresentados na Tabela 1. De acordo com os resultados apresentados na Tabela 2.6 a 3. O óleo essencial foi obtido por hidrodestilação em aparelho Clevenger segundo metodologia proposta por Skrubis (1982) e Ming et al. (1995). até atingir volume constante de óleo. As determinações específicas para cada elemento foram feitas a partir de alíquotas obtidas após a digestão. mantendo-se o material em estufa com circulação forçada do ar a temperatura de 103±2ºC.9 t ha-1..5 L ha-1.3% é menor do que o obtido por Pocá (2005) que 23 Revista de Ciências Agroveterinárias. P.05). com três repetições.3 mg dm-3. Davies (1999). Portanto. pois objetivou-se o plantio comercial. com 3 subamostras. Lages. com posterior determinação colorimétrica (TEDESCO et al. pode-se observar que as produções de matéria verde e seca não apresentaram diferença estatística entre os tratamentos utilizados. às condições climáticas da região. a extração foi realizada por queima em mufla. v. sob sistema plantio direto e com teor médio de matéria orgânica. perdendo o mínimo possível de área.1. O rendimento de 1. As amostras foram pesadas imediatamente para obtenção da massa úmida.9. cultivados anteriormente com culturas anuais. quando as plantas se encontravam em plena floração. Cu. enquanto que as diferenças nas produtividades devem-se exclusivamente a densidade de plantas por área. No caso do Boro. para o presente trabalho. foram feitas extrações em triplicata. Foram colhidas as 12 plantas da área útil de cada parcela.25m2. O rendimento médio de matéria seca foi de 10. Segundo os mesmos autores.

893.9 10..3 33.963.506.155. Lages..7 9.3% (Tabela 3).1.986.151.3 33. Testemunha 100 kg ha-1 NPK* 150 kg ha-1 NPK* 200 kg ha-1 NPK* 250 kg ha-1 NPK* 5 t ha -1 cama aviário 10 t ha -1 cama aviário 15 t ha -1 cama aviário Média C.00 67. 2004). entretanto superior aos valores obtidos por Siqueira et al.9 11.3 32.668.188.9. v. Segundo Ernani (2003). Pocá (2005). 70.. seca e teor de água da parte aérea de carqueja.Estimativas de rendimento de matéria verde.3 13.289. a capacidade da cama de aves de liberar nutrientes para o solo não depende muito da taxa de mineralização.V. todo o potássio presente na cama tem o mesmo comportamento no solo do potássio proveniente dos fertilizantes minerais porque esse nutriente não faz parte de nenhum composto orgânico estável e..74 67.. O mesmo acontece com o nitrogênio e o fósforo. encontrou valores superiores..3 10. (2003) e Bona (2002) que foi de aproximadamente 1. se torna disponível às plantas imediatamente após ser adicionado ao solo.6 a 1.kg ha-1….8 % num experimento com carqueja realizado em solo com 7. (1991) que encontraram 1%.3% e Sousa et al. sem considerar as possíveis perdas e admitindo-se uma eficiência de liberação de N de 0. O teor de nitrogênio (N) na parte aérea variou de 1. tomando-se por base o tratamento com a maior dose de cama de aviário ter-se-ia uma disponibilidade de 97.9 10. 2010 .0ns 10.0ns 33.428.83 70.8% de matéria orgânica.6%.32 69....5 …….39% ficando em média na ordem de 1. Concentração de nutrientes na parte aérea As análises de variância do teor de macro e micronutrientes da parte aérea da cultura não revelaram diferenças significativas..09 67. Segundo Pocá (2005).3 9. 2008).. *NPK na proporção de 10-30-15 respectivamente.48ns 69. independentemente da fonte. Tabela 1 ..….3 34. variando de 1.. por isso.635. n.11 12.277.9 Não significativo pelo teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade de erro.208. os valores encontrados são altos. também não encontrando respostas da 24 planta aos adubos químicos e orgânicos.221. bem como o rendimento obtido por Simionato et al.7 34. (1985) que obtiveram 0. Tratamento Matéria Verde Matéria Seca Teor de água ………. pois mais de 60% das quantidades desses dois nutrientes existentes Revista de Ciências Agroveterinárias.. Nas Tabelas 3 e 4 são apresentados os resultados das médias de tratamentos. relacionando-os diretamente ao alto teor de matéria orgânica do solo.Amaral et al.5%..188.7 32.5 10. embora saiba-se que outros fatores fisiológicos e ambientais devam ser considerados para tal afirmação (ERNANI.5 kg de N ha-1. Mesmo sendo um adubo orgânico.00 69. o nível anterior de fertilidade do solo não permitiu respostas das plantas à adição de nutrientes. foi de 1.. Possivelmente.06 2..196.383.6 10.%………... No presente trabalho.00 71.20 a 1. tais resultados demonstram que não houve influência dos tratamentos aplicados.5 no primeiro ano (COMISSÃO.3 33..031. (%) ns 31..

.16 0. Ca.3 19.Amaral et al.14 0.20 0.25 0.1 1.5 ns 1... v. Tabela 3 .....61 0. considerando a densidade de 62...19 0......1 1. K..16 0. Lages...1 0......16 11..3 134.37 1.Rendimento médio de óleo essencial em mL 100 g-1 de matéria seca e estimativa em litros por hectare de carqueja...33 1...60 0.22 0...V (%) ns Óleo Essencial L ha-1 138.58 0..27 1. Tratamento mL 100 g -1 Testemunha 100 kg ha..2 143..3 1.18 0. Testemunha 100 kg ha-1 NPK* 150 kg ha-1 NPK* 200 kg ha-1 NPK* 250 kg ha-1 NPK* 5 t ha-1 cama aviário 10 t ha-1 cama aviário 15 t ha-1 cama aviário Média C.4 1.54ns 0. * NPK na proporção de 10-30-15 respectivamente...V..18 0.90 1..22 0...7 1.20 0..16 0...0 ns 126...1..1 124.2 1..29 7..15 0..83 1..59 0. (%) ns 1.59 0...19 7.20ns 0.0 145..27 1..27 1..59 9.23 0.1 NPK* 150 kg ha.6 122..5 19...07 1.1 NPK* 200 kg ha NPK* 250 kg ha NPK* 5 t ha-1 cama aviário 10 t ha ca ma aviário 15 t ha ca ma aviário Média C.23 9..27ns 1.87 9.0 113.23 0. Tabela 2 ..83 1.. n.19ns 0.6 1..8 163..%.. P..77 1..93 2.. Tratamento N P K Ca Mg S ..16ns 0..3 0.33 1.Concentração de macronutrientes (N.9 0...2 Não significativo pelo teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade de erro..4 1.59 0.17 0.9.25 0...87 1. 2010 25 .20 1.. Mg e S) na parte aérea de carqueja (média de 3 repetições)..... * NPK na proporção de 10-30-15 respectivamente...24 0.55 0..77ns 1..000 plantas.17 0.2 -1 -1 -1 -1 Não significativo pelo teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade de erro.4 0.20 0. Revista de Ciências Agroveterinárias.16 0..3 1.

00 34.V.33 466.38% em espinheira santa.56% para carqueja..00ns 580. v...00 226.. ficando na ordem de 0..9.Concentração de micronutrientes (Cu... assim como da menta cultivada em solução nutritiva.. Testemunha 100 kg ha-1 NPK* 150 kg ha-1 NPK* 200 kg ha-1 NPK* 250 kg ha-1 NPK* 5 t ha-1 cama aviário 10 t ha-1 cama aviário 15 t ha-1 cama aviário Média C.67ns 10..00 33. magnésio e enxofre (0.33 32. 26 Revista de Ciências Agroveterinárias.2 173. na cama de aves também se encontram na forma mineral e. inferiores à quantidades presentes no mastruço (3. n..00 9.33 37. Fossati (1997) e Radomski (1998) trabalhando com outras culturas encontraram valores relativamente superiores de cálcio e magnésio.. mas foram superiores em relação à média determinada em erva-mate (1.33 566..5 494.00 248... (2002).96 16. Fe. Tal valor também é semelhante ao de algumas espécies de essências florestais como araucária.33 13....50..17 24.. valores semelhantes aos encontrados por Pocá (2005) e aos contidos na erva-mate (FOSSATI.67 34.33 10.. portanto.00 237. Tratamento Cu Zn Fe Mn B .67 565..33 10....00 535.00 10...33 578.7%) determinadas por Almeida et al....1 Não significativo pelo teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade de erro.. Lages.7 33.mg kg-1.00 32..87%) mostraram-se inferiores em relação ao trabalho de Pocá (2005) que encontrou valores entre 2. respectivamente.. não precisam ser decompostas pelos microrganismos para se tornarem disponíveis às plantas.33ns 35..67 37. Os teores médios dos micronutrientes boro.1..33 225..... onde o teor médio foi de 0.19%) são semelhantes aos encontrados por Pocá (2005) em carqueja...14% (MAIA...8 32.00 9..67 31..33 46. 1998).34 541.23 e 0.. pinus e eucalipto (MALAVOLTA et al.16%) foi semelhante ao encontrado por Pocá (2005). Tabela 4 .... (%) ns 9.4%)...99 e 0.Amaral et al.33 37.05%) por Fossati (1997) e de espinheira santa (1. Já o teor de fósforo na espinheira santa (RADOMSKI..67 34..79 16..00 32. 1998) é superior.00 199...67ns 298..00ns 35..23 a 2.67 9. Mn e B) na parte aérea de carqueja (média de 3 repetições). por Radomski (1998)..27%. Os teores médios de cálcio.67 33. 1997).00 31..83% em erva-mate e 0.. cobre e zinco foram semelhantes aos encontrados por Pocá (2005) trabalhando com carqueja e segundo este autor são teores similares aos encontrados na espinheira santa e erva-mate. 0. Os teores de ferro variaram de 173 a 298 mg kg-1..67 540. Zn..00 187. * NPK na proporção de 10-30-15 respectivamente. 2010 ... 0.67 224.17 8... O teor de fósforo (média de 0.00 34.96%) e em hortelã (2.92 e 0... As concentrações de potássio (média de 1.

A. Aspectos gerais da adubação verde. CONCLUSÕES Não houve resposta da carqueja aos tratamentos testados em termos de produção de biomassa verde e seca.7. Manual de adubação e de calagem para os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.. indicando que é uma planta altamente extratora de manganês. M. C.22. 3... Entretanto. dependendo da parte da planta e da espécie. O que está de acordo com Grubb et al. MONDARDO. A. Rio de Janeiro: AS-PTA... R. ALMEIDA. B. Contribuição ao estudo das plantas medicinais CARQUEJA (Baccharis genistelloides). 2000. A. 2002. n. ASAE Standards.) Adubação verde no sul do Brasil. quando o cultivo ocorrer em solo argiloso e apresentar pH 5. (Coord. Plantas medicinais brasileiras. 400p. 2004.1. AGRADECIMENTOS Os autores agradecem a FAPERGS pelo auxílio financeiro via Edital 001/2005 PROCOREDES. A.RS/SC. M. jan. E. BULIZANI. et al. Standards Engineering Practices Data: Moisture measurement-forages. 1997) e superiores aos da espinheira santa. A. v. AO3-44 BONA. 2000. São Paulo: Hemus Editora. Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos. 10. DE BONA. Adopted and published by: American Society of Agricultural Engineers. CASTRO. Porto Alegre. L. anador e cidreira (ALMEIDA et al. 2004.ed. composição química da parte aérea e rendimento de óleo essencial.. Estaquia.ed. 2002). considerando-se concentrações ente 50 e 100 mg kg-1 como adequadas para um crescimento normal das mesmas. capim limão. os resultados obtidos indicam que a espécie Bacharis trimera não responde à adubação mineral e nem orgânica. (1994) que afirmam que espécies aptas a crescerem em solos degradados apresentam baixas concentrações foliares de nutrientes.Amaral et al. 346p.B.3 mg dm-3. 27 Revista de Ciências Agroveterinárias. 2004. Já os teores de manganês variaram de 466 a 580 mg kg-1.1. valores superiores aos encontrados por Pocá (2005) que determinaram 219 a 328 mg kg-1 em carqueja. da. Universidade Federal do Paraná. Produção vegetal) . Dissertação (Mestrado em Agronomia. Não foi possível definir qual a melhor dose da fórmula NPK e nem qual a melhor dose de cama de aviário em função da ausência de resposta significativa das culturas. C. 49 mg kg-1 (RADOMSKI. Curitiba. Row spacing effect on Baccharis trimera yiel. Viçosa: UFV. o teor de nutrientes na parte aérea da carqueja apresentou a seguinte ordem decrescente: K > N > Ca > Mg > S > P para os macronutrientes e Mn > Fe > B > Zn > Cu para os micronutrientes. conhecimentos populares e científicos. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALMEIDA. 2002. Campinas. F. 2010 ..9. p. Latin american Symposium on the production of medicinal na aromatic plants and copndiments. De acordo com a média geral dos tratamentos. E. G. Segundo Dechen e Nachtigall (2006) as concentrações de ferro na maioria das plantas comerciais variam entre 10 e 1500 mg kg-1 de matéria seca. COMISSÃO DE QUÍMICA E FERTILIDADE DO SOLO .565-572. p. Determinação de nutrientes minerais em plantas medicinais. 2004. 80p.. M. Resumos.B. seqüências semelhantes às encontradas por Pocá (2005) para carqueja e por Radomski (1998) em espinheira santa. mastruço.. 2..Setor de Ciências Agrárias. 1993. In: COSTA. M. SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO./abr.2 DEC99. potássio 400 mg dm-3 e matéria orgânica 37 g kg-1. H. sem alterações significativas dos teores quando ocorrem em locais de melhor fertilidade. n. Lages. p. M. CALEGARI. fósforo 4. DALLA COSTA. BIASI. v. FERREIRA. A. 1993. 2. M. calagem e sombreamento de carqueja. Campinas. 102p. 1998). ASAE S358. típico de espécies que convivem bem em solos pobres quimicamente. Os valores de manganês encontrados no presente trabalho foram superiores aos encontrados em espinheira santa. In: International Symposium Breeding Research on medicinal and aromatic plants. 94-97.

C. FOSSATI. VITTI. SCHEFFER. P.. A. et al. 416p. DECHEN.37. óleo essencial. In: FERNANDES. SKRUBIS. PAVAN. C. Paraná. NACHTIGALL. F. p. Fertilidade do solo e adubação. Produção vegetal) .36-39. L. 2002. 1991. Curitiba. G. Jaboticabal: FUNEP. E. 2. Revista Brasileira de Farmácia.)… et al. Porto Alegre: Depto de Solos da UFRGS.9. M. 2003. M. B. Annais Fac. 1982. P.4.) Poaceae. 59p. (Asteraceae) hydroalcoholic extracts. S. Universidade Federal do Paraná. R. Belgium. A. 343p.. Biomassa. Quality control of Baccharis trimera (Less) DC. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais. Lages: O autor. R.. TURNER. 2010 .). TEDESCO. P. M. L. C. C. Journal of tropical ecology.19. p327354. Plantas medicinais do Brasil: nativas e exóticas. N. p. MALAVOLTA. RADOMSKI. R. ERNANI. R. Avaliação do estado nutricional e da produtividade da erva-mate em função do sítio e da dióica. n. 1998. v. 1997. D. 310p. J.S. B. F. et al.. n. perfil fitoquímico e nutrientes da carqueja sob influência de fontes e doses de nitrogênio.Nutrição de mineral de plantas. 2. et al. p. 2005. Botucatu: Universidade Paulista.3. Efeito da nutrição mineral na qualidade do oleo essencial da menta cultivada em solução nutritive. C.. M. J.Setor de Ciências Agrárias.7. 2008.(coord. 2000. Abreu. SOUSA. RAIJ.ed.. 3. S. 1994. P. OLIVEIRA. C. Curitiba. Wheaton. In: Ming.G. I. 1991. 5. Lages. Curitiba. V. p. 1997. n. N. P. B.Amaral et al. Nova Odessa: Instituto Plantarum. Lages: O autor. n. Acta Farmacéutica Bonaerense. C.1. Caracterização ecológica e fitoquímica de Maytenus ilicifolia Mart. Farm. 151p. Universidade Federal do Paraná. Yield of essential oil of and citral 28 content in different parts of lemongrass leaves (Cymbopogon citratus (D. G. em populações nativas.211-215. Piracicaba: Associação Brasileira para Pesquisa da Potassa e do Fosfato. 97p. Silvicultura) . 2003. Universidade Federal do Paraná.5. p. P. 555-559. The drying of laurel leaves.Setor de Ciências Agrárias. de. J. Baccharis trimera (carqueja amarga) uma planta da medicina popular brasileira. Experimentation on the propagation of Baccharis trimera. v. P. et al. Cultivo de plantas medicinais. condimentares e aromáticas. Avaliação do estado nutricional das plantas.74 SIQUEIRA. 174p. SIMIONATO. Buenos Aires. Acta Horticulturae. v.559-577. R. Química do solo e disponibilidade de nutrientes. 1952.40. no município da Lapa. Revista de Ciências Agroveterinárias. p. 1985. Análise comparativa dos óleos essenciais de Baccharis articulata e Baccharis trimera espécies espontâneas no rio Grande do Sul. Mineral nutrient status of coastal Hill dipterocarp Forest and adinandra belukar in Singapore: analysis of soil leaves and litter. Produção vegetal) . p. 1999. 112p. I. BURSLEM. MATOS. Análise química e atividade microbiana dos óleos voláteis de Baccharis trimera e Baccharis articulata do Rio Grande do Sul. A. New York.) Stapf.117-120. Micronutrientes. v. L. et al. 2006. ERNANI.3.10. C. C. CORREA JÚNIOR. A. 76 p. H. Disponibilidade de nitrogênio e adubação nitrogenada para a macieira. Perfumer & Flavorist. São Paulo: Ceres. Acta Horticulture.Setor de Ciências Agrárias. 1994.. POCÁ. plantas e outros materiais. P. p.C. v. 502. Campinas: Instituto Agronômico. Constituintes químicos ativos de plantas medicinais brasileiras. MING. M. PETROVICK. 1998. 426.10..C. n. Boletim Técnico. L. MAIA. P. Análise de solo. Dissertação (mestrado em Agronomia. E. 230 p. G. n. 1996. R.. Rio de Janeiro. 1995. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. (ed. DAVIES. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE ÓLEOS ESSENCIAIS: diagnóstico e perspectivas. GRUBB. Fortaleza: Edições UFC. v. M. Plantas medicinais aromáticas e condimentares: avanços na pesquisa agronômica. A. MING. p.81-94. J. MELLO. Dissertação (mestrado em Agronomia. LORENZI.205.