4

1 INTRODUÇÃO

Este trabalho tem por objetivo analisar a Administração Participativa, seus conceitos, aplicação, vantagens e principais criticas. De maneira sucinta pode-se dizer que a Administração Participativa é um processo compartilhado entre chefias e colaboradores, porém seu conceito é bem mais amplo o que será abordado no primeiro capítulo deste trabalho. No segundo capítulo serão analisadas as formas de aplicação desse método de administração nas organizações e suas modalidades. O terceiro capítulo trata as vantagens da Administração Participativa para as empresas e seus colaboradores e as críticas que foram feitas a esse sistema.

a disciplina e a autonomia. Essa influencia pode variar pouco ou muito. que integra as praticas mais avançadas de gestão e é considerada um dos novos paradigmas da administração. em geral. Ferreira afirma. Assim como era na época de sua invenção. a um modelo de administração japonesa do pós-guerra. a participação é. porém Ferreira (2002) enfatiza que este modelo existe desde a Grécia antiga.” Pateman (1983) define participação como “A criação de oportunidades para que as pessoas influenciem decisões que as afetarão. maior liberdade de escolha em relação a suas próprias responsabilidades”. O conceito de Administração Participativa está associado. que a democratização das relações sociais. um conceito que continua a oferecer desafios sem resposta definitiva. Essa modalidade de administração. Participação é um caso especial de delegação. estimula a motivação no trabalho.5 2 CONCEITO Segundo Maximiniano (2006): “Administração Participativa é uma filosofia ou doutrina que valorize a participação das pessoas no processo de tomar decisões sobre a administração das organizações. buscando o aumento da produtividade e os lucros da empresa e nele predominam a liderança. o desenvolvimento de uma consciência de classe trabalhista. sob a denominação de Democracia e ainda assim é uma idéia extremamente moderna. através da integração dos colaboradores com a alta direção. a elevação do nível educacional. A empresa dá aos colaboradores o direito de manifestar suas idéias em relação ao processo administrativo. na atualidade. na qual o subordinado obtém maior controle. de forma organizada e responsável. a complexidade das empresas modernas. a velocidade vertiginosa das mudanças e a intensificação das comunicações são algumas das razoes que justificam a adoção de um maior grau de envolvimento dos funcionários na gestão das empresas. ainda. para que suas experiências contribuam de forma a agregar valor às funções exercidas por .

6 eles na organização. Tal decadência foi caracterizada pelo crescimento lento da produtividade de suas empresas. com isso a Administração Participativa despontou e se consolidou como um dos fatores diferenciadores de produtividade e contribuiu para o extraordinário avanço tecnológico dos produtos fabricados em países orientais. . O interesse pela Administração Participativa foi reforçado no mundo ocidental. E é através dessa participação que os profissionais se envolvem com os objetivos e resultados das organizações e sentem-se parte integrante do processo. elevando o grau de interação com a cultura organizacional. principalmente a partir do declínio da hegemonia econômica dos Estados Unidos.

de forma que consiga reagir aos problemas do mercado. por um modelo administrativo de cooperação mútua onde a liderança. mas também nos sistemas de normas e procedimentos. onde sobressai o acirramento da concorrência. delegar. estrutura e visão sistêmica. A implantação desse sistema de gestão implica também no redesenho de toda estrutura. três de seus aspectos sofrem mudanças: comportamento. impositivo. As empresas precisam adaptar-se as mudanças que a todo momento surgem no mercado. consultar e perguntar. A estrutura deve estimular as pessoas à participação. as ações de trabalho proporcionam a produção de produtos de alta qualidade. de maneira ágil e dinâmica. Informar. Ao implantar a Administração Participativa na organização. são palavras principais da Administração Participativa no que diz respeito ao modelo de comportamento para o modelo participativo. Para garantir sua expansão ou ao menos sua sobrevivência.7 3 FORMAS DE APLICAÇÃO DA ADMINISTRAÇAO PARTICIPATIVA A Administração Participativa é a substituição dos estilos tradicionais de administração com gestores autoritários. Nas empresas que assumem este tipo de administração. produtividade e constante inovação. ganhando em competitividade. as empresas atentas procuram se dinamizar a partir de suas relações internas. incentivando e utilizando as potencialidades de seu corpo de funcionários. para que sejam organizadas de modo que a participação dependa não apenas das disposições favoráveis das pessoas. paternalista. envolver. em vez de mandar. Destaque deve ser conferido à turbulência ambiental. autonomia e responsabilidade. descobrindo. onde as pessoas são as responsáveis por seu próprio comportamento e desempenho e cujo resultado é o sucesso empresarial. A idéia de que patrões e assalariados devam ser considerados como associados através da participação dos trabalhadores nos lucros é uma das . indiferente.

a idéia permaneceu e passou a constar da pauta de negócios e discussões legais. que envolvem uma mudança de atitude e uma mudança de valores. Embora alguns autores vejam na participação dos lucros um pretexto para levar o assalariado a trabalhar com maior intensidade. treinamento e comunicação. existem alguns pontos comuns e nos quais a organização deve investir necessariamente: informação. . Fayol vislumbrou que a participação nos lucros poderia representar o acordo entre o capital e o trabalho. Para a implementação da Administração Participativa. onde se pretende promover as mudanças culturais necessárias. sem aumento correspondente em sua remuneração real e com isso intensificando sua exploração.8 concepções do modelo de Administração Participativa. Este é um processo compartilhado entre chefias e colaboradores.

 Teoria Democrática – Tem Rousseau. isto é.  Sistema de recompensas – As pessoas são “donas” ou “parceiras” e devem ter uma remuneração baseada no aumento dos resultados.  Produtividade e Eficiência – A participação é instrumentalizada como uma tecnologia social a disposição da gerência e destinada a assegurar maior produtividade e eficiência.9 4 CONCEPÇÕES E MODELOS DE PARTICIPAÇÃO Ferreira considera quatro concepções de participação:  Visão Socialista – baseada nas idéias de Fourier. A Administração Participativa é dividida em dois modelos: Diretivo e Participativo.  Relações e Desenvolvimento Humanos – Esta perspectiva emerge do ambiente gerencial. Postula uma maior participação na tarefa. por meio de autentica e confiante maneira de relacionar-se. Stuart Mill e Tocqueville como patronos.  Informação operacional . em todas as esferas nas quais o homem se desenvolve. a exemplo de enriquecimento das funções e do cargo. O foco é deslocado da participação para o conteúdo do trabalho. Marx e Proudhon. através de diferentes estratégias. . aspira a construção de uma sociedade participacionista e autogestionária. postulando a incorporação de valores democráticos no âmbito das empresas.Acesso a todas as informações operacionais para contribuir para sua melhoria. ignora o conflito de poder ou de classes e assume que tudo pode ser resolvido através de boas relações.

Controle centralizado. Processo de interação limitado. baseado no autocontrole. Controle disperso. Definição de metas feita apenas no topo da Definição participativa de metas. . onde cada um é responsável por seu desempenho e comportamento. As organizações que utilizam esse modelo são denominadas mecanicistas. Pessoas não se comprometem com as Metas elevadas de desempenho. todos os sentidos. distorcida e Informação correndo livremente em imprecisa. sem participação dos níveis inferiores. organização. No Modelo Participativo todas as pessoas expressam suas opiniões de forma livre. fragilidade da empresa. As organizações que seguem este modelo são chamadas de orgânicas. de modo que as pessoas influenciam os objetivos. MODELO DIRETIVO Subordinado sem liberdade para discutir problemas com superiores. No quadro abaixo veremos as principais diferenças entre esses modelos de Administração Participativa. MODELO PARTICIPATIVO Processo de liderança envolve confiança entre superiores e subordinados. Informação de cima para baixo.10 No Modelo Diretivo o gestor designa a participação de cada funcionário nas decisões. Neste modelo de gestão os principais problemas encontrados são: ineficiência global do sistema. das pessoas. insatisfação e desmotivação dos colaboradores e o autoritarismo. Atitudes desfavoráveis em relação à Motivação tem por base a participação empresa. Processo de interação livre.

11 metas de desempenho.  Desenho de cargos – Estruturação das tarefas e atribuições de cada membro que possibilitem a maior contribuição das pessoas para atingir os objetivos grupais. considerada individualmente. A participação indireta é destinada aos trabalhadores. através de representantes escolhidos por eles para esse fim. A participação direta é dirigida à pessoa. A Administração Participativa tem por bases principais:  Visão do negócio – Definição do negocio da empresa. . em termos objetivos e metas a serem alcançadas.  Trabalho em equipe – Objetivos individuais> objetivos e resultados do grupo> objetivos organizacionais. aceitas por todos. considerados coletivamente. A participação indireta é a participação dos diferentes membros da organização nas funções diretivas.

 Distribuição equitativa de responsabilidade e dos resultados.  Elevado grau de integração com a cultura da organização. .  Sólida base para as decisões.  Estimulo das condições da competitividade na organização.  Satisfação com a essência dos fatos.  Participação eficaz dos trabalhadores.  Aceleração das condições da competitividade da empresa.  Sustentação do dialogo e respeito às diferenças individuais.12 5 VANTAGENS DA ADMINISTRAÇAO PARTICIPATIVA Pode-se perceber as seguintes vantagens/benefícios quando da implantação da Administração Participativa:  Desenvolvimento expressivo.

caso contrário.13 6 CRÍTICAS A ADMINISTRAÇAO PARTICIPATIVA A crítica mais comum que se faz a Administração Participativa no Brasil diz respeito à estrutura de pagamento dos encargos. desvinculando participação nos lucros e salários. a Constituição de 1988 se propôs a eliminar esse problema. A resistência a adoção da Administração Participativa também pode partir dos próprios sindicatos. em especial a distribuição dos lucros. Por outro lado. os acionistas também podem se opor aos pressupostos da Administração Participativa. os funcionários cairão nas garras da mesma acomodação que existe nas empresas rígidas e desestimulantes. Além disso. vendo nela até mesmo a violação de direitos constitucionais de garantia de propriedade privada. A antiga legislação brasileira fazia com que os encargos sociais recaíssem também sobre a parcela do lucro repartido entre os colaboradores. servindo de paliativo as reivindicações dos funcionários. Entretanto. ao prever a divisão dos lucros em seus estatutos. A Administração Participativa deve ser continuamente acompanhada e atualizada. . este é descaracterizado como salário e não exige pagamento dos encargos sociais. que por vezes vêem na gestão interesses de manobra da massa trabalhadora.

Esse método de gestão faz com que todos os envolvidos trabalhem em regime de colaboração. onde os colaboradores devem se sentir não como acessório dos seus equipamentos de trabalho. e mesmo sendo uma idéia antiga continua sendo uma das mais modernas. Mais importante que buscar soluções totais é reconhecer que se trata de um processo prolongado de aprendizagem. Nenhuma das formas de participação que foram aplicadas até agora resolveu completamente os problemas. porque permite que os funcionários possam agir como gerenciadores dos processos das organizações. . Tem-se chegado a um ponto em que se sabe que a participação não é uma fórmula mágica. aliados ao bem-estar de suas participações. o clima é de confiança entre os colaboradores.14 7 CONSIDERAÇÕES FINAIS A Administração Participativa poderá ser um excelente caminho na busca da inovação. como tantos outros de relações humanas. cuja primeira etapa é aprender a aprender. mas que requer um trabalho paciente. promovendo um grande impulso para o desenvolvimento e a produtividade. mas sentir que sua criatividade tem significativa importância nos processos de produção como um todo. nunca sejam resolvidos de forma definitiva. É muito provável que esses problemas.

html em 17/11/2010. Isabel. Gestão Empresarial: de Taylor aos Nossos Dias.http://pt. Carlos. REIS. Editora Atlas s/a. 2002.F. J. Administração Participativa: O Caminho para o sucesso. Da revolução Urbana a Revolução Digital.org/wiki/Administra %C3%A7%C3%A3o_participativa Acesso em 17/11/2010. MAXIMIANO. Ana C. e PEREIRA.artigonal. Artigo publicado em 12/11/2008 . Antonio César Amaru.http://www. FERREIRA. Ademir A. Pioneira.. RIBEIRO.wikipedia. São Paulo – 2006. M. São Paulo: Ed.com/administracaoartigos/administracao-participativa-caminho-para-o-sucesso-639668.15 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Administração Participativa . Acesso .