You are on page 1of 16

UFBA - Universidade Federal da Bahia

Curso - Design Matéria - EBA147 - Gravura IV Discente - Rodrigo Passos Custodio Docente - Adriano Luiz Ramos de Castro

O processo de preparo e aplicação de ambas foi minimamente satisfatório. levo comigo a experiência que obtive com prática exaustiva e colhendo bons frutos. mas o grande diferencial seria a quantidades de tentativas até o produto final. para grande surpresa. A técnica de revelação mesmo era. será improvizado uma espécie de manual. Resultado desse processo: revelação 1 x 4 filme de corte. não tem história) ou até mesmo como uma espécie de bônus estético. perdemos a matriz. ou seja. se aplicarmos em pouca quantidade. Rodrigo Passos Custodio. Espero que o relatório esteja à altura da minha exaustão. usado também como removedor. Sim!. considerada uma técnica trabalhosa e dispendiosa. não significa que não devemos tomar cuidados com seus respectivos métodos. gratificante. a fim de obter um trabalho satisfatório. . Atenciosamente. uma faca de dois gumes. mas um fator bem curioso é que nem todo acidente consiste em um ponto negativo na obra. não haverá fixação. para mim. é até bem vindo de vez em quando. É mais uma forma de contribuição para o pouco que temos e o muito que fazemos todos os dias nos limites (e até mesmo fora. mas também. porém. mas se colocarmos em muita. O grande problema da técnica em questão. o que me fez ter mais desenvoltura e cuidado ao manipular todos os materiais. extendendo seus conhecimentos para além dos semestres e turmas. pelo contrário. Chegando ao final do curso. mas. por que não?) da nossa EBA.Introdução! Serigrafia não é e nem nunca foi um bicho de sete cabeças. Acompanhando o curso. desde o processo de entelamento até a limpeza do material. é notável que acidentes fazem parte de todo o aprendizado. me deu muito menos situações críticas do que a técnica de corte em filme rubi. surpresas e algumas frustrações. Foi. até. problema esse que não existe na técnica de revelação. com uso de medidas em frascos e tempos de exposição cronometrados. Nesse relatório. pois a mesma tem uma exatidão maior. para que seja possível pensar em algum projeto de tutorial feito pelos próprios alunos da UFBA. foram quatro tentativas até finalmente se chegar a algum resultado relevante. apesar de não te-la completado. Trocando em miudos. isso não me livraria de novidades. seja como uma forma de aprendizado “na raça” (até porquê quem não apanha. no mínimo. já havia experimentado a matéria no semestre passado. pois. é a sensibilidade do material ao Tiner para Colagem.

Material Necessário: Para o processo de entelamento: Grampeador Grampos 106/6 Poliester 77 Fios 2 ou mais Chassis 50cm x 40cm .

as extremidades do tecido em um dos lado do chassi esticando ao máximo e. devemos grampear. grampeando toda a extenção da extremidade do chassi.Como entelar? O processo de entelamento é muito simples: Consiste em fixar a tela de poliester no chaci de uma forma que a mesma fique totalmente esticada. em seguida. Para isso. . primeiramente. Repita o processo em todas as outras arestas tomando sempre o cuidado em manter a tela bem esticada.

Material Necessário: Para o processo da Técnica de Revelação: Telas com poliester 77 fios Arte Matriz EMULSÃO Foto Sensibilizante Emulsão Relevo & Foto Sensibilizante Recipientes com Medição .

Calha de Alumínio Mesa de Luz Secador .

No caso a seguir. Existe a Emulsão Amarela de Alta definição. coberta com tinta Nankim.Coloque em recipientes separados a Emulsão e o Foto Sensibilizante. utilizamos 2 lâminas como matrizes: uma apenas para o contorno e a outra apenas para o preenchimento. com a proporção de 10 partes de Emulsão. de preferência. Essas lâminas devem se encaixar no final. também. se necessário. para uma maior riqueza de detalhes.Técnica de Revelação Antes de iniciarmos o passo-a-passo. . Fo Se nsib to iliz ant e 2. para 1 de Foto Sensibilizante. deve-se fazer uma arte matriz para cada cor inserida no trabalho final. utilizaremos a verde. Neste caso. devemos dar uma atenção especial à nossa arte matriz.Prepare a sua arte matriz em papel vegetal EM ÃO LS U 3. Cuidado! Dependendo de qual Emulsão Relevo for utilizada. que nos pede linhas mais visíveis. Como a técnica em questão é policromática. 1. que deve ser feita em papel vegetal e.Misture as soluções e mecha bem até ficar uniforme. preenchendo de preto o que terá vazamento na tela. as linhas de contornos tendem a ser grossas ou não.

distribua o líquido por toda a extensão das telas.Agora. 4. começaremos a emulsionar a tela. para não ativar o sensibilizante. até obtermos uniformidade.Agora. de luzes totalmente apagadas. 5.Despeje a solução na calha. bem devagar. 6.Seque bem . deslizando a calha como um rodo.

Hora de lavar as telas com um forte jato de água. permanecerá “fresca”. podendo ser retirada posteriormente. enquanto a que foi coberta pelas áreas escuras. A emulsão exposta endurecerá. Tudo o que não foi sensibilizado escorrerá pelo ralo! É importante que toda a área “fresca” seja retirada. foram 4 minutos de exposição à luminosidade.7. Neste caso. O tempo estimado pode variar de acordo com o nível de detalhamento do trabalho. .Agora as telas já emulsionadas. 8. para que a impressão seja 100% satisfatória. terão que ser sensibilizadas pela luz.

Material Necessário: Para o processo da Técnica de Filme de Corte: Telas com poliester 77 fios Arte Matriz Estilete .

Tiner para Colagem Estopa Filme Rubi .

externo e interno. retiremos a película do filme e guardemos: a mesma pode ser utilizada mais tarde. para eventuais correções. O segundo e maior problema. pois este pode se dissolver e custar o trabalho.Prepare a sua arte matriz em papel vegetal 2. Dois dele são o corte e a fixação. é a hora da fixação: procure evitar passar a estopa enxarcada em pequenas áreas de preenchimento. . 3. Repita a mesma coisa com a outra Arte Matriz.Agora. 1. devemos ficar muito atentos para uma série de detalhes que podem nos passar despersebidos. durante todo o desenvolvimento da arte.Técnica de Filme de Corte Na técnica de Filme de Corte. O corte deve ser feito aos poucos e tomando cuidado para não cortar as duas camadas do filme rubi. de modo que a película inferior do filme não seja cortada.Com muito cuidado. passe um estilete por todo o perímetro do desenho.

colaremos o filme já recortado por baixo da nossa tela. batendo levemente a estopa no mesmo. 5. . sendo este fenômeno perceptível pelas áreas escuras que o mesmo vai apresentando.Com a estopa ligeiramente embebida em Tiner para colagem.O resultado é que o filme irá literalmente colar na tela.4.

Este líquido pode ser aplicado diretamente na sua tela com um pincel fino.Correções: Caso a sua colagem se torne irregular. para os devidos retoques. ou até mesmo corroída pelo tiner. . existe uma solução para tal: Com as sobras dos recortes feitos no filme rubi. falha. no momento em que a impressão estiver sendo feita. faça uma solução. caso contrário. misturando-as com tiner a ponto de ficar um líquido viscoso. podem ocorrer vazamentos de tinta. O líquido deve ser aplicado nos dois lados da tela para uma melhor fixação.

Material Necessário: Para a impressão: Tintas para Tecido Espátula & Rodo .

pedir ajuda a quem já tem alguma experiência. O uso de fixadores de tela como parafusos e suportes. Tintas claras necessitam muitas vezes de mais de uma mão. Seja consciente! . água e químicos. são altamente recomendados. porém. devido a entupimentos. pois. É sempre recomendável também. é importante fixá-las em pranchas previamente adesivadas. para evitar desperdícios de material.Quando feita a impressão. limpe-a. Sempre que terminar de utilizar a tela. mas cuidado: é importante um período de secagem entre cada uma. sequenciando em borrões e vazamentos. se pintadas seguidamente. para quem não tem a prática. procure utilizar bons papéis. para melhor imobilizar o tecido. opcionais. pode ocorrer uma saturação de tinta no local. pois esta pode ter a sua estrutura danificada. de alta gramatura. Se forem feitas em camisas.