You are on page 1of 6

1) Apresente uma definição sucinta de fundações.

Fundações são os elementos estruturais destinados a transmitir ao


terreno as cargas de uma estrutura. Todo peso de uma obra é transferido para
o terreno em que a mesma é apoiada. Os esforços produzidos pelo peso da
construção deverão ser suportados pelo terreno em que esta se apóia, sem
que ocorram recalques ou ruptura do terreno. A parte de uma construção que
recebe o seu peso e o transfere para o solo chama-se fundação.

2) As fundações podem ser divididas em quantos grupos e como se


denomina estes grupos.

As fundações podem ser dividas em dois grupos: fundações diretas ou


rasas, em que a carga da estrutura é transmitida ao solo de suporte
diretamente pela fundação, ou em fundações indiretas ou profundas, em
que é necessário recorrer a camadas mais profundas do terreno para poder
suportar as cargas necessárias.

3) Cite as condições essenciais para o dimensionamento de uma


fundação direta.

O dimensionamento de uma fundação direta deve satisfazer as


condições:
a) O centro de gravidade da fundação deve coincidir com o centro de
gravidade do elemento transmissor de carga;
b) Tendo P a carga a transmitir e p a pressão admissível do terreno, a
área necessária será dada por S= P/p;
c) Solução mais econômica.

4) Cite os tipos de fundações diretas ou rasas.

Sapata Corrida: constatada a existência de terreno firme a uma


profundidade relativamente pequena e que a altura do elemento de fundação
não está sujeita a limitações, o critério econômico.

Sapata isolada: quando o terreno apresenta boa taxa de trabalho e a


carga a ser suportada pelo terreno é relativamente pequena, costumam-se
executar sapatas isoladas que poderão ser simples ou armadas, em formato de
tronco de pirâmide, interligadas entre si por vigas baldrames.

Radier é o elemento de fundação que recebe todos os pilares da obra.


Recorre-se a esse tipo de fundação quando o terreno é de baixa resistência e a
espessura da camada do solo é relativamente profunda. Estando a camada
resistente a uma profundidade que não permite a cravação de estacas, devido
ao pequeno comprimento das mesmas.

5) Cite os tipos de fundações indiretas ou profundas.

Estacas: são peças esbeltas que transferem as cargas dos pilares, às


camadas mais profundas do terreno, podendo ser utilizadas de forma isolada
ou em grupo.

Tubulões: que apesar de serem profundas e de ser semelhante a uma


esta, este tipo de fundação é considerado como direta, pois sua resistência é
transmitida ao solo através de sua base.

6) Cite os tipos de estacas

Madeira: empregadas em terrenos permanentemente secos ou úmidos


uma vez que esse material não suporta as alternativas de umidade e secura.

Metálicas: indicadas para os terrenos arenosos e lodosos, bem como


para aqueles alternativamente úmidos e secos, em que a madeira não é
aconselhável.

Concreto pré-moldadas: que podem ter seção quadrada com os cantos


chanfrados, seções circulares e poligonais, com comprimento médio entre 12 e
14 metros. Os tipos mais comuns dessas estacas são: Mega ou de Reação,
Vibradas, Centrifugadas e Protendidas.

Concreto moldadas in loco: que são estacas concretadas em invólucros


especiais que se recuperam posteriormente ou nos próprios buracos cavados
com equipamentos especiais. Permitem cravação a grandes profundidades,
com diâmetros variáveis e no comprimento pré-determinado no projeto de
fundações.
Os tipos mais comuns dessa estacas são: Strauss, Franki, Broca, Raiz, de
Grande Diâmetro e Hélice Contínua.

7) Cite os tipos de tubulão

Tubulão a céu aberto: é escavado manualmente, não pode ser


executado abaixo do nível d´água. Dispensa escoramento em terreno coesivo,
mostrando-se uma alternativa econômica para altas cargas solicitadas, superior
a 250 Tf.
Os tipos mais comuns são tipo Cisterna, Chicago e Gow.

Tubulão pneumático: é utilizado em terrenos que apresentam dificuldade


de empregar escavação mecânica ou cravação de estacas, como em áreas
com alta densidade de matacões, lençóis d´água elevados ou cotas insuficiente
entre o terreno e o apoio da fundação.
8) Para a cravação das estacas utilizam-se os bate-estacas, que de
acordo com o martelo usado, dividem-se nos seguintes grupos: bate-
estacas de gravidade, de simples efeito e de duplo efeito. Faça uma
pequena resenha a respeito dos três tipos de bate-estacas,
anteriormente, citados.

O bate-estacas é um equipamento utilizado para cravação de estacas,


que podem ser pré-moldadas em concreto, em madeira, metálicas, e de outros
materiais. Estes equipamentos são constituem-se basicamente de uma torre
que eleva o bate-estacas (que pode ser um peso que cai na estaca por
gravidade, ou um martelo hidráulico) com vista a cravar a estaca no solo.

Bate-estaca de gravidade: A energia para cravação da estaca é


transmitida à mesma pela queda livre de um peso, de uma altura determinada.
O peso é denominado martelo ou macaco e sua queda é, em geral, orientado
através de duas guias laterais. A cabeça das estacas deve ser protegida por
um cabeçote de ferro ou madeira, cuja finalidade é permitir uma distribuição
uniforme das tensões dinâmicas, transmitidas pelo martelo. O máximo de
eficiência desse tipo de bate-estacas é da ordem de 10 pancadas por minuto.
O incoveniente desse bate-estacas é que a obtenção da nega fica muito a
critério do operador, e de sua malícia na operação de queda do martelo.

Bate-estaca de efeito simples: Nesse tipo o martelo desloca-se ao


longo de um embalo fixo à estrutura do bate-estacas e é levantado pela ação
de gases sob pressão, caindo só pelo peso próprio. A altura de queda é função
da quantidade de gases da câmara. A eficiência obtida é de 40 a 50 pancadas
por minuto.

Bate estaca de duplo efeito: É uma variante aperfeiçoada do tipo


anterior. Os gases sob pressão são injetados no cilindro, tanto para a operação
de levantamento como para a operação de queda. Nesse caso, não há queda
livre e a freqüência de cravação é muito maior, da ordem de 250 a 300
pancadas por minuto.

9) Cite as razões para o emprego das estacas e uma condição que


leva a opção da estaca como elemento de fundação.

As estacas são utilizadas, essencialmente para transmissão de cargas à


camadas mais profundas do terreno. Duas razões levam ao seu emprego,
técnicas e econômicas. É preferido o seu uso, por exemplo, quando a taxa
admissível do terreno for inferior ao carregamento transmitido pela estrutura e
quando a fundação direta ficar sujeita a recalque incompatível com a estrutura
a ser construída.
Quanto ao esforço a que estão sujeitas, podemos classificá-las em:
estacas de compressão, de tração e de flexão. Normalmente as estacas são
cravadas verticalmente e trabalham à compressão, entretanto as estacas-
pranchas trabalham à flexão.
10) Faça uma pequena resenha sobre as estacas de madeira, de aço e
pré-moldadas de concreto. Cite também, as principais vantagens e
desvantagens de cada uma delas.

Estacas de madeira: São feitas de madeira roliça ou com seção


uniforme, descascada, com diâmetro de 18,0 a 35,0 cm e comprimento de 5,00
a 8,00 m, devendo ser reta, tolerando-se uma curvatura de 1 a 2% do
comprimento, resistente, barata e de fácil aquisição.
Vantagens: não oferecem problemas de transporte e manuseio; corte fácil;
facilidade de serem obtidas em comprimentos variáveis; emenda fácil; e baixo
custo
Desvantagens: é sujeita a apodrecimento.

Estacas de aço: Em geral são constituídas de perfil metálico no forma


de “H” ou duplo “T” de aba larga.
Vantagens: facilidade de manuseio; facilidade de cravação; são obtidas em
qualquer comprimento, sem que haja perda; facilidade de corte e de emenda; e
o atrito que se manifesta na cravação não é muito acentuado.
Desvantagens: sofrem o ataque de águas agressivas; e o seu preço proibitivo
no Brasil.

Estacas pré-moldadas: São peças de concreto armado, fabricadas no


próprio canteiro de obra ou em indústrias especializadas, cravadas por meio de
bate-estacas, após o concreto atingir resistência necessária. A sua armação
destina-se a absorver os momentos fletores, resultantes do levantamento da
estaca, tanto para o transporte como para alçar na cravação.
Vantagens: grande durabilidade; e indicada para vários tipos de solicitações.
Desvantagens: Baixa resistência aos esforços de manuseio e transporte;
dificuldade de execução de cortes e emendas; e grande possibilidade de falhas
de integridade.

11) Quais são os tipos de estacas de concreto moldadas “in loco”.

Os tipos mais comuns de estacas moldadas “in loco” são:

Estacas sem camisa- tipo Broca

Com camisa recuperada- tipo Strauss, Compressão, Tração e Duplex;

Com camisa perdidas- tipo Monotube e Raymond.

12) Faça uma pequena resenha a respeito das estacas de concreto


moldadas “in loco”.

As estacas moldadas “in loco” podem ser do tipo sem camisa ou com
camisa.
As estacas sem camisa: a execução desse tipo de estaca é
extremamente simples e compreende apenas duas fases: abertura de um furo
no terreno e lançamento de concreto nesse furo. São estacas de reduzida
capacidade de carga (3 a 8 t) e apenas empregadas em pequenas
construções. Não são armadas e levam apenas pontas de ferro destinadas a
amarrá-Ias à viga baldrame ou blocos.
As estacas com camisa se dividem em: estacas com camisa recuperada,
que são as estacas do tipo Strauss, Tração, Compressão e Duplex; e estacas
com camisa perdida, que são as estacas do tipo Raymond e Monotube.

13) Descrever os procedimentos de execução das seguintes estacas:


Franki, Strauss, Hélice Contínua. Cite também, as principais vantagens
e desvantagens de cada uma delas.

Estaca Franki: Consiste, este processo, em fazer-se atuar um pesado


maço de um bate-estaca sobre um tampão de concreto quase seco ou de
cascalho e areia, colocados dentro de um tubo de aço de grande altura. O atrito
entre o tubo e o tampão é necessário para que, sob ação dos golpes do maço,
o tubo seja enterrado. Atingindo-se a profundidade desejada, imobiliza-se o
tubo e lança-se o concreto quase seco no seu interior, espalha-se o concreto
na zona não revestida pelo tubo, formando o bulbo. Após, coloca-se
previamente a armadura e em seguida lançam-se novas quantidades de
concreto que se apiloam, ao mesmo tempo em que se efetua a retirada do
tubo.
Vantagens: Admite altas cargas, indicada para grandes profundidades.

Desvantagens: Grande possibilidade de falhas de integridade e vibração


excessiva no entorno.

Estaca Strauss: Inicialmente crava-se no terreno um tubo de aço. A


seguir, coloca-se determinada quantidade de água dentro do tubo, ao mesmo
tempo em que se retira a lama ali formada, através de um peso sonda.
Cravado o tubo, enrosca-se um novo tubo na extremidade do anterior,
repetindo o processo. Atingida a profundidade desejada, imobiliza-se o mesmo,
lançando o concreto no seu interior, primeiramente formando o bulbo, e depois
o fuste, lançando novas quantidades de concreto ao mesmo tempo em que se
efetua a retirada parcial do tubo.

Vantagens: baixo custo e equipamento com boa mobilidade no canteiro.

Desvantagens: grande possibilidade de falhas e não pode ultrapassar o


nível freático.

Estaca Hélice Contínua: É um processo de cravação contínuo, ou seja,


as brocas são emendadas a partir do momento em que tenham penetrado no
solo em todo o seu comprimento. Atingido o comprimento estipulado, é injetado
o concreto, a medida que a broca vai sendo retirada e, eventualmente, em
função de um controle de pressão no painel do equipamento, o peso da broca
pode fazer pressão sobre a massa de concreto. Após a conclusão da
concretagem são colocadas barras de aço para fazer a ancoragem com o
futuro bloco de fundação.

Vantagens: Elevada produtividade, adaptabilidade na maioria dos terrenos,


não produz vibração, não causa descompressão do terreno, limpeza do
canteiro.

Desvantagens: limitação de movimentação, exige central de concreto,


custo de mobilização elevado, limitação nos comprimentos (24m), não pode ser
usado em terrenos com matacão e cuidados, no caso de solos puramente
arenosos.