You are on page 1of 60

À medida que a tecnologia vai aumentando no
decorrer do tempo, a construção civil vai delineando
as formas de um processo produtivo mais adequado
para os próximos anos.

O aumento da concorrência e a evolução tecnológica
pressionam as empresas para que reavaliem seus
métodos e sistemas de produção em busca de
produtividade e competitividade.

No entanto, apesar dos objetivos semelhantes a
todos, os meios de alcançá-los não são unânimes. Pelo
contrário, muitas são as perspectivas e idéias que
surgem no setor para adaptar a produção aos novos
tempos.

Uma das correntes, a lean construction,
também conhecida como construção
enxuta...

A proposta é reduzir custos sem necessidade de
investimentos, somente através de uma melhor
organização do processo, eliminando reservas de
mão-de-obra ociosa e otimizando cada recurso
disponível.

Neste cenário, ganha importância o crescimento da
produtividade da equipe, responsável pelo
ritmo da obra, em relação ao controle da
produtividade individual.

empresas estas que não se preocupam com planejamento.. seja qual for o porte. saindo de uma programação ou de um cronograma previamente elaborado para a obra.. porém a maioria das obras ainda são “tocadas” por empresas de pequeno. dessa maneira. Ou essas empresas fogem do planejamento por acharem ser mais fácil dirigir o presente do que pensar no futuro.No Brasil é visível o crescimento da Industria da Construção Civil. os serviços passam a ter uma seqüência ou uma rotina diária de improviso e indeterminação. por exemplo. . No caso do planejamento pode-se dizer que é um déficit comum a todas empresas do ramos.

Portanto: .Todos esses fatores geram incerteza de prazo. Outro fator que pode ser considerado é o fator humano envolvido em cada fase do serviço. afetam diretamente na produtividade e na qualidade do serviço e aumenta o tempo de execução e os custos. a falta de treinamento e incentivo da mão- de-obra. de custo e de garantia da qualidade final do serviço.

A primeira fase do desenvolvimento de um empreendimento corresponde ao estudo de viabilidade do mesmo. e terão grande influência sobre a fase de utilização do imóvel. sendo que algumas etapas do planejamento. Vejamos o esquema a seguir: . estender-se-ão até as fases de planejamento e execução do empreendimento. que se iniciam nesta fase.

GERENCIAMENTO. MUDANÇA DE USO. PLANEJAMENTO DO ACOMPANHAMENTO DA DEMOLIÇÃO. ANÁLISE DO TERRENO. . USUÁRIO. OBRA E DOCUMENTAÇÃO. EMPREENDIMENTO. PROJETO LEGAL. MANUTENÇÃO. EMPREENDIMENTO. ADMINISTRAÇÃO/ PROGRAMA DAS NECESSIDADES DO PROJETO EXECUTIVO. PREPARAÇÃO DA LICITAÇÃO. E JURÍDICOS DO EMPREENDIMENTO. CONCEPÇÃO DO EMPREENDIMENTO FASES DE FASE DE ESTUDO DE VIABILIDADE DO PLANEJAMENTO E FUNCIONAMENTO EMPREENDIMENTO EXECUÇÃO ANÁLISE DE MERCADO. REPAROS. ESTUDO PRELIMINAR. AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS SOCIAIS ANTEPROJETO. RESTAURAÇÕES. LEVANTAMENTO DE DADOS. DIREÇÃO. ANÁLISE DO INVESTIMENTO. COLABORAÇÃO NA REFORMAS/ FINANCIAMENTO DO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS. SUPERVISÃO DE OBRA. MARKETING/VENDAS.

O E. em espaços de tempo tão curtos quanto possível e várias vezes em cada etapa do planejamento.V.É a comparação entre a estimativa de custo do mesmo e os rendimentos que se espera obter por meio da sua comercialização. Ele deve ser realizado periodicamente. permitindo uma rápida reação aos desvios. que otimize.E. não deve ser considerado como um tópico à parte. . ou interrompa o desenvolvimento do empreendimento.

vias de tráfego. orientação solar. instituições de ensino. população por idade. Infra-estrutura:redes de água.ANÁLISE DE MERCADO Pesquisas específicas. Como: aspectos demográficos. esgoto e elétrica. . sexo. etc. etc. feitas por institutos e associações especializadas. Imposições relativas ao ambiente:proteção da paisagem local. ANÁLISE DO TERRENO Situação geográfica: topografia. monumentos tombados. etc. tamanho da família. comércio. formato do terreno entorno. do meio ambiente. estado civil. etc.

PROGRAMA DE NECESSIDADES DO USUÁRIO Serão pesquisadas e analisadas as condições determinantes. ANÁLISE DE INVESTIMENTO/FINANCIAMENTO Levantamento e aquisição de meios para o investimento. Análise do fluxo de caixa. objetivos e meios financeiros dos usuários/compradores. . velocidade de vendas. como necessidades. Estudo das possibilidades de financiamento.

devem ser desenvolvidas estratégias de marketing concretas. que resultará da análise de mercado. para resultar finalmente na venda do produto. No prosseguimento do empreendimento. quanto à real possibilidade de aceitação do produto. então. pois a concepção do empreendimento. .MARKETING As atividades de marketing devem ser iniciadas tão cedo quanto possível. paralelamente à análise de mercado. deve ser testada já bem cedo.

definir diretrizes para o projeto. alocar recursos. definir a hierarquia dentro e fora da obra. Planejar é : Elaborar um roteiro de ações para se atingir um determinado fim. . O planejamento permite: definir a organização para execução dos serviços. tomar decisões. composições e parâmetros de controle e custo. custos e qualidade referentes a obra. integrar e coordenar esforços e conhecimentos de todos os envolvidos. conscientizar a todos sobre prazos. É prever decisões que envolvem o estabelecimento de metas e a definição dos recursos necessários para atingí-las. criar bancos de dados. garantir a comunicação entre os participantes da obra.

mas sim o planejamento correto de suas atividades dentro e fora do canteiro de obras. . devem ser elaborados dentro uma realidade estimada de acordo com a obra. as pequenas empresas da construção civil devem desenvolver um plano de trabalho que vise não só os lucros. capacitação e apoio técnico. as empresas devem desenvolver planos de investimento em treinamento. tudo isso de forma que se enquadre dentro da realidade financeira da empresa. as planilhas orçamentárias e os cronogramas.O planejamento é vital para uma empresa realizar as suas metas e si firmar no mercado.

Níveis do planejamento .

estabelecido em nível macro do empreendimento. estabelecido para a produção: elaboração do plano geral. dirigido à produção: inclui a definição detalhada das atividades. entre outros dados. Estabelece o compromisso dos responsáveis pela produção com as metas estabelecidas anteriormente. momentos e prazos para execução e alocação dos recursos. com a identificação dos recursos principais: é o enlace entre o planejamento de longo prazo e o planejamento operacional. fontes de financiamento.Também é da diretoria.está na raiz da competitividade (metas orientadas por objetivos). É o planejamento da engenharia. . com determinação das datas principais. Só pode estar no nível da diretoria.

Através das instruções de trabalho. anotados os tempos necessários para a execução das atividades e das etapas de construção e também levantadas as falhas no decorrer dos trabalhos. Esses métodos são dados pela formulação de instruções de trabalho e pelas pesquisas sobre o trabalho de construção(link). os operários recebem sistematicamente instruções e treinamento para a utilização dos métodos novos que deverão ser empregados na obra. é feito um acompanhamento sistemático do desenvolvimento da obra. Nas pesquisas sobre o trabalho de construção. Existem dois métodos de organização do trabalho que podem ser importantes para o aumento de produtividade e melhoria da qualidade de execução de serviços. .

Planejamento das atividades da obra:
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

A construção civil depende essencialmente de
materiais de boa qualidade e, por conseguinte, de
mão-de-obra adequada para sua aplicação

Para iniciar o planejamento das atividades de uma
obra, precisa-se ter total conhecimento dos
materiais que serão empregados para realização
dos serviços que farão parte da mesma.

Por isso, se faz necessário conhecer as especificações e
inspeções dos materiais (EIM - Especificação e inspeção de
materiais) e a ficha para controle de recebimento dos
mesmos na obra (FVM - Ficha de verificação de materiais).

Modelo FVM

Modelo EIM

Ela pode ser calculada através do coeficiente de consumo de materiais.Depois de conhecida a especificação do material.00 m3 de alvenaria de pedra calcárea argamassada precisa-se de: • Areia lavada média .35 Kg . é necessário determinar a quantidade do mesmo que será utilizada em cada serviço.3648 m3 • Pedra calcárea .10 m3 • Cimento CPII E-32 . Por exemplo.0. para a execução de 1.1.109. ele informa a quantidade de material necessária para executar a unidade do serviço.

é necessário saber como controlar o recebimento e armazenamento dos mesmos no canteiro de obras de forma prioritária. Além de conhecer as especificações e determinar as quantidades dos materiais utilizados na obra. permitindo a identificação daqueles itens que justificam atenção e tratamento adequados quanto à sua administração. a ferramenta utilizada é a Curva ABC que é um importante instrumento para se examinar estoques. Para isso. .

é da classe C e 30% a 40%. A experiência demonstra que poucos itens. segundo a ótica do valor. são da classe A. anotando também as suas quantidades. e aos menos importantes. itens da classe B. ali empregado. Aos itens mais importantes de todos. são da classe B. o material que custou mais caro. enquanto uma grande quantidade. . aos intermediários. A Curva ABC dos materiais lista em ordem decrescente. itens da classe C. de 10% a 20% do total. dá-se a denominação de itens da classe A. em torno de 50%. até o mais barato.

Exemplo: 1º Passo.Determina-se o Valor do consumo = Preço unitário x Consumo: .

2º Passo-Classificar os materiais em ordem decrescente pelo Valor do consumo: .

3º Passo-Determinar as porcentagens individuais de cada material e suas porcentagens acumuladas: .

4º Passo–Traçar a Curva ABC (Eixo X.materiais e Eixo Y- porcentagem acumulada): .

B = 30% e C = 50% dos itens. 20% são os dois primeiros itens. resultando.78%. nos10 itens. -classe B (3 itens seguintes) = (85. Sendo. adotando-se o critério de que A = 20%. -classe C (5 itens restantes) = (100% . os seguintes valores: -classe A (2 primeiros itens) = 62.22% . . B e C.85.78%.22%) = 14.Para a definição das classes A.44%.62. 30% os três itens seguintes e 50% os cinco últimos itens. assim.44%) = 22.

Os ganhos de produtividade englobam tanto processos mais eficientes como inovações em processos e serviços. 1998) . o caminho mais sustentável para a melhoria do padrão de vida é o aumento da produtividade. O uso adequado de recursos permite que a economia forneça bens e serviços a custos menores para o mercado interno e possa competir em mercados internacionais. MÃO-DE-OBRA “Em qualquer país.” (MCKINSEY.

Para conseguir melhor produtividade é importante: . são aspectos de grande relevância e contribuem para redução de perdas e. layout e movimentação de materiais. . conseqüentemente. seja em seu aspecto físico ou no relacionamento com os colegas (ambiente limpo. para melhoria da produtividade. arejado. supletivos. MÃO-DE-OBRA A adequação dos métodos de produção. o uso de técnicas mais avançadas como: estudos de tempo e movimentos. num clima de amizade e confiança). a redução de ineficiência dos equipamentos.investir na formação básica e na qualificação profissional dos funcionários (cursos de alfabetização. seguro. de habilidades e atualização tecnológica).desenvolver um ambiente de trabalho harmônico. .

desperdícios. feiras). MÃO-DE-OBRA -valorizar o profissional. redução da ociosidade.estabelecer metas e controlar resultados que estejam associados às melhorias das operações (controles de documentos. da insegurança.) . propiciando o conhecimento de assuntos de interesse de seu trabalho (palestras. trabalhos em grupo. afastando-o do medo. etc. paradas de máquinas. encontros. . atrasos de produção e entrega.

Recomenda-se que esses dados sejam cadastrados por pessoas confiáveis.:potencial disponível da empresa) e de espaço físico (p. pois os dados levantados no decorrer de um determinado serviço. MÃO-DE-OBRA O dimensionamento da mão-de-obra é uma tarefa que exige muito conhecimento. pois ele está sujeito a limitações de recursos (p.ex.ex. podem vir a ser utilizados em novas composições.:espaço no canteiro de obras). Esse dimensionamento é feito através do “coeficiente de produtividade”. por tratar-se de uma tarefa que requer muita atenção. . que são dados muito importantes que objetivam a aplicação de mão- de-obra para cada tipo de serviço a ser executado num canteiro de obras.

– tempo de execução do serviço.– quantidade de serviço. . Tex.MÃO-DE-OBRA O coeficiente de produtividade (Cp) é dado por: Cp= Qop x Tex Qserv Onde: Qop– quantidade de operários. Qserv.

MÃO-DE-OBRA Exemplo: Suponha a execução de chapisco em parede.20 horas/m2 Servente–0. traço 1:4.26 horas/m2 . os coeficientes de produtividades são: Pedreiro –0.

oficial de concreto. . MÃO-DE-OBRA Formação de equipes O planejamento da obra depende do tipo de grupo de trabalho que será empregado para a execução dos serviços. servente. Ex. carpinteiro.: pedreiro. armador. Existem as seguintes possibilidades de formação das equipes de trabalho: a) Equipes mistas ou complexas: Este grupo de trabalho é composto por diversos profissionais que realizam vários tipos de atividades. montador de formas.

em que a maioria é especializada e a utilização de serventes é reduzida. MÃO-DE-OBRA b) Equipes especializadas: A divisão do trabalho em grupos que realizam continuamente a mesma tarefa pode ter como efeito o aumento da produtividade. . Equipes especializadas são geralmente pequenas e compõem-se de 04 a 08 trabalhadores no máximo. c) Equipes mecanizadas: Nas quais a produtividade é determinada principalmente pela utilização de equipamentos.

diversas equipes ao mesmo tempo. . em uma mesma etapa de produção (desde que a etapa seja grande o suficiente para isto). ou em etapas de produção paralelas. MÃO-DE-OBRA Métodos de planejamento de equipes Podemos organizar a realização das atividades pelas equipes de trabalho. b) Produção simultânea: Na produção simultânea são usadas. sendo estas geralmente mistas. geralmente do tipo mista. através de três métodos principais: a) Produção em sequência: Neste método de produção os trabalhos de uma etapa são realizados um após o outro por uma equipe de trabalho.

. porém de forma organizada. MÃO-DE-OBRA Métodos de planejamento de equipes c) Produção em linha/trabalho cadenciado: Produção em linha/trabalho cadenciado são formas de produção seqüencial onde ocorrem interrupções obrigatórias no processo.

. na maioria dos casos. é apresentado juntamente com o cronograma. MÃO-DE-OBRA Representação do planejamento da mão-de-obra Pode ser feita sob a forma de histograma de recursos que.

do controle de recebimento e armazenamento de materiais e equipamentos e da qualidade na execução de cada serviço específico do processo de produção. das condições de higiene e segurança do trabalho. Um instrumento adequado para a padronização de processos (serviços) é a aplicação do ciclo PDCA: .A qualidade da obra como um todo é resultante do seu planejamento e gerenciamento. da organização do canteiro de obras. da correta operacionalização dos processos administrativos em seu interior.

eventualmente determinar e confeccionar novos planos de ação. eficiência e eficácia.Plan (planejamento) : estabelecer missão. Do (execução) : realizar. confrontando- os com o planejado. objetivos (metas). especificações e estado desejado. objetivos. executar as atividades. aprimorando a execução e corrigindo eventuais falhas. visão. avaliar processos e resultados. consolidando as informações. . Action (agir) : Agir de acordo com o avaliado e de acordo com os relatórios. procedimentos e processos (metodologias) necessárias para o alcance dos resultados. de forma a melhorar a qualidade. Check (verificação) : monitorar e avaliar periodicamente os resultados. eventualmente confeccionando relatórios.

. é fundamental documentar os procedimentos de execução e inspeção de cada serviço. Para tornar a empresa mais estável com relação à qualidade das obras que oferece a seus clientes. o seu domínio tecnológico passava a ser limitado e variável em função da mão-de-obra ou do empreiteiro utilizado em cada época e local.As empresas de construção civil não tinham a prática de documentar formalmente o procedimento executivo de cada serviço e os critérios de inspeção desses serviços. Com isso.

no decorrer do processo de execução de cada serviço. VEJAMOS A SEGUIR A FVS: . e da FVS (Ficha de Verificação de Serviços). A FVS é o documento que deve ser preenchido na obra.Essa documentação é composta pelo PES (Procedimento de Execução de Serviços). Os PES e os PIS devem ser elaborados para cada serviço inicialmente priorizado e fazem parte do acervo técnico da empresa. PIS (Procedimento de Inspeção de Serviços).

FVS .

dividindo-se em áreas operacionais e áreas de vivência. •O conjunto de áreas destinadas à execução e apoio dos trabalhos da indústria da construção. está localizado no próprio terreno em que se vai executar a obra. como regra geral. onde se desenvolvem operações de apoio e execução de uma obra. outras posturas que podem ser adotadas para complementar a área disponível para a fábrica: . Canteiro de obras Pode ser definido como: •A área de trabalho fixa e temporária. Localização do canteiro de obras: O canteiro. •É a fábrica cujo produto final é o edifício. no entanto. Há que se citar.

que pode abrigar um ou mais serviços referentes às etapas de estocagem e processamento intermediário dos materiais. deve-se lembrar de computar os ônus gerados com transportes bem como analisar a legislação vigente para não incorrer em ônus de impostos extras por execução de serviços fora do local de produção da obra. Obs: Na discussão quanto à opção de utilização de áreas externas à própria obra. • existência de canteiro central de obras da empresa. . • empréstimo ou aluguel de terreno vizinho ou próximo para alocar centrais de processamento e/ou estoques de materiais. Canteiro de obras • aluguel de residência vizinha ou próxima para servir para escritório. ou ainda para abrigar alojamentos de operários. stand de vendas ou alojamento.

Fornecimento de água. vestiários. Áreas de vivência: escritórios da obra. 2. •tempo de construção e planejamento da execução da obra. Armazenamento e estocagem de materiais: almoxarifado. •técnicas de transporte. Central de carpintaria. 3. Instalações de infra-estrutura: 1. •métodos de produção. possibilidade de acesso. refeitório. etc. energia e esgoto da obra. 4. •recursos operacionais disponíveis. área disponível. Aspectos a serem considerados na implantação do canteiro de obras: •condições locais da obra: possibilidades de abastecimento. galpão para depósito. WC’s. •tipo e tamanho da obra. .

na prática. deve-se. por motivo de segurança. mesmo que. tentar fazer a separação de caminhos para veículos e para pedestres. O traçado das ruas dentro do canteiro deve possibilitar que os transportes sejam realizados sem que haja empecilhos ou situações de conflito. Para isso devem ser considerados os pontos seguir : . isso não seja completamente realizável.Caminhos para veículos e pedestres dentro do canteiro de obras: Na definição dos caminhos entre os diversos pontos do canteiro de obras.

•entre a construção e o caminho de veículos deve haver espaço suficiente para o depósito de materiais e para a realização de trabalhos. andaimes e alojamentos. •se possível. deve-se deixar espaço suficiente entre os caminhos de veículos e os equipamentos. facilitar o acessoocorrer •quando o descarregamento dos veículos aos principaisde pontos veículos de no produção canteiro. deve-se tentar. atividade. principalmente quando o traçado circunda o edifício. •por motivo de segurança.•a entrada e saída de veículos da obra deve ser posicionada de modo a permitir boa visibilidade. •as ruas dentro do canteiro devem possibilitar uma ligação direta entre os meios de transporte verticais e horizontais. através do traçado de ruas. . os demais dentro transportes não devem ser prejudicados por esta do canteiro.

Exemplos de traçados para vias de acesso de automóveis: .

Equipamentos que podem ser utilizados no canteiro: .