You are on page 1of 8

Física I – LESI 2002/2003 Introdução à Computação em Física

MÉTODO DE EULER DE INTEGRAÇÃO DE EQUAÇÕES


DIFERENCIAIS ORDINÁRIAS

O método de Euler é o método numérico mais elementar de resolução de equações


diferenciais ordinárias. Tem uma interpretação geométrica elementar. Considere-se a equação
diferencial:

dy
= f ( x, y ) (1)
dx

onde x e y são as variáveis independentes e dependentes, respectivamente. f (x, y ) é a função


derivada que é em geral função das variáveis independentes (por ex. tempo) e dependentes
(em geral, velocidade e posição). A derivada pode ser definida de forma elementar como o
limite da razão entre os incrementos em y e x para incrementos na variável independente
muito pequenos:

dy ∆y
= lim (2)
dx ∆x→0 ∆x

Ora, se se conhecer o valor de y para um determinado valor de x é possível calcular o valor da


variável dependente y para um valor posterior da variável independente x através da resolução
numérica das equações 1 e 2. Sejam conhecidos os valores num determinado ponto ( xn , y n ) .
O valor de yn+1 pode ser detrminado a partir da equação 2 aproximando a derivada por
diferenças finitas:

∆y y − yn y − yn
lim = lim n +1 = lim n +1 (3)
∆x → 0 ∆x ∆ x → 0 xn +1 − xn h → 0 h

onde h = xn+1 − x n é chamado o passo (constante) de integração da equação diferencial. Se a

derivada for escrita como f (xn , y n ) e se se deixar cair o limite de um intervalo infinitesimal,
fica:

1
Física I – LESI 2002/2003 Introdução à Computação em Física

y n +1 − y n
= f ( xn , y n ) (4)
h

e finalmente:

y n + 1 = y n + h f (x n , y n ) (5)

que é a equação que constitui o método de Euler de resolução numérica de equações


diferenciais ordinárias.
No caso da física, considere-se agora a obscura 2ª Lei de Newton:

F (x, v, t ) = m a(x, v, t ) (6)

onde se escreveram a força e aceleração na sua forma mais genérica possível, ou seja, como
funções da posição, velocidade e tempo. A aceleração pode então ser escrita como:

F (x, v, t )
a( x, v, t ) = (7)
m

Ora a velocidade é a derivada da aceleração e a posição a derivada da velocidade:

 dv
 dt = a (x, v, t )

 (8)
 dx
 = v( x, v, t )
 dt

e estas equações diferenciais permitem então implementar o método de Euler para a resolução
numérica da 2ª Lei de Newton para o estudo da dinâmica de uma particula elementar como:

vn +1 = vn + h a(x n , v n , t n )

 (9)
 x = x + h v( x , v , t )
 n +1 n n n n

2
Física I – LESI 2002/2003 Introdução à Computação em Física

Então, se se conhecer a posição e velocidades iniciais a um tempo zero, a aplicação sucessiva


das equações 9 com um passo de integração h constante permite calcular a posição e
velocidades em função do tempo.

1. Considere o movimento a uma dimensão que se obtém quando se arremessa um objecto


na vertical para cima num intante inicial com uma velocidade v0. A força (aceleração) é
constante (não depende da posição, velocidade ou tempo) e neste caso existe resolução
analítica da 2ª Lei de Newton. A posição em função do tempo é dada por:

1
y (t ) = y 0 + v0 t + a t 2
2

a) Considere y0=0 e v0=25 m/s. Calcule numa folha de cálculo a posição em função do
tempo até 5 s através da equação anterior utilizando por exemplo um total de 100 ou
200 pontos para obter um gráfico com resolução suficiente. Calcule também a posição
em função do tempo pela implementação do método de Euler com um passo de
integração de 2, 1 e 0.5 s. Comente os gráficos.
b) Em relação à alínea anterior, acha que seria vantajoso diminuir ainda mais o passo de
integração de Euler ? Repare que neste problema simples existe uma solução analítica
conhecida para a 2ª Lei de Newton e que portanto é fácil concluir se o método de
Euler é suficientemente exacto: basta comparar com os resultados analíticos. No
entanto, em geral, poderá não existir uma solução analítica (este é o caso em que se
pode justificar o uso do método de Euler). Sugira um critério prático simples para
garantir que a solução obtida por Euler é satisfatória do ponto de vista físico.

3
Física I – LESI 2002/2003 Introdução à Computação em Física

Gráficos da altura em função do tempo calculados através da solução analitica e pelo


uso do método de Euler para vários valores numéricos do passo de integração h.

Euler - Dinâmica de uma particula Euler - Dinâmica de uma particula


Movimento 1D - Força gravitica sem atrito Movimento 1D - Força gravitica sem atrito
50

30
40 h = 1.0

20 30
y

y
20
10 y0 = 0 Trajectória
Euler
v0 = 25 m/s 10
Derivadas

0 0
0 1 2 3 4 5 0 1 2 3 4 5
t t
70 Trajectória
Euler 40
60 Derivadas
h = 0.5
50
30
40 h = 2.0
20
y

30

20
10
10

0 0
0 1 2 3 4 5 0 1 2 3 4 5

t t

Euler - Dinâmica de uma particula


Movimento 1D - Força gravitica sem atrito
40

30

20
h = 0.25
y

10

0
0 1 2 3 4 5

t
40

30

20
h = 0.125
y

10

0
0 1 2 3 4 5

4
Física I – LESI 2002/2003 Introdução à Computação em Física

2. Considere o movimento de um projéctil a duas dimensões mas com uma força de atrito
r r
devida à resistência do ar que se pode escrever como Fat = −b v (velocidades
relativamente baixas). O balanço de forças segundo as coordenadas x e y é:

 b
∑ Fx = m a x m a x = −b v x a x = − m v x
  
  
 F = ma m a = −b v − m g 
∑ y  y b
y y
a y = − v y − g
 m

Este é ainda um tipo de movimento relativamente simples e a integração das equações


diferenciais anteriores permite obter a velocidade e a posição em função do tempo:

 b
v (t ) = v e − m t
 x 0x


 b
v (t ) = − m g +  v + m g  e m
− t

 y b 
0y
b 

 m  − t 
b

 x (t ) = x 0 + v 
0x  1 − e m 

 b  



 y (t ) = y − m g t + m v  m g + v  1 − e − m t 
b

0y  
 0
b g
0y
 b 
 

Note como a complexidade matemática, mesmo para um problema relativamente simples,


aumenta consideravelmente. No entanto, não é necessário saber resolver analiticamente as
equações diferenciais para poder calcular a trajectória (e as velocidades e acelerações).
Basta resolver de forma numérica o sistema de equações diferenciais.
a) Considere o caso de uma massa m = 1 kg e b = 0.1 (SI). Calcule numa folha de
cálculo a trajectória utilizando as equações anteriores utilizando por exemplo um total
de 100 ou 200 pontos para obter um gráfico com resolução suficiente. Calcule também

5
Física I – LESI 2002/2003 Introdução à Computação em Física

a trajectória de forma numérica utilizando o método de Euler com um passo de


integração que considere suficientemente pequeno.
b) Calcule a mesma trajectória pelo método de Euler mas agora com um coeficiente de
atrito b = 0.5 (SI). Calcule ainda a trajectória na ausência de atrito b = 0 . Faça um
gráfico com as várias trajectórias sobrepostas e comente.
c) Este exemplo é suficientemente simples para ter solução analitica. Comente a utilidade
do método de Euler para os casos em que não existe solução analítica conhecida.

Gráficos da trajectória de um projectil em presença de atrito em função do passo de


integração h e do coeficiente de atrito b.

Euler - Dinâmica de uma particula Euler - Dinâmica de uma particula


Trajectória projectil 2D com atrito Fat = -b v Trajectória projectil 2D com atrito Fat = -b v

6 6

5 5

4 4

3 3
b = 0.1
y

Analitico
2 h = 0.1 2
h = 0.05 b=0.1, h = 0.005
1 h = 0.005 1 b=0.5, h = 0.0025

0 0
0.0 2.5 5.0 7.5 10.0 12.5 15.0 17.5 0.0 2.5 5.0 7.5 10.0 12.5 15.0 17.5
x x

Euler - Dinâmica de uma particula


Trajectória projectil 2D com atrito Fat = -b v

10

0
v

b = 0.5
vx
-5
vy

-10
0.0 2.5 5.0 7.5 10.0 12.5

6
Física I – LESI 2002/2003 Introdução à Computação em Física

3. Considere o movimento de uma esfera num fluído (liquido ou gasoso). Ao contrário do


que sucede no ar, neste caso a força de atrito devida à resistência imposta pelo fluído não
é em geral desprezável. Esta força de atrito opõe-se sempre à velocidade e verifica-se de
forma empírica que pode ser escrita como:

r r
r r2 v
Fat = −b v − c v r
v

Considere-se uma esfera largada do repouso a descrever um movimento vertical. Se se


arbitrar o sentido positivo do eixo dos yy para cima, a 2ª Lei de Newton que governa o
movimento da particula fica:

m a y = −m g − b v + c v 2

A força de atrito tem dois termos, um proporcional à velocidade que é mais importante
para velocidades baixas e outro proporcional ao quadrado da velocidade que começa a ser
mais importante a velocidades maiores. Se a esfera for largada do repouso, a força de
atrito é inferior à atracção gravítica e a esfera é acelerada. No entanto, à medida que a
velocidade aumenta a força de atrito aumenta também até um instante em que compensa a
gravidade; a partir desse instante a aceleração é nula e alcança-se a velocidade terminal.
a) Considere o caso de uma massa m = 1 kg e valores típicos de b = 0.05 e c = 0.001 nas
unidades adequadas do sistema internacional. Calcule de forma numérica a velocidade
da particula para os primeiros 30 s. Represente graficamente a velocidade e a
aceleração em função do tempo. Para cerce de que tempos é evidente o regime
terminal limite de velocidade constante ?
b) É possível calcular de forma simples a velocidade limite se se admitir que apenas um
dos termos da força de atrito é importante. Faça alternadamente b = 0 e c = 0 na
equação anterior e calcule a velocidade limite. No entanto, na situação física descrita
os dois termos podem ser importantes. A partir das resultados da alínea anterior,
estime a verdadeira velocidade limite e diga se as aproximações de b = 0 ou c = 0
serão razoáveis neste caso. Comente a importância relativa dos dois termos da força de
atrito.

7
Física I – LESI 2002/2003 Introdução à Computação em Física

Gráficos da velocidade e aceleração em função do tempo.

Euler - Dinâmica de uma particula Euler - Dinâmica de uma particula


2 2
Atrito em escoamento em fluidos Fat = -b v -c v Atrito em escoamento em fluidos Fat = -b v -c v
0 0.0

-20 m = 1, b = 0.05, c = 0.001 -2.5


h = 0.025

-40 -5.0
v

a
m = 1, b = 0.05, c = 0.001
-60 -7.5 h = 0.025

-80 -10.0
0.0 7.5 15.0 22.5 30.0 0.0 7.5 15.0 22.5 30.0

t t