Curso Aprovação | Artigos

Página 1 de 5

Contabilidade Geral

Mário Mendes de Barros (PR)
24/02/05 - Exercitando a "DOAR" - Parte IV de V
Como prometi na última vez aqui estão as questões que restavam. Com mais essas 10 dou por encerrado o assunto DOAR. Relembrando novamente:

A DOAR apresenta a variação do CCL. A variação do CCL é positiva quando ele aumenta e negativa quando ele diminui. O seu aumento é, na DOAR, chamado de origens e a sua diminuição de aplicações. Veja o quadro ao lado. Fatos que afetam o CCL, necessariamente, DEVEM "cruzar" a "fronteira" do "circulante/nãocirculante". Fatos que NÃO afetam o CCL, necessariamente, NÃO PODEM "cruzar" a "fronteira" do "circulante/não-circulante". Vamos então às questões: 25) (AFC-STN/97) Considere os dados abaixo: Aluguéis a Pagar 10 Bancos conta movimento 40 Caixa 20 Capital 300 Depreciação Acumulada de Imóveis 30 Depreciação Acumulada de Máquinas e Equipamentos 40 Depreciação Acumulada de Móveis e Utensílios 20 Depreciação Acumulada de Veículos 50 Duplicatas a Pagar 240 Duplicatas a Receber 400 Duplicatas Descontadas 150 Financiamentos-vencíveis em 1997 120 Financiamentos-vencíveis em 1998 100 Imóveis 100 Impostos a Pagar 80 Impostos a Recuperar 50 Juros a Vencer 20 Máquinas e Equipamentos 80 Mercadorias para Revenda 170 Móveis e Utensílios 40 Prejuízos Acumulados 90 Reservas de Capital 60 Salários a Pagar 80 Seguros a Vencer 20 Veículos 250 Indique a opção que contém os valores do Ativo Total, do Passivo Circulante e do

http://www.cursoaprovacao.com.br/cms/artigo.php?cod=963

6/8/2008

Curso Aprovação | Artigos

Página 2 de 5

Capital Circulante Líquido, nessa ordem, constantes do Balanço, levantado em 31.12.96, com os dados do balancete acima. a) 900; 630 e (60) b) 900; 530 e 40 c) 900; 410 e 160 d) 750; 680 e (260) e) 750; 560 e (140) CONSIDERAÇÕES: Aqui temos: AC AÑC PC Aluguéis a Pagar 10 Bancos conta movimento 40 Caixa 20 Depreciação Acumulada de Imóveis (30) Depreciação Acumulada de Máquinas e Equipamentos (40) Depreciação Acumulada de Móveis e Utensílios (20) Depreciação Acumulada de Veículos (50) Duplicatas a Pagar 240 Duplicatas a Receber 400 Duplicatas Descontadas (150) Financiamentos-vencíveis em 1997 120 Imóveis 100 Impostos a Pagar 80 Impostos a Recuperar 50 Juros a Vencer 20 Máquinas e Equipamentos 80 Mercadorias para Revenda 170 Móveis e Utensílios 40 Salários a Pagar 80 Seguros a Vencer 20 Veículos 250 570 330 530 Soma

CONTA

Portanto, o ativo total é 900 = (570+330), o PC é 530 e o CCL é 40 (570-530) RESPOSTA: "b" 26) (TCU-2000) Abaixo estão os saldos contábeis comparativos de 1998 e 1999 da EMPRESA S.A., colhidos no livro razão para fins de elaboração das Demonstrações Financeiras do exercício: Contas 1998 1999 Caixa 200,00 160,00 Capital Social 400,00 400,00 Clientes 600,00 460,00 Debêntures Emitidas - Longo Prazo -0400,00 Depreciação Acumulada Equipamentos -010,00 Depreciação Acumulada Veículos 40,00 80,00 Dividendos a Pagar 240,00 700,00 Equipamentos -0100,00 Fornecedores 580,00 360,00 Mercadorias 400,001.840,00 Provisão p/ Devedores Duvidosos 40,00 60,00 Reservas de Lucro 100,00 910,00 Salários a Pagar 60,00 80,00 Seguros a Vencer 60,00 40,00 Veículos 200,00 400,00 Custo da Mercadoria Vendida ------- 860,00 Despesas Operacionais ------- 530,00 Outras Receitas Operacionais ------- 460,00 Receitas Não Operacionais ------- 380,00

http://www.cursoaprovacao.com.br/cms/artigo.php?cod=963

6/8/2008

Curso Aprovação | Artigos

Página 3 de 5

Vendas ------- 2.000,00 Observações: - Apenas R$ 50,00 das despesas operacionais referem-se a depreciações do período. - Do lucro líquido, R$ 810,00 foram creditados a "Reservas". Todo o restante foi destinado ao pagamento de dividendos. Com base nas informações acima, podemos afirmar que, na Demonstração de Origens e Aplicação de Recursos (DOAR) dessa empresa, no exercício de 1999, constará no item II - Aplicação de Recursos, o total de: a) R$ 540,00 b) R$ 300,00 c) R$ 960,00 d) R$ 940,00 e) R$ 850,00 CONSIDERAÇÕES: Apurando o resultado do período, temos: Custo da Mercadoria Vendida (860,00) Despesas Operacionais (530,00) Outras Receitas Operacionais 460,00 Receitas Não Operacionais 380,00 Vendas 2.000,00 RESULTADO 1.450,00 I - Origens Lucro do período 1.450,00 Depreciação do período 50,00 Debêntures lançadas no período 400,00 Total 1.900,00 II - Aplicações Dividendos 640,00 = 1.450,00 - 810,00 Ingressos no permanente (Equiptos. e Veículos) 300,00 Total 940,00 Assim, concluímos que no item II Aplicações de Recursos da DOAR será de R$ 940,00. RESPOSTA: "d" 27) (AGERS/RS-98) Considere os saldos finais das contas correspondentes ao balancete do período. (ajustado) 50 Fornecedores Salários 10 Empréstimos 17 Vendas 35 Clientes 37 L/P. Acumulados08 Estoque 40 Caixa 10 Bancos 20 CMV 23 Capital Social 30 Sabendo-se que o valor das compras foi 25, a alternativa que contém os valores do patrimônio líquido, do capital circulante líquido, do estoque inicial e do lucro do período, respectivamente, é: a) 50, 38, 10 e 20 b) 40,107, 38 e 20 c) 50,107, 38 e 2 d) 40, 40, 38 e 2 e) 40, 38, 38 e 8 CONSIDERAÇÕES: Sabendo-se que:

http://www.cursoaprovacao.com.br/cms/artigo.php?cod=963

6/8/2008

Curso Aprovação | Artigos

Página 4 de 5

CMV = EI + C - EF Se substituirmos o que já é informado no enunciado: 23 = EI + 25 - 40 Chegaremos a: EI = 23 + 40 - 25 Portanto: o Estoque inicial era de 38 Agrupando os valores, teremos: A.C. P.C. P.L. Res. Fornecedores 50 Salários -10 Empréstimos 17 Vendas 35 Clientes 37 L/P. Acumulados 8 Estoque inicial 40 Caixa 10 Bancos 20 CMV -23 Capital Social 30 107 67 38 2 O Lucro Líquido do período, como se vê é de 2 . O P.L. será de 40 . Uma vez que ele é obtido da soma dos saldos das contas do PL adionando-se a estes o resultado do período. Assim, o Capital Circulante Líquido será de 40 . Pois, como sua fórmula é CCL = AC - PC, feita a operação (CCL = 107 - 67) este será o valor a que chegaremos. RESPOSTA: "d"

28) (CVM/2001) A firma Experimental Limitada constatou, em 30 de junho, que, para iniciar o segundo semestre, seu negócio tinha um investimento total de R$ 10.000,00, com dois quintos (2/5) financiados com recursos de terceiros, significando um bom aporte de recursos próprios. O capital circulante líquido estava negativo em R$ 700,00, apesar de a empresa só estar operando a curto prazo e de não trabalhar com antecipação de receitas e despesas. O Ativo Permanente da firma era, portanto, de a) R$ 10.000,00 b) R$ 6.700,00 c) R$ 4.700,00 d) R$ 3.300,00 e) R$ 700,00 CONSIDERAÇÕES:

Neste caso (como em tantos outros), precisamos lembrar da equação fundamental do patrimônio (A = PE + PL) e bem assim, de que o Balanço Patrimonial é um demonstrativo que apresenta uma situação de equilíbrio; ou seja: o total do ativo sempre será igual ao "total" do passivo. Pois bem... Se o "investimento total" era de 10.000,00 e os recursos de terceiros representavam 2/5 do todo, conclui-se que o capital de terceiros (P.E.) era de 4.000,00 e, por conseqüência que o Capital Próprio (P.L.) era de 6.000,00. Agora! Se o Capital Circulante Líquido era NEGATIVO de 700,00, a única conclusão a que podemos chegar é que o Ativo Circulante é 3.300,00 e o Ativo Permanente é de 6.700,00. CCL = -700,00, onde PC = 4.000,00, temos è -700 = AC - 4.000 è AC = 4.000 - 700.

http://www.cursoaprovacao.com.br/cms/artigo.php?cod=963

6/8/2008

Curso Aprovação | Artigos

Página 5 de 5

RESPOSTA: "b"

Os conceitos e opiniões veiculadas nos textos são de responsabilidade exclusiva do autor.

http://www.cursoaprovacao.com.br/cms/artigo.php?cod=963

6/8/2008

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful