You are on page 1of 7

Protagonismo Juvenil: como o adolescente e o

jovem brasileiro participam da sociedade?

Autoria: Ilanud*

I. Participação Social de Adolescentes


II. Participação Social de Jovens

Participação Social de Adolescentes

Em primeiro lugar, há que se fazer uma importante distinção entre "adolescente"


e "jovem". De acordo com o ECA, adolescente é toda a pessoa com idade entre
12 e 18 anos. Já o termo "juventude" é um pouco mais difícil de se definir, vez
que não está previsto em lei. Assim, para a análise em questão adotaremos
como jovem a pessoa com idade entre 15 e 24 anos.

O Estado brasileiro oferece ao adolescente com 16 anos completos a


possibilidade de participar formalmente da escolha democrática de seus
representantes políticos através do voto direto (facultativo dos 16 aos 18 anos).
Dados do Tribunal Superior Eleitoral indicam que, em 2000, 43% dos
adolescentes com idade entre 16 e 17 anos já possuíam título eleitoral. Sobre o
tema, a pesquisa "A Voz dos Adolescentes" lançada pelo UNICEF em julho de
2002, realizada com adolescentes de 12 a 17 anos de todo o país, nos traz
alguns outros dados. Vejamos.

A pesquisa analisou a inserção dos adolescentes no processo eleitoral segundo


as regiões do país e concluiu que: as regiões Sudeste e Centro-Oeste contam
com mais adolescentes em idade eleitoral que já possuem título de eleitor:
52,2% e 51,6%, respectivamente. Já no Norte do país apenas 34,7% dos
adolescentes em idade eleitoral possuem título de eleitor, enquanto que no Sul
este percentual é de 29,5% e no Nordeste 24,3%. Do total de adolescentes
brasileiros em idade eleitoral, apenas 20,1% declararam participar das eleições
votando e 3,4% votam e fazem campanha eleitoral para o candidato de sua
preferência. Em contrapartida, 41,3% dos adolescentes disseram que não
votavam por acharem que não tinham ainda idade suficiente para tanto.

Tabela 1 - Adolescentes em idade eleitoral (=16 anos), por região,


segundo posse de título de eleitor, 2001/2002 (%)

Possui Sul Centro- Norte Sudeste Nordeste Brasil


título? Oeste

Sim 29,5 51,6 34,7 52,2 24,3 38,6


Não 70,5 48,4 65,3 47,8 75,7 61,4
Total 100 100 100 100 100 100
(N) (166) (161) (118) (624) (604) (1.673)
Fonte: Pesquisa "A Voz dos Adolescentes",
UNICEF/Fator OM/2002.

Tabela 2 - Adolescentes em idade eleitoral (=16 anos), segundo


participação nas eleições dos governantes, 2001/2002 (%)

Você participa nas eleições dos governantes? Brasil

Não participo porque não tenho idade 41,3


Participo votando 20,1
Participo votando e fazendo campanha para o 3,4
meu candidato
Tenho idade para participar, mas não participo, 21,9
porque não gosto de política
Outros 7,6
Total (N) 100 (1.673)
Fonte: MS/SVS/DASIS - Sistema de Informações sobre
Mortalidade (SIM), apud Mapa da Violência em São Paulo,
2005.

Mas não é apenas através do voto que o adolescente e o jovem participam da


sociedade. Existem outros mecanismos por meio dos quais os adolescentes e
jovens brasileiros têm se manifestado; um deles é o chamado "protagonismo
juvenil", que pode ser entendido como a ação construtiva do jovem que não se
problemas sociais e em seguida adota um posicionamento enérgico com o
intuito de modificá-los.

A pesquisa do UNICEF também abordou este tema e concluiu que do total de


adolescentes entrevistados, 65% deles nunca participaram de associações
comunitárias, grêmios escolares, discussões sobre problemas no bairro ou
mesmo da organização de gincanas. Um total de 16% de adolescentes
relataram que já participaram de ações voluntárias, sendo que: 20% auxiliaram
campanhas para recolher donativos (alimentos, agasalhos etc.); 16% integraram
campanhas contra a fome e 10% engajaram-se em ações de preservação do
meio ambiente. Entretanto, 84% dos entrevistados participaram destas ações
apenas de 1 a 3 vezes. Ou seja, o trabalho voluntário é algo esporádico na vida
da maioria dos adolescentes brasileiros. Os grêmios escolares contam com a
participação de 13% dos adolescentes e a organização de gincanas apresenta
igual percentual de participação.

Participação Social de Jovens

A pesquisa "Perfil da Juventude Brasileira", que foi realizada para o Projeto


Juventude por meio de uma parceria entre o Instituto Cidadania, o SEBRAE e o
Instituto de Hospitalidade, buscou mapear e delimitar os espaços sociais
ocupados pelos jovens brasileiros. O trabalho, realizado em 2003, analisou o
comportamento e o que pensa a população de 15 a 24 anos residente no
território brasileiro: 34,1 milhões de jovens, ou 20,1% do total da população do
Brasil, conforme o Censo 2000 do IBGE.

Esta análise indicou que somente 15% dos jovens brasileiros participam de
grupos de jovens, enquanto que 85% dizem não participar.
Participação em grupos de jovens

(%)
Clique na Imagem para Ampliar
Fonte: Perfil da Juventude Brasileira

Esta participação também sofre alterações se analisarmos a questão de acordo


com a faixa etária e o gênero. De acordo com as tabelas abaixo apresentadas
os jovens do sexo masculino participam mais do que as jovens do sexo feminino
(17% dos meninos participam de grupos de jovens enquanto que apenas 13%
das meninas o fazem) e que esta participação tende a diminuir conforme
aumenta a idade dos jovens. Na faixa dos 15 aos 17 anos, 21% dos jovens
participam, contra apenas 11% dos jovens com idade entre 21 e 24 anos.

Participação em grupos de jovens por


gênero e idade (%)

Clique na Imagem para Ampliar


Fonte: Perfil da Juventude Brasileira

Quando indagados sobre quais grupos participam e quais atividades realizam,


4% responderam que participam de grupos de jovens da Igreja, 3% participam
de grupos de música e 2% e 1% disseram que participam de grupos de teatro e
de futebol, respectivamente.
Atividade dos grupos dos quais participa
espontânea e múltipla, (em %)

Clique na Imagem para Ampliar


Fonte: Perfil da Juventude Brasileira

Quando indagados sobre quais associações participam ou gostariam de


participar, as respostas demonstraram que muitos jovens não participam de
associações, mas que gostariam. Por exemplo: 60% dos jovens disseram que
gostariam de participar de Associações ou Conselhos ligados a Educação e
Saúde. Neste caso, apenas 2% dos jovens relatam integrar este tipo de
organização. Os grupos religiosos congregam 17% dos jovens, os clubes e
associações esportivas têm cerca de 3% dos jovens brasileiros como
associados e os grêmios e associações de bairro possuem cerca de 2% dos
jovens brasileiros como membros.

Participação em associações e entidades


(Estimulada, em

%)
Clique na Imagem para Ampliar
Fonte: Perfil da Juventude Brasileira
Quando o assunto é fazer algum trabalho social ou montar um negócio que
fosse bom para a comunidade do bairro, 68% dos jovens disseram que nunca
pensaram em fazer, 10% pensaram em fazer, mas depois desistiram, 20%
ainda querem fazer. Apenas 2% já realizam algum trabalho social, o que
representa apenas cerca de 108 mil e 200 pessoas, em um total de 34,1
milhões de jovens brasileiros. Se analisarmos a questão com um enfoque de
idade e de gênero, conclui-se que os jovens de ambos os sexos com idade
entre 21 e 24 anos são aqueles que mais participam: representam 3% de
participação social.

Já pensou em fazer algum trabalho social ou


montar negócio no bairro, que fosse bom
para a comunidade?

Clique na Imagem para Ampliar


Fonte: Perfil da Juventude Brasileira

Dentre aqueles que gostariam de realizar atividades sociais, há um dado


interessante: 30% acreditam que o trabalho social garantiria seu sustento,
enquanto que 22% acham que não seria possível se sustentar apenas
realizando alguma atividade social.

A pergunta que resta é: tendo em vista que cerca de 30% se interessariam em


realizar este tipo trabalho social, o que justificaria o fato de somente 2% da
população jovem efetivamente fazer estas ações? A resposta deve abarcar,
necessariamente, diversos fatores, por ora indetermináveis: o desconhecimento
de entidades que financiam projetos sociais, o não domínio de conhecimentos
técnicos de gestão para o desenvolvimento da atividade, dentre outros.
Expectativa de sustento com a atividade que
empreenderia - estimulada e única, em %.

Clique na Imagem para Ampliar


Fonte: Perfil da Juventude Brasileira

De uma forma geral, os dados apresentados revelam que adolescentes e jovens


pouco participam do processo formal democrático e de trabalhos comunitários
ou sociais. As pesquisas mostram que adolescentes e jovens possuem vontade
e interesse em participar de ações sociais, mas que não se sentem à vontade
para tanto, ou mesmo não sabem como; a título ilustrativo, basta lembrar dos
adolescentes que possuem título eleitoral e, no entanto, preferem não votar por
não se sentirem preparados e o alto percentual de jovens que desejariam
desenvolver alguma atividade social, mas não sabe como. Nossos adolescentes
e jovens não participam pois não querem ou não se interessam, mas porque
não sabem ao certo como participar ou mesmo a importância da sua
participação na sociedade. Mãos à obra!!!

* O Instituto Latino Americano das Nações Unidas para Prevenção do Delito


e Tratamento do Delinqüente (Ilanud) é parceiro do RISolidaria.