Exercícios Complementares 1.

2
1.2A Dê exemplo de uma seqüência ¦a
n
¦ ; não constante, para ilustrar cada situação abaixo:
(a) limitada e crescente (b) limitada e decrescente
(c) limitada e não monótona (d) não limitada e não crescente
(e) não limitada e não monótona (f) monótona e não limitada.
1.2B Em cada caso abaixo, encontre os quatro primeiros termos da seqüência:
(a) a
n
=
1
2n ÷1
(b) b
n
=

n + 1 ÷

n (c) c
n
= (÷1)
n
n:
1.2C Esboce o grá…co da seqüência de termo geral a
n
=
n
n + 1
e veri…que quantos pontos da
forma (n; a
n
) estão fora da faixa horizontal determinada pelas retas y = 4=5 e y = 6=5:
1.2D Dê exemplo de uma seqüência limitada e não monótona que possui uma subseqüência
crescente.
1.2E Expresse pelo seu termo geral cada seqüência dada abaixo:
(a) 1; 1=2; 1=3; 1=4; : : : (b) 1=2; 1=4; 1=8; 1=16; : : : (c) 1; 0; 1; 0; 1; : : :
(d) 0; 2; 0; 2; 0; 2; 0; : : : (e) 1; 9; 25; 49; 81; : : : (f) 0; 3; 2; 5; 4; : : :
(g) 2; 1; 3=2; 1; 4=3; 1; : : : (h) 0; 3=2; ÷2=3; 5=4; ÷4=5; : : : (i)1; 3=2; 2; 5=2; 3; : : :
(j) ÷4; ÷2; ÷4; ÷2; : : : (k) 1=2; ÷1=4; 1=6; ÷1=8; : : : (l) 1; 10; 2; 10
2
; 3; 10
3
; : : :
1.2F Classi…que as seqüências do Exercício 1.2E quanto à limitação e monotonia e selecione
de (e), (f) e (l) uma subseqüência crescente. Qual daquelas seqüências possui um subseqüência
constante? Recorde-se que: (i) toda seqüência é uma subseqüência dela própria e (ii) uma seqüência
possui uma subseqüência constante quando essa constante se repetir uma in…nidade de vêzes!
1.2G Considere as funções f (x) = cos x, g (x) = senx e h(x) = (1 + x)
1
. Encontre ex-
pressões para as derivadas de ordem n dessas funções, no ponto x = 0.
2 SEQÜÊNCIAS NUMÉRICAS CAP. 1
1.2H Determine o sup e o inf das seguintes seqüências:
¸
÷n
2
+ n

;

2
n
n!
¸
;

2
3n ÷4
¸
;

1 ÷
1
n
¸
; ¦lnn¦ ;

3n
2
n
2
+ n
¸
; ¦(÷2)
n
¦ :
1.2I Dê exemplo de uma seqüência ¦a
n
¦ não constante, crescente e limitada superiormente.
Por observação de seus termos, estude o comportamento da seqüência quando n ÷ ·: Faça a
mesma análise com uma seqüência decrescente e limitada inferiormente.
1.2J Dê exemplo de uma seqüência ¦a
n
¦ cuja distância entre quaisquer dois termos consecu-
tivos é igual 4.
1.2K Dê exemplo de uma seqüência ¦a
n
¦ com as seguintes características: os termos de ordem
par estão entre 3 e 4, os termos de ordem ímpar estão entre 4 e 5, mas todos se aproximam do
número 4, à medida que o índice n vai aumentando.
1.2L Considere a seqüência de termo geral a
n
= 1 +
2
p
3
sen
(2n+2)
3
. Escreva os 10 primeiros
termos da seqüência (a
n
) e calcule a
201
:
Exercícios Complementares 1.4
1.4A Falso ou verdadeiro? Procure justi…car as a…rmações falsas com um contra-exemplo.
(a) toda seqüência convergente é limitada;
(b) toda seqüência limitada é convergente;
(c) toda seqüência limitada é monótona;
(d) toda seqüência monótona é convergente;
(e) a soma de duas seqüências divergentes é divergente;
(f) toda seqüência divergente é não monótona;
(g) se uma seqüência convergente possui uma in…nidade de termos nulos, seu limite é zero;
(h) toda seqüência divergente é não limitada;
(i) se uma seqüência possui uma subseqüência convergente, ela própria converge;
(j) toda seqüência alternada é divergente;
SÉRIES E EQUAÇÕES DIFERENCIAIS MPMATOS 3
(k) toda seqüência decrescente limitada é convergente e seu limite é zero;
(l) se uma seqüência ¦a
n
¦ diverge, então ¦[a
n
[¦ também diverge;
(m) se a seqüência ¦[a
n
[¦ converge então ¦a
n
¦ também converge;
(n) se a seqüência ¦[a
n
[¦ converge para zero, então ¦a
n
¦ também converge para zero;
(o) se a
n
_ b
n
; \n; ¦a
n
¦ crescente e ¦b
n
¦ convergente, então ¦a
n
¦ converge;
(p) se ¦a
n
¦ é convergente, então ¦(÷1)
n
a
n
¦ também converge;
(q) a seqüência ¦a
n
¦ de…nida por a
1
= 1 e a
n+1
=
na
n
n + 1
é convergente;
(r) a seqüência ¦a
n
¦ de…nida por a
1
= 1 e a
n+1
= 1 ÷a
n
é convergente;
(s) se a
n
= 0; \n; e lim
n!1

a
n+1
a
n

= l < 1, então lim
n!1
a
n
= 0:
1.4B Dê exemplo de duas seqüências ¦a
n
¦ e ¦b
n
¦ tais que lim
n!1
a
n
= 0 e ¦a
n
b
n
¦ seja divergente.
Por que isso não contradiz o Critério 1.3.9?
1.4C Usando a de…nição de limite, prove que:
(a) lim
n!1
n
2n ÷1
=
1
2
(b) lim
n!1
sen

n
5
+ n

n
= 0 (c) lim
n!1
3n
2
+ 1
n
2
= 3
(d) lim
n!1
5 + n
2 + 3n
=
1
3
(e) lim
n!1
5
2 + 3n
= 0 (f) lim
n!1

2 +
1
n

= 2:
1.4D Calcule o limite das seguintes seqüências:
(a)
n ÷1
n + 1
(b) nsen

n

(c)
lnn
e
n
(d)
4n
2
÷3n
n
2
+ 5n ÷6
(e)
n
2
n + 1
÷
n
2
n + 2
(f)

1 +
1
3n

n
(g)

n! + e
2n
5

n! ÷e
n
(h)
n
e
n
(i)
3n

n + 1
7 ÷2n

n
(j)

1 +
2
n

n
(k) n
1
n
(l)
1
3
n+1
+

3
4

n3
(m)
2
n
e
n
(n)
n

n
2
+ n (o)

n + 1 ÷

n
(p)
n

a ; a > 0 (q)
3
n
+ (÷2)
n
3
n+1
+ (÷2)
n+1
(r)
n!
3
n+1
(s)
(n + 1)
n
n
n+1
(t)
3

n
2
sen

n
2

n + 2
1.4E Em cada caso veri…que se a seqüência é convergente ou divergente:
4 SEQÜÊNCIAS NUMÉRICAS CAP. 1
(a)

n
2
+ 1 ÷

n (b)
2
n
n!
(c)
1

n
2
+ 1 ÷

n
(d)
2
n
1 + 2
n
(e)
n
2
2n ÷1
÷
n
2
2n + 1
(f)
(÷1)
n
n
(g)
1 3 5 ::: (2n ÷1)
n!2
n
(h)
n
2
n
+
(÷1)
n
n
(i)
n
n
n!
(j)
n
2
n
(k)
n!
1 3 5 ::: (2n ÷1)
(l)
n
2
ln(n + 1)
(m) ln(e
n
÷1) ÷n (n) 1 + (÷1)
n
(o)
8

n
2
+ 1 ÷
4

n + 1 (p) sen(n=2)
1.4F Prove que lim
n!1
(3
n
+ 4
n
)
1=n
= 4. Se a; b _ 0; mostre que lim
n!1
(a
n
+ b
n
)
1=n
= max ¦a; b¦ :
1.4G Se [r[ < 1, use o Critério da Razão 1.3.17 para mostrar que lim
n!1
nr
n
= 0: Se r > 1,
mostre que lim
n!1
r
n
= ·: E se r < ÷1?
1.4H Mostre que

1 + r + r
2
+ + r
n1

(1 ÷r) = 1 ÷ r
n
. Se [r[ < 1; use essa relação e
deduza que
lim
n!1

1 + r + + r
n1

=
1
1 ÷r
:
Agora, identi…que a seqüência

2;

2

2;

2

2

2; : : : com aquela de termo geral a
n
= 2
1
2
+
1
4
++
1
2
n
e calcule seu limite.
1.4I Seja ¦b
n
¦ uma seqüência convergente, com b
n
= 0; \n; e lim
n!1
b
n
= 0: A partir da de…nição
de limite, mostre que a sequência ¦1=b
n
¦ é limitada. Isto foi usado na demonstração da Propriedade
1.3.7(e).
1.4J Mostre que lim
n!1

sen(

2
2
) sen(

3
2
) sen(

4
2
) : : : sen(

n
2
)

= 0: (não use o produto de
limites!)
1.4K Considere a seqüência cujos termos são de…nidos pela recorrência: a
1
= 5 e a
n+1
=

a
n
:
Estes termos podem ser gerados em uma calculadora, introduzindo-se o número 5 e pressionando-se
a tecla

x .
(a) Descreva o comportamento de ¦a
n
¦ quando n aumenta;
(b) Convença-se de que a
n
= 5
1=2
n
e calcule lim
n!1
a
n
:
1.4L Em uma calculadora uma seqüência é gerada introduzindo-se um número e pressionando-
se a tecla 1=x . Em que condições a seqüência tem limite?
SÉRIES E EQUAÇÕES DIFERENCIAIS MPMATOS 5
1.4M Seja f : R ÷R uma função derivável com f (0) = 0: Calcule lim
n!1
nf(
1
n
). Quanto vale
lim
n!1
n arctg(
1
n
)?
1.4N Seja f : R ÷R uma função derivável tal que f (x) > ÷1; \x; e lim
x!1
f (x) = 0: Dê
exemplo de uma tal função e calcule o limite da seqüência a
n
=
ln(1 + f (n))
f (n)
:
1.4O Considere a seqüência (a
n
) de…nida pela recorrência: a
1
= 1 e a
n
= a
n1
+ cos a
n1
;
para n _ 2. Mostre que (a
n
) é monótona limitada e, portanto, convergente e que lima
n
= =2:
1.4P Uma população estável de 35.000 pássaros vive em três ilhas. Cada ano, 10% da po-
pulação da ilha A migra para ilha B, 20% da população da ilha B migra para a ilha C e 5% da
população da ilha C migra para ilha A. Denotando por A
n
; B
n
e C
n
, respectivamente, os números
de pássaros nas ilhas A; B e C, no n-ésimo ano antes da ocorrência da migração e admitindo a
convergência das seqüências ¦A
n
¦ ; ¦B
n
¦ e ¦C
n
¦, dê uma aproximação do número de pássaros em
cada ilha após muitos anos.
Exercícios Complementares 1.6
1.6A Use o Método de Indução Finita para provar as seguintes relações:
(a) 1 + 3 + 5 + ::: + (2n ÷1) = n
2
;
(b) 1
2
+ 2
2
+ 3
2
+ ::: + n
2
=
1
6
n(n + 1) (2n + 1);
(c) 1
3
+ 2
3
+ 3
3
+ ::: + n
3
=
¸
n(n + 1)
2

2
;
(d) 1
2
+ 3
2
+ 5
2
+ ::: + (2n ÷1)
2
=
1
3
(4n
3
÷n);
(e) (1 + x)

1 + x
2

1 + x
4

:::

1 + x
2
n

=
1 ÷x
2
n+1
1 ÷x
; o ponto de partida é n = 0;
(f)
n
¸
k=1
ln
¸
(k + 1)
2
k (k + 2)
¸
= ln 2 + ln

n + 1
n + 2

:
1.6B Mostre que n

n
2
+ 5

é divisível por 6. (sug. use o Exemplo 1.5.3).
1.6CUma função f : R ÷R satisfaz a: f(xy) = f (x)+f(y); \x; y. Prove que f (a
n
) = nf (a) :
6 SEQÜÊNCIAS NUMÉRICAS CAP. 1
1.6D Represente por

n
k

o coe…ciente binomial
n!
k! (n ÷k)!
, onde k e n são números inteiros
positivos e k _ n: Mostre que:
(a)

n
k ÷1

+

n
k

=

n + 1
k

;
(b) (x + y)
n
=
n
¸
k=0

n
k

x
k
y
nk
.
1.6E Demonstre a seguinte regra de Leibniz para derivação:
[fg]
(n)
=
n
¸
k=0

n
k

f
(nk)
g
(k)
:
1.6F Seja r _ 0 um número real. Mostre que (1 + r)
n
_ 1 + nr +
n(n ÷1)
2
r
2
e deduza a
partir daí a desigualdade de Bernoulli: (1 + r)
n
_ 1 + nr:
1.6G Se r é um número real = 1, mostre que 1 +r +r
2
+::: +r
n1
=
1 ÷r
n
1 ÷r
: De forma mais
geral, você pode demonstrar que se x e y são números reais, então:
x
n
÷y
n
= (x ÷y)

x
n1
+ x
n2
y + + xy
n2
+ y
n1

; n ÷ N:
1.6H Mostre que
1 3 5 : : : (2n ÷1)
2 4 6 : : : (2n)
_
1
2n
; \n ÷ N:
1.6I Mostre que lim
x!1
x
(lnx)
n
= ·; \n = 0; 1; 2; 3; : : :
1.6J Uma seqüência ¦b
n
¦ é de…nida por: b
1
= ÷1 e b
n
=
(1 ÷n) b
n1
n
2
; n _ 2: Use o Método
de Indução Finita e prove que b
n
=
(÷1)
n
n!n
:
1.6K Considere a seqüência de Fibonacci : a
1
= 1; a
2
= 1 e a
n
= a
n1
+ a
n2
; para n _ 3.
Mostre que
a
n
=
1
2
n

5

1 +

5

n
÷

1 ÷

5

n

:
1.6L Considere a seqüência a
n
=
n
(n + 1)!
e mostre por indução que
a
1
+ a
2
+ a
3
+ : : : + a
n
= 1 ÷
1
(n + 1)!
:
SÉRIES E EQUAÇÕES DIFERENCIAIS MPMATOS 7
1.6M Em cada caso abaixo, encontre o primeiro inteiro positivo n
0
para o qual a sentença
é verdadeira e, usando a extensão do Método de Indução, prove que a sentença matemática é
verdadeira para qualquer número inteiro maior do que n
0
:
(a) 10
n
_ n
n
(b) n
2
+ 18 _ n
3
(c) 5 + log
2
n _ n (d) 2n + 2 _ 2
n
(e) 2
n
_ n! (f) n + 12 _ n
2
(g) nlog
2
n + 9 _ n
2
(h) n
2
_ 2
n
:
8 SEQÜÊNCIAS NUMÉRICAS CAP. 1
Respostas e Sugestões
Exercícios 1.2
1.2A (a)

n
n+1
¸
(b)
¸
1
n

(c) ¦(÷1)
n
¦ (d) ¦÷n¦ (e) ¦(÷1)
n
n¦ (f) ¦n¦
1.2B
(a) 1; 1=3; 1=5; 1=7 (b)

2 ÷1;

3 ÷

2; 2 ÷

3;

5 ÷2 (c) ÷1; 2; ÷3; 4
1.2C Os termos a
1
; a
2
e a
3
estão fora da faixa; o termo a
4
está na fronteira e a partir do
quinto todos os termos estão dentro da faixa.
1.2D A seqüência a
n
=
(÷1)
n
n
é limitada e não monótona e a subseqüência a
2n1
=
÷1
2n ÷1
é crescente.
1.2E
(a) 1=n (b) 1=2
n
(c) [1 + (÷1)
n+1
]=2 (d) 1 + (÷1)
n
(e) (2n ÷1)
2
(f) (÷1)
n
+ n (g)
(÷1)
n1
+ n + 2
n + 1
(h) (÷1)
n
+1=n (i)
n + 1
2
(j) ÷3+(÷1)
n
(k)
(÷1)
n+1
2n
(l) [1 + (÷1)
n
]
10
n=2
2
+
[1 + (÷1)
n+1
]
n + 1
4
1.2F Limitada: (a), (b), (c), (d), (g), (j) e (k); Crescente: (d); Decrescente: (a) e (b). Em
(e), (f) e (l) as subseqüências pares são crescentes e (c), (d), (g) e (j) são as únicas que possuem
subseqüências constantes.
1.2G f
(n)
(0) = cos(n=2); g
(n)
(0) = sen(n=2); h
(n)
(0) = (÷1)
n
n!
1.2H ÷n
2
+ n 2
n
=n! 2=(3n ÷4) (÷2)
n
1 ÷1=n lnn 3n
2
=

n
2
+ n

sup 0 2 1 · 1 · 3
inf ÷· 0 ÷2 ÷· 0 0 3=2
1.2I A seqüência de termo geral a
n
=
n
n + 1
é crescente limitada e seus termos se aproximam
de 1, quando n tende para ·:
1.2J a
n
= 2 (÷1)
n
1.2K a
n
= 4 + (÷1)
n+1
=n.
Exercícios 1.4
1.4A (a) V (b) F (c) F (d) F (e) F (f) F (g) V (h) F (i) F (j) F (k) F (l) F
(m) F (n) V (o) V (p) F (q) V (r) F (s) V
SÉRIES E EQUAÇÕES DIFERENCIAIS MPMATOS 9
1.4B Considerando as seqüências a
n
= 1=n e b
n
= n
2
; então a seqüência a
n
b
n
= n é divergente
com limite ·. Nesse caso, a seqüência b
n
não é limitada, como exige o Teorema 1.2.9.
1.4D (a) 1 (b) (c) 0 (d) 4 (e) 1 (f)
3

e (g) 1/5 (h) 0 (i) ÷3=2 (j) e
2
(k) 1
(l) 0 (m) 0 (n) 1 (o) 0 (p) 1 (q) 1/3 (r) · (s) 0 (t) 0
1.4E (a) D (b) C (c) C (d) C (e) C (f) C (g) C (h) C (i) D (j) C (k) C (l) D
(m) C (n) C (o) D
1.4H Para comprovar a relação

1 + r + r + + r
n1

(1 ÷r) = 1÷r
n
é su…ciente distribuir
o produto do lado esquerdo. Se [r[ < 1, então r
n
÷ 0 e, sendo assim, lim

r + r
2
+ + r
n

=
r
1 ÷r
. Para r = 1=2, obtemos lim

1
2
+
1
4
+
1
8
+ +
1
2
n

= 1 e, conseqüentemente, lima
n
= 2:
1.4L A seqüência convergirá se o número r introduzido na calculadora for igual a ±1:
1.4M Usando a de…nição de derivada, é fácil deduzir que lim
n!1
nf
0
(1=n) = f
0
(0) : Para f (x) =
arctg x; temos f
0
(x) =
1
1 + x
2
e daí f
0
(0) = 1: Assim, lim
n!1
narctg(1=n) = 1:
1.4N A função f (x) = ÷exp

÷1=x
2

, para x = 0 e f (0) = 0 atende às condições exigidas e
lima
n
= 1:
1.4P Temos que A
n+1
= 0:9A
n
+ 0:05C
n
; B
n+1
= 0:1A
n
+ 0:8B
n
e C
n+1
= 0:95C
n
+ 0:2B
n
.
Denotando, respectivamente, por A; B e C os limites das seqüências ¦A
n
¦ ; ¦B
n
¦ e ¦C
n
¦, encon-
tramos 10.000 na ilha A, 5.000 na ilha B e 20.000 na ilha C.

an ) estão fora da faixa horizontal determinada pelas retas y = 4=5 e y = 6=5: 1. 1. 1=6. 5. : : : (g) 2. : : : (i)1. : : : (b) 1=2. 3. 4=3. 3=2. 2. 2. : : : (d) 0. 0. 1=8. 5=2. 0. 102 . 0. : : : (k) 1=2. 2. : : : (e) 1. 4. 1=4. Qual daquelas seqüências possui um subseqüência constante? Recorde-se que: (i) toda seqüência é uma subseqüência dela própria e (ii) uma seqüência possui uma subseqüência constante quando essa constante se repetir uma in…nidade de vêzes! 1. : : : 1. 103 .2B Em cada caso abaixo. (f) e (l) uma subseqüência crescente. 2. 2. 10.2F Classi…que as seqüências do Exercício 1. 1. 2=3. 49. : : : (f) 0. 9. 2. g (x) = sen x e h (x) = (1 + x) pressões para as derivadas de ordem n dessas funções. no ponto x = 0. para ilustrar cada situação abaixo: (a) limitada e crescente (c) limitada e não monótona (e) não limitada e não monótona (b) limitada e decrescente (d) não limitada e não crescente (f) monótona e não limitada. 1 . 1. 3. 1. 1=8. 1=3. : : : (c) 1. 4. 3=2. 2. 0.2A Dê exemplo de uma seqüência fan g . 81. 25. 1=16. 3=2.2 1. Encontre ex- . : : : (j) 4. 1=4.2C Esboce o grá…co da seqüência de termo geral an = 1. 5=4. 4=5.2E Expresse pelo seu termo geral cada seqüência dada abaixo: (a) 1. encontre os quatro primeiros termos da seqüência: p p 1 (a) an = (b) bn = n + 1 n (c) cn = ( 1)n n: 2n 1 n e veri…que quantos pontos da n+1 forma (n. não constante.2G Considere as funções f (x) = cos x. 1=2. 0. 1=4.2D Dê exemplo de uma seqüência limitada e não monótona que possui uma subseqüência crescente. : : : (l) 1. 3. 1.2E quanto à limitação e monotonia e selecione de (e). 2. 1. 1. : : : (h) 0.Exercícios Complementares 1.

(g) se uma seqüência convergente possui uma in…nidade de termos nulos. . (j) toda seqüência alternada é divergente. (i) se uma seqüência possui uma subseqüência convergente. (e) a soma de duas seqüências divergentes é divergente. seu limite é zero. Escreva os 10 primeiros 3 Exercícios Complementares 1. os termos de ordem ímpar estão entre 4 e 5. 1. mas todos se aproximam do número 4. 2 3n 4 . 1 1. 2n n! . (a) toda seqüência convergente é limitada. ela própria converge. 1. (h) toda seqüência divergente é não limitada. fln ng .2J Dê exemplo de uma seqüência fan g cuja distância entre quaisquer dois termos consecutivos é igual 4. à medida que o índice n vai aumentando.2I Dê exemplo de uma seqüência fan g não constante. (c) toda seqüência limitada é monótona.4 1. (f) toda seqüência divergente é não monótona. (d) toda seqüência monótona é convergente. estude o comportamento da seqüência quando n ! 1: Faça a mesma análise com uma seqüência decrescente e limitada inferiormente. crescente e limitada superiormente.4A Falso ou verdadeiro? Procure justi…car as a…rmações falsas com um contra-exemplo.2 SEQÜÊNCIAS NUMÉRICAS CAP.2L Considere a seqüência de termo geral an = 1 + termos da seqüência (an ) e calcule a201 : 2 p 3 sen (2n+2) . 1 1 n . 3n2 n2 + n .2K Dê exemplo de uma seqüência fan g com as seguintes características: os termos de ordem par estão entre 3 e 4. Por observação de seus termos. f( 2)n g : 1. 1.2H Determine o sup e o inf das seguintes seqüências: n2 + n . (b) toda seqüência limitada é convergente.

então fjan jg também diverge. 8n. então fan g converge. (m) se a seqüência fjan jg converge então fan g também converge.3. n+1 an é convergente. n!1 Por que isso não contradiz o Critério 1. então f( 1)n an g também converge. (n) se a seqüência fjan jg converge para zero.4D Calcule o limite das seguintes seqüências: (a) (f) n 1 n+1 1+ 1 1 3n n (b) n sen n p n! + e2n (g) p 5 n! en (l) 1 3n+1 + 3 4 n 3 (c) (h) (m) (r) ln n en n en 2n en n! 3n+1 (d) 4n2 3n n2 + 5n 6 p 3n n + 1 p (i) 7 2n n p n n2 + n (e) (j) (o) (t) n2 n+1 1+ p 2 n n2 n+2 n (k) n n (p) p n a. prove que: (a) lim 1 n!1 2n 1 2 5+n 1 (d) lim = n!1 2 + 3n 3 n = (b) lim sen n5 + n =0 n!1 n 5 (e) lim =0 n!1 2 + 3n 3n2 + 1 =3 n!1 n2 1 (f) lim 2 + = 2: n!1 n (c) lim 1.4E Em cada caso veri…que se a seqüência é convergente ou divergente: . (o) se an bn .SÉRIES E EQUAÇÕES DIFERENCIAIS MPMATOS 3 (k) toda seqüência decrescente limitada é convergente e seu limite é zero. (r) a seqüência fan g de…nida por a1 = 1 e an+1 = 1 (s) se an 6= 0. (q) a seqüência fan g de…nida por a1 = 1 e an+1 = nan é convergente.4C Usando a de…nição de limite. 8n. e lim n!1 an+1 = l < 1.9? 1. fan g crescente e fbn g convergente. então fan g também converge para zero. (p) se fan g é convergente. (l) se uma seqüência fan g diverge. então lim an = 0: n!1 an 1.4B Dê exemplo de duas seqüências fan g e fbn g tais que lim an = 0 e fan bn g seja divergente.a > 0 (n) n+1 p n 3n + ( 2)n (q) 3n+1 + ( 2)n+1 (n + 1)n (s) nn+1 p 3 n2 sen n2 n+2 1.

use o Critério da Razão 1. bg : n!1 n!1 1.4J Mostre que lim sen( n!1 limites!) i ) sen( 2 ) sen( 2 ) : : : sen( 2 ) = 0: (não use o produto de 22 3 4 n p an : 1. 2 2 2. mostre que a sequência f1=bn g é limitada. 8n. 1 lim 1 + r + + rn 1 = : n!1 1 r q p p p p p 1 1 Agora.3. e lim bn 6= 0: A partir da de…nição n!1 de limite. Se jrj < 1.7(e). (a) Descreva o comportamento de fan g quando n aumenta. use essa relação e e calcule seu limite.4 SEQÜÊNCIAS NUMÉRICAS CAP. mostre que lim rn = 1: E se r < n!1 1? + rn 1 1. identi…que a seqüência 2. Isto foi usado na demonstração da Propriedade 1. mostre que lim (an + bn )1=n = max fa. b n!1 0. h 1. 1 (a) (e) p n2 + 1 p n (b) (f) 2n n! (c) p (g) 1 n2 + 1 p n (d) (h) 2n 1 + 2n n2 2n 1 nn (i) n! (m) ln (en n2 2n + 1 ( 1)n n n (j) n 2 (n) 1 + ( 1)n 1) n 1 3 5 ::: (2n 1) n!2n n! (k) 1 3 5 ::: (2n 1) p p (o) 8 n2 + 1 4 n + 1 n ( 1)n + 2n n 2 n (l) ln (n + 1) (p) sen (n =2) 1. Em que condições a seqüência tem limite? .4H Mostre que 1 + r + r2 + deduza que (1 r) = 1 rn . com bn 6= 0. (b) Convença-se de que an = 51=2 e calcule lim an : n!1 n 1.4K Considere a seqüência cujos termos são de…nidos pela recorrência: a1 = 5 e an+1 = Estes termos podem ser gerados em uma calculadora.17 para mostrar que lim nrn = 0: Se r > 1.3. : : : com aquela de termo geral an = 2 2 + 4 + + 21 n 1.4F Prove que lim (3n + 4n )1=n = 4.4L Em uma calculadora uma seqüência é gerada introduzindo-se um número e pressionandose a tecla 1=x . Se a.4G Se jrj < 1. introduzindo-se o número 5 e pressionando-se p a tecla x . 2 2.4I Seja fbn g uma seqüência convergente.

no n-ésimo ano antes da ocorrência da migração e admitindo a convergência das seqüências fAn g . dê uma aproximação do número de pássaros em cada ilha após muitos anos. 6 (c) 13 + 23 + 33 + ::: + n3 n (n + 1) = 2 2 . Cada ano.4M Seja f : R ! R uma função derivável com f (0) = 0: Calcule lim nf ( ). 1 (b) 12 + 22 + 32 + ::: + n2 = n (n + 1) (2n + 1).000 pássaros vive em três ilhas. respectivamente. = : 1 x2 .4N Seja f : R ! R uma função derivável tal que f (x) > 1. 8x. fBn g e fCn g. convergente e que lim an = =2: 1. use o Exemplo 1. Quanto vale n!1 n 1 lim n arctg( )? n!1 n 1. y.3).6B Mostre que n n2 + 5 é divisível por 6. Bn e Cn .6C Uma função f : R ! R satisfaz a: f (xy) = f (x)+f (y).4O Considere a seqüência (an ) de…nida pela recorrência: a1 = 1 e an = an para n 1 + cos an 1.5. 2. portanto. e lim f (x) = 0: Dê x!1 ln (1 + f (n)) exemplo de uma tal função e calcule o limite da seqüência an = : f (n) 1. o ponto de partida é n = 0. 8x. (sug.4P Uma população estável de 35. 1 x n+1 (d) 12 + 32 + 52 + ::: + (2n (e) (1 + x) 1 + n P 1 1)2 = 3 (4n3 x2 1+ x4 ::: 1+ n x2 # (k + 1)2 (f) ln = ln 2 + ln k (k + 2) k=1 " n+1 n+2 1.SÉRIES E EQUAÇÕES DIFERENCIAIS MPMATOS 5 1 1. n). Mostre que (an ) é monótona limitada e.6A Use o Método de Indução Finita para provar as seguintes relações: (a) 1 + 3 + 5 + ::: + (2n 1) = n2 . Prove que f (an ) = nf (a) : . os números de pássaros nas ilhas A. Denotando por An . B e C.6 1. 10% da população da ilha A migra para ilha B. Exercícios Complementares 1. 20% da população da ilha B migra para a ilha C e 5% da população da ilha C migra para ilha A. 1.

6K Considere a seqüência de Fibonacci : a1 = 1.6H Mostre que 1. então: xn y n = (x y) xn 1 1 = 1 rn : De forma mais 1 r + xn 2 y+ + xy n 2 + yn 1 . 2. mostre que 1 + r + r2 + ::: + rn geral. 1. 8n = 0.6 SEQÜÊNCIAS NUMÉRICAS CAP. n 2: Use o Método 1. : : : x!1 (ln x) 1. n 2 N: 1 3 5 : : : (2n 1) 1 .6F Seja r 0 um número real. 1 1.6E Demonstre a seguinte regra de Leibniz para derivação: [f g](n) = n X n f (n k k=0 k) (k) g : n (n 1) 2 r e deduza a 2 1. a2 = 1 e an = an Mostre que p n p ni 1 h p 1 5 : 1+ 5 2n 5 n 1. Mostre que (1 + r)n 1 + nr: 1 + nr + partir daí a desigualdade de Bernoulli: (1 + r)n 1.6L Considere a seqüência an = e mostre por indução que (n + 1)! an = a1 + a2 + a3 + : : : + an = 1 1 : (n + 1)! + an 2.6I Mostre que lim n = 1. para n 3.6J Uma seqüência fbn g é de…nida por: b1 = de Indução Finita e prove que bn = ( 1)n : n!n 1 1 e bn = (1 n) bn n2 1 . 1.6G Se r é um número real 6= 1. você pode demonstrar que se x e y são números reais. onde k e n são números inteiros k! (n k)! n: Mostre que: + n k n P = n+1 . k k (b) (x + y)n = k=0 n k n x y k . 3.6D Represente por positivos e k (a) n k 1 n k o coe…ciente binomial n! . . 8n 2 N: 2 4 6 : : : (2n) 2n x 1.

encontre o primeiro inteiro positivo n0 para o qual a sentença é verdadeira e. usando a extensão do Método de Indução. prove que a sentença matemática é verdadeira para qualquer número inteiro maior do que n0 : (a) 10n (e) 2n nn n! (b) n2 + 18 (f) n + 12 n3 n2 (c) 5 + log2 n (g) n log2 n + 9 n n2 (d) 2n + 2 (h) n2 2n : 2n .6M Em cada caso abaixo.SÉRIES E EQUAÇÕES DIFERENCIAIS MPMATOS 7 1.

2D A seqüência an = é crescente. 1 Respostas e Sugestões Exercícios 1. 1.2C Os termos a1 .4A (a) V (b) F (c) F (d) F (e) F (f) F (g) V (h) F (i) F (j) F (k) F (m) F (n) V (o) V (p) F (q) V (r) F (s) V (l) F . 2 p p 3.2J an = 2 ( 1)n n é crescente limitada e seus termos se aproximam n+1 1. 3 p 2.2H sup inf n2 + n 0 1 2n =n! 2 0 g (n) (0) = sen(n =2). (b). 4) ( 2)n 1 1 1 h(n) (0) = ( 1)n n! 1=n 1 0 ln n 1 0 3n2 = n2 + n 3 3=2 2=(3n 1 2 1. 2.8 SEQÜÊNCIAS NUMÉRICAS CAP. 1.2A (a) 1.2G f (n) (0) = cos(n =2). (g).2 1. 1=7 (b) p 1. 3. 1. Em (e).2K an = 4 + ( 1)n+1 =n. 1=5. Crescente: (d). o termo a4 está na fronteira e a partir do quinto todos os termos estão dentro da faixa. (c). quando n tende para 1: 1. a2 e a3 estão fora da faixa. 5 2 (c) 1. (f) e (l) as subseqüências pares são crescentes e (c).2F Limitada: (a). Decrescente: (a) e (b). (g) e (j) são as únicas que possuem subseqüências constantes. Exercícios 1. 4 (a) 1.2B n n n+1 o (b) 1 n (c) f( 1)n g (d) f ng (e) f( 1)n ng (f) fng 2 p 1.2E (a) 1=n (b) 1=2n (c) [1 + ( 1)n+1 ]=2 (d) 1 + ( 1)n n+1 (i) 2 (j) 3+( 1) n ( 1)n é limitada e não monótona e a subseqüência a2n n 1 = 1 2n 1 (e) (2n 1)2 (f) ( 1)n + n (g) (l) [1 + ( 1)n ] 10n=2 + 2 ( 1)n 1 + n + 2 (h) ( 1)n +1=n n+1 n+1 [1 + ( 1)n+1 ] 4 ( 1)n+1 (k) 2n 1.4 1. (j) e (k). 1=3.2I A seqüência de termo geral an = de 1. (d). (d). 1.

como exige o Teorema 1.4B Considerando as seqüências an = 1=n e bn = n2 .2.000 na ilha B e 20. Se jrj < 1. lim r + r2 + + rn = r 1 1 . respectivamente.000 na ilha C. por A. encontramos 10. 1.4L A seqüência convergirá se o número r introduzido na calculadora for igual a 1: 1. conseqüentemente.4M Usando a de…nição de derivada.4E (a) D (b) C (c) C (d) C (e) C (f) C (g) C (h) C (i) D (j) C (k) C (l) D (m) C (n) C (o) D + rn 1 1. temos f e daí f n!1 1 + x2 1. Denotando. é fácil deduzir que lim nf 0 (1=n) = f 0 (0) : Para f (x) = n!1 1 0 (x) = 0 (0) = 1: Assim. Bn+1 = 0:1An + 0:8Bn e Cn+1 = 0:95Cn + 0:2Bn . Nesse caso. a seqüência bn não é limitada. sendo assim.4P Temos que An+1 = 0:9An + 0:05Cn . então a seqüência an bn = n é divergente com limite 1.4H Para comprovar a relação 1 + r + r + (1 r) = 1 rn é su…ciente distribuir o produto do lado esquerdo.4D (a) 1 (b) (c) 0 (d) 4 (e) 1 (f) p 3 e (g) 1/5 (h) 0 (i) 3=2 (j) e2 (k) 1 (l) 0 (m) 0 (n) 1 (o) 0 (p) 1 (q) 1/3 (r) 1 (s) 0 (t) 0 1.SÉRIES E EQUAÇÕES DIFERENCIAIS MPMATOS 9 1.9. lim an = 2: n 8 1 r 1. Para r = 1=2. fBn g e fCn g.4N A função f (x) = lim an = 1: 1. B e C os limites das seqüências fAn g .000 na ilha A. para x 6= 0 e f (0) = 0 atende às condições exigidas e . lim n arctg(1=n) = 1: arctg x. 5. então rn ! 0 e. exp 1=x2 . obtemos lim 2 + 4 + 1 + + 21 = 1 e.