You are on page 1of 104

Operações com Opções que

Ganham na Queda
Instrutor: Predador
Aula 1 - Introdução
Margem

• Margem é um valor que fica retido pela Bovespa para garantir a finalização da operação. Visto
que o vendido recebe dinheiro para montar a operação e precisa colocar dinheiro para encerrar a
operação (comprar).
• A chamada de margem é D+0 físico (ações) e D+1 financeiro (dinheiro).
• Após a chamada de margem todo dia ocorre devolução parcial (se o mercado cair) ou chamada
de mais margem (se o mercado subir).
• Podemos diariamente consultar nossa margem no CEI - Canal Eletrônico do Investidor em
www.cblc.com.br. Essa consulta deve ser feita antes do pregão e é fundamental pois teremos
noção do risco que nossa operação está correndo.
• Para ter acesso ao CEI basta solicitar o envio de uma senha na sua corretora.

Margem - Ativos Aceitos


São aceitos pela CBLC (www.cblc.com.br) como garantia os seguintes ativos:

• Moeda corrente nacional


• Títulos públicos
• Ouro ativo financeiro
• Ações pertencentes à carteira teórica do Índice Bovespa (outras ações admitidas à negociação em
bolsa de valores são aceitas somente mediante consulta)
• Títulos privados
• Títulos negociados nos mercados internacionais
• Cartas de fiança bancária
• Cartas de fiança ou cartas de crédito emitidas por instituições sediadas no exterior
• Seguro de crédito de companhias sediadas no país ou no exterior

Margem - Risco - 01

• O conhecimento de margem na verdade é o componente mais importante para o sucesso de


operações vendidas.
• Nenhum vendido quebra porque o mercado sobe quebra por falta de margem.
• Por isso é fundamental acompanhar a sua margem no CEI da CBLC todos os dias. E ter certeza
toda vez que a CBLC chama mais margem é porque sua operação está correndo mais risco.
• A chamada de margem é capaz de gerar mais stress que prejuízo porque por mais que o operador
tenha uma estimativa ele só vai ter certeza no dia seguinte.
• Além disso o operador operando no limite da sua margem é forçado a tomar decisões que no
normalmente não tomaria por medo de estouro de margem.

Margem - Risco - 02

• Para evitar esse tipo de problema devemos operar no máximo de 5% a 10% de nossa margem
disponível por vencimento.
• Essa limitação de risco vai proporcionar ao operador o equilíbrio emocional para ser vencedor. E
vai evitar que ele quebre quando as coisas derem errado.
• Embora as corretoras tenham autonomia para fazerem do jeito que quiserem (normalmente não
esperam D+2) a regra geral é:
• Aviso de estouro de margem em D+1
• Caso a margem não seja depositada zerarão compulsória em D+2
• Note que a zerarão compulsória é um prejuízo adicional normalmente saindo muito caro a
zerarão da parte ITM da operação.

Margem - Corretora

• Quem pretende trabalhar com margem deve antes de tudo estabelecer uma relação de confiança
com a corretora.
• Sabendo que você é bom pagador eles podem esperar até d+2 para zerar a operação
compulsoriamente. Esse tempo pode ser essencial pois o mercado pode cair ou o operador
arrumar a grana que estava faltando.
• Sobretudo você escapa da zerarão compulsória que é um prejuízo enorme visto que as ITM são
negociadas a mercado. Dependendo da corretora eles podem zerar para você mas com cuidado.
Ou deixa você mesmo zerar.
• Portanto, para operar vendido a escolha da corretora e manter um bom relacionamento com eles
é fundamental.

Conceito de Dívida

• Junto com margem o conceito de dívida é o mais importante para quem opera vendido.
• Quando fazermos um operação vendida no mercado recebemos uma grana mas assumimos um
dívida uma grana que temos que pagar para zerar a operação (a vaca na montagem é diferente
mas no prejuízo fica igual)
• Caso o mercado caia ou fique de lado a dívida diminui e estamos numa posição lucrativa e
haverá devolução de margem. Caso o mercado suba a dívida aumenta e estamos numa posição
de prejuízo e haverá chamada de margem.
• O controle diário da margem e da dívida durante o pregão são as principais tarefas daquele que
opera vendido.

Dívida e Margem - 01

• A dívida nos permite saber se a operação está melhorando ou piorando. Orientando pontos para
defesa, stop ou realização de lucros.
• Mas o principal controle é não deixar que a dívida ultrapasse o percentual de risco estabelecido.
Que deve ser entre 5% a 10% da margem. Vamos supor que o operador escolheu 6%
• Toda vez que a dívida furar os 6% da margem ele deve comprar opções. De preferência opções
onde está vendido para limitar o risco da operação.
• Na verdade essa atitude de limitar risco e comprar opções quando existe o estouro de limite é
que vai definir a sobrevivência do vendido no Médio Prazo.

Dívida e Margem - 02

• Na verdade essa atitude de limitar risco e comprar opções quando existe o estouro de limite é
que vai definir a sobrevivência do vendido no Médio Prazo.
• Repetindo devido à importância dessa frase. Uma operação vendida na alta forte tem
crescimento exponencial Assim como o risco aumenta de forma exponencial após sucessivas
rolagens de vencimento.
• Portanto, só pode ser vendido quem tem a firmeza de limitar riscos normalmente assumindo
pequenos prejuízos.
• No LP a taxa de acertos vai ser 50% e o que vai diferenciar o vencedor do perdedor é limitar e
gerenciar risco.
• Tupi foi uma prova dolorosa do que afirmo.

Emocional - 01

• A postura emocional do Vendido deve ser diferente do comprado. O comprado já pagou a


operação e não é chamado em margem. O vendido vai ter que pagar a operação e é sempre
chamado em margem.
• A perdas do comprado são lineares e as perdas do vendido são exponenciais (embora a trava
reduza esse efeito)
• Portanto o vendido não pode ficar anestesiado num mercado de alta.
• A atitude recomendada é “compra e depois pensa”
• Mercado abrindo em gap de alta forte escolhe uma opção de gamma alto compra e depois vai
pensar sobre a operação
Emocional - 02
A melhor forma de combater a anestesia é ter um plano para os diversos cenários do mercado (alta,
baixa ou de lado). E definir pontos que acionam a ação. Esses pontos podem ser limites da dívida,
pontos da opção ou marcadores (BOSI).

O importante é tomar decisão com base em parâmetros matemáticos e não emoção ou achismo.
Entender que o mercado é soberano vai para onde quiser, quando quiser e na hora que quiser. Como
não podemos controlar o mercado devemos nos concentrar em controlar aquilo que podemos controlar:
A NOSSA GRANA.

Vender VE

• Toda operação vendida deve ser uma venda de VE (Valor Extrínseco)


• VALE5 38,50 - Fechamento de 01/01/2008
• Exemplo atual: VALEI40 = 2,30 - Strike 39,60 100% VE
• Valor da venda = 39,60 + 2,30 - 41,90
• Distancia do Papel = 3,4
• Portanto é uma venda que ganha na baixa, mercado de lado e até na alta de 3,4 reais do papel.
• Portanto Vender VE faz que as probabilidades fiquem a nosso favor.
• Vendendo VE o Theta é sempre positivo então tempo está a favor.
• Claro que para vender essa opção teria que travar numa de centavos.

Ser Stopado em VE

• Ser Stopado em VE é quando após uma alta e uma perda financeira o vendido stopa uma
operação que no vencimento seria vencedora
• Vimos no slide anterior que a venda de I40 ganha com VALE5 até 41,90 mas como VALE5
está 38,50 se por exemplo amanhã subir para 40,00 haverá aumento da divida do vendido. No
entanto, a operação ainda esta com folga na faixa de ganho no vencimento. Stopar essa venda
que seria ser stopado em VE.
• O vendido que é stopado em VE tende a perder 90% dos vencimentos porque mesmo em
vencimento em queda existe puxada. Hoje (01/08) VALE5 fecha a 38,50 mas ontem chegou a
furar a 41,00.

Evitar ser Stopado e VE

• Entender o conceito de VE e de Venda de VE.


• Vender com lastro de distância.

• Devemos ter de onde vendemos ou do risco máximo da nossa operação uma margem para a
cotação atual do papel. Esse lastro será maior quanto maior for a venda de VE.

• Todavia, aqui devemos ter bom senso pois quanto mais VE vendemos mais ficamos expostos
a risco na alta da ação.

• Vender com lastro financeiro.

• Só podemos vender de forma que o risco máximo não nos abale financeiramente e nem
emocionalmente caso haja perda total.

Marcadores para a Venda


BOSI = [Gama X % num de negócios X VE] - Stop ou rolagem se o maior BOSI for para a opção
vendida ou a seguinte.

XVE = Considera distância, tempo, tamanho do VE e gama do VE. Serve para rolar ou escolher onde
ficar vendido. Ficar vendido na de maior XVE ou na seguinte.

NV = Não Vende (VE < D + G) - Não venda e nem fique vendido em opções NV negativo. Serve
também para realizar lucros.
Aula 1 - Suplemento Teoria
Anestesia e Opções
O nosso maior inimigo é anestesia. O pior pânico é o pânico de ver seu dinheiro derreter e não fazer
nada. Não conseguir agir, suar frio, rezar e torcer. A anestesia deriva do medo e parte do medo deriva do
violino mas a anestesia é inaceitável.

Formas de corrigir:
• Ter um plano para todos os cenários (alta, baixa e de lado)
• Definir pontos ou indicadores para ação (bússola)
• Quando o mercado bater num ponto agir sem pensar
• A forma mais simples é já deixar o stop no eletrônico

Só não pode ficar anestesiado, anestesia é o princípio do fim. No meu entender é isso e apenas isso que
vai definir a sobrevivência do operador no longo prazo.

O Mercado é Soberano

O mercado é soberano, o mercado é maior que todos.


É o mercado que sempre mostra os seus caminhos.
O maior erro do operador é pensar que ficou maior que o mercado, é pensar que dominou o mercado
ou tentar peitar o mercado.
O mercado sempre escolhe o caminho de maior estrago.
Operar ao longo dos anos nos ensinar humildade ter um temor respeitoso ao mercado.

Testar o Mercado
Quando um mega especulador pretende vender 500.000 de uma opção ele vende 50.000 para testar
mercado caso mercado não corresponda ele pula fora caso corresponda ele vai aumentando a posição.

Não podemos jamais entrar no mercado com idéias pré-concebidas. Por isso devemos na medida do
possível sempre testar o mercado.

Só devemos acreditar em evidencias. Daí a importância das bússolas, quando eu falo por exemplo, que a
bússola de uma opção é 1,00 é fato concreto que ser perder 1,00 mercado está caindo pelo menos
naquele momento. Portanto, assim tomamos decisões com base em evidências.

Quem mostra os caminhos é sempre o mercado!


Decisão
Pouco importa se mercado está subindo, caindo ou de lado. O que importa é se a divida está
aumentando ou diminuindo ou se o seu dinheiro está aumentando ou diminuindo. Por isso todas as
decisões devem ser baseadas em dinheiro.

Não em análises ou chutes sobre o mercado. Para decidir só importam duas perguntas: Quanto eu posso
perder? E quanto eu quero ganhar?

O que define a sobrevivência do operador no longo prazo não é adivinhar o futuro, nem taxa de acertos
e sim limitar riscos e gerenciar capital.

Devemos trabalhar sempre baseados em evidencias e o dinheiro é a maior evidência, portanto, e o


parâmetro maior para decisões não expectativas sobre o mercado que podem se confirmar ou não.

Cinco Regras Sobre Venda de Opções

• Só vender opção ATM/OTM para ganhar além de da queda o mercado de lado. Ou seja,
importante é estar sempre vendido em valor extrínseco. O que pode ser verificado pelas células
SVE e VOP na Planilha Bastter Blue.

• O legal não é Vender. O legal é vender em mercado de baixa ou de lado. Vender em mercado de
alta é prejuízo.

• Existe na internet uma lenda que o vendido que é esperto. Cuidado com esse tipo de marra
vendido para sobreviver tem que respeitar o mercado e ser humilde. Assim como o surfista
respeita o mar.

• Nunca vender nem ficar vendido em pó. Quer continuar vendido zera o pó e começa outra
venda. Porque se ficar vendido em pó se cair ganha merreca e subir perde fortunas.

• O ideal é vender no topo. Evitar vender após grandes quedas. Operar no sentido contrário da
manada.

Vendido sob Pressão


Pior coisa para um vendido é se empolgar. A venda vicia. Não podemos nunca esquecer que tem uma
hora que a porca torce o rabo e a onça sai para beber água.

Nessa hora o theta é trucidado pelo gamma. Nessa hora reze para você não ser a porca ser a onça. E o
caminho é compra depois pensa. Muito cuidado com a soberba do vendido.
Compra e Depois Pensa
A primeira lei do vendido em mercado de alta é (especialmente de alta explosiva).

Compra e depois pensa. Imagine o operador com a trava de baixa I40 -4000 I44 +4000 (reversão
vendida em pó).

Já devia ter zerado pois não vale a pena ficar vendido em pó. Mas se não zerou está com uma dívida de
2.000 que numa alta forte pode virar 16.000. Numa alta moderada 4.000 ou mais.

Devido ao enorme potencial de perdas na venda que defrontado com o mercado de alta o vendido deve
comprar e depois pensar.

Comprar o que? A opção de maior Gamma no caso a própria I40.

Tem que ser rápido no gatinho e após comprar e equacionar a possibilidade de perda forte pensar com
calma o que fazer.

Se subir vai ótimo ter comprado. Especialmente se subir forte. Inclusive nesse caso podendo vender de
novo quando der um topo.

Mas se subir fraco ou se for o violino. São duas as atitudes: 1. Assumir uma pequena perda ou pequeno
lucro na compra fazendo um day-trade. 2. Ficar com a opção comprada.

Todavia, é sempre bom colocar um ponto de stop para as compras seja na opção ou no papel para não
comprar no sabor das emoções.

O primeiro passo para o vendido sobreviver no mercado é: Compra e depois pensa!


Aula 1 - Slides
Slide 1 - Margem

Margem
1. Margem é um valor que fica retido pela bovespa para garantir a
finalização da operação. Visto que o vendido recebe dinheiro para
montar a operação e precisa colocar dinheiro para encerrar a
operação (comprar)
2. A chamada de margem é d+0 físico (ações) e d+1 financeiro
(dinheiro)
3. Após a chamada de margem todo dia ocorre devolução parcial (se o
mercado cair) ou chamad a de mais margem (se o mercado subir)
4. Podemos diariamente consultar nossa margem no CEI – Canal
Eletrônico do Investidor em www.cblc.com.br . Essa consulta deve
ser feita antes do pregão e é fundamental pois teremos noção d o
risco que nossa operação está correndo.

Slide 2 - Margem - Ativos Aceitos

www.cblc.com.br

Margem – Ativos Aceitos


1. São aceitos pela CBLC como garanti a os seguintes ativos:
• moeda c orrente nacional;
• tí tulos públicos ;
• ouro ativo financeiro;
• ações pertenc entes à cartei ra teórica do Índice Bovespa (outras
ações admit idas à neg oc iação em bolsa de valores são ac ei tas
somente mediante consult a);
• títulos privados;
• tí tulos negociados nos mercados i nternacionais;
• cartas de fiança bancária;
• cartas de fianç a ou cart as de crédi to emiti das por institu ições
sediadas no exterior;
• seguro de crédi to de companhias sediadas no país ou no exteri or;
Slide 3 - Margem - Risco - 01

Margem - Risco
1. O conhecimento de margem na verdade é o componente mais importante
para o sucesso de operações vendidas.
2. Nenhum vendido quebra porque o merca do sobe quebra por falta de
margem.
3. Por isso é fundamental acompanhar a sua margem no CEI da CBLC todos
os dias. E ter certeza toda vez que a CBLC chama mais ma rgem é porque
sua operação está correndo mais risco.
4. A chamada de margem é capaz de gerar mais stress que prejuízo porque por
mais que o operador tenha uma estimativa ele só vai ter c erteza no dia
seguinte.
5. Além disso o operador operando no limite da sua ma rgem é forçado a tomar
decisões que no norma lmente não tomaria por medo de estouro de margem

Slide 4 - Margem - Risco - 02

Margem – Risco - 2
1. Para evitar esse tipo de problema devemos operar no máximo de
5% a 10% de nossa margem disponível por vencimento.
2. Essa limitação de risco vai proporcionar ao operador o equilíbrio
emocional para ser vencedor. E vai evitar que ele quebre quando as
coisas derem errado.
3. Embora as corretoras tenham autonomia para fazerem do jeito que
quiserem (normalmente não esperam d+2) a regra geral é :
1. Aviso de estouro de margem em d+1
2. Caso a margem não seja depositada zerarão compulsória em D+2
3. Note que a zerarão compulsória é um prejuízo adicional normalmente
saindo muito caro a zerarão da parte ITM da operação.
Slide 5 - Margem - Corretora

Margem - Corretora
1. Quem pretende trabalhar com margem deve antes de tudo
estabelecer uma relação de confiança com a corretora;
2. Sabendo que você é bom pagador eles podem esperar até d+2 para
zerar a operação compulsoriamente. Esse tempo pode ser essencial
pois o mercado pode cair ou o operador arrumar a grana que estava
faltando.
3. Sobretudo você escapa da zerarão compulsória que é um prejuízo
enorme visto que as ITM são negociadas a mercado. Dependendo da
corretora eles podem zerar para você mas com cuidado. Ou deixa
você mesmo zerar.
4. Portanto, para operar vendido a escolha da corretora e manter um
bom relacionamento com eles é fundamental.

Slide 6 - Conceito de Dívida

Conceito de Dívida
1. Junto com margem o conceito de dívida é o mais importante para
quem opera vendido.
2. Quando fazermos um operação vendida no mercado recebemos uma
grana mas assumimos um dívida uma grana que temos que pagar
para zerar a operação (a vaca na montagem é diferente mas no
prejuízo fica igual)
3. Caso o mercado caia ou fique de lado a dívida diminui e estamos
numa posição lucrativa e haverá devolução de margem. Caso o
mercado suba a dívida aumenta e estamos numa posição de prejuízo
e haverá chamada de margem.
4. O controle diário da margem e da dívida durante o pregão são as
principais tarefas daquele que opera vendido.
Slide 7 - Dívida e Margem - 01

Dívida e Margem
1. A dívida nos permite saber se a operação está melh orando ou
piorando. Orientando pontos para defesa, stop ou realização de
lucros.
2. Mas o principal controle é não d eixar que a dív ida ultrapasse o
percentual de risco estabelecido. Que deve ser entre 5% a 10% da
margem. Vamos supor q ue o operador escolheu 6%
3. To da vez que a dívida furar os 6% da margem ele deve comprar
opções. De preferência opções onde está vendido para limitar o risco
da operação.
4. Na verdade essa atitude de limitar risco e comprar opções
quando existe o estouro de limite é que vai definir a
sobrevivência do vendido no Médio Prazo.

Slide 8 - Dívida e Margem - 02

Dívida e Margem –2
1. Na verdade essa atitude de limitar risco e comprar opções
quando existe o estouro de limite é que vai definir a
sobrevivência do vendido no Médio Prazo.
2. Repetindo devido a importância dessa frase. Uma operação vendida
na alta forte tem crescimento exponencial Assim como o risco
aumenta de forma exponencial após sucessivas rolagens de
vencimento.
3. Portanto, só pode ser vendido quem tem a firmeza de limitar riscos
normalmente assumindo pequenos prejuízos.
4. No LP a taxa de acertos vai ser 50% e o que vai diferenciar o
vencedor do perdedor é limitar e gerenciar risco.
5. Tu pi foi uma prova dolorosa do que afirmo
Slide 9 - Emocional - 01

Emocional
1. A postura emocional do Vendido deve ser diferente do comprado.
O comprado já pagou a operação e não é chamado em margem. O
vendido vai ter que pagar a operação e é sempre chamado em
margem.
2. A perdas do comprado são lineares e as perdas do vendido são
exponenciais (embora a trava reduza esse efeito)
3. Portanto o vendido não pode ficar anestesiado num mercado de alta.
4. A atitude recomendada é “compra e depois pensa”
5. Mercado abrindo em gap de alta forte escolhe uma opção de gamma
alto compra e depois vai pensar sobre a operação.

Slide 10 - Emocional - 02

Emocional –2
1. A melhor forma de combater a anestesia é ter um plano para os
diversos cenários do mercado (alta,baixa ou de lado). E definir
pontos qu e acionam a ação.Esses pontos podem ser limites da dívida
, pontos da opção ou marcadores (BOSI)
2. O importante é to mar decisão com b ase em parâmetros matemáticos
e não emoção ou achismo.
3. En tender que o mercado é soberano vai para onde quiser, quando
quiser e na hora que quiser.
4. Como não podemos controlar o mercado devemos nos concentrar
em controlar aquilo que podemos controlar A NOSSA GRANA
Slide 11 - Vender VE

Vender VE
1. To da operação vendida deve ser uma venda de VE (Valor
extrínseco)
2. Vale 38,50 – fechamento de 01/01/2008
3. Ex emplo atual : Vale I40 = 2,30 strike 39,60 100% VE
4. Valor da venda = 39,60 +2,30 41,90
5. Distancia do papel = 3,4
6. Portanto é uma venda que ganha na baixa, mercado de lado e até na
alta de 3,4 reais do papel;
7. Portanto Vender VE faz que as probabilidades fiquem a nosso favor.
8. Vendendo VE o theta é sempre positivo então tempo está a favor.
9. Claro que para vender essa opção teria que travar numa de centavos

Slide 12 - Ser Stopado em VE

Ser Stopado em VE
1. Ser stopado em VE é quando após uma alta e uma perda financeira o
vendido stopa uma operação que no vencimento seria vencedora
2. Vimos no slide anterior que a venda de I40 ganha com Vale5 até
41,90 mas como vale5 está 38,50 se por exemplo amanhã subir para
40 haverá aumento da divida do vendido. No entanto, a operação
ainda esta com fo lga na faixa de ganho no vencimento. Stopar essa
venda que seria ser stopado em VE.
3. O vendido que é stopado em VE tende a perder 90% dos vencimento
porque mesmo em vencimento em queda existe puxada. Hoje
(01/08) vale5 fecha a 38,50 mas ontem chegou a furar a 41.
Slide 13 - Evitar ser Stopado e VE

Evitar ser Stopado e VE


1. En tender o conceito de VE e de Venda de VE
2. Vender com lastro de distância
1. Devemos ter de onde vendemos ou do risco máximo da nossa
operação uma margem para a cotação atual do papel. Esse lastro
será maior quanto maior for a venda de VE.
2. Todavia, aqui devemos ter bom senso pois quanto mais VE
vendemos mais ficamos expostos a risco na alta da ação.
3. Vender com lastro financeiro.
1. Só podemos vender de forma que o risco máximo não nos abale
financeiramente e nem emocionalmente caso haja perda total.

Slide 14 - Marcadores para a Venda

Marcadores para a Venda


BOSI = [Gama X % num de negócios X VE] - Stop ou rolagem se o
maior BOSI for para a opção vendida ou a seguinte.

XVE – Considera distância, tempo, tamanho do VE e gama do VE.


Serve para rolar ou escolher onde ficar vendido. Ficar
vendido na de maior XVE ou na seguinte.

NV – Não Vende (VE < D + G) - Não venda e nem fique vendido em


opções NV negativo. Serve também para realizar lucros.
Aula 2 - Venda com Seguro (Travada no Pó)
Venda com Seguro

Venda com Seguro


PETRK38 -1000
PETRK48 +1000

Venda de uma opção com trava bem distante.


Risco LIMITADO pois é travada.
Risco = ((Strike da Compra - Strike da Venda) X Lote) - O que recebeu para montar.
Retorno limitado = O crédito recebido para montar.
Usualmente ganha na queda e na acumulação e até na pequena alta.
Pode ter prejuízos grandes se subir com força.
Não venda opções de VE pouco eficiente.

O que se pode ganhar não compensa o risco enorme e o tamanho da margem.


VE pouso eficiente vale menos que D + G (NV).
VE eficiente é alto, longe e tem pouco Gamma nele.

Gráfico da Venda Travada no Pó


Venda Travada no Pó - Operacional
VE grande que esteja longe do preço da ação (distorções). Vender o VE, sempre travar em uma opção
de pouco valor (seguro) e estabelecer preço de realização de lucros total ou escalonado.

Colocar ordem de compra imediatamente. Usar Theta para estabelecer preços de realização de lucros
razoáveis. Saber o quanto vai ganhar pela passagem do tempo se a ação não subir.

Usar STOP de rolagem ou de operação com marcadores de opções: BOSI, VE, XVE, NV, prêmio da
opção.

Não usar o preço da ação pois só possui o QUE mas não o AONDE, o QUANDO e o COMO.
NUNCA FAZER PREÇO MÉDIO.

Zerar a venda (comprar) conforme os preços de realização de lucros ou os marcadores de STOP forem
atingidos. Rolar se for o plano. NUNCA ROLAR O FINANCEIRO. SÓ ROLAR A POSIÇÃO.

Stop ou Rolagem
Usar STOP de rolagem ou de operação com marcadores de opções. Marcadores:
• BOSI
• VE
• NV
• Prêmio da opção.

Não usar o preço da ação pois só possui o QUE mas não o AONDE, o QUANDO e o COMO.
• QUE = Tendência do papel
• AONDE = Posição da opção em relação ao papel - ITM, ATM e OTM
• QUANTO = quantos dias faltam para o vencimento
• COMO = Volatilidade do papel.

Opções são multidimensionais para sua correta análise e gerenciamento é necessário levar em
consideração os diversos fatores que influenciam uma opção e não apenas um (tendência).

Venda Travada no Pó - Regras

• NUNCA FAZER PREÇO MÉDIO.


• Zerar a venda (comprar) conforme os preços de realização de lucros ou os marcadores de STOP
forem atingidos.
• Rolar se for o plano. NUNCA ROLAR O FINANCEIRO. SÓ ROLAR A POSIÇÃO.
• Caso esteja fazendo trade geralmente basta comprar a trava uma vez por vencimento.
Rolar o financeiro para serie seguinte significa pagar toda a dívida de venda de opções fazendo uma
nova operação na serie seguinte e zerando a atual. Rolar pelo financeiro sempre aumenta o risco da
operação. Sucessivas rolagens causam as famosas “bolas de neve” que fazem o operador quebrar. Pois,
em diversas rolagens o aumento de risco é exponencial.

Rolar a posição é apenas fazer uma operação semelhante na serie seguinte sem aumentar o risco e junto
com o recebido por essa operação colocar dinheiro para zerar a posição da serie atual. Dessa forma
podemos rolar sem aumentar o risco da operação. Assumindo parte do prejuízo.

Venda com Seguro Atual - PETR4

Trava de Baixa
PETRH40 -1000
PETRH54 +1000

Pelas cotações de fechamento de 18/07 e pelas pontas recebe 1.180 para montar.
PETR4 38,20 (H40 = 1,22 H54 =0,04)
Faixa de Ganho no vencimento - abaixo de 41,18
Ganho Máximo - 1.180
Faixa de perda - 41,18 para cima
Perda Máxima - 12.820 - acima de 54
Venda de VE - Ganha na baixa. Mercado de lado e até na alta de 2.98 reais

Gráfico da Venda com Seguro - PETR4


Venda com Seguro Atual - VALE5

Trava de Baixa
VALEH42 -1000
VALEH56 +1000

Pelas cotações de fechamento de 18/07 e pelas pontas recebe 1.770 para montar.
VALE5 40,16 (H42 = 1,84 H56 =0,07)
Faixa de Ganho no Vencimento - Abaixo de 43,77
Ganho Máximo - 1.770
Faixa de perda - 43,77 para cima
Perda Máxima - 12.230 - acima de 56
Venda de VE - Ganha na baixa. Mercado de lado e até na alta de 3,61 reais.

Gráfico da Venda com Seguro - VALE5


Aula 2 - Suplemento Teoria
A grande vantagem dessa operação é a sua simplicidade.

O ideal é vender VE (valor extrínseco - fora do dinheiro) porque assim montamos uma operação com
mais probabilidade pois ganha na queda, mercado de lado e até na pequena alta.

Quando compramos uma opção para travar nossa opção vendida estamos limitando o risco da operação
pela seguinte formula: (Strike da Comprada - Strike da Vendida) * Lote - O ue recebeu para montar

No exemplo de VALE5 acima: H42 -1000 H56 +1000

Pelas cotações de fechamento de 18/07 e pelas pontas recebe 1.770


56 - 42 = 14 *1000 = 14.000 - 1.770 = 12.230

O primeiro efeito é uma significativa redução de margem pela bovespa pois agora a operação tem
limites de perdas. Essa diminuição de margem será maior quanto menor for a diferença entre o strike da
comprada e da vendida.

O segundo é sair da mão do imponderável pois agora o operador sabe o máximo que pode perder.

Esses dois fatores melhoram o equilíbrio emocional e o nível de adrenalina do operador que
proporciona a ele mais chances de operar direito.

Por exemplo, no recente evento de TUPI a grande maioria dos operadores que estavam descobertos
quebraram logo no primeiro dia.

Quem estava travado em geral viu o papel atingir o seu ponto de perda máxima no primeiro dia.
Todavia, não havia motivo para stress nem para zerar pois o risco máximo já tinha sido atingido. Não
podia piorar mais só melhorar. Esse tipo de operador agüentou o primeiro dia, o topo do segundo dia e
viu cair até o terceiro dia onde pode voltar para uma posição de prejuízo pequeno ou até lucro.

Outra vantagem, caso real que ocorreu comigo como a venda tem prejuízo limitado na alta forte pode
ser defendida com compra gradual de opção OTM pois a compra não tem limite de ganhos na alta.
Nunca vou esquecer está com uma vaca prejuízo enorme. Comecei comprando a OTM 0,78 depois
paguei 1,08 e finalmente 1,38 quando a posição equilibrou. Quando a OTM chegou a 2,00 já tinha
zerado o prejuízo resolvi zerar tudo. 10 minutos depois quando acabei de fazer as contas a OTM já
estava a 3,00 que dia!

Portanto, a grande vantagem de vender travado com prejuízos limitados é que aumenta a eficiência da
compra a seco como defesa.

Para quem opera no giro é bom lembrar que só é necessário comprar um OTM por vencimento.
Portanto, a opção de pó funciona como um seguro o operador abre mão de um pequeno potencial do
lucro que pode ter para evitar ter prejuízos ilimitados.

Outra vantagem de saber o máximo que posso perder é que favorece o gerenciamento financeiro. Pois,
agora podemos fazer um planejamento de perdas e ganhos visto que agora nossa perda máxima é um
numero e não infinito. A matemática não sabe lidar com infinito.

Travar portanto, permite ao operador operar com planejamento, equilíbrio emocional e margem
limitada.

Sempre comprar primeiro e depois vender. Seja na hora de montar ou desmontar.

E sempre fazer planejamento de Stop ou defesa e objetivos de ganhos antes de montar o planejamento.
Depois de montada seguir rigorosamente o planejamento.

Devido à chance de prejuízo grande nesse tipo de operação recomendo o controle sempre pelo
financeiro devedor da operação.

Sendo essa uma operação muito simples não é necessária muita teoria.
Aula 2 - Slides
Slide 1 - Venda com Seguro (Travada no Pó)

Venda com Seguro (Travada no Pó)


Venda com Seguro
PETRK38 -1000
PETRK48 +1000

•Venda de uma opção com trava bem distante


•Risco LIMITADO pois é travada. Retorno limitado =
o crédito recebido para montar.

•Usualmente ganha na queda e na acumulação.


Pode ter prejuízos g randes se subir com força.

Slide 2 - Venda Travada no Pó

Venda Travada no Pó
Slide 3 - Venda Travada no Pó - Operacional

Venda Travada no Pó - Operacional


•VE grande que esteja longe do preço da ação (distorções).
•Vender o VE, sempre travar em uma opção de pouco valor
(seguro) e estabelecer preço de realização de lucros total ou
escalonado. Colocar ordem de compra imediatamente.

•Usar Theta para estabelecer preços de realização de lucros


razoáveis. Saber o quanto vai ganhar pela passagem do
tempo se a ação não subir.

Slide 4 - Venda Travada no Pó

Venda Travada no Pó
Stop ou Rolagem,
•Usar STOP de rolagem ou de operação com marcadores
de opções:

•Marcadores:
o BOSI
o VE
o NV
o Prêmio da opção.
Não usar o preço da ação pois só possui o QUE mas não o
AONDE, o QUANDO e o COMO.
Slide 5 - Venda Travada no Pó - Regras

Venda Travada no Pó - Regras


•NUNCA FAZER PREÇO MÉDIO.
•Zerar a venda (comprar) conforme os preços de realização de
lucros ou os marcadores de STOP forem atingidos.

•Rolar se for o plano. NUNCA ROLAR O FINANCEIRO. SÓ


ROLAR A POSIÇÃO.

Caso esteja fazendo trade geralmente basta comprar a trava


uma vez por vencimento.

Slide 6 - Venda com Seguro Atual - PETR4

Venda com Seguro Atual – Petr4


Trava de Baixa
PETRH40 -1000
PETRK54 +1000

Pelas cotações de fechamento de 18/07 e pelas pontas recebe 1.180


para montar. Petr4 38,20 (H40 = 1,22 H54 =0,04)
Faixa de Ganho no vencimento – abaixo de 41,18
Ganho Máximo – 1.180
Faixa de perda – 41,18 para cima
Perda Máxima – 12.820 –acima d e 54
Venda de VE – Ganha na baixa. Mercado de lado e até na alta de 2.98
reais.
Slide 7 -Venda com Seguro-PETR4

Venda com Seguro-Petr4


H
1. 180
1.180
1.180

1.180
1.180
1.180
1. 180
1.180
1.180

1.180
1.180
1.180
1.180
1.180
1.180
1. 180
1.180
1.180
1.180
1.180
1.180
1.180
1. 180
1.180

1.180

680
2. 000

180
320

1.320
820

1.820
0

2. 320
2.820
3. 320
3.820
-2. 000

4.320
4.820
5.320
5.820
-4. 000

6.320
6. 820
7.320
7.820
-6. 000

8.320
8.820
9.320
9.820
10.320
-8. 000

10.820
11.320
11.820
12.320
-10. 000

12.820
12.820
-12. 000

-14. 000
28,00

29,00

30,00

31, 00

32,00

34,00

35,00

36,00

37,00

38, 00

39,00

40,00

41,00

42,00

43, 00

44,00

45,00

46, 00

47,00

48,00

49,00

50,00

51, 00

52,00

54,00
33,00

53,00

Slide 8 -Venda com Seguro Atual - VALE5

Venda com Seguro Atual – Vale5


Trava de Baixa
VALEH42 -1000
VALEH56 +1000

Pelas cotações de fechamento de 18/07 e pelas pontas recebe 1.770


para montar. Petr4 40,16 (H42 = 1,84 H56 =0,07)
Faixa de Ganho no vencimento – abaixo de 43,77
Ganho Máximo – 1.770
Faixa de perda – 43,77 para cima
Perda Máxima – 12.230 –acima d e 56
Venda de VE – Ganha na baixa. Mercado de lado e até na alta de 3,61
reais.
H

-14.000
-12.000
-10.000
-8.000
-6.000
-4.000
-2.000
0
2.000
4.000
34,00 1.770
1.770
35,00 1.770
1.770
36,00 1. 770
1.770
37,00 1.770
1.770
38,00 1.770
1.770
39, 00 1.770
1.770
40,00 1.770
Slide 9 - Venda com Seguro-VALE5

1.770
41,00 1. 770
1.770
42,00 1.770
1.270
43,00 770
270
44,00 230
730
45,00 1.230
1.730
46,00 2.230
2.730
47, 00 3.230
3.730
48,00 4.230
4.730
49,00 5. 230
5.730
50,00 6.230
6.730
51,00 7.230
7.730
52,00 8.230
8. 730
53,00 9.230
9.730
54,00 10.230
10.730
55,00 11.230
11. 730
56,00 12.230
12.230
57,00 12.230
12.230
Venda com Seguro-Vale5

58,00 12.230
12.230
59, 00 12. 230
12.230
60,00 12.230
12.230
Aula 3 - Trava de Baixa ou Reversão
Venda com Seguro

Trava de Baixa ou Reversão


PETRK48 -1000
PETRK50 +1000

Em uma trava se opera a mesma quantidade em duas opções de strikes diferentes.


Na trava de baixa, vende-se a opção de strike menor e valor maior.
Uma trava só pode valer no máximo a diferença entre os strikes das opções que compõem a trava.
Risco máximo = Diferença entre os strikes menos o que foi recebido para montar.
Retorno máximo = Spread recebido para montar

Gráfico da Trava de Baixa

Trava de Baixa - Características


Forma mais simples e acessível ao pequeno investidor de vender e poder ganhar sem precisar de alta,
com risco limitado e definido.

Forma com risco limitado de vender VE e poder ganhar o decaimento das opções no mercado de lado.
Para preencher os requisitos acima as travas têm de estar sempre vendidas em VE: Normalmente ATM
ou OTM. Obs.: Trava de baixa ITM é normalmente comprada em VE.
Trava de baixa comprada em VE precisa de queda para ganhar e deixa de ter o tempo a favor. Apesar da
boa relação risco X retorno em termos financeiros, perde a grande vantagem das vendas de VE que é ter
o tempo a favor.

A trava de quando mais perde menos tem a perder (0,90-1,10 1,30-0,70 1,65-0,35 1,90-10) spread-
risco

A trava de alta quanto mais ganha mais tem a perder (1,10-0,90 0,70-1,30 0,40-1,60 0,10-1,90)
spread-risco

Portanto, temos duas características importantes da trava de baixa:


• É uma operação de fácil defesa na compra a seco na medida em que tem prejuízos limitados e
decrescentes na alta enquanto a compra a seco tem ganhos ilimitados na alta
• Lucros devem ser realizados rápido pois quando mais a operação melhora mais aumenta o risco.

Trava de Baixa - Exemplo ATM

Trava de Baixa Exemplo ATM


PETRL48 -1000 R$ 2,10
PETRL50 +1000 R$ 1,20

Ação = 48,00
Crédito [2,10 - 1,20] = 900
Risco [2000 - 900] = 1100
Taxa [900/2000] = 45%
Limite = 48,00 - 48,90

Trava de Baixa - Exemplo OTM

Trava de Baixa Exemplo OTM


PETRL50 -1000 R$ 1,20
PETRL52 +1000 R$ 0,64

Ação = 48,00
Crédito [1200 - 640] = 560
Risco [2000- 560] = 1440
Taxa [560/2000] = 28%
Limite = 50,00 - 50,56
Trava de Baixa - Operacional
Oportunidade em termos de venda de VE. Venda o VE e trave em uma opção de strike superior de
acordo com suas expectativas e objetivos .

É necessário que a quantidade de VE da opção usada para travar seja menor que o da opção vendida
para que a trava seja vendida em VE.

As travas podem ser carregadas pois se deve esperar o decaimento do VE. Deve-se montar a trava com
risco máximo que se possa perder.

Determine um ponto de realização de lucros pelo financeiro. Se for lá, faça a operação inversa para zerar
a posição.

Trava de Baixa - Atual 01


Pelas cotações de 14:00 de 29/07 e pelas pontas recebe 890,00 para montar. PETR4 34,50. Não
existem travas de baixas boas em mercado de queda forte.

No Vencimento:

Cálculo do empate 34 + 0,89 = 34,89


Faixa de ganho 34,89 para baixo - Ganho máximo 34 para baixo
Faixa de perda 34,89 para cima - Perda máxima 36 para cima
Ganho Máximo = 890,00 que recebeu para montar
Perda Máxima = 2.000 - 890=1.110

Gráfico da Trava de Baixa


Trava de Baixa - Atual 02
Pelas cotações de 14:10 de 29/07 e pelas pontas recebe 1680,00 para montar. VALE5 38,91. Não
existem travas de baixas boas em mercado de queda forte.

No Vencimento:
Cálculo do empate 38 + 1,68 = 39,68
Faixa de ganho 39,68 para baixo - Ganho máximo 38 para baixo
Faixa de perda 39,68 para cima - Perda máxima 42 para cima
Ganho Máximo = 1680,00 que recebeu para montar
Perda Máxima = 4.000 - 1.680 =2.320

Gráfico da Trava de Baixa

O Equilíbrio Matemático do Mercado


Em mercado de baixa não vai haver spread bom para trava de baixa (operações vendidas em geral)
todavia, essas operações têm maior chance de ganhar.

Em mercado de alta sempre vai haver spread bom para trava de alta (operações vendidas em geral)
todavia, essas operações têm menos chance de perder.
Aula 3 - Suplemento Teoria
Anestesia e Opções
Num mercado comum a trava de baixa é a operação mais utilizada. Primeiro porque permite vender VE
com risco definido e limitado. Segundo porque é a forma mais equilibrada de remunerar ou defender
ações.

A trava de baixa normalmente é ATM/OTM ou OTM/OTM visando estar vendido em VE ou seja,


ganhar na baixa, mercado de lado e até na pequena alta. Dessa forma o tempo está a favor e basta que
não aconteça uma forte alta para a operação seja vencedora. Podemos montar:

50 - 1000 / 52 + 1000 (risco máximo 2.000 - o que recebeu para montar, retorno máximo o que
recebeu para montar)

Pulando 1 exemplo: 50 -1000 / 54 +1000 (risco máximo 4000 - o que recebeu para montar ,retorno
máximo o que recebeu para montar). Esse caso eu acho mais apropriado para quem tem papel pois
posiciona o risco máximo aonde o papel já subiu muito.

Existe uma forma especial que é ITM pula 1 OTM mas ainda vendida em VE que é utilizada por quem
tem expectativa de alta mas mesmo assim quer fazer hedge.

O Cálculo da taxa de trava de baixa é feito dividindo o retorno máximo pela margem máxima.

Trava de baixa é avaliada, controlada e acompanhada basicamente pelo spread. Ou seja, a decisão tem
sempre como base o spread da trava no momento.

Vamos ver exemplos dos 3 casos na serie E (17/12/2007 12:20) PETR4 por volta de 80,00

A80 -1000 A82 +1000 recebe 930 pelas cotações Spread - 0,93 - Taxa 930/2000 = 47% para 35 dias
(ATM/OTM)

Retorno máximo = 930 / Risco máximo = 1.070

Faixa de ganho: Papel abaixo de 80,93


Faixa de perda máxima: Papel abaixo de 82,00

A80 -1000 A84 +1000 recebe 1.790 pelas cotações spread -1,79 - Taxa 1660/4000 =45% para 35 dias
(ATM pula 1 OTM)

Retorno máximo = 1.790 / Risco máximo = 2,210

Faixa de ganho: Papel abaixo de 81,80


Faixa de perda máxima papel acima de 84,00

A82 -1000 A84 +1000 recebe 790 pelas cotações spread 0,79 - Taxa 790/2000 = 40% para 35 dias
(OTM/OTM)

Faixa de ganho: Papel abaixo de 82,79


Faixa de perda máxima papel acima de 84

Retorno máximo = 790 / Risco máximo = 1.210

A78 -1000 A82 +1000 recebe 2.050 pelas cotações spread 2,05 taxa
2.050/4000 = 52% para 35 dias (ITM pula 1 OTM)

Obs.: Esta trava no inicio do vencimento vende pouco VE não deveria ser feita. Para que fosse boa teria
que vender mais VE (50) não tanto como as outras mas uma quantidade boa. Citei apenas para efeito
de exemplo.

Ponto de empate = 78,00 + 2,05 = 80,05 como no caso o papel está 80 vende apenas 50 reais ou cinco
centavos de VE já ficando em prejuízo em qualquer alta do papel.

Como padrões a partir dos quais poderíamos considerar a trava boa seriam:

ATM / OTM >= 0,95


OTM / OTM >= 0,75

Todavia, devemos lembrar que trava de baixa é basicamente uma operação direcional. Ou seja, num
mercado de alta os spreads tendem e aumentar e num mercado de baixa os spreads tendem a diminuir.

A principio (exceto remuneração de carteira) trava de baixa é uma operação que surge de uma
expectativa de baixa e o ideal é ser feita no topo ou após uma grande alta. Ou após um repique num
mercado de baixa.

Porém como todas as operações de opções mesmo sendo uma operação direcional devemos levar em
considerações os seguintes fatores:
• Posição em relação ao papel: ITM, ATM ou OTM
• Dias que faltam para o vencimento
• Volatilidade do Mercado.

Das operações básicas de taxa (Trava de alta, Trava de baixa , Mesa e Borboleta) a trava de baixa é a
única que anda rápido, Ou seja, está sujeito a perdas e ganhos rápidos no curto prazo sem
movimentações muito fortes do papel. Isso se deve a dois fatores primeiro ser montada geralmente fora
do dinheiro e segundo devido ao seu sentido direcional.
Porém a grande vantagem da trava de baixa é que quanto mais perde menos tem a perder. Pois tem
gamma decrescente na alta e seu spread não pode passar de 2,00 (50/52) portanto, na alta na medida
em que se aproxima de 2,00 não tem mais para onde piorar.

A outra vantagem é que podemos definir o tamanho e o local de nossos ganhos e perdas sendo assim
passível de um planejamento e gerenciamento financeiro.

A trava de baixa é uma operação essencialmente direcional delta negativa. Adequada para uma
expectativa de baixa no mercado.

Exceto no caso de Reversão Coberta onde é utilizada como hedge para as ações. Nesse momento ser
utilizados exemplos do final de 2007 e início de 2008.

Data e Fechamento PETR4


28/12 88,40
02/01 87,00
03/01 85,60
04/01 81,40
07/01 79,01
08/01 83,35
09/01 85,51

Na máxima do dia 02/01 ainda podíamos fazer a trava de baixa 88 -1000 / 90 +1000 recebendo 0,89.
Já no dia 08/01 teve oportunidade para zerar essa trava 0,39

Essa é uma das características das travas de baixa é a única operação de taxa que permite ganhos de curto
prazo. Pois é feita com opções de alto ganho.

Existem 2 motivos para realizar esses lucros de curto prazo:

• Não devolver lucro para o mercado para iniciar o processo de capitalização reinvestindo o lucro
(ou parte)
• Após uma queda o spread da trava diminui então ficamos com pouco a ganhar e muito a perder.
Quando essa trava atinge 0,30, temos 0,30 a ganhar e 1,70 a perder. Seria diferente de uma
borboleta (com alvos em 82 ou 84) que nesse movimento de alta volatilidade poderia ter tido o
mesmo ganho financeiro mas ainda tem muito a ganhar se o mercado voltar para o alvo.

Mas de todas as operações de taxa a trava de baixa é a que mais proporciona ganhos e perdas de curto
prazo.
As 4 Naturezas da Trava de Baixa

• Operação de taxa - desde que seja vendida em VE normalmente ATM/OTM ou OTM/OTM.


Na venda calculamos a taxa retorno/margem. No exemplo acima 0,89 - 0,39 = 0,50 0,50/2,00
=25%. Para esses casos utilizamos a margem máxima. Note que quando o papel volta para
85,51 o spread da trava ainda está no lucro devido a queda e decaimento de VE. Porém mesmo
como operação de taxa a trava de baixa é uma operação direcional e para ganhar o decaimento
da VE existem operações melhores como borboleta, mesa e vaca. Montamos trava de baixa
vendida em VE para aumentar suas probabilidades visto que assim ganha na queda , mercado de
lado e até na pequena alta.

• Operação de curto prazo. Visando ganhos numa expectativa de queda de curto prazo caso o
mercado corresponder. É comum que a trava de baixa montada como operação de taxa vire
operação de curto prazo e seja zerada caso haja uma queda de curto prazo.

• Hedge para ações = Reversão coberta nesse caso quando o mercado cai devemos sempre rolar a
reversão para dentro do dinheiro visando maior proteção para o papel (porque tira mais grana a
rolagem) e diminuir o risco porque a reversão mais ITM tem menos risco.

• Posição. Nesse caso a trava de baixa seria a base de uma posição para todo o vencimento. Se
subir, compramos mais opções com a grana que recebeu para fazer a trava de baixa de
preferência um lote da opção onde estava vendido. Caso mercado ficar de lado não precisa fazer
nada.

Numa queda dessas como a houve poderíamos transformar a Trava de Baixa 88-3 90 +3 no Boi 88 -
1500 90 +3000 na Vaca 86 +1 88 -3000 90 +3000

Embora essas duas posições diminuam o risco máximo da trava o risco permanece se mercado não
corresponder pode virar prejuízo. Mas é uma alavancagem e se o mercado corresponder os lucros serão
maiores que a da trava original. Quem opera assim pretende fazer outros ajustes caso mercado não
corresponda. Eu não opero mais desse jeito pelos seguintes motivos:

Isso visa ganhos em uma operação e não em um método.

Esse tipo de operar aumenta o stress e demanda mais tempo de acompanhamento do mercado.

Trava de baixa para ser uma operação de taxa na montagem deve ser vendida em VE para que se possa
aumentar a probabilidade da operação ou seja, ganhar na baixa, mercado de lado e até na pequena alta.
Enquanto está vendida em VE temos o tempo a nosso favor e a operação pode ser carregada.

Todavia, o único motivo para fazer uma trava de baixa é uma expectativa de baixa. Por isso idealmente a
trava de baixa é feita nos topos ou após uma grande alta.
Para tomar partido do decaimento de VE existem operações melhores como VC ATM, Borboleta, Mesa
e Vaca (Venda de Volatilidade) embora em caso especiais (queda forte) a trava de baixa OTM é uma
venda de volatilidade. Mas para a expectativa de mercado de lado mesas e borboletas são mais eficientes.
Claro se o mercado corresponder às expectativas.

No caso do operador que possui o papel a trava de baixa é utilizada como hedge virando reversão
coberta.

Trava de baixa é operação de spread sua montagem, avaliação e controle são feitos sempre pelo spread.
A expectativa é que no mercado de alta se encontre spreads melhores e no mercado de baixa se encontre
spreads piores. Isso é uma decorrência natural do fato que na alta o spread aumenta e na baixa o spread
diminui.

Critérios para Avaliação de uma Trava de Baixa


Critérios em operações de opções são mais eficientes se governados pelo bom senso.

• Quantidade de venda de VE - quanto maior melhor devendo ser maior que zero.

• Analise Risco / Retorno - Em geral a trava de baixa vendida em VE vai oferecer mais risco que
retorno piorando se pula 1 ou 2.

• Quantos reais de alta do papel a trava agüenta (quanto mais melhor).

• Análise dos spreads:


• Trava de baixa ATM/OTM buscar um spread em torno de 0,95 com o seguinte detalhe se a
ATM está dentro do dinheiro buscar spreads maiores que 0,95 mas se a ATM está fora do
dinheiro aceitar um pouco menor. Mas 0,95 é o padrão.
• Trava de baixa OTM/OTM buscar spreads em torno de 0,75.
• Trava de baixa com spread abaixo de 0,70/0,60 deixam de compensar pelo risco retorno e
tendem a virar venda de pó (opções centavos) muito risco para pouca grana.

A trava de baixa pulando 1 (48 -1 52-1) é utilizada em 2 casos:


• Quando se busca resultado mais rápido no curto prazo.
• Para reversão coberta visando colocar o risco máximo da trava ali onde o papel já subiu muito.

Exemplos de trava de Baixa (cotações do dia 08/02/2008 em torno de 12:40 - 10 dias para o
vencimento)

PETR4 81,69
B80 (79,74) -1000 B82 (81,74) spread 1,2 - Não passa no primeiro critério comprada 750 VE
B82 (81,74) -1000 B84 (83,74) spread 0,91
O spread ideal seria 0,95 mas como está próximo vamos alisar os outros critérios

• Totalmente vendida em VE = 910


• Risco retorno equilibrado para trava de baixa ATM/OTM 1090/910
• O calculo strike da (Vendida + Spread) - Cotação do Papel = 0,96 = 82,65 (Ou seja, agüenta
0,96 de alta)

Embora não seja uma oportunidade de ouro essa trava passa em todos padrões pois com bom
risco/retorno ganha na baixa, mercado de lado e até na alta do papel de 96 centavos.

B84 (83,74) -1000 B86 (85,74) spread 0,64 - Muito abaixo do spread ideal 0,75.
B80 (79,74) -1000 B84 (83,74) spread - Não passa no primeiro critério comprada em VE 160
B82 (81,74) -1000 B86 (85,74) spread 1,55

• Totalmente vendida em VE 1.550


• Trava desse tipo já é esperada não ter bom risco retorno 2.450/1.550
• 1.6 = 83,29

Com uma forte expectativa de baixa seria razoável fazer essa trava pois ganha na baixa no mercado de
lado e na alta até 1,6 do papel e só faltam 10 dias para o vencimento. Porém devido ao seu risco
retorno desfavorável o operador deve conhecer as técnicas de defesa. Como defesa de curto prazo nesse
tipo de trava é muito utilizada a compra de 84 (a do meio).

Portanto, nesse momento o operador de PETR4 com expectativa de baixa poderia optar entre duas
travas de baixa.

B82 (81,74) -1000 B84 (83,74) spread 0,91


B82 (81,74) -1000 B86 (85,74) spread 1,55

Dominando esses critérios o operador pode avaliar as diversas travas de baixa vendidas em VE e com o
tempo acompanhando os spreads das travas no mercado identificar as oportunidades.

A oportunidade vai ser basicamente definida por 3 fatores:


• Spread acima do ideal
• Quantidade de VE vendida que determina quantos reais agüenta na alta.
• Nesse momento é necessário paciência porque mesmo dentro de um pregão surgem momentos
piores ou melhores para montar uma operação.

Vamos analisar algumas em VALE5 no mesmo momento:

VALE5 = 45,30
B44 -1000 B46 +1000 spread 1,07 comprada em VE 230 não passa nos critérios.
B46 -1000 B48 +1000 spread 0,70
• O spread ideal é 0,75
• Totalmente vendida em VE 700
• Risco retorno 1,3/0.7
• O calculo strike da (Vendida + Spread) - Cotação do Papel = 1,4 = 46,70

Ganha na baixa, mercado de lado e até na alta de 1,40 do papel. Faltam 10 dias para o vencimento.
Embora não seja uma oportunidade pode ser feita por quem tem expectativa de baixa.

B48 -1000 B50 +1000 spread 0,28 - Venda de pó não passa no critério devido a péssimo risco/retorno.
B44 -1000 B48 +1000 spread 1,77

• Vendida em pouco VE -470


• Risco retorno adequado a esse tipo de trava de baixa 2,23/1,77
• O calculo strike da (Vendida + Spread) - Cotação do Papel = 0,47 = 45,77

Reparar que quantos reais ganha na alta é sempre = quantidade de VE vendida.

Ganha na baixa, mercado de lado e até na alta de 0,47 do papel. Faltam 10 dias para o vencimento.
Embora não seja uma oportunidade pode ser feita por quem tem expectativa de baixa visto que o risco
retorno está adequado.

B46 -1000 B50 +1000 spread 0,98 não deve ser feita risco retorno muito contra 4.00/0.98

Portanto embora não existam travas de baixas boas em vale no momento o operador com expectativa de
baixa poderia fazer.

B46 -1000 B48 +1000 spread 0,70


B44 -1000 B48 +1000 spread 1,77

Concluindo gostaria de lembrar que o fato de uma operação ser ITM, ATM ou ATM vendida em VE
ou não é definido na montagem. Durante o vencimento (especialmente em tempos de alta volatilidade
na época em que esse texto foi escrito) as coisas mudam quem era ITM vira OTM e vice-versa , quem
era comprado em VE vira vendido em VE e vice-versa. Cabe ao operador primeiro saber as implicações
dessas mudanças nas sua operação. Por exemplo, Trava de Baixa virar ITM é péssimo já virar OTM é
ótimo (trava de alta o contrário). E sabendo as implicações tomar as medidas adequadas para preservar
lucros ou minimizar perdas.
Aula 3 - Slides
Slide 1 - Trava de Baixa - Reversão

Trava de Baixa - Reversão


Trava de Baixa
PETRK48 -1000
PETRK50 +1000
•Em uma trava se opera a mesma quantidade em duas opções de
strikes diferentes.
•Na trava de baixa, vende-se a opção de strike menor e valor
maior.
•Uma trava só pode valer no máximo a diferença entre os strikes
das opções que compõem a trava.
•Risco máximo = Diferença entre os strikes menos o que foi
recebido para montar.
•Retorno máximo = spread recebido para montar.

Slide 2 - Trava de Baixa - Reversão

Trava de Baixa - Reversão


Slide 3 - Trava de Baixa - Características

Trava de Baixa - Características


••Forma
.
mais simples e acessível ao pequeno investidor de
vender e poder ganhar sem precisar de alta, com risco limitado e
definido.
•Forma com risco limitado de vender VE e poder ganhar o
decaimento das opções no mercado de lado.
•Para preencher os requisitos acima as travas tem de estar
sempre vendidas em VE: Normalmente ATM ou OTM. Obs.: Trava
de baixa ITM é normalmente comprada em VE.
•Trava de baixa comprada em VE precisa de queda para ganhar e
deixa de ter o tempo a favor. Apesar da boa relação risco X
retorno em termos financeiros, perde a grande vantagem das
vendas de VE que é ter o tempo a favor.

Slide 4 - Trava de Baixa - Exemplo ATM

Trava de Baixa - Exemplo ATM


Trava de Baixa - Exemplo ATM
PETRL48 -1000 R$ 2,10
PETRL50 +1000 R$ 1,20

•Ação = 48,00
•Crédito [2,10 – 1,20] = 900
•Risco [2000 - 900] = 1100
•Taxa [900/2000] = 45%
•Limite = 48,00 – 48,90
Slide 5 - Trava de Baixa - Exemplo OTM

Trava de Baixa - Exemplo OTM


Trava de Baixa - Exemplo OTM
PETRL50 -1000 R$ 1,20
PETRL52 +1000 R$ 0,64

•Ação = 48,00
•Crédito [1200 – 640] = 560
•Risco [2000- 560] = 1440
•Taxa [560/2000] = 28%
•Limite = 50,00 - 50,56

Slide 6 - Trava de Baixa - Operacional

Trava de Baixa - Operacional


•Oportunidade
. em termos de venda de VE. Venda o VE e trave em
uma opção de strike superior de acordo com suas expectativas e
objetivos .
•É necessário que a quantidade de VE da opção usada para travar
seja menor que o da opção vendida para que a trava seja vendida
em VE.
•As travas podem ser carregadas pois deve-se esperar o
decaimento do VE.
•Deve-se montar a trava com risco máximo que se possa
perder.
•Determine um ponto de realização de lucros pelo financeiro. Se
for lá, faça a operação inversa para zerar a posição
Slide 7 - Trava de Baixa - Atual 01

Trava de Baixa – Atual 1


Trava de Baixa - Exemplo OTM
PETRH34 -1000 R$ 1,86
PETRH36 +1000 R$ 0,97
Pelas cotações de 14:00 de 29/07 e pelas pontas recebe 890,00 para
montar. Petr4 34,50
Não existem travas de baixas boas em mercado de queda forte.
No Vencimento:
Cálculo do empate 34 + 0,89 = 34,89
Faixa de ganho 34,89 para baixo – Ganho máximo 34 para baixo
Faixa de perda 34,89 para cima – Perda máxima 36 para cima
Ganho Máximo = 890,00 que recebeu para montar
Perda Máxima = 2.000 – 890=1.110

Slide 8 - Trava de Baixa - Atual 01

Trava de Baixa – Atual 1


H
890
890
890
890
890
890
890
890
890
890
890
890
890

1.000
390

500
110

0
610

-500
1.110
1.110
1.110
1. 110
1.110
1.110
1. 110
1.110
1.110
1. 110
1.110
1.110
1. 110
1.110
1.110
1. 110
1.110
1.110
1. 110
1.110
1.110
1. 110
1.110
1.110
1. 110
1.110
1.110
1. 110
1.110
1.110
1. 110
1.110
1.110
1. 110
1.110
1. 110
1.110
1.110

-1.000

-1.500
28,00

29,00

30,00

31,00

32,00

33,00

34,00

35,00

36,00

37,00

38,00

39,00

40,00

41,00
42,00

43,00

44,00

45,00

46,00

47,00

48,00

49,00

50,00

51,00

52,00

53,00

54,00
Slide 9 - Trava de Baixa - Atual 02

Trava de Baixa – Atual 2


Trava de Baixa - Exemplo OTM
VALEH38 -1000 R$ 2,31
VALEH42 +1000 R$ 0,63
Pelas cotações de 14:10 de 29/07 e pelas pontas recebe 1680,00 para
montar. Vale5 38,91
Não existem travas de baixas boas em mercado de queda forte.
No Vencimento:
Cálculo do empate 38 + 1,68 = 39,68
Faixa de ganho 39,68 para baixo – Ganho máximo 38 para baixo
Faixa de perda 39,68 para cima – Perda máxima 42 para cima
Ganho Máximo = 1680,00 que recebeu para montar
Perda Máxima = 4.000 – 1.680 =2.320

Slide 10 - Trava de Baixa - Atual 02

Trava de Baixa – Atual 2


H
1.680
1.680
1. 680
1.680
1. 680
1.680
1.680
1. 680
1.680

2.000
1.180

1.500
680

1.000
180

500
320

0
820

-500
1.320

-1.000
1.820

-1.500
2. 320
2.320
2.320
2. 320
2.320
2.320
2. 320
2.320
2.320
2. 320
2.320
2.320
2. 320
2.320
2.320
2.320
2.320
2. 320
2.320
2.320
2. 320
2.320
2.320
2. 320
2.320
2.320
2. 320
2.320
2.320
2. 320
2.320
2.320
2. 320
2.320
2.320
2. 320
2.320
2.320

-2.000
-2.500

-3.000
34,00

35,00

36,00

37,00

38,00

39,00

40,00
41,00

42,00

43,00

44,00

45,00

46,00

47,00

48,00

49,00

50, 00

51,00

52,00

53, 00

54,00

55,00

56, 00

57,00

58,00
59, 00

60,00
Slide 11 - Trava de Baixa - Comentários

Trava de Baixa - Comentários


•.
1. O Equilíbrio Matemático do Mercado

Em mercado de baixa não vai haver spread bom para trava


de baixa (operações vendidas em geral) todavia, essas
operações tem maior chance de ganhar.

Em mercado de alta sempre vai haver spread bom para


trava de alta (operações vendidas em geral) todavia, essas
operações tem menos chance de perder.
Aula 4 - Venda Volatilidade ou Vaca
Montagem
Compra uma certa quantidade de uma opção e se vende em maior quantidade em opções de strike
superiores travando as vendas em excesso em alguma opção OTM.

Por definição estará vendido em VE e gama e comprado em tempo (theta positivo). O delta tende a ser
negativo mas pode ser positivo.

De qualquer forma há uma direcional para baixo para que será tanto maior quanto mais delta em
relação ao gama.

Quanto menor o DQ (D/G) mais a operação tenderá para VOL e perderá mais intensa e rapidamente -
Risco Gama - na alta da ação. Em compensação, ganhará mais pela passagem de um dia.

As Vacas (assim como os Bois) funcionam diferente de uma Venda de Volatilidade no mercado
americano.

Teoricamente Venda de Volatilidade deveria perder na alta e na baixa e ganhar no mercado de lado.

Mas aqui no Brasil como são feitas apenas com opções de compra ganham na baixa de curto prazo (até
uns 3 reais).

Call RatioSpread - Vaca


Compra de uma opção e venda em maior quantidade de uma opção de strike maior (travando em outra
de strike mais alto).

Retorno e Riscos máximos variam de acordo com a forma que a Vaca é montada. Na Vaca padrão do
exemplo, Risco e Retorno máximo = 4000.

Vaca
PETRK34 +1000
PETRK38 -3000
PETRK42 +2000
Gráfico da Vaca Padrão

Vaca
O investidor que tem como estratégia ganhar se o mercado não fizer um movimento intenso ou captou
uma oportunidade de venda de gama e aceita um risco alto.

A grande vantagem desta estratégia é a possibilidade de ganhar o decaimento de VE das opções vendidas
pela passagem do tempo.

A grande desvantagem é a perda na alta forte do mercado. Esta é a operação com maior risco gama na
alta.

Para ganhar esta operação, normalmente deve-se carregá-la por um período até que haja decaimento do
VE das opções vendidas.

Precisa de marcadores de risco, pois a piora é agressiva na alta do mercado.

Como a Vaca ganha se o mercado ficar onde está, pode-se pagar para montar. A principio tem bons
resultados numa queda de curto prazo (2 a 3 reais).

Vaca Revertida
Uma forma especial de vaca.
Combinação de compra a seco com reversão.(trava de baixa)
Compra de uma opção + reversão de strikes superiores, em maior número para pagar a compra.
Pode-se fazer em qualquer proporção mas o mais comum é 1/5, pulando um strike.
Retorno máximo 4000 menos ou mais o custo.
Mesmo cálculo para o risco máximo (Nesta proporção).
Agüenta menos alta e custa mais caro que a vaca normal, mas se o mercado explodir volta a ganhar lá na
frente.
Vaca Revertida
PETRK34 +1000
PETRK38 -5000
PETRK42 +5000

Gráfico da Vaca Revertida

Vaca Operacional
Oportunidades de Venda de VE. Trave uma parte embaixo, outra parte em cima. Usualmente para ter
lucro, é necessário carregar a posição até que haja decaimento dos VEs vendidos.

Determine uma área de realização de lucros, chegando lá, faça a operação no sentido inverso para zerar.

Através de marcadores para monitorizarão de vendas: BOSI e VE, e determine áreas de STOP ou de
rolagem.

Sempre tenha um lastro em termos financeiros e distância da venda em relação ao preço do papel. Sem
este lastro você será sempre stopado em VE. O operador de vacas tem de agüentar algum tranco ou não
vai ganhar no longo prazo
Vaca Atual - H2008 - Conservadora - PETR4
Montada pelas cotações de fechamento de 18/07 (pelas pontas recebe) 115,00 para montar.

No Vencimento:
PETR4 38,20
Faixa de Ganho no vencimento - abaixo de 39,12
Ganho Máximo - 2.115 (vencimento 38)
Os ganhos maiores serão no mercado de lado próximo ao 38.
Faixa de perda - 39,12 para cima
Perda Máxima - 1.885 -acima de 40
Terá ganhos numa queda de curto prazo.

Gráfico - Vaca Atual PETR4

Vaca Atual - H2008 - Agressiva - VALE5


Montada pelas cotações de fechamento de 18/07 (pelas pontas) recebe 28,00 para montar.

No Vencimento:
VALE5 40,16
Abaixo de 36 ganha os 28 que recebeu para montar
Faixa de Ganho - abaixo de 44
Ganho Máximo - 3.228 - Vencimento 40. Os maiores ganhos serão no vencimento em torno de 40
(38,50 - 2.028 - 42,50 -1.978)
Faixa de perda - 44 para cima
Perda Máxima - 5,172 48. para cima
Como está travada no 48 atinge seu limite de perda.
Terá bons ganhos numa queda de curto prazo.

Gráfico - Vaca Agressiva VALE5


Aula 4 - Suplemento Teoria
Teoricamente Vaca é venda de volatilidade a expectativa que mercado vai ficar parado. Podemos
ampliar a faixa de ganho pulando strikes (Entre a compra e as vendas) na montagem. Quanto maior o
ganho maior o risco.

Mas venda de volatilidade perde no movimento (alta e baixa) Vaca como é venda de call (opção de
compra) ganha na baixa de curto prazo. Ambos com maior ganho no mercado de lado. (Vaca e venda
de volatilidade)

Esses ganhos na queda de curto prazo é uma das grandes vantagens da Vaca. Fato esse que possibilita
por exemplo essa operação ser utilizada para remunerar carteira.

Quanto mais delta em relação ao gamma mais a vaca é voltada para tendência.

Quanto menos delta em relação ao gamma mais a vaca é voltada para volatilidade.

A Vaca básica é uma soma de uma borboleta e trava de baixa

A vaca deve ser feita próxima do 0 a 0 pois seus retornos são na desmontagem e retirar grana para
montar uma vaca acrescenta risco ao que já é arriscado. Mas também não se deve colocar muita grana
porque ai é melhor fazer borboleta ou mesa.

Exemplo 01:
Borboleta 50 +1 54 -3 56 +2 + Trava de Baixa 56 -2 58 +2
Vaca 50 +1 54 -3 58 +2

A reversão (trava de baixa) acrescenta um risco na alta nesse caso de 4,00 - o que recebeu (ou + o que
pagou) para montar acima de 56 no vencimento.

o ganho Maximo no vencimento a 54 é 4,00 + o que recebeu para montar

Exemplo 02:
Borboleta 50 +1 54 -3 56 +2 + Trava de Baixa 54 -1 56 +1
Vaca 50 +1 54 -4 56 +3

Risco de 2,00 acima de 56 - o que recebeu para montar

O Ganho Maximo no vencimento a 54 é 4,00 + o que recebeu para montar ou - o que pagou para
montar.

Exemplo 03:
Borboleta 50 +1 52 -2 54 +1 + Trava de Baixa 52 -1 54 +1
Vaca 50 +1 52-3 54+2
Acrescenta risco de 2,00 - o que recebeu para montar (ou + o que pagou para montar) no vencimento
acima de 54.

Ganho Maximo no vencimento a 52 é 2,00 + o que recebeu para montar. Risco = Trava de Baixa.

Vaca é venda de VE e de volatilidade mas como é feita só de opções de compras vai ganhar no mercado
de lado e na baixa de curto prazo.

Na alta forte o prejuízo é forte, rápido e explosivo

Causando o operador ser stopado em VE. É quando o financeiro devedor piorou muito mas operação
ainda está na faixa de ganho no vencimento.

Se não souber resistir ao tranco vai perder todas as vacas para isso temos que ter lastro distancia da faixa
de perda para a cotação atual do papel e cacife para poder suportar o prejuízo da vaca

A defesa da vaca numa alta forte é comprar opções OTM de preferência onde está vendido.

A vaca funciona melhor associado ao papel onde é controlada na Planilha Bastter Blue pelos marcadores
Thex e Limitex.

Para vaca isolada o melhor Stop é o BOSI. Se passar muito tempo antes do Stop pode ser no lucro.

Temos três formas de Stopar pelo BOSI (sabendo o ponto inicial de maior risco da vaca).

• Conservador: ando a opção equivalente à faixa de maior risco se torna a de maior BOSI (risco
máximo na 56, maior BOSI na 56)

• Agressivo quando a opção seguinte à faixa de maior risco se torna a de maior BOSI (risco
máximo na 56, maior BOSI na 58)

• Matemático - quando a opção equivalente à faixa de maior risco se torna a de maior BOSI mas
o segundo maior BOSI vai para a segunda (risco máximo na 56, maior BOSI na 56 e segundo
maior BOSI na 58)

Hoje em dia nesses tempos de intensa volatilidade as vacas estão muito baratas mas muito arriscada.
Mas em VALE5 nos últimos 2 vencimento deu chance de Vaca. (Essa era a situação de final de 2007 e
inicio de 2008)

Hoje em dia (07/2008) a coisa já acalmou e a Vacas voltaram para o seu custo normal especialmente em
Vale5.

Administrar Vacas sem papel é muito complicado devido ao stop em VE. Recomendam-se Vacas de
baixo risco como as citadas acima. .Somas de Borboletas e Travas de Baixa com risco pequeno.
Defesa
Em mercado de alta forte compra opção OTM e depois pensa. As perdas são tão rápidas que se parar
para pensar já perdeu o bonde.

Em mercado de alta fraca pode comprar pequenos lotes de onde está vendido.

Ou pode definir o Stop na montagem da operação pelo seu risco máximo eliminando o perigo do
violino. Se o operador pretender perder no máximo mil reais faz uma Vaca em que o risco máximo seja
mil reais. E só zera no lucro ou no final da última semana do vencimento a mercado.

Stop pelo financeiro aqui não funciona porque vai causar ser stopado em VE sempre.

Vacas como Borboletas requer a habilidade saber montar operações com varias series evitando os risco
de descasamento.

Em Caso de Baixa de Curto Prazo

A vaca é desmontada quando o papel está no limiar de sair da faixa de ganho. Queda de 2 a 3 reais não
podemos esperar mais porque senão o lucro vira prejuízo.

Não esquecer que numa queda forte de Curto Prazo a Vaca pode ficar no prejuízo se não for zerada no
inicio da queda mas que se depois o mercado recuperar e subir para a faixa de ganho da Vaca ela voltará
a ter lucro.e potencial.

Se estiver associada a papel dever ser rolada para dentro do dinheiro.

Caso haja expectativa de repique uma forma de preservar lucros apos uma baixa forte é financiar onde
está revertido fez na montagem 54 -1 56 +1 faz 54 +1 56 -1 se tiver barato pois elimina os riscos na alta.

Numa vaca tipo vaca 50 +1 54 -3 58 +2 em mercado de alta forte pode fazer o Boi 50 -1 54+3
eliminando o risco da operação.

Vaca é operação para quem tempo para olhar o mercado.

Como a Vaca é venda de VE.

Em geral deve ser desmontada no fim do vencimento. precisa de tempo para ganhar o decaimento da
VE.

Por vender VE é theta negativo o que cria risco gamma das altas e risco explosivo que deve sem
combatido com compra de gamma opção OTM.
Vaca não faz bem para o estado emocional do operador. Mas quando ela da certo as rentabilidades são
explosivas.

Exceto aquele que tem carteira e que usam Vaca para remunerar.
Aula 4 - Slides
Slide 1 - Introdução

• Co mpra uma ce rta qu antidade de u ma o pção e se ven de e m


maior quan tidad e em o pçõe s de strike su pe rio res tra vando as
vendas e m exce sso e m algu ma o pção OTM.

• Por de fin içã o e stará v endido em VE e gam a e com pr ado em


tem po (th eta positivo).

• O delta ten de a se r nega tivo m as po de ser po sitivo . De qu alqu er


fo rma há um a direcion al para baixo para q ue será tan to m aior
qu anto mais d elta e m relaçã o ao gama.

• Qu anto me no r o D Q (D/ G) m ais a operação ten de rá para VOL e


pe rde rá mais inte nsa e rapidame nte – Risco Gama - n a alta da
ação . E m compen sação , ga nh ará mais pela passa gem de u m dia.

Slide 2 - Call RatioSpread - Vaca

Call RatioSpread - Vaca


Vaca

PETRK34 +1000
PETRK38 -3000
PETRK42 +2000

•Compra de uma opção e venda em maior quantidade de uma


opção de strike maior (travando em outra de strike mais alto).

•Retorno e Riscos máximos variam de acordo com a forma que a


Vaca é montada.
•Na Vaca padrão do exemplo, Risco e Retorno máximos = 4000.
Slide 3 - Gráfico da Vaca

Slide 4 - Vaca

Vaca
•O investidor que tem como estratégia ganhar se o mercado
não fizer um movimento intenso ou captou uma oportunidade
de venda de gama e aceita um risco alto.

•A grande vantagem desta estratégia é a possibilidade de


ganhar o decaimento de VE das opções vendidas pela
passagem do tempo. A grande desvantagem é a perda na alta
forte do mercado. Esta é a operação com maior risco gama na
alta.
Slide 5 - Vaca

Vaca
Para ganhar esta operação, normalmente deve-se carregá-lá
por um período até que haja decaimento do VE das opções
vendidas. Precisa de marcadores de risco, pois a piora é
agressiva na alta do mercado

•Como o Vaca ganha se o mercado ficar onde está, pode-se


pagar para montar.

A princípio tem bons resultados numa queda de curto prazo(2


a 3 reais).

Slide 6 - Vaca Revertida

Vaca Revertida
Vaca Revertida
Vaca Revertida
PETRK34 +1000
PETRK38 -5000
PETRK42 +5000
•Uma forma especial de vaca. Combinação de
compra a seco com reversão.
•Compra de uma opção + reversão de strikes
superiores, em maior número para pagar a
compra. Pode-se fazer em qualquer proporção
mas o mais comum é 1/5, pulando um strike.
Slide 7 - Vaca Revertida

Vaca Revertida - 2
Vaca Revertida
Vaca Revertida
PETRK34 +1000
PETRK38 -5000
PETRK42 +5000

•Retorno máximo 4000 menos ou mais o custo.


Mesmo cálculo para o risco máximo. (Nesta
proporção). Agüenta menos alta e custa mais caro
que a vaca normal, mas se o mercado explodir
volta a ganhar lá na frente.
•.

Slide 8 - Gráfico Vaca Revertida


Slide 9 - Vaca Operacional

Vaca Operacional
•Oportunidades de Venda de VE. Trave uma parte embaixo,
outra parte em cima. Usualmente para ter lucro, é necessário
carregar a posição até que haja decaimento dos VEs vendidos.
•Determine uma área de realização de lucros, chegando lá,
faça a operação no sentido inverso para zerar.
•Através de marcadores para monitorizarão de vendas: BOSI e
VE, determine áreas de STOP ou de rolagem.

•Sempre tenha um lastro em termos financeiros e distância da


venda em relação ao preço do papel. Sem este lastro você será
sempre stopado em VE. O operador de vacas tem de agüentar
algum tranco ou não vai ganhar no longo prazo.

Slides 10 - Vaca Atual - H2008 - Conservadora

Vaca Atual – H2008-Conservadora


Vaca

PETRH34 +500
PETRK38 -2500
PETRK40 +2000

Pelas cotações de fechamento de 18/07 e pelas pontas recebe 115,00


para montar. Petr4 38,20
Faixa de Ganho no vencimento – abaixo de 39,12
Ganho Máximo – 2.115 (vencimento 38) – os ganhos maiores serão no
mercado de lado próximo ao 38.
Faixa de perda – 39,12 para cima
Perda Máxima – 1.885 –acima de 40
Slides 11 - Gráfico - Vaca Atual PETR4

Slides 12 - Vaca Atual - H2008 - Agressiva

Vaca Atual – H2008-Agressiva


Vaca

ValeH36 +800
ValeH40 -1100
ValeH42 -1000
ValeH48 +1400

Pelas cotações de fechamento de 18/07 e pelas pontas recebe 28,00


para montar. Vale5 40,16
No Vencimento: Abaixo de 36 ganha os 28 que recebeu para
montar Faixa de Ganho – abaixo de 44
Ganho Máximo – 3.228 – Vencimento 40. Os maiores ganhos serão no
vencimento em torno de 40 ( 38,50 – 2.028 - 42,50 –1.978 )
Slides 13 - Vaca Atual - H2008 - Agressiva

Vaca Atual – H2008-Agressiva - 2


Vaca

ValeH36 +800
ValeH40 -1100
ValeH42 -1000
ValeH48 +1400

No Vencimento :

Faixa de per da – 44 para cima


Perda Máxima – 5,172 48. Para cima
Como está travada no 4 8 atin ge seu limite d e perda.
Terá bons ganhos numa q ue da de curto prazo.

Slides 14 - Gráfico - Vaca Agressiva - VALE5


Aula 5 - Defesa
Conceito de Defesa Rolo

• A tendência natural da defesa é criar um rolo na operação que pode levar a grandes prejuízos.

• A defesa de uma venda é uma compra uma operação vendida que precisa de defesa significa que
o mercado já subiu após a montagem (“vendemos no fundo”) e agora vai necessitar compra para
ser defendida (“compra no topo”)

• Agindo assim podemos nos colocar na pior situação possível de uma operação de opção que é
estar perdendo na Venda e na Compra. O que acontece que se após a compra de defesa mercado
ceder um pouco. Isso não é defesa é rolo.

• A defesa de uma compra é uma venda uma operação comprada que precisa de defesa significa
que o mercado já caiu após a montagem (“compramos no topo”) e agora vai necessitar venda
para ser defendida (“venda no fundo”)

• Agindo assim podemos nos colocar na pior situação possível de uma operação de opção que é
estar perdendo na Compra e na Venda . O que acontece que se após a venda de defesa mercado
repicar.Isso não é defesa é rolo.

• Outra situação que freqüentemente vai gerar grandes rolos são rolagens sucessivas para
vencimentos seguintes pois tendem a aumentar o risco da operação de forma exponencial.
Criando as famosas bolas de neves.

• Uma defesa mal-feita geralmente vai aumentar a complexidade da operação tornando a mesma
cada vez mais difícil de administrar. No extremo vai criar a famosa situação onde o operador
não sabe mais se torce para cair ou subir

• Na maioria das vezes é melhor assumir o primeiro prejuízo que geralmente é o melhor do que
ficar exponenciando o risco com defesas.

• Na maioria das vezes o tempo que o operador perde tentando salvar uma operação perdedora
(que normalmente é muito tempo) poderia ser mais bem aproveitado buscando novas
oportunidades no mercado.

• Portanto, na maioria das vezes a defesa significa uma utilização ineficiente da margem
Conceito de Defesa Natural
O Conceito de defesa natural vai definir um tipo de defesa que não gera os riscos descritos acima.

• Não aumenta o risco da operação.

• De preferência diminui o risco da operação.

• Preserva as chances de ganhos

• Não complica a operação. Geralmente simplifica sendo o ideal comprar onde está vendido e
vender onde está comprado.

• Caso haja necessidade de rolar para o vencimento seguinte está disposto a assumir pequenos
prejuízos para não aumentar o risco.

Cada operação tem algumas formas de defesa natural.

• Para operações vendidas na maior parte do caso a defesa é compra a seco.

• Visto que a compra seco tem ganhos limitados na alta e a operação perdas limitadas na alta.

• Nesse caso o maior desafio é devolver as compras quando o mercado cede após subir.

• Estudaremos agora a defesa natural de cada operação citada.

Defesa Natural - Venda com Seguro


Para esse exemplo usaremos uma Venda com Seguro de acordo com cotações do final do pregão de
01/07/2008.

Venda com Seguro


PETRH38 -1000
PETRH48 +1000

PETR4 = 38,50 H38 = 1,95 H48 =0,06 recebe 1.890 para montar.
No vencimento faixa de perda com PETR4 acima de 40
Perda máxima acima de 48 = 8.110

Onde começar a defender:


• Quando o maior BOSI for para H42
• Quando o prejuízo da operação chegar a X
• Quando H42 furar 0,90

Essa é uma operação acelerada por definição -113 gammas e -596 deltas por lote de mil.
Com péssimo risco/retorno 8.110/1.890.

Portanto, que não permite a anestesia pois os prejuízos podem ser grandes. Uma das alternativas é
simplesmente stopar a operação quando os pontos definidos no slide anterior especialmente maior
BOSI na H2 ou prejuízo de X atingido.

No caso de defesa a melhor é a compra de H42 quando furar 0,90.

• Porque está opção terá bastante gamma em caso de alta

• Porque é uma defesa barata comparada ao dinheiro que recebeu para montar

• Porque diminui o risco da operação quando comprar um lote de 1.000 o risco absoluto da
operação terá diminuído de 10.000 para 4.000.

• Por causa da simplicidade apenas transforma a Venda com seguro em uma trava de baixa.

Todavia, quando vamos defender uma opção vendida devemos antes tomar uma decisão. Vamos
defender o suficiente para estabilizar as perdas no mercado de alta ou vamos transformar a operação em
vencedora no mercado de alta.

De qualquer forma temos que começar compra gradualmente na medida em que o mercado sobe. A
defesa seria:
Compra 500 H42 no 0,90, Compra 500 H42 no 1,10, Compra 500 H42 no 1,30 e Compra 500 H42
no 1,50

Essa defesa é suficiente para estabilizar a operação no mercado de alta e normalmente vai gerar lucros
em alta forte (4 reais ou mais).

A grande vantagem desse tipo de defesa e que só compramos se o mercado subir efetivamente. A
dificuldade é devolver as compras se após o mercado subir ceder.

O sistema que eu adoto é:


• Não existe stop para a primeira compra incluo como parte do custo da operação isso visando
evitar violinos.
• Para o resto do lote o stop é sempre na penúltima compra comprei a 1,50 o stop vira 1,30 -
comprei a 1,30 o stop vira 1,10 para todo lote exceto a primeira.
• Caso seja um dia de alta forte e essas compras graduais gerem um lucro forte (de acordo com o
prejuízo máximo da operação) esse lucro é realizado no mesmo dia.
• Esse sistema com graduações, serve para defender todas as operações vendidas não apenas Venda
com Seguro.
• Por exemplo, para essa venda com seguro estabeleci um sistema que compra a cada 20 centavos
de alta isto porque essa operação é muito acelerada. Para operações com menos gamma poderia
ter um sistema com compra a cada 30,40 ou 50 centavos.

Outra defesa seria:


Compra 500 H42 no 0,90, Compra 500 H42 no 1,10, Compra 500 H42 no 1,30, Compra 500 H42
no 1,50, Compra 500 H42 no 1,70 e Compra 500 H42 no 2,00

Ou Compra 1000 H42 no 0,90, Compra 1000 H42 no 1,10 e Compra 1000 H42 no 1,30.

Essas duas formas de defesa sendo a segunda mais acelerada visam “mudar a mão” ou seja, não apenas
estabilizar a operação para a alta mas transformar a operação numa que ganha no mercado de alta.

Segundo que a segunda forma tem mais chances de dar lucro numa alta de um dia mas tem mais risco
no caso de Violinos.

Vaca e Defesa

Vaca
PETRK34 +1000
PETRK38 -3000
PETRK42 +2000

A Vaca é um tipo de operação que normalmente não se utiliza defesa. Devido a sua melhor relação
risco/retorno 1:1 é possível fazer um planejamento de stops pequenos de forma que quando a operação
for vitoriosa pague todos os stops e ainda sobre lucro.

Normalmente o Stop da Vaca é controlado pelo marcador BOSI.

Essa Vaca acima tem sua faixa de maior risco no vencimento a 42.
Após 42 o risco é limitado e constante.

O Stop conservador é stopar quando a H42 for à opção de maior BOSI.


O Stop agressivo é stopar quando a H44 for à opção de maior BOSI.
O Stop agressivo vai pagar stops mais caros mas tem menos risco de Violinos.

A grande vantagem de Stop pelo BOSI é se passar muito tempo (2 a 3 semanas) o Stop pode ser no
lucro.
Caso o operador deseje defender a vaca com compras deve ser bem devagar e gradual. No caso do
exemplo acima bastaria comprar dois lotes de 500 da 38 onde está vendido que já transformaria numa
operação que ganha na alta. Defesa de vaca sempre é comprar onde está vendido.

Todavia, a defesa da vaca não é uma defesa natural pois aumenta o risco. Diferente das travas a vaca
normalmente não recebe grana para montar então a compra adiciona risco a operação. Especialmente
no caso onde após uma alta haja um queda forte.

Defesa Trava de Baixa - 01

Trava de Baixa
PETRH34 -1000 R$ 1,86
PETRH36 +1000 R$ 0,97

A defesa da trava de baixa é sempre feita de acordo com o sistema de compras graduais já explicado.

Só que nesse caso sempre se compra onde está vendido visando reduzir o risco da operação.
Nesse caso como a operação é menos acelerada podemos compra em lotes menores 200 ou 300
atingindo 500 na compra temos um boi que melhora na alta.

Como sempre deve ser feita a decisão se vamos apenas estabilizar a operação na alta ou vamos
transformar a operação em comprada.

Defesa Trava de Baixa - 02

Trava de Baixa
PETRH38 -1000 R$ 2,31
PETRH42 +1000 R$ 0,63

A defesa da trava de baixa é sempre feita de acordo com o sistema de compras graduais já explicado.

Só que nesse caso sempre se compra a do meio H40 que diminui o risco da operação e defender de
forma mais eficiente essa operação que é mais acelerada que anterior.

Nesse caso o ideal é comprar de 500 em 500 atingindo 1000 teremos um bode que melhora na alta.

Como sempre deve ser feita a decisão se vamos apenas estabilizar a operação na alta ou vamos
transformar a operação em comprada.
O Theta
Tempo e o Theta e mudanças da Natureza da Operação.

Quando planejamos uma defesa devemos saber que aquela defesa é valida por uma média de 4 ou 5
dias.

Pois uma operação vendida defendida com compras muda de natureza. Era uma operação que ganhava
na baixa e no mercado de lado. Após as compras passa a ser uma operação que ganha na alta, ganha
pouco na baixa mas perde no mercado de lado. Isso de acordo com a calibragem ou seja, quantidade de
compras.

Ficando o mercado de lado ou em queda o gamma vai caminhando para dentro do dinheiro e a
operação perdendo potencial podendo gerar prejuízos no mercado de lado.

A única forma de resolver isso é realizar pequenas perdas nas compra se o mercado cair ou ficar de lado.

O Stop
Todos nos sabemos que nem sempre o stop é possível devido a Gap de alta, bolsa fechar ou problemas
pessoais.

Mas na maioria dos casos o stop é possível e uma forma de limitar os riscos dessas operações vendidas.
Decidindo pelo stop devemos utilizar o stop matemático.

Uma trava de baixa recebendo 0,90 para um risco de 1,10 lote de 1000. Se o stop for de 450 de cada 3
precisamos ganhar 1 para empatar. Se o stop for de 300 de cada 4 precisamos ganhar 1 para empatar.

Quanto maior o stop maior o custo, menor a chance mas menor a chance de violino. Quanto menor o
stop maior a chance mas maior a chance de violino.

O Stop na Montagem
Essa é forma adotada pelo meu irmão o Bastter. Após definir quando se pode perder numa operação se
monta uma cujo risco máximo corresponda ao risco definido.

Exemplo: Posso perder 500 numa trava de baixa monto uma com spread de 1,00 e lote de 500.
Ou seja, meu risco máximo já está definido na montagem da operação. Após a montagem só desmonta
se atingir a meta de lucro ou no final da semana de vencimento a mercado.

A primeira grande vantagem dessa forma de operar é a eficiência pois não necessita nem de
acompanhamento, ajuste ou defesa e a segunda grande vantagem que é imune a violinos.
Princípios da Defesa
O objetivo maior da defesa é reduzir prejuízo. Se tudo der certo vamos sair no zero a zero pequeno lucro
ou pequeno prejuízo.

Se o operador precisa se defender é porque já está no prejuízo já está em posição de fraqueza no


mercado. Portanto, se ficar tentando ganhar vai acabar perdendo dobrado.

A defesa tem que ser gradual por partes na medida em que o mercado da evidencia que está subindo
mesmo. Aqui não cabe esse ramo de adivinhar o futuro mesmo porque se operador soubesse adivinhar o
futuro não precisaria se defender.

Todas as decisões devem ser tomadas com base em marcadores matemáticos. Existe defesa de lucro mas
em operação vendida sou contra deu lucro coloca no bolso e rápido.
Aula 5 - Suplemento Teoria
Trava de Baixa - Defesa de Prejuízo - Defesa natural. (alguma coisa aqui é repetida mas não podemos
tirar do contexto)

A Trava de baixa devido aos seus ganhos e perdas de curto prazo é uma operação que demanda mais
defesa e atenção.

Conceito de defesa natural:


• Não aumenta o risco da operação (essencial)
• Diminui o risco da operação (se possível)
• Não complica a operação (essencial)
• Preserva as chances de ganho (após a defesa)
• Aceita pequenas perdas.

O operador que pretende defender a sua operação já está enrolado caso contrário não precisaria
defender. Todavia a defesa corre um risco muito grande de virar um rolo uma encrenca por diversos
motivos:

• A defesa de uma venda é uma compra e o vendido com problemas vai comprar no topo. A
defesa de uma compra é uma venda e o comprado com problemas vai vender no fundo. Essa é a
origem da encrenca porque muitas vezes o operador acaba numa situação onde está perdendo
nas duas pontas e aumentou o seu risco.

• Cada rolagem de uma operação perdedora sempre aumenta o seu risco e sucessivas rolagens
podem criar verdadeiras bolas de neve

• O operador deve trabalhar o seu método e não uma operação isolada portanto, muitas vezes é
melhor assumir as primeiras e menores perdas de uma operação e esperar a oportunidade de
fazer outras.

• Geralmente o tempo gasto salvando uma operação perdedora é extremamente ineficiente.

• Após sucessivas defesas a operação vai ficando cada vez mais complicada e difícil de gerenciar no
final o operador já não sabe mais nem se torce para cair ou subir situação lamentável.

Todavia, para cada tipo de operação existe a suas defesas naturais que evitam os problemas citados
acima. Na medida em que não aumentam o risco, não complicam a operação e preservam a chance de
ganho.

Na defesa da trava de baixa a primeira decisão é se o operador pretende apenas estabilizar a operação
para a alta ou pretende virar a mão e ganhar na alta. Isso vai ser determinado pelo tamanho do lote
comprado e pode ser avaliado pelo acelerador da planilha bastter blue.
Idealmente só deveríamos comprar para defender a trava de baixa com a grana que recebeu para montar
a mesma.

Portanto, os exemplos citados devem ser levados como modelos não como operações reais. Geralmente
a defesa da trava de baixa é feita após o mercado subir então na prática a defesa será mais clara que nos
exemplos citados. Todos exemplos foram baseados numa planilha enviada pelo Mantuan dia
30/10/2008.

O principio primeiro de defesa de trava de baixa que é uma operação de risco limitado e decrescente na
alta é comprar algo com ganhos ilimitados na alta.

Defesa natural de trava de baixa:


• Comprar ITM (vira vaca)
• Comprar onde está vendido (vira boi)
• Comprar papel (vira reversão coberta)
• Limitar o risco na montagem

Obs.: Quando eu falo em preservar chances de ganho é a partir da situação atual a situação inicial não
existe mais e só podemos melhorar as coisas a partir da situação atual. A ânsia de voltar a situação inicial
ou recuperar prejuízo é o que mais causa perdas no mercado.

Exemplo com o papel em 82,63:

B84 -1000 (2,90) B86 +1000 (2,16) spread 0,74 (o spread padrão para trava de baixa é OTM/OTM é
0,75 mas como está bem próximo e mais de 1 real OTM esse 0,74 é aceitável)

Defesas
Primeira Defesa:

• A Compra ITM 200 B82 (3,92) operação estabiliza na alta, diminui o risco máximo de 2.000
para 1.200, preserva as chances de ganho na pequena alta ou na alta muito forte.
B82 +200 B84 -1000 B86+1000

• Compra ITM 400 b82 (3,92) agora melhora na alta, diminui o risco máximo de 2.000 para
400, preserva as chances de ganho na pequena alta ou na alta muito forte.
B2 +400 B4 -1000 B6+1000

A segunda alternativa diminui mais o risco e cria mais chances de ganhos mas custa o dobro da
alternativa 1 gerando portanto possibilidade de prejuízo na queda.
A grande vantagem da compra ITM é que cria faixa de ganho na pequena alta. Havendo chance o ideal
seria até comprar a 80 invés da 82. Todavia a grande desvantagem dessa defesa é compra ITM portanto
opções de pouco gamma que muitas vezes não são eficientes para uma defesa de alta.

Segunda Defesa:

• A compra onde está vendido compra 200 b82 estabiliza para a alta, diminui o risco máximo
para 1.600 e preserva as chances de ganho acima de 92.
B84 -800 B86+1000

Nesse caso não seria uma defesa boa porque as chances de ganho são muito remotas e na queda agora é
perda fica como exemplo.

• Compra onde está vendido compra 400 B82 estabiliza para a alta, diminui o risco máximo para
800 e preserva as chances de ganho acima de 87
B84 -400 / B86+1000

Embora crie uma faixa de risco pequena na queda uma outra faixa de risco maior entre 85 e 86 cria
chances de ganho numa alta de curto prazo e ganhos significativos no vencimento de alta forte.

Bom em geral que fiquem apenas como exemplos de métodos de defesa de trava de baixa pois nesse
mercado está difícil mostrar as coisas. Porém as coisas ficarão mais tranqüilas após o chats de compras
graduais.

Terceira Defesa: Será estudado na aula 06

Quarta Defesa:

Sistema preferido do Bastter limitar o risco na montagem e não defender. Esse sistema é
bastante eficiente porque demanda pouco tempo de acompanhamento.

B84 -1000 (2,90) B86 +1000 (2,16) spread 0,74

Se o operador:
• Quer arriscar 630 reais ele faz B84 -500 B84 500
• Quer arriscar 1260 reais ele faz B84 -1000 B84 1000
• Quer arriscar 252 reais ele faz B84 -200 B84 200

Ou seja, ele já define o seu risco máximo na montagem da operação. Depois da operação montada ele
zera se atingir sua meta de lucro ou a mercado no fim da semana do vencimento. Esse sistema tem a
grande vantagem de evitar violinos.
No tempo em que foi escrito esse texto as Opções tinham muito VE o que dificultava defender a trava
de baixa com o dinheiro recebido na montagem em compensação à compra de volatilidade (é o que vira
a trava de baixa após a compra) tinha muito mais chance. Hoje em dia é fácil defender a trava de baixa
com o dinheiro que recebeu para montar mas em compensação a compra de volatilidade tem muito
menos chances. O mercado de opções sempre encontra seu equilíbrio natural.
Aula 5 - Princípios de Defesa
Se vices pacem para bellum (Se queres a paz prepara-te para a guerra). Existe uma regra que vai
comanda todos aspectos da vida: Bom Senso

16 Regras Para a Defesa


As regras abaixo não se referem necessariamente a operações vendidas mas foram incluídas na apostila
visando demonstrar a filosofia da defesa.

Primeira Regra:
Só é possível defender o que existe agora (hit e nunc - aqui e agora) não é possível defender passado.
Exemplo: O operador comprou a 1,20. Caiu para 0,80. Ele pode defender os 0,80 que ainda tem, os
0,40 que perdeu já era. O que o mercado tomou está nas mãos do imponderável.

Segunda Regra:
Defesa = Inverter a Mão

A defesa, a principio é montar uma operação com sentido contrario a operação original. Mas,
geralmente a melhor defesa é na outra serie devido ao tempo, velocidade e risco.

Isto é: Se o operador está comprado em mercado de queda vai preferir estar comprado na serie seguinte
que cai mais devagar e tem mais um mês para resolver. E vice-versa para venda.

Se não temos Put e temos vencimento de 1 mês no mercado de opções brasileiro (grandes desvantagens)
devemos saber aproveitar as nossas duas grandes vantagens competitivas: duas series abertas e
liquidez/volume (em 2007 as opções de PETR4 foram as mais negociadas no mundo)

Terceira Regra:
Lucro ou Prejuízo

Existe defesa de lucro e defesa de prejuízo são técnicas diferentes. Na defesa do lucro o risco é apenas
devolver parte do lucro. Na defesa de prejuízo o risco é aumentar o prejuízo.

Quarta Regra:
Operações

Operações de Fácil defesa: Boi e Reversão e operação de calendário. Operações de difícil defesa: Trava
de alta, compra a seco, venda de volatilidade. Operações com defesa na montagem: Borboletas e Mesa.
Quinta Regra:
Mercado de Lado

A defesa primordial é operar com pouca grana, outra defesa primordial é na montagem ganhar o
mercado de lado.

Exemplo: Se operador tem uma trava de baixa (reversão) fora do dinheiro que, portanto ganha no
mercado de lado ele tem uma defesa fácil na compra a seco pois se sobe para a área de risco da reversão a
compra a seco necessariamente ganha nessa alta e se cair ou ficar de lado ele perde na compra a seco
(defesa) mas ganha na reversão (operação principal)

Já se ele tiver uma reversão que está dentro do dinheiro que, portanto perde no mercado de lado se
comprar a seco para defender pode não subir ele perder na compra a seco e também perder na reversão
(caso mercado fique de lado) que é o pior dos mundos perder nas duas pontas de um hedge.

Outro exemplo: Boi (operação que ganha no mercado de alta) mas se não subir, e se o Boi é dentro do
dinheiro perde no mercado de lado assim se o mercado ficar de lado ou cair pouco a opção comprada
perde todo valor como opção vendida perde pouco valor o ferro é imenso. Mas se o boi é fora do
dinheiro e o mercado fica de lado nesse caso é a opção vendida do boi que perde valor e, portanto não
existe ferro.

Sexta Regra:
Stop

Outra forma simples de defesa é o stop-loss estabelecer um ponto limite para perdas bateu nesse ponto
zera a operação.

O stop não é uma defesa absoluta porque vai haver casos onde o stop não funciona tipo gap ou a bolsa
parar mas na grande maioria dos casos funciona. Stop foi feito para ser utilizado.

Sétima Defesa
Defesa de Ouro

Uma defesa de ouro para quem tem capital e faz operações vendidas travadas é comprar papel (a ação
no caso Petrobrás ou Vale). Papel tem a grande vantagem que não tem theta.

Oitava Defesa
Simplificar

A defesa é mais eficiente quando ela simplifica e não complica. Portanto deve ser planejada na
montagem da operação. Vamos supor que tenho um boi e que quero sempre manter o potencial de alta
desse boi (vamos supor que preciso dele para defender uma venda).
Basta que manter o boi sempre na relação que o mercado está. Vamos supor um boi: X42 -1000 X46 +
3000. Após, montado o boi o mercado fica de lado ou cai e a relação entre as opções se deteriora
X42/X46 agora = 4 então tenho que ajustar o boi para essa relação, compro 300 X42, assim eu turbinei
o boi. (fica -700 3000 pouco acima da relação no mercado 1:4)

Nona Defesa
Defender sem Aumentar o Risco

Outra regra da defesa é diminuir o risco ou pelo menos não aumentar se eu estou aumentando o risco
eu estou me enrolando não me defendendo.

Exemplo de coisa errada: Se tenho uma compra de volatilidade na serie atual e vou defender vendendo
volatilidade na serie seguinte estou multiplicando meu risco ao invés de me defender. Posso perder na
primeira no vencimento atual e ainda perder na segunda no seguinte.

Exemplo de coisa certa: Imagine que semana passada o operador montou a reversão F40 -1000 F42
+1000 (após essa montagem mercado veio a favor e caiu forte) se ele achar que agora estamos num
fundo ou quisesse defender seu lucro pode comprar F42 ou F44 para turbinar essa operação para alta
mas, se cair ou ficar de lado jogou sua grana fora comprando.

Então ele compra um lote de F40, por exemplo, 400 turbinou para alta menos, mas turbinou mas o
risco agora cai de 2000 para 1200.

Uma outra opção seria comprar a metade de F38 = 200 turbina menos ainda para alta mas alem de
diminuir o risco cria uma faixa de ganho na queda.

Uma outra opção seria rolar essa reversão para F38 -500 F40 +500 assim o risco diminui pela metade.
Mas o melhor mesmo seria colocar o lucro no bolso zerando a operação.

Décima Defesa
Defender Compra a Seco

Compra a seco tem duas defesas naturais: stop-loss ou vender a opção de baixo transformando numa
reversão. Comprei F40 mercado começa a cair vendo a mesma quantidade de F38 .

Se vender metade (500 F38) mantenho o potencial de alta da operação porém, ainda estou sujeito a
risco no mercado de lado ou de queda moderada porque vira um boi.

Todavia, pelo menos recupero a grana que coloquei no mercado e se a queda for forte saio no zero a
zero.

Veja que no primeiro caso (reversão) mudei a direção da operação (era comprada virou vendida). No
segundo (boi) apenas limitei as perdas caso mercado continue vindo contra (continua ganhando na alta)
Décima Primeira Defesa
Defender Carteira de Ações

Se eu tenho uma carteira de ações a defesa natural é vender futuro ou mini. (nesse caso tem que estudar
o beta da carteira). Uma pequena defesa é fazer venda coberta (só protege de pequenas quedas) uma
defesa que não é natural é fazer operações vendidas em opções de PETR4. Não funciona quando IBOV
cai e PETR4 não cai, mas geralmente funciona.

Quem tem PETR4 tem obrigação de operar vendido em opções de PETR4 pois é uma proteção para o
papel assim como o papel defende operações vendidas desde que sejam travadas.

Antigamente funcionava, mas hoje está difícil: Proteger a carteira comprando dólar em longo prazo
tende a funcionar.

Décima Segunda Defesa


Não Devolver Lucro para o Mercado

Pior coisa que existe é devolver lucro para o mercado. Defender lucro é fundamental porque quem
devolve lucro para o mercado não terá grana para pagar os ferros quando eles vierem.

A vantagem de defender lucro é que a defesa é barata. Por exemplo, quem fez trava de baixa na F
semana passada ou no inicio dessa semana (a semana em foco foi de forte queda) tem uma defesa
extremamente barata na compra a seco.

Não realizar lucro precoce também é fundamental quando o mercado vem a seu favor você tem que
aproveitar visto que ninguém realiza ferro precoce quando o mercado vem contra se realizar lucro
precoce não vai economizar grana para pagar os ferros.

Outra coisa fundamental: Se foi montada uma operação com stop-loss de 500 e stop-gain de 800 se a
operação estiver no lucro de, por exemplo, 400 e o operador não zerar o stop-loss tem que ser alterado
para 0 porque não se pode deixar lucro virar prejuízo.

Stop Gain sempre tem que ser maior que o Stop Loss porque senão a conta tende a não engorda nunca.

O principal problema de devolver lucro para o mercado é que abrimos mão da capitalização desse lucro.

Décima Terceira Defesa


Saber Análise Técnica

Ter noção de AT é fundamental não para prever o futuro mas sim para entender o que está acontecendo
porque nesse mercado brasileiro sem put e de um mês fazer operações travadas com opção sem saber
quando é fundo e quando é topo só vai dar em confusão e ferro.
Décima Quarta Defesa
Defender por Etapas

Outra regra importante é fazer ao poucos fazer por partes. Evita violinos. Exemplo uma Trava de Baixa
-5000 5000 quero defender com calendário, não defendo os -5000 vendidos vou defendendo de 1000
em 1000.

Décima Quinta Defesa


Palavras Feias que Funcionam

É para defender antes de dar problema e não depois de dar problema!

Décima Sexta Defesa


Operar com grana de lata de lixo. Estudo e prática é caminho. Todavia, o que eu acho mais importante
de tudo hoje em dia é operar com pouca grana, grana de lata de lixo, grana que você já considera como
perdida.

Só assim vai haver um equilíbrio mental favorável a operar e aprender. Em mercados de alto risco não
devemos colocar dinheiro de investimento ou que em algum dia iremos precisar. C.A.R = Capital
Alocado a Risco Tem que ser grana que se vaporizada em dias não vai fazer falta.
Aula 5 - Slides
Slide 1 - Conceito de Defesa Rolo

Conceito de Defesa Rolo

1. A tendência natural da defesa é criar um rolo na operação que


pode l evar a grandes prejuízos.

2. A defesa de uma venda é uma compra uma operação vendida


que precisa de defesa significa que o mercado já subiu após a
montagem (“vendemos no fundo”) e agora vai necessitar compra
para ser defendida (“compra no topo”)

3. Agindo assi m podemos nos colocar na pior situação possível


de uma op eração de opção que é estar perdendo na Venda e na
Compra. O que acontece que se após a compra de defesa
mercado ceder um pouco. Isso não é defesa é rolo.

Slide 2 - Conceito de Defesa Rolo - 02

Conceito de Defesa Rolo – 2

1. A tendência natural da defesa é criar um rolo na operação que


pode l evar a grandes prejuízos.

2. A defesa de uma compra é uma venda uma operação


comprada que precisa de defesa significa que o mercado já caiu
após a montag em (“compramos no topo”) e agora vai necessitar
venda par a se r defendida (“venda no fundo”)

3. Agindo assi m podemos nos colocar na pior situação possível


de uma op eração de opção que é estar perdendo na Compra e
na Vend a . O que acontece que se após a venda de defesa
mercado re picar.Isso não é d efesa é rolo.
Slide 3 - Conceito de Defesa Rolo - 03

Conceito de Defesa Rolo – 3

1. A tendência natural da defesa é criar um rolo na operação que


pode l evar a grandes prejuízos.

2. Outra situação que freqüentemente vai gerar grandes rolos


são rolagens sucessivas para vencimentos seguintes pois
tendem a aumentar o risco da operação de forma exponencial.
Crian do as famosas bolas de neves.

3. Uma defesa mal-feita geralmente vai aumentar a


complexida de da oper ação tornando a mesma cada vez mais
difícil de administrar. No extremo vai criar a famosa situação
onde o operador não sabe mais se torce para cair ou subir.

Slide 4 - Conceito de Defesa Rolo - 4

Conceito de Defesa Rolo – 4

1. A tendência natural da defesa é criar um rolo na operação que


pode levar a grandes prejuízos.

2. Na maioria das vezes é melhor assumir o primeiro prejuízo


que geralmente é o melhor do que ficar exp onenciando o risco
com defesas.

3. Na maioria das vezes o tempo que o operador perde tenta ndo


salvar uma operação perdedora (que normalmente é muito
tempo) poderia ser melhor aproveitad o buscando novas
oportunidades no mercado.

4. Portanto, na maioria das vezes a defesa significa uma


utilização ineficiente da margem
Slide 5 - Conceito de Defesa Natural - 01

Conceito de Defesa Natural

O Conceito de defesa natural vai definir um tipo de defesa que


não gera os riscos descritos nos slides anteriores.

1.Não aumenta o risco da operação.

2. De preferência diminui o risco da oper ação.

3. Preserva as chances de ganhos

4. Não complica a operação. Geralmente simplifica sendo o ideal


comprar onde está vendido e vender onde está comprado.

5. Caso haja necessidade de rolar para o vencimento seguinte


está disposto a assumir pequenos prejuízos para não aumentar
o risco.

Slide 6 - Conceito de Defesa Natural - 02

Conceito de Defesa Natural – 2

Cada operação tem algumas formas de defesa natural.

1.Para operações vendidas na maior parte do caso a defesa é


compra a seco.

2. Visto que a compra seco tem ganhos limitados na alta e a


operação perdas limitadas na alta.

3. Nesse caso o maior desafio é devolver as compras qua ndo o


mercado cede após subir.

4. Estudaremos agora a defesa natural de cada operação citada.


Slide 7 - Defesa Natural - Venda com Seguro

Defesa Natural – Venda com Seguro

Para esse exemplo usaremos uma Venda com Seguro de acordo com
cotações do final do pregão de 01/07/2008
Venda com Seguro
PETRH38 -1000
PETRH48 +1000
Petr4 = 38,50 H38 = 1,95 H48 =0,06 recebe 1.890 para montar.

No vencimento faixa de perda com petr4 acima de 40


Perda máxima acima de 48 = 8.110

Onde começar a defender :


a. Quando o maior BOSI for para H42
b. Quando o prejuízo da operação chegar a X
c. Quando H42 furar 0,90

Slide 8 - Defesa Natural - Venda com Seguro - 02

Defesa Natural – Venda com Seguro 2

Venda com Seguro


PETRH38 -1000
PETRH48 +1000

Essa é uma op eração acelerada por definição –113 gammas e –596


deltas por l ote de mil.

Com péssimo risco/retorno 8.110/1.890

Portanto, que não permite a anestesia pois os prejuízos podem ser


grand es. Uma das alternativas é simplesmente stopar a operação
quan do os pontos definidos no slide anterior especialmente maior
BOSI na H2 ou prejuízo de X atingido.

No caso de d efesa a melhor é a compra de H42 quando furar 0,90


Slide 9 - Defesa Natural - Venda com Seguro - 03

Defesa Natural – Venda com Seguro 3

Venda com Seguro


PETRH38 -1000
PETRH48 +1000
No caso de defesa a melhor é a compra de H42 quando furar 0,90

1. Porque está opção terá bastante gamma em caso de alta

2. Porque é uma defesa barata comparada ao dinheiro que recebeu


para montar

3. Porque diminui o risco da operação quando comprar um lote de


1.000 o risco absoluto da operação terá diminuído de 10.000 para
4.000.

4. Por causa da simplicidade apenas transforma a Venda com seguro


em uma trava de baixa.

Slide 10 - Defesa Natural - Venda com Seguro - 04

Defesa Natural – Venda com Seguro 4

Venda com Seguro


PETRH38 -1000
PETRH48 +1000
No caso de defesa a melhor é a compra de H42 quando furar 0,90

Todavia, quando vamos defender uma opção vendida devemos antes


tomar uma decisão. Vamos defender o suficiente para estabilizar as
perdas no mercado de alta ou vamos transformar a operação em
vencedora no mercado de alta.

De qualquer forma temos que começar compra gradualmente na medida


em que o mercado sobe. A defesa seria:

Compra 500 h42 no 0,90 Compra 500 h42 no 1,10 Compra 500 h42
no 1,30 compra 500 h42 no 1,50
Slide 11 - Defesa Natural - Venda com Seguro - 05

Defesa Natural – Venda com Seguro 5

Venda com Seguro


PETRH38 -1000
PETRH48 +1000
A defesa seria
Compra 500 h42 no 0,90 Compra 500 h42 no 1,10 Compra 500 h42
no 1,30 compra 500 h42 no 1,50

Essa defesa é suficiente para estabilizar a operação no mercado de


alta e normalmente vai gerar lucros em alta forte (4 reais ou mais)

A grande vantagem desse tipo de defesa e que só compramos se


o mercado sub ir efetivamente.

A dificuldade é devolver as compras se após o mercado subir ceder.

Slide 12 - Defesa Natural - Venda com Seguro - 06

Defesa Natural – Venda com Seguro 6

Venda com Seguro


PETRH38 -1000
PETRH48 +1000
A defesa seria
Compra 500 h42 no 0,90 Compra 500 h42 no 1,10 Compra 500 h42
no 1,30 compra 500 h42 no 1,50

O sistema que eu adoto é :

1. Não existe stop para a primeira compra incluo como parte do


custo da operação isso visando evitar violinos.

2. Para o resto do lote o stop é sempre na penúltima compra


comprei a 1,50 o stop vira 1,30 – comprei a 1,30 o stop vira 1,10
para todo lote exceto a primeira.
Slide 13 - Defesa Natural - Venda com Seguro - 7

Defesa Natural – Venda com Seguro 7

Venda com Seguro


PETRH38 -1000
PETRH48 +1000
3. Caso seja um dia de alta forte e essas compras graduais gerem
um lucro forte (de acordo com o prejuízo máximo da operação)
esse lucro é realizado no mesmo dia.

4. Esse sistema com graduações serve para defender todas as


operações vendidas não apenas Venda com Seguro.

5. Por exemplo, para essa venda com seguro estabeleci um sistema


que compra a cada 20 centavos de alta isto porque essa
operação é muito acelerada. Para operações com menos
gamma poderia ter um sistema com compra a cada 30,40 ou 50
centavos.

Slide 14 - Defesa Natural - Venda com Seguro - 08

Defesa Natural – Venda com Seguro 8

Venda com Seguro


PETRH38 -1000
PETRH48 +1000
Outra defesa seria :
Compra 500 h42 no 0,90 Compra 500 h42 no 1,10 Compra 500 h42
no 1,30 compra 500 h42 no 1,50 , compra 500 h42 no 1,70 compra
500 H42 no 2,00
Ou Compra 1000 H42 no 0,90, Compra 1000 H42 no 1,10 e Compra
1000 H42 no 1,130
Essas duas for mas de defesa sendo a segunda mais acelerada
visam “mudar a mão” ou seja, não apenas estabilizar a operação
para a alta mas transformar a operação numa que ganha no
mercado de alta. Segundo que a segunda forma tem mais
chances de dar lucro numa alta de um dia mas tem mais risco no
caso de Violinos.
Slide 15 - Vaca e Defesa - 01

Vaca e Defesa

Vaca

PETRK34 +1000
PETRK38 -3000
PETRK42 +2000

A Vaca é um tipo de operaçã o que normalmente não se utiliza defesa

Devido a sua melhor relação risco/retorno 1:1 é possível fazer um


planejamento de stops peq uenos de forma que quando a operação
For vitoriosa pague tod os os stops e ainda sobre lucro.

Normalmente o stop da Vaca é controlado pelo marcador B OSI.

Slide 16 - Vaca e Defesa - 02

Vaca e Defesa 2

Vaca

PETRK34 +1000
PETRK38 -3000
PETRK42 +2000
Essa Vaca acima tem sua faixa de maior risco no vencimento a 42.
Após 42 o risco é limitad o e constante.

O Stop conservador é stopar quando a H42 for a opção de maior BOSI


O Stop agressivo é stopar quando a H44 for a opção de maior BOSI
O Stop agressivo vai pagar stops mais caros mas tem menos risco de
Violinos.
A grande vantagem de stop pelo BOSI é se passar muito tempo (2 a 3
semanas) o stop pode ser no lucro.
Slide 17 - Vaca e Defesa - 03

Vaca e Defesa 3

Vaca

PETRK34 +1000
PETRK38 -3000
PETRK42 +2000
Caso o operador desej e defe nder a vaca com compras deve ser bem
devagar e gradual.
No caso do exemplo acima b astaria comprar dois lotes de 500 da 38
onde está vendido que já transformaria numa operação que ganha na
alta. Defesa de vaca sempre é comprar ond e está vendido.
Todavia, a defesa da vaca n ão é uma defesa natural pois aumenta o
risco. Diferente das travas a vaca normalmente não recebe grana para
montar então a compra adicio na risco a operação.
Especialmente no caso onde após uma alta haja um queda forte.

Slide 18 - Defesa de Trava de Baixa

Defesa de trava de baixa

Trava de Baixa
PETRH34 -1000 R$ 1,86
PETRH36 +1000 R$ 0,97
A defesa da trava de baixa é sempre feita de acordo com o sistema
de compras graduais já explicado.

Só que nesse caso sempre se compra onde está vendido visando


reduzir o risco da operação.

Nesse caso como a operação é menos acelerada podemos compra


em lotes menores 200 ou 300 atingindo 500 na compra temos um boi
que melhora na alta.

Como sempre deve ser feita a decisão se vamos apenas estabilizar


a operação na alta ou vamos transformar a operação em comprada
Slide 19 - Defesa de Trava de Baixa - 02

Defesa de trava de baixa 2

Trava de Baixa
VALEH38 -1000 R$ 2,31
VALEH42 +1000 R$ 0,63

A defesa da trava de baixa é sempre feita de acordo com o sistema


de compras graduais já explicado.

Só que nesse caso sempre se compra a do meio H40 que diminui o


risco da operação e defender de forma mais eficiente essa operação
que é mais acelerada que anterior.

Nesse caso o ideal é comprar de 500 em 500 atingindo 1000


teremos um bode que melhora na alta.

Como sempre deve ser feita a decisão se vamos apenas estabilizar


a operação na alta ou vamos transformar a operação em comprada

Slide 20 - O Theta

O Theta

Tempo e o Theta e mudanças da Natureza da Operação

Quando planejamos uma defesa devemos saber que aquela defesa


é valida por uma média de 4 ou 5 dias.
Pois uma operação vendida defendida com compras muda de
natureza. Era uma operação que ganhava na baixa e no mercado de
lado. Após as compras passa a ser uma operação que ganha na
alta, ganha pouco na baixa mas perde no mercado de lado. Isso de
acordo com a calibragem ou seja, quantidade de compras.

Ficando o mercado de lado ou em queda o gamma vai caminhando


para dentro do dinheiro e a operação perdendo potencial podendo
gerar prejuízos no mercado de lado.

A única forma de resolver isso é realizar pequenas perdas na


compras se o mercado cair ou ficar de lado.
Slide 21 - O Stop

O Stop

Todos nos sabemos que nem sempre o stop é possível devido a Gap
de alta, bolsa fechar ou problemas pessoais.

Mas na maioria dos casos o stop é possível e uma forma de limitar


os riscos dessas operações vendidas.

Decidindo pelo stop devemos utilizar o stop matemático.


Uma trava de baixa recebendo 0,90 para um risco de 1,10 lote de
1000.

Se o stop for de 450 de cada 3 precisamos ganhar 1 para empatar


Se o stop for de 300 de cada 4 precisamos ganhar 1 para empatar.

Quanto maior o stop maior o custo, menor a chance mas menor a


chance de violino. Quanto menor o stop maior a chance mas maior a
chance de violino.

Slide 22 - O Stop na Montagem

O Stop na Montagem

Essa é forma adotada pelo meu irmão o Bastter.

Após definir quando se pode perder numa operação se monta uma


cujo risco máximo corresponda ao risco definido.

Exemplo: posso perder 500 numa trava de baixa monto uma com
spread de 1,00 e lote de 500.

Ou seja, meu risco máximo já está definido na montagem da


operação. Após a montagem só desmonta se atingir a meta de lucro
ou no final da semana de vencimento a mercado

A primeira grande vantagem dessa forma de operar é a eficiência


pois não necessita nem de acompanhamento, ajuste ou defesa.

A segunda grande vantagem que é imune a violinos.


Slide 23 Princípios da Defesa

Princípios da Defesa

O objetivo maior da defesa é reduzir prejuízo. Se tudo der certo


vamos sair no zero a zero pequeno lucro ou pequeno prejuízo.

Se o operador precisa se defender é porque já está no prejuízo já


está em posição de fraqueza no mercado. Portanto, se ficar tentando
ganhar vai acabar perdendo dobrado.

A defesa tem que ser gradual por partes na medida em que o


mercado da evidencia que está subindo mesmo. Aqui não cabe esse
ramo de adivinhar o futuro mesmo porque se operador soubesse
adivinhar o futuro não precisaria se defender.
Todas as decisões devem ser tomadas com base em marcadores
matemáticos.

Existe defesa de lucro mas em operação vendida sou contra deu


lucro coloca no bolso e rápido
Aula 6 - Relação com a Ação
Princípios

• Esse não é um curso de Remuneração de Carteira


• A ação aqui é considerada como uma defesa especial para a operação vendida.
• Assim como compra a seco a ação é apropriada para defender uma operação vendida travada.
Pois enquanto a operação tem perdas limitadas na alta o papel tem ganhos ilimitados na alta.
• A vantagem do papel como defesa é que não tem theta e que serve para vários vencimentos.
• A desvantagem é que não tem gamma portanto, não tem aceleração na alta
• A outra vantagem da ação é que serve como margem.
• Tendo o papel como margem fica mais fácil a contabilidade das operações vendidas pois o
dinheiro recebido pela venda entra na conta e não é retido como margem.
• Podendo, portanto esse dinheiro ser utilizado para defender as vendas
• Comprar mais ação com lucro das vendas é uma forma de fazer juros compostos pois quando
mais ação temos mais podemos vender. E quando mais vendermos se der certo mais papel
podemos comprar.
• Esse esquema acima, é muito utilizado por “tubarões
• O desafio aqui é saber quando vender utilizando o papel como margem sem se alavancar
demais e sem gerar riscos desnecessários.
• Para isso devemos conhecer a Relação Operação/ Papel: Ou seja, para cada ponto de prejuízo da
operação na alta do mercado quanto o papel estará ganhando.
• O conhecimento dessa relação é essencial para montar operações que envolvem operações
vendidas de opção e ações
• Mesmo numa alavancagem baixa e com controle de risco temos duas formas de operar dessa
forma. (Coberto ou Buraco Negro)
• Primeiro é necessário compreender que estamos lidando com operação vendidas de opções
travadas com prejuízo limitado. Assim numa alta forte vai chegar o ponto de limite de perdas da
operação e o papel vai continuar subindo.
• Portanto, numa alta forte combinada com o papel todas essas operações serão vencedoras.
Como foi o caso de Tupi onde os três tipos de operações estudadas, foram bastante lucrativas.
Ou seja, embora o lucro seja limitado ele é crescente quanto maior for a alta. Isso no caso do
operador possuir ações.
• Todavia, o que foi dito acima só é verdade se soubermos calibrar a operação de opções com as
ações para que não haja uma alavancagem excessiva gerando risco desnecessário
• Existem duas formas de calibrar esse tipo de operação. Coberto Financeiramente e com Buraco
Negro.
• Coberto Financeiramente é quando no pior ponto de prejuízo da operação de opções o papel
ganha mais que a operação perdeu. Ou seja, juntando papel e opção não existe nenhum ponto
de prejuízo na alta. Essa forma é mais recomendada para Iniciantes
• Com buraco negro é quando em determinada região do vencimento os ganhos do papel não
cobrem as perdas da operação de opções. Mas mesmo esse tipo de operação será vencedor numa
alta muito forte visto que o risco da operação é sempre travado e limitado.
• Existem três formas básicas de defender operações com Buraco Negro.
• Utilizando os marcadores Limitex e Thex do método Bastter Blue. Assunto estudado no nosso
curso de operações com opções e remuneração de carteira.
• 10 dias antes do vencimento se o papel estiver na faixa de risco montar uma quantidade de
borboletas ou mesas que eliminem o buraco negro.
• 10 dias para o vencimento caso o operador observe que o papel está na faixa de risco ele rola
gradualmente a operação para o vencimento seguinte.
• A forma de operar vendido em operações em opções e coberto financeiramente pelo papel é
bastante tranqüila.
• Todavia, essa forma só funciona para quem não pretende vender a ação. Pois quando cai ou fica
de lado o ganho da operação de opções é monetários e entra no caixa.
• Porém se o operador não pretende vender o papel os prejuízos na ação se tornam não
monetários pois não serão realizados.
• Nessa forma de operar é de suma importância após a operação terminada utilizar o lucro das
vendas para comprar mais papel pois gerar juros compostos. Assim como reaplicar os proventos
ou seja, comprar mais papel com dividendo, JCP etc.
• Porém esse sistema só funciona caso exista baixa alavancagem e controle de risco.
• Como as opções tem ganhos exponenciais no mercado de alta se o operador estiver muito
vendido vai perder a carteira toda. Especialmente após sucessivas rolagens para o vencimento
seguinte.
• Nesse caso como é um tipo de operação mais agressiva o recomendado é que se utilize 5% a
10% da margem no máximo. Por vencimento.
• Mesmo havendo a ação as defesas estudadas na aula 5 devem ser utilizadas. Mas no caso mais
devagar.

Calibragem
Os exemplos para o estudo de calibragem são com base nas cotações de fechamento de 30/07/2008.
Para esse estudo vamos supor que o operador possui 1000 VALE5 e 1000 VALE4.

Serão estudadas calibragens para todas as operações estudas ou seja, Venda com Seguro, Trava de Baixa
e Vaca. Mesmo existindo a planilha bastter blue a calibragem é algo que prefiro fazer no papel ou de
cabeça na medida que vai reforçar o entendimento da operação.

Calibragem Venda com Seguro em PETR4


PETR4 36,70 H36 = 1,74 H46 = 0,04
Operação: H36 -1100 H46 +1100 recebe 1.870 para montar.
Essa operação é vencedora até 37,65
Portanto com o mercado abaixo de 37,65 não há motivo para stress é venda de VE o tempo está a favor.
Vamos estudar os vencimentos acima de 37,65

Vencimento 38
Prejuízo da operação = -330
Lucro do Papel = 1.300 Resultado = +970

Vencimento 40
Prejuízo da operação = -2.530
Lucro do Papel = 3.300 Resultado = +770

Vencimento 42
Prejuízo da operação = -4.730
Lucro do Papel = 5.300 Resultado = +570

Vencimento 44
Prejuízo da operação = -6.930
Lucro do Papel = 7.300 Resultado = +360

Vencimento 46
Prejuízo da operação = -9.130
Lucro do Papel = 9.300 Resultado = +170

Em 46 a venda com seguro atinge seus limites de perdas. E agora para cada 1 real que o papel subir a
operação melhora 1.000 reais. Portanto é uma operação coberta pois não tem faixa de prejuízo na alta

Calibragem Vaca em VALE5


VALE5 42,02 H38 = 4,30 H42 = 2,02 H46 = 0,54
Operação H38 + 1100 H42 -3300 H46 -2200 recebe 748 para montar.
Essa vaca tem lucro até o vencimento 44
Portanto com o mercado abaixo de 44 não há motivo para stress é venda de VE o tempo está a favor.
Vamos estudar os vencimentos acima de 44

Vencimento 45
Prejuízo da operação = -1.452
Lucro do Papel = 2.980 Resultado = +1.528

Vencimento 46
Prejuízo da operação = -3.652
Lucro do Papel = 3.980 Resultado = +328
Em 46 a Vaca atinge seus limites de perdas. E agora para cada 1 real que o papel subir a operação
melhora 1.000 reais. Portanto é uma operação coberta pois não tem faixa de prejuízo na alta

Calibragem Trava de Baixa em PETR4


PETR4 36,70 H36 = 1,74 H40 = 0,36
Operação H36 -1200 H40 +1200 recebe 1.656 para montar.
Essa operação é vencedora até 37,30
Portanto com o mercado abaixo de 37,30 não há motivo para stress é venda de VE o tempo está a favor.
Vamos estudar os vencimentos acima de 37,30

Vencimento 38
Prejuízo da operação = -744
Lucro do Papel = 1.300 Resultado = +556

Vencimento 40
Prejuízo da operação = -3,144
Lucro do Papel = 3.300 Resultado = +156

Em 46 Trava de Baixa atinge seus limites de perdas. E agora para cada 1 real que o papel subir a
operação melhora 1.000 reais. Portanto é uma operação coberta pois não tem faixa de prejuízo na alta

Buraco Negro em PETR4


PETR4 36,70 H36 = 1,74 H40 = 0,36
Operação H36 -2000 H40 +2000 recebe 2.760 para montar.
Essa operação é vencedora até 37,30
Portanto com o mercado abaixo de 37,30 não há motivo para stress é venda de VE o tempo está a favor.
Vamos estudar os vencimentos acima de 37,30

Vencimento 38
Prejuízo da operação = -1.240
Lucro do Papel = 1.300 Resultado = +60

Vencimento 40
Prejuízo da operação = -5.240
Lucro do Papel = 3.300 Resultado = -1.940

Embora no 40 a operação atinja seus limites de perdas continua dando prejuízo.

Vencimento 41
Prejuízo da operação = -5.240
Lucro do Papel = 4.300 Resultado = -.940

Vencimento 42
Prejuízo da operação = -5.240
Lucro do Papel = 5.300 Resultado = +60

Nesse caso teremos um buraco negro entre 40 - 42 sendo o 40 o pior ponto. No 42 a operação entra no
lucro e melhora 1000 reais. Para cada 1 real que o papel subir.
Aula 6 - Suplemento Teoria
Monetário e Não Monetário
Quando o operador compra carteira isso é um evento monetário. O operador tem que pagar pelas ações
que adquiriu em D+3.

Quando o operador faz uma operação vendida supondo que tenha margem em papel ele recebe o
dinheiro correspondente à venda.

No primeiro momento isso é um evento não monetário tipo zero mata zero pois. recebeu tipo 7.000
mas tem que pagar 7.000 para zerar a venda (fora custos) mas implica em chamada de margem.

Com o decorrer da operação a valor a ser quitado pode diminuir ou aumentar mas enquanto estiver em
baixa alavancagem em relação à margem continua sendo não monetário pois o operador não precisa
pagar a dívida.

Quando existe estouro de margem torna-se monetário pois o operador tem que pagar a divida e
geralmente mais um pouco. Esse é o pior momento, game over, tem que zerar a carteira para pagar as
vendas. Por isso deve evitar esse momento realizando prejuízos parciais quando a divida atinge X% da
margem eu uso 6%. Geralmente esse abate do % da divida deve ser compra de opção onde está vendido
e é um evento monetário.

Mas quando o operador por decisão própria zera a posição vendida é um evento monetário podendo ser
lucro ou prejuízo pensar que esse dinheiro das vendas é lucro ou próprio antes de zerar a operação é um
dos piores erros.

Mas sabendo disso tudo acima a idéia é: Quando o papel cair de 44 para 37 as vendas viram pó e a
grana recebida torna-se monetária = lucro no bolso.

Enquanto o prejuízo do papel não é realizado sendo não monetário.

Tanto que VALE5 e PETR4 já estão no 43 e 46 após baterem no 37. (na época que escrevi antes do
desdobramento das duas).

Caso haja a compra de papel no fundo cria-se o efeito juros composto pois o papel que foi comprado
agora é lucro e mais margem para vender.

Gerenciar eventos monetários e não monetários, é a chave do método e do controle de risco. Confundir
os dois é o principio do fim.
Aula 6 - Slides
Slide 01 - Princípios 01

Princípios 1

1. Esse não é um curso de Remuneração de Carteira

2. A ação aqui é considerada como uma defesa especial


para a operação vendida.

3. Assim como compra a seco a ação é apropriada para


defender uma operação vendida travada. Pois enquanto
a operação tem perdas limitadas na alta o papel tem
ganhos ilimitados na alta.

4. A vantagem do papel como defesa é que não tem theta


e que serve para vários vencimentos.

5. A desvantagem é que não tem gamma portanto, não tem


aceleração na alta

Slide 02 - Princípios 02

Princípios 2

6. A outra vantagem da ação é que serve como margem.

7. Tendo o papel como margem fica mais fácil a contabilidade


das operações vendidas pois o dinheiro recebido pela venda
entra na conta e não é retido como margem.

8. Podendo, portanto esse dinheiro ser utilizado para defender


as vendas

9. Comprar mais ação com lucro das vendas é uma forma de


fazer juros compostos pois quando mais ação temos mais
podemos vender. E quando mais vendermos se der certo
mais papel podemos comprar

10. Esse esquema acima (9.) é muito utilizado por “tubarões”


Slide 03 - Princípios 03

Princípios 3

11. O desafio aqui é saber quando vender utilizando o papel como


margem sem se alavancar demais e sem gerar riscos
desnecessários.

12. Para isso devemos conhecer a Relação Operação/ Papel.


Ou seja, para cada ponto de prejuízo da operação na alta do
mercado quanto o papel estará ganhando.

13. O conhecimento dessa relação é essencial para montar


operações que envolvem operações vendidas de opção e ações

14. Mesmo numa alavancagem baixa e com controle de risco


temos duas formas de operar dessa forma. (Coberto ou
Buraco Negro)

Slide 04 - Princípios 04

Princípios 4

15. Primeiro é necessário compreender que estamos lidando com


operação vendidas de opções travadas com prejuízo limitado.
Assim numa alta forte vai chegar o ponto de limite de perdas
da operação e o papel vai continuar subindo.

16. Portanto, numa alta forte combinada com o papel todas essas
operações serão vencedoras. Como foi o caso de Tupi onde
os 3 tipos de operações estudadas foram bastante lucrativas.
Ou seja, embora o lucro seja limitado ele é crescente quanto
maior for a alta. Isso no caso do operador possuir ações.

17. Todavia, o que foi dito acima só é verdade se soubermos calibrar


a operação de opções com as ações para que não haja uma
alavancagem excessiva gerando risco desnecessário.
Slide 05 - Princípios 05

Princípios 5

18. Existem duas formas de calibrar esse tipo de operação.


Coberto Financeiramente e com Buraco Negro.

19. Coberto Financeiramente é quando no pior ponto de prejuízo


da operação de opções o papel ganha mais que a operação
perdeu. Ou seja, juntando papel e opção não existe nenhum
ponto de prejuízo na alta. Essa forma é mais recomendada
para Iniciantes

20. Com buraco negro é quando em determinada re giã o do


vencimento os ganhos do papel não cobrem as perdas
da operação de opções. Mas mesmo esse tipo de operação
será vencedor numa alta muito forte visto que o risco da
operação é sempre travado e limitado.

Slide 06 - Princípios 06

Princípios 6

21.Existem três formas básicas de defender operações com


Buraco Negro.

22. Utilizando os marcadores Limitex e Thex do método Bastter


Blue. Assunto estudado no nosso curso de operações com
opções e remuneração de carteira.

23. 10 dias antes do vencimento se o papel estiver na faixa de


risco montar uma quantidade de borboletas ou mesas que
eliminem o buraco negro.

24. 10 dias para o vencimento caso o operador observe que o


papel está na faixa de risco ele rola gradualmente a operação
para o vencimento seguinte.
Slide 07 - Princípios 07

Princípios 7

25. A forma de operar vendido em operações em opções e coberto


financeiramente pelo papel é bastante tranqüila.

26. Todavia, essa forma só funciona para quem não pretende


vender a ação. Pois quando cai ou fica de lado os ganhos
da operação de opções são monetários e entram no caixa.

27. Porém se o operador não pretende vender o papel os prejuízos


na ação se tornam não monetários pois não serão realizados.

28. Nessa forma de operar é de suma importância após a operação


terminada utilizar o lucro das vendas para comprar mais papel
pois gerar juros compostos. Assim como reaplicar os proventos
ou seja, comprar mais papel com dividendo, JCP etc.

Slide 08 - Princípios 08

Princípios 8

29. Porém esse sistema só funciona caso exista baixa alavancagem


e controle de risco.

30. Como as opções tem ganhos exponenciais no mercado de alta


se o operador estiver muito vendido vai perder a carteira toda.
Especialmente após sucessivas rolagens para o vencimento
seguinte.

31. Nesse caso como é um tipo de operação mais agressiva o


recomendado é que se utilize de 5% a 10% da margem no
máximo. Por vencimento.

32. Mesmo havendo a ação as defesas estudadas na aula 5 devem


ser utilizadas. Mas no caso mais devagar.
Slide 09 - Calibragem 01

Calibragem 1

1. Os exemplos para o estudo de calibragem são com base nas


cotações de fechamento de 30/07/2008

2. Para esse estudo vamos supor que o operador possui 1000


vale5 e 1000 petr4.

3. Serão estudadas calibragem para todas as operações estudas


ou seja, Venda com Seguro, Trava de Baixa e Vaca

4. Mesmo existindo a planilha bastter blue a calibragem é algo que


prefiro fazer no papel ou de cabeça na medida que vai reforçar o
entendimento da operação.

Slide 10 - Calibragem Venda com Seguro em PETR4

Calibragem Venda com Seguro em Petr4

1. Petr4 36,70 H36 = 1,74 H46 = 0,04


2. Operação H36 –1100 H46 +1100 recebe 1.870 para montar.
3. Essa operação é vencedora até 37,65
4. Portanto com o mercado abaixo de 37,65 não há motivo para
stress é venda de VE o tempo está a favor.
5. Vamos estudar os vencimentos acima de 37,65

Vencimento 38
Prejuízo da operação = -330
Lucro do Papel = 1.300 Resultado = +970

Vencimento 40
Prejuízo da operação = -2.530
Lucro do Papel = 3.300 Resultado = +770
Slide 11 - Calibragem Venda com Seguro em PETR4 - 02

Calibragem Venda com Seguro em Petr4 -2

Vencimento 42
Prejuízo da operação = -4.730
Lucro do Papel = 5.300 Resultado = +570

Vencimento 44
Prejuízo da operação = -6.930
Lucro do Papel = 7.300 Resultado = +360

Vencimento 46
Prejuízo da operação = -9.130
Lucro do Papel = 9.300 Resultado = +170

Em 46 a venda com seguro atinge seus limites de perdas. E


agora p ara cada 1 real que o papel subir a operação melhora
1.000 reais. Portanto é uma operação coberta pois não tem faixa
de prej uízo na alta

Slide 12 - Calibragem Vaca em VALE5 - 01

Calibragem Vaca em Vale5

1. Vale5 42,02 H38 = 4,30 H42 = 2,02 H46 = 0,54

2. Operação H38 + 1100 H42 –3300 H46 –2200 recebe 748 para
montar.

3. Essa vaca tem lucro até o vencimento 44

4. Portanto com o mercado abaixo de 44 não há motivo para stress


é venda de VE o tempo está a favor.

5. Vamos estudar os vencimentos acima de 44

6. Vencimento 45
Prejuízo da operação = -1.452
Lucro do Papel = 2.980 Resultado = +1.528
Slide 13 - Calibragem Vaca em VALE5 - 02

Calibragem Vaca em Vale5 - 2

Vencimento 46
Prejuízo da operação = -3.652
Lucro do Papel = 3.980 Resultado = +328

Em 46 a vaca atinge seus limites de perdas. E agora para cada


1 real que o papel subir a operação melhora 1.000 reais.
Portanto é uma operação co berta pois não tem faixa de prejuízo
na alta

Slide 14 - Calibragem Trava de Baixa em PETR4 - 01

Calibragem Trava de Baixa em Petr4

1. Petr4 36,70 H36 = 1,74 H40 = 0,36

2. Operação H36 –1200 H40 +1200 rece be 1.656 para montar.

3. Essa operação é vencedora até 37,30

4. Portanto com o mercado abaixo de 37,30 não há motivo para


stress é venda de VE o tempo está a favor.

5. Vamos estudar os vencimentos acima de 37,30

6. Vencimento 38
Prejuízo da operação = -744
Lucro do Papel = 1.300 Resultado = +556
Slide 15 - Calibragem Trava de Baixa em PETR4 - 02

Calibragem Trava de Baixa em Petr4 -2

Vencimento 40
Prejuízo da operação = -3,144
Lucro do Papel = 3.300 Resultado = +156

Em 46 a Trava de Baixa atinge seus limites de perdas. E agora


para cada 1 real que o papel subir a operação melhora 1.000
reais. Portanto é uma operação coberta pois não tem faixa de
prejuízo na alta

Slide 16 - Buraco Negro em PETR4 - 01

Buraco Negro em Petr4

1. Petr4 36,70 H36 = 1,74 H40 = 0,36

2. Operação H36 –2000 H40 +2000 rece be 2.760 para montar.

3. Essa operação é vencedora até 37,30

4. Portanto com o mercado abaixo de 37,30 não há motivo para


stress é venda de VE o tempo está a favor.

5. Vamos estudar os vencimentos acima de 37,30

6. Vencimento 38
Prejuízo da operação = -1.240
Lucro do Papel = 1.300 Resultado = +60
Slide 17 - Buraco Negro em PETR4 - 02

Buraco Negro em Petr4 –2

Vencimento 40
Prejuízo da operação = -5.240
Lucro do Papel = 3.300 Resultado = -1.940

Embora no 40 a oper ação atinja seu limites de perdas continua


dando prej uízo
Vencimento 41
Prejuízo da operação = -5.240
Lucro do Papel = 4.300 Resultado = -.940
Vencimento 42
Prejuízo da operação = -5.240
Lucro do Papel = 5.300 Resultado = +60

Nesse caso ter emos um buraco negro entre 40 –42 sendo o 40 o


pior ponto. No 42 a operação entra no lucro e melhora 1000 reais
Para cada 1 re al que o papel subir