You are on page 1of 8

Directora:

Dezembro 2019/Janeiro 2020


ISSN: 1645-443X - Depósito Legal: 86929/95
P r a ç a1645-443X
ISSN: D . Afonso- V , n º 8 6 , Legal:
Depósito 4 1 5 0 - 086929/95
24 P o r t o - P O R TU G A L Ano LI- nº 400
Praça D. Afonso V, nº 86, 4150-024 Porto - PORTUGAL
EUTANÁSIA
LAICADO DOMINICANO

Com o aumento da longevidade, Portugal cimento e debate a nível geral da população


é dos países onde a velhice predomina e so- e não só entre os iluminados da Assembleia
brecarrega as gerações mais novas e as insti- da República.
tuições de saúde e sociais. A Igreja já tem vindo a tomar posição
A eutanásia vinha mesmo a calhar como mas é necessário da parte dos cristãos que
uma das soluções “limpas” do problema: tomem parte activa nesta acção de esclareci-
eliminava-se os dementes, os doentes cróni- mento sobre estes assuntos como o suicídio
cos e inválidos. Resolvia-se vários problemas a pedido e a morte assistida
económicos e sociais, a habitação, as excessi- Há que não esquecer alguns outros exem-
vas procura das urgências e hospitais e até a plos de países onde a eutanásia é legal em
solidão dos velhos … Diminuíam-se as pen- que já se realizaram um número muito ele-
sões, os cuidados paliativos os centros sociais vado de mortes assistidas, mais do que estava
e as pensões de velhice. previsto e abrangendo até adolescentes qua-
Seria uma espécie de holocausto dos ve- se crianças com alguma espécie de doenças
lhos, já temos os dos emigrantes que mor- mentais graves.
rem no mediterrâneo à vista da indiferença Citado há dias no Jornal Público o euro-
da Europa “civilizada”. deputado Paulo Rangel falou no caso da Ho-
Dizem que seria só e apenas por vontade landa em que aos cidadãos que façam 70
e determinação do próprio, mas não será anos é enviado um comprimido que possam
relativamente fácil convencer aquele avô ou utilizar caso queiram acabar com a sua vida…
avó isolados, sem nunca ver a família ou os pôr um limite à sua “velhice”. É difícil acre-
amigos, a sofrer de várias doenças e acha- ditar, mas é um testemunho credível de uma
ques que era bom ficar a dormir para sem- pessoa com responsabilidade acrescida.
pre !!! Venha o Referendo para todos tomarmos
Isto é uma bomba de relógio nas mãos de consciência do risco que poderemos correr
mentes práticas e realistas. E a ética é tão se envelhecermos, adoecermos ou ficarmos
controlável… de algum modo um peso morto para a socie-
Claro que não estamos a pensar em sofri- dade.
mentos penosos quase insuportáveis que Claro que para quem crê em Cristo que
devem a todo o custo ser combatidos tentan- deu a vida por todos e sempre pôs a acima
do atenua-los ou anula-los se possível mesmo de tudo a protecção dos mais frágeis, é um
que se corra o risco de diminuir a duração momento de lutarmos por estes valores e por
da vida. todos os débeis nossos irmãos.
Venha o Referendo se previamente hou-
ver tempo e meios disponíveis para o esclare- Maria do Carmo Ramos,o.p.
Laicado Dominicano Dezembro 2019/Janeiro 2020

SENHORA DAS CANDEIAS

Escrevo estas linhas para o “Laicado Dominicano” dade de Maria e de José e o caminho de aprendizagem
na festa da Apresentação do Senhor, 40 dias depois – um caminho que os pais devem necessariamente
do Natal. A designação popular de “Senhora das Can- fazer – para aceitar que os filhos têm a sua vida e que
deias” ou “Candelária”, vem do séc. VII e do Papa dessa vida fazem parte integrante as suas escolhas. Di-
Sérgio I, quando este determinou que a missa própria to de outra maneira, aceitar que os pais não são do-
desta festa fosse precedida por uma procissão em que nos dos filhos, que os filhos não são propriedade sua,
todos levassem um círio (cf. Missal Quotidiano). chegar a compreender que o Amor – o Amor com
Mas vale a pena determo-nos na narrativa de S. “A” grande – é libertador, não é possessivo. Aceitar
Lucas (2:22-40): está lá uma criança, ainda bebé, os que temos o dever de preparar os nossos filhos, netos
seus pais, e dois anciãos – três gerações, portanto. e outros educandos para se fazerem à vida, mas isso
Ana, com 84 anos, é viúva “e não se afastava do tem- não nos dá o direito de determinar o seu rumo ou
plo, servindo a Deus noite e dia”. Simeão é também hipotecar o seu futuro.
idoso, homem “justo e piedoso que esperava a conso- Depois de “cumpridas todas as prescrições da Lei
lação de Israel”. Ambos eram habitados pelo Espírito do Senhor, voltaram para a Galileia, para a sua cidade
Santo que os impeliu a ir ao templo e há muito ali- de Nazaré (…) e o Menino crescia e tornava-se robus-
mentava neles a esperança que não morreriam sem to, enchendo-se de sabedoria, e a graça de Deus estava
que vissem “a salvação que o Senhor pôs ao alcance com ele”. Isto é, amparado pela família, desenvolvia-se
de todos os povos” – o Messias. Temos depois os pais integralmente, no plano físico, cognitivo e sócio-
de Jesus, Maria e José, judeus piedosos, a cumprirem afectivo, bem como no plano da sua relação com
um preceito da Lei de Moisés: consagrar o filho pri- Deus.
mogénito varão ao Senhor “e oferecerem em sacrifício
um par de rolas ou duas pombinhas”. E temos o Me- José Carlos Gomes da Costa,o.p.
nino Jesus, levado ao colo pelos seus pais. Podemos
ver aqui o núcleo central da família – Jesus, Maria e
José – a Sagrada Família (todas as famílias são sagra-
das), mas também a família alargada, pois não é difícil
imaginarmos Simeão e Ana no papel de avós daquela
criança. Temos aqui, como nos dias de hoje, os princi-
pais responsáveis não só pela transmissão da fé, mas
também pelos valores e prioridades, bem como regras
e imposição de limites que devem nortear toda a edu-
cação. Se esta missão, que cabe primariamente à famí-
lia – e só depois à escola – falha, então adivinha-se a
derrocada pelos anos fora.
Diz ainda o evangelista S. Lucas que os pais do Me-
nino Jesus “estavam admirados com o que d’Ele se
dizia”, e a alegria daquele momento contrasta com o
que Simeão e Ana afirmavam. Imaginamos a perplexi-

MÊS DOMINICANO PARA A PAZ 2019—ÍNDIA


É com muita alegria que o Conselho Provincial Leigo agradece a todas as fraternidades da Província Portu-
guesa que contribuíram com os seus generosos donativos para esta iniciativa do Mestre Geral da Ordem dos
Pregadores. Foi enviada para Roma a quantia de 365 € procedente de diversas fraternidades. Para além deste
valor foram também enviados donativos provenientes de diversas casas de irmãs dominicanas, da província e
dos peditórios das celebrações realizadas em Lisboa e no Porto que foram organizadas pela Comissão de Justi-
ça, Paz e Ecologia da província portuguesa.
Cristina Busto,o.p.

2
Laicado Dominicano Dezembro 2019/Janeiro 2020

CRER COM OS OUTROS


Essencialmente, a fé é sempre também um acreditar
junto com os outros. Ninguém pode crer sozinho. Re-
cebemos a fé, diz-nos Paulo, através da escuta. E a escu-
ta é um processo que requer o estar juntos de modo
espiritual e físico. Somente na grande comunhão dos
fiéis de todos os tempos que encontraram a Cristo e
foram encontrados por ele, posso crer. O facto de po-
der crer devo-o, antes de mais nada, a Deus que se diri-
ge a mim e, por assim dizer, “acende” a minha fé. Mas,
de um modo muito concreto, devo a minha fé àqueles
que vivem ao meu redor e que acreditaram antes de Papa Emérito Bento XVI
mim e acreditam juntamente comigo. Este grande Erfurt, 23 Setembro 2011
(texto retirado da revista "Rosário de Maria”, Fev.2020)
“com”, sem o qual não pode haver qualquer fé pessoal,
é a Igreja.

FESTA DE SANTA JOANA PRINCESA


Padroeira da cidade e da diocese de Aveiro
de Aveiro e que se queiram associar a esta festa, que
entrem em contacto com os nossos representantes
oficiais para que se possam congregar na procissão.
Corre um processo canónico pro-canonização da Bem
-aventurada Joana de Portugal e por isso aqui se pu-
blica a oração pro-canonização.
Cristina Busto,o.p.

Senhor, Pai santo,


fonte de toda a santidade,
É no dia 12 de Maio que se realiza a festa de Santa Nós Vos louvamos e agradecemos,
Joana Princesa, Padroeira da Cidade e da Diocese de porque enriquecestes a vossa Igreja
Aveiro. Na verdade, trata-se de uma localidade de for- com a vida da bem-aventurada
te implantação dominicana onde as Irmãs Dominica- Joana Princesa, que testemunhou
nas de Santa Catarina de Sena, que na Procissão se- simplicidade, humildade,
guem à frente do andor de São Domingos, ainda mar- devoção à paixão de Cristo
cam presença. e amor ao próximo.
A Irmandade de Santa Joana Princesa, através do Fazei que nós, vossos servos,
seu Provedor, Nuno Gonçalo da Paula, endereçou de coração purificado,
imitemos as suas virtudes
um convite às Fraternidades Leigas Dominicanas
e alcancemos o reino dos Céus.
afim de que estejam presentes nas festividades de 12
Por sua intercessão,
de Maio, nomeadamente participando na procissão
concedei-nos as graças
com um pendão. que Vos pedimos,
O Conselho Provincial Leigo, na sua reunião que incluindo a da sua canonização.
decorreu no passado dia 25 de Janeiro, decidiu que Por nosso Senhor Jesus Cristo,
marcará presença oficial através da vice-presidente e vosso Filho, que é Deus convosco
do administrador, Filomena e Francisco Piçarra e que na unidade do Espírito Santo.
a todas as Fraternidades seja dada notícia deste tão Ámen.
amável convite. De um modo especial se apela a to-
dos os leigos dominicanos que estão mais próximos D. António Moiteiro
3
Laicado Dominicano Dezembro 2019/Janeiro 2020

NOTÍCIAS DAS FRATERNIDADES


FRATERNIDADE DE tuto Superior de teologia de Évora e na Universida-
S.DOMINGOS DE ELVAS de católica Portuguesa em Lisboa.
Esta Instituição de Leitor, é o primeiro passo ru-
mo á ordenação Sacerdotal que poderá acontecer
daqui a dois anos.

No passado dia 04 de Janeiro de 2020 emitiu Pro-


messa Definitiva o nosso irmão Tiago Carlos, op du-
rante a celebração da Eucaristia Vespertina da Sole-
nidade da Epifania do Senhor, na igreja de São Do-
mingos de Elvas na presença do nosso Promotor,
Frei Miguel Patinha, op e testemunhada pelo Frei
Francisco, op.

Ocorreu no passado dia 8 de Dezembro de 2019


na Catedral de Évora na missa da Solenidade da
Imaculada Conceição, a instituição de Leitor do jo-
vem elvense e irmão desta Fraternidade, Tiago Neves
Carlos.
A celebração foi presidida pelo Senhor Arcebispo
de Évora, D. Francisco Senra Coelho e contou com a
presença de Familiares, amigos, alguns elementos do
Coro Beato Aleixo Delgado e da Fraternidade Leiga
de São Domingos de Elvas.
O Tiago entrou no Seminário menor de Vila Vi-
çosa em 2009, em 2013 frequentou o ano propedêu- No final houve um momento de convívio e boa
tico no Seminário de Faro, Diocese do Algarve, em disposição em que a Fraternidade celebrou o seu en-
2014 e entrou no Seminário Maior de Évora, encon- contro de Natal.
trando-se a frequentar o 5º ano de Teologia no insti- Tozé,op

FRATERNIDADE LEIGA DE Trolho Folgado, Maria da Conceição Pinheiro


IDANHA-A-NOVA Quaresma e Judith Lopes Ferreira Celestino, ten-
do sido reeleita como presidente Maria Manuela
Recentemente, ocorreram na nossa frater- A.D.S. Catana.
nidade acontecimentos que nos deixaram felizes e
divulgamos no Laicado Dominicano, para conhe-
cimento de toda a Família Dominicana.
1. Acolhemos na nossa fraternidade a promessa
temporária da Judith Lopes Ferreira Celestino e a
promessa definitiva da Maria da Conceição Pinheiro
Quaresma, com a presença do nosso Promotor Fran-
cisco Piçarra e da vice-presidente provincial, Filome-
na Piçarra.
2. Também teve lugar a eleição do novo
conselho para o triénio 2019- 2022, ficando cons-
tituído pelos membros seguintes: Maria Manuela
Antunes Domingues Silveira Catana, Maria Bár-
bara Antunes Chamusca Poças, Ângela Marques Manuela Catana, o.p.

4
Laicado Dominicano Dezembro 2019/Janeiro 2020

FRATERNIDADE LEIGA DE SÃO DOMINGOS DE ESTREMOZ

No dia 26 de Janeiro, de 2020, na Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo


Socorro, na presença de Francisco Piçarra, promotor da fraternidade, medi-
ante o rito da admissão, foi agregado mais um membro à Fraternidade de
Estremoz e três irmãs incorporadas na Ordem dos Pregadores pela emissão
da promessa temporária. No momento do abraço de acolhimento e, todo o
convívio, a fraternidade mostrou a sua alegria por mais um passo dado nesta
etapa na vida da fraternidade.
A Fraternidade de Estremoz dá graças a Deus e ao nosso Pai São Domin-
gos por este momento tão enriquecedor pelo sinal de esperança na sua reno-
vação e crescimento.
Cremilde Rebola,o.p.

ORDENAÇÃO DIACONAL
No final da eucaristia teve lugar no centro paroqui-
al um agradável almoço de confraternização onde
muitos presentes tiveram ocasião de saudar D. Tolen-
tino—muitos livros foram autografados e muitas foto-
grafias foram tiradas, para grande satisfação dos admi-
radores do Cardeal-Poeta.
O frei José Manuel Silva iniciou o Postulantado na
Ordem em 2013, tendo iniciado o seu Noviciado no
ano seguinte, em Sevilha. A 16 de Setembro de 2018
fez votos solenes e em Outubro de 2019 concluiu o
No passado dia 1 de Fevereiro teve lugar na igreja seu mestrado em Teologia, na Universidade Católica
de Cristo-Rei, no Porto, a ordenação diaconal do frei de Lisboa. Actualmente está assignado ao Convento
José Manuel Silva. Presidiu à celebração o Cardeal D. de Cristo-Rei no Porto.
José Tolentino de Mendonça, ex-professor do novo
diácono e grande amigo dos dominicanos. Os cânti-
cos estiveram a cargo do Coro da Tuna Musical de
Perosinho (terra natal do frei José Manuel) e a Cristo-
Rei acorreram dezenas de familiares, amigos e conter-
râneos do frei José Manuel, dentre os quais represen-
tantes de várias autoridades e organizações locais. Du-
rante a homilia, D. Tolentino dirigiu palavras muito
cordiais ao novo diácono, congratulando-se com a sua
vocação. No final da eucaristia o prior provincial, frei
José Nunes, dirigiu à assembleia umas breves palavras
de agradecimento pela sua presença e congratulou-se
pelo ambiente de família Dominicana alargada a to-
dos os presentes. Cristina Busto,o.p.
5
Laicado Dominicano Dezembro 2019/Janeiro 2020

FREI GIL (1936-2020)

Fr. Gil nasceu em 23 de Janeiro de 1936, no Tro- onde vive os seguintes 37 anos até ao fim da sua vida.
viscal (Oliveira do Bairro, Aveiro), numa família pro- Na Paróquia-missão do Waku-Kungo, a sua permanen-
fundamente cristã, e recebeu o nome de MANUEL te presença solidária com o povo, mesmo nos difíceis
DA CONCEIÇÃO FILIPE. Entrou para os dominica- tempos de guerra, com ameaças inclusive à sua vida,
nos bem cedo, estudando no Seminário de Aldeia No- representa um testemunho evangélico que permanece
va e, depois, realizando o noviciado juntamente com o na mente de muitos cristãos como motivo de edifica-
fr. João Domingos, fr. Bernardo e fr. Miguel dos San- ção. Além disso, a sua incansável dedicação à vida cris-
tos, em S.Pedro de Sintra. A primeira profissão fê-la tã das comunidades, em particular nas aldeias mais
em 12 de Outubro de 1952 e foi ordenado presbítero distantes, mesmo quando o paludismo ou a falta de
em 16 de Agosto de 1959. transportes pareciam impedi-lo, faz dele um missioná-
Os seus estudos filosóficos foram realizados em rio exemplar. Foi também pároco da Paróquia-Missão
Fátima, no Centro de Estudos dominicano Sedes Sapi- de Nª Sª da Assunção do Waku-Kungo, mostrando
entiae. Os estudos teológicos foram realizados no con- um enorme respeito pelos catequistas das comunida-
vento dominicano de Saint-Maximin (Província de des cristãs, com quem sempre trabalhou em corres-
Toulouse, sul de França), durante dois anos, e concluí- ponsabilidade, e mantendo fielmente ao longo de dé-
dos posteriormente em Fátima. cadas a publicação mensal da «Folha de Ligação» da-
Em Portugal, passando por várias comunidades, quela paróquia – meio de imprescindível formação e
como Fátima, Porto ou Aldeia Nova, desempenhou informação – e fazendo-o, por vezes, milagrosamente
vários cargos e viveu diversos apostolados, podendo ao stencil.
talvez mencionar-se o seu trabalho no Colégio Clenar- Fr. Gil, com a sua notável propensão para a escrita,
do e a sua grande ligação ao Rosário e também à Obra redigia quase diariamente os acontecimentos da vida
da Criança, fundada pelo seu tio fr. Gil Alferes, op da missão local e do Vicariato de Angola, tendo mes-
(que certamente o influenciou em todo o seu processo mo elaborado a crónica do Vicariato desde a fundação
vocacional). Sempre revelou, também, uma belíssima da missão dominicana em Angola até 2010. No seu
capacidade de pregação através da escrita. trabalho em prol da Família Dominicana em Angola,
Em 1982, porém, dá-se uma mudança radical na destacou-se como Promotor das Fraternidades Leigas.
sua vida: oferece-se para missionário em Angola, nu- Faleceu na madrugada de 3 de Janeiro de 2020, em
ma missão que os dominicanos portugueses decidiram Luanda, na Clínica Multiperfil, na sequência de um
lá iniciar. A 31 de Outubro, juntamente com fr.João AVC, ocorrido, dias antes, no Waku-Kungo. RIP.
Domingos e fr.José Nunes, voa a partir de Lisboa e
chega a Luanda a 1 de Novembro. Em 22 de Novem- Fr.José Nunes,o.p./fr.Mário Rui,o.p.
bro, dá-se a chegada ao Waku-Kungo, comunidade (texto retirado da revista “Rosário de Maria”)

6
Laicado Dominicano Dezembro 2019/Janeiro 2020

DA MISÉRIA À MISERICÓRDIA
nos e albigenses), os quais, em traços muito gerais,
defendiam acerrimamente o regresso à vivência da-
quilo o que consideravam ser o verdadeiro cristianis-
mo e, por certo, o mais radical.
Sucede que a misericórdia de Domingos superou
quer uma, quer outra forma de miséria. No primeiro
caso, optando por criar uma Ordem mendicante, que
estivesse unida à Sé Apostólica, ressalvando a sua au-
tonomia em relação à mesma. No segundo caso, per-
suadindo, pela via do diálogo e da escuta, os hereges,
afim de estes regressarem à fé da Igreja.
E hoje? Penso que poderá ser, pela medida da com-
Domingos, nosso Pai, relativamente cedo se aper- paixão, que poderemos, de coração aberto beneficiar
cebeu de dois tipos ou formas de miséria, presentes da misericórdia de Deus, que, sendo fiel a Si mesmo,
no seu tempo. Se, por um lado, era visível a miséria está disposto a conceder-nos o seu perdão, ajudando-
material (e veja-se aqui a venda dos escritos do pró- nos a recomeçar, uma e outra vez, a caminhada da
prio São Domingos, em favor dos mais pobres), por vida.
outro lado coexistia a miséria relacionada com a per-
sistência dos hereges do Século XIII ( cátaros, cuma- José Alberto Oliveira, op

RETIRO QUARESMAL DAS FRATERNIDADES

ORGANIZAÇÃO: Fraternidades Leigas de


São Domingos de Portugal

TEMA. Comunhão, Comunidade, Fraterni-


dade

DATA: 6, 7 e 8 de Março de 2020.

LOCAL: Casa dos Capuchinos, Fátima

INSCRIÇÕES : Lurdes Fonseca


Tel.:962380633
Email:lurdesfonseca59@hotmail.com

7
Laicado Dominicano Dezembro 2019/Janeiro 2020

ORAÇÃO
Deus Todo-Poderoso e eterno,
Venho ter Contigo como um homem doente
Que precisa de um remédio que dê vida;
Como um inútil para me banhar na Tua fonte de misericór-
dia;
Como um cego procurando a Tua luz eterna;
Como um pedinte, suplicando pelo Teu tesouro espiritual.
Imploro-Te que, na Tua infinita vontade,
Cures a minha doença, removas a minha impureza,
Ilumines a minha cegueira e enriqueças a minha pobreza.
Que este pão e este vinho não sejam apenas símbolos da
Tua graça,
Mas também a verdadeira fonte da graça.
Permite que, ao receber o corpo do Teu filho,
Me torne membro do Teu corpo místico.
E permite que, enquanto permanecer neste mundo,
Eu O veja através do véu da comida e da bebida
E que no céu, possa Vê-lo frente-a-frente.
S.Tomás de Aquino

SÃO TOMÁS DE AQUINO (1225-1274)


Nasceu em Roccasecca (Itália). É um dos mais brilhantes teólogos da Igreja de todos os tempos. De entre
as suas numerosas obras e tratados destaca-se a Summa Theologiae. Leccionou em Paris a maior parte da
sua vida. A vida e o ensinamento de São Tomás de Aquino poder-se-iam resumir num episódio transmitido
pelos antigos biógrafos. Enquanto o Santo, como fazia habitualmente, estava em oração diante do Crucifi-
xo, de manhã cedo na Capela de São Nicolau em Nápoles, Domingos de Caserta, o sacristão da igreja, ou-
viu um diálogo. Tomás perguntava, preocupado, se aquilo que tinha escrito sobre os mistérios da fé cristã
era correto. E o Crucificado respondeu-lhe: «Tu falaste bem de mim, Tomás. Qual será a tua recompensa?».
E a resposta que Tomás deu é aquela que também nós, amigos e discípulos de Jesus, sempre gostaríamos de
lhe dizer: "Nada mais do que Tu, Senhor!" Foi canonizado em 1323.É Doutor da Igreja e Padroeiro de to-
das as Universidades e Escolas Católicas. Festa litúrgica: 28 de Janeiro.

F i c h a T é c n i c a
Jornal bimensal Rua Comendador Oliveira e Carmo, 26 2º Dtº
Publicação Periódica nº 119112 / ISSN: 1645-443X 2800– 476 Cova da Piedade
ISSN: 1645-443X
Propriedade: Fraternidade Leigas de São Domingos Endereço: Praça D. Afonso V, nº 86,
Contribuinte: 502 294 833 4150-024 PORTO
Depósito legal: 86929/95 E-mail: laicado@gmail.com
Direcção e Redacção Tiragem: 350 exemplares
Cristina Busto (933286355)
Maria do Carmo Silva Ramos (966403075) Os artigos publicados expressam apenas
Colaboração: Maria da Paz Ramos a o p i n i ã o d o s s e u s a u t o r e s .
Administração: Maria do Céu Silva (919506161)
8