You are on page 1of 17

ESCOLA DJALMA PESSOA

ENSINO MÉDIO

CAIO LUIZ
DANIELE RAMILIS
EDER SANTOS
LUANA GOMES

DESUMANIZAÇÃO DA HUMANIDADE

SALVADOR

2010
DESUMANIZAÇÃO DA HUMANIDADE

Ensaio monográfico apresentado à


disciplina de Filosofia.

Turma 3°C do Ensino Médio

PROFESSOR: LUIZ LUZ

SALVADOR

2010
SUMÁRIO

1. APRESENTAÇÃO.................................................................................................................3
2. PROBLEMÁTICA..................................................................................................................4
3. OBJETIVOS...........................................................................................................................5
5. BANALIZAÇÃO DAS MAZELAS.......................................................................................8
6. A “EVOLUÇÃO” DO SISTEMA E A DESIGUALDADE SOCIAL...................................9
8. RE-HUMANIZAÇÃO..........................................................................................................13
9. CONCLUSÃO......................................................................................................................14
10. BIBLIOGRAFIA................................................................................................................16
3

1. APRESENTAÇÃO

Este ensaio monográfico aborda um tema que engloba sub-temas que já são
conhecidos por professores e alunos. Estes sub-temas são: A “Evolução” do sistema e a
desigualdade social, a Banalização das mazelas e a “Humanização dos animais e a
desumanização dos homens”. Para ficar mais fácil de analisar pode-se dizer que todos eles
têm relação com o capitalismo, o consumismo e a desigualdade social.

O que este trabalho traz de diferente são as estreitas pontes que existem entre eles e a
abordagem um pouco mais reflexiva em determinados pontos. Finalizando com uma visão
geral do tema em questão

Espera-se que os leitores gostem e revejam seus conceitos e suas ações no cotidiano.
4

2. PROBLEMÁTICA

O capitalismo é um modelo de produção em que o lucro é o objetivo final. Sendo


assim, os poderosos armam todo um processo psicológico e cultural em que as pessoas
trabalham arduamente em busca deste dinheiro. O problema é que a busca incessante deste
valoroso dinheiro (que teoricamente lhes trará casa, carro e roupas de grife) tem tomado um
rumo selvagem, frio e calculista.

Na verdade, a falta de sensibilidade e senso crítico por parte do ser humano já é algo
que vem de muito, tempo. Muito antes do capitalismo. Esse sistema econômico só serviu para
intensificar o processo.

Agora que esse sistema está fortemente implantado, a batalha para reformulação ou
troca deste processo é um processo lento e minucioso que provavelmente demorará séculos
para ser realmente modificado.
5

3. OBJETIVOS

Os objetivos principais deste ensaio monográfico são:

• Conscientizar de uma forma reflexiva os leitores;

• Informar como se formou a desigualdade no mundo;

• Mostrar de uma forma diferente o que todos já conhecem;

• Abrir os olhos do leitor para soluções de esperança para o mundo.


6

4. INTRODUÇÃO

Com as crescentes exigências do mundo moderno, nosso tempo fica cada


vez mais apertado. Afinal, se não trabalharmos não teremos dinheiro para comprar
comida e conseqüentemente morreremos de fome, assim como outras tantas
milhões de pessoas. Só nisso já é perceptível o quanto a humanidade está
agressiva e impiedosa.

É evidente que temos que trabalhar e estudar muito para termos uma vida
digna, educar nossos filhos e não passar necessidades, mas é claro também que a
falta de senso de colaboração, de compaixão, de ajuda, nos tornam cada vez mais
desumanos. Isso é muito perigoso, pois é o inicio, é a gota d'água para qualquer
desconfiança, discórdia, traição que conseqüentemente leva à raiva, vingança, ódio,
desejo de guerra e outros sentimentos malignos. Desejo de "apagar" quem cruzar
seu caminho.

São sentimentos normais para o homem, e instintivo, o que o leva a arrumar


formas de defesa que garanta sua saúde física, melhor dizendo, sua "sobrevivência
na selva de pedra". Mas esses sentimentos nos tornam cruéis, irracionais e muitas
vezes, transforma o que deveria ser um SER HUMANO em uma máquina. Todas as
pessoas já foram traídas algum dia e a decepção faz parte do aprendizado. A
sociedade, feita por "humanos", tem regras tão desumanas que as vezes as
pessoas preferem perder seus amigos para se defenderem quando se sentem
acuados.

A idéia de família como base de tudo está sumindo ao longo dos tempos. Esta
guerra acaba causando uma confusão na cabeça dos indivíduos de uma forma que
eles acabam vendo os amigos como inimigos. A formação de caráter devia ser a
principal matéria no ensino primário. A filosofia deveria voltar ao currículo escolar
básico. Muito do que acontece tem como um dos motivos o exacerbado grau de
importância dada às coisas materiais. Visto que, muitas vezes são coisas fúteis.

Poderíamos ter mais tecnologia e outros avanços científicos se todos


trabalhassem realmente juntos. Sem passar por cima dos outros, trapacear ou algo
7

parecido. Assim seria possível também a evolução como "seres realmente


humanos".
8

5. BANALIZAÇÃO DAS MAZELAS

O mundo tem ficado cada vez menos barbarizado. Pode-se dizer que as
pessoas estão cada vez mais acostumadas com o que diz respeito a miséria, fome,
desprezo pela vida humana e desigualdade (sejam elas raciais, étnicas, sexuais ou
qualquer outro tipo). Muitas pessoas falam e ao mesmo tempo outras tantas sofrem
com a miséria extrema. Crianças e jovens vivem em um mundo com pessoas cada
vez mais inconseqüentes, sem tolerância e com pouca ou nenhuma sensibilidade.
Muitos sofrem desilusões, mas isso não atinge só os jovens, vários idosos também
sofrem na sarjeta, sem ter ninguém que os ampare.

A fome agora é matéria de revistas e jornais! Pessoas que não tem nem um
pão para comer de manhã viraram dados estatísticos. Muito se fala em projetos e
investimentos que mudarão esse quadro, mas não se vir grandes mudanças quanto
a isso. Não é preciso sair do Brasil e ir à África para se deparar com a miséria
humana, basta olhar em volta, andar nas ruas, visitar os hospitais públicos, as
escolas e muitos problemas aparecerão. É deprimente quando se passa em frente
aos postos de saúde e percebem-se pessoas desesperadas por remédios que lhe
tirem pelo menos a dor. Muitas vezes o pior nem é a dor física, mas a dor
psicológica por estar ali abandonado, sem nenhum tipo de amparo, vendo a vida
passar diante de seus olhos, agonizando no mais sujo relento. Muitas pessoas
vivem de um jeito que é preferível esquecer todas as lembranças, por isso muitos
jovens acabam usando até drogas com a ilusão de que fugirá da realidade e viverão
em um mundo mais feliz, um mundo paralelo.

É horrível pensar que muitas pessoas tiram seu alimento do lixo e vivem a
maior parte de suas vidas em meio ao lixo, junto com vários animais que podem te
passar inúmeras doenças.

Algumas pessoas ainda acham um exagero, mas tudo isso não chega nem
perto da realidade deplorável que muitos de nós, brasileiros, passamos. Lembrando
que isso não acontece só Brasil, mas em vários outros países. O mundo acha cada
vez mais normal toda essa situação e o limite do absurdo está cada vez maior.
9

6. A “EVOLUÇÃO” DO SISTEMA E A DESIGUALDADE SOCIAL

A Desigualdade social não é algo que surgiu há pouco tempo, porém o


homem não nasceu assim (a sociedade que o corrompeu), foi construída ao longo
da evolução (“E que evolução!”) do pensamento humano. Se for levado em
consideração o conhecimento científico, é visível nos escritos de Marx e Engels que
a desigualdade nasce junto com a organização social, sendo esta
sociedade socialista, capitalista, comunista ou escravista. Os estudos de Marx
continuados por Engels apontam que o homem “selvagem” (comunista) trabalha
para o bem de todos, ou seja, tudo é compartilhado igualmente. A propósito, essa
era uma característica do povo indígena, a qual incomodava bastante os
portugueses que tentaram impor a força o trabalho para o acúmulo. O homem
selvagem produzia apenas para sua sustentabilidade, sendo assim, eles não tinham
a idéia de acúmulo, isso veio atrelada a propriedade privada. À medida que a
inteligência humana evoluiu, começaram a aparecer ferramentas mais eficazes
possibilitando-os a produzir mais alimento. A partir daí começaram a pensar em
proteger suas terras e armazenar alimentos. Dessa forma nasceu a propriedade
privada. Outras pessoas, muitas vezes, não tinham o mesmo solo fértil e as mesmas
ferramentas que alguns poucos. Isso era preocupante para os detentores das terras
mais frutíferas. Nesta situação desigual começam a nascer as classes sociais, a
diferenciação entre um humano e outro por causa de suas posses.

Um pouco mais de um século foi o bastante para que a humanidade


chegasse ao “cúmulo do absurdo” da desigualdade social, juntamente com o
aumento do conhecimento científico-tecnológico, o consumismo, a cobiça e a falta
de solidariedade. Todos esses pontos fecham os olhos de muitas e muitas pessoas
para o que acontece realmente e a manipulação capitalista faz com que milhões de
pessoas vivam uma pseudo-felicidade cegada pelo “american way of life”.

O capitalismo é marcado pela mão de obra barata, o que faz que algumas poucas
pessoas ganhem muito e outras tantas continue no mesmo patamar humilde ou de
miséria extrema, permanecendo desta forma o processo de desigualdade.
10

Humanizar-se é não olhar como algo normal o abandono familiar, é adquirir


tolerância, responsabilidade, sensibilidade, senso crítico, ética, solidariedade, entre
outros, é mudar a sua visão na busca de uma sociedade mais justa. Neste mundo
“louco” e sistematizado apenas quem tem essas qualidades pode ser considerado
um humano propriamente dito.

Uma sociedade mais justa se constrói com o processo de humanização, na


qual o homem lembra de sua história e começa a valorizar também seu próximo
deixando de ter uma postura narcisista, onde ele é o protagonista perfeito e o “resto
do mundo” é só uma multidão de figurantes nesta peça chamada “Humanidade”.
11

7. HUMANIZAÇÃO DOS ANIMAIS E DESUMANIZAÇÃO DOS


HOMENS

Existem pessoas que chamam o cachorro de filho e se auto-intitulam como


mães ou pais do cachorro. Condição esquisita quando não de baixa estima. A
palavra mãe, certamente não estaria sendo bem utilizada pela(s) pessoa(s), já que
desce ao patamar de uma simples cadela.

De acordo com a psicologia animal: Um cachorro, um passarinho, um gato ou


qualquer outro animal doméstico, sofre todos os tipos de influências diretas e/ou
indiretas do ser humano, a tal ponto de afetar a sua parte psicológica. Isto é
preocupante, pois pode alterar o comportamento do animal que acaba se tornando
totalmente dependente do homem, perdendo os seus instintos. O cão (principal
exemplo, mas se aplica a vários outros animais) sabe muito bem o que é bom ou
ruim. A partir do momento em que ele fica acostumado a só comer ração importada,
ele não vai comer qualquer tipo de alimento comprado no mercadinho da esquina.

O antropomorfismo tem causado algumas situações inusitadas, como o


exemplo de uma senhora, viúva, sem filhos, rica, que mantém em sua casa cinco
cachorros. É uma pessoa com posses e pode se dar ao luxo de tal. Mas o que
chama a atenção é o fato de que todos os cinco cães comem à mesa com esta
senhora.

Antropomorfismo é quando se dá forma ou qualidades humanas ao que não é


humano. Nesse caso é o tratamento exagerado, cheio de regalias, que os donos dão
aos animais como se essas mascotes fossem humanas.

Uma pergunta paira no ar. Será que é correto, é justo, tem sentido uma
pessoa vestir um cachorro como se fosse um ser humano? Fazer festa de
aniversário? É justo fazer festa de casamento de cães e ser transmitida pela
televisão? É correta a atitude pessoas que gastam rios de dinheiro com seus cães
enquanto a poucos metros de casa tem crianças passando fome?
12

Não se deve confundir os cuidados básicos como higiene, alimentação e


veterinário com exageros (unhas postiças, sapatinhos, roupas, entre outros).

Já existe um mercado voltado para esse tipo de futilidade. Infelizmente os


internos da FEBEM (atual Fundação Casa), as crianças com AIDS, jovens com
deficiência ou que sofreram algum tipo de acidente grave não recebem a mesma
atenção

Será que é correto gastar tanto dinheiro com embelezamento, comida


importada e colchão elétrico com esses animais? É justo que tantas crianças
abandonadas durmam sob as pontes, andem pelas ruas e busquem alimentos no
meio do lixo?

Algumas crianças se prostituem aos 10 anos, outras se tornam “aviõezinhos”


para o tráfico, outras são violentadas (tanto físico quanto psicologicamente).
Enquanto isso muitas pessoas continuam gastando dinheiro com coisas fúteis para
os seus animais.
13

8. RE-HUMANIZAÇÃO

Para que o homem possa se re-humanizar é preciso que ele esqueça a idéia
de que só se faz algo ou algum favor em troca de alguma coisa, além criar outros
princípios para a vida social. Em outras palavras, pode-se dizer que é necessário um
novo sistema de educação e ensino para que o homem moderno, desumanizado,
possa se humanizar novamente, mas é claro que também é preciso haver uma
reformulação nas relações sociais do mundo, nos valores, na cultura, nas ideologias
e na forma de ver as outras pessoas, caso contrário o mundo continuará do jeito que
está.

A batalha pela humanização da humanidade passa certamente pelas ações


que têm como objetivo principal a mudança das relações sociais que caracterizam o
capitalismo, principalmente nos últimos tempos. Acontece que, para que essas
relações sejam realmente modificadas, é necessário que, ao mesmo tempo, a
humanidade repense sobre a sua forma de agir, ou seja, quebre a hegemonia de
sempre haver uma classe dominante e outra totalmente dominada e oprimida. Desta
forma construiremos um novo sistema de ensino e educação que tenha novos
princípios e objetivos para a concretização da re-humanização da humanidade.
14

9. CONCLUSÃO

O nascimento da propriedade privada trouxe consigo a desigualdade


social, que hoje é a maior causadora dos problemas que assolam a nossa
sociedade. O crescimento da produção e a necessidade de proteger as suas terras e
os seus produtos do menos afortunado fizeram com que o homem criasse a idéia de
propriedade privada. A pessoa que tinha as terras menos produtivas muitas vezes
via a necessidade de buscar alimento em outros lugares, porém quando ele chegava
nesse local que teoricamente seria a sua salvação, lá já tinha alguém que dizia:

- “Essas terras são minhas e quem se atrever a por os pés dentro dela será morto!”.

O homem então tentava buscar alimento em outro lugar e via outra pessoa dizendo
a mesma coisa. Nesse momento o instinto de sobrevivência faz com que ele busque
atingir o seu objetivo a qualquer custo. Sendo assim, se for necessário matar em
algum momento, ele matará sem qualquer culpa, pois a fome fala mais alto.

Enquanto muitos produzem tanto a ponto de não conseguir aproveitar tudo,


outros passam fome, então essas pessoas sedentas de comida começam a invadir
as tão protegidas propriedades privadas. Isso tudo gerava conflitos, pois os ditos
“Donos do chão em que plantavam” reagiam com violência e quando perdiam a
batalha ficava preso na garganta aquele sentimento de revolta que só fazia os
conflitos aumentarem e o ódio, a raiva, a violência, a crueldade tomarem o lugar da
compaixão, do respeito, da tolerância e da colaboração.

O nascimento do capitalismo tornou-se o álcool que seria jogado na fogueira


da desumanização. O maior representante do capitalismo, que é o EUA, foi e ainda
é um grande modelo de poder para os outros países. Eles esbanjam podem e
dinheiro com as suas construções, produções audiovisuais, tecnologia, entre outros.
Nesse ritmo desenfreado, pessoas de várias partes do mundo seguem esse modelo
chamado de “american way of life”.

O que as pessoas estão esquecendo é que a vida não é só consumir.


Também existem as coisas que o dinheiro não trás na realidade. Durante um
15

determinado tempo pode até iludir as pessoas, mas uma hora elas sentem um vazio
que não conseguem explicar.

O que falta é o amor, a solidariedade, a paz entre todas as pessoas do


mundo. Muitas pessoas gastam dinheiro com coisas fúteis (um exemplo disso é
roupinhas e unhas postiças para cachorros) e esquecem que tem uma pessoa na
esquina morando na rua, sentindo fome, frio e correndo perigo.

Nessas horas é perceptível a urgente necessidade de reformulação de


conceitos, valores, culturas e sistema de educação. Tudo isso em busca de
um mundo melhor para os nossos filhos e netos.
16

10. BIBLIOGRAFIA

OLIVEIRA, Pérsio Santos de. Introdução à Sociologia. Volume Único.São Paulo:


editora ática, 2008.

AZEVEDO, G. C.; SERIACOPI, R. História. São Paulo: editora ática, 2007.

FRANCISCO MARTINS, Marcos. Pedagogia do Engajamento. Disponível em:


<http://www.uepg.br/praxiseducativa/v3n1Artigo05.pdf>. Acesso em: 23 de maio de
2010.

CHE, PROFESSOR. A DESUMANIZAÇÃO DA HUMANIDADE. Disponível em:


<http://profche.blogspot.com/2008/07/desumanizao-da-humanidade-se-puder.html>.
Acesso em: 22 de maio de 2010.

DA SILVA SANTOS JÚNIOR. Raimundo. Disponível em:


<http://pt.shvoong.com/social-sciences/1802404-desigualdade-social-
desumanização-educação/>. Acesso em: 25 de maio de 2010.

MIRANDA VIDAL, Romão. Humanização Ou Desumanização? Disponível em:


<http://www.vet-uy.com/noticias/2005/jun_05/ext_not/not013.htm>. Acesso em: 25
de maio de 2010.

Thacy. Desumanização. Disponível em:.


<http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20091021102714AAa4nH3>.
Acesso em: 25 de maio de 2010.