You are on page 1of 2

ISO 9001

ISO significa “igualdade” em grego. Ela foi escolhida como símbolo da organização
internacional com o objetivo que todos os países utilizem as mesmas normas. As
normas da série ISO 9000 foram criadas em 1987 e revisadas em 1994. Em 2000, sua
segunda revisão foi concluída, definindo para certificação uma única norma: a ISO
9001.
O objetivo da ISO 9001 é atender os requisitos dos clientes com eficácia, ele adquiri
produtos e serviços confiáveis e de maior qualidade. E não só o cliente, mas todos saem
ganhando. A empresa cresce e se torna mais forte e competitiva, os funcionários se
desenvolvem profissionalmente e passam a ter um ambiente de trabalho melhor. Os
fornecedores ampliam suas possibilidades de negócios. A sociedade ganha, pois se
produz riquezas, alavancando o desenvolvimento do país. A ISO 9001 está alinhada
com a ISO 14001, que trata de sistemas de gestão ambiental.
A ISO 9001 está dividida em 8 seções: objetivo; referência normativa; termos e
definições; sistemas de gestão da qualidade; responsabilidade da direção; gestão de
recursos; realização do produto; medição, análise e melhoria.
O sistema de gestão da qualidade são as atividades executadas por todos para garantir a
qualidade dos produtos e serviços. Todas essas atividades devem estar documentadas no
Manual da Qualidade, disponível a todos para consulta Com base nestes documentos
pode-se conquistar melhorias, reduzir custos, eliminar a improvisação e o retrabalho,
aumentar a produtividade e muito mais. Eles devem ser aprovados, controlados,
atualizados e no local correto.
A responsabilidade da direção inclui alguns requisitos. O primeiro é o
comprometimento da direção, que define as ações da direção para implementar o
sistema. Por exemplo, estabelecer os objetivos da qualidade, conduzir análises críticas,
garantir a disponibilidade de recursos, etc. O segundo é o foco no cliente, onde a
direção deve assegurar que os requisitos do cliente sejam atendidos, aumentando sua
satisfação. O terceiro é a política de qualidade, que é o compromisso com os objetivos,
devendo-se conhecer e entender de forma clara como se aplica no dia-a-dia. O quarto é
o planejamento, ou seja, pensar antes de fazer. Os objetivos da qualidade devem ser
mensuráveis e coerentes com a política da qualidade, e medidos através de indicadores
de desempenho. O quinto é a responsabilidade, autoridade e comunicação. A direção
deve comunicar quais são as responsabilidades de cada membro e indicar seu
representante. O sexto é a análise crítica pela direção, ela deve criar os indicadores de
desempenho para avaliar a eficácia do sistema. Incluindo a avaliação de oportunidades
para melhorias e necessidades de mudanças no sistema.
A gestão de recursos inclui alguns requisitos. O primeiro é a provisão de recursos, a
organização deve determinar e prover os recursos necessários. O segundo é recursos
humanos. A competência das pessoas é construída com educação, treinamento,
habilidade e experiência. O terceiro é a infra-estrutura. A organização deve
disponibilizar a infra-estrutura necessária. Por exemplo, edifício, espaços de trabalho,
equipamentos, etc. O quarto é o ambiente de trabalho. Um ambiente limpo e seguro
favorece a prática da qualidade, motivando as pessoas.
A realização do produto possui alguns requisitos. O primeiro é o planejamento da
realização do produto. Deve-se planejar os processos para a realização do produto e
registrar evidências de que o processo está atendendo os requisitos do cliente. O
segundo é processos relacionados a clientes. São requisitos que devem ser respeitados,
como as necessidades dos clientes, leis, estatutos, regulamentos, e outros. Também
estabelecer a comunicação com o cliente, obtendo informações do produto e ouvindo
suas reclamações. O terceiro é o projeto e desenvolvimento, ou seja, planejar e controlar
as várias etapas do desenvolvimento do produto ou serviço. O quarto é a aquisição.
Deve-se trabalhar com fornecedores qualificados e produtos de acordo com os
requisitos da empresa. Para isso deve-se descrever as informações de aquisição no
pedido de compra e verificar o produto. O quinto é produção e fornecimento de serviço.
A organização deve controlar condições para realização da produção, como
informações, instruções, equipamentos, monitoração etc. Uma forma de controle é
identificar o produto em todo seu processo de fabricação, assim em caso de não-
conformidade podemos rastreá-lo, ou seja, descobrir a fase em que o problema ocorreu.
O sexto é o controle de dispositivos de medição e monitoramento. Os equipamentos de
inspeção e medição devem estar calibrados, para checagem correta dos produtos.
A medição, análise e melhoria inclui alguns requisitos. O primeiro chama-se
generalidades deve-se medir e analisar a conformidade dos produtos para planejar a
melhoria do sistema. O segundo é a medição e monitoramento, onde deve-se medir e
monitorar os processos e produtos, assim como a satisfação do cliente. Também realizar
auditorias internas, estas informações são fundamentais para medir e melhorar o sistema
de gestão da qualidade. O terceiro é controle de produto não-conforme, que é separar os
produtos que apresentam defeitos ou que estão fora das especificações, e decidir o que
fazer com eles. O quarto é a análise de dados, que é analisar dados para obter melhorias
e eliminar as causas de não-conformidade. O quinto é melhorias, onde duas ações são
importantes: a ação corretiva, que é a eliminação das causas da não-conformidade, para
que os erros não se repitam, e a ação preventiva, que é a prevenção contra possíveis não
conformidades, antes mesmo que elas acontençam.