You are on page 1of 9

40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional

Essas 40 dicas são ótimas e assino embaixo. A fonte dessas 40 maravilhosas


dicas é a Revista

“Aprenda Criar Sites” Ano III Nº12. Para quem já conhece, vale a pena ler de
novo, para os que não conhecem, leiam!

1. Menos é mais: essa máxima há muito tempo usada para a arte gráfica e o
design também é válida para a Web. Ao planejar seu site,pense de forma
simples. Páginas de Web rebuscadas e cheias de movimento já deram o que
tinham que dar, mostrar ícones se mexendo e animações complexas não vão
levar a nada, no máximo à perda de foco para o que realmente deve ser
destacado em seu site.

2. Informações a dois cliques: planeje seu site de tal forma que todae
qualquer informação deve ficar a dois ou no máximo três diques da Home
(página inicia!) de seu site. A idéia é facilitar ao máximo o acesso do
internauta às informações.

3. Cuidado com as animações: com o surgimento de programas gráficos de


animação como o Flash, o uso de animações se tornou indiscriminado. Os
criadores de páginas na Web seguiam a linha de quanto mais animações,
melhor. Hoje basta você pensar no que de fato é necessário para seu site.
Use, sim, o advento da animação, mas dose e pondere com a real
necessidade da utilização desse

artifício.

4. Cores similares sobrepostas: cuidado ao usar cores similares,


principalmente quando elas precisam ser sobrepostas, como um logo laranja
sobre um fundo amarelo, por exemplo. Por mais que em seu monitor esteja
tudo claro, lembre-se de que há inúmeras variações de brilho e contraste de
monitor para monitor e que aquilo que está claro para você pode surgir como
uma grande imagem chapada aquem e stiver acessando seu site.

5. Logomarca à esquerda: esse já é um padrão na Internet mundial e que


vale a pena ser levado em conta. Sempre que possível, use a logomarca da
empresa no canto esquerdo superior do site. Esse local facilita a visão da
logomarca, além de ser um dos principais pontos de atenção que as pessoas
têm ao acessar um site.

6. Dê uma prévia do assunto a ser tratado: quando se tem muito conteúdo no


site, é interessante fazer um pequeno resumo na Home do que será tratado
em determinada seção. Você pode fazer links em forma de manchetes, com
um título da seção e uma pequena parte do texto que será tratado nela, É
mais ou menos o que é feito hoje nos grandes portais da Internet.

7. Animações de abertura: animações na abertura do site foram tendência


durante um bom tempo, mas aqui também se encaixa a pergunta da real
necessidade desta animação. Ela agregará informações substanciais ao
conteúdo do site? Ou está lá só para “fazer uma gracinha”? Se a resposta for
a segunda opção, por que não tirar essa animação e proporcionar um acesso
mais rápido ao site? Mas não encare isso como uma regra, e sim como uma
dica prática.

8. Caso a animação inicial se faça necessária: só use uma animação de


abertura, ou algo assim, se for de suma importância e precise ser feito.
Nunca, mas nunca, deixe de incluir a opção de pular a abertura do site e ir
direto ao conteúdo.

9. Contatos sempre à vista: muita gente se esquece de uma das utilidades


mais básicas de um site: gerar contato do internauta com a empresa ou
pessoa dona do site. Mas como esse contato acontecerá sem que a pessoa
que visita o site tenha acesso fácil a informações como e-mail da empresa,
telefone e endereço? Por isso. não pense duas vezes e espalhe e deixe bem
visível essas informações por todo o site.

10. Formulário de contato: e se o contato é tão importante, incentive esse


processo incluindo um formulário de contato prático e simples ao site, isso
será sempre positivo.

11. Mapa do site: se há muito conteúdo no site e a quantidade de seções


acabou ficando maior do que deveria ser, não hesite em colocar um link para
um mapa/resumo do site. Coisa simples e direta, para o entendimento
imediato de como estão dispostas asinformações no site.

12. Menu de seções sempre à vista: outra maneira de facilitar a vida de quem
visita o site é deixar sempre à vista todos os links/botões de acesso às
seções. Muitas pessoas costumam cometer o erro de criar seções que
possuem somente um botão de voltar, então temos de retornar à Home para
só assim ter acesso aos links de acesso às seções. Por que não facilitar isso
deixando sempre à mão todos os links/botões do site?

13. Botão de página inicial sempre à vista: quando falamos em facilitar o


acesso às sécões, não esqueça que a Home também é uma delas, na
verdade a mais importante. Portanto, inclua sempre um botão de acesso à
página inicial por todo o site.

14. Logomarca como link para a página inicial: com o uso cada vez

mais cotidiano da Internet, certas funcionalidades acabam caindo no

conhecimento popular, se tornando quase que automáticas. Uma

delas é que a logomarca da empresa no site remeta à página inicial

quando clicada. Portanto faça isso também, é simples e torna a

navegação ainda mais prática.

15. Itens desnecessários: muitas vezes complicamos a

navegabilidade de um site com o argumento de que há muita

informação a ser incluída nas páginas. É verdade, isso acontece, mas

às vezes enxertamos o site com informações e funcionalidades

irrelevantes. É possível ver em muitos sites de empresas grande,

botões com opções para tornar aquele site a página Inicial do usuário

ou incluí-lo nos favoritos do navegador. Neste caso se encaixa

novamente a pergunta: isso é de fato necessário? O número de

pessoas que colocaram sua página como a inicial é relevante? Além


do mais, ocupam um espaço precioso que podia ser usado por

informações relevante ao conteúdo e ao objetivo real do site.

16. Datas no topo da página: outra coisa que se tornou comum, mas

totalmente dispensável: site que inclui no topo informações como

hora, dia da semana, mês e ano. A não ser que estejamos falando de

grandes portais que oferecem notícias, não há a mínima necessidade

de informar ao seu internauta que dia e horas são naquele momento.

17. Marcas d’água: esse é um costume importado do design gráfico

direto para Web, mas que merece cuidado. Em um trabalho

impresso, você tem a possibilidade de visualizar como uma marca

d’água saiu e se não

atrapalhou o entendimento das informações de fato importantes. Na

Web não há como saber como essa marca d’água ficará em

monitores com a calibragem diferente da sua. Então, pense duas

vezes antes de usar esse artifício.

18. Links relacionados: citar links relacionados ao site que está

fazendo também é algo que pode ser evitado, ocupa espaço e nem

sempre agrega informações relevantes. Caso esse links sejam

realmente necessários,

que tal incluí-los dentro do próprio texto?

19. Seja objetivo: por mais óbvio que isso possa parecer, é algo

extrema valia. Antes de criar seu site, ponha no papel o que de fato

você quer comunicar e transmitir. Entenda a visita ao seu site como

uma

oportunidade e não espere que o internauta vá visitar e ler todo seu

site, pois na grande maioria das vezes isso não acontecerá. Portanto
é preciso ser claro e objetivo, dê de imediato ao internauta as

informações principais sobre seu trabalho e do porquê da existência

desse site.

20. Na página inicial já diga a que veio: pegando carona na dica

anterior, entenda sua página inicial como o primeiro contato do

internauta ao seu conteúdo. Por isso, deixe bem claro o que você e

sua empresa fazem,

quais suas especialidades. Nunca conte com a boa vontade do

internauta, achando que ele irá sempre buscar informações em

lugares específicos.

21. Internauta não tem de descobrir como navegar: muito sites

inovam na maneira de navegar dentro das páginas que oferecem,

transformam seus botões e acesso em imagens que se movem ou

usando botões que são parte de um grande cenário. Isso pode

significar nota 10 em inovação, mas 0 em funcionalidade. Cuidado

ao fazer isso, há casos de sites que priorizam o design em detrimento

da funcionalidade, quando na verdade o design tem de ser uma

ferramenta para se chegar a um site funcionai e eficiente.

22. Qual seu tipo de público?: é claro que há casos distintos de como

criar um site. A primeira pergunta a ser feita é: quem vai acessar

esse site? Tomando como base essa resposta, você pode, sim,

arriscar-se numa

página inicial mais inovadora e fora dos padrões, mas se o site não

for voltado para um público bem específico, a melhor saída é sempre

priorizar a funcionalidade e a objetividade. E em tempos de uma

rede cada vez mais sortida, fica mais difícil definir quem de fato vai
acessar seu site. Portanto, fique atento àquilo que pode representar

uma dificuldade desnecessária ao internauta.

23. Menus que se desdobram: cuidado com menus que se desdobram

demais. Há casos que se torna quase um desafio conseguir clicar em

uma subseção desses menus. Caso esse desdobrar seja de fato

necessário, tente fazer com que todas as subseções venham logo em

seguida aos botões iniciais.

24. Botões do lado esquerdo: assim como a logomarca da empresa já

se tornou padrão ficar à esquerda do site, os botões de acesso às

seções também. Não é uma regra, longe disso, mas, se possível,

aproveite-se

dessa ideia para criar seu site. Botões do lado esquerdo do site já

estão hoje no consciente coletivo dos internautas.

25. Trabalhe o texto: lembre-se sempre de que o texto é parte, sim.

do layout do site. Muita gente costuma apenas “desovar” as

informações ao longo da página, deixando tudo muito carregado e

cansativo. Use o texto do site ao seu favor. Dívida por assuntos, crie

boxes de cores diferentes para destacar determinada informação,

faça colunas. Isso ajudará demais na montagem de um layout

agradável.

26. Use um espaço determinado para animações e afins: em l vez de

usar o site para inserir diferentes imagens ou animações, crie um

espaço fixo em seu site para incluir isso. Você pode fazer uma barra

superior, por

exemplo, com algo se movendo, trocando imagens discretamente.

Aproveite e mantenha esse contexto em todo o site. Isso ajuda a dar


um padrão à sua página, evitando a bagunça de diferentes

informações portados os lados.

27. Foco em solução: vale sempre lembrar que o site existe para

cumprir uma função, seja de divulgar uma empresa, vender um

produto ou simplesmente tornar público um currículo ou

características profissionais

de alguém. Mas o que é importante destacar aqui é que todo site tem

uma função principal. Então é sempre indispensável focar nesse

objetivo e na solução que a criação deste site se propôs. Planeje o

site voltado para isso, baseado na solução que tem de ser dada.

28. Destaque, se for preciso: às vezes, uma seção do site precisa de

mais atenção que as outras, então, fique à vontade para fazer o botão

específico desta seção de uma cor ou tonalidade diferente. Não é a

saída

mais indicada para compor a beleza do site, mas resolve bem a

questão da necessidade de destaque.

29. Muitos destaques não destacam nada: mas vá devagar com os

destaques. Muitos sites tentam destacar tudo de uma só vez. Aqui a

questão é simples, quando tudo está destacado, nada se destaca.

Então

pegue leve com negritos e cores berrantes em excesso.

30. Site Map: antes de partir. Para a construção de site, é

fundamental a criação de um site map, que nada mais é do que um

pequeno guia/esquema de seu site das seções e suas ramificações. É

algo bastante simples de fazer, mas que fará uma diferença enorme

na hora de criar o site. Se você tiver uma visão completa do que irá
fazer, fica tudo mais claro para criar um site funcional.

31. Quem é você? O que essa empresa faz? Às vezes nos

esquecemos de algo básico: falar quem somos ou o que a empresa

dona do site faz. Não se pode acreditar que todo mundo que vá

acessar seu site, saiba onde está entrando. Por isso, faça um pequeno

resumo logo na entrada do site, algo simples, com informações

rápidas e diretas.

32. Cuidado com as fontes: fique atento ao uso de mais de duas

fontes diferentes em seu site ou até da mesma fonte sem tamanhos

diferentes. Isso gera uma tremenda confusão na organização e no

layout.

33. Crie um padrão e siga com ele: ao montar seu site, cuidado para

não dar uma cara diferente a cada seção. Você pode até mudar cores,

variando essas seções, mas crie um padrão para o site e o siga

durante todas as páginas. É horrível parecer estar em um site

diferente cada vez que se entra em determinada seção.

34. Se precisar explicar, é porque não está funcional: aqui a dica é

simples, se for preciso colocar alguma explicação em qualquer parte

do site de como o internauta deve agir, é porque a funcionalidade do

site falhou.

Evite ao máximo usar deste artifício.

35. Crie um caminho: organize os assuntos e links a serem tratados

no site,de forma a dar importância primeiramente ao que mais

importa. Mostre antes de tudo o que você

mais quer destacar no site. Isso não precisa ser explícito, mas

arquitetando seu site de correta, você poderá internauta pelos temas


mais importantede seu site.

36. Menu e o resumo em uma só palavra: crie um menu para

navegação em seu site e aceite o desafio de resumir cada l seção

com uma só palavra. Se conseguir fazer isso, você

terá praticamente tudo o que pode ser encontrado no site de forma

direta e objetiva.

37. Navegabilidade em mutação: não transforme seu esquema de

navegabilidade em algo eterno. Por melhor seja que seu esforço para

deixar tudo prático e fácil, dúvidas de internautas sempre

aparecerão. Se

isso acontecer ótimo, use-as para aprimorar o esquema usado por

você para a navegação do site.

38. Ilustre: o bom uso das imagens pode ajudar a mostrar o que cada

seção do site traz. Quando possível, ilustre os links com imagens

relacionadas ao tema.

39. Separe os assuntos por temas: se a quantidade de conteúdo a ser

disposta for muito grande, facilite o entendimento de suas

informações agrupando os tópicos em temas. Isso facilita demais na

hora de buscar

determinado assunto dentro do site.

40. Siga o exemplo: há ótimos sites com bons exemplos de como

resolver de forma inteligente a disposição de conteúdo aliado a uma

navegabilidade inteligente, confira alguns exemplos:

http://www.sp.senac.br/jsp/default.jsp?newsID=0 e

http://g1.globo.com/