You are on page 1of 4

Parceiros amigos da natureza

1 Meio Ambiente – Conhecer para preservar

, Ê
CA! AIO VOC S
R M A O
O PE DE PAR ÍCUL
C
NÃ IÇÃO STA FAS

A Terra está
ED PA US
NA ELA SE
M A B DAR
U UAR
G

mesmo doente?
Destaque e guarde

Ilustrações: Michele Iacocca

Áreas férteis transformadas em desertos, florestas devastadas,


plantas e bichos ameaçados de extinção, rios, lagos e mares
poluídos, substâncias tóxicas no ar que respiramos...
Notícias como essas estão nas manchetes bre o Meio Ambiente – vamos fazer um
dos jornais todos os dias. E confirmam: diagnóstico da saúde do planeta. Falar
sim, a Terra está doente. O pior é que es- dos males que afetam a vida na Terra,
sa “doença” já se espalhou pela água, o mostrar a situação dos rios, dos mares,
solo e a atmosfera e está comprometen- dos ares e dos seres vivos que dividem
do a sobrevivência de muitos seres vivos. conosco este espaço e, como nós, lutam
Neste encarte – que abre a nossa série so- para sobreviver às agressões do homem.

ABRIL, 2003 . MEIO AMBIENTE 1A


1. Meio Ambiente – Conhecer para preservar

Nos encartes seguintes – serão oito ao 2,5 bilhões de pessoas na Terra. No


todo – vamos contar como tudo isso ano 2000 já éramos 6 bilhões – a meta-
começou, numa viagem através do de da população que, segundo os espe-
tempo, acompanhando os passos do cialistas, o planeta pode abrigar nas
homem e do progresso. Vamos buscar atuais condições. E se hoje, segundo a
respostas para todas essas questões e ONU, cerca de 1,3 bilhão de pessoas já
estudar os diferentes aspectos envolvi- não têm acesso à água potável, o qua-
dos nos problemas ambientais. Por dro só tende a se agravar.
fim, vamos dizer como tentar trazer de Mas há outros fatores interferindo
volta a saúde do planeta. E como você na escassez da água. O desfloresta-
e seus alunos podem participar desse mento desenfreado, por exemplo,
“tratamento intensivo” que a Terra es- compromete áreas de nascentes e ma-
tá precisando. Acompanhe-nos! tas ciliares (à beira dos cursos de
água); a ocupação irregular destrói as
regiões de mananciais e o avanço agrí-
cola causa, muitas vezes, assoreamen-
to nos leitos dos rios.

A atmosfera envenenada
Nosso planeta tem uma atmosfera sin-
gular. A presença de dióxido de carbo-
no (gás carbônico, CO2), vapor d’água
e outros gases em sua composição con-
tribui para que ela funcione como uma
capa protetora, impedindo que uma
parte do calor absorvido da irradiação
solar escape para o espaço exterior.
Desse modo, é mantida uma situação
de equilíbrio térmico, tanto durante o
Pouca água, dia como à noite. Essa particularidade
muita gente benéfica da camada de ar recebe o no-
Em 1950 viviam O alerta é mundial: a Terra só dispõe me de efeito estufa. Sem esse cobertor
2,5 bilhões de de água por mais 20 anos, já que me- atmosférico, o Sol não conseguiria
pessoas na Terra. nos de 1% do líquido existente na su- aquecer a Terra o suficiente para que
Hoje somos perfície terrestre é potável – 97% cor- ela fosse habitável, pois a temperatura
mais de 6 bilhões respondem a água salgada dos oceanos média do planeta estaria em torno de
e cerca de e 2% a água doce não disponível por 17 ºC negativos e sua superfície per-
1,3 bilhão de estar solidificada em geleiras e icebergs. maneceria coberta de gelo.
pessoas já não Apesar de anunciada, essa crise é agra- Acontece que o delicado termostato
têm acesso à vada por diferentes fatores. O primeiro do efeito estufa vem sendo perturbado
água potável. (e mais importante) é o crescimento de- pelo desflorestamento e pela queima
mográfico acelerado. Em 1950 viviam descontrolada de combustíveis fósseis

2A MEIO AMBIENTE . ABRIL, 2003


Parceiros amigos da natureza

como o petróleo e o carvão. Com isso, (CFC), um gás emitido pelos refrigera-
aumenta o volume de gás carbônico na dores e outros produtos industrializa-
atmosfera e o planeta fica mais quente. dos. Surgiu desse modo, na camada de
As conseqüências, segundo muitos ozônio, um gigantesco buraco que em
pesquisadores, são invernos cada vez certas ocasiões chega a atingir 31 mi-
mais rigorosos, chuvas torrenciais e lhões de quilômetros quadrados.
outras perturbações meteorológicas.
Outros cientistas atribuem ao aqueci- A biodiversidade ameaçada
mento a menor espessura da camada A exploração de madeira, o avanço
de gelo polar no verão. O resultado se- das fronteiras agrícolas, a caça e a ex-
ria o aquecimento dos oceanos, com tração ilegais e a devastação das flores-
enorme impacto na cadeia da vida ma- tas têm exercido efeito aterrador sobre
rinha e outros desdobramentos. as espécies de fauna e flora. Por conta
Outra área crítica na atmosfera é a dessa destruição, a biodiversidade do
camada de ozônio, que protege contra planeta vai sendo dizimada. No Brasil,
o câncer de pele e outros efeitos nega- campeão mundial em número de espé-
tivos da radiação ultravioleta emitida cies, dois ecossistemas encontram-se
pelos raios solares. As moléculas desse em situação crítica: a mata Atlântica e
escudo atmosférico passaram a ser o Cerrado, que figuram na lista dos 25
destruídas pelo clorofluorcarbono ambientes mais ameaçados do mundo.

Nossas florestas
são as mais
ricas do
mundo em
biodiversidade
(variedade
de espécies
animais e
vegetais
existentes
numa região).
Na foto, rio
e mata da
Amazônia.
Carlos A. Goldgrub

ABRIL, 2003 . MEIO AMBIENTE 3A


Parceiros amigos da natureza

1. Meio Ambiente – Conhecer para preservar

Salvar a Terra: essa luta é de todos nós


A situação é crítica o suficiente para ti- São direitos ainda difusos, mas cada
rar o assunto “meio ambiente” do cír- vez mais evidentes. E para se dispor de-
culo dos ecologistas e levá-lo para os les é preciso, acima de tudo, conhecê-
bancos das escolas. Hoje, no mundo to- los. Acompanhe conosco, nas próxi-
do, cresce a convicção de que a nature- mas edições da revista ESCOLA, a epo-
za e suas riquezas são um patrimônio péia do domínio humano sobre a Ter-
de toda a humanidade. Todos têm direi- ra! E entre com seus alunos na luta pa-
to a ar puro, água, qualidade de vida... ra defender nosso planeta.

NA SALA DE AULA

Fig. 1 Fig. 2
Crie situações em que seus alunos
percebam a ação do homem na natureza
1. Mostre aos coloque uma metade na caixa, for-
alunos como o mando uma canaleta (fig. 2).
desaparecimento Encha de terra os dois lados da caixa,
das matas ciliares separados pela canaleta, e semeie al-
Fig. 3 Fig. 4 contribui para o piste num deles. Regue os dois lados
assoreamento do por oito dias (fig. 3).
leito dos rios. Pa- O alpiste germina e surge uma vege-
ra isso você vai tação ciliar, cujas raízes não deixam a
Ilustração: Jardim

precisar de uma terra deslizar. Já no lado da caixa sem


caixa de madeira, vegetação, a terra escorre para dentro
um forro de plás- da canaleta (fig. 4). É assim que acon-
tico, uma garrafa plástica, uma tesou- tece o assoreamento do leito dos rios.
ra, um pouco de terra, um saco de se- (Extraído de Ofício do Professor 6 –
mentes de alpiste e um regador (fig. 1). Meio Ambiente e Qualidade de Vida,
Forre a caixa. Corte a garrafa ao meio e Fundação Victor Civita, 2002).

2. Como era, 50 anos atrás, a região em giu nos locais que foram desmatados
que seus alunos vivem? Para responder – construções, estradas, empresas,
a essa questão, eles poderão entrevistar ruas, moradias?
os membros mais antigos da comunida- Há algum rio ou lago na região que
de (os próprios avós, por exemplo). Os antigamente era piscoso e hoje se en-
trabalhos deverão ser apresentados e contra poluído?
discutidos em sala de aula. Há vários Como os mais velhos analisam a
exemplos de questões a serem levanta- devastação da natureza? Eles falam
das nessa atividade, tais como: que a qualidade de vida, de lá para
Havia mais áreas verdes? O que sur- cá, piorou, por exemplo?

Este exemplar é parte integrante da revista ESCOLA, edição 161. Não pode ser vendido separadamente. Proibida a reprodução total ou parcial desta obra.

4A MEIO AMBIENTE . ABRIL, 2003