You are on page 1of 313
Arquitectura Sistemas Empresariais (ASE)
Arquitectura Sistemas Empresariais
(ASE)

Prof. Acácio Carmona

Arquitectura Sistemas Empresariais (ASE) Prof. Acácio Carmona acacio.carmona@vodafone.com
Arquitectura Sistemas Empresariais 1ª Sessão: Apresentação  Objectivos  Competências  Organização e
Arquitectura Sistemas Empresariais 1ª Sessão: Apresentação  Objectivos  Competências  Organização e
Arquitectura Sistemas Empresariais 1ª Sessão: Apresentação  Objectivos  Competências  Organização e
Arquitectura Sistemas Empresariais 1ª Sessão: Apresentação  Objectivos  Competências  Organização e

Arquitectura Sistemas Empresariais

1ª Sessão: Apresentação
1ª Sessão: Apresentação

Objectivos

Competências

Organização e metodologia de trabalho

Métodos de avaliação.

Bibliografia, comunicação e apoio aos alunos.

Programa

Arquitecturas de Sistemas Empresariais - Introdução

Objectivos  Obter o conhecimento necessário à elaboração de Arquitectura de Sistemas de Informação Empresariais.
Objectivos  Obter o conhecimento necessário à elaboração de Arquitectura de Sistemas de Informação Empresariais.
Objectivos  Obter o conhecimento necessário à elaboração de Arquitectura de Sistemas de Informação Empresariais.
Objectivos  Obter o conhecimento necessário à elaboração de Arquitectura de Sistemas de Informação Empresariais.

Objectivos

Obter o conhecimento necessário à elaboração de Arquitectura de Sistemas de Informação Empresariais.

Obtenção da compreensão e domínio das tecnologias, das componentes aplicativos, das metodologias de desenvolvimento e conhecimento necessário à elaboração de arquitecturas de sistemas de informação.

Caracterizar os aspectos essenciais das Arquitecturas de Sistemas Empresariais e sua interligação com a Gestão Estratégica das Empresas.

Compreender, desenhar e avaliar arquitecturas de sistemas de software, tendo em vista a sua aplicação aos vários níveis e domínios, tanto a nível macro como a nível micro.

Abordar os princípios e técnicas para análise, gestão e planeamento de Portfólios Aplicacionais de Empresas.

Competências  Após a aprovação em ASE - Arquitectura de Sistemas de Informação Empresariais os
Competências  Após a aprovação em ASE - Arquitectura de Sistemas de Informação Empresariais os
Competências  Após a aprovação em ASE - Arquitectura de Sistemas de Informação Empresariais os
Competências  Após a aprovação em ASE - Arquitectura de Sistemas de Informação Empresariais os

Competências

Após a aprovação em ASE - Arquitectura de Sistemas de Informação Empresariais os alunos deverão ter as seguintes competências:

Compreender, desenhar e avaliar arquitecturas de sistemas de software, tanto ao nível macro como micro;

Familiarização com os conceitos fundamentais de arquitectura de software e sua interligação com a Gestão Estratégica das Empresas.

Domínio dos princípios e técnicas para análise, gestão e planeamento de Portfólios Aplicacionais de Empresas.

Compreender a importância da arquitectura empresarial na standardização de tarefas, funções, sistemas, infraestruturas e dados nos principais processos de negócio.

Organização da disciplina  Aulas Teóricas De acordo com o Horário do Curso. ◦ 
Organização da disciplina  Aulas Teóricas De acordo com o Horário do Curso. ◦ 
Organização da disciplina  Aulas Teóricas
Organização da disciplina
 Aulas Teóricas
Organização da disciplina  Aulas Teóricas De acordo com o Horário do Curso. ◦  Trabalhos

De acordo com o Horário do Curso.

 Trabalhos
 Trabalhos

Relatório(s) de análise de caso(s) de estudo.

1 Trabalho de Grupo e uma apresentação em aula.

 Dúvidas e outros esclarecimentos
 Dúvidas e outros esclarecimentos

Através de e-mail.

Após as aulas : A combinar

 Repositório da Informação
 Repositório da Informação

◦ Através de e-mail. ◦ Após as aulas : A combinar  Repositório da Informação ◦
Avaliação  A avaliação é composta por : ◦ Frequência (50% da nota final) ◦
Avaliação  A avaliação é composta por : ◦ Frequência (50% da nota final) ◦
Avaliação  A avaliação é composta por : ◦ Frequência (50% da nota final) ◦
Avaliação  A avaliação é composta por : ◦ Frequência (50% da nota final) ◦

Avaliação

 A avaliação é composta por : ◦ Frequência (50% da nota final) ◦ Trabalhos
 A avaliação é composta por :
◦ Frequência (50% da nota final)
◦ Trabalhos Práticos (40 % da nota final)

Relatório de análise de Caso de estudo individual. (15 %)

Trabalho de Grupo (45 %)

Apresentação em aula (40 %).

◦ Participação na Disciplina (10% da nota final) ◦ Trabalhos entregues fora do prazo não
◦ Participação na Disciplina (10% da nota final)
◦ Trabalhos entregues fora do prazo não serão
considerados
◦ ◦ Média Final igual ou superior a 10 valores e  Nota igual ou
Média Final igual ou superior a 10 valores e
 Nota igual ou superior a 8 valores na Frequência
 Nota igual ou superior a 8 valores na Parte Prática (média
dos trabalhos).

Aluno obtém aprovação na disciplina desde que tenha:

Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;
Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;
Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;
Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;

Bibliografia (Principal)

McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas; Jo, Elias K.; A Practical Guide to Enterprise Architecture, Pearson – Prentice Hall, 2007

Laudon, Keneth C.; “Management Information Systems:

Managing the Digital Firm, 11 ed. Global Edition, Pearson – Prentice Hall, 2009

Steven H. Spewak, “Enterprise Architecture Planning:

Developing a Blueprint for Data, Applications and Technology”, John Willey & Sons, 1992.

Jeanne W. Ross, Peter Weill, David C. Robertson; Enterprise Architecture As Strategy; Harvard Business School Press; 2006

Acetatos, Casos e artigos diversos a distribuir ao longo de semestre, acessíveis em: http://moodle.ulusofona.pt

Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;
Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;
Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;
Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;

Bibliografia (Principal)

McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas; Jo, Elias K.; A Practical Guide to Enterprise Architecture, Pearson – Prentice Hall, 2007

Laudon, Keneth C.; “Management Information Systems:

Managing the Digital Firm, 11 ed. Global Edition, Pearson – Prentice Hall, 2009

Steven H. Spewak, “Enterprise Architecture Planning:

Developing a Blueprint for Data, Applications and Technology”, John Willey & Sons, 1992.

Jeanne W. Ross, Peter Weill, David C. Robertson; Enterprise Architecture As Strategy; Harvard Business School Press; 2006

Acetatos, Casos e artigos diversos a distribuir ao longo de semestre, acessíveis em: http://moodle.ulusofona.pt

Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;
Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;
Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;
Bibliografia (Principal)  McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas;

Bibliografia (Principal)

McGovern, James: Ambler, Scott W.; Stevens, Michael E.; Linn, James; Sharan, Vikas; Jo, Elias K.; A Practical Guide to Enterprise Architecture, Pearson – Prentice Hall, 2007 (Prefácio;

Capítulos 1 ;

2; 5 e 6.)

Laudon, Keneth C.; “Management Information Systems:

Managing the Digital Firm, 11 ed. Global Edition, Pearson – Prentice Hall, 2009 (Capítulos 1; 2, 3 e 9)

Steven H. Spewak, “Enterprise Architecture Planning:

Developing a Blueprint for Data, Applications and Technology”, John Willey & Sons, 1992 (Capítulos 1; 2; 3; 6; 8; 9

e 10).

Jeanne W. Ross, Peter Weill, David C. Robertson; Enterprise Architecture As Strategy; Harvard Business School Press;

Bibliografia (Secundária)  Martin Van Den Berg, Marlies Van Steenbergen; Building an Enterprise Architecture
Bibliografia (Secundária)  Martin Van Den Berg, Marlies Van Steenbergen; Building an Enterprise Architecture
Bibliografia (Secundária)  Martin Van Den Berg, Marlies Van Steenbergen; Building an Enterprise Architecture
Bibliografia (Secundária)  Martin Van Den Berg, Marlies Van Steenbergen; Building an Enterprise Architecture

Bibliografia (Secundária)

Martin Van Den Berg, Marlies Van Steenbergen; Building an Enterprise Architecture Practice; Springer, Sogeti; July 2006, Netherlands

Shaw, Mary; Garlan, David, “Software Architecture:

Perspectives on an Emerging Discipline”, Prentice Hall,

1996.

Bernard H. Boar, “Constructing Blueprints Enterprise IT Architectures”, John Willey & Sons, 1998.

Bass, Len; Clements, Paul; Kazman, Rick, “Software Architecture in Practice” Addison-Wesley, 2003.

Gamma, Erich; Helm, Richard; Johnson, Ralph; Vlissides, John, “Design Patterns –Elements of Reusable Object- Oriented Software”, 1995.

Data Warehouse - From Architecture to Implementation, Barry Devlin, Addison-Wesley 1997.

Programa 1. Introdução à temática das Arquitecturas de Sistemas de Informação Empresariais 2. Fundamentos
Programa 1. Introdução à temática das Arquitecturas de Sistemas de Informação Empresariais 2. Fundamentos
Programa 1. Introdução à temática das Arquitecturas de Sistemas de Informação Empresariais 2. Fundamentos
Programa 1. Introdução à temática das Arquitecturas de Sistemas de Informação Empresariais 2. Fundamentos

Programa

1.

Introdução à temática das Arquitecturas de Sistemas de Informação Empresariais

2.

Fundamentos da Arquitectura de Empresa

3.

Enquadramento dos sistemas de informação no Negócio Global actual. Sistemas de Informação, Estratégia e Organização.

4.

Tipos de Arquitecturas

5.

Framework de Zachman

6.

Gestão Estratégica. Análise SWOT. Modelos BCG e de Porter

7.

Análise, Gestão e Planeamento de Portfólio Aplicacional

8.

Apresentações e Discussão de Casos de Estudo.

Questionário  Arquitectura da Empresa é desenvolver aplicações utilizando J2EE, .Net, ou tecnologias semelhantes ?
Questionário  Arquitectura da Empresa é desenvolver aplicações utilizando J2EE, .Net, ou tecnologias semelhantes ?
Questionário  Arquitectura da Empresa é desenvolver aplicações utilizando J2EE, .Net, ou tecnologias semelhantes ?
Questionário  Arquitectura da Empresa é desenvolver aplicações utilizando J2EE, .Net, ou tecnologias semelhantes ?

Questionário

Arquitectura da Empresa é desenvolver aplicações utilizando J2EE, .Net, ou tecnologias semelhantes ? Falso

Arquitectura da Empresa é organizar os dados da empresa para facilitar a integração ? Falso

Arquitectura da Empresa é uma forma de desenhar sistemas de TI ?

Falso

Mitos & Realidade  Mito: ◦ É uma forma de desenhar sistemas de TI ◦
Mitos & Realidade  Mito: ◦ É uma forma de desenhar sistemas de TI ◦
Mitos & Realidade
Mitos & Realidade
Mitos & Realidade  Mito: ◦ É uma forma de desenhar sistemas de TI ◦ É

Mito:

É uma forma de desenhar sistemas de TI

É uma forma de organizar Dados

É uma metodologia de desenvolvimento de aplicações Java (J2EE! & Java certified enterprise architect)

Realidade:

É a arquitectura da “Empresa”

Envolve documentação global e a gestão de todos os aspectos da empresa

É uma questão de negócio, não apenas uma questão de TI

Não tem nada a ver com Java!

os aspectos da empresa ◦ É uma questão de negócio, não apenas uma questão de TI
O Que é “Arquitectura Empresarial…”? Arquitectura + Negócio
O Que é “Arquitectura Empresarial…”? Arquitectura + Negócio

O Que é “Arquitectura Empresarial…”?

Arquitectura + Negócio
Arquitectura
+
Negócio
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona

ArArqquitecturauitectura SistemasSistemas EmEmppresariaisresariais (ASE)(ASE)

Prof. Acácio Carmona

acacio.carmona@vodafone.com

ProgramaPrograma 1. Introdu ç ão à temática das Ar q uitecturas de Sistemas de Informação

ProgramaPrograma

1.

Introdução à temática das Arquitecturas de Sistemas de Informação Empresariais

2.

Fundamentos da Arquitectura de Empresa

3.

Enquadramento dos sistemas de informação no Negócio Global actual. Sistemas de Informação, Estratégia e Organização.

4.

Tipos de Arquitecturas

5.

Framework de Zachman

6.

Gestão Estratégica. Análise SWOT. Modelos BCG e de Porter

7.

Análise, Gestão e Planeamento de Portfólio Aplicacional

8.

Apresentações e Discussão de Casos de Estudo.

ArquitecturaArquitectura SistemasSistemas EmpresariaisEmpresariais 22ªª Sessão:Sessão: FundamentosFundamentos 

ArquitecturaArquitectura SistemasSistemas EmpresariaisEmpresariais 22ªª Sessão:Sessão: FundamentosFundamentos

Arquitectura da Empresa

Compreender a Arquitectura

O que é um Arquitecto Empresarial?

Diferentes tipos de arquitectos de TI

ComoComo éé queque umum edifícioedifício construído?construído?  Cliente / utilizador final tem uma necessidade

ComoComo éé queque umum edifícioedifício construído?construído?

Cliente / utilizador final tem uma necessidade

Cliente discute com o Arquitecto as suas necessidades e gostos pessoais

O arquitecto “desenha” o edifício, tendo em conta:

Requisitos explícitos do cliente

Requisitos explícitos dos reguladores (regras municipais etc.)

Requisitos impcitos da localização do lote, ambiente, etc.

Requisitos implícitos que o edifício tem de ter bom aspecto e que possa ser realizável na prática.

O engenheiro de estruturas desenha a estrutura da casa

Cumpre com o desenho do arquitecto

Pode ser construído com as tecnologias existentes

Será suficientemente robusto para o uso pretendido

O designer de interiores modela o ambiente

Superfície exterior

Cores interiores

Móveis, candeeiros etc.

AA SalientarSalientar  Todas as questões anteriores são igualmente importantes  Múltiplos pape i s

AA SalientarSalientar

Todas as questões anteriores são igualmente importantes

Múltiplos papeis podem ser desempenhados pela mesma pessoa

As competências necessárias para cada papel são distintas

Um edifício irá falhar se lhe faltar qualquer um dos aspectos mencionados

para cada papel são distintas  Um edifício irá falhar se lhe faltar qualquer um dos
AA TorreTorre dede PisaPisa

AA TorreTorre dede PisaPisa

AA TorreTorre dede PisaPisa
AA TorreTorre dede PisaPisa
WinchesterWinchester HouseHouse  Desenho estrutural robusto  Lindamente decorada  A us ê nc i

WinchesterWinchester HouseHouse

Desenho estrutural robusto

Lindamente decorada

Ausência de desenho funcional

Resultado

Status de lenda como monumento da

o-

funcionalidade

A us ê nc i a d e d esen h o f unc i ona
MuseuMuseu dodo LouvreLouvre  Desenho altamente funcional  Estruturalmente robusta  Bela Resultado 

MuseuMuseu dodo LouvreLouvre

Desenho altamente funcional

Estruturalmente robusta

Bela

Resultado

Considerada uma “obra de arte”

Desenho altamente funcional  Estruturalmente robusta  Bela Resultado  Considerada uma “obra de arte”
CicloCiclo dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SistemasSistemas TITI  Cliente identifica a necessidade 

CicloCiclo dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SistemasSistemas TITI

Cliente identifica a necessidade

Arquitecto cria o desenho funcional

Engenheiro cria a estrutura do sistema

Engenheiro de software desenha a aplicação

Engenheiro de redes desenha a infra-estrutura

Designer de User Interface concebe as queses estéticas

Programadores constroem o sistema

- estrutura  Designer de User Interface concebe as ques tõ es es téti cas 
PapelPapel dede umum ArquitectoArquitecto  A ssegura que o s ist ema cumpre as necessidades

PapelPapel dede umum ArquitectoArquitecto

Assegura que o sistema cumpre as necessidades funcionais

Assegura que o sistema cumpre as necessidades não funcionais implícitas

Assegura que o sistema cumpre com os standards

Standards Legais / Regulatórios

Standards de Indústria

Standards da empresa

Assegurar que o sistema é “realizável”

TiposTipos dede ArquitectosArquitectos  Business Architect  Application / Solutions Architect  I n f

TiposTipos dede ArquitectosArquitectos

TiposTipos dede ArquitectosArquitectos  Business Architect  Application / Solutions Architect  I n f ormat

Business Architect Application / Solutions Architect

Information / Data Architect

Infrastructure Architect

Enterprise Architect

BusinessBusiness ArchitectArchitect  A ssegura que os processos de negócio e as estraté g ias

BusinessBusiness ArchitectArchitect

Assegura que os processos de negócio e as estratégias podem apoiar as business functions

Preocupação primária são os business processes & organizações

Este papel pode ter apenas um interesse periférico nas TI

Um business architect pode focalizar-se apenas num processo de cada vez.

ApplicationApplication // SolutionsSolutions ArchitectArchitect  R espons ável pe l a compreensão das business

ApplicationApplication // SolutionsSolutions ArchitectArchitect

Responsável pela compreensão das business functions e pela sua tradução em sistemas possíveis de implementar.

Preocupado essencialmente com cada um dos sistemas e com o seu interface com os outros sistemas

o se preocupa realmente com a visão global de toda a Empresa.

DataData // InformationInformation ArchitectArchitect  R espons ável por garan ti r que os dados

DataData // InformationInformation ArchitectArchitect

Responsável por garantir que os dados são organizados de forma adequada e que suportam as diversas soluções.

A sua área de responsabilidade pode estender-se ao longo de diversos sistemas de forma a garantir que estes podem trabalhar em conjunto.

InfrastructureInfrastructure ArchitectArchitect  P reocupa d o com a inf ra- estrutura física de IT

InfrastructureInfrastructure ArchitectArchitect

Preocupado com a infra- estrutura física de IT da Empresa

Papel relacionado com aspectos como a capacidade dos recursos, a capacidade da rede, server clustering, administração e segurança

O foco pode ser departamental ou alargado a toda a empresa

EnterpriseEnterprise ArchitectArchitect  Papel associado à big pict ure ; Responsável pelo framework g lobal

EnterpriseEnterprise ArchitectArchitect

Papel associado à big picture; Responsável pelo framework global

Garante que o trabalho de todos os arquitectos constitui um todo coerente e que estes trabalham de forma sincronizada

Garante que os resultados estão alinhados com a orientação do negócio

Estabelece direcção estratégica, gere riscos, define normas e manm a comunicação através de toda a organização.

OO queque fazfaz umum EnterpriseEnterprise Architect?Architect?  Cria portfolio: estado corrente & futuro de: ◦

OO queque fazfaz umum EnterpriseEnterprise Architect?Architect?

Cria portfolio: estado corrente & futuro de:

Objectivos & Estratégias

Localizações

Organizações

Funções & Processos

Recursos Físicos & Conhecimento

Cria normas & processos para:

Documentar o portfolio

Manter o portfolio actualizado

Realiza uma análise de gaps e uma avaliação da solução

Criar soluções

FunçõesFunções dodo EnterpriseEnterprise ArchitectArchitect
FunçõesFunções dodo EnterpriseEnterprise ArchitectArchitect
QualificaçõesQualificações dede EnterpriseEnterprise ArchitectArchitect  Comunicação  Domínio do

QualificaçõesQualificações dede EnterpriseEnterprise ArchitectArchitect

Comunicação

Domínio do Conhecimento

Learn

Listen

Understand

Critique

Translate

Champion

Envision

Educate

Mediate

Police/ Enforce

Document

Present

Understand

Spot trends

Translate

Model

Process Knowledge

Analysis

Conhecimento da Tecnologia

Technology Environment

Spot trends

Methodologies

Tools

Design solutions

 Será uma surpresa que Bill Gates se a p resente como “Arquitecto”da Microsoft ?

Será uma surpresa que Bill Gates se apresente como “Arquitecto”da Microsoft ?

 Será uma surpresa que Bill Gates se a p resente como “Arquitecto”da Microsoft ?
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona

ArArqquitecturauitectura SistemasSistemas EmEmppresariaisresariais (ASE)(ASE)

Prof. Acácio Carmona

acacio.carmona@vodafone.com

ProgramaPrograma 1. Introdu ç ão à temática das Ar q uitecturas de Sistemas de Informação

ProgramaPrograma

1.

Introdução à temática das Arquitecturas de Sistemas de Informação Empresariais

2.

Fundamentos da Arquitectura de Empresa

3.

Enquadramento dos sistemas de informação no Negócio Global actual. Sistemas de Informação, Estratégia e Organização.

4.

Tipos de Arquitecturas

5.

Framework de Zachman

6.

Gestão Estratégica. Análise SWOT. Modelos BCG e de Porter

7.

Análise, Gestão e Planeamento de Portfólio Aplicacional

8.

Apresentações e Discussão de Casos de Estudo.

ArquitecturaArquitectura SistemasSistemas Empresariais Empresariais 33ªª SessãoSessão :: FundamentosFundamentos 

ArquitecturaArquitectura SistemasSistemas EmpresariaisEmpresariais 33ªª SessãoSessão:: FundamentosFundamentos

Definição de Arquitectura Empresarial

Modelo de Arquitectura Empresarial

Necessidade e aplicação

NumaNuma suasua empresaempresa ……  Os empregados trabalham cada vez mais árduamente, mas sem resultados.

NumaNuma suasua empresaempresa ……

Os empregados trabalham cada vez mais árduamente, mas sem resultados.

Tem os melhores colaboradores, investe de forma cuidadosa e tem a estratégia correcta.

Observa atentamente o mercado, ouve os seus clientes, reage às iniciativas da sua concorrência, faz tudo de acordo com as boas práticas mas não consegue a liderança.

EnquantoEnquanto outrasoutras empresasempresas ……  Crescem e obtêm lucros …  … o que fazem

EnquantoEnquanto outrasoutras empresasempresas ……

Crescem e obtêm lucros …

… o que fazem de forma diferente?

Têm melhores infra-estruturas, têm tecnologia sincronizada com os seus processos e assim executamde forma eficiente e fiável as suas operaçoes nucleares.

AlertasAlertas ……  Diferentes áreas da empresa dão respostas diferentes para a mesma pergunta de

AlertasAlertas ……

Diferentes áreas da empresa dão respostas diferentes para a mesma pergunta de clientes

Ser compatível com um novo regulamento ou fazer novo reporting exige um esforço um esforço enorme da gestão e investimentos significativos

O negógio da empresa não tem agilidade – qualquer nova iniciativa estratégica é como começar do zero

O IT é de forma consistente um ponto de estrangulamento.

Há diferentes processos de negócio efectuando a mesma actividade transversalmente a toda a empresa, cada um com um sistema distinto

AlertasAlertas ……  A informação necessária para lançar um produto chave ou tomar decisões de

AlertasAlertas ……

A informação necessária para lançar um produto chave ou tomar decisões de clientes não está disponível

Uma parte significativa do trabalho diário dos colaboradores é obter dados de um conjunto de sistemas, processá-los e registá-los em outros sistemas.

A Gestão de topo preocupa-se com a discussão de pontos de agenda do IT

Não se sabe se a nossa empresa retira um valor justo do IT.

DefiniçãoDefinição “Oficial”“Oficial”  A Arquitectura de Empresa (EA) é a organização l ó gica para

DefiniçãoDefinição “Oficial”“Oficial”

A Arquitectura de Empresa (EA) é a organização lógica para os processos de negócio e a infraestrutura de IT, reflectindo os requisitos de integração e standardização do modelo opracional da Empresa.

ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial  A arqu it ec tura d a E mpresa fornece uma visão

ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial

A arquitectura da Empresa fornece uma visão a longo prazo dos processos, sistemas e tecnologias para que os projectos individuais possam construir capacidades e não apenas satisfazer necessidades imediatas.



AA verdadeiraverdadeira AEAE devedeve lidarlidar comcom TODATODA aa Empresa;Empresa;

AE deve criar/melhorar as soluções com um reduzido ou sem um envolvimento das TI

EnterpriseEnterprise ArchitectureArchitecture  De fi ne as necess id ad es d e uma empresa

EnterpriseEnterprise ArchitectureArchitecture

Define as necessidades de uma empresa para tarefas standardizadas, papéis, sistemas, infra-estrutura e dados nos principais processos de negócio.

Portanto, ajuda uma empresa a articular a forma de como competir numa economia digital e orienta as decisões diárias dos gestores a concretizar as suas visões de sucesso.

ARQUITECTURAARQUITECTURA É…É…  Metodologias & Frameworks  Gestão de Meta-dados  Governance &

ARQUITECTURAARQUITECTURA É…É…

Metodologias & Frameworks

Gestão de Meta-dados

Governance & Standards

Serviços & Recursos

Planeamento de IT, Geso de Projectos e de Portfólio

Modelação

etc…

& Recursos  Pl aneamen t o d e IT, G es tã o de Projectos
DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura dede SISI // TITI  Arq uitectura é o conj unto de

DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura dede SISI // TITI

Arquitectura é o conjunto de artefactos de desenho, ou representações descritivas que são relevantes para a descrição de um objecto de forma que possa ser produzido de acordo com os requisitos (qualidade) bem como mantido ao longo do seu tempo útil de vida (mudança).

[Arquitectura da Empresa] é o conjunto de representações descritivas ( modelos) que são relevantes para a descrição de uma empresa de forma que possa ser produzida de acordo com os requisitos de gestão (qualidade) e mantida ao longo do seu tempo útil de vida (mudança).

Arquitectura da Empresa ou dos SI / TI?

AMBAS : A arquitectura de entidades e processos vistas quer na perspectiva do negócio, quer na perspectiva dos sistemas e Tecnologias informação.

e processos vistas quer na perspectiva do negócio, quer na perspectiva dos si stemas e T
DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial  Arq u itect u ra da Empresa é o

DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial

Arquitectura da Empresa é o esquema (Blueprint) que define o relacionamento entre os elementos de tecnologias de informação numa organização

“The enterprise architecture blueprint is meant to provide sufficient detail to allow the idea to become a reality when put in the hands of skilled professionals, must as a house blueprint does.”

to allow the idea to become a reality when put in the hands of skilled professionals,
DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial  Uma A rquitectura de Sistemas e

DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial

Uma Arquitectura de Sistemas e tecnologias de informação é um conjunto logicamente consistente de princípios e de componentes, nomeadamente Arquitectura de dados, Arquitectura de aplicações e Arquitectura tecnológica.

Derivada dos requisitos do negócio

Guia a engenharia nas infra-estruturas de sistemas e tecnologias de informação

É entendida e suportada pela gestão de topo

Planeamento da Arquitectura da Empresa é o processo de definição de Arquitecturas par o uso de informação no suporte do negócio e o plano de implementação dessas Arquitecturas. Uma Arquitectura sem plano de implementação acaba na gaveta.

DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial  A A rquitectura Empresarial identifica

DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial

A Arquitectura Empresarial identifica os componentes principais de uma organização e como essas componentes no sistema “nervoso” da organização funcionam em conjunto para atingir os objectivos de negócio definidos.

As componentes incluem pessoal, processos de negócio, tecnologia, informação financeira e outros recursos.

Como é possível ter uma estratégia de CRM viável se não sabemos onde residem os dados dos nossos clientes?

Como são equacionados os gastos em tecnologia para permitir o atingimento dos nossos objectivos estratégicos?

A nosso organização tem um modelo de processos operacional?

DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial  Uma boa A rquitectura Empresarial deve

DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial

Uma boa Arquitectura Empresarial deve responder:

Às necessidades de negócio e de informação da organização.

Nivelar a relação de sinergias entre o Retorno de Investimento (ROI) e Custo total da posse (TCO).

A capacidade para suportar a migração do estado corrente (as-is).

A capacidade para suportar fácilmente a migração para o estado futuro desejado.

Formas de suporte os objectivos de negócio de redução de custos, melhoria dos serviços operacionais e aumento de lucros.

DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial  Se uma Arquitectura Empresarial não

DefiniçãoDefinição dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial

Se uma Arquitectura Empresarial não endereçar os temas seguintes será mais prejudicial que útil:

Os dados estão separados da lógica (Funções de Negócio).

Os princípios de modularidade são observados assegurando que cada componente na arquitectura empresarial executa apenas uma ou duas tarefas discretas.

As funções estão separadas em tarefas diferenciadas que são genéricas e bem delimitadas

A

arquitectura está auto-documentada. De contrário algo está

 

errado!

Todos os dados e artefactos gerados por uma organização são geridos e mantidos pela mesma organização.

A arquitectura é exequível técnicamente e pode ser implementada

a um custo e período de tempo razoáveis.

A arquitectura pode ser “traceable” desde o requisito de negócio

até à implementação tecnológica.

A

Arquitectura Lógica está separada da arquitectura Física.

ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona

ArArqquitecturauitectura SistemasSistemas EmEmppresariaisresariais (ASE)(ASE)

Prof. Acácio Carmona

acacio.carmona@vodafone.com

ProgramaPrograma 1. Introdu ç ão à temática das Ar q uitecturas de Sistemas de Informação

ProgramaPrograma

1.

Introdução à temática das Arquitecturas de Sistemas de Informação Empresariais

2.

Fundamentos da Arquitectura de Empresa

3.

Enquadramento dos sistemas de informação no Negócio Global actual. Sistemas de Informação, Estratégia e Organização.

4.

Tipos de Arquitecturas

5.

Framework de Zachman

6.

Gestão Estratégica. Análise SWOT. Modelos BCG e de Porter

7.

Análise, Gestão e Planeamento de Portfólio Aplicacional

8.

Apresentações e Discussão de Casos de Estudo.

ArquitecturaArquitectura SistemasSistemas Empresariais Empresariais 44ªª SessãoSessão :: FundamentosFundamentos 

ArquitecturaArquitectura SistemasSistemas EmpresariaisEmpresariais 44ªª SessãoSessão:: FundamentosFundamentos

Modelo de Arquitectura Empresarial

Aplicação da Arquitectura da Empresa

Implementação da Arquitectura da Empresa

Ferramentas de Arquitectura Empresarial

ModeloModelo dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial  “Meta -A rchitecture ”  Concentração

ModeloModelo dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial

“Meta-Architecture

Concentração centrada nas decisões de alto-nível que influenciam a estrutura do sistema. A selecção e compromissos são efectuados aqui.

“Architecture”

Definição da estrutura, relações, vistas, pressupostos e criação de regras para o sistema.

“Guidelines

Criação de modelos, manuais, modelos e utilização do desenho de padrões para o sistema. Neste nível são utilizados os frameworks e standards. É fornecida orientação aos engenheiros para que a integridade seja mantida é feita aqui.

ModeloModelo dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial  “Software Architecture”  A Arquitectura de

ModeloModelo dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial

“Software Architecture”

A Arquitectura de Software de um sistema ou programa é a estrutura ou estruturas do sistema, que inclui as componentes do software, propriedades visíveis externamente desses componentes e as relações entre

elas. “Software Archtecture in Practice, Len Bass, Paul Clements and Rick Kazman, Addison-Wesley, 1997.

A Arquitectura é o conjunto de decisões importantes acerca da organização dos sistemas de software, selecção dos elementos estruturais constituintes e seus interfaces, em conjunto com o seu

cumprimento das especificações. “The UML Modeling language user Guide, Booch, Jacobsen, Rumbaugh, Addison-Wesley, 1999.”

A Arquitectura de Software é um conjunto de conceitos e decisões de desenho acerca da estrutura e textura do software que devem ser feitas antes da engenharia para permitir uma satisfação efectiva dos requisitos funcionais e outros relevantes da

arquitectura. “Software Archtecture for Product Families: Principles and Practice, Mehdi Jazayeri, Alexander Ran, Frank van der Linden, Addison-Wesley, 2000.”

ModeloModelo dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial  “S y stems Architecture ”  Alinhada com os

ModeloModelo dede ArquitecturaArquitectura EmpresarialEmpresarial

“Systems Architecture

Alinhada com os objectivos de negócio da organização.

Processo e disciplina para produzir sistemas de informação eficientes e eficazes, tem típicamente os seguintes níveis

Business

Information

Operational

Organizational

Architectural

Infastructural

Legacy Application

Client/Server Architecture

Thin-Client Architecture

3 Tier Architecture

AplicaçãoAplicação dada ArAr ququ itectitect uu rara dada EmEm pp resaresa

AplicaçãoAplicação dada ArArququitectitectuurara dada EmEmppresaresa

AplicaçãoAplicação dada ArAr ququ itectitect uu rara dada EmEm pp resaresa
QuandoQuando utilizamosutilizamos umauma AE?AE?  A s E mpresas usam-nas todos os dias!  G

QuandoQuando utilizamosutilizamos umauma AE?AE?

As Empresas usam-nas todos os dias!

Geso da mudança

Planeamento Estratégico

Análise de Requisitos

Estimativa de Custo & Calendário

Satisfação dos Regulamentos & Certificação

Relatório de Planeamento alargado das Empresas

Partilha do Conhecimento

ComoComo utilizarutilizar umauma AEAE documentada?documentada?  O p era ç ões do Dia a Dia

ComoComo utilizarutilizar umauma AEAE documentada?documentada?

Operações do Dia a Dia & Gestão

Criação de uma Gestão da Estratégia de Evolução

Alteração de processos

Alteração do Sistema & Tecnologia

Planeamento Táctico

Requisito de validação para os projectos

Seguimento dos processos, sistema, e tecnologia

Análise & Gestão do Risco

Monitorização do respeito pelos Regulamentos & Reporting

Fusões & Aquisições: avaliação do parceiro à luz dos objectivos definidos para a aquisição

QuemQuem podepode beneficiarbeneficiar disso?disso?  Proprietários: para a compreensão do funcionamento de toda a

QuemQuem podepode beneficiarbeneficiar disso?disso?

Proprietários: para a compreensão do funcionamento de toda a Empresa

Business leaders: para definir orientações

Planeadores: para a estratégia & planeamento táctico

Gestores: para gestão dos riscos, custos, prioridades e fitas do tempo

Implementadores: para avaliação de alternativas e atingir objectivos

ImplementaçãoImplementação dada ArAr ququ itectitect uu rara dede EmEm pp resaresa

ImplementaçãoImplementação dada ArArququitectitectuurara dede EmEmppresaresa

ImplementaçãoImplementação dada ArAr ququ itectitect uu rara dede EmEm pp resaresa
PorquePorque necessitamosnecessitamos dede umauma ArquitecturaArquitectura EmEm pp resarialresarial (( AEAE ))?? 

PorquePorque necessitamosnecessitamos dede umauma ArquitecturaArquitectura EmEmppresarialresarial ((AEAE))??

Razões de ordem Legal / Regulamentar

Nos EUA, de acordo com o Clinger-Cohen act, todos os projectos do Gov. federal necessitam de uma Arquitectura Empresarial.

AE pode ajudar a satisfazer os requisitos de certificação.

Instituições financeiras podem utilizar AE para a gestão do risco operacional.

Planeamento da Estratégia de IT

Gestão da mudança na Empresa

Análise / mitigação do risco operacional

PorquePorque necessitamosnecessitamos dede umauma ArquitecturaArquitectura EmEm pp resarialresarial (( AEAE ))?? 

PorquePorque necessitamosnecessitamos dede umauma ArquitecturaArquitectura EmEmppresarialresarial ((AEAE))??

Crescimento da Empresa

Optimização Processos

Nova Linha de negócio

Mudança de actividade

Optimização de tecnologias

Obtenção de certificações (Qualidade, Ambiente, SOX, etc.)

Criação de uma nova empresa

Optimização de custos (Tecnologias, Aplicações, Operacionais, …)

Internacionalização

Aquisição ou fusão empresas

QuandoQuando necessitamosnecessitamos dede umauma AE?AE?  Em todos os momentos  Quanto mais cedo melhor

QuandoQuando necessitamosnecessitamos dede umauma AE?AE?

Em todos os momentos

Quanto mais cedo melhor

Em alternativa:

“Tentativa e Erro…”

Destruir e Construir de novo

OO ProcessoProcesso dede EnterpriseEnterprise ArchitectureArchitecture  Documentara base de trabalho: “ the as

OO ProcessoProcesso dede EnterpriseEnterprise ArchitectureArchitecture

Documentara base de trabalho: the as-is state”

O que temos: Recursos Físicos, Intelectuais e Dados

Como fazemos as coisas: Funções & Processos

Onde: localização física e lógica associada com os processos

Quem: Papéis, organizações & pessoas associadas com os processos

Perceber a razão para a mudança: drivers, estratégias & fitas do tempo.

Design do estado Futuro

Identificar gaps & criar uma estratégia de migração

FerramentasFerramentas dede EnterpriseEnterprise ArchitectureArchitecture  Knowledge Collection ◦ Bases de Dados,

FerramentasFerramentas dede EnterpriseEnterprise ArchitectureArchitecture

Knowledge Collection

Bases de Dados, Word, Groupware

Portfolio de recursos de conhecimento

Popkin, Troux etc.

Ferramentas de Modelação de Processos

Powerdesigner, IDS-Scheer Aris, Visio, Ultimus, etc.

Ferramentas de Análise & Traceability

Excel, Popkin, minitab etc.

Ferramentas de Comunicação

E-mail, Websites, Powerpoint etc.

Traceabilit y ◦ Excel, Popkin, minitab etc.  Ferramentas de Comunicação ◦ E-mail, Websites, Powerpoint etc.
QuemQuem devedeve serser envolvidoenvolvido nana definição?definição?  Gestores / executantes Seniores, tanto na

QuemQuem devedeve serser envolvidoenvolvido nana definição?definição?

Gestores / executantes Seniores, tanto na área de IT como negócio

Responsáveis pelo planeamento estratégico

Especialistas da melhoria dos processos

Gestores da área Tecnológica

ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona
ArAr qq uitecturauitectura SistemasSistemas EmEm pp resariaisresariais (ASE)(ASE) Prof. Acácio Carmona

ArArqquitecturauitectura SistemasSistemas EmEmppresariaisresariais (ASE)(ASE)

Prof. Acácio Carmona

acacio.carmona@vodafone.com

1. Introdução à temática das Arquitecturas Empresariais 2. Fundamentos da Arquitectura de Empresa 3.

1.

Introdução à temática das Arquitecturas Empresariais

2.

Fundamentos da Arquitectura de Empresa

3.

Enquadramento dos sistemas de informação no Negócio Global actual. Sistemas de Informação, Estratégia e Organização.

4.

Modelos de Arquitecturas

5.

Framework de Zachman

6.

Gestão Estragica. Análise SWOT. Modelos BCG e de Porter

7.

Análise, Gestão e Planeamento de Portfólio Aplicacional

8.

Apresentações e Discussão de Casos de Estudo.

5ª 5ª Sessão: Sessão : FundamentosFundamentos dada ArquitecturaArquitectura dede EmpresaEmpresa  Arquitectura
5ª 5ª Sessão: Sessão : FundamentosFundamentos dada ArquitecturaArquitectura dede EmpresaEmpresa  Arquitectura

Sessão:Sessão: FundamentosFundamentos dada ArquitecturaArquitectura dede EmpresaEmpresa

Arquitectura de Quê?

O que se Diz sobre a Arquitectura da Empresa

O Porquê da Arquitectura da Empresa. Perspectiva Histórica. Actividades de desenvolvimento de SI

mpresa  O Porquê da Arquitectura da Empresa.  Perspectiva Histórica.  Actividades de desenvolvimento de
ArquitecturaArquitectura dede QuêQuê ??

ArquitecturaArquitectura dede QuêQuê ??

ArquitecturaArquitectura dede QuêQuê ??
ArquitecturaArquitectura dede QuêQuê ??
ArquitecturaArquitectura dede QuêQuê ??
ArquitecturaArquitectura dede QuêQuê ??
OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura Fad sur fi ng é an d ar

OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura

Fad surfing é andar na crista da última onda da gestão. Saindo a tempo de apanhar a onda seguinte, uma tarefa absorvente para os gestores, lucrativa para os consultores e desastrosa para as empresas.

uma tarefa absorvente p ara os gestores, lucrativa para os consultores e desastrosa para as empresas.
uma tarefa absorvente p ara os gestores, lucrativa para os consultores e desastrosa para as empresas.
OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura  Flexibilidade crescente e redu ç ão dos

OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura

Flexibilidade crescente e redução dos tempos de chegada ao mercado não vão acontecer por acidente, através da aquisição de mais tecnologia, de mais um pacote ou da implementação de mais uma aplicação. Isto só vai acontecer devido a um investimento intelectual responsável.

Neste caso, um investimento no desenvolvimento e manutenção da Arquitectura da Empresa, para fornecer informação de qualidade, para produzir, de facto uma empresa de qualidade.

da Empresa , para fornecer informa ç ão de q ualidade, p ara p roduzir, de
OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura  Com o crescent e t aman h

OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura

Com o crescente tamanho e complexidade na implementação de S.I., é necessário usar algum construtor lógico (arquitectura) para definir e controlar as interfaces e a integração de todas as componentes do sistema.

Descentralização sem estrutura é o caos. Portanto, para evitar a desintegração do negócio, o conceito de arquitectura de sistemas de informação está a tornar-se já não numa opção mas uma necessidade para estabelecer alguma ordem e controlo nos investimentos em recursos de sistemas de informação.

mas uma necessidade para estabelecer alguma ordem e controlo nos investimentos em recursos de sistemas de
OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura  El a f ornece uma t axonom

OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura

Ela fornece uma taxonomia para relacionar conceitos que descrevem o mundo real com conceitos que descrevem os sistemas de informação e a sua implementação.

A única forma que uma organização tem para gerir informação estratégica, é implementar Sistemas de Informação, interoperáveis e estabelecer uma verdadeira partilha de dados e através da utilização de uma Arquitectura de Informação da Empresa

uma verdadeira p artilha de dados e através da utilização de uma Arquitectura de Informação da
OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura  Perda de Infra-estrutura: O q ue falta

OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura

Perda de Infra-estrutura:

O que falta quando soluções isoladas deixam de ser suficientes para concretizar as tarefas.

Infra-estrutura: O q ue falta q uando soluções isoladas deixam de ser su fi ci entes
Infra-estrutura: O q ue falta q uando soluções isoladas deixam de ser su fi ci entes
OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura ResumoResumo  Possibilidade de obter informação

OO queque sese DizDiz sobresobre aa ArquitecturaArquitectura ResumoResumo

Possibilidade de obter informação estratégica, sistemas de informação integrados e partilha de dados.

Diminuição do time to market, encurtando o tempo necessário para reflectir nos Sist Inf as mudanças operadas ou desejadas nos negócios.

Integração das áreas funcionais e dos recursos da empresa, através da integração dos sistemas de informação.

Coordenação dos vários projectos de sistemas e tecnologias de informação e dos vários intervenientes nesses projectos.

OO PorquêPorquê dada ArquitecturaArquitectura Olhemos para outros produtos …  Produtos de engenharia complexos;

OO PorquêPorquê dada ArquitecturaArquitectura

Olhemos para outros produtos …

ArquitecturaArquitectura Olhemos para outros produtos …  Produtos de engenharia complexos;  Produt os cons

Produtos de engenharia complexos;

Produtos construídos peça a peça, componente a componente, e que, quando tudo se junta, “voam”;

Produtos que persistem décadas após décadas, num ambiente extremamente dinâmico, com alterações no mercado e nas tecnologias.

OO PorquêPorquê dada ArquitecturaArquitectura
OO PorquêPorquê dada ArquitecturaArquitectura
OO PorquêPorquê dada ArquitecturaArquitectura

OO PorquêPorquê dada ArquitecturaArquitectura

OO PorquêPorquê dada ArquitecturaArquitectura
PerspectivaPerspectiva HistóricaHistórica
PerspectivaPerspectiva HistóricaHistórica
PerspectivaPerspectiva HistóricaHistórica
PerspectivaPerspectiva HistóricaHistórica
ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI
ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI
ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI
ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI
ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI
ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI UUnn ifiifi caçcaç ãã oo  O Backlog de

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI UUnn ifiifi caçcaç ãã oo

O Backlog de sistemas multi-departamento aumentou.
d

O

s custos

ã

e manutenç o aumentaram

Os problemas de redundância de dados continuaram

Os problemas de integração de dados pioraram

As promessas de reutilização não se verificaram.

As necessidade dos negócios continuaram a não serem respondidas a tempo

O potencial das novas tecnologias não era totalmente explorado.

Sistemas distribuídos: descentralização sem estrutura é o caos

Sistemas de Gestão de Base de dados: em vez de duplicação de ficheiros, duplicação de base de dados.

Dicionário de Dados : Impossível de implementar sem algum tipo de autoridade central

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI DecomDecom pp osiosi çç ãoão dosdos custoscustos

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI DecomDecompposiosiççãoão dosdos custoscustos

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI DecomDecom pp osiosi çç ãoão dosdos custoscustos
ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI DecomDecom pp osiosi çç ãoão dosdos custoscustos

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI DecomDecompposiosiççãoão dosdos custoscustos

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI DecomDecom pp osiosi çç ãoão dosdos custoscustos
EngenhariaEngenharia dede RequisitosRequisitos

EngenhariaEngenharia dede RequisitosRequisitos

EngenhariaEngenharia dede RequisitosRequisitos
EngenhariaEngenharia dede RequisitosRequisitos

EngenhariaEngenharia dede RequisitosRequisitos

EngenhariaEngenharia dede RequisitosRequisitos
ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI  A manutenção consume recursos elevadíssimos

ActividadesActividades dede DesenvolvimentoDesenvolvimento dede SISI

A manutenção consume recursos elevadíssimos (67% total).

Investe-se muito pouco na definição de requisitos (2% total). Como consequência quase metade dos custos de manutenção (45% total) devem-se a alterações de requisitos.

Quanto mais tarde se descobrem os defeitos mais caro é corrigi-los.

Arquitectura Sistemas Empresariais (ASE)
Arquitectura Sistemas Empresariais
(ASE)
Arquitectura Sistemas Empresariais (ASE) Prof. Acácio Carmona acacio.carmona@vodafone.com

Prof. Acácio Carmona

Arquitectura Sistemas Empresariais (ASE) Prof. Acácio Carmona acacio.carmona@vodafone.com
1. Introdução à temática das Arquitecturas Empresariais 2. Fundamentos da Arquitectura de Empresa 3. Enquadramento
1. Introdução à temática das Arquitecturas Empresariais 2. Fundamentos da Arquitectura de Empresa 3. Enquadramento
1. Introdução à temática das Arquitecturas Empresariais 2. Fundamentos da Arquitectura de Empresa 3. Enquadramento
1. Introdução à temática das Arquitecturas Empresariais 2. Fundamentos da Arquitectura de Empresa 3. Enquadramento

1. Introdução à temática das Arquitecturas Empresariais

2. Fundamentos da Arquitectura de Empresa

3. Enquadramento dos sistemas de informação no Negócio Global actual. Sistemas de Informação, Estratégia e Organização.

4. Modelos de Arquitecturas

5. Framework de Zachman

6. Análise, Gestão e Planeamento de Portfólio Aplicacional

7. Gestão Estratégica. Análise SWOT. Modelos BCG e de Porter

8. Apresentações e Discussão de Casos de Estudo.

6ª Sessão: Enquadramento dos sistemas de informação no Negócio Global actual. Sistemas de Informação, Estratégia
6ª Sessão: Enquadramento dos sistemas de informação no Negócio Global actual. Sistemas de Informação, Estratégia
6ª Sessão: Enquadramento dos sistemas de informação no Negócio Global actual. Sistemas de Informação, Estratégia
6ª Sessão: Enquadramento dos sistemas de informação no Negócio Global actual. Sistemas de Informação, Estratégia
6ª Sessão: Enquadramento dos sistemas de
informação no Negócio Global actual.
Sistemas de Informação, Estratégia e
Organização.
Management Information Systems Chapter 1 Information Systems in Global Business Today O papel dos Sistemas
Management Information Systems Chapter 1 Information Systems in Global Business Today O papel dos Sistemas
Management Information Systems Chapter 1 Information Systems in Global Business Today O papel dos Sistemas
Management Information Systems Chapter 1 Information Systems in Global Business Today O papel dos Sistemas
Management Information Systems Chapter 1 Information Systems in Global Business Today
Management Information Systems
Chapter 1 Information Systems in Global Business Today

O papel dos Sistemas de Informação no Negócio actualmente

Como os sistemas de informação estão a transformar o negócio

• Incremento da utilização de tecnologia sem fios, Sites Web

• Shifts in media and advertising

• Novas leis comunitárias e and accounting laws

Globalization opportunities

• Internet has drastically reduced costs of operating on global scale

• Presents both challenges and opportunities

Management Information Systems

Information Systems in Global Business Today
Information Systems in Global Business Today
Systems Information Systems in Global Business Today The Role of Information Systems in Business Today 
Systems Information Systems in Global Business Today The Role of Information Systems in Business Today 
Systems Information Systems in Global Business Today The Role of Information Systems in Business Today 

The Role of Information Systems in Business Today

Growing interdependence between ability to use information technology and ability to implement corporate strategies and achieve corporate goals

Business firms invest heavily in information systems to achieve six strategic business objectives:implement corporate strategies and achieve corporate goals ◦ Operational excellence ◦ New products, services, and

systems to achieve six strategic business objectives: ◦ Operational excellence ◦ New products, services, and
systems to achieve six strategic business objectives: ◦ Operational excellence ◦ New products, services, and

Operational excellence

New products, services, and business models

Customer and supplier intimacy

Improved decision making

Competitive advantage

Survival

INTERDEPENDENCE BETWEEN ORGANIZATIONS AND INFORMATION SYSTEMS

INTERDEPENDENCE BETWEEN ORGANIZATIONS AND INFORMATION SYSTEMS  There is a growing interdependence between a firm’s
INTERDEPENDENCE BETWEEN ORGANIZATIONS AND INFORMATION SYSTEMS  There is a growing interdependence between a firm’s
INTERDEPENDENCE BETWEEN ORGANIZATIONS AND INFORMATION SYSTEMS  There is a growing interdependence between a firm’s

There is a growing interdependence between a firm’s information systems and its business capabilities. Changes in strategy, rules, and business processes increasingly require changes in hardware, software, databases, and telecommunications. Often, what the organization would like to do depends on what its systems will permit it to do.

Management Information Systems

Information Systems in Global Business Today
Information Systems in Global Business Today
Systems Information Systems in Global Business Today Perspectives on Information Systems  Information system:
Systems Information Systems in Global Business Today Perspectives on Information Systems  Information system:
Systems Information Systems in Global Business Today Perspectives on Information Systems  Information system:
Systems Information Systems in Global Business Today Perspectives on Information Systems  Information system:

Perspectives on Information Systems

Information system: Three activities produce information organizations need

Input: Captures raw data from organization or external environment

Processing: Converts raw data into meaningful form

Output: Transfers processed information to people or activities that use it

Management Information Systems

Information Systems in Global Business Today
Information Systems in Global Business Today
Systems Information Systems in Global Business Today Perspectives on Information Systems  Information system:
Systems Information Systems in Global Business Today Perspectives on Information Systems  Information system:
Systems Information Systems in Global Business Today Perspectives on Information Systems  Information system:
Systems Information Systems in Global Business Today Perspectives on Information Systems  Information system:

Perspectives on Information Systems

Information system:

Set of interrelated components

Collect, process, store, and distribute information

Support decision making, coordination, and control

Information vs. data

Data are streams of raw facts

Information is data shaped into meaningful form

FUNCTIONS OF AN INFORMATION SYSTEM
FUNCTIONS OF AN INFORMATION SYSTEM
FUNCTIONS OF AN INFORMATION SYSTEM  Feedback : ◦ Output returned to appropriate members of organization
FUNCTIONS OF AN INFORMATION SYSTEM  Feedback : ◦ Output returned to appropriate members of organization
FUNCTIONS OF AN INFORMATION SYSTEM  Feedback : ◦ Output returned to appropriate members of organization
FUNCTIONS OF AN INFORMATION SYSTEM  Feedback : ◦ Output returned to appropriate members of organization

Feedback:

Output returned to appropriate members of organization to help evaluate or correct input stage

Computer/Computer program vs. information system

Computers and software are technical foundation and tools, similar to the material and tools used to build a house

FUNCTIONS OF AN INFORMATION SYSTEM  An information system contains information about an organization and
FUNCTIONS OF AN INFORMATION SYSTEM  An information system contains information about an organization and
FUNCTIONS OF AN INFORMATION SYSTEM  An information system contains information about an organization and

FUNCTIONS OF AN INFORMATION SYSTEM

FUNCTIONS OF AN INFORMATION SYSTEM  An information system contains information about an organization and its

An information system contains information about an organization and its surrounding environment. Three basic activities—input, processing, and output—produce the information organizations need. Feedback is output returned to appropriate people or activities in the organization to evaluate and refine the input. Environmental actors, such as customers, suppliers, competitors, stockholders, and regulatory agencies, interact with the organization and its information systems.

Levels in a Firm Business organizations are hierarchies consisting of three principal levels: senior management,
Levels in a Firm Business organizations are hierarchies consisting of three principal levels: senior management,
Levels in a Firm Business organizations are hierarchies consisting of three principal levels: senior management,
Levels in a Firm
Levels in a Firm
Levels in a Firm Business organizations are hierarchies consisting of three principal levels: senior management, middle

Business organizations are hierarchies consisting of three principal levels: senior management, middle management, and operational management. Information systems serve each of these levels. Scientists and knowledge workers often work with middle management.

TYPES OF INFORMATION SYSTEMS KIND OF SYSTEM GROUPS SERVED STRATEGIC LEVEL SENIOR MANAGERS MANAGEMENT LEVEL
TYPES OF INFORMATION SYSTEMS
KIND OF SYSTEM
GROUPS SERVED
STRATEGIC LEVEL
SENIOR
MANAGERS
MANAGEMENT LEVEL
MIDDLE
MANAGERS
KNOWLEDGE LEVEL
KNOWLEDGE &
DATA WORKERS
OPERATIONAL
OPERATIONAL
LEVEL
MANAGERS
SALES &
MANUFACTURING
FINANCE
ACCOUNTING
HUMAN
MARKETING
RESOURCES
OPERATIONAL OPERATIONAL LEVEL MANAGERS SALES & MANUFACTURING FINANCE ACCOUNTING HUMAN MARKETING RESOURCES
MAJOR TYPES OF SYSTEMS  EXECUTIVE SUPPORT SYSTEMS (ESS)  DECISION SUPPORT SYSTEMS (DSS) 
MAJOR TYPES OF SYSTEMS  EXECUTIVE SUPPORT SYSTEMS (ESS)  DECISION SUPPORT SYSTEMS (DSS) 
MAJOR TYPES OF SYSTEMS  EXECUTIVE SUPPORT SYSTEMS (ESS)  DECISION SUPPORT SYSTEMS (DSS) 
MAJOR TYPES OF SYSTEMS  EXECUTIVE SUPPORT SYSTEMS (ESS)  DECISION SUPPORT SYSTEMS (DSS) 
MAJOR TYPES OF SYSTEMS
MAJOR TYPES OF SYSTEMS

EXECUTIVE SUPPORT SYSTEMS (ESS)

DECISION SUPPORT SYSTEMS (DSS)

MANAGEMENT INFORMATION SYSTEMS (MIS)

KNOWLEDGE WORK SYSTEMS (KWS)

OFFICE AUTOMATION SYSTEMS (OAS)

*
*

TRANSACTION PROCESSING SYSTEMS (TPS)

 KNOWLEDGE WORK SYSTEMS (KWS)  OFFICE AUTOMATION SYSTEMS (OAS) *  TRANSACTION PROCESSING SYSTEMS (TPS)
Management Information Systems Global E-Business: How Businesses Use Information Systems
Management Information Systems
Global E-Business: How Businesses Use Information Systems
Global E-Business: How Businesses Use Information Systems Types of Business Information Systems  Transaction
Global E-Business: How Businesses Use Information Systems Types of Business Information Systems  Transaction

Types of Business Information Systems

Transaction processing systems

Perform and record daily routine transactions necessary to conduct business

Examples: sales order entry, payroll, shipping

business  Examples: sales order entry, payroll, shipping ◦ Allow managers to monitor status of operations

Allow managers to monitor status of operations and relations with external environment

Serve operational levels

Serve predefined, structured goals and decision making

with external environment ◦ Serve operational levels ◦ Serve predefined, structured goals and decision making
Management Information Systems Global E-Business: How Businesses Use Information Systems
Management Information Systems
Global E-Business: How Businesses Use Information Systems
Global E-Business: How Businesses Use Information Systems Types of Business Information Systems  Decision support
Global E-Business: How Businesses Use Information Systems Types of Business Information Systems  Decision support

Types of Business Information Systems

Decision support systems

Serve middle management

Support nonroutine decision making

middle management ◦ Support nonroutine decision making  Example: What is impact on production schedule if

Example: What is impact on production schedule if December sales doubled?

Often use external information as well from TPS and MIS

Model driven DSS

Voyage-estimating systems

Data driven DSS

Intrawest’s marketing analysis systems

◦ Model driven DSS  Voyage-estimating systems ◦ Data driven DSS  Intrawest’s marketing analysis systems

Management Information Systems

Global E-Business: How Businesses Use Information Systems
Global E-Business: How Businesses Use Information Systems

Types of Business Information Systems

Executive support systems

Business Information Systems  Executive support systems ◦ Support senior management ◦ Address nonroutine
Business Information Systems  Executive support systems ◦ Support senior management ◦ Address nonroutine

Support senior management

Address nonroutine decisions requiring judgment, evaluation, and insight

Incorporate data about external events (e.g. new tax laws or competitors) as well as summarized information from internal MIS and DSS

Example: ESS that provides minute-to-minute view of firm’s financial performance as measured by working capital, accounts receivable, accounts payable, cash flow, and inventory

Management Information Systems Global E-Business: How Businesses Use Information Systems Systems That Span the Enterprise
Management Information Systems Global E-Business: How Businesses Use Information Systems Systems That Span the Enterprise

Management Information Systems

Management Information Systems Global E-Business: How Businesses Use Information Systems Systems That Span the Enterprise

Global E-Business: How Businesses Use Information Systems

Systems That Span the Enterprise

Knowledge management systems

That Span the Enterprise • Knowledge management systems • Support processes for acquiring, creating, storing,

• Support processes for acquiring, creating, storing, distributing, applying, integrating knowledge

• Collect internal knowledge and link to external knowledge

• Include enterprise-wide systems for:

• Managing documents, graphics and other digital knowledge objects

• Directories of employees with expertise

for: • Managing documents, graphics and other digital knowledge objects • Directories of employees with expertise
BUSINESS PROCESSES AND INFORMATION SYSTEMS  Examples of functional business processes ◦ Manufacturing and
BUSINESS PROCESSES AND INFORMATION SYSTEMS  Examples of functional business processes ◦ Manufacturing and
BUSINESS PROCESSES AND INFORMATION SYSTEMS  Examples of functional business processes ◦ Manufacturing and
BUSINESS PROCESSES AND INFORMATION SYSTEMS  Examples of functional business processes ◦ Manufacturing and

BUSINESS PROCESSES AND INFORMATION SYSTEMS

BUSINESS PROCESSES AND INFORMATION SYSTEMS  Examples of functional business processes ◦ Manufacturing and

Examples of functional business processes

Manufacturing and production

Assembling the product

Sales and marketing

Identifying customers

Finance and accounting

Creating financial statements

Human resources

Hiring employees

THE ORDER FULFILLMENT PROCESS
THE ORDER FULFILLMENT PROCESS
THE ORDER FULFILLMENT PROCESS  Fulfilling a customer order involves a complex set of steps that
THE ORDER FULFILLMENT PROCESS  Fulfilling a customer order involves a complex set of steps that
THE ORDER FULFILLMENT PROCESS  Fulfilling a customer order involves a complex set of steps that
THE ORDER FULFILLMENT PROCESS  Fulfilling a customer order involves a complex set of steps that

Fulfilling a customer order involves a complex set of steps that requires the close coordination of the sales, accounting, and manufacturing functions.

TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS  Management information systems ◦ Serve middle management ◦ Provide
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS  Management information systems ◦ Serve middle management ◦ Provide
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS
TYPES OF BUSINESS INFORMATION
SYSTEMS

Management information systems

INFORMATION SYSTEMS  Management information systems ◦ Serve middle management ◦ Provide reports on
INFORMATION SYSTEMS  Management information systems ◦ Serve middle management ◦ Provide reports on

Serve middle management

Provide reports on firm’s current performance, based on data from TPS

Provide answers to routine questions with predefined procedure for answering them

Typically have little analytic capability

TPS DATA FOR MIS APPLICATIONS  In the system illustrated by this diagram, three TPS
TPS DATA FOR MIS APPLICATIONS  In the system illustrated by this diagram, three TPS
TPS DATA FOR MIS APPLICATIONS  In the system illustrated by this diagram, three TPS
TPS DATA FOR MIS APPLICATIONS
TPS DATA FOR MIS APPLICATIONS

In the system illustrated by this diagram, three TPS supply summarized transaction data to the MIS reporting system at the end of the time period. Managers gain access to the organizational data through the MIS, which provides them with the appropriate reports.

TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE
TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE
TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE • Enterprise applications • Span functional areas • Execute business
TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE • Enterprise applications • Span functional areas • Execute business
TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE • Enterprise applications • Span functional areas • Execute business
TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE • Enterprise applications • Span functional areas • Execute business

Enterprise applications

• Span functional areas

• Execute business processes across firm

• Include all levels of management

• Four major applications:

• Enterprise systems

• Supply chain management systems

• Customer relationship management systems

• Knowledge management systems

TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE
TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE
TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE • Enterprise systems • Collects data from different firm functions
TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE • Enterprise systems • Collects data from different firm functions
TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE • Enterprise systems • Collects data from different firm functions
TYPES OF SYSTEMS IN THE ENTERPRISE • Enterprise systems • Collects data from different firm functions

Enterprise systems

• Collects data from different firm functions and stores data in single central data repository

• Resolves problem of fragmented, redundant data sets and systems

• Enable:

• Coordination of daily activities

• Efficient response to customer orders (production, inventory)

• Provide valuable information for improving management decision making

 Enterprise Systems (ERP)  Supply Chain Management Systems (SCM) & Logistics  Customer Relationship
 Enterprise Systems (ERP)  Supply Chain Management Systems (SCM) & Logistics  Customer Relationship
 Enterprise Systems (ERP)  Supply Chain Management Systems (SCM) & Logistics  Customer Relationship
 Enterprise Systems (ERP)  Supply Chain Management Systems (SCM) & Logistics  Customer Relationship

Enterprise Systems (ERP)

Supply Chain Management Systems (SCM) & Logistics

Customer Relationship Management Systems (CRM)

Knowledge Management Systems & Office Automation

DW/ BI Data Warehouse / Business Intelligence

Billing & Interconnection

TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS
TYPES OF BUSINESS INFORMATION
SYSTEMS
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS • Supply chain management systems • Manage firm’s relationships with
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS • Supply chain management systems • Manage firm’s relationships with
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS • Supply chain management systems • Manage firm’s relationships with
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS • Supply chain management systems • Manage firm’s relationships with

Supply chain management systems

Manage firm’s relationships with suppliers

Share information about Orders, production, inventory levels, delivery of products and services

Goal: Right amount of products to destination with least amount of time and lowest cost

SUPPLY-CHAIN MANAGEMENT Customer orders, shipping notifications, optimized shipping plans, and other supply chain
SUPPLY-CHAIN MANAGEMENT Customer orders, shipping notifications, optimized shipping plans, and other supply chain
SUPPLY-CHAIN MANAGEMENT Customer orders, shipping notifications, optimized shipping plans, and other supply chain
SUPPLY-CHAIN MANAGEMENT
SUPPLY-CHAIN MANAGEMENT

Customer orders, shipping notifications, optimized shipping plans, and other supply chain information flow among Haworth’s Warehouse Management System (WMS), Transportation Management System (TMS), and its back-end corporate systems.

SUPPLY-CHAIN MANAGEMENT ORDER PROCESSING PLANNING & FORECASTING CUSTOMERS SUPPLIERS PROCUREMENT ACCOUNTING
SUPPLY-CHAIN MANAGEMENT ORDER PROCESSING PLANNING & FORECASTING CUSTOMERS SUPPLIERS PROCUREMENT ACCOUNTING
SUPPLY-CHAIN MANAGEMENT ORDER PROCESSING PLANNING & FORECASTING CUSTOMERS SUPPLIERS PROCUREMENT ACCOUNTING
SUPPLY-CHAIN MANAGEMENT
SUPPLY-CHAIN MANAGEMENT
ORDER PROCESSING
ORDER
PROCESSING
PLANNING & FORECASTING
PLANNING &
FORECASTING
CUSTOMERS
CUSTOMERS
SUPPLIERS
SUPPLIERS
PROCUREMENT
PROCUREMENT
ACCOUNTING INTRANETINTRANET
ACCOUNTING
INTRANETINTRANET
PRODUCTION
PRODUCTION
LOGISTICS SERVICES
LOGISTICS
SERVICES
SHIPPING
SHIPPING
INVENTORY
INVENTORY

DISTRIBUTORS

TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS
TYPES OF BUSINESS INFORMATION
SYSTEMS
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS • Customer relationship management systems: • Provide information to
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS • Customer relationship management systems: • Provide information to
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS • Customer relationship management systems: • Provide information to
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS • Customer relationship management systems: • Provide information to

Customer relationship management systems:

• Provide information to coordinate all of the business processes that deal with customers in sales, marketing, and service to optimize revenue, customer satisfaction, and customer retention.

• Integrate firm’s customer-related processes and consolidate customer information from multiple communication channels

TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS Salesforce.com Executive Team Dashboard
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS
Salesforce.com Executive Team Dashboard
INFORMATION SYSTEMS Salesforce.com Executive Team Dashboard Some of the capabilities of salesforce.com, a market-leading

Some of the capabilities of salesforce.com, a market-leading provider of on-demand customer relationship management (CRM) software. CRM systems integrate information from sales, marketing, and customer service.

INTERRELATIONSHIPS AMONG SYSTEMS
INTERRELATIONSHIPS AMONG SYSTEMS
INTERRELATIONSHIPS AMONG SYSTEMS ESS MIS DSS KWS TPS OAS
INTERRELATIONSHIPS AMONG SYSTEMS ESS MIS DSS KWS TPS OAS
INTERRELATIONSHIPS AMONG SYSTEMS ESS MIS DSS KWS TPS OAS
ESS MIS DSS KWS TPS OAS
ESS
MIS
DSS
KWS
TPS
OAS
INFO SYSTEMS, LEVELS, DECISIONS ORGANIZATIONAL LEVEL KNOWLEDGE TYPE OF DECISION STRATEGIC OPERATIONAL MANAGEMENT
INFO SYSTEMS, LEVELS, DECISIONS ORGANIZATIONAL LEVEL KNOWLEDGE TYPE OF DECISION STRATEGIC OPERATIONAL MANAGEMENT
INFO SYSTEMS, LEVELS, DECISIONS
INFO SYSTEMS, LEVELS, DECISIONS
ORGANIZATIONAL LEVEL
ORGANIZATIONAL LEVEL

KNOWLEDGE

TYPE OF DECISION
TYPE OF
DECISION

STRATEGIC

OPERATIONAL

MANAGEMENT

STRUCTURED

OF DECISION STRATEGIC OPERATIONAL MANAGEMENT STRUCTURED SEMI- STRUCTURED UNSTRUCTURED ACCOUNTS RECEIVABLE TPS

SEMI-

STRUCTURED

UNSTRUCTURED

ACCOUNTS

RECEIVABLE

TPS
TPS

PROJECT

SCHEDULING

ELECTRONIC

SCHEDULING

OASRECEIVABLE TPS PROJECT SCHEDULING ELECTRONIC SCHEDULING KWS PRODUCT DESIGN PRODUCTION COST OVERRUNS M I S BUDGET

KWSRECEIVABLE TPS PROJECT SCHEDULING ELECTRONIC SCHEDULING OAS PRODUCT DESIGN PRODUCTION COST OVERRUNS M I S BUDGET

PRODUCT DESIGN

PRODUCTION COST OVERRUNS

M I S MIS

BUDGET

PREPARATION

DSSOAS KWS PRODUCT DESIGN PRODUCTION COST OVERRUNS M I S BUDGET PREPARATION FACILITY LOCATION ESS NEW

FACILITY

LOCATION

ESS
ESS

NEW PRODUCTS NEW MARKETS

KWS PRODUCT DESIGN PRODUCTION COST OVERRUNS M I S BUDGET PREPARATION DSS FACILITY LOCATION ESS NEW
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS Organization of the Information Systems Function
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS
Organization of the Information Systems Function
SYSTEMS Organization of the Information Systems Function There are alternative ways of organizing the information

There are alternative ways of organizing the information systems function within the business: within each functional area (A), as a separate department under central control (B), or represented in each division of a large multidivisional company but under centralized control (C).

TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS Organization of the Information Systems Function
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS
Organization of the Information Systems Function
INFORMATION SYSTEMS Organization of the Information Systems Function B: A separate department under central control

B: A separate department under central control

TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS Organization of the Information Systems Function
TYPES OF BUSINESS INFORMATION SYSTEMS
Organization of the Information Systems Function
SYSTEMS Organization of the Information Systems Function C: Represented in each division of a large multidivisional

C: Represented in each division of a large multidivisional company but under centralized control

CRM SYSTEMS ARCHITECTURE

Sales Management Channel Sales Force Automation System Management Shop System System Contact Channel Management
Sales Management
Channel
Sales Force Automation
System
Management
Shop System
System
Contact Channel Management
Document
IVR
WEB
SMS
E-Mail
FAX
IM
SIP
Voice
MMS
Handling
Mobile
Contact Channels Management System

Campaigns System

One-to-one

Management

One-to-one

Relationship

Product

Catalog

Customer Management System

 

Customer Contact Management

Contract

Order

Customer

Management

Capture

Incentive

 

Field Service

 

Management

Customer BPM & Integration System

Order Fulfillment

Process Integration

Business Process Management

CM Resource Management CM Resource Management System CM Reporting System
CM Resource
Management
CM Resource
Management
System
CM Reporting
System

SLA and Quality Management System

SLA and

Quality

Management

Risk and Credit Management System

Risk and Credit Managementt

Campaign Planning System

Campaign

Management

Managementt Campaign Planning System Campaign Management Loyalty Management System Loyalty Program

Loyalty

Management

System

Loyalty

Program

Management

Fraud Management System

Fraud

Management

Trouble

Management

System

Trouble

Management

Knowledge Management Knowledge Document Management Management System System
Knowledge Management
Knowledge
Document
Management
Management
System
System
IVR Arquitecture SS#7 REDE M o dem B ank TELEFÓNICA PBX RDIS Linhas Analógicas Link
IVR Arquitecture SS#7 REDE M o dem B ank TELEFÓNICA PBX RDIS Linhas Analógicas Link
IVR Arquitecture
IVR Arquitecture
SS#7 REDE M o dem B ank TELEFÓNICA PBX RDIS Linhas Analógicas Link ou Digitais
SS#7
REDE
M
o
dem B
ank
TELEFÓNICA
PBX
RDIS
Linhas
Analógicas
Link
ou Digitais
CTI
TCP/IP
IVR
IVR
SERVER
SERVER
TCP/IP
Telefone
Interaction
CTI Sever
Database
Middleware
Telefone
Aplicação CTI /
Aplicação
SERVER SERVER TCP/IP Telefone Interaction CTI Sever Database Middleware Telefone Aplicação CTI / Aplicação
Firewall/Secure Network Arquitecture
Firewall/Secure Network Arquitecture
Firewall/Secure Network Arquitecture Internal Network Internet Ultra- Internet Secure Server APPL 1 Windows Request
Firewall/Secure Network Arquitecture Internal Network Internet Ultra- Internet Secure Server APPL 1 Windows Request
Internal Network Internet Ultra- Internet Secure Server APPL 1 Windows Request Request NT Servers Windows
Internal
Network
Internet Ultra-
Internet
Secure Server
APPL 1
Windows
Request
Request
NT
Servers Windows Windows
Request
NT Servers NT Web
Servers
APPL 2
"Safe"
DMZ
Middleware
Server
Application
Web
Server
Appl
Server
Application
Gateway
GLOBAL DB
Request
Appl
Server
Server
Web Servers
Appl
Server
LDAP
Internet DB
Appl Server Application Gateway GLOBAL DB Request Appl Server Server Web Servers Appl Server LDAP Internet
7ª Sessão: Sistemas de Informação, e Normas (Melhores Práticas). Modelos de Arquitecturas
7ª Sessão: Sistemas de Informação, e Normas (Melhores Práticas). Modelos de Arquitecturas
7ª Sessão: Sistemas de Informação, e Normas (Melhores Práticas). Modelos de Arquitecturas
7ª Sessão: Sistemas de Informação, e Normas (Melhores Práticas). Modelos de Arquitecturas
7ª Sessão: Sistemas de Informação, e
Normas (Melhores Práticas).
Modelos de Arquitecturas
SI e Normas (Melhores Práticas) Governação ISO 17799 – Procedimentos de segurança e riscos da
SI e Normas (Melhores Práticas) Governação ISO 17799 – Procedimentos de segurança e riscos da
SI e Normas (Melhores Práticas)
SI e Normas (Melhores Práticas)

Governação

ISO 17799 – Procedimentos de segurança e riscos da TI

Clientes < Custos < Riscos > Utilizadores (Internos) Depto. TI Gestão de Serviços
Clientes
< Custos
<
Riscos
>
Utilizadores (Internos)
Depto. TI
Gestão de Serviços

ITIL – Alinhamento organizacional (Processos de Negócios)

CobiT – Alinhamento com missão e estratégias da empresa (vertical)

Resultados

Information Technology Infrastructure Library

Promover a gestão com foco no cliente e na qualidade

dos serviços de tecnologia da informação. Standard “de

facto ” Gestão de Serviços de TI (Processos).

39

dos serviços de tecnologia da informação. Standard “de facto ” Gestão de Serviços de TI (Processos).
ITIL – Information Technology Infrastructure Library • Conjunto de melhores práticas, que tem como objectivo
ITIL – Information Technology Infrastructure Library • Conjunto de melhores práticas, que tem como objectivo
ITIL – Information Technology Infrastructure Library • Conjunto de melhores práticas, que tem como objectivo
ITIL – Information Technology Infrastructure Library • Conjunto de melhores práticas, que tem como objectivo
ITIL – Information Technology Infrastructure Library
ITIL – Information Technology Infrastructure
Library

• Conjunto de melhores práticas, que tem como objectivo o de definir as regras de utilização responsável e eficiente dos recursos de Tecnologias de Informação e tem vindo a assumir nos últimos anos um grande protagonismo, na medida em que a utilização dos sistemas, tecnologias de informação e comunicação é cada vez mais um suporte crítico das organizações.

ITIL – Information Technology Infrastructure Library A ITIL assenta essencialmente na gestão de serviços de
ITIL – Information Technology Infrastructure Library A ITIL assenta essencialmente na gestão de serviços de
ITIL – Information Technology Infrastructure Library A ITIL assenta essencialmente na gestão de serviços de
ITIL – Information Technology Infrastructure
Library
A ITIL assenta essencialmente na gestão de
serviços de TI, cujos objectivos são:
• Alinhar os serviços de TI com as necessidades
actuais e futuras das organizações e dos seus