COMO VENCER EM TUDO

Muitos podem dizer que esse assunto é audacioso pois já é difícil vencer em apenas um aspecto da vida, quanto mais em tudo. Mas talvez isso seja mais fácil do que parece. E várias pessoas se perguntam: "Como eu posso vencer em tudo se do jeito que eu sou e as coisas são permitem que eu viva apenas do jeito que eu vivo já?" Em primeiro lugar é preciso que se tenha a consciência que somos seres limitados psicologicamente, uns mais, outros menos, que faz que alguns indivíduos gerenciem grandes empresas e outros que não consigam administrar nem a própria casa. Para se alcançar algo, cada passo no processo para obtenção dele tem que ter êxito. E às vezes no meio desse processo, as limitações psicologicas pesam e não se consegue o algo pretendido. Além das nossas limitações, devemos ter em mente que as coisas por si só na natureza não tem a tendência de dar errado, o que dá esse tom são as limitações de cada um. O que existe são as particularidades das coisas, como por exemplo no caso da natureza, a gravidade, fatores climáticos, entre outros, que se não forem levados em conta configuram-se como limitação de algumas pessoas. Trataremos de como se eliminar a limitações psicológicas mais adiante. Para se vencer em tudo, devemos saber o que é esse "tudo". Principalmente, esse tudo é vencer no dinheiro (carreira,bens,...), na família

(cônjuge,filhos,...)e socialmente (amigos,colegas,conhecidos,desconhecidos,...)princi palmente. DINHEIRO O combustível do mundo moderno. Ele em si não é bom nem ruim, fica um ou outro dependendo do uso que se faz dele. E não tem mágica-para se ter mais dinheiro: 1.tem que se trabalhar, em emprego no mínimo para seu grau de estudo, e se capacitar para subir na carreira ou arrumar outro serviço que reconheça seu estudo e seus cursos; 2.tem que se abrir um negócio próprio seja qual for, até de se vender balas. Qualquer negócio razoálvel que seja feito, contanto que seja feito com seriedade, cresce e prospera; 3.Investir financeiramente. Menos em poupança que não rende nada, nem em ações, que são de altorisco. Existem fundos de renda-fixa que "seguram" um pouco mais o dinheiro e rendem mais que a poupança, sem riscos. Quase todos os bancos têm aplicações desse tipo. A progressão geométrica em cima de qualquer valor aplicado é incrível se o dinheiro for mantido por bastante tempo em uma aplicação boa, ou seja, aplicar com seriedade. Já para se ter uma boa carreira depende de estudo. Apadrinhamentos dependem da sorte e na maioria das vezes exigem contra-partidas. Geralmente aquele que é promovido tem muito mais cursos que aquele cargo exige e deveria estar em muitas posições acima da que foi promovido. Outro

critério para promoção, além do estudo, é o do diferencial. Em um lugar onde todos estão na mesma média, alguém que tem um diferencial se destacará mais do que os outros, para mais ou para menos, dependendo do diferencial. Os bens já são mais fáceis de se alcançar. O que faz a diferença é fazer o melhor negócio. E quase tudo pode ser financiado hoje, basta estar empregado. Casa, carro, móveis roupas,aviões, empresas, etc. Por exemplo, uma casa custa R$ 150.000,00 pronta. Já com o mesmo valor pode-se pegar um crédito-construção e construir uma casa muito melhor e num lugar mais valorizado. Sempre tem um jeito melhor de se fazer as coisas, cabe a nós procurarmos - geralmente quem trabalha no ramo pode nos dar uma direção melhor. Pessoas com firma aberta (CNPJ) compram objetos financiados de valor maior ou à vista por preços menores e com menos burocracia. Para se abrir uma empresa custa em média R$ 300,00 e quando usar, uma pequena taxa de contador. FAMÍLIA O ser humano precisa dela para se sentir pleno. Mas no caso de cônjuges, estes devem ser bem escolhidos porque o ser humano é quase impossível de se mudar e devemos evitar "tragédias anunciadas" nesse assunto. Se alguém resolver assumir o risco nesse caso, deve se ter em mente isso e também que mais dia, menos dia, " a bomba vai explodir". Eu acredito que melhor mesmo é evitar pessoas de caráter duvidoso, em lugares duvidosos e com atitudes duvidosas. Beleza e dinheiro não são sinônimos de fidelidade, caráter, amor ou dignidade. Com respeito à maneira de tratar o

marido ou a esposa, não se tem um entendimento coerente dele. Existem poesias que dizem que o homem e a mulher devem ser amorosos, companheiros e protetores e assim por diante mas isso é só "conversa-fiada": o homem e a mulher devem ser do jeito que exatamente são. Porque se as pessoas chegaram a se unir do jeito que são é porque um tem características que completam o outro, ou seja, um precisa do outro do jeito que é. Se o casal se gosta de verdade, não precisa dizer como deve ser e tratar o cônjuge, o amor dirá como agir. Dizer como deve ser alguém é difícil, mas "pode-se ser de qualquer jeito, contanto que não faça o que desagrada o cônjuge, dentro de um limite razoável, e cumpra com suas obrigações de pessoa adulta. Vale lembrar também que a concorrência está grande aí fora. E quando as pessoas se gostam de verdade, até os problemas servem para aumentar a união delas, pois quando o cônjuge vê no outro a sinceridade de estar fazendo tudo que pode de verdade em uma crise, os dois saem fortalecidos do problema. Quando não se gostam, qualquer motivo é motivo para brigas, e mesmo quando um deles "engole" o outro por causa de algum motivo (dinheiro, casa para morar, status social) não conseguirá por muito tempo, salvo se houver um "escape" (traições, provisoriedade da dependência, dependência permanente, etc.). As discussões amistosas não devem ser evitadas quando houverem, as brigas sim. Mas não se deve "engolir" as situações até "explodir", mas, "com jeito", até por "indiretas", deve-se dizer o que está incomodando.

Muitos dizem que a melhor maneira de tratar com o cônjuge e aos filhos é a "liberdade assitida" dentro do razoável, sendo dada ciência a estes de que o sistema é usado, dando "surpresas" de visitas em dias e horários inusitados ao cônjuge ou aos filhos. Eu prefiro o sistema da confiança-mútua. O importante entre o casal é sempre sair da rotina com coisas saudáveis, que não precisam ser caras (ir ao parque, museus, igreja, etc.) e levarem a vida com equilíbrio, sendo dignos e respeitáveis de preferência. FILHOS Um dos maiores desafios de hoje: educar filhos em vez de só "criá-los". Porque "criar" nós criamos cachorro, gato, boi, galinha, pois criar é alimentar e proteger da chuva. Mas filhos precisam de muito mais do que isso. É importante que se diga isso porque muitos pensam que morar em bons lugares e não terem muito a falta das coisas, além de ter um ensino escolar de qualidade é o bastante para formar como pessoa um bom filho. Isso não quer dizer nada, além de poder "estragar" a personalidade deles. Em primeiro lugar, o que forma a personalidade dos filhos é o exemplo, pois ela é formada antes dos três anos de idade, absorvida da análise da personalidade dos pais ou pessoas mais próximas. O que a criança vai ser é baseado nesta personalidade absorvida, que será a base para a vida toda. Quando a criança entra na adolescência, é como se "nascesse de novo" vindo novamente a absorver personalidade das pessoas próximas para reagir às novas indagações e necessidades dessa nova fase da vida. Essa personalidade só será modificada com o início da vida adulta, que por sua

vez se inicia quando a pessoa assume responsabilidades, por necessidade ou imposição. Essa nova mudança de personalidade da vida adulta ocorre normalmente pelo término do desenvolvimento do cérebro, entre os dezoito e pode ir até os vinte e cinco anos de idade. Em todas as fases de mudanças, é necessário que os pais orientem os filhos sobre como proceder em face dos mais graves problemas de hoje: drogas, cigarro, álcool, relacionamentos, DST's, até a fase adulta e durante ela se precisar, e de uma forma correta. Falar só irrita os filhos, e até agora o falar deve ser acompanhado de exemplos, por vídeos, histórias de pessoas próximas ou outros, pois em algumas idades as pessoas ainda não conseguem raciocinar, mais já são inteligentes para entender. Mas se mesmo assim não quiserem entender, medidas mais duras devem ser tomadas com as crianças e adolescentes sob nossa responsabilidade. Disciplinar moderadamente (castigos) deve ser optado em vez da repreensão física, mas se não tiver outro jeito... Aos filhos adultos não se pode "bater", mas internamentos forçados em clínicas e o não pagamento de fianças em caso de infrações podem ser usados. Devem-se os pais orientar os filhos e com exemplos de vídeos ou livros também, porque se não a televisão ou os "amigos" o farão. A cada orientação ou repreensão aos filhos estas devem ser acompanhadas dos "porquês". E diferente de que muitos pensam, "bater" no filho não é crime, é exercício regular do direito, pois junto com comprimento do dever legal, da legítima defesa e do estado de necessidade configuram excludentes de ilicitude, ou seja, não são crimes. Isso dentro do razoável, pois o que se exceder responderá pelos crimes de

tortura, lesão corporal, tentativa de homicídio e outros que se aplicarem. Às vezes os filhos são rebeldes porque necessitam de amor e atençao e quando não conseguem isso deles, por exponteniedade dos pais, forçam eles a isso, fazendo besteiras ou chorando para chamar a atenção. Quando os filhos são menores, devemos tomar algumas atitudes por eles e livrá-los das más-companhias, pois quando forem adultos vão nos agradecer. Devemos delegar a eles responsabilidades razoáveis e não dar tudo que querem, mas ensiná-los a trabalhar, respeitando cada fase das suas vidas, sendo sempre sinceros com eles, que eles vão entender. FATOR SOCIAL Sem dúvida, um dos maiores desafios hoje é ser bem-sucedido nas relações sociais, interagindo com pessoas diferentes, todas com os seus interesses, personalidades e culturas distintas, além de caráter e atitudes imprevisíveis. São religiões diferentes, times, convicções políticas e todos acham que o que são ou do jeito que são é a melhor maneira de ser. E para agradar a todos é impossível, pois não há como torcer para todos os times ao mesmo tempo ou ser católico, evangélico, espírita, judeu, islâmico ou budista ao mesmo tempo. Se agradar a todos não dá, que pelo menos não se entre em questões polêmicas para sucitar contendas. Nem todos sabem respeitar a individualidade de cada um. Deve-se evitar ficar em "rodinhas de conversa-fiada", pois será em algum momento compelido a manifestar uma opinião divergente dos demais, e será "excluído" do círculo de amizade deles. Apesar de ser ótimo não se misturar com esse tipos de pessoas, devemos tentar

ser amistosos com todo mundo. Ajudar dificilmente farão, porque se não ajdariam a si mesmos, mas para prejudicar são "experts". Pois isso devemos procurar agir de uma forma que não dependamos ou fiquemos "na mão de alguém", pois mesmo que queiram nos prejudicar, não encntrarão "brechas" para isso. Deve-se evitar emitir opiniões sobre pessoas e coisas e manifestar convicções sejam quais forem. Isso deve ser feito só para os amigos (não colegas) ou para os familiares que se tenha afinidade. Nunca fique "de bobeira" esperando alguém ficar especulando sua vida desde quando nasceu até agora: "desconverse" ou dê alguma desculpa esfarrapada e saia de perto. Eles fazem isso para ter o que comentar de você depois, quando você não dá brechas ou fica em rodinhas de conversa fiada. E ninguém tem que ficar dando satisfação da sua vida pessoal para os outros, só se quiser, ser um "trouxa". Mas voltando a falar em ter de ser amistoso com todo mundo, isso não que dizer que devemos tentar agradar os outros. Na verdade quanto mais se faz isso, mas se é desprezado, pois esses tipos de pessoa vêem isso como uma "obrigação" às suas imagens de "pop-stars" e sabem que quanto mais pisarem nesses coitados, mais serão idolatrados por eles. Isso não quer dizer no entanto que devamos "pisar" nos outros para que nos respeitem, apesar de muitos fazerem isso, mas creio que apenas devamos ignorar "amistosamente" pessoas que não são nossas amigas, e não desprezá-las, ou ignorá-las de forma agressiva. E quanto aos amigos, não devemos "endeusá-los" também pois nunca conhecemos de verdade as pessoas e até que ponto serão nossas amigas. Na verdade devemos tomar cuidado com todos, pois de onde menos esperamos as coisas virem, menos

nos acautelaremos com elas, deixando mais abertas as portas para "puxadas-de-tapete" porque "a oportunidade faz o ladrão". Nunca devemos esperar nada de alguém para que quando viermos a ser traídos por elas, nunca fiquemos decepcionados. Sobra então poucos assuntos para se conversar, mas isso não é problema, pois se está no trabalho, tem que se trabalhar, essas conversas paralelas só servem para "se queimar" na empresa. Mas em alguns trabalhos, conseguimos algumas coisas pelas nossa próprias capacidades e outras dependem de bomrelacionamento no local de trabalho, principalmente com os chefes, que exije que sejamos meio "políticos" com eles, sendo assim quando for chamado, e não se mostrando gratuitamente, que pode demonstrar fazer as coisas por interesse. Devemos, quando for extritamente recomendável, nos posicionar à favor de um lado ou de outro, dentro do que é certo, de preferência. Na minha profissão (policial), ao atender uma ocorrência de discussão, primeiro mando todos ficarem quietos, depois deixo cada um falar de cada vez. Dando para agradar as duas partes, o faço e dependendo da situação é o mais recomendável. Não tendo como, vejo o que está certo (se não há cometimento de crime). Não havendo alguém certo, vejo o que cometeu crime para encerrar a situação. Às vezes aparecem situações que todos estão certos ou todos estão errados, mas não cometeram crimes, e é preciso se dar uma resposta para a situação. E isso acontece com todas as profissões, e devemos dar uma resposta, procurando usar o tirocínio (racicínio rápido) quando for recomendável. Mas isso é assunto para o próximo tópico. LIMITAÇÕES PSICOLÓGICAS

Retornando ao assunto, devemos derrubar aqui um mito. As deficiências físicas não são incapacitantes para obter-se um objetivo, as limitações psicológicas, sim. Mas as limitações psicológicas não são defeitos nossos, são apenas parte de nós. Essas limitações evidenciam-se pelas escolhas erradas. É claro que ninguém erra de propósito, mas o faz tentando acertar, pelo menos eu acho. Elas se caracterizam pela falta de se pensar nos prós e contras de uma situação, nem nos das solucões encontradas depois dessa análise quantas vezes for preciso. Além dessa análise, devemos respeitar as particularidades das pessoas e das coisas (personalidade, física, química ou biologia delas). Por exempo, em uma construção, o tipo de terreno determina o tamanho máximo do imóvel, tamanho da fundação, etc. Outra limitação psicológica é "mergulhar no problema" ou na situação. Temos noção de como são os outros e como fazem as coisas, mas não conseguimos tê-las conosco. "Rotulamos" as pessoas com clareza mas com a gente não conseguimos fazê-lo. Achamos que somos aquilo que pensamos que somos, mas nem sempre é o que os outros vêem em nós. Por isso devemos nos "medir" e ver os problemas mesmo nossos como "espectadores", "do lado de fora", primeiramente usando a razão. Em resumo, as limitações psicológicas se caracterizam pelo levantamento parcial das particularidades, a falta de respeito a essas particularidades e todos os prós e contras de uma situação. E as pessoas são medidas pelo tamanho da capacidade de avaliar esses três ítens: levantamento, respeito e ponderação das particularidades de uma situação. Os que mais se dão bem com elas são geralmente grandes executivos.

As coisas são simples, as pessoas que as dificultam porque conhecimento é poder, tanto que pobres e ricos têm acesso às mesmas coisas, só que a dos ricos é mais cara. A complexidade faz a diferenciação entre as pessoas entre pobres e ricos, inteligentes e néscios, etc. Ninguém nasceu sabendo. Todos têm a capacidade de aprender in thesis e se tornar quem quiser. O conhecimento é que deixa as pessoas bem-sucedidas, e não o contrário. Os que nasceram com dinheiro e poder, tiveram que adquirir o conhecimento para sobreviver nos dias atuais. Albert Einstein em seu livro "Como Vejo o Mundo" exorta a reflexão para obter o conhecimento e sobre o conhecimento. A palavra de Deus também faz essa exortação: "E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" (Joaõ 8,32). Até uma próxima oportunidade.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful