You are on page 1of 36

PAPEL CARTÃO

Sempre na linha de frente dos pontos de venda,


embalagens secundárias querem mostrar mais seu valor
www.embalagemmarca.com.br

ENTREVISTA: A expansão do mercado de PET • METÁLICAS: Vinhos adotam garrafa de alumínio


EDITORIAL }}} UMA CONVERSA COM O LEiTOR

Considerações a respeito de um e-mail


ecentemente recebemos, como incluídas embalagens flexíveis, sacos de papel

R
provavelmente aconteceu com kraft, papel cartão laminado, embalagens para
muitas e muitas empresas no congelados, para forno de microondas, rótulos
Brasil, um e-mail procedente – enfim, tudo que se possa imaginar na área.
de Xangai, em que uma gráfica Ante tão ampla disponibilidade, não nos pre-
localizada naquela cidade chinesa oferece, em ocupamos então em estipular qual seria a pos-
inglês, serviços de impressão dos mais varia- sível ameaça representada pela concorrência
dos tipos de embalagens, nos mais variados previsivelmente imbatível em termos de preço
substratos, em todos os processos conhecidos. para o papel cartão. Afinal, ela é bem mais
O remetente pretende tirar proveito do atra- abrangente, e não teria muito sentido reservar
ente mercado brasileiro e, para isso, simples- o privilégio da ameaça predatória a um único
mente apresenta seu menu e se coloca à dispo- segmento.
sição de quem tiver interesse em informar-se. Assim, preferimos abordar na reportagem,
Não fala em preços. Não nos sentimos motiva- que aparece a partir da página 10, o potencial
dos a consultá-lo, sequer para confirmar nosso de mercado da cadeia de valor da embalagem
pressentimento de que os valores dos serviços de papel cartão, a alta qualidade do produto
daquele fornecedor devem ser mais baixos do celulósico brasileiro e a interessante aborda-
que os que circulam na praça. Também não gem que as gráficas dedicadas ao segmento “Se a indústria de
nos preocupou apurar qual a qualidade dos
serviços oferecidos, mas pelo que conhecemos
fazem do produto: embora seja tecnicamente
definido como “embalagem secundária”, na
embalagem se
da produção gráfica chinesa desconfiamos que maioria dos casos ela é a primeira ser vista empenhar em
deve ser muito boa. Por que, então, citamos
aqui esse fato aparentemente fortuito, mais
pelo consumidor nos pontos de venda e, nessa
situação, a que melhor cumpre as funções de
inovar, aprimorar a
um entre milhares de spams que invadem os atraí-lo e convencê-lo a comprar. qualidade de seus
endereços eletrônicos mundo afora? Acreditamos que, atingidas essas metas
Fazemos isso pela simples razão de que, – alvo que entre outras exigências coloca o serviços, elevar a
ao receber a mensagem, preparávamos uma
reportagem sobre o empenho das gráficas bra-
necessário empenho das indústrias fornecedo-
ras de papel cartão e das gráficas em inovar
produtividade e
sileiras especializadas na impressão de emba- permanentemente, aprimorar a qualidade de ser competitiva,
lagens de papel cartão em valorizar o produto seus serviços, elevar a produtividade e serem
e evidenciar ao máximo seus atributos, de cada vez mais competitivas –, não haverá ofer- nenhuma oferta
modo a conquistar mais espaço junto à indús- ta vinda de fora que consiga vingar por aqui. vinda de fora
tria usuária e aos consumidores finais. No Até fevereiro.
leque de ofertas da mensagem chinesa estão Wilson Palhares vingará por aqui”
foto de caPa: carlos gustaVo curado

Diretor de redação: Wilson Palhares | palhares@embalagemmarca.com.br


EMBALAGEMMARCA é Público-Alvo
uma publicação mensal da Editor executivo: Guilherme Kamio | guma@embalagemmarca.com.br
EMBALAGEMMARCA é dirigida a profissionais que
Bloco de Comunicação Ltda. Redação: redacao@embalagemmarca.com.br ocupam cargos de direção, gerência e super-
Rua Arcílio Martins, 53 Flávio Palhares | flavio@embalagemmarca.com.br visão em empresas integrantes da cadeia de
CEP 04718-040 Marcella Freitas | marcella@embalagemmarca.com.br
São Paulo, SP embalagem. São profissionais envolvidos com
Tel.: (11) 5181-6533 Departamento de arte: arte@embalagemmarca.com.br o desenvolvimento de embalagens e com poder
Diretor de arte: Carlos Gustavo Curado | carlos@embalagemmarca.com.br de decisão colocados principalmente nas indús-
Fax: (11) 5182-9463 Assistente de arte: Jorge H. I. F. Santos | jorge@embalagemmarca.com.br
www.embalagemmarca.com.br trias de bens de consumo, tais como alimentos,
Administração: bebidas, cosméticos e medicamentos.
Filiada ao Eunice Fruet | eunice@embalagemmarca.com.br
Marcos Palhares | marcos@embalagemmarca.com.br
O conteúdo editorial de EMBALAGEMMARCA é
Departamento Comercial: comercial@embalagemmarca.com.br resguardado por direitos autorais. Não é
Juliana Lenz | juliana@embalagemmarca.com.br
Karin Trojan | comercial@embalagemmarca.com.br permitida a reprodução de matérias editoriais
Wagner Ferreira | wagner@embalagemmarca.com.br publicadas nesta revista sem autorização
da Bloco de Comunicação Ltda. Opiniões
PRÊMIO EMBALAGEMMARCA Circulação e Assinaturas (Assinatura anual: R$ 99,00):
expressas em matérias assinadas não refletem
2010

2010

TECNOLOGIAPRODUTIVIDADEGIROCONVENIÊNCIAINOVAÇÃOREDUÇÃODECUSTOSIMPACTOAMBIENTAL
VIDADEPRATELEIRAAGREGAÇÃODEVALORLOGÍSTICAMATERIAISDESIGNCOMUNICAÇÃOSEGURANÇA
Marlyan Dulz | assinaturas@embalagemmarca.com.br
Grandes cases de embalagem necessariamente a opinião da revista.
Eventos: Manuel Dias | eventos@embalagemmarca.com.br
suMárIo }}} Nº 137 }}} JANEIRO 2011

16
Capa: Papel Cartão
10
Setor de papel cartão se movimenta e pleiteia
Internacional
cresce o uso de
carteira com mecanismo
valorização das embalagens feitas do material
deslizante no mercado
farmacêutico europeu

Internacional 17
surgem, nos eua, os primeiros
vinhos em garrafa de alumínio

18 Entrevista
Presidente da abipet fala dos
esforços ambientais e do
crescimento da indústria do Pet

25 Farináceos E mais

embalagem a vácuo é a novidade


de dona Benta, da J. Macêdo
Editorial 3
Só na web 6
Lynn Dornblaser 26 Panorama 8
exemplos de embalagens que facilitam e

24
enriquecem a experiência de consumo
Painel Gráfico
Cachaças 28
Display 30
rotulagem cria efeito especial de

33
superposição em garrafa de marca paulista
Índice de Anunciantes
29 Vitamínicos
Almanaque 34
Yakult reformula apresentações de seus produtos

4 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


SÓ NA WEB Edição: FLÁVIO PALHARES ||| flavio@embalagemmarca.com.br

Amostra da seção diária de notícias de www.embalagemmarca.com.br e da e-newsletter semanal da revista

CARTONADAS ASSÉPTICAS

Transformação em arte
GÁS DE COZINHA
Concurso estimula a produção de
esculturas com caixinhas recicladas Ultragaz apresenta
Veja mais: emb.bz/tetra novos vasilhames
Embalagens são mais leves
Veja mais: emb.bz/ultragaz
MEMÓRIA

Museu do Ipiranga realiza


exposição de embalagens de doces
CURSO
Mostra “Papel de Bala” fica em cartaz até março
Veja mais: emb.bz/balas Especialização
em perfumaria
Pós da Faculdade Santa
Marcelina tem apoio de
grandes indústrias
Veja mais: emb.bz/fasm

INTERNACIONAL
TECNOLOGIA
Empresa americana lança
Embalagens luminosas chamam cerveja em “capítulos”
atenção no ponto de venda
Microcervejaria
Caixas acendem quando estampou em seus
aproximadas de campo magnético rótulos história da
Veja mais: emb.bz/ecoupled década de 1920
Veja mais:
emb.bz/capitulos

Download de edições
Todas as edições de
EmbalagemMarca estão
disponíveis para download
Acompanhe-nos nas redes sociais: gratuitamente no endereço:
www.embalagemmarca.com/pdf
twitter.com/embalagemMarca
facebook.com/embalagemMarca

6 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


PANORAMA }}} MOViMENTAçÃO NO MUNDO DAS EMBALAGENS E DAS MARCAS

CARTONADAS ASSÉPTICAS

Dados ao alcance do público Código dá acesso


a informações
guardadas em banco
Produtora brasileira é a primeira no mundo a ter caixinhas de leite rastreadas de dados on-line
A cooperativa catarinense Aurora tornou- dotadas de um código no topo. Ao digitar a
se a primeira empresa do mundo a combinação numa área exclusiva do site da
disponibilizar para seus consumidores um fabricante, o consumidor acessa um banco
sistema de rastreabilidade ativa para leites de dados com informações sobre a unidade
longa vida. Batizado de P.A.R. (Produto adquirida, tais como data de produção,
Aurora – ou Aurolat – rastreado), a iniciativa nomes das cooperativas fornecedoras do
é fruto de uma parceria com a Tetra Pak. leite, a análise de qualidade de matéria-
“Já tínhamos a ideia há quase seis anos. prima e tabela nutricional. Todo baseado
A Aurora se interessou pelo projeto e se em softwares especiais, o sistema de
propôs a ser pioneira mundial”, conta o rastreabilidade ativa foi desenvolvido pela
diretor de marketing da Tetra Pak Brasil, subsidiária brasileira da Tetra Pak com apoio
Eduardo Eisler. Produzidos numa fábrica da matriz sueca. De acordo com Eisler,
em Pinhalzinho (SC), os leites da Aurora outros clientes já estão em negociação para
são acondicionados em caixinhas de 1 litro aquisição do sistema.

VIDRO
PLÁSTICAS

Leve e maior Mais poliéster


Verallia apresenta garrafa
de 1,5 litro com peso reduzido
bi-orientado
Voltada Terphane planeja construir nova
Numa expansão de sua linha a vinhos,
embalagem fábrica de filmes de BOPET
Ecova de garrafas com apelo utiliza 15%
de sustentabilidade, a Verallia menos Líder na produção de filmes de poliéster
matéria- bi-orientado (BOPET) para embalagens
(ex-Saint-Gobain) apresenta uma prima
opção com 1,5 litro. Desenvolvida flexíveis e aplicações industriais na América
especialmente para o mercado Latina, a Terphane anunciou que planeja
de vinhos, a novidade está investir algo próximo a 100 milhões de reais na
disponível nos formatos Bordeaux construção de uma segunda fábrica no Brasil.
e Bourgogne, com fechamentos A unidade deverá ser inaugurada em 2012,
rolha ou pilfer (tampa de rosca). em local ainda indefinido, e poderá dobrar a
De acordo com a fornecedora, a capacidade instalada da empresa no País –
produção da embalagem exige hoje, de 34 000 toneladas por ano. A empresa
15% menos matéria-prima em tem uma unidade na cidade de Cabo de Santo
relação às garrafas convencionais Agostinho, próxima a Recife, e controla ainda
de vidro com igual capacidade uma pequena fábrica no seu país de origem,
volumétrica, além de reduzir o os Estados Unidos, em Bloomfield, no estado
consumo de energia em 4% de Nova York.
e a emissão de gás carbônico O diretor-geral da Terphane, Renan Bergmann,
em 15%. Segundo o diretor disse ser grande a chance de a nova fábrica
comercial da Verallia, Paulo ser instalada próximo à base pernambucana.
Dias, a nova garrafa apresenta Desde meados de 2010 a empresa trabalha
o mesmo desempenho dos com 100% de sua capacidade tomada, o
modelos convencionais. “Garrafas que pesou a favor da expansão. O projeto é
grandes e leves eram tudo o que o apoiado pelo novo dono da Terphane, o Vision
mercado esperava, pois ajudam a Capital. Em setembro último, o fundo inglês
otimizar os custos logísticos”, diz adquiriu o controle do negócio junto ao grupo
o executivo. de private equity americano Rhone Capital.

8 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


Edição: GUILHERME KAMIO ||| guma@embalagemmarca.com.br

O NÚMERO

11,85%
foi o crescimento das vendas da indústria nacional de papelão
ondulado em 2010, segundo balanço da Associação Brasileira do
Papelão Ondulado (ABPO). O setor comercializou 2,543 milhões de
toneladas do material, contra 2,273 milhões de toneladas em 2009.

fonte: aBPo / Jan. 2011


O desempenho reflete o aquecimento do consumo no mercado
interno no ano passado, já que a principal aplicação para o papelão
ondulado é a confecção de caixas de transporte.

METÁLICAS

Vidraria investe em latas


Ardagh adquire a Impress, potência em embalagens metálicas

Autoridades europeias e americanas Ardagh, Paul Coulson. A impress


aprovaram no fim de 2010 a possui 57 fábricas em 22 países ao
aquisição da impress, uma das redor do mundo, empregando 7 500
maiores fabricantes mundiais de pessoas. Em 2009, registrou vendas
embalagens metálicas, pela vidraria de 1,8 bilhão de euros. Já a Ardagh
irlandesa Ardagh Glass. O negócio, Glass é a terceira maior produtora
de 1,7 bilhão de euros, resultará de embalagens de vidro da Europa
na criação de uma nova empresa, (fica atrás somente da Owens-
a Ardagh Packaging Group. “É illinois e da Verallia), possuindo 24
um divisor de águas que nos fábricas em sete países. No ano
proporcionará escala e alcance passado, a receita da empresa foi
globais”, disse o presidente da de 1,2 bilhão de euros.

CODIFICAÇÃO

Prioridade ao meio ambiente


Nova codificadora a jato de tinta destaca atributos “verdes”

Com lançamento oficial previsto para sem acetona ou MEK (metiletilcetona)


fevereiro próximo, a 9232 é a mais e tem baixo consumo de energia. Os
nova codificadora a jato de tinta para predicados “verdes” são acompanha-
pequenos caracteres da Markem-imaje. dos por cartuchos de alto rendimento,
A fabricante afirma que o diferencial capazes de imprimir até 86 milhões de
da novidade é o desenvolvimento todo caracteres por litro e substituíveis sem
baseado em aspectos ambientais. O necessidade de parada de máquina, e
equipamento é construído com uma tela touchscreen de 7 polegadas
mais de 80% de materiais reci- para o controle. A 9232 imprime códigos
cláveis, opera com novas tintas de barras uni e bidimensionais (Data
Matrix) a velocidades de até 6,6 metros
por segundo, em até cinco linhas de
9232: tintas sem acetona e
baixo consumo energético impressão.
}}} rePortaGeM de caPa

Secundárias querem ser vistas como


Gráficas dedicadas a embalagens de papel cartão se empenham em reforç
Por Wilson Palhares

P
ara variar, foram alarmistas os rumo- Mas, embora confortavelmente embalada em
res, intensos nas proximidades do 2010 por índices de crescimento de 6,7%% na
final do passado, de que ocorreria produção de papel cartão e de 17,2% de aumento
uma crise de desabastecimento de nas vendas internas de embalagens feitas do mate-
papel cartão no mercado brasileiro, rial, há na cadeia de valor dessa matéria prima
ante o forte crescimento do consumo motivado quem esteja incomodado, por questão de imagem.
pelo aumento da renda em geral e do dinheiro O incômodo se manifesta sobretudo no elo da
extra do 13º salário. Superado o pico da procura, transformação, ou seja, nas gráficas que conver-
a produção brasileira de papel cartão (e de artigos tem papel cartão em estojos para acondicionar
celulósicos em geral) voltou à situação normal de alimentos, medicamentos, cosméticos, perfumes,
oferta superior à demanda, na qual se consumem artigos de higiene pessoal e tantos outros bens de
internamente 60% e se exportam 40% de tudo que consumo de massa.
é fabricado no País. A rigor, o setor está estável, e “Não gostamos nem um pouco de ver a emba-
não há no horizonte sinais de que ocorram fusões lagem de papel cartão ser chamada de embalagem
como a da Ibema com a Papirus, que deverá conso- secundária, ainda que tecnicamente seja essa a
lidar-se em meados deste ano, quando concluídas designação”, queixa-se Sidney Anversa Victor,
as auditorias a que ambas as empresas estão sendo diretor do Grupo Empresarial de Embalagens da
submetidas. Em poucas palavras, o setor de papel e Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abi-
celulose, com ênfase no papel cartão, vai bem e se graf). Esse grupo, responsável por 46% dos 23
empenha agora em desenvolver produtos inovado- bilhões de reais produzidos em 2010 pelas empre-
res, ao lado da sustentabilidade, comprovadamen- sas representadas na Abigraf, (sem contar pré-
te, uma forma muito eficaz de ser competitivo em impressão), reúne empresários e profissionais de
âmbitos local e internacional. empresas ligadas àquela associação e à Bracelpa,

Carriers de papel cartão transmitem a


ideia de produto premium a cervejas em
comparação com as envoltas em filmes,
mesmo com impressão a cores

Variação de decoração em produtos


acondicionados em embalagens
standard, sem identificação de
marca ou conteúdo

10 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


primeiras
ar imagem e ganhar mercado

que representa o setor de celulose e papel. “Para o


consumidor final, em grande parte das vezes, para
não dizer na maioria delas, a embalagem de papel
cartão é a que leva ao primeiro contato com o pro-
duto no ponto de venda”, argumenta Victor. “Além
de atender a uma série de necessidades e expecta-
tivas do consumidor, ela contribui fortemente para
aumentar a percepção de valor dos produtos.”

Sustentabilidade
Ante essa constatação, aquele núcleo da Abigraf
planeja pôr em marcha uma campanha de valoriza-
ção da embalagem de papel cartão (ver entrevista
na pág. 14), para a qual busca a parceria da Bracel-
pa. Com a campanha, as gráficas visam conquistar
mais adeptos do papel cartão na indústria usuária
de embalagens e de melhor informar os consumi-
dores finais sobre os atributos do material.
Nessa linha, um dos pontos de destaque será
a sustentabilidade do produto, obtido de florestas
100% plantadas, certificadas e “100% renováveis,
o que diferencia o papel cartão dos demais mate-
riais de embalagem,” nas palavras de Victor. “Para

Em estojos
que lembram
carteiras, gomas
de mascar
ganham status
de confeitos
sofisticados

Com as
crescentes
restrições à ad
o
ur
publicidade, rlo
sc
embalagens s: ca
to
fo
ganharam força
como veículo
de inovação e
promoção de
marca

www.embalagemmarca.com.br
completar, é um produto totalmente reciclável, por (mais 57%) e papel e papel cartão (mais 30%).
incontáveis ciclos.” No conjunto de todos os segmentos de papel, a
O aspecto da reciclabilidade, consideram os produção deverá atingir 12,7 milhões de toneladas.
membros do grupo, ganha relevância no contexto Assim, do nono lugar entre os maiores produtores,
da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), alcançado no ano passado (estava em 11º), até lá o
em fase de implantação no País. Passo importante Brasil poderá subir um ou dois degraus. Cabe lem-
nessa direção foi o recente lançamento do primeiro brar que as projeções para a demanda de celulose
Relatório de Sustentabilidade do setor pela Bracel- para o próximo ano indicam um crescimento da
pa, com base nas diretrizes da Global Reporting demanda de 3% em média ao ano, até 2025, para a
Initiative – GRI (ver quadro na página ao lado). celulose de fibra curta, obtida a partir de eucaliptos
Se fosse levado em conta somente seu desem- 100% plantados.
penho, o setor certamente não teria motivos de
queixas. Estimativas apresentadas recentemente Produtos inovadores
pela Associação Brasileira de Papel e Celulose Os produtores se preparam para tirar proveito de
(Bracelpa) para o encerramento de 2010 mostram um cenário favorável, que estimula a expectati-
um crescimento de 5,1% na produção de celulose va de aumento do consumo mundial de papel e
em comparação com 2009, chegando a 14 milhões papel cartão de todos os tipos (principalmente
de toneladas, enquanto a produção de papel (inclu- de embalagem e para fins sanitários) de 1,5% ao
ídos papel para escrever e imprimir e papel cartão) ano nos próximos quinze anos. Nessa tendência,
registraria 3,4% de aumento, alcançando a marca abrem-se oportunidades para a exportação de pro-
de 9,8 milhões de toneladas. dutos inovadores, com vistas em primeiro lugar à
No caso das exportações, onde preponderam os exportação, já que, não obstante a crise que ainda
embarques de celulose, os números são superlati- atinge os Estados Unidos, a Europa e o Japão, há
vos: a receita deveria registrar 41,2% de aumento, bastante procura por papel cartão com altos teores
chegando a 4,7 milhões de dólares no final do ano de brancura e alta rigidez, segundo André De
passado. O setor aposta na tendência de crescimen- Marco, gerente de produto da Unidade Papel da
to para os próximos anos, o que favorece um ciclo Suzano Papel e Celulose.
de expansão da indústria. Otimista, o presidente do O executivo cita dois exemplos que inclui entre
Conselho Deliberativo da Bracelpa, Horacio Lafer os cases de grande sucesso da Suzano. Um é o
Piva, anunciou uma previsão de investimentos de recém-lançado triplex TP White, apresentado pela
20 bilhões de dólares até 2020 para ampliação da primeira vez ao mercado na edição da Pack Expo
base florestal (mais 45%), produção de celulose de Las Vegas, em novembro último e “sucesso

No ponto de venda, além de


oferecer cinco faces de exposição, a
embalagem pode ser empilhada na
horizontal e na vertical, dando novas
opções de visibilidade

Para chocolates, papel cartão possibilita


a criação de embalagens com formatos
diferenciados, picotes e altos recursos de
impressão, como hot-stamping e relevo

12 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


imediato nos Estados Unidos”. Basicamente, a
rigidez do produto permite ao usuário utilizar
gramaturas mais baixas do que as utilizadas regu- Relatório pioneiro no setor
larmente, sem prejuízo da resistência mecânica. O Baseado nas diretrizes do Global Brasil, resultou de um processo de
TP White oferece também superfície e verso mais Reporting initiative (GRi), organização discussão, análises e debates que
brancos e homogêneos, o que garante resultados não-governamental internacional durou dois anos e contou com a
de impressão com fundo mais branco e acaba- que busca atribuir ao conteúdo de participação das empresas associadas
mento mais requintado. Dado o êxito do produto, publicações de fundo ambiental e da Bracelpa, reunidas no comitê de
social o mesmo peso dos balanços sustentabilidade da associação.
a Suzano está estendendo a linha TP White, com
financeiros das empresas, a
o lançamento do TP White Pharma, triplex de alta
Associação Brasileira de Celulose
performance destinado ao mercado de embalagem
e Papel (Bracelpa) lançou em
de medicamentos, e do TP White Zero Transfer, dezembro último seu Relatório
direcionado ao mercado de alimentos. Segundo o de Sustentabilidade. Segundo
fabricante, o produto controla a transferência de Elizabeth de Carvalhaes, presidente
sabor e odor do papel cartão para o alimento. executiva da entidade, o principal
Outro exemplo é o do Art Premium Barr, um objetivo da iniciativa é “apresentar o
triplex com superior barreira à gordura e rigidez engajamento e o comprometimento
mais elevada que a de outros tipos de papel cartão. das empresas de celulose e papel
Desenvolvido inicialmente para embalagens da com o desenvolvimento sustentável
rede McDonald’s, que já usa cartões Suzano exclu- do País”. O relatório, o primeiro
sobre sustentabilidade no setor no
sivos em suas embalagens de sanduíches e batatas,
o produto está disponível para outras empresas do
ramo. Seu principal benefício consiste em melho-
rar a apresentação do produto entregue ao consu-
midor final, diz Adriano Canela, gerente executivo
de Estratégia e Marketing da Unidade Papel da
Suzano. O projeto foi desenvolvido em conjunto
com a Brasilgráfica.
De sua parte, as gráficas convertedoras que-
rem beneficiar-se da tendência positiva que favo-
rece o papel cartão, apostando sobremaneira no
mercado interno. O principal atrativo vislumbrado

Com uso de facas de corte,


criação de janelas permite a
visualização do produto

www.embalagemmarca.com.br
pelas gráficas está na inclusão de grandes con- embalagem mostra potencial para entrar em searas
tingentes de consumidores de perfil comprador nas quais o papel cartão sempre foi hegemônico.
modesto em faixas de consumo mais sofisticado. O exemplo mais notável talvez seja o de alimentos
O mercado consumidor chamado de baixa renda matinais, em que os SUP’s – uma peça única – são
é composto por cerca de 170 milhões de pesso- oferecidos como alternativa (revestida de vanta-
as, com potencial para movimentar mais de 800 gem de preço e de manuseio) às caixas celulósicas,
bilhões de reais por ano no País. Nesse potencial, nas quais vão as embalagens plásticas flexíveis
apostam os impressores de embalagens de papel contendo o produto. Como o tema da sustentabili-
cartão, está embutida a busca de produtos com dade é campo livre para a semeadura de todos os
maior valor agregado, manifesto claramente em tipos de argumento, a eliminação de embalagens
suas embalagens (ver entrevista sobre consumo secundárias entra também na tendência de proje-
de baixa renda em EmbalagEmmarca nº 132, de tos com propósito verde. Nessa linha, há notícia
agosto de 2010). de que uma grande fabricante de alimentos vem
testando a eliminação dos cartuchos que envolvem
Flexíveis de olho suas bandejas de pratos prontos.
Ocorre que os convertedores de materiais con- Na defesa do território que sempre dominou,
correntes, em especial aqueles que visam tomar as gráficas se esmeram na oferta de cartuchos
espaços de sistemas de embalagem compostos por com acabamentos cada vez mais elaborados e
recipientes primário e secundário, estão de olho organizam, por intermédio do Grupo Empresa-
no mesmo mercado. É o caso das embalagens rial de Embalagens da Abigraf, campanha de
flexíveis em geral e dos stand-up pouches (SUP’s) comunicação destinada a ressaltar as vantagens
em particular. Como podem ser colocados em pé, que o papel cartão ofereceria frente aos mate-
esses sacos plásticos sanfonados representam a riais concorrentes. O diretor do grupo, Sidney
mais nova ameaça aos recipientes rígidos e semir- Anversa Victor, que é também diretor da Congraf,
rígidos, categoria em que se inserem os feitos de aponta para a “multiplicação” de lançamentos de
papel cartão, na medida em que oferecem ampla produtos que têm recorrido ao papel cartão para
área de exposição nos pontos de venda. Os SUP’s transmitir o conceito de valor percebido. De fato,
já conquistaram fatias expressivas em algumas basta percorrer supermercados, farmácias, lojas
categorias de produtos, como aconteceu com as de confecção e de produtos de uso pessoal para
lata de aço e com os potes de vidro para derivados constatar essa tendência, na qual as funções da
de tomate. A categoria é dominada hoje por aquele embalagem secundária variam de produto para
tipo de embalagem. produto, como pode ser observado nos exemplos
Como foi mostrado na reportagem de capa da selecionados aleatoriamente e reproduzidos ao
edição anterior de EmbalagEmmarca, esse tipo de longo desta reportagem.

Material
proporciona
montagem Além de
de estojos proteger a
tipo “leve 2 garrafa de
e pague 1” vidro no
transporte,
cartucho com
impressão
especial
dá aspecto
premium ao
produto

Uso de abas aumenta


visibilidade no ponto-de-venda

14 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


O consumo apenas engatinha
Gráficas especializadas em papel cartão apostam firme em crescimento

A
s gráficas especializadas ela seja classificada como “embalagem
em embalagens de papel secundária”, não é assim que o consu-
cartão querem valorizar o midor final a percebe. A embalagem
produto. Nesta entrevis- com quem ele tem o primeiro contato
ta, Sidney Anversa Vic- no ponto de venda é a que acondiciona
tor, diretor do Grupo Empresarial de sachês, potes, latas, frascos e garrafas –
Embalagens da Associação Brasileira da as chamadas “embalagens primárias”,
Indústria Gráfica (Abigraf) e da Congraf, Em tal situação, é a embalagem “secun-
fala como pretendem conseguir isso. dária” que faz a comunicação, que atrai a
atenção do consumidor, que o informa e
A participação do papel cartão no bolo o convence a comprar o produto. A cam-
das embalagens impressas é muito panha visa reiterar para a indústria usuá-
expressiva. Mas as gráficas entendem Sidney Anversa Victor: “Em termos de ria o fato de que a embalagem de papel
que seu desempenho pode ser melhor. sustentabilidade, o papel cartão brasileiro tem cartão valoriza o produto nela contido e
condições inigualáveis de competitividade”
Quais as expectativas de crescimento? é a que melhor responde ao requisito da
Depois que milhões de pessoas de baixo o mundo está acreditando no desenvol- sustentabilidade.
ou quase nulo poder aquisitivo ascen- vimento do Brasil. Estão de olho num
deram para faixas mais elevadas, tendo mercado de 200 milhões de pessoas. A A propósito, como o setor pretende
finalmente acesso ao consumo, temos dimensão desse mercado em si já é muito enfrentar a crescente movimentação de
expectativas muito otimistas. O Brasil atraente, e se torna mais ainda na medida ambientalistas no combate às embala-
tem quase 200 milhões de habitantes e em que está se fortalecendo. gens em geral? Ao lado do plástico, as
apenas engatinha no consumo. Milhões embalagens de papel cartão aparecem
de pessoas que antes mal conseguiam Esse otimismo é comum a todo o setor? entre as mais combatidas, por serem
comprar um frango vivo para matar, lim- Não só no Brasil, mas também lá fora. “supérfluas”.
par e cozinhar passaram a comprar uma Tanto é que, como em outros segmentos, Em vez de confrontar os combatentes
bandeja de peito ou de coxa. Passaram muitas empresas da área gráfica no exte- naturalistas, a Abigraf atua propositiva-
a ser consumidores e, nessa condição, rior estão querendo se instalar aqui. mente. O setor procura unir seus esfor-
a consumir embalagens, e isso não terá ços aos demais que buscam melhorar
mais parada. Foi um grande passo, con- São fornecedoras ou convertedoras? a condição do mundo nos três pilares
siderando que o Brasil estava em nível As duas coisas. O que posso dizer é que da sustentabilidade, isto é, o social, o
praticamente zero no consumo de emba- o interesse está voltado não só para o econômico e o ambiental. Para ficar só
lagens em relação a países desenvolvi- segmento de embalagens de papel cartão, neste aspecto, lembro que o papel cartão
dos. Nesse quadro, nossa expectativa é mas também para o de flexíveis. brasileiro é produzido com celulose obti-
de que, no balanço de 2010, o cresci- da de florestas plantadas, certificadas e
mento girará em torno de 6%, devendo O Grupo de Embalagens da Abigraf manejadas com as melhores práticas do
aumentar gradativamente até dezembro pretende desenvolver movimentos com mundo. Isso em matéria prima virgem.
de 2011. Para os próximos quatro anos a vistas a concretizar essas expectativas? Da produção total do produto, uma parte
projeção é de 10% ao ano, em média. Sim, estamos empenhados numa cam- menor é feita com uso de papel cartão
panha de valorização da embalagem de reciclado. É outra vantagem ambiental, já
Em que se baseia essa expectativa? papel cartão. Será centrada na comuni- que o material é total e eternamente reci-
Em modelos econométricos para pro- cação sobre as vantagens do produto. clável. Em termos de sustentabilidade,
jeções feitos pela equipe econômica da Um dos eixos da campanha será a ênfase o papel cartão brasileiro tem condições
Abigraf e também no fato de que todo no fato de que, embora tecnicamente inigualáveis de competitividade.

www.embalagemmarca.com.br janeiro 2011 EmbalagemMarca 15


}}} Internacional

Inovação colateral
Carteira com mecanismo deslizante amplia o número
de adeptos no mercado farmacêutico europeu

P
rimeiro foi a Bayer, em meados de
2009, com os antiácidos Rennie Ice
e Rennie Peppermint. Agora, a
mesma empresa, com o medi-
camento contra disfunção erétil
Levitra, e a Sanofi Aventis, com o analgésico
DolipraneLib e o antiácido Maalox, começam
a dar visibilidade no mercado farmacêutico
europeu ao Burgopak Slider. Trata-se de uma
embalagem que, à primeira vista, parece mais
um daqueles blisters envolvidos por luvas
Burgopak Slider agora é utilizado
cartonadas tão comuns na venda de gomas de pelo Levitra, medicamento da
mascar. No entanto, guarda um diferencial em Bayer contra disfunção erétil
seu exclusivo mecanismo deslizante.
A cartela em que os comprimidos são acondi- aos nossos consumidores”.
cionados é expelida de um lado da embalagem à Lançado em versão industrial automatizada há
medida que uma lingueta é puxada no lado oposto. pouco mais de dois anos (ver EmbalagemMarca
Bosch Packaging
A parte ejetada juntamente com a lingueta traz nº 105, maio de 2008), o Burgopak Slider não é Technology
colada a bula do medicamento. Convenientemen- adequado somente para a venda de fármacos. Sua (11) 2117-6807
www.boschpackaging.com
te, os componentes não se desprendem, mantendo criadora, a britânica Burgopak, já emplacou pro-
informações relevantes sobre o produto sempre jetos para outros produtos, como doces e cigarros. Burgopak
acessíveis ao consumidor – e visíveis durante todo Mas o apelo para medicamentos parece maior. +44 (0)20 7089-1950
www.burgopak.com
o período de uso. Primeiro, por representar uma possibilidade de
inovação para um setor mais conservador em
Algo de novo termos de apresentação. E, não menos importante,
O Burgopak Slider tem ganhado destaque entre os por funcionar como uma ferramenta para coibir
laboratórios europeus como aposta para reforçar falsificações.
a imagem de remédios de marca em meio a um O processamento automático é feito por meio
mercado bastante concorrido. “A embalagem é de uma máquina da Bosch Packaging Technolo-
portátil, de uso amigável, discreta e proporciona gy, empresa com filial no Brasil. A propósito, a
uma vantagem visível frente à concorrência”, afir- Burgopak afirma, em seu site, ter um represen-
ma Thomas Proske, gerente global da Bayer para tante em São Paulo. Procurada pela reportagem,
o Levitra. “Ao mesmo tempo em que é segura e a empresa não havia identificado o parceiro até o
adequada, ela é também cheia de estilo e irá apelar fechamento desta edição. (GK)

Sanofi Aventis também


adotou a solução em
dois produtos

16 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


}}} Internacional

Degustação metálica
Vinícola americana promove estreia da
garrafa de alumínio no mercado de vinhos

A
té hoje mais utilizada em edições espe-
ciais de cervejas e refrigerantes, a
garrafa de alumínio agora estreia no
mercado de vinhos. A iniciativa é da
JT Wines, vinícola sediada no famoso
Vale do Napa, na Califórnia. Produzida nos Estados
Unidos pela Exal Corporation, fornecedora que está
construindo fábrica no Brasil (ver EmbalagemMar- Para a JT Wines,
ca nº 132, agosto de 2010), a garrafa adotada pela produtora da linha
Flasq, garrafa
JT Wines tem 375 mililitros e acondiciona vinhos de de alumínio traz
duas castas, Chardonnay e Merlot, comercializados imagem premium e
inovadora, atributos
por meio da marca Flasq. de conveniência e é
A novidade começaria a ser distribuída no início ambientalmente correta
de janeiro para empórios, arenas esportivas, hotéis,
casas noturnas e restaurantes espalhados por vinte
estados americanos. “Acredito que o Flasq será uma
inovação capaz de difundir vinhos premium junto
às gerações mais novas e em locais onde o produto
sempre foi reprimido”, aposta Tim McDonald, co-
fundador e diretor-geral da JT Wines.

Vantagens importantes
Num comunicado sobre o lançamento, a JT Wines
sustenta que a garrafa de alumínio reúne atributos
vantajosos para a venda de vinhos: é inquebrável,
permite gelar a bebida cinco vezes mais rápido que
a garrafa de vidro, protege o conteúdo da ação dos
raios ultravioleta (fotodegradação) e tem tampa de
rosca, que permite sua abertura e resselagem de
forma conveniente.
De acordo com o diretor da JT Wines, a garrafa
de alumínio também se destaca “por ser ambiental-
mente correta”. “Nos Estados Unidos, a reciclagem
de vidro e plástico não chega à metade da de alu-
mínio”, aponta McDonald. “Ademais, comparada
com o vidro, a garrafa de alumínio tem pegada de
carbono 35% menor, devido ao aliviamento de peso
proporcionado durante o transporte”. (GK)

Exal
+54 (2322) 496-226
www.exal.com

www.embalagemmarca.com.br
ENTREVISTA }}} aurI MarÇon

Crescimento contínuo
B
astou começar uma nova tem-
Presidente da Associação Brasileira da porada de chuvas pelo País
Indústria do PET (Abipet) explica as razões e o noticiário foi inundado
por fotos de garrafas plásticas
das evoluções em consumo e reciclagem do boiando em rios e córregos.
Para o presidente da Associação Brasileira
material no mercado local de embalagens da Indústria do PET (Abipet), Auri Marçon,
a exibição frequente desse tipo de imagem
estimula a execração – injusta – das emba-
lagens. “Infelizmente, é mais fácil culpar o
objeto, inanimado, e não quem o deixou che-
gar onde não deveria”, afirma. O executivo
lamenta que a grande mídia não dê o mesmo
destaque aos feitos da indústria para mini-
mizar o passivo ambiental, como o fomento
à reciclagem de politereftalato de etileno
(o nome por trás da sigla PET). A Abipet
acaba de anunciar que essa atividade bateu
novo recorde: 55,6% da produção local de
garrafas foram recondicionados em 2009.
Buscando novos incrementos desse índice, a
entidade lançou, na internet, um guia de pos-
tos de coleta de garrafas. Também pretende
colocar em prática novas ações em 2011.
EMBALAGEMMARCA conversou com Marçon
acerca desses projetos e sobre o mercado
em geral.

De acordo com a Abipet, a reciclagem de


PET vem crescendo ano após ano. O mais
recente estudo da entidade, divulgado em
dezembro último, aponta que a atividade
evoluiu 3,6% em 2009, atingindo 262 000
toneladas. O que explica a valorização
dessa atividade?
Acima de tudo, o trabalho de criação de
demanda por PET reciclado, iniciado há
quinze anos. O Brasil é líder no desenvolvi-
mento de aplicações para o PET recondicio-
nado. Isso cria valor e acaba dinamizando
© diVulgaÇÃo

toda a cadeia de recuperação, o que não é


comum em outros materiais. Em outros seto-

18 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


res tenta-se coletar primeiro e depois coleta e a separação de garrafas, sus- sas. Como estimulamos a demanda,
pensar em como reciclar. Não fazemos tentada pela farta mão-de-obra com agora precisamos aprimorar a coleta.
esse jogo de empurra. Nossa evolução baixa qualificação. E a segunda etapa Por isso, estamos lançando o LevPet,
é sustentada por uma demanda firme, da reciclagem, a da moagem, exige que é um serviço virtual de localização
o que é de suma importância. A pro- baixo investimento, o que favorece o de postos de coleta de embalagens (ver
cura por resina reciclada viabiliza a ingresso de micro e pequenas empre- quadro na página 23).

A INDÚSTRIA DO PET EM NÚMEROS Qual a situação do Brasil em relação


a outros países que também reciclam
o material?
Faturamento (em bilhões de reais)
É difícil e injusto comparar os desem-
2006 2007 2008 penhos dos países. Explico. O Japão,
Resina virgem (resina, pré-forma, garrafas que costuma ser apontado como o
e frascos)
2,071 2,187 2,242 número 1 nessa atividade, coleta quase
68% das garrafas de PET que conso-
Reciclados (uso final nas indústrias têxtil, me. Mas algo em torno de 70% desse
química, de embalagens e outras)
0,980 1,021 1,083 total é exportado para a reciclagem em
outros países, especialmente vizinhos
asiáticos. Ou seja, o lado positivo
Demanda anual de embalagem no sistema de coleta é negativo no
ANO 1994 2000 2005 2009 sistema de reciclagem e destinação,
já que o material é exportado. Os
Kton 80 255 374 471
europeus também se gabavam de ter
uma coleta muito eficiente, mas não
Principais mercados diziam que enviavam o PET recolhido
Principais aplicações da resina: Participação em cada segmento: para outros países. O Brasil se destaca
• Refrigerantes: 63,3% • Isotônicos: 100% porque coleta 55,6% de suas garrafas,
• Água mineral: 13,4% • Vinagre: 95% recicla-os e os destina para aplicações
• Óleo de cozinha: 12,2% • Água: 90% (fora garrafões) ambientalmente corretas em seu pró-
• Suco de frutas: 2,2% • Refrigerantes: 80% prio território. Nos Estados Unidos, a
• Outros: 8,9% • Óleos de cozinha: 80% coleta nem chega a 22%, e boa parte
do material é exportada. O México
coleta menos de 20%. Alguns países
Reciclagem de PET (sobre novas embalagens)
nanicos, como Suíça e Dinamarca,
ANO 1994 2000 2005 2009 podem até ter desempenho melhor
Kton 13 67 174 262 que o brasileiro. Mas a realidade é
% 18,8 26,3 47 55,6 totalmente diferente. Os volumes são
radicalmente menores, o que facilita
o processo.
Aplicações do PET reciclado
O senhor disse que o Brasil é um
• Têxteis (39%) polo de desenvolvimento de aplicações
• Resinas insaturadas e alquídicas (19%) para o PET reciclado. Quais são os
• Laminados e chapas (15%) destaques nesse campo?
• Embalagem de alimentos (10%)
O uso do PET reciclado para aplicações
• Outras embalagens (9%)
• Fitas de arquear (6%) químicas era até pouco tempo desco-
• Tubos (2%) nhecido do resto do mundo. Foi desen-
fonte: aBiPet

20 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


volvido aqui no Brasil. Peguemos, por de alimentos. O dado surpreende, já Pode ser. Esse é um aspecto que não
exemplo, o emprego do material na que não ouvimos falar em aplicações nos surpreende. Anos atrás, visitava
formulação de tintas e vernizes. Quase desse gênero no mercado local desde indústrias têxteis e o pessoal costu-
todas as grandes fabricantes já fazem sua liberação, em 2008, pela Agên- mava dizer: “Certo, usarei PET reci-
isso no País. Desenvolvemos, aqui, o cia Nacional de Vigilância Sanitária clado. Mas não conte para ninguém”.
uso do PET reciclado insaturado como (Anvisa)... A alegação era a de que as pessoas
resina estrutural ou de laminação para Já ocorre no Brasil a produção de resi- não entendiam que o produto reci-
a composição, em misturas com fibra na de grau alimentício, inspecionada clado é tão nobre quanto o virgem.
de vidro, de bancos de ônibus, ban- pela Anvisa e voltada a aplicações Isso, porém, melhorou muito. Muitas
cos de estádios de futebol, banheiras, nobres. Existem usos dessa resina. Só empresas estão fazendo publicida-
pranchas de surfe e mármores sinté- que as empresas preferem não fazer de dessas ações. Outro dia, passou
ticos para pias e tampos residenciais. propaganda. São elas que decidem a no meio do Jornal Nacional aquele
Essas tecnologias estão sendo exporta- pertinência de anunciar ou não essas comercial em que a (atriz) Maria
das para o resto do mundo, o que nos ações. Temos de respeitar. Fernanda Cândido destaca que os
orgulha. carros da Ford usam carpete de PET
Parece uma oportunidade perdida de reciclado. A Coca-Cola, por sua vez,
O Censo aponta que 10% do volume se trabalhar um apelo de sustentabi- tem divulgado fortemente que quer
total de PET reciclado em 2009 foram lidade. Seria por causa do temor de utilizar PET reciclado em suas emba-
destinados à produção de embalagens rejeição pelo consumidor? lagens.
Por falar em Coca-Cola, é grande a não sem fundo de razão, é que é impos- uma premiação para as embalagens
expectativa em torno do uso do PET sível fiscalizar todas as empresas em que mais respeitam códigos e regras.
reciclado em garrafas de refrigerante. tempo integral. Por isso, é importante Em vez de punir quem não faz bem,
Quando poderemos ter esse tipo de que os end-users se conscientizem de queremos premiar quem faz bem.
aplicação, conhecido como bottle-to- que o uso de PET reciclado como se
bottle, no Brasil? fosse virgem, sem controle de quali- Uma expectativa de longa data é a
Cabe aí um esclarecimento. A tec- dade e homologação, pode trazer pre- da difusão, no Brasil, da cerveja em
nologia bottle-to-bottle já existe e é juízo às suas marcas. Muito provavel- garrafa de PET, trabalhada há anos
utilizada faz tempo no Brasil. Há anos mente lançaremos em 2011 um plano em outros países. O produto, contudo,
já fazemos embalagem de detergente de monitoramento da qualidade das tem sido alvo de restrições de autori-
a partir da reciclagem de embalagens dades. Recentemente, por exemplo, a
de PET. O fato novo – e desafia- Justiça decidiu condicionar sua fabri-
dor, portanto – é a tecnologia de PET
“Não há nenhum motivo cação a um aval do Ibama, entendendo
reciclado food grade (adequada para ser necessária uma análise de risco
acondicionar alimentos). Já temos pelo ambiental. Qual sua opinião sobre esse
menos cinco fornecedoras de resina
técnico ou ambiental para imbróglio?
desse gênero no País. Uma delas já foi A situação pode parecer confusa para
avaliada e conseguiu uma carta de não-
proibir a cerveja em PET. o leitor, mas para nós é clara. Cerveja
objeção da Anvisa. Tecnologia existe. pode ser envasada em PET. Todas as
Mas a ação efetiva, o uso no merca- As mesmas empresas que barreiras tecnológicas foram resolvi-
do, envolve diversos fatores. Grandes das. O mundo todo usa garrafa de PET
indústrias costumam ser rigorosas, ter atuam no Brasil usam, lá no mercado de cerveja. As mesmas
exigências de qualidade mais severas empresas que atuam no Brasil usam,
que as da Anvisa. Leva-se tempo em fora, essa embalagem. lá fora, essa embalagem. Não há abso-
testes, para que a tecnologia respeite lutamente nenhum motivo técnico ou
todas as regras de best practices da Querer barrar o PET para ambiental para proibir. Querer barrar
indústria alimentícia. o PET para cerveja é uma afronta à
cerveja é uma afronta livre concorrência e um desres-
Existe alguma ação da Abipet para peito ao consumidor. Isso é claro,
coibir uma prática que, segundo já à livre concorrência um ponto pacífico. Quer dizer,
ouvimos, é um tanto comum, que é a não tão pacífico assim... (risos)
utilização – clandestina – de resina e um desrespeito ao Mas toda a discussão é absurda.
reciclada como se fosse matéria prima O EIA-RIMA (estudo e relató-
virgem? consumidor. Toda a rio de impacto ambiental) serve
Enviamos nota a entidades de classe de para avaliar a implantação de
nossos clientes, como as associações de situação é absurda” uma usina, de uma fábrica.
produtores de refrigerantes, alertando Não serve para determinar
para a pertinência de os compradores a viabilidade de um produ-
de embalagens das indústrias adotarem embalagens de PET. Não só para evitar to. E uma coisa me deixou
sistemas de controle de qualidade ou desvios, mas para podermos medir a pasmo. Com todo respeito
no mínimo questionar seu fornecedor qualidade total de nossa atividade. A ao Poder Judiciário, como é
de embalagens sobre o uso de material embalagem de PET é uma das poucas que uma autoridade decide
reciclado. Gostaríamos que a Anvisa a contar com uma normalização ampla, o que é bom ou não para o
tivesse um sistema de fiscalização mais que envolve características físico-quí- meio ambiente sem consultar
abrangente, que tivesse um plano claro micas, saúde pública e reciclabilidade.
Consultamos pesquisas mundiais para Cerveja em PET: viabilidade
de monitoramento do mercado. É um técnica existe, mas
pleito nosso. O que o organismo alega, criar os parâmetros. Cogitamos fazer autoridades são contra

22 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


absolutamente nenhum perito, nenhum plástica. Por que não cerveja?
técnico, nenhum cientista, ninguém
especializado em sustentabilidade ou Quais são os mercados promissores
análise de ciclo de vida? para a embalagem de PET? O uso
parece estar crescendo na área de
A Abipet pretende recorrer das sen- materiais de limpeza...
tenças? O uso do PET em domissanitários já
Uma dessas ações civis-públicas con- se tornou praxe para alguns produtos e
tra a cerveja em PET acaba de receber começa a se difundir para outros. Um
liminar, transferindo a decisão para deles é o amaciante de roupas. O mer-
o STF. A discussão irá continuar, é cado não utilizava PET. Dia desses, Amaciantes formam um novo mercado
para as embalagens de PET
claro. Não aceitaremos a proibição e andando num supermercado, fui atra-
iremos nos defender. Haverá novida- ído pela embalagem de PET do ama- no Brasil, mas já existe há mais de dez
des em 2011. ciante Ola (Colgate-Palmolive). Voltei anos em outros países. Vejo potencial
para olhá-la melhor. A embalagem enorme para sucos naturais, já que,
A Copa do Mundo de 2010 promoveu sobressaía frente às outras da mesma mesmo nesse tipo de aplicação mais
grande exposição da cerveja em PET, seção, feitas de plástico opaco. Até sofisticado, o PET tende a manter bai-
vendida livremente nos estádios sul- parecia maior. Saltou aos olhos. Não xos custos de investimento comparado
africanos. A Copa a ser realizada no é fácil substituir parques instalados, a outras embalagens. Vale dizer que
Brasil daqui a três anos não estimula- por isso há oportunidades em novos também vislumbramos oportunidades
rá a liberação do produto? produtos ou em categorias que estão de crescimento no segmento de cosmé-
Temos essa expectativa, mas ainda crescendo, que exigem renovações de ticos. A verdade é que toda a indústria
não dá para ter certeza. De fato, a linhas. A Unilever usou o PET no do PET sempre foi intensamente foca-
Copa do Mundo rendeu uma exposi- projeto de seu lava-roupas líquido. O da em aplicações para commodities.
ção enorme, deixando clara a possi- álcool em gel também foi desenvolvi- Agora, a tendência é nos libertarmos
bilidade de uso do PET em cervejas. do amparado em embalagens de PET. um pouco da trinca refrigerante, água e
Como a embalagem vazia é leve, não óleo. Demandas por novas aplicações
consegue ser arremessada. É segura. E o PET asséptico na área de bebidas? já começaram a acontecer.
Por isso, sua presença em eventos A Nestlé lançou em 2010 sua linha
grandes e parques temáticos é comum de bebidas lácteas escorada nessa
VEJA OUTROS TRECHOS
nos países desenvolvidos. No car- tecnologia... DA ENTREVISTA EM:
naval do Rio de Janeiro só se pode Bem lembrado. O uso do PET assépti- emb.bz/137entrevista
vender água mineral em embalagem co em bebidas lácteas é uma novidade

A serviço da logística reversa


Guia mapeia, na internet, postos de coleta de garrafas de PET
O LevPet é o mais novo serviço lançado pela Associação Brasileira pulverizada nas cidades. Para encontrar o local mais próximo,
da Indústria do PET para tentar ampliar a coleta de embalagens basta o internauta digitar o número do CEP em que se encontra.
de PET. Nos moldes do programa da Tetra Pak na área de De acordo com o presidente da Abipet, Auri Marçon, o serviço
cartonadas assépticas, o LevPet fornece na internet, através vai ao encontro da responsabilidade compartilhada pregada pela
do sistema Google Maps, a localização exata de pontos onde é Política Nacional de Resíduos Sólidos e poderá aumentar o volume
possível fazer o descarte correto do PET. de material para a reciclagem, já que há demanda reprimida
Capaz de ser acessado pelo endereço www.levpet.org.br ou devido à coleta pública insuficiente. “É uma chance acessível
pelo próprio site da Abipet (www.abipet.org.br), o LevPet lista e criativa de gerar logística reversa”, diz o executivo. “Não é
Postos de Entrega Voluntária (PEVs), cooperativa de catadores, um projeto marqueteiro, não é greenwashing. É uma iniciativa
comerciantes de recicláveis, ONGs, entidades assistenciais consistente. A legitimidade dele é a indústria de reciclagem do LevPet mostra endereços
e recicladores que recebem o material reciclado de forma PET, cuja consistência já existe. Queremos alimentá-la”. com base no Google Maps

www.embalagemmarca.com.br janeiro 2011 EmbalagemMarca 23


PAINEL GRÁFICO }}} MERCADO DE CONVERSÃO E iMPRESSÃO DE RÓTULOS E EMBALAGENS

Abertas as inscrições
Processos padronizados para o Prêmio Abigraf
Antilhas adota norma internacional para impressão Entrega dos troféus será em junho

A Antilhas adotou a estão em conformidade Estão abertas até o dia gorias de “Responsabilidade
norma internacional iSO com a norma internacio- 18 de abril as inscrições Ambiental” e “Respon-
12647, que padroniza nal e a previsão é que para o “2º Prêmio Abigraf sabilidade Social”.
e controla os proces- já no início deste ano de Responsabilidade Podem inscrever-se no prê-
sos desde a criação aconteça o mesmo com Socioambiental”. A cerimô- mio gráficas instaladas em
até a impressão final. as impressoras flexográ- nia de entrega território brasileiro
Com investimentos de ficas, pois ainda está em dos troféus aos que sejam asso-
mais de 300 000 reais, fase de testes uma nor- vencedores ciadas às seções
a gráfica adquiriu sof- matização para esse tipo será realizada no dia 7 de regionais da Abigraf. Cada
twares especializados de impressão. junho, durante as comemo- empresa poderá inscrever
e uma impressora para A padronização dos rações da Semana do Meio apenas um trabalho em cada
garantir fidelidade no processos de impressão Ambiente. O prêmio, institu- categoria. informações sobre
gerenciamento de cores. conforme a norma iSO ído em 2009 pela Abigraf, é a inscrição no site www.
bienal e contempla as cate- premiosocioambiental.org.br
A empresa padronizou 12647 está consolidada
os arquivos com a nova em todo o mundo. Os
tecnologia, gerando conceitos e ferramentas
maior estabilidade nas de aplicação são focados Qualidade reconhecida
impressoras. no propósito da repetiti-
Divulgados os vencedores do Prêmio Abflexo 2010
As máquinas de impres- vidade de cores, desde a
são off set da Antilhas já criação ao produto final. Em evento realizado no dia 8 dores da 18ª edição do Prêmio
de dezembro de 2010, em São Qualidade Flexo Professor
Paulo, a Associação Brasileira Sérgio Vay.
Técnica de Flexografia Confira a lista dos vendedores
(Abflexo) anunciou os vence- no site: emb.bz/abflexo2010

Feira ampliada
ExpoPrint ganha 8 000 metros quadrados para a edição de 2014
Gráficas certificadas
A Afeigraf (Associação dos Agentes de um crescimento exponencial de público
Fotoimpress e Crespo
Fornecedores de Equipamentos e insumos em 2010 e, para 2014, já temos mais de
Impressora conquistam FSC
para a indústria Gráfica) e a APS Feiras 60% do espaço comercializado. Esses
e Eventos, respectivamente realizadora e 8 000 metros quadrados servirão para As gráficas Fotoimpress, de Taboão
organizadora da ExpoPrint Latin America, atendermos melhor e com mais conforto da Serra (SP), e Crespo impressora,
anunciaram que a edição de 2014 do nossos expositores”, disse Sandra Keese, de São José do Rio Preto (SP),
evento contará com uma ampliação de diretora da APS. são as mais novas gráficas a
área de 8 000 metros quadrados. Karl Klökler, Presidente da Afeigraf, tam- ostentar a certificação FSC (Forest
A exposição, considerada o maior evento bém comemorou a ampliação. “A quatro Stewardship Council – Conselho
de artes gráficas da América Latina, e anos da feira de 2014 nosso mapa já de Manejo Florestal), reconhecida
que totalizou em 2010 mais de 35 000 possui mais de 60% do espaço dos como “Selo Verde” e presente em
visitantes, acontece a cada quatro anos cinco pavilhões vendidos. Sendo assim, 75 países. A certificação indica que
no Transamérica Expo Center, em São ter um evento em 2014 com sete pavi- a matéria-prima e toda a cadeia de
Paulo. A área de exposição, que já con- lhões nos possibilitará crescer e, assim, produção seguem padrões interna-
tava com cinco pavilhões, agora também oferecer mais conforto e espaço para cionais ecologicamente adequados,
abrirá espaço para mais dois, como parte novos expositores, além de mais vagas socialmente justos e economica-
do projeto de ampliação do centro de para estacionamento de nossos visitan- mente viáveis.
eventos paulistano. tes”, disse.
“É uma notícia excelente, já que notamos

24 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


}}} farináceos

Farinha como café


Dona Benta ganha embalagem plástica a vácuo

A
Dona Benta, marca da J. Macêdo,
apresenta uma novidade em sua linha
de produtos: as primeiras farinhas de
trigo do Brasil embaladas a vácuo. O
processo, todo automatizado, é similar
ao utilizado na comercialização de cafés.
Segundo a empresa, o novo método de acondi-
cionamento, aplicado na Farinha de Trigo Reserva
Especial e na Farinha de Trigo Integral, garante a
preservação do produto por mais tempo em com-
paração com as embalagens de papel e as flexíveis
plásticas convencionais já utilizadas na categoria. A
embalagem, produzida em um laminado de PET e
polietileno de baixa densidade (PEBD), garante shelf
life médio de doze meses aos produtos. Já as emba- Embalagens Design
Inapel M Design
lagens tradicionais costumam conservar as farinhas Com a nova embalagem, shelf life (11) 2462-8800 (11) 3839-0969
por até cinco meses. do produto mais que duplica www.inapel.com.br www.mdesign.com.br
ARTIGO }}} LYNN DORNBLASER

Conveniência em foco
Do Reino Unido, do Canadá e da Coreia,
exemplos de embalagens capazes de simplificar
– e valorizar – as experiências de consumo

H
oje em dia, produtos capa- Snap Pots:
porções
zes de proporcionar eco- individuais
nomia aos consumidores de feijão para
microondas
têm lugar garantido no
mercado. Vemos esse con-
ceito de economia ser expresso de
diferentes maneiras. Por vezes, em
produtos acondicionados em embala-
gens bastante grandes, que redundam
em melhor custo/benefício. Por outras,
em embalagens pequeninas, que ofe-
recem ao público porções acessíveis,
sob medida para uma necessidade
imediata. No Reino Unido, a Heinz
explora ambas as estratégias em novas
apresentações para seus feijões cozi-
dos – verdadeiros baluartes do café
da manhã britânico, tradicionalmente
comercializados em latas.

Para porções menores, a empresa


tem seus Snap-Pots. São porções indi-
viduais comercializadas em embala-
gens plásticas bastante parecidas com
copos de iogurte. Segundo a empresa,
cada recipiente tem feijão suficiente
para cobrir uma torrada (sim, a com-
Fridge Pack:
para consumo binação parece estranha para quem não
familiar, em vive no Reino Unido, mas lá se come
pote com
janela lateral até feijão com pizza...), podendo ir ao
forno de micro-ondas.
Já no caso das embalagens maio-
res, o Fridge Pack é a novidade. Trata-
se de um pote de polipropileno que
contém cinco porções de feijão cozi-
fotos: diVulgaÇÃo

do, assegurando, convenientemente,


a conservação do conteúdo por até
cinco dias após a abertura. O consu-

26 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


midor retira a quantidade desejada de lizante na lateral. O benefício desse
feijão, ressela a embalagem por meio tipo de embalagem é proporcionar a
de uma tampa de rosca e o guarda na fácil aplicação do batom utilizando-se
geladeira. É conveniente para famí- apenas de uma mão. E, dado o clima
lias com estilo de vida moderno, que gélido canadense, a empresa destaca
frequentemente fazem refeições em que o produto pode ser usado com uma
horários diferentes. Uma janela trans- mão vestida com luva.
parente, situada numa das laterais do
pote, permite ao consumidor regular O rosto é a parede
as porções. Por fim, nunca é demais lembrar que Creme facial
A Heinz é a marca de feijão cozido a embalagem pode também ter o papel sul-coreano tem
rolinho para
predileta para nove entre dez britâni- de proporcionar um benefício que não aplicação mais
suave e uniforme
cos. Isso não só pela qualidade do pro- poderia ser oferecido de nenhuma
duto, pela longevidade da marca e pela outra forma. Na Coreia do Sul, por
publicidade ostensiva – que criou um exemplo, a Holika Holika lançou um
dos slogans mais conhecidos da terra creme facial para ser aplicado por
da Rainha, o “Beanz Meanz Heinz” meio de uma espécie de rolinho. O
(jogo de palavras que em inglês forma acessório lembra bastante uma minia-
a frase “Feijões significam Heiz”). Isso tura dos rolos utilizados para a pintura
também ocorre pela grande importân- de paredes.
cia que a empresa dá à inovação em A empresa sustenta que tal aplica-
embalagem. Os Snap-Pots e o Fridge dor proporciona o benefício de uma
Pack são as mais recentes amostras aplicação mais suave e uniforme do
disso. creme hidratante, sem necessidade de
uso dos dedos. Detalhe: o cartucho
Batom com escotilha em que o produto é vendido traz um
Um dos papéis da embalagem é o de “estepe” do rolinho. Assim, o Lynn Dornblaser é diretora da divisão
simplificar a experiência de consu- original pode ser substitu- CPG Trend Insight da consultoria
mo. E continuam a surgir maneiras ído em caso de desgaste Mintel International, com escritórios em
novas e singulares de proporcionar ou avarias. Chicago e Londres. Com mais de vinte
isso. No Canadá, a Outside Labs anos dedicados a análises de tendências
desenvolveu um batom chamado globais de consumo, ela pode ser
K2. O aplicador do produto é dota- contatada pelo e-mail lynnd@mintel.com
do de um mecanismo de rosca
elevatória (twist-up), indefectí-
vel na categoria. O que é único,
porém, é o fato de o recipiente
não ter tampa para retirada e
recolocação (ou perda...). Ao
se rosquear a base da emba-
lagem, seu topo se abre
como uma escotilha.
Não é o mesmo
mecanismo que vemos no Aplicador sem tampa e com
mercado há anos, especial- “escotilha” facilita a aplicação
de batom canadense
mente nos produtos da Avon,
baseado num mecanismo des-

www.embalagemmarca.com.br janeiro 2011 EmbalagemMarca 27


}}} Bebidas

Inovação por
dentro e por fora
Efeito especial na rotulagem leva à idéia de
folhas de cana dentro de garrafa de cachaça

C
riada em 1986 em São Luís rios, observando o design externo e interno
do Paraitinga, em São Paulo, do rótulo, e ter uma experiência inicial com a
a cachaça MatoDentro lança bebida”, diz Edgar Leite, diretor de negócios
uma versão premium – tanto da Arbo. “A impressão digital foi fundamental
na bebida quanto na embala- para a execução da ideia, já que o processo é
gem. Aguardente artesanal, a MatoDentro utilizado para pequenas e médias tiragens.”
New Beat passou por estudos de mercado, Um cartucho de papel cartão, impresso
realizados para a marca pela Arbo, empresa em offset com cold foil, completa essa expe-
de inteligência que criou um novo conceito riência, a partir de um sistema de abertura e
para a bebida, além da logomarca, da identi- fechamento que interage com o produto, pois
dade visual e da embalagem. O novo conceito a tampa é presa ao corpo da embalagem.
premium é envolvido por inovação, desde
o acondicionamento até as embalagens e a
Design Cartucho
rotulagem. Arbo Premier Artes Gráficas
Apesar de o nome da destilaria ser Mato- (11) 4115-5262 (11) 3642-1280
Dentro, só agora o “mato” foi levado para www.arbo-im.com.br www.premierag.com.br
dentro da garrafa, graças ao rótulo autoade- Rótulo Garrafa
sivo, impresso digitalmente pela Indemetal Indemetal Gráficos Verallia
Gráficos, de Itu (SP). O rótulo “abraça” a (11) 4013-6644 (11) 2246-7402
www.indemetalgraficos.com.br www.verallia.com.br
garrafa de vidro, numa espiral ascendente. No
lado interno do rótulo há imagens de folhas
de cana-de-açúcar, que ganham destaque gra-
Tampa presa ao corpo do
ças ao “efeito lupa” da garrafa de vidro, que cartucho faz consumidor
amplia o tamanho das plantas. “interagir” com a
embalagem
“A ideia é convidar os clientes a interagir
com a garrafa, fazendo movimentos girató-

Impressão frente e verso do rótulo


“leva” folhas de cana para
dentro da garrafa
fotos: carlos curado

28 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


}}} VItaMínIcos

Adição nos suplementos


Produtos da Yakult ganham letras nos nomes e rótulos autoadesivos

A
s tradicionais e inconfundíveis embalagens
de vidro âmbar dos suplementos vitamínicos
Taffman-E e Hiline acabam de passar por
mudanças na rotulagem. Além de adicionar
uma letra em cada uma das duas marcas,
que passaram a ser Taffman-Ex e Hiline F, a Yakult adotou Yakult
moderniza
uma providência muito mais segnificativa: substituiu os design de suas
rótulos de papel com cola por autoadesivos de BOPP. embalagens;
produtos
Um aspecto interessante é que a alteração, coordenada acondicionados
em vidro (à
pela Novelprint – que também fornece os rótulos – foi esq.) ganham
feita sem a necessidade de troca de equipamentos. Foram novo sistema
de rotulagem;
apenas introduzidos cabeçotes importados em uma rotu- assépticas têm
ladora Krones na fábrica da Yakult, em São Bernardo novo visual
do Campo (SP). “Além da economia com a não troca de
equipamentos, houve ganho de produtividade, já que a
rotuladora passou a operar à velocidade de aplicação de
36 000 rótulos por hora, contra pouco mais de 30 000 na
versão anterior”, observa Guido Raccah, gerente comer-
cial da Novelprint.
Além da troca de substrato, os rótulos tiveram o
design alterado, com cores e desenhos mais leves, bem
como informações mais claras. No Taffman-Ex, o doura-
do ganhou mais destaque, enquanto o Hiline F valoriza
a cor rosa.
A embalagem cartonada asséptica da bebida láctea
com suco de frutas Yodel também teve o design gráfico
modernizado, com novos desenhos no estilo aquarela, e
mais espaço para o branco e para a cor característica das
frutas – amarelo (abacaxi), vermelho (morango) e verde
(uva verde). As mudanças nas embalagens foram feitas
pela agência 100% Design. (FP)

Design Rótulos Tampas (Taffman-Ex


100% Design Novelprint e Hiline F)
(11) 3032-5100 (11) 3760-1500 Rexam Plásticos
www.100porcento.net www.novelprint.com.br do Brasil
(11) 2152-9800
Tampas (Taffman-Ex) Frascos www.rexam.com
CSI Owens-Illinois
(11) 4134-2500 (11) 2542-8084 Caixinha (Yodel)
www.csiclosures.com www.oidobrasil.com.br Tetra Pak
(11) 5501-3200
Rotuladora www.tetrapak.com.br
Krones
(11) 4075-9500
www.krones.com.br

www.embalagemmarca.com.br
DISPLAy }}} lançamentos e novidades – e seus sistemas de embalagem

Mais bag-on-valve para o verão Tubo (Natura)


Surgem novos protetores solares em aerossóis sem propelente Impacta
(11) 4447-7300
www.impacta-brazil.com.br
Depois do Sundown, da Johnson & Johnson (ver
Válvula e atuador (Natura)
EmbalagemMarca nº 122, outubro de 2009), as loções Aptar B&H
fotoprotetoras Coppertone, da MSD, e Fotoequilíbrio, da (11) 4196-7500
www.aptarbhlatinamerica.com
Natura, ganharam versões aerossol em embalagens do
tipo bag-on-valve. Acondicionados em bolsas plásticas no Tampa (Natura)
AB Plast
interior dos tubos metálicos, os produtos não dependem de (47) 3451-9103
gás propelente para sua expulsão. “Essa tecnologia permite www.abplast.com.br
uma aplicação rápida e fácil em qualquer ângulo, mesmo
quando a embalagem estiver de cabeça para baixo, sendo
ideal para as áreas de difícil alcance do corpo”, diz Carolina
Lapetina, gerente de produto da marca Coppertone. A linha
da MSD é importada dos Estados Unidos, com decoração
adaptada para o português. Já a novidade da Natura tem
os componentes da embalagem fornecidos localmente.

Comemoração de um clássico Da cor do açaí


Kit alude a marca histórica do Copo Americano Rótulo de 360 graus valoriza imagem da fruta

Tradicional fabricante de utensílios domésticos e Composto por açaí, guaraná e banana, o Açaí Mix é a novi-
embalagens de vidro, a Nadir Figueiredo lançou dade da linha de coberturas gourmet da Bazzar. A novida-
um kit especial para o Copo Americano. A ação de é comercializada em frasco de polipropileno (PP) de 300
faz referência à marca alcançada de 6 bilhões de gramas do tipo upside-down. A orientação invertida é pos-
unidades produzidas do modelo, lançado pela sível graças a uma tampa flip-top larga, moldada em PP, e
empresa em 1947. O kit traz doze copos numa da decoração, feita por um rótulo termoencolhível de filme
caixa de papelão ondulado com decoração alu- de PVC. A sobreposição de imagens de frutos de açaí, na
siva ao número, projetada por Luciano Geraldo, arte do rótulo, leva à percepção de tridimensionalidade.
designer da própria vidraria.
Caixa
Gegraf
(11) 3393-1911 Design
www.gegraf.com.br Hi Design
(11) 3375-9434
Frasco
Olveplast
(11) 4148-4412
www.olveplast.com.br
de

Rótulo
esen

CCL Label
io R

(19) 3976-9300
gér

www.ccllabel.com.br
© Ro

Tampa
Igaratiba
(19) 3821-8000
www.igaratiba.com.br

30 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


Edição: FLÁVIO PALHARES ||| flavio@embalagemmarca.com.br

Legumes selecionados
Predilecta amplia linha de conservas

A Predilecta Alimentos amplia sua


linha de vegetais em conserva.
Acondicionada em latas de aço de 300
gramas, a seleta de legumes passa a
fazer companhia ao milho verde e à
ervilha em conserva da marca.

Latas de aço Design


JBS Latas Leo T Design
www.jbs.com.br (11) 5575-2811
www.leot.com.br

Foco em gourmets
Camil tem linha de arroz premium para alta gastronomia

A Camil apresenta sua Linha Premium de arrozes, indicados para a alta


gastronomia. São embalagens de 250, 500 e 1000 gramas, desenvolvi-
das pela Spice Design. Cada uma das seis variedades de arroz é indica-
da para determinado tipo de culinária, e harmoniza com pratos especí-
ficos. Os cartuchos de papel cartão receberam verniz fosco e brilhante,
trazendo como detalhe uma textura diferente para cada um dos grãos.
A janela de transparência do produto também tem
desenhos diferentes e auxilia a
visualização de cada
tipo de arroz.

Cartuchos
Graphis Studio
Gráfico e Editora
(11) 4035-1772
www.graphisstudio.com.br

Design
Spice Design
(11) 2977-2203
www.spicedesign.com.br

www.embalagemmarca.com.br
DISPLAy }}} lançamentos e novidades – e seus sistemas de embalagem

Personagens engarrafados
Cereser lança bebida infantil com motivos da Disney

Spunch é a nova bebida lançada pela Cereser, em


parceria com a Disney, para crianças. Trata-se de uma
bebida gaseificada não alcoólica produzida a partir
do suco natural de frutas. As garrafas de vidro de 660
mililitros são decoradas com rótulos termoencolhíveis
impressos em offset com os personagens infantis dos
desenhos Carros, Princesas e Mickey.

Rótulos Design Garrafas


CCL Label DZ Design Owens-Illinois
(19) 3976-9300 (19) 3256-4400 (11) 2542-8084
www.ccllabel.com.br www.dzdesign.com.br www.oidobrasil.com.br

Do vidro para o PET


Dafruta adota garrafas exclusivas de plástico
Rótulos
Gráfica Centauro As novas garrafas dos sucos concentrados
(62) 3248-2100 Dafruta, da Ebba, já estão no mercado com
www.centauronet.com.br
novo shape. As garrafas de PET 500 milili-
Design tros possuem formato exclusivo, gravação
Speranzini Design
(11) 5685-8555
do logotipo em relevo, texturas e pega para
www.speranzini.com.br facilitar o manuseio, e substituem as emba-
lagens de vidro. As garrafas são sopradas na
fábrica da Dafruta. A empresa não informou
quem fornece as tampas.

Quarentão remoçado Rótulos


Multilabel
Palmito Gini ganha nova identidade (11) 5641-4573
www.multilabel.com

Em comemoração aos 40 anos de lan- Design


çamento, a marca de palmitos Gini, da Ozônio Propaganda & Marketing
(19) 3402-5573
Inaceres, estreia um novo visual. Os rótu- www.ozoniopropaganda.com.br
los autoadesivos que decoram o pote
Tampas
de vidro do produto passam a ter predo- Rojek
mínio da cor verde, em substituição ao (11) 4447-7900
www.rojek.com.br
azul. A marca Gini, com nova tipologia,
ganha destaque em uma área vermelha. Potes
Verallia
As tampas abre-fácil seguem o mesmo (11) 2246-7402
padrão de cor dos rótulos. www.verallia.com.br

32 EmbalagemMarca janeiro 2011 www.embalagemmarca.com.br


}}} índice de anunciantes

Empresa Página Telefone Site


America Tampas 3 ª capa (11) 2504-7000 www.americatampas.com.br
Baumgarten 4ª capa (47) 3321-6666 www.baumgarten.com.br
Betim Química 21 (31) 3358-8500 www.betimquimica.com.br
Center Fix 31 (11) 4122-2988 www.centerfix.com.br
Giro News 19 (11) 3675-1311 www.gironews.com
Indexflex 7 (11) 3618-7100 www.indexflex.com.br
Interpack 11 (11) 5535-4799 www.interpack.com
Maq Inox 25 (41) 3284-1020 www.maqinox.com
Metalgráfica Renner 2ª capa (51) 3489-9700 www.metalgraficarenner.com.br
Metrolabel 33 (11) 36073888 www.metrolabel.com.br
Moltec 31 (11) 5693-4600 www.moltec.com.br
Senac 5 0800 883 2000 www.sp.senac.br
Simbios-Pack 31 (11) 5687-1781 www.simbios-pack.com.br
Technopack 13 (51) 2139-9000 www.technopack.com.br
Tyrex 17 (11) 3612-4255 www.tyrex.com.br
Vemax 9 (19) 3881-8990 www.vemax.com.br
Vitória Régia 29 (11) 5581-9986 www.vitoriaribbom.com.br
Almanaque
Bebida Xampu bala de prata
da coragem Monstros espaciais atacam a Terra,
espalhando terror. Toda sorte de
o roteiro esdrúxulo de Evolução,
comédia de ficção lançada em 2001.
O vinho Sangue de Boi, produzido armamento revela-se inútil em seu O filme foi um fracasso, mas rendeu
pela Vinícola Aurora em Bento combate. Os invasores só tombam minutos de fama em Hollywood ao
Gonçalves (RS), é inspirado em quando alvejados por esguichadas produto da Procter & Gamble, recém-
um vinho criado no século 16 na do xampu Head & Shoulders – lançado no Brasil. Os principais atores
Hungria, chamado Sangue de formulado com selênio, substância do filme acabaram até estrelando uma
Búfalo de Eger (Egri Bikavér, em que revela lhes ser mortal. É esse propaganda para a marca.
húngaro). Em 1552, o exército
turco, muito maior que o húngaro,
atacou o castelo de Eger, pequena
cidade no norte do país magiar.
Soldados repeliram os ataques Seann
das tropas otomanas diversas William
Scott,
vezes. Na última batalha, os locais David
Duchovny
defenderam o castelo com valentia e Orlando
acima da normal. Apavorados Jones,
astros de
com a fúria dos inimigos, os Evolução,
invasores abandonaram a batalha seguram
frascos
e atribuíram a coragem ao que do Head &
Shoulders
viram à distância: guerreiros
bebendo “sangue de búfalo”,
manchando suas barbas e
armaduras de vermelho. Depois
desse episódio, o vinho
O início das cartonadas
Egri Bikavér ganhou fama A revista americana de tecnologia
e hoje é o mais conhecido Modern Mechanix anunciava, em agosto
da Hungria. de 1934, a criação de uma revolucionária
técnica para acondicionamento de leite.
A reportagem mostrava a invenção de
“uma máquina desenvolvida que não
só esteriliza, enche e tampa garrafas
de leite, mas também confecciona as
garrafas”. O recipiente de papel usado
para acondicionar o leite tinha predicados
fantásticos. Segundo o artigo, a
construção forte permitiria à embalagem
ser manuseada “como uma garrafa de
vidro, sem o perigo de vazamentos”. Um
clipe especial selava a garrafa e podia ser
recolocado no lugar se o conteúdo não
fosse consumido de uma só vez. Todo o
processo de envasamento era automático
e a garrafa poderia ser produzida por
menos de um centavo de dólar.
“Garrafa de papel” foi saudada em 1934 como
A maravilha ficou na promessa. grande inovação, mas não saiu do papel

34 EmbalagemMarca www.embalagemmarca.com.br/almanaque janeiro 2011