You are on page 1of 2

OPINIÃO

Nuno Constantino*

Hotelaria no Brasil
A Bola da Vez?
Após vários anos em que o investimento ex- Quando observamos o Brasil podemos dividi-lo de Portugal, uma empresa especializada em
terno no Brasil não sofreu grande variação nos em 5 realidades distintas, com diferentes atrac- consultoria hoteleira e de turismo também per-
últimos meses (24) tem-se assistido a um cres- tivos mas todas elas com elevado potencial tencente ao grupo CBRE, estabeleceram uma
cente interesse e à procura de informação so- para o desenvolvimento turístico, seja de lazer parceria visando observar in loco as particula-
bre este mercado, com cerca de 190 milhões de ou de negócios. ridades do mercado, oferecer os melhores ser-
habitantes e em profundo crescimento econó- De destacar ainda que a riqueza do Pais se viços e identificar oportunidades para players
mico, sendo já a 8ª maior economia do Mundo, concentra no Sul e Sudeste, representando nacionais e internacionais.
ultrapassando a Espanha. o Estado de São Paulo mais de 35% do PIB A título de exemplo observemos a hotelaria
Para podermos compreender melhor esta rea- Brasileiro constituindo-se como a capital eco- econômica.
lidade, que muitos ainda desconhecem, deve- nómica da América do Sul. Estima-se que existam hoje no Brasil cerca de
mos referir que em 15 anos verificaram-se as Estes fatores levaram a que nos últimos 5 anos, 30 6.000 unidades hoteleiras das quais cerca de
seguintes alterações: milhões de brasileiros tenham entrado no mer- 80% sejam hotéis econômicos, ou, seja cerca de
cado de consumo de viagens. Nos próximos 5 4.800 unidades num segmento baixo do merca-
1995 2010 anos, irão ingressar mais 40 milhões, “quase uma do; destas, cerca de 120 (cerca de 2%) são uni-
Espanha inteira”, prevê Valter Patriani, presidente dades pertencentes a grupos econômicos de
Tx. Inflacção/ano 22% 5,5% da CVC Turismo, maior operadora do Brasil. dimensão ou geridas sob marca internacional/
No entanto, o turismo é ainda um setor embrio- nacional consolidada.
Tx. Juro (Selic) 47% 12% nário da economia brasileira representando Considerando alguns mercados mais madu-
menos de 3% do PIB, afirmando o Ministro do ros em que esta quota de mercado é de 5%
..., a taxa de desemprego em todo o país é de Turismo que a taxa de crescimento em 2010 será na Europa, 12% em França e mesmo 15% nos
cerca de 7%, o investimento direto estrangei- record e que os grandes eventos que se aproxi- Estados Unidos, sendo esse movimento de con-
ro estimado para 2010 é de R$ 38 bilhões e o mam (Olimpiadas e Copa do Mundo) irão atrair solidação algo comum em todo o Mundo, tam-
PIB irá crescer 7% face a 2009. Uma realidade ainda mais volume de negócios para o país. bém no Brasil este processo irá acontecer.
bastante diferente daquela que investidores A simples comparação de macro-indicadores Perfilam-se já players internacionais mas também
enfrentam nas economias mais maduras, como de Brasil, Argentina e México, seus mecrcados grupos Brasileiros (com produtos desenvolvidos
na Europa ou no EUA. de proximidade, permitem antecipar um forte de raiz) interessados em maximizar o crescimen-
Existem ainda alguns fatores adicionais que crescimento do setor turístico no Brasil to económico e as oportunidades que existem
provocaram este “súbito” interesse no Brasil: Se, e num prazo dilatado de 10 -15 anos, o Brasil e são muitas, não só nas cidades principais mas
• Superávit primário; recuperar desta diferença (e assumindo que os também em cidades de média dimensão que no
• Taxa de câmbio flutuante; outros mercados nao se desenvolvem), podem Brasil tem cerca de 1 milhão de habitantes.
• Reserva internacional recorde; estimar-se mais de 15 milhões de turistas in- Cabe aos investidores Nacionais e Internacionais
• Superávit da balança comercial; ternacionais (comparando com a Argentina e aproveitar este clima econômico e as oportuni-
• Melhor qualidade de vida (Classes C e D); não com o México por causa da forte presença dades de financiamento existentes por causa
• Financiamento de longo prazo – edifícios Americana). Se a isto somarmos o turismo inter- da Copa do Mundo para desenvolver e consoli-
residenciais; no, num mercado de 190 milhões de pessoas, dar um setor hoteleiro, que tantas oportunida-
• Democracia consolidada; podemos compreender o potencial de cresci- des apresenta.
• Possibilidade de se tornar exportador de mento deste sector na economia Brasileira e nos
petróleo em 2016; e multiplos negócios associados, desde as agên-
*Nuno Constantino
• Visibilidade para a a próxima década decor- cias, rent-a-car e à hotelaria. neoturis/CB Richard Ellis
rente da realização dos Jogos Olímpicos e Com esta visão do potencial crescimento, o es- nconstantino@neoturis.com ou
do Campeonato do Mundo de Futebol. critório da CB Richard Ellis Brasil e a neoturis nuno.constantino@cbre.com.br

VIDAIMOBILIÁRIA NOVEMBRO 2010


22
Norte
Floresta Amazônica – Maior floresta tropical do mundo (20% da água doce do planeta)
1 — Zona Franca de Manaus (produção de eletrônicos, celulares, motos)
1
CENTRO OESTE
2 — Brasília – Capital do Brasil, Sede do Governo Federal
Economia – Pecuária; Pantanal, Protegido pela UNESCO

SUL
2 5
3 — Qualidade de Vida; Recursos Hídricos; Hidroelétrica de Itaipu

SUDESTE
4 — Cidades Ricas; Mercado Imobiliário Consolidado; Boa Infra-estrutura 4
3
NORDESTE
5 — Belezas Naturais; Potencial de Crescimento; Preços Atrativos de Terreno; Baixo Custo de Vida

15%

13%

57% 19% 62%


9%

16%

Sudeste  Sul São Paulo  Rio de Janeiro


Centro Oeste  Nordeste  Norte Minas Gerais  Espírito Santo

Brasil Argentina México

Área total (km2) 8.514.877 3x 2.780.400 1.958.201

População 191.480.630 (2009) 4,8x 39.745.613 (2008) 108.700.891 (2007)

PIB (crescimento 2010) 2.025 Triliões USD (5,5%) 3,7x 558 Biliões USD (3,5%) 1.482 Triliões USD (4,2%)

Chegada de turistas internacionais (2008) 5.050.099 1,09x 4.643.314 22.637.000

23