You are on page 1of 3

Recomendações 84

ISSN 1415-0891
Técnicas Dezembro, 2003
Porto Velho, RO

Calagem e Adubação para Pastagens de


Panicum maximum cv. Mombaça em Rondônia
1
Newton de Lucena Costa
2
Antônio Neri Azevedo Rodrigues
3
Claudio Ramalho Townsend
4
João Avelar Magalhães
1
José Ribamar da Cruz Oliveira

Introdução Calagem

O capim-Mombaça (Panicum maximum cv. Mombaça) Recomenda-se aplicar calcário para elevar a
é uma gramínea que forma touceiras com até 1,65 m saturação por bases do solo para 60%. Como os
de altura e folhas quebradiças. Os colmos são solos da região Amazônica, normalmente,
levemente arroxeados. As folhas possuem poucos apresentam baixos teores de cálcio e magnésio,
pêlos na face superior e as bainhas são glabras, mas recomenda-se, preferencialmente, a utilização de
ambas não apresentam cerosidade. A inflorescência é calcário dolomítico. Em Rondônia, em um
do tipo panícula semelhante à do capim-colonião Latossolo Vermelho-Amarelo, textura argilosa, a
comum. dose de calcário relacionada com a máxima
eficiência técnica para a produção de forragem foi
Características agronômicas estimada em 3.148 kg/ha de calcário (PRNT =
100%). Os níveis críticos internos de cálcio e
Requer solos de média a alta fertilidade para um bom e magnésio, relacionados com 80% do rendimento
rápido estabelecimento, bem como para cobertura total máximo de forragem, foram de 5,11 e 3,48 g/kg,
do solo. No entanto, os resultados obtidos até o respectivamente.
momento demonstram que esta gramínea é mais
eficiente na utilização do fósforo disponível. Os O cálculo da necessidade de calcário (NC) a ser
rendimentos de MS estão em torno de 15 a 20 t/ha/ano. aplicado é realizado em função dos resultados da
Em parcelas sob cortes mecânicos, o Mombaça análise química do solo, através da fórmula:
produziu 130% mais que o colonião comum e 28%
mais que a cultivar Tanzânia-1. Durante o período NC = (V2 - V1) x T
seco, produz cerca de 12 a 15% de seu rendimento 100
anual de forragem. Em Rondônia, pastagens de onde,
Mombaça, submetidas a cargas animais de 2,5 e 1,5 S = soma de bases trocáveis (Ca + Mg + K) em
3
UA/ha, respectivamente para os períodos chuvoso e cmolc/dm ;
seco, apresentaram rendimentos de 4,9 e 2,5 t/ha. T = capacidade de troca de cátions do solo (S + H
+ Al);
Seus teores de PB variam entre 10 e 12% ao longo do V2 = percentagem de saturação por bases
ano. Apresenta alta percentagem de folhas, cerca de recomendada;
82% durante o ano. É bem aceito por bovinos, V1 = percentagem de saturação por bases atual do
bubalinos, ovinos e caprinos. O Mombaça revelou-se solo, onde
medianamente resistente às cigarrinha-das-pastagens, V1 = (100 x S)
mostrando-se superior à cultivar Tobiatã, mas inferior à T
Tanzânia.

1
Eng. Agrôn., M.Sc., Embrapa Rondônia, Caixa Postal 406, CEP 78900-970, Porto Velho, Rondônia
2
Eng. Agrôn., M.Sc., Escola Técnica Federal de Colorado do Oeste, Rondônia
3
Zootec., M.Sc., Embrapa Rondônia
4
Med. Vet., M.Sc., Embrapa Meio Norte, Caixa Postal 341, CEP 64200-000, Parnaíba, Piauí
2 Calagem e Adubação para Pastagens de Panicum maximum cv. Mombaça em Rondônia

As doses obtidas referem-se a calcário com PRNT lanço, misturado com o fosfato ou aplicado em
de 100%. Quando o PRNT do calcário disponível for cobertura de 30 a 40 dias após o plantio da
diferente de 100%, dever-se corrigir a dose gramínea. A quantidade de K a ser aplicada é
recomendada, utilizando-se a fórmula; definida conforme os resultados da análise química
do solo (Tabela 2). Em um Latossolo Amarelo,
Dose aplicada (t/ha) = dose recomendada x 100 textura argilosa, a dose de máxima eficiência técnica
3
PRNT do calcário foi estimada em 58,37 mg de K/dm e o nível crítico
interno de potássio relacionado com 80% do
O calcário deve ser aplicado a lanço, de modo mais rendimento máximo de MS em 1,98%.
uniforme possível e incorporado ao solo,
preferencialmente, no final do período chuvoso Adubação nitrogenada
anterior ao plantio. Quando a recomendação for
inferior a 3 t/ha, sugere-se fazer uma única Para solos com teor de matéria orgânica inferior a
aplicação, seguida da incorporação com arado ou 2,0% (20 g/kg), recomenda-se uma aplicação de 40
grade pesada. Para doses maiores, recomenda-se a 80 kg de N/ha, em cobertura, dois meses após a
aplicar metade antes da primeira aração ou emergência das plantas. Para os sistemas de
gradagem e a outra parte antes da segunda produção mais intensivos, sugere-se a aplicação de
gradagem. 80 a 120 kg de N/ha, anualmente, parcelada em três
a quatro aplicações, durante o período chuvoso, a
Adubaçao fosfatada intervalos de 30 a 45 dias.

Em ensaios exploratórios de fertilidade de solo As fórmulas de sulfato e amônio que contêm enxofre
realizados em diversas localidades de Rondônia, ou nitrato e amônio por serem menos susceptíveis
constatou-se que o fósforo, seguido do enxofre e às perdas de nitrogênio por volatilização, são as
potássio, foram os nutrientes mais limitantes ao mais indicadas para a adubação em cobertura. A
crescimento do Mombaça, reduzindo sensivelmente uréia pode ser aplicada em cobertura, durante o
seus rendimentos de forragem, teores e quantidades período chuvoso, tendo-se a precaução de aplicá-la
acumuladas de nitrogênio e fósforo. Para as em solo seco, preferencialmente no final da tarde. As
condições edáficas de Rondônia, o nível crítico perdas de nitrogênio da uréia por volatilização são
interno de fósforo, relacionado com a obtenção de imprevisíveis e podem até não ocorrer ou serem
80% da produção máxima de matéria seca, foi mínimas, notadamente se chover logo após a sua
estimado em 2,78 g/kg, o qual foi obtido com a aplicação.
aplicação de 211 kg de P2O5/ha.
Adubação com enxofre
As fontes mais recomendadas são os fosfatos
solúveis – superfosfato simples ou triplo – que As adubações com fósforo sob a forma de
podem ser aplicados a lanço ou sem sulcos. Os superfosfato simples ou de nitrogênio como sulfato
fosfatos naturais brasileiros, fosfatos naturais de amônio suprem a necessidade de enxofre. Se as
reativos e os termofosfatos devem ser aplicados adubações não utilizarem estas fontes, recomenda-
sempre a lanço e incorporados ao solo. A quantidade se aplicar 30 kg/ha de enxofre na forma de gesso
de fósforo a ser aplicada é definida em função da agrícola ou flor de enxofre.
análise química do solo (Tabela 1).

Adubação potássica

O potássio (K) é aplicado no solo, principalmente,


sob a forma de cloreto de potássio e pode ser a

Tabela 1. Interpretação dos resultados da análise de fósforo no solo, na profundidade de 0 a 20 cm,


extraído pelo método Mehlich-1 e recomendação de adubação com fósforo para o estabelecimento e
manutenção de pastagens de P. maximum cv. Mombaça.
3
Teores de fósforo no solo (mg/dm ) Interpretação Doses de fósforo (kg de P2O5/ha)
Estabelecimento Manutenção
< 3,0 Muito Baixo 140 80
3,0 - 6,0 Baixo 120 60
6,1 - 9,0 Médio 80 40
> 9,1 Alto 40 20
Calagem e Adubação para Pastagens de Panicum maximum cv. Mombaça em Rondônia 3

Tabela 2. Adubação potássica para o estabelecimento e manutenção de pastagens de P. maximum cv.


Mombaça.
3
Teores de potássio no solo (cmolc/dm ) Interpretação Doses de K2O/ha
Estabelecimento Manutenção
< 0,05 Muito Baixo 120 80
0,05 - 0,1 Baixo 80 60
0,11 - 0,20 Médio 60 40
> 0,21 Alto 40 20

Recomendações Exemplares desta edição podem ser Comitê de Presidente: Newton de Lucena
adquiridos na: Costa
Técnicas, 84 Publicações Secretária: Marly Medeiros
Normalização: Alexandre Marinho
Embrapa Rondônia Membros: Flávio de F. Souza,
Endereço: BR 364, km 5,5 Marilia Locatelli, Rogério S.C. da
Caixa Postal 406, CEP 78900-970 Costa, José Nilton M. Costa, Maria
Porto Velho, RO das Graças R. Ferreira, Vanda
Fone: (69) 222-0014 Gorete Rodrigues, Luiz Carlos C.
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA,
Fax: (69) 222-0409 Menezes
PECUÁRIA E ABASTECIMENTO E-mail: sac@cpafro.embrapa.br
Supervisor Editorial: Newton de
Expediente Lucena Costa
Revisão de texto: Wilma Inês de F.
1ª Edição Araújo
1ª Impressão 2003 Editoração Eletrônica: Marly
Tiragem 100 exemplares Medeiros