Relatório de aprendizado Curso: Assessoria Digital Evoluindo do Release para a Web 2.

0 Escola de Comunicação do Comunique-se

Rute Faria

Belo Horizonte Janeiro – 2011

Técnicas para aprimoramento do trabalho de assessoria O professor, Rodrigo Capella, iniciou o curso indicando um livro que, segundo ele, é essencial para quem trabalha com comunicação “A Pele da Cultura, de Derrick de Kerckhove”; ele também falou sobre o envio de releases por e-mail e deu instruções/dicas para aperfeiçoar esse trabalho. Nos parágrafos a seguir veremos algumas dessas dicas. Uma delas se refere ao envio de releases por e-mails. O interessante é que sempre se coloque no assunto o nome do jornalista que vai recebê-lo, (ex.: a_c_José_Luís). Dessa forma (personalizada) o jornalista sente mais vontade a abri-lo e verificar seu conteúdo. Também foi recomendado o uso da personalização das mensagens. A recomendação é que sempre se use – no corpo do e-mail, antes do release – o nome do jornalista com um pequeno texto explicativo sobre o conteúdo que seguirá abaixo, sempre verificando – cordialmente – a possibilidade de sua publicação. Afinal, o clima das redações é intenso e o jornalista pode se sentir ofendido ao receber um e-mail „seco‟, impessoal podendo interpretá-lo até mesmo como uma forma grosseira e impositiva. Da mesma forma, disparos de e-mails causam má impressão, principalmente quando colegas de redação recebem o mesmo conteúdo, ou – como não é difícil de acontecer nesses casos – uma mesma pessoa recebe o release três, quatro vezes. Isso causa irritação no receptor e degradação da imagem de seu assessorado. Algumas ações essenciais para promover maior relevância aos seus textos e fazer com que eles apareçam em destaque nas buscas da web: Uso de hiperlink: principalmente nos nomes dos porta-vozes e naquelas palavras que não são necessariamente conhecidas por todos. Esses hiperlinks devem direcionar o leitor a outras páginas da web, como por exemplo, a Wikipédia (para explicação de um determinado termo) ou para o currículo do entrevistado que tem sua fala destacada no release. Se não for para o currículo, o direcionamento pode ser feito para o perfil do entrevistado em outras redes como Linkedin, MeAdiciona, Twitter, Facebook, etc.. Claro que é altamente recomendado que esse uso seja analisado em cada situação, observando os atores que participam do texto, os receptores da mensagem, enfim uma série de fatores; Negritar palavras chaves: não só em releases, mas em posts do blog. Contribui para o aumento de relevância do texto nas pesquisas realizadas. O Google dá preferência para publicações que sinalizem (através de negritos e hiperlinks) o tema abordado no texto. Assim, com maior relevância, os usuários do buscador

encontrarão com facilidade o seu release e posts na web e o nome da sua marca/cliente aparecerá cada vez mais em destaque. Edição da URL: auxilia bastante para que o Google considere seu texto mais relevante. Isso também falicita as buscas. Verifique se o provedor do blog que você utiliza permite edições na URL da página. Palavras chave no título do e-mail e/ou do texto: Também auxiliam nas buscas e são essenciais para definir o tema abordado no texto. Para não carregar o e-mail com fotos e vídeos pesados – afinal, nem todos os provedores oferecem a mesma capacidade para recebimento de mensagens – e não correr o risco de ter seu release excluído ou até mesmo não enviado ao destinatário é recomendado à utilização de páginas como o Flickr onde deverão ser publicadas diversas opções de imagens e filmes que a assessoria disponibilizará ao jornalista. Assim é possível colocar no e-mail apenas o link que direciona a essas fotos/vídeos, deixando-o mais leve. Na confecção do release, três ou quatro parágrafos são suficientes, sempre seguindo a ordem: 1) 2) 3) 4) lead (explicação e detalhes do assunto/conceito); declaração dos representantes; declaração dos representantes; conclusão - fechamento.

Isso facilita a leitura e sintetiza o texto dando mais possibilidades de publicação/leitura. O texto bem produzido, com palavras de fácil compreensão e que utilize elementos para facilitar a leitura é fundamental. Revisar uma, duas três vezes é extremamente necessário para que o leitor não se depare com erros ortográficos e/ou de digitação, e, por isso, considere-o inferior. A qualidade do seu texto é que vai determinar sua credibilidade. O uso de tags (palavras chaves) também contribui para a valorização do seu texto nas pesquisas. Assim, ao enviar um texto para um jornalista, ou, ao escrever para um blog, não se esqueça de acrescentar de três a cinco tags par facilitar nas buscas. Para saber qual palavra chave é mais procurada pelos internautas uma boa ferramenta é o Google Trends. Através dele é possível descobrir quais os

termos mais buscados na web e, portanto, qual termo você deve utilizar em seu texto. Exemplo: Clique aqui para analisar a pesquisa entre as palavras “andar” e “caminhar” Nesse exemplo, podemos observar que a palavra „andar‟ é bem mais procurada nos buscadores e por isso tem mais relevância e deve ser utilizada nos textos que escrevemos para a web. Para analisar as palavras mais utilizadas no Twitter, o site que mais se aproxima do Google Trends é o Tweetvolume. Antes de escrever um post sobre determinado assunto é interessante utilizar o Google Blogs para fazer uma pesquisa dos assuntos mais relacionados na web. Assim é possível saber as principais buscas dos usuários e também o que seus concorrentes estão escrevendo em seus blogs. Além do release tradicional, o vídeo release – muito utilizado no exterior – coloca o porta voz da empresa/ marca/ produto em contato direto com o público ou apenas dá vida as palavras do texto para ilustrar o conceito. O vídeo release não exclui o texto padrão que é essencial em qualquer um dos casos. A recomendação é de que esses vídeos sejam curtos, de 30 segundos no máximo. Da mesma forma o Podcast pode ser uma boa opção para estreitar o relacionamento com os leitores do seu blog. Os Podcasts são pequenos trechos de narração discorrendo sobre um determinado tema, muito parecido com programas radiofônicos.

O assessor bem relacionado O Assessor deve estar sempre disponível. Sem medo de divulgar seus contatos, MSN, blog, celular, telefone fixo. Afinal, onde já se viu um assessor de comunicação incomunicável? A dica é fazer um cadastro no site MeAdiciona onde é possível gerenciar centralizar todos os seus contatos na rede. O que vai ser dito a seguir pode parecer meio óbvio, mas o palestrante Robson Abreu nos alertou sobre a necessidade de um bom relacionamento entre o assessor, os jornalistas e enfim, entre sua rede de contatos é que determina o sucesso de seu trabalho.

Bom senso é fundamental, por isso, não envie um release e ligue logo a seguir para perguntar se a pessoa o recebeu. Espere um tempo, descubra em quais horários essa pessoa está menos atarefada, enfim, seja discreto. Mais do que enviar releases e pedir para publicar a matéria, o assessor deve compreender o ritmo das agências e se colocar à disposição para contribuir também. Quem está do outro lado não gosta de simplesmente receber pedidos dos assessores. Pelo contrário, gostam de saber em que podem contar com o assessor – quando precisarem de uma fonte para uma matéria, por exemplo. Gostam de conversar sobre assuntos que não sejam importantes apenas para o assessor. Gostam de receber feedbacks positivos sobre o trabalho que realizam. Enfim, um almoço, um telefonema (extra trabalho) um e-mail – se colocando à disposição, para o que o jornalista precisar– fazem muito bem ao relacionamento entre assessor/imprensa. Também é pertinente realizar pesquisas de opinião sobre a assessoria periodicamente. Assim o assessor pode avaliar os pontos positivos e negativos para cada vez mais aprimorar seu trabalho. Relacionamento é a chave para um trabalho reconhecido.

O assessor e as redes sociais Quem trabalha enviando material para mídias digitais (sites, blogs, redes de relacionamento) deve estar sempre por dentro das novidades no mundo 2.0. Afinal, é sua função do „assessor digital‟ utilizar tais ferramentas adequadamente para que o trabalho final seja positivo e produtivo. Seguem algumas dicas: MSN / Skype Ideal para marcar almoços e reuniões com os jornalistas. Recomenda-se o uso da linguagem culta, sem abreviações e/ou emotions. Além disso, é de extrema importância perguntar antes de começar a conversa – se a pessoa pode falar. O status da pessoa na rede não significa necessariamente seu status na „vida real‟. Facebook A Fan Page é uma opção disponibilizada dentro do Facebook para que as empresas e organizações criem perfis comerciais e compartilhem links, artigos, fotos e vídeos com o seu público. Esse tipo de perfil oferece a opção „curtir‟ para que seus

seguidores demonstrem admiração por sua marca/empresa. O que soa muito positivo na rede e no mercado. Twitter Fazer com que todos os canais de comunicação estejam alinhados é fundamental. Por exemplo, transformar o release em pílulas adaptadas para Facebook. Assim, a mensagem não fica cansativa compreende o conceito.

da agência é possível o Twitter e e o público

Google Alerts Um grande parceiro do assessor. Ao fazer uma inscrição no Google Alerts você passa a receber em sua caixa de e-mails todo o conteúdo publicado na web, sobre determinado assunto que escolher. Ótimo para clippagens na web e também para obter feedbacks rápidos. Aplicativos para Twitter São vários. Cada um com uma função diferente. Alguns para medir a relevância do seu perfil (Tweetlevel), outros para verificar.

Concluo esse pequeno relatório com o sentimento de que compartilhar conhecimento é fundamental para quem deseja se aperfeiçoar cada vez mais naquilo que faz. Espero ter contribuído de alguma forma.

Atenciosamente, Rute Faria