ATIVIDADE EXTRA Projeto Araribá – Geografia 9º ano Kosovo independente

Parte 1
Professor, o texto abaixo faz uma análise dos recentes acontecimentos ocorridos em Kosovo que pode ser trabalhado em aula como Atualidade, se preferir, ou como uma reflexão, aprofundamento da unidade 4 sobre o Leste Europeu e CEI.

Kosovo independente O Parlamento de Kosovo declarou sua independência da Sérvia, abrindo caminho para a criação do sétimo país surgido da antiga Iugoslávia. A proclamação consolida um controvertido processo de secessão apoiado pelos EUA e pela maioria dos países da União Européia, mas duramente contestado pela Sérvia e pela Rússia, seu principal aliado. A decisão foi imediatamente condenada pelo governo sérvio, que perdeu o controle da província em 1999, depois de uma ofensiva militar da Otan liderada pelos EUA para conter a perseguição a separatistas albano-kosovares. Desde então, a província está sob administração de uma força de paz da ONU. Um mar de bandeiras da Albânia, origem étnica de 90% dos kosovares, começou a tomar conta da capital da província, Pristina, quando o premiê kosovar, Hashim Thaci, disse que chegara "o dia de se transformar em realidade a vontade do povo". O Parlamento de Kosovo aprovou por 109 votos a zero a decisão de romper os laços com a Sérvia, marcando um desfecho para a luta por independência iniciada no fim dos anos 1990. Os parlamentares aprovaram também uma declaração em que o novo Estado se compromete com o respeito aos direitos das minorias, estabelece a meta de aderir à UE e à Otan e rejeita os temores, insistentemente repetidos pela Rússia, de que a independência de Kosovo crie um precedente para outros conflitos separatistas. A sessão mal tinha terminado quando o presidente sérvio, Boris Tadic, veio a público para rechaçar a declaração, que chamou de ilegal. "A Sérvia fará tudo o que estiver em seu poder para revogar a declaração de independência

1

unilateral e ilegal". Ele reiterou, porém, que entre os recursos que a Sérvia pretende usar para reverter a secessão não está o uso da força. Belgrado considera a província o berço de sua civilização, pois nela estão localizados importantes templos dos ortodoxos sérvios. A expectativa agora passa a ser em torno dos países que apoiarão a proclamação, pois o reconhecimento de um número significativo de países é a condição principal para que a independência de um país seja considerada legítima. A declaração de independência de Kosovo terá conseqüências sérias para toda a região. Os sérvios da Bósnia-Herzegovina enxergarão o acontecimento como precedente que confirma seu próprio direito de separarse.
Fonte: Folha de S.Paulo, 19/02/2008 (adaptado).

Confira, no mapa abaixo, onde fica Kosovo.

Professor, conduza com os alunos a leitura do texto fazendo uma análise da trajetória de Kosovo a partir da guerra nos anos 1990. Para auxiliá-lo segue uma pequena análise do conflito. A seguir, proponha a discussão dos questionamentos.

Entenda o que foi a Guerra em Kosovo Em 1999, eclodiu um conflito de grandes proporções na região dos Bálcãs. Com o desmembramento da Iugoslávia, a população albanesa da província autônoma de Kosovo, que há tempos almeja a independência,

2

intensificou os movimentos separatistas. Para conte-los, o presidente da Sérvia Slobodan Milosevic, enviou tropas militares para ocupar a província. A ocupação foi bastante violenta, com a expulsão indiscriminada de centenas de milhares de kosovares. Diante desse quadro, a Organização do Tratado do Atlântico Norte, sob a liderança dos estados Unidos, interveio no conflito por meio de ação armada, como fizer na Bósnia. As ações militares da Otan foram sobretudo aéreas, com violentos bombardeios sobre as posições sérvias. Após, aproximadamente, dois meses e meio de guerra, os sérvios se renderam e retiraram as tropas de Kosovo. Em junho de 1999, a Sérvia foi obrigada a assinar um acordo de paz, que resultou na instalação de uma força internacional que assumiu o controle militar no território de Kosovo, permitindo o retorno dos kosovares. Mesmo a presença da ONU, entretanto, não amenizou a tensão, levando a breves confrontos na região. 1. Explique o significado da frase: “chegara o dia de se transformar em realidade a vontade do povo". 2. Que compromissos o novo país assume ante a comunidade internacional? 3. Por que a Rússia se posicionou contra a independência de Kosovo? 4. Que expectativa futura o novo país terá de enfrentar? Respostas 1. O Parlamento de Kosovo aprovou a decisão de romper os laços com a Sérvia, tornando-se independente, marcando um desfecho para essa luta iniciada no fim dos anos 1990. 2. O novo Estado se compromete com o respeito aos direitos das minorias e estabelece a meta de aderir à UE e à Otan. 3. A Rússia acredita que a independência de Kosovo crie um precedente para outras manifestações separatistas, inclusive em seu próprio país como, por exemplo, a região da Chechênia. 4. A expectativa passa a ser em torno dos países que apoiarão a proclamação, pois o reconhecimento de um número significativo de países é a condição principal para que a independência de um país seja considerada legítima.

3

Desafio Qual é a posição do Brasil frente à declaração de independência de Kosovo?
O Brasil não se opõe ao princípio de independência de Kosovo, mas ao fato de o país ter se desligado da Sérvia de forma unilateral, sem decisão do Conselho de Segurança da ONU, onde as potências com direito a veto estão divididas sobre a questão. Para o Brasil o reconhecimento do novo Estado será apenas depois do aval da ONU.

Parte II Você sabia que...
A partir da sugestão do texto abaixo, propor aos alunos que elaborem frases para divulgar um pouco da realidade de Kosovo e divulgá-las no mural da sala de aula ou corredores da escola.

A realidade de um novo país Com uma superfície equivalente à metade do estado de Sergipe e um PIB per capita de quase um quarto do índice do Brasil, Kosovo é por enquanto um país inviável em termos econômicos. Possui reservas minerais de zinco, chumbo e níquel. Mas potenciais investidores externos, sobretudo a alemã RWE e a italiana Enel, não se mexeram antes que o território tivesse seu estatuto internacionalmente definido. A infra-estrutura é bastante precária. A rede ferroviária sofre os efeitos da destruição da guerra. O governo para manter as estradas pretende entregálas a concessionárias estrangeiras. A eletricidade é intermitente. Uma nova termelétrica ficará pronta só em 2015. E há sobretudo a carência de água, cujas maiores reservas estão ao norte, região problemática porque habitada pela minoria sérvia. A moeda nacional, que era o marco alemão, foi convertida para o euro. Os telefones têm prefixos da Sérvia, da Eslovênia e até do principado de Mônaco. As cartas são postadas com selos da ONU. O desemprego é de 45%. A economia - pastagem, pequenas e médias empresas - absorve só um quinto dos 30 mil jovens que batem anualmente às portas do mercado de trabalho. Outros 45% de kosovares sobrevivem abaixo da linha de pobreza, com renda diária inferior a 1,50. Só 35% da população é urbana. Os economistas calculam que a miséria seria maior caso a economia local não se vitalizasse pela remessa de emigrantes kosovares instalados na
4

Alemanha e Suíça. Há ainda a corrupção e o nepotismo, tradução local de uma característica cultural albanesa em que laços de parentesco criam uma rede de favorecimentos e prestação de favores, sobretudo, nos serviços públicos. Fonte: Folha de S.Paulo, 18 fev. 2008. Adaptado.
Professor, para aprofundar o estudo sugerimos propor aos alunos uma pesquisa sobre os conflitos na península balcânica, região explosiva por causa da grande diversidade étnica dos povos que aí vivem.

Ao final, concluir o estudo com a exibição de um filme sobre os conflitos nos Bálcãs. Para tanto, sugerimos:

• Antes da chuva (França/Inglaterra/Macedônia, 1994).
Aborda o problema étnico da Iugoslávia, a partir da história de um fotógrafo que vive na Inglaterra, retorna à sua terra natal e se depara com uma Macedônia dilacerada pela guerra.

• Atrás das linhas inimigas (EUA).
O filme mostra a ação de soldados americanos em uma missão de reconhecimento na Bósnia pós-guerra, tendo que lutar pela sobrevivência para escapar das forças sérvias.

• O resgate de Harrison.
Este filme retrata a Guerra da Croácia no início dos anos 1990.

Curiosidade
Professor, peça aos alunos que procurem descobrir a origem do nome Kosovo.

A palavra "Kosovo" é de origem sérvia. A denominação mas precisa é Kosovo Polje, que significa "campo de melros" ou "planície dos melros", e foi motivada pela grande quantidade de melros* que há nessa região. A palavra "Kos" significa "melro", enquanto Kosovo é o adjetivo possessivo derivado de "Kos".
(*) pássaro canoro, de plumagem negra e bico amarelo.

5