You are on page 1of 41

PIETRO UBALDI

A TÉCNICA FUNCIONAL DA

LEI DE DEUS

RESUMO

ADEILDO PAULO DA SILVA

2
Iª P A R T E - R E S U M O

PREFÁCIO

Com o presente volume encerra-se a terceira trilogia da segunda
obra, que é uma série de aplicações e consequências da teoria em que a
obra se fundamenta. Foi possível, desse modo, submeter a teoria a um
controle experimental, pondo-a em contato com os fatos, em busca da
verdade, que nos oferece um sólido testemunho. O fato de a prática não
confirmar a teoria, dá-nos total segurança.
É conhecido o conceito de uma lei que tudo dirige. Mas não basta
falar dela em termos gerais. Por isso, neste volume, nos adentramos no
tema, para ver com que técnica funciona esta lei. O conhecimento
alcançado é de extrema utilidade prática porque explica as causas da dor e
como não semeá-las, evitando suas consequências. Desse modo, aprende-
se a conhecer qual é a gênese de nosso destino e a corrigi-lo quando
estiver errado. A vida é canalizada ao longo de sua própria via de
desenvolvimento, aprendendo-se assim, a viver não loucamente como
acontece com os involuídos, mas de forma inteligente como os evoluídos,
de acordo com uma técnica, verdadeira arte, técnica essa que se pode
chamar a Técnica da libertação.
Este livro é, pois, prático, utilitário, benéfico, porque através de uma
cerrada psicanálise, nos conduz a Deus. É um livro que, por meio de uma
racional planificação de vida, leva à redenção e à salvação.
Para melhor compreender a teoria exposta neste livro, seria bom ler
os livros precedentes, os mais recentes que deram origem a este, ou pelo
menos um deles: O Sistema, porque as referências à teoria aí exposta,
sobre S (Sistema) e AS (Anti-Sistema) são frequentes. Este trabalho foi
terminado no meu octogésimo terceiro ano de idade, em 1969,
atravessando uma dura enfermidade que ameaçou matar-me. Mas o
espírito venceu, a lei funcionou como já descrevi neste volume, e assim
posso pôr-me ao trabalho de um novo livro, a fim de que a Obra, nascida
no Natal de 1931, esteja concluída no devido momento, isto é, no Natal de
1971.

(*) Pietro Ubaldi completou a sua Obra de vinte e quatro volumes no Natal de 1971 e faleceu no
dia 29 de fevereiro de 1972, tudo conforme havia sido previsto em seu livro Profecias, escrito em
1954.

CAPÍTULO - I
VERDADES E MORAIS RELATIVAS

3

Na realidade, vemos que a verdade é uma abstração nossa e o que
existe, de fato, são as pessoas que nelas acreditam. Isso porque não existe
em nosso mundo (AS), uma verdade universal. Encontramo-la, às vezes,
fragmentada em infinitas verdades particulares, que são as de cada uma
dessas pessoas.
A verdade universal do (S), se consegue pelo princípio das unidades
coletivas, isto é, por reagrupamentos sempre mais vastos de mentes que
aderem a uma verdade particular e atraídas, reciprocamente, por
afinidade. Evolui-se, assim, em direção a unidades coletivas cada vez
mais amplas, mas que, antes de unificarem-se (S), lutam entre si para
destruir-se (AS), uma acusando a outra de erro, enquanto não passam de
aspectos diversos da mesma verdade, lutando para entender-se e, enfim,
unificar-se.
Certamente existe a verdade universal absoluta. Mas esta é a
longínqua meta da evolução e hoje, para o homem, somente existe na
medida dada pela aproximação que ela atingiu na sua compreensão, em
proporção ao desenvolvimento de sua forma mental.
O que de fato encontramos aqui na Terra são agrupamentos de
indivíduos de forma mental afim, que por isso, defendem uma verdade
comum, relativa a eles, e válida para seu grupo. Assim as religiões são
reagrupamentos de indivíduos que, pela raça, história, posição geográfica,
grau de evolução, etc, se encontram de posse de um dado tipo de forma
mental que possibilita seu reagrupamento em torno de um determinado
tipo de verdade e, pois, em torno de um dado pensador-chefe que a
proclamou. Mas se ela não corresponde à necessidade e gosto das massas,
ele, por maior que seja, terá falado aos surdos, inutilmente.
Explica-se assim, como as várias religiões do mundo concebem
Deus e O adoram em formas tão diversas. Deus é o ponto de convergência
de todas elas, tão longe no céu, no qual todas se encontrarão unidas um
dia no futuro.
Uma religião é a construção mental que o homem faz por si mesmo,
é a concepção de Deus que ele pode atingir segundo o seu nível de
evolução, relativamente à sua natureza; concepção, pois, particular, não
universal, impotente para conseguir unificações mais vastas do que as
conseguidas pelo próprio grupo religioso. Aponta-se para o absoluto, mas
o absoluto está no (S), no alto da escalada evolutiva, no extremo limite
do grande caminho da subida, enquanto nós estamos no (AS),
inexoravelmente mergulhados no relativo.

O homem constrói para si uma visão da vida que é a sua verdade, a
que mais lhe serve para viver. Ele a considera sua, de sua propriedade e a
defende contra outras verdades, as quais, por sua vez, são construídas por

4
um outro homem, que igualmente delas se serve e que as defende como
propriedades sua.
Cada verdade tende assim a dilatar-se, invadindo o campo da
consciência e da vida do outro. O princípio imperialista é uma qualidade
humana que se revela em cada manifestação, tanto no terreno político
como no religioso, dando lugar a guerras, que são, na substância, da
mesma natureza.
É assim que, à maneira de cada povo, cada religião tende à
conquista, além de ser proselitista, dogmática e querer invadir e dominar
as consciências. Dessa forma, nasce o fenômeno do imperialismo
religioso.

CAPÍTULO - II
A POSIÇÃO DO HOMEM ESPIRITUAL DIANTE
DAS RELIGIÕES DE MASSA E A RELIGIÃO
UNITÁRIA E CIENTÍFICA DO FUTURO

Há na sociedade indivíduos profundamente espiritualizados que, por
isso, custam a entrar na corrente em que se encontra a maioria.
Muitas vezes, a força do número é a que estabelece a lei e a verdade.
Quando o erro é da maioria, não é julgado erro, mas verdade; e quando a
verdade é de uma minoria, não é julgada verdade, mas erro. Parece que a
verdade, quando não está imbuída de alguma força para fazer-se valer,
perde o valor e se reduz a uma afirmação teórica que não se pode realizar.
Quando uma religião impõe o conceito de um Deus exclusivamente
pessoal e transcendente, o evoluído espiritualizado, embora desejando
obedecer, pode dizer a si mesmo - “eu não posso aceitar porque os fatos
me falam da imanência de Deus em todo o universo. É verdade que Ele é
o centro do universo, por isso pode ser entendido também de forma
pessoal, o que não me impede de ver que Ele é também periférico, isto é,
presente em tudo que existe. Concebendo-o assim, sinto a Sua presença e
não posso negá-la para admitir um Deus imensamente distante, que se
ausenta da sua criação, isolando-se na Sua transcendência.
Assim também em mim, como em toda criatura, Deus está presente.
Eu sou célula de seu organismo vivo em todos os seres; devo, por
conseguinte, pensar em uníssono com o pensamento daquele organismo
que dirige aquele movimento e devo funcionar segundo os princípios que
o regem, isto é, segundo a Lei Dele.

Certamente, Deus é o Eu central do organismo do Todo, é a vida
presente em toda parte. Retirai do ser este liame e ele morre. Um
isolamento de Deus na sua transcendência destruirá a criação, porque o
retiraria da corrente do existir. Não sei se isto é panteísmo. Mas sei que

os dois tipos biológicos: o religioso e o guerreiro. Mas. aos quais . quando ele é involuído. detentor de outra sensibilidade. 5 não posso renunciar a esta presença de Deus.não pode renunciar. Uma tal renúncia romperia o fio da minha vida. a de involução que tende ao (AS).quem os conhece . Esta conduz a uma descida. entre a cruz e a espada. pois. sendo essa redenção a lei fundamental e a razão da vida. entre o pacífico poder religioso e o guerreiro poder civil. se pudesse adaptar-se ao nível das massas que gostariam de tê-lo no seu plano. ficava-lhes submetido como servo e às suas custas eles se mantinham. Prevaleciam. de modo que as massas trabalhadoras se afirmam. mas pouco interessa às massas.III A ATUAL FASE EVOLUTIVA DA SOCIEDADE HUMANA Na Idade Média o domínio era dividido entre a autoridade espiritual e a temporal. Eis o que significa o retrocesso involutivo a que se reduziria o homem espiritual. a coletividade se encontra em vasta escala. É a negação que leva à perdição. isto é. . com o reconhecimento do seu valor econômico como produtora de bens. com resultados diversos. fazendo valer suas forças. seja com a mais útil das armas psicológicas e espirituais. Compreender e viver tudo isso é fundamental para o homem espiritual. que se opõe à positividade salvadora. pois. O único elemento produtivo. o tipo trabalhador. mesmo aqui. sempre mais acentuada. mas de modo de conceber a vida e de reduzi-la diferentemente da maioria. Tudo isto se explica. sente-se a si mesma e como tal se forma uma consciência. entre o papado e o império. de modo que o método da hipocrisia permanece impraticável para este. Assim. Pela primeira vez na história. porque é esta presença que me faz vivo na eternidade. CAPÍTULO . as do trabalho produtivo e não no domínio imposto sobre as massas ignorantes e desorganizadas. que me une a Ele de quem a recebo”. Mas a isto não se adaptará um evoluído. A força da evolução é poderosa e conduz ao (S). Não se trata de abstrações teológicas. O indivíduo pode adaptar-se e assumir a forma mental religiosa imposta pela maioria. a tudo isto se opõe uma outra força. desperta. facilmente subjugáveis seja com a força das armas materiais. também poderosa. As comunidades humanas se agrupavam em torno do templo e do castelo. por isso mesmo fracas e. Mas. o problema da vida é colocado em bases totalmente diferentes.

o tipo religioso. enquanto oculta aquela inferioridade. se tinha feito representante de Deus. escondendo o seu parasitismo econômico. do heroísmo do guerreiro. usando a força ou a astúcia. ao fácil triunfo sobre elas. por quem soubesse. por sua própria e triste condição. apoiando-se em construções ideais impostas pela fé e fundadas na revelação e no mistério. e. Por índole. a suprimir o jogo. . do patriotismo. no passado. o ser humano é frequentemente feito de preguiça. Gosta de escondê-los e para isso lhe servem os ideais. Vistos sob a realidade biológica. porque não se podem abraçar direitos senão quando se fez tudo para merecê-los. para se conseguir evitá-la. de utilitarismo aproveitador. 6 vemos a sabedoria e a bondade de Deus que dirige a vida. para melhor sobreviver protegido pela luta na posição de privilégio. a compreender-lhe a origem. terminam por ser obrigados a despertar da inércia e são levados a reagir a fim de conquistar um valor. meios utilíssimos neste caso. como inquiridora da verdade. mas também a força e os instintos agressivos foram cobertos com o ideal do valor. os elementos que encontra no seu ambiente. Do seu lado. Assim. de egoísmo. era um meio perigoso. ao mesmo tempo. segundo sua natureza. Assim. A dor desenvolve a inteligência e isto significa evoluir. pregados para o uso das massas a fim de que continuassem obedientes. o melhor possível. pois. Ao homem não é agradável que se percebam os instintos inferiores. cada um procura viver a seu modo. que por contraste ressalta a bela figura do homem superior que vive de princípios. com os relativos martírios e sua interessada e partidária glorificação. à semelhança daqueles do tipo religioso. Podia deste modo justificar o seu positivismo econômico. utilizando para este fim. a satisfação dos instintos. Estes estados de sujeição são dolorosos e a dor é o grande mestre que ensina. o tipo guerreiro. mantinha outros ideais que lhe eram úteis. para conservar a sua posição de domínio. não somente a preguiça e a astúcia. porque construídos para seu uso. sem o que não é possível fazer-se valer. que o aproximam do animal. porque obriga a pensar. A paciente passividade e a ignorância das massas convidavam. em seu favor. porque autorizavam a paralisação da atividade racional que. e com a menor fadiga e mal- estar possíveis. que lhe permitem aquilo que mais lhe interessa. exibindo virtudes e cobrindo-se de investiduras divinas. representando consequentemente a solução de todos os males e o maior bem possível. elevar-se acima delas. Todos os indivíduos subjugados. para justificar-se moralmente diante dos outros princípios. porquanto levava a descobrir e.

e com as novas gerações. razão pela qual a velha ética. as bases da produção dos bens necessários para poder viver num nível civil. base da vida social. Naquela fase evolutiva. Entendeu que na organização coletiva é um adido a uma função diversa. ao patrão cabia fazer-se servir. como convém ao adulto. estabelecendo-se já uma espécie de justiça social. embora continuando na nova. consciente e responsável. quando se concebe a vida de outro modo. os heroísmos de santidade e os de guerra. 7 Esse mundo medieval. feita de quem trabalha e produz. As novas gerações ignorar-lhes-ão a forma mental e os métodos. seja com a regulamentação demográfica. a ponto de dar-se conta de que constitui a base da estrutura social. não sabendo orientar-se por si mesmo. porque. porque se impedirá sua formação. cada um dos dois tinha como compensação uma vantagem. está hoje desaparecendo por fatal maturação biológica. Assim se formou uma simbiose. mas que o cumpram de outro modo. estas relações eram justas. Porém. pela própria imaturidade. não será compreensível. portanto. de forma coletiva. porém. A sociedade era composta de patrões e servos e a matéria dos direitos e deveres não era disciplinada e sim confiada à espada. enquanto cumpria uma função. e não será apenas um sonho ou aspiração. aquele povo desenvolveu-se. há tempo. Houve um tempo em que o povo era obrigado a viver de forma subordinada e em função de classes dominantes e sem interesses. Com o progredir da vida. o povo precisava apoiar-se nelas. que foram. e o temporal saberá lançar com a técnica. o convento e a fortaleza. uma sociedade organizada. Na sociedade futura não haverá mais pobres. Tudo isso não significa que o espiritual e o temporal não devam mais cumprir sua função. pouco a pouco a sociedade chegará a organizar- se com métodos mais evoluídos e perfeitos. vivo até há pouco. No fundo. No passado havia muita gente sem direitos e apenas deveres. seja com o trabalho . que permitia uma convivência pacífica. o conceito do mundo regido por dois poderes: o espiritual e o temporal. para realizar-se na vida seriamente. arrastadas por outros problemas. É assim que vemos cair na zona do silêncio. O problema da injustiça e da vítima configurou-se somente hoje. mesmo neste nível se formou um equilíbrio: enquanto ao servo convinha deixar-se dirigir e defender. mas cujo valor não é inferior ao de quem dirige aquele trabalho e produção. gente que era preciso manter quieta na sua posição com esperanças e consolações. Hoje. irá morrendo a velha forma mental. valendo tanto quanto quem comanda. O espiritual será mais positivo. Em seu lugar está surgindo a instituição do trabalho.

paga-se sacrificando o melhor. A fase que se constituirá mais tarde por essa orientação geral da ciência em relação aos fins últimos da existência. mas um produtor e consumidor de mercadorias. A Lei resiste como um muro contra toda desordem. um lugar estimado e admirado. que desempenham sua função unindo-se conforme três modelos de vida associativa . que é de orientação e de preparação daquela transformação. não necessárias à vida. tudo se prepara primeiro e depois se realiza com lógica. Hoje se tenta relegá-las a um “hobby”. de uma revolução incruenta. para viver as suas aplicações e consequências. mas o ideal desapareceu. será a do conhecimento e uso da técnica funcional desta Lei. Essa Lei não é uma coisa longínqua e genérica. resiste contra quem ameaça desequilibrá-la. os valores espirituais ocupavam lugar de honra. Hoje a técnica substitui a cruz e a espada. 8 organizado e obrigatório para todos. CAPÍTULO IV UM MAIS AVANÇADO CONCEITO DE DEUS E DA VIDA Encontramo-nos diante de um fato positivo. os tipos de valores sociais aqui examinados. Nos seus princípios fundamentais é como uma árvore feita de . deixando que quem cultivasse tão nobres coisas morresse de fome. E. um passatempo. Hoje somos mais educados. Este ficou relegado entre as coisas supérfluas.o convento. Trata-se de uma transformação profunda. atenta à sua integridade. Outros passos virão depois. a oficina. o trabalhador. mas como acontece com toda conquista. o guerreiro. mas na desordem havia lugar também para os ideais. a fase sucessiva à atual. que transformará o mundo como nenhuma outra precedente revolução. Assim se conquista o bem-estar. que é a única coisa que importa. equilíbrio e medida como quer a Lei. Houve um tempo em que éramos primitivos e ferozes. Temos o poder espiritual. A partir dela penetrar-se-ão os muitos aspectos. a poesia. Mas há também o reverso da medalha. nas horas livres permitidas pelo trabalho. o temporal e o econômico. representados por três tipos de homens: o religioso. já nos preocupamos em não deixar ninguém na miséria. a fortaleza. Assim. portanto. porque é a única atividade produtiva. Será a fase da transformação biológico-social da humanidade. ou um herói habituado a vencer os inimigos. Houve um tempo em que a arte. e o homem não é mais uma alma para ser salva. seja com as necessárias providências sociais. Eis.

cuja existência ninguém pode deixar de reconhecer. se nos enganamos. ir de encontro a ela a cada passo. O ateu vive imerso no pensamento de Deus tal como o crente. Devemos compreender que a finalidade da vida é redimir-se da dor. esse mal termina por voltar-se contra ele mesmo. Com os seus métodos experimentais positivos. acreditando que vai ter recompensa. sabe falar bem alto. A fim de evitar a dor é preciso aprender a mover-se com disciplina. de que partem muitos ramos e uma infinidade de folhas. A Lei com os fatos fala claro. Este é um Deus. em leis invioláveis estabelecidas pelo pensamento divino. o resultado que vai obter será um desastre. Se o engenheiro não respeita as leis da gravidade. Isto só é possível com conhecimento e obediência. então. para os surdos. que são tantas quanto as formas dos seres e dos fenômenos. corretamente. Ele observa o seu funcionamento e sabe que. de equilíbrio. Se um indivíduo pratica o mal. mas. um diálogo permanente que se mantém com o pensamento de Deus. perde a importância. entre ateu e crente. por outro lado. fazendo-nos pagar o erro. eles se subdividem até chegar aos mínimos particulares que encontramos na realidade. E isto é verdade em todos os campos. a dos fatos. porque. Tudo o que existe está imerso nessa Lei. se não lhe segue com exatidão as regras. deve estudar todas as regras que aquele pensamento estabeleceu e deve obedecer-lhes. a sua construção cai. Vê-se. segundo o ramo de que derivam. Estas são as respostas da Lei. então Ele nô-la repete. na língua que melhor compreendemos. porque se não compreendemos a sua palavra. de resistência dos materiais. efeito da revolta. o conhecimento levará também aos bancos de prova dos laboratórios os fenômenos desse tipo. mata o doente. se não quiser ver destruídos os seus mecanismos. a separação entre ciência e fé. Assim a lei geral se subdivide em muitas leis menores. respeitando as normas estabelecidas por essa ordem inviolável dentro da qual estamos situados. da matéria ao espírito. O cientista quando quer enviar um míssil à lua. 9 um tronco central. pois. Estes se reagrupam. Se o médico não observa as leis do funcionamento do organismo. em todo campo. Então se vê como Ele está presente. não podemos. que qualquer que seja nosso comportamento mental. a Lei funciona igualmente para todos. Quando se assume esta forma mental. É preciso mais que ateísmo para negar as evidências. para compreender-lhe a técnica funcional e descobrir-lhe os . entre materialismo e religião. O homem de ciência não faz outra coisa senão estudar esse pensamento numa de suas ramificações. e que isto só se consegue através da evolução. etc.

mas o que se faz. Trata-se de uma revolução profunda que ocorrerá. Cada Pensamento e ação deverá ser feito com absoluta sinceridade e honestidade. Postos um diante do outro. pesando sobre quem as lança. e que deverá continuar cada vez mais estreito na eternidade. Na realidade. Nasci sem conhecer o verdadeiro significado da vida e sem encontrar quem o conhecesse e mo explicasse. O fundamental na Terra é o problema biológico da luta pela vida. porque se poderão calcular os efeitos desastrosos que o impulso de forças negativas pode produzir. conquistando o absoluto. Pode-se. de sofrimentos. graças ao diálogo. mas ao homem faltam ainda os olhos para lê-lo e a mente para compreendê-lo. Na presente obra. trata-se da costumeira guerra entre os homens. mas somente um anticlericalismo. a trajetória do meu futuro destino. que se lhe revela cada vez mais a cada descoberta. O ateísmo não é contra Deus. em proporção ao desenvolvimento atingido pela nossa inteligência. Assim. o contato é possível e o diálogo pode ser uma real troca de idéias. Mas a dor desperta a inteligência e a humanidade cansará de sofrer. vivendo com consciência e com conhecimento. contra a concepção eclesiástica de Deus. até aquele ponto. Jamais se poderão apreciar suficientemente as vantagens que traz o saber assumir conscientemente as rédeas da própria vida. chegar a um contato direto com Deus até onde permitir o caminho percorrido na evolução. Seria ridículo pensar que Deus pudesse ser envolvido em nossas lutas humanas. mas. capacidade de compreensão. Significa evitar montanhas de erros e. no cérebro humano. já são quase quarenta anos em que estou empenhado sozinho nesse diálogo. o primeiro vence o . e desse modo lançando. Assim. Diálogo profundo e completo. antes de tudo. Em resumo. 10 princípios diretivos. e pois. Não se pretende dizer com isso que se possa compreender completamente a Deus. pois. O atual sistema de comportar-se como astutos que sabem o que fazem é simplesmente louco. porém. porque se sabe que a Lei é justa e responde com a mesma linguagem que se usa com ela. até chegar a compreender que convém adotar um tipo de vida diferente. dirigido para fins determinados. não é mais concebível uma religião de hipocrisia. A ciência atéia está de fato cumprindo um diálogo com o pensamento de Deus. o que conta não é o que se diz. na qual Deus não entra. A história da humanidade é todo um diálogo com Deus. que vejo desenvolver-se sempre mais. pois. o livro da vida já foi todo escrito por Deus. já estabelecidos pela lei geral dada pelo pensamento de Deus. e não o da busca da verdade. isto é. Não se pode superar tal limite. Agora posso morrer satisfeito por tê-lo compreendido. na direção desejada por mim.

ao mesmo tempo.V ARREMESSO E CORREÇÃO DA TRAJETÓRIA DA VIDA E A TERAPIA DOS DESTINOS ERRADOS Cada forma de existência. Mas. Esta trajetória tem o seu percurso estabelecido pelos impulsos que a lançaram. CAPÍTULO . este trabalho é canalizado num sentido evolutivo. em uma posição espiritual mais elevada. Deste modo a vida na Terra se torna uma escola de aprendizagem. até atingir seu apogeu. não o conhecimento por si mesmo. mas em função de uma superação. . descrevendo um arco e fechar sua trajetória. e sim apenas como meio para conseguir um fim mais alto e longínquo. mas seja também útil para a nossa evolução. A justa posição é a de usar os valores do mundo. para depois descer. porque dependem das qualidades com que o indivíduo construiu seu tipo de personalidade. 11 segundo. repetindo e reassumindo o caminho que sua evolução percorreu no passado até chegar ao ponto em que se encontra. são o resultado do passado. findo este trabalho de repetição no qual a trajetória da vida retorna sobre si mesma para reassumir todo o passado. Cada fenômeno está fechado dentro da sua lei. em direção ascendente. que permanece definida por elas. Aceitar assim o mundo. mas não como única finalidade. interligadas num campo dinâmico fechado. Observemos o caso de nossa vida. que lhe estabelece o desenvolvimento. o indivíduo trabalha no seu desenvolvimento físico e mental. para o alto. Os princípios que regulam este arremesso em órbita para atingir o trajeto que chamamos de destino. de modo que não dê apenas um fruto imediato. Pode-se estudar a estrutura da personalidade humana enquanto é constituída por um feixe de forças em movimento. cada fenômeno. a sabedoria está em servir-se dela a fim de preparar-se para entrar na outra vida. aquele proposto pelo ideal. Do nascimento até os vinte anos. Esta se desenvolverá em obediência ao lançamento inicial. na época da maturidade se inicia o lançamento da trajetória de uma nova vida. Então. É respeitada assim a imperiosa necessidade de ocupar-se das coisas materiais indispensáveis para viver. Interessa ao homem a satisfação imediata das suas necessidades. como um feixe de forças em movimento. É com esta realidade da vida que o ideal tem de ajustar contas todas as vezes que busca descer à Terra. O mesmo acontece no fenômeno de nossa vida. mas. cada vida é constituída por uma trajetória ao longo da qual se movem.

formando em torno do indivíduo uma atmosfera semelhante a ele. Podemos assim compreender o que é o destino. 12 Tudo isto se formou através de experiências de vidas precedentes e representa o resultado impresso no subconsciente. e não esperar que ela se fixe porque então se torna destino fatal. em tempo. constituindo o capital armazenado que o indivíduo carrega consigo na vida sucessiva. Desde o ingresso na nova vida tudo está fixado. Isto significa que a órbita do próprio destino já está estabelecida e calculada em função apenas desses elementos componentes. pelas forças livremente em movimento e que acompanham o indivíduo até a sua exaustão. enquanto a percorremos durante a vida. a técnica funcional desse fenômeno e a lógica da sua estrutura determinística. ou melhor. C A P Í T U L O . a que ficamos ligados. Urge corrigir. a correção requererá um esforço proporcional a fim de empurrá-la noutro sentido. Uma vida errada nos liga a um doloroso destino de correção. o que significa uma grande fadiga. Importante para a nossa evolução e redenção. porque o arremesso foi feito desde o final da vida precedente. Isso reforça os impulsos que deram origem ao lançamento da trajetória e tende ainda mais a mantê-la ao longo de sua linha de desenvolvimento. Por isso ele é determinista. boas ou más. e se apresenta com caráter de fatalidade. mas realizadas e concluídas. o que significa que já estava estabelecida a direção da trajetória. tudo segundo a lógica e a justiça. que ele respira e de que se nutre. introduzindo nela. não só como estrutura. a escolha de uma coisa ou de outra. por suas qualidades. que. se parece violar o nosso livre arbítrio. no ambiente. pois. confirmando as suas qualidades. porque não é senão consequência de resultados já fixados de experiências não em fase de formação. Ao nascer. mas também como trajetória em movimento e que é resultante das forças que nela estão atuando. na realidade respeita-o plenamente. novas modificações. a trajetória. com as quais estabelecem uma ligação.VI . esforço que somente o indivíduo que vive tal destino pode fazer. Certamente. porque o projetil lançado é ele e as forças que o movem são as qualidades pessoais. É importante o problema da correção de trajetória do próprio destino. Tal correção não é fácil. Segundo o próprio tipo de destino. ainda não lançá-la de todo. resistindo aos desvios. São essas as qualidades que estabelecem quais são as atrações e as repulsas que determinam. as forças que constituem a personalidade atraem as forças afins. se essa direção estiver errada. a personalidade é nitidamente individuada. de modo que ela chegue à sua conclusão boa ou má. segundo a direção assumida.

e Sua obra estaria falida. cada uma com suas características próprias. de que se ressente com todos os efeitos que constituem a sua natureza e dos quais depende a direção do seu movimento. que impele tenazmente o ser a decidir-se. tem o poder de lançar no campo fechado da própria personalidade. Se um único indivíduo não se salvasse. através de um transformismo incessante. o resultado do seu passado. A técnica dessa redenção. o Sistema. o ser ao ponto de partida: Deus. A criança nasce com a sua personalidade já feita e com ela reage e se adapta ao ambiente. o homem poderá viver com consciência e conhecimento. Qualquer que seja o seu passado é oferecida ao indivíduo a possibilidade de corrigi-lo. porque é através do caminho da evolução que tem lugar essa batalha. por meio da evolução. a idéia de uma vida única é simplesmente absurda. Há a dor. depois de tantas fadigas e dores. Os instintos que guiam a criança são o resultado de longa experiência passada. como de uma nova ética científica positiva. Não pode ser de outro modo. a canalizar as suas órbitas de acordo com a vontade da Lei. Mas isso não é novo para ela. impotente diante dele. Assim. Como se vê. o tipo de trajetória ou destino é estabelecido pelos impulsos que o indivíduo. a fim de levá-lo um pouco mais adiante. mas um feixe de forças. A concepção apocalíptica da cósmica batalha entre bem e mal corresponde a uma realidade biológica. se desloca ao longo do caminho da evolução. Todo o caminho da evolução é uma luta constante entre Anti- Sistema e Sistema. até reconduzir. com a vitória do Sistema. bem definidas. Todos deverão terminar salvando-se. retrocedendo. O fato de logo sentir-se à vontade. A infância é uma rápida repetição que resume o trabalho já feito. Mantém-se sempre aberta a porta da salvação. É o estudo dessa bagagem que haverá de formar o conteúdo de uma psicanálise mais profunda e uma psicosíntese do futuro. que assim estabelece o tipo de órbita que ela deve percorrer. com o seu livre arbítrio. A vida é longa e tanto mais longa quanto o for toda a evolução. por sua vez. se realiza ao longo de um processo trifásico. consequência do erro. É questão de tempo. Deus fracassaria no mal. 13 AS TRÊS FASES DO CICLO DA REDENÇÃO Como vimos no capítulo precedente. mostra que já o conhece. Eis que o nosso eu não é uma entidade estática. concluindo. que ao nível humano desempenha a função . e construir um melhor futuro para si mesmo. que emerge do inconsciente em que foram armazenados. Tal personalidade é. feixe que avançando. porém.

Este processo se realiza através de uma típica forma que podemos chamar o ciclo da redenção. O ponto de partida do processo de experimentação na primeira fase é a ignorância e o erro. Na terceira fase o seu conteúdo não é mais um trabalho de correção de trajetórias e de correção de erro em condições de choque. na sabedoria da Lei. ou redenção. A cada experiência. o ponto de chegada é o conhecimento. mesmo o mal termina por desempenhar uma função de bem. a função da terceira fase é a de confirmar definitivamente um dado campo de experiências. ou salvação. ele toma conhecimento de uma reação e combinação química nova. O ciclo se move no sentido evolutivo. isto é. Esta fase contém uma real experiência feita na própria pele e sem possibilidade de evasão. para levá-las aos trilhos da Lei que seguem na direção do Sistema. a posição de erro corrigido e de lição aprendida. poderemos ver aquelas três fases de outra forma: 1 . . a um estado em que essas metas são conseguidas. os resultados das nossas operações. poderemos definir assim as três fases: 1.experimentação. 2 . Se olharmos o fenômeno no seu aspecto corretivo e salvador. isto é. 14 corretora das trajetórias mal orientadas. com a correção dos erros. 2 . é preciso também absorvê-la.ignorância. onde encontramos todos os elementos e nos exercitamos na sua combinação de modo mais diverso. não conhecemos as reações. para uma ação curativa do mal. Assim. como processo construtivo do indivíduo. transformando-os nas suas qualidades adquiridas.fase curativa da dor (sua correção).fase inicial do erro (lançamento da trajetória errada). O fenômeno é dividido em três momentos ou períodos. É assim que. é preciso também assimilá-los e fixá-los na própria personalidade. Se observarmos o fenômeno no seu aspecto evolutivo.conhecimento. 3 . Em ambos os aspectos o processo termina sempre com a chegada do conhecimento. como a cura. mas é de confirmação da posição correta. cada uma das quais pode estender-se a uma ou mais vidas. Isso abraça três tipo de experiências. conseguida no final da segunda fase. 3 . A vida é como um laboratório químico. do Anti-Sistema para o Sistema. Não basta receber uma lição. É lógico que no seu extremo oposto. Não basta obter resultados.fase resolutiva da cura (trajetória justa). de correção na direção do Sistema daquelas trajetórias erradamente lançadas para o Anti-Sistema. Na segunda fase se experimentam as consequências da primeira precedida pela escola da dor. mas pela nossa ignorância das leis da química.

seguindo preferências diversas. sua própria vida se transforma nesse processo. a órbita deve fatalmente continuar. enquanto não haja exaurido todo o percurso. Cada um tem o seu e a ele fica inexoravelmente ligado. na série das várias oportunidades que a vida lhe oferece. e desse modo oferecem resistência às combinações com forças de outro tipo. enquanto atraem e. 3º) decorrência. depois fica encurralado num dado tipo de concatenamento de causas e efeitos. por conseguinte. 2º) consequente construção de um certo tipo de personalidade. E quais são as causas das razões desta sua inexorabilidade? Todo o fenômeno tem funcionamento automático. Quando o indivíduo se põe numa dada posição diante da Lei. atrairão forças maléficas. que são repelidas. Por esta razão. Disso depende o seu comportamento. aos quais está ligado. Na construção de um destino. de modo que não pode sair dele. 15 C A P Í T U L O . ele não escolhe livremente ou por acaso. a sua vida. Daí. e. o seu método de pensar e agir. porque esta é a da correção obrigatória dos erros livremente cometidos na primeira fase. o seu tipo de reação. advém a fatalidade do destino. atrairão outras forças benéficas. o seu impulso. se são anti-Lei. As forças que constituem o organismo da personalidade são ligadas à maneira de circuito fechado. a partir de uma tal estrutura. fazem crescer o potencial daquele organismo. A nossa personalidade é um organismo de forças bem definidas que são as nossas qualidades e de cujo tipo depende a estrutura de nosso destino. aceitas. Segue-se que.VII A TÉCNICA FUNCIONAL DO DESTINO A FUTUROLOGIA E A RACIONAL PLANIFICAÇÃO DA VIDA Vejamos agora o problema de nosso destino. sobretudo na segunda fase do ciclo da redenção. Quando um indivíduo enfrenta a sua vida. livremente. segundo as atrações estabelecidas pela sua natureza. Esse processo passa a ser um componente da sua personalidade. Uma vez feita a escolha dos caminhos a seguir. Tudo depende desta primeira colocação. introduzem no circuito forças do mesmo tipo que. O fenômeno do destino se capta. de modo que dele é impossível escapar. temos três momentos de conexão e derivação: 1º) livre-escolha. de uma fatal sujeição a um tipo de forças e acontecimentos constitutivos do destino atual. mas se orienta. Se estas estão de acordo com a Lei. Mas tudo isto depende da sua . o destino toma a forma de fato inexorável. ele leva consigo as consequências de todos esses precedentes.

por sua vez. os corretivos que a modifiquem. Mas esses pais também poderiam responder a cada um de seus filhos: “E tu. Uma mudança é possível. tais reclamações não têm sentido. depois de haver passado pelas provações. escondidos no inconsciente do indivíduo. que pagam somente os seus. tal como essa foi por ele lançada. por ele mesmo introduzidos no passado. enquanto na verdade a culpa é agravada. estamos fechados numa gaiola de ferro que é a ordem e a justiça da Lei. 16 forma mental. portanto. introduzindo. não é possível que a pessoa seja diferente do que é. por que te encarnaste naquele feto? Não fomos nós que te obrigamos a escolhê-lo. mas somente percorrendo toda a órbita. tipo de reações. É lógico . pouco a pouco. com novos aguilhões. Estes movimentos: escolha. procurem corrigi-la. Com base nesse precedente. jogando a culpa neles e não em si mesmo e desse modo. senão depois de tê-los percorrido. que as consequências de sua natureza possam ser diversas do que são. A Lei não pode ser senão a da mais alta justiça. ou que se torne uma outra e. encontrada a culpa em si mesmos. aprendido a lição e as consequências do passado. Cada um sofre exclusivamente pelo que faz. procurar a causa nos outros. Porque não nasceste de um outro casal? Poderia esse fato mudar a tua natureza e o teu destino que dele depende? Nós te demos um corpo. que é a construída por ele no passado. mas já vimos que os destinos não se anulam. Cada um paga os próprios pecados e não os dos outros. ser responsáveis por um destino que não podem prever? Certamente esses pais podem e devem ajudar com a educação. comportamento. vivendo todas as relativas experiências. A cada indivíduo corresponde a responsabilidade pela sua culpa e a fadiga da redenção. Como se vê. tudo segundo a justiça. É assim que ele pode seguir uma só via. Há filhos que maldizem os próprios pais. Os desgraçados que passem a fazer exame de consciência e. a do natural desenvolvimento da trajetória do seu destino. acreditando que se pode livrar da própria dívida. trazendo-os ao mundo. porque. É muito comum quando se sofre por um duro destino. porque se agrava o erro. Eis como o indivíduo traz consigo já traçado o caminho que haverá de seguir. mas a alma é tua e não fomos nós que a fizemos. então volta-te contra Ele”. estavam à espera de desenvolvimento. condenaram-lhes a uma vida de sofrimento. Como pode a Lei ser tão injusta a ponto de fazer pagar um filho inocente as culpas dos pais? E da parte destes. Se Deus assim te criou e desse modo tem-te obrigado a viver. Evidentemente. modo de pensar e agir. como podem.

Assim. como é o movimento que mantém os planetas nas suas órbitas. compreensíveis para todos. com a nossa inteligência. Somos nós que. quando o mal já está formado. correndo às reparações. mesmo se religioso e crente. Compreende-se assim que as religiões de nada valem quando não são vividas honestamente. sem apriorismos fideísticos. C A P Í T U L O .VIII A NOVA MORAL E A TÉCNICA DA SALVAÇÃO Em nosso universo tudo é regido sabiamente por uma Lei. impossível seria admitir que aquela sabedoria não funcione igualmente com a mesma ordem e disciplina naquele outro plano de existência de nosso universo: o moral e o espiritual. Trata-se de uma medicina preventiva no campo moral. a regulamentação do seu funcionamento deve ser só uma. mas uma trajetória em movimento. portanto. 17 que ela não nos venha dar essas explicações e imperturbável. O transformismo é a forma da nossa existência. vivendo como seres conscientes e inteligentemente orientados. o que é mais prudente que corrigir e reprimir depois. Salva-se quem é honesto. ainda que ateu. É necessário. devemos chegar a compreender. É este movimento que nos sustém. Esta Lei rege no plano moral com a mesma exatidão com que o rege no plano físico e dinâmico. sem rivalidade de partidos ou religiões. velhos que morrem para renascer. baseando-se em princípios de alcance universal. e que a hipocrisia representa para elas um perigo . impedindo assim a formação de destinos de dor. impedindo-lhes a formação. e perde-se quem é desonesto. Estamos sempre nos tornando alguma coisa diferente e não podemos deter-nos nunca. dinâmico e psíquico é um só. Com a nova moral caem as distinções fictícias humanas de forma e fica a substância. Diante de tal constatação. que se ocupará do justo lançamento das trajetórias da vida e da correção das erradas. compreender que só existimos enquanto somos um vir-a-ser. antes de tudo. eliminando os centros de infecção. Se a Lei é uma só e o universo físico. Somos crianças que se tornam adultos. Chega-se então à conclusão de que ser ateu ou crente é a mesma coisa quando o somos honestamente. não somos uma coisa fixa. Poder-se-á fruir da imensa vantagem de evitar tantas dores. baseada nas normas de higiene espiritual. continue a funcionar em silêncio. mas com critérios práticos e utilitários. adultos que envelhecem. o problema é assentado sobre a lógica. poder-se-á chegar a uma nova moral científica. que previnem contra o mal. Quando se tiver compreendido tudo isso.

O eixo conceitual em torno de que se move o universo. que continua o seu caminho. Quando um míssil é lançado. Com relação ao nosso corpo a Lei é o espírito. Cada impulso nosso. trate-se do mais poderoso ou o mais astuto da Terra. Para esta nova moral mais valem as intenções que as formas exteriores. é a Lei. O mundo não compreende tudo isto. que estão no nível dinâmico. seja ele do ocidente ou um míssil comunista. qualquer comportamento pode deslocar a posição do indivíduo. aos efeitos das nossas ações. e seus efeitos não nos deixam mais até que os tenhamos exaurido plenamente. Os problemas a resolver são portanto os mesmos. Assim o homem vai experimentando e com isso conquistando consciência. se é relativamente livre para iniciar novas trajetórias no momento em que são lançadas. Se compreendêssemos tudo isso. do qual dependem outras formas menos evoluídas de sua existência. No . A moral que deriva de tais constatações é que se torna necessário ter uma conduta reta. ideais. porém responsáveis pelas consequências: liberdade e responsabilidade que nos ligam. o pensamento diretivo do seu constante funcionamento orgânico. enfim. ou seja. Diante das leis dos fenômenos. que é o mais precioso produto de tanto trabalho. Para qualquer um que transgrida a Lei não há salvação. Sobre a nossa liberdade prepondera a Lei. se não nos limita na escolha das causas. no nível físico. 18 mortal. nos liga aos seus efeitos. Somente os muito ingênuos acreditarão que os efeitos do mal possam anular-se gratuitamente sem que ninguém pague. como a energia e. Ela representa o seu cérebro. deve atravessar os mesmos espaços. é logo posto no canal causa-efeito. mas permanece inviolável a Lei e a ordem das coisas. Tudo funciona normalmente: tanto faz ignorar ingenuamente ou mentir com astúcia. Só por ignorância pode-se crer que nossa fé e nossas opiniões podem mudar alguma coisa no funcionamento da realidade. isto é. como a matéria. as ideologias de nada valem. porque as nossas obras nos seguem. inexoravelmente. de que não nos permite evadir. um mal que termina por matá-las. manobrando o homem ignorante através de seu inconsciente. o modo pelo qual o universo existe no plano mental. e paga duramente pela sua ignorância ou vontade de não compreender. superiores. Somos livres na escolha. inferiores e que as outras. estaríamos bem preocupados em não fazer o mal. que. É interessante ver como a sabedoria da vida resolve certos problemas. Os psicanalistas afirmam que as motivações “reais´’ são as instintivas. em que o movimento se torna determinista. com os mesmos perigos e superar os mesmos obstáculos. nada mais são do que coberturas para justificar aquelas diante dos princípios.

ainda primitivo. A vida recompensa somente quem luta para subir. A sua técnica não é aquela incerta da tentativa característica do ser decaído no Anti-Sistema. A mentira volta-se contra quem a usa. Os seus movimentos são exatos e atingem a finalidade. pela conquista de mais altos valores. com a dor o caminho certo. assim também na Lei está o pensamento der Deus. É inútil mentir-lhe. com força . porque ensina. que pretendiam enganá-la. A vida quer a luta pela conquista e o ideal é uma luta no mais alto nível. mais civilizado e feliz. negativas. O homem. Aqueles que se fazem evangélicos por comodidade são liquidados. Ela é um pensamento diretivo e uma vontade de realização. com a mesma disciplina. uma vez que o deve corrigir depois. não soube conceber tal lei senão antropomorficamente. Vimos assim. É a própria Lei quem lança os lobos contra os falsos cordeiros. O ideal representa um tipo de vida do mais alto nível. por constituir um bem maior. similarmente devemos admitir que assim ocorra no campo espiritual. porque este é regulado automaticamente pela lei da gravidade. É por isso. a vida não se deixa enganar e não o protege. a Lei funciona igual para todos. sob a forma de um Deus que ajuda a cada um. mas de tudo o que fizer. sem errar um movimento e falhar um instante. dependência hierárquica e funcionamento orgânico. o que significa evolução. Esta funciona com inteligência perfeita. e podemos identificá-lo por toda parte. isto é. E assim como em todo o funcionamento de nosso organismo encontramos a presença de um pensamento. segundo as condições em que cada um se põe diante dela. Esta o deixa livre para cometer qualquer erro. quando é usada contra a vida. Se um preguiçoso ou inepto se veste de pacifista para esconder seus defeitos. Trata-se de uma conquista de conhecimento. que a realização do ideal é assegurada. de igual modo a presença do pensamento de Deus é encontrada no funcionamento de todo o universo. mais ampliado. na sua inocência. Como no espírito está o nosso pensamento. A hipocrisia. Quando um corpo cai não podemos admitir que Deus esteja lá para regular o fenômeno da queda. que desejaria usar o Evangelho como um refúgio para poltrões. o poder. 19 universo. a vontade. feitas de inércia. As características fundamentais desta Lei são: a inteligência. porque isso está de acordo com a Lei. num determinado aspecto como funciona a Lei. mas jamais diante da Lei. de que o homem é uma cópia ou caso menor. numa experiência instrutiva. advirão consequências e deverá prestar contas à Lei. O homem é livre. Diante dela não tem valor tais virtudes baratas. encontramos o mesmo modelo. pode valer no plano humano diante do mundo.

nem que se sofra sem culpa. Em suma. que o levará para o alto. Assim o bom não pode fazer o bem a um mal que não o tenha merecido. Tal moral nos garante que essa inserção não será possível quando o indivíduo bom não tiver merecido o mal que o assalta. porque encontra as portas fechadas. enriquecendo-o de positividade. premissas introdutivas. Assim para os ateus como para os crentes. E aquele mal não recebido não é uma força que se anula. e apenas iniciado. Estas. é mover-se em direção do Sistema. porque a Lei da vida. isso só acontece na medida em que este o mereceu. é estabelecida pelo mal merecido. nem fazê-lo a um bom que não o tenha merecido. cada movimento é regulado por leis. 20 irresistível contra a qual não adianta rebelar-se. mas se torna possível desde que o mereça. repelidas. não é possível fazer o mal senão a si mesmo. quem se encontra em tais condições. não há uma moral diferente. isto é. em qualquer tempo e lugar. é canalizado num dado sentido. O lançamento das trajetórias é livre. suscetíveis de grandes desenvolvimentos. a que fica ligado segundo as direções que lhe são imprimidas. por mais que se tente fazer o contrário. como verdadeiras são as leis do plano físico e dinâmico. isso só poderá ocorrer na proporção em que o circuito de suas forças permitir a introdução de impulsos negativos e maléficos. A medida que um mal pode passar de um indivíduo a outro e a negatividade a ser inserida num dado circuito. essas forças positivas não poderão ser inseridas naquele circuito de sinal oposto. mas para todos. permanecendo prisioneiro na disciplina da ordem soberana. Traçaram-se aqui espirais de luz. que exige. a nossa salvação. para quem quer evoluir. terá uma vida abençoada e frutificante. sendo pois. como não há uma lei de gravidade diferente. mas uma força que se volta contra quem a lançou. dirigidos para campos de forças de tipo negativo. quando pode fazê-lo. de uma nova moral científica e racional. De tais constatações deriva uma moral que responde à perfeita justiça da Lei. o que é impossível. O contrário ocorre no caso de trajetórias que seguem a direção da Lei. mas com bondade absoluta. e não podendo escapar do canal escolhido até que a sua trajetória seja toda . porque não há sentido em corrigir um erro não cometido. então ele retorna ao circuito de forças positivas do emissor. um percurso em sentido positivo. Quando esse bem não pode entrar. e. universal. porque verdadeiras para todos. Assim. porém. vantagem para quem fez o bem. atrairão e poderão absorver no seu circuito apenas aquelas que têm o mesmo sinal positivo. entre tantas forças que encontram em seu caminho. Se o bom tiver de ser atingido. a qualquer preço. razão pela qual. a Lei não permite a injustiça. Se tais impulsos positivos forem. grau de negatividade de que se saturou o próprio circuito receptor.

dirige o nosso universo. tudo gravita na direção de Deus. deve voltar a ela. naturalmente fechada num limite. Inesgotável fonte de poder e de sabedoria. É assim que quanto mais involuído é o indivíduo. 21 percorrida. fica a vontade do ser não ainda redimido pela sua evolução. não obstante todas as resistências do Anti-Sistema. que depende o próprio destino. C A P Í T U L O . Eis então que o caminho de afastamento ou involução teve de inverter-se. por parte do espírito obscurecido. assim o fazendo. representa um processo de reabertura ao conhecimento perdido. mas se desenvolve numa luta entre os dois contrários. Sistema e Anti-Sistema. ou seja. impulsionado por resíduos daquele primeiro impulso de revolta a continuar a opor-se contra a corrente de atração que tende a levá-lo de volta a Deus. porque animada pela vontade de Deus. mais próximo do Anti-Sistema de que . É lógico que possa acontecer tal fenômeno de resistência à atração do Sistema. o seu centro dinâmico e conceitual é Deus. como resultado dessa permanente irradiação divina. que é o Sistema. isto é.IX A RESISTÊNCIA À LEI E SUAS CONSEQUÊNCIAS O maior problema de nossa vida consiste nas relações que cada um estabelece com a Lei. a evolução não é pacífica. porque é dos recíprocos contatos e choques que se seguem. mas também em centro de atração universal. Superado assim o impulso rebelde. ainda não totalmente extinto nos níveis mais baixos. e que resiste em posição anti-Lei. que é aquela que. entre o impulso unificador do primeiro e o impulso separatista do segundo. predomina a atração para Deus. O grande fenômeno da evolução é devido a essa atração. com seu impulso de rebelião. Mas do lado oposto. se isolou da fonte de sua vida e. procurou separar-se e afastar-se deste centro. corrigindo-se no caminho de reaproximação ou evolução que. não podia deixar de vencer o impulso da primeira vontade. sendo inesgotável. No conflito entre a vontade anti-Deus do ser rebelde e a vontade de Deus. Reciprocamente. que se constitui não somente um centro irradiador. Mas. porque é infinita. O ser. o impulso da segunda. O esquema geral que rege o funcionamento de nosso universo. Assim. que exige o retorno a Ele. A evolução é uma força viva em movimento. construindo seu anticentro no Anti-Sistema. se não quiser morrer. As transgressões levam ao choque destrutivo e doloroso com que se paga o erro. porque a revolta e a queda foram devidas a um impulso oposto. irradia-se continuamente mantendo em vida tudo que existe.

que exige justiça. porque se mantém apenas enquanto duram as reservas de força que possui o indivíduo anti-Lei. porque não se pode admitir que obra tão terrível possa ter saído das mãos de Deus. Mas isso só compreende quem pagou e. pois. que só um estado de revolta anti-Lei pode ter criado. quando se trata de pagar. fechando-lhe as portas. o mundo nada sabe do funcionamento de tais fenômenos. há uma balança que estabelece até que ponto a privação deve funcionar como compensação e pagamento do respectivo abuso com que infringimos a Lei. fonte infinita de forças benéficas. O pagamento se faz de acordo com a justiça. flui continuamente. fazendo prevalecer o seu instinto de inversão. favorecendo-nos e até mesmo ajudando-nos em outros. também reconhecer que essa sua posição não é estável. está como abandonado no deserto. É preciso. É assim que o destino nunca atinge globalmente. na injustiça. mais ele procurará opor-se à corrente do endireitamento evolutivo. uma corrente positiva vital que sustém tudo o que existe. Em cada uma das zonas das forças e qualidades constitutivas de nossa personalidade. poupando-nos. e. É assim que os auxílios chegam à zona onde não somos culpados e nada acontece naquelas onde a culpa e a rebeldia nos deixa abandonados ao nosso livre arbítrio de revolta. Evidentemente. que depois deve pagar com contínuas dores. à guisa de irradiação solar sobre todos. sabe o que significa pagar. baseado na força. O que nos parece impunidade nada mais é que a momentânea riqueza do jogador que termina por perder tudo. no entanto os vive. Se quem pratica o mal soubesse o que vem depois. porém. O jogo tem duração limitada. No entanto. cometendo contínuos erros. e então é alimentado. Pobre de quem interpõe um diafragma de negativismo ao fluir da positividade do Sistema. o qual não recebe abastecimento e. 22 deriva. É preciso compreender que a nossa culpabilidade anti-Lei é um diafragma que nos separa das origens de tudo o que é benéfico. no engano. Tais afirmações parecem ser desmentidas pelo fato de que vemos desonestos sem escrúpulos gozar impunemente do fruto de suas proezas. Por isso insistimos neste argumento. É a natureza das forças com que somos construídos que atrai . abundantemente. consequentemente. É um regime de inferno. De Deus. ele ficaria aterrorizado. Eis por que razão o nosso mundo está em poder da feroz lei animal da luta pela vida. a prestação de contas e o pagamento. pois. O fluir dessa corrente no seu campo de forças não pode chegar quando se lhe impede de entrar. pois se vê continuamente assediado pela Lei. aquele que vive segundo a Lei abre-as. a fim de que ao menos alguém isolado que nos leia se salve por sua conta. mas apenas em dados pontos.

rejeitando-a depois por três votos contra dois. Goethe. É incompreensível que somente com um rápido exame de uma única vida possa ser inapelavelmente. condenar a Igreja. o resto é fatal e automático. definitivamente julgado um ser que nasceu ignorante. Orígenes. o poder de decidir para sempre sobre a sorte da alma. O próprio cristianismo é todo baseado nessa ascensão do espírito. com perfeição feita de forças benéficas. O universo foi construído por D eus. C. É a nossa própria loucura que nos impede de gozar de seus benefícios. O segredo. que permita repelir e. em cada ponto recebemos segundo o mérito. justificação que.X O PROBLEMA DO KARMA E A JUSTIÇA DE DEUS A doutrina da reencarnação é a única que pode justificar. a reencarnação se torna em fato indispensável. Mas então por que o Cristianismo repeliu essa doutrina? A igreja primitiva aceitou-a até o ano de 553 d. Grandes personagens do passado como Pitágoras. Platão. é preciso tê-lo merecido. Santo Agostinho. sem dúvida. a fim de que essa subida se possa realizar. Desta forma. a justiça e a bondade de Deus. no Concílio de Constantinópolis. não se conseguiria encontrar na sua criação tão cheia de males e de dores. entre tantos outros. a Igreja poderá deter nas próprias mãos o monopólio absoluto e definitivo da outra vida. e inocente. CAPÍTULO . para sermos ajudados por tal Providência é o de encontrar-nos ajustados com a Lei A simples conclusão é que. pelos argumentos da lógica. O consenso de tais mentes é. Considerando-se o princípio evolucionista do retorno de tudo a Deus. quando era . quando somos justos. pondo-se contra a Lei. se põe contra a própria vida. pois. de outro modo. Somente excluindo a reencarnação. Não se compreende por que as mãos perfeitas de Deus originem o nascimento de seres tão imperfeitos. desse modo. corrigir as experiências enganosas. 23 aquelas que nos devem depois punir ou premiar segundo a justiça. Cícero. e não se compreende como se possa realizá-la sem um longo tirocínio. Não interessava para a Igreja entrar em tal assunto. porque ela não pode ser diferente do elemento humano que a compõe. fazendo das vidas repetidas uma escada de degraus sucessivos. um testemunho de verdade para tal doutrina. para sermos ajudados. Mas é a criatura rebelde que o vira de cabeça para baixo em seu prejuízo e impede a sua chegada. nela creram. é ela que. São Francisco de Assis. O universo está cheio de Deus. Colocada essa premissa e encontrando-se o indivíduo nas condições ideais da justiça. A provável razão foi que muitas verdades não podem ser ditas e isso por motivos práticos. Deus nos ajuda e. Não se pode por isso.

ainda que as ignorem. que a ciência descobrirá e que. É verdade também que. É mais cômodo acreditar que apenas com uma vida. mas. e só a ingenuidade do homem infantil. enganar a lei de gravitação. um convite ao assalto. por trás daquela bondade. fixadas por uma inteligência suprema que tudo dirige com ordem. o que permitia tantas acomodações. Então o discurso se torna diferente. É natural também que o choque provoque aquelas reações da Lei que se fazem perceber sob a forma de dor. determinadas pelas normas que a regulam. Mas chega a noite e eis que o Pai volta. pode crer que é suficiente ser astuto para fraudar a Lei de Deus. da matéria ao espírito. Infelizmente. 24 mais fácil obter um consenso geral com a teoria da vida única que. a bondade é entendida como fraqueza e representa uma tentação para o forte. que tudo adapta e ajusta com a sua elasticidade. devida a ignorância do real estado das coisas. Com tal forma mental age-se loucamente. mas isso faz parte do jogo em que o astuto se crê hábil. C A P Í T U L O . embora absurda. se choque a cada passo com barreiras imposta por essa ordem. que é um átimo. com tal sistema. a natureza humana é levada a dirigir as coisas neste sentido. funciona enquadrado dentro de leis exatas. que se volta contra o infrator quando a medida está cheia. há a firme rigidez da Lei. e então golpeia inexoravelmente.XI A FUNÇÃO DA BONDADE E AMOR DE CRISTO DIANTE DA RÍGIDA JUSTIÇA DA LEI DO PAI Há dois mil anos a humanidade procura aproveitar-se da bondade da mãe para fazer o que lhe convém. Prestam-se contas e os resultados são executados. que ajuda e conforta. permitia satisfazer o instinto humano utilitário da máxima vantagem com o mínimo esforço. . Seria como se pudesse com a astúcia. Ele usa seu poder segundo a justiça e ao amor se substitui a Lei. É natural então que quem se move seguindo um regime de caos num ambiente intimamente regido por uma ordem perfeita. jogo perigosíssimo. todos estão submetidos. assegurar-se-ia o direito a uma felicidade eterna. evitando a queda quando nos lançamos no vazio. no entanto. Era tão bom depender apenas da bondade da mãe. Em nosso mundo regido pela lei animal da luta pela seleção do mais forte. infelizmente. corre-se o risco de garantir um inferno eterno. Esta é a posição atual dos filhos diante do Pai. Trata-se de leis positivas. porque ela não admite que a elasticidade se transforme em violação. enquanto tudo no universo. sabendo evadir-se de tal pena com intempestivos arrependimentos.

. que exige obediência e reage a cada violação. Escolheste um grupo de colaboradores com afetuoso cuidado.. há a ordem estabelecida por Deus. exatamente enquadrados na ordem do organismo do todo. no seu pequeno volume Assim disse Jesus. tentar enganar a Lei é outra.. substituir a ordem pela desordem. Que obtiveste? Não creram em Ti. de que se tenha conhecimento dela ou não. O fato de Cristo ser bom é uma coisa.. O fato de que se tente. não Te seguiram e Te repeliram. e dizes teres vencido o mundo.. ordem feita de justiça. cheio de compaixão. não à forma. feita de sacrifício.. A Lei funciona permanentemente para todos. O grande erro em que se cai frequentemente e que revela o tipo invertido do Anti-Sistema é ter mudado a bondade de Cristo como um meio de fraudar a Lei de Deus. Não se compreendeu que... antes de tudo. dedicaste-Te à Tua missão com extremo sacrifício. 1959. Crucificar entre ladrões e malfeitores (. por trás do amor de Cristo. editado pela Pro Civitate Cristã. Todos sabem quão grande foi a bondade de Cristo.. demonstra em que grau de inconsciência o homem ainda se encontra. Pela Lei nada modifica o fato de que se creia nela ou não. 25 Como se sabe.. nação ou partido. não basta apenas amar a Cristo... é preciso. Os Teus adversários Te trataram como um delinquente. como foi aplicado o seu Evangelho. com que resultado? Os teus não Te reconheceram e não Te acolheram (. és um pobre vencido. a fuga. Mas sabem também como ele foi recebido na Terra e como por dois mil anos o homem responde àquela sua bondade. com a própria vontade. A lei presta atenção à substância.. um falido” (. a negação. Te chamaste o Messias e foste julgado um sedutor da plebe. Te proclamaste filho de Deus e foste condenado como blasfemador.. Cristo. “no mundo. sem repousares. aprovado pelo devido “Imprimatur” e “Nihil Obstat” da autoridade eclesiástica.). tu. Te proclamaste o Salvador e não conseguiste salvar sequer a Ti mesmo (. e Te venderam pelo preço de um escravo (. Para salvar-se. Te pagaram com o abandono. Fizeste-Te proclamar rei e a Tua coroação foi uma burla feroz.)... esse escritor diz algumas verdades que não se poderiam dizer: (. um iludido. O problema não é de pertencer a esta ou àquela religião. Assis.).. ainda dizes que venceste o mundo?” . doce. mas é de retidão. a traição. fizeste o bem (. condenar. e Tu afirmas que venceste o mundo. insultar pelo povo. Te fizeram processar.. a história está cheia de catástrofes que representam a pena que se segue por reação a tantas tentativas de violação da Lei.).). saber funcionar. O Doutor Giovanni Albanese.)...). amaste..

sobre a cabeça de quem se aproveitou da bondade. Vêm as horas terríveis. Triste constatação que leva a terríveis deduções. Para quem conhece o funcionamento do universo em todos os seus planos. o poder absoluto de Deus. como diz aquele escritor. é um falido. aplicado. além de não se haver deixado vencer pelo Cristo. através da própria dor. Então o Cristo se retrai. por enquanto. Pode-se ser mais tolo? No entanto. porque ela sabe desencadear-se e vencer o mundo.há a Lei que não pode falhar. é nisso que consiste grande parte da sabedoria humana. nem por isso fracassa a justiça. pode acreditar na sua inconsciência. não nos desencorajemos pois. ao contrário. faz o mal e assim termina. A Lei sempre triunfa. semeando as causas dos maiores desastres. é um falido e confirmam uma nossa asserção - de que não foi Cristo Quem venceu o mundo. Diante do Pai. Quando o amoroso convite de Cristo não funciona. O tem vencido. a sanção da justiça. por trás da bondade . que funciona como intermediário entre a violação e a ordem estabelecida pela . inflexível. fez de um Cristo vencido . Isso nos mostra o que é o homem. mas o mundo que. a fim de que os surdos ouçam. há inexorável. Isso significa que. a quem cabe a última palavra. enquanto a justiça quer que aquela lição não se possa aprender senão por experiência própria. desaparece o amor. Cristo representa a função materna do amor. com astúcia. colhendo. que Cristo. Quem se mete a esperto acreditando de tal modo conseguir a felicidade sem esforço. que fazem parte das chamadas terríveis verdades que não se podem dizer. a ordem de Deus. A falência maior de Cristo está no fato de que o seu Evangelho não foi. As conquistas deveram-se antes à força. por fazê-lo a si mesmo. E de nada adianta advertir. se Cristo. na realidade. e a triste raça dos rebeldes que zombaram do amor seja castigada como merece. vai contra a justiça. somente quem ignora a realidade dos fatos. como disse aquele escritor. porque não seria justo que a lição salvadora se pudesse gratuitamente tomar da ciência alheia. que ao amor e generosidade evangélica. de fato. mas necessárias. dor. duras. dá pena ver com quanta inconsciência se cometem os erros mais grosseiros. devidamente aprovadas pela autoridade. Por trás do amor de Cristo. se na Terra a bondade fracassa. que age por bondade. A atuação da justiça é primeiro oferecida com o método doce de Cristo. ao menos na terra. então explode a Lei que irrompe nas revoluções e o Evangelho se aplica obrigatoriamente. prestam-se contas e. Mas. Que seja possível subverter. porque é delito valer-se da bondade para fugir à justiça. viola a ordem. explode. 26 Estas palavras afirmam.mesmo se esta.

conduzem ao pior pecado que se podia cometer. no seu nível? Aqui o bom é tido como fraco. o homem viu Deus humanizado naquele rosto e acreditou que este aspecto de Deus. crendo portanto. É natural que na Terra os bons devam ser de algum modo utilizados. enriquecendo-se de novas qualidades. no seu inconsciente. o homem. e amparada se redima com o próprio esforço e o fato de ter respondido com a mentira e a traição. por comodismo. O mal camuflado se torna mais corrosivo do que aquilo que é escandalosamente visível. porque seu outro aspecto abstrato da Lei foge à capacidade de compreensão do homem comum. Tentemos compreender melhor o significado da presença de Cristo na Terra. Com a vinda de Cristo. acrescentando à dura lei de Moisés -Velho Testamento a do Evangelho . um tolo de quem se pode aproveitar. Então é retirada a oferta de amor. Então. a oração que não se baseia em fatos é uma falsa superestrutura que nada vale sozinha. mas esta é a dura realidade. piedosamente. se aperfeiçoa e se completa na forma. nem Cristo poderá mais impedir que se dispare o mecanismo da reação da Lei. Cristo viu-se reduzido a pagador de pecados alheios. porque leva à mais dolorosa das consequências: o retrocesso involutivo. O fato de que a humanidade. regido pela lei da luta pela vida. mas na força ou astúcia. E assim esta. como bondade e amor. a fim de que ela se encaminhe. como fez Judas a uma oferta de amor. o jogo mais perigoso. mas no do engano. De outro modo de que serviriam? Existiram e existem exceções. não no poder da honestidade. como representante do ideal descido à Terra. porque foi ultrapassado o limite . afasta-se o Cristo intermediário. é bom. como verdadeiro rebelde. toma a mão da desgraçada criatura para salvá-la. O homem encontra-se sozinho e nu diante da justiça do Pai. exprimisse toda a divindade. ter-se aproveitado da bondade de Deus. disse de si para si: Deus. abrindo-lhe o caminho da redenção. Que esplêndida ocasião para aproveitar-se disso! Outro instinto não pode ter quem é cidadão do Anti-Sistema. desaparecem a bondade e a ajuda. contra a ordem da Lei. quitando-se os débitos com a justiça divina e ficando-se em paz.Novo Testamento. Assim. 27 Lei. rebeldia que ocasionou a primeira queda do ser. 2º) O drama da futura paixão da humanidade com que ela deverá pagar o delito de ter-se aproveitado da bondade de Cristo como de uma fraqueza do Deus-Senhor. posto em defesa da miséria do culpado diante da rígida inviolabilidade da Lei. pois. Não é esta a forma mental que nos impõe o mundo. que. para insistir na própria revolta. mas são a minoria. não na justiça. Encontramo-nos diante de dois grandes dramas: 1º) O da Paixão de Cristo. porque o que conta diante de Deus são as obras e não as palavras. Fala-se muito.

o pensamento e a vontade de Deus. isto é. isto é. em vez de Salvador seria um violador. Comodamente o homem entendeu como uma evasão a essa Lei. está a justiça de Deus e esta é inviolável. educa. leva ao Sistema. Cristo cala-se. Como poderá acontecer isso? É oferecido o perdão e se aproveita para fazer o pior. este lhe perdoou. Mesmo ignorando tudo isso. tornando-a vã. estaria em oposição à Lei. Pelo fato de representar uma inteligência e uma vontade de ação realizadora. reordena a desordem. Amor e justiça não são senão dois modos de agir da Lei. de modo que não pode haver conflito entre bondade e amor de um lado e justiça do outro. fazendo-o para o seu próprio bem. dirigido por uma Lei que. Tal exemplo nos mostra os limites dos poderes do amor de Cristo como redentor diante da justiça da Lei. Mas tal perdão não pôde impedir que a culpa da traição devesse ser paga à divina justiça. isto é. da dor e da morte. distinguindo-se em tantas modificações particulares. obra do Filho. e o homem tentou o absurdo.XII O HOMEM DIANTE DA LEI Tudo o que existe é um fenômeno em movimento. cujo . e Cristo. obra do Pai. a redenção. orienta os movimentos de todos os fenômenos. e afasta do Anti-Sistema. Esta Lei constitui o código que regula o seu contínuo transformar-se. Embora seja rigidamente justa. a hora do juízo. C A P Í T U L O . a decisão final é reservada a essa Lei. 28 suportável. podemos concebê-la como uma manifestação da personalidade de Deus transcendente que deste modo se manifesta imanente nas formas de nosso universo. porque chegou a hora do Pai. A estrutura sólida que rege o universo é a Lei. Qual será a nossa culpa e a pena a pagar quando estivermos diante do tribunal? Então não se poderá mais invocar o amor e pedir piedade. A última palavra. porque as portas da misericórdia estarão fechadas. igualmente ascendente ao Sistema. que a bondade de Deus pudesse ser utilizada ao contrário. Quando Judas traiu Cristo com um beijo. Aparentando punir. põe o bem no lugar do mal. duas estradas para atender o mesmo telefinalismo: Deus. e o conduz durante à ordem. ir contra a Lei e subverter a ordem. Se isso ocorresse. que permanece inviolável. isto é. no fundo. o homem rebelde está fechado dentro da Lei que não permite evasão. à alegria e à vida. Na Lei tudo é disciplinado. Esta sua finalidade a Lei a atinge sempre e a possibilidade de evadir-se é apenas uma das tantas ilusões humanas. enquanto justa é implicitamente boa e benéfica. Por trás do amor e da bondade de Cristo.

Quando se sai dela ocorre um enguiço no funcionamento. o mal em bem.queira ou não. caindo e sofrendo. O ser permanece livre nos seus movimentos. o qual se deve desenvolver o tráfego. Batendo e tornando a bater. mas ninguém pode se furtar jamais às consequências. deixa o ser enquadrado num sistema de forças. proporcionais à violação.o erro na sua correção. segundo a lei de causa e efeito. 29 funcionamento depende daquela Lei que estabelece as normas. A Lei está em tudo que existe. No meio da estrada está assinalado o caminho correto a seguir. Então fortalecido por esta experiência. a dor em felicidade. como princípio que anima as formas por meio das quais ele se torna manifesto. violando a Lei. Esse livre arbítrio faculta-lhe a possibilidade de erros. por ações e reações. assinalada no meio da estrada: o caminho da Lei. inserido na vida. e. isto é. O trabalho do homem que atravessa a vida pode ser comparado ao daquele que. cai. Ela abarca também a conduta humana. ao longo dos quais deve atuar. mas aprende a não se jogar também para aquele lado. segundo as quais o processo do existir se deve desenvolver. gozando de plena autonomia e não como uma peça passiva na mecânica universal. mas aprende a não se jogar mais para aquele lado. Há. Podemos exprimir-nos também com uma imagem. Substancialmente. sem aparecer. e se desenvolve por concatenação de momentos sucessivos. uns como consequência de outros. Enquadrado em tal rede de regulamentos. machuca-se. assim é traçada a via a percorrer. um único regulamento de estrada. pois. A Lei é como um trilho sobre o qual a vida caminha e que estabelece para cada movimento a estrada correta a seguir. para além de todo separativismo religioso. tenha ou não consciência disso . o ciclista com essa técnica educativa aprende a não se chocar com as paredes laterais que fazem o seu caminho e a manter-se na justa via a seguir. aprendesse a andar de bicicleta. não sabendo ainda equilibrar-se. ao longo de um corredor. como ocorre com as normas do trânsito. de golpes e contra golpes. Esse processo de cura de todo mal existente é a grande obra de Deus dirigida a reconduzir o ser do Anti-Sistema ao estado de Sistema. percebido sob a forma de dor. evita repeti-la. tudo é disciplinado a fim de que não haja desastre. mas o ciclista inexperiente ora vai para um lado ora para outro. entre duas paredes. . esta Lei representa a presença de Deus e. seguindo uma ordem preestabelecida. igual para todos. Desta forma ele vai bater de um lado. a da evolução do Anti-Sistema para o Sistema. através da qual fixa uma espécie de trilhos. de novo cai e se machuca. o obrigam a transformar por si mesmo . Este princípio é a sua vida. que. mas se deixa ir para o lado oposto. a sensação que nos adverte da presença desse desajuste.

embora até isso se explique e se justifique. vegetal. estabelece os limites e disciplina os movimentos. determinando assim as contínuas reações e contínuas dores. do reino mineral ao vegetal. Ela dirige todos os movimentos. percorrendo-a. animal. a dor. e agora. e que preside o desenvolvimento de nossa vida. e sem a visão para orientar-se. que assim a enriquecem e desenvolvem. O problema da dor é problema de ignorância da Lei. ao longo de uma ilimitada concatenação de causas e efeitos. o desenvolvimento e o fim daquelas formas. em todos os seus particulares. isto é. longe da compreensão da realidade. No inconsciente vão-se armazenando as novas experiências. Tudo o que existe está compreendido na ordem da Lei. Segui-la representa a nossa salvação. Dentro da grande Lei. Cada vida se eleva no substrato das suas experiências passadas vividas nos planos mais baixos. prepara-se para a super-humana que entrevê na luz do ideal longínquo. ao humano e ao super-humano. Ela é o código do funcionamento orgânico do universo. Cada forma de existir representa um determinado plano de evolução conseguida. Com a revolta e a queda. através das quais se reconstruiu até à sua atual fase humana. ao animal. não comete erros. a sua emersão do inconsciente e conquista da consciência na subida do Anti-Sistema para o Sistema. isto é. Com a queda. porque é esta ignorância que leva ao erro e este à dor. dos astros e planetas aos elementos do átomo. analisando cada fenômeno para uma inconfundível linha de desenvolvimento. O mundo está mergulhado na ilusão. 30 porque estabelece o nascimento. o conhecimento se afundou no inconsciente em que ficou latente e de que é desenterrado através da experimentação da vida feita de erros e dores. disciplinadora da matéria ao espírito. É por estas razões que o homem guarda consigo a sabedoria da vida mineral. o fruto que constitui a sua sabedoria. É fundamental o conhecimento desta Lei. deste modo se autopuniu. No Sistema o ser conhece a Lei. cada fenômeno obedece a uma lei particular que lhe define a trajetória. que é o próprio Deus. que o individualiza diante de todos os outros. Tijolo por tijolo devemos construir a casa . Estas observações nos permitem melhor compreender o fenômeno da evolução que deverá ser completamente percorrido em toda a sua extensão. pois. Violá-la é a nossa perdição. dirige o desenvolvimento da vida e dos destinos. portanto. a fim de que a reconstrução seja completa em cada ponto. um dado grau de reconstrução realizada. vai sempre chocando-se com a Lei. tem delas. no íntimo. não existe. o ser perdeu o conhecimento. porque se tornou cego. Os fenômenos são infinitos e as respectivas linhas de desenvolvimento são enquadradas nas dimensões de espaço e tempo. assimiladas à personalidade sob a forma de novas qualidades adquiridas.

de ordem e harmonia. científico. técnico. Contribuem para ele todas as várias espécies de atividade humana. farrear. O Homem aprenderá a conhecer a ordem universal e mover-se nela com disciplina sem transformá-la. num inferno. a Lei não admite fugas fáceis do cumprimento do dever que nos compete. Mas ele tem nas costas todo o seu passado bem diverso. Se o homem compreendesse tudo e pusesse esse conhecimento em ação. É preciso compreender que o Sistema não é uma espiritual abstração paradisíaca. desde os grandes fenômenos cósmicos aos pequenos fatos de nossa vida cotidiana. diante da qual hoje somos subdesenvolvidos. O progresso espiritual está ligado ao intelectual. A estrada está toda traçada passo por passo. A grande descoberta da humanidade futura consistirá no fato de dar-se conta da presença dessa Lei e em conseguir ver-lhe o funcionamento em cada detalhe. tais como matar. Mas num mundo onde se tende sempre mais a eliminar tais excessos. tão comum àquela época. tentativas de encurtar as distâncias. Encontramo-nos às portas de uma nova e maior civilização. para mover-nos com destreza e sabedoria dentro dele. guiados por uma moral. com sua louca conduta. o progresso é um fenômeno vasto e complexo e não pode ser feito de forma unilateral. roubar. com o qual se estabeleceu a sua forma mental. econômico. Na ascensão evolutiva. 31 derrubada. a que hoje . A evolução está amadurecendo a mente humana para reconduzi-la a compreender. sua vida seria outra coisa. são todas interdependentes sem que nenhuma se possa isolar da outra. político etc. é seu estado de consciência unitária. assaltos contra a própria natureza inferior a fim de queimar etapas. de conhecimento e consciência. de recíproca compreensão e colaboração entre os seus elementos. produto de instintos e não de conhecimento. Será então superada a fase de inconsciência em que atualmente vivemos. Daí se concluem que são improdutivas as atitudes ascéticas. Isto possibilitará a realização de vidas sempre menos ferozes e mais elevadas. a pobreza de São Francisco não tem mais sentido e não é mais virtude. no mundo moderno feito de uma economia disciplinada de trabalho e consumo. mas um perfeito estado orgânico a que deve chegar por evolução o nosso universo. É preciso compreender que existimos dentro de um grande organismo e que é preciso aprender a conhecer-lhe a estrutura e o funcionamento. Cada passo adiante em qualquer ramo leva sempre ao Sistema. ignorantes das consequências de nossa conduta. Certos tipos de santidade do passado se justificam como reação a excessos bestiais involutivos. de que ainda estamos imensamente longe.

leva a uma perda de consciência no estado de matéria. Ora. devemos admitir que estamos no caminho da descida. permanece. isto é. No caso particular que ora examinamos. de um poderoso dinamismo. e. entrando nas particularidades e assim podendo dar um conceito mais exato do fenômeno. não de emersões evolutivas vindas de baixo. mas na direção invertida para o Anti-Sistema. leva a uma perda de consciência. no modo errado que dela deriva e o leva aos desastres que vemos. isto é. porque ainda não foram precipitados na sua fase mais profunda. Como resolver esta contradição? O princípio geral de que a queda no Anti-Sistema. em vez de permanecer projetado na matéria no ponto extremo da involução. porque vemos o nosso universo em fase evolutiva. não é nada inconsciente ou inerte. C A P Í T U L O . mas em via de retificação do tipo Anti-Sistema para o tipo Sistema. Ao contrário. a involutiva. temos qualidade de potência e inteligência de tipo Sistema. Conduz-se. não destruída ainda. tanto mais profundamente ele fica sepultado na matéria. Na verdade.XIII A INTELIGÊNCIA DO DIABO Em vários pontos da Obra tem-se afirmado que a queda do Sistema no Anti-Sistema. Isto é o esquema geral do fenômeno na sua primeira parte. quando se desenvolver uma teoria. Dessas afirmações se pode deduzir que Satã deva ser o espírito reduzido ao máximo de inconsciência e de inércia. Destacou-se também o fato de que. que é a que ora constatamos em nosso universo atual. mas empenhada na descida e em via de destruição. sem divagar em detalhes e exceções que obstam à clareza e à unidade de exposição. ele dá prova de muita vitalidade. a ponto de desafiar Deus. entendido como personificação das forças do mal. Quando encontramos a inteligência unida ao mal. Só num segundo momento se pode fazer esta outra parte do tratado. típica por suas características. Devemos pensar que a queda da grande massa se tenha já realizado. 32 possui e o guia. é necessário ater-se às suas linhas gerais. Neste caso particular. seria um resíduo daquela inteligência de origem. Trata-se de fatos de um caso particular. aquilo que chamamos a inteligência do diabo. quanto mais alta a posição do ser e maior a sua potência. de uma astúcia incomum. necessária premissa à segunda parte. Deve-se tratar então. a involutiva. pois. tanto mais denso o invólucro em que fica aprisionado. as qualidades do ser em evolução são limitadas. mas de resíduos que no processo involutivo subsistem. Mas. a involução. . que representa a tumba do espírito. a involução. o que se constata é que Satã. ao menos até onde podemos conhecer.

os rebeldes de maior potência. Eis. O mesmo se pode dizer do seu poder. dispondo. que servem somente para enterrar-se. isto é. Aqui entendemos por inteligência a verdadeira. pode-se chamar inteligência ou não seria antes uma inconsciente loucura? Pode-se considerar inteligência esta que atinge o fim oposto ao desejado. A do diabo é uma inteligência desse segundo tipo. o que significa que estão lançados para a inconsciência e a escravidão da matéria. sã. honesta. de fato. porque. mas que estão em via de enfraquecimento e anulação. trazendo o mal a si e aos outros? Mas essa é a luz das trevas. Na matéria. entretanto o mal que nesse caso a exprime dá prova de muita inteligência. A sua inteligência não passa de um resíduo corrompido daquela que foi a sua verdadeira inteligência no Sistema. mas o indivíduo não é mais um senhor dela. A sua descida está em curso. 33 O ponto central da contradição está no fato de que a involução leva à inconsciência. na realidade. perigosa não só para os outros. Porém. enferma. Para as grandes massas o período da involução terminou. pela própria força. perguntamo-nos: é inteligência a que encontramos no mal? Seu modo de agir é o de um ser consciente ou de um inconsciente? Neste caso temos duas qualidades opostas que não podem estar juntas: a inteligência é qualidade do Sistema e o mal. invertida. e que com ela se fere a si mesmo. altruísta. de maior possibilidade de resistência diante dos efeitos da queda. embora em posição invertida do bem em mal. a do bem. egoísta. a que se empenha na felicidade do bem e não no inferno do mal. não deve ser confundida com a negativa. construtiva que é a do Sistema. Seus resultados invertidos para o mal e a dor nos mostram que aqui as trevas se estão fechando. é a maior ignorância. fazendo mal o ser o faz sobretudo a si mesmo. Este resiste. nas quais é fatal que caiam. qualidade do Anti-Sistema. porque estamos na via da descida. Recordemos que a queda não é a destruição do indivíduo. do mal. Ela permanece. porém somente aprisionada. Ora. a inteligência não está morta. Uma tal inteligência que só prejudica a si mesma. conservaram mais tempo suas qualidades de origem. atingindo mais rápido o fundo da trajetória da própria queda. mas de suas qualidades. Eis em que consiste. mas em posição invertida. desonesta. é seu servo. a da revolta. revirada. . que só serve para enganar e prejudicar sobretudo aquele que a possui. pois. A explicação é lógica. destrutiva. a inteligência e o dinamismo de Satã. Os rebeldes de menor potência caíram mais facilmente. que temos uma inteligência e um dinamismo em descida. fortes ainda. A inteligência positiva. mas também para quem a usa.

que é regido pela unidade. isolando-se dela no próprio egocentrismo. Ele concebeu. criando dentro de si. Assim. pode. não é inteligência. destacando-se da Sua obra. Mas seria justo chamar-se isso de inteligência? C A P Í T U L O . Nos dois casos a posição do criador apresenta fundamental diferença. da Sua própria substância.XIV O CONCEITO DE CRIAÇÃO No ato de Deus na criação o homem só poderia fazer para seu próprio entendimento um conceito dualista e separativista. 34 Eis a natureza de inteligência do diabo. . continuou sendo Deus no estado de Sistema. é preciso ver de que tipo se trata. É evidente que a inteligência que serve apenas para prejudicar os outros e aqueles que a possuem. um Deus que cria fora de si. a seu modo. o homem concebe um Deus que cria fora de si mesmo o seu universo e depois se ausenta dele. quando muito é a inteligência do louco. não seria mais Deus. Se houvesse alguma coisa fora Dele. Segundo estes princípios Deus criou do único modo que Lhe era possível. Ora. mas na realidade pode ser apenas astúcia. enquanto o homem não pode criar senão tomando do exterior a substância e imprimindo-lhe uma forma. nem separação. cuja finalidade é unicamente a autodestruição. sobre o qual se baseia a estrutura do Anti-Sistema. portanto. tomar de fora o material para criar. a de Deus é interior. isto é. já que sobre ela o homem construiu a sua forma mental e o seu modo de conceber. Quando se fala de inteligência. para Deus o ato de criar só pode consistir em dispor da própria substância de que é constituído. Mas na realidade Deus criou segundo os princípios do Sistema. nem oposição. porque quem está no Anti-Sistema se encontra em posição invertida diante daquele que se encontra no Sistema. Deus está situado no Sistema. Seguindo sua própria natureza de tipo Anti-Sistema. Mesmo os loucos. representando-Lhe a estrutura orgânica conseguida depois da criação. No Sistema não existe cisão entre criador e criatura. Isso modifica tudo. um universo que. num estado diverso da criação humana. Tem a aparência de verdadeira. são astutos. O homem é uma parte do todo. à sua imagem e semelhança. na sua substância. O divisionismo dualista que existe no Anti-Sistema. o homem no Anti-Sistema. quando o Anti-Sistema ainda não existia. A criação que o homem faz é exterior. Ele não pode tomar coisa alguma fora de Si. mas apenas dentro de Si mesmo. Deus é o todo. não existe no Sistema.

antropomórfico. experimentalmente controlável. que corrija o antigo. à própria imagem. sem o que. Eis então que Deus não está presente apenas no Sistema. mas já antevê os do Sistema. separado da criação que Ele dirige como um acessório. pensa num Deus pessoal transcendente. Esta Lei é um pensamento que está dentro de todos os fenômenos e dirige do íntimo o incessante movimento. portanto. que só dirige do alto. no qual Ele se mantém plenamente ativo. Apesar da tentativa de inversão. que é o próprio universo. num organismo de elementos que funcionam segundo o divino princípio de ordem. o que permite entrar em contato com Deus em forma positiva. que estabelece os fins e as trajetórias de desenvolvimento do transformismo de tudo o que existe. Deus ali permaneceu e constitui ainda a alma que O mantém em vida. No atual momento histórico. se acredita um anti-Deus. real. mas também em nosso universo ou Anti-Sistema. ainda no estado espiritual antes da queda. pela própria rebeldia. codificado numa Lei que Lhe exprime o divino pensamento e vontade. depois da separação do sistema. pois. atual. a humanidade vive ainda os princípios do Anti-Sistema. entendido como direito. comumente personalizado. o Anti-Sistema seria destinado a morrer. de um todo homogêneo. Em realidade. ter limites ou alguma coisa fora ou além de si que se lhe possa acrescentar. Tal presença se faz viva e atual quando concebemos Deus como supremo pensamento formulado em uma Lei. . de fora. podemos ao menos conhecê-Lo no seu pensamento e vontade expressos pela Lei. foi transformado pela criação. ausente do seu universo. mesmo aqui a Lei de Deus funciona plenamente. Esta imanência não é concebível com a forma mental comum que. Podemos então compreender porque o homem foi levado à concepção de um Deus transcendente. em vez de salvar-se com a evolução. Assim se tenta fixar um novo tipo de autoridade. substituindo o privilégio do mais forte. E mesmo no Anti-Sistema. no Sistema. destacado Dele e capaz de construir em oposição a Deus um Anti-Sistema. substituindo-se a ela. regido por uma anti-Lei. por uma autoridade entendida como função social possuída em razão do interesse coletivo. É verdade que o ser do Anti-Sistema. a ponto de vencê-la e subjugá-la. como emanação de Si mesmo. 35 Este “dentro de si” significa o infinito que é o todo e não pode. tão poderosa quanto a Lei de Deus. Deus. Tal pensamento é. e está tentando as primeiras aplicações dele. Se não podemos conhecê-lo diretamente na sua essência.

e para quem a entende no sentido humano. como tal. Assim. e. é acessível à nossa compreensão.XV . vai. transmitiram-nas às massas ignorantes. para vê-lo revelar. que constitui a substância básica de nosso universo. As revelações das religiões são visões da Lei. a ser reequilibrada com uma correspondente ascensão evolutiva. A ciência. do espírito na matéria. dessa forma. a do Sistema. Deus não. situados no Anti-Sistema. Desse modo a criação teria sido uma só. a passagem da divindade do seu estado homogêneo a um estado diferenciado. investigando aquele pensamento. avança na direção de uma verdade cada vez mais profunda. Deus se torna sempre mais conhecível. Ele pode assim acompanhar e controlar o próprio progresso dessa conquista. vê e sente Deus. Não se pode entender Deus completamente. dentro de si mesmo. mais vasto se faz seu conhecimento. quanto mais se desenvolve os meios de conhecimento. mas a parte de seu pensamento que se relaciona conosco. chamamos de criação. uma descida involutiva. porque a do Sistema foi criação íntima de Deus. porque opera sobre a sua própria substância. porquanto nos faz funcionar a seu lado. para conseguir imaginá-la. isto é. se houve criação no ato constitutivo do Sistema. cada vez mais. é difícil admitir no Sistema um ato criativo. mas um desabamento de uma parte do Sistema. C A P Í T U L O . estudando as leis dos fenômenos. o que na realidade não seria uma criação. mesmo que. Quem percebe o pensamento dessa Lei. através de aproximações sucessivas. e ver como a realidade se revela cada vez mais distante das representações com que tentamos imaginá-la. o homem a representa em tal sentido. a constituída pela queda no Anti-Sistema. Agora o leitor pode ver como o nosso pensamento. não teria ocorrido porque Deus teria sempre existido no estado de Sistema. eterno e imutável. Quanto melhor o homem perceber essas visões. depois. a que nós. O conceito de uma primeira criação. mais terá progredido. porque opera sobre uma matéria que lhe é exterior. como criação exterior ao criador. a civilização. a ciência. No entanto. à medida que a mente humana amadurece por evolução. que. isto é. para retornar a Deus. o progresso. 36 Voltando ao tema da criação. O homem pode destacar-se do produto do seu trabalho. a ampliação do campo de nosso conhecimento de Deus e de sua Lei aumenta cada dia com a evolução. esta não foi no sentido humano. não passa de uma queda involutiva do Sistema no Anti-Sistema. percebidas pelos homens mais sensíveis e evoluídos. Então. no Sistema.

justificadas pelo fato de constituírem um degrau necessário para chegarem. A grande diferença entre os dois estilos de vida consiste no fato de que no novo. O homem se torna consciente da presença do pensamento diretivo da existência. Hoje. O choque entre ciência e fé é devido à distância que há entre as suas formas psicológicas. à fase adulta. porém. Esta. ao contrário. como movimento de vanguarda. e a sua conduta será reprovada. compreende a técnica do funcionamento de tudo. Eis as vantagens da nova posição mais avançada de adultos à qual conduz a atual maturação evolutiva. mas se torna um elemento do grande organismo universal dirigido pelo pensamento de Deus. permanecendo de forma espontânea na ordem. A ciência exige um desenvolvimento mental que as religiões não exigem e de que até mesmo podem prescindir. ao invés de ser a isso obrigado pelas sanções corretivas. repelido. Esta começou com a ciência moderna. mas com a finalidade de compreensão. dirigindo-se para os fins aos quais tende. No velho estilo. embora isso fosse um inocente produto do inconsciente de um primitivo. Daí então. pode. em que viverá o novo homem adulto. Mas elas são úteis no seu tempo. que ainda não tem consciência da justiça ou da moralidade de sua conduta. o homem do velho estilo. As religiões representam. 37 AS CONQUISTAS ESPIRITUAIS DO NOVO HOMEM DO FUTURO No passado. rebelde. que na época constituía a normalidade. portanto. uma mais avançada e outra menos. pela qual se verifica uma mudança de forma mental e de relativa conduta. a fé. o homem pode dirigir a sua vida. harmonicamente. elevando-as ao seu nível. sem os erros e as dores que acompanham o processo. É por isso que a . inserir-se nele. a moral. instituições e toda a organização social implicitamente permitiam a obtenção de tal fim. Quando essa transformação tiver conquistado a maioria. Em lugar de ser dirigido sem saber. a fase infantil da humanidade. A própria vontade está de acordo com a Lei e o próprio eu não é mais isolado. em relação à fase evolutiva hoje percorrida pelo homem. o homem era movido sobretudo pelos instintos e a inteligência era usada para satisfazê-los. será julgado um subdesenvolvido. em que se fundirão com a ciência. sabendo. se começa a entrar na fase da maturidade. arrastará consigo mesmo as posições mais atrasadas. a inteligência não é usada a serviço dos instintos. ele pode conscientemente funcionar paralelamente com as forças da Lei. elas também. situadas nos antípodas como duas posições. As consequências de tal mudança de forma mental e da conduta que se lhe segue são importantes. a religião.

quando lhe convinham. mais próxima da ciência. tão logo o permita a maturação mental do homem. Por sua natureza. em oposição à religião. por idênticas razões. um Deus que satisfizesse à sua forma mental. A vida deixa que o homem crie aquilo que mais lhe convém para progredir. morrendo na sua forma antiga para assumir outra nova. a ciência não é contra o espírito de Deus. mas da velha forma mental que desaparece em todas as religiões A passagem da fase infantil à posição de adulto leva a um modo de conceber e de comportar-se diferente. era um conceito inimaginável para o primitivo do passado. tais antagonismos desaparecem: a religião se torna científica e a ciência se torna religião. não se aceitavam mais os produtos das formas mentais do passado. Prova-o o fato de que a religião está morrendo na sua velha forma e a ciência está triunfando. A religião está se transformando. que é Lei diretora do pensamento universal. É assim que esta permitiu que se imaginasse para seu uso um Deus antropomórfico mas acessível. de luta entre as religiões rivais. e frequentemente no último século elas se guerrearam mutuamente. Não se trata de uma religião ou de outra. Na verdade. Um Deus constituído por um pensamento abstrato. a ciência não pode ser atéia. e as relativas e instintivas construções fideísticas não fundadas na realidade. 38 ciência se fez materialista e atéia. apenas aparece a cultura. Na realidade. desaparece o fanatismo e a superstição. A ciência não é contra a religião. que não servia à vida. De fato. Quando as velhas representações da verdade não convêm mais à vida. a religião está entre elas. mas somente contra a forma mental infantil que ela usava nas suas concepções. a fim de que as massas atinjam um nível mais alto e o antagonismo entre a ciência e a fé desaparecerá. Ao método do passado. Para o adulto. e evidentemente. se substitui o da compreensão e colaboração. sem compreender a razão do seu antagonismo. É assim que hoje. Isso não impede que ainda possam servir aos povos e indivíduos subdesenvolvidos aquelas velhas representações que . A maturação evolutiva leva à criação de uma imagem diferente de Deus. pois. pronta a arrastar consigo para frente a religião. O antagonismo se encontra só na mente do involuído que não compreendeu o fenômeno. aceitável para o homem de ciência moderna. mesmo se as aceitou no passado. que é só o de distância e oposição de posições ao longo caminho da evolução. Ela só não pode aceitar os produtos de uma forma mental de sonho. conceito. Ninguém mais do que o homem de ciência pode sentir a presença de Deus nos fenômenos que estuda. esta as abandona e as substitui por outras. já se pode passar a um outro conceito de Deus. Bastará dar tempo à evolução.

isto é. do conhecimento dos dois primeiros termos e suas relações. Tudo. que dirige esse funcionamento e o realiza. A essa progressão de sucessivas representações se deve o ter-se podido obter uma sempre mais verdadeira concepção da divindade. O primeiro é fantasia que antecipa. que a desordem do caos do Anti-Sistema em que está situado. O primeiro é feito de fé e sonho (fase mitológica. uma vez que é constituído pelo seu desenvolvimento. O segundo é ciência que concretiza o sonho (Ex: Os primeiros astronautas descendo na lua em 20 de julho de 1969). poderemos estabelecer as seguintes proporções: Os romances de ficção científica preludiam a positiva realização da técnica científica. o segundo. Por analogia. da primeira parte da proporção. mas sonhando (Ex: Júlio Verne descreve a viagem à lua). se pode deduzir o valor da incógnita. É preciso também reconhecer que a presença de uma fase inferior precedente é necessária. mas confirma-o. isto é. constituída pela presença do sistema na profundidade do Anti-Sistema. com um novo método de vida baseado na sua racional planificação e dirigida para . há uma íntima realidade. à técnica realizadora das descobertas dos cientistas. e seguindo a Lei de Deus. Chegado a esse novo nível. Ele descobrirá que. num período de passagem do velho ao novo. Defrontamo-nos. com forma mental positiva. assim como a fé na mitologia religiosa antecipa a positiva religião científica do porvir. adulta). o segundo é feito de razão e realização (fase científica. pois. Encontramo-nos. o novo tipo de religião não destrói o velho. Deslocar-se-á o plano de seu conhecimento. Este não contradiz o terceiro. o homem atingirá uma compreensão que hoje ainda não tem. desse modo. Compreenderá. o do racional enquadramento do indivíduo no funcionamento orgânico do universo em que vive. da presença de uma ordem perfeita e inviolável à qual a desordem do Anti-Sistema está sujeita. É o que ocorre hoje. Para conhecer qual poderá ser a nova religião do futuro. 39 os mais evoluídos já superaram. para poder superá-la. Assim. infantil). O primeiro assemelha-se à intuição dos poetas. de fato. na fenomenologia universal. porque cumpre a sua função a seu tempo e em seu lugar. está certo. é apenas aparente e de superfície. CONCLUSÃO Chegamos ao presente volume resolutivo do problema básico de nossa vida. que é o quarto termo. ele se tornará consciente do funcionamento universal e de sua posição nele. mas continua levando- o mais adiante. aos contos de ficção científica.

entrar em contato com o pensamento de Deus. à qual ele. os dois pólos opostos da mesma unidade. Tal método constitui uma técnica de salvação. porque obedece a si mesmo. Trabalha-se sobre o real em que a forma não vale. Já escrevemos um volume: A Lei de Deus. cheio de mentiras. que evitando o erro. aquela que interessa ao nosso trabalho de redenção. mas a substância. Por isso escrevemos o presente volume. primeiro que todos. todos obedecem. um conceito independente das humanas divisões religiosas. a religião que só vê o espírito e a ciência que só vê a matéria. as nossas ações. completando-se. que as palavras não têm o poder de mover. Lei à qual. presente para salvá-lo mesmo no Anti-Sistema. e a quem os dependentes obedecem por temor. a nos redimir. tais conceitos representam uma revolução. de olhos abertos. sendo antes um mal que o indivíduo inflige a si mesmo e cujos efeitos danosos se podem calcular. Este novo estudo nos leva a um mais alto conceito de Deus. A sabedoria de salvar as aparências com a hipocrisia de nada serve. a redenção. Poder-se-á assim sair da nebulosidade da fé e consciente. obedece. porque nisto está o seu bem. além do citado acima. mas não basta afirmar que tal Lei existe. Uma concepção antropomórfica da divindade é necessária para as massas subdesenvolvidas. E o conhecimento da técnica funcional dos fenômenos do espírito nos induzirá a uma conduta mais sábia. de modo que fingir é inútil. somente os fatos. porque alcançável através das vias racionais da ciência. Dissemos que essa Lei é o Sistema que permaneceu incorrupto. o Deus imanente. porque o segredo de nossa salvação consiste em saber funcionar de acordo com tal Lei. nas particularidades. cientificamente. Já a ciência entrevê a existência de um outro universo feito de antimatéria. No campo da moral. 40 a sua meta final. É necessário mostrar. castiga. Aprenderemos assim racionalmente. que constituiria a outra metade espiritual. seguindo este exemplo. que para poder imaginá-la. mais verdadeiro do que o atualmente possuído. conceito universal. . Este novo conceito de Deus não é o clássico do Deus Senhor que comanda arbitrariamente. complementar do universo matéria que conhecemos. evita também a dor. precisam reduzi-la a seu nível mental. a técnica do seu funcionamento. Trata-se do conceito de um Deus-ordem que é a sua Lei. ao menos na parte que mais atinge a nossa existência. A Lei é um sistema de forças. Neste conceito de Deus-Lei poderão finalmente fundir-se. conhecendo a técnica do processo de salvação.

afirmando-se nos caminhos de decadência do Anti-Sistema. enquanto dá ao indivíduo um absoluto sentido de segurança de quem sente a presença de Deus regendo tudo com justiça. Basta assumir a posição do Sistema para colocar cada problema na posição correta. A salvação está na evolução. porém. porque está evoluindo. Sabe-se que quando o homem. e assim evita tantos erros e tantas dores. justa e exata. no banco de Deus. faz dela um instrumento de grandes conquistas. vence. O jogo está todo na imersão do Sistema em Anti-Sistema e no ajustamento do Anti-Sistema em Sistema. e quando crê que perde. Infeliz é quem goza. por obra da Lei. segundo o próprio mérito. automaticamente. provoca o próprio prêmio ou a própria condenação. Para cada ato nosso há. é o ser que se afirma nos caminhos ascensionais do Sistema. perde. A descoberta desta verdade dá à vida um significado profundo. qualquer que seja a sua fé. São Vicente (São Paulo) Brasil Páscoa de 1969. Ele sabe que cada um. um meio para atingir fins altíssimos. na justa medida. Afortunado. sabe que nada lhe pode esconder. porque está involuindo. em todo tempo e lugar. . Tal resultado é infalivelmente atingido por todos. Cai então toda grande Maya. toda ilusão que envolve o mundo. 41 O homem consciente da Lei sente-se sempre na presença de Deus. Ele não usa mais tantas escapatórias absurdas com as quais os subdesenvolvidos crêem evadir-se da Lei. uma contabilidade de deve e haver. compreende-se o jogo e a diversa realidade que está por trás dele. crê vencer. Tornamo-nos sábios e não caímos mais nos seus enganos. com os métodos do Anti-Sistema.

Related Interests