3º Curso Virtual de Teologia do Corpo – 2010

1

Introdução à Teologia do Corpo
1. A Teologia do Corpo (TdC) pode ser comparada com um diamante. Existem várias perspectivas com que pode ser vista, todas elas muito belas. Uma jóia de grande valor, um conteúdo amplo e cheio de ensinamentos preciosos. Conhecer toda sua profundidade é trabalho para um longo período de tempo. No presente texto, nosso objetivo é traçar apenas uma introdução ao seu estudo. Na primeira parte do texto começamos com uma sessão de “perguntas e respostas”, como meio de esclarecer alguns pontos para quem nunca teve contato com a TdC.

O que é a Teologia do Corpo? É um novo movimento na Igreja? Uma nova filosofia? Uma espécie de terapia sexual? A Teologia do Corpo não é nada disso. Ela é o conjunto de 129 catequeses proferidas pelo Papa João Paulo II nas costumeiras audiências gerais das quartasfeiras no Vaticano, durante os anos de 1979 e 1984. Foi o primeiro projeto catequético de João Paulo II. É uma reflexão profunda, baseada nas Escrituras, sobre a pessoa humana em sua integralidade – corpo e alma. Contempla a compreensão do plano de Deus para cada ser humano e para o amor humano. É parte do Magistério da Igreja, e fundamentada nele. A Teologia do Corpo é aprovada pelo Vaticano? A Teologia do Corpo foi escrita pelo representante maior da Igreja, o Papa. Não se trata de um artigo novo de fé. Trata-se apenas de uma nova forma de apresentar a mesma doutrina perene da Igreja sobre nossa origem, redenção e vocação. Pode-se medir a autoridade da Teologia do Corpo levando-se em consideração que: (1) o Papa fala para toda a Igreja; (2) ele fala em um momento de ensino central em seu ofício como Pastor maior da Igreja: as catequeses de quarta-feira no Vaticano; e (c) ele fala de um assunto central para a vivência da nossa fé: o plano divino para o amor humano. A nossa postura em relação ao seu ensinamento, segundo a nossa profissão de fé católica, deve ser de “religiosa submissão da mente e da vontade”.

2. Em seguida é apresentada a estrutura geral e divisão das catequeses. A partir daí, segue-se uma breve discussão sobre cada uma dessas partes, dando uma visão geral de todo o conteúdo. Finalmente, a última parte do presente texto traz ao conhecimento do leitor alguns argumentos principais que serão importantes durante todo o curso.

3. Procurando estar em plena sintonia com o magistério da Igreja, e transmitir o pensamento e os ensinamentos de João Paulo II com a maior fidelidade possível, os textos serão constituídos tanto quanto possível de citações das próprias catequeses do Papa. Em algumas ocasiões poderá haver citações de outros documentos da Igreja ou do próprio Catecismo da Igreja Católica (CIC), no sentido de complementar os ensinamentos.

4. A fim de permitir a compreensão da linha lógica de argumentos ao longo do curso, poderá haver alguns comentários explicativos. Mas, como já mencionado, o desejo é que o próprio Papa João Paulo II “fale” com suas palavras ao nosso “coração”, à nossa vida.

3º Curso Virtual de Teologia do Corpo – 2010

2

Se ela é tão antiga, por que eu nunca tinha ouvido falar dela antes? Por ter sido desenvolvida ao longo de cinco anos, por meio de catequeses fracionadas ao longo do tempo, somente depois da conclusão do ciclo é que se começou a divulgá-la e estudá-la de forma global. Além do mais, há certa dificuldade por conta do nível de teologia e filosofia utilizado por João Paulo II. Por isso, ainda hoje estudiosos se debruçam sobre os textos originais das catequeses a fim de compreender todo seu significado e desdobramentos, procurando apresentar as principais noções de forma mais acessível ao público em geral. Para que serve a Teologia do Corpo e o que ela vai mudar na minha vida? A Teologia do Corpo nos dá uma visão integral do ser humano, que nos permite redescobrir o plano de Deus para nossas vidas. Quando sabemos quem somos, muda nossa maneira de viver e de entender o dom da nossa vida e do nosso corpo. Tudo isso é essencial em um mundo marcado pela “revolução sexual”, que tende a colocar Deus e o corpo em pólos opostos. A quem se destina a Teologia do Corpo? A toda a Igreja Católica, e a toda a humanidade, homens e mulheres que buscam a verdade.

Qual a idade apropriada para entrar em contato com esses assuntos? João Paulo II era extremamente sábio, e como Papa tinha consciência de que falava para pessoas de todas as idades. Entretanto, sempre é prudente considerar a questão da maturidade sexual em certos assuntos, que podem requerer supervisão de adultos. Há autores que trabalham a Teologia do Corpo com uma linguagem própria para os jovens e adolescentes. Porque as pessoas precisam da Teologia do Corpo? Muitos estão procurando uma razão para crer e fazer parte com convicção da Igreja Católica, que muitas vezes lhes pede para tomar algumas decisões difíceis, que vão contra tudo que há na sociedade ao redor. A Teologia do Corpo dá as “razões por trás das regras”. A Teologia do Corpo não é somente mais um “sermão” que faz a gente se sentir culpado pelo passado? Pode-se dizer que a Teologia do Corpo é um “convite” a redescobrir a beleza do plano de Deus para nossa vida, nosso corpo e nossa sexualidade. A Teologia do Corpo nos ajuda a viver uma vida nova. “É impossível viver a castidade. Deixe-me em paz” Este é o pensamento de algumas pessoas. Muitas pessoas que conhecem a Teologia do Corpo passam a amar a castidade e descobrem que, com a graça de Deus, não só é possível vivê-la: é apaixonante e recompensador!

Estrutura da Teologia do Corpo
5. A estrutura do texto pode ser compreendida quando se pergunta qual o objetivo principal e que partes servem a esse objetivo. O objetivo principal da Teologia do Corpo é apresentar uma visão integral do ser humano. E como as principais divisões da TdC servem a esse propósito? Na última catequese, o Papa João Paulo II explica as divisões principais:

3º Curso Virtual de Teologia do Corpo – 2010

3

A Estrutura em Detalhe
A primeira parte é devotada à análise das palavras de Cristo... A segunda parte da catequese é destinada à análise do sacramento [do matrimônio], com base em Efésios. (TdC 133, 4) 6. Neste curso seguiremos a divisão da tradução inglesa de Michael Waldstein, que por sua vez segue as divisões do original em polonês, escrito pelo Papa. Pode-se apresentar como divisão principal da TdC o quadro a seguir: PARTE 1 9. Nessa parte, o Papa dedica-se à análise de três passagens do Evangelho, de três palavras de Cristo. O capítulo inicial, “Cristo se Refere ao Princípio”, é particularmente importante, por estabelecer o conteúdo para os outros dois. Nesse primeiro capítulo, o Papa analisa o diálogo de Jesus com os fariseus sobre a unidade e a indissolubilidade do matrimônio (ver Mt 19, 8; Mc 10, 6-9). Ali Cristo nos remete ao “princípio”: “Moisés permitiu despedir a mulher, por causa da dureza do vosso coração. Mas não foi assim desde o princípio”. O Papa analisa os primeiros capítulos de Gênesis (o “princípio”), não apenas em si mesmo como relato da criação, mas como componente da doutrina de Cristo sobre o plano original de Deus para o amor humano. 10. No segundo capítulo, “Cristo se Refere ao Coração Humano”, o Papa analisa as palavras de Cristo: “Ouvistes que foi dito: „Não cometerás adultério‟. Ora, eu vos digo: todo aquele que olhar para uma mulher com o desejo de possuí-la, já cometeu adultério com ela em seu coração” (Mt 5, 27-28). Depois de uma seção introdutória, João Paulo II volta a Gênesis 3, para observar a origem da concupiscência sexual e a formação do “homem da concupiscência”. Ele então analisa os três elementos da palavra de Jesus: o mandamento contra o adultério, o significado de “olhar para uma mulher com desejo de possuí-la”, e o significado de “cometer adultério em seu coração”. O Papa mostra que Cristo, em primeiro lugar, não “acusa” o coração, mas o chama para viver de acordo com a redenção do corpo, de acordo com a pureza de coração. 11. Na terceira parte, chamada “Cristo se Refere à Ressurreição”, é analisado o diálogo de Jesus com os saduceus: “Na ressurreição não haverá homens e mulheres casando-se” (Mt 22, 30). O Papa fala sobre a ressurreição e a realização plena do significado esponsal do corpo na visão de Deus “face a face”. Segue-se imediatamente uma abordagem sobre a continência ou celibato para o Reino dos Céus, considerando a virgindade como um sinal antecipatório da ressurreição. O Papa conclui com uma visão geral sobre a redenção do corpo. PARTE 2 12. A análise do grande mistério do amor esponsal em Efésios realça a importância da análise anterior de Gênesis. O princípio da divisão

ESTRUTURA DA TEOLOGIA DO CORPO: PARTE 1 – AS PALAVRAS DE CRISTO 1. Cristo se Refere ao “Princípio” 2. Cristo se Refere ao Coração Humano 3. Cristo se Refere à Ressurreição PARTE 2 – O SACRAMENTO 1. A Dimensão da Aliança e da Graça 2. A Dimensão do Sinal 3. A Lei da Vida como Herança

7. Na primeira parte são analisados “três períodos teológicos”, por assim dizer: o “princípio”, a condição atual do ser humano, e a ressurreição futura. O tema principal da primeira parte é a “redenção do corpo”.

Tudo o que tentamos fazer no curso de nossas meditações, a fim de compreender as palavras de Cristo, tem seu fundamento definitivo no mistério da redenção do corpo. (TdC 86, 8)

8. Depois de uma abordagem compreensiva da redenção do corpo na Parte 1, João Paulo II aprofunda e desdobra essa abordagem na Parte 2, focando no “sacramentum magnum”, o grande mistério de amor revelado em Efésios 5.

3º Curso Virtual de Teologia do Corpo – 2010

4

na parte 2 é a distinção entre a graça do sacramento [do matrimônio] e o sinal que significa e realiza essa graça. As reflexões sobre o sacramento do matrimônio foram conduzidas na consideração das duas dimensões essenciais a esse sacramento (como a todos os outros), ou seja, a dimensão da aliança e da graça, e a dimensão do sinal. Através dessas duas dimensões, continuamente voltamos às reflexões sobre a teologia do corpo que estavam ligadas às palavraschave de Cristo. (TdC 133, 2)

O argumento principal
16. O principal conceito da Teologia do Corpo é o “significado esponsal do corpo”. O corpo humano, com o seu sexo – a sua masculinidade e feminilidade – visto no próprio mistério da criação, não só é fonte de fecundidade e de procriação, como acontece em toda a ordem natural, mas contém desde "o princípio" o atributo "esponsal", isto é, a capacidade de exprimir o amor: exatamente aquele amor em que o homem-pessoa se torna dom e – mediante este dom – realiza o sentido mesmo do seu ser e existência. (TdC 15, 1)

13. No primeiro capítulo dessa parte, “A Dimensão da Aliança e da Graça”, João Paulo II oferece uma leitura detalhada de Efésios 5, 21-33, apresentando uma visão global do “grande mistério esponsal”, explorando as conexões entre essa passagem e as palavras de Cristo vistas na primeira parte. 14. No segundo capítulo, “A Dimensão do Sinal”, João Paulo II desenvolve o conceito de “linguagem do corpo”, a fim de compreender melhor o sinal sacramental. Esse sinal tem dois focos. O primeiro está nas palavras do consentimento conjugal (os votos matrimoniais), e o outro na união sexual, na qual os corpos do homem e da mulher falam “profeticamente” em nome e com a autoridade de Deus. O Cântico dos Cânticos apresenta essa linguagem erótica do corpo em toda sua integridade humana, sendo objeto de análise nesse capítulo também. Temos aqui claramente um capítulo dos mais importantes em toda a TdC. Finalmente, João Paulo II usa Tobias como trampolim para desenvolver um argumento sobre a íntima relação entre a linguagem do corpo na união sexual e a linguagem do sacramento de acordo com Efésios e a liturgia da Igreja. 15. No capítulo final, João Paulo II inicialmente apresenta o ensinamento da Encíclica Humanae Vitae sobre a contracepção, e então dá uma visão panorâmica da espiritualidade conjugal de acordo com a mesma Encíclica.

17. O corpo tem um significado esponsal porque – como diz Gaudium et Spes 24, 3 – a pessoa humana é uma criatura que Deus quis “por si mesmo”, e que, ao mesmo tempo, não pode se encontrar plenamente a não ser através do dom de si mesmo. Como sabemos, a partir das análises bíblicas e teológicas levadas a cabo anteriormente, o corpo humano em sua masculinidade e feminilidade está orientado desde seu interior à comunhão de pessoas (“communio personarum”). Nisso consiste seu significado esponsal. (TdC 130)

18. O argumento principal da TdC é, portanto, bastante simples e claro. Seu primeiro passo consiste em desdobrar o ensinamento de Jesus sobre o significado esponsal do corpo (em suas três dimensões: no plano original de Deus no “princípio”; na luta atual contra a concupiscência; e na plenitude futura da ressurreição). Seu segundo passo consiste em observar como esse significado esponsal funciona no grande sacramento do amor, particularmente na linguagem do corpo que é o sinal efetivo desse sacramento. Seu terceiro passo consiste em mostrar que a Humanae Vitae simplesmente pede ao homem e à mulher que releiam essa linguagem do corpo na verdade. O poder persuasivo do argumento reside em sua habilidade de trazer os ensinamentos de Jesus para dar suportar e realizar efeitos reais na felicidade e desenvolvimento genuínos da pessoa humana. As palavras e o

3º Curso Virtual de Teologia do Corpo – 2010

5

ensino de Jesus têm um poder persuasivo intrínseco, o qual reside na beleza do plano de Deus para o amor humano.

Uma “estrela-guia” na leitura da Teologia do Corpo
19. “Aimer c‟est tout donner et se donner soimêmei – Amar é dar tudo e dar-se a si mesmo”1, escreve Santa Teresinha do Menino Jesus, em plena concordância com seu mestre, São João da Cruz, e seu “aluno”, João Paulo II. Seu axioma pode servir como “estrela-guia” para a jornada pela Teologia do Corpo. 20. Deve-se ter em mente três pontos para uma correta compreensão dessa estrela-guia. Primeiramente, seguindo João Paulo II, deve-se evitar uma excessiva distinção entre eros e ágape, entre realização sexual e o dom desinteressado de si mesmo no amor entre homem e mulher. Na realidade, eros e agape (...) nunca se deixam separar completamente um do outro. Quanto mais os dois encontrarem a justa unidade, embora em distintas dimensões, na única realidade do amor, tanto mais se realiza a verdadeira natureza do amor em geral. (...) No fundo, o « amor » é uma única realidade, embora com distintas dimensões; caso a caso, pode uma ou outra dimensão sobressair mais. Mas, quando as duas dimensões se separam completamente uma da outra, surge uma caricatura ou, de qualquer modo, uma forma redutiva do amor. (Bento XVI – Deus Caritas Est)

deixaria os seres humanos em desespero com relação à fraqueza de sua carne e suas falhas na tentativa de alcançar o amor ideal. Pelo contrário, Jesus fala primariamente como redentor que vence o pecado e abre o caminho para uma transformação real, a vida no Espírito.

Outras propostas de estruturação
22. Christopher West, o mais conhecido pregador e divulgador da Teologia do Corpo, apresenta uma estrutura com algumas modificações com relação à de Michael Waldstein. Ele separa a reflexão sobre o celibato em um tópico separado, e reúne as duas dimensões do matrimônio em um só tópico. Isso não muda o conteúdo. È apenas uma forma diferente de apresentar, que ele considera mais didática, e que citamos aqui para que o leitor tome conhecimento desde já, caso venha a ler algum livro desse autor bastante conhecido.

Questões para estudo
1. Alguma vez você considerou que nós poderíamos entender o corpo como “teologia” (um estudo de Deus)? Comente sobre essa realidade na Teologia do Corpo. 2. Porque a Teologia do Corpo é para todas as pessoas e não somente para os casados? 3. Sabemos que Deus fez o homem à sua imagem e semelhança. Ao mesmo tempo, Deus é uma Trindade, ou seja, uma comunhão de pessoas. Isso lhe diz algo sobre o “significado esponsal do corpo”? 4. Comente sobre suas expectativas com relação ao curso, e sobre o que foi visto nesta introdução. O que lhe chamou mais atenção? Que implicações isso pode ter na vida pessoal?
(Sugere-se enviar as respostas para daniel@teologiadocorpo.com.br)

21. Em segundo lugar, João Paulo II não levanta sequer uma sombra de visão negativa ou suspeita sobre a relação sexual ou sobre o prazer sexual enquanto tal, fugindo de uma condenação maniqueísta do ato sexual. Em terceiro lugar, a Teologia do Corpo não é, primariamente, uma admoestação para seguir a lei sobre o corpo, mas sim uma proclamação persuasiva do evangelho, a boa nova sobre o corpo. João Paulo II não vê Jesus primariamente como um moralista, ensinando um alto ideal de amor altruísta que
1

"Pelo fato que o Verbo de Deus se fez carne, o corpo entrou na Teologia pela porta principal" João Paulo II (TdC 23)

________________________________________
© Texto elaborado pela equipe Teologia do Corpo - Brasil exclusivamente para fins didáticos. Contém trechos das catequeses do Papa e da introdução do livro “Man and Woman He Created Them”, de Michael Waldstein. As citações das catequeses TdC seguem a numeração desse mesmo livro (ver quadro de referência em separado) As citações bíblicas são da tradução da CNBB.

Santa Teresa de Lisieux, do poema “Porque te amo, ó Maria!”.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful