You are on page 1of 7

PROJETO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA:

“CONTANDO E CANTANDO HISTÓRIAS


NA CHÁCARA MENINOS DE QUATRO PINHEIROS”

Áreas temáticas: Incentivo à Leitura; Educação e Cidadania


Coordenadora: Eliane C. Alves Precoma – Professora do Dep. de Teoria e Prática
de Ensino
Equipe executora: André Francisco da Frota, aluno bolsista do Curso de Geografia;
Eliane C. Alves Precoma, professora coordenadora; Gisele Rueda Toniol, aluna
extensionista voluntária, do Curso de Pedagogia; Rita de Cássia Ferreira, aluna
extensionista voluntária, do Curso de Pedagogia; Silvia Maris Rabelo, aluna bolsista
do Curso de Letras; Wallace Kassio Ramos, aluno bolsista do Curso de Pedagogia.
Instituições Envolvidas: Fundação Educacional Meninos de Rua Profeta Elias –
Chácara Meninos de 4 Pinheiros e Universidade Federal do Paraná.

Resumo

O presente projeto tem como principal objetivo incentivar o hábito da leitura e escrita
junto aos meninos e educadores da Chácara Meninos de 4 Pinheiros, localizada em
Mandirituba. Atualmente a Chácara abriga cerca de setenta meninos que viviam em
situação de risco social, com a intenção oportunizar o desenvolvimento de
autonomia destas crianças e adolescentes, contribuindo assim para a construção de
projetos de vida. São realizadas, uma vez por semana atividades voltadas ao
acompanhamento escolar, à literatura infanto – juvenil, à música, dramatização e
outras linguagens artísticas. Visando atender as demandas da Chácara, o projeto é
planejado e avaliado em reuniões semanais na universidade, onde também são
discutidas as descrições e narrações das atividades feitas na Chácara, com o intuito
não só de registrar mas também de efetivar um melhor planejamento baseado em
experiências. O projeto busca contribuir de forma significativa na elaboração dos
projetos de vida dos meninos.
Palavras-Chave: Contação de Histórias, Meninos em risco social, leitura.

Metodologia

A metodologia utilizada está baseada num constante diálogo entre a


coordenadora do projeto, os alunos de graduação envolvidos no projeto, a equipe da
chácara, os meninos e os professores das escolas nas quais as crianças estudam. E
que inspirou planejamentos de trabalho integrados (figura 1).
Complementar a essa organização metodológica, o projeto baseia-se na
pedagogia da possibilidade, “buscando um caminho de análise para além da
criticidade” apostando nas potencialidades de cada sujeito.
São realizadas reuniões semanais na universidade, nas quais participam
alunos bolsistas/extensionistas voluntários e a coordenadora do projeto, com o
objetivo de planejar as atividades que serão realizadas junto aos meninos e
educadores da Chácara, de modo que as questões discutidas são repassadas aos
educadores da Fundação em reunião semanal que ocorre na própria Chácara, a
qual conta com a participação de nossa coordenadora.
As atividades pedagógicas ocorrem uma vez por semana na Fundação, nos
períodos da manhã e da tarde, quando os alunos bolsistas/extensionistas dividem-se
entre os dois turnos e se deslocam de Curitiba a Mandirituba. Essas atividades
englobam o acompanhamento escolar, que significa ‘acompanhar’ as atividades dos
cadernos e livros escolares, mediando as principais dúvidas, e as propostas de
atividades voltadas para contação de histórias, produção de textos e brincadeiras.
Enfim, são realizadas descrições detalhadas de todo o trabalho pedagógico
que realizamos na chácara por meio das quais buscamos analisar de forma
qualitativa todo o fenômeno educativo e também o processo ensino-aprendizagem
desenvolvido junto aos meninos e educadores. Essas descrições são elaboradas a
partir da observação direta da prática pedagógica em seu desenvolvimento.
População Alvo Atendida

O presente projeto de extensão universitária é desenvolvido na Chácara


Meninos de Quatro Pinheiros, a qual atende atualmente cerca de setenta meninos
que viviam em situação de risco social. Por meio do projeto educativo da Chácara,
essas crianças e adolescentes recebem não somente um abrigo, mas também
assistências de vários níveis, tais como: psicológica, pedagógica, médica,
odontológica, entre outras.
As crianças e adolescentes são resgatadas das ruas chegando até a chácara
por meio de abordagens de rua realizadas por educadores da instituição; ou ainda
são encaminhadas por conselhos tutelares e também projetos sociais que orientam
a entrada da criança ou do adolescente na Chácara.
Ao chegarem na chácara todos os meninos são rematriculados nas escolas
da região, e também recebem na própria chácara acesso a cursos de informática,
música, inglês, escolinha de futebol e vários outros de acordo com os interesses
apresentados pelos meninos.
A Chácara tem como principio básico a formação do sujeito autônomo e
crítico, desenvolvendo a Pedagogia da Presença, baseada nas propostas
pedagógicas de Paulo Freire e Célestin Freinet, vislumbrando a auto-estima dos
meninos e a construção de seus projetos de vida, e para isso conta com uma
participação interativa entre comunidade, psicólogos, pedagogos, médicos e demais
profissionais, onde muitos atuam como voluntários.
O Projeto “Contando e Cantando Histórias na Chácara de 4 Pinheiros”, assim
como os demais projetos que atuam na chácara, é um projeto voltado para o
trabalho pedagógico não-formal, cuja principal característica diz respeito ao espaço
no qual é realizado, ou seja na própria Chácara, sendo assim a expressão ‘não-
formal’ não pode ser confundida com falta de intencionalidade, uma vez que este
projeto busca participar da interação Chácara-Comunidade direcionando seus
objetivos e metodologias principais sempre para atender as demandas com a
participação ativa de todos os sujeitos envolvidos no processo.
Fig.1

Resultados alcançados

O projeto aos olhos de uma pessoa de fora, sem muito conhecimento da


chácara e que não acompanha regularmente nosso trabalho, talvez possa não
aparentar a uma primeira vista grandes resultados nos meninos, mais devemos
lembrar que, a dinâmica da chácara constrói-se de forma muito rápida e mutável,
onde sempre estão saindo e entrando meninos novos, que conseqüentemente
levam algum tempo para acostumar-se com as regras da chácara.
É então, que o projeto os recebe com grande alegria e acolhida, e assim o
projeto acaba por obter seus resultados com a mesma dinâmica a que está inserido,
sendo assim podemos afirmar que é um dos resultados do projeto é o fato de atuar
junto a este processo e possuir justamente esta característica processual.
Outros resultados são analisados constantemente, uma vez que em todas as
atividades realizadas os meninos, educadores, alunos bolsistas e coordenação têm
avaliado o desenvolvimento do projeto, apontando a positividade dos encontros que
realizamos, no sentido de que estão voltados para a criatividade, o lúdico, a
corporeidade, a motivação – construindo a mediação ligada à afetividade. Nas
avaliações os meninos também indicam sugestões de como podemos ampliar este
trabalho. Outros possíveis resultados, analisaremos e avaliaremos em reunião no
final deste ano.
Consideramos que o nosso trabalho realizado junto a Chácara foi de
repercussão significativa, visto a cada ano a instituição solicita por meio dos
meninos e educadores a continuidade e ampliação do projeto e que estamos
conseguindo alcançar as metas traçadas para 2004, e com o desenvolvimento das
atividades realizadas, notamos um importante crescimento por parte dos meninos,
na qual inclui-se um melhor resultado na convivência entre os mesmos e um vínculo
afetivo muito forte criado entre bolsistas/extensionistas, além do melhor
aproveitamento escolar.
O projeto continua vislumbrando seus objetivos para o ano de 2005,
construídos mediante interação entre a equipe do presente projeto, orientação
pedagógica, equipe de educadores, meninos e coordenação da Chácara.

Análise das Repercussões junto à População Alvo

O nosso trabalho junto aos meninos de Quatro Pinheiros, é de essencial


importância tanto para nós alunos (bolsistas e extencionistas voluntários), e
professora coordenadora quanto para os meninos e demais integrantes da Chácara,
pois através das atividades planejadas de acordo com a nossa proposta de trabalho,
o projeto proporciona a todos os sujeitos envolvidos a oportunidade de vivenciar e
interagir com as mais diversas experiências, relativas a planejar, desenvolver e
avaliar práticas de leitura voltadas para a cidadania, saindo assim do cotidiano
escolar, e incentivando a socialização e a autonomia tão almejadas pela Chácara.
A aceitação ao trabalho realizado pelo projeto é muito boa e quase que geral,
visto que por exemplo, percebe-se claramente a insatisfação e cobrança dos
meninos quando por algum motivo de força maior algum componente do grupo não
pôde comparecer no dia combinado para a atividade. Este fato demonstra que as
práticas pedagógicas já realizadas estabeleceram um vínculo fundamental baseado
no binômio mediação/afetividade (FONSECA, 1998).
A repercussão de nossa atuação poderia ser ampliada se o número de alunos
bolsistas fosse ampliado no próximo ano, como aliás já solicitamos na proposta de
continuidade do Projeto para este ano, esta ampliação permitiria que pudéssemos
desenvolver as atividades com um número maior de meninos da Chácara, com a
atuação de três alunos bolsistas e duas alunas voluntárias atualmente só
conseguimos atender cerca de vinte e cinco meninos dos setenta abrigados pela
Chácara.

Referências

A VIDA NA RUA E A RUA NA VIDA: Histórico e Proposta Pedagógica da


Fundação Educacional Meninos e Meninas de Rua Profeta Elias. Curitiba.
MIRANDA, Sônia M. Guariza de Assumpção e STOLTZ, TÂNIA (sist.), 1999.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetizando sem Ba, Be, Bi Bo, Bu. São Paulo:
Scipione, 1998.

FONSECA, Victor da. Aprender a Aprender: A Educabilidade Cognitiva. Porto


Alegre: Artmed, 1998.

FREITAS, Luiz Carlos de. Crítica da Organização do Trabalho Pedagógico e da


Didática. Campinas: SP: Papirus, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática


educativa. SãoPaulo: Paz e Terra, 1996.

GOES, Lúcia Pimentel. Como Ensinar Arte e Literatura Simultaneamente.


Pioneira Manuais de estudo, 1984.

HISTÓRIAS DE NOSSAS VIDAS: Os Meninos de 4 Pinheiros - Fundação


Meninos e Meninas de Rua Profeta Elias, 1999.

KRAMER, Sonia e LEIT, Maria I. F. P. (orgs). Infância e Produção Cultural.


Campinas: Papirus, 1998.

LÜDKE, Menga e ANDRÉ, Marli. Pesquisa em Educação: abordagens


qualitativas. São Paulo: EPU,1986.

QUINTANA, Mário. Pé de Pilão. 8. Ed. São Paulo: Ática. 2000.

MACHADO, Juarez. Emoções. Rio de Janeiro: Agir, 2001.

MEIRELES, Cecília. Canção da Tarde no Campo. São Paulo: Global, 2001.

MENINOS DE 4 PINEIROS. Jornal Informativo. Ano I. N.º 1, 2003.

MORIN, Edgar. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. São


Paulo: Cortez, Brasília, DF: UNESCO, 2000.

PAES, José Paulo. Poemas para Brincar. 13. Ed. São Paulo: Ática, 1998.

PRECOMA, Eliane C. Alves. Atuação dos Pedagogos – Entre Olhares e


Provocações: uma análise sobre o trabalho de uma orientadora educacional e
uma supervisora escolar em uma escola da Rede Municipal de Ensino de Curitiba.
Campinas, SP, 2001. Dissertação de Mestrado. (Área: Ensino, Avaliação e
Formação de Professores). Faculdade de Educação. UNICAMP.

________. Pedagogia e Compromisso Político: Atuação do Pedagogo nos


diversos segmentos da sociedade – discutindo possibilidades. In.: Anais XI
Semana de Pedagogia - Pedagogia e Compromisso político. INICENTRO,
Guarapuava, PR. 2003. (no prelo)

PROPOSTA DE CONTINUIDADE DO PROJETO DE EXTENSÃO


UNIVERSITÁRIA CONTANDO E CANTANDO HISTÓRIAS NA CHÁCARA
MENINOS DE 4 PINHEIROS. Prof.ª Coordenadora Eliane C. Alves Precoma,
mimeo, 2004.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fonte, 1993.