Instituto Ethos – Conferência Internacional Empresas e Responsabilidade Social Mercado de Carbono: Projetos e Comercialização

*
Junho 2005

*connectedthinking

O efeito estufa e a mudança da temperatura

Fonte: IPCC – Intergovernmental Panel on Climate Change.

PricewaterhouseCoopers

Page 2 Abril 2005

Agenda

O Mercado de Carbono O Ciclo dos Projetos de Carbono Perspectivas e Tendências PricewaterhouseCoopers em Mudanças Climáticas

Section one

O Mercado de Carbono O Ciclo dos Projetos de Carbono Perspectivas e Tendências PricewaterhouseCoopers em Mudanças Climáticas

O Mercado de carbono

Entendendo o cenário global... …as emissões no mundo
Canada USA 20’000 UK Germany France Poland Russia 10’000

Japan

China Venezuela 5000
Não ratificou o Protocolo de Kyoto

Pakistan

India

Australia Indonesia
Source: WBCSD adaptation of IEA 2003

Brazil

Nigeria Mozambique South Africa Other sectors Non-road transport Road transport Manufacturing Energy industries Heat and power

OECD World
Não ratificou o Protocolo de Kyoto

Emissions by sector, kg CO2 per capita per year (2001)

Non-OECD

PricewaterhouseCoopers

Page 5 Abril 2005

O Mercado de carbono

Convenção-Quadro das Nações Unidas para Mudança do Clima ...o princípio da responsabilidade comum, porém diferenciada
A mudança do clima da Terra e seus efeitos negativos são uma preocupação comum da humanidade; A maior parcela das emissões globais, históricas e atuais, de gases de efeito estufa é originária dos países desenvolvidos; As emissões per capita dos países em desenvolvimento ainda são relativamente baixas e a parcela de emissões globais originárias dos países em desenvolvimento crescerá, para que eles possam satisfazer suas necessidades sociais e de desenvolvimento.

6 PricewaterhouseCoopers

Page 6 Abril 2005

O Mercado de carbono

O Protocolo de Kyoto... ...flexibilidade e mercado

O Protocolo de Kyoto é o primeiro instrumento político internacional com o objetivo de reduzir as emissões de gases de efeito estufa – GEE.
• Características:
-

Anexo I • Países da OCDE • Japão, EUA*, Canadá, Nova Zelândia; • União Européia. • Economias em Transição • Rússia e desenvolvidos da exURSS; • Leste Europeu.

- Reduções de GEE: CO2, CH4, N2O e/ou gases-fluor

Não Anexo I • Países em Desenvolvimento; Meta de redução para os países desenvolvidos (partes do Anexo I): 5,2% em relação a • Brasil, China, Índia e 1990 (os países em desenvolvimento não tem metas de redução no primeiro período de etc. compromisso) • Não desenvolvidos da exPrimeiro período de compromisso: Período de 5 anos (2008-2012) URSS.

• Instrumentos de redução:
- Reduções domésticas - Reduções baseadas em projetos e comércio de emissões

• Criação dos “Mecanismos de Flexibilização” com o objetivo de reduzir as emissões ao menor custo possível:
- Emissions Trading – ET (entre partes do Anexo I) - Joint Implementation – JI (entre partes do Anexo I) - Clean Development Mechanism – CDM (entre partes do Anexo I e Não Anexo I)
PricewaterhouseCoopers

Page 7 Abril 2005

O Mercado de carbono

O CDM ou Mecanismo de Desenvolvimento Limpo – MDL... ...o que é?
O Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) é um mecanismo de flexibilidade, definido no Artigo 12, do Protocolo de Kyoto, que permite que países pertencentes ao Anexo I adquiram Reduções Certificadas de Emissões (RCE) resultantes de projetos implementados nos países Não Anexo I. Os RCE adquiridos pelos países do Anexo I podem ser utilizados para o cumprimento de parte de seus compromissos de redução de emissões.

RCE em inglês = CER – Certified Emission Reduction

PricewaterhouseCoopers

Page 8 Abril 2005

O Mercado de carbono

O Protocolo de Kyoto... ...dois novos instrumentos ambientais
1) CARBON ALLOWANCES [AAUs]
• permissões governamentais para emitir uma quantidade definida de GEE para a atmosfera.

2) CARBON CREDITS [CERs, ERUs, RMUs]
• projetos que tenham removido uma unidade de GEE da atmosfera ou resultem em evitar a emissão de GEE para a atmosfera.
In compliance -8% Non-compliance !! Compra: • Credits • Allowances

x5

Ano base emissões 1990
PricewaterhouseCoopers

Quantidade permitida (Allowances)

Emissões “Business As Usual” no período de compromisso 2008-2012

Quantidade permitida
Page 9 Abril 2005

O Mercado de carbono

Entendendo o cenário global... …as iniciativas para reduzir as emissões de GEE
EU ETS
•• Trading directive approved end of 2004 Trading directive approved end of 2004 •• Linking Directive (jan, 2005) – Kyoto Protocol Linking Directive (jan, 2005) – Kyoto Protocol linking linking •• Price around 19/tCO2e Price around 19/tCO2e •• Directive linking CDM Directive linking CDM

UK ETS

•• Overall trading volume 7 Mt CO2e in 1st yr Overall trading volume 7 Mt CO2e in 1st yr •• Highest price 25/ tCO2e, lowest 5/tCO2e Highest price 25/ tCO2e, lowest 5/tCO2e

Japan

•• First Kyoto AAU trade with First Kyoto AAU trade with Slovakia Slovakia •• JI with Kazakhztan JI with Kazakhztan •• ETS planned (?) ETS planned (?) •• Active in CDM Active in CDM

Canada
•• Clean Air Canada registering carbon credit Clean Air Canada registering carbon credit projects (43Mt CO2e) projects (43Mt CO2e) •• CAN$ 1.3billion climate change budget CAN$ 1.3billion climate change budget •• Active in CDM Active in CDM Non Kyoto Compliance •• New South Wales New South Wales CO2 trading scheme CO2 trading scheme

Australia

USA

Non Kyoto Compliance

•• Chicago Climate Exchange (CCX) Chicago Climate Exchange (CCX) •• Voluntary cap-and-trade scheme Voluntary cap-and-trade scheme •• Price around USD1.3/tCO2e Price around USD1.3/tCO2e •• Regional schemes NJ, MASS, OREGON... Regional schemes NJ, MASS, OREGON...

PricewaterhouseCoopers

Norway

•• Domestic ETS planned Domestic ETS planned •• Links with the EU ETS Links with the EU ETS

Page 10 Abril 2005

O Mercado de carbono

EU ETS (European Union - Emissions Trading Scheme)... ...o que é?
A União Européia criou seu Emissions Trading Scheme com o objetivo de auxiliar os países membros no esforço para atingir às metas estabelecidas pelo Protocolo de Kyoto. A diretiva da UE cria um sistema “Cap-and-Trade” que está em funcionamento desde janeiro de 2005:
• Permissões de emissão (Allowances) de GEE definem o “cap” de emissões; • É permitida a comercialização de permissões de emissões entre as instalações cobertas pelo ETS, bem como a compra de reduções de emissões oriundas do CDM. • Ao final de cada ano a instalação deve ter permissões de emissão em nível igual ou superior as suas emissões, ou pagar uma multa de:
40 por tonelada de CO2 excedente entre 2005-2007, e 100 por tonelada de CO2 excedente entre 2008-2012.
Page 11 Abril 2005

Mercado total na UE é estimado em 60 bilhões @ 5/t CO2.
PricewaterhouseCoopers

O Mercado de carbono

EU ETS (European Union - Emissions Trading Scheme)... ...quem?
Cobre 12.000 instalações na EU 25 entre 2005-2007
• Instalações incluídas:
Energia > 20 MW (refinarias, crackers, coquerias) Sinterização de minério e fusão do ferro (produção de aço) Clinker para cimento > 500 ton/dia Cal > 50 ton/dia Fusão de vidro > 20 ton/dia Cerâmicas > 75 ton/dia e/ou forno > 4 m3 e > 300 kg/m3 Celulose de materiais fibrosos Papel > 20 ton/dia

• As emissões combinadas das instalações contempladas (2005-2007) equivalem a ~1.700 mtCO2 (47% de toda a emissão de CO2 da UE), países em vias de acesso adicionam ~600 mtCO2. • Links com Noruega, Suíça e Países Não Anexo I (CDM) No período entre 2008-2012 valem as regras do Protocolo de Kyoto.
PricewaterhouseCoopers Page 12 Abril 2005

O Mercado de carbono

EU ETS (European Union - Emissions Trading Scheme)... ...alocação determina melhor distribuição

Protocolo de Kyoto

UE-Burden Sharing

UE-guidlines

Plano de Alocação Nacional

Comércio de Emissões

Outros setores Outros países da UE

Outras industrias

Países Anexo I

UE

D Setor y Setores Afetados

PricewaterhouseCoopers

Projetos JI/CDM

Page 13 Abril 2005

O Mercado de carbono

EU ETS (European Union - Emissions Trading Scheme)... ...e o comportamento dos preços
Entrada em Vigor do Protocolo

spec EUA EUA EUA

term 2005 2006 2007

volume 10.000 10.000 10.000

bid price ask price 19.45 19.50 19.55 19.60 19.70 19.75

volume 10.000 10.000 10.000
16/11/2004

16/02/2005

09 June 2005 EUA 2005 ( /tCO2) 19.42 -0.00

PricewaterhouseCoopers

Ratificação pela Rússia

Page 14 Abril 2005

O Mercado de carbono

CCX (Chicago Climate Exchange)... ...o que é?
• A CCX é um programa piloto de redução e negociação de emissões de

GEE que cobre fontes de emissões e projetos de redução e/ou sequestro dos Estados Unidos, Canadá e México. Projetos de redução e/ou sequestro de emissões oriundos do Brasil também são aceitos. desenhadas e governadas por seus membros.

• A CCX é um iniciativa auto-regulada, com suas regras de operação • Esses membros se comprometeram legalmente a reduzir suas emissões

de GEE* em 4% com relação as emissões médias do período da linha de base (1998-2001) até 2006, último ano do programa piloto.

• A CCX tem como objetivos: • Ajudar a construir as instituições e habilidades necessárias para gerenciar custoefetivamente as emissões de GEE, através do compartilhamento de informações sobre as medidas apropriadas para manejar os riscos da mudança global do clima.
PricewaterhouseCoopers
* Os mesmos gases do Protocolo de Kyoto

Page 15 Abril 2005

O Mercado de carbono

CCX (Chicago Climate Exchange)... ...os instrumentos financeiros de carbono
1) EXCHANGE ALLOWANCES (XA'S)
• As XA’s são emitidas para os membros e membros associados de acordo com a linha de base e o cronograma de redução de cada um, sujeito as provisões estabelecidas no manual da CCX.

2) EXCHANGE OFFSETS (XO'S)
• As XO’s são geradas por projetos de redução de emissão de GEE qualificados e registrados na CCX por membros participantes. • Inicialmente as categorias de projetos elegíveis são:
Destruição de metano em aterros sanitários nos Estados Unidos; Destruição de metano na agricultura nos Estados Unidos; Sequestro de carbono em projetos florestais nos Estados Unidos; Sequestro de carbono no solo na agricultura nos Estados Unidos; e Troca de combustível, Destruição de metano em aterros sanitários, energia renovável e projetos florestais no Brasil.
Page 16 Abril 2005

PricewaterhouseCoopers

O Mercado de carbono

emissões de projetos (geradas até 2012)

Qual o volume anual negociado? (milhões tco2e) Reduções de

Source: State and Trends of the Carbon Market 2005. Franck Lecocq, Development Economics Research Group, World Bank. Based on data and insights provided by Natsource LLC and PointCarbon.

PricewaterhouseCoopers

Page 17 Abril 2005

O Mercado de carbono

Quem são os compradores?

Source: State and Trends of the Carbon Market 2005. Franck Lecocq, Development Economics Research Group, World Bank. Based on data and insights provided by Natsource LLC and PointCarbon.

PricewaterhouseCoopers

Page 18 Abril 2005

O Mercado de carbono

Algumas iniciativas selecionadas de compradores
Fundos de Investimentos
Austria Bio Carbon Fund CDCF CERUPT Dinamarca Finlândia Alemanha INCaF Fundo de Carbono Italiano Fundo de Carbono Japonês NCDF PCF Suécia(SICLIP)

Cobertura
MDL/JI MDL/JI MDL MDL MDL/JI MDL/JI MDL/JI MDL MDL/JI MDL/JI MDL MDL/JI MDL/JI

Participação
Governo Austriaco Interesse de governos (ex.Canadá) e empresas 4 governos (Austria, Canadá, Itália, Holanda) e 7 empresas ( Japão, Alemanha, Espanha e Suíça) Governo Holândes Governo Dinamarquês Governo Finlandês KfW (governo federal e estados) Governo Holandês Governo Italiano (aberto a contribuições de empresas italianas) JBIC (Banco Japonês para Cooperação internacional) DBJ ( Banco do Japão de Desenvolvimento ) Governo Holandês 6 governos ( Canadá, Finlândia, Holanda, Noruega, Suécia Banco Japonês para Cooperação Internacional) e 17 empresas Governo Suéco

Volume (em mil)
EUR 72m (2003-2006) US$30-US$50m US$40-US$70m EUR 32.5m EUR 120m até 2007 EUR 10m EUR 25m (até 50m) EUR 44m US$20m (Objetivo US$80m) EUR 31.3m + EUR 23.5m US$120-US$160m (32 mt Co2 eq.) US$180m EUR 15m

Sources: Pointcarbon Novembro 2003, Banco Mundial (sem data) e Pinna 2003, Halich 2003, Sinha 2004, Mulders 2004, Bostrom 2004

TOTAL

US$1.033,96

PricewaterhouseCoopers

Page 19 Abril 2005

O Mercado de carbono

E os vendedores?

Source: State and Trends of the Carbon Market 2005. Franck Lecocq, Development Economics Research Group, World Bank. Based on data and insights provided by Natsource LLC and PointCarbon.

PricewaterhouseCoopers

Page 20 Abril 2005

O Mercado de carbono

Que categorias de projetos estão sendo negociadas?

Source: State and Trends of the Carbon Market 2005. Franck Lecocq, Development Economics Research Group, World Bank. Based on data and insights provided by Natsource LLC and PointCarbon.

PricewaterhouseCoopers

Page 21 Abril 2005

O Mercado de carbono

E a que preços?

e.g.: CCX

Source: State and Trends of the Carbon Market 2005. Franck Lecocq, Development Economics Research Group, World Bank. Based on data and insights provided by Natsource LLC and PointCarbon.

PricewaterhouseCoopers

Page 22 Abril 2005

O Mercado de carbono

Que fatores influenciam o preço?

• • • • • • •

Distinção entre Kyoto e Non Kyoto Compliance; Viabilidade do projeto; Credibilidade da qualidade do projeto e garantia de entrega ao longo do período do projeto; Estrutura do contrato (inclusive com definição dos riscos que o vendedor assume); Custos da validação e certificação; Apoio e cooperação do País Anfitrião; Benefícios sociais e ambientais adicionais...SUSTENTABILIDADE.
Page 23 Abril 2005

PricewaterhouseCoopers

Section two

O Mercado de Carbono O Ciclo dos Projetos de Carbono Perspectivas e Tendências PricewaterhouseCoopers em Mudanças Climáticas

O Ciclo dos Projetos de Carbono

O ciclo do projeto no âmbito do MDL

Estudo

Idéias Idéias
Page 25 Abril 2005

PricewaterhouseCoopers

O Ciclo dos Projetos de Carbono

A que critérios deve um projeto no âmbito do MDL atender?

1. Ser adicional

Que as emissões com a presença do projeto sejam inferiores àquelas na ausência deste, ou seja, que o projeto não seja business as usual.

2. Contribuir para o desenvolvimento sustentável

O entendimento de contribuição para o desenvolvimento sustentável, no caso brasileiro, está definido na Resolução nº 1, da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima.

PricewaterhouseCoopers

Page 26 Abril 2005

Section two

O Mercado de Carbono O Ciclo dos Projetos de Carbono Perspectivas e Tendências PricewaterhouseCoopers em Mudanças Climáticas

Perspectivas e Tendências

A viabilidade econômica da mitigação da mudança climática...

Os custos envolvidos na mitigação da mudança climática tem sido um constante ponto de incerteza e controvérsia no debate internacional. Contudo, os estudos recentes abrem espaço para certo otimismo, pois a mistura certa de políticas, se habilmente introduzidas, podem substancialmente reduzir os custos diretos e indiretos da mitigação e, ainda, produzir benefícios econômicos líquidos. Como a habilidade da sociedade de escolher coletivamente o caminho apropriado é incerta, os agentes do setor financeiro, portanto, tem um papel fundamental a desempenhar nesse processo, através da criação das condições para que o caminho apropriado seja seguido. Dessa forma, recursos devem ser direcionados para o desenvolvimento de tecnologias “climate-friendly”, bem como iniciativas correntes devem ser apoiadas como, por exemplo, o aumento do uso de energias renováveis, etc.
Source: GHG Market Framework Study. Prepared for the UNEP Finance Initiatives Climate Change Working Group by Innovest Strategic Value Advisors. July, 2002.

PricewaterhouseCoopers

Page 28 Abril 2005

Perspectivas e Tendências

…por exemplo, a infra-estrutura de energia hoje é…

Final Energy
Electricity Gas Liquids Solids Non-commercial

Direct burning of fuel
8 Gt carbon

3-4 Gt 1+ Gt 1.5 Gt 1 Gt

800 million vehicles 700+ coal power stations

309 EJ

Non-commercial biomass

800 gas or oil power stations 0.7 Gt Non emmitting technologies 0 Gt

2000

8.0 Gt
1000 1GW gas power stations 1000 1GW nuclear plants 1000 1GW hydro/ tidal /geothermal 500 million vehicles (Biofuels) 500 million low CO2 (Biofuels) 50EJ non- 100 EJ direct commercial fuel use fuel (Biofuels)

25EJ per year solar

500,000 5MW wind turbines

1000 1GW coal power stations

1000 1GW 1000 1GW coal stations oil power with stations sequestration

Source: Energy and Climate Change – Facts and Trends to 2050. WBCSD. November, 2004.

PricewaterhouseCoopers

Page 29 Abril 2005

Perspectivas e Tendências

…o cenário futuro vai depender da trajetória a ser seguida
16 Gt
1002 EJ

15 Gt

8 Gt
671 EJ

309 EJ

Source: Energy and Climate Change – Facts and Trends to 2050. WBCSD. November, 2004.

2000

2050 (B2-AIM)

2050 (A1B-AIM)

705 EJ

Intermediate growth, local solutions, less rapid technological change.

Rapid economic growth and rapid introduction of new and more efficient technologies.

9 Gt
Low energy / carbon intensity development, enabled by societal and technology changes.

2050 (550 ppm trajectory)

PricewaterhouseCoopers

Page 30 Abril 2005

Section three

O Mercado de Carbono O Ciclo dos Projetos de Carbono Perspectivas e Tendências PricewaterhouseCoopers em Mudanças Climáticas

PricewaterhouseCoopers em Mudanças Climáticas

A equipe de Serviços em Mudanças Climáticas da PricewaterhouseCoopers é baseada em uma visão convergente entre disciplinas ambientais e financeiras. Em um clima de negócio cada vez mais carbono restritivo nós combinamos as experiências de nossas equipes de Sustainable Business Solutions e Corporate Finance para fornecer assessoria estratégica pró-ativa, gerenciamento global de transações e serviços de certificação. Nós abordamos os desafios de nossos clientes em Mudanças Climáticas tendo um rigoroso foco no alinhamento dos riscos de mitigação e oportunidades focadas na estratégia de mudanças climáticas, com as estratégias e operações do core business da empresa.

PricewaterhouseCoopers

Page 32 Abril 2005

…usando experiência local

Destaque da equipe local. Destaque das capacidades locais.

PricewaterhouseCoopers

Page 33 Abril 2005

…com um network global de especialistas
Global Sustainability paulo.vanca@br.pwc.com Argentina marcelo.iezzi@ar.pwc.com Australia melanie.sutton@au.pwc.com Brazil marco.fujihara@br.pwc.com Belgium luc.wittebolle@be.pwc.com Canada christine.schuh@ca.pwc.com China & Hong Kong simon.copley@hk.pwc.com Czech Republic helena.cadanova@cz.pwc.com Denmark birgitte.mogensen@dk.pwc.com Estonia teet.tender@ee.pwc.com Finland kari.harjunen@fi.pwc.com France laurent.segalen@fr.pwc.com
PricewaterhouseCoopers

Global Carbon Finance richard.gledhill@uk.pwc.com Philippines rose.s.javier@ph.pwc.com Poland katarzyna.rozenfeld@pl.pwc.com Portugal rui.loureiro@pt.pwc.com Romania dan.ivanescu@ro.pwc.com Russia sheldon.bennett@ru.pwc.com South Africa harmke.immink@za.pwc.com Spain fernando.perez@es.pwc.com Sweden ola.hansen@se.pwc.com Switzerland juerg.hutter@ch.pwc.com UK melissa.carrington@uk.pwc.com USA john.fillo@us.pwc.com

Germany berthold.metzger@de.pwc.com Greece myrto.kontaxi@gr.pwc.com Hungary roman.kotiers@hu.pwc.com India ram.babu@in.pwc.com Italy giancarlo.pireddu@it.pwc.com Japan yumiko.noda@jp.pwc.com Luxemburg nicolas.erodiades@lu.pwc.com Mexico eduardo.gonzalez@mx.pwc.com Netherlands hans.schoolderman@nl.pwc.com New Zealand raechel.cummins@nz.pwc.com Norway ketil.reed.aasgaard@no.pwc.com

Page 34 Abril 2005

…oferecendo uma ampla gama de serviços em Mudanças Climáticas...
Nós auxiliamos nossos clientes a integrar considerações de mudanças climáticas, estratégias de abatimento de emissões, conformidade regulatória, e oportunidades de otimização de rendimento em sua estratégia de negócio. Nós auxiliamos os envolvidos no projeto a controlar inteiramente o ciclo de redução de emissões (MDL e JI) e ajudamos as empresas a gerenciar com sucesso seus carbon assets implementando estratégias de gerenciamento e executando transações .

1. Estratégia de Mudança Climáticas

2. Carbon Finance e Transações

Serviços em Mudanças Climáticas
convergindo disciplinas ambientais e financeiras para criar estratégias inovadoras e pró-ativas em mudanças climáticas.

Nós verificamos a eficiência do gerenciamento ambiental, do sistema de rastreamento de emissões e dos dados de emissões. PricewaterhouseCoopers

4. Certificação e Verificação

3.Desenvolvimento regulatório

Nós auxiliamos governos a definirem suas políticas de mudanças climáticas e os registros de carbono, além da organização do mercado. Page 35 Abril 2005

… e fornecendo oportunidades e soluções

1. Estratégia de M. Climáticas

2. Carbon Finance e Transações

3. Desenvolvimento Regulatório

4. Verificação e certificação

Cálculos internos do custo do abatimento Estratégia de desenvolvimento do projeto Desenvolvimento da estratégia de Mudanças Climáticas Analise do risco regulatório Estratégia de convencimento

Identificando o custo efetivo das reduções de emissões do projeto. Desenvolvimento do projeto (CDM / JI). Financiamento do projeto com créditos de carbono. Documentação do projeto Validação das metodologias de linha de base Marketing dos créditos de carbono. Gerenciando Transações Carbon Asset Estratégias de gerenciamento

Desenvolvimento de políticas em Mudanças Climáticas Implementação de políticas Registros de Emission trading Emission trading / simulações de alocamento Estruturas de Mercado.

Verificação de sistemas de gestão ambiental Verificação de relatórios ambientais Sistemas de rastreamento de emissões Calculando e reportando emissões corporativas de GEE Diretrizes de monitoramento

• •

PricewaterhouseCoopers

Page 36 Abril 2005

Nossa experiência em Mudanças Climáticas e Carbon Finance

PricewaterhouseCoopers

Page 37 Abril 2005

Estratégia de Mudanças Climáticas (1/7)
Cliente / País BHP Billiton Austrália Ano Descrição PwC auxiliou BHP Billiton no estabelecimento do preço do carbono para análise de investimento de projetos internos e externos. PwC empreendeu uma análise detalhada de créditos de carbono da ONYX’s e do potencial de crédito de energia renovável em seu portfolio global de projetos em aterros sanitários. Cada projeto foi analisado e classificado. Baseado nos resultados da classificação e em um estudo de mercado da PwC nós recomendamos uma estratégia de asset monetization. PwC auxiliou a Toyota Europa na análise da oportunidade de projetos de redução de emissões na cadeia produtiva da Toyota em suas instalações. Isto foi feito através da avaliação da viabilidade das barreiras técnicas e legais para gerar e utilizar créditos de carbono. PwC trabalhou com a Suncor para desenvolver uma estratégia de minimização de custos e riscos utilizando Real Options Valuation. PwC auxiliou uma empresa produtora de energia a avaliar os impactos da regulamentação em mudanças climáticas. PwC calculou o valor dos ativos de produção da empresa contemplando vários cenários futuros do mercado de carbono e forneceu uma avaliação da opções estratégicas associadas.
Page 38 Abril 2005

2003

ONYX - Veolia França

2003

Toyota Europa Suncor Energy Canadá Companhia de energia Finlândia

2003

2003

2003

PricewaterhouseCoopers

Estratégia de Mudanças Climáticas (2/7)

Cliente: Projeto: Ano: Objetivo:

Global Mining Company Custo de abatimento interno – Estratégia de Mudança Climáticas 2001 - 2002 PwC realizou uma análise geral da companhia do custo marginal interno de abatimento para várias unidades de negócio. • Benchmarks internos e várias opções de investimento foram definidos para avaliar oportunidades internas de abatimento em cada uma das unidades de negócio selecionadas. As oportunidades de abatimento foram usadas para definir o custo marginal de abatimento para a empresa. A informação do custo de abatimento foi então utilizada como base para o desenvolvimento da estratégia de mudanças climáticas.

• •

PricewaterhouseCoopers

Page 39 Abril 2005

Estratégia de Mudanças Climáticas (3/7)

Cliente: Projeto: Ano: Objetivo:

Suncor, Canadá Estratégia de minimização de custos e riscos – Real Option Valuation 2003 A Suncor estava preocupada com os custos potenciais de conformidade em um ambiente Kyoto Compliance. Dada sua posição em relação ao consumo de óleo, é um dos maiores emissores de GEE. • PwC aconselhou a empresa no desenvolvimento de uma estratégia de minimização de custos e riscos utilizando Real Options Valuation. O modelo cobriu diversas Real Options, incluindo: - Estrutura operante em mudança; - Refino em locações no U.S.; - Tamanho de Windfarm ; - Escolhas tecnológicas de abatimento; - Compras de crédito adiantadas.

O modelo contemplava 25 anos e cobriu diversas incertezas, incluindo: • • • • Preços do Crédito; Diferentes soluções tecnológicas; Soluções Zero emissões e; Diferentes estruturas operantes e locações.

Baseado no exercício do modelo ROV, PwC produziu um perfil do risco, refletindo a satisfatória estratégia interna de mudanças climáticas e a posição externa da empresa em relação ao Protocolo de Kyoto e a mudanças climáticas.
PricewaterhouseCoopers

Page 40 Abril 2005

Estratégia de Mudanças Climáticas (4/7)
Cliente / País Associação de Indústrias França The Motorways Association França Global mining company UK/AUS/US Electric Utility Association Espanha Shell Holanda Arcelor França
PricewaterhouseCoopers

Ano 2003

Descrição PwC está ajudando as organizações da industria de dois setores de energia intensos no desenvolvimento da previsão de suas emissões e os aconselhando na estratégia para negociar detalhes do plano Nacional de Alocação com o governo. Criando e monitorando um protocolo de monitoramento de emissões para motorways francesas com um lobby estratégico como finalidade. PwC empreendeu uma análise geral da companhia do custo marginal interno de abatimento para várias unidades de negócio para definir o custo marginal interno de abatimento para a companhia. Aproximação estratégica de mudanças climáticas – PwC está auxiliando a Associação de eletricidade da Espanha aconselhando seus membros sobre metodologias para negociar planos Nacionais de Alocação. PwC desenvolveu um produto baseado no sistema de monitoramento de emissões de GEE. Estratégia para a implementação de MDL nas operações brasileiras da Arcelor. Nós avaliamos a estratégia de MDL a ser implementada no Brasil, do ponto de vista administrativo e através dos planos de desenvolvimento de cada uma das unidades de negócio.
Page 41 Abril 2005

2003

2002

2002

2002

2002

Estratégia de Mudanças Climáticas (5/7)

Cliente: Projeto: Ano:

The French Motorways Association Emissões do setor de transportes – lobby estratégico, Indicação da posição política 2003 • Definir processos para implementar uma das mais avançadas e exatas metodologias para avaliar emissões de CO2 provenientes do tráfego da Motorways Utilizando tecnologia de sensores para calcular emissões provenientes de um volume grande de tráfego. Usando o protocolo de metodologia e os dados de emissões, PwC avaliou – no que diz respeito a GEE possíveis opções regulamentares de políticas públicas e / ou indecisão interna de investimento. Os resultados da avaliação foram utilizados para fornecer suporte factual para atividades de lobby .

Nosso Envolvimento:

• •

PricewaterhouseCoopers

Page 42 Abril 2005

Estratégia de Mudanças Climáticas (6/7)
Cliente / País Oil company Espanha Alstom Power França Ano 2002 Descrição Desenvolvimento de um inventário de emissões e uma abordagem corporativa estratégica da regulamentação de mudanças climáticas. Para Alstom Power, um fornecedor principal de equipamentos de energia, nós analisamos o impacto da implementação do confinamento de GEE em vários mercados, incluindo cenários de baseline por país e tecnologia. PwC forneceu a BP uma gama de aconselhamentos em relação ao projeto e implementação da estratégia de mudanças climáticas da BP. Isso incluiu aconselhamento no projeto do esquema interno de troca de emissões e em particular nas diretrizes internas de alocação da permissão de GEE, reportando e definindo projetos de reduções internas de emissões. Nós também aconselhamos a BP na inclusão de créditos provenientes de projetos externos no esquema e no tratamento destes créditos na contabilidade de emissões a nível corporativo. PwC e Duke criaram uma simulação dos cenários futuros de confinamento e carbono com as probabilidades associadas a cada um , criando uma análise da árvore de decisões para traçar um jogo de estratégias futuras de crescimento para a empresa.. PwC examinou a paisagem política e de negócios dentro do contexto da política global de mudanças climáticas e traçou as implicações destas para projetos de capital da Pfizer.PwC preparou um documento com as opções estratégicas para a Pfizer e preparou um modelo financeiro incluindo o valor projetado do carbono,sendo que a Pfizer usará estes valores para avaliar novos projetos de capital.
Page 43 Abril 2005

2001

BP UK

2001 – 2002

Duke Energy US

2001

Pfizer US

2000

PricewaterhouseCoopers

Estratégia de Mudanças Climáticas (7/7)

Cliente: Projeto:

BP Aconselhamento no crédito baseado em projetos de redução de emissões 2000 -2001 • • • • • Apresentação conjunta PwC/ bp na COP6 e relatório público Avaliação comercial e ambiental dos projetos. Análise real da avaliação da opção dos projetos e opções estratégicas. Aconselhamento sobre o custo efetivo da opções do projeto. Aconselhamento em baselines, adicionalidade, posse, limites do projeto e especificidades do país anfitrião.

Nosso envolvimento:

PricewaterhouseCoopers

Page 44 Abril 2005

Finanças e transações do Carbono (1/5)
Cliente /País Cliente confidencial França, Luxemburgo Ano 2003 Descrição PwC Landwell está atualmente aconselhando uma instituição financeira sobre os aspectos legais e fiscais da estruturação e começo de um fundo de carbono de 100 milhões . PwC está auxiliando SIIF no gerenciamento e na valoração dos certificados de redução de emissões (CREs) oriundos de uma fazenda de energia eólica no México. PwC está gerenciando todos os aspectos do projeto de redução de emissões: produção dos créditos de carbono, marketing e venda dos créditos. PwC também está gerenciando todos os aspectos do processo de MDL, incluindo as negociações com o governo anfitrião e com as ONGs. PwC está auxiliando a Enercon no desenvolvimento da documentação do projeto e gerenciando o marketing e as vendas dos CREs oriundos da fazenda de energia eólica da Enercon. PwC Landwell está fornecendo aconselhamento legal para um contrato de venda de créditos de carbono para uma transação do tipo JI entre Hungria e Japão. Swire Sita possui e opera aterros sanitários em Hong Kong. PwC realizou um estudo de mecanismos de fundos de carbono para auxiliar no financiamento e desenvolvimento de novos projetos no desenvolvimento de aterros sanitários na China.
Page 45 Abril 2005

SIIF Energies (EdF) França

2003

Enercon India Índia Mitsubishi Hungria, Japão Swire SITA China, Hong Kong

2003

2003

2002

PricewaterhouseCoopers

Finanças e transações do Carbono (2/5)

Cliente: Projeto: Ano:

CGEA ONYX (Veolia Environment) Estratégia de gerenciamento de recurso de carbono 2003 • Na fase 1 PwC empreendeu uma análise detalhada do potencial de crédito de carbono e de energia renovável no portfolio global de projetos de gás de aterro sanitário da ONYX. Cada projeto foi analisado e classificado através de uma metodologia métrica de classificação desenvolvida pela PWC. Baseado no resultado da classificação e em um estudo do mercado PWC recomendou uma estratégia de valoração dos recursos. Na fase 2 PwC irá trabalhar com a ONYX na implementação da estratégia de valoração do recurso de carbono, desenvolvendo uma seleção de projetos de gás de aterro sanitário dentro de projetos de redução de emissões.

Nossa Participação:

PricewaterhouseCoopers

Page 46 Abril 2005

Finanças e transações do Carbono (3/5)
Cliente / País Energia renovável Índia Ano 2002 Descrição Auxilio no desenvolvimento de projeto de MDL.

Troca de combustível em Geração de Energia Índia Enercon India Índia Essar Power Índia

2002

Auxilio no desenvolvimento de projeto de MDL.

2002

Validação do documento de elaboração do projeto para CERUPT. Identificação das oportunidades de MDL da Essar e preparação dos documentos de elaboração do projeto. PwC e BP trabalharam juntas em um projeto piloto de MDL em pequena escala no Brasil, que abasteceu 1800 escolas com tecnologia PV. PwC auxiliou a BP com os aspectos do projeto relacionados a MDL: documentos de elaboração do projeto, cálculos da linha de base e plano de monitoramento. Comercializando um processo de redução de GEE para o setor de agricultura. A metodologia usa patentes aprovadas e processos operantes do US Dept of Agriculture.
Page 47 Abril 2005

2002

BP Solar UK

2002 2003

US Dept of Agriculture/AgCert US

2002

PricewaterhouseCoopers

Finanças e transações do Carbono (4/5)
Cliente / País CST Brasil Ripasa Celulose e Papel Brasil Codemin Anglo American Brasil Siderpa/Alterosa/CST Brasil PEMEX México Setor Florestal Brasil 2002 Ano 2003 Descrição Estudo de Pré-Baseline e Implementação de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo.

2003

Estudo de linha de base, elaboração de PMV – Protocolo de Monitoramento e Verificação e DCP – Documento de Concepção do Projeto (MDL). Estudo de linha de base, elaboração de PMV e DCP (MDL).

2002

3 estudos de linha de base, elaboração de PMV e DCP (MDL).

2002 2003

Avaliação do mercado interno de troca de carbono

2003

Elaboração de plano de negócio para um fundo sócio-ambiental.(MDL)

PricewaterhouseCoopers

Page 48 Abril 2005

Finanças e transações do Carbono (5/5)
Cliente / País Jindal Steel Índia German utility Alemanha Shell Gas UK Veolia Environment França/Venezuela Ano 2002 Descrição Identificação de oportunidades de MDL na operação da Jindal e auxílio na preparação das Notas de Informação do Projeto. PwC empreendeu trabalho de due diligence em uma fazenda de energia eólica para avaliar o potencial de gerar créditos de carbono através de Joint Implementation. PwC auxiliou a Shell a avaliar as oportunidades de redução de GEE associadas com diversas tecnologias de refinaria. PwC aconselhou Veolia na criação de um projeto de redução de emissões baseado em um projeto de aterro sanitário em Caracas, Venezuela.

2002

2001

2002

PricewaterhouseCoopers

Page 49 Abril 2005

Desenvolvimento Regulatório (1/7)

Cliente: Projeto: Ano:

European Commission Aconselhamento político no EU ETS 2002 - 2003

Nossa participação: • Registro das Negociações de Emissões. Através de um consórcio entre Caisse des Dépôts e Baker & McKenzie, PwC está atualmente escrevendo as especificações funcionais e técnicas do futuro Registro Nacional de Emissões. O resultado entregue servirá como termo de referência para desenvolver o sistema IT para hospedar o European Hub – Administrador Central para o esquema Europeu de trocas de carbono. Alocação da Permissões de Emissão. Baseado em diversos workshops com companhias ao longo de toda Europa, PwC preparou um relatório que descreve os métodos de alocação que são preferidos pelas companhias e de que maneira um membro do estado pode organizar o processo de alocação.

PricewaterhouseCoopers

Page 50 Abril 2005

Desenvolvimento Regulatório (2/7)
Cliente / País Ano Descrição PwC realizou um estudo para o Comitê Sueco no Plano nacional de Alocação dos preços futuros de GEE no Esquema de Trocas de Emissões da UE. O estudo será utilizado em simulações econômicas nacionais. PwC forneceu aconselhamento político para o Ministro Japonês de Economia e Negociações, na definição de metas políticas de energias renováveis.

Swedish Government

2003

Ministry of Economy and Trade Japão Department of Sustainability and Environment Austrália Ministry of Foreign Affairs França Caisse des Dépôts França EU Commission Europa

2003

2003

Desenvolvimento e desenho dos arranjos institucionais para negociações de créditos de biodiversidade.

2003

Identificação de projetos de Joint Implementation na Romênia.

2003

Trabalhando junto com Landwell para definir as características legais da permissões de CO2. Projetando especificações funcionais e técnicas para registros de membro de estado junto com CDC e Baker & McKenzie.
Page 51 Abril 2005

2003

PricewaterhouseCoopers

Desenvolvimento Regulatório (3/7)
Cliente/ País Ministry of Economic Affairs Holanda Ministry of Environment Holanda Dept. of Energy US EU Commission Holanda Office of Renewable Energy Regulator Austrália Asia Pacific Economic Cooperation (APEC) Ano Descrição PwC realizou uma avaliação intermediaria do convênio holandês de Benchmarking em Eficiência Energética. Esta avaliação foi focada na identificação de melhorias potenciais nas organizações envolvidas e nas diretrizes e protocolos usados no convênio. Baseado nas diretrizes de NOx e rascunhos diretrizes de CO2 desenvolvidos pela Comissão Européia, PwC desenvolveu um conjunto de diretrizes que combinam monitoramento de NOx e CO2. Atualização anual de fatores de emissão da eletricidade para um programa do governo. PwC hospedou uma série de workshops da industria para produzir e recomendar uma metodologia para alocação de permissões. PwC aconselhou o Governo Federal na implementação de Metas Majoritárias de Energia Renovável. PwC revisou as políticas ambientais e de energia nos 21 países membros da APEC.

2003

2003

2003 2002

2002

2002

PricewaterhouseCoopers

Page 52 Abril 2005

Desenvolvimento Regulatório (4/7)

Cliente: Projeto: Ano:

State Secretary for Energy and Sustainable Development, Bélgica Desenvolvimento dos cenários nacionais de responsabilidade compartilhada de Gases de Efeito Estufa 2002 -2003 • Desenvolvimento dos cenários nacionais de responsabilidade compartilhada de Gases de Efeito Estufa para o Secretário de Estado Belga para Energia e Desenvolvimento sustentável. (20022003). Auxílio no que diz respeito ao desenvolvimento de cenários alternativos de responsabilidade compartilhada, alocando responsabilidades no que se refere a meta nacional de redução de emissões (-7,5 %) entre os três governos regionais e o governo federal. O estudo cobriu: - Dados históricos de emissões e projeções de emissões para 18 setores - Avaliação de custos diretos das políticas e medidas, impostos e trading de emissões. - desenvolvimento de cenários (6 setores) - desenvolvimento de cenários globais para responsabilidade compartilhada. • Apoiado na atribuição, nós desenvolvemos um modelo para suportar o cálculo dos cenários de responsabilidade compartilhada.
Page 53 Abril 2005

Nossa participação:

PricewaterhouseCoopers

Desenvolvimento Regulatório (5/7)
Cliente / País Governo Local Japão Governo Federal Bélgica UNDP Índia Caisse des Dépôts França Ano 2002 Descrição PwC atuou como conselheiro para um dos principais governos locais no desenvolvimento de uma política de GEE para a área. Desenvolvimento de vários cenários para metas de redução de emissões de responsabilidade compartilhada entre governos federais e estaduais. Vasta revisão das oportunidades de redução de emissões nos setores de energia, carvão, renováveis e florestal. Projetando o Registro Nacional de Carbono francês, incluindo a plataforma piloto de web. PwC foi designada pelo Ministro de Meio Ambiente da Noruega para auxiliar o país a desenhar um programa piloto de troca de emissões para setores chaves da industria selecionados. PwC identificou as escolhas do projeto, técnicas para determinar as reduções de CO2 e métodos para validar as linhas de base e as reduções de emissões. Projetando o registro para o Esquema de Troca de Emissões Britânico. PwC foi designada para empreender um estudo da viabilidade do mercado / negócio para o estabelecimento de um mercado nacional para troca de emissões de CO2 na Finlândia.
Page 54 Abril 2005

2002

2001 2001

Governo da Noruega

2001

DEFRA UK Ministry of Trade and Industry Finlândia
PricewaterhouseCoopers

2001

2001

Desenvolvimento Regulatório (6/7)

Cliente: Projetos:

DEFRA, UK Uma visão de negócios sobre os aspectos chave relacionados aos Mecanismos de Kyoto(2000) Especificações técnicas para o Registro de Troca de Emissões Britânicas (2001)

Nossa participação: • PwC foi designada para fornecer uma visão independente do setor privado das implicações de algumas opções chave para o desenho dos Mecanismos do Protocolo de Kyoto. Em particular, PwC forneceu uma avaliação do ponto de vista dos financiadores e responsáveis pelo projeto do impacto de várias opções para MDL na economia de projetos de redução de emissões. • PwC, em colaboração com Natsource, auxiliou o UDETR britânico a conceber as especificações técnicas para o Registro de Trocas de Emissões britânico. PwC auxiliou o UDETR a projetar toda a gama de processos de negócios que cercam permissão de alocação e transferência e avaliação de conformidade. Dada a complexidade da gama de instrumentos políticos britânicos nesta área, as interações entre vários regimes políticos de mudanças climáticas são particularmente importantes.

PricewaterhouseCoopers

Page 55 Abril 2005

Desenvolvimento Regulatório (7/7)

Cliente: Projeto: Ano:

Federação Européia da Industria de Energia GETS2 - CO2 Simulação mercadológica estudo de caso 2000 -2001 • O Gets2 simulação mercadológica foi executado com o aval da Eurelectric, A Federação Européia da Industria de Energia, no primeiro semestre de 2000. A segunda simulação, envolveu 40 companhias de 16 país e 6 industrias, incluindo BP, Electricité de France, Holcim, Electrabel, RWE, Lafarge, Enel. PwC forneceu regras, gerenciamento de projeto e sistema de conformidade baseado na Web; assim como Euronext forneceu uma plataforma de negócios que suporta 15,000 transações.

Nossa participação:

PricewaterhouseCoopers

Page 56 Abril 2005

Verificação e certificação (1/5)
Cliente / País SKW GmbH Alemanha Ministério do Meio Ambiente Japão Pechiney / Italcementi /Tembec França Integral Energy Austrália Mineral company Dinamarca SCA, M-REAL, Fortum Suécia Inner Mongolia Wind Power Corporation China Ano 2003 2003 2003 2003 Descrição Verificação do inventário de CO2 para 1990 e 2000. Validação de projeto de MDL. Verificação da emissões de GEE sob o Acordo Voluntário Francês. Verificação das emissões de GEE sob New South Wales GGAC e esquema de energia verde. Desenvolvimento de sistema de registro e monitoramento, pronto para ser usado, para operações mundiais das companhias. Projetado para aplicar-se as exigências para relatar ao UE ETS. Auditorias de eletricidade verde. PwC forneceu serviços de validação para o relatório de linha de base da Corporação Interna de energia solar da Mongólia Huitengxile propondo projeto de energia eólica sob MDL.

2003

2003

2003

PricewaterhouseCoopers

Page 57 Abril 2005

Verificação e certificação (2/5)

PwC Certification, The Netherlands
Projetos: Validação de projetos de MDL & JI Nossa participação: • PwC Certificação é acreditada pela UKAS como verificador para o Esquema de Trocas de Emissões britânico. • Para os programas ERUPT/CERUPT holandês, PwC já validou 16 projetos em vários países (Nova Zelândia, Índia, América Latina, África, Europa Central). • As atribuições da validação cobriram uma gama de tecnologias: e.x. resíduos, renováveis, biomassa eficiência energética. • Clientes incluem: Shell Nigéria, Veolia Envrionment, Meridian Energy, Nuon, Essent.

PricewaterhouseCoopers

Page 58 Abril 2005

Verificação e certificação (3/5)
Cliente / País AITEC Itália Business Council for Sustainable Development Nova Zelândia Pechiney França Ano 2003 Descrição Verificação das emissões de GEE de 1990 e 2000 para os 12 membros da Associação Técnica e Econômica Italiana do Cimento. Desenvolvimento de um guia nacional de contabilidade de GEE. PwC implementou um processo mundial de verificação incluindo a verificação das emissões mundiais de GEE para 1990 e 2000. PwC trabalhou com a BG para desenvolver e aplicar uma abordagem que integrasse auditorias ambientais e financeiras com dados de HSE. Um diagnóstico de verificação foi desenvolvido e aplicado, para parâmetros que incluem dióxido de carbono e metano. O exercício de verificação incluiu uma revisão dos dados recolhidos e dos processos de relatório no nível corporativo e da unidade. Verificação de relatório ambiental, incluindo GEEs. Medição de GEE e metodologia de relatório. Uma iniciativa multi-stakeholder em emissões de GEE corporativas, para construir uma medição aceita internacionalmente e um modelo padrão de relatório. PwC é um dos seis fundadores do protocolo de GEE. Page 59
Abril 2005

2002 20032001

BG (British Gas) UK

2003/ 1999

Stora Enso Global GhGProtocol WRI/WBCSD Global
PricewaterhouseCoopers

20032001 19992003

Verificação e certificação (4/5)

Cliente: Projeto: Anos:

Royal Dutch Shell, Global Verificação de Sustentabilidade (incluindo GEEs) 1999/2003

Nossa participação: • PwC, em colaboração com outra empresa de serviços profissionais, tem estado envolvida desde 1996 na verificação anual dos relatórios de HSE da companhia. O trabalho envolve a verificação global de até vinte parâmetros de performance relatados no HSE, incluindo gases de efeito estufa. • A abordagem da verificação é extremamente rigorosa para ajustar o padrão para a verificação do HSE mundial. • Nos últimos dois anos a abordagem da verificação evoluiu para incluir uma revisão dos programas de engajamento dos stakeholders.

PricewaterhouseCoopers

Page 60 Abril 2005

Verificação e certificação (5/5)
Cliente / País Alcan Canadá International Emissions Trading Association Global Rhodia França UK Emissions Trading Group UK UPM-Kymmene Finlândia Tractebel Bélgica/França/Holanda/UK Essent Holanda
PricewaterhouseCoopers

Ano 2002

Descrição Avaliação da gerência de dados de GEE, revisão das melhores práticas e verificação piloto do inventário de emissões de GEE da Alcan. Diretrizes para verificação de projetos de MDL. IETA é uma organização criada em 1999 para estabelecer uma estrutura funcional internacional para negociar reduções de emissão de GEE. Além de ser um membro, PwC tem estado em um grupo de trabalho destinado a desenvolver diretrizes para validação e verificação de projetos de MDL.. Verificação de emissões de GEE de 1990 até o presente sob o acordo voluntário da AERES. PwC participou de um grupo de trabalho para estabelecer diretrizes de verificação para componentes diretos e acordos de mudanças climáticas dos participantes da UK-ETS (Comércio de Emissões do Reino Unido). Auditoria de energia “verde”. Auxílio na implementação de inventário de GEE. Desenvolvimento de um sistema de monitoramento de GEE.
Page 61 Abril 2005

2002

2002

2002

2002 2002 2002

www.climatechangeservices.com

Contatos:
Marco Antônio Fujihara
Avenida Francisco Matarazzo, 1.400 11 andar – Torre Torino São Paulo

Leonardo Ciuffo Duarte
Rua da Candelária, 65 15 andar Rio de Janeiro

Fone: + 55 11 3674 2407 marco.fujihara@br.pwc.com

Fone: + 55 21 3232 6127 leonardo.ciuffo@br.pwc.com

PricewaterhouseCoopers

Page 62 Abril 2005

PricewaterhouseCoopers has received the Gold Energy Business Award 2004 for Renewable Energy Management for our work and high market visibility in the field of emissions trading. The Energy Business Awards are designed to reward those companies and individuals who make a significant mark on the way energy business is conducted, trading risks mitigated, precious energy resources utilized, energy systems developed, environmental degradation curtailed, energy technology advanced and energy production and consumption distributed more ethically. PwC is particularly recognized for our emissions trading thought leadership and report "Emission Critical" published, and featured in Spotlight, earlier in the year.

PricewaterhouseCoopers

Page 63 Abril 2005

“The greatest challenge facing the world at the beginning of the 21st Century – and the issue where business could most effectively adopt a leadership role – is climate change.”
Statement Issued by the World Economic Forum, Davos 2001

© 2004 PricewaterhouseCoopers. All rights reserved. “PricewaterhouseCoopers” refers to the network of member firms of PricewaterhouseCoopers International Limited, each of which is a separate and independent legal entity. *connectedthinking is a trademark of PricewaterhouseCoopers.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful