You are on page 1of 11

Apurando o Resultado

Introdução:

Nas discussões anteriores, aprendemos algumas das finalidades da contabilidade: A de auxiliar


na gestão da empresa, e a de efetuar o controle patrimonial.

Porém, a maioria das empresas é constituída para gerar lucros, com exceção de algumas tais
como associações, sindicatos, cooperativas e etc, que não serão o nosso foco nesse momento.

E apurar o resultado de uma empresa, saber se ela gerou lucro ou prejuízo, é outra função da
contabilidade que aprenderemos nessa série de tutoriais.

Num primeiro momento, pode até parecer fácil, saber se uma empresa deu lucro ou prejuízo,
bastaria você saber quanto custou algo, e por quanto a empresa o vendeu.

Assim, por exemplo, se uma cadeira, custou R$ 100,00 e você vendeu ela por R$ 200,00, você
teve um lucro de R$ 100,00 (200,00 – 100,00 = 100,00).

Só que nem sempre é assim, uma empresa tem várias outras despesas, tais como aluguel,
telefone, luz, água, IPTU, impostos, salários e etc. Usando o mesmo exemplo acima, e considerando que
as despesas expostas atrás totalizem R$ 250,00. Nesse caso a empresa teria um prejuízo de R$ 150,00.

Que foi apurado da seguinte forma:

Preço de Venda R$ 200,00

(-) Custo da Mercadoria R$ 100,00

Lucro Bruto R$ 100,00

(- ) Despesas R$ 250,00

Prejuízo R$ 150,00

Mas uma vez, pode continuar parecendo ser fácil apurar o resultado, porém no decorrer dos
tutoriais, veremos que mesmo uma empresa dando prejuízo, ela pode melhorar a sua saúde financeira,
mesmo uma empresa dando prejuízo não quer dizer que ela perdeu dinheiro e outros pormenores que
veremos, que fazem a contabilidade ser algo interessante.

E extremamente importante apurar o lucro de forma correta pelo seguinte motivo, alguns de
vocês já devem ter ouvido falar que alguns impostos tais como o IMPOSTO DE RENDA DA PESSOA
JURICA, e a CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LIQUIDO, são calculados em cima do
lucro. Esses impostos são calculados de acordo com um percentual sobre o lucro apurado pela
contabilidade.

Logo, se houver algum erro na apuração do lucro, haverá algum erro no pagamento do imposto,
e se por algum motivo o lucro errado ficou a menor, o imposto também foi pago a menor, a empresa fica
sujeita a uma multa da RECEITA FEDERAL (contabilmente chamamos de FISCO, para designar não só
a RECEITA FEDERAL, mais também qualquer outro fiscal, seja ele do estado no caso do ICMS, ou do
município no caso do ISS)

Se a empresa pagou a maior, houve um desperdício de dinheiro, e qualquer pessoa sabe o quanto é
difícil ganhar dinheiro, e logicamente não está afim de ficar pagando imposto a maior.
Para iniciarmos nos conceitos de apuração do resultado, usaremos como exemplo, uma empresa
comercial, assim entendido como aquela que compra e vende mercadorias, diferente daquela que fabrica
e vende seus produtos (empresa industrial), e diferente também daquela que só presta serviços, estas
duas ultimas serão vistas em tutoriais próprios.

Novas Contas:

Aprendemos que existem 3 tipos de grupos de contas, ATIVO, PASSIVO e PATRIMONIO


LIQUIDO.

A partir de agora, conheceremos mais 3 tipos de grupos de contas que são as contas de
RECEITA, DESPESA e CUSTO.

Aprendemos que as contas de ativo, passivo e patrimônio liquido, tem cada uma a sua respectiva
finalidade.

E qual seria a finalidade das contas de receita, despesa e custo?

Essas contas são chamadas contas de temporárias ou transitórias, chamamos elas assim porque
em alguma data elas serão zeradas propositalmente com a finalidade de permitir a apuração do resultado.
Assim essas contas nunca aparecerão no balanço.

Quando exemplificarmos ficará mais fácil a assimilação.

Receita – são grupos de contas que registram as operações que ocasionam um aumento no
patrimônio (AUMENTO DE DINHEIRO, OU DE DIREITOS TAIS COMO CONTAS A RECEBER).

Custos – são grupos de contas que registram as operações que ocasionam uma redução no
patrimônio, porém os custos estão diretamente associados às vendas. Assim ocorre um custo quando há
diminuição de um ativo (geralmente mercadorias).

Despesas - são grupos de contas que registram as operações que ocasionam uma redução no
patrimônio, porém as despesas não estão diretamente associadas às vendas. Identicamente haverá uma
diminuição de um ativo (geralmente dinheiro).

Para diferenciar melhor Custo de Despesa, temos que nos atentar ao seguinte: os custos estão
diretamente associados às vendas e as despesas não.

Vejam como: Quando você faz uma venda de mercadoria, você entrega a mercadoria
(DIMINUIÇÃO DO ATIVO MERCADORIAS) e em contrapartida você terá o recebimento de dinheiro
pela venda. Nesse caso temos um custo, que é o custo de mercadorias vendidas, pois a saída da
mercadoria esta associada a venda efetuada.

Já o pagamento (DIMINUIÇÃO DO ATIVO DINHEIRO) do aluguel é uma despesa, pois não


esta associada à venda, ou seja, você pagará o aluguel independente de ter efetuado uma venda ou não.

Para melhor assimilar o conceito de receita pense assim: uma empresa quando vende algo, tem
em mente, obter um lucro. Se você vendeu uma mercadoria que custou R$ 300,00 por R$ 500,00, você
terá um aumento no seu patrimônio de R$ 200,00, (UM LUCRO DE R$ 200,00) em vista que R$ 300,00
referente ao custo, não foi aumento no patrimônio e sim uma troca, você trocou uma mercadoria que
custou R$ 300,00, por dinheiro em igual valor monetário (R$ 300,00)

Outro conceito muito importante é que as contas de Receitas serão creditadas nos aumentos e
debitadas nas diminuições.

Já as contas de Despesas e Custos, serão debitadas nos aumentos e creditadas nas diminuições.
Vamos ao exemplo:

Considere o seguinte balanço:

Ativo Passivo
Caixa 2.000,00 Fornecedores 1.000,00
Mercadorias 3.000,00 Patrimônio Liquido
Capital Social 4.000,00

SOMA DO ATIVO 5.000,00SOMA DO PASSIVO 5.000,00

Vamos a operação:

A empresa vendeu todo o seu estoque de mercadorias, e recebeu a vista a quantia de R$


5.000,00. E após a venda foi feita a apuração do resultado.

Vamos primeiro contabilizar a venda da mercadoria:

Primeiramente abriríamos todos os razonetes com os respectivos saldos. Ficaria assim:

Caixa Capital Social


2.000,00 (S)
4.000,00 (S)

Mercadorias Fornecedores
3.000,00 (S) 1.000,00 (S)

Agora teríamos que ir registrando passo a passo a operação.

Primeiramente faríamos o registro do valor da VENDA, que foi de R$ 5.000,00. Vimos no


enunciado que a venda foi feita à vista, assim entrou dinheiro no caixa da empresa, logo houve um débito
na conta caixa.

Sabendo que fizemos um débito de R$ 5.000,00 temos que fazer um crédito de R$ 5.000,00 em
alguma outra conta. Essa outra conta que registrará o crédito será uma conta de Receita, chamada de
Receita de Vendas.

Logo nossos razonetes após os registros ficariam da seguinte forma:

Caixa Capital Social


2.000,00 (S)
5.000,00 4.000,00 (S)

Mercadorias Fornecedores
3.000,00 (S) 1.000,00 (S)

Receita de Vendas
5.000,00

Feito o registro da venda, temos agora que fazer o registro da saída da mercadoria, tendo em
vista que a empresa vendeu todo o seu estoque de mercadorias. Portanto deixou de ter as mercadorias.

Primeiro item importante a ser notado, e saber que a empresa vendeu TODO o seu estoque, logo,
temos que saber quanto a empresa tinha de estoque de mercadorias, que pode rapidamente ser
identificado olhando o saldo inicial no razonete ou mesmo a conta MERCADORIAS no balanço, assim
identificamos que a empresa tinha R$ 3.000,00 de estoques de mercadorias.

Logo, temos que registrar uma diminuição na conta de estoque. Sendo ela uma conta de ativo,
temos que fazer um registro de R$ 2.000,00 a crédito nessa conta. E se fizemos um registro a crédito,
temos que ter um registro a débito também que será na conta que registrará o Custo da Mercadoria
Vendida, abreviadamente chamaremos de CMV.

Nossos razonetes agora ficariam da seguinte forma:

Caixa Capital Social


2.000,00 (S)
5.000,00 4.000,00 (S)

Mercadorias Fornecedores
3.000,00 (S) 3.000,00 1.000,00 (S)

Receita de Vendas Custo da Merc. Vendida (CMV)


5.000,00 3.000,00

Feito isso contabilizamos a operação da venda.

Notem que como eu disse acima, a conta de Receita foi credita e a conta de Custo foi debitada.

Esse crédito na conta de Receita e o débito na conta de Custo, tem um sentido, vamos tentar
entende-lo.

Vendemos a R$ 5.000,00, porém custou R$ 3.000,00, temos então um lucro de R$ 2.000,00.

Esse valor (R$ 2.000,00) de lucro ficará registrado no Patrimônio Liquido, numa conta intitulada
de Lucros do Exercício.

Mas porque esse lucro fica no Patrimônio Liquido da empresa?

Por exclusão podemos dizer que não é uma obrigação ou um dever, logo não pertence ao
passivo. Não temos a obrigação de num prazo certo devolver esses R$ 2.000,00.

Nem é um direito e nem um bem da empresa, logo também não ficará no ativo. Bem não pode
ser porque não é palpável, ou algo material, esse registro simplesmente é um valor.

Na verdade esse valor R$ 2.000,00, já está no caixa da empresa, tendo em vista que ela vendeu
se estoque que era de R$ 3.000,00 e recebeu R$ 5.000,00, podemos dizer então que dos R$ 5.000,00 que
ela recebeu, R$ 3.000,00 são da mercadoria, e os R$ 2.000,00 é o lucro obtido.

Logo também não pode haver o registro de um mesmo ativo 2 vezes. Não existe como você
registrar R$ 1,00 duas vezes no ativo, se isso ocorrer você não terá um R$ 1,00 e sim R$ 2,00.

Sobra apenas o grupo do Patrimônio Liquido.

O lucro é um dinheiro que a empresa ganhou. Porém como a empresa tem dono, o lucro que ela
gerou com essa operação será no futuro distribuído aos sócios. Como eu disse esse dinheiro não vai ser
exigido dela tão cedo.

Nas contas do Patrimônio Liquido, os aumentos não são registrados a créditos? Logo a conta de
Receita também será registrada a crédito. E as diminuições não são registradas a débito? Logo as contas
de despesas, por reduzirem o lucro, são registradas a débito.
Bom como a operação acima foi bem simples, já vimos que o lucro gerado nessa operação foi de
R$ 2.000,00.

Mas vamos ver como na contabilidade chegamos a esse valor?

Acima eu tinha dito que as contas de Receitas, Despesas e Custos são as contas transitórias ou
temporárias, assim elas não aparecem no balanço, elas só possuem saldo até o momento em que queremos
apurar o resultado, quando fazemos a apuração essas contas tem o seu saldo transferido para outra conta,
é nesse momento que falamos que essas contas são zeradas.

Então para apurar o resultado faremos o seguinte:

Primeiro abriremos uma conta chamara APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO, que


abreviadamente chamaremos ela de ARE.

Assim nossos razonetes ficariam da seguinte forma agora:

Caixa Capital Social


2.000,00 (S)
5.000,00 4.000,00 (S)

Mercadorias Fornecedores
3.000,00 (S) 3.000,00 1.000,00 (S)

Receita de Vendas Custo da Merc. Vendida (CMV)


5.000,00 3.000,00

Ap. Resultado do Exercício (ARE)

O segundo passo agora é identificar quais das contas acima, são contas de RECEITA, DESPESA
e CUSTO.

Sabemos que as contas, CAIXA. MERCADORIAS, CAPITAL e FORNECEDORES. São


contas de ativo (as 2 primeiras), passivo e patrimônio liquido.

Logo, somente sobraram as contas RECEITA DE VENDAS e CUSTO DAS MERCADORIAS


VENDIDAS (CMV). Estas são contas de RESULTADOS.

Identificadas as contas de resultado, o próximo passo é zerar elas, transferindo o seu saldo para a
conta de ARE.

Nossos razonetes agora ficariam assim:

Caixa Capital Social


2.000,00 (S)
5.000,00 4.000,00 (S)

Mercadorias Fornecedores
3.000,00 (S) 3.000,00 1.000,00 (S)

Receita de Vendas Custo da Merc. Vendida (CMV)


5.000,00 (R) 5.000,00 3.000,00 3.000,00 (R)

Ap. Resultado do Exercício (ARE)


3.000,00 5.000,00

Percebam que para efetuar o encerramento na conta de RECEITA DE VENDAS, fizemos um


débito no valor que constava de saldo nela (R$ 5.000,00 Credor). Assim se tínhamos R$ 5.000,00 CR
para zerar essa conta temos que fazer um lançamento de R$ 5.000,00 Devedor ou a débito. E o crédito
correspondente foi feito na conta ARE. Coloquei em parênteses um R de Resultado, para facilitar a
identificação do lançamento na conta.

E para zerar o saldo da conta de Custo, no nosso caso, a conta de CMV, fizemos um crédito de
R$ 3.000,00. Pois o saldo que tínhamos nela era de R$ 3.000,00 devedor.

Agora, tanto a conta de CMV como a conta de Receita de Vendas estão com o saldo zerado.

Para conferir, vamos apurar o saldo de todas as contas dos razonetes, ficaria assim:

Caixa Capital Social


2.000,00 (S)
4.000,00 (S)
5.000,00
7.000,00 (SF)
4.000,00 (SF)

Fornecedores
Mercadorias
3.000,00 (S) 3.000,00 1.000,00 (S)

0,00 0,00 1.000,00 (SF)

Receita de Vendas Custo da Merc. Vendida (CMV)


5.000,00 (R) 5.000,00 3.000,00 3.000,00 (R)

0,00 0,00 0,00 0,00

Ap. Resultado do Exercício (ARE)


5.000,00
3.000,00
2.000,00 (SF)

Assim, a conta caixa ficou com um saldo final de R$ 7.000,00, referente ao saldo inicial de R$
2.000,00 mais os R$ 5.000,00 recebidos referente à venda efetuada.

A conta Capital Social e Fornecedores, não tiveram os seus saldos alterados.


A conta Mercadorias tinha um saldo inicial de R$ 3.000,00, porém todo esse valor foi vendido,
logo ficou com um saldo final de R$ 0,00.

A conta Receita de Vendas, tinha R$ 5.000,00 Credor, que era referente ao registro da venda
efetuada, e foi zerada com um lançamento de R$ 5.000,00 a débito, que foi transportado para a conta
ARE, para apuração do resultado. Nessa entrou como um crédito.

A conta CMV tinha R$ 3.000,00 Devedor, que era referente ao registro da baixa na conta de
mercadorias, devido a venda efetuada, conseqüentemente para seu zeramento foi efetuado um lançamento
a credito no mesmo valor, R$ 3.000,00. Que foi transferido para a conta ARE. Nessa entrou com um
débito.

Assim as contas de Receita de Vendas e de CMV, também ficaram com o seu saldo zerado.

Todas as contas que estão com o saldo zerado não aparecerão no balanço.

A conta de APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO (ARE), esta com um saldo de R$


2.000,00, que é referente ao registro de R$ 5.000,00 a crédito que veio transferido da conta de Receita de
Vendas menos os R$ 3.000,00 a débito que veio transferido da conta de CMV.

Nesse exato momento, terminamos os registros de apuração do resultado. Sendo o resultado, o


valor de R$ 2.000,00 a crédito que consta na conta ARE.

Valor igual ao que apuramos acima.

Como eu disse o resultado do período, fica dentro do grupo do patrimônio liquido, assim temos
que identificar que quando o saldo na conta ARE esta no lado do crédito, ou seja, um saldo credor.
Teremos um LUCRO. Pois zeraremos a conta de ARE com um débito e creditaremos a conta de LUCRO
DO EXERCICIO, lembrando que as contas de Patrimônio Liquido são aumentadas com Créditos. Logo
houve um aumento no patrimônio da empresa.

Assim abriremos uma conta intitulada de LUCRO DO EXERCICIO no grupo do Patrimônio


Liquido.

Essa conta receberá os R$ 2.000,00 que estão no saldo da conta ARE, logo, teremos que fazer
mais um registro de transferência, além de abrimos um razonete para a conta LUCRO DO EXERCICIO.

Veja como fica.


Caixa Capital Social
2.000,00 (S)
4.000,00 (S)
5.000,00
7.000,00 (SF)
4.000,00 (SF)

Fornecedores
Mercadorias
3.000,00 (S) 3.000,00 1.000,00 (S)

0,00 0,00 1.000,00 (SF)

Receita de Vendas Custo da Merc. Vendida (CMV)


5.000,00 (R) 5.000,00 3.000,00 3.000,00 (R)

0,00 0,00 0,00 0,00

Ap. Resultado do Exercício


Lucro do Exercício
(ARE)
3.000,00 5.000,00
2.000,00 (T)
2.000,00 (T) 2.000,00 (SF)
0,00 0,00

Feito isso temos o nosso resultado apurado, e podemos agora levantar o balanço patrimonial da
empresa, lembrando que as contas que estão com o saldo zerado não aparecerão no balanço, que ficará
assim:

Ativo Passivo
Caixa 7.000,00 Fornecedores 1.000,00
Patrimônio Liquido
Capital Social 4.000,00
Lucro do Exercício 2.000,00

SOMA DO ATIVO 7.000,00SOMA DO PASSIVO 7.000,00

Mais uma vez eu volto a lembrar que hoje em dia a contabilidade é feita através de
computadores, assim o sistema se encarregará de efetuar o encerramento das contas de resultado e bem
como da transferência para o Patrimônio Liquido, porém convém saber como é feito esses lançamentos.

Tente fazer o seguinte exercício e na próxima dsicussão estaremos fazendo a correção.

Considere o seguinte balanço:


Ativo Passivo
Caixa 2.000,00
Mercadorias 500,00Patrimônio Liquido
Capital Social 2.500,00

SOMA DO ATIVO 2.500,00SOMA DO PASSIVO 2.500,00

A operação foi a venda de metade do estoque, por R$ 2.000,00, a vista.


Veja como fica.

Caixa Capital Social

Fornecedores
Mercadorias

Receita de Vendas Custo da Merc. Vendida (CMV)

Ap. Resultado do
Lucro do Exercício
Exercício (ARE)

Feito isso temos o nosso resultado apurado, e podemos agora levantar o balanço patrimonial da
empresa, lembrando que as contas que estão com o saldo zerado não aparecerão no balanço, que ficará
assim:

Ativo Passivo
Caixa Fornecedores
Patrimônio Liquido
Capital Social
Lucro do Exercício

SOMA DO ATIVO SOMA DO PASSIVO

ESQUEMA para APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO


D CONTAS DE DESPESAS E CUSTOS C D CONTAS DE RECEITAS C
As contas de despesas e para ENCERRARMOS AS Para ENCERRARMOS As contas de Receitas
custos acumulam CONTAS DE DESPESAS E AS CONTAS DE (vendas e serviços)
lançamentos a Débito CUSTOS DO PERÍODO, RECEITAS DO acumulam lançamentos a
em cada conta pelo valor faremos um lançamento a PERÍODO, faremos um Crédito em cada conta pelo
dos gastos ocorridos no crédito no final do período. lançamento a débito no valor do faturamento
período. final do período. ocorrido no período.
Transferimos o valor para
conta Resultado do Exercício. Transferimos o valor para
Obs: a contrapartida é o Obs: a contrapartida é o
conta Resultado do
lançamento em uma lançamento em uma conta
Exercício.
conta patrimonial patrimonial (aumento do
(diminui o ATIVO ou Obs: todas as contas de ATIVO)
aumenta as DÍVIDAS ) despesas e custos do período
devem ser encerradas Obs: todas as contas de
Receitas do período devem
ser encerradas

⇓ ⇓
⇓ ⇓
⇓ ⇓
D RESULTADO do EXERCÍCIO C

Todos os valores transferidos das contas de Todos os valores transferidos das


Custos e Despesas contas de Receitas

Quando o saldo for devedor, representa Quando o saldo for credor, representa
Prejuízo no Período Lucro no período.

Obs: se ocorrer lucro (saldo credor):


• Provisionamos o Imposto de Renda a ser pago ao governo (teremos uma dívida)
• Provisionamos a Contribuição Social a ser paga ao governo (teremos uma dívida)
• Após as provisões, podemos destinar o Lucro apurado da seguinte forma:
• Criar as reservas ( Reserva Legal e Reservas Estatutária)
• Distribuir dividendos aos sócios e acionistas
a) Provisões
- Representam dívidas da Empresa, portanto, devem ser classificados no Passivo Circulante ou no Exigível de Longo
Prazo.
- Geralmente despesas já incorridas, mas cujo valor total podemos apenas estimar.
- A provisão caracteriza-se pela incerteza do valor a ser desembolsado no ato do pagamento, que pode ocorrer algum
tempo após a sua constituição.
- São constituídas tendo em vista onerar o resultado, ou seja, são constituída antes da apuração do Resultado. São
Despesas.
Ex.: Provisão para Imposto de Renda e Contribuição Social
Provisão para Férias.
Provisão para 13o Salário.
b) Reservas
- As reservas, contabilmente, não possuem o sentido literal da palavra, ou seja, não são valores deixados de lado para
futura utilização.
- São constituídas com a própria distribuição do resultado, ou seja, após a apuração do resultado.
- Podem classificadas em:
• Reservas de Lucros / Reservas de Capital / Reservas de Reavaliação
DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (DRE)
Esta demonstração apresenta, de forma resumida, as operações realizadas pela empresa, durante o exercício social,
para destacar o resultado líquido do período.

Estrutura Básica
Receita Operacional Bruta
(-) deduções das receitas
= Receita Operacional Líquida
(-) custos dos produtos, mercadorias ou serviços vendidos
= Lucro ( ou Prejuízo ) Operacional Bruto
(-) despesas operacionais
(-) despesas de vendas
(-) despesas administrativas
(-) depreciação/amortização
(+/-) outras despesas / receitas operacionais
= Lucro ( ou Prejuízo ) Antes das Operações Financeiras
+ receitas financeiras
(-) despesas financeiras
= Lucro (ou prejuízo) Operacional Líquido
(+/-) resultados não operacionais
= Lucro (ou prejuízo) antes do Imposto de Renda
(-) provisão para Imposto de Renda e Contribuição Social
(-) participações e contribuições
= Lucro (Prejuízo) Líquido do exercício
Detalhamento da Estrutura
a) Receita Operacional Bruta
Representa a somatória do faturamento bruto na venda de produtos (empresa industrial) ou de mercadorias (empresa
comercial.) ou de serviços (prestadora de serviços).
Receita Operacional, são valores oriundos da atividade principal da empresa.
b) Deduções das receitas
- Vendas canceladas, devoluções e abatimentos
- Impostos faturados incidentes sobre vendas ( IPI, ICMS, ISS, PIS )
c) Custos
- representa os gastos da aquisição de mercadorias ou da produção de produtos ou serviços.
- Custo de Mercadorias Vendidas (Empresas Comerciais)
C.M.V. = Estoque inicial + Compras - Estoque final
- Custo dos Produtos Vendidos (Empresas Industriais)
C.P.V. = Estoque inicial de produtos acabados + Custo de Produção - Estoque final de produtos acabados
d) Despesas Operacionais
Constituem-se em um grupo de despesas normais e necessárias para vender produtos e administrar a empresa.
obs: Podemos ter outras receitas operacionais que somarão ao resultado
e) Resultados não Operacionais
Diferença entre as Receitas não Operacionais e as Despesas não Operacionais.
Decorrem de atividades ou operações eventuais.
f) Provisão para Imposto de Renda
É o montante devido, na data do balanço, a título de Imposto Incidente sobre o Lucro Tributável do Exercício
g) Participação e Contribuições
Parcela do lucro atribuída a empregados, administradores, debêntures e partes beneficiárias, as Contribuições para
Instituições ou fundos assistenciais.
OBS: O Lucro Líquido do Exercício não serve como base de cálculo para o Imposto de Renda.
A Empresa, extracontabilmente, apurará no LALUR (Livro de apuração do Lucro Real) o Lucro Real, que servirá
de base para o cálculo do Imposto de Renda.
“Lucro Real é o Lucro Líquido do Exercício ajustado pelas adições, exclusões ou compensações prescritas ou
autorizadas pela legislação”.