Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência

Elaborado pelo Engº Paulo Henrique Tavares Campinas, setembro de 2008.

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

1 Objetivo:........................................................................................................... .................5 2 Fundamentos: ................................................................................................................... 6 2.1 Causas do baixo fator de potência: ............................................................................ 7 2.2 Cargas que possuem baixo fator de potência:............................................................ 8 2.3 O capacitor e a correção do fator de potência: ........................................................... 8 2.4 Aplicação numérica: ................................................................................................. 10 3 Técnicas para a correção do fator de potência ............................................................... 13 3.1 Capacitores Instalados junto a motores.................................................................... 14 3.1.1 Potência do capacitor para a compensação de motores: ................................... 21 3.1.2 Maneiras de conexão: Bancos de capacitores junto a motores.......................... 24 4 Manobra e Proteção de Capacitores:.............................................................................. 48 4.1 Condutores de alimentação: ..................................................................................... 48 4.2 Equipamentos de manobra:...................................................................................... 49 4.2.1 Cálculo da Corrente de Energização - Inrush..................................................... 49 4.2.2 Amortecimento da corrente transitória de energização: ..................................... 56 4.2.3 Importância do cálculo da corrente de energização: .......................................... 57 4.3 Proteção de bancos de capacitores:......................................................................... 58 4.4 Transitórios de energização de grandes bancos de capacitores: ............................. 60 5 Harmônicos em sistemas de potência – definições, causas e consequências ............... 71 5.1 Histórico:................................................................................................................... 73 5.2 A série de Fourier: .................................................................................................... 74 5.3 Potências em regime não senoidal........................................................................... 85 5.3.1 Generalização da Expressão da Potência Instantânea ...................................... 86 5.4 Wavelet:.................................................................................................................... 91 5.5 Tipos de cargas geradoras de harmônicos e suas características: .......................... 92 5.6 Harmônicas características....................................................................................... 97 5.7 Principais índices de susceptibilide das cargas: ....................................................... 98 5.8 Legislação, Normas e Limites:................................................................................ 104

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

2

6 Componentes Simétricos [50], [51], [52]: ...................................................................... 113 6.1 Definições: .............................................................................................................. 113 6.2 Harmônicos e os componentes simétricos ............................................................. 118 7 Dimensionamento de Filtros Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência: ............ 125 7.1 O fenômeno da ressonância:.................................................................................. 126 7.2 Modelamento de componentes para o estudo de harmônicos: .............................. 130 7.3 Filtragem dos Harmônicos ...................................................................................... 131 7.3.1 Filtros passivos................................................................................................. 132 7.3.2 Critério para o dimensionamento de filtros harmônicos.................................... 134 7.3.3 Critério avançado para o dimensionamento de filtros harmônicos ................... 135 7.3.4 Representação do sistema ............................................................................... 136 7.3.5 Efeito da resistência AC do sistema nas baixas frequências ........................... 137 7.3.6 Diagramas de impedância ................................................................................ 137 7.4 Filtros sintonizados ................................................................................................. 138 7.4.1 Aproximação gráfica......................................................................................... 141 7.5 Filtros amortecidos ................................................................................................. 142 7.5.1 Tipos de filtros amortecidos.............................................................................. 143 7.5.2 Dimensionamento de filtros amortecidos.......................................................... 144 7.6 Características dos componentes dos filtros harmônicos ....................................... 146 8 Simulações e Projetos .................................................................................................. 148 8.6.1 Projeto: Banco de capacitores dessintonizado ................................................. 157 8.6.2 Análise, detalhamento e projetos: .................................................................... 161 Correção do fator de potência, sem filtragem:.................................................. 162 Correção do fator de potência - com filtro amortecido e banco de capacitores dessintonizado:.......................................................................................................... 165 Correção do fator de potência - com filtro passa baixa e banco de capacitores:179 Sistema de médio porte - com filtros passa baixa, banco de capacitores dessintonizado e banco de capacitores em média tensão: ....................................... 192

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

3

9 Sistema de Correção de Reativos e Filtragem de Harmônicos – Especificações......... 210 10 Conclusão ................................................................................................................... 225 11 Referências Bibliográficas........................................................................................... 226

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

4

incluindo a mitigação dos efeitos harmônicos. e em especial a Correção do Fator de Potência e a Filtragem de Harmôncos. projeto e aplicação de todos os equipamentos elétricos. NEMA. pois definem os requisitos mínimos para a fabricação. ANSI/IEEE. não é possível cobrir todas as situações de levantamento de dados no campo bem como todas as alternativas de engenharia necessárias à aplicação de capacitores.1 Objetivo: O objetivo deste curso é o de fornecer os subsídios técnicos mínimos para o dimensionamento e aplicação de capacitores em sistemas de potência. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 5 . e internacionais como IEC. a experiência do profissional e o bom senso. são sempre necessárias para o desenvolvimento do projeto da compensação de reativos. e em especial plantas com concentração de cargas geradoras de harmônicos. Na prática. sempre com o apoio das normas técnicas nacionais como ABNT. DIN/VDE. Porém. As normas devem sempre serem consultadas.

que é o ângulo de impedância da carga é conhecido como ângulo do fator de potência.V VM = tensão máxima da fonte de alimentação (por se tratar de um valor puramente senoidal é equivalente ao valor rms x 2 ) .Ω X = componente (indutiva ou capacitiva) da carga .1.4) (2. basta multiplicar os valores das potências (de fase) por 3 que se obtém as potências trifásicas.Ω R = componente resistiva da carga .7) (2.2 Fundamentos: O sistema elétrico equilibrado.Ω Pela lei de Ohm.A φ = ângulo de fase da corrente – é ocasionado pela característica da carga alimentada .A IM = Corrente máxima consumida pela carga (por se tratar de um valor puramente senoidal é equivalente ao valor rms x 2 ) .rad I(t) = Corrente instantânea consumida pela carga (Z) . O esquema elétrico e diagramas encontram-se na figura 2.V ωt = frequência angular da onda senoidal (para 60 hz = 377 = 2 π f) – rad/s α = ângulo de fase inicial da tensão senoidal .rad β = ângulo de fase inicial da corrente senoidal .1) (2.6) +X2 . temos: I∠β = Z= (R V∠α − φ V∠α = R + jX Z 2 (2. em valor eficaz e regime permanente. β=φ e o ângulo da corrente é igual ao ângulo da carga. ⎛X⎞ ⎟ ⎝R⎠ ) φ = arctan⎜ As potências podem ser encontradas facilmente por: S = V x I (VA) Q = V x I x senφ (var) P = V x I x cosφ (var) (2. pode ser definido como um conjunto de grandezas expressas por formulações básicas: V (t ) = VM Sen(ωt + α ) I (t ) = I M Sen(ωt + β ) Z = R + jX (2. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 6 .3) onde: V(t) = tensão instantânea da fonte de alimentação .5) (2. contendo apenas componentes de frequência fundamental. O cosφ é chamado fator de potência e φ.8) (2.rad Z = impedância da carga . se α=0.9) Se o circuito for trifásico e equilibrado.2) (2.

1). Como exemplo. a corrente que circula pela impedância jX está defasada de –90º da tensão sob este indutor. Eles possuem uma reatância de dispersão (X1). podemos citar os motores elétricos. uma susceptância de magnetização (bM) e uma reatância X2 devido entre ferro entre rotor e estator. os circuitos magnéticos provocam um deslocamento de -90º na corrente que o atravessa.1 2. conforme figura 2.I V I V ~ R Z=R+jX jX 0 ϕ α I ϕ α V α−ϕ 0 Fator de Potência Capacitivo Fator de Potência Indutivo Circuito Diagrama Fasorial Figura 2.2 Para um circuito RL série em regime permanente (como o da figura 2. R1 I1 X1 Iϕ R2 I2 X2 R2 s V 1 g c bm Figura 2.2 (circuito equivalente para um motor de indução polifásico). Devido o princípio de armazenagem de energia na forma de corrente.não devemos confundir o fator de potência de circuitos puramente senoidais dos que possuem distorções harmônicas. Considerando apenas as cargas lineares. e que serão devidamente vistos no item 5. A combinação dessas impedâncias provoca o deslocamento da corrente I1 de um valor α< 90º com ralação a tensão de armadura E1 – Maiores detalhes sobre motores será visto no item 3. com relação à tensão sob este circuito.1 Causas do baixo fator de potência: A causa do baixo fator de potência está diretamente ligada à característica física dos circuitos magnéticos . como motores e transformadores (não saturados) o fator de potência pode ser resumido como a relação entre a potência ativa (W) desta carga e sua potência aparente (VA). Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 7 .

2. reatores para lâmpadas fluorescentes 1 . etc) possuem baixo fator de potência enquanto as demais cargas motoras tem baixo fator de deslocamento. ou seja: Se somente um capacitor estiver conectado a um circuito elétrico a tensão estará adiantada de 90º com relação a corrente. I . Podemos citar os motores de indução em geral. lâmpadas de descarga 1. 1 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 8 .10) 2. as cargas que absorvem correntes não senoidais (inversores.3 O capacitor e a correção o fator de potência: O capacitor é um elemento passivo que possui como característica a capacidade de armazenamento de energia na forma de tensão. as cargas que possuem baixo fator de potência são aquelas que necessitam de campos magnéticos para seu funcionamento. lâmpadas de descarga. fornos de indução 1.2 Cargas com baixo fator de potência: De uma maneira geral.3 ilustra esta situação. sendo φ = 0º ⇒ cosφ = 1. soft-starters.3 Será visto no item 5 que há uma diferença entre fator de deslocamento e fator de potência. entre outros. A figura 2.I . 3 . O capacitor quando ligado a um circuito elétrico provoca um deslocamento na tensão (com relação à corrente circulante por ele) em +90º.Fica claro que se a carga é resistiva. pelo princípio físico da eletrostática. transformadores. cos φ = S V . I I V ~ α C 0 Diagrama fasorial V Fator de Potência Capacitivo Diagrama elétrico Figura 2. 3 (2. P V .

13) (2.Formulação básica para cálculo com capacitores: QCARGA = ∑ VL xI L x sen φ S = ∑ VL xI L P = ∑ VL xI L x cos φ (2.VA P a Potência ativa da carga . a potência aparente S fornecida pela fonte passa a ser reduzida. QCAPACITOR = Px(tan(arccos(φ1 ) − tan(arccos φ 2 ) ) Pela figura 2. S = VLL xI L x 3 Onde: VL a tensão de linha em volts IL a corrente de linha em ampères φ (ou α) o ângulo de impedância da carga. Q a Potência reativa da carga (ou do capacitor) .14) e para um circuito equilibrado. O cálculo do capacitor segue a fórmula abaixo.92 . Q (kVAR) Q (kVAR) Indutivo Indutivo Q2 (kVAR) Indutivo φ1 S A 1 pa (k re VA nt ) e φ1 S A 1 pa (k re VA nt ) e S Ap2 (kV are A) nte φ2 Diagrama fasorial sem correção Diagrama fasorial com banco de capacitores Capacitivo Q (kVAR) P (kW) Ativo P (kW) Ativo P (kW) Ativo Diagrama fasorial após correção Figura 2. que pela legislação atual [4] é 0. Com a compensação .kW Cálculo do capacitor: Toma-se o fator de potência original da instalação φ1 e a potência ativa do circuito (P).4 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 9 .4 abaixo. Determina-se qual o fator de potência mínimo desejado.12) (2. verifica-se facilmente pela somatória vetorial que potência reativa capacitiva compensa parte (ou totalidade) da potência indutiva do circuito.(φ 2 ) .var S a Potência aparente da carga .11) (2.

4 Aplicação numérica: Supor uma determinada instalação elétrica. O sistema visto a partir da barra de saída do transformador ficará com os seguintes valores em regime permanente: P = 90 kW QL2 S= P 2 + (QL − QC ) ⇒ S = 90 2 + (120 − 85) ⇒ S = 97 kVA 2 2 = 120-85 = 35 kvar S2 97 P 90 FP = = = 0.ou utilizando o fator de multiplicação da tabela 2. sen φ = 120 k var A potência reativa capacitiva necessária é: QCAPACITOR = 90 x(tan(arccos(0.60 indutivo I= = 394 A FP = 150 220 x 3 QL = 150 .28% Graficamente o sistema pode ser representado para as duas situações (antes e após a correção do fator de potência). com as seguintes características: S = 150 kVA P = 90 kW VFF = 220 V 90 150kVA = 0.5 Antes da correção Com instalado capacitor Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 10 .2.33% ΔS (%) = 35.928 I L 2 = = = 255 A S 2 97 220 x 3 220 x 3 Redução de S ΔS=150-97 = 53 kVA Redução de IL ΔL= 394-255 = 139 A ΔS (%) = 35.92)) ) . por uma questão de padronização utiliza-se 85 kvar. como abaixo. QL =120kVAR S1 = 15 0 QL2=35kVAR φ1 90 kW kV A S2 =9 7kV A φ 2 Capacitivo Q (kVAR) 90 kW Diagrama simplificado Figura 2. com transformador (T1) de 300 kVA. conforme figura 2.1 resulta: QCAPACITOR = 82 kvar Onde.5.60)) − tan(arccos(0.

963 0.488 0.145 0.513 0.629 0.713 0.192 1.281 0.712 0.156 1.109 0.132 0.097 0.262 0.068 0.TABELA 2.268 0.477 0.458 0.083 1.093 1.086 0.032 0.928 0.536 0.459 0.456 0.870 0.820 0.51 0.670 0.810 0.487 0.123 1.723 0.434 0.026 0.745 0.757 0.236 0.565 0.957 0.104 0.145 0.019 1.946 0.076 1.97 0.186 0.238 0.94 0.707 0.291 0.627 0.104 0.97 0.503 0.130 0.462 0.500 0.775 0.008 1.086 1.549 0.237 1.834 0.294 0.529 1.413 0.000 0.054 0.807 0.041 0.729 0.159 0.875 0.50 0.95 0.769 0.839 0.714 0.257 0.779 0.270 0.390 0.453 0.159 0.157 0.873 0.666 0.235 0.929 0.515 0.190 0.91 0.634 0.354 0.545 0.568 0.743 0.587 0.230 1.135 0.590 0.238 0.186 0.973 1.447 0.092 1.156 0.052 0.433 0.316 0.397 0.657 0.909 0.220 0.163 1.078 0.225 0.781 0.303 0.679 0.979 1.000 0.907 0.425 0.982 1.480 0.846 0.029 0.267 1.015 1.596 0.194 0.672 0.82 0.432 0.172 0.510 0.298 0.144 1.789 0.469 0. O valor obtido representa a Potência de capacitores ENGEMATEC® que deverão ser instalados para a Correção do Fator de Potência.904 0.204 0.652 0.515 0.512 0.482 0.023 1.380 0.84 0.048 1.026 0.541 0.026 0.220 0.447 0.884 0.196 1.201 0.87 0.280 1.078 0.000 0.403 0.406 0.936 0.037 0.440 1.98 0.373 0.810 0.034 1.294 0.966 0.337 1.893 0.575 0.093 0.272 0.127 0.64 0.965 0.121 0.288 0.347 0.210 0.913 0.184 0.872 0.714 0.370 0.831 0.805 0.98 0.655 0.289 0.521 0.682 0.1 .61 0.618 0.62 0.443 0.076 1.355 0.376 0.70 0.PARA ELEVAÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA Para determinar a quantidade de kvar necessários para a elevação do Fator de Potência de uma determinada instalação .509 0.026 0.190 1.348 0.860 0.952 0.661 0.601 0.296 0.202 1.000 0.593 0.807 0.749 0.009 1.395 0.717 0.325 0.015 1.913 0.078 0.209 0.429 0.006 1.679 0.318 0.308 1.99 0.183 0.740 0.607 0.787 0.599 0.440 1.104 0.131 0.377 0.134 0.084 1.209 0.451 0.242 0.078 0.565 0.920 0.936 0.183 0.452 0.031 0.919 0.151 1.600 0.403 0.537 0.242 0.048 0.105 0.201 1.133 1.055 0.605 0.276 1.060 1.369 1.198 0.184 0.580 0.349 1.078 0.526 0.027 0.89 0.133 0.91 0.395 0.226 1.547 0.594 0.461 0.315 0.683 0.398 0.191 1.315 0.000 0.120 1.042 1.903 0.876 0.358 0.561 0.078 0.271 1.214 0.081 0.88 0.483 0.352 0.071 0.253 0.403 1.134 0.112 1.759 0.238 1.706 0.888 0.118 1.174 1.107 0.342 0.453 0.209 0.264 0.83 0.308 1.126 0.419 0.248 0.919 0.071 0.554 0.053 0.284 0.414 0.322 0.111 0.986 1.374 0.289 0. e localiza-se a linha correspondente na tabela abaixo.262 0.398 0.416 1.774 0.108 0.613 0.410 0.541 0.335 0.86 0.000 0.500 1.997 1.840 0.000 0.147 1.123 1.174 1.65 0.939 0.089 0.492 0.427 0.540 0.609 0.262 1.103 1.775 0.992 1.474 0.82 0.343 0.266 0.007 1.949 0.499 0.164 0.052 0.785 0.576 0.186 0.530 0.815 0.235 0.046 1.105 0.361 0.074 1.080 0.392 1.998 1.511 0.240 0.337 0.75 0.220 1.407 0.794 0.104 0.937 0.034 1.116 1.299 0.508 0.103 1.942 0.480 0.566 0.519 0.397 0.387 0.653 0.316 0.369 0.873 0.265 0.157 1.262 0.030 0.654 0.847 0.193 0.755 0.090 1.473 0.686 0.644 0.262 0.157 0.625 0.634 0.59 0.578 0.69 0.539 0.859 0.794 0.537 0.191 1.006 1.99 1.052 0.347 0.80 0.481 1.700 0.276 1.759 0.167 0.406 0.967 0.573 0.263 0.328 0.938 0.131 0.68 0.089 0.054 0.645 0.90 0.74 0.781 0.750 0.484 1.000 0.982 1.508 0.160 0.187 1.380 0.907 0.631 0.843 0.886 0.027 1.302 0.275 0.131 0.670 0.112 0. contém o fator de multiplicação adequado.566 0.608 0.306 1.899 0.015 1.979 1.590 1.185 0.878 0.55 0.63 0.706 0.084 0.828 0.745 0.049 1.657 0.566 0.000 0.495 0.040 1.088 1.395 1.743 0.875 0.629 0.96 0.160 0.052 0.350 0.149 0.139 1.817 0.699 0.556 0.726 0.995 1.483 0.870 0.058 0.989 1.945 0.553 0.466 0.386 0.980 1.150 1.214 0.80 0.865 0.96 0.046 1.743 0.294 0.837 0.519 0.314 1.86 0.861 0.941 0.183 0.804 0.822 0.354 0.106 0.739 0.971 0.154 1.211 0.888 0.838 0.639 0.850 0.685 0.313 0.802 0.81 0. FATOR DE POTÊNCIA DESEJADO 0.183 0.686 0.426 0.541 0.838 0.000 0.034 0.077 1.234 0. A interseção entre a linha e a coluna.315 1.323 0.041 1.563 0.177 0.770 0.227 1.78 0.114 0.217 1.343 0.723 0.060 1.688 0.205 1.417 0.424 0.902 0.976 0.92 0.425 0.158 1.681 0.715 0.380 0.027 0.000 0.937 0.309 0.157 0.970 1.716 0.696 0.508 0.421 0.626 0.749 0.283 0.263 0.81 0.935 0.388 0.452 0.794 0.141 0.775 0.777 0.809 0.436 1.753 0.56 0.400 0.798 0.342 0.856 0.400 0.370 0.52 0.188 0.849 0.661 0.720 0.768 0.063 1.289 0.299 1.230 0.846 0.635 0.407 0.351 0.000 0.289 0.175 0.439 0.602 0.456 0.686 0.635 0.729 0.221 0.733 0.005 1.316 0.594 0.787 0.484 0.713 0.052 0.057 0.346 0.53 0.053 1.317 0.067 1.445 0.477 0.165 1.272 0.231 1.000 0.397 0.424 0.344 0.626 0.514 0. Multiplica-se então o valor de Demanda em kW da carga pelo fator encontrado na tabela.342 0.266 0.497 0.902 0.857 0.940 0.268 0.654 0.608 0.230 0.713 0.796 0.510 0.261 1.328 0.079 0.117 0.761 0.672 0.372 0.318 0.691 0.79 0.485 0.236 0.93 0.436 0.652 0.913 0.996 1.188 1.623 0.000 0.264 0.567 0.238 0.829 0.192 0.54 0.523 0.229 1.351 1.223 0.816 0.006 0.451 0.72 0.268 1.061 0.821 0.118 0.196 0.60 0.027 0.429 0.324 0.246 0.236 0.130 0.92 0.950 0.113 1.821 0.440 0.835 0.573 0.536 0.925 0.905 0.000 0.370 0.316 0.248 1.452 0.053 0.591 0.324 1.83 0.529 0.156 0.370 0. utiliza-se o seguinte procedimento: Toma-se o Fator de Potência original da instalação.156 0.369 0.212 0.599 0.130 0.87 0.037 0.290 0.601 0.458 1.66 0.371 0.130 1.052 0.320 0.291 1.974 1.026 0.89 0.063 0.131 0.000 0.692 0.481 0.292 0.212 0.162 0.71 0.509 0.660 0.663 0.652 0.000 0.487 0.309 0.555 0.007 1.343 0.132 0.079 0.806 0.466 0.320 0.000 0.247 1.397 1.364 0.158 0.57 0.644 0.549 0.618 0.93 0.369 0.290 0.000 0.000 0.480 0.130 1.079 1.138 0.010 FATOR DE POTÊNCIA ORIGINAL Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 11 .344 0.471 0.917 0.205 0.277 0.73 0.624 0.877 0.468 0.211 0.024 1.776 0.767 0.623 0.904 0.263 0.849 0.954 0.104 0.426 0.209 0.687 0.544 1.105 0.848 0.432 0.026 0.887 0.67 0.733 0.720 0.811 0.058 1.76 0.216 0.157 0.240 0.424 0.878 0.748 0.421 0.164 0.77 0.460 0.88 0.572 0.030 1.096 1.593 0.376 1.033 1.892 0.251 0.329 0.183 0.535 0.026 0.337 1.356 1.620 0.492 0.581 0.569 0.90 0.581 0.236 0.85 0.525 0.210 0.067 0.693 0.85 0.253 0.000 0.538 0.546 0.970 1.58 0.766 0.184 0.384 0.028 0.732 0.381 0.116 1.149 0.741 0.683 0.396 0.100 0.503 0.105 0.292 0.113 1.646 0.062 1.617 0.94 0.158 0. Procura-se a coluna que contenha o Fator de Potência desejado.167 0.343 0.060 0.082 0.309 0.658 0.696 0.84 0.597 0.358 1.552 0.237 0.165 1.042 1.583 0.95 0.966 1.079 0.

a potência de 85 kvar refere-se apenas a compensação dos reativos da carga. etc. a redução ficou em torno de 35% da potência da carga. No exemplo citado. devemos tomar especial cuidado com o cálculo. a correção do fator de potência além de trazer o benefício da eliminação de sobretaxas (multas) por demanda e reativos excedentes. reduz as perdas no sistema. para compensar os reativos do transformador. Numa instalação de grande porte. É necessário sempre compensar os reativos consumidos pelo transformador. Como ficou evidente.R) nos alimentadores. conforme resolução [4]. geradores. Reduz-se também a potência ativa fornecida devido as perdas por efeito joule (I2.Lembrando que o fator de potência da carga não é o fator de potência medido na entrada primária do transformador. como as provocadas pelo efeito joule. alimentadores e centros de carga. No exemplo numérico. a redução poderá significar não somente a eliminação de sobretaxas mas também a redução de investimentos em infra-estrutura como novos transformadores.5 kvar. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 12 . chaves. seria necessário um capacitor de 12.

C1 Banco Automático de capacitores. instalando os capacitores tanto solidário a motores ou equipametos. A figura 3. QGBT BAIXA TENSÃO PARTIDA SOFT-START PARTIDA COMPENSSADORA PARTIDA Y/Δ PARTIDA DIRETA * M M M M M M M Figura 3. C3 Correção solidária. compensação dos reativos consumidos pelo motor. com partida por chave estrela / triângulo. com partida por soft-start. compensação dos reativos consumidos pelo motor. quanto locados nos centros de carga ou quadro de distribuição geral. compensação dos reativos consumidos pelo motor. Correção dos reativos consumidos pelo transformador.3 Técnicas para a correção do fator de potência A correção do fator de potência pode ser executada em diversos locais da planta elétrica.1 ilustra a localização típica dos capacitores numa planta industrial. com partida por chave compensadora. C2 Correção solidária. compensação dos reativos consumidos pelo motor. MÉDIA TENSÃO φ 52 * A CORREÇÃO DE MOTORTES COM SISTEMA DE PARTIDA POR SOFT-START SÓ É POSSÍVEL SE EXISTIR O CONTATOR DE BY-PASS. C5 direta. com partida Correção de grupos de motores.1 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 13 . C4 Correção solidária. C6 C7 Correção solidária.

porém. o fator de potência decresce com a redução da carga mecânica solicitada do eixo. 99. sendo I = 91.32 e −3 . que é aproximadamente o consumo de uma residência.85).84 mΩ . Obteve-se portanto uma redução de 57.6 A (cosφ = 0.13W As perdas em 30 dias passam a ser de 44. I 2 ⇒ P = 6. haverá uma redução de corrente e consequentemente diminuição das perdas por efeito joule nos barramentos.13 + j 38.32+j4. Motores de pequena capacidade (20 a 50 CV) possuem um fator de potência baixo (menor que 0.13 kWh. acondicionado numa eletrocalha metálica em trifólio. Como a redução da potência aparente ocorre do ponto de conexão do capacitor para a fonte de alimentação.02W A princípio parece uma potência muito baixa. Com a correção do fator de potência. se o capacitor for instalado junto a carga. A potência reativa de um motor pode ser calculada através do modelo elétrico simplificado da figura 3.5 % nas perdas. se esse codutor for atravessado por uma corrente de 152 A.90 A ⇒ I = 99.152 ⇒ P = 62.2) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 14 . condutores e demais componentes. haverá uma redução de potência aparente até a fonte de energia.15 A P = 6. 3.32 e −3 . os motores de indução trifásicos possuem um fator de potência em torno de 0. 1522 ⇒ P = 146.60).1) (3. a energia perdida por efeito joule será: Consumo = 146. Z M = ⎜ ⎜ b + jb ⎟ ⎟ M ⎠ ⎝ M R Z 2 = 2 + jX 2 s −1 (3. a perda em W deste condutor será: P = R . a corrente passará a ser: I = 92.02 x 720 ⇒ Consumo = 105.1 Capacitores Instalados junto a motores Características dos motores de indução: Em geral.2: ⎛ 1 1 ⎞ Sendo: Z1 = R1 + jX 1 . Por exemplo: um condutor de 120 mm2 com comprimento de 50 m. possui uma impedância Z=6. mas se esta carga permancer conectada por 30 dias (720 h/mês).70 kWh.ou superior (motores de média potência ou maiores) quando operando com 100% de carga.A localização dos capacitores que proporciona maiores benefícios é a que ocorre quando os mesmos estão instalação junto a carga.2 + j121.87 .

400 0.05 1 0.85 0.2 0.8 0.4 0.800 0.7 0.15 0.3 A impedância de entrada vista pela fonte (V1) é: −1 ⎛ 1 1 ⎞ Zi = Z1 + ⎜ ⎜Z + Z ⎟ ⎟ 2 ⎠ ⎝ M (3.700 0.1 Carga no Motor (% de Pn) Figura 3.9 0.5 0.200 0.6 0.3) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 15 .500 0.95 0.000 0.35 0.900 0.75 0.65 0.100 0.25 0.300 0.R1 I1 X1 Iϕ I2 X2 R2 s V1 g c bm Figura 3.45 0.600 Fator de Potência 0.55 0.2 Onde: R1 = Resistência de dispersão do estator (Ω) X1 = Reatância de dispersão do estator (Ω) gC = Resistência de perdas de excitação (Ω) bM = Reatância de magnetização (Ω) R2 = Resistência do rotor referida ao estator (Ω) X2 = Reatância do rotor referida ao estator (Ω) s = escorregamemto Curva de Fator de Potência 0.3 0.

Na partida. Valores superiores poderão causar sobreexcitação no conjunto com elevado aumento da tensão. para uma carga de 100 %. Fator de Serviço de 1.7: Um motor de indução trifásico de média tensão. A variação do fator de potência de entrada (visto pela fonte V1) em função da variação de carga aplicada ao eixo do motor pode ser verificada no gráfico da figura 3. visto R que o escorregamento s tende a infinito.85 indutivo. Na prática limitase em 90% de S0 a potência do capacitor solidário. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 16 . quanto menor a carga. A potência aparente consumida por um motor durante o processo de partida é um valor extremamente alto. O gráfico da figura 3.4 mostra a potência reativa Q consumida pelo motor para a mesma variação de carga.92). o motor passa a operar como um gerador assíncrono.6 (extraído da referência [2] representa a curva típica de autoexcitação de um motor de indução trifásico.30. o valor máximo recomendado é de 2 kvar (para elevação do fator de potência a 0. Como exemplo. principalmente o momento de inércia (J .15 a 0. Fator de potência a 100 % de carga = 0. considere a figura 3. 10 pólos. mas também as características mecânicas. O fator de potência decresce com a redução da potência mecânica no eixo. Potência Nominal de 1. 4 pólos. FS de 1.00.em regime permanente. para a correção solidária. realimentando o banco de capacitores ocorrendo o fenômeno de autoexcitação. o ramo 2 tende a zero e a impedância Z2 ficará s limitada a reatância do rotor (X2) referida ao estator. na ordem de 0. No exemplo citado (um motor de 10 cv. quando o motor atinge velocidade nominal. quando se retira a tensão de alimentação. fabricação conforme norma IEC).5 representa a variação de potência reativa durante o processo de partida.Como a impedância Z2 é inversamente proporcional à carga conectada ao eixo. o gráfico 3. sendo S0 a potência em vazio do motor. a máxima potência reativa que deve ser instalada é a representada em C4).00 kV. muito maior que a potência de regime permanente. Conjuntos com alto momento de inércia devem ser adequadamente estudados. com valor máximo equivalente à potência consumido sem carga [6] . a potência reativa consumida pelo motor é um valor significativo. com as seguintes características: Tensão 3φ de 6.38 MW. porém o fator de potência é muito baixo. deve-se levar em consideração não só as características elétricas. Deve-se sempre limitar a potência reativa capacitiva solidária ao motor.m2) do conjunto motor-carga.00.3. Na escolha do capacitor para a compensação de um motor.kg. A figura 3. η a 100% de carga de 82%. menor será o fator de potência do motor.

4 0.5 0.36 0.3 0.020 0.6 0.5 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 17 .2 Escorregamento (PU) Figura 3.68 0.52 0.25 0.95 0.Potência Reativa Q x Potência Ativa de Entrada 0.200 1.1 Potência de entrada (PU) Figura 3.92 0.75 0.85 0.6 0.400 0.15 0.200 0.12 0.000 0.55 0.56 0.000 Potêncai Reativa (PU) 0.64 0.140 0.800 0.000 0.120 0.8 0.35 0.4 Escorregamento x Potência reativa Q de entrada 1.100 Potência reativa Q (PU) 0.32 0.4 0.16 0.96 0.600 0.8 0.45 0.84 0.2 0.88 0.28 0.9 0.05 1 0.060 0.080 0.44 0.040 0.48 0.72 0.65 0.7 0.76 0.24 0.08 0 04 1 0.

verifica-se uma sobretensão transitória quando do desligamento do disjuntor 52.1.30 Mvar instalado solidário ao motor.180 160 43 % Tensão (% de Vn) C4 15 % C1 22% C2 C 0% 10 140 120 100 80 60 40 20 0 B C 3 A 0 20 40 60 80 100 120 140 160 180 Corrente (% de In) Figura 3. Como principais consequências da sobreexcitação. Esta sobretensão é esperada.8. visto que a inércia do conjunto motor-carga é muito alta (1.m2). a partir de uma simulação digital [5]. podem-se citar: O “stress” no dielétrico de isolamento das bobinas do estator devida frequência e tensão a qual motor estará submetido. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 18 . Ver figura 3. neste caso o motor passa a operar como um gerador assíncrono “realimentando” o banco de capacitores causando a sobretensão momentânea.6 Figura 3.7 Com um banco de capacitores de 0.90 kg.

Instalar um contator ou disjuntor de manobra independente para o banco de capacitores. ⎝ ∂t ⎠ Quando a potência reativa Q do capacitor não puder ser alterada.Aumento do tempo de parada do motor. todo capacitor deve possuir uma resistência de descarga associada. a tensão armazenada no capacitor permanecerá alimentando o motor por um período determinado pela constante de tempo. o valor do resistor é calculado da seguinte maneira: R≤ t ⎛U . enquanto que nos de média tensão este tempo se eleva a 5 min.[7]. algumas medidas podem ser adotadas. [9]. Quanto maior for a constante de tempo. Reduzir a resistência de descarga do capacitor: Por norma . O aumento instantâneo da tensão sob o capacitor. visando reduzir a autoexcitação: Instalar o capacitor antes do circuito de manobra do motor – antes do contator ou disjuntor. caso a proteção não atue. principalmente em função de perdas nas linhas de alimentação ou devido ao baixo fator de potência final da instalação.9. devido a esta tensão instantânea de curta duração ⎜ ⎟. este deverá ser manobrado sempre com o acionamento do motor. Para baixa tensão. maior será o tempo de parada do motor. após o desligamento do disjuntor. Se bem que a redução do valor ôhmico acarrete aumento das perdas por efeito joule. 2 ⎞ ⎟ C. Para a configuração da figura 3. dada pela associação série da reatância capacitiva e impedância do motor.3) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 19 . pode-se obter um valor otimizado. poderá provocar até um rompimento do dielétrico do isolante do filme do capacitor e neste caso ocorrerá um “curto-circuito” interno à célula capacitiva podendo provocas sua queima (ou ⎛ ∂V ⎞ degradação prematura). ln⎜ N ⎜ U ⎟ R ⎠ ⎝ (3. [8]. a resistência deverá reduzir a tensão armazenada sob o capacitor a 50 V em menos de 1 min.

88 0.3.7 0.61 0. R = Resistência de descarga (Ω) C = Capacitância por fase (F) UN = Tensão nominal da unidade (V) UR = Máxima tensão residual permissível em função do nível de tensão (V). Capacitores para esta aplicação são usualmente dimensionados entre 2-3 vezes a potência (VA) nominal do motor.73 0.52 0.25 0. Em geral.Conforme norma [7]. visto que a potência reativa do capacitor se tornaria maior que a do motor. parte da potência reativa (ou totalidade) do capacitor deverá ser desconectada ao final do tempo de partida.55 0.49 0.07 0. o fator de potência de um motor durante o processo de partida situa-se em torno de 0. 3. A figura 3.16 0.37 0.4 0.43 0. Verificar que na interseção das duas curvas. VELOCIDADE x CORRENTE DE PARTIDA 14 13 12 11 10 Partida sem capacitor Partida com capacitor 9 CORRENTE (PU) 8 7 6 5 4 3 2 1 0 0.76 0.58 0.1 1 VELOCIDADE SÍNCRONA (%) Figura 3.64 0. Figura 3.10 demonstra a redução de corrente com a pré-insersão de um banco de capacitores na partida de um motor de indução trifásico. Uma técnica alternativa é a utilização de múltiplos estágios capacitivos durante a partida. e neste caso poderia haver sobreexcitação quando do desligamento do conjunto.46 0.28 0.4 e 3.04 0.94 0.31 0. A corrente para a partida direta de motores assíncronos varia. na maioria dos modêlos e nº de pólos de 4 a 10 vezes da corrente nominal – vide figuras 3.79 0.85 0.19 0.34 0.5.13 0.91 0.10 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 20 . onde: t = tempo necessário para que a tensão UN atinja o valor UR (s).15 a 0.22 0.01 0. o banco de capacitor foi desconectado.9 Capacitores instralados junto a motores podem ser aplicados na redução das perdas no sistema durante o processo de partida.67 0.30 (conforme [6]).97 0.82 0. Neste caso.

potência nominal . 75% e 100%) A tabela 3.3.1 Potência do capacitor para a compensação de motores: Tendo-se disponível os dados característicos do motos como rendimento. é possível dimensionar o capacitor adequado para a correção do fator de potência para uma dada condição de carga.746 (VA) η.1 abaixo representa os motores tipo Standard com fabricação conforme norma IEC. São necessários os seguintes dados: = Potência mecânica no eixo do motor (cv ou hp) PM η = Rendimento do motor para uma dada condição de carga FP = Fator de potência do motor para uma dada condição de carga V = Tensão de linha eficaz de alimentação do motor (V) FS = Fator de serviço do motor A potência de entrada do motor pode ser calculada da seguinte forma.5) SN ' = P. de baixa tensão até 600 Volts. fator de potência. podendo ser utilizada na maioria das aplicações.FS (VA) Na entrada considerando o fator de serviço η.746 η (W) Potência elétrica de entrada do motor (3. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 21 . considerando a potência mecânica em hp: SN = P.FP (3.FP P SN ' FP corrigido para condição de utilização do fator de serviço (3.1.746 .4) A potência nominal e fator de potência correspondem a utilização de 100 % (sem aplicação do fator de serviço) P= P. fator de serviço.95)) )]xP (var) A maioria dos fabricantes informa os valores de FP e η em função da potência mecânica conectada ao eixo (como por exemplo 50%.6) FP ' = (3.7) A potência reativa Q passa a ser: Q = [(tan(arccos( FP' )) ) − (tan(arccos(0.

00 85.70 78.40 92.63 34.00 48.P.71 7.00 6.80 30.16 32.52 22.50 45.80 89.28 93.77 30.50 0.95 84.90 93.00 91.04 29.30 60.86 0.63 5.89 15.00 10.10 87.50 16.00 31.24 90.50 90.19 25.70 93.90 0.89 15.83 14.70 0.40 0.26 17.24 86.P.53 0.900 RPM 46.00 50.90 70.69 2.09 18.30 0.00 85.28 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 22 .50 40.50 91.70 2.53 21.56 15.97 14.50 0.83 27.72 0.50 0.00 80.00 110.5 15 20 25 30 40 50 60 75 100 125 150 175 200 250 300 350 400 450 (η) (%) 59.69 15.76 0.00 94.40 5.00 0.85 1.00 91.5 15 20 25 30 40 50 60 75 100 125 150 175 200 250 300 1 1.27 84.66 23.50 12.47 90.62 0.75 35.50 2.00 85.70 2.40 84.78 55.62 21.85 0.41 93.84 0.70 92.92 14.00 120.76 0.00 25.00 20.50 2.60 35.80 89.90 0.83 0.66 21.68 0.30 79.00 CARGA 75 % F.74 14.65 0.50 10.50 0.00 72.00 76.P.68 1.10 81.40 39.74 0.87 5.70 2.84 0.50 35.00 0.50 15.5 10 12.04 85.00 5.51 0.75 16.74 0.06 28.00 26.60 88.00 32.00 95.32 15.83 16.67 93.62 0.00 20.70 44.00 7.10 0.27 8.30 82.32 27.10 66.70 92.00 5.73 0.68 0.88 17.38 12.67 27.76 27.30 27.00 25.78 0.46 0.24 87.83 0.80 0.23 7.25 1.68 2.69 0.00 7.50 88.50 22.00 12.70 95.00 0.00 74.50 0.50 5.00 28.20 0.32 22.00 125.70 0.5 10 12.23 19.50 89.72 0.10 21.00 24.70 29.25 27.00 5.74 0.39 64.20 91.00 Δi (%) 28.84 13.79 40.40 5.75 0.70 0.50 2.13 80.22 92.76 90.00 MOTORES DE 6 PÓLOS .78 5.00 21.20 77.60 91.49 21.52 89.00 90.78 25.55 90.79 0.50 48. POT.90 0.00 50.40 90.79 20.80 0.70 0.76 80.83 0.61 10.00 32.68 81.75 45.57 0.22 11.65 0.64 2.00 CARGA 100 % F.20 0.90 94.60 92.78 125.60 89.50 44.85 1.50 31.70 2.82 74.00 5.80 90.POTÊNCIA (HP) 1 1.09 18.00 40.54 79.82 (η) (%) 65.52 0.66 17.06 91.00 5.10 67.35 12.69 0.50 0.50 22.70 5.50 12.66 0.58 0.00 17.50 26.50 0.00 5.53 0.65 0.20 0.00 7.43 18.52 35.57 12.50 84.00 22.50 3.49 94.10 92.55 1.00 27.00 93.00 0.00 110.00 28.58 22.90 84.50 40.00 30.84 0.1200 RPM 46.00 85.20 0.50 35.70 74.70 1.15 88.00 5.00 85.68 0.85 0.70 94.51 17.00 5.00 35.40 85.00 89.10 15.40 82.00 5.50 94.00 0.60 92.70 49.50 5.00 90.96 14.20 0.80 0.41 92.39 21.73 15.60 86.84 0.90 0.50 3.87 0.49 89.84 7.5 2 3 4 5 7.70 0.00 90.00 100.96 89.00 0.00 5.63 10.47 19.60 79.00 45.20 16.00 91.62 0.00 31.50 0.92 11.50 25.50 12.26 17.75 80.50 38.00 41.12 21.00 0.00 37.50 88.90 94.82 0.55 0.00 55. POT.70 83.87 92.50 0.33 72.00 90.90 87.78 92.00 55.69 38.50 2.28 22.04 24.73 120.85 1.82 89.80 0.66 1.65 2.78 0.04 91.00 100.50 76.81 12.68 0.44 11.10 92.00 Δi (%) 36.72 0.28 9.73 3.75 0.52 17.60 0.80 87.71 0.13 43.00 93.50 82.25 1.20 0.70 93.23 23.20 73.70 40.77 5.10 0.00 27.85 0.50 0.38 36.50 93.00 45.27 15.00 10.77 5.85 53.00 90.92 15.50 0.56 14. (cos φ) (KVAR) 0.40 90.81 72.74 12.00 12.91 21.80 15.83 0.79 0.87 17.29 30.39 64.20 90.11 94.00 60.89 90.00 89.50 3.80 0.66 35.28 16.30 0.00 85.52 0.06 35.00 10.00 40.20 91.98 94.26 92.70 1.60 0.75 50.09 12.70 89.78 0.00 15.67 2.72 0.41 10.70 92.48 73.00 69.86 94.80 93.04 25.50 82.70 0.95 78.00 87.78 50.85 20.35 16.69 0.74 50.30 90.75 0.40 68.79 110. Δi (η) (%) (%) (cos φ) (KVAR) MOTORES DE 8 PÓLOS .39 35.40 76.80 0.85 12.00 31.30 0.77 0.52 71.10 2.50 10.00 40.81 0.64 6.40 5.00 27.00 0.00 125.77 10.00 28.00 60.58 0.82 21.85 47.85 1.00 0.50 10.45 87.54 0.70 86.70 44.80 0.93 92.76 0.82 0.66 0.37 13.64 0.20 0.00 93.00 33.72 0.65 0.00 73.73 0.50 20.81 0.01 13.83 0.64 0.70 93.90 CARGA 50 % F.40 88.34 10.10 0.75 0.71 0.30 87.72 0.00 0. (cos φ) (KVAR) 0.70 0.00 90.70 92.82 0.70 93.81 10.73 0.55 0.61 81.90 0.50 22.50 73.00 90.13 27.80 94.81 0.71 0.85 0.70 80.79 17.50 41.50 17.81 0.50 35.79 0.88 10.81 0.50 27.5 2 3 4 5 7.42 20.00 120.70 89.30 86.69 10.00 87.79 0.40 88.00 7.20 0.00 25.20 0.90 9.00 95.90 91.82 0.50 0.00 26.62 0.90 0.80 17.00 32.00 0.58 0.00 91.00 0.58 0.66 0.50 21.00 92.50 27.58 0.82 10.25 47.80 0.63 28.51 0.61 1.59 19.71 92.00 91.00 12.80 86.82 5.56 0.92 90.70 1.60 92.60 87.70 5.78 13.00 0.70 0.00 60.62 92. POT.74 100.70 1.00 12.40 25.05 14.50 10.64 1.78 22.21 17.81 85.71 7.81 0.

50 26.5 15 20 25 30 40 50 60 75 100 125 150 175 200 250 300 350 400 450 500 1 1.25 29.25 1.82 93.50 81.70 80.81 0.80 93.00 25.80 94.82 0.00 25.81 80.00 5.90 0.90 8.00 0.80 1.50 0. siga a tabela.82 0.84 0.00 Δi (%) 21.50 0.85 22.60 0.56 14.63 12.86 30.40 92.POTÊNCIA (HP) 1 1.80 0.00 27.64 6.70 0.50 95.90 0.20 89.00 13.50 2.03 90.82 0.91 5.80 0.70 91.87 0.66 0.82 0.40 95.59 82.07 8.33 16.20 0.89 7.51 10.70 0.50 90.00 6.30 0.64 74.80 88.27 30.82 0.30 95.50 25.70 87.00 30.50 10.03 91.P.75 11.20 87.P.00 5.85 70.00 78.20 89.30 92.00 0.00 77.00 0.00 0.82 0.50 14.85 0.91 22.00 60.70 0.77 2.54 13.50 17.50 0.86 0.07 3.22 13.52 10.56 14.83 12.00 0.92 13.40 0.85 10.88 0.70 80.50 7.00 0.91 10.85 0.80 86.63 4.40 90. (cos φ) (KVAR) 0.75 0.50 10.64 6.71 7.00 MOTORES DE 2 PÓLOS .80 10.16 6.50 89. Aplicável para tensões de 220 V a 600 V – 60 Hz.50 88. Δi (η) (%) (%) (cos φ) (KVAR) MOTORES DE 4 PÓLOS .50 0.00 72.72 10.00 0.93 11.89 30.00 25.44 15.75 0.77 Para determinar a quantidade de kVAr necessários à compensação junto a motores de indução trifásicos de gaiola.32 9. POT.89 0.00 22.63 0.40 22.82 10.85 0.00 91.80 87.00 5.00 0.20 0.00 10.76 0.00 92.00 25.80 1.50 87.35 86.90 92.40 6.77 0.00 19.50 33.92 22.50 81.86 0.68 1.91 19.58 9.87 0.50 0.70 28.50 0.00 84.79 11.20 89.50 0.79 5.01 11.20 0.88 0.66 0.80 7.22 90.5 2 3 4 5 7.00 90.61 19.00 15.90 0.03 90.53 10.00 25.87 10.70 24.00 85.50 10.86 25.71 23.72 5.77 8.50 3.00 5.00 91.50 30.34 7.70 1.85 2.33 11.00 7.20 90.00 CARGA 75 % F.54 4.80 92.50 90.00 22.30 90.89 16.61 71.50 0.00 18.86 78.78 2.50 84.58 8.10 0.86 2.83 0.30 11.50 0.86 0.50 33.44 9.66 0.00 35.70 0.50 14.30 89.30 0.85 88.00 CARGA 100 % F.75 1.00 7.85 45.30 82.50 0.78 10.00 86.50 91.52 92.00 5.65 0.30 93.21 7.60 0.77 0.86 0.00 10.80 25.00 76.08 91.50 89.78 7.40 74.80 0.76 0.00 0.50 0.50 30.59 11.12 91.P.02 87.00 79.95 7.50 2.00 20.90 0.66 0.84 0.88 0.00 35.85 1.75 17.70 1.63 0.00 89.5 15 20 25 30 40 50 60 75 100 125 150 175 200 250 300 350 (η) (%) 70.85 40.00 25.55 5.50 10.90 93.00 0.56 7.77 1.50 5.83 0.70 0.13 77.18 7.89 0.85 1.00 5.86 5.40 0.60 6.25 17.77 7.50 20.66 91.85 0.24 91.00 15.84 15.00 0.88 0.67 10.87 0.39 91.50 90.00 32.36 10.21 91.10 0.30 0.50 21.84 0.00 91.91 0.70 2.25 1.53 0.50 3.54 15.70 1.70 88.67 4.50 0.69 6.84 5.60 88.70 0.5 10 12.80 1.00 18.69 92.50 0.80 93.45 92.50 10.10 91.00 0.09 80.00 0.00 17.81 0. POT.20 89.50 0.50 0.85 65.00 30.00 0.00 84.3600 RPM 33.00 15.20 91.50 14.50 0.00 18.82 1.30 89.00 35.80 81.00 86. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 23 .78 0.00 87.70 0.40 7.00 0.20 0.00 70.85 1.70 29.46 13.58 7.78 0.00 90.00 92.50 20.80 0. (cos φ) (KVAR) 0.75 87.87 0.44 11.40 5.85 55.31 11.63 12.00 7.00 79.89 0.31 7.88 0.92 25.00 69.00 16.45 15.88 0.73 0.50 93.69 8.00 70.85 1.88 0.00 90.83 0.10 91.00 21.77 0.85 22.29 91.80 2.00 90.70 1.70 2.25 33.00 25.50 0.31 17.00 85.77 0.00 7.84 8.86 0.88 0.82 0.00 16.55 15.40 11.20 70.82 0.12 10.76 0.85 80.05 22.00 95.62 0.25 1.80 0.00 5.00 20.67 10.79 (η) (%) 78.00 87.35 83.24 92.15 89.80 0.60 13.87 91.85 0.87 0.00 27.50 79.57 18.80 0.50 2.85 3.50 2.88 0.54 90.47 13.00 89.47 18.81 92.90 93.60 91.75 89.09 10.88 0.00 0.27 8.84 7.70 2.70 0.87 0.02 94.00 60.56 6.50 10.00 35.88 0.50 0.69 0.96 88.00 91.70 93.50 20.50 91.70 92.50 11.00 75.00 10.50 10.00 0.51 72.81 7.30 0.00 90.00 10.84 0.25 1.85 0.00 10.89 0.87 30.73 10.79 0.70 1.76 0.87 22.81 5.92 25.00 7.83 0.70 0.88 0.28 5.00 30.00 88.23 13.68 0.50 93.00 86.00 92.21 8.00 87.00 92.00 78.00 92.88 0.80 0.39 91.50 10.74 0.78 0.10 95.16 2.50 10.68 9.85 90.00 90.79 0.50 17.50 22.50 5.00 0.91 0.00 91.00 12.85 15.90 0.02 94.77 0.70 29.85 44.50 0.50 89.50 25.87 0.66 82.84 0.74 0.00 16.00 16.84 12.00 7.75 74. POT.21 93.27 3.50 2.50 19.99 95.1800 RPM 33.00 18.50 75.00 85.87 91.78 90.85 7.73 0.00 Δi (%) 16.00 12.00 0.00 0.80 90.88 10.00 12.90 10.48 8.40 5.00 25.70 25.50 2.89 0.00 80.19 9.00 50.88 0.53 20.50 89.90 0.85 5.00 84.71 86.50 35.00 12.00 40.07 89.00 89.68 13.50 2.91 94.86 0.19 13.50 91.64 0.93 0.77 0.00 0.93 0.45 10.00 80.5 2 3 4 5 7.00 25.27 90.00 30.80 CARGA 50 % F.50 15.00 12.70 84.50 86.76 14.40 21.50 40.83 40.5 10 12.96 94.00 45.40 93.70 90.00 0.78 5.70 2.90 90.90 65.00 12.82 0.

Numa planta industrial existem diversos tipos de acionamento e partida de motores de indução trifásicos. poderá ocorrer um curto-circuito nos terminais do capacitor (e motor) devida a diferença de potencial. se o tempo entre partidas consecutivas for inferior ao tempo de descarga do capacitor.2 Maneiras de conexão: Bancos de capacitores junto a motores. Os mais difundidos são a partida direta. conforme figura 3.11 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 24 .2. Cada tipo de partida tem sua peculiaridade e deve ser avaliada cuidadosamente para a determinação do tipo de conexão com os capacitores. com grandeza variável em função do momento de energização e impedâncias do sistema. se o mesmo for reenergizado. A tensão instantânea poderá atingir valores superiores a 2.11.starter’s. estrêla triângulo.1 Partida Direta: Para uma partida direta.3.1. compensadora e com o advento do controle em estado sólido os soft. Figura 3. Primeiramente deve-se verificar o regime de funcionamento do motor.1. este último só poderá ser acionado através de um contator com bloqueio temporizado. 3. entre a tensão armazenada e a da fonte de alimentação. O capacitor armazena o valor de pico da tensão. o capacitor deve ser ligado entre o contator principal e o relé térmico – havendo restrição quanto ao regime de funcionamento apenas para partidas consecutivas com tempos inferiores a 1 minuto. visando evitar-se sobretensões transitórias com possíveis danos ao motor e ao capacitor.70 vezes a tensão rms.

Figura 3.Deve-se evitar instalar o capacitor após o relé témico. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 25 . Por exemplo: Um motor de 50 hp. terá uma redução na corrente de linha em torno de 9. incluindo uma sobretensão transitória. Na partida o capacitor está descarregado devido ao curto-circuito promovido pelo contator a K2.00%. elevará o torque. o capacitor deve ser instalado após o contator de regime (K1 da figura 3. onde o indutor é representado pelas impedâncias do estator e rotor. 3. sendo que esta tensão instantânea e frequência será diferente (e muito maior) que a frequência da rede.1. em função da constante LC. inclusive com desligamentos intempestivos da proteção.2 Estrêla Triângulo: Para a compensação solidária a motores com partida estrêla triângulo. que. os contatores K1e K2 são acionados fornecendo tensão ao motor. O capacitor jamais pode ser instalado após os contatores K2 ou K3. o contator K2 é desligado e posteriormente há o acionamento do contator K3. o valor da corrente e frequência instantâneas serão muitas vezes superior aos valores instantâneos da rede nesta transição. o capacitor se energizará com um valor de tensão determinada pelas constantes de tempo do circuito. podendo provocar um curto–circuito nos terminais do motor. causando problemas de fadiga mecânica e elétrica. com um capacitor solidário de 10 kvar. visto que haverá redução da corrente circulante pelo térmico.12). operando com 100% de carga mecânica. haverá necessidade de alterar o ajuste da proteção proporcionalmente a redução de corrente aparente. após temporização.2. 4 pólos. O circuito equivalente de partida é um circuito LC série.12 O funcionamento da estrêla triângulo pode ser resumida da seguinte maneira: Na partida. O ajuste do relé térmico neste caso deverá ser reduzido em 9%. Quando o contator K3 for ligado. Para capacitores com esta configuração. O ramo formado pelo capacitorcontator K3 poderá provocar a atuação (queima) do fusível a montante. Durante a transição de energização dos contatores K2/K3.

ou seja: VC = V0 + V sen ωt onde: VC = é a tensão instantânea sob o capacitor (V) V0 = é a tesão armazenada no capacitor no instante de energização (V) V = tensão instantânea no momento de energização do capacitor (V) (3.2.1.2.3. a tensão sob o mesmo será a somatória do valor armazenado mais a tensão da rede.1) são ligados e alimentam o motor com tensão reduzida através do autotransformador .8) Neste caso a tensão instantânea sob o capacitor (e motor) poderá atingir valores superiores a 2 vezes a tensão nominal fase-fase do sistema. Se o capacitor for instalado após o contator K2 o mesmo será carregado durante a partida com a tensão de alimentação reduzida (devido autotransformador) e. pode ser resumida da seguinte maneira: Os contatores K1 e K3 (figura 3. Figura 3. O funcionamento da partida compensadora. os contatores K1 e K3 são desenergizados e alguns milisegundos após é enviado um sinal para alimentar o motor com tensão nominal através do contator K2. após temporização feita pelo sistema de comando.1.3 Chave Compensadora Automática: Nete tipo de compensação é imprescindível o uso de um contator para o acionamento do capacitor. na tranferência.13 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 26 .3.

em que o motor possui o regime descrito acima. com sérias consequencias elétricas e mecânicas. verifica-se os valores plotados nas figuras 3.15 e 3. é a utilização de um contator (ou disjuntor motorizado) que acionará o capacitor apenas quando o contator K2 entrar em operação. O motor em análise possui o seguinte regime de funcionamento: motor desligado até o tempo 2. Para estes tipos de configurações deve-se prever uma temporização para o acionamento do disjuntor/contator do capacitor e intertravamento com o sistema de comando de comando do motor. Vt = VC .16. novo desligamento em 12. considerar que este motor tenha um regime de funcionamento com tempo ente partidas consecutivas inferior a 10 segundos. alimentação. A tensão armazenada no capacitor será uma componente DC com taxa de decaimento exponencial. A maneira correta da instalação de capacitores junto a motores com partida compensada.9) onde a constante de tempo RC é dada pela capacitância e resistor de descarga.A descarga de um capacitor pode ser expressa pela seguinte equação: (3. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 27 . partida com tempo de 6.70 e 6. Partidas consecutivas sem que o capacitor tenha se descarregado provocarão torques excessivos e fadigas no motor. supor o motor de média tensão conforme figura 3. Para exemplificar o risco de sobrecorrente e sobretensão na energização de um capacitor com tensão residual não nula. A tensão residual sob o capacitor acarretará (ver tempos entre 2.14.14 Através de uma simulação com o software [5].e −T RC Figura 3.70 segundos) uma sobrecorrente de enegização muito superior à corrente de "InRush” do sistema provocano surtos de tensão com possíveis danos aos equipamentos de manobra. na reenergização poderá ocorrer um curto-circuito provocado pela diferença de potencial entre a tensão armazenada no capacitor e a tensão de alimentação podendo inclusive causar sérios danos aos equipamentos de manobra. motor e ao capacitor.8 segundos e partida em 15 segundos.7 segundos.7 segundos.

uma vez que motores de grande potência possuem proteções contra partidas consecutivas.2. além de terem restrições quanto ao número de partidas diárias. O princípio de funcionamento é relativamente fácil – figura 3.17 .tem como principal finalidade a redução da corrente de partida e controle do torque. devido aos efeitos térmicos e eletrodinâmicos das correntes de energização.15 Figura 3.18. Figura 3. A partida e parada de motores pela técnica dos soft-starters advém da utilização de componentes de controle em estado sólido (SCR´s).Nota: O exemplo em questão é meramente ilustrativo. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 28 . utilizando a variação da tensão eficaz sobre o motor de indução trifásico.16 3.1.4 Partida por Soft-Start: O uso do soft-start – figura 3.

figura 3.10) (3.⎢⎜ R1 + ⎟ + ( X1 + X 2 ) ⎥ s ⎠ ⎢⎝ ⎥ ⎣ ⎦ V1 e I= (A) 2 ⎡⎛ ⎤ R2 ⎞ 2 ⎟ + (X1 + X 2 ) ⎥ ⎢⎜ R1 + s ⎠ ⎢⎝ ⎥ ⎣ ⎦ TD = 3xR2 x(V1 ) 2 (N.18 R1 I1 X1 Iϕ I2 X2 R2 s V1 g c bm Figura 3.m) (3.18 Por uma questão de simplificação.Figura 3.ωs.11) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 29 .17 Considerando novamente o diagrama esquemático do motor de indução trifásico . como o ramo de magnetização é muito pequeno comparado com os do rotor e estator. passa-se esse ramo para a entrada de alimentação V1 e a componente Iϕ é desprezada: temos as seguintes equações [1] : 2 ⎡⎛ ⎤ R2 ⎞ 2 s.

No instante plotado. níveis de tensão extremamente elevados poderão surgir danificando os componentes do sistema elétrico .320 0. torque constante. entre outros. uma vez que em regime. limite de corrente. queima de capacitores. rampa.50 3. GRÁFICO DA FASE "R" DO SOFT-START 400 300 200 100 0 -100 -200 -300 -400 3. devida ressonância paralela. Esta variação é possível devida controle do ângulo de disparo dos SCR (geralmente em nº de 6 para controle em onda completa). Na figura 3. correntes harmônicas estarão presentes.310 0. corrente de entrada e torque. etc. os thiristores estão com o ângulo de disparo próximo a zero.19. limitação de potência nos transformadores.50 0. etc).350 Figura 3. como tempo de aceleração.Como o torque do motor é proporcional ao quadrado da tensão de alimentação e a corrente do motor é diretamente proporcional ao valor da tensão aplicada aos terminais do estator. principalmente transformadores e bancos de capacitores. é possível devida variação da tensão eficaz de saída do soft-start.340 0.50 Vload Vsource kV Iload Irms kA (ms) 0. O controle destas variáveis. Neste caso. A aplicação de capacitores junto a soft-starters (ou circuitos que possuam acionamentos em estado sólido).19 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 30 .50 2. Microcomputadores. No exemplo um motor de 50 kW. com a variação da tensão eficaz de entrada. deve ter especial atenção: Como o controle de tensão sob o motor é proporcional ao ângulo de disparo dos SCR. a distorção de corrente na entrada do soft-start foi de 36%. é possível alterar as características iniciais (corrente x conjugado) do conjunto motor-carga.00 1.330 0. simulação efetuada com o software [10]. verifica-se a tensão de saída do soft-start e a corrente total de um motor de indução trifásico. Esses efeitos harmônicos (gerados pelos soft-starters existem apenas durante o processo de partida (e parada no caso do soft-stop). possível ressonância com bancos de capacitores.00 -0.00 0. Vários recursos na utilização dos soft-start são possíveis. principalmente os equipamentos mais sensíveis (como CLP’s. como perdas adicionais devido as harmônicas.50 1. e poderão interagir com as impedâncias do sistema.00 2. porém estas vantagens acarretam sérios problemas ao sistema elétrico .

com soft-start SSW03 num circuito de 380 Volts. Este sinal (fim de marcha) poderá ser utilizado para acionar o contator de manobra do capacitor. A Potência do transformador de alimentação do sistema é de 225 kVA e não existem capacitores no sistema.00 -250.00 0.00 0.00 Corrente (A) 50. neste instante.00 200.00 -250. assíncrono de 150 cv.00 -200.Uma maneira prática de evitar problemas de ressonância quando da aplicação de capacitores.00 100.00 -400.00 -200.00 -150.00 -50.00 -350.00 -300.00 Ângulo (º) Figura 3.00 300. Em alguns casos existe um contator de by-pass (K1 na figura 3.00 -100. Para exemplificar a distorção harmônica gerada por um soft-start.00 Tensão (V) 50.00 200.00 -150.00 Ângulo (º) Partida por Soft Start 400.00 -400.00 100. com isto.00 -100. Partida por Soft Start 400.00 250.00 300. A maioria dos soft-starters possui um sinal de saída que indica quando o motor atingiu o valor de regime (fim de marcha) e.20 abaixo retrata a medição da partida de um motor trifásico. a figura 3. o ângulo de disparo (“firing angle”) dos SCR´s é muito baixo. Maiores detalhes acerca dos fenômenos harmônicos e ressonância serão abordados no item 5. é utilizar um contator para a manobra do capacitor da seguinte maneira.20 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 31 . a distorção harmônica de corrente é praticamente nula.00 -300.00 -50. neste caso o capacitor deverá ser desconectado do circuito antes do início do processo de parada do motor.00 150.00 350.00 250.00 350.00 -350.17) que poderá ser utilizado em conjunto com o fim de marcha para enviar o sinal de acionamento para o contator do capacitor (K3). Deve-se tomar cuidado quando o sistema possuir soft-stop.00 150.

Para que o sistema opere é necessário que no mínimo quatro motores estejam funcionando: Motor do compressor centrífugo.BAIXA TENSÃO M Torre 75 CV M BAC 75 CV M BAG 75 CV M Bomba de óleo 1. torre de resfriamento. 480 V 01 Motor para bomba de óleo de 1. etc.5 cv. é necessário que todos os motores estejam em funcionamento. Neste caso é necessário que se conheça a curva de carga deste CCM ou que o funcionamento dos motores sejam dependentes.21 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 32 .5 CV M Centrífuga 500 CV Figura 3. É possível portanto corrigir este conjunto de motores no respectivo CCM. possuir um contator para manobra com comando intertravado ao comando do sistema da centrífuga. 2 pólos.5 Capacitores instalados junto a centros de carga: Muitas vezes não é possível a instalação de capacitores solidários aos motores. bombas de água gelada e condensada e motor da bomba de óleo (da centrífuga). Primeiramente. e demais motores como bombas de óleo. 480 02 Motores para bombas de 75 cv 4 pólos. ou seja: Determinados tipos de processos industriais possuem máquinas com diversos motores e. as bombas de água gelada e condensada. para que o produto seja processado. CCM . 480 01 Motor para torre de resfriamento de 25 cv.2. o custo da instalação dos capacitores junto aos motores de pequena capacidade se tornaria inviável.Centrífuga. ou seja. Uma técnica alternativa é instalar o banco de capacitores no centro de carga (ou CCM) para corrigir uma determinada quantidade de motores – figura 3.1. 4 pólos. com potência nominal de 110 kvar. • Considere o seguinte sistema: 01 Motor de compressor centrífugo de 500 cv. numa planta industrial existe uma grande quantidade de motores de pequena capacidade que inviabilizariam tecnicamente a correção e em segundo.3. Um exemplo típico é um sistema de água gelada para ar condicionado .6 pólos. Este banco de capacitores deverá ser conectado sempre que o sistema de água gelada for acionado. Este equipamento possui o compressor principal. 480 Para o sistema em questão é possível utilizar um único banco de capacitores no CCM.21.

Por exemplo. e traçar com maior exatidão a curva de carga da planta. as indústrias metalúrgicas geralmente possuem um fator de carga baixo (menor do que 0. A medição das grandezas da carga pelo período de 24 h também tem o objetivo de avaliar a variação de potência ao longo do dia. consumirá uma energia de 50% da sua capacidade nominal.2.3. salvo casos específicos.12) FC = Fator de carga DEM = Demanda de potência ativa máxima (kW) verificada durante o período de medição En = Energia ativa verificada ao longo do período de medição (kWh) h = quantidade de horas do período de medição. sendo que este banco deverá ser conectado no quadro de distribuição geral de saída do transformador. como também das variações de tensão de fornecimento. Por exemplo. no período restante são verificados (na maioria dos casos) que os valores estão dentro da faixa de tensão de fornecimento – 5. no período das 22:00 h às 08:00 h verifica-se os maiores níveis de tensão. etc) ou a curva da carga conectada a este transformador por um período não inferior a 24 horas. não só devido as variações de potência (carga) da planta ao longo do dia.0% a +5. porém necessitará de 100% de sua potência ativa nominal durante a partida. um motor operando com 50 % de carga mecânica. iluminação. O final dos alimentadores de baixa tensão continuaria com o mesmo fator de potência e quedas de tensão. Vê-se claramente que no caso de uma carga puramente resistiva o fator de carga será 1. verificam-se relativas variações durante as 24 h do dia.1. ou seja: FC = onde: DEMxh En (3. visto que a redução de potência aparente ocorrerá apenas no alimentador de entrada e transformador. dependendo da concessionária) – há uma acentuada redução dos níveis de tensão. Este período se faz necessário. Porém esta solução é a economicamente mais vantajosa (na maioria das aplicações). pois as perdas nas linhas das concessionárias são reduzidas. a maioria dos casos de correção será efetuada por bancos de capacitores com controle automático.50) representando uma grande demanda de potência kW.6 Correção da totalidade da carga de um transformador: Na prática. Para o cálculo da potência reativa é necessário ter-se em mãos ou a relação de cargas conectadas (motores. para um pequeno consumo em kWh. Nos horários de ponta – entre 17:30 h e 21:30 h (com 3 horas consecutivas dentro desse período. apesar dos limites de fornecimento em tensão de distribuição serem normalizados. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 33 .0 % para tensões de fornecimento até 69 kV (valor dado pela resolução [11]). Tecnicamente não é a melhor solução. aquecimento.

GRÁFICO DE POTÊNCIA REATIVA Q (KVAR) P/ FP DE 0.00 0.22 – de potência reativa para compensação . Em alguns períodos o fator de potência está no valor de projeto (0.95 700.708 indutivo Total de horas = 45 Para esta característica de carga seria necessário um banco de capacitores de 306 kvar para elevar o fator de potência (médio) ao valor de 0.95.00 17:59 18:49 19:39 20:29 21:19 22:09 22:59 23:49 22:09 22:56 23:46 10:36 11:26 12:16 13:06 13:56 14:46 0:39 1:29 2:19 3:09 3:59 4:49 5:39 6:29 7:19 0:36 1:26 2:16 3:06 3:56 4:46 5:36 6:26 7:16 8:06 8:56 9:46 HORÁRIO Figura 3.95) porém em diversos momentos o fator de potência permaneceu baixo.19 kW Fator de Potência = 0. Analisando o gráfico da figura 3. o que causaria a cobrança de tarifas e demanda de reativos excedentes pela concessionária.verifica-se facilmente que a potência média calculada de 306 kvar não é suficiente para manter o fator de potência dentro do valor de projeto (0. obtendo os seguintes valores médios: Demanda = 441. por isso sempre se faz necessário a medição da carga por no mínimo 24 horas. com a instalação de um banco automático de 306 kvar. onde a partir de uma medição de grandezas elétricas numa indústria de papel. A figura 3. No exemplo em questão o banco de capacitores recomendado para a correção da carga (conforme medição) seria de 518 kvar.95 indutivo).00 300. valor muito superior ao encontrado quando se utiliza a demanda e fator de potência médio. durante o seguinte período: 17:29:00 h de 28/09/2001 a 15:01:00 h de 01/10/2001. Por este motivo a utilização de contas de energia elétrica para o cálculo do banco de capacitores não é recomendada.00 POTÊNCIA KVAR 400.22 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 34 .00 500.00 100.00 600.23 simula o fator de potência da carga.00 200.Considerando um exemplo prático. visto que os valores informados na fatura (fator de potência) são uma média aritmética de 30 dias de medição.

ou seja: se o valor mínimo medido para correção for de 25 kvar (como é o caso deste exemplo) deve-se ter no mínimo 1 estágio de 25 kvar. O banco de capacitores para este exemplo seria: 10 estágios de 50 kvar e 02 estágios de 25 kvar. deverá ser do tipo automático. conforme a referência [12]. sem tornar o sistema capacitivo.90 FATOR DE POTÊNCIA 0. mas deverá ter estágios de potência menores cujo valor deverá ser próximo ao valor da menor potência reativa necessária para correção. o acréscimo de tensão no ponto de conexão com o banco de capacitores pode ser expresso: ΔV (%) = onde: ΔV(%) QCAP xZTX (%) STX (3. controlado por relé eletrônico que monitore a tensão do barramento e a corrente total do sistema.92 0.FATOR DE POTÊNCIA COM BANCO DE CAPACITORES DE 306 KVAR 0.76 17:29 18:19 19:09 19:59 20:49 21:39 22:29 23:19 22:26 23:16 10:06 10:56 11:46 12:36 13:26 14:16 15:06 0:09 0:59 1:49 2:39 3:29 4:19 5:09 5:59 6:49 7:39 0:06 0:56 1:46 2:36 3:26 4:16 5:06 5:56 6:46 7:36 8:26 9:16 HORÁRIO Figura 3.23 O banco de capacitores de 550 kvar considerado no projeto (valor padronizado). De uma forma aproximada.86 0.84 0.13) = Acréscimo percentual de tensão com o banco de capacitores conectado QCAP = Potência reativa do capacitor (kvar) = Potência nominal do transformador (kVA) STX ZTX (%) = Impedância de dispersão (curto circuito) do transformador (%) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 35 .80 0.78 0.82 0. A importância da utilização do controle automático está focada principalmente no controle da potência reativa injetada no sistema. O conjunto poderá ser composto por alguns estágios de mesma potência.88 0.94 0.96 0. 10 estágios de 50 kvar.

2. o aumento de tensão será de: ΔV (%) = 150 x0. 3. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 36 . quando os bancos de capacitores permanecerem conectados. como tipo de chapa de ferro silício. e assume que o transformador é a fonte de toda a potência fornecida ao circuito onde o capacitor está instalado. possuem uma potência reativa magnetizante e outra de curto circuito.20 devida alta corrente indutiva .Esta é uma fórmula aproximada. granulação.5 % (conforme referências [34 e 35]) e corrente de magnetização de 0. Na prática. O que define a maior ou menor corrente de excitação é o projeto construtivo do transformador . Se conectarmos um banco de capacitores de 150 kvar. potência da concessionária.01 a 0. desprezando as impedâncias dos alimentadores.03 PU.2/0.75%. poderão ocorrer problemas de sobretensões e sobreaquecimentos nos enrolamentos do transformador devido a autoexcitação. independente de sua concepção. mesmo com baixa carga ligada ao transformador. O transformador ideal é aquele que apresenta corrente de excitação nula. número de enrolamentos ou meio isolante. A potência de magnetização é importante no dimensionamento do banco de capacitores necessário à compensação do transformador quando o sistema da planta apresentar baixa carga. e é esta corrente que deve ser compensada.0575 x100 ⇒ ΔV = 1. apresentam impedância de dispersão variando de 2. potência reativa maior do que 2/3 da potência do transformador. o fator de potência de entrada de energia da indústria é levemente inferir ao fator de potência da carga.7 Compensação dos reativos de transformadores: A correção do fator de potência abordada até agora considerou apenas a potência reativa devido as cargas. 13.725% 500 Um dos problemas que podem ser verificados é que.22 kV tem conforme norma uma impedância de dispersão Z = 5. Na prática. núcleo envolvido ou envolvente. Quando a potência fornecida às carga é proveniente de um transformador abaixador. etc. os transformadores de potência trifásicos com alimentação primária em média ou alta tensão . Todos os tipos de transformadores. um transformador de 500 kVA.8 a 10. Por exemplo.1. O fator de potência medido no primário dos transformadores em vazio situa-se em torno de 0. rendimento de 100% e consequentemente impedância de dispersão zero. nunca deve permanecer conectado a um transformador com baixa carga.

As potências são orientativas. 3. Ponta Capacitiva.5 20 30 40 65 80 100 Tabela 3. POTÊNCIA DO TRANSFORMADOR (KVA) 25 30 45 50 75 112. a concessionária pode cobrar os excedentes num período de 6 horas consecutivas entre as 23:30 e 06:30 h do dia posterior .5 2.2. visto que as perdas dos transformadores diferem em função de fabricante.2 pode ser utilizada como orientação. nível de tensão primária. onde temos uma fatura padronizada da Eletropaulo de um consumidor horo-sazonal tarifa Azul.Energia e Demanda Reativa Excedente na Fora de Ponta Indutiva .5% da potência em kVA do transformador.UFER F. no caso dos reativos capacitivos. Ponta Capacitiva e UFDR F. Ponta e UFDR F. silicone. . etc. Esse consumidor paga tarifas de demanda como também consumo de reativos excedentes.UFER Ponta e UFDR Ponta.8 Análise de uma conta de Energia Elétrica A análise da conta de energia elétrica visando avaliar a cobrança de demanda e consumo de reativos excedentes é a primeira verificação a ser feita. Efetuando-se o cálculo do fator de potência médio mensal. são definidos pela concessionária. e tipo de meio isolante – seco. Os períodos de cobrança desses postos horários. vê-se claramente a cobrança dos reativos excedentes.5 1.A tabela 3. obtemos na ponta Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 37 . a óleo.24. adota-se um valor em torno de 2 a 2.2 Tabela para compensação reativa das perdas de transformadores. Os valores geralmente vêm expressos como Energia e Demanda Reativa Excedente na Ponta . Analisando a figura 3. antes de efetuar qualquer tipo de cálculo.5 150 225 300 500 750 1000 1500 2000 2500 POTÊNCIA DO CAPACITOR (KVAR) 0. mas este valor sempre deve ser inferior a impedância de dispersão (curto-circuito) desse transformador.75 1 1. Ponta. sendo que o período indutivo equivale ao restante das 24 h – conforme resolução [4].5 10 12. Na prática.5 5 7. além do período capacitivo como UFER F.1.

Não se deve utilizar a conta para o cálculo da potência total necessária em kVAr. com isso só é possível calcular o fator de potência médio de um mês.95 indutivo. para fora de ponta indutiva 0. efetuar uma medição de grandezas (e se possível harmônicos) em cada transformador. O ideal é. Também é verificada a cobrança de Demanda e Consumo de Reativos Excedentes. pois os medidores das concessionárias calculam (e é cobrado) o fator de potência numa média horária. este consumidor precisaria de 446 kVAr para elevar o fator de potência da instalação para 0.25. A princípio.0. em primeiro lugar. temos uma fatura de energia da Eletropaulo de um consumidor com tarifação convencional.91 e fora de ponta capacitiva 1. porém este cálculo é baseado na média mensal.88. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 38 . a título ilustrativo. Na figura 3. uma curva de carga da medição da concessionária também é um dado importante e pode auxiliar no cálculo do banco de capacitores. porém na fatura de energia elétrica são informados os valores totais de energia ativa e reativa.00.

6 2291.º Referência n.000-000 Agência n. DEMANDA CONTRATADA PONTA DEMANDA CONTRATADA F. FATOR DE CARGA PONTA FATOR DE CARGA FORA DE PONTA KW KW KW KW KWH KWH KWH KW KW KWH KWH 0. ENERGIA REATIVA FORA DE PONTA CAP.DE PONT DEMANDA PONTA DEMANDA FORA DE PONTA CONSUMO ATIVO PONT CONSUMO F.6 119897 723912 134232 92.000.84000 0.09231 60. Rua A XXXXXXX CEP 00.09231 0.69 66.000/0001-00 Apresentação 00/00/2003 Tarifa Data de Vencimen 00/00/2003 Valore Data de Leitura Atual Data Próxima Leitura Emissão 00/00/2003 00/00/2003 Leitura Atual 00/00/2003 Registrado Contratado Faturado Importe sujeito a ICMS Valor do ICMS Alíquota: 18% 229.67000 9.39 2.81 JUROS: MULTA: Eletrobrás: 0.0 2150.07000 0. DEMANDA FORA DE PONTA CAP. DE PONTA CAP.Conta de Energia Elétrica – Tarifação Horosazonal Azul Eletropaulo CONCESSIONÁRIA Nota Fiscal A/Conta de Energia Elétrica n.49 1 95 36 Classe 3 .º 01 Bairro A CEP 00. REATIVO DEMANDA PONTA DEMANDA FORA DE PONTA IND.36000 0. E JUROS Figura 3.503 3. ENERGIA REATIVA PONTA ENERGIA REATIVA FORA DE PONTA IND.5 119897 723912 134232 63706 320124 2856 2100.000-000 Cidade: XXXXXXXX Tarifação Tipo AZUL MT S/G A4 Data de Leitura Anterior 00/00/2003 Descrição Interface nº MTE000000000 ESB S17 0000000000000 CONST.61 41.07000 9.8 2348.24 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 39 .00 VALOR TOTAL A PAGAR: 229.315.07000 0. DE PONTA ENERGIA REATIVA EXC PONTA ENERGIA REATIVA EXC FP IND.INDUSTRIAL Banco Página nº Cliente Beneficiário e Endereço da Unidade Consumidora 1 ABCD Ltda. MULTA DE 2% CONFORME RESOLUÇÃO ANEEL 456/00.18928 0.º Cliente Pagador ABCD Ltda.2 12. 11111 Rua A n.30 22. DEM REATIVA EXC PONTA DEM REATIVA EXC F.89 21. DE PONTA IND. SERÁ COBRADO NA PRÓXIMA FATURA.00 SALDO ANTERIOR: 0. ATIVO CONST.825 0.8 5023 3995 27.18928 0.00 VALOR DA FATURA: 0.84000 655 699 682 415965 9206000 5702000 74133 3330500 178000 2200. ENERGIA ATIVA FORA DE PONTA CAP. CONSUMO F. ENERGIA ATIVA PONTA ENERGIA ATIVA FORA DE PONTA IND.276. POTÊNCIA CONST.82 12.0 2200.3 229.8 2348.º 01 xxxxxxxxx CNPJ Inscrição Estadua 00.31 NA HIPÓTESE DE ATRASO DE PAGAMENTO DA CONTA.09231 27.

02100 569 699 542 661223 5333900 976400 595977 4795200 47.60 JUROS: MULTA: Eletrobrás: 0.000/0001-00 Apresentação 00/00/2003 Contratado Faturado Data de Vencim 00/00/2003 Tarifa Valo Data de Leitura Atual Data Próxima Leitura Emissão 00/00/2003 00/00/2003 Leitura Atual 00/00/2003 Registrado Importe sujeito a ICMS Valor do ICMS Alíquota: 18% 3.00 VALOR DA FATURA: 0.8 58.7 45. 11111 Rua A n. SERÃO COBRADOS MULTA E JUROS NA PRÓXIMA FATURA Figura 3.48000 67 2.25 682.15496 8. ENERGIA REATIVA FORA DE PONTA CAP.º Referência n. POTÊNCIA CONST. ENERGIA ATIVA FORA DE PONTA CAP.792.000-000 Cidade: XXXXXXXX Tarifação Tipo CONV.INDUSTRIAL Banco Página nº Cliente Beneficiário e Endereço da Unidade Consumidora ABCD Ltda.08400 0. DEMANDA CONTRATADA DEMANDA FATURADA CONSUMO ATIVO DEM REATIVA EXC ENERGIA REATIVA EXCEDENTE KW KW KWH KW KWH 50.000-000 Agência n.º 01 Bairro A CEP 00.000. Rua A XXXXXXX CEP 00.00 VALOR TOTAL A PAGAR: 3.º 01 xxxxxxxxx CNPJ Inscrição Estad 00.05 9 28 0.7 11. ENERGIA ATIVA PONTA ENERGIA ATIVA FORA DE PONTA IND.02100 0. DEMANDA FORA DE PONTA CAP.0 58.15496 0.0 11. MT S/G A4 Data de Leitura Anterior 00/00/2003 Descrição Interface nº MTE000000000 ESB S1/ 0000000000000 CONST.Conta de Energia Elétrica – Tarifação Convencional Eletropaulo CONCESSIONÁRIA Nota Fiscal A/Conta de Energia Elétrica n.º Cliente Pagador ABCD Ltda.25 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 40 .5 1086 10074 2123 1124 8579 Classe 3 . REATIVO DEMANDA PONTA DEMANDA FORA DE PONTA IND. ENERGIA REATIVA PONTA ENERGIA REATIVA FORA DE PONTA IND.79 3.00 SALDO ANTERIOR: 0.48000 13285 1841 0. ATIVO CONST.79 NA HIPÓTESE DE ATRASO DE PAGAMENTO.

Através deste circuito. trifásico. Quando geradores são operados com um fator de potência “adiantado” ou “subexcitados”.9 Capacitores instalados junto a grupos geradores: Conforme referência [3]. Quando a potência ativa da carga e a tensão são fixadas. Analisemos a figura 3. 2. Isto poderá fazer com que a unidade opere como um gerador de indução causando sobreaquecimento no rotor. A potência ativa de saída do gerador é usualmente limitada a um valor dentro das especificações de potência aparente dada pela capacidade do motor primário. cuja reatância síncrona XS é 2. a máquina funciona a uma tensão constante cujo valor está dentro de ± 5% da tensão nominal – não considerado aqui os efeitos de “Droop” e “Load Sharing” . com uma excitação inferior ao valor normal – como no caso da potência reativa do sistema ser fornecida por capacitores ou motores síncronos – o gerador poderá se tornar instável.1. para exemplificar os cuidados com a correção do fator de potência na presença de grupos geradores.2.26 baixo. Em virtude do sistema de regulação de tensão.26 CAPACITOR Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 41 . XS GERADOR SÍNCRONO IT CH1 ~ VG VT Z=R+jX CARGA Figura 3. de 1.3 kV. onde temos o modelo por fase de um grupo gerador síncrono. 85 ou 90 % indutivo) que podem suportar continuamente. os geradores síncronos são usualmente especificados em termos da máxima carga em kVA a tensão e fator de potência determinados (frequentemente 80.3. e que este gerador alimente uma carga de 1200 kVA com fator de potência indutivo de 0.65. isto é. Analisaremos três condições distintas. sem sobreaquecimento.75 MVA.85 indutivo.65 Ω/fase. a potência reativa de carga permitida é limitada pelo aquecimento da armadura ou do campo. verifica-se claramente que a tensão gerada na máquina síncrona VG é superior ao valor da tensão terminal do barramento VT quando a carga vista pelo barramento do gerador possuir um fator de potência tendendo a indutivo. Coloca-se então um banco de capacitores de 430 kvar para a elevação do fator de potência do sistema a 0. perdendo o sincronismo devida baixa corrente de campo.

8 − 228.85 + j 0 (V ) VG = 1042.Grupo gerador alimentando o sistema.86 (V ) VG = 2002. porém sem riscos para o sistema. a seguinte formulação básica: VT = 2300 VG + j 0 (V ) ⇒ VT = + j 0 (V ) ⇒ VT = 1328 + j 0 (V ) 3 3 Z = 2.34 ( A) Z 4.85 (V ) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 42 . IT = VT 1328 + j 0 ⇒ IT = 195. neste caso.86 (V ) VG = 1729.350 (Ω) X C = 0 − j12. a tensão gerada (VG) é superior a tensão do barramento da carga.57 )x(0 + j 2.04 VG = (1328 + j 0) + (195.65) ⇒ VG = 1934 + j 518.90 + j 3. 3ª Condição .92 ( A) ⇒ IT = 2.8 − j121.865 + j 3. isto é devido a menor queda de tensão na reatância da armadura da máquina síncrona.92 )x(0 + j 2.35 Z VG = (1328 + j 0) + (195.8 − j 228.65) ⇒ VG = 1042. a carga é desconectada mas a chave CH1 permanece fechada.57 ( A) Z 0 − j12. Consequentemente a tensão de excitação foi reduzida. IT = VT 1328 + j 0 ⇒ IT = ⇒ IT = 0 + j107. a tensão gerada (VG) também foi superior a tensão do barramento da carga.15 (V ) Neste caso . não há nenhum problema para o sistema e gerador. alimentando o capacitor.865 + j 3.8 − 121. 2ª Condição . IT = VT 1328 + j 0 ⇒ IT = ⇒ IT = 195.9 (V ) e.Grupo gerador alimentando a carga e o capacitor. porém menor do que na 1ª condição.345 VG = (1328 + j 0) + (0 + j107.34)x(0 + j 2.Grupo gerador alimentando apenas a carga.345 (Ω) VG = VT + I T xX S (V ) 1ª Condição .Utilizaremos para a análise.65) ⇒ VG = 1649 + j 518.

que nesta caso provocará maior nível de tensão no barramento e consequentemente maior torque resistente à máquina primária.C ) . Alguns tipos de geradores não possuem controle de velocidade eletrônico. uma vez que este tipo de controle mantém a máquina primária num range de velocidade (e consequente frequência) muito variável. Abaixo. ou velocidade – mecânico) não atue. Considerando o grupo gerador da figura 3. 81) e controle através de sistema eletrônico com sensoriamento através de Pick-up (ou até mesmo injeção eletrônica – no caso de geradores a diesel).26. e também podem estar sujeitos a sérios danos como os descritos acima. a corrente na armadura criará um torque resistente e em oposição à máquina primária. ou o sistema de solenóide de parada de emergência não provoque o desligamento do motor primário. a regulação situa-se em ± 0. principalmente em petroleiros. Existem alguns tipos de geradores (mais antigos.ω . poderá haver danos irreparáveis aos componentes mecânicos como acoplamentos.Esta é a pior condição para um grupo gerador: primeiro. rotor e mancais. A corrente de um capacitor é diretamente proporcional a frequência (I C = V . dependendo exclusivamente da carga conectada. neste caso. etc) com controle de velocidade em malha aberta (sem realimentação) – como no caso dos Governores mecânicos com controle hidráulico ou pneumático -. um exemplo (fictício) da aplicação de forma perigosa de um banco de capacitores. para operação isócrona . conforme modelo de controle abaixo: CAMPO TENSÃO DE EXCITAÇÃO G Q kVAR GANHO CARGA Figura 3. e consequentemente o gerador estará operando como um motor. a tensão gerada tende a se tornar menor do que a tensão do barramento da carga. Valores típicos de Droop situam-se em ± 3% da velocidade nominal e . a consequência pode ser muito mais severa. e que a excitatriz tenha uma tensão de excitação independente. esta última aumentará a velocidade para compensar esse aumento de conjugado.25% conforme norma [13].27 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 43 . e em consequência haverá um aumento na velocidade e frequência. e em segundo pode-se causar a perda de sincronismo ou até mesmo a queima da excitatriz. plataformas. 59. com sensoriamento através de Pick-up – como os modelos MPU e controle 2301 da Woodward. Caso o sistema de proteção (frequência 81. além da provável queima da excitatriz do alternador. tensão 59. o banco de capacitores se torna uma carga e. Máquinas da potência do exemplo geralmente possuem um sistema de proteção adequado (relés 27. esses tipos de máquinas (geralmente de pequena potência) possuem um controle de velocidade através de uma bobina solenóide.

Circuito Aberto T'd0 (s) Constante de Tempo Transitório de Eixo Direto . poderá ocorrer a queima da excitatriz estática (no caso de geradores do tipo Brush. No instante 4 segundos há o desligamento do disjuntor da carga e o grupo gerador passa a alimentar apenas o banco de capacitores. desconsiderando a impedância dos alimentadores.Xq (PU) Reatância de Sequência Negativa .Curto Circuito T"q (s) Constante de Tempo da Armadura .4761 0.2162 1.0022 0. Verifica-se nos primeiros instantes que a corrente e tensão de excitação decrescem rapidamente o que caracteriza uma perda de excitação e que a máquina síncrona estará operando como um “motor” .X2 (PU) Reatância de Sequência Zero .Curto Circuito T"d (s) Constante de Tempo Subtransitório de Eixo em Quadrantura .0126 0. a tensão do sistema e a corrente da carga permanecem constantes pois não há variação de carga. Até o instante 4 segundos.1719 0.X0 (PU) Constante de Tempo Transitório de Eixo Direto .1366 0.0489 Para a instalação elétrica simplificada conforme a figura 3. efetua-se uma simulação com o software [10].0000 0.2495 3. podem também ocorrer danos no sistema mecânico.Curto Circuito T'd (s) Constante de Tempo Subtransitório de Eixo Direto . A tensão e corrente sob a carga (banco de capacitores) sobem rapidamente (figura 3.X"d (PU) Reatância Subtransitória de Eixo em Quadrantura . Se o sistema não for desligado.O gerador em estudo. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 44 . a tensão de excitação e a corrente de campo também permanecem constantes (figura 3.Circuito Aberto T"d0 (s) Constante de Tempo Subtransitório de Eixo Direto .1783 0.27.0038 6.less ou o diodo de Freeweeling).30).0166 0.1655 0.Circuito Aberto T"q0 (s) Constante de Tempo Subtransitório de Eixo em Quadrantura .X"q (PU) Reatância Transitória Saturada X'd (PU) Reatância síncrona de Eixo Direto .28).Curto Circuito TA (s) 1400 1750 480 2105 0.Xd (PU) Reatância síncrona de Eixo em Quadrantura .5221 0. possui as seguintes características elétricas: Potência Ativa (kW) Potência Aparente (kVA) Tensão (V) Corrente Nominal (A) Reatância Subtransitória de Eixo Direto .

Gerador 1750 kVA.0 -4. 480V Gerador 1750 kVA.0 4. 480V SE Ac V PhA 5.900 3.0050 10.0 Corrente A 0.950 4.040 Ef 6. 480V 1.0 4.0 0.00 -0.28 Gerador 1750 kVA.0025 -0.750 3.800 3.00 0.0000 -0.950 Figura 3.50 -1.0 3.0 Ef Corrente A SE Ac V PhA 0.50 0.0 2.00 0.0 -2.29 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 45 .150 4.0 0.0 3.050 4.0 15.0 8.0050 0.0 10. 480V Gerador 1750 kVA.0 10.0 2.100 4.0025 0.0 -5.0 -6.0 5.0 0.2 If Figura 3.0 0.040 -0.000 4.700 If 3.850 3.0 6.

53 0.00 27.00 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 46 . possuem diversos recursos de programação e principalmente de proteção. Alguns geradores possuem proteções com relés de sobretensão (59). Alguns modelos de controladores possuem além do bloqueio capacitivo. relés direcionais de corrente (67). com insumo primário o bagaço de cana. A aplicação de bancos automáticos de capacitores junto a geradores é uma técnica extremamente vantajosa . Esses controladores possuem programação de desligamento e alarme por níveis de tensão (sub e sobre). Uma maneira prática. o banco de capacitores também é desconectado. sub e sobrecorrente. gasolina. ou seja. Neste caso. um ajuste temporizado para desligamento sequencial dos estágios (capacitores). tem-se o benefício da redução dos insumos primários. distorção harmônica.40 3. além da redução das perdas. quando a carga for retirada do sistema.Existem diversas maneiras de efetuar a instalação de capacitores com segurança quando na presença de grupos geradores. com acionamento através de controladores eletrônicos. gás. ou outro meio natural. Como exemplo. como do ponto de vista econômico.00 4. podendo ser aplicados com segurança em sistemas com geração própria. a redução é sentida principalmente na redução das perdas no sistema por efeito joule. desconsiderando as perdas nos transformadores e alimentadores. esta técnica não é possível.75 6. e que esses equipamentos tenham seu comando bloqueado pela carga. além de bloqueio capacitivo. ou outro meio de combustão. Para máquinas com acionamento primário através de grupos geradores diesel. Para geradores de hidroelétricas. perda de excitação (40) entre outros. é recomendada a utilização de bancos automáticos de capacitores. Os controladores eletrônicos mais modernos para uso em bancos de capacitores. Na maioria das plantas industriais. tanto do ponto de vista da liberação potência e redução de perdas elétricas.21 935. pois há uma grande variação de carga (e potência reativa) ao longo do processo produtivo. mas que no caso do sistema tornar-se capacitivo podem operar protegendo o sistema . eólicos. é prever equipamentos de manobra para os capacitores. sempre que o fator de potência for superior a um valor pré-programado. com as seguintes características: Potência Gerada – carga (MW) Potência Gerada – carga (Mvar) Potência Gerada – carga (MVA) Fator de Potência Consumo de bagaço de cana em tonelada/MVA (hora) Consumo total de bagaço de cana em tonelada/hora Potência de Capacitores efetiva (Kvar) 3. estas são proteções apenas do grupo gerador. já com tecnologia microprocessada. uma usina álcool-açucareira de pequeno porte.

e com possibilidade de investimento em novos projetos e processos. implantação e comissionamento U$ 50.07 3. o investimento terá um retorno em menos de dois meses – altamente rentável. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 47 . para um rendimento de 85% tem-se: Potência gerada com o excedente (MWh) Valor total do excedente vendido por co-geração: U$ 34.87 3.48 340.00. Para a planta da usina álcool-açucareira em estudo.34 80.Para um rendimento do sistema em 85%: Valores do Sistema após a Instalação dos Capacitores Potência do Gerador (MW) Potência do Gerador (Mvar) Potência do Gerador (MVA) Fator de Potência Consumo de Bagaço Toneladas/hora Redução de Bagaço Toneladas/hora Redução / dia de Bagaço Toneladas Redução / mês de Bagaço Toneladas 3.48 Valor aproximado do investimento em capacitores.98 0.11 2403. sem a necessidade de aquisição de novos equipamentos inclusive geradores.00/ MW .40 2.85 23.000.000.42 Vendendo o excedente a U$$ 100.

Capacitores de Potência auto-regenerativo. 14. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 48 . Os seguintes parâmetros dos capacitores de potência devem ser considerados: Temperatura de operação: +5°C a +45°C (+5/B) NBR 5282. 4.3 Resistência de isolação: > 1.000 m NBR 5282. A capacidade de curto circuito do alimentador e proteção a montante do banco de capacitores também deve ser avaliada. Capacitores de Potência auto-regenerativo. 33 Tolerância na Capacitância: -5 + 10% NBR 5282.2 Máxima tensão permissível: 1. tipo de acondicionamento e maneira de instalar.4 Baseado nos valores normalizado. devem ser levado em consideração os fatores de correção para temperatura. 5.3. Os fatores de correção podem ser consultados na norma [14]. No Brasil. 4.1 Condutores de alimentação: Devem ser dimensionados para uma corrente de trabalho com no mínimo 135% do valor nominal da corrente do capacitor.4 Manobra e Proteção de Capacitores: Antes de determinar os parâmetros mínimos para os equipamentos de manobra e proteção é necessário o prévio conhecimento dos limites e características de fabricação dos capacitores.4 Corrente de Pico (Inrush): 100 x Inom IEC 60831-1.2 Máxima corrente permissível: 1. na maioria das vezes.4.1 x Vnom /12h a cada 24h NBR 5282. 6. testes e aplicação de capacitores “Shunt” em sistemas de potência são: NBR 5060 Guia para Instalação e Aplicação de Capacitores de Potência. as seguintes características podem ser expressas: Os capacitores podem operar continuamente com uma corrente rms de 31% acima de sua corrente nominal.44 vezes a corrente nominal do capacitor – conforme norma [9].000 MΩ NBR 5060. Todas estas normas têm como base. 4. variável. 5. os equipamentos de manobra e proteção poderão estar sujeitos em regime contínuo a 1.1. Capacitores são equipamentos que sempre operam na sua condição máxima. para uso em sistemas com tensão ≤ 1 kV e IEC 60831-2.3 Altitude máxima: 1. Especificação (complementar). as normas técnicas que regem a fabricação . para uso em sistemas com tensão ≤ 1 kV procedimento de testes. NBR 5282 Capacitores de Potência em Derivação. devida tolerância de fabricação (+10%). parte das normas IEC 60831-1.30 x Inom (rms) NBR 5282. diferente portanto de motores em que a corrente é proporcional a carga mecânica e.

I SC . quando energizado.3 vezes a corrente que seria obtida com uma tensão senoidal de valor rms igual ao valor nominal de fabricação do capacitor.A 1 ωt − + 2 π . conforme [15]: Imax (A) = ou 2 . este é percorrido por uma corrente transitória “i” de energização ou de descarga.2 Equipamentos de manobra: Conforme norma [17].kVLL . 4.4) Imax (A) = E para o cálculo da corrente de curto-circuito trifásico simétrico no secundário de um trasformador . os equipamentos de manobra devem ser dimensionados para operar continuamente com uma corrente de 1. sendo que a corrente é limitada apenas pelas impedâncias do sistema. Esta corrente é uma onda senoidal amortecida. De uma forma simples.2.5) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 49 .π. e operar com 10% de sobretensão (por 12h a cada 24h). sen ωt (4. na energização de um banco de capacitores ou por ocasião da ocorrência de um curto circuito entre fases ou fase e terra no circuito de alimentação do banco de capacitores. comporta-se como um curto-circuito para a fonte de alimentação. de alta frequência. Os efeitos combinados das sobretensões e/ou sobrecorrentes. que pode ser representada por uma equação do tipo : I = I i .ISC (caso mais comum). No dimensionamento dos equipamentos de manobra (como contatores).1 Cálculo da Corrente de Energização .1) (4.103 = 1330. os equipamentos de manobra devem ser dimensionados no mínimo com 144 % da corrente nominal do capacitor. deve-se levar em consideração também a corrente de energização do capacitor (Inrush). desprezando-se a impedância a montante do transformador.2) e ω = 2. pode ser escrita. utiliza-se a seguinte fórmula: I SC = VLL ST ( A) 3 Z% (4. mas limitado aos valores descritos acima não devem ultrapassar 144%. Como o capacitor pode ter uma tolerância em +10% na sua capacitância.4. a corrente de inrush de um capacitor energizado solidariamente.I1 2 CB kVAR .Inrush Conforme referência [16]. O capacitor.3) (4. LS LS 3 (4.fi cujo valor de crista Ii do primeiro semiciclo e a frequência angular ω podem ser calculados como será visto adiante.

e a frequência da componente de amortecimento da senóide, pode ser expressa por: I f (Hz) = f S . SC (4.6) I1 106 ou f (Hz) = (4.7) 2.π . LS .C B Para a energização de um capacitor com outro já energizado no mesmo barramento, temse: Imax (A) = 1747

kVLL .( I1.I 2 ) kVAR1.kVAR2 = 1330 LEQ ( I1 + I 2 ) LEQ .kVART

(4.8) e a frequência:

f (kHz) = 9,5 onde:

fs.kVLL ( I1 + I 2 ) LEQ .( I1.I 2 )

(4.9)

CB = Capacitância do Banco (μF) LS = Indutância do sistema (μH) fs = Frequência do sistema (Hz) LEQ = Indutância total por fase entre capacitores (μH) I1 = Corrente do capacitor que será energizado (A) kVLL = Tensão de linha do sistema (kV) = Tensão de fase do sistema (kV) kVLN kVAR1 = Potência 3φ do capacitor que será energizado (kvar) I2 = Corrente do capacitor (ou banco) que está energizado (A) kVAR2 = Potência 3φ do capacitor (ou banco) que está energizado (kvar) Imax = Pico da corrente de energização (valor de crista do primeiro semi-ciclo) sem amortecimento (A) kvarT= kvar1 + kvar2 (kvar) ISC = Corrente de curto circuito simétrica trifásica no ponto de conexão dos capacitores (A) = Potência do transformador (kVA) ST Z% = Impedância de disperção do transformador VLL = Tensão do linha do sistema (V) Nota 4.2.1: Na prática, introduzimos um fator K , variando de 1,2 a 1,4 conforme [16], multiplicando o valor da corrente Imax; esta constante visa introduzir o efeito do fechamento não simultâneo dos três pólos do equipamento de manobra (disjuntor ou contator) e a pequena contribuição da tensão do sistema.

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

50

A tabela 4.1 (tabela 3 da referência [16]) fornece valores típicos entre bancos de capacitores. Máxima tensão nominal (kV) até 15 16 a 38 39 a 72 73 a 145 146 a 169 170 a 242 Indutância por fase (μH/m) Barrament Cabos os isolados 0,70 0,80 0,85 0,87 0,90 0,95 0,24 0,26 0,28 0,29 0,30 0,32 Indutância por fase do Banco (μH/m) 3 5 7 8 9 10

Exemplo 1) Consideremos a energização de um único banco de capacitores, considerando: Resistência ôhmica do circuito é desprezível; não há tensão residual no banco de capacitores. Nota: Se o capacitor for reenergizado antes que a sua tensão residual tenha sido absorvida pelos resistores internos de descarga, a corrente transitória de reenergização será maior do que o valor calculado pelas fórmulas acima, podendo atingir 2 vezes o valor encontrado. Dados Transformador de 500 kVA, 13,8 kV / 220 Volts, Z = 5,20% e relação X/R = 5,10 ; barramento da concessionária no primário do transformador considerado como infinito; cabo de alimentação do capacitor de 50,0 mm2, acondicionado em conduto metálico em trifólio, com comprimento de 10 metros. Impedância do alimentador - ZAL= 3,41 + j1,02 mΩ Desconsiderar alimentador do quadro geral até o transformador e barramentos. Solução:

Z CC =

(kVLL )2 .Z %
S( MVA)

Z CC =

(0,22)2 .0,052 ⇒ Z
0,50

CC

= 5,04mΩ

X CC =

26,01 2 Z CC ⇒ X CC = 2,21mΩ 27,01

LTRAFO =

X CC ⇒ LTRAFO = 5,862μH 2.π .60

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

51

Como a impedânciao do capacitor é: ZAL= 3,41 + j1,02 mΩ ∴ XLAL 1,02 . 10−3 LAL = ⇒ LAL = ⇒ LAL = 2,71μH 2.π .60 2.π .60 Capacitor ⇒

C=

(kV ) .2.π .60
2

Q( MVAR )

⇒C =

0,050 ⇒ C = 2.740 μF (0,22)2 .2.π .60

Para a manobra do capacitor a partir de um contator tripolar, adotar o fator K de 1,20 (conforme nota 4.2.1); utilizando a Eq.4.7 e Eq.5, a corrente de inrush e frequência são: 50 Im ax( A) = K .1330. ⇒ Im ax( A) = 3.896 A , ou seja A partir da equação 4.8 5,862 + 2,71 36,3 vezes a corrente nominal do capacitor. A partir da equação 4.7 f ( Hz )

106 ⇒ f ( Hz ) = 1,038kHz 2.π . (5,862 + 2,71).2740

Na prática, a corrente de Inrush ocorrerá com menor intensidade (se o capacitor estiver descarregado) devido às impedâncias dos barramentos e primário no transformador que foram desconsideradas; a resistência ôhmica do sistema, geralmente baixa, apenas causará um amortecimento na corrente, sendo responsável pela taxa de decaimento transitória. Utilizando o software [10], efetuamos a simulação do exemplo nº1 com resultado conforme a figura 4.1. Vê-se claramente que a corrente inicial do capacitor atinge valores superiores a 18 vezes a corrente nominal. Na simulação não foi considerado o fator K de simultaneidade de fechamento dos pólos do equipamento de manobra. Capacitor de 50 kvar / 220V
2.00 Corrente de Inrush

1.50

1.00

0.50 Corrente kA (ms)

0.00

-0.50

-1.00

-1.50

-2.00 0.990 1.000 1.010 1.020 1.030 1.040

Figura 4.1

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

52

Exemplo 2) Considerando os mesmos dados do exemplo anterior, mas com um banco de 100 kvar já energizado (02 capacitores de 50 kvar) aciona-se 01 capacitor de 50 kvar, com o mesmo sistema utilizado no exemplo 1. A indutância equivalente do sistema é a soma da indutância do trafo LTRAFO + a soma do ramo paralelo dos dois alimentares (LAL).

Leq = L1 +

1 1 1 + L 2 L3

⇒ Leq = 2,71.10− 6 +

1

(
Imax (A) = 1330

1 x2 2,71.10− 6

⇒ Leq = 4,065μH

)

Pela Equação 4.8, Imax (A) = 1330

k var1 .k var2 ⇒ LEQ .k varT

50.100 ⇒ Imax (A) = 3.808 ou seja, 29 vezes a corrente nominal do 4,065.150 capacitor (desconsiderando neste caso o fator K).
Pela equação 4.9, calcula-se a frequência da componente amortecida. f (kHz) = 9,5
60.0,22.(131,3 + 262,6) ⇒ f (kHz) = 1,83 kHz 4,065.(131,3.262,6)

Comparando-se os resultados dos dois exemplos, vê-se claramente que a maior solicitação ocorre quando se energiza um banco com outro banco já energizado. A figura 4.2 ilustra o resultado da simulação do exemplo 2. Capacitor de 100 kvar energizado. Ligação de 50 kvar / 220 V em paralelo
4.50 4.00 3.50 3.00 2.50 2.00 1.50 1.00 Corrente kA 0.50 0.00 -0.50 -1.00 -1.50 -2.00 -2.50 -3.00 -3.50 -4.00 -4.50 (ms) 1.000 1.010 1.020 1.030 Corrente de Inrush

Figura 4.2
Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 53

Levar em consideração as recomendações da IEEE e ANSI [29]. A oscilografia é mostrada na figura 4. Quando circuitos alimentadores para equipamentos de comunicação estão próximos aos locais de instalação dos bancos de capacitores. deve-se avaliar cuidadosamente os distanciamentos mínimos entre estes e os condutores de alimentação de bancos de capacitores. [30] e IEC [37] no dimensionamento dos equipamentos de manobra. desconsiderando-se a potência da concessionária e dos alimentadores. por isso deve-se ter especial atenção no dimensionamento dos componentes. pois a frequência transitória pode atingir valores muito altos. prejudicando o funcionamento destes equipamentos de comunicação – conforme [36]. na energização.No dimensionamento dos componentes (chaves. a corrente é quase que 2 vezes o valor nominal do capacitor. Como fica evidente. etc) é de suma importância a avaliação da corrente e frequência de energização. A partir de uma instalação para testes.4 Figura 4.3 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 54 . bases fusíveis. verifica-se uma medição da energização de um capacitor de 50 kVAr/380 Volts.3. principalmente quando se projetam grandes bancos de capacitores. conforme figura 4. em especial os de manobra que estarão sujeitos a correntes muito superiores ao valor nominal de projeto. O circuito elétrico da instalação mostrado é simplificado. contatores.

Inrush .Capacitor de 50 kVAr/380V 400 350 300 250 200 150 100 Tensão (V) 50 0 -50 -100 -150 -200 -250 -300 -350 -400 Tempo (ms) Inrush .4 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 55 .Capacitor de 50 kVAr/380V 225 200 175 150 125 100 75 50 Corrente (A) 25 0 -25 -50 -75 -100 -125 -150 -175 -200 -225 Tempo (ms) Figura 4.

5 por S1 (1º) e S2 (posterior).4.sen ωt com. com S1 = Imax = = . O valor de A calculado pela equação acima é praticamente o valor exato se A integral de joule que deve ser suportada pelos equipamentos de manobra. representado na figura 4. ⎜ S1 S 2 S M −1 L⎟ ⎝ ⎠ (4. ( ) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 56 ..2.12) (4.o LC 4 L que é normalmente válido se não forem introduzidas propositalmente resistências de valor apreciável. f ( kHz ) π e Q=− 2.ωt I = Im ax. pode ser expressa por: 1 − +ωt ⎛ ⎞ 2 I t = ∫ ⎜ Im ax. sendo calculado: A= ⎛ S 2 S3 S C⎞ ⎟ .. ω = 2.π .π .14) Portanto o valor de crista da corrente do semi-ciclo “m” será: (4.5. alimentação e proteção.16) e pode ser calculado integrando-se somente entre zero e o tempo tm = m 2. A ou 1 − +ω t 2 .sen ωt ⎟ dt ⎜ ⎟ 0⎝ ⎠ ∞ 2 A4. ft . definido como sendo a relação entre o valor de crista do 2º semiciclo pelo semiciclo anterior da componente senoidal.sen 2 ωtdt = I t=∫ A 0 2 ∞ (4. Am −1 1 5R 2 > 2 .R. = M = 1 − ⎜ 0.Q .e 4.15) Sm = Im = Im ax. A 2 .11) (4. sen ωt (4.13) π − 2.2 Amortecimento da corrente transitória de energização: A corrente transitória de energização é uma senóide amortecida que pode ser representada pelas seguintes equações – [16]: I = Im ax. f correspondente ao semi-ciclo ”m” no qual o valor de crista da corrente transitória Imax alcança aproximadamente 40% do valor de crista 2. ln( A) “A” representa o fator de amortecimento de crista da corrente.In da corrente nominal In do banco.10) (4.

06-1987 – Preferred Ratings and Related Required Capabilities for AC High-Voltage Circuit Breakers on a Symmetrical Basis – informa os valores mínimos requeridos para os equipamentos de manobra de capacitores para os componentes fabricados conforme esta norma. com uma corrente de energização exponencial com valor de crista dependente do valor da reatância X do circuito (e taxa de amortecimento proporcional à constante R do sistema de alimentação). além da corrente térmica admissível. uma corrente térmica de 80 A na categoria AC3 (também conforme catálogo do fabricante até 480 Vac) e aproximadamente 77 A na categoria AC6-B (conforme IEC [37]).3 Importância do cálculo da corrente de energização: Pequenos bancos de capacitores. Como foi dito. uma corrente máxima de crista que podem suportar por um determinado período. Por exemplo: um contator tipo LC1D80 possui uma corrente máxima de crista de 3. Os estudos devem ser avaliados principalmente em bancos de média tensão.5 Os equipamentos de manobra como contatores tripolares devem ser dimensionados para as correntes de regime (144% de In) como também as transitórias. (sendo denominada de categoria AC-6B).2. Os equipamentos de manobra possuem. limitando o valor de pico da corrente aos máximos informados por cada fabricante. o banco de capacitores se comporta como um curto-circuito. Quando diversos estágios estão associados. não necessitam de um estudo especial. na energização. A norma IEC 60947 [37] .040 A (conforme catálogo do fabricante). Como referência. define as fórmulas para o cálculo da corrente mínima necessária ao contator para manobra de capacitores. mesmo que automáticos. Isto quer dizer que se este contator for manobrar um Capacitor em Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 57 . 4.S2 S3 S4 S1 Figura 4. devem-se introduzir indutâncias de Inrush (ou resistores de pré-arco) para reduzir o efeito transitório. a norma [30] IEEE C37. sem danos eletromecânicos.

20. Solução: Calcula-se a corrente nominal do capacitor: I N ( A) = 30000 = 78.3 vezes a corrente nominal do capacitor – conforme norma [9]. considerar a potência de curto. Considerar a manobra a partir de um contator tripolar com corrente térmica em AC-3 de 115 A. Maiores detalhes quanto à proteção de bancos de capacitores pode ser consultada na referência [15] e norma [16]. recomenda que a regulagem do disjuntor . 4.78 x 1. Cálculo da corrente de Inrush: A partir da equação 4. Do ponto de vista térmico o contator pode ser utilizado.4 A → e 113.73 A .052 e a corrente de Inrush. e como 1.355 kA 220 3 0. Já a referência [42].3337 kA < 3.3: I i = 2 11. serem ajustados com 1. utilizando relés de desbalanço no caso de bancos em dupla-estrela.040 A e que a corrente térmica nominal para aplicação a Capacitores for inferior a 77 A .355 x 0.3337 kA . Exemplo 3) Considere a manobra de um capacitor de 30 kvar/220 Volts. devem em geral. a partir de um transformador de 225 kVA. o fabricante só garante uma condição dinâmica se a corrente de crista for inferior a 3. Verificar se o contator suporta a manobra desse capacitor. o contator dimensionado pode ser utilizado para a manobra do capacitor. pela equação 4. Disjuntores são normalmente dimensionados entre 120 e 150% da corrente nominal dos capacitores.07873 ⇒ Ii =1. fique num range entre 165% e 200% da corrente nominal Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 58 .qualquer condição (automática ou único estágio).040 A. ∴ I = 78.circuito da concessionária como infinita. e corrente máxima de crista de 3. com Z% = 5. relés direcionais de corrente (67) ou sistemas com proteção por tensão (59R).5. I SC = 225 ( A) ⇒ I SC =11. em condições médias. mas o equipamento de 220 3 manobra deve suportar continuamente no mínimo 144 % de IN. Grandes bancos de capacitores.44 = 113. sendo que estes últimos são geralmente utilizados na média e alta tensão.4 A < 115 A.3 Proteção de bancos de capacitores: A proteção de bancos de capacitores pode ser efetuada por fusíveis. principalmente os de média e alta tensão.040 kA e portanto suportável pelo contator definido acima. necessitam de um estudo técnico detalhado do modelo de proteção. disjuntores termomagnéticos e relés de proteção (diretos ou indiretos).

Z % ICC3φ = Corrente de curto-circuito trifásico simétrica (kA) = Tensão fase-fase do circuito (kV) VLL S = Potência nominal do transformador (MVA) Z% = Impedância de dispersão (curto-circuito) do transformador I CC 3φ = A partir da equação 4. Deve-se levar em consideração não só a característica de tempo x corrente da atuação térmica mas principalmente a capacidade dinâmica.0520 Considerando um disjuntor comercial. possúi as seguintes características: • • • • Corrente premanente = 160 A.50 x 66 ⇒ IDJ = 100A . Interrupção em serviço @ ICU = 50 kA Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 59 . geradores e os próprios capacitores) é: S .62 kA 440 . 3 . que conforme o catálogo “Disjuntor CX Moldada DW” da WEG.5: I CC 3φ = 500 ⇒ I CC 3φ = 12. devido às altas correntes de inrush presentes. Exemplo 4) Considerando um capacitor de 50 kvar / 440 V. de fabricação da WEG. Conforme já definido na equação 4. e de uma forma prática. enquanto os demais devem ser dimensionados com 150% da IN do capacitor. a corrente de curto circuito simétrica máxima (desconsiderando as contribuições de motores. onde VLL . considerando a potência de curto-circuito na entrada de média tensão como infinita.5. calcular o disjuntor terno-magnético de proteção geral.2 kV / 440 V.do capacitor (NEC – National Electric Code). os disjuntores de caixa moldada com disparador magnético devem ser dimensionados com 135% da corrente nominal. Interrupção em curto-circuito @ 440 Vca ICU = 50 kA. Conforma a norma Americana IEEE Std 1411796 [28]. Cálculo do disjuntor: 50 ⇒ I CAPACITOR = 65. 3. com impedância de disperção Z% = 5.60 A e a corrente térmica mínima do disjuntor é: 440 3 IDJ = 1. 0. Corrente nominal = 100 A. I CAPACITOR = A capacidade de curto circuito mínima deste disjuntor deve ser calculada em função da corrente de curto circuito trifásica simétrica no ponto de conexão do capacitor. poderíamos utilizar o disjuntor DWA 160-N 100 A. Para o mesmo exemplo.20 %. calcular a corrente de curto-circuito simétrica trifásica no secundário do transformador de alimentaão: 500 kVA de 13.

poderá haver danos a todo o conjunto (alimentadores.012-1979 [46] IEEE Application Guide for Capacitance Current Switching for AC High-Voltage Circuit Breakers Rated on a Symmetrical Current Basis. Algumas chaves e bases possuem redução da capacidade ICC em função do nível de tensão aplicado. um fusível de 125 A seria utilizado. define uma ICC mínima de 6 kA. poderia ser utilizado como referência o de fabricação WEG tipo F00NH125. além das capacidades nominais de corrente térmica. Considerando um fusível comercial de 125 A. na prática utiliza-se o valor de 165% da corrente nominal. quantidades maiores poderão não estar completamente protegidos por fusíveis. mesmo considerando-se que a norma IEC 60269-1 [31] Low-Voltage Fuses. 4. para utilização de proteção por fusíveis NH: I FUSÍVEL = 65. avaliar a capacidade das chaves seccionadoras ou base fusível com relação ao nível máximo suportável. será adotada a metodologia dada pela ANSI/IEEE C37. o tempo de atuação poderá ultrapassar a capacidade dinâmica do capacitor (e nível de ruptura da caixa). causando danos a todo o conjunto. A referência [46] define que disjuntores para alimentação de bancos de capacitores singelos e em paralelo. Com os fusíveis a preocupação com a capacidade ICC é menos crítica. visto que no mercado. Outra informação importante acerca das proteções. etc) danificando inclusive os demais capacitores “bons”.60 . Complementando o exemplo 4. é que deve se limitar a proteção de grupos de capacitores (principalmente com fusíveis) a um máximo de 02 capacitores por proteção. geralmenta a capacidade de interrupção dos disjuntores decai com o aumento da tensão aplicada. pois numa falta.24 A Utilizando o valor padronizado mais próximo. com riscos a equipamentos e pessoas próximas.65 ⇒ I FUSÍVEL = 108. Os fusíveis são dimensionados entre com 165% e 250% da corrente nominal do capacitor – conforme referência [2]. 1. chaves. Para sobrecargas. curva gG/gL. Já na referência [42] os fusíveis devem ser dimensionados num range entre 165% e 200% da corrente nominal do capacitor (NEC – National Electric Code). a capacidade de ruptura mínima encontrada é de 100 kA. para os modelos gL/gG.4 Transitórios de energização de grandes bancos de capacitores: Como base. Devem ser utilizados fusíveis do tipo retardados (gL/gG). Em complemento serão adotadas as referências [30].Importante: Lembrar sempre que. Deve-se porém. com mais de dois capacitores numa única proteção. interrupção em serviço Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 60 . principalmente devido os esforços eletrodinâmicos envolvidos. [45] e [47].

e 110 % da tolerância da capacitância. Current Current rms kA. rms 9 15 1200 40 . Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 61 .19) ∂i ∂i Dj max ≥ Calculado ∂t ∂t (4. rms 250 Definite-Purpose Breakers Back-toBack Capacitor Switching Line Rated Rated Rated Rated No.20) Sendo: INDj = Corrente térmica nominal do disjuntor (A) = Corrente de interrupção simétrica nominal (A) ICCDj ∂i Dj max = Taxa de variação máxima da corrente pelo tempo suportável pelo disjuntor. necessitam ter uma capacidade adicional de manobrar altas correntes transitórias.1 a 4.20: Dados dos Disjuntores: Tabela 4.2 (1A da ref [46]) General Data General Purpose Circuit Breakers Rated Isolated Capacitor Bank Current Amperes. utilizando as fórmulas de 4.6. que para uso geral pode alimentar um banco de capacitores em singelo com corrente de até 630 A. ∂t para uma determinada condição e aplicação (A/μs) ∂i Calculado = Taxa de variação da corrente pelo tempo suportável calculada para uma ∂t determinada condição de energização de bancos de capacitores (A/μs) FC = Fatores de correção da corrente nominal do capacitor (133 % de IN. com frequências superiores à fundamental.17) (4.9 e 4.π f . De uma maneira geral deve se satisfazer as seguintes condições condição: IN Dj (Térmica) ≥ IN Banco de Capacitores x FC Icc Dj (Interrupção Simétrica) ≥ Icc simétrica no ponto de conexão do Dj I x 2 .17 a 4. Amperes. Maximum Continuous ShortCable Voltage Current Circuit Charging kV.e em curto-circuito.50 25 Rated Rated Rated kA. rms Amperes. Frequency Hz Isolated Cable Capacitor Peak Capacitor Charging Bank Bank Current Current Current Amperes. totalizando 144%) Exemplo 5) Considerando o sistema dado pela figura 4. rms rms rms 630 25 630 15 2000 • Inicialmente adotaremos o disjuntor com capacidade de corrente de curto-circuito nominal de 50 kA. 2 ⎛ A ⎞ ∂i Dj max = CC ⎜ μs ⎟ ⎝ ⎠ 106 ∂t e (4. Amperes.18) (4. rms Amperes.

8 = 19.Z CC = 13.08524 mH e 2π 60 LTOTAL = LEQT + LBAR + LP = 1.tap sob carga dos transformadores Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 62 .40912 = 1.015254 + j 0.8 kV) ∴ L = 126.41855 Ω ∴ I CC 3φCAP = 13.11024 mH ZTOTAL = 0.40912 Ω ∴ I CC 3φ = 13.29μH 4000 ZT = 0.02 kA (no capacitor) 3 x0.015254 + j 0.461 kA (na barra de saída do trafo) 3 x 0.8 = 19.030507 + j 0.08524 mH + 20μH + 5μH ∴ LTOTAL = 1.3615 Ω Zconc + Z 2T // = 0.41883 sendo: Ii = corrente transitória de energização (kA) fi = frequência transitória de energização (Hz) In = corrente nominal do banco de capacitores (kA) LP = Indutância própria dos barramentos do banco de capacitores (μH) LBar = Indutância própria dos barramentos de interligação (μH/m) LTC = “Load Tap Changer” .015254 + j 0.72303Ω (Lado 13.04761 Ω (lado 13.40941 LEQT = 0.82 = 0.8 kV) Como são 2 transformadores em paralelo: Z 2T // = 0.

1 1200A 15kV VÁCUO 52.389 kA mas devemos corrigir para a máxima condição de corrente 13.1MVAR 13.10 .8 kV C2 4.80 μH/m 50 metros 52. 1.1MVAR 13.5 X/R=23.8kV Z%=9.8 kV Figura 4.70 C/ LTC Concessionária 138kV Scc=4000MVA T1 25MVA 138/13.1MVAR = 0.5 X/R=23.2 1200A 15kV VÁCUO LP=5 μH LP=5 μH C1 4.4883 kA e I i (kA) = 2 x I CC xIn Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 63 .31 → I MAX Capacitor = 0.70 C/ LTC LBar =0.6 1º Caso: Energização apenas do 1º banco de capacitores: Desprezando as indutâncias para o cálculo da corrente nominal: 8.8 x 3 (110% na capacitância e 130% de sobrecorrente) ∴ In = I MAX Capacitor = 0.~ T1 25MVA 138/13.389 .8kV Z%=9. 1.

333 (kA) LEQ 50 x10− 6 fi = 13.14 A/μs).023 → fi = 60 x → fi = 374. 1) IN Disjuntor (630 A) > IMAX Capacitor (488.03 kA). Para a configuração em singelo o disjuntor pode ser utilizado.3 A). ∂i 4310 x 2 x π x 374.424 A = = μs .66 A/μs) > ∂i/∂t do banco de capacitores (10.I i (kA) = 2 x 19.5 x fsxVLL x10−9 60 x13. pois todas as condições de suportabilidade foram satisfeitas. a taxa de crescimento da corrente passa a ser: ∂i 14333x 2 xπx 2490 22.5 x → fi = 2.488 Para a energização em “Back-to-Back”.49kHz LEQ xIn 50 x10− 6 x0. (energização do banco de capacitores) ∂t 106 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 64 .488 → I i = 4.8 x10 −9 → fi = 13.8 x0.023 x 0.49 Hz In 0. 3) A corrente de curto-circuito máxima do disjuntor (50 kA) > a corrente de curto-circuito na barra do banco (≈ 19.488 x10−9 I i (kA) = 1235 x → I i (kA) = 1235 x → I i = 14.310 kA fi = fs x I CC 19. A partir da obtenção da corrente e frequência transitória de energização. 2) ∂i/∂t do disjuntor (26.49 10. capacitores). com o 1º banco ligado: LEQ = 2 x LP + LBAR = 2 x 5μH + 40μH = 50μH VLL xInx10 −9 13. temos uma taxa de elevação de corrente máxima permitida de: ∂i 50000 x377 2 26.488 Como o disjuntor proposto tem uma ICC (para uso geral) de 50 kA (apenas para manobra em singelo).14 A = = μs (banco de 106 ∂t 2º Caso: Energização do 2º banco de capacitores. verificamos a suportabilidade do disjuntor.66 A = = μs (disjuntor) ∂t 106 Para a energização em singelo.

as condições de corrente e frequência transitórias.5 x fsxVLL x10−9 60 x13.67 A = = μs . Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 65 . (disjuntor) 106 ∂t Neste caso as duas condições devem ser satisfeitas. a princípio. Como a corrente de pico ficou abaixo da capacidade do disjuntor mas a frequência transitória ultrapassou o limite estipulado pelo fabricante (2 kHz) e também o ∂i/∂t ficou acima da capacidade do disjuntor. tem uma capacidade máxima de ICC =15 kA – pico) e uma frequência transitória máxima de 2 kHz. o disjuntor poderia ser utilizado com segurança.50mH = 1.488 x10−9 → I i (kA) = 1235 x → I i = 3.488 Para esta condição de energização em “Back-to-Back”.5 mH (Li na figura 4. nos dando: ∂i 15000 x 2 π x 2000 18.concluindo-se neste caso que. (energização em back-to-back) ∂t 106 Neste caso.2 (1A da ANSI/IEEE C37. Ver o tópico abaixo onde se conclui que a obtenção apenas dos valores transitórios de energização não garantem que o disjuntor poça ser utilizado com segurança.128 (kA) LEQ 1050 x10− 6 fi = 13.7) por banco de capacitores. pois é necessário avaliar a corrente de curto-circuito transitória (pico). a frequência transitória fi deverá ser menor que a capacidade do disjuntor e a corrente de pico Ii de energização deverá ser menor que a ICC de pico máxima do disjuntor para propósito definida.Consultando a tabela 4. têm-se: LEQ = 2 xLP + LBAR + 2 xLi = 2 x5μH + 40μH + 2 x0.850 A = = μs .8 x10 −9 → fi = 13. Solução: Utilizando uma indutância de 0. estão abaixo da capacidade máxima permitida para este disjuntor. calcula-se novamente o “rate of change”: ∂i 3128 xπx543 10. é necessária a colocação de indutâncias de limitação das correntes de Inrush.050mH I i (kA) = 1235 x VLL xInx10 −9 13.5 x → fi = 543Hz LEQ xIn 1050 x10 − 6 x0. ou seja. vemos que o disjuntor escolhido para aplicações definidas (Back-to-Back).8 x0.06-1997).

Vejamos a figura 4.1 ficará submetido à maior solicitação.1MVAR 13.1MVAR 13.97088mH LB=20 μH LB=20 μH 52.1 Uma discussão sobre a corrente de curto circuito.1 1200A 15kV VÁCUO 52. Serão analisadas 2 situações: A primeira desconsiderando as resistências existentes e a segunda incluindo-as no circuito.7 4. 1 – De regime permanente: Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 66 .7 Considerando um curto-circuito no capacitor C1 teremos 2 componentes que alimentarão este ponto.8 kV C2 4. onde o disjuntor 52.8 kV Figura 4.4.Ls=0. uma originária da concessionária em regime permanente e outra transitória pela descarga do banco de capacitores C2.2 1200A 15kV VÁCUO Li=500 μH Li=500 μH LP=5 μH Curto-circuito LP=5 μH C1 4.

17 ms) podendo atingir: Ipico=21. Porém o fabricante do disjuntor deveria ser consultado.268 → I 1 (t ) = 21.105 sen(377t )kA 0.108 x10 − 6 C L C 106 fi = = 649.050 x57.288 Considerando as resistências nulas e neste caso não há amortecimento da corrente transitória.268 sen(2 xπx649. Z S = X S + ( LB + LP + LI ) x 2 xπx60 3 Z S = 0.729 kA o que a princípio impossibilitaria a utilização do disjuntor previamente escolhido devido a corrente de pico ser superior a 15 kA (tabela 4.050 x10 −3 L − V0 = = 4. Neste caso deveríamos substituir os disjuntores por outros com maior capacidade de suportar a corrente de pico ou aumentar as indutâncias em série.101+2.268kVP . visando reduzir a corrente de pico. Esta última alternativa deve ser cuidadosamente avaliada.108 i2 (t ) = 11.36601 + (20μH + 500μH + 5μH ) x 2 xπx60 → Z S = 0.5639Ω ∴ E0 = Em regime permanente: I 1 (t ) = 2 – De regime transitório: Haverá a descarga do banco de capacitores C2 sobre o barramento sob curto.13. e a máxima corrente ocorrerá após ¼ de ciclo (≈ 4. pois quanto maior a indutância mais a frequência de ressonância do conjunto (indutor-capacitor) será reduzida – como será abordado no tópico de filtros.288Ω i2 (t ) = sen(ωt ) . Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 67 . Utilizando as transformadas de Laplace.1. com a corrente total atravessando o disjuntor 52.628 → Ipico=23. temos: 11.95 t ) ∴ i2 (t ) = 2.95Hz 2 xπx 1. 57.-circuito. e p/ i0=0 sc s 1.5339 Ldi 2 (t ) 1 0 = Vi(t ) + Vc(t ) → 0 = + ∫ i2 (t )dt C dt 2 i I (s) V 0 0 = sLI 2( s ) − 0 2 + .2).8 x 2 = 11.628 sen(4084t )kA 4. Na realidade os cálculos são aproximados e um estudo detalhado deve incluir as resistências do sistema a fim de avaliar corretamente a corrente transitória de Inrush.

utilizando a transformada de Laplace: E 0 = L3 di + RsI dt e E0 = Ex 2 ∴o que nos dá: 3 t − E I1 (t ) = 0 x[sen (ωt + ψ − ϕ ) − e τ sen(ψ − ϕ )] ZT onde: ZT = 0.valor da impedância de curto-circuito R 2 + X 2 E0= Tensão eficaz de alimentação (kV) ω = frequência angular (2 π f) t = tempo (s) Ψ = ângulo de ligação da tensão E0 quando se estabelece o curto circuito (no nosso exemplo zero) ⎛ X ⎞ τ = constante de tempo da corrente contínua ⎜ ⎟ ⎝ ωR ⎠ ⎛X⎞ ϕ = ângulo da impedância de curto-circuito da rede arctg ⎜ ⎟ ⎝R⎠ e substituindo valores: − 13.91)] 0.99 xe 2) Para I2: ] L4=L2+2xLB+L1+2xLP . concessionária. o ramo LC pode ser simplificado para a máxima transferência de energia: 1 1 2 Li max = CV 2 max ∴ 2 2 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 68 .08089 + j 0.91) + 0.575 3 − t 0 . 1) A corrente de curto-circuito I1.5693Ω . 0=VC+VL. 019 sen(−81.91) − e 0. transformadores e dos próprios capacitores. Vamos analisar o mesmo caso agora incluindo apenas a resistência de dispersão do transformador.8 2 I 1 (t ) = x x[sen (2π 60t − 81. pode ser assim determinada: L3=LS+LB+L1+LP. C1 = C ∴ Em termos de energia.60 x[sen (377t − 81.levando-se em conta as resistências dos barramentos. 019 ( ) t I 1 (t ) = 19. conforme [45] e [47].

sendo: VC = 13.8 x(− j 46.99 2 I 2 (t ) = x → I 2 (t ) = 2.8 kV Figura 4.664kA e para a corrente total: 3 1.499) 13.8 kV C2 4. onde: Im ax = → Im ax = dt dt L C Substituindo os valores: 13.499) = 13.1 1200A 15kV VÁCUO 52.5693 − 46.2 1200A 15kV VÁCUO L1 Ls LP Li=500 μH Li=500 μH ~ I1 I2 C LP=5 μH Curto-circuito LP=5 μH C C1 4.108 x10− 6 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 69 .03089 Ω Ls=0.99kV e neste caso: 0.0308 + j (0. a tensão em regime permanente sob o banco de capacitores será levemente superior à tensão nominal do sistema.1MVAR 13.1MVAR 13.97088mH LB=20 μH LB=20 μH Rs L2 52.05 x10 − 3 57.99 x 2 3 L C L di (t ) L Cd 2t V max VC + 4 = 0 .~ Rs=0.8 Considerando o divisor de tensão dado pelas impedâncias do circuito. VC (t ) + 4 2 = 0 .

874 kA. mesmo inserindo-se as indutâncias de inrush. pois as condições transitórias de curto-circuito estarão acima de suas características nominais. Breaker Type Nominal Voltage Class kV 13. Esta última alternativa deve ser cuidadosamente avaliada. a máxima corrente ocorrerá aproximadamente após 9. Voltage kV Low Freq. atingindo neste caso Imax = 22.99 xe 0. Porém o fabricante do disjuntor deveria ser consultado.019).91) + 0. dos TC's. pára-raios. TP’s.019 ⎟ + 2.664kA Im ax(t ) = ⎜ ⎟ ⎝ ⎠ Como a constante de tempo é relativamente baixa (0. Como exemplo. peak Crest rms 95 40 40 104 ADVAC Breaker Continuous Current Rating 1200 A General Definite Purpose Purpose 250 630 Rated Voltage Range Factor K 1 15ADV23 15 Rated Maximum Voltage (kV RMS) 15. Neste caso também deveríamos substituir os disjuntores por outros com maior capacidade de suportar a corrente de pico (back-to-back) ou aumentar as indutâncias em série.664) kA.60 x[sen (377t − 81.35 ms com valor de crista de (20.0 Rated Short Circuit Current (kA RMS) 18 O assunto é mais vasto sendo sempre necessário o estudo do sistema de proteção. Withstand Voltage kV 36 Impulse Rated Short Short Time Close and Level Circuit Current kA Latch kA (BIL) kV Current kA rms 2 Sec. etc. levando-se em consideração todas as impedâncias do sistema. o disjuntor escolhido não poderia ser utilizado. pois quanto maior a indutância mais a frequência de ressonância do conjunto (indutor-capacitor) será reduzida – como será abordado no tópico de filtros. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 70 .8 Rated Max. visando reduzir a corrente de pico.t ⎛ ⎞ − ⎜19. Portanto.21+2. o disjuntor da ABB tipo ADV23 cujas características são dadas nas tabelas abaixo poderia ser aplicado.

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 71 .sen(ωt + θ − ϕ ) . Primeiramente devemos entender e quantificar o fenômeno harmônico. Por exemplo. ou reduzi-los. que carga linear é aquela que apresenta como resposta a um determinado sinal elétrico de frequência fixa (tanto de tensão como de corrente). apenas uma alteração na amplitude ou deslocamento fasorial deste sinal. (5. ωt a frequência angular. quando dizemos que a tensão de fornecimento da concessionária é 220 Volts. Todas as grandezas elétricas. • Cargas lineares e não lineares: Podemos dizer como definição.sen(ωt + θ ) .5 Harmônicos em sistemas de potência – definições. A figura 5. ou seja. t o instante de tempo θ é o ângulo de fase da tensão.2) IM representa a corrente de pico e ϕ representa o ângulo do fator de potência da carga. Por exemplo se alimentarmos um motor de indução com uma tensão senoidal. sendo: I (t ) = I M . onde (5. As grandezas elétricas variáveis no tempo geralmente são expressas por funções matemáticas senoidais ou cossenoidais. mas podem amplificá-los.1 representa a forma de onda da corrente uma carga linear (como por exemplo um motor de indução). A expressão acima é válida somente se as componentes fundamentais das grandezas (I ou V) estiverem presentes. podem ser expressas por funções matemáticas. causas e consequências Os capacitores não geram harmônicos. Deve-se ter principal atenção às normas e procedimentos tanto nacionais quanto internacionais para que os equipamentos não sejam danificados (além do risco de acidentes) quando os limites de distorção harmônica forem ultrapassados. suas causas e consequências. onde VM é o valor máximo (pico) da tensão. a forma de onda possuir apenas 60 Hz.1) A corrente também pode ser expressa por uma equação com variação senoidal. na realidade. apenas com um defasamento angular. a função matemática que define esta forma de onda no tempo é: V (t ) = VM . independentes de sua origem e complexidade. a corrente terá a mesma frequência e forma de onda da tensão. estamos nos referindo ao valor eficaz da tensão senoidal.

representa um retificador de meia onda não controlado (a diodo) com carga resistiva e indutância na etapa DC. um sinal elétrico (tensão ou corrente) deformado.1 – Carga Linear CARGA NÃO LINEAR 0.20 0.620 0.30 0.2 .630 0. apresentam como resultado. são aquelas que alimentadas a partir de um sinal elétrico de frequência fixa.650 0.650 0.610 0.10 -0.630 0. A figura 5.30 (ms) 0.600 0.20 0.10 kA / kV 0.640 0.20 (ms) 0. verifica-se facilmente que a forma de onda da corrente é uma componente senoidal apenas em um semiciclo. CARGA LINEAR Corrente 0.10 kA / kV 0.620 0.10 -0.610 0.00 -0.2 – Carga não Linear Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 72 .660 Tensão Figura 5.660 Corrente Tensão Figura 5.00 -0. podendo ou não haver deslocamento fasorial entre o sinal de entrada e o sinal consumido.640 0.20 -0.Cagas conhecidas como não lineares.600 0.

por ocasião da instalação de conversores. grandes consumidores eletrometalúrgicos e transmissão de energia em corrente contínua. O acoplamento mecânico entre os sistemas alternado e contínuo transmitia potência e ao mesmo tempo isolava-os eletricamente. motores e outras cargas que exigiam alimentação em corrente contínua . entre outras. Eventos semelhantes a este foram registrados diversas vezes. especialmente se os retificadores eram do tipo controlado com alto ângulo de disparo dos thiristores. Com o avanço da eletrônica em estado sólido. houve a necessidade do conhecimento mais profundo dos problemas de geração de harmônicos. tendo principal impulso durante a o estudo e construção da usina de Itaipu entre 1960 e 1980. surgiu o conversor estático de potência . com a introdução dos semicondutores de potência associando baixo custo e alta eficiência. A grande utilização dos conversores estáticos de potência se deu entre 1930 e 1970. principalmente com a utilização de fornos a arco. quando as linhas de comunicação compartilhavam o mesmo caminho do sistema de corrente alternada. as conversas telefônicas foram interrompidas devido surgimento de um forte nível de ruído na linha telefônica. como grandes laminadores. Quando esta instalação foi energizada. Por volta de 1920.1 e 5. a formulação das equações 5. na década de 20. iniciou-se grande utilização desses componentes no setor industrial. proporcionando o aparecimento de conversores controlados de tamanho reduzido. ressonância e seus efeitos. com a substituição das válvulas retificadoras a mercúrio pelos diodos e thiristores.retificador -. Cargas deste tipo. No Brasil o tema "harmônicos" é relativamente recente. O primeiro problema do processo de retificação foi o aparecimento de correntes e tensões harmônicas fluindo entre os sistemas CA e CC. além de grande consumo de potência “reativa”. suficiente o bastante para tornar impossível a conversação. O segundo problema foi o pobre “fator de potência”.2 dadas Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 73 . UT. destacou-se a utilização da eletrotermia. O grande impulso porém só ocorreu a partir de 1970. passou a ter aplicações industriais por ser mais eficiente que os grupos moto-geradores e ter menor custo principalmente de manutenção. Uma das principais aplicações foi numa refinaria de cobre situada em Salt Lake City. Usina que transmite tanto em corrente contínua como corrente alternada (50 e 60 Hz por ser binacional e alimentar parte do Paraguai). Na época. principalmente com finalidades eletroquímicas. [39] e [44] -.CC -. levando diversos profissionais Brasileiros a se especializar nesses fenômenos em outros países e adquirir as técnicas de análise e modelamento de sistemas na presença das distorções harmônicas.5. como inversores de frequência. Após 1973 com a crise do petróleo. apresentam variações de corrente muito rápidas. A partir de 1965. principalmente entre 1910 e 1960 . obtinham energia de grupos moto-geradores. soft-starters e acionamentos em corrente contínua. A alimentação elétrica da refinaria localizava-se paralela às linhas telefônicas.[38].1 Histórico: Por muito tempo.

em particular há uma demonstração do teorema de Fourier com a posição das raízes de uma equação algébrica. Essas cargas. se contínuas ou não.anteriormente. produzem distorções na forma de onda da corrente (ou tensão). A solução final do problema foi determinada em 1829 por Jacques Charles François Sturm. na qual ele baseia-se no raciocínio da “Lei de Newton da Refrigeração”. passam a não representar com veracidade a forma de onda da tensão e corrente nos sistemas elétricos. devem ter um tratamento especial. fornos de indução e a arco. são produzidas correntes distorcidas não mais representada pela equação 5. 5.2 A série de Fourier: A série de Fourier de uma função periódica x(t) tem a seguinte representação: ∞ ⎛ ⎛ 2πnt ⎞ ⎛ 2πnt ⎞ ⎞ x(t ) = a 0 + ∑ ⎜ a n cos⎜ ⎟ + bn sen⎜ ⎟⎟ ⎜ ⎟ ⎝ T ⎠ ⎝ T ⎠⎠ n =1 ⎝ (5. contendo o material original. Esta ferramenta matemática. podem ser expandidas em uma série de senos dos múltiplos desta variável . conforme exemplificado acima. além dos transformadores de núcleo saturado. em 1822 publicou sua “Théorie analytique de la chaleur”.2. etc. vídeo cassete. Posteriormente editado em 1831 por Claude Navier. são alimentadas por uma tensão senoidal.um resultado que é usado constantemente na análise moderna. DVD.3) Esta expressão constitui uma representação no domínio da frequência de uma função periódica. computadores pessoais. Fourier deixou o equacionamento não terminado. A prova de Fourier é igual a que normalmente é dada nos livros de ensino na teoria de equações. e cargas do nosso dia a dia como fornos de micro ondas. Quando as cargas ditas não lineares. e em consequência. neste trabalho ele mostrou que todas as funções de uma variável. também utilizada para a decomposição de formas de onda periódicas em funções matemáticas simples . sendo: a0 = é o valor médio (ou DC para os sinais elétricos) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 74 . Jean Baptiste Joseph Fourier [41].decomposição de uma forma de onda qualquer em uma somatória (pelo teorema da superposição) de senos e co-senos pode ser aplicada com facilidade na análise dos harmônicos.

9) a0 = x(t )dt T −T∫/ 2 Os coeficientes podem ser determinados pela multiplicação da equação 5. neste caso a equação (5. e a integração se dará entre -T/2 e T/2.3 por ⎛ 2πmt ⎞ cos⎜ ⎟ onde m é qualquer inteiro positivo. Da mesma forma os termos an são zero.7) ⎟ + bn sen⎜ ⎟⎥ dt ⎢a 0 + ∑ a n cos⎜ ∫2n=1 ⎣ ⎝ T ⎠ ⎝ T ⎠⎦ −T / 2 −T / e cada termo pode ser integrado individualmente como uma somatória. pois a função é ortogonal para todos os valores de n e m. o componente a0 pode ser determinado integrando-se ambos os lados da equação 5.8) Fazendo-se as devidas substituições os termos da série de Fourier serão: 1 (5. a menos que m = n. ⎝ T ⎠ T /2 ∞ ⎡ ⎡ ⎛ 2πmt ⎞ ⎛ 2πnt ⎞ ⎛ 2πnt ⎞⎤ ⎤ ⎛ 2πmt ⎞ x(t ) cos⎜ ⎟dt = ∫ ⎢ao + ∑ ⎢an cos⎜ ⎟ + bn sen⎜ ⎟⎥ ⎥ cos⎜ ⎟dt = ∫/ 2 ⎝ T ⎠ ⎝ T ⎠ ⎝ T ⎠⎦ ⎦ ⎝ T ⎠ n =1 ⎣ T −T / 2 ⎣ T/2 T /2 ao + ⎛ 2πnt ⎞ cos⎜ ⎟dt + ⎝ T ⎠ −T / 2 T /2 ∫ T/2 ⎡ T /2 ⎛ 2πnt ⎞ ⎛ 2πmt ⎞ ⎤ ⎛ 2πnt ⎞ ⎛ 2πmt ⎞ an ∫ cos⎜ x cos⎜ dt + bn ∫ sen⎜ ⎟ cos⎜ ⎟dt ⎥ ⎟ ⎟ ∑⎢ ⎝ T ⎠ ⎝ T ⎠ ⎦ ⎝ T ⎠ ⎝ T ⎠ n =1 ⎣ −T / 2 −T / 2 ∞ (5. bem como todos os termos bn. sendo ortogonais.3 entre –T/2 e T/2 de um período T: ∞ ⎡ ⎛ 2πnt ⎞ ⎛ 2πnt ⎞⎤ (5. então: T /2 ∫ x(t )dt = T /2 T /2 ⎡ T /2 ⎛ 2πnt ⎞ ⎛ 2πnt ⎞ ⎤ x(t )dt = a0 ∫ dt + ∑ ⎢an ∫ cos⎜ ⎟dt + bn ∫ sen⎜ ⎟dt ⎥ ∫ ⎝ T ⎠ ⎦ −T / 2 − T / 2 n =1 −T / 2 ⎣ −T / 2 ⎝ T ⎠ T /2 T /2 ∞ (5.11) ⎟dt + −T / 2 2 ∫−T / 2 ⎝ T ⎠ T /2 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 75 .10) O primeiro termo após a igualdade na integração é zero.10) passa a ser: T /2 a ⎛ 2πmt ⎞ ⎛ 2πnt ⎞ x(t ) cos⎜ ⎟dt = a n ∫−T / 2 cos⎜ ⎟dt = n −T / 2 2 ⎝ T ⎠ ⎝ T ⎠ T /2 ∫ ∫ an T / 2 ⎛ 4πnt ⎞ cos⎜ dt (5.an e bn os coeficientes harmônicos de ordem “n” da série na forma retangular Então os componentes harmônicos terão a seguinte forma: An∠φn = an + jbn Com valor em módulo: An = a 2 n + b 2 n ⎛b ⎞ E com ângulo de fase: φn = arctan⎜ n ⎟ ⎜a ⎟ ⎝ n⎠ Utilizando as fórmulas dadas acima e para uma dada função x(t).

Os coeficientes an podem ser obtidos de: an = 2 T /2 ⎛ 2πnt ⎞ ∫−T / 2 x(t ) cos⎜ T ⎟dt para n = 1 → ∞ T ⎝ ⎠ (5.12) e (5.17) x(t ) = ao + ∑ [a n cos(nωt ) + bn sin(nωt )] Simplificação resultante da simetria da forma de onda As equações (5. (5.18) (5.9). π ∫π − ∞ n =1 1 π (5. e podem ser representados como uma somatória de duas integrais.18) e alterando os limites teremos: an = 2 T /2 2 0 ⎛ − 2πnt ⎞ ⎛ 2πnt ⎞ ∫0 x(t ) cos⎜ T ⎟dt + T ∫+T / 2 x(−t ) cos⎜ T ⎟d (−t ) = T ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ 76 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda .9).12) e (5. tem uma fórmula geral para os coeficientes de Fourier. As equações (5. ⎝ T ⎠ utilizando a mesma metodologia apresentada acima.13) bn = ∫ x(t ) sen⎜ ⎟dt para n = 1 → ∞ −T / 2 T ⎝ T ⎠ Deve ser notado que devida periodicidade dos integrandos nas equações (5.13).13).13) são normalmente expressas em termos da frequência angular como definido abaixo: ao = 1 1 2π π ∫ π x(ωt )d (ωt ) − π (5.16) (5.14) an x(ωt ) cos(nωt )d (ωt ) π ∫π − (5. 2 T /2 2 0 ⎛ 2πnt ⎞ ⎛ 2πnt ⎞ ∫0 x(t ) cos⎜ T ⎟dt + T ∫−T / 2 x(t ) cos⎜ T ⎟dt T ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ 2 T /2 2πnt ⎞ 2 0 2πnt ⎞ ⎛ ⎛ bn = ∫ x(t ) sen⎜ ⎟dt ⎟dt + ∫−T / 2 x(t ) sen⎜ 0 T T ⎝ T ⎠ ⎝ T ⎠ an = (5.9). (5.12) e (5. a equação 5. 2 T /2 ⎛ 2πnt ⎞ (5.19) E substituindo –t na segunda integral da equação (5.12) ⎛ 2πmt ⎞ Para a obtenção dos coeficientes bn.15) bn = x(ωt ) sin(nωt )d (ωt ) e neste caso.3 é multiplicada por sen⎜ ⎟. (5. os intervalos de integração podem ser tomados mais genericamente como t e t + T.O primeiro termo após a igualdade é zero enquanto que o segundo termo é igual a anT/2.

20) E da mesma forma: bn = (5. Consequentemente. Então os termos bn serão zero para todo n. Então os termos an serão zero para todo n.24) Isto é a forma de onda do sinal num período entre t +T/2 e t+T é o negativo da forma de onda num período entre t e +T/2. Por exemplo.4 tem uma simetria de meia onda. bn = • Simetria par: A forma de onda terá simetria ímpar se x(t)=x(-t).21) • Simetria ímpar: A forma de onda terá simetria ímpar se x(t)=-x(-t). a função da forma de onda da figura 5. enquanto 4 T /2 ⎛ 2πnt ⎞ (5.3. Simetria de meia onda: Uma função x(t) tem uma simetria de meia onda se: x(t ) = − x(t + T / 2 ) (5.22) ∫0 x(t )sen⎜ T ⎟dt T ⎠ ⎝ E neste caso a série de Fourier para simetria ímpar conterá apenas termos senoidais. a forma de onda quadrada da figura 5.23) E neste caso a série de Fourier para simetria par onda conterá apenas termos cosenoidais.0) temos: an = 2 T /2 2 0 +T / 2 ⎛ 2πn(t + T / 2) ⎞ ⎛ 2πnt ⎞ ⎟dt ∫0 x(t )cos⎜ T ⎟dt + T ∫−T / 2 +T / 2 x(t + T / 2)cos⎜ T T ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ (5. enquanto an = 4 T /2 ⎛ 2πnt ⎞ ∫0 x(t )cos⎜ T ⎟dt T ⎝ ⎠ (5. demonstra uma simetria ímpar e pode ser transformada numa função de simetria par deslocando o eixo x de T/2. Usando a equação (5.25) = ⎡ ⎛ 2πnt ⎞ 2 T /2 ⎞⎤ ⎛ 2πnt ∫0 x(t )⎢cos⎜ T ⎟ − cos⎜ T + nπ ⎟⎥ dt T ⎠⎦ ⎝ ⎠ ⎣ ⎝ Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 77 . Certas formas de onda podem ter simetria par ou ímpar dependendo do referencial de tempo (escala) selecionado.= 2 T/2 ⎛ 2πnt ⎞ ∫0 [x(t ) + x(− t )]cos⎜ T ⎟dt T ⎠ ⎝ 2 T /2 ⎛ 2πnt ⎞ ∫0 [x(t ) − x(− t )]sen⎜ T ⎟dt T ⎠ ⎝ (5.4) e substituindo (t) por (t+T/2) no intervalo (-T/2.

Se n é um inteiro ímpar: 4 T /2 ⎛ 2πnt ⎞ ⎛ 2πnt ⎞ ⎛ 2πnt ⎞ + nπ ⎟ = − cos⎜ cos⎜ ⎟ e a n = ∫0 x(t ) cos⎜ ⎟dt T ⎝ T ⎠ ⎝ T ⎠ ⎝ T ⎠ Mas se n é um inteiro par: (5. ⎝ T ⎠ ⎝ T ⎠ Da mesma maneira bn = (5.27) 4 T /2 ⎛ 2πnt ⎞ ∫0 x(t )sen⎜ T ⎟dt para todo n ímpar e bn = 0 para n par. T ⎠ ⎝ Desta maneira as formas de onda que tiverem simetria de meia onda terão apenas harmônicas de ordem ímpar.26) ⎛ 2πnt ⎞ ⎛ 2πnt ⎞ + nπ ⎟ = cos⎜ cos⎜ ⎟ e a n = 0.3 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 78 .Desde que por definição x(t)=-x(t+T/2). Onda quadrada Figura 5.

consequentemente apenas os termos bn e as harmônicas ímpares existirão. particularmente.4 é uma função ímpar com simetria de meia onda. independentes de sua natureza.29) A noção de harmônicas se aplica a todos os fenômenos periódicos. Quando se trata de fenômenos harmônicos. e. geralmente nulo. calculado a partir da evolução no tempo da quantidade alternada y(t).28) Equação geral de Fourier [42]: v (t ) = Y0 + ∑ Yn 2 sen (nωt − ϕn ) onde: Y0 = valor da componente CC. outros índices de medição e quantificação devem ser conhecidos: Valor eficaz de uma quantidade não senoidal Há similaridade entre a expressão normal desse valor eficaz. A figura 5. A expressão para os coeficientes desta condição é: bn = 8 T /4 ⎛ 2πnt ⎞ ∫0 x(t )sin⎜ T ⎟dt T ⎝ ⎠ n =∞ n =1 (5. à corrente CA. Yn = valor eficaz da componente harmônica de ordem “n”. ω = frequência angular da componente fundamental.Espectro – representação de uma onda quadrada 4k/π __ (4k/π) 1 3 __ (4k/π) 1 5 0 Figura 5. e a expressão calculada utilizando seu conteúdo harmônico: Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 79 . ϕn = defasagem da componente harmônica de ordem “n”.5 demonstra de forma sucinta a equação de Fourier. (5.4 A forma de onda da figura 5.

30) Note que. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 80 .31) Há uma outra definição que substitui a fundamental Y1 pelo valor eficaz total Yef. de acordo com a definição padrão ou em relação ao valor da quantidade alternada (Yef). • Distorção harmônica total: A distorção harmônica total é um parâmetro que define de modo global a distorção de uma quantidade alternada: n =∞ DHT (%) = 100 ∑ Yn n =1 2 Y1 (5.5 1 2 Yef = ∫ y (t )dt = T 0 T n =∞ n =1 ∑ Yn 2 (5. os instrumentos de medição devem apresentar uma grande largura de banda ( >1kHz).Fundamental 60 Hz Figura 5. • Relação harmônica individual: Essa quantidade representa a relação entre o valor de uma harmônica sobre o valor da fundamental (Y1). Essa definição é utilizada por alguns equipamentos de medição. quando harmônicas estão presentes.

onde a carga de saída CC é um resistor.7 .Hn% = Yn x100 Y1 (5.retificador trifásico de onda completa Figura 5.não possuem defasamento (elas cruzam o eixo X em 0 simultaneamente). Analisando o espectro harmônico da figura 5.formas de onda tensão e corrente Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 81 . como o da figura 5. fica claro que outras frequências estão presentes no sinal (corrente) absorvido pelo retificador.7 . Figura 5.6 abaixo. Por exemplo: considerando um retificador trifásico em onda completa com diodos.8. vê-se que a tensão e corrente figura 5.32) • Espectro (de frequência): Representação da amplitude harmônica em função de sua ordem: o valor das harmônicas é normalmente expresso como uma porcentagem da fundamental. A simulação fora executada com o software Microsim (PSPICE) – [32].6 .

O fator de potência (λ) – também denominado de cos φ. na medida em que eles são equivalentes apenas quando as correntes e tensões são completamente senoidais.33) fator de potência de deslocamento (cos ϕ1) está relacionado a quantidades fundamentais. conforme figura 5.34) Numa forma de onda puramente senoidal: cos φ1 = cos φ = cos λ Para entendermos essas duas definições.Figura 5.10: Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 82 . é importante não confundir estes dois termos.8 .9.espectro harmônico – corrente da fase (a) • Fator de potência (FP) e fator de deslocamento (FD). vamos utilizar um modelo clássico. utilizando um retificador de meia onda com carga resistiva. Quando harmônicos estão presentes. ou seja: (cos φ1) = P1 S1 (5. é a relação entre a potência ativa P e a potência aparente S: λ = P S = cos φ (5. cuja forma de onda na carga é representada pela figura 5.

10 – forma de onda da tensão e corrente Para entendermos o mecanismo de cálculo do fator de potência (que difere do fator de deslocamento). Figura 5. 1) A tensão eficaz de saída da fonte pode assim ser definida: T VRMS = 1 2 ∫ T (Vm sen ωtdt ) ⇒ VRMS = 0 T Vm 1 − cos 2ωtdt 1 2 2 ∫ T Vm sen ωtdt ⇒ VRMS = T ∫ 2 0 0 T Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 83 . No nosso exemplo. a forma de onda da corrente é senoidal somente no semiciclo positivo.Figura 5. o fator de potência pode ser entendido como o co-seno da diferença angular entre a forma de onda da tensão e corrente (vide figura 5.retificador monofásico com carga resistiva Quando tratamos de ondas puramente senoidais.1 para o 1º semiciclo). não podendo neste caso ser aplicada a definição de “co-seno da diferença angular”.9 . façamos uso das definições adotadas na referência [1].

2 2 2 2R (5. ∴ I RMS = 2π 4 2.π Vm 2 1 Vm ⎡1 ⎤ ∴ VRMS = t − sen 2ωt ⎥ ⇒ VRMS = ⎢2 2 2 2 ⎣ ⎦0 2.707 2 R.7).36) 3) Por definição. R (5. 2 Im 1 − cos 2ωtdt T ∫ 2 0 T I RMS = Im2 ⎡ 1 1 ⎤ ⎢ 2 t − 2 sen 2ωt ⎥ ⇒ I RMS = 2.π T 1 2 2 ∫ T Im sen ωtdt ⇒ VRMS = 0 Im2 π Im . ⇒S= R.2.39) π Vm 1 Vm 2 ⎛ 1 − cos 2ωt ⎞ V 2 ⎛ 2π ⎞ sen 2 ωt.40) Vm 2 Da definição de potência aparente têm-se: P= 4R S = V .VRMS Vm 2 = 2. 2 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 84 .41) Vm . cos φ = P S (5. só existe fluxo no semi-ciclo positivo.43) Vm 2 cos φ = 4R 2 Vm 2 ⇒ cos φ = = 0.42) Da definição de fator de potência .I ⇒ e substituindo Im por S= Vm Vm Vm 2 .π (5.π ⎣ ⎦0 (5. a potência ativa pode ser expressa por: P = ∫ v(t ). a corrente está em fase com a tensão V (t ) ∴ (5.38) (vide fig. R (5.dt ⇒ P=∫ ⎜ ⎟⇒P= ⎜ ⎟ 2π R ⎝ 2 2πR ⎝ 2 ⎠ ⎠ 0 R 2 2 (5. e portanto a corrente pode ser escrita por: I (t ) = R P = ∫ Vm sen ωt. e portanto a integral só é calculada por meio ciclo (π ) : T I RMS = 1 2 ∫ T (Im sen ωtdt ) ⇒ I RMS = 0 .I (t )dt 0 t (5.37) mas como estamos tratando de uma carga resistiva.35) 2) Para a corrente. 5. 0 t Vm sen ωtdt ⇒ e por analogia.

se fala de correção do fator de potência. • Fator de distorção: Este fator é a relação entre o fator de potência e o fator de deslocamento: v= λ cos ϕ 1 (5. Por exemplo. ou discutidas.707 (5. A maior deficiência no que diz respeito à comprovação da eficácia dessas formulações é que não se reflete com fidelidade a complexidade da potência em circuitos com formas de onda não senoidais. decorrente das harmônicas de tensão e/ou corrente no circuito não oferecem uma perfeita “visualização” das suas aplicações para uma variedade de diferentes métodos. verificar apenas o defasamento da forma de onda entre a corrente e a tensão. Expressões como S 2 = P2 +Q2 (5.12). onde já se constata a introdução do termo “potência de distorção” (D). quando temos circuitos com cargas não lineares.Como fica claro.46) (figura 5. alguns detalhes de comportamento da potência são deixados à margem quando. existentes atualmente. pelo nosso exemplo não há defasamento entre a tensão e a corrente mas o fator de potência do circuito é 0.44) Ele é sempre ≤ 1 .3 Potências em regime não senoidal. tal como S 2 = P 2 + Q 2 + D 2 (5.45) (figura 5. pela definição de fator de potência (mais adotada e difundida atualmente). 5. Não existe consenso universal para uma formulação da potência em circuitos não senoidais.11).11 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda Q (VAr) A) (V S 85 . adota os mesmos conceitos utilizados nos sistemas senoidais [39]. A mais usada é atualmente.40). não é possível obter o Fator de Potência real do circuito. sob tais condições. para melhoria do fator de potência. P (W) Figura 5.

porém. que está vinculada a estas expressões. Para isso o tratamento matemático dado à expressão da potência instantânea se dividirá em etapas: uma. sen (nωt + δ n ) i1 (t ) = I1máx. para um circuito monofásico em função do tempo. onde v(t) e i(t) são dados pela soma de várias componentes de ordem “n”. para o caso onde os sinais de tensão e corrente são deformados. sen (2ωt + δ 2 ) v3 (t ) = V3máx . respectivamente.54) 86 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda . permite uma melhor percepção de alguns desses detalhes e/ou fenômenos de comportamento.53) (5. 5. + in (t ) onde: v1 (t ) = V1máx . considerando apenas as parcelas constituídas por tensões e correntes de mesma ordem harmônica. Assim.S A) (V D o çã or st i (D ) P (W) Figura 5.50) (5..12 Por outro lado a potência instantânea. ou seja.3. sen (ωt − δ 1 ) i2 (t ) = I 2 máx. Será analisado o comportamento das parcelas da potência instantânea. um sistema não senoidal..48) (5. + vn (t ) i (t ) = i1 (t ) + i2 (t ) + i3 (t ) + . sen ωt v2 (t ) = V2 máx . sen (2ωt + δ 2 − δ 2 ) Q (VAr) (5. às quais se denominam componentes harmônicas. sen (3ωt + δ 3 ) vn (t ) = Vnmáx. caracterizando a potência de distorção (fundamental e harmônicas expressa em kW) e por fim a soma dessas componentes que fornecerão o comportamento global da potência instantânea.. tem-se: v(t ) = v1 (t ) + v2 (t ) + v3 (t ) + .52) (5.1 Generalização da Expressão da Potência Instantânea Considere um sistema em regime permanente não senoidal onde a tensão e a corrente sejam distorcidas e periódicas..47) (5.49) (5. analisando-se apenas as parcelas onde a tensão e corrente tenham a mesma ordem harmônica.51) (5.

56) tratam de componentes de sinais distorcidos com frequência fundamental f.t.. em relação à tensão de mesma ordem harmônica.49) a (5.2. + vn (t )in (t ) + + v1 (t )i2 (t ) + v1 (t )i3 (t ) + .... + in (t )] . f ...55) (5.58). (5.58) Substituindo as expressões de (5.. + vn (t )][i1 (t ) + i2 (t ) + i3 (t ) + . sen (3ωt + δ 3 − ϕ 3 ) in (t ) = I nmáx... para este caso tem-se que a potência instantânea passa a ser dada por: p (t ) = [v1 (t ) + v2 (t ) + v3 (t ) + ..I 1 sen (ωt − ϕ 1 ) V1 I 1 sen ωt. em rad.. com f = frequência do sinal [Hz]: normalmente “n” = 1. nωt = n. sen (ωtϕ 1 ) V1 I 1 p (t ) = {V1Ι1 cos ϕ1 [1 − cos 2ωt ] − V1Ι1 sen ϕ1 sen 2ωt} + + {V2Ι 2 cos ϕ 2[1 − cos(4ωt + 2δ 2 )] − V2Ι 2 sen ϕ 2 sen (4ωt + 2δ 2 )} + + { 3Ι 3 cos ϕ 3 [1 − cos(6ωt + 2δ 3 )] − V3Ι 3 sen ϕ 3 sen (6ωt + 2δ 3 )} + V ⎧V1Ι 2 cos ϕ 2 [cos(ωt + δ 2 ) − cos(3ωt + δ 2 )] + ⎫ +⎨ ⎬+ ⎩− V1Ι 2 sen ϕ 2[sen (− ωt − δ 2 ) + sen (3ωt + δ 2 )]⎭ ⎧V2 Ι 3 cos ϕ 3 [cos(− ωt + δ 2 − δ 3 ) − cos(5ωt + δ 2 + δ 3 )] + ⎫ +⎨ ⎬+ ⎩− V2Ι 3 sen ϕ 3 [sen (− ωt + δ 2 − δ 3 ) + sen (5ωt + δ 2 + δ 3 )]⎭ ⎧V1Ι 3 cos ϕ 3 [cos(2ωt + δ 3 ) − cos(4ωt + δ 3 )] + ⎫ +⎨ ⎬+ ⎩− V1Ι 3 sen ϕ 3 [sen (− 2ωt − δ 3 ) + sen (4ωt + δ 3 )]⎭ ⎧V2Ι1 cos ϕ1 [cos(ωt + δ 2 ) − cos(3ωt + δ 2 )] + ⎫ +⎨ ⎬+ ⎩− V2Ι1 sen ϕ1 [sen (ωt + δ 2 ) + sen (3ωt + δ 2 )]⎭ Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 87 ..56) onde: δ n = ângulo de defasagem da tensão de ordem harmônica “n” em relação à fundamental. ϕ n = ângulo de defasagem da corrente de ordem harmônica “n”. Como a potência instantânea é dada pela expressão p(t) = v(t). resulta em: p(t ) = v1 (t )i1 (t ) + v2 (t )i2 (t ) + v3 (t )i3 (t ) + . + v3 (t )in (t ) + .49) a (5. as expressões de (5.57) Cujos produtos das tensões pelas correntes.. + v1 (t )in (t ) + + v2 (t )i1 (t ) + v2 (t )i3 (t ) + .3. tem-se: V1 sen ωt..50 (ordens harmônicas de tensão e corrente).i 3 (t ) = I 3máx ...2..π . (5. + v2 (t )in (t ) + + v3 (t )i1 (t ) + v3 (t )i2 (t ) + ..56) na expressão (5. sen (nωt + δ n − ϕ n ) (5.i(t).

passa a ser em sistemas não senoidais. Por isso quando tensões e/ou correntes harmônicas estiverem presentes em um sistema elétrico.. pode-se escrever a potência como sendo: p (t ) = p11 (t ) + p 22 (t ) + p 33 (t ) + ... se fossem considerados os n-ésimos termos para representá-la.. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 88 .n e j ≠ k .15 representam respectivamente a partida e o regime.. optou-se por representar apenas as tensões e correntes fundamentais e mais duas ordens harmônicas (n=2. e num instante posterior . Nota: Se avaliarmos detalhadamente a expressão (5. + p jk (t ) 1444444444442444444444443 4 4 p n (t ) (5. uma soma de “subprodutos” de componentes harmônicas de tensão pelas componentes harmônicas de corrente. Então... Não sendo conveniente explorá-las agora. Verifica-se que a expressão (5. deixando-se de representar os termos de tensão e corrente de ordem harmônica superior a três. A limitação das ordens harmônicas tanto de tensão quanto de corrente foi feita de maneira a facilitar o manuseio das expressões envolvidas. − V3 Ι 1 sen ϕ 1 [sen (2ωt + δ 3 ) + sen (4ωt + δ 3 )]⎭ ⎩ (5. Na partida propriamente dita..n. que é um produto da tensão pela corrente em sistemas senoidais.61) será visto que as partes de Pij onde i=j produzirão potência ativa em kW e as parcelas onde i≠j produzirão potência não ativa...14 e 5. + p nn (t ) + 144444424444443 p n (t ) + p12 (t ) + p13 (t ) + p 21 (t ) + p 31 (t ) + p 23 (t ) + p 32 (t ) + . vamos avaliar a partida de um motor com partida por soft-start em 2 momentos distintos. Como exemplo.regime (quando o ângulo de disparo dos SCR’s está próximo a zero).59) Expressão que pode ser generalizada para: p(t ) = ⎧V j Ι k cos ϕ k cos(( j − k )ωt + δ j − δ k ) − cos(( j + k )ωt + δ j + δ k ) + ⎫ ⎪ ⎪ ⎬ ω ω j .60) Pode-se constatar que a potência instantânea. Esses “subprodutos” podem ser entendidos como as “parcelas de potência” compostas pelos sinais de tensão e corrente que possuem ou a mesma ordem harmônica ou ordens harmônicas diferentes. além dos problemas que serão abordados posteriormente haverá um potência em kW adicional e indesejável além da “piora” do fator de potência. Porém com os recursos computacionais pode-se expandir essas expressões para ordens acima da 50ª harmônica. e k=1..3). onde: j=1.. As figuras 5.k =1⎩ j k sen ϕ k sen (( j − k ) t + δ j − δ k ) + sen (( j + k ) t + δ j + δ k ) ⎪ ⎭ ∑ ⎨− V Ι ⎪ n [ [ ] ] (5...⎧V3 Ι 1 cos ϕ 1 [cos(2ωt + δ 3 ) − cos(4ωt + δ 2 )] + ⎫ +⎨ ⎬ +.61) atingiria uma proporção muito elevada.61) sendo que p jk (t ) indica uma parcela genérica da potência instantânea correspondente ao “subproduto” de uma tensão de ordem j por uma corrente de ordem k.

15 .65 kVA FP = 0.99 kVA FP = 0.Utilizando a técnica matemática explanada acima. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 89 . teríamos: P = 78.72 Cos ϕ1 = 0. em contrapartida o fator de potência fundamental (ou fator de deslocamento) está próximo a 1 – 0. para o momento de partida do soft-start.14 .456 (entre tensão e corrente fundamentais) Figura 5.87) mas este valor é devido aos harmônicos. o soft-start além de gerar um nível de distorção harmônica elevado. mas sim de Filtragem dos Harmônicos.987 (entre tensão e corrente fundamentais) Concluímos portanto.870 D = 45.987. que na partida.65 kW S = 149. teríamos os seguinte parâmetros elétricos: P = 18.132 D = 133. mantém o sistema com um baixo fator de potência (como se não houvesse tal sistema de partida).Formas de onda da tensão e corrente (regime) Para o momento de regime.83 kW S = 90.Formas de onda da tensão e corrente (partida) Figura 5.09 Cos ϕ1 = 0. o que a princípio demonstra que não há necessidade de correção. Já em regime o fator de potência é relativamente alto (0.

16 .00 200.00 150.00 -100.00 -200.1 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 90 .00 100.Forma de onda para o exemplo da tabela 5.00 50.00 -150.1.00 -50.00 -250.Como exemplo da geração de harmônicos. Tabela 5. geram harmônicos característicos (e não característicos quando a ponte retificadora opera em desequilíbrio). ou seja uma onda quadrada é uma somatória de harmônicos de e-nésima ordem. por isso quaisquer processos de retificação. suponha um circuito cuja tensão possua o seguinte espectro harmônico.16).00 Figura 5.00 Tensão (V) 0. Verifica-se que a forma de onda se aproxima de uma onda quadrada (figura 5. conforme tabela 5.1 Ordem harmônica 00 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 V (%) 0.00 100 0 40 0 25 0 15 0 10 0 10 0 5 0 5 Ordem harmônica 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 V (%) 0 5 0 5 0 5 0 5 0 5 0 5 0 5 0 1 250.

as informações temporais são perdidas.Φ3+.63) −∞ ∫ f (t ). onde Ci são os coeficientes e as Φi as funções básicas. resume esta definição: ∞ C(escala. A transformada de Wavelet é relativamente recente.5. a análise é definida apenas no parâmetro frequência e a forma de onda deve ser periódica.Φ0+C3. Isto impossibilita a análise de sinais variáveis e descontínuos (como no caso de SAG.+C0. e que representa uma forma alternativa de análise no espaço escalar... estruturada na década de 80.Φ0+C1. A equação abaixo.4 Wavelet: O método de Fourier possui um inconveniente. do sinal multiplicado pela Wavelet Ψ escalonada e deslocada no tempo. os coeficientes C da Wavelet. t ). Atualmente utiliza-se uma ferramenta matemática mais poderosa. que é a Transformada de Wavelet. Existem dois tipos principais de transformações: a Transformada de Wavelet e a Transformada de Wavelet Packets.62) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 91 . Os instrumentos modernos de medição de harmônicos e outros padrões de qualidade de energia utilizam esta técnica. Conforme [38].. Interrupções – tópicos de qualidade da energia – [40]). (5.. posição) = Resumidamente a Transformada de Wavelet é a divisão de uma função f ∈ L2(ℜ) em uma combinação linear de funções básicas: f =. SWELL. Quando o sinal sob análise é transformado para este domínio de frequência.dt (5. o sinal analisado por esta técnica (de janela deslizante) é representado por uma Wavelet Mãe deslocada no tempo e escalonada sendo que a transformada de Wavelet pode ser discreta ou contínua Uma Transformada de Wavelet contínua é definida como a soma.Ψ (escala. posição. sobre todo o tempo. sendo o resultado obtido. função da escala e posição. onde os sinais são transformados em funções dependentes tanto do espaço quanto do tempo.

00 -700.00 -200.00 -150.00 -800.00 300. Como exemplo de alguns tipos de carga. vídeo cassete. vejamos as formas de onda abaixo e seus respectivos espectros harmônicos: • Forno de Fusão por indução. tanto no que tange a geração dos harmônicos como estabilidade na produção de harmônicas características quando na presença de fenômenos de ressonância e até mesmo aos próprios níveis harmônicos presentes no sistema.00 Ângulo (º) Figura 5.17 .00 400.00 300.00 250.00 600. inversores de frequência. Cada uma das fontes tem um comportamento diferente.00 -200.5 Tipos de cargas geradoras de harmônicos e suas características: As principais cargas geradoras de harmônicos podem ser classificadas em dois grupos: As fontes de geração de tensão harmônica. e outros dispositivos de descarga.00 -300. microondas.00 -50.2 e 5. As fontes que geram harmônicas de corrente são as mais comuns de serem encontradas na indústria.00 -250.00 500. como fornos de fusão a arco.00 50. – espectro conforme tabelas 5.00 Tensão (V) 0. tensão e corrente – figura 5. como softstart.00 -400. conversores.00 -500.00 -300.00 -100. etc.18 .00 100. e até as do cotidiano como computadores.00 0.00 -600.3 respectivamente. lâmpadas de descarga. retificadores.forma de onda da tensão Figura 5. thiristorizado totalmente controlado de 6 pulsos (alimentado por um transformador de 750 kVA).00 150.17 e 5.00 800.00 200.forma de onda da corrente Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 92 .00 200.18.5.00 Corrente (A) 100.00 -900. máquinas de solda.00 -100.00 Ângulo (º) 700. FORNO DE FUSÃO POR INDUÇÃO POTÊNCIA 600 KW FORNO DE FUSÃO POR INDUÇÃO POTÊNCIA 600 KW 900.

86 11.26 43.94 134.502 ÂNGULO º 0 359.58 326.7 146.279 0.25 186.437 0.32 31.259 0.31 254.289 0.129 16.295 0.469 0.71 0.29 0.33 60.36 243.91 300.567 0.406 0.236 5.3 • Soft-start com ponte de onda completa e controle thiristorizado de 6 pulsos (alimentado por um transformador de 225 kVA).344 0.07 272.225 0.671 0.52 16.096 1.206 1.3 1.518 0.055 9.54 309.84 25.059 0.85 320.906 0.73 42.88 108.05 63.Tabela 5.5 respectivamente.94 261.4 e 5.15 300.23 249.43 167.137 0.48 222.77 111.43 326.69 342.177 0.99 87.118 0.42 100 0.822 0.44 151. tensão e corrente – figura 5.289 3.20 – espectro conforme tabelas 5.062 0.139 0.849 0.01 110.977 0.88 340.226 0.52 291.74 255.567 0.554 0.34 52.89 188.19 e 5.83 139.83 313.37 0.89 352.556 0.055 0.64 327.44 202.131 0.212 ÂNGULO º 0 344.77 125.051 1.76 184.15 1.36 84.06 125.473 ÂNGULO º 90 347.21 281.42 17.241 0.22 Ordem harmônica 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 I (%) 0.233 0.3 correntes harmônicas Ordem harmônica 00 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 I (%) 0.581 0.013 3.12 178.32 109.39 321.14 3.074 4. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 93 .915 ÂNGULO º 118.2 tensões harmônicas Ordem harmônica 00 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 V (%) 0.73 Tabela 5.503 0.635 0.36 27.562 0.41 290.01 180.123 0.9 108.51 27.113 0.326 0.22 275.5 240.095 1.25 Ordem harmônica 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 V (%) 0.72 228.074 0.197 1.261 100 0.252 2.

PARTIDA DE MOTOR DE INDUÇÃO POR SOFT START POTÊNCIA DE 125 CV
300,00 250,00 200,00 150,00 100,00
Corrente (A) 100,00 200,00 300,00

PARTIDA DE MOTOR DE INDUÇÃO POR SOFT START POTÊNCIA DE 125 CV

Tensão (V)

50,00 0,00 -50,00 -100,00 -150,00 -200,00 -250,00 -300,00 Ângulo (º)

0,00

-100,00

-200,00

-300,00 Ângulo (º)

Figura 5.19 - forma de onda da tensão

Figura 5.20 - forma de onda da corrente
V (%) 0,314 0,892 0,692 0,681 0,183 0,185 0,628 0,115 0,359 0,332 0,222 0,137 0,619 0,494 0,461 0,111 ÂNGULO º 333,43 130,4 145,34 306,16 307,11 279,63 60,04 60,47 224,64 303,53 34,4 251,68 121,43 59,77 347,57 320,63

Tabela 5.4 tensões harmônicas
Ordem harmônica 00 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 V (%) 0,245 100 0,717 0,158 0,694 7,882 0,597 0,432 0,57 0,08 0,57 2,901 0,795 0,591 0,317 0,159 ÂNGULO º 0 1,09 73,49 49 158,25 27,87 11,73 187,38 132,2 199,01 132,2 74,78 76,93 251,87 182,49 262,89 Ordem harmônica 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31

Tabela 5.5 correntes harmônicas
Ordem harmônica 00 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 I (%) 4,664 100 6,177 0,615 3,436 28,849 1,621 3,022 1,153 0,297 1,153 5,481 1,327 1,761 0,388 0,171 ÂNGULO º 0 279,27 185,7 156,04 263,15 137,94 134,84 272,18 249,95 117,33 249,95 182,05 188,04 359,22 321,11 156,9 Ordem harmônica 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 I (%) 0,45 2,58 1,64 2,07 0,49 0,50 0,51 0,32 0,55 0,56 0,59 0,78 1,01 0,44 0,76 0,25 ÂNGULO º 14,04 231,53 267,09 47,5 111,49 156,31 278,25 124,2 26,77 138,83 189,58 184,13 290,54 155,15 184,07 216,21

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

94

• Têmpera por Indução com ponte de onda completa e controle thiristorizado de 6 pulsos (alimentada por um transformador de 750 kVA); tensão e corrente – figura 5.21 e 5.22 – espectro conforme tabelas 5.6 e 5.7 respectivamente.

TÊMPERA POR INDUÇÃO POTÊNCIA DE 250 KVA
250,00 200,00 150,00 100,00 50,00 Tensão (V) 0,00 -50,00 -100,00 -150,00 -200,00 -250,00 Ângulo (º)
500,00

TÊMPERA POR INDUÇÃO POTÊNCIA DE 250 KVA

400,00

300,00

200,00

100,00 Corrente (A)

0,00

-100,00

-200,00

-300,00

-400,00

-500,00 Ângulo (º)

Figura 5.21 - forma de onda da tensão

Figura 5.22 - forma de onda da corrente

Tabela 5.6 tensões harmônicas
Ordem harmônica 00 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 V (%) 0,72 100 0,709 3,056 1,235 3,03 1,376 4,232 1,517 5,104 1,517 4,926 1,196 1,882 1,273 1,418 ÂNGULO º 0 0,87 30,05 174,16 0,18 157,85 346,28 122,64 224,78 73,34 224,78 358,65 167,07 294,8 151,31 331,8 Ordem harmônica 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 V (%) 0,534 5,584 1,429 5,154 0,785 3,505 1,235 1,813 1,182 3,947 0,806 5,045 1,496 5,23 0,915 1,97 ÂNGULO º 1,13 11,83 3,03 10,92 1,66 7,43 2,62 3,84 2,51 8,37 1,71 10,69 3,17 11,08 1,94 4,18

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

95

Tabela 5.7 correntes harmônicas
Ordem harmônica 00 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 I (%) 1,571 100 0,788 0,436 0,391 15,499 0,626 6,153 0,772 0,471 0,772 3,864 0,668 4,556 0,576 1,02 ÂNGULO º 6,21 394,99 3,11 1,72 1,54 61,22 2,47 24,30 3,05 1,86 3,05 15,26 2,64 18,00 2,28 4,03 Ordem harmônica 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 I (%) 0,665 4,214 0,911 4,172 0,77 0,277 0,5 2,631 0,563 1,467 0,742 1,62 0,943 1,553 0,832 1,876 ÂNGULO º 2,63 16,64 3,60 16,48 3,04 1,09 1,97 10,39 2,22 5,79 2,93 6,40 3,72 6,13 3,29 7,41

Nota: Verificar um acentuado nível de ordens pares de tensão (com diversos “notch” na forma de onda). Isto é característico de desequilíbrio na ponte retificadora da têmpera por indução; como o sistema de controle opera por “zero crossing” e a forma de onda da tensão, em algumas amostragens possui mais de uma referência no mesmo ciclo, há um desequilíbrio no disparo dos tiristores, causando a geração de harmônicas de ordem par – Não características em conversores de seis pulsos. Conforme o IEEE 519 [18] o termo “notch” (figura 5.23) pode ser entendido como curtoscircuitos entre fases no processo de disparos dos retificadores sendo que a “profundidade” desses “notch’s” são proporcionais à impedância da fonte de energia. Quanto menor a potência de curto-circuito no ponto de conexão com o retificador, maiores serão os notches.

Figura 5.23 – Notch - IEEE 519

Os “notches” também podem ser mais ou menos acentuados em função do controle de disparo da ponte retificadora. Se o controle de disparo for dependente apenas da tensão
Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 96

fundamental da senóide, os notches serão muito pouco acentuados, e praticamente não haverá harmônicas de ordem par.

5.6 Harmônicas características:

• Fornos a arco: As harmônicas produzidas por tais equipamentos são imprevisíveis, devido ciclo de variação do arco, particularmente quando se coloca o metal para fundir. A corrente de arco é não periódica, e as análises revelam um espectro contínuo e não contínuo das frequências harmônicas de múltiplos e não múltiplos da frequência fundamental.
Tabela 5.8 abaixo (reproduzida de [18]), fornece níveis orientativos.
Condição do Forno Fusão inicial (arco ativo) Refino (arco estável) Corrente harmônica % da fundamental Ordem Harmônica 2 3 4 5 7 7,70 5,80 2,50 4,20 3,10 0,0 2,0 0,0 2,10 0,0

Já a referência [39] dá os valores estatísticos onde são relacionadas as amplitudes médias, além da amplitude máxima para cada ordem harmônica para fornos a arco – tabela 5.9. Tabela 5.9.
Ordem harmônica 2 3 4 5 6 7 9 Amplitude Média (%) 3 ----- 9 6 ----- 10 2 ----- 6 2 ----- 10 2 ----- 3 3 ----- 6 2 ----- 5 Amplitude Máxima (%) 30 20 15 12 10 8 7

A referência IEEE 519/1981 – atualmente norma [18] dá os valores típicos das correntes harmônicas geradas pelos conversores estáticos de potência, conforme tabela 5.10 abaixo: Tabela 5.10
Nº de pulsos do converso 6 12 18 24 5 17,5 2,60 2,60 2,60 7 11,0 1,60 1,60 1,60 Ordem Harmônica 11 13 17 4,50 2,90 1,5 4,50 2,90 0,2 0,7 0,4 1,5 0,7 0,4 0,2 19 1,0 0,1 1,0 0,1 23 0,9 0,9 0,1 0,9 25 0,8 0,8 0,1 0,8

A referência NEMA LSD 8-1999 [55] fornece os valores típicos do espectro harmônico para lâmpadas fluorescentes compactas - tabela 5.11:
Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 97

Estes equipamentos estão frequentemente nas categorias de comunicação ou processamento de dados. A figura 5.Tabela 5. O tipo de equipamento mais suscetível é aquele cujo projeto ou constituição assume uma (quase) alimentação senoidal de entrada. A referência [19] faz recomendações sobre as variações permitidas no sistema elétrico quando da aplicação de inversores de frequência (ou outros equipamentos eletrônicos para controle de velocidade de motores). Neste caso. bem como a aplicação de capacitores e correção do fator de potência: A Norma NEMA MG1 [21] define os fatores de depreciação de potência (Harmonic Voltage Factor) em função das tensões harmônicas (de ordem ímpar excluindo-se as triplas) presentes na barra de ligação do motor. Vmedido Vn = tensão a harmônica de ordem n (em PU): e PU = Vno min al Verifica-se portanto.14 (reproduzida da norma [21]) representa o fator de redução de potência para os motores quando sujeitos a distorção harmônica de tensão.7 Principais índices de susceptibilidade das cargas: Das definições da norma de norma [18].64) n = ordem harmônica ímpar de tensão.11 – Característica típica de iluminação compacta fluorescente Tipo de carga 1 LFC 8 LFC 3 87 87 5 68 70 % da corrente fundamental de 60 Hz 7 9 11 13 15 17 51 42 40 35 28 23 55 46 42 38 31 24 19 22 19 21 21 16 THD (%) 0. por exemplo. têm-se: Geral: O grau pelo qual as harmônicas podem ser toleradas é determinado pela suscetibilidade da carga (ou fonte) para com elas. Até mesmo no caso do equipamento menos suscetível. elas podem causar um dielétrico térmico ou uma tensão de stress. No caso de um forno resistivo. que na presença de harmônicas de tensão a capacidade de fornecimento de potência pelo motor (Hp) é sensivelmente reduzida.52 154 FP 5. causando o envelhecimento prematuro da isolação elétrica. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 98 .51 153 0. a energia das harmônicas é utilizada e consequentemente elas são bastante toleráveis. Um tipo de carga que normalmente situa-se entre estes dois extremos de suscetibilidade é o motor. sendo: Vn2 HVF = ∑ n =5 n n =∞ onde: (5. O equipamento menos suscetível é aquele cuja principal função é o aquecimento. excluindo-se as triplas. as harmônicas podem ser prejudiciais. A maioria dos motores é relativamente tolerante às harmônicas.

04 0. O impacto no sistema dependerá da densidade da laminação da bobina e da qualidade do ferro.110 [48] e IEEE Std 18 [8]) • “Impact on Transformers” (Impacto nos transformadores): Existem três efeitos que resultam no acréscimo do aquecimento do transformador quando a corrente da carga inclui as harmônicas: 1 – Corrente eficaz (RMS): Se o transformador é projetado apenas para a potência em KVA da carga.80 0.02 0.01 0.70 0.90 0.05 0. IEEE C57.13 0. NEMA MG-1: 1988 PART 3 DERATING FACTOR FLOW CHART 1. (tendo como base as normas IEEE 519 [18].12 0. principalmente devido à elevação da temperatura do Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 99 . correntes harmônicas podem resultar num valor de corrente RMS maior que a capacidade do transformador.00 0. Nota: As correntes harmônicas também podem levar o transformador a operar na região de saturação magnética do ferro-silício.06 0.95 DERATING FACTOR 0.60 0.10 0.50 0 0.65 0. O acréscimo da distorção de tensão poderá causar um acréscimo na corrente parasita na laminação das bobinas.09 0.75 0. 2 – Perdas por corrente parasita (Foucault): A componente (de perdas por correntes de Foucault) nos transformadores crescem com o quadrado da frequência da corrente.11 0.08 0. geralmente não são críticas. estas correntes se tornam componentes muito importantes no aquecimento e perdas do transformador.55 0.15 HARMONIC VOLTAGE FACTOR Figura 5.14 0.85 0.24 3 – Perdas no núcleo: O acréscimo de perdas no núcleo na presença das harmônicas depende do efeito das harmônicas de tensão aplicada e do projeto do núcleo do transformador.03 0.07 0. causando acréscimo das correntes parasitas.A bibliografia da referência [12] cita algumas recomendações sobre as distorções harmônicas nos sistemas elétricos. Além disso. O acréscimo nessas perdas causadas pelas harmônicas. O acréscimo da corrente RMS produzirá um acréscimo nas perdas no cobre (condutores).

quando sujeito às correntes com conteúdo harmônico. Exemplo 1) Considerando uma instalação industrial que tenha um transformador de 1. 380 Volts. Encontrar a máxima potência que o transformador pode suprir para esta carga e espectro harmônico. from 50 to 2500 kVA with highest voltage for equipment not exceeding 36 kV). O transformador. e que alimente uma carga mista composta por inversores de frequência e motores.70 (da norma BS 7821). Considerar somente para efeito desse exemplo.57. deve ter sua potência máxima limitada (ou “sobre-dimensionada”).289 A. em decorrência do acréscimo das correntes parasitas. e depende das correntes de Foulcault. cujo espectro harmônico é o da tabela 5. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 100 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda . Corrente de Foucault (parasita) de 14. Isto é extremamente indesejável visto que a elevação de temperatura reduz a potência máxima que pode ser fornecida pelo transformador. pelas perdas por corrente parasita devido às harmônicas.110 [48] define o FLH (Harmonic Loss Factor) que representa o efetivo aquecimento rms resultado da corrente harmônica absorvida pelo transformador. Calcular o fator de perdas harmônicas (FHL) e o fator de depreciação K.65) O fator K. Já na Europa o cálculo do fator K. O FLH traduz a razão entre as perdas por correntes de “Foulcault” na frequência fundamental. é baseado na IEC. com corrente fundamental I1 = 2. BS 7821 (Three phase oil-immersed distribution transformers. a fim de garantir a máxima temperatura de trabalho (conforme grau do isolamento). com K-Factor (harmonic capability) definido abaixo: “O fator de “sobre-dimensionamento” de potência K pode ser definido”: ∑ (I xh ) K= ∑I 2 h 2 2 h (conforme norma IEEE Std C. que as normas IEEE e BS tratam do mesmo tipo de meio isolante. além de reduzir a vida útil do equipamento (numa relação exponencial).20 %.núcleo.110 [48]) (5. refere-se ao valor de “sobre-dimensionamento” de potência dado conforme o padrão Underwriter’s Laboratories (UL).50 MVA. 50 Hz. utilizando os seguintes dados: expoente q=1.57.12 abaixo. A norma IEEE Std C.

37349E-07 3.05 0.009025501 0.01 Ordem (h) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 h2 1 4 9 16 25 36 49 64 81 100 121 144 169 196 225 256 289 324 361 400 441 484 529 576 625 676 729 Tabela 5.96272E-08 9.001297305 0.01 0.8312 0.02 0.8797E-07 0.8797E-07 2.8184 6.289 1.000287803 0.002529639 0.Solução: Primeiro calculamos os coeficientes conforme as tabelas 5.34 0.10724E-05 0.000103609 2.000224068 6.059077271 0.9156 135. Tabela 5.1 Ordem harmônica (h) 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Corrente (%) 0.006647243 0.003490124 4.000698549 0.99792688 0.12 – Espectro harmônico Ordem harmônica (h) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 Corrente (%) 100.8427 1.8913 38.07 0.13 e 5.95858E-07 2.010544553 0.13 0.000498963 0.8797E-07 4.76 0.8797E-07 3.000399171 0.95858E-09 5.75208E-05 8.17 1.6624 3.21 0.6867 2.4578 1.001696476 0.59337E-07 0.034415669 1.37349E-05 0.000215195 1.000195188 0.000698549 0.87803E-06 6.1445 12.995858057 2.14.002794195 0.15121E-05 1.000143404 0.28 0.2647 7.16 0.004291086 0.47 0.08 0.4092 9.000698549 0.84134E-05 4.07 1.000215195 1.016864964 9.03 0.56 0.6023 1.6023 1.002295232 0.26809E-06 1.683E-06 2.92798E-05 0.000199585 0.07 0.9757 3.48965E-07 2.5088 1.17 0.009721009 1.98343E-08 ((Ih/Irms)2) x h2 0.000498963 0.69 0.90392E-05 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 101 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda .98343E-08 4.02 0.6023 0.23 0.000997927 0.87803E-06 0.75669E-05 0.1445 3.0872531 1.4578 Ih/Irms 0.001696476 0.7826 0.97927E-05 0.000199585 (Ih/Irms)2 0.001798769 0.001596683 0.07 0.80753E-06 1.000299378 0.000430848 2.12301E-05 7.3964 0.05 0.000258136 0.2289 17.6023 33.48965E-07 3.000798342 0.000 0.43404E-06 0.92 0.005588391 0.014669525 0.5494E-06 0.8913 1.13 (cálculo conforme IEEE) Ih (A) 2289 5.75669E-05 0.5494E-06 2.000107712 0.995858057 5.04 5.6841 0.08 0.43 0.000698549 0.003392951 0.6483 2.007584244 0.000206501 0.000284427 9.

1445 3.9757 3.00000009 0.00095702 Calculando os fatores: Irms = FLH ∑ Ih ⇒ Irms = 2293.004291086 0.00000529 nq 1 3.000997927 4.4578 1. Tabela 5.00000004 0.00000049 0.016864964 9.000698549 0.00000004 0.000001 0.000199585 0.2289 2.95858E-07 0.1651 Pelo método proposto pelo IEEE (UL).000536011 8.00000289 0.00001849 0.2179313 288. o “K-factor” mínimo do transformador deve ser de 4.00000009 0.00028561 0.001596683 0.001696476 0.289 Ih/I1 1 0.00001156 0.289 1.55606329 15.000798342 9.14 (cálculo conforme BS 7821) Ordem (h) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 Ih (A) 2289 5.00000001 0.2647 7.00000064 0.8312 0.85162577 111.8998305 50.000399171 0.6023 1.9567423 254.1445 12.8184 6.000698549 0.00000049 0.00000064 0.2289 17.95858E-09 9.00000256 0.000498963 0.00000064 0.00000256 0.00021609 0.9183177 191.002794195 0.001297305 0.39173E-06 6.00000049 0.2385846 162.00003136 0.8913 1.7826 0.97927E-05 0.33170144 34.00000064 0.00028561 0.3964 0.00000441 0.5151701 306.000001 0.00021609 0.47300784 10.000199585 0.00000001 0.00000529 0.4778566 206.00001156 0.6624 3.00000049 0.00000169 0.Tabela 5.002295232 0.2503519 324.1329509 149.002095646 0.6483 2.000997927 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 102 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda .002095646 0.014669525 0.00000169 0.2289 2.00000049 0.96272E-06 0.5273618 136.8069 1.37349E-07 9.00000004 0.001696476 0.007584244 0.000798342 9.03086452 27.00003136 0.6867 2.97927E-05 0.4092 9.8069 1.99792688 0.00350464 0.00000025 0.6023 33.00000049 0.000798342 0.00001849 0.000698549 0.8312 0.00000784 0.0031368 237.00000049 0.4304721 123.13 (cálculo conforme IEEE) continuação 28 29 30 31 784 841 900 961 4.3634411 271.00000016 0.003392951 0.000997927 0.8312 0.059077271 0.00000016 0.2967508 41.000299378 0.00000441 0.000498963 0.00000025 0.00000289 0.97927E-05 0.8362126 176.6841 0.249009585 6.00005776 0.00000529 0.000698549 0.000001 (Ih/I1)2 0.00005776 0.28953236 88.9156 135.00000004 0.0163959 nq(Ih/I1)2 0.11872336 58.289 0.6023 1.32948041 78.000001 0.00000289 0.76 A ∑ da coluna ((I h Irms ) ) x h = ∑ da coluna (I h Irms ) 2 2 2 2 ∴ FLH = 1.5088 1.00000289 0.005588391 0.00000001 0.4188893 343.93422336 68.42584657 21.4578 4.00000025 0.00000001 0.6023 0.80095996 99.003443119 0.00000784 0.00000049 0.00350464 0.5082095 222.8913 38.8427 1.00000025 0.

12603 : = 14.99586 ⎝ Irms ⎠ ⎝ 2293.78% para alimentar a carga descrita e com o espectro harmônico dado na tabela 5.00416)) ] ⇒ K = ( 1.99586) x (1.Calculando os fatores: Irms = ∑ Ih 2 2 ⇒ Irms = 2293.06636025) −1 K = 93. pode fornecer uma potência máxima de 1406 kVA. A Tela do programa de cálculo e simulação do exemplo segue abaixo. ou seja.12.76 A ⎛ 2289.12603) x ( 0.00416 ⎜ ∑ ⎜ I1 ⎟ ⎟ ⎝ n =1 ⎝ ⎠ ⎠ onde e são as perdas por correntes de Foulcault.78% E concluindo.20 e 100 = 0. ⎡ K=⎢ ⎢ ⎢ ⎣ K= 2 2 ⎛ ∞ ⎛ ⎞⎞ ⎤ ⎜1 + ⎛ e ⎞ x ⎛ I1 ⎞ x ⎜ ⎛ Ih ⎞ ⎟ ⎟ ⎥ ⎜ ⎟ ⎜ ⎜ 1 + e ⎟ ⎜ Irms ⎟ ⎜ ∑ ⎜ I ⎟ ⎟ ⎟ ⎥ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎝ n =1 ⎝ 1 ⎠ ⎠ ⎝ ⎠⎥ ⎦ −1 −1 → [ (1+ (0. conforme norma BS 7821 (UL) o transformador de 1500 kVA desse exemplo.76 ⎠ 2 14.20 1+ e 1+ 100 ⎛ ∞ ⎛ Ih ⎞ 2 ⎞ ⎜ ⎜ ⎟ ⎟ =1.00 ⎞ ⎛ I1 ⎞ ⎟ ⎜ ⎜ ⎟ =⎜ ⎟ = 0. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 103 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda . deve ser depreciado em 93.

ENGEMATEC CAPACITORES

Designed by PHT v 1.0 Abril/2007

CÁLCULO - FATOR DE DEPRECIAÇÃO K PARA TRANSFORMADORES
CLIENTE: Curso FP + Harmônicos Exemplo DATA: 10/08/2007 CIRCUITO: Exemplo de transformador de 1,5 MVA / 380 V alimentando inversores de frequência e cargas motoras
BASEADO EM: IEEE STD C57.110-1998 E BS 7821 PART 4

TAXA HARMÔNICA DE DISTORÇÃO DE CORRENTE
ORDEM HARMÔNICA (h) CORRENTE MEDIDA (%) DE In

I_A (A)

POTÊNCIA DO TRAFO (kVA) TENSÃO SECUNDÁRIA (KV)
CORRENTE MEDIDA FUNDAMENTAL I1 (A) EXPOENTE (1,5 - 1,7) Z% X/R CORRENTE PARASITA (%) PADRÃO =10% CORRENTE NOMINAL DO TRAFO In (A)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31

100,00 0,23 0,34 0,04 5,92 0,07 1,47 0,13 0,16 0,17 1,69 0,01 0,76 0,03 0,10 0,05 0,56 0,28 0,43 0,07 0,07 0,02 0,07 0,05 0,17 0,08 0,02 0,21 0,08 0,01 0,10

2289,0000 5,2647 7,7826 0,9156 135,5088 1,6023 33,6483 2,9757 3,6624 3,8913 38,6841 0,2289 17,3964 0,6867 2,2890 1,1445 12,8184 6,4092 9,8427 1,6023 1,6023 0,4578 1,6023 1,1445 3,8913 1,8312 0,4578 4,8069 1,8312 0,2289 2,2890

1500,000 0,380 2289,000
1,700 4,870 3,260 14,420 2279,014

CORRENTE IRMS (A) 2293,75523
Aumento do aquecimento rms devido as correntes harmônicas

FHL (IEEE C.57.110) FACTOR K (BS 7821 PART 4)
S MÁXIMA (kVA) CONF. UL

1,16508 93,78%

1406,654

POTÊNCIA APARENTE MÁXIMA SOB O TRAFO (MVA) EM FUNÇÃO DA CARGA DEFORMANTE MEDIDA, THDI (%) BASEADO EM: IEEE STD C57.110-1998 IEEE RECOMMENDED PRACTICE FOR ESTABLISHING TRANSFORMER CAPABILITY WHEN SUPPLYING NONLINEAR LOAD CURRENTS

Nota: K-Factor padronizado (IEEE): 1, 4, 9, 13, 20, 30, 40 e 50. 5.8 Legislação, Normas e Limites: A norma [13], recomenda que os sistemas elétricos para processamento de sinais e dados operem com uma máxima distorção harmônica entre 3 e 5%. A porcentagem é usualmente especificada como a distorção total de “fase-fase”, com um máximo de 3% para cada harmônica. Por esta norma, os circuitos eletrônicos como os computadores de um CPD, Inversores, conversores, CLP’s e outras cargas com comando microprocessado são as mais sensíveis a variações elétricas de tensão e frequência, sendo portanto base para os limites toleráveis. Uma das normas aplicáveis [18] define os valores globais para distorção harmônica de tensão e de corrente, sendo uma das referências internacionalmente mais difundidas e aceitas para o projeto e comissionamento de sistemas elétricos de potência. As tabelas 5.15 a 5.17 abaixo, extraídas da norma [18], definem os “Limites Gerais de Distorção de Corrente para Sistemas de Distribuição”.
Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 104 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

Tabela 5.15 - 120 Vac até 69 kV
Máxima Distorção de Harmônica de Corrente em Percentual de IL Ordens Harmônicas Individuais (Harmônicas Ímpares) ICS/IL <11 11 ≤h<17 17 ≤h<23 23 ≤h<35 35 ≤h <20* 4,0 2,0 1,5 0,6 0,3 20<50 7,0 3,5 2,5 1,0 0,5 50<100 10,0 4,5 4,0 1,5 0,7 100<1000 12,0 5,5 5,0 2,0 1,0 >1000 15,0 7,0 6,0 2,5 1,4

TDD 5,0 8,0 12,0 15,0 20,0

Tabela 5.16 - 60,001 kV até 161 kV
Máxima Distorção de Harmônica de Corrente em Percentual de IL Ordens Harmônicas Individuais (Harmônicas Ímpares) ICS/IL <11 TDD 11 ≤h<17 17 ≤h<23 23 ≤h<35 35 ≤h <20* 2,0 1,0 0,75 0,3 0,15 2,5 20<50 3,5 1,75 1,25 0,5 0,25 4,0 50<100 5,0 2,25 2,0 0,75 0,35 6,0 100<1000 6,0 2,75 2,5 1,0 0,5 7,5 >1000 7,5 3,5 3,0 1,25 0,7 10,0

Tabela 5.17 - acima de 161 kV
Máxima Distorção de Harmônica de Corrente em Percentual de IL Ordens Harmônicas Individuais (Harmônicas Ímpares) <11 TDD 11 ≤h<17 17 ≤h<23 23 ≤h<35 35 ≤h 2,0 1,0 0,75 0,3 0,15 2,5 3,0 1,5 1,15 0,45 0,22 3,75

ICS/IL <50 ≥50

Onde: ISC = Máxima Corrente de curto-circuito no PAC (Ponto de Acoplamento Comum – geralmente na entrada de energia); = Máxima Demanda de Corrente de Carga (Componente de Frequência IL Fundamental) no PAC. TDD = Distorção total , das correntes harmônicas em percentual da máxima demanda de carga (durante 25 ou 30 minutos). * Todos os equipamentos de geração são limitados a estes valores de distorção, indiferentemente do valor ICS/IL. Harmônicas de ordem par são limitadas a 25% dos valores das ordens ímpares nas tabelas acima. Distorções de corrente que resultem em um valor de DC (offset), como por exemplo conversores de meia-onda, não são permitidos.

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 105 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

5.8.1

Limites Gerais de Distorção de Tensão:

Conforme o item 10.2 “Developmemnt of Current Distortion Limits”, do IEEE 519, o objetivo de limitar os valores das correntes harmônicas é manter baixo os níveis de distorção harmônicas de tensão, sendo que para harmônicas individuais, recomenda-se um máximo de 3,0% de distorção e, para THDV, um máximo de 5% (para tensões ≤ 69kV ), onde :

x100 sendo: V1 THD = Distorção Harmônica Total, com seguinte cálculo: Vh o valor individual da tensão harmônica de ordem h e V1 o valor da tensão fundamental.

THD =

∑V
h=2

50

2

h

(5.64)

A mesma norma IEEE Std 519/1992 [18], define os limites de distorção de tensão (tabela 5.18): Tabela 5.18 – Limites de distorção de tensão
Tensão no barramento de entrada PAC Tensões até 69 kV 69,001 kV até 161 kV Acima de 161,001 kV Distorção de tensão individual (%) 3,0 1,5 1,0 Distorção total de tensão THD (%) 5,0 2,5 1,5

Nota: Sistemas de alta tensão devem ter até 2,5% de THDV% cuja causa seja a transmissão em corrente contínua (HVdc), e é atenuada até o consumidor. A norma européia [26] define apenas os valores de distorção harmônica de tensão, conforme tabela 5.19. Níveis de compatibilidade para harmônicas individuais de tensão em sistemas de baixa tensão. Tabela 5.19 – Limites de distorção de tensão
Harmônicas Ímpares não múltiplas de 3 Harmônica de Harmônica de ordem tensão n % 5 6 7 5 11 3,5 13 3 17 2 19 1,5 23 1,5 25 1,5 >25 0,2+0,5x25/n Harmônicas Ímpares múltiplas de 3 Harmônica de Harmônica de ordem tensão n % 3 5 9 1,5 15 0,3 21 0,2 >21 0,2 Harmônicas Pares Harmônica de ordem n 2 4 6 8 10 12 >12 Harmônica de tensão % 2 1 0,5 0,5 0,2 0,2 0,2

THD (%) = 8%

Ainda na Europa, para alimentação industrial em média, alta e extra-alta tensão, a norma utilizada é a IEC 61000-2-4 “Electromagnetic compatibility (EMC) - Part 2-4: Environment Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 106 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

Compatibility levels in industrial plants for low-frequency conducted disturbances” [51], são definidas três classes de cargas e os valores máximos permitidos de perturbação: A IEC 61000-2-4 determina os níveis de distúrbios conduzidos de baixa freqüência em plantas industriais. Especificamente, os itens 4, 5.6 e 6 tratam dos níveis harmônicos, dividindo os equipamentos e 3 classes básicas: Classe 1 – Esta classe aplica-se a alimentadores protegidos e tem níveis mais baixos do que a rede pública. Essa classe relaciona-se com o uso de equipamentos muito sensíveis a distúrbios no sistema elétrico, tais como instrumentação de laboratórios, equipamentos de proteção e automação, alguns computadores, etc; Classe 2 – Esta classe geralmente se aplica ao PCC (ponto de acoplamento comum) inclusive interno à planta, em ambientes industriais e outros com fornecimento de rede não pública. O nível de compatibilidade dessa classe é geralmente idêntico à da rede pública. Além disso, equipamentos projetados para alimentação a partir da rede de energia pública devem ser usados nessa classe de ambiente industrial; Classe 3 – Esta classe aplica-se às cargas em ambientes industriais internos à planta. Tem nível de compatibilidade superior à da classe 2 para alguns tipos de distúrbios, especialmente quando as seguintes condições são conhecidas: A maioria das cargas é alimentada por conversores; Existência de máquinas de solda; Grandes motores são partidos freqüentemente; Cargas variam rapidamente. As Tabelas 5.20 a 5.23, demonstram os níveis de compatibilidade harmônica de tensão, individuais e totais respectivamente. Tabela 5.20 – Níveis de compatibilidade – Tensões harmônicas ímpares não múltiplas de três
Ordem Harmônica 5 7 11 13 17 Classe 1 Uh % 3 3 3 3 2 Classe 2 Uh % 6 5 3,5 3 2 Classe 3 Uh % 8 7 5 4,5 4

2,27 × (17/h) − 0,27 2,27 × (17/h) − 0,27 4,5 × (17/h) − 0,5 17 < h ≤ 49 NOTE: In some cases where part of an industrial network is dedicated to large non-linear loads, the class 3 compatibility levels for that part of the network may be 1,2 times the above values. In such cases precautions should be taken regarding immunity of equipment connected. However, at the PCC (public network) the compatibility levels from IEC 61000-2-2 and IEC 61000-2-12 take precedence.

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 107 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

5 Classe 3 Uh % 3 1. a resolução que regulamenta os limites de distorção harmônica é a de nº 345 de 16/12/2008. onde são aprovados em caráter definitivo a utilização dos limites constantes no “Padrões de Desempenho da Distribuição’ PRODIST do ONS (submódulo 8).4 0.23 – Níveis de compatibilidade – Distorção harmônica total Classe 1 Distorção Harmônica Total 5% Classe 2 8% Classe 3 10 % No Brasil.25 × (10/h) + 0.2 Classe 2 Uh % 5 1.2 1 21 < h ≤ 45 NOTE 1 These levels apply to zero sequence harmonics.5 0.24: Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 108 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda . the class 3 compatibility levels for that part of the network may be 1.2 times the above values. In such cases precautions should be taken regarding immunity of equipment connected. at the PCC (public network) the compatibility levels from IEC 61000-2-2 and IEC 61000-2-12 take precedence.21 – Níveis de compatibilidade – Tensões harmônicas ímpares múltiplas de três Ordem Harmônica 3 9 15 21 Classe 1 Uh % 3 1.25 × (10/h) + 0.5 0. However. Os limites seguem abaixo na tabela 5.Tabela 5.2 times the above values. especificando inclusive o valor de baixa tensão. Tabela 5.5 Classe 2 Uh % 2 1 0.3 Classe 3 Uh % 6 2.22 – Níveis de compatibilidade – Tensões harmônicas pares Ordem Harmônica 2 4 6 8 10 Classe 1 Uh % 2 1 0. In such cases precautions should be taken regarding immunity of equipment connected.25 0.25 1 10 < h ≤ 50 NOTE In some cases where part of an industrial network is dedicated to large non-linear loads.5 0.5 0.5 1 1 1 0. Os níveis referem-se ao valor obtido na média ou alta tensão do consumidor (PAC). at the PCC (public network) the compatibility levels from IEC 61000-2-2 and IEC 61000-2-12 take precedence. Tabela 5. the class 3 compatibility levels for that part of the network may be 1.3 0.5 0.5 0. However.2 0.5 2 1.75 0. NOTE 2 In some cases where part of an industrial network is dedicated to large non-linear loads.

c) Possível acréscimo no aquecimento de motores devido às perdas no cobre e no ferro. visando reduzir a distorção harmônica total. Algumas dos efeitos negativos das harmônicas.Tabela 5. se incorretamente avaliadas no sistema são: a) Possível interferência com os equipamentos de comunicação. d) Possível ressonância com os capacitores para correção do fator de potência. Os valores das distorções harmônicas de tensão e corrente no PAC (Ponto de Acoplamento Comum) podem ser reduzidos por diversos métodos que incluem: a) Adequar o projeto do sistema de potência: reduzir a quantidade de cargas não lineares a um valor percentual da potência do sistema. b) Possível sobreaquecimento nos transformadores e outros equipamentos.8 kV < VN ≤ 69 kV 69 kV < VN ≤ 230 kV Distorção Harmônica Total de Tensão (DTT) [%] 10 8 6 3 • Precauções na correção do fator de potência A instalação de capacitores para a correção do fator de potência em sistemas que possuam inversores de frequência (ou equipamentos similares). devem ser cuidadosamente analisadas para prevenir ressonância com as frequências harmônicas geradas por esses inversores. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 109 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda . as distorções podem ser amplificadas pela ressonância paralela criada entre os capacitores e a indutância dos transformadores.24 – (Tabela 3) – Valores de referência globais das distorções harmônicas totais (em porcentagem da tensão fundamental)ão fundamental Tensão nominal do Barramento VN ≤ 1 kV 1 kV < VN ≤ 13. aumentar a potência de curto circuito no circuito de alimentação das cargas não lineares. bem como os efeitos da correção do fator de potência. se aplicado. Um estudo harmônico no sistema de distribuição de potência deve ser conduzido para determinar frequências de ressonância. b) Indutância de “choque” no lado DC do inversor: O projeto adequado de alguns sistemas de controles poderão minimizar os efeitos das correntes harmônicas no lado AC do equipamento. Quando correntes harmônicas existem num sistema de potência. podendo causar falha nos equipamentos.8 kV 13.

são verificadas as ordens: 19ª. sintonizado para operar numa frequência específica.. Consistem um circuito RLC série. Devem ser feitas considerações sobre a localização e aplicação específica do filtro. 25ª. 23ª. um retificador de 6 pulsos (operando em equilíbrio). . Para um retificador de 12 pulsos.. as harmônicas de ordem inferior possuem um valor em módulo acentuado. 13ª.25) que são desenvolvidos apropriadamente para as harmônicas de ordem 5ª.c) Indutância: Instalar indutâncias na entrada de energia AC dos inversores (e equipamentos similares) visando reduzir o nível de corrente harmônica injetada. Já para um retificador de 18 pulsos. e com isso. 29ª. 19ª. com a utilização de transformadores com diferentes deslocamentos de fase (30º) no caso de 12 pulsos. algumas harmônicas são canceladas naturalmente pelos transformadores. d) Transformadores isoladores: Instalar transformadores isoladores na entrada AC do equipamento (inversores) visando reduzir o impacto das correntes harmônicas no lado AC da instalação. sendo verificadas a 11ª. menor injeção de harmônicos será verificada no sistema de energia... as harmônicas de baixa ordem são canceladas pelo deslocamento em 30º dos trafos de entrada. pois não é possível desde então distinguir entre as harmônicas provenientes dos equipamentos. é de se esperar que a multiplicação de fases reduza sensivelmente a corrente harmônica injetada. . 11º. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 110 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda . e) Multiplicação de fase: Utilização de equipamentos de conversão com numero de pulsos de 12 ou superiores. possui como característica as ordens 5ª. ou adicional equipamento instalado. 7ª. 11ª e 13ª.. 13ª. desviando do sistema de energia elétrica a maior parte da corrente harmônica. 7ª. agindo como um caminho de baixa impedância. de outras externas ao sistema de potência. Como. 17ª. f) Filtros Harmônicos Filtros shunt – filtros passivos (figura 5. Por exemplo..

Este efeito causa aumento no aquecimento e fadiga no dielétrico do capacitor. Desta maneira a corrente “vista” pela fonte de energia será apenas a componente fundamental com fator de potência (deslocamento) próximo a 1. ele fornece uma corrente de compensação (em oposição de fase mas com mesmo módulo).26). em que a fonte de energia reativa geralmente é um banco de capacitores. (tendo como base as normas IEEE 519.25 . e em consequência a vida útil do capacitor é reduzida. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 111 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda . De uma maneira geral.110 e IEEE Std 18) • Capacitores: Conforme a mesma referência. pois ao invés de drenar a corrente harmônica. difere do filtro passivo. IEEE C57. A reatância do banco de capacitores diminui com a freqüência. Este efeito impõe níveis de tensão e correntes que são consideravelmente mais altas do que no sistema sem ressonância. A referência [12] . e os capacitores se tornam um dreno para as altas correntes harmônicas.φ Figura 5.Princípio de funcionamento do filtro passivo Onde Ih = I Motor + I Filtro + I Trafo (para harmônicas >1ª) Filtros Ativos: São equipamentos com controle de potência por estado sólido (figura 5. que será somada vetorialmente no ponto de conexão do filtro. cita algumas recomendações sobre as distorções harmônicas nos sistemas elétricos. a preocupação principal que surge do uso de capacitores em um sistema de potência é a possibilidade de ressonância.

soft-starters.Princípio de funcionamento do filtro ativo shunt A princípio. A impedância de um capacitor diminui com o aumento da frequência. quando a característica das cargas é de não linearidade (inversores. as reatâncias da instalação elétrica podem trazer riscos de ressonância com esses capacitores. motores e transformador. o que pode aumentar consideravelmente a amplitude das harmônicas em todos os equipamentos.Figura 5.26 . Além disso. aumentando consideravelmente as distorções de tensão no sistema. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência 112 Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda . devida sua característica física. Os capacitores não geram harmônicas. a função dos capacitores é a correção do fator de potência de uma instalação. altas correntes harmônicas serão absorvidas pelos capacitores. Se a tensão é distorcida. etc). pode ocorrer uma ressonância paralela entre o banco de capacitores. fornos de indução e fusão por arco voltaico.

constituída por 3 ou 4 fios (3 fios de fase ou 3 fios de fase e 1 fio de retorno).1.8 Carga trifásica equilibrada: carga trifásica constituída por 3 impedâncias complexas iguais. constituída por 3 ou 4 fios (3 fios de fase ou 3 fios de fase e 1 fio de retorno).1 6.4 6. 6.1.1. 6.2 Sistema de tensões trifásico assimétrico: sistema trifásico em que as tensões nos terminais dos geradores não atendem a pelo menos uma das condições apresentadas em (6. num circuito.1.3 Linha (ou rede) trifásica equilibrada: linha (ou rede) trifásica. 6. na qual não se verifica pelo menos uma das relações apresentadas em (6. de mesmo valor máximo. 6. na qual se verificam as seguintes relações: 6. [51]. quando as cargas monofásicas somadas não constituírem impedâncias complexas iguais também serão consideradas cargas desequilibradas.1.10 Carga não linear equilibrada: aquela que possuir espectro (de tensões ou correntes) com valores em módulo igual nas 3 fases. e defasadas de 3 radianos ou 120º elétricos.1.1.1.1.1 Definições: Sistema de tensões trifásico simétrico: sistema trifásico em que as tensões nos 2π terminais dos geradores são senoidais.5. 6.3).1. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 113 . [52]. 6.1).1.7 Linha (ou rede) trifásica desequilibrada: linha (ou rede) trifásica.1.1. em vetores simetricamente dispostos.6 impedâncias mútuas entre os fios de fase e o fio de retorno iguais (para sistema a 4 fios): Z AG = Z BG = Z CG = Z 'P 6. em triângulo ou estrela.5 impedâncias próprias dos fios de fase iguais entre si: Z AA = Z BB = Z CC = Z P impedâncias mútuas entre os fios de fases iguais entre si: Z AB = Z BC = Z CA = Z M 6. respeitando-se as sequências desta dada transformada [50].6 Componentes Simétricos: De uma maneira geral pode-se definir componentes simétricas como uma transformação algébrica que converte qualquer conjunto polifásico (maior que 3) desequilibrado ou não.9 Carga trifásica desequilibrada: carga trifásica na qual não se verifica a condição descrita em 6.

e de sequência zero (ou homopolar) 0..4) (6.1) (6.1. Vb ou Vc. Podemos contudo utilizar as transformadas de Fortescue [50] para definir as componentes de sequência positiva (ou direta) +.2) (6. Ib e Ic ou tensões Va.12 Dado um circuito 3φ com correntes Ia. podemos transformar esse conjunto (corrente ou tensão) em componentes simétricas adotando-se as regras apresentadas por Fortescue [49].8) (6. sequência negativa (ou inversa) .11) (6.7.3) (6. Ib = Ib∠(ϕ − nθ ) Ic = Ic∠(ϕ + nθ ) Va = Va∠0º eq. em regime permanente ou não valem as leis de Kirchoff: ∑ das correntes que entram num nó é igual à ∑ das correntes que saem deste nó.5) (6.9) (6. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 114 . 1º No domínio da frequência as correntes e tensões podem ser descritas conforme equações abaixo: ia = Ia max sen(nωt + ϕ ) ib = Ibmax sen(nωt + ϕ − nθ ) ic = Ic max sen(nωt + ϕ + nθ ) va = Va max sen(nωt ) vb = Vbmax sen(nωt − nθ ) vc = Vc max sen(nωt + nθ ) (6.7) (6.1.10) (6.12) Vc = Vc∠(+ nθ ) Todos os circuitos elétricos. as correntes e tensões podem ser descritas conforme equações abaixo: Ia = Ia∠ϕ eq. Vb = Vb∠(− nθ ) (6.6) Sendo: Imax = A corrente máxima (de pico) da componente senoidal (Ampéres) Vmax = A tensão máxima (de pico) da componente senoidal (Volts) n = ordem harmônica ≥ 1 ωt = velocidade angular (rad/s) θ = defasamento angular entre as fases (num circuito 3φ é de 120º) 2º Em regime permanente.1. 6.11 Carga não linear desequilibrada: carga onde não se verifica as condições descritas em 6.6.

Devem ser iguais em módulo e deslocamento fasorial de 120º.14) (6.13) (6.• Operador α: Visando facilitar os cálculos envolvendo as tensões e correntes num sistema 3φ equilibrado ou não. Por definição. graficamente temos a figura 6. deste modo a fase B (corrente ou tensão) estará atrasada de 120º com relação à fase A enquanto que a fase C estará atrasada de 240º com relação à fase A.1 – Sequência Positiva Então as correntes ou tensões de sequência positiva poderão ser definidas em termos de componentes simétricas como: Ia1 = I1 Ib1 = α2 x I a1 = I1 ∠240º Ic1 = α x I a1 = I1 ∠120º (6. onde: 1 3 = e-j120 +j 2 2 1 3 α2 = 1∠-120º = 1∠240º = − − j 2 2 α3 = 1∠360º = 1 + j 0 α = 1∠120º = − • Sequência positiva: Esta sequência consiste em um sistema balanceado (simétrico) de correntes trifásicas e tensões de fase fornecidas por um sistema de potência. os fasores da sequência positiva (ou direta) giram no sentido horário.1: I c1 I a1 I b1 Figura 6.15) • Sequência negativa: Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 115 . é conveniente definir um fasor unitário com ângulo de deslocamento de 120º elétricos denominado de α.

3. b. c.Esta sequência consiste em um sistema também balanceado (simétrico) igual em módulo e deslocado de 120º.2. c a sequência negativa possui a rotação a. Ia0 Ib0 Ic0 Figura 6. c. Temos portanto a figura 6.18) • Sequência zero: Esta sequência consiste num sistema onde os fasores são iguais em módulo e estão sempre em fase.16) (6. c. Em alguns circuitos a sequência positiva poderá a.3 – Sequência Zero Então as correntes ou tensões de sequência zero poderão ser definidas em termos de componentes simétricas como: Ia0 = Ib0 = Ic0 (6. Ib2 Ia2 Ic2 Figura 6. Teremos portanto a figura 6. b.2 – Sequência Negativa Então as correntes ou tensões de sequência negativa poderão ser definidas em termos de componentes simétricas como: Ia2 = I2 Ib2 = α x Ia2 = I2 ∠120º Ic2 = α2 x I a2 = I2 ∠240º (6. b.17) (6. mas com a rotação de fase no sentido inverso (anti-horário).19) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 116 . Como a sequência positiva possui a rotação a. b e neste caso a sequência negativa será a.

Das equações (6.13) a (6. Exemplo 1) Considere as seguintes correntes num circuito trifásico a 4 fios (com neutro): Ia = 100A. negativa e zero.22) (6.21) (6.21) (6. apenas a sequência positiva pode ocorrer sozinha.20) (6.24) para as tensões: (6. tiramos as formulações gerais: 1 (Va + Vb + Vc ) 3 1 V1 = Va + αVb + α 2Vc 3 1 V2 = Va + α 2Vb + αVc 3 1 I 0 = (Ia + Ib + Ic ) 3 1 I1 = Ia + αIb + α 2 Ic 3 1 I 2 = Ia + α 2 Ib + αIc 3 V0 = (6.23) ( ) ) ( ( ) ( ) e na forma matricial: para as correntes: 1 Ia 1 I 1 = x 1 α α 2 x Ib 3 I2 1 α 2 α Ic I0 1 Va 1 V1 = x 1 α α 2 x Vb 3 V2 1 α 2 α Vc V0 1 1 1 1 (6. ou seja. Calcular as componentes de sequência a partir das correntes dadas. Vb e Vc são as entre fase e neutro (ou referência) mesmo num circuito em triângulo a 3 fios. sempre ocorrem nas outras fases em conjunto com a sequência positiva.Nota: As sequências.19). Ib = 100A. para sistemas puramente senoidais nunca podem existir sozinhas.22) (6. Ic = 70A.25) Lembrando que as tensões Va. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 117 .

independente do defasamento angular ϕ. I0 = I1 = 1 (100∠0º +100∠ − 120º x1∠120º +70∠120º x1∠240º ) ∴ I1 = 90 A 3 1 I 2 = (100∠0º +100∠ − 120º x1∠240º +70∠120º x1∠120º ) ∴ I 2 = 10 A 3 6. mas há a necessidade da correção do ângulo de fase das tensões (ou correntes).26) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 118 . Em termos de componentes simétricas as correntes serão: 1 1 1 100∠0º 1 I 1 = x 1 1∠120º 1∠240º x 100∠240º 3 1 1∠240º 1∠120º 70∠120º I2 I0 1 (100∠0º +100∠ − 120º +70∠120º ) ∴ I 0 = 10 A 3 e como IN = 3 x I0 a corrente no neutro seria de 30A . necessitamos apenas dos módulos das correntes. ou seja. utilizando as mesmas equações dadas entre (6. • Formulação geral Na formulação geral para as frequências múltiplas da fundamental também se aplica os componentes simétricos.24) e (6.2 Harmônicos e os componentes simétricos Da mesma forma que as transformadas algébricas de Fortescue podem ser utilizadas para os valores fundamentais. podem ser definidos em termos de componentes simétricas [50] e [51]. (6. com a seguinte equação matricial: 1 1 1 Ia∠(n x 0º ) 1 I 1 nh = x 1 1∠120º 1∠240º x Ib∠(n x 240º ) 3 1 1∠240º 1∠120º Ic∠(n x 120º ) I 2 nh I 0 nh para as correntes e.12).25).Solução: Utilizando as matrizes dadas em (6. elas também podem ser aplicadas aos harmônicos de corrente e de tensão.7) e (6.

I22h = IK para a 2ª ordem harmônica num circuito equilibrado.27) Como exemplo. além de desequilíbrios nos parâmetros das linhas de alimentação de retificadores e que promovem a geração de desequilíbrios nas correntes desses equipamentos. podemos definir como IK as correntes das fases. Ic = IK ∠240º: I K ∠0º 1 1 1 1 I 1 2h = x 1 1∠120º 1∠240º x I K ∠ − 240º 3 1 1∠240º 1∠120º I K ∠ + 240º I 2 2h I 0 2h E fazendo os cálculos: I02h = 0 A para a 2ª ordem harmônica num circuito equilibrado. 1ª Condição – Sistema equilibrado Como o sistema é equilibrado. O módulo das correntes será igual á IK. I12h = 0 A para a 2ª ordem harmônica num circuito equilibrado. Ib = IK ∠-240º. sendo IK = Ia = Ib = Ic. vamos analisar as condições de correntes equilibradas e desequilibradas para entender o comportamento das ordens harmônicas em termos de componentes simétricas: Devemos sempre lembrar que as correntes harmônicas assimétricas são originárias de circuitos monofásicos ou bifásicos. mas os defasamentos angulares serão mantidos. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 119 .1 1 1 Va∠(n x 0º ) 1 V1 nh = x 1 1∠120º 1∠240º x Vb∠(n x 240º ) 3 1 1∠240º 1∠120º Vc∠(n x 120º ) V2 nh V0 nh para as tensões. Ou seja. Onde: n = ordem harmônica da tensão ou corrente h = denotação de componente harmônica (6. apenas as de sequência negativa. 2ª harmônica (120 Hz) Ia = IK ∠0º. não existem componentes de sequência zero e positiva de 2ª ordem harmônica circulando num circuito equilibrado.

Sequência + - 0 + - 0 2ª Condição – Sistema desequilibrado Para um circuito desequilibrado. podem aparecer componentes de sequência não características. I23h = 0 A para a 3ª ordem harmônica num circuito equilibrado. Para exemplificar. Ic = IK ∠360º: I 0 3h I 1 3h = I 2 3h 1 x 1 1∠120º 1∠240º x I K ∠ − 360º 3 1 1∠240º 1∠120º I K ∠ + 360º 1 1 1 I K ∠0º E fazendo os cálculos: I03h = IK para a 3ª ordem harmônica num circuito equilibrado. . não existem componentes de sequência positiva e negativa de 3ª ordem harmônica circulando num circuito equilibrado. Ib = IK ∠-360º. positiva. Ou seja. apenas as de sequência zero. . também valem as transformações algébricas através de componentes simétricas. Lembrar que para um circuito a 4 fios a corrente de neutro é 3 x I0 e neste caso a corrente que circulará neste condutor será de 3 x IK. .3ª harmônica (180 Hz) Ia = IK ∠0º. . I13h = 0 A para a 3ª ordem harmônica num circuito equilibrado. ou seja. . . . . Se expandirmos os cálculos para as demais ordens harmônicas para um sistema perfeitamente equilibrado teremos: Ordem harmônica h 1 2 3 4 5 6 . . negativa e zero em ordens harmônicas que não existiriam num sistema equilibrado. veremos o exemplo abaixo: Exemplo 2) Desequilibrado de 2ª harmônica (120 Hz) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 120 . . só que neste caso.

Ic = 70 A. além de haver circulação desta ordem pelo condutor neutro. Ib = 100 ∠-240º. Ib = 100 A. Ic = 70 ∠240º: I 0 2h I 1 2h = I 2 2h I 0 2h 1 x 1 1∠120º 1∠240º x Ib∠(2 x 240º ) ⇒ 3 1 1∠240º 1∠120º Ic∠(2 x 120º ) 1 1 1 Ia∠(2 x 0º ) 1 1 1 100∠0º 1 I 1 2h = x 1 1∠120º 1∠240º x 100∠ − 240º 3 1 1∠240º 1∠120º 70∠ + 240º I 2 2h 1⎛ 100 100 3 70 70 3 ⎞ ⎟ +j − −j I 0 2h = ⎜100 + j 0 − ⎜ 3⎝ 2 2 2 2 ⎟ ⎠ ⎛ 1 1 ⎡ 3⎞ ⎟ I1 2h = x ⎢100 x ⎜ − + j ⎜ 2 3 ⎢ 2 ⎟ ⎝ ⎠ ⎣ ⎛ 1 1 ⎡ 3⎞ ⎟ I 2 2h = x ⎢100 x ⎜ − − j ⎜ 2 3 ⎢ 2 ⎟ ⎝ ⎠ ⎣ ⎛ 1 ⎛ 1 3⎞ 3⎞ ⎟ + 70 x ⎜ − − j ⎟ x⎜− + j ⎜ 2 ⎜ 2 2 ⎟ 2 ⎟ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎛ 1 ⎛ 1 3⎞ 3⎞ ⎟ + 70 x ⎜ − + j ⎟ x⎜− + j ⎜ 2 ⎜ 2 2 ⎟ 2 ⎟ ⎝ ⎠ ⎝ ⎠ ⎛ 1 3⎞ ⎤ ⎟⎥ x⎜− − j ⎜ 2 2 ⎟⎥ ⎝ ⎠⎦ ⎛ 1 3⎞ ⎤ ⎟⎥ x⎜− − j ⎜ 2 2 ⎟⎥ ⎝ ⎠⎦ Cujo resultado têm as seguintes correntes harmônicas: I02h = 10 A. Ou seja no condutor de retorno (ou neutro) num circuito a 4 fios. para um sistema desequilibrado haverá a circulação de correntes não múltiplas de 3. Ic = 70 A. e IN = 30 A I12h = 10 A I22h = 90 A Verificamos neste caso que a 2ª ordem harmônica num circuito desequilibrado também provoca a circulação de componentes de sequência positiva e zero (não características desta harmônica). todas de 3ª ordem harmônica. As correntes ficam assim definidas: Ia = 100 ∠0º.Considerando as seguintes correntes: Ia = 100 A. As correntes ficam assim definidas: Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 121 . todas de 2ª ordem harmônica. Ib = 100 A. Exemplo 3) Desequilibrado de 3ª harmônica (180 Hz) Considerando as seguintes correntes: Ia = 100 A.

. Os componentes características: Ordem harmônica h Sequência simétricos para circuitos desequilibrados terão as seguintes 1 + 0 2 + 0 3 + 0 4 + 0 5 + 0 6 + 0 . onde o principal afetado é o condutor de retorno (neutro) pois estarão circulando correntes não múltiplas de 3. 7ª..Ia = 100 ∠0º.4. ...... 11ª e 13ª ordens.. sendo relacionado pela fórmula: h=kq ±1..... as harmônicas características presentes um sistema de potência são uma função do número de pulsos do equipamento. conforme espectro harmônico da tabela 6..4 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 122 . . Ib = 100 ∠-360º.. Resumidamente e de uma maneira geral... Ic = 70 ∠360º: Resolvendo a equação matricial com base na equação 6. Concluindo. um inversor de frequência convencional possui 6 SCR’s na etapa de retificação..26: I 0 3h I 1 3h = I 2 3h 1 x 1 1∠120º 1∠240º x 100∠ − 360º 3 1 1∠240º 1∠120º 70∠ + 360º 1 1 1 100∠0º I03h = 90 A. .) k é qualquer inteiro positivo q é o número de pulsos do equipamento Por exemplo. portanto espera-se como harmônicas características a 5ª.. principalmente nos circuitos desequilibrados. as componentes simétricas podem e devem ser aplicadas visando obter as correntes que estarão circulando..1 e figura 6. onde h é a ordem harmônica (2...3.. e IN = 270 A I13h = 10 A I23h = 10 A Num circuito desequilibrado contendo a 3ª ordem harmônica também existirão componentes de sequência positiva e negativa (não características desta harmônica). Exemplo 4) Considere a tabela abaixo de uma instalação industrial contendo máquinas de solda a ponto monofásIcas.

130 2.140 2.58 A.250 0.060 1. T= 684.520 10. As correntes são bem desequilibradas entre as fases.080 0. S= 885.030 0.330 0.690 0.000 3.020 ORDEM HARMÔNICA (h) 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 CORRENTE (%) DE I FUNDAME NTAL 1.980 4.190 0.Correntes: Fase R= 390.95 A.060 0.070 0.110 1.010 0. Tabela 6.070 0.790 12.030 0.010 0.800 0.870 0.060 0.630 0.030 0.030 0.88 A.4 – Espectro harmônico e forma de onda Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 123 .050 Figura 6.000 1.1 ORDEM HARMÔNICA (h) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 CORRENTE (%) DE I FUNDAME NTAL 100.110 0.070 0.

013 17.108904 7.273 0.043 0.410928 0.392 0.458 0.499 1. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 124 .194714 11.453 0.028 0.683305 1.043 0.523 0.043 0.328216 0.040 235.186 15.360 0.410176 41.205464 0.17664 0.479416 3.196 0.938 15.68231 6.115 0.8066 19.53157 0.265785 0.043 0.086 1.086 0.301272 0.369 15.028 0.087 0.392 1.569 0.923 0.117174 0.229 21.620165 0.086 0. T = 695.302 0.186 69.086 0.043 0.811E-002 0.97645 2.259 0.518654 94.475 1.136976 3.58 885.101 0.273 0.259 0.412402 32.8488E-002 0.696 0.187 18.550 12.205464 0.392 0.66 A.117174 0.101 0.259 26.827684 8.429638 0.913 0.1856 14.850 4.261 5.005 0.115 0.265785 0.802744 3.234348 0.410928 5.620165 0.17719 0.205464 0.913 0.26 para as correntes dadas e para o espectro harmônico entre a 1ª harmônica (fundamental) e a 31ª harmônica.475 20.859E-002 6.407 7.158 6.635 0.158 1.072 (Amperes) 143.528 6.086 4.88 5.604 12.742102 1.306 0.216 (Amperes) (Amperes) (Amperes) 390.312464 0.915 4.905E-002 8.265785 0.843 2.429638 0.479665 7.456 5.327 Para essa corrente específida as correntes rms das fases passa a ser: R = 396. Componentes Simétricas I2 I0 (Amperes) 143.Solução: Fazendo os cálculos dados na fórmula matricial 6.176485 72.086 8.021246 43.261 24.70876 0.840 0.242 0.93624 24.73 A.214875 1.201 18.539 0.158 0.290 6.24033 0.718005 19.072 Harmônica (h) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 Corrente R Corrente S Corrente T I1 IN (Amperes) 431.917288 0.125 0.843 9. sendo que mais de 105 A dessa corrente rms é devida aos harmônicos de sequência zero (I0).014 0.948095 6.043 0.95 684.117174 0.043 1.00 A.90 A.944858 8.691555 25.711824 19.34244 (Amperes) 653.442975 0.719 0.783135 9.205464 0.7122 0.410928 0.117174 0. S = 899.079 0.559 208.547904 0.479416 0.314 82.8696 106.129 3.897182 24. obtemos o resultado abaixo.043 1.234348 0.290 1.145765 33.753368 4.273406 0.014 0.015 2.507754 1.196 0.753368 0.151735 0.234348 0.603 0.108152 46.029 1.196 0.498 4.265785 0.546812 1.158 0.719 1.005 0.19529 0.083 0.302 0.353656 0.241 17.308 0.936816 13.458 0.101 0.803 2.360 0.196 0.101 0.958832 10.453 0.727 0. IN = 536.539 0.273406 0.131 1.187 4.996 0.358 0.53157 0.065 0.588 1.272072 0.890344 10.410 31.588 0.179206 9.201 4.53157 0.086 0.46644 10.308 0.410 7.196 0.974545 0.974545 0.013 78.129 0.029 6.987 0.

1 Ω e que a impedância ZT do transformador seja 2 Ω (todas para a 5ª ordem harmônica). referidas ao secundário do trafo. onde para uma frequência de 60 Hz a concessionária é a única fonte de energia e para as ordens harmônicas (com frequências maiores que 60 Hz) a carga não linear é a fonte de energia – podendo ser de corrente ou tensão.3) (7. e no nosso exemplo a carga não linear é uma fonte de corrente. Vamos supor que a corrente harmônica gerada pela carga não linear seja de 15 A (5ª harmônica). que a impedância ZCONC da concessionária seja de 0. em que cada impedância Z deve ser corrigida para a frequência harmônica correspondente.1).2) (7.3). I em Amperes e R em Ω P = RxI2 sendo P em Watts A impedância das componentes indutiva e capacitiva tem a formulação: ZL = 2πfL sendo f a frequência da rede (Hz) e L a indutância (H) ZC = 1/2πfC sendo f a frequência da rede e C a capacitância (F) (7.7 Dimensionamento de Filtros Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Antes de analisarmos o fenômeno da distorção harmônica. O transformador tem saída na baixa tensão de 380 Volts. vejamos conceitualmente como o processo ocorre.64).5 2 DHT (%) = 100 ∴DHT = 8.29% 380 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 125 . para isso utilizaremos a lei de Ohm. Pela lei de Ohm podemos utilizar algumas formulações básicas: V = R x I sendo V em Volts. Se utilizarmos a definição dada para a distorção harmônica total (conforme fórmula 5.1 e 7. temos então pelas equações acima: V5 = 15 x (2 + 0. Com base nas fórmulas dadas acima.1) (7.1) ∴ V5 = 31. Vamos quantificar os efeitos dos harmônicos de uma forma básica.4) Tomemos um diagrama básico de uma planta industrial (figura 7. podemos tirar as seguintes definições para as tensões harmônicas superiores a 2: Vh = Ih x (ZT + ZCONC) (pelas fórmulas 7. teria na baixa tensão do transformador a seguinte deformação (distorção harmônica total): 31.5 Volts de 5ª harmônica (300 Hz).

como é o caso dos filtros que serão abordados adiante. Resumidamente temos: 1 (7.1 Diagrama elétrico de uma fábrica e o seu modelo elétrico simplificado 7.99+j 0.1 O fenômeno da ressonância: Este fenômeno é caracterizado quando a reatância capacitiva se iguala à reatância indutiva (predominantemente do transformador).5) 2π f C Existirá uma frequência em que essas duas impedâncias serão iguais. Se houver correntes harmônicas no sistema que coincidam com a frequência de ressonância.6) f= 2π L C XL = XC → 2π f L = Consideremos o exemplo onde é instalado um capacitor para a correção do fator de potência. os níveis de tensão harmônicos serão maximizados . ou minimizados.1) ∴ V5 = 88.50 Volts de 5º harmônica (300 Hz) −1 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 126 . Supondo que a impedância do capacitor seja 1.2. para uma ressonância série .para uma ressonância paralela -. Primeiramente devemos encontrar a impedância equivalente dos componentes em paralelo (transformador e capacitor). nosso diagrama unifilar passa a ser o representado pela figura 7.Figura 7. e portanto: 1 (7.999 Ω ⎟ ⎝ ⎠ Resolvendo: A tensão harmônica de 5ª ordem na baixa tensão seria: V5 = 15 x (0-j5.5 ⎟ = 0 − j 5.5 Ω (já corrigida para a 5ª ordem harmônica) e que as demais impedâncias sejam as mesmas do exemplo anterior. ⎛ 1 1 ⎞ Z =⎜ ⎜ 0 + j 2 + 0 − j1.

3 – ressonância paralela Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 127 . na ressonância paralela.2 . ou seja. isto somente devido à instalação do capacitor.30%. no secundário do transformador teríamos a seguinte deformação (distorção harmônica total): DHT (%) = 100 88. a variação da impedância do circuito.3 representa a resposta em frequência do circuito.Diagrama elétrico de uma fábrica e o seu modelo elétrico simplificado A figura 7. ou seja. vista a partir da barra de baixa tensão do transformador. Frequência de ressonância 12 11 10 9 8 Z [Módulo] 7 6 5 4 3 2 1 0 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 Ordem harmônica [h] Figura 7.50 2 ∴DHT = 23. Figura 7. com a variação da frequência. Verifica-se que a máxima impedância ocorre próxima da 5ª ordem.Se utilizarmos novamente a definição para a distorção harmônica total (considerando que a tensão fundamental na barra seja a mesma tensão nominal sem queda de tensão). e neste caso houve uma amplificação dos 380 níveis harmônicos em quase 3 vezes.

500 =10 MVA .Diagrama unifilar simplificado Na 5ª ordem harmônica a impedância indutiva é 5 vezes maior do que seu valor fundamental. substituímos por um indutor com o seguinte valor: SCC T = 0. em que as cargas não lineares gerem apenas a 5ª ordem harmônica.4 .Exemplo 1) Vamos analisar conceitualmente (um modelo aproximadamente real).4. Z T = X T 0.5 = 5 pu Considerando a formulação matricial (ZBARRA) temos: Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 128 .05 ( PU ) = 50 = 5 pu ( 60 hz ) 10 Z CONC = 50 =1 pu (60 hz ) 50 I1 I2 Figura 7. calcula-se: Primeiramente substituímos os elementos por suas impedâncias próprias em valores PU.5 = 25 pu e X CONC 5 =1. Para simplificação dos cálculos. e portanto:: ZT 5 = 5. considerando as resistências dos circuitos muito inferiores às reatâncias. consideramos como potência de base 50 MVA e como tensão de base a tensão da própria barra do elemento. Como a impedância do transformador é predominantemente indutiva. Considerando a figura 7. e o modo pelo qual se calcula as tensões harmônicas com a utilização do método matricial.

978 pu ⎝ 50 ⎠ Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 129 .9 → ⎥ ⎥ ⎢ ⎢ ⎢5 5 30⎥ ⎢0.8− 3 ( pu ) 50 150 kVA (30% de 5ª harmônica): I NL1 = Utilizando o teorema da superposição.200 ⎞ V1 = 1 − ⎜ + ⎟.455151 pu ⎛ 0.45909 pu Calculo das tensões: e i2 = 0.993 − ⎜ ⎟. 1.200 200 kVA (20% de 5ª harmônica): I NL 2 = .203 i1 + i2 = 1 i1 + 1.150 0. procede-se da seguinte maneira: Considerando i1 a corrente em pu da carga não linear 1 e i2 a corrente em pu da carganão linear 2.20 = 0.0. resolvendo.0.993 pu 50 ⎠ ⎝ 50 ⎛ 0.0310⎥ ( pu ) ⎢ 2⎥ ⎢ ⎥ ⎢V3 ⎥ ⎢0.⎡ Z CONC Z CONC ZBARRA = ⎢ Z CONC Z CONC + Z T 1 ⎢ ⎢ Z CONC Z CONC ⎣ ⎤ ⎡5 5 5 ⎤ ⎥ = ⎢5 30 5 ⎥ ( pu ) Z CONC ⎥ ⎢ ⎥ Z CONC + Z T 2 ⎥ ⎢5 5 30⎥ ⎦ ⎦ ⎣ Z CONC As correntes das cargas devem ser convertidas em valores pu: 0.150 ⎞ V2 = 0.0285⎥ ⎣ ⎦ ⎣ ⎦ Para o cálculo da tensão fundamental na barra das cargas.5 → V2 = 0.30 = 0.1 → V1 = 0.0085⎤ ⎢V ⎥ (5ª harmônica) = ⎢0.calculam-se as tensões harmônicas em cada barra: ⎡V1 ⎤ [Vh]= [Z BARRA ][Ih] → ⎢V2 ⎥ = ⎢ ⎥ ⎢V3 ⎥ ⎣ ⎦ ⎤ ⎡5 5 5 ⎤ ⎡0 ⎢ −3 ⎥ ⎢5 30 5 ⎥ .150 .202 i2 = 1 ∴ i1 = 0.8 −3 ⎥ ⎦ ⎣ ⎣ ⎦ ⎡V1 ⎤ ⎡0. 9 − 3 ( pu ) 50 0. 0.

100 = 2.h Alternativamente a impedância de máquinas síncronas pode ser calculada por ⎛ X "d + X "q ⎞ ⎟h Z G h = RG . (U N )2 (7. Transformador: Concessionária: Zh = R. h + jX CONC . possuem modelos matemáticos aproximados visando corrigir sua impedância em função da variação dos harmônicos. linhas de transmissão. [33].11) IN (7. sendo que alguns modelos são sugeridos [27].200 ⎞ V3 = 0.h j( IN PM FP .5 + jX T . etc.T .h + 0.12) Máquinas síncronas: Z G h = RG .8) (7.5 → V3 = 0.973 pu ⎝ 50 ⎠ Calculando as distorções harmônicas: 0.9) Cargas lineares: ZL= RL . h + jX "d .h ZCONC= RCONC .930% 0. IP ( IN )) PU ) (7.⎛ 0. h + j ⎜ ⎟ ⎜ 2 ⎠ ⎝ Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 130 .18% 0. cabos.0310 2 .(0.993 − ⎜ ⎟.h (7. [54].7) (7.h (para cargas totalmente motoras a impedância ZL deve ser substituída pela impedância de rotor bloqueado do motor – na maioria das aplicações de 8 a 10 x ZN) Motores de indução: Z Mh = Z M cos arctan IP + Z M sen arctan IP ZM = ( ( ( )).0285 2 .1. [53].860% 0.993 DHT V2 (%) = 0.2 Modelamento de componentes para o estudo de harmônicos: Todos os componentes elétricos como motores.10) onde.973 DHT V3 (%) = 7. transformadores.100 = 0. [44].978 0.9) + jX L .0085 2 DHT V1 (%) = .h1.100 = 3.

Quando o propósito exclusivo é prevenir que uma frequência específica circule por toda a instalação ou parte do sistema de potência (por exemplo. é alcançada por meio de filtros. Em cada caso a decisão dependerá de fatores como a potência e o nível de tensão do equipamento a ser instalado. devemos tomar uma decisão entre projetar essas cargas não lineares com baixos níveis de distorção harmônica ou instalar equipamentos para a mitigação dos harmônicos. = Resistência da carga linear ou motora. = Reatância subtransitória de eixo em quadrantura.14) XC h = Reatância de dispersão do transformador. 7. Alguns autores sugerem utilizar a reatância de sequência negativa X2 ao invés de X”d. = Impedância complexa do motor corrigida para a frequência harmônica (Ω). = Resistência de dispersão do transformador. = Resistência AC do alimentador na frequência fundamental. = Reatância do alimentador (cabo) na frequência fundamental.3 Filtragem dos Harmônicos Quando planejamos a instalação de uma fábrica com grande quantidade de cargas não lineares. o efeito da distorção da forma de onda no resto da planta e principalmente o custo global. = Impedância da máquina síncrona na ordem h. = Reatância de alimentação da concessionária.13) (7. Porém. = Relação da corrente nominal pela corrente de rotor bloqueado. = Tensão de alimentação de fase do motor. 18. = Reatância da carga linear ou motora. = Impedância do alimentador na ordem h.h ZC= − j (7. = Resistência da máquina síncrona obtida a partir das perdas de potência (podendo ser utilizada a resistência da armadura). A compensação harmônica. tal solução Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 131 . = Reatância do capacitor.Cabos de alimentação: Capacitor: Sendo: XT RT XCONC RCONC RL XL XC ZGh RG X”d X”q ZALh RAL XAL ZM ZMh UN PM FP IP/IN Z AL h = RAL . A primeira solução é freqüentemente possível utilizando a multiplicação de fase (12. = Reatância subtransitória de eixo direto. 24 pulsos). pelos equipamentos de controle) é possível utilizar um filtro série que consiste em um indutor paralelo a um capacitor cuja impedância apresente grande valor à freqüência que se quer bloquear. h + jX AL . = Reatância de alimentação da concessionária. por outro lado. = Potência de alimentação elétrica do motor (kW). = Fator de potência do motor ou carga. = Impedância do motor na frequência fundamental (Ω).

possui alto fator de qualidade (Q) tem uma sintonia bem definida em uma ou mais frequências harmônicas de baixa ordem (por exemplo. e neste aspecto os filtros podem ter alto ou baixo fator de qualidade (Q). as correntes harmônicas são impedidas de circular por todo o sistema se houver um caminho de baixa impedância para as frequências harmônicas.5 Filtro harmônico sintonizado: circuito elétrico e impedância x frequência Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 132 . Exemplos típicos de filtros com alto e baixo fator de qualidade (Q) e sua variação de impedância são ilustrados nas figuras 7. 17ª ou superiores) é denominado de filtro passa alta. O primeiro.Impedância X Frequência [Z] √2R PB R ω/ωR Figura 7.não impedirá que os harmônicos sejam gerados pela carga não linear. a 5ª) e o fator de qualidade está tipicamente entre 30 e 60. 7. No caso dos conversores estáticos.5 e 5. pois a produção dos harmônicos por essas cargas é essencial ao seu funcionamento. No caso dos filtros sintonizados o fator Q é definido como a razão da indutância (ou capacitância) pela resistência na frequência de ressonância. isto é: Q = X0 / R (7.15) Filtro Sintonizado . e possui uma baixa impedância numa gama extensa de frequências. O fator de qualidade (Q) de um filtro determina a agudez da sintonia.3.6.5 e 7. Já o segundo com baixo (Q) com valor típico numa região entre 0.1 Filtros passivos Um filtro “shunt” passivo é dito sintonizado quando suas reatâncias capacitiva e indutiva forem iguais. Quando utilizado (geralmente) para eliminar harmônicas de ordem superior (por exemplo.

causadas por envelhecimento e temperatura.16) aonde ωn é a frequência angular de sintonia em rad/s. no gráfico do comportamento da impedância do filtro sintonizado. ou seja: Q = R/ X (7.Band-Pass) é definida como sendo os valores pelos quais as resistências se igualam à reatância do filtro.Impedância X Frequência R Frequência f Figura 7.Impedância [Z] Filtro Passa Alta . Então δ é frequentemente expressado por: Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 133 . uma variação na indutância ou capacitância de 2% causa a mesma dessintonia que uma variação de 1% na frequência do sistema.17) A faixa de desvio da frequência nominal de sintonia de um filtro é representada pelo fator δ.5. A dessintonia global. Este fator inclui vários efeitos: (i) variação na frequência fundamental (concessionária ou gerador). a largura de banda (BP . (iii) inicial dessintonia causada pelas tolerâncias de fabricação e pelo número finito de TAP’s. é o inverso daquela definida para o filtro sintonizado. (ii) variações na capacitância e indutância do filtro.6 Filtro harmônico passa alta: circuito elétrico e impedância x frequência Como pode ser observado pela figura 7. O fator de qualidade e a largura de banda são relacionados pela expressão: Q = ω n / PB (7. em PU da frequência nominal de sintonia pode ser calculada por: δ = (ω − ω n ) / ω n (7.18) Além disso. A agudez de sintonia de um filtro amortecido + passa alta. o ângulo da impedância é de 45º e o módulo da impedância vale 2 R .

isto é normalmente obtido quando se utiliza o conceito de “distúrbio equivalente de corrente”. que poderão oscilar em função das variações de impedâncias do sistema. Ele é substancialmente igual à potência reativa fornecida pelos capacitores na frequência fundamental. a redução da interferência telefônica pode ser obtida com economia tomando-se algumas medidas preventivas nos sistemas telefônicos e de potência. Do ponto de vista técnico.19) 7. O valor máximo para cada harmônica individual geralmente ocorre para diferentes condições operativas do sistema. e neste caso o problema passa a ser expresso em termos de distorção harmônica de corrente. o índice IT em um sistema de transmissão tem pequeno significado. é muito difícil de estimar a distribuição dos harmônicos com antecedência ao longo da rede de distribuição AC. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 134 . O critério mais prático é reduzir os níveis no PAC (ponto de acoplamento comum) com outros consumidores ou internos à fábrica a valores aceitáveis. No geral. embora utilizada em diversos projetos. Contudo. é necessário definir se o valor de THD poderá ser utilizado com as harmônicas simultaneamente presentes ou se os valores individuais de cada harmônica não simultâneas serão utilizados. Com relação à interferência telefônica. Contudo nos casos em que a resistividade do solo é alta existe a justificativa de limitar as correntes harmônicas circulantes numa determinada linha de transmissão que esteja próxima das linhas telefônicas. O critério ideal para o dimensionamento do filtro é o de eliminar todos os efeitos prejudiciais da distorção na forma de onda. é suficiente incluir todas as harmônicas até a 25ª ordem. porque exprime com mais exatidão a severidade com que os harmônicos afetarão os equipamentos. Além disso. que é a mais difícil de eliminar. O parâmetro THD é mais representativo do que a somatória aritmética. tensão ou as duas.2 Critério para o dimensionamento de filtros harmônicos O “tamanho” do filtro é definido como a potência reativa que o mesmo irá fornecer na frequência fundamental. O critério baseado na distorção de tensão é mais adequado para o dimensionamento de filtros pois é mais fácil de garantir que os limites de tensão ficarão dentro de uma faixa do que os limites de correntes.3. O número total de estágios do filtro é determinado pela potência reativa requerida pelas fontes harmônicas e quanto desse total pode ser fornecido pela fonte de energia AC. O critério recomendado para filtros [33] para conversores em corrente contínua (HVDC) é o máximo valor individual para qualquer harmônica e os valores de distorção total (THD).δ = Δ f 1 ⎛ Δ L ΔC ⎞ ⎟ + ⎜ + f n 2 ⎜ Ln C n ⎟ ⎝ ⎠ (7. o critério ideal é irrealístico devido a aspectos técnicos e razões econômicas. Do lado econômico. incluindo a interferência telefônica.

Contudo. nos casos em que existam grandes cargas não lineares numa planta. na qual resultará nos valores máximos de distorção de tensão. Contudo.Visando obedecer aos limites harmônicos exigidos.7 Circuito simplificado para a computação da distorção harmônica de tensão (a) O espectro de corrente harmônica produzido pelas cargas não lineares é injetado num circuito constituído pelos filtros em paralelo como o sistema de potência A. existe a preocupação em se calcular os valores mínimos da admitância total para cada ordem harmônica. da 5ª em diante no caso de um conversor de 6 pulsos) e seria o ideal.3. O conteúdo harmônico da corrente das cargas não lineares poderá se alterar em função das variações de carga. Com relação a admitância do filtro e do sistema. a potência capacitiva necessária para atingir este objetivo seria muito grande. Três componentes devem ser detalhadamente considerados no dimensionamento do filtro: a fonte de corrente (ou tensão). A razão é que o Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 135 . – figura 7. a corrente absorvida pelo filtro e a admitância do sistema. ∑kV. etc. (c) O “desgaste” nos componentes do filtro como capacitores. são utilizados para determinar os parâmetros específicos.3 Critério avançado para o dimensionamento de filtros harmônicos Os critérios descritos anteriormente permitem o adequado dimensionamento de filtros para a maioria das aplicações. estes critérios poderão levar a uma solução inadequada e até mesmo instabilidades harmônicas. o projeto de filtros envolve os seguintes passos: Figura 7. e no caso dos conversores estáticos em função do ângulo de disparo. 7.C.7 – e então as tensões harmônicas são calculadas. (b) Os resultados obtidos em (a). IT. como nos casos da transmissão em corrente contínua. indutores e resistores devem ser calculados e assim determinar seus valores nominais e perdas. TIF. Um único filtro dimensionado para uma alta largura de banda seria capaz de atenuar um espectro inteiro de harmônicas (por exemplo. e normalmente é mais econômico atenuar as harmônicas de ordem inferior por meio de um filtro sintonizado. como THD.

A impedância harmônica do sistema varia com a configuração do sistema e as condições de carga. Como o sistema de transmissão em alta tensão tem relativamente baixas perdas. o que normalmente ocorre no caso da falta de precisão nos parâmetros utilizados nos cálculos. Cada componente numa planta. Impedância do sistema de potência para o cálculo dos parâmetros de performance. É recomendado considerar as cargas nos secundários dos sistemas de transmissão ou distribuição para se decidir se estas serão adequadamente modeladas ou utilizadas como Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 136 . MATLAB entre outros. Seria então adequado modelar tudo precisamente pelo menos desde a rede de distribuição (transmissão) primária. o filtro poderá ser muito mais caro do que o necessário. utilizando-se neste caso softwares que utilizem modelos de equações diferenciais como o EMTP. grande quantidade de dados são gerados. Neste caso devem ser utilizados modelos avançados e simulações no domínio do tempo. Além disso. particularmente os transformadores e cargas. 7. capacitores e indutores devem ser explicitamente representados. devido efeito da onda estacionária nas linhas de transmissão e cabos. é muito difícil de se monitorar todas as possíveis condições do sistema. além disso. ATP. Tais interações afetam a injeção de correntes harmônicas bem como a impedância harmônica de todo o sistema de potência (que deveriam incluir a contribuição efetiva das cargas não lineares). em particular. A utilização de programas computacionais permite uma grande flexibilidade. Assim o correto modelamento dos componentes do sistema e suas variações de impedância com a frequência. são muito importantes na determinação da precisão do fator de amortecimento do sistema. PSCAD. é quase que impossível representar a totalidade de um sistema com o mesmo grau de precisão para todas as possíveis condições operativas. A representação detalhada dos componentes depende de sua posição com relação à fonte harmônica. bem como do seu tamanho em comparação com essa fonte harmônica. como compensadores síncronos. futuras mudanças não podem ser obtidas através de medições. requer uma solução interativa ao invés da direta solução (convencional). Considerando o grande número de estudos e simulações necessárias para o desenvolvimento de um filtro.dimensionamento convencional ignora a interação que existe entre as cargas não lineares e o resto do sistema de potência. e. é necessário considerar os efeitos dos componentes de uma planta com grande separação elétrica da fonte de distorção harmônica.3. uma pequena carga conectada através de uma linha ou cabo teria uma grande influência na resposta do sistema para as frequências harmônicas.4 Representação do sistema Como as impedâncias harmônicas variam com a configuração do sistema e o tipo das cargas. Se as impedâncias são muito pessimistas (isto é muito grandes e/ou com pouco amortecimento). Embora essa impedância poça ser determinada através de medições.

Para a ressonância série do sistema a impedância total é minimizada e para este tipo de filtro existirá uma ressonância paralela abaixo da frequência de sintonia – onde a Impedância harmônica é maximizada. ao se projetar filtros amortecidos (passa alta) para baixas ordens harmônicas em sistemas altamente amortecidos.um circuito equivalente. A localização das impedâncias harmônicas do sistema para determinadas condições operativas e diferentes ordens harmônicas são definidas dentro de pacote dessas áreas.8 temos o gráfico da impedância (módulo) e do ângulo (graus) em função da frequência para uma planta típica com um filtro harmônico sintonizado na 5ª ordem harmônica. Isto é necessário para garantir que ao se conectar o filtro em paralelo com o sistema de potência tenha-se um efeito positivo na redução da harmônica de tensão específica prevenindo a amplificação de outras ordens. polígonos ou circulares. geralmente levam à utilização de filtros de menor potência quando o objetivo é o limitar a máxima distorção harmônica de tensão.3. pois esta impedância é normalmente mais alta do que a dos filtros. Na figura 7. Um diagrama da impedância complexa X/R é definido para um certo range de frequências. mais eficientemente através de diagramas.20) A performance dos filtros amortecidos (passa alta) para altas frequências não dependem muito das variações de impedância do sistema. especialmente aquelas que estão próximas da frequência de sintonia. 7. levando-se em conta o amortecimento do sistema de potência AC. é essencial que se conheça precisamente a impedância do sistema às baixas frequências.3.6 Diagramas de impedância Os resultados das simulações computacionais podem ser representados através de tabelas ou. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 137 . Quanto maior a complexidade de um sistema maiores serão as frequências de ressonância. Esses diagramas permitem uma análise sistemática para se obter a impedância mais crítica. como os setoriais. Esta redução de potência do filtro é uma função do máximo ângulo de fase (φhmax) da impedância do sistema para uma determinada frequência h e é expresso por: 1 / (1 + cosφ h max ) (7.5 Efeito da resistência AC do sistema nas baixas frequências Ao se considerar os tradicionais filtros ressonantes. 7. Por outro lado.

4 Filtros sintonizados Um filtro sintonizado do tipo “Passa Baixa” é uma combinação série RLC (como mostrado na figura 7.21) e sua impedância na frequência de ressonância (fr) se reduz a R.0.7 0.1 0 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 2 4 6 8 Harmonic Order 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 -10 -20 -30 -40 -50 -60 -70 Angle (Degrees) Impedance (ohm) 1 4 7 10 13 16 19 22 Harmonic Order Figura 7.5) e será sintonizado num frequência harmônica (geralmente as de baixa ordem).24) (7.25) (7. Para expressar a impedância do filtro in termos do fator de qualidade (Q) e do desvio δ.22) (7. ω n X 0 ω n RQ (7. L e C.2 0. as seguintes relações são aplicadas: ω = ω n (1 + δ ) ωn = 1 LC (7.6 0.26) 138 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 25 28 .8 Diagrama de Impedâncias – (Frequency Scan) e ângulo (graus) 7. Estes são os fatores de qualidade (Q) e a frequência relativa de desvio (δ) já definida anteriormente.3 0. Existem dois parâmetros básicos no dimensionamento do filtro a serem primeiramente definidos na seleção dos componentes R.5 0. Sua impedância é dada por: 1 ⎞ ⎛ Ζ1 = R + j ⎜ ωL − ⎟ ωC ⎠ ⎝ (7.4 0.23) E a reatância do indutor em ohms na frequência de sintonia é: L 1 X 0 = ωnL = = ω nC C X Q= 0 R 1 1 C= = e.

Z f ≈ R(1 + j 2δQ ) = X 0 Q −1 + j 2δ e. (7. onde: R(1 + j 2δQ ) Q Gf = e.30) 1/ 2 Geralmente é mais conveniente tratar com as admitâncias ao invés das impedâncias no dimensionamento de filtros.32) (7.33) ( ) Bf = − 2δQ 2 X 1 + 4δ 2 Q 2 ( ) E a tensão harmônica no barramento de entrada do filtro (no filtro) será: In I Vn = = n Ynf + Ysn Yn (7. (7.27) na equação (7.26) e (7. estas são o desvio da frequência de sintonia δ e a admitância do sistema Ysn. isto é: Yf ≈ 1 = G f + jB f . Para a prevenção de uma alta tensão Vn.31) (7. as variáveis que não foram precisamente obtidas devem ser escolhidas de modo mais conservativo. Dentro de certos limites o projetista poderá decidir sobre os valores de Q e a potência do filtro (valor nominal var na frequência fundamental). Novamente o a pior condição do sistema (baixa admitância) deve ser representada.27) E substituindo as equações (7.29) (7. ⎟ ⎜ ⎝ 1+ δ ⎠⎠ ⎝ considerando que δ é pequeno se comparado com a unidade.34) Para minimizar a distorção de tensão é necessário aumentar a admitância do conjunto filtro em paralelo com o sistema de potência. Em termos de Q e δ a equação (7.21) obtemos: ⎛ ⎛ 2 + δ ⎞⎞ Zf = R⎜1 + jQδ ⎜ ⎟ ⎟ e. é indevidamente pessimista (muito conservativo) e o filtro neste caso ficará muito maior do que o necessário. X 0 1 + 4δ 2 Q 2 (7.L= X0 ωn = RQ ωn (7.22).35) Vn = I n ⎨⎢G sn + 2 2 ⎥ 2 2 ⎥ ⎬ R 1 + 4Q δ ⎦ R 1 + 4Q δ ⎦ ⎪ ⎪⎣ ⎣ ⎩ ⎭ No caso da admitância de um sistema puramente indutivo. −1 / 2 ( ) ( ) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 139 . o maior desvio em δm deve ser utilizado na análise. Desde que as harmônicas aumentam com δ. frequentemente usado no dimensionamento do filtro.34) pode ser reescrita conforme abaixo: 2 2 ⎧⎡ ⎤ ⎡ ⎤ ⎫ 1 2Qδ ⎪ ⎪ + ⎢ Bsn − (7.28) e Z f ≈ R 1 + 4δ 2 Q 2 ( ) ( ) (7.

então a admitância que dará o máximo valor de ⎪Vn⎪será: Ysn = cos φ sn (2Qδ tan φ sn − 1) dando.A impedância expressa num gráfico polar de coordenadas R e X indica que.9 Diagrama de Impedâncias – Setorial e diagrama circular com resistência mínima Então a equação (7.38) E existe um Q ótimo que resulta na menor tensão harmônica.35) se torna: Vn = I n (Ysn cos φ sn + G f { ) + (− Y 2 sn sinφ sn + B f )} 2 −1 / 2 (7.40) ⎤ 2I n R ⎡ 4 Vn = I nδω n L ⎢ ⎥= ⎣1 + cos φ sn ⎦ sinφ sn Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 140 .37) ⎤ ⎡ 1 + 4Q 2δ 2 Vn = I nω n L ⎢ ⎥ ⎣ Q(sinφ sn + 2Qδ cos φ sn ) ⎦ (7. Se ⎪Ysn⎪for deixado irrestrito. Figura 7.36) tomando φsn positivo e δ negativo. isto é: Q= 1 + cos φ sn no qual 2δsinφ sn (7.39) (7.9). R 1 + 4Q 2δ 2 ( ) (7. A maior harmônica de tensão é então obtida usando φsn com o sinal oposto a δ. geralmente a impedância harmônica pode ser inscrita numa região R x jX delimitada por duas retas e um círculo passando através da origem (figura 7. O valor máximo do ângulo de fase da impedância do sistema pode ser limitado em torno de 90º e geralmente decresce com o aumento da frequência.

44) X f = 2δ m X 0 e da figura (7.1 Aproximação gráfica Uma explanação gráfica é dada por Kimbark [53] e servirá par ajudar a compreender o valor do ótimo Q.4. Este valor ótimo é mostrado na figura 7. onde Ynf maximiza Vn e Ysn o minimiza.45) tan φ f = cot (φm / 2) e então: (7. usando uma reatância fixa X0 e uma resistência variável R. Para um dado Ynf. Uma condição que também deve ser considerada no dimensionamento dos filtros. o valor que maximiza Yn. Normalmente um alto valor de Q é selecionado visando reduzir as perdas. e que poderá restringir a operação dos conversores e cargas semelhantes. Para um determinado valor de máximo fator de desvio de frequência δm.46) 141 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda . o menor vetor Yn é perpendicular aos finais do limite. A mesma figura mostra (na área hachurada) o domínio da admitância do sistema (Ysn). 7. O filtro que permanecer conectado poderá sofrer sobrecarga. e o valor da mínima admitância para cada harmônica encontra-se no limite da área hachurada.41) A fórmula acima define um semicírculo de diâmetro 1/(2δmX0) tangente ao eixo “G”. o comportamento da admitância do filtro será: Yf = 1 R(1 + j 2δQ ) (7. O diagrama vetorial da figura 7. pode ser demonstrado que a admitância do filtro será: Ynf = cos(φ m / 2 ) e 2δ m X 0 1 + cos φ m 4δ m X 0 (7. Para tais condições. o ótimo valor de Ynf. conforme mostrado na linha pontilhada na figura 7.10 onde no ponto “D”.10): (7. é aquele tangente ao semicírculo. obtida pela inversão da curva de admitância.10.43) Yn = Ynf cos(φ m / 2 ) = E o fator de qualidade para o Ynf escolhido é: X X0 Q= 0 = R X f / (tan φ f ) mas pela equação (7. Contudo. é a perda de um ou mais estágios do filtro. isto é.Deve ser verificado que normalmente os filtros não são projetados para dar a mínima tensão harmônica para estas condições.10 demonstra para um valor positivo de δm e negativo de φ=φm a produção de altas harmônicas de tensão. pois tenderá a absorver toda a corrente gerada pelas cargas não lineares.42) (7.28) (7.

Q= cot (φ m / 2 ) cos φm + 1 = 2δ m 2δ m sinφ m (7.Construção da aproximação gráfica para a determinação do Q ótimo e para o pior caso da admitância do sistema Ysn.10 . ou na própria freqüência de sintonia do filtro. Nestes casos a utilização de um ou mais filtros amortecidos é a alternativa mais aceitável. (2) Fornecem um caminho de baixa impedância para uma variedade de espectro harmônico sem a necessidade de diversos filtros em paralelos. desvio na freqüência. (3) O uso de filtros sintonizados “passa-banda” geralmente resultam em uma ressonância paralela entre o filtro e a admitância do sistema numa frequência abaixo da sintonia do filtro.47) Figura 7. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 142 . plotado para φm=60º Depois de determinar individualmente os valores de sintonia dos filtros.5 Filtros amortecidos Os filtros amortecidos (sintonizados + passa-alta) oferecem diversas vantagens: (1) Sua performance e absorção de potência é menos sensível às variações de temperatura. etc. 7. perda de elementos capacitivos. todos os parâmetros do filtro deverão ser utilizados para a determinação da impedância do sistema Yn que dará o valor mínimo da admitância total Y para cada ordem harmônica. tolerância de fabricação dos componentes. a manutenção e custo do conjunto. o que incrementaria o chaveamento.

2 ª ordem. porque necessita de um capacitor de grande potência e tem perdas excessivas à freqüência fundamental.11 são mostrados quatro tipos de filtros: de 1ª ordem. Além disso.As principais desvantagens do uso de filtros amortecidos são: (4) Para atingir um nível aproximado de desempenho na filtragem dos harmônicos. a potência do capacitor C2 é muito pequena. Sua principal vantagem é uma considerável redução nas perdas à frequência fundamental. comparada com a de C1. C1 C2 C2 C1 (a) 1ª ordem 2ª ordem (b) (c) 3ª ordem (d) “C-type” Figura 7. (3) A principal vantagem do filtro de 3ª ordem quando comparado com o de 2ª ordem.11 – Filtros amortecidos tipo passa-alta Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 143 . embora na maioria dos casos um bom desempenho possa ser obtido dentro dos limites exigidos para a correção do fator de potência. é redução significativa das perdas à freqüência fundamental. (2) O filtro de 2ª ordem proporciona um melhor desempenho de filtragem. desde que C2 e L sejam sintonizados nessa frequência fundamental.1 Tipos de filtros amortecidos Na figura 7. devido aumento da impedância na freqüência fundamental causada pela presença ou o capacitor. se encontra entre o desempenho dos filtros de 2ª e 3ª ordens. 3 ª ordem e o “C-Type”. Porém. (1) O filtro de 1ª ordem normalmente não é utilizado. mas tem altas perdas na freqüência fundamental quando comparado com os filtros de 3ª ordem. este filtro é mais susceptível a variações na frequência fundamental e às tolerâncias nos componentes. (5) As perdas nos resistores e reatores geralmente são altas. (4) O desempenho do filtro tipo “C-Type” [56]. C2.5. o filtro amortecido deve ser projetado para altas potências reativas na frequência fundamental. 7.

a admitância mínima do sistema (do filtro Yf mais a admitância do sistema c.49) Valores típicos de m estão entre 0.2 Dimensionamento de filtros amortecidos Quando se projeta um filtro amortecido. e não há nenhum fator de qualidade Q ótimo. e x (da equação 7.7.5.53) sendo positivos.51) Onde: x = f f0 (7.54) Para grandes valores de x o mínimo valor da admitância total é a do filtro (i. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 144 . com Ysn=0).e. Ysm) vale: Y = B f cos (φm ) + G f sen (φm ) (7. sobre uma determinada faixa de freqüências.2 e 2. o fator de qualidade Q é escolhido para se obter a melhor característica de resposta de frequência. Para uma determinada capacitância. sobre um range da freqüência necessária ao projeto.48) (7.50) x Bf = R1 ⎡ 1− m x 2 + m 2 x 2 ⎤ ⎢ ⎥ 2 2 2 2 ⎢ 1− m x +m x ⎥ ⎣ ⎦ ( ) (7.52) Pode ser mostrado que. são: Gf = R1 1 − m x 2 [( m2 x4 ) 2 + m2 x2 ]e (7.a. como no caso dos filtros sintonizados “passa-banda”.52) que é menor que o valor: cot φ f = Gf Bf = tan φm (7. estes parâmetros (e conseqüentemente L e R) são definidos para se obter uma admitância adequadamente alta. O comportamento dos filtros amortecidos foi descrito por Ainsworth [57] com a ajuda de dois parâmetros: 1 e 2π C R L m= 2 R C f0 = (7. A condutância e a susceptância do filtro amortecido de 2ª ordem.53) como ambos os termos da equação (7.

13 – Componente da condutância de um filtro passa-baixa de terceira ordem Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 145 .13.12 ilustra os valores típicos das mínimas admitâncias para um filtro amortecido de 2ª ordem em paralelo com um sistema com poucas resistivas (isto é φm = ± 90º).A Figura 7. Para comparação.12 – Admitância de um filtro passa-baixa de segunda ordem G (multiples of 1/R) Frequency. no caso de capacitores iguais. é mostrado na figura 7. f0 Figura 7. de um filtro amortecido de 3ª ordem. o Gf de condutância. f0 Figura 7. Estas figuras mostram que a banda de resposta em frequência da condutância de um filtro amortecido de 3ª ordem. Minimum total admittance ⏐Y ⏐ (multiples of 1/R) Frequency. é muito estreita do que a de um filtro de 2ª ordem.

Alternativamente. Por esta razão. ou seja. Isto normalmente leva a utilização de densidades com baixo fluxo quando da utilização de indutores com núcleo ferro-magnético. reativa e as perdas. o maior desvio efetivo na frequência. Contudo. contudo. a dessintonia causada pela não linearidade do circuito magnético. indutores e resistores. esta propriedade.6. 7. 7. os indutores para filtros harmônicos são mais bem projetados quando com núcleos não ferromagnéticos. perdas. potência reativa por unidade. Um baixo coeficiente de temperatura para os capacitores é desejável para filtros sintonizados visando prevenir dessintonia pela alteração da capacitância com a temperatura ambiente ou com seu próprio aquecimento.1 Capacitores Os principais fatores envolvidos no seu dimensionamento são: coeficiente de temperatura. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 146 . O fator de qualidade Q na frequência predominante deve ser selecionado para o menor custo e tem valor normalmente entre 50 e 150. e com isto a potência ativa. a tensão mínima dos capacitores deve ser calculada como a somatória de todas as tensões impostas devido à absorção da corrente à frequência fundamental mais as correntes harmônicas absorvidas. também deve ser levado em conta. Isto deverá incluir a maior tensão fundamental. podem ser calculados os valores nominais de corrente e tensões dos capacitores. A potência reativa nominal necessária para um capacitor para filtros é a somatória aritmética das potências reativas para cada frequência harmônica a qual ele estará sujeito. correntes harmônicas de outras fontes e a possibilidade de ressonância entre o filtro e o sistema de potência.2 Indutores Indutores utilizados em filtros harmônicos necessitam ser dimensionados para suportar as altas frequências envolvidas.6. o efeito pelicular (“skin”) e as perdas por histerese devem ser incluídos no calculo das perdas de potência. não é muito importante em filtros amortecidos. O nível de fluxo magnético no ferro (para indutores com núcleo ferro-magnético). ou seja.7. confiabilidade e custo. para altas sobretensões mesmo que em períodos curtos de operação poderá haver destruição do dielétrico por ionização. baixos valores de Q são normalmente necessários e isto é obtido utilizando-se uma resistência em série. Visando prevenir danos a esses componentes seus valores nominais devem ser baseados na mais severa condição esperada. isto é. sobretensões moderadas por períodos prolongados devem ser evitadas prevenindo assim a destruição do dielétrico.6 Características dos componentes dos filtros harmônicos Após o conhecimento do valor fundamental e das tensões (e correntes) harmônicas em todos os barramentos. Capacitores fornecem altas potências reativas por unidade tendo baixas perdas e operando com altas voltagens de “stress”.

No dimensionamento do resistor. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 147 . neste caso. Nota: Geralmente. uma vez que a frequência de dessintonia é calculada entre em 3.6. as características da sintonia de projeto não são sensivelmente alteradas. Deve ser levada em consideração principalmente a corrente rms que irá atravessar o resistor – lembrando que a potência dissipada é proporcional ao quadrado da corrente (P = R x I2) e neste caso qualquer variação de corrente sob o filtro. uma vez que não há saturação do meio magnético (ar) com o incremento da frequência. incluindo as tolerâncias dos componentes deve ser cuidadosamente avaliada. geralmente não altera significativamente a performance do conjunto. a variação da indutância é influenciada praticamente devida variação de temperatura.Os valores nominais dos indutores dependem principalmente da máxima corrente rms que irá atravessar o mesmo e do nível de isolamento necessário para absorver transitórios e surtos. deve também ser avaliada a corrente de curto-circuito que o mesmo poderá suportar. Já os reatores com núcleo de ar devem ser utilizados quando se projetam filtros harmônicos sintonizados ou amortecidos.4 ou 4.3 Resistores Da mesma maneira que os indutores. ou seja. a utilização de reatores (indutores) com núcleo ferro-magnético é limitada à dessintonia de estágios capacitivos. pois uma alteração na frequência de sintonia do conjunto. os resistores de amortecimento devem ser dimensionados levando-se em conta as solicitações térmicas e dinâmicas que o filtro irá estar sujeito. 7.2 preferencialmente. devida não linearidade do núcleo ferromagnético.

Com valores das tensões harmônicas calculamos os índices THD. THI e demais parâmetors de análise. corrente de rotor bloqueado. xq. • Dados dos geradores e motores síncronos: potência e tensão nominais. • Condições operativas do sistema elétrico (redundância. reatores e filtros harmônicos: potência. tipo de instalação e comprimento.75 (Δ/Υ. deve-se obter as características elétricas das cargas. • Dados dos motores de média tensão e os principais de baixa tensão: potência e tensão nominais. e a partir da multiplicação das correntes harmônicas pelas impedâncias próprias e mútuas obtemos as tensões harmônicas de cada barra . é sempre necessário o levantamento de alguns dados no campo. Outro dado muito importante após a simulação é a obtenção da curva de ressonância do sistema para as diversas ordens harmônicas. • Dados das cargas não lineares: número de pulsos. constantes de tempo. tensão primária e secundária. Exemplo 1) Considere o diagrama unifilar da figura 8.solidamente aterrado) Relação X/R: = 4. número de pólos.1. espectro harmônico. cogeração). onde é avaliada. De posse de tais informações. fator de potência e rendimento (para as condições operativas de 50%. no caso de planta nova a ser construída. principalmente os itens relacionados abaixo. transitória e subtransitória.P. = 0. devemos montar o diagrama elétrico da planta com os dados coletados incluindo as medições de harmônicos. A partir daí é calculada a matriz de impedâncias nodais (ZBUS). • Dados de bancos de capacitores.70 Potência: = 500 kVA Tensões: = 13.60 indutivo do tipo motor com IP/IN = 8 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 148 . • Potência de curto-circuito trifásica e fase à terra da concessionária e as respectivas relações X/R. impedância de dispersão.8 Simulações e Projetos: Para a avaliação de uma situação real e do adequado projeto de bancos de capacitores e/ou filtros harmônicos. quadrantes que operam.[I h ] x [Z BUS h]= [V h ] . além dos parâmetros dos filtros harmônicos e/ou dos bancos de capacitores. reatâncias xd. com os seguintes dados : Concessionária: SCC = 100MVA (simétrico 3φ) Relação X/R: = 10 Transformador: Z% = 5. paralelismo. • Medições de grandezas elétricas nas diversas barras incluindo harmônicos de tensão e corrente. resistor ou impedância de aterramento. 75% e 100%) além do espectro harmônico para as cargas não lineares. O ideal é se dispor de um software para o cálculo do fluxo harmônico. tipo de ligação e tapes disponíveis. tensões nominais e tipo de ligação. • Dados de transformadores de força: potência. a ressonância paralela e a ressonância série. • Dados dos alimentadores: tipo e bitola. tensão nominal de operação e potência.2 kV / 380 V Carga CL1: = 90 kW F. como potência nominal.

1 da referência [18] p/ h≤15).000 15 0.000 9 0.000 4 0. Os valores de distorção harmônica podem ser considerados valores máximos e característicos para a potência informada.φ Figura 8.000 13 5.000 3 0.000 7 13.700 14 0. sem transformador isolador.92) não necessitando de compensação (o que levaria a princípio a adoção de filtros). Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 149 .000 Considerar que a carga não linear possui um fator de potência corrigido (acima de 0.1 Carga não linear CLN1: Composta por inversores de frequência de seis pulsos.300 12 0.200 6 0.200 8 0. sem indutância de entrada (choque).000 10 0. com controle de potência através de SCR's. com os seguintes valores: Tabela 8. Espectro harmônico predominante de ordens ímpares (baseado na tabela 13.1 – Espectro harmônico ORDEM CORRENTE % de In HARMÔNICA (h) 2 0. Potência elétrica concentrada de 150 kVA.000 5 19.000 11 7.

100 MVA.1.0575(Z %Trafo ) E para um banco de capacitores de 90 kvar (0. De forma simplificada.1) SCC = 0.1: FR = SCC (MVA) onde. QCAPACITOR = 90 x(tan(arccos(0.95)) ) → QCAPACITOR = 90 k var Inicialmente. por exemplo. QC (M var ) (8. Portanto o cálculo aproximado nos dá uma ordem de grandeza em que frequência harmônica poderá haver ressonância.090 concessionária e da carga motora. FR = Voltando à figura 8. convertemos todas as impedâncias para uma base conhecida. da impedância de disperção e da potência do banco de capacitores.895MVA 0. calculando conforme a fórmula 8.Para a condição de carga acima há a necessidade de se instalar um banco de capacitores de 90 kvar (vide cálculo abaixo) para elevar o fator de potência da instalação a 0. conforme figura 8. a frequência de ressonância estaria próxima da 11ª ordem. vamos desconsiderar a potência de curto circuito da concessionária e efetuar o cálculo da frequência de ressonância na barra de baixa tensão.95 indutivo. se efetuarmos a simulação considerando as características da 0. Para o cálculo aproximado da frequência de ressonância.9995( PU ) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 150 . vamos analisar o método matemático para o cálculo do Fluxo Harmônico (desconsiderando os alimentadores).2 abaixo.500(Trafo ) = 8.0995 + j 0.60)) − tan(arccos(0.895 → FR ≈ 10 .090 Mvar) têm-se: 8. para a frequência de 60 Hz onde: Z ( PU ) = Z ( BASE ) Z (CARGA ) Concessionária 100 Z CONC = = 1( PU ) e como X/R = 10: 100 Z CONC = 0. necessitamos da potência do trnsformador.

6 = 666.3 2.5 2 Impedance (ohm) 1.336 + j82.70: 0.5( PU ) e como X/R = 4.0575 = 11. podemos utilizar a impedância calculada a partir dos dados de rotor bloqueado.25( PU ) 100 x0.09 8(IP ) IN harmônico passa a ser: Z Mh = 10.09 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 151 .66 ( PU ) mas para o estudo de harmônicos no caso de cargas motoras 0.11( PU ) 0.2 Transformador 100 ZT = x0.699( PU ) Capacitor 100 ZC = = 1.6 x = 83. Quando não se tem tal dado.5 Motor ZT = 2. ou seja: ZM = Z Mh = 100 0.39 + j11.111.5 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 Harmonic Order 30 Figura 8.5 1 0.09 deve-se utilizar a impedância de sequência negativa Z2 (se este dado estiver disponível).3325( PU ) e então a impedância complexa do motor para o estudo 0.

336 +j 82. sendo que neste caso.3 Existem vários métodos para a realização da simulação e do fluxo harmônico no domínio da frequência.3 Figura 8. o DIGSILENT. como o ETAP. o PTW32 e.9995 2. conforme as fórmulas (7.39 +j 11.As impedâncias de sequência positiva e negativa equivalentes para a frequência fundamental são (em PU na base 100 MVA): Carga Concession ária Transforma dor Carga CL1 Capacitor Tabela 8. as fontes passam a ser as cargas não lineares (fonte de corrente. Neste caso deve-se construir um sistema do tipo: [Vh] = [Ih]x[Zh] corrigindo asimpedâncias em função do tipo de carga. onde: para a frequência fundamental.111.0995 +j 0. a concessionária é a única fonte de energia. de tensão ou ambas). substituindo as cargas não lineares por fontes de corrente (equações de Norton) ou fontes de tensão.25 10.12) utilizando: [Vh] representa a matriz de tensões harmônicas p/ h>1 [Ih] representa a matriz das correntes harmônicas geradas Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 152 .5) a (7. o EASY POWER. PSCAD. no domínio do tempo como nos softwares ATP. O mais simples e que apresenta bons resultados é utilizar a técnica matricial (como os dos softwares que utilizam o domínio da frequência). MATLAB.11 O diagrama de impedâncias passa a ser o definido na figura 8.2 Impedâncias do Sistema e Cargas 0.699 -j1. EMTP. para frequências diferentes o sistema deve ser modelado como uma impedância variável com a frequência.

651 + j 5.6423 35.0069 + j 0. é necessário corrigir os elementos da rede em função das ordens harmônicas – já visto anteriormente Nossa matriz neste caso passa a ser para este exemplo. conforme definido abaixo: −1 1 ⎡ 1 + ⎢Z [Ih]x ⎢ CONC 1 ZT ⎢ − ⎢ ZT ⎣ 1 ⎤ ⎥ ZT ⎥ 1 1 1 ⎥ + + ZT Z M Z C ⎥ ⎦ − = [Vh] Vamos inicialmente considerar que o capacitor esteja ligado e resolver a equação matricial acima para as ordens harmônicas dadas na tabela 8. Para a construção das matrizes. ou seja.[Zh] representa a matriz das impedâncias dos nós do circuito em análise Deve-se neste caso construir uma matriz Zh por harmônico até o máximo valor esperado. de uma maneira geral.2151 − 0. Normalmente as matrizes de sequência positivas e negativas são as mesmas. uma corrente harmônica de ordem 3 (e suas múltiplas) se equilibradas nas 3 fases.01587 − j 0.0145 ⎤ ⎢− 0. A diferenciação do tipo de matriz é necessária em virtude da sequência em que esses harmônicos fluirão sob o sistema.488⎥ ⎣ ⎦ Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 153 . calculando os valores em PU (na base 100 MVA): As matrizes de admitâncias e impedância serão respectivamente: Para a 5ª ordem: ⎡ 0.0145 0. mudando apenas na de sequência zero.01241⎥ ⎣ ⎦ ⎡0. uma para cada ordem. as mesmas poderão ser analisadas a partir de componentes simétricas.583 + j 67.6505 + j 5. ou seja. se tivermos níveis até a 15ª ordem devem ser construídas 14 matrizes. somente fluirão pelos equipamentos conectados ao neutro do transformador.00699 − j 0.0069 + j 0.1.6423⎤ ⎢ 0.033 0. se as correntes harmônicas (ou tensões harmônicas) e as impedâncias forem equilibradas.2342 + j 5. em equipamentos aterrados (no neutro).3 Ordem harmônic ah Sequênci a 2 3 4 5 6 7 8 - 0 + - 0 + - Ou seja. e simplificadamente conforme tabela abaixo: Tabela 8. para uma carga de 150 kVA. como foi visto no item 6.

300 0.004305 0.285 − j 3.00381 + j 0.874 + j10.000 0.004305⎤ ⎡1.863 ⎤ − 0.00341 ⎥ ⎣ ⎦ ⎡1.4 – Corrente e espectro harmônico da carga de 150 kVA ORDEM HARMÔNICA (h) 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 CORRENT E % de In 0.000198 0 0 0 0.281 ⎢ 3.5597 13.005396 ⎤ ⎡ 0.058⎥ ⎣ ⎦ E para a 13ª ordem: 7.000 0.200 0.00266707 7 0 BUS 2 0 0 0 0.863 57.00381 + j 0.0967 ⎢− 0.000 0.874 + j10.000 13. Tabela 8.00543 + j 0.005396 0.4248 + j12.00543 + j 0.5662 139.0001095 0 0.0369655 68 0 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 154 .5662 ⎤ ⎢13.598 + j10.093 108.000288 0 0.0733⎥ ⎦ ⎣ ⎦ ⎣ Antes de efetuar a multiplicação das matrizes Ih por ZBUS.08155 ⎢− 0.0000855 0 0 Efetuando a multiplicação das matrizes Ih x ZBUS temos as seguintes tensões harmônicas em Vh PU: Tabela 8. devemos converter as correntes harmônicas para a mesma base de 100 MVA.003303 + j 0.010845 − j 0.00204164 3 0 0.200 0.Para a 7ª ordem: ⎡0.000 5.000 7.4023 + j 7.000 0.093 ⎤ ⎡0.00647 ⎥ ⎢ 7.000 19.000 0.000 CORRENT E (PU) 0 0 0 0.316 − j146.5 – Tensões harmônicas das barras (PU) ORDEM HARMÕNICA VH2 VH3 VH4 VH5 VH6 VH7 VH8 BUS 1 0 0 0 0.796 − j 4.00545 − j 0.003303 + j 0.0964 0.700 0.481⎥ ⎣ ⎦ Para a 11ª ordem: − 0.796 − j 4.118 − j126.367 + j103.00383 − j 0.00548 − j 0.003322 + j 0.226 ⎡ 0.00507 ⎥ ⎣ ⎦ 3.00964⎤ ⎢ − 0.15301 − 0. neste caso as correntes em PU ficam conforme a tabela 8.4.00656 − j 0.0274251 79 0 0.285 − j 3.

P2 = S 2 x FP2 → P2 =150 x 0.0275605 78 0 0. utilizado a fórmula: n=∞ DHT (%) = 100 ∑ Vh n =1 2 V1 e como V1 = 1 (em PU) DHT(%)BUS1= 0.80 → P2 =120 kW QCAPACITOR 2 =120 x(tan(arccos(0.VH9 VH10 VH11 VH12 VH13 VH14 VH15 0 0 0.95)) ) → QCAPACITOR 2 = 50.60 k var QTRAFO = 2% x500 kVA → QTRAFO = 0. Como se trata apenas de um exemplo ilustrativo considere que a carga não linear possui um baixo fator de potência (fator de potência de 0.00187823 6 0 0.6 ORDEM HARMÕNICA VH2 VH3 VH4 VH5 VH6 VH7 BUS 1 0 0 0 0.80)) − tan(arccos(0. porém só corrigimos o “fator de potência” da carga motora e necessitamos corrigir o transformador e da carga não linear. o banco de capacitores passa a ser de 150 kvar (vide cálculos). neste caso.0009812 0 0 0 0 0.80 indutivo).0408755 95 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 155 .0147802 39 0 0 Calculando agora a taxa harmônica de distorção nos barramentos.565 % Verifica-se neste caso que a distorção harmônica no barramento 2 ficou acima do limite global recomendado de 5%.00203286 4 0 0.0273072 54 0 0.02 x 500 → QTRAFO = 10 k var QTOTAL = 90 + 50 +10 → QTOTAL = 150 k var As tensões harmônicas nos barramentos e as respectivas distorções harmônicas totais ficam: Tabela 8.397 % DHT(%)BUS2= 5.00294918 7 BUS 2 0 0 0 0.

VH8 VH9 VH10 VH11 VH12 VH13 VH14 VH15 0 0 0 0. Para as tensões de fornecimento até 15 kV.0071681 12 0 0 E neste caso a distorção harmônica passa a ser: DHT(%)BUS1= 1.0058214 36 0 0 DHT(%)BUS1= 0.7 ORDEM HARMÕNICA VH2 VH3 VH4 VH5 VH6 VH7 VH8 VH9 VH10 VH11 VH12 VH13 VH14 VH15 BUS 1 0 0 0 0.0629064 32 0 0 0 0. com X/R = 3.733 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 156 .00238023 8 0 0.01260634 4 0 0 0 0.00038646 2 0 0 0 0 0 0.0124378 35 0 0. Considerando agora um caso mais próximo da realidade.00069458 2 0 0.0426130 08 0 0.0101920 49 0 0.560 DHT(%)BUS2= 7. algo em torno de 30 MVA. os valores das tensões harmônicas e das DHT são: Tabela 8. Refazendo os cálculos para esta potência de curto-circuito e com o banco de capacitores de 150 kvar.00134314 0 0 BUS 2 0 0 0 0.00876587 4 0 0.9% o que a princípio demonstra que não há necessidade de filtros mas sim da dessintonia dos capacitores das frequências naturais geradas pela carga não linear.456 e DHT(%)BUS2= 6.286 E mais uma vez a distorção harmônica total no barramento 2 ultrapassou o limite individual de 3% e global recomendado de 5%. é comum termos uma potência de curto-circuito baixa na barra da concessionária. Se efetuássemos a simulação sem o banco de capacitores obteríamos uma distorção harmônica no barramento 2 (THDV %) de 3.

4ª ordem harmônica .Para este exemplo. Geralmente a sintonia é feita na 3.4ª ordem ou próximo da 4ª ordem harmônica.6. 7. a solução para a redução da distorção harmônica de tensão é a colocação de reatores de dessintonia no banco de capacitores.24 1 1 1 = 2πfL ∴ f = →L= 2 2 2πfC 4π f R . que ocorreerão após a colocação da indutância em série com o estágio capacitivo. O fator de qualidade desses reatores normalmente são altos. Com base nas fórmulas 7.776 Ω e 250002 QC 1 1 C= →C = → C = 459.3ª ou 3. XC=XL e Onde: fR = frequência de ressonância (para o exemplo 3.50Ω @60 Hz) Nota: Geralmente os reatores utilizados para dessintonia são confeccionados com núcleo ferromagnético. O valor da frequeência de sintonia depende da análise dos harmônicos presentes e das frequências de ressonância paralelas.L e 7.25 μF 2π 60 X C 2 x π x 60 x 5.23. Vamos adotar o valor de 25 kvar/380 Volts. Nesse exemplo será utilizada a sintonia na 3.776 L= 1 → L =1.40 x 60 ) 2 x 459. Nota: Alguns autores utilizam a definição de banco de capacitores anti-ressonante. (8.1 Projeto: Banco de capacitores dessintonizado Primeiramente definimos a potência dos estágios capacitivos. Esse fator de qualidade deve ser utilizado na simulação do fluxo harmônico para a obtensão das correntes harmônicas absorvidas. acima de 30.4.325 mH 4π (3.4) f = frequência do sistema (para o exemplo 60 Hz) C = capacitância (para o exemplo 459.25 − 6 2 XL = 1. 8.C 2π C.figura 8.2) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 157 . O fator de qualidade do reator é representado pela fórmula abaixo: Q= X Lf 1 R onde.27.326 mH (0. na sintonia.25μF) Resolvendo: V2 3802 XC = 2 → XC = → X C = 5.

242μF 380 = 41.50 % sobre a corrente nominal do capacitor.5 − j 5. A norma NBR 5060 [9] bem como outras literaturas americanas e européias. a fim de dimensionar corretamente todo o equipamento (capacitores.5 Ω 2π 60 x 459. A corrente sob o capacitor na frequência fundamental será: I CAP = Z CAP 25(kVAR) = 38 A mas com a indutância em série a corrente é alterada: 380 3 1 = = 5. etc).0167 + j 0.Q XLf1 R = é o fator de qualidade = é o valor da reatância indutiva na frequência fundamental (Ω) = valor da resistência ohmica do reator na frequência fundamental (Ω) Figura 8.209%. Por isso. os capacitores utilizados não devem ter a tensão nominal do sistema. É sempre necessário efetuar uma simulação para avaliar quais correntes serão absorvidas pelo conjunto capacitor-reator.60 A 3 (0.4 – Modelo elétrico para banco de capacitores dessintonizado Novamente efetua-se a simulação com o banco de capacitores com a indutância de dessintonia . obtendo uma distorção de tensão de THDV = 4. proteções. somente devido a corrente fundamental 60 (Hz) houve um acréscimo de 9.776) I= E neste caso. Verificar que a distorção ficou abaixo do valor global recomendado de 5% (valor global). • O erro no dimensionamento do capacitor para o estágio dessintonizado Sempre que se coloca uma indutância em série com um capacitor há um aumento natural da tensão fundamental (50 ou 60 Hz) sob este capacitor independente dos níveis harmônicos e neste caso a corrente absorvida será maior que a corrente nominal do capacitor.0167 + j 0. indutores. no dimensionamento de bancos de capacitores com indutores de dessintonia. recomenda que os capacitores tenham uma tensão nominal igual ou superior à Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 158 .776Ω e Z L = 0.

133 0 2. é dimensionada da seguinte maneira: ⎛V ⎞ QC _ Vsis = ⎜ Sis ⎟ x QCap . Se efetuarmos a simulação as seguintes correntes harmônicas seriam absorvidas pelo estágio: Tabela 8. a tensão mínima do capacitor deve ser de 416 Volts. O indutor deve suportar no mínimo o valor rms da corrente absorvida pelo estágio acrescido de 131% (que é a corrente que o capacitor por absorver continuamente) e então o indutor deve ser dimensionado para no mínimo 72 A. Por padronização.50 0 0 Como o capacitor deve ser dimensionado em função da somatória algébrica das tensões fundamental mais as tensões harmônicas.047 0 0 0 0.5 k var / 440V ⎝ 380 ⎠ Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 159 . A potência nominal do capacitor para operar numa tensão inferior à sua tensão de fabricação. utiliza-se um capacitor de 440 Volts (com a potência nominal corrigida para esta tensão).3) A potência do capacitor então calculada: 2 ⎛ 440 ⎞ QCap = ⎜ ⎟ x 25 → QCap = 33. onde: ⎜V ⎟ ⎝ Cap ⎠ QC_Vsis = Potência do capacitor na tensão do sistema (var) QCap = Potência nominal do capacitor (var) = Tensão nominal do capacitor (V) VCap VSis = Tensão nominal do sistema (V) 2 (8.744 0 0.8 ORDEM HARMÕNICA IHCAP2 IHCAP 3 IHCAP 4 IHCAP 5 IHCAP 6 IHCAP 7 IHCAP 8 IHCAP 9 IHCAP 10 IHCAP11 IHCAP 12 IHCAP 13 IHCAP 14 IHCAP 15 IH % DE IN 0 0 0 4.somatória algébrica das tensões fundamental mais as harmônicas as quais o capacitor estará submetido.

5 1 0.667 e DHT(%)BUS2= 3. mas deve-se recalcular a corrente absorvida e a distorção harmônica total com essa nova potência do capacitor.01808391 9 0 0 0 0.0036239 87 0 0 0 0.5 – Curva de ressonância para 150 kvar Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 160 .5 3 Impedance (ohm) 2.01692843 6 0 0.5 kvar ou 35 kvar em 440 V.9 ORDEM HARMÕNICA VH2 VH3 VH4 VH5 VH6 VH7 VH8 VH9 VH10 VH11 VH12 VH13 VH14 VH15 BUS 1 0 0 0 0.5 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 Harmonic Order 30 Figura 8.0034553 62 0 0.394 4. Tabela 8. Efetuando a simulação com o banco de 210 kvar com indutores de dessintonia.01679734 3 0 0.01599748 5 0 0 BUS 2 0 0 0 0. E a curva de ressonância para esta simulação é a descrita pela figura 8.5 2 1.5. as tensões harmônicas (em PU) serão as dadas na tabela abaixo.0032396 08 0 0.0029975 63 0 0 DHT(%)BUS1= 0. o projetista pode adotar um capacitor de 32.Nota: Como a potência obtida não é padronizada.5 4 3.

30 0. 1. núcleo envolvido de indução de 6 pulsos.30 4.480 kV de indução de 6 pulsos.2/0.0 mm2. η = 100% motora.40 18.50 12.20 5. 20 m Pirelli Eprotenax EPR 35.10 5.460 kV motora.40 0.25 Forno de 350 kW 0. totalmente controlado.00 0. totalmente controlado. 1.40 19.20 0.00 0. Dados do sistema Concessionária: AL-1: AL-Cap: AL-2: AL-3: Cap1: Trafo T1: Trafo T2: Forno 1: Forno 2: Forno 3: Load T1: Usinagem: Scc 3φ = 79.52% X/R = 5.59. 0. FP=0.00 0.76 i.480 kV.25 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 161 .62% X/R = 5.10 – Espectro harmônico ORDEM HARMÔNICA (h) 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 Forno de 500 kW 0.50 10. 13.20 0.0 m Pirelli Eprotenax EPR 35. Z = 5. 13.20 0.10 0.2 Análise.2/0.20 0.460 kV de indução de 6 pulsos.2 kV Scc 1φ = 21. nesta planta existem fornos de fusão por indução.20 0.8.00 0.0 mm2. Considere o diagrama unifilar da figura 8.30 0. Potência S = 340 + j 145 kVA.60 0.20 0.10.4 e X/R = 4.50 0.40 0. 13.20 0.59.10 0. Potência S = 505 + j 216 kVA.25 CORRENTE % de In Forno de 200 kW 0.0 mm2.70 0. Δ/Y aterrada.90.0 mm2. Tabela 8.0 m 300 kvar/13.8 kV Y isolada *** ver cálculo 750 kVA. 0. Z = 6.50 15.50 0.6 onde. núcleo envolvido 1000 kVA.2 hp. η = 100% Correntes harmônicas das cargas conforme a tabela 8.50 0.30 4.40 18.460 kV. Δ/Y aterrada.2 kV Pirelli Eprotenax EPR 50. 13.00 0. 70 m Pirelli Eprotenax EPR 25. Potência S = 204 + j 81 kVA. Potência 44.00 0.50 0.6. Potência 214.75.5 hp.2 e X/R = 5.66 i. FP=0.20 0. 0.15 0. detalhamento e projetos: Exemplo 2) Um caso onde não há a necessidade da aplicação de filtros. totalmente controlado.20 0.30 5.

89 i ) QC = P x {tg [a cos(0.5 hp Figura 8.0 kVAR FORNO-500kW 548.8 kV) Nota: O modelamento de todas as cargas desse exemplo foi feito com a resistência dos componentes fixa. Se estes estiverem próximos (medidos e simulados) o modelo de impedâncias harmônicas adotado está coerente. Em seguida incluindo o banco de capacitores na barra da concessionária. .184 x1242 → QC = 263.0 kVA S BUS-BT2 460 V AL-Cap BUS-MT3 13200 V AL2 BUS-MT4 13200 V P T1 750. Roda-se o fluxo de carga harmônico (load-flow) para 2 situações: Primeiro sem o banco de capacitores na média tensão – compara-se com os valores medidos.2 hp FORNO-200kW 219.. 100.em função dos valores padronizados (múltiplos de 50.39 o kVa ( FP = 0.07 kvar .95)]}= 0. algum dado das cargas ou a medição está incorreto.. caso contrário. 400 kvar.02 x 1750 = 35 kvar QC Total = 298. e compara-se o valor das distorções harmônicas com os valores normalizados.4 kVA FORNO-350kW 369.00 + j 616.6 kVA USINAGEM 214. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 162 . não varia com a frequência .Bandeirante 79.40 kVA → 1386. adota-se 300 kvar/13.0 kVA S BUS-BT12 480 V CAP1 300.6 – Unifilar – Fábrica com fornos de indução • Cálculo do banco de capacitores: ∑ CARGAS = 1242.9 kVA LOAD-T1 44.55 ∠ 23..2 MVA BUS-MT1 13200 V AL-1 BUS-MT2 13200 V AL3 BUS-MT5 13200 V P T2 1000. ou seja.Zh = R + jX x h .89 )]− tg [a cos(0.07 k var Compensação dos trafos: = 2% x ∑Strafos = 0.

2 0 0.Tabela 8.com banco de capacitores na média tensão BARRA MÉDIA TENSÃO TR 001 750 kVA TR 002 1000 kVA TEN SÃO (kV) 13. isto é característico dessas cargas e geralmente não interferem no funcionamento dos fornos.80 8.87 7.70 7.46 0 DISTORÇÃO (THDV %) 9.48 0 0.13 Distorções harmônicas .46 0 TEN SÃO (kV) 13. as distorções harmônicas nos barramentos dos trafos 1 e 2 ficaram com valores acentuados. porém no caso de fornos de indução e a arco.valores medidos BARRA TR 001 750 kVA TR 002 1000 kVA TEN SÃO (kV) 0. acima de 5%. neste caso é possível a correção do fator de potência sem a necessidade de filtros.30 Tabela 8.sem bancos de capacitores BARRA MÉDIA TENSÃO TR 001 750 kVA TR 002 1000 kVA DISTORÇÃO (THDV %) 2.48 0 0. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 163 .2 0 0.88 Tabela 8.00 7.46 0 DISTORÇÃO (THDV %) 2.11 Distorções harmônicas .90 Se verificarmos.00 8.48 0 0.12 Distorções harmônicas .

7 – Resultado do fluxo de carga harmônico 164 .Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda Figura 8.

Zh = R + jX .460 kV.0 0 kVA → 280. 13.2/0.95)]}= 0.2 kV AL-MT: Pirelli Eprotenax EPR 50. Os harmônicos das cargas são dados na tabela 8.87 kvar (por padronização 90 kvar) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 165 . PVC. Dados do sistema Concessionária: • Cálculo dos bancos de capacitores: ∑ CARGAS (TR1) = 204.607 x 204.02 x 1250 = 25 kvar QC (TR1) Total = 125.0 e X/R = 3. núcleo envolvido. 13. 13. Load-TR2: inversor de frequência. Δ/Y aterrada. totalmente controlado.2 kV Scc 1φ = 24.0 mm2.50. e dessintonizado .808 i ) QC (TR1) = P x {tg [a cos(0. 0. núcleo envolvido.30 kVA .70 ∠ 36. Bombas: Potência S = 50 + j 32. TÊMPERA: Têmpera por indução de 6 pulsos. Z = 5.00 ∠ 43. totalmente controlado.00 kvar QC (TR2) Total = 81. Uma fábrica com carga composta por uma têmpera por indução (TR01). 60 m AL-CAP1: Pirelli 2 x 95.14.anti-ressonante (filtro2).6/ 1kV.8.50 13.00 + j 192. 5 m Filtro1: 125 kvar/380V *** ver cálculo Filtro2: 90 kvar/380V *** ver cálculo Trafo TR1: 750 kVA. Potência S = 204.00 kVA. 5 m AL-CAP2: Pirelli 2 x 95. ou seja.70 + j109.60 → 186.380 kV.59. Considere o diagrama unifilar da figura 8.02% X/R = 5.35% X/R = 5. não regenerativo. 0. sistema híbrido: filtro amortecido . 0.380 kV.2/0.4 → QC =124.07 k var QC (TR 2) = P x {tg [a cos(0.sintonizado+passa alta (filtro1). inversores de freqüência e motores de indução (TR02). Δ/Y aterrada. h . de 6 pulsos. Z = 5.Exemplo 3) Um caso onde há a necessidade da aplicação de filtros. Scc 3φ = 50.0 mm2.59.73)]− tg [a cos(0.0 e X/R = 3.808)]− tg [a cos(0.00 + j192.48 k var Compensação dos trafos: = 2% x ∑Strafos = 0.380 kV. Potência S = 110 + j 77 kVA.02 o o kVA ( FP = 0. não varia com a frequência .95)]}= 0. 0.12 ∑ CARGAS (TR 2) =160. Trafo TR2: 500 kVA.6/ 1kV. controle de disparo por “zero-crossing”. PVC.0 mm2. 353 x160 → QC = 56.73 i ) ( FP = 0. Nota: O modelamento de todas as cargas desse exemplo foi feito com a resistência dos componentes fixa. 0.380 kV de indução de 6 pulsos.

40 0.0 kVAR Load-TR2 135.40 2.0 kVA BUS-BT1 380 V ALCAP1 BUS-CAP1 380 V TEMPERA 280.50 3.87 0.0 MVA BUS-MT 13200 V AL-MT BUS-MT1 13200 V P TR2 500.20 0.10 0.00 0.10 1.40 5.32 0.70 0.80 1.10 4.53 0.Bandeirante 50.0 kVAR Figura 8.87 0.30 1.0 hp Filtro2 75.0 kVA S BUS-BT2 380 V ALCAP2 BUS-CAP2 380 V P S TR1 750.20 3.90 2.33 0.44 8.10 0.73 0.10 7.00 0.0 kVA Bombas 67.87 0.44 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 166 .8 – Unifilar – Fábrica com têmpera por indução e inversores de frequência Tabela 8.70 5.70 0.10 18.14 – Espectro harmônico ORDE M HARM ÔNICA (h) 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 17 19 23 25 29 31 CORRENTE % de In Têmpera LoadTR2 0.65 1.58 0.16 0.09 0.44 3.20 1.22 0.87 0.44 0.0 kVA Filtro1 125.22 9.15 2.

A ocorrência desses “notches” acarreta a criação de harmônicas não características no sistema. verifica-se. claramente a ocorrência de diversos “notches” – já vistos anteriormente.• 1) Considerações importantes: Conforme gráfico 8. sendo: 5 x 25kvar/380V no trafo TR1 e 2 x 25kvar/380V no trafo TR2.9. da tensão da barra da tempera. 2) Figura 8. Os bancos de capacitores eram automáticos. enquanto que a 3ª e 4ª com os resultados medidos e do load-flow harmônico com capacitores. ordens pares e ímpares múltiplas de três que não são características de retificadores de 6 pulsos. o projeto de compensação de reativos feito nesta fábrica. que são curtos-circuitos provocados pela comutação das fases do retificador da têmpera.9 – Tensão medida na barra BUS-BT1 da Têmpera Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 167 . Consideremos as quatro próximas tabelas para efeito de comparação: A 1ª e 2a com os valores das distorções harmônicas registradas e simuladas sem os capacitores. ou seja. cujos valores são imitados pela impedância do circuito. considerava apenas bancos de capacitores sem reatores de dessintonia e sem filtros harmônicos. Inicialmente.

38 0 0.30 6.20 1.90 9.30 43.90 23.90 Tabela 8.Tabela 8.2 0 0.16 Distorções harmônicas .38 0 0.38 0 0.simulação sem bancos de capacitores BARRA MÉDIA TENSÃO TR 001 750 kVA TR 002 500 kVA TEN SÃO (KV) 13.50 Tabela 8. Se a carga da têmpera for desligada. ocorre a elevação dos níveis harmônicos por amplificação das correntes provenientes não só dos próprios inversores de freqüência. Na barra BUS-BT2.2 0 0.30 Tabela 8. mas nas duas barras são amplificadas as ordens 17 e 23 harmônicas (figura 8.38 0 DISTORÇÃO (THDV %) 14. mas principalmente pelos harmônicos provenientes da têmpera.00 2. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 168 .8%.18 Distorções harmônicas .38 0 DISTORÇÃO (THDV %) 6.38 0 DISTORÇÃO (THDV %) 8.18 foi feita apenas com 1 estágio de 25 kvar na barra BUS-BT1 e 1 estágio de 25 kvar na barra BUS-BT2. o nível harmônico na barra BUS-BT2 atinge 12.10).valores medidos sem capacitores BARRA TR 001 750 kVA TR 002 500 kVA TEN SÃO (KV) 0.80 A simulação da tabela 8.38 0 DISTORÇÃO (THDV %) 1.15 Distorções harmônicas .simulação com bancos de capacitores BARRA MÉDIA TENSÃO TR 001 750 kVA TR 002 500 kVA TEN SÃO (KV) 13.38 0 0.17 Distorções harmônicas .valores medidos com capacitores BARRA TR 001 750 kVA TR 002 500 kVA TEN SÃO (KV) 0.

Plot1 .19 simulação com bancos de capacitores na máxima potência BARRA MÉDIA TENSÃO TR 001 750 kVA TR 002 500 kVA TEN SÃO (KV) 13. Isto leva às seguintes conclusões: No transformador TR1 é necessário reduzir a distorção harmônica de tensão.Bus Scan Impedance Magnitude Study1 .BUS-CAP2 . já para o transformador TR2 a distorção harmônica de tensão é elevada apenas com os capacitores lidados.Case1 .Bus Scan Impedance Magnitude Bus Scan Impedance Magnitude (pu) 12500 10000 7500 5000 2500 0 0 5 10 15 20 Harmonic Order 25 30 Figura 8. Isto leva a duas condições básicas: No trafo TR1 há a necessidade de filtragem dos harmônicos. principalmente bancos automáticos (sem reatores de dessintonia) devido a elevação dos níveis harmônicos. não podem ser aplicados capacitores convencionais (sem indutores ou filtros) nas barras de baixa tensão.Scan Magnitude Study1 . enquanto que no transformador TR2 a distorção harmônica não pode ser amplificada. a distorção harmônica de tensão é elevada.Tabela 8.50 5.BUS-CAP1 .10 – Resposta em freqüência para 25 kvar – Barras BT1 e BT2 Solução para a compensação dos reativos: • Primeiro analisando os níveis harmônicos medidos nos transformadores. vê-se claramente que no transformador TR1.38 0 0. enquanto que no transformador TR2 é necessário apenas a dessintonia (não amplificação dos harmônicos).2 0 0.38 0 DISTORÇÃO (THDV %) 1.Case1 . independente da condição dos capacitores ligados ou não. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 169 .20 Como fica evidente pelas simulações.70 6.

para este projeto em específico.55 − 6 2 XL = 2. e consequentemente maior redução dos harmônicos na barra onde o filtro estará locado.49. com indutância de dessintonia de 2. e consequentemente da admitância do conjunto. deve-se utilizar o método intuitivo. pois a ressonância paralela é reduzida. 7.6267 XC = L= 1 → L = 2. ou seja.5 a 2.40) f = frequência do sistema (para o exemplo 60 Hz) C = capacitância Resolvendo: V2 3802 → XC = → X C = 9. item 7.209 mH. A potência de cada estágio será de 15 kvar (6 x 15 kvar / 380 V). A cada substituição do valor m nas Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 170 . Com base nas fórmulas 7. mas maximiza a impedância própria da barra para uma freqüência abaixo da freqüência de sintonia do filtro. Com base nas fórmulas 7.48 e 7.55 μF 2π 60 X C 2 x π x 60 x 9. e obter a melhor resposta em frequência.209 mH (0.Avaliando o espectro harmônico tanto de tensão quanto de corrente na barra do transformador TR1 (têmpera).6267 Ω e 2 15000 2 QC 1 1 C= →C = → C = 275. pois a têmpera é composta por um retificador trifásico em onda completa de 6 pulsos.C 2π C.40 x 60) 2 x 275. verifica-se a existência de harmônicas não características (pares e triplas) que não deveriam ocorrer. será adotada como freqüência de sintonia do conjunto h = 3.40.209 mH 4π (3. substituir os valores de m desde 0.833 Ω @60 Hz) Resumindo: Cada estágio do banco de capacitores dessintonizado será de 25 kvar / 380 Volts.23. B) Filtro harmônico amortecido (sintonizado+passa alta) Conforme explicado no capítulo 7.5 não existe um fator m ótimo para o cálculo da indutância do filtro. é adotada a filtragem do tipo amortecida (“sintonizada + passa alta”) evitando a amplificação das harmônicas inferiores à de sintonia. XC=XL e Onde: fR = frequência de ressonância (para o exemplo 3.27. A filtragem do tipo “passa-baixa” propicia uma baixa impedância na freqüência de sintonia. A) Banco de capacitores dessintonizado Para o banco de capacitores dessintonizado do trafo TR2.L e 7.24 1 1 1 = 2πfL ∴ f = →L= 2 2πfC 4π 2 f R . na sintonia.

90 4.2645 BUSMT 1.10 THDV% BUSBT1 5.00 1.240 Ω 2π C R 2 π 2296.6 0.00 1.80 1.8 1 1.80 1.211 −3 x R L R2 C .90 BUSBT2 1. ou seja.48.considerando alguns valores de m (conforme tabela 8.00 1. adotamos como f0 o valor da 4.0794 0.10 1.49. mas como uma melhor combinação entre a baixa distorção harmônica de tensão e a menor corrente harmônica absorvida pelo transformador TR1. maximização da admitância do filtro – ver comparação abaixo.20 5.4 1.80 4.80 1. m = o banco de capacitores dessintonizado no trafo TR2 desligado.211 μF 2π 60 X C 2 x π x 60 x 1.80 1.00 1.80 4.14 e figura 8.6 não só com base nas distorções harmônicas das barras.90 O valor de m foi adotado em 1.00 1.0661 0.80 1.9).2116 0.7 1.1552 Como a principal ordem harmônica que se quer reduzir é a 5ª (conforme espectro harmônico da tabela 8.80 4.8ª ordem harmônica.10 1.5 0. f 0 = 1 1 → 4.00 1.90 4.1058 0.1152 Ω e 2 1250002 QC 1 1 C= →C = → C = 2296.5 1. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 171 .90 1. mantendo Por 7. ou seja.1587 0. Resolvendo: V2 3802 → XC = → X C = 1.80 4.00 1.00 1.50 1. para o cálculo da indutância e das distorções harmônicas nas barras.20).80 4.fórmulas abaixo.20 distorções harmônicas para diversos valores de m Fator m 0.00 4.1852 0.80 1.2 1.80 1.6 1. XC = De 7.8 x 60 = → R = 0.80 4. rodando novamente o fluxo harmônico até a obtenção do resultado desejado.2248 0. calcula-se novamente o valor da indutância.1323 0.2381 0.90 1. e substitui-se no filtro harmônico. obtemos: Tabela 8.8 2 Indutância L (mH) 0.1984 0. 2% abaixo da frequência natural do sistema.

30 0.56 0. obtemos as correntes harmônicas absorvidas pelo estágio em % da corrente fundamental: Tabela 8.Comparação: para m = 1. e do resistor.46 0.6 ITHD através do BUS-BT1 = 30.10 0. obtemos os valores absorvidos para cada componente: • O capacitor deve ter a tensão nominal mínima. para m = 1.21 mH.1%.10 0.09 0.7 ITHD através do BUS-BT1 = 30.00 0.21 correntes harmônicas absorvidas pelo estágio de 15 kvar dessintonizado ORDEM HARMÔ NICA (h) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 17 19 23 25 29 31 CORRENTE (%) DE I FUNDAMENTA L 100.10 5.15 4.10 2.00 0.90%.70 Fazendo as devidas multiplicações das correntes harmônicas da tabela acima pelas impedâncias corrigidas do reator e do capacitor.00 0. A partir do fluxo de carga. de corrente dos reatores e de potência dos resistores.5 ITHD através do BUS-BT1 = 31.50 0.10 0.20 0.00 0.00 2. Obtidos os valores nominais dos componentes.20 5. mas a distorção harmônica total aumentou.90% e para m = 1.00 0. indutância de 2.10 0. com o filtro harmônico do transformador TR1 desligado. devem-se dimensionar as características de tensão máxima dos capacitores. como a somatória algébrica de todas as tensões harmônicas que estarão sob este capacitor. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 172 . 1) Valores nominais para o estágio dessintonizado: Capacitor de 15 kvar 380 V.

%) RESISTOR SÉRIE (Ω) FREQUÊNCIA DE RESSONÂNCIA (Hz) ORDEM DE RESSONÂNCIA (h) CORRENTE TOTAL DO FILTRO IRMS (kA) CORRENTE SOBRE O INDUTOR IRMS (kA) POTÊNCIA SOBRE O RESISTOR RMS (W) TENSÃO 1φ SOB O INDUTOR .• O reator deverá ter uma corrente rms mínima como a corrente rms total absorvida pelo estágio dessintonizado.833 2) Valores nominais para o filtro harmônico amortecido (sintonizado+passa alta): Capacitor de 125 kvar 380 V.2128 mH.%) INDUTOR SÉRIE (mH) Q DO INDUTOR TAP DO INDUTOR (+/.40 0.243468647 0.000 0.000 1.027137162 0.CORRENTE SOB O INDUTOR (kA) POTÊNCIA MÍNIMA DO RESISTOR (W) TENSÃO TRIFÁSICA MÍNIMA DO CAPACITOR (kV) CORRENTE MÍNIMA DO FILTRO IRMS @ 131% (kA) CORRENTE NOMINAL DO INDUTOR IRMS (kA) CORRENTE MÁXIMA DO INDUTOR IRMS (kA) CORRENTE DO ALIMENTADOR IRMS @ 135% (kA) REATÂNCIA INDUTIVA XL @ 60Hz (Ω) 0.RMS (kV) Σ ARITIMÉTICA . Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 173 .240 Ω.0 3.415630158 0.024710747 0.239964184 0.000 0.TENSÃO SOB O CAPACITOR PICO (kV) TENSÃO RMS 3φ SOB O CAPACITOR (kV) Σ ARITIMÉTICA .000 204.TENSÃO SOB O CAPACITOR (kV) Σ ARITIMÉTICA .022791958 0.044 0.422 0.015 0.00 0.000 2. resistor de 0.21000 30.RMS (kV) TENSÃO 1φ SOB O CAPACITOR .LINHA .000 0.033 0.034 0. indutância de 0.380 0. obtemos os valores de projeto do estágio dessintonizado: Tabela 8.FASE .040 0.024710747 0. De posse de tais valores e sabendo das tolerâncias de fabricação dos componentes dados nos capítulos 3 e 4.344316663 0.22 resultado da simulação – características de projeto TENSÃO NOMINAL DO SISTEMA (kV) POT.380 60. CAPACITOR (Mvar) TENSÃO NOMINAL DO CAPACITOR (kV) FREQUÊNCIA DO SISTEMA (HZ) TOLERÂNCIA NA CAPACITÂNCIA (+/.

ou seja: Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 174 .40 9.10 5.10 14.00 4.00 8.00 0.Adotando o mesmo procedimento.50 5.00 0. as correntes são as da tabela abaixo: Tabela 8.00 0.20 5.70 Da mesma forma que para o estágio dessintonizado.00 0.20 5.03 0. e a partir do fluxo de carga harmônico.00 0.10 0. calculada a partir da somatória algébrica de todas as tensões harmônicas às quais o capacitor estará submetido.10 2.30 0.00 7. obtemos os valores de projeto: • O capacitor deve ter a tensão nominal mínima.10 0. ou seja: VCAP _ mínimo = ∑ IhFiltro x i =1 n 1 ωhC • O reator deverá ter uma corrente rms mínima calculada a partir da corrente rms absorvida pelo reator no ramo R paralelo com L do filtro. obtêm-se as correntes absorvidas pelo filtro (mantendo o banco dessintonizado desligado). fazendo-se as devidas multiplicações das correntes harmônicas da tabela acima pelas impedâncias dos componentes.23 correntes harmônicas absorvidas pelo filtro harmônico ORDEM HARMÔ NICA (h) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 17 19 23 25 29 31 CORRENTE (%) DE I FUNDAMENTA L 100.20 0.

RMS (kV) 0.−1 ⎧⎡ ⎛1 ⎞ ⎤⎫ 1 ⎪ ⎢ IhFiltro x ⎜ + ⎪ ⎜ R R +ω L ⎟ ⎥ ⎪ ⎟ n ⎪⎢ L h ⎝ ⎠ ⎥⎪ ⎪ ⎦ I L _ mínimo = ∑ ⎨ ⎣ ⎬ (RL +ωh L ) i =1 ⎪ ⎪ ⎪ ⎪ ⎪ ⎪ ⎩ ⎭ 2 Sendo.248466445 Σ ARITIMÉTICA .000 0.337827712 Σ ARITIMÉTICA .190698509 CORRENTE SOBRE O INDUTOR IRMS (kA) 0.%) INDUTOR SÉRIE (mH) Q DO INDUTOR TAP DO INDUTOR (+/.207585322 CORRENTE TOTAL DO FILTRO IRMS (kA) 0.404883659 TENSÃO RMS 3φ SOB O CAPACITOR (kV) 0.%) RESISTOR SÉRIE (Ω) FREQUÊNCIA DE RESSONÂNCIA (Hz) 0.24 resultado da simulação – características de projeto TENSÃO NOMINAL DO SISTEMA (kV) POT.000 0.21280 30.076926652 CORRENTE SOBRE O RESISTOR IRMS (KA) 1424.TENSÃO SOB O CAPACITOR PICO (kV) 0.TENSÃO SOB O CAPACITOR (kV) 0.018516245 TENSÃO 1φ SOB O INDUTOR . RL a resistência ôhmica do reator e R a resistência (de amortecimento) paralela no ramo RL do filtro.000 0.241 288.351384616 Σ ARITIMÉTICA .392736 POTÊNCIA SOBRE O RESISTOR RMS (W) 0. CAPACITOR (Mvar) TENSÃO NOMINAL DO CAPACITOR (kV) FREQUÊNCIA DO SISTEMA (HZ) TOLERÂNCIA NA CAPACITÂNCIA (+/.CORRENTE SOB O INDUTOR (kA) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 175 . ou seja: −1 ⎡ ⎞ ⎤ ⎛1 1 ∑ ⎢ IhFiltro x ⎜ R + R +ω L ⎟ ⎥ ⎟ ⎜ i =1 ⎢ L h ⎠ ⎥ ⎝ ⎦ ⎣ PR _ mínimo = R n 2 De posse de tais valores e sabendo das tolerâncias de fabricação dos componentes dados nos capítulos 3 e 4.RMS (kV) 0.FASE .0 4.000 0. obtemos os valores de projeto do estágio dessintonizado: Tabela 8.23375969 TENSÃO 1φ SOB O CAPACITOR .LINHA . • O resistor deverá ter uma potência mínima calculada a partir da corrente rms absorvida pelo resistor no ramo R paralelo com L do filtro.380 0.380 60.125 0.80 ORDEM DE RESSONÂNCIA (h) 0.

60 6 0.00 14 0.20 9 0. comparando com os valores normalizados.00 7 7.50 19 5.360 0.10 5 14. resistores e capacitores já definidos efetua-se novamente o load flow harmônico.30 15 0.00 6 0.080 Com os reatores.40 19 9.10 12 0.10 29 5.327 0. e as correntes harmônicas absorvidas.00 13 4.10 5 13. A tabela 8.10 3 0.20 11 5.272 0.40 23 9.00 4 0.25 correntes harmônicas absorvidas pelo banco dessintonizado (90 kvar) CORRENTE ORDEM (%) DE I FUNDAME HARMÔNICA (h) NTAL 1 100.03 3 0.20 31 2.358 0.00 8 0.10 8 0.00 10 0.250 0.25 apresenta o resultado final da simulação.00 17 8.10 31 2. As tabelas 8.70 Tabela 8.10 29 5.00 7 6.20 25 5.00 2 0.00 14 0.00 2 0.60 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 176 .431 0.30 15 0.10 12 0.20 11 5.26 correntes harmônicas absorvidas pelo filtro amortecido CORRENTE ORDEM (%) DE I FUNDAME HARMÔNICA (h) NTAL 1 100. Tabela 8.00 13 4.POTÊNCIA MÍNIMA DO RESISTOR (W) TENSÃO TRIFÁSICA MÍNIMA DO CAPACITOR (kV) CORRENTE MÍNIMA DO FILTRO IRMS @ 131% (kA) CORRENTE MÍNIMA DO INDUTOR IRMS (kA) CORRENTE NOMINAL DO INDUTOR IRMS (kA) CORRENTE MÁXIMA DO INDUTOR IRMS (kA) IRMS ALIMENTADOR GERAL CORRIGIDA (kA) IRMS ALIMENTADOR DO INDUTOR CORRIGIDA (kA) IRMS ALIMENTADOR DO RESISTOR CORRIGIDA (kA) REATÂNCIA INDUTIVA XL @ 60Hz (Ω) 2444. com o filtro harmônico e banco de capacitores dessintonizado com todos os estágios ligados.401 0.20 9 0.40 23 5.20 25 5.240 0.00 10 0.263 0.00 17 8. para obter-se as distorções harmônicas de todas as barras.00 4 0.25 e 8.26 contêm as correntes harmônicas absorvidas pelo filtro e banco de capacitores dessintonizado.

40 (16 50% (A) proteção kA/380V) 37. Nº 1 2 3 4 5 6 Tabela 8.50 3) Dimensionamento dos componentes de manobra. proteção.28 e 8.2 0 0.27 200.38 0 0.36 3x(1x# 4.200/250 (35 kA/380V) F01 NH 250 (gL/gG 250 A) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 177 .com filtro harmônico no trafo TR1 e banco dessintonizado no trafo TR2 BARRA MÉDIA TENSÃO TR 001 750 kVA TR 002 500 kVA TEN SÃO (KV) 13.00 4.componentes do banco dessintonizado Banco de capacitores dessintonizado (estágios) Tipo / valor Corrente rms (A) 24.0 mm2) Corrente rms + Contator de 44% (A) 35.29. e alimentação do banco de capacitores dessintonizado e do filtro harmônico.58 manobra CWM 40 Corrente rms + Disjuntor de DWA 160B .70 Corrente Total Ajuste térmico do disjuntor Condutores de alimentação Disjuntor de proteção Fusível de proteção 0.37 disjuntor Fixo Corrente rms + Condutores de 35% (A) alimentação 33.80 x IN (200 A) 3x(1x# 70. Com base nas correntes harmônicas absorvidas pelos estágios e demais componentes.71 Corrente Total Corrente rms + Ajuste térmico do 31% (A) 32.Tabela 8.07 Corrente rms + Fusível de 65% (A) 40.0 mm2) DWA 400N .77 proteção F00 NH 50 (gL/gG 50 A) Nº 1 2 3 4 5 Corrente rms (A) Corrente rms + 31% (A) Corrente rms + 35% (A) Corrente rms + 50% (A) Corrente rms + 65% (A) Banco de capacitores dessintonizado (todos os estágios) 148.27 Distorções harmônicas .38 0 DISTORÇÃO (THDV %) 1.28 resumo . cujos resultados são dados nas tabelas 8.80 1.30 194.45 244.21 222. calculam-se os componentes.

30. ∂i/∂t disjuntor Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 178 .29 resumo .31 4.14400 Conforme equações térmicas e dinâmicas adequadas ∂i/∂t do filtro 10. Todos dados constantes no anexo A. instalação em eletrocalha (B1 da NBR 5410).62 0. 0.6 ∂i/∂t do disjuntor > 18.6/1 kV Eprotenax. e fator de correção para agrupamento da tabela 42 da NBR 5410.85 x IN (272 A) Corrente rms + Condutores de 35% (A) 279.11 proteção Não aplicado Nota: No dimensionamento dos alimentadores. utilizaram-se os cabos Pirelli / Prysmian.30 resumo .66 ∂i/∂t do filtro.entrada do características filtro (kA) 15.91 alimentação 3x(1x# 120. 3.57 manobra CW 297 Corrente rms + Disjuntor de DWA 400N . Nº 1 2 3 4 Tabela 8.1) Corrente transitória de energização e suportabilidade do disjuntor: Conforme tabela 8.250/320 (35 50% (A) proteção kA/380V) 311.suportabilidade do disjuntor do filtro harmônico amortecido Banco de capacitores dessintonizado (estágios) Tipo / valor Frequência Transitória (Hz) 766.34 Corrente Total Corrente rms + Ajuste térmico do 31% (A) disjuntor 271. TA = 30º C.3 e 4.0 mm2) Corrente rms + Contator de 44% (A) 298.00 Obs.: Disjuntor com ICC 3φ .componentes do filtro harmônico amortecido Banco de capacitores dessintonizado (estágios) Tipo / valor Corrente rms (A) 207.01 Corrente rms + Fusível de 65% (A) 342.Nº 1 2 3 4 5 6 Tabela 8.

55.31. 11.90 e X/R = 1. 11.11 – Resultado do fluxo de carga harmônico . Dados do sistema Concessionária: AL-MT: Scc 3φ = 67.80 e X/R = 2. 60 m 179 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda Figura 8. Os harmônicos das cargas são dados na tabela 8.Exemplo 4) Parque gráfico (jornal): Filtragem de harmônicos através de um filtro sintonizado passa-baixa (TR2) e.0 mm2.40 kV Scc 1φ = 12. compensação de reativos com banco de capacitores (TR1).07.40kV Pirelli Eprotenax EPR 50.

2 kvar.23 ∠ 21.0 mm2.Zh = R + jX .5 kvar) com uma potência suplementar considerando aumento de cargas futuras. QC (TR2) Total = 112.70 k var QC (TR 2) = P x {tg [a cos(0.601)]− tg [a cos(0.00 kVA.970 x116 → QC =112.32% X/R = 5.6/ 1kV. não varia com a frequência . Potência S = 36.00 + j 15.00 → 190.4/0.4/0. adotado 40. 16.0 0 kVA →129.10. IP/IN = 6.95)]}= 0. Z = 4.60 kvar (por padronização 120 kvar) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 180 . 11.220 kV Motor de indução trifásico.92 i ) ( FP = 0. 10 m Cap1: 40 kvar/220V *** ver cálculo HF1: 120 kvar/440V *** ver cálculo 225 kVA.440 kV Motor de indução trifásico.440 kV Nota: O modelamento de todas as cargas desse exemplo foi feito com a resistência dos componentes fixa.00 kvar. núcleo envolvido 300 kVA.220 kV.70 kvar) mais a potência para a compensação de S0 (10. totalmente controlado. Nota: Neste transformador foi adotado este valor.0 Potência S = 12 + j 16 kVA .1 hp.6 k var Compensação dos trafos: = 2% x ∑Strafos = 0. 10 m AL-Cap2: Pirelli 2 x 95. 11.6 hp.95)]}= 0. pois se somou a potência total necessária (11. Potência S = 104 + j 135 kVA.46 o o kVA ( FP = 0.00 + j151. iluminação fluorescente e compacta.: 2: AL-Cap1: Pirelli 1 x 70.0 Potência S = 84 + j 33 kVA . 0. 0. 0.92)]− tg [a cos(0.10. 112. • Cálculo dos bancos de capacitores: ∑ CARGAS (TR1) =120. Z = 6.6/ 1kV.00 + j 48. de 6 pulsos.440 kV.08% X/R = 5. 0. 0. núcleo envolvido Computadores.80 ∑ CARGAS (TR 2) =116.0 mm2. Δ/Y aterrada com. IP/IN = 6. 0.52 ∠ 52. h . PVC.02 x 525 = 10. ou seja.097 x120 → QC =11.601i ) QC (TR1) = P x {tg [a cos(0. Δ/Y aterrada.5 kvar QC (TR1) Total = 22.220 kV Conversor AC/DC. PVC.

0 kVA Z% 6.1 hp Figura 8.610000 Lag Mtr2 16.0 Meters BUS-CAP1 440 V CAP1 40. o grupo gerador não alimenta a carga não linear (CNL1) do transformador.900000 Lag Mtr1 112.8 kVA PF 0. THDV% <> 0. servindo apenas de “grupo gerador de emergência”.0 Meters BUS-C1 220 V AL-CAP2 CableSize 95 Length 10.CPFL SC3P 67. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 181 . ou seja. Consideremos as duas próximas tabelas para efeito de comparação: A 1ª com os valores das distorções harmônicas registradas e a 2ª o resultado do load-flow harmônico.9% de 5ª ordem e de 0.070 SCLG 12. A impedância harmônica da máquina síncrona é maior que a impedância harmônica do transformador. O grupo gerador também alimenta a totalidade das cargas do transformador TR2.8 MVA X/R 3P 2.0800 % X/R 5.0 kVAR CNL1 37. a distorção harmônica com o filtro (para operação com o gerador) será maior que o valor normalizado e de projeto (conforme medições e simulações).50 de 7ª ordem (de tensão).12 – Unifilar – Parque gráfico (Jornal) • 1) Considerações importantes: O projeto inicial de compensação de reativos e de filtragem de harmônicos considerava como fonte de energia apenas a concessionária.6 hp Filtro1 120. e neste caso.5 kVA PF 0.9 MVA X/R 1.0 kVAR CNL2 170. ou seja. A contribuição na barra de média tensão é de: 1.0 kW P S TR1 225.550 BUS-0001 11400 V P S GEN-0001 kVA 370. a barra da concessionária contribui com uma parcela da distorção harmônica de tensão.1002 BUS-BT2 440 V AL-CAP1 CableSize 70 Length 10. Nota: Neste projeto.0999 BUS-BT1 220 V TR2 300.3200 % X/R 5.0 kVA kW 296.0 kVA Z% 4.

07 1.44 9.33 Distorções harmônicas .valores simulados sem capacitores BARRA MÉDIA TENSÃO TR1 225 kVA TR2 300 kVA TEN SÃO (KV) 11.00 0.84 2.00 0.02 0.00 0.68 0.60 0.40 7.60 1.00 1.40 1. verifica-se que o modelo matemático utilizado representa de maneira aproximada as características da instalação elétrica.31 – Espectro harmônico ORDE M HARM ÔNICA (h) 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 17 19 23 25 29 31 CORRENTE % de In CNL1 CNL2 6.70 1.50 Comparando os valores registrados com o valor obtido pela simulação do fluxo harmônico.32 Distorções harmônicas .70 3.Tabela 8.80 1.60 6.valores medidos sem capacitores BARRA TR1 225 kVA TR2 300 kVA TEN SÃO (KV) 0.22 0 0.00 1.29 Tabela 8.00 2.70 1.4 0 0.10 10.30 3.00 0. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 182 .80 2.00 2.70 1.50 0.50 0.20 2.36 4.40 2.44 0 DISTORÇÃO (THDV %) 1.00 0. efetuar o projeto dos equipamentos de compensação de reativos e filtragem dos harmônicos.40 31.38 18.50 2.00 0.97 1.70 5. podendo neste caso.00 0.70 4.36 1.41 1.40 Tabela 8.44 0 DISTORÇÃO (THDV %) 3.22 0 0.

calculado anteriormente. devemos minimizar a distorção harmônica de tensão de 5ª ordem. verificamos que a principal ordem harmônica é a 5ª. projetando um filtro com alta admitância para a uma frequência próxima de 300 Hz. A potência em kvar do filtro foi determinada anteriormente. Conforme abordado nos capítulos anteriores.A) Transformador TR1 Banco de capacitores de 40 kvar/220. Avaliando-se as figuras 8. B) Transformador TR1 Filtro harmônico sintonizado “passa-baixa”. respectivamente das distorções harmônicas de tensão e de corrente do transformador TR2. neste caso.95 indutivo: QC = 120 kvar.14. e é a necessária para a elevação do fator de potência a 0. mantendo a distorção total de tensão dentro dos limites normalizados e aceitáveis para as cargas conectadas nesse sistema. e em especial a(s) harmônica(s) predominante(s). Figura 8. o objetivo da filtragem passiva tipo “shunt” é o introduzir uma admitância de valor elevado no sistema.13 – Tensão medida na barra Bus-BT1 do transformador TR2 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 183 . de modo a absorver parte das harmônicas geradas pelas cargas não lineares.13 e 8.

24. XC=XL e A frequência de sintonia do filtro. Onde: fR = frequência de ressonância (para o exemplo 4.Figura 8.90ª h.23 1 1 1 = 2πfL ∴ f = →L= 2 2πfC 4π 2 f R .90 x 60 ) 2 x 1644. geralmente é projetada entre 2 e 4% abaixo da frequência natural do sistema.C 2π C.17824 mH Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 184 . na sintonia.98 x 5.61333 Ω e 1200002 QC 1 1 C= →C = → C = 1644.163 − 6 2 1 → L = 0.163 μF 2 π 60 X C 2 x π x 60 x 1.90) f = frequência do sistema (para o exemplo 60 Hz) C = capacitância Resolvendo: V2 4402 XC = 2 → XC = → X C = 1.14 – Corrente medida da CNL2 do transformador TR2 Com base nas fórmulas 7.00 = 4.L e 7. e portanto: fR = 0.61333 L= 4 π (4.

A partir do fluxo de carga harmônico.34 Distorções harmônicas .9 → δ = 0. Isso se deve pelo fato de haver contribuição de aproximadamente 2% de distorção harmônica originária da barra da concessionária. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 185 . Se o objetivo fosse reduzir a distorção harmônica para valores até o limite individual (3%) a potência do filtro seria muito grande.90 →R = L →R= → R = 0. determina-se a impedância própria da barra [Z 22 ] para a 5ª harmônica. principalmente às cargas não lineares.0101 Ω ∴ adotado 10 mΩ Q Q 26.32) Q ótimo do filtro Q= Cálculo do resistor de amortecimento R: R= X0 X xh 0. portanto.25 e 7.44 0 DISTORÇÃO (THDV %) 1. o que poderia inviabilizar o projeto.03º e.80 A distorção harmônica nas barras de baixa tensão ficaram acima do valor individual de 3%.06719 x 4. mas abaixo do limite global de 5%. Tabela 8. e no transformador TR01 haveria necessidade da instalação de capacitores com reatores de dessintonia.valores simulados com capacitores e filtro harmônico BARRA MÉDIA TENSÃO TR1 225 kVA TR2 300 kVA TEN SÃO (kV) 11. se comparado com as reatâncias do sistema.66 O valor da resistência ôhmica é baixo.XL = 0.06719 Ω @60 Hz) O resistor de amortecimento deve ser calculado posteriormente após a determinação do ângulo de impedância de 5ª harmônica na barra do trafo TR2 (Bus-BT2).39: Cálculo do desvio δ: δ = 5 − 4.90 4. pois dá maior estabilidade ao sistema.22 0 0. Efetua-se novamente o fluxo harmônico e se determina as distorções harmônicas nas barras e as correntes absorvidas pelo banco de capacitores e filtro harmônico.66 2δ sin φsn 2 x 0. mas sua utilização é recomendada.02 x sin (86.10 2.32) →Q= → Q = 26.4 0 0. Obtemos um valor de 75. Primeiramente efetua-se o fluxo de carga harmônico com todas as cargas e todos os bancos de capacitores e filtros. com base nas equações 7.02 5 1 + cos φsn 1 + cos (86.17824 mH (0.

VCAP _ mínimo = ∑ IhFiltro x i =1 n 1 ωh C • O reator deverá ter uma corrente rms mínima como a corrente rms total absorvida pelo filtro. como a somatória algébrica de todas as tensões harmônicas que estarão sob este capacitor. obtemos as correntes harmônicas absorvidas pelo filtro em % da corrente fundamental: Tabela 8.60 0. e do resistor.70 0.00 0.00 2. I L _ mínimo = ∑ Ih i =1 n 2 Filtro Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 186 .00 Fazendo as devidas multiplicações das correntes harmônicas da tabela acima pelas impedâncias corrigidas do reator e do capacitor.00 2.00 5.00 1.50 0.90 0.35 correntes harmônicas absorvidas pelo filtro harmônico do trafo TR02 ORDEM HARMÔ NICA (h) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 17 19 23 25 29 31 CORRENTE (%) DE I FUNDAMENTA L 100.00 4.40 5.Com os componentes dimensionados e.05 0.40 1.20 1.40 1.00 0.90 0.60 1.10 58.50 0. obtemos os valores absorvidos para cada componente: • O capacitor deve ter a tensão nominal mínima. a partir do fluxo de carga. com todas as cargas.

010 293. obtemos os valores de projeto do estágio dessintonizado: Tabela 8.90 0.328 0.000 0.266836383 0.000 0.17900 30.042 0.462174173 0.270 0.189159183 357. CAPACITOR (Mvar) TENSÃO NOMINAL DO CAPACITOR (kV) FREQUÊNCIA DO SISTEMA (Hz) TOLERÂNCIA NA CAPACITÂNCIA (+/.304521626 0.RMS (kV) TENSÃO 1φ SOB O CAPACITOR .CORRENTE SOB O INDUTOR (kA) 0.528 0.248 0.RMS (kV) Σ ARITIMÉTICA .• O resistor deverá ter uma potência mínima calculada a partir da corrente rms absorvida pelo filtro.8119665 0.660 60.000 0.%) RESISTOR SÉRIE (Ω) FREQUÊNCIA DE RESSONÂNCIA (Hz) ORDEM DE RESSONÂNCIA (h) CORRENTE TOTAL DO FILTRO IRMS (kA) CORRENTE SOBRE O INDUTOR IRMS (kA) POTÊNCIA SOBRE O RESISTOR RMS (W) TENSÃO 1φ SOB O INDUTOR .256 0.000 1.LINHA .440 0.067 187 POTÊNCIA MÍNIMA DO RESISTOR (W) TENSÃO TRIFÁSICA MÍNIMA DO CAPACITOR (kV) CORRENTE MÍNIMA DO FILTRO IRMS @ 131% (kA) CORRENTE NOMINAL DO INDUTOR IRMS (kA) CORRENTE MÁXIMA DO INDUTOR IRMS (kA) CORRENTE DO ALIMENTADOR IRMS @ 135% (kA) REATÂNCIA INDUTIVA XL @ 60Hz (W) Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda .4 4.%) INDUTOR SÉRIE (mH) Q DO INDUTOR TAP DO INDUTOR (+/.430658613 0.189159183 0.TENSÃO SOB O CAPACITOR (kV) Σ ARITIMÉTICA .036471214 0.TENSÃO SOB O CAPACITOR PICO (kV) TENSÃO RMS 3φ SOB O CAPACITOR (kV) Σ ARITIMÉTICA .298 0. ou seja: PR _ mínimo = ∑ Ih 2 Filtro x R i =1 n ( ) De posse de tais valores e sabendo das tolerâncias de fabricação dos componentes dados nos capítulos 3 e 4.305663861 614.36 resultado da simulação – características de projeto TENSÃO NOMINAL DO SISTEMA (kV) POT.FASE .

calculam-se os componentes. I SC .0 mm2) Corrente rms + Contator de 44% (A) 151.90 x IN (283. Com base nas correntes harmônicas absorvidas pelos estágios e demais componentes. proteção. cujos resultados são dados nas tabelas 8. e fator de correção para agrupamento da tabela 42 da NBR 5410.I1 (4. instalação em eletrocalha (B1 da NBR 5410).5 50% (A) 311.38 resumo .37 resumo .0 mm2) Corrente rms + Contator de 44% (A) manobra 298.11 proteção Não aplicado Nota: No dimensionamento dos alimentadores. TA = 30º C.6) ∂i ∂i Dj max ≥ Calculado (4.3) f (Hz) = f S .componentes do filtro harmônico “passa-baixa” Banco de capacitores dessintonizado (estágios) Tipo / valor Corrente rms (A) 189.68 NÃO APLICADO Corrente rms + Condutores de 35% (A) 141. 0.5 A) Corrente rms + Condutores de 35% (A) 279.37 e 8.2) Dimensionamento dos componentes de manobra.91 alimentação 3x(1x# 185. Todos dados constantes no anexo A.01 proteção kA/440V) Corrente rms + Fusível de 65% (A) 342.39.62 disjuntor 0.componentes do banco de capacitores do trafo TR1 Banco de capacitores Tipo / valor Corrente rms (A) 105.20) ∂t ∂t Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 188 .42 proteção 200A) Nº 1 2 3 4 5 6 Tabela 8.38. Imax (A) = 2 . utilizaram-se os cabos Pirelli / Prysmian.2 Corrente Total Corrente rms + Ajuste térmico do 31% (A) 271. e alimentação do banco de capacitores e do filtro harmônico.89 alimentação 3x(1x# 70.65 NÃO UTILIZADO Corrente rms + Fusível de NH-01 3NA3 140 (gL/gG 65% (A) 173.34 manobra 3RT10 55 Corrente rms + Disjuntor de 50% (A) proteção 157. Nº 1 2 3 4 5 6 Tabelas 8. I SC I1 (4.57 3RT10-66 Corrente rms + Disjuntor de 3VT8431 320 A (37.1 Corrente Total Corrente rms + Ajuste térmico do 31% (A) disjuntor 137. 3) Corrente transitória de energização e suportabilidade do disjuntor: Conforme tabela 8.6/1 kV Eprotenax.

3. 4.: Disjuntor com ICC 3φ .entrada do características filtro (kA) térmicas e 7.437 4.Nº 1 2 3 4 Tabela 8. ∂i/∂t disjuntor Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 189 .251 Obs.928 Conforme equações dinâmicas ∂i/∂t do filtro 2.20 adequadas ∂i/∂t do disjuntor > 19.39 resumo .6 e 4.suportabilidade do disjuntor do filtro harmônico amortecido Banco de capacitores dessintonizado (estágios) Tipo / valor Frequência Transitória (Hz) 241.993 ∂i/∂t do filtro.

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda Figura 8.Na figura 8.15 – Resultado do fluxo de carga harmônico 190 .15 pode-se verificar o resultado do fluxo harmônico para alimentação da carga do transformador TR02 através do grupo gerador.

16 – Resultado do fluxo de carga harmônico com alimentação pelo grupo gerador 191 .Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda Figura 8.

Dados do sistema As tabelas 8.380 2500 5.750 10.40 resumo .17 5.400 11. 01 banco de capacitores dessintonizado de baixa tensão.46 dão as características dos componentes e do sistema elétrico.00 1873.00 443.870 7.380 2500 6.características dos transformadores de força Trafo 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 ID TR1 TR2 TR3 TR4 TR5 TR6 TR7 TR-Ondl TrCart TrCald TrLagoa Tensão primária (kV) 11.380 0.00 η% 100 100 100 100 100 100 100 F.17 1808.57 0.00 1409.200 5.400 11.67 0.20 31.380 150 5.380 2500 5.500 10.380 150 5.73 Tabela 8.10 5.61 278.400 11.10 0. Filtragem dos harmônicos através de três filtros harmônicos sintonizados (com 2 estágios cada filtro).41 resumo .8 X/R 1φ 1.67 0.37 68.50 848.380 0.00 323.40 0.características do PAC (ponto de acoplamento comum) CPFL Carga ID Concessionária CPFL Tensão nominal (kV) 11.400 11.90 0.90 0.400 Tensão Potência secundária (kV) (kVA) Z% X/R 0.92 0.00 1349. 0.67 0.90 X/R 3φ SCC 1φ (MVA) 1.90 0.400 SCC3φ (MVA) 112.380 1500 4.características das carga motoras e não lineares Carga / Trafo 1 TR01 2 TR01 3 TR01 1 TR02 2 TR02 3 TR02 1 TR03 ID Eq-Novo Convers-N1 SoftNovo GP70+H07 L1-MP12 L2-MP12 MP-13 Tensão nominal (kV) 0. 01 banco de capacitores em média tensão.67 0.380 2500 6.400 11.67 0.00 596.00 389.950 10.84 170.70 1662.67 0.86 0.380 0.P.88 0.10 0.17 5.17 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 192 .400 11. Tabela 8. diversos bancos fixos e automáticos em baixa tensão.380 2500 6.380 1500 4.380 Tipo Motor Conversor AC/DC SoftStart Inversor de frequência Motor Motor Motor Potência Potência Potência (hp) (kW) (kVA) 800.72 0.93 30.400 11.380 0.92 56.020 10.500 10.500 3.400 11.220 150 3.070 10.10 Tipo (núcleo) Configuração Envolvido ΔYG -30º Envolvido ΔYG -30º Envolvido ΔYG -30º Envolvido ΔYG -30º Envolvido ΔYG -30º Envolvido ΔYG -30º Envolvido ΔYG -30º Envolvido ΔYG -30º Envolvido ΔYG -30º Envolvido ΔYG -30º Envolvido ΔYG -30º Tabela 8.380 0.88 Xd’’ IP/IN (pu) 5.400 11.400 11.90 0.200 5.10 0. bem como o espectro das fontes harmônicas.42 resumo .60 0.30 372.26 1240.380 0.Exemplo 5) Fábrica de Papel e Papelão: Sistema de médio porte.860 7.40 a 8.380 2500 6.

000 663.90 5.380 0.380 0.00 400.17 0.53 0.80 0.00 350.000 0.00 286.90 0.90 5.380 0.70 0.67 0.380 0.53 310.00 240.000 Resistor (mΩ) 9.80 0.00 2400.380 0.20 1329.00 110.00 80.00 200.220 0.80 0.380 0.220 0.00 650.94 297.380 0.00 704.70 0.00 20.380 0.17 0.17 0.00 1175.00 1679.50 h% 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 F.características dos filtros harmônicos e bancos dessintonizados Filtros Solidário Solidário Solidário Solidário Solidário Solidário Automático (7x50) Trafo TR04 TR04 TR05 TR05 TR06 TR06 TR-Ondl ID FiltroT4-1 FiltroT4-2 FiltroT5-1 FiltroT5-2 FiltroT6-1 FiltroT6-2 BCAD-TrOnd Potência (kvar) 240.380 0.características dos bancos de capacitores Capacitores Automático Automático Automático Fixo Fixo / Solidáriio Fixo Semi-Automático Trafo TR02 TR03 TR07 TrCart TrCald TrLagoa Geral MT ID BCAT2 BCAT3 BCAT7 CapCart CapCald CapLagoa Banco-MT Potência (kvar) 1100.380 Tipo Inversor de frequência Conversor / Inversor Inversor de frequência Conversor / Inversor Inversor de frequência Conversor / Inversor Inversor de frequência Motor Motor SoftStart Inversor de frequência Motor Motor Motor Potência Potência Potência (hp) (kW) (kVA) 240.00 267.40 147.00 300.000 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 193 .380 0.50 137.000 11.000 84.00 200.380 11.000 9.81 0.50 5. 0.00 248.70 0.00 1350.380 0.17 Tabela 8.380 0.380 0.00 350.00 240.30 945.44 resumo .17 1TR-Ondl Load-Ondul 1 TrCart MotCart 1 TrCald MotCald 1 TrLagoa Mot Lagoa 30.000 84.00 Tensão nominal (kV) 0.380 0.000 9.10 5.50 23.80 IP/IN Xd’’ (pu) 765.50 97.380 0.000 11.00 78.80 106.P.000 70.380 0.95 320.00 240.Tabela 8.00 300.380 Reator (μ H) 70.42 resumo .000 70.00 26.00 375.80 0.00 Tensão nominal (kV) 0.43 resumo .40 323.00 241.90 0.380 0.00 30.868 0.380 0.81 0.00 344.30 200.00 1985.90 5.00 571.características das carga motoras e não lineares Carga / Trafo 2 TR03 1 TR04 2 TR04 1 TR05 2 TR05 1 TR06 2 TR06 1 TR07 2 TR07 3 TR07 ID RegenN-T3 LoadT4Final RegenT4 LoatT5Futuro RegenT5 LoadT6Final RegenT6 MP2-TR7 MP21-TR7 SoftNovoT7 Tensão nominal (kV) 0.380 0.380 0.90 0.380 0.380 0.400 OBS Manobrável Tabela 8.000 70.000 9.

800 0.350 0.870 0.400 0.450 0.000 30.440 0.050 0.560 0.00 mm2) 0.6/1kV EPR 3x(8x# 400.200 1.820 0.290 0.000 1.340 SoftNovo GP70+H07 100.360 2.500 2.000 27.000 0.000 8.600 0.900 29.500 0.420 0.290 0.600 0.150 4.00 mm2) 8.400 0.100 0.6/1kV EPR 3x(8x# 400.400 0.000 0.300 0.espectro harmônico das cargas não lineares Espectro harmônico Carga / Trafo Ordem harmônica (h) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 17 19 23 25 29 31 TR01 ConversN1 100.550 1.500 2.700 0.240 0.00 mm2) 0.6/1kV EPR 3x(8x# 400.7/15 kV EPR 3x(3x# 240.360 0.560 0.870 0.150 0.6/1kV EPR 3x(3x# 240.000 2.110 0.000 30.00 mm2) 0.6/1kV EPR 3x(8x# 400.000 30.350 3.150 0.330 0.190 0.000 30.240 0.130 0.250 0.100 14.00 mm2) 0.000 30.820 0.150 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 194 .500 0.190 0.100 30.300 0.490 1.190 0.870 0.500 0.800 2.000 0.750 5.560 0.000 2.900 0.660 0.970 0.100 0.00 mm2) 0.100 3.000 0.100 0.700 1.440 0.46 resumo .360 0.130 0.500 0.190 0.740 0.6/1kV EPR 3x(3x# 240.6/1kV EPR Comprimento (m) 30.000 0.000 0.700 1.500 0.500 0.620 1.350 1.190 0.Tabela 8.040 0.600 0.00 mm2) 0.040 4.00 mm2) 0.250 1.560 0.000 30.000 30.200 TR04 RegenT4 100.400 1.200 0.320 TR01 TR02 TR03 RegenNT3 100.cabos de alimentação Alimentadores Máquina de papel Máquina de papel Máquina de papel Máquina de papel Máquina de papel Banco MT Filtro Filtro Trafo TR02 TR03 TR04 TR05 TR06 Geral TR04 TR05 Circuito Geral Geral Geral Geral Geral Capacitor FiltroT4 FiltroT5 FiltroT6 BCAD-TrOnd ID ALMP1-1 ALMP1-2 ALMP1-3 ALMP3 ALMP2-2 AL-BSAMT AL-FiltroT4 AL-FiltroT5 AL-FiltroT6 ALBCADTrOnd Configuração 3x(8x# 400.800 0.300 0.530 0.45 resumo .350 2.100 0.000 15.6/1kV EPR 3x(2x# 300.700 6.000 Filtro TR06 Banco TRdessintonizado Ondl Tabela 8.100 2.200 9.870 0.700 0.900 8.100 0.000 100.340 TR04 LoadT4Final 100.180 0.190 0.500 0.500 0.110 0.430 2.530 0.970 0.300 0.000 1.360 2.00 mm2) 0.000 0.430 0.160 3.330 0.500 2.300 0.500 1.600 0.00 mm2) 0.6/1kV EPR 3x(1x# 50.

400 2.350 0.600 0.440 0.900 0.870 0.300 0.870 0.250 0.000 0.110 0.100 0.espectro harmônico das cargas não lineares (continuação) Espectro harmônico Carga / Trafo Ordem harmônica (h) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 17 19 23 25 29 31 TR05 TR05 TR06 TR06 TR07 TR-Ondl LoatT5-Futuro 100.000 0.970 3. o diagrama unifilar com todas as cargas.200 1.900 1.360 0.820 4.700 0.500 0.000 0.400 0.100 2.500 0.800 0.400 2.290 0.500 0. A compensação do fator de potência da fábrica é uma combinação de bancos de baixa e média tensão.530 0.100 0.190 0.150 0.190 0.190 1.350 0.600 1.100 0.300 0.250 0.500 2.100 0. além dos filtros harmônicos.600 2.700 0.400 2.100 0. o fator de potência desses transformadores ficará abaixo do valor limite de 0.000 2.000 100.000 23.100 0.900 1.500 0.440 5.560 0.820 3.360 0.350 0.300 0.200 RegenT5 LoadT6-Final RegenT6 SoftNovo-T7 Load-Ondul 100.100 9. filtros e bancos de capacitores é o que e encontra na figura 8.92 indutivo.150 0.000 0.500 0. TR5 e TR6 aos valores normalizados.400 1.870 0.330 0.000 2.500 1.360 0.200 1.560 0.350 1.700 0.300 Para o exemplo 5.130 29.800 0.100 0.190 0.870 0.600 0.240 0.000 100.970 0.800 0.100 0.500 0.700 0.560 1.500 0.290 0.600 0. Neste caso.400 0.200 1.000 100.340 0.000 100.100 0.200 0.500 1.100 0.240 0.Tabela 8.000 0.000 0.16.400 0.800 0.300 0.190 0.330 0.150 1.360 0. mas sim a redução dos níveis harmônicos nas barras dos transformadores TR4.46 resumo .100 14.700 0. Diferente dos demais exemplos.500 0.560 0.530 0.190 0.110 0.700 0.200 0.340 0.500 1.300 0. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 195 .130 9.600 1.550 1.600 0. o dimensionamento dos filtros harmônicos (com exceção do banco dessintonizado de 350 kvar) não objetiva a correção do fator de potência.600 0.

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda Figura 8.16 – Diagrama unifilar da fábrica de papel e papelão – exemplo 5 196 .

na sintonia.23 1 1 1 = 2πfL ∴ f = →L= 2 2 2πfC 4π f R .605 Ω e 2 2400002 QC 1 1 C= →C = → C = 4384. não é necessário calcular o 2º estário 5.24.L e 7. XC=XL e A frequência de sintonia do filtro.80) f = frequência do sistema (para o exemplo 60 Hz) C = capacitância Resolvendo: 5.80ª harmônica.434 − 6 2 1 → L = 0.2) Filtro sintonizado do trafo TR 05 Potência efetiva total de 480 kvar / 380 Volts.C 2π C. sintonia na 4.605 XC = L= 4 π (4. V2 3802 → XC = → X C = 0. sintonia na 4.96 x 5. geralmente é projetada entre 2 e 4% abaixo da frequência natural do sistema.06965 mH → L ≈= 70 μH XL = 0. e portanto: fR = 0.605 Ω e 2 2400002 QC 1 1 C= →C = → C = 4384.026 Ω @60 Hz) Nota: Como os dois estágágios do filtro são de mesma potência e características. dividido em 2 estágios iguais de 240 kvar /380 Volts.070 mH (0.1) Filtro sintonizado do trafo TR 04 Potência efetiva total de 480 kvar / 380 Volts. 3802 V2 → XC = → X C = 0. Onde: fR = frequência de ressonância (para o exemplo 4. dividido em 2 estágios iguais de 240 kvar /380 Volts.434 μF 2 π 60 X C 2 x π x 60 x 0.80ª harmônica.Solução: Com base nas fórmulas 7.00 = 4.434 μF 2 π 60 X C 2 x π x 60 x 0.80ª h.605 XC = Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 197 .80 x 60) 2 x 4384.

80 x 60) 2 x 4384. [Z 66 ] para a 5ª harmônica.39: Para todos os filtros. [Z 55 ] .026 Ω @60 Hz) Nota: Como os dois estágágios do filtro são de mesma potência e características. determina-se a impedância própria das barras [Z 44 ] .8 → δ = 0. não é necessário calcular o 2º estário 5. não é necessário calcular o 2º estário Os resistores de amortecimento devem ser calculados posteriormente após a determinação dos ângulos de impedância de 5ª harmônica nas barras dos trafos TR4 (BUS-BT4).25 e 7. Barra 55 = 85.722 Ω e 2 2000002 QC 1 1 C= →C = → C = 3673.06.44. Barra 66 = 85.08.L= 4 π (4.070 mH (0.937 − 6 2 1 → L = 0.80ª harmônica.06965 mH → L ≈= 70 μH XL = 0.434 − 6 2 1 → L = 0. calcula-se o desvio δ: δ = 5 − 4.03167 Ω @60 Hz) Nota: Como os dois estágágios do filtro são de mesma potência e características. TR5 (BUS-BT5) e TR6 (BUS-BT6). dividido em 2 estágios iguais de 200 kvar /380 Volts.937 μF 2 π 60 X C 2 x π x 60 x 0. todos os bancos de capacitores e filtros.80 x 60 ) 2 x 3673.3) Filtro sintonizado do trafo TR 06 Potência efetiva total de 400 kvar / 380 Volts.722 XC = L= 4 π (4.084 mH (0. Primeiramente efetua-se o fluxo de carga harmônico com todas as cargas. Os valores obtidos são: Barra 44 = 85. V2 3802 → XC = → X C = 0.08312 mH → L ≈= 84 μH XL = 0.04 5 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 198 . sintonia na 4. Com base nas equações 7. A partir do fluxo de carga harmônico.

04 x sin (85.54 2δ sin φsn 2 x 0.08) →Q= → Q =13. Com base nas fórmulas 7.093 Ω → R = 9 m Ω Q Q 13.03167 x 4.63 Filtro do TR5: X X xh 0.08) 1 + cos φsn 1 + cos (85.4) Banco de capacitores dessintonizado Para o banco de capacitores dessintonizado do transformador da onduladeira.54 5. XC=XL e Onde: fR = frequência de ressonância (para o exemplo 3.44) Filtro do TR5: Q = Filtro do TR6: Q = Cálculo do resistor de amortecimento R: Filtro do TR4: X X xh 0.026 x 4.888 Ω e 2 500002 QC 199 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda .04 x sin (85.63 2δ sin φsn 2 x 0.44 ) →Q= → Q =13.24 1 1 1 = 2πfL ∴ f = →L= 2 2 2πfC 4π f R .04 x sin (85. 7.0112 Ω → R = 11m Ω Q Q 13. será adotada como freqüência de sintonia do conjunto h = 3.62 Filtro do TR6: X X xh 0.026 x 4.06) →Q= → Q =13.06) 1 + cos φsn 1 + cos (85. na sintonia.C 2π C.40) f = frequência do sistema (para o exemplo 60 Hz) C = capacitância Resolvendo: XC = V2 3802 → XC = → X C = 2.80 R= 0 →R= L →R= → R = 0.27.80 R= 0 →R= L →R= → R = 0.80 R= 0 →R= L →R= → R = 0.23.62 2δ sin φsn 2 x 0. A potência de cada estágio será de 50 kvar (7 x 50 kvar / 380 V).092 Ω → R = 9 m Ω Q Q 13.Calcula-se o fator de qualidade Q ótimo: Filtro do TR4: Q = 1 + cos φsn 1 + cos (85.L e 7.40.

00 BUS-BT1 0.50 13.Distorções harmônicas .valores medidos TRAFO ID TR2 TR3 TR4 TR6 TR7 TR-Ondl POTENCIA (kVA) 2500 1500 2500 2500 2500 1500 BARRA ID BUS-BT2 BUS-BT3 BUS-BT4 BUS-BT6 BUS-BT7 BUS-BTOndul TENSÃO (kV) 0.10 12.40 TR7 2500.00 BUS-BTLagoa 0. com indutância de dessintonia de 0.50 TR-Ondl 1500.00 BUS-BTCald 0.47 .50 TR3 1500.380 2.00 BUS-BTCart 0. bancos de capacitores de baixa e média tensão.380 4.80 TrLagoa 150.10 13.40 x 60) 2 x 918.60 Tabela 8.80 TR6 2500. determinando as distorções harmônicas em todos os barramentos e as correntes absorvidas pelos filtros harmônicos.50 TR5 2500.380 3.60 TR1 2500.888 1 → L = 0.380 3.70 TrCart 150. Efetua-se novamente o fluxo harmônico.50 TrCald 150.00 11.380 0.30 8.220 2. com todas filtros harmônicos.380 3.00 BUS-BT5 0.25 Ω @60 Hz) Resumindo: Cada estágio do banco de capacitores dessintonizado será de 50 kvar / 380 Volts.00 BUS-BT3 0.380 0. Tabela 8.00 TENSÃO BUS-CPFL 1.380 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 200 .valores simulados com capacitores e filtros harmônicos POTENCIA BARRA TENSÃO DISTORÇÃO TRAFO ID (kV) (THDV %) ID (kVA) MÉDIA 112.380 3.00 BUS-BT2 0.00 BUS-BT4 0.380 2.00 TR4 2500.00 BUS-BT7 0.90 11.C= 1 1 →C = → C = 918.380 0.380 DISTORÇÃO (THDV %) 9.380 2.663 mH.663 mH (0.380 0.484 − 6 2 L= XL = 0.380 2.66269 mH 4 π (3.48 Distorções harmônicas .80 TR2 2500.380 0.400 2.484 μF 2 π 60 X C 2 x π x 60 x 2.00 BUS-BT6 0.00 BUS-BTOndul 0.

35 0.00 0.13 0.74 75.19 0.00 100.13 1.00 4.23 0.13 0.72 0.00 1.13 0.86 0.85 0.00 5.00 2.72 0.19 0.correntes harmônicas absorvidas .63 0.55 2.36 0.10 1.00 2.00 0.86 0.22 0.08 0.05 0.00 0.28 0.24 0.22 0.60 0.76 0.00 0.55 2.00 0.00 0.68 0.74 75.09 0.25 FiltroT5-2 100.68 0.81 0.09 0.10 1.60 0.67 1.02 0.59 0.00 0.00 0.00 0.00 5.00 0.24 0.49 1.00 0.90 63.04 0.22 0.00 0.00 0.60 0.25 FiltroT6-1 100.00 2.00 2.00 Fazendo as devidas multiplicações das correntes harmônicas da tabela acima.35 0.00 1.00 5. e do resistor.00 0.21 1.19 FiltroT5-1 100.Tabela 8.00 0.80 10.02 0.00 100.04 0.04 0.90 63.28 0.52 0.09 0. como a somatória algébrica de todas as tensões harmônicas que estarão sob este capacitor.86 0.04 0.00 0.59 0.22 0.00 0.36 0.00 0.08 0.28 0.14 1.00 0.77 62.13 1.96 0.00 0.49 resumo .41 0.25 0.58 0.00 5.57 3.77 62.31 0.85 0.00 2.24 0.00 5.11 0.04 0.00 5.00 0.94 0. pelas respectivas impedâncias corrigidas do reator.14 1.00 0.31 0.00 0.21 1.02 0.45 0.00 4.57 3.00 2.00 4.49 Banco Banco dessintonizado dessintonizado FiltroT6-2 (estágio) (total) 100.69 0.07 0. obtemos os valores absorvidos para cada componente: • O capacitor deve ter a tensão nominal mínima.00 2.00 0.filtros harmôncos e banco dessintonizado Espectro harmônico Ordem harmônica (h) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 17 19 23 25 29 31 TR04 TR05 TR06 TR Onduladeira FiltroT4-1 100.45 0. VCAP _ mínimo = ∑ IhFiltro x i =1 n 1 ωhC • O reator deverá ter uma corrente rms mínima como a corrente rms total absorvida pelo filtro.00 0.00 0.09 0.25 0.58 0.22 0.69 0. I L _ mínimo = ∑ Ih i =1 n 2 Filtro Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 201 .08 0.00 0.11 0.27 0.81 0.67 1.17 0.00 4.00 0.00 2.32 5.00 0.04 0.26 0.41 0.10 0. do capacitor.94 0.00 0.34 0. para cada filtro harmônico ou banco dessintonizado.00 0.76 0.06 0.60 0.10 0.19 FiltroT4-2 100.46 0.52 0.

CAPACITOR (Mvar) TENSÃO NOMINAL DO CAPACITOR (kV) FREQUÊNCIA DO SISTEMA (Hz) TOLERÂNCIA NA CAPACITÂNCIA (+/.38253874 0.TENSÃO SOB O CAPACITOR PICO (kV) TENSÃO RMS 3φ SOB O CAPACITOR (kV) Σ ARITIMÉTICA . os dois (2) filtros terão a mesma característica elétrica.RMS (kV) Σ ARITIMÉTICA .730279693 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 202 .FASE . ou seja: PR _ mínimo = ∑ Ih 2 Filtro x R i =1 n ( ) De posse de tais valores e sabendo das tolerâncias de fabricação dos componentes dados nos capítulos 3 e 4. e como as cargas dos transformadores TR4 e TR5 possuem características elétricas semelhantes e as correntes harmônicas dos filtros dos trafos TR4 e TR5 são próximas.23189905 0.000 0.824464 0.LINHA .660 60.RMS (kV) TENSÃO 1φ SOB O CAPACITOR .%) RESISTOR SÉRIE (Ω) FREQUÊNCIA DE RESSONÂNCIA (Hz) ORDEM DE RESSONÂNCIA (h) CORRENTE TOTAL DO FILTRO IRMS (kA) CORRENTE SOBRE O INDUTOR IRMS (kA) POTÊNCIA SOBRE O RESISTOR RMS (W) TENSÃO 1φ SOB O INDUTOR .5) Filtro harmônico dos transformadores TR4 e TR5: Tabela 8.• O resistor deverá ter uma potência mínima calculada a partir da corrente rms absorvida pelo filtro.401660937 0.TENSÃO SOB O CAPACITOR (kV) Σ ARITIMÉTICA .000 0.380 0.270495737 0.8 0.070 30.29 4. obtemos os valores de projeto do estágio dessintonizado: Nota: Por uma questão de padronização de projeto.471501675 0.%) INDUTOR SÉRIE (mH) Q DO INDUTOR TAP DO INDUTOR (+/.720 0.50 resultado da simulação – características de projeto TENSÃO NOMINAL DO SISTEMA (kV) POT.471501675 2000.000 1.009 287.CORRENTE SOB O INDUTOR (kA) 0.000 0. 5.039231895 0.

65 kA.0 mm2) Corrente rms + 44% (A) 678. Nº 1 2 3 4 Tabela 8.5 A) Corrente rms + 35% (A) 636.51 resumo . e fator de correção para agrupamento da tabela 42 da NBR 5410.742 0.98 Fusível de proteção NÃO UTILIZADO Tipo / valor 3x(4x# 240.96 Contator de manobra NÃO UTILIZADO 3WL 800A.Cálculo das correntes de energização em singelo e ”back-to-back”: Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 203 .2) Corrente transitória de energização e suportabilidade dos disjuntores: Conforme tabela 8.componentes do filtro harmônico "passa-baixa" TR4 e TR5 1º e 2º Estágios de 240 kvar do filtro harmônico Tipo / valor Corrente rms (A) 471. Microprocessado.6/1 kV Eprotenax.POTÊNCIA MÍNIMA DO RESISTOR (W) TENSÃO TRIFÁSICA MÍNIMA DO CAPACITOR (kV) CORRENTE MÍNIMA DO FILTRO IRMS @ 131% (kA) CORRENTE NOMINAL DO INDUTOR IRMS (kA) CORRENTE MÁXIMA DO INDUTOR IRMS (kA) CORRENTE DO ALIMENTADOR IRMS @ 135% (kA) REATÂNCIA INDUTIVA XL @ 60Hz (W) 3433. 0. TA = 30º C.53 Condutores de alimentação 3x(2x# 240. 5 Corrente rms + 50% (A) 707.80 x IN (283. Todos dados constantes no anexo A.25 Disjuntor de proteção Motorizado 6 Corrente rms + 65% (A) 777. utilizaram-se os cabos Pirelli / Prysmian.618 0. • . verificando a suportabilidade do equipamento de manobra. proteção. LSIG.0 mm2) Nº 1º e 2º Estágios de 240 kvar do filtro harmônico 6 Corrente rms (A) filtro 943.00 Corrente Total 7 Corrente rms + 35% (A) 1273. e que suas manobras são denominadas de “back-to-back” conforme definido no capítulo 4.67 Ajuste térmico do disjuntor 0. calcular as correntes e frequências transitórias de energização em “singelo” e de “back-to-back”. os filtros harmônicos dos três transformadores são compostos por dois estágios. Nota: É importe observar que. e alimentação do banco de capacitores e do filtro harmônico.026 5.50 Corrente Total Corrente rms + 31% (A) 617. instalação em eletrocalha (B1 da NBR 5410). cujos resultados são dados nas tabelas 8.52.637 0. 5.615 0.469 0.52.1) Dimensionamento dos componentes de manobra. calculam-se os componentes. Com base nas correntes harmônicas absorvidas pelos estágios e demais componentes.5.51 e 8. portanto.05 Condutores de alimentação Nota: No dimensionamento dos alimentadores.817 0.5. Deve-se. neste projeto.

3) f (Hz) = f S . Eficaz 1/2 ciclo 57.6) ∂i ∂i Dj max ≥ Calculado (4.302 7.52 resumo . Inst.302 43.Dados: Indutância de 70 μH (por estágio).7648 Assim.I1 (4.modificada) f (kHz) = 13.120 19.I1 (da equação 4.338 90.809 3 Ciclos 5.654 Frequency = 60 Hz ∂i/∂t (A/ms) Máximo do Disjuntor TRANSITÓRIO DE ENERGIZAÇÃO 1º ESTÁGIO CORRENTE TRANSITÓRIA kA (Pico) 1/2 Ciclo 5.modificada) LEQ e a frequência: (da equação 4.8 .5 fs. com 2 metros de distância (tabela 4.764 12. Pico 100.234 27.949 53.9 .808 30 Ciclos 5.461 rms (kA) rms (kA) CAPACIDADE DINÂMICA DOS DISJUNTORES E EQUIPAMENTOS DE MANOBRA 65 kA short-circuit 34.kVLL LEQ .70 μH/m entre os barramentos dos estágios do filtro.354 Assim. I SC .581 0.1).660 6.I1 Tabela 8.795 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 204 .263 19.555 44. Indutância de 0.346 92. Indutância dos cabos entre os estágios do filtro desconsiderada.949 57. Imax (A) = 2 .suportabilidade do disjuntor do filtro harmônico amortecido DADOS DE CURTO CIRCUITO 3 φ (kA) SAÍDA DO TRAFO ENTRADA DO FILTRO FILTRO SOB INDUTOR FILTRO SOB RESISTOR FILTRO BARRAMENTO DOS CAPACITORES CORRENTE NOMINAL DO FILTRO @ 60 Hz CORRENTE TOTAL 2 ESTÁGIOS @ 60 Hz Simétrico 46.3824 0. I SC I1 (4.20) ∂t ∂t Imax (A) = 1235 kVLL .

374832088 0.53 resultado da simulação – características de projeto TENSÃO NOMINAL DO SISTEMA (kV) POT.370904169 0. CAPACITOR (Mvar) TENSÃO NOMINAL DO CAPACITOR (kV) FREQUÊNCIA DO SISTEMA (Hz) TOLERÂNCIA NA CAPACITÂNCIA (+/.660 60. 5.600 0.251 ∂i/∂t (A/ms) TODOS ESTÁGIOS DO FILTRO Resultado ICC: ICC do disjuntor > ICC no filtro.3 4.RMS (kV) Σ ARITIMÉTICA .TENSÃO SOB O CAPACITOR (kV) Σ ARITIMÉTICA .268931 0.586333256 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 205 .52 resumo .Tabela 8.400297657 0. ∂i/∂t do disjuntor > ∂i/∂t do filtro.000 0.TENSÃO SOB O CAPACITOR PICO (kV) TENSÃO RMS 3φ SOB O CAPACITOR (kV) Σ ARITIMÉTICA . Disjuntor c/ ICW adequado.4665 ∂i/∂t (A/ms) 1º ESTÁGIO DO FILTRO 23.suportabilidade do disjuntor do filtro harmônico amortecido (continuação) FREQUÊNCIA TRANSITÓRIA (Hz) 644.523 TRANSITÓRIO DE ENERGIZAÇÃO 2 ESTÁGIOS (BACK-TO-BACK) FREQUÊNCIA TRANSITÓRIA CORRENTE TRANSITÓRIA 1/2 Ciclo (Hz) kA (Pico) 1.380 0.CORRENTE SOB O INDUTOR (kA) 0.FASE .000 1.1924 277.80 0.265046312 0.5) Filtro harmônico do transformador TR6: Tabela 8.000 0.034241926 0.23111196 0.370904169 1513. Resultado dinâmico: “Rate of Change” adequado.08400 30.LINHA .%) INDUTOR SÉRIE (mH) Q DO INDUTOR TAP DO INDUTOR (+/.011 287.000 0.%) RESISTOR SÉRIE (Ω) FREQUÊNCIA DE RESSONÂNCIA (Hz) ORDEM DE RESSONÂNCIA (h) CORRENTE TOTAL DO FILTRO IRMS (kA) CORRENTE SOBRE O INDUTOR IRMS (kA) POTÊNCIA SOBRE O RESISTOR RMS (W) TENSÃO 1φ SOB O INDUTOR .RMS (kV) TENSÃO 1φ SOB O CAPACITOR .259 2.

LSIG.9 Corrente Total Corrente rms + 31% (A) 485. 5 Corrente rms + 50% (A) 556. calculam-se os componentes. TA = 30º C.Cálculo das correntes de energização em singelo e ”back-to-back”: Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 206 . 65 kA.501 0.componentes do filtro harmônico "passa-baixa" TR6 1º e 2º Estágios de 240 kvar do filtro harmônico Tipo / valor Corrente rms (A) 370.81 Corrente Total 7 Corrente rms + 35% (A) 1001. e alimentação do banco de capacitores e do filtro harmônico. cujos resultados são dados nas tabelas 8.0 mm2) Nº 1º e 2º Estágios de 240 kvar do filtro harmônico 6 Corrente rms (A) filtro 741. Deve-se.72 Condutores de alimentação 3x(2x# 240.2) Corrente transitória de energização e suportabilidade dos disjuntores: Conforme tabela 8.921 0.643 0. • . calcular as correntes e frequências transitórias de energização em “singelo” e de “back-to-back”. os filtros harmônicos dos três transformadores são compostos por dois estágios.55.032 5.54 e 8. Com base nas correntes harmônicas absorvidas pelos estágios e demais componentes.54 resumo . Nº 1 2 3 4 Tabela 8.88 Ajuste térmico do disjuntor 0.0 mm2) Corrente rms + 44% (A) 534. instalação em eletrocalha (B1 da NBR 5410). Nota: É importe observar que. neste projeto.POTÊNCIA MÍNIMA DO RESISTOR (W) TENSÃO TRIFÁSICA MÍNIMA DO CAPACITOR (kV) CORRENTE MÍNIMA DO FILTRO IRMS @ 131% (kA) CORRENTE NOMINAL DO INDUTOR IRMS (kA) CORRENTE MÁXIMA DO INDUTOR IRMS (kA) CORRENTE DO ALIMENTADOR IRMS @ 135% (kA) REATÂNCIA INDUTIVA XL @ 60Hz (W) 2596.55. 0. 5. Microprocessado.6/1 kV Eprotenax. e que suas manobras são denominadas de “back-to-back” conforme definido no capítulo 4. utilizaram-se os cabos Pirelli / Prysmian.5.60 x IN (283. Todos dados constantes no anexo A. proteção.36 Disjuntor de proteção Motorizado 6 Corrente rms + 65% (A) 611.4 Condutores de alimentação Nota: No dimensionamento dos alimentadores.1) Dimensionamento dos componentes de manobra. verificando a suportabilidade do equipamento de manobra. portanto. e fator de correção para agrupamento da tabela 42 da NBR 5410.584 0.5 A) Corrente rms + 35% (A) 500.99 Fusível de proteção NÃO UTILIZADO Tipo / valor 3x(3x# 240.46 0.5.486 0.1 Contator de manobra NÃO UTILIZADO 3WL 800A.

5 fs.315 5.603 43. I SC I1 (4.3158 0.654 Frequency = 60 Hz ∂i/∂t (A/ms) Máximo do Disjuntor TRANSITÓRIO DE ENERGIZAÇÃO 1º ESTÁGIO CORRENTE TRANSITÓRIA kA (Pico) 1/2 Ciclo 5.605 23.3) f (Hz) = f S .6316 Assim.6) ∂i ∂i Dj max ≥ Calculado (4. Pico 1/2 ciclo 99.257 30 Ciclos 5.9 .1).8 .modificada) f (kHz) = 13.768 16. com 2 metros de distância (tabela 4.I1 Tabela 8.336 rms (kA) rms (kA) CAPACIDADE DINÂMICA DOS DISJUNTORES E EQUIPAMENTOS DE MANOBRA 65 kA short-circuit 34.70 μH/m entre os barramentos dos estágios do filtro.603 6.602 91.614 0.475 Assim.20) ∂t ∂t Imax (A) = 1235 kVLL .modificada) LEQ e a frequência: (da equação 4.156 10.898 16. I SC . Indutância dos cabos entre os estágios do filtro desconsiderada.522 52.161 43.491 90. Eficaz 1/2 ciclo 57.522 57. Indutância de 0.kVLL LEQ .suportabilidade do disjuntor do filtro harmônico amortecido DADOS DE CURTO CIRCUITO 3 φ (kA) SAÍDA DO TRAFO ENTRADA DO FILTRO FILTRO SOB INDUTOR FILTRO SOB RESISTOR FILTRO BARRAMENTO DOS CAPACITORES CORRENTE NOMINAL DO FILTRO @ 60 Hz CORRENTE TOTAL 2 ESTÁGIOS @ 60 Hz Simétrico 46.I1 (da equação 4.I1 (4.Dados: Indutância de 84 μH (por estágio). Imax (A) = 2 .247 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 207 .55 resumo .258 3 Ciclos 5.

∂i/∂t do disjuntor > ∂i/∂t do filtro.2 Disjuntor de proteção Corrente rms + 65% (A) 136.55 resumo .0 mm2) Corrente rms + 44% (A) 119.47 Ajuste térmico do disjuntor Corrente rms + 35% (A) 111.78 Condutores de alimentação 3x(1x# 50.8 Corrente Total Corrente rms + 31% (A) 755.0 mm2) Corrente rms + 50% (A) 865.8 Corrente Total Corrente rms + 31% (A) 108.suportabilidade do disjuntor do filtro harmônico amortecido (continuação) FREQUÊNCIA TRANSITÓRIA (Hz) 706.144 308. Resultado dinâmico: “Rate of Change” adequado. Nº 1 2 3 4 5 6 Nº 1 2 3 4 5 Tabela 8.56 resumo .085 ∂i/∂t (A/ms) TODOS ESTÁGIOS DO FILTRO 2.Tabela 8.componentes do banco dessintonizado Banco de capacitores dessintonizado (estágios) Tipo / valor Corrente rms (A) 82.23 Contator de manobra 3RT10 55-1AN11 220V/60HZ Corrente rms + 50% (A) 124.1924 Resultado ICC: ICC do disjuntor > ICC no filtro.61 Ajuste térmico do disjuntor Corrente rms + 35% (A) 778.62 Fusível de proteção NH-00 160A (gL/GG) 3NA3 836 Banco de capacitores dessintonizado (todos os estágios) Corrente rms (A) 576.3290 ∂i/∂t (A/ms) 1º ESTÁGIO DO FILTRO 23.68 Condutores de alimentação 3x(2x# 300.72 Fusível de proteção 6 x NH-03 500A 3ENA3 365 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 208 .335 TRANSITÓRIO DE ENERGIZAÇÃO 2 ESTÁGIOS (BACK-TO-BACK) FREQUÊNCIA TRANSITÓRIA (Hz) CORRENTE TRANSITÓRIA 1/2 Ciclo kA (Pico) 1.2 Disjuntor de proteção Corrente rms + 65% (A) 951. Disjuntor c/ ICW adequado.

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda Figura 8.17 – Resultado final do fluxo de carga harmônico do exemplo 5 209 .

1 no final da folha de especificações. bem como a fabricação. NORMAS E UNIDADES A SEREM ADOTADAS As unidades a serem utilizadas serão as do sistema métrico.9.Especificação.2 kV encontram-se no final da folha de especificações. Sistema de Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos – Especificações O diagrama unifilar básico do equipamento encontra-se na figura 9. em particular. deverão estar de acordo com as últimas revisões das normas aplicáveis da ABNT (ou normas internacionais onde as normas brasileiras forem omissas). componentes e materiais utilizados. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 210 . Disjuntores de Alta tensão Transformadores de Corrente NBR-6821-ABNT Transformadores de Corrente .Método de Ensaio. As harmônicas absorvidas pelo filtro. NBR-5282-ABNT Capacitores de Potência . bem como os dados de alimentação da concessionária em 13. condições de serviço e desempenho. Reatores para Sistemas de Potência . FOLHA DE ESPECIFICAÇÃO I.Ensaios. ensaios. Todos os equipamentos. Disjuntores NBR 7180 Reatores NBR-5119 NBR-7569 IEC-289/88 Reatores para Sistemas de Potência . destacando-se as seguintes: Filtros Harmônicos IEEE Std 1531-2003 Guide for Application and Specification of Harmonic Filters Capacitores NBR-5060-ABNT Procedimento. Guia para Instalação e Operação de Capacitores de Potência Os capacitores. deverão atender as exigências da norma IEC 871-1 (média tensão e IEC 831-1 para a baixa tensão). Reactors.Especificação.

........ Pára-Raios IEC 60099-4 Surge arresters .... Isoladores Tipo Pedestal .........NBR-6856-ABNT Transformadores de Corrente .....0 kV a 36................Método de Ensaio.........................2 kV...... Estruturas Metálicas de Suporte NBR-6923-ABNT NBR-7400-ABNT Diversos NBR-6936-ABNT NBR-14039-ABNT Técnicas de Ensaios Elétricos de Alta Tensão ................ systems IEC 60099-5 Surge arresters ...........c.Especificação.. Revestimento de Zinco .Part 4: Metal-oxide surge arresters without gaps for a..... Pó em suspensão não condutivo Umidade relativa do ar: ..............Especificação.. Revestimento de Zinco .... Chave de Terra e de Aterramento Rápido - (ANSI/IEEE .................Especificação................ Buchas para Tensões Alternadas Superiores a 1kV .... < 1000 m • • • • Temperatura ambiente máxima: ........... Instalações Elétricas de Média Tensão de 1.....................Part 5: Selection and application recommendations Seccionadora. 85% Proximidade do mar: ....) Isoladores NBR-5032-ABNT NBR-5034-ABNT NBR-6882-ABNT Isoladores para LT's e SE's de AT ... Seccionadora e Chave de Aterramento NBR 6935-ABNT Especificação... II..................... CONDIÇÕES GERAIS DE INSTALAÇÃO Condições Ambientais As seguintes condições ambientais.. 40ºC Atmosfera: ......Standard for Metal-Oxide Surge Arresters for AC Power Circuits..C62-11-1978 ..........Padronização.Especificação.. Não Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 211 .....................Padronização..... deverão ser consideradas como normais de funcionamento: • Altitude máxima: ...

.................. 13.....................6 kApico − Simétrico: ................ As unidades capacitivas deverão possuir potência nominal conforme especificações dadas adiante.............2kV Nível de curto-circuito trifásico: − Assimétrico de pico: ..... CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS DOS COMPONENTES DO BANCO DE CAPACITORES São apresentadas a seguir as principais características construtivas requeridas para os equipamentos do sistema de correção de reativos...... As unidades capacitivas deverão possuir resistência de descarga interna que assegure a redução da tensão residual nas condições especificadas na NBR-5282... Transformador de Corrente de Neutro Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 212 ...... 6....... A Capacidade térmica mínima de projeto deverá ser de 10 kA com valor dinâmico de 31 kA pico.Sistema Elétrico • • Tensão: ............. O líquido isolante deverá ser biodegradável não acumulável e não tóxico............................. não sendo aceitos compostos a base de bifenis (askareis)..1 kArms Nota: As correntes de curto circuito são baixas em função da disponibilidade de fornecimento da concessionária.... 2.... As unidades capacitivas deverão possuir olhal de levantamento e alças de fixação capazes de assegurar um perfeito contato elétrico da carcaça com a estrutura ou RACK......... prevendo futura alteração no alimentador da concessionária.. devendo ainda atender às condições para a instalação mencionada nesta especificação........................ Em um mesmo banco as unidades capacitivas deverão ter mesmas características e dimensões......................... III..... Banco de Capacitores Características Gerais das Unidades Capacitivas • • • • • • Deverão resistir à corrosão...

O Transformador de Corrente deverá ser fornecido com placa de identificação de aço inoxidável fixada por meio de parafusos ou rebites. tipo e modelo do fabricante. além das sobrecargas durante a montagem. de 70kgf/m2. Isoladores. e características eletromecânicas de acordo com as normas aplicáveis da ABNT. Data de fabricação. as seguintes informações: Designação: "TRANSFORMADOR DE CORRENTE". constituídas de perfis de aço galvanizado a fogo. • Os capacitores deverão ser montados em uma ou mais plataformas (RACK'S). • As características dos componentes do banco e sua disposição no arranjo deverão ser objeto de aprovação por parte do cliente. conector de aterramento. Suportar esforços devida ação do vento. assim como as unidades e acessórios deverão ser identificados com placa em aço inoxidável contendo o especificado na NBR-5282. Não serão aceitas placas de identificação coladas. Tensão nominal de operação. 213 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda . Placas de identificação • • O Banco de Capacitores. a estrutura de elevação para suportar e interligar os RACK'S. Estruturas. A placa deverá conter no mínimo. Os isoladores deverão possuir classe de isolamento compatível com a do banco. deverá atender aos seguintes requisitos. Interligações • O FORNECEDOR deverá apresentar em sua proposta de fornecimento um arranjo orientativo para o banco de capacitores.• Deverá ser do tipo encapsulado em epóxi. para instalação na interligação do neutro do banco (ligação do banco em dupla estrela). indicando a disposição dos componentes com os espaçamentos mínimos requeridos. a) b) c) • • Assegurar altura mínima das partes energizadas com relação ao solo. a) b) c) d) Nome do fabricante. Deverão ser fornecidos conectores para ligação dos condutores de alimentação e todas interligações com equipamentos de manobra e proteção. Número de série. caixas de junção e outros componentes necessários à sua completa montagem. Servir de suporte e fixação para os dispositivos de manobra e outros acessórios.

com indutância Os reatores para sintonia do filtro harmônico deverão ser de núcleo de ar. isolação a conforme indicado nas Folhas de Dados desta especificação. com custo incluso no preço do equipamento. deverão ser galvanizadas a quente por imersão. Tensão suportável de impulso. com posterior aplicação de composto anticorrosivo. • Todas as demais deverão ser feitas por meio de solda forte (solda amarela) ou por compressão. devendo a proposta incluir as características destes isoladores e bases de fixação. Precisão. tap's (se existentes) e às placas terminais deverão ser feitas por meio de conexões aparafusadas ou do tipo grampo.5. O reator deverá ser fornecido com todos os isoladores necessários a sua completa montagem no campo.e) f) g) h) i) Classe de tensão nominal. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 214 . Normas aplicáveis. e submetidas a tratamento equivalente a fosfatização. fator de sobrecorrente e carga nominal. • • O enrolamento deverá ser constituído de condutores de alumínio. Acabamento e pintura • • Ferragens e estruturas de aço. Terminais e Ligações • As ligações às buchas. As superfícies externas dos capacitores deverão ser limpas por jato de areia ou desengraxamento e decapagem. Ensaios Todas unidades capacitivas deverão ser submetidas a ensaios de rotina previstos na NBR5282 executados conforme NBR-5289. Relação de transformação nominal. segundo as normas aplicáveis. base e pintura final na cor cinza claro MUNSELL N6. em presença de inspetor. Reatores Características Construtivas • seco.

para instalação ao tempo. Acabamento e Pintura • Onde aplicável. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 215 . 10kA. • As peças de material ferroso não pintadas deverão receber tratamento e proteção superficial adequados. a chave tetrapolar de aterramento do banco de capacitores e os contatos de portões de acesso ao local de instalação do equipamento. A pintura final de acabamento deverá ser com tinta a base de pó de epóxi. na cor cinza claro MUNSELL N6. Pára-raios Tipo ZnO Polimérico. deverão possuir intertravamento com o disjuntor do cubículo de alimentação. onde aplicáveis. os quais deverão ser detalhadamente descritos na proposta para aprovação. se existentes. as superfícies internas e externas deverão receber tratamento e pintura de acordo com os requisitos da NBR-5119. Todos os equipamentos deverão ser submetidos a ensaios de rotina.• • Não serão aceitas conexões feitas por meio de solda fraca (solda branca). V. Ensaios Os ensaios de recebimento compreendem a execução de todos os ensaios de rotina indicados no item 14 da NBR-5119. resultados obtidos. com presença obrigatória de inspetor da. As ligações do tipo grampo ou aparafusadas deverão possuir dispositivos que não permitam o seu afrouxamento devido a vibrações. INTERTRAVAMENTOS A seccionadora de entrada. sendo os custos inclusos no preço do equipamento. deverão atender às normas da ABNT.5. ENSAIOS • • • Os ensaios. Não serão aceitos Pára-raios de porcelana. IV. resumo dos cálculos efetuados e interpretação dos resultados onde necessário. e demais características conforme Folha de Dados. Deverá ser fornecido relatório contendo a descrição de todos os ensaios realizados.

completos com todas as principais características dos equipamentos indicados. • Lista de plaquetas de identificação. manutenção e posta-em-marcha. • Procedimento para instalação. tipo e principais características dos componentes. planta e vista lateral. • Lista de componentes com itens e indicação de fabricante. DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA REQUERIDA O FORNECEDOR deverá emitir para aprovação: • Desenhos de arranjos com vista frontal. mostrando as entradas e saídas de alimentação. • Relatório de testes certificados dos componentes principais e do conjunto de manobra. • Diagrama: unifilar.VI. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 216 . • Esquema de princípio e operação de intertravamento entre equipamentos. • Bases para chumbação (requisitos para o projeto civil). trifilar e funcional. com indicação das principais dimensões. • Diagrama de bornes de interligação e de saída.

288Hz I............. Margem dobrada Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 217 ...................................................... 0 a +5% − Tolerância por fase do banco: .... 34kV • Projeto: ...................................... 12 − Potência Unitária dos Capacitores: :............................................................ANEXO I FOLHA DE DADOS – FILTRO DE 5ª ORDEM........... 4....................................................................................050 MVAr EFETIVOS I........ Dupla Estrela Isolada Características Nominais: − Potência Trifásica: .................................. 60Hz • Capacitância − Capacitância Total: .................................21μF − Tolerância de cada unidade individual:.................................... 2.............................................................................8 Freqüência de ressonância: ................................................................................................2kV Corrente RMS nominal: ............ 60Hz Ordem harmônica de ressonância: ................ 3.............................2 x 50μs):.................................................................... 13...5W/kVAr • Nível de isolação contra terra − NBI (1.........050MVAr Tensão de trabalho: ..............10kV − Quantidade de Capacitores: ..........................1 Filtro de Correntes Harmônicas • • • • • • Potência efetiva:.......60 MVAr − Tensão de fase:................................................................................. inferior a:............................... 17.......5kV − Tensão de linha: ... +3% • • Temperatura Ambiente:...... 01 sistema Tipo de Ligação:...... 95kV − Freqüência Industrial (1 minuto): .................................................... 2.................................... 0............................................................................................................... 95A Freqüência nominal: ............. 300 kVAr − Freqüência Nominal:........................... +3% − Tolerância de capacitância entre fases: ... 13..........................................2 Especificação do Banco de Capacitores • • • Quantidade: .................................................................................. 10.... ≤ 40oC Perdas a 20ºC..................

..........5................................................................................................. 10 − Tapes: ........... 2..........3 Especificação do Reator para Filtros de Harmônicos • • • • • • Quantidade: ......... com isoladores do tipo pedestal........... Monofásico Meio magnético: ..... 3..................................................... ±3% − Corrente nominal RMS: .... 7.13............• O conjunto deverá ser montado em estrutura elevada..............................................21mH − Reatância nominal (60 Hz) : ........2kV Construção: .......-1.... ar Ventilação: .+1.................................................................................. 164A − Fator de Qualidade: .............60kApico Nota: As correntes de curto circuito são baixas em função da disponibilidade de fornecimento da concessionária........ ar natural Indutância − Valor nominal:.......................................................... • • Temperatura Ambiente: ........................... 03 unidades Tensão nominal do sistema: ....................... isolando o RACK do filtro harmônico da base.36 kV Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 218 ............................ ≤ 40oC Nível de isolação contra terra − NBI:.......-3%) • Corrente de curto-circuito − Térmica (1s): ..........(0..........................95 kV − Freqüência Industrial: ....... 9.............................+3..................................................... I..........................................................................472mΩ − Tolerância por fase: ..................................................................................... A Capacidade térmica mínima de projeto deverá ser de 10 kA com valor dinâmico de 31 kApico................5........................ Núcleo de ar..................................................................... 149A − Corrente máxima de serviço: :.................................................................. prevendo futura alteração no alimentador da concessionária....5kA − Dinâmica (pico assimétrica):...............

.............. 50kA Número de pólos:............................ 60Hz Número de pólos:.. 20kA NBI: ........................... 15kV Tensão suportável de impulso atm................................. 20kA Corrente de crista de curta duração:............... sem carga Tensão nominal: .................................. (1............................... 110kV Tensão suportável à freqüência nominal − Sob chuva (10 segundos):...................................................................... Sem carga Classe de tensão: .................................... Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 219 .....................................................5kA Corrente momentânea: ......2 Chave de Aterramento do Banco de Capacitores • • • • • Instalação:............. 15kV Corrente nominal (mínimo): ..................................... 03 Contatos auxiliares: ..........................................................................................................................ANEXO II FOLHA DE DADOS – DEMAIS COMPONENTES II............................................................... 01 II................... Industrial − Sob chuva (10 segundos):................................................................................................................ Ao tempo Acionamento: ................ 400A Corrente suportável de curta duração (1s):........................................ 12................................................ Ao tempo Acionamento: ...............................................................2 x 50μs): .................. 38kV − A seco (1 minuto):................ 38kV • • Freqüência nominal: ......1 Chave Seccionadora Unipolar • • • • • • • • Instalação:......... 38kV − A seco (1 minuto):. 2NA+2NF(1) Deverá possuir dispositivo para travamento a cadeado (alavanca de operação travada nas posições "aberta" ou "fechada")............... 38kV • • • • • Corrente térmica de curta duração (1s): .............................. 110kV Tensão Suportável a Freq........................................... Não serão aceitos intertravamentos tipo “kirk”...........................................................

..........4 Pára-Raios • • • • • • • Tipo: ZnO Polimérico Instalação: ............ além dos contatos auxiliares normais....................................................2 x 50μs): ........................................ externa Tensão nominal (Ur RMS):..... a seco (encapsulado em epóxi) Tipo de instalação: ..................... 60Hz Classe de isolação: .................Esta chave deverá ser ainda intertravada com a seccionadora tripolar.. 4kA Corrente dinâmica (crista):...............................................................3 Transformador de Corrente de Desbalanço de Neutro do Banco de Capacitores • • • • • • • • • • • • Material isolante: .. 110kV Tensão Suportável a Freq..................................49.............5kA Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 220 ............ 5A Corrente térmica Ith..................................................................5kA Classe de exatidão: ........................................... Nota: (1) Para se evitar uma eventual operação em carga........................ 62... 38kV Freqüência nominal: ........ Estes contatos deverão fechar temporariamente na tentativa de se operar a chave (abrindo-a ou fechando-a) devendo ocorrer o fechamento antes que as lâminas saiam ou penetrem nos contatos fixos das mesmas...... II......................... (80xIn): ..................................... 15kV Corrente prim....... 1..... de descarga (onda 8/20μs):........ 12..... no circuito de força. Industrial (1 minuto): .. ao tempo Fator térmico: ............................. 50A Corrente secundária nominal: ..........................2 NBI (1............9 kV Corrente nom..... de modo a impedir o fechamento de ambas simultaneamente...............................................7kV Máxima tensão residual (kV pico) ..............................54......................................................... 15kV Freqüência nominal: ... Nominal: ..... 10B50 II.... a chave deverá ser fornecida com 02 contatos auxiliares passantes destinados a comandar a abertura do disjuntor de alimentação do sistema de correção de reativos....................................................... 60Hz Máxima tensão contínua de operação (kV RMS): .................

................................... 50/50 Sobrecorrente temporizado e instantâneo de fase: ...............................................................5 Sistema de proteção Deverá ser composto por relés indiretos com as seguintes funções ANSI: • • • • Sobrecorrente temporizado e instantâneo de fase: .................... 27/59 Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 221 ..........5 Disjuntor de Média Tensão (manobra do filtro) • • • • • • • • • Meio extintor:.... 17....................... 50/51GS Desequilíbrio de neutro: .... 28 kA NBI: 95 kV Freqüência nominal: ................... 17............................ Vácuo Corrente nominal: ..... 60Hz II................................................................................................................................................ 61 Sub e sobre-tensão: ......................................... 38kV Tensão de isolamento (pico): .... 630A Tensão nominal: ..............................................................................II.................5kV Tensão de isolamento: ........................5kV Capacidade de Interrupção simétrica: ............................... 25 kA Capacidade de Interrupção assimétrica: ..................

1 – Diagrama unifilar básico do filtro harmônico Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 222 .Figura 9.

2 – Diagrama unifilar básico da instação 223 .Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda Figura 9.

2 kV Scc 3φ = 48.0 e X/R = 3.00 1.70 0.30 Especificação de filtro harmônico tipo “BAND PASS” para indústria de componentes para rolamentos industriais.00 0.45.60 0.00 1.60 0.00 4.68 Scc 1φ = 11.1 correntes harmônicas absorvidas pelo filtro ORDEM HARMÔ NICA (h) 1 2 3 4 5 6 7 18 9 10 11 12 13 14 15 17 19 23 25 29 31 CORRENTE (%) DE I FUNDAMENTA L 100.68 Tabela 9.40 0.00 2.10 4.5 0.30 0.00 0.15 0. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 224 .60 2. Documento de propriedade da Engematec® Capacitores.70 0.Dados da concessionária: • • • Tensão de fornecimento: 13.10 17. não podendo ser alterado sem prévia autorização.01 e X/R = 3.00 4.40 0.00 0.

10. Conclusão

Procurou-se enfatizar neste curso a necessidade não só de medições de grandezas elétricas, mas principalmente dos níveis harmônicos, pois a proliferação de controle em estado sólido vem se tornando constante nas indústrias em geral, e podem gerar sérios riscos e danos aos equipamentos elétricos e principalmente pessoas. O fenômeno de ressonância nada mais é do que um casamento de impedâncias, e quando isto ocorre, há a máxima transferência de energia entre a fonte e os componentes do sistema elétrico; geralmente há a queima dos equipamentos elétricos e em alguns casos a “explosão” do banco de capacitores. O trabalho do técnico é o de avaliar com cuidado a aplicação de capacitores em sistemas de potência visando efetuar uma correção do fator de potência de forma segura e eficaz. Os investimentos em equipamentos para a correção do fator de potência não são pequenos, e portanto deve-se ter especial atenção no projeto atentando principalmente nas normas técnicas aplicáveis

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

225

Referências Bibliográficas [1] [2] [3] [4] Eletrônica de Potência; Rashid, Muhammad H. – Makron Books Capacitor for Industry; Bloomquist, W. R. – John Wiley & Sons Máquinas Elétricas; Fitzgerald, A. E. – McGraw Hill Aneel Resolução N.º 456, de 29 de Novembro de 2000 - Agência Nacional de Energia Elétrica Matlab 6; The MathWorks, Inc. IEEE Std 1036-1992, IEEE Guide for Application of Shunt Power Capacitors IEC 831-1, Shunt power capacitores of the self-healing type for a.c. systems having a rated voltage up to and including 1000V. IEEE Std 18, IEEE Standard for Shunt Power Capacitors NBR 5060, Guia para Instalação e Aplicação de Capacitores de Potência PSCAD/EMTDC Version 3.0.8, Manitoba HVDC Research Centre Inc. Resolução Nº 505, de 26 de novembro de 2001, do Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica – DNAEE; ANEEL - níveis de conformidade tensão de energia elétrica em regime permanente. Electrical Power Systems Quality; Dugan, R. C. ; McGranaghan, M. F.; Beaty, H. W. ANSI/IEEE Std 446-1987, IEEE Recommended Practice for Emergency and Standby Power Systems for Industrial and Commercial Applications NBR 5410, Instalações Elétricas de Baixa Tensão IEEE C.37.99.1999, IEEE Guide for the Protection of Shunt Capacitor Banks Capacitores de Potência, ITEL – São Paulo NBR 5282 Capacitores de Potência em Derivação , Especificação (complementar). IEEE Std 519-1992 Recommended Practices and Requeriments for Harmonic Control in Electrical Power Systems NEMA - National Electrical Manufacturers Association Electrical - Power Systems Quality - Application Guide For AC Adjustable Speed Drive Systems IEEE C57.12.00-1987, IEEE Standard General Requeriments for Liquid-Immersed Distribution, Power, and Regulating Transformers (ANSI)

[5] [6] [7]

[8] [9] [10] [11]

[12] [13]

[14] [15] [16] [17] [18]

[19]

[20]

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

226

[21]

NEMA - National Electrical Manufacturers Association - MG1-1998 Motors and Generators NBR 14.664 Grupos geradores - Requisitos gerais para telecomunicações Portaria nº 140 de 23/03/2002, da Aneel, autorizando a utilização dos procedimentos da rede básica em caráter provisório. “Critérios e Procedimentos para o Atendimento a Consumidores com Cargas Especiais- Revisão 1” ; Nov/97; GGOI/SCEL e GCPS/CTST. “Termo de Referência – Grupo de Trabalho Especial de Qualidade de Energia Elétrica”; GAT-Junho/1999. IEC 1000-2-2 ELECTROMAGNETIC COMPATIBILITY (EMC) Section 2: Compatibility levels for low-frequency conducted disturbances and signalling in public low voltage power supply systems. Power System Harmonic Anaysis; Arrillaga, Jos; Smith, Bruce C; Watson, Neville R; Wood, Alan R IEEE Std 141-1986, IEEE Reccommended Practice for Electric Distribution for Industrial Plants IEEE Std C37.09-1999, IEEE Standard Test and Procedure for AC High-Voltage Circuit Breakers Rated on Symmetrical Current Bases ANSI C37.06-1997, Ac High- Voltage Circuit Breakers on a Symmetrical Current Basis - Preferred Ratings and Related Required Capabilities IEC 261-1 , Low-Voltage Fuses, International Electrotenicnichal Comission Microsim Schematics, Version 6.0, Microsim Corporation Power Syetem Harmonic; Arrillaga, J, Bradley, D. A.; Bodger. P. S. ANSI C57.12.10-1988 American National Standard for Transformers - 230kV and blow 833/958 through 8333/10 417 KVA, Single-Phase, and 750/862 through 60 000/80 000/100 000 KVA, Three-Phase without Load Tap Changing ; and 3750/4687 through 60 000/80 000/100 000 KVA with Load Tap Changing - Safety Requirements Industrial Power System Handbook; Beeman, Donald IEEE Std 518-1982, IEEE Guide for the instalation of Electrical Equipment to Minimize Electrical Noise to Controllers from External Sources IEC 60947 Low-voltage switchgear and controlgear Harmônicos em Sistemas Industriais; Dias, Guilherme Alfredo Dentzien – 2ª Edição

[22] [23]

[24]

[25]

[26]

[27]

[28]

[29]

[30]

[31] [32] [33] [34]

[35] [36]

[37] [38]

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

227

[39]

Harmônicos em Sistemas de Energia Elétrica, Apostila de Mestrado - Universidade Estadual de Campinas, Unicamp IEEE Std 1159-1995; IEEE Recommended Practice for Monitoring Electric Power Quality http://www.wikipedia.org/wiki/Fourier Standard Handbook for Electrical Engineers; Knowlton, A. E. Instalações Elétricas; Creder, Hélio , 13ª edição Qualidade da Energia Elétrica em Instalações Industriais; da Silva, Dr. José Ernani. Transitórios Eletromagnéticos em Sistemas de Potência – Júnior, Luiz Cera Zanetta – EDUSP ANSI/IEEE C.37.012-1979 – IEEE Application Guide for Capacitance Current Swtching for AC High-Voltage Circuit Breakers Rated on a Symmetrical Current Basis Correntes de curto-circuito em redes trifásicas – Roeper, Richard - Siemens IEEE STD C57.110-1998 - IEEE Recommended Practice for Establishing Transformer Capability When Supplying Nonlinear Load Currents Resolução 676/2003 ANEEL Method of Symmetrical Co-Ordinates Applied to the Solution of Poliphase Networks; Fortescue, C. L. ; AIEE 28/06/1918 pp1027 – 1141 Introdução a Sistemas Elétricos de Potência, Componentes Simétricas; Oliveira, Schmidt, Kagan, Robba Symmetrical Components for Power Systems Engineering; Blackburn, J. Lewis Direct Current Transmission Volume I; Kimbark, Edward Wilson Power Transmission by Direct Current; Uhmann, Erich – Springer-Verlarg Berlin Heidelberg New York 1975 LSD 8-1999 A NEMA Lighting Systems Division Document – Power Quality Implications of Compact Fluorescent Lamps in Residences; Lamp Section NEMA Stanley, C.H., Price, J.J. and Brewer, G.L. (1971) Design and performance of a.c. filters for 12-pulse HVdc schemes, IEE Conf. Publ., 154, 158-61 Ainsworth, J. D. (9165) Filters, damping circuits and reactive voltamperes in HVdc convertors, in High Voltage Direct Current Convertors and Systems (B. J. Cory. ed.) Macdonald, London, pp. 137-74 228

[40]

[41] [42] [43] [44] [45]

[46]

[47] [48]

[49] [50]

[51]

[52] [53] [54]

[55]

[56]

[57]

Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda

Correção do Fator de Potência e a Eficiência Energética – Escola Senai Roberto Mange desde 2004. 2020 . Case RAC (Jornal Correio Popular) – Hotel Vila Rica Campinas . Grupo Polimix. filtros harmônicos e qualidade da energia elétrica. Casa da Moeda do Brasil.Hotel Sol Inn Barão Geraldo em 17/03/2005 (principais participantes – Itautec. Alcan Alumínio. Yakult.Workshop: Harmônicos nos Sistemas Elétricos e a Correção do Fator de Potência. etc) . Pedro de Toledo. principalmente em regime de “turn-key”. participou e efetuou grandes projetos de bancos de capacitores e filtros harmônicos. Fiocruz. Target/ABNT desde 2004. entre grandes indústrias e corporações. fone (19) 32429176. Shopping Iguatemi. Schneider) . com ênfase em projetos e aplicação de capacitores em sistemas de potência.AUTOR: Engenheiro Eletrônico formado pela Universidade Paulista . WWW. Monsanto do Brasil. . Petrobrás.Professor de Cursos da Norma Regulamentadora NR 10. 15/07/2004 Hotel Guanabara Palace Rio de Janeiro (principais participantes – Light.SmartTech. destacando-se: Akzo Nobel. Diversas Palestras. Atualmente Engenheiro responsável pelo departamento de Engenharia da Engematec® Capacitores.SP. RAC . 28/11/2007(principais participantes . Responsável pelo departamento de Engenharia da Engematec® Equipamentos.Qualidade da Energia Elétrica “Conseqüências e Soluções”.“Cases” .Curso: Correção do Fator de Potência e Aplicação de Capacitores na Presença de Harmônicos. Fernandes Papéis.Qualidade da Energia elétrica . etc). Blue Tree Tower SP. Saint Gobain.Jornal Correio Popular S/A. Paulo Henrique. 10/2006."Cases e Soluções". Unilever (Cica S/A).br . Av Gov. Laboratórios Glaxo.Seminário SmartTech 10 anos (software PTW 32 da SKM – USA).Cursando as matérias do MSc.com. em Sistemas Elétricos de Potência – Unicamp. . .COM. Continental S/A. Usina São João. destacando: . Bonfim Campinas – SP.BR.ENGEMATEC. Curso Compensação de Reativos e Filtragem de Harmônicos em Sistemas Elétricos de Potência Copyright © Target Engenharia e Consultoria Ltda 229 . suporte@engematec. . Membro da Comissão Técnica do VI Seminário Brasileiro sobre Qualidade da Energia Elétrica – SBQEE (Belém – PA. Engepower. Membro de grupos de Estudos da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) – CB3: Comissão Brasileira de Eletricidade. Tavares. Aventis Farmacêutica. Vale do Rio Doce. Nestlé. 21 a 24 de Agosto de 2004). Harmônicos em sistemas industriais . Ministra cursos desde 1992 sobre a aplicação de capacitores nas indústrias e sistemas de potência. atuante desde 1987 na análise de sistemas elétricos. Petrobrás. Cargill Agrícola. .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful