You are on page 1of 10

PRINCIPIOS E OBJETIVOS DA MAÇONARIA

A Maçonaria, mais especificamente no nosso caso de Loja jurisdicionada


ao Grande Oriente do Paraná, deve obedecer aos seguintes princípios
básicos, conforme consta no site do GOP:

• A Maçonaria é uma Instituição iniciática essencialmente filosófica,


filantrópica, educativa, progressista e de estudos e pesquisas,
proclamando a prevalência do espírito sobre a matéria e pugnando
pelo aperfeiçoamento social, intelectual e moral da humanidade, por
meio do cumprimento inflexível do dever, da prática desinteressada
da beneficência e da investigação constante da verdade. Seus fins
supremos são: LIBERDADE, IGUALDADE e FRATERNIDADE.

• Condena a exploração do homem, bem como os privilégios e as


regalias, mas enaltece o mérito da inteligência e da virtude e o valor
demonstrado na prestação de serviços à Ordem Maçônica, à Pátria e
à Humanidade. Afirma que o sectarismo político, religioso ou racial
é incompatível com a universalidade do espírito maçônico. Combate
a ignorância, a superstição e a tirania.

• Proclama que os homens são livres e iguais em direitos; que a


tolerância constitui o princípio básico nas relações humanas,
respeitando as convicções e dignidade de cada um.

• Defende e assegura a plena liberdade de expressão de pensamento


como direito fundamental do ser humano, exigida a correlata
responsabilidade.

• Reconhece o trabalho como um dever social, julga-o nobre e


dignificante, sob quaisquer de suas formas; manual, técnico ou
intelectual.

• Considera Irmãos todos os maçons, independentemente de suas


raças, nacionalidades ou crenças.

• Exige dos maçons os seguintes deveres essenciais: amor à família,


fidelidade e devotamento à Pátria, obediência à Lei e perfeito
comportamento moral na sociedade.

• Determina que os maçons estendam e liberalizem os laços fraternais


que os unem a todos os homens do universo.
• Recomenda a propaganda de sua doutrina pelo exemplo, e sua
divulgação por todos os meios de comunicação do pensamento, mas
proscreve, terminantemente, o recurso à força e violência.

Fonte: Constituição do Grande Oriente do Paraná

Podemos complementar que:

Por que é filosófica?


É filosófica porque em seus atos e cerimônias ela trata da essência,
propriedades e efeitos das causas naturais. Investiga as leias da Natureza
e relaciona as primeiras bases da moral e da ética pura.

Por que é filantrópica?


É filantrópica porque não está constituída para obter lucro de nenhuma
classe, pelo contrário, suas arrecadações e seus recursos se destinam ao
bem estar do gênero humano, sem distinção de nacionalidade, sexo,
religião ou raça. Procura conseguir a felicidade dos homens por meio da
elevação espiritual e pela tranqüilidade da consciência.

Por que é progressista?


É progressista porque, partindo do princípio da imortalidade do espírito
e da crença em um princípio criador regular e infinito, não se aferra a
dogmas, prevenções ou superstições e não opõe nenhum obstáculo ao
esforço dos seres humanos na busca da verdade, nem reconhece outro
limite nessa busca senão a da razão com base na ciência.

Quais são seus princípios?


A liberdade dos indivíduos e dos grupos humanos, sejam eles
instituições, raças ou nações; a igualdade de direitos e obrigações dos
seres e grupos sem distinguir a religião, raça ou nacionalidade; a
fraternidade de todos os homens, já que somos todos filhos do mesmo
Criador e, portanto, irmãos.

Qual é o seu lema?


Ciência, Justiça e Trabalho. Ciência para esclarecer os espíritos e elevá-
los; Justiça, para equilibrar e enaltecer as relações humanas; e Trabalho
por meio do qual os homens se dignificam e se tornam independentes.
Qual é seu objetivo?
Seu objetivo é a investigação da verdade, o exame da moral e a prática
das virtudes.

O que entende a Maçonaria por Moral?


A moral é, para a Maçonaria, uma ciência baseada no entendimento
humano. É a lei natural e universal que rege todos os seres racionais e
livres. É a demonstração científica da consciência. E essa maravilhosa
ciência nos ensina nossos deveres e a razão do uso dos nossos direitos.
Ao penetrar a moral no mais profundo da nossa alma sentimos o triunfo
da Verdade e da Justiça.

O que entende a Maçonaria por Virtude?


A Maçonaria entende que a Virtude é a força que nos impele a fazer o
bem em seu mais amplo sentido; é a força que nos impele ao
cumprimento de nossos deveres para com a sociedade e para com a
nossa família sem interesse pessoal.

O que entende a Maçonaria por Dever?


A Maçonaria resume o Dever do homem assim: "Respeito a Deus, amor
ao próximo e dedicação à família". Em verdade, essa é a maior síntese
da fraternidade universal.

A Maçonaria é religiosa?
Sim, é religiosa porque reconhece a existência de um único princípio
criador, regulador, absoluto, supremo e infinito ao qual dá o nome de
Grande Arquiteto do Universo; é religiosa porque é uma entidade
espiritualista em contraposição ao predomínio do materialismo. Estes
fatores, indispensáveis para a interpretação lógica do Universo, formam
a base de sustentação e são as grandes diretrizes de toda a ideologia e
atividade maçônica.

A Maçonaria é uma religião?


Não. A Maçonaria não é uma religião. É uma sociedade que tem por
objetivo unir os homens, no sentido mais amplo e elevado do termo e,
nesse seu esforço de união dos homens, admite em seu seio pessoas de
todos os credos religiosos sem nenhuma distinção.

Para ser Maçom é necessário renunciar a religião a qual se segue?


Não, porque a Maçonaria abriga em seu seio homens de qualquer
religião, desde que acreditem em um só Criador. A afirmação de que era
necessário renunciar a religião para ser recebido Maçom foi feita e
acreditada como verdade, pela perseguição da Inquisição, na Idade
Média, com alguns resquícios até os dias atuais, principalmente entre os
membros da comunidade.

A Maçonaria é tolerante?
A Maçonaria é eminentemente tolerante e exige dos seus membros a
mais ampla tolerância. Respeita as opiniões políticas e crenças
religiosas de todos os homens, reconhecendo que todas as religiões e
ideais políticos são igualmente respeitáveis, rechaçando toda pretensão
de outorgar situações de privilégio a qualquer uma delas em particular.

O que a Maçonaria combate?


A ignorância, a superstição, o fanatismo, o orgulho, a intemperança, o
vício, a discórdia, a dominação e os privilégios.

A Maçonaria é uma sociedade secreta?


Não. Pela simples razão de que sua existência é amplamente conhecida.
As autoridades de vários países lhe concedem personalidade jurídica.
Seus fins são amplamente difundidos em dicionários, enciclopédias,
livros de história etc.

Quais são as condições indispensáveis para poder pertencer à


Maçonaria?
Crer na existência de um princípio Criador; ser homem livre e de bons
costumes; ser consciente de seus deveres para com a Pátria, seus
semelhantes e consigo mesmo; ter uma profissão ou ofício lícito e
honrado que permita prover as suas necessidades pessoais, de sua
família e a sustentação das obras da instituição; ser convidado por um
Maçom e aprovado pelos demais.

O que se exige dos Maçons?


Em princípio, tudo aquilo que se exige para o ingresso em qualquer
outra instituição: respeito aos seus estatutos e regulamentos, além de
acatamento às resoluções da maioria, tomadas de acordo com os seus
princípios que as regem os quais, no caso da Maçonaria, são: "amor à
Pátria, respeito aos governos legalmente constituídos e às leis do país".
Em particular, se exige: a guarda do sigilo dos rituais maçônicos;
conduta correta e digna dentro e fora da Maçonaria; dedicação de parte
do seu tempo para assistir às reuniões maçônicas; prática da moral, da
igualdade e da solidariedade humana e da justiça em toda sua plenitude.
Além disso, proíbe terminantemente dentro da instituição, ou em seu
nome, as discussões político partidárias ou religiosas sectárias, porque
prefere uma ampla base de entendimento evitando que sejam divididos
por pequenas questões da vida civil.

O que é um Templo Maçônico?


É um lugar onde se reúnem os Maçons periodicamente para praticar as
cerimônias ritualísticas que lhe são permitidas, em um ambiente
fraternal e propício pra concentrar suas atenções e esforços para
melhorar seus caráter e espírito, desenvolvendo seu sentimento de
responsabilidade, fazendo-lhes meditar tranqüilamente sobre a missão
dos homens na vida e recordando-lhes constantemente os valores
eternos cujo cultivo lhes possibilitará acerar-se da Verdade.

O que se obtém sendo Maçom?

A possibilidade de se aperfeiçoar, de se instruir, de se disciplinar, de


conviver com pessoas que por suas palavras e obras podem se constituir
de exemplos, de encontrar afetos fraternais em qualquer lugar do
mundo, de ter a enorme satisfação de haver contribuído, mesmo em
pequena parcela, para a obra moral e grandiosa do desenvolvimento
humano.

A Maçonaria não considera possível o progresso senão com base do


respeito à personalidade, à justiça social e a mais estreita solidariedade
entre os homens. Ostenta o seu lema "Liberdade, Igualdade e Fraternidade"
com a abstenção das bandeiras políticas e religiosas. O segredo maçônico,
que de má fé e caluniosamente tem se servido os seus inimigos para fazê-la
suspeita entre os espíritos cândidos ou em decadência não é um dogma
senão um procedimento, uma garantia, uma defesa necessária e legítima,
como inevitavelmente tem sucedido com todo direito e seu dever
correlativo, o preceito das reservas maçônicas já tem experimentado sua
evolução nos tempo e segundo os países. A Maçonaria não tem preconceito
de poderes e nem admite em seu seio pessoa que não tenha um mínimo de
cultura que lhes permitam praticar os seus sentimentos e tenham uma
profissão ou renda com que possam atender às necessidades dos seus
familiares, fazer face às despesas da sociedade e socorros aos necessitados.
Tudo o exposto acima é encontrado em livros, Constituições,
Regulamentos, etc..., com relação aos Princípios e objetivos da Maçonaria,
mas vamos tentar ver como funciona na realidade e no dia a dia. A
Maçonaria na sua origem era a Operativa, hoje é a conhecida como
especulativa, conforme vemos nas mais diversas instruções que são dadas
em loja.

Porém entendo que hoje deveria ser chamada de Contemplativa, pois


somente contempla os grandes feitos do passado, com frases do tipo “como
fomos importantes no passado, participamos da Independência, da
Libertação dos Escravos, etc”, mas tenho comigo o seguinte: “quem vive
de passado é museu”.

Estas afirmações do tipo “a Maçonaria fez isto ou aquilo é totalmente


equivocada”, pois quem na verdade fez algo, foram os Maçons, que
movidos pelos princípios de Liberdade, Igualdade e Fraternidade,
envidaram todos os seus esforços para as transformações sociais e políticas
para a concretização do ideal maçônico.

Será que os tempos mudaram tanto que não temos mais pelo que lutar? Não
existe mais a escravidão, não mais uma força dominante sobre o nosso
país? Claro que os nome mudaram e os tipos de problemas também, porém
hoje temos problemas na área da educação, saúde, meio ambiente, drogas,
etc...

Sempre ouvimos que os Maçons são pessoas formadoras de opinões,


lideres, etc, porém ocorre que está acontecendo uma grande falta de fé
nestes formadores de opinião. Não uma fé em uma divindade, mas fé em si
mesmo e nos seus irmãos. Onde está a nossa capacidade de criar idéias na
sociedade, onde está o nosso poder de influenciar os mais variados
seguimentos sociais? Será que está parada na nossa própria falta de
acreditar que podemos fazer? De acreditar em nosso potencial? Quando
alguém não acredita em si próprio, nunca vencerá, pois quem entra em uma
batalha achando que irá perder, nunca vencerá.

Mas temos um problema ainda maior, que está levando a uma morte lenta e
agonizante da Maçonaria, talvez não como instituição, mas dos seus ideais.
Hoje falta uma bandeira, um objetivo real a ser alcançado, faltam razões e
motivos que justifiquem as suas reuniões e a sua existência. Estas bandeiras
sempre estiveram presentes durante a história do mundo e da instituição.
Podemos citar a Revolução Francesa, a Proclamação da Independência, a
Libertação dos Escravos, entre outros objetivos que os maçons estiveram
diretamente ligados ä sua realização.

Como dito anteriormente, será que hoje não temos mais bandeiras a serem
levantadas para serem seguidas como objetivo concreto? Ou será que os
maçons de hoje não tem mais a mesma capacidade e coragem dos de
outrora?

Hoje vivemos em uma sociedade onde ser honesto é errado, ou ao menos


normal. Onde a corrupção vive de forma escancarada e ninguém faz nada.
O tráfico de drogas é feito bem debaixo de nosso nariz e não podemos nem
ao menos confiar nas pessoas que deveriam nos proteger. Hoje já podemos
até usar uma frase do célebre Ruy Barbosa, “ter vergonha em ser honesto”,
pois está ficando cada vez mais natural as pessoas não terem vergonha de
não manter a palavra, de não honrar com seus compromissos.

É claro que em uma loja haverá sempre uma diversidade de opiniões e


pontos de vista, que conforme as normas da instituição devem ser
livremente expostas pelos integrantes da ordem, desde que de forma
civilizada e organizada.

Esta é a razão pela qual as reuniões são realizadas dentro de um templo


fechado, com a presença somente dos irmãos, para que estes possam expor
as suas idéias de forma sigilosa e com o respeito dos demais integrantes.
Cada qual pode e deve expor o que pensa, e deve da mesma forma aceitar o
ponto de vista dos demais. Sabemos que isto não é nada fácil, mas trata-se
de um dos princípios basilares da ordem.

O que vemos, ou melhor, não vemos, são irmãos que passam as vezes um
ou mais anos sem nem ao menos abrir a boca nas reuniões. Quando saem
da mesma é um tal de ö que fulano falou está errado” ou “assim seria
melhor”, fica aquele ti-ti-ti todo, mas na hora que deveria colocar seu ponto
de vista ficou quieto.

Acredito que os irmãos de todas as lojas deveriam tomar as seguintes


providências:

1 – criar uma bandeira, um objetivo a seguir. Não um objetivo genérico, tal


como “o bem da humanidade ou do homem”.
2 – buscar junto à sociedade quais são os maiores problemas a que a
mesma está enfrentando e tentar achar soluções para isso.

3 – colocar seus pontos de vista, mesmo que isso vá de encontro a


interesses ou opiniões de outros irmãos. Da mesma forma, aceitar o ponto
de vista dos outros.

4 – seguir os exemplos das outras lojas e potencias, nacionais e do exterior,


para a criação de instituições, fundações de formas de se resolver os
problemas, ou seja, não achar que somos auto suficientes.

Na seqüência temos um texto que reflete as formas e tipos de maçons e de


pessoas por todo o mundo.

A Alegria do trabalho

Um grande pesquisador da alma humana, interessado em estudar os


sentimentos alimentados no íntimo de cada ser, resolveu iniciar sua busca
junto àqueles que estavam em pleno exercício de suas profissões.

Dirigiu-se, então, a um edifício em construção e ali permaneceu por


algum tempo a observar cada um daqueles que, de uma forma ou de outra,
faziam com que um amontoado de materiais fossem tomando forma de um
arranha-céu.

Depois de observar cuidadosamente, aproximou-se de um dos


pedreiros que empurrava um carrinho de mão, cheio de pedras e lhe
perguntou:

Poderia me dizer o que está fazendo?

O pedreiro, com acentuada irritação, devolveu-lhe outra pergunta:

O senhor não está vendo que estou carregando pedras?

O pesquisador andou mais alguns metros e inquiriu a outro trabalhador


que, como o anterior, também empurrava um carrinho repleto de pedras:

Posso saber o que você está fazendo?

O interpelado respondeu com presteza:

Estou trabalhando, afinal, preciso prover meu próprio sustento e da


minha família.
Mais alguns passos e o estudioso acercou-se de outro trabalhador e lhe
fez a mesma pergunta.

O funcionário soltou cuidadosamente o carrinho de pedras no chão,


levantou os olhos para contemplar o edifício que já contava com vários
pisos e, com brilho no olhar, que refletia seu entusiasmo, falou:

Ah, meu amigo! eu estou ajudando a construir este majestoso edifício!

* * *

Neste relato singelo, encontramos motivos de profundas reflexões


acerca do trabalho.

Em primeiro lugar, devemos entender que o trabalho não é castigo: é


bênção. Deve, por isso mesmo, ser executado com prazer.

E o meio de conseguirmos isso consiste em reduzir o quanto possível


o cunho egoístico de que o mesmo se reveste em nosso meio.

O trabalho é lei da natureza, mediante a qual o homem forja o próprio


progresso, desenvolvendo as possibilidades do meio ambiente em que se
situa, ampliando os recursos de preservação da vida.

Desde as imperiosas necessidades de comer e beber, defender-se das


intempéries até os processos de garantia e preservação da espécie, o
homem se vê compelido à obediência à Lei do trabalho.

O trabalho, no entanto, não se restringe apenas ao esforço de ordem


material, física mas, também, intelectual, pelo labor desenvolvido,
objetivando as manifestações da cultura, do conhecimento, da arte, da
ciência.

Dessa forma, meditemos no valor do trabalho, ainda que tenhamos que


enfrentar tantas vezes um superior mal humorado, um subalterno relapso,
porque as Leis Divinas nos situam exatamente onde necessitamos. No lugar
certo, com as pessoas certas, no momento exato.

Convém que observemos a natureza e busquemos imitá-la, florescendo


e produzindo frutos onde Deus nos plantou.

E, se alguém nos perguntar o que estamos fazendo, pensemos bem


antes de responder, pois da nossa resposta depende a avaliação que as leis
maiores farão de nós.
Será que estamos trabalhando com o objetivo de enriquecer somente
os bolsos, ou pensamos em enriquecer também o cérebro e o coração?

Redação do Momento Espírita.


Em 29.01.2010.

BIBLIOGRAFIA:

• Constituição do Grande Oriente do Paraná;

• Portal da Maçonaria Brasileira – WWW.maconariabrasileira.com.br

• Site da Loja Maçônica Claudio das Neves, filiada ao Grande Oriente


do Mato Grosso do Sul

• Site da Loja Maçônica Acácia Sertaneja, Oriente de Feira de Santana


– Ba.

• Site da Loja Maçônica Sophia, n 60, filiada a Grande Loja do Rio


Grande do Sul.

• Site das Grandes Lojas Unidas da Inglaterra

• Site Momento Espírita – WWW.momento.com.br