Colegi o d e La mas

Autismo

Colegio de Lamas Índice Introdução ««««««««««««««««««««««««3 Definição do Autismo «««««««««««««««««.4 As causas do autismo «««««««««««««««««.7 A educação especial para o autista «««««««««8 Tratamentos do autismo «««««««««««««««9 Conclusão ««««««««««««««««««««««««10 Página 2 de 7 ..5 As doenças relacionadas ao autismo ««««««««.6 Os sinais e sintomas do autismo ««««««««««.

outros presos a Página 3 de 7 . outras apresentam sérios retardos no desenvolvimento da linguagem.Col od m Introdução No âmbito da di i li a de Saúde i antil i emos abordar o autismo pois é um tema que esta cada vez mais presente nas nossas vidas e que poucas pessoas o conhecem. Esperemos alcançar todos os objetivos sobre o tema. Alguns parecem fechados e distantes. de socialização (estabelecer relacionamentos) e de comportamento (responder apropriadamente ao ambiente. apesar de autistas. Algumas crianças. segundo as normas que regulam essas respostas). Iremos dar uma pequena defini o e falar das características entre outras coisas. D f nição do Autismo O autismo é uma disfunção global do desenvolvimento. É uma alteração que afeta a capacidade de comunicação do indivíduo. apresentam inteligência e fala intactas.

fazendo -nos reconsiderar a ideia inicial de ligarmos o quadro de autismo a alterações nas primeiras relações mãe -filho.Col io d m s comportamentos restritos e rígidos padrões de comportamento. indicando uma gama de possibilidades dos sintomas do autismo. durante ou após o parto. As do nças relacionadas Página 4 de 7 . As usas do autismo As causas do autismo são desconhecidas mas diversas doenças neurológicas e/ou genéticas foram descritas com sintomas do autismo. podem estar associados diretamente ao autismo. Os diversos modos de manifestação do autismo também são designados de espectro autista. Problemas cromossômicos. genéticos. Portanto. Atualmente já há possibilidade de detetar a síndrome antes dos dois anos de idade em muitos casos. Entre 75 a 80% das crianças autistas apresentam algum grau de retardo mental. a evidência de que o autismo tem suas causas em fatores biológicos é indiscutível. metabólicos e mesmo doenças transmitidas/adquiridas durante a gestação. que pode estar relacionado aos mais diversos fatores biológicos.

Infeções p s-natais . repetição involuntária de palavras ou frases que ouviu (ecocalia). citomegaloviroses. bem como alterações estruturais expressas por deleções. Doenças gênicas . Síndromes de Cornélia De Lange. Willians. Moebius.Síndrome de West. da linguagem e social. sífilis congênita.Síndrome de Down ou Síndrome do X frágil (a mais importante das doenças genéticas associadas ao autismo). Déficits sensoriais .rubéola congênita.herpes simplex. Hip xia neo-natal (deficiência de oxigênio no cérebro durante o parto). neurofibromatose. De relacionamento social. da ausência do sorriso social. Alterações cromossômicas . y De fala e de linguagem que variam do mutismo total: à inversão pronominal (utilização do você para referir-se a si pr prio). como por exemplo dificuldades para entender o que ouve. Doenças degenerativas . expresso principalmente através do olhar.Colegio de Lamas ao a tismo Podemos listar uma série grande de doenças das mais diferentes ordens envolvidas nos quadros autísticos: y y y y y y y y y Infeções pré-natais . esclerose tuberosa. Espasmos infantis . translocações. e Página 5 de 7 . cromossomas em anel e outras. Os sinais e sintomas do a tismo A criança autista prefere o isolamento. toxoplasmose. De desenvolvimento.fenilcetonúria. principalmente nas esferas motoras. Intoxicações diversas.Doença de Tay-Sachs. O autismo é caracterizado por diversos distúrbios: y y y De perceção. Mucopolissacaridoses.dificuldade visual (degeneração de retina) ou diminuição da audição (hipoacusia) intensa. do movimento antecipat rio e do contato físico. Zunich.

é estabelecido um plano terapêutico individual. objetivos a serem alcançados devem ser únicos e a estratégias adotadas devem ser uniformes. desenvolvido pela Universidade da Carolina do Norte e que tem como postulados básicos de sua filosofia: y a) Propiciar o desenvolvimento adequado e compatível com as potencialidades e a faixa etária do paciente. neste momento. c) Independência (desenvolvimento de capacidades que permitam maior autonomia possível).Colegio de Lamas y Movimento caracterizado por maneirismos e movimentos estereotipados A ed ca o especial para o a tista Dentre os modelos educacionais para o autista. ou seja. Página 6 de 7 . y y b) Funcionalidade (aquisição de habilidades que tenham função prática). y d) Integração de prioridades entre família e programa. O aprendizado parte de objetos concretos e passa gradativamente para modelos representacionais e simb licos. de acordo com as possibilidades do paciente. Dentro desse modelo. o mais importante. é o método TEACCH. Tratamentos do a tismo Poucos são os tratamentos atualmente existentes uma vez que os resultados são muito pequenos e morosos. onde é definida uma programação diária para a criança autista.

Colegio de amas Os tratamentos passam por uma estimulação constante e por um apoio constante como forma de estimular e fazer com que a criança interaja com o ambiente. a terapia da fala. com as pessoas e com outras crianças. a natação. Página 7 de 7 . o contacto com animais.convertido pelo Lince. r Infelizmente estas abordagens não resolvem as causas por detrás do autismo. Conclusão Para concluir penso que conseguimos responder a todos os objetivos pedidos e que conseguimos retirar alguma informação útil para usar mais tarde no futuro. Frequentemente usa-se a hipnoterapia. a musicoterapia. Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico . o apoio em casa e com especialistas e muitas out as abordagens.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful