You are on page 1of 164

GLOSSÁRIO DA QUALIDADE

Marily Tavares Sales

GLOSSÁRIO DA QUALIDADE
1ª Edição
2000

NETRA
SÃO PAULO
NETRA (NÚCLEO DE ESTUDOS DE TRADUÇÃO) 2000
CENTRO UNIVERSITÁRIO IBERO-AMERICANO
Av. Brigadeiro Luís Antônio, 871 - CEP 01317-001
Tel.: 3188-6700
CENTRO UNIVERSITÁRIO IBERO-AMERICANO
CURSO: LETRAS E TRADUTORES E INTÉRPRETES
3º ANO / PERÍODO: MANHÃ
PROFESSOR RESPONSÁVEL: ADAURI BREZOLIN
COORDENADORA DO NETRA: VALDEREZ CARNEIRO DA SILVA
GLOSSÁRIO EXTRAÍDO DO LIVRO ISO 9000 HANDBOOK FOR SMALL BUSINESS
DA STANDARDS AUSTRALIA/STANDARDS NEW ZEALAND

MARILY TAVARES SALES


AGRADECIMENTO

Ao Francesco De Cicco, pelo auxílio e apoio.


IX

ÍNDICE
Apresentação .......................................................................................................................... XI
Prefácio ......................................................................................... ...................................... XIII
Sumário Inglês-Português ..................................................................................................... XV
Sumário Português-Inglês .............................................................................................. XXXIX
A ................................................................................................................................................ 1
B ................................................................................................................................................ 8
C .............................................................................................................................................. 10
D .............................................................................................................................................. 21
E .............................................................................................................................................. 28
F .............................................................................................................................................. 32
G .............................................................................................................................................. 37
H .............................................................................................................................................. 39
I ............................................................................................................................................... 42
J ............................................................................................................................................... 46
K .............................................................................................................................................. 47
L .............................................................................................................................................. 49
M ............................................................................................................................................ 52
N ............................................................................................................................................. 58
O ............................................................................................................................................. 61
P .............................................................................................................................................. 64
Q ............................................................................................................................................. 73
R ............................................................................................................................................. 81
S ............................................................................................................................................. 88
T ............................................................................................................................................. 97
U ........................................................................................................................................... 101
V ........................................................................................................................................... 103
W .......................................................................................................................................... 106
X ........................................................................................................................................... 108
Y ........................................................................................................................................... 109
Z ............................................................................................................................................ 110
Bibliografia ........................................................................................................................... 112
Dados do informante ............................................................................................................. 113
X
XI

APRESENTAÇÃO

Cada vez mais, as empresas têm buscado se aperfeiçoar de todas as formas possíveis, a
fim de sobreviverem nesse mercado competitivo em que estão inseridas. Todas elas sabem
que, para alcançar o sucesso, não basta fornecer produtos ou serviços razoáveis. Para ter
clientes satisfeitos, é imprescindível que a empresa forneça produtos e serviços de qualidade.
Foi para ajudar as organizações nessa busca que se criaram normas como a ISO 9000,
na qual se baseiam os chamados sistemas de gestão da qualidade, voltados para a criação de
processos e produtos de qualidade que possam resultar em clientes satisfeitos.
Além dessas normas, as empresas têm à sua disposição métodos, como, por exemplo,
o Seis Sigma, que também auxiliam nesse sentido.
A grande parte desses materiais, porém, são escritos originalmente na língua inglesa.
Alguns são traduzidos ao chegarem ao Brasil (como no caso da ISO 9000, traduzida
oficialmente pela ABNT), outros não.
Neste glossário, apresentarei 500 termos da área da qualidade e suas respectivas
traduções. Visto que muitos dos artigos, livros e normas acerca desse assunto são escritos,
como já falamos, na língua inglesa, muitos termos dessa área são empregados, no Brasil, em
sua língua original. O termo benchmarking, por exemplo, é comumente utilizado entre as
empresas brasileiras. Apesar de existir uma tradução opcional (comparação com referenciais
de excelência), prefere-se empregar o termo original. Da mesma forma, outros termos
também, apesar de possuírem uma tradução, são utilizados como no original. Há também
aqueles que possuem mais de um termo equivalente no protuguês. Neste glossário, porém, foi
incluída apenas uma opção de tradução para cada termo, geralmente aquela mais utilizada
pelas organizações.
Mais do que um requisito para o estágio do 3º ano de Letras - Tradutor/Intérprete, este
glossário se destina a preencher uma lacuna existente, já que não existem, até agora,
dicionários deste gênero no mercado. Além de ser um dicionário inglês/português -
português/inglês dos mais variados termos da área da qualidade, apresenta também a devida
definição para cada um dos termos.
XII
XIII

PREFÁCIO

Este "Glossário da Qualidade", especialmente preparado por Marily Tavares Sales,


inclui os termos mais comumente utilizados nas áreas de Normalização, Metrologia,
Administração, Produção e Estatística.
É um trabalho de compilação, resultante de uma extensa pesquisa bibliográfica, que
engloba definições, conceitos e teorias de inúmeros profissionais e entidades de diversos
países. Obviamente, uma obra com essas características não poderia esgotar o assunto, que é
bastante amplo, dinâmico e, sobretudo, mutidisciplinar.

Francesco de Cicco
XIV
XV

SUMÁRIO INGLÊS-PORTUGUÊS

A
A POSTERIORI PROBABILITY PROBABILIDADE A POSTERIORI 2
A PRIORI PROBABILITY PROBABILIDADE A PRIORI 2
ACCELERATED LIFE TESTING ENSAIO DE VIDA ACELERADO 2
ACCELERATED TESTING ENSAIO ACELERADO 2
ACCEPTABLE ACEITÁVEL 2
ACCEPTABLE QUALITY LEVEL (AQL) NÍVEL DE QUALIDADE ACEITÁVEL (NQA) 2
ACCEPTANCE ACEITAÇÃO 2
ACCEPTANCE AND REJECTION CRITERIA CRITÉRIOS DE ACEITAÇÃO-REJEIÇÃO 3
ACCEPTANCE SAMPLING AMOSTRAGEM PARA ACEITAÇÃO 3
ACCESSIBILITY ACESSIBILIDADE 3
ACCREDITATION CREDENCIAMENTO 3
ACCURACY EXATIDÃO 3
ACHIEVEMENT ATENDIMENTO 3
ACTION PLAN PLANO DE AÇÃO 3
ADJUSTMENT AJUSTE 4
AESTHETICS ESTÉTICA 4
AFFINITY DIAGRAM DIAGRAMA DE AFINIDADES 4
ALTERNATIVE HYPOTHESIS HIPÓTESE ALTERNATIVA 4
AMENDMENT EMENDA 4
APPRAISAL COSTS CUSTO DE AVALIAÇÃO 4
APPROVAL APROVAÇÃO 5
ARROW DIAGRAM DIAGRAMA DE SETAS 5
ASSESSMENT AVALIAÇÃO 5
ASSIGNABLE CAUSE CAUSA ASSINALÁVEL 5
ATTRIBUTE ATRIBUTO 5
ATTRIBUTE CONTROL CHART GRÁFICO DE CONTROLE POR ATRIBUTOS 5
AUDIT OBSERVATION OBSERVAÇÃO DA AUDITORIA 5
AUTHORITY AUTORIDADE 6
AUTOMATION AUTOMAÇÃO 6
AVERAGE CHART GRÁFICO DE MÉDIAS 6
AVERAGE DEVIATION DESVIO MÉDIO 6
AVERAGE OUTGOING QUALITY (AOQ) QUALIDADE MÉDIA RESULTANTE (QMR) 6
AVERAGE OUTGOING QUALITY LIMIT (AOQL) LIMITE DA QUALIDADE MÉDIA RESULTANTE (LQMR) 6
AVERAGE SAMPLE NUMBER NÚMERO MÉDIO DE AMOSTRAS 6
AVERAGE SAMPLE NUMBER CURVE CURVA DO NÚMERO MÉDIO DE AMOSTRAS 6
AVERAGE TOTAL INSPECTION (ATI) INSPEÇÃO TOTAL MÉDIA (ITM) 7
AVERAGE TOTAL INSPECTION CURVE CURVA DE INSPEÇÃO TOTAL MÉDIA 7
B
BATCH LOTE 9
BENCHMARKING BENCHMARKING 9
XVI
XVII

BINOMIAL DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO BINOMIAL 9


BOX PLOT BOX PLOT 9
BRAINSTORMING TEMPESTADE DE IDÉIAS 9
C
CALIBRATION CALIBRAÇÃO 11
CALIBRATION CERTIFICATE CERTIFICADO DE CALIBRAÇÃO 11
CAUSE-EFFECT DIAGRAM DIAGRAMA DE CAUSA-E-EFEITO 11
CENTRAL LIMIT THEOREM TEOREMA DO LIMITE CENTRAL 11
CENTRAL LINE LINHA CENTRAL 11
CENTRAL TENDENCY TENDÊNCIA CENTRAL 11
CERTIFICATION CERTIFICAÇÃO 12
CERTIFICATION BODY ORGANISMO CERTIFICADOR 12
CERTIFICATION SYSTEM SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO 12
CHAIN SAMPLING AMOSTRAGEM EM CADEIA 12
CHAIN SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM EM CADEIA 12
CHARACTERISTIC CARACTERÍSTICA 12
CHARACTERIZATION CARACTERIZAÇÃO 13
CHECK SHEET FOLHA DE VERIFICAÇÃO 13
CHECKLIST LISTA DE VERIFICAÇÃO 13
CHI-SQUARE DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO QUI-QUADRADO 13
CLASS BOUNDARY LIMITE DE CLASSE 13
CLASS INTERVAL INTERVALO DE CLASSE 13
COMMISSIONING COMISSIONAMENTO 13
COMMITMENT TO QUALITY COMPROMETIMENTO COM A QUALIDADE 14
COMPANY EMPRESA 14
COMPATIBILITY COMPATIBILIDADE 14
COMPETITIVE ADVANTAGE VANTAGEM COMPETITIVA 14
COMPOUND EVENT EVENTO COMPOSTO 14
CONCESSION CONCESSÃO 14
CONDITIONAL DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO CONDICIONAL 15
CONFIDENCE COEFFICIENT COEFICIENTE DE CONFIANÇA 15
CONFIDENCE INTERVAL INTERVALO DE CONFIANÇA 15
CONFIDENCE LEVEL NÍVEL DE CONFIANÇA 15
CONFIDENCE LIMITS LIMITES DE CONFIANÇA 15
CONFORMANCE COSTS CUSTO DE CONFORMIDADE 15
CONFORMITY CONFORMIDADE 15
CONFORMITY ASSESSMENT AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE 16
CONSULTANT CONSULTOR 16
CONSUMER'S RISK RISCO DO CONSUMIDOR 16
CONTINGENCY TABLE TABELA DE CONTINGÊNCIA 16
CONTINUOUS SAMPLING AMOSTRAGEM CONTÍNUA 16
CONTINUOUS SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM CONTÍNUA 16
CONTRACT CONTRATO 17
CONTRACT REVIEW ANÁLISE CRÍTICA DE CONTRATO 17
CONTROL CHART GRÁFICO DE CONTROLE 17
XVIII
XIX

CONTROL LIMITS LIMITES DE CONTROLE 17


CONVENTIONAL TRUE VALUE VALOR VERDADEIRO CONVENCIONAL 17
CORRECTION CORREÇÃO 17
CORRECTIVE ACTION AÇÃO CORRETIVA 18
CORRELATION ANALYSIS ANÁLISE DE CORRELAÇÃO 18
CORRELATION COEFFICIENT COEFICIENTE DE CORRELAÇÃO 18
COST-BENEFIT ANALYSIS ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO 18
COSTS CUSTO 19
CRITICAL PATH CAMINHO CRÍTICO 18
CROSS-FUNCTIONAL TEAM EQUIPE INTERFUNCIONAL 18
CULTURE CULTURA 18
CUMULATIVE FREQUENCY FREQÜÊNCIA ACUMULADA 18
CUMULATIVE SUM CHART (CUSUM) GRÁFICO DE SOMA CUMULATIVA (SOCUM) 19
CUSTOMER CLIENTE 19
CUSTOMER DISSATISFACTION INSATISFAÇÃO DO CLIENTE 19
CUSTOMER EXPECTATIONS EXPECTATIVAS DO CLIENTE 19
CUSTOMER FOCUS FOCO NO CLIENTE 19
CUSTOMER NEEDS NECESSIDADES DO CLIENTE 19
CUSTOMER REQUIREMENTS REQUISITOS DO CLIENTE 20
CUSTOMER SATISFACTION SATISFAÇÃO DO CLIENTE 20
CYCLE TIME TEMPO DE CICLO 20
D
DATA DADOS 22
DATA COLLECTION COLETA DE DADOS 22
DATA REVIEW ANÁLISE CRÍTICA DE DADOS 22
DECISION TREE ÁRVORE DE DECISÃO 22
DEDUCTION DEDUÇÃO 22
DEFECT DEFEITO 22
DEFECT CLASSIFICATION CLASSIFICAÇÃO DE DEFEITOS 23
DEFECTIVE ITEM ITEM DEFEITUOSO 23
DEFECTS PER UNIT DEFEITOS POR UNIDADE 23
DEGREE OF DEMONSTRATION GRAU DE DEMONSTRAÇÃO 23
DEGREE OF FREEDOM GRAU DE LIBERDADE 23
DELIVERY ENTREGA 23
DEMERIT DEMÉRITO 23
DEMING PRIZE PRÊMIO DEMING 23
DEPENDABILITY DEPENDABILIDADE 24
DEPENDABILITY PLAN PLANO DE DEPENDABILIDADE 24
DEPENDABILITY PROGRAMME PROGRAMA DE DEPENDABILIDADE 24
DEPLOYMENT DESDOBRAMENTO 24
DESIGN PROJETO 24
DESIGN MATURITY MATURIDADE DE PROJETO 24
DESIGN OF EXPERIMENTS PROJETO DE EXPERIMENTOS 25
DESIGN QUALITY QUALIDADE DO PROJETO 25
DESIGN REVIEW ANÁLISE CRÍTICA DE PROJETO 25
XX
XXI

DETECTION DETECÇÃO 25
DETERMINATION COEFFICIENT COEFICIENTE DE DETERMINAÇÃO 25
DEVIATION DESVIO 25
DIAGRAM DIAGRAMA 25
DISPATCH EXPEDIÇÃO 25
DISPERSION MEASURES MEDIDAS DE DISPERSÃO 26
DISPOSITION OF NONCONFORMING ITEM DISPOSIÇÃO DE ITEM NÃO-CONFORME 26
DOCUMENT DOCUMENTO 26
DOCUMENTATION DOCUMENTAÇÃO 26
DOCUMENTATION CONTROL CONTROLE DE DOCUMENTAÇÃO 26
DOUBLE SAMPLING AMOSTRAGEM DUPLA 26
DOUBLE SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM DUPLA 26
DURABILITY DURABILIDADE 27
E
EFFECTIVENESS EFICÁCIA 29
EFFICIENCY EFICIÊNCIA 29
ELECTRONIC DATA PROCESSING PROCESSAMENTO AUTOMÁTICO DE DADOS 29
EMPOWERMENT DELEGAÇÃO DE PODER 29
ENTITY ENTIDADE 29
ENVIRONMENT MEIO AMBIENTE 29
ENVIRONMENTAL CONDITION CONDIÇÃO AMBIENTAL 29
ERROR ERRO 30
ERROR OF MEASUREMENT ERRO DE MEDIÇÃO 30
ESTIMATOR ESTIMADOR 30
EVENT EVENTO 30
EVENT TREE ANALYSIS ANÁLISE DA ÁRVORE DE EVENTOS 30
EXPECTED VALUE VALOR ESPERADO 30
EXPERIMENT EXPERIMENTO 30
EXTERNAL FAILURE COSTS CUSTO DE FALHAS EXTERNAS 31
F
F DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO F 33
FACTOR FATOR 33
FACTUAL APPROACH ABORDAGEM FACTUAL 33
FAILURE FALHA 33
FAILURE MODE AND EFFECTS ANALYSIS (FMEA) ANÁLISE DO MODO E EFEITOS DA FALHA (AMEF) 33
FAULT TREE ANALYSIS (FTA) ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS (AAF) 33
FEEDBACK REALIMENTAÇÃO 34
FEEDBACK LOOP ALÇA DE REALIMENTAÇÃO 34
FIELD PERFORMANCE DESEMPENHO NO CAMPO 34
FINAL INSPECTION INSPEÇÃO FINAL 34
FINAL PRODUCT PRODUTO FINAL 34
FIRST PARTY ORGANISMO DE PRIMEIRA PARTE 35
FIRST PIECE INSPECTION INSPEÇÃO DA "PRIMEIRA PEÇA" 35
FISHBONE DIAGRAM DIAGRAMA DE ESPINHA-DE-PEIXE 35
FISHER'S TEST TESTE DE FISHER 35
XXII
XXIII

FLOW-CHART FLUXOGRAMA 35
FOLLOW-UP ACOMPANHAMENTO 35
FOOLPROOF FOOLPROOF 35
FRACTION DEFECTIVE FRAÇÃO DEFEITUOSA 36
FREQUENCY FREQÜÊNCIA 36
FREQUENCY DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS 36
FREQUENCY POLYGON POLÍGONO DE FREQÜÊNCIAS 36
FUNCTION FUNÇÃO 36
G
GANTT CHART GRÁFICO DE GANTT 38
GAP BRECHA 38
GARBAGE IN, GARBAGE OUT ENTRA LIXO, SAI LIXO 38
GEOMETRIC AVERAGE MÉDIA GEOMÉTRICA 38
GRADE CLASSE 38
GUIDELINE DIRETRIZ 38
H
HANDLING MANUSEIO 40
HARMONIC MEAN MÉDIA HARMÔNICA 40
HISTOGRAM HISTOGRAMA 40
HOLD POINT PONTO DE ESPERA 40
HYPERGEOMETRIC DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO HIPERGEOMÉTRICA 40
HYPOTHESIS HIPÓTESE 40
HYPOTHESIS TESTING TESTE DE HIPÓTESES 41
I
IN-CONTROL PROCESS PROCESSO CONTROLADO 43
INFLUENCE QUANTITY QUANTIDADE DE INFLUÊNCIA 43
IN-PROCESS INSPECTION INSPEÇÃO DURANTE O PROCESSO 43
INPUT ENTRADA 43
INSPECTION INSPEÇÃO 43
INSPECTION EQUIPMENT EQUIPAMENTO DE INSPEÇÃO 43
INSPECTION ERRORS ERROS DE INSPEÇÃO 43
INSPECTION LEVEL NÍVEL DE INSPEÇÃO 43
INSPECTION REPORT RELATÓRIO DE INSPEÇÃO 44
INSPECTION STATION PONTO DE INSPEÇÃO 44
INSPECTOR INSPETOR 44
INSTRUCTION INSTRUÇÃO 44
INSTRUMENTATION INSTRUMENTAÇÃO 44
INTERCHANGEABILITY INTERCAMBIALIDADE 44
INTERESTED PARTIES PARTES INTERESSADAS 44
INTERNAL FAILURE COSTS CUSTO DE FALHAS INTERNAS 44
INTERNATIONAL STANDARD NORMA INTERNACIONAL 45
INTERVAL INTERVALO 45
INVESTIGATION INVESTIGAÇÃO 45
ISHIKAWA DIAGRAM DIAGRAMA DE ISHIKAWA 45
ISO ISO 45
XXIV
XXV

ITEM ITEM 45
J
K
KJ METHOD MÉTODO KJ 48
L
LABORATORY LABORATÓRIO 50
LEADERSHIP LIDERANÇA 50
LEAST SQUARES METHOD MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS 50
LIFE EXPECTANCY EXPECTATIVA DE VIDA 50
LIKELIHOOD PROBABILIDADE 50
LIMITING QUALITY (LQ) QUALIDADE LIMITE (QL) 50
LIMITS OF PERMISSIBLE ERROR LIMITES DE ERRO PERMISSÍVEL 50
LOSS PERDA 51
LOT PLOT GRÁFICO DE LOTE 51
M
MAINTAINABILITY MANTENABILIDADE 53
MAINTENANCE MANUTENÇÃO 53
MALCOLM BALDRIGE NATIONAL QUALITY AWARD PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE MALCOLM BALDRIGE 53
MARKETING RESEARCH PESQUISA DE MARKETING 53
MATERIAL MATERIAL 54
MATERIAL CONTROL CONTROLE DE MATERIAL 54
MATRIX MATRIZ 54
MEASUREMENT MEDIÇÃO 54
MEASUREMENT PLAN PLANO DE MEDIÇÃO 54
MEASUREMENT SYSTEM SISTEMA DE MEDIÇÃO 54
MEASURING EQUIPMENT EQUIPAMENTO DE MEDIÇÃO 55
MEASURING INSTRUMENT INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO 55
MEDIAN MEDIANA 55
METHOD ENFOQUE 55
METROLOGICAL CONFIRMATION CONFIRMAÇÃO METROLÓGICA 55
METROLOGY METROLOGIA 56
MID-POINT OF CLASS PONTO MÉDIO DE CLASSE 56
MIL-STD MIL-STD 56
MINUTES ATA 56
MODEL MODELO 56
MODIFICATION MODIFICAÇÃO 56
MONITORING MONITORAMENTO 56
MULTI-FUNCTIONAL TEAM EQUIPE MULTIFUNCIONAL 56
MULTIPLE SAMPLING AMOSTRAGEM MÚLTIPLA 57
MULTIPLE SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM MÚLTIPLA 57
MULTIPLIER MULTIPLICADOR 57
N
NATIONAL STANDARD NORMA NACIONAL 59
NATIONALSTANDARDS BODY ORGANISMO NACIONAL DE NORMALIZAÇÃO 59
XXVI
XXVII

NOMOGRAPH NOMOGRAMA 59
NONCONFORMANCE COSTS CUSTOS DE NÃO-CONFORMIDADE 59
NONCONFORMITY NÃO-CONFORMIDADE 59
NONDESTRUCTIVE TESTING (NDT) ENSAIO NÃO-DESTRUTIVO (END) 59
NORMAL DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO NORMAL 60
NORMAL INSPECTION INSPEÇÃO NORMAL 60
NOTICE AVISO 60
NULL HYPOTHESIS HIPÓTESE NULA 60
O
OBJECTIVE OBJETIVO 62
OBJECTIVE EVIDENCE EVIDÊNCIA OBJETIVA 62
OBSERVATION OBSERVAÇÃO 62
ONE-SIDED TEST ENSAIO UNILATERAL 62
OPERATING CHARACTERISTIC CURVE CURVA CARACTERÍSTICA DE OPERAÇÃO 62
OPERATION OPERAÇÃO 62
OPERATION SHEET FOLHA DE OPERAÇÃO 63
OPERATION STANDARD NORMA DE OPERAÇÃO 63
OPERATIONAL CONTROL CONTROLE OPERACIONAL 63
OPPORTUNITY OPORTUNIDADE 63
ORGANIZATION ORGANIZAÇÃO 63
ORGANIZATIONAL STRUCTURE ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 63
OUT-OF-CONTROL PROCESS PROCESSO FORA DE CONTROLE 63
OUTPUT SAÍDA 63
P
PACKAGING EMBALAGEM 65
PACKING ACONDICIONAMENTO 65
PARAMETER PARÂMETRO 65
PARETO PRINCIPLE PRINCÍPIO DE PARETO 65
PARTNERSHIP PARCERIA 65
PATROL INSPECTION INSPEÇÃO DE RONDA 65
PDCA CYCLE CICLO PDCA 65
PERFORMANCE DESEMPENHO 66
PIE CHART GRÁFICO DE PIZZA 66
POISSON DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO DE POISSON 66
POPULATION POPULAÇÃO 66
POSITION MEASURES MEDIDAS DE POSIÇÃO 66
POTENTIAL HAZARD PERIGO POTENCIAL 66
PRECISION PRECISÃO 67
PRE-CONTROL PRÉ-CONTROLE 67
PRELIMINARY DRAFT ANTEPROJETO 67
PREVENTION COSTS CUSTOS DE PREVENÇÃO 67
PREVENTIVE ACTION AÇÃO PREVENTIVA 67
PROBABILITY DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADES 68
PROBLEM PROBLEMA 68
PROBLEM-SOLVING SOLUÇÃO DE PROBLEMA 68
XXVIII
XXIX

PROCEDURE PROCEDIMENTO 68
PROCESS PROCESSO 68
PROCESS ANALYSIS ANÁLISE DO PROCESSO 68
PROCESS CAPABILITY CAPABILIDADE DO PROCESSO 68
PROCESS CAPABILITY STUDY ESTUDO DA CAPABILIDADE DO PROCESSO 69
PROCESS CONTROL CONTROLE DO PROCESSO 69
PROCESS DEVELOPMENT DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO 69
PROCESS IMPROVEMENT MELHORIA DO PROCESSO 69
PROCESS LIABILITY RESPONSABILIDADE PELO PROCESSO 69
PROCESS OWNER DONO DO PROCESSO 69
PROCESS QUALITY AUDIT AUDITORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO 69
PROCESS VARIABILITY VARIABILIDADE DO PROCESSO 70
PRODUCER'S RISK RISCO DO PRODUTOR 70
PRODUCT PRODUTO 70
PRODUCT CHARACTERISTICS CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO 70
PRODUCT DESIGN PROJETO DO PRODUTO 70
PRODUCT DEVELOPMENT DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO 70
PRODUCT LIABILITY RESPONSABILIDADE PELO PRODUTO 70
PRODUCT PLANNING PLANEJAMENTO DO PRODUTO 71
PRODUCT QUALITY AUDIT AUDITORIA DA QUALIDADE DO PRODUTO 71
PRODUCTION PROCESSO DE PRODUÇÃO 71
PRODUCTION CONTROL CONTROLE DE PRODUÇÃO 71
PRODUCTIVITY PRODUTIVIDADE 71
PROGRAMME PROGRAMA 71
PROTOTYPE PROTÓTIPO 71
PUNCH CARD CARTÃO PERFURADO 72
PURCHASE ORDER PEDIDO DE COMPRA 72
PURCHASER COMPRADOR 72
PURCHASING AQUISIÇÃO 72
Q
QUADRATIC MEAN MÉDIA QUADRÁTICA 74
QUALIFICATION PROCESS PROCESSO DE QUALIFICAÇÃO 74
QUALITATIVE DATA DADOS QUALITATIVOS 74
QUALITY QUALIDADE 74
QUALITY ASSURANCE GARANTIA DA QUALIDADE 74
QUALITY AUDIT AUDITORIA DA QUALIDADE 74
QUALITY AUDIT CONCLUSION CONCLUSÃO DA AUDITORIA DA QUALIDADE 75
QUALITY AUDIT CRITERIA CRITÉRIOS DA AUDITORIA DA QUALIDADE 75
QUALITY AUDIT FINDING CONSTATAÇÃO DA AUDITORIA DA QUALIDADE 75
QUALITY AUDIT OBSERVATION OBSERVAÇÃO DA AUDITORIA DA QUALIDADE 75
QUALITY AUDITOR AUDITOR DA QUALIDADE 75
QUALITY CHARACTERISTICS CARACTERÍSTICAS DA QUALIDADE 75
QUALITY CONTINUAL IMPROVEMENT MELHORIA CONTÍNUA DA QUALIDADE 75
QUALITY CONTROL (QC) CONTROLE DA QUALIDADE (CQ) 76
QUALITY CONTROL CIRCLE CÍRCULO DE CONTROLE DA QUALIDADE 76
XXX
XXXI

QUALITY CONTROL SYSTEM SISTEMA DE CONTROLE DA QUALIDADE 76


QUALITY DEVELOPMENT DESENVOLVIMENTO DA QUALIDADE 76
QUALITY EVALUATION AVALIAÇÃO DA QUALIDADE 76
QUALITY EXTERNAL AUDIT AUDITORIA EXTERNA DA QUALIDADE 76
QUALITY IMPLEMENTATION IMPLEMENTAÇÃO DA QUALIDADE 77
QUALITY INTERNAL AUDIT AUDITORIA INTERNA DA QUALIDADE 77
QUALITY LEAD AUDITOR AUDITOR-LÍDER DA QUALIDADE 77
QUALITY LEVEL NÍVEL DE QUALIDADE 77
QUALITY LOSS PERDA DA QUALIDADE 77
QUALITY MANAGEMENT GESTÃO DA QUALIDADE 77
QUALITY MANAGER GERENTE DA QUALIDADE 77
QUALITY MANUAL MANUAL DA QUALIDADE 78
QUALITY MONTH MÊS DA QUALIDADE 78
QUALITY OBJECTIVE OBJETIVO DA QUALIDADE 78
QUALITY PLAN PLANO DA QUALIDADE 78
QUALITY PLANNING PLANEJAMENTO DA QUALIDADE 78
QUALITY POLICY POLÍTICA DA QUALIDADE 78
QUALITY RECORD REGISTRO DA QUALIDADE 79
QUALITY REQUIREMENTS REQUISITOS DA QUALIDADE 79
QUALITY SYSTEM SISTEMA DA QUALIDADE 79
QUALITY TEAM EQUIPE DA QUALIDADE 79
QUALITY TOOLS FERRAMENTAS DA QUALIDADE 80
QUANTITATIVE DATA DADOS QUANTITATIVOS 80
QUARTILE QUARTIL 80
QUARTILE DEVIATION DESVIO QUARTÍLICO 80
R
RANDOM ALEATÓRIO 82
RANDOM NUMBERS NÚMEROS ALEATÓRIOS 82
RANDOM SAMPLE AMOSTRA ALEATÓRIA 82
RANDOM SAMPLING AMOSTRAGEM ALEATÓRIA 82
RANDOM VARIABLE VARIÁVEL ALEATÓRIA 82
RATIONAL SUBGROUP SUBGRUPO RACIONAL 82
RAW MATERIAL MATÉRIA-PRIMA 83
RECEIVING CONTROL CONTROLE DE RECEBIMENTO 83
RECEIVING INSPECTION INSPEÇÃO DE RECEBIMENTO 83
RE-CERTIFICATION RECERTIFICAÇÃO 83
RECIPROCAL RECIPROCIDADE 83
RECTIFICATION RETIFICAÇÃO 83
RECTIFYING INSPECTION INSPEÇÃO RETIFICADORA 83
REDUCED INSPECTION INSPEÇÃO REDUZIDA 83
REDUCTION REDUÇÃO 84
RE-ENGINEERING REENGENHARIA 84
REFERENCE REFERÊNCIA 84
REFERENCE CONDITIONS CONDIÇÕES DE REFERÊNCIA 84
REFERENCE MATERIAL MATERIAL DE REFERÊNCIA 84
XXXII
XXXIII

REGRESSION REGRESSÃO 84
REJECTION REJEIÇÃO 84
RELATIONS DAGRAM DIAGRAMA DE RELAÇÕES 85
RELATIVE FREQUENCY FREQÜÊNCIA RELATIVA 85
RELIABILITY CONFIABILIDADE 85
REPAIR REPARO 85
REPEATABILITY REPETITIVIDADE 85
REPLICATION REPLICAÇÃO 85
REPORT RELATÓRIO 85
REPRODUCIBILITY REPRODUTIVIDADE 86
REQUIREMENT REQUISITO 86
REQUIREMENTS OF SOCIETY REQUISITOS DA SOCIEDADE 86
RESOLUTION RESOLUÇÃO 86
RESPONSE VARIABLE VARIÁVEL DE RESPOSTA 86
RESPONSIBILITY RESPONSABILIDADE 86
REVIEW ANÁLISE CRÍTICA 86
REWORK RETRABALHO 86
RISK ANALYSIS ANÁLISE DE RISCOS 87
RISK ASSESSMENT AVALIAÇÃO DE RISCOS 87
RISK MANAGEMENT GESTÃO DE RISCOS 87
RISK RANKING CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS 87
ROBUSTNESS ROBUSTEZ 87
ROOT CAUSE CAUSA-RAIZ 87
ROUNDING ARREDONDAMENTO 87
ROUTINE INSPECTION INSPEÇÃO DE ROTINA 87
S
SAFETY SEGURANÇA 89
SAMPLE AMOSTRA 89
SAMPLE AVERAGE MÉDIA DA AMOSTRA 89
SAMPLE SELECTION SELEÇÃO DA AMOSTRA 89
SAMPLE SIZE TAMANHO DA AMOSTRA 89
SAMPLE STANDARD DEVIATION DESVIO-PADRÃO DA AMOSTRA 89
SAMPLING AMOSTRAGEM 89
SAMPLING ERROR ERRO DE AMOSTRAGEM 89
SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM 90
SAMPLING PROCEDURE PROCEDIMENTO DE AMOSTRAGEM 90
SAMPLING SCHEME ESQUEMA DE AMOSTRAGEM 90
SAMPLING SYSTEM SISTEMA DE AMOSTRAGEM 90
SAMPLING UNIT UNIDADE DE AMOSTRAGEM 90
SCALE ESCALA 90
SCATTER PLOT DIAGRAMA DE DISPERSÃO 90
SCRAP SUCATA 90
SECOND PARTY ORGANISMO DE SEGUNDA PARTE 91
SECONDARY DATA DADOS SECUNDÁRIOS 91
SEGREGATION OF NONCONFORMING PRODUCT SEGREGAÇÃO DE PRODUTO NÃO-CONFORME 91
XXXIV
XXXV

SELF-CONTROL AUTOCONTROLE 91
SELF-INSPECTION AUTO-INSPEÇÃO 91
SEQUENTIAL SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM SEQÜENCIAL 91
SERVICE SERVIÇO 91
SERVICEABILITY SERVICIBILIDADE 91
SET-UP SET-UP 92
SEVEN QUALITY CONTROL TOOLS SETE FERRAMENTAS DO CONTROLE DA QUALIDADE 92
SHAKE DOWN SHAKE DOWN 92
SHELF-LIFE VIDA EM PRATELEIRA 92
SINGLE SAMPLING AMOSTRAGEM SIMPLES 92
SINGLE SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM SIMPLES 92
SIX SIGMA SEIS SIGMA 92
SKEWNESS CURTOSE 93
SKEWNESS COEFFICIENT COEFICIENTE DE CURTOSE 93
SKIP-LOT SAMPLING AMOSTRAGEM POR LOTE SALTEADO 93
SPECIAL PROCESSES PROCESSOS ESPECIAIS 93
SPECIFICATION ESPECIFICAÇÃO 93
SPECIFICATION LIMITS LIMITES DE ESPECIFICAÇÃO 93
SPECIFIED MEASURING RANGE FAIXA DE MEDIÇÃO ESPECIFICADA 93
STABILITY ESTABILIDADE 94
STANDARD NORMA 94
STANDARD DEVIATION DESVIO-PADRÃO 94
STANDARD ERROR ERRO-PADRÃO 94
STANDARDIZATION NORMALIZAÇÃO 94
STATE OF ART ESTADO DA ARTE 94
STATISTICAL INFERENCE INFERÊNCIA ESTATÍSTICA 94
STATISTICAL TECHNIQUES TÉCNICAS ESTATÍSTICAS 95
STATISTICS ESTATÍSTICA 95
STORAGE ARMAZENAMENTO 95
STORYBOARDING STORYBOARDING 95
STRATEGIC PLANNING PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 95
STRATIFICATION ESTRATIFICAÇÃO 95
STRATIFIED SAMPLING AMOSTRAGEM ESTRATIFICADA 95
SUB-CONTRACT SUBCONTRATAÇÃO 96
SUBGROUP SUBGRUPO 96
SUPPLIER FORNECEDOR 96
SUPPLY FORNECIMENTO 96
SYSTEM SISTEMA 96
T
t DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO t 98
TARGET POPULATION POPULAÇÃO-ALVO 98
TASK TAREFA 98
TECHNICAL SPECIFICATION ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 98
TECHNOLOGY TECNOLOGIA 98
TENDENCY TENDÊNCIA 98
XXXVI
XXXVII

TENDER PROPOSTA 99
TEST ENSAIO 99
TEST DATA DADOS DE ENSAIO 99
THIRD PARTY ORGANISMO DE TERCEIRA PARTE 99
THIRD-PARTY EVALUATION AVALIAÇÃO DE TERCEIRA PARTE 99
TOLERANCE TOLERÂNCIA 99
TOLERANCE INTERVAL INTERVALO DE TOLERÂNCIA 100
TOP MANAGEMENT ALTA DIREÇÃO 100
TOTAL QUALITY MANAGEMENT GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL 100
TRACEABILITY RASTREABILIDADE 100
TRUE VALUE VALOR VERDADEIRO 100
TWO-SIDED TEST ENSAIO BILATERAL 100
U
UNBIASED ESTIMATOR ESTIMADOR NÃO-TENDENCIOSO 102
UNCERTAINTY INCERTEZA 102
UNIVERSE UNIVERSO 102
USER USUÁRIO 102
V
VALIDATION VALIDAÇÃO 104
VALUE ENGINEERING ENGENHARIA DO VALOR 104
VARIABILITY VARIABILIDADE 104
VARIABLE VARIÁVEL 104
VARIABLE CONTROL CHART GRÁFICO DE CONTROLE POR VARIÁVEIS 104
VARIABLE UNIT UNIDADE VARIANTE 104
VARIANCE VARIÂNCIA 104
VARIATION VARIAÇÃO 104
VARIATION COEFFICIENT COEFICIENTE DE VARIAÇÃO 105
VERIFICATION VERIFICAÇÃO 105
VISUAL INSPECTION INSPEÇÃO VISUAL 105
W
WORK INSTRUCTION INSTRUÇÃO DE TRABALHO 107
X
Y
Z
ZERO DEFECT ZERO DEFEITO 111
XXXVIII
XXXIX

SUMÁRIO PORTUGUÊS-INGLÊS

A
ABORDAGEM FACTUAL FACTUAL APPROACH 33
AÇÃO CORRETIVA CORRECTIVE ACTION 18
AÇÃO PREVENTIVA PREVENTIVE ACTION 67
ACEITAÇÃO ACCEPTANCE 2
ACEITÁVEL ACCEPTABLE 2
ACESSIBILIDADE ACCESSIBILITY 3
ACOMPANHAMENTO FOLLOW-UP 35
ACONDICIONAMENTO PACKING 65
AJUSTE ADJUSTMENT 4
ALÇA DE REALIMENTAÇÃO FEEDBACK LOOP 34
ALEATÓRIO RANDOM 82
ALTA DIREÇÃO TOP MANAGEMENT 100
AMOSTRA SAMPLE 89
AMOSTRA ALEATÓRIA RANDOM SAMPLE 82
AMOSTRAGEM SAMPLING 89
AMOSTRAGEM ALEATÓRIA RANDOM SAMPLING 82
AMOSTRAGEM CONTÍNUA CONTINUOUS SAMPLING 16
AMOSTRAGEM DUPLA DOUBLE SAMPLING 26
AMOSTRAGEM EM CADEIA CHAIN SAMPLING 12
AMOSTRAGEM ESTRATIFICADA STRATIFIED SAMPLING 95
AMOSTRAGEM MÚLTIPLA MULTIPLE SAMPLING 57
AMOSTRAGEM PARA ACEITAÇÃO ACCEPTANCE SAMPLING 3
AMOSTRAGEM POR LOTE SALTEADO SKIP-LOT SAMPLING 93
AMOSTRAGEM SIMPLES SINGLE SAMPLING 92
ANÁLISE CRÍTICA REVIEW 86
ANÁLISE CRÍTICA DE CONTRATO CONTRACT REVIEW 17
ANÁLISE CRÍTICA DE DADOS DATA REVIEW 22
ANÁLISE CRÍTICA DE PROJETO DESIGN REVIEW 25
ANÁLISE DA ÁRVORE DE EVENTOS EVENT TREE ANALYSIS 30
ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS (AAF) FAULT TREE ANALYSIS (FTA) 33
ANÁLISE DE CORRELAÇÃO CORRELATION ANALYSIS 18
ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO COST-BENEFIT ANALYSIS 18
ANÁLISE DE RISCOS RISK ANALYSIS 87
ANÁLISE DO MODO E EFEITOS DA FALHA (AMEF) FAILURE MODE AND EFFECTS ANALYSIS (FMEA) 33
ANÁLISE DO PROCESSO PROCESS ANALYSIS 68
ANTEPROJETO PRELIMINARY DRAFT 67
APROVAÇÃO APPROVAL 5
AQUISIÇÃO PURCHASING 72
ARMAZENAMENTO STORAGE 95
ARREDONDAMENTO ROUNDING 87
XL
XLI

ÁRVORE DE DECISÃO DECISION TREE 22


ATA MINUTES 56
ATENDIMENTO ACHIEVEMENT 3
ATRIBUTO ATTRIBUTE 5
AUDITOR DA QUALIDADE QUALITY AUDITOR 75
AUDITORIA DA QUALIDADE QUALITY AUDIT 74
AUDITORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO PROCESS QUALITY AUDIT 69
AUDITORIA DA QUALIDADE DO PRODUTO PRODUCT QUALITY AUDIT 71
AUDITORIA EXTERNA DA QUALIDADE QUALITY EXTERNAL AUDIT 76
AUDITORIA INTERNA DA QUALIDADE QUALITY INTERNAL AUDIT 77
AUDITOR-LÍDER DA QUALIDADE QUALITY LEAD AUDITOR 77
AUTOCONTROLE SELF-CONTROL 91
AUTO-INSPEÇÃO SELF-INSPECTION 91
AUTOMAÇÃO AUTOMATION 6
AUTORIDADE AUTHORITY 6
AVALIAÇÃO ASSESSMENT 5
AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE CONFORMITY ASSESSMENT 16
AVALIAÇÃO DA QUALIDADE QUALITY EVALUATION 76
AVALIAÇÃO DE RISCOS RISK ASSESSMENT 87
AVALIAÇÃO DE TERCEIRA PARTE THIRD-PARTY EVALUATION 99
AVISO NOTICE 60
B
BENCHMARKING BENCHMARKING 9
BOX PLOT BOX PLOT 9
BRECHA GAP 38
C
CALIBRAÇÃO CALIBRATION 11
CAMINHO CRÍTICO CRITICAL PATH 18
CAPABILIDADE DO PROCESSO PROCESS CAPABILITY 68
CARACTERÍSTICA CHARACTERISTIC 12
CARACTERÍSTICAS DA QUALIDADE QUALITY CHARACTERISTICS 75
CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO PRODUCT CHARACTERISTICS 70
CARACTERIZAÇÃO CHARACTERIZATION 13
CARTÃO PERFURADO PUNCH CARD 71
CAUSA ASSINALÁVEL ASSIGNABLE CAUSE 5
CAUSA-RAIZ ROOT CAUSE 87
CERTIFICAÇÃO CERTIFICATION 12
CERTIFICADO DE CALIBRAÇÃO CALIBRATION CERTIFICATE 11
CICLO PDCA PDCA CYCLE 65
CÍRCULO DE CONTROLE DA QUALIDADE QUALITY CONTROL CIRCLE 76
CLASSE GRADE 38
CLASSIFICAÇÃO DE DEFEITOS DEFECT CLASSIFICATION 23
CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS RISK RANKING 87
CLIENTE CUSTOMER 19
COEFICIENTE DE CONFIANÇA CONFIDENCE COEFFICIENT 15
XLII
XLIII

COEFICIENTE DE CORRELAÇÃO CORRELATION COEFFICIENT 18


COEFICIENTE DE CURTOSE SKEWNESS COEFFICIENT 93
COEFICIENTE DE DETERMINAÇÃO DETERMINATION COEFFICIENT 25
COEFICIENTE DE VARIAÇÃO VARIATION COEFFICIENT 105
COLETA DE DADOS DATA COLLECTION 22
COMISSIONAMENTO COMMISSIONING 13
COMPATIBILIDADE COMPATIBILITY 14
COMPRADOR PURCHASER 72
COMPROMETIMENTO COM A QUALIDADE COMMITMENT TO QUALITY 14
CONCESSÃO CONCESSION 14
CONCLUSÃO DA AUDITORIA DA QUALIDADE QUALITY AUDIT CONCLUSION 75
CONDIÇÃO AMBIENTAL ENVIRONMENTAL CONDITION 29
CONDIÇÕES DE REFERÊNCIA REFERENCE CONDITIONS 84
CONFIABILIDADE RELIABILITY 85
CONFIRMAÇÃO METROLÓGICA METROLOGICAL CONFIRMATION 55
CONFORMIDADE CONFORMITY 15
CONSTATAÇÃO DA AUDITORIA DA QUALIDADE QUALITY AUDIT FINDING 75
CONSULTOR CONSULTANT 16
CONTRATO CONTRACT 17
CONTROLE DA QUALIDADE (CQ) QUALITY CONTROL (QC) 76
CONTROLE DE DOCUMENTAÇÃO DOCUMENTATION CONTROL 26
CONTROLE DE MATERIAL MATERIAL CONTROL 54
CONTROLE DE PRODUÇÃO PRODUCTION CONTROL 71
CONTROLE DE RECEBIMENTO RECEIVING CONTROL 83
CONTROLE DO PROCESSO PROCESS CONTROL 69
CONTROLE OPERACIONAL OPERATIONAL CONTROL 63
CORREÇÃO CORRECTION 17
CREDENCIAMENTO ACCREDITATION 3
CRITÉRIOS DA AUDITORIA DA QUALIDADE QUALITY AUDIT CRITERIA 75
CRITÉRIOS DE ACEITAÇÃO-REJEIÇÃO ACCEPTANCE AND REJECTION CRITERIA 3
CULTURA CULTURE 18
CURTOSE SKEWNESS 93
CURVA CARACTERÍSTICA DE OPERAÇÃO OPERATING CHARACTERISTIC CURVE 62
CURVA DE INSPEÇÃO TOTAL MÉDIA AVERAGE TOTAL INSPECTION CURVE 7
CURVA DO NÚMERO MÉDIO DE AMOSTRAS AVERAGE SAMPLE NUMBER CURVE 6
CUSTO COSTS 18
CUSTO DE AVALIAÇÃO APPRAISAL COSTS 4
CUSTO DE CONFORMIDADE CONFORMANCE COSTS 15
CUSTO DE FALHAS EXTERNAS EXTERNAL FAILURE COSTS 31
CUSTO DE FALHAS INTERNAS INTERNAL FAILURE COSTS 44
CUSTOS DE NÃO-CONFORMIDADE NONCONFORMANCE COSTS 59
CUSTOS DE PREVENÇÃO PREVENTION COSTS 67
D
DADOS DATA 22
DADOS DE ENSAIO TEST DATA 99
XLIV
XLV

DADOS QUALITATIVOS QUALITATIVE DATA 74


DADOS QUANTITATIVOS QUANTITATIVE DATA 80
DADOS SECUNDÁRIOS SECONDARY DATA 91
DEDUÇÃO DEDUCTION 22
DEFEITO DEFECT 22
DEFEITOS POR UNIDADE DEFECTS PER UNIT 23
DELEGAÇÃO DE PODER EMPOWERMENT 29
DEMÉRITO DEMERIT 23
DEPENDABILIDADE DEPENDABILITY 24
DESDOBRAMENTO DEPLOYMENT 24
DESEMPENHO PERFORMANCE 66
DESEMPENHO NO CAMPO FIELD PERFORMANCE 34
DESENVOLVIMENTO DA QUALIDADE QUALITY DEVELOPMENT 76
DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO PROCESS DEVELOPMENT 69
DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO PRODUCT DEVELOPMENT 70
DESVIO DEVIATION 25
DESVIO MÉDIO AVERAGE DEVIATION 6
DESVIO QUARTÍLICO QUARTILE DEVIATION 80
DESVIO-PADRÃO STANDARD DEVIATION 94
DESVIO-PADRÃO DA AMOSTRA SAMPLE STANDARD DEVIATION 89
DETECÇÃO DETECTION 25
DIAGRAMA DIAGRAM 25
DIAGRAMA DE AFINIDADES AFFINITY DIAGRAM 4
DIAGRAMA DE CAUSA-E-EFEITO CAUSE-EFFECT DIAGRAM 11
DIAGRAMA DE DISPERSÃO SCATTER PLOT 90
DIAGRAMA DE ESPINHA-DE-PEIXE FISHBONE DIAGRAM 35
DIAGRAMA DE ISHIKAWA ISHIKAWA DIAGRAM 45
DIAGRAMA DE RELAÇÕES RELATIONS DAGRAM 85
DIAGRAMA DE SETAS ARROW DIAGRAM 5
DIRETRIZ GUIDELINE 38
DISPOSIÇÃO DE ITEM NÃO-CONFORME DISPOSITION OF NONCONFORMING ITEM 26
DISTRIBUIÇÃO BINOMIAL BINOMIAL DISTRIBUTION 9
DISTRIBUIÇÃO CONDICIONAL CONDITIONAL DISTRIBUTION 15
DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS FREQUENCY DISTRIBUTION 36
DISTRIBUIÇÃO DE POISSON POISSON DISTRIBUTION 66
DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADES PROBABILITY DISTRIBUTION 68
DISTRIBUIÇÃO F F DISTRIBUTION 33
DISTRIBUIÇÃO HIPERGEOMÉTRICA HYPERGEOMETRIC DISTRIBUTION 40
DISTRIBUIÇÃO NORMAL NORMAL DISTRIBUTION 60
DISTRIBUIÇÃO QUI-QUADRADO CHI-SQUARE DISTRIBUTION 13
DISTRIBUIÇÃO t t DISTRIBUTION 98
DOCUMENTAÇÃO DOCUMENTATION 26
DOCUMENTO DOCUMENT 26
DONO DO PROCESSO PROCESS OWNER 69
DURABILIDADE DURABILITY 27
XLVI
XLVII

E
EFICÁCIA EFFECTIVENESS 29
EFICIÊNCIA EFFICIENCY 29
EMBALAGEM PACKAGING 65
EMENDA AMENDMENT 4
EMPRESA COMPANY 14
ENFOQUE METHOD 55
ENGENHARIA DO VALOR VALUE ENGINEERING 104
ENSAIO TEST 99
ENSAIO ACELERADO ACCELERATED TESTING 2
ENSAIO BILATERAL TWO-SIDED TEST 100
ENSAIO DE VIDA ACELERADO ACCELERATED LIFE TESTING 2
ENSAIO NÃO-DESTRUTIVO (END) NONDESTRUCTIVE TESTING (NDT) 59
ENSAIO UNILATERAL ONE-SIDED TEST 62
ENTIDADE ENTITY 29
ENTRA LIXO, SAI LIXO GARBAGE IN, GARBAGE OUT 38
ENTRADA INPUT 43
ENTREGA DELIVERY 23
EQUIPAMENTO DE INSPEÇÃO INSPECTION EQUIPMENT 43
EQUIPAMENTO DE MEDIÇÃO MEASURING EQUIPMENT 55
EQUIPE INTERFUNCIONAL CROSS-FUNCTIONAL TEAM 18
EQUIPE MULTIFUNCIONAL MULTI-FUNCTIONAL TEAM 56
ERRO ERROR 30
ERRO DE AMOSTRAGEM SAMPLING ERROR 89
ERRO DE MEDIÇÃO ERROR OF MEASUREMENT 30
ERRO-PADRÃO STANDARD ERROR 94
ERROS DE INSPEÇÃO INSPECTION ERRORS 43
ESCALA SCALE 90
ESPECIFICAÇÃO SPECIFICATION 93
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TECHNICAL SPECIFICATION 98
ESQUEMA DE AMOSTRAGEM SAMPLING SCHEME 90
ESTABILIDADE STABILITY 94
ESTADO DA ARTE STATE OF ART 94
ESTATÍSTICA STATISTICS 95
ESTÉTICA AESTHETICS 4
ESTIMADOR ESTIMATOR 30
ESTIMADOR NÃO-TENDENCIOSO UNBIASED ESTIMATOR 102
ESTRATIFICAÇÃO STRATIFICATION 95
ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ORGANIZATIONAL STRUCTURE 63
ESTUDO DA CAPABILIDADE DO PROCESSO PROCESS CAPABILITY STUDY 69
EVENTO EVENT 30
EVENTO COMPOSTO COMPOUND EVENT 14
EVIDÊNCIA OBJETIVA OBJECTIVE EVIDENCE 62
EXATIDÃO ACCURACY 3
EXPECTATIVA DE VIDA LIFE EXPECTANCY 50
XLVIII
XLIX

EXPECTATIVAS DO CLIENTE CUSTOMER EXPECTATIONS 19


EXPEDIÇÃO DISPATCH 25
EXPERIMENTO EXPERIMENT 30
F
FAIXA DE MEDIÇÃO ESPECIFICADA SPECIFIED MEASURING RANGE 93
FALHA FAILURE 33
FATOR FACTOR 33
FERRAMENTAS DA QUALIDADE QUALITY TOOLS 80
FLUXOGRAMA FLOW-CHART 35
FOCO NO CLIENTE CUSTOMER FOCUS 19
FOLHA DE OPERAÇÃO OPERATION SHEET 63
FOLHA DE VERIFICAÇÃO CHECK SHEET 13
FOOLPROOF FOOLPROOF 35
FORNECEDOR SUPPLIER 96
FORNECIMENTO SUPPLY 96
FRAÇÃO DEFEITUOSA FRACTION DEFECTIVE 36
FREQÜÊNCIA FREQUENCY 36
FREQÜÊNCIA ACUMULADA CUMULATIVE FREQUENCY 19
FREQÜÊNCIA RELATIVA RELATIVE FREQUENCY 85
FUNÇÃO FUNCTION 36
G
GARANTIA DA QUALIDADE QUALITY ASSURANCE 74
GERENTE DA QUALIDADE QUALITY MANAGER 77
GESTÃO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT 77
GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL TOTAL QUALITY MANAGEMENT 100
GESTÃO DE RISCOS RISK MANAGEMENT 87
GRÁFICO DE CONTROLE CONTROL CHART 17
GRÁFICO DE CONTROLE POR ATRIBUTOS ATTRIBUTE CONTROL CHART 5
GRÁFICO DE CONTROLE POR VARIÁVEIS VARIABLE CONTROL CHART 104
GRÁFICO DE GANTT GANTT CHART 38
GRÁFICO DE LOTE LOT PLOT 51
GRÁFICO DE MÉDIAS AVERAGE CHART 6
GRÁFICO DE PIZZA PIE CHART 66
GRÁFICO DE SOMA CUMULATIVA (SOCUM) CUMULATIVE SUM CHART (CUSUM) 19
GRAU DE DEMONSTRAÇÃO DEGREE OF DEMONSTRATION 23
GRAU DE LIBERDADE DEGREE OF FREEDOM 23
H
HIPÓTESE HYPOTHESIS 40
HIPÓTESE ALTERNATIVA ALTERNATIVE HYPOTHESIS 4
HIPÓTESE NULA NULL HYPOTHESIS 60
HISTOGRAMA HISTOGRAM 40
I
IMPLEMENTAÇÃO DA QUALIDADE QUALITY IMPLEMENTATION 77
INCERTEZA UNCERTAINTY 102
INFERÊNCIA ESTATÍSTICA STATISTICAL INFERENCE 94
L
LI

INSATISFAÇÃO DO CLIENTE CUSTOMER DISSATISFACTION 19


INSPEÇÃO DA "PRIMEIRA PEÇA" FIRST PIECE INSPECTION 35
INSPEÇÃO DE RECEBIMENTO RECEIVING INSPECTION 83
INSPEÇÃO DE RONDA PATROL INSPECTION 65
INSPEÇÃO DE ROTINA ROUTINE INSPECTION 87
INSPEÇÃO DURANTE O PROCESSO IN-PROCESS INSPECTION 43
INSPEÇÃO FINAL FINAL INSPECTION 34
INSPEÇÃO NORMAL NORMAL INSPECTION 60
INSPEÇÃO REDUZIDA REDUCED INSPECTION 83
INSPEÇÃO RETIFICADORA RECTIFYING INSPECTION 83
INSPEÇÃO TOTAL MÉDIA (ITM) AVERAGE TOTAL INSPECTION (ATI) 7
INSPEÇÃO VISUAL VISUAL INSPECTION 105
INSPEÇÃO INSPECTION 43
INSPETOR INSPECTOR 44
INSTRUÇÃO INSTRUCTION 44
INSTRUÇÃO DE TRABALHO WORK INSTRUCTION 107
INSTRUMENTAÇÃO INSTRUMENTATION 44
INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO MEASURING INSTRUMENT 55
INTERCAMBIALIDADE INTERCHANGEABILITY 44
INTERVALO INTERVAL 45
INTERVALO DE CLASSE CLASS INTERVAL 13
INTERVALO DE CONFIANÇA CONFIDENCE INTERVAL 15
INTERVALO DE TOLERÂNCIA TOLERANCE INTERVAL 100
INVESTIGAÇÃO INVESTIGATION 45
ISO ISO 45
ITEM ITEM 45
ITEM DEFEITUOSO DEFECTIVE ITEM 23
J
K
L
LABORATÓRIO LABORATORY 50
LIDERANÇA LEADERSHIP 50
LIMITE DA QUALIDADE MÉDIA RESULTANTE (LQMR) AVERAGE OUTGOING QUALITY LIMIT (AOQL) 6
LIMITE DE CLASSE CLASS BOUNDARY 13
LIMITES DE CONFIANÇA CONFIDENCE LIMITS 15
LIMITES DE CONTROLE CONTROL LIMITS 17
LIMITES DE ERRO PERMISSÍVEL LIMITS OF PERMISSIBLE ERROR 50
LIMITES DE ESPECIFICAÇÃO SPECIFICATION LIMITS 93
LINHA CENTRAL CENTRAL LINE 11
LISTA DE VERIFICAÇÃO CHECKLIST 13
LOTE BATCH 9
M
MANTENABILIDADE MAINTAINABILITY 53
MANUAL DA QUALIDADE QUALITY MANUAL 78
MANUSEIO HANDLING 40
LII
LIII

MANUTENÇÃO MAINTENANCE 53
MATERIAL MATERIAL 54
MATERIAL DE REFERÊNCIA REFERENCE MATERIAL 84
MATÉRIA-PRIMA RAW MATERIAL 83
MATRIZ MATRIX 54
MATURIDADE DE PROJETO DESIGN MATURITY 24
MÉDIA DA AMOSTRA SAMPLE AVERAGE 89
MÉDIA GEOMÉTRICA GEOMETRIC AVERAGE 38
MÉDIA HARMÔNICA HARMONIC MEAN 40
MÉDIA QUADRÁTICA QUADRATIC MEAN 74
MEDIANA MEDIAN 55
MEDIÇÃO MEASUREMENT 54
MEDIDAS DE DISPERSÃO DISPERSION MEASURES 26
MEDIDAS DE POSIÇÃO POSITION MEASURES 66
MEIO AMBIENTE ENVIRONMENT 29
MELHORIA CONTÍNUA DA QUALIDADE QUALITY CONTINUAL IMPROVEMENT 75
MELHORIA DO PROCESSO PROCESS IMPROVEMENT 69
MÊS DA QUALIDADE QUALITY MONTH 78
MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS LEAST SQUARES METHOD 50
MÉTODO KJ KJ METHOD 48
METROLOGIA METROLOGY 56
MIL-STD MIL-STD 56
MODELO MODEL 56
MODIFICAÇÃO MODIFICATION 56
MONITORAMENTO MONITORING 56
MULTIPLICADOR MULTIPLIER 57
N
NÃO-CONFORMIDADE NONCONFORMITY 59
NECESSIDADES DO CLIENTE CUSTOMER NEEDS 19
NÍVEL DE CONFIANÇA CONFIDENCE LEVEL 15
NÍVEL DE INSPEÇÃO INSPECTION LEVEL 43
NÍVEL DE QUALIDADE QUALITY LEVEL 77
NÍVEL DE QUALIDADE ACEITÁVEL (NQA) ACCEPTABLE QUALITY LEVEL (AQL) 2
NOMOGRAMA NOMOGRAPH 59
NORMA STANDARD 94
NORMA DE OPERAÇÃO OPERATION STANDARD 63
NORMA INTERNACIONAL INTERNATIONAL STANDARD 45
NORMA NACIONAL NATIONAL STANDARD 59
NORMALIZAÇÃO STANDARDIZATION 94
NÚMERO MÉDIO DE AMOSTRAS AVERAGE SAMPLE NUMBER 6
NÚMEROS ALEATÓRIOS RANDOM NUMBERS 82
O
OBJETIVO OBJECTIVE 62
OBJETIVO DA QUALIDADE QUALITY OBJECTIVE 78
OBSERVAÇÃO OBSERVATION 62
LIV
LV

OBSERVAÇÃO DA AUDITORIA AUDIT OBSERVATION 5


OBSERVAÇÃO DA AUDITORIA DA QUALIDADE QUALITY AUDIT OBSERVATION 75
OPERAÇÃO OPERATION 62
OPORTUNIDADE OPPORTUNITY 63
ORGANISMO CERTIFICADOR CERTIFICATION BODY 12
ORGANISMO DE PRIMEIRA PARTE FIRST PARTY 35
ORGANISMO DE SEGUNDA PARTE SECOND PARTY 91
ORGANISMO DE TERCEIRA PARTE THIRD PARTY 99
ORGANISMO NACIONAL DE NORMALIZAÇÃO NATIONALSTANDARDS BODY 59
ORGANIZAÇÃO ORGANIZATION 63
P
PARÂMETRO PARAMETER 65
PARCERIA PARTNERSHIP 65
PARTES INTERESSADAS INTERESTED PARTIES 44
PEDIDO DE COMPRA PURCHASE ORDER 72
PERDA LOSS 51
PERDA DA QUALIDADE QUALITY LOSS 77
PERIGO POTENCIAL POTENTIAL HAZARD 66
PESQUISA DE MARKETING MARKETING RESEARCH 53
PLANEJAMENTO DA QUALIDADE QUALITY PLANNING 78
PLANEJAMENTO DO PRODUTO PRODUCT PLANNING 71
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO STRATEGIC PLANNING 95
PLANO DA QUALIDADE QUALITY PLAN 78
PLANO DE AÇÃO ACTION PLAN 3
PLANO DE AMOSTRAGEM SAMPLING PLAN 90
PLANO DE AMOSTRAGEM CONTÍNUA CONTINUOUS SAMPLING PLAN 16
PLANO DE AMOSTRAGEM DUPLA DOUBLE SAMPLING PLAN 26
PLANO DE AMOSTRAGEM EM CADEIA CHAIN SAMPLING PLAN 12
PLANO DE AMOSTRAGEM MÚLTIPLA MULTIPLE SAMPLING PLAN 57
PLANO DE AMOSTRAGEM SEQÜENCIAL SEQUENTIAL SAMPLING PLAN 91
PLANO DE AMOSTRAGEM SIMPLES SINGLE SAMPLING PLAN 92
PLANO DE DEPENDABILIDADE DEPENDABILITY PLAN 24
PLANO DE MEDIÇÃO MEASUREMENT PLAN 54
POLÍGONO DE FREQÜÊNCIAS FREQUENCY POLYGON 36
POLÍTICA DA QUALIDADE QUALITY POLICY 78
PONTO DE ESPERA HOLD POINT 40
PONTO DE INSPEÇÃO INSPECTION STATION 43
PONTO MÉDIO DE CLASSE MID-POINT OF CLASS 56
POPULAÇÃO POPULATION 66
POPULAÇÃO-ALVO TARGET POPULATION 98
PRECISÃO PRECISION 67
PRÉ-CONTROLE PRE-CONTROL 67
PRÊMIO DEMING DEMING PRIZE 23
PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE MALCOLM BALDRIGE MALCOLM BALDRIGE NATIONAL QUALITY AWARD 53
PRINCÍPIO DE PARETO PARETO PRINCIPLE 65
LVI
LVII

PROBABILIDADE LIKELIHOOD 50
PROBABILIDADE A POSTERIORI A POSTERIORI PROBABILITY 2
PROBABILIDADE A PRIORI A PRIORI PROBABILITY 2
PROBLEMA PROBLEM 68
PROCEDIMENTO PROCEDURE 68
PROCEDIMENTO DE AMOSTRAGEM SAMPLING PROCEDURE 90
PROCESSAMENTO AUTOMÁTICO DE DADOS ELECTRONIC DATA PROCESSING 29
PROCESSO PROCESS 68
PROCESSO CONTROLADO IN-CONTROL PROCESS 43
PROCESSO DE PRODUÇÃO PRODUCTION 71
PROCESSO DE QUALIFICAÇÃO QUALIFICATION PROCESS 74
PROCESSO FORA DE CONTROLE OUT-OF-CONTROL PROCESS 63
PROCESSOS ESPECIAIS SPECIAL PROCESSES 93
PRODUTIVIDADE PRODUCTIVITY 71
PRODUTO PRODUCT 70
PRODUTO FINAL FINAL PRODUCT 34
PROGRAMA PROGRAMME 71
PROGRAMA DE DEPENDABILIDADE DEPENDABILITY PROGRAMME 24
PROJETO DESIGN 24
PROJETO DE EXPERIMENTOS DESIGN OF EXPERIMENTS 25
PROJETO DO PRODUTO PRODUCT DESIGN 70
PROPOSTA TENDER 99
PROTÓTIPO PROTOTYPE 71
Q
QUALIDADE QUALITY 74
QUALIDADE DO PROJETO DESIGN QUALITY 25
QUALIDADE LIMITE (QL) LIMITING QUALITY (LQ) 50
QUALIDADE MÉDIA RESULTANTE (QMR) AVERAGE OUTGOING QUALITY (AOQ) 6
QUANTIDADE DE INFLUÊNCIA INFLUENCE QUANTITY 43
QUARTIL QUARTILE 80
R
RASTREABILIDADE TRACEABILITY 100
REALIMENTAÇÃO FEEDBACK 34
RECERTIFICAÇÃO RE-CERTIFICATION 83
RECIPROCIDADE RECIPROCAL 83
REDUÇÃO REDUCTION 84
REENGENHARIA RE-ENGINEERING 84
REFERÊNCIA REFERENCE 84
REGISTRO DA QUALIDADE QUALITY RECORD 79
REGRESSÃO REGRESSION 84
REJEIÇÃO REJECTION 84
RELATÓRIO REPORT 85
RELATÓRIO DE INSPEÇÃO INSPECTION REPORT 44
REPARO REPAIR 85
REPETITIVIDADE REPEATABILITY 85
LVIII
LIX

REPLICAÇÃO REPLICATION 85
REPRODUTIVIDADE REPRODUCIBILITY 86
REQUISITO REQUIREMENT 86
REQUISITOS DA QUALIDADE QUALITY REQUIREMENTS 79
REQUISITOS DA SOCIEDADE REQUIREMENTS OF SOCIETY 86
REQUISITOS DO CLIENTE CUSTOMER REQUIREMENTS 20
RESOLUÇÃO RESOLUTION 86
RESPONSABILIDADE RESPONSIBILITY 86
RESPONSABILIDADE PELO PROCESSO PROCESS LIABILITY 69
RESPONSABILIDADE PELO PRODUTO PRODUCT LIABILITY 70
RETIFICAÇÃO RECTIFICATION 83
RETRABALHO REWORK 86
RISCO DO CONSUMIDOR CONSUMER'S RISK 16
RISCO DO PRODUTOR PRODUCER'S RISK 70
ROBUSTEZ ROBUSTNESS 87
S
SAÍDA OUTPUT 63
SATISFAÇÃO DO CLIENTE CUSTOMER SATISFACTION 20
SEGREGAÇÃO DE PRODUTO NÃO-CONFORME SEGREGATION OF NONCONFORMING PRODUCT 91
SEGURANÇA SAFETY 89
SEIS SIGMA SIX SIGMA 92
SELEÇÃO DA AMOSTRA SAMPLE SELECTION 89
SERVICIBILIDADE SERVICEABILITY 91
SERVIÇO SERVICE 91
SETE FERRAMENTAS DO CONTROLE DA QUALIDADE SEVEN QUALITY CONTROL TOOLS 92
SET-UP SET-UP 92
SHAKE DOWN SHAKE DOWN 92
SISTEMA SYSTEM 96
SISTEMA DA QUALIDADE QUALITY SYSTEM 79
SISTEMA DE AMOSTRAGEM SAMPLING SYSTEM 90
SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO CERTIFICATION SYSTEM 12
SISTEMA DE CONTROLE DA QUALIDADE QUALITY CONTROL SYSTEM 76
SISTEMA DE MEDIÇÃO MEASUREMENT SYSTEM 54
SOLUÇÃO DE PROBLEMA PROBLEM-SOLVING 68
STORYBOARDING STORYBOARDING 95
SUBCONTRATAÇÃO SUB-CONTRACT 96
SUBGRUPO SUBGROUP 96
SUBGRUPO RACIONAL RATIONAL SUBGROUP 82
SUCATA SCRAP 90
T
TABELA DE CONTINGÊNCIA CONTINGENCY TABLE 16
TAMANHO DA AMOSTRA SAMPLE SIZE 89
TAREFA TASK 98
TÉCNICAS ESTATÍSTICAS STATISTICAL TECHNIQUES 95
TECNOLOGIA TECHNOLOGY 98
LX
LXI

TEMPESTADE DE IDÉIAS BRAINSTORMING 9


TEMPO DE CICLO CYCLE TIME 20
TENDÊNCIA TENDENCY 98
TENDÊNCIA CENTRAL CENTRAL TENDENCY 11
TEOREMA DO LIMITE CENTRAL CENTRAL LIMIT THEOREM 11
TESTE DE FISHER FISHER'S TEST 35
TESTE DE HIPÓTESES HYPOTHESIS TESTING 41
TOLERÂNCIA TOLERANCE 99
U
UNIDADE DE AMOSTRAGEM SAMPLING UNIT 90
UNIDADE VARIANTE VARIABLE UNIT 104
UNIVERSO UNIVERSE 102
USUÁRIO USER 102
V
VALIDAÇÃO VALIDATION 104
VALOR ESPERADO EXPECTED VALUE 30
VALOR VERDADEIRO TRUE VALUE 100
VALOR VERDADEIRO CONVENCIONAL CONVENTIONAL TRUE VALUE 17
VANTAGEM COMPETITIVA COMPETITIVE ADVANTAGE 14
VARIABILIDADE VARIABILITY 104
VARIABILIDADE DO PROCESSO PROCESS VARIABILITY 70
VARIAÇÃO VARIATION 104
VARIÂNCIA VARIANCE 104
VARIÁVEL VARIABLE 104
VARIÁVEL ALEATÓRIA RANDOM VARIABLE 82
VARIÁVEL DE RESPOSTA RESPONSE VARIABLE 86
VERIFICAÇÃO VERIFICATION 105
VIDA EM PRATELEIRA SHELF-LIFE 92
W
X
Y
Z
ZERO DEFEITO ZERO DEFECT 111
1

A
2
A POSTERIORI PROBABILITY PROBABILIDADE A POSTERIORI
Diz-se da probabilidade que foi revista, com base numa
nova informação.

A PRIORI PROBABILITY PROBABILIDADE A PRIORI


Probabilidade atribuída a um ou mais eventos antes da
obtenção de informações experimentais ou amostrais, ou
seja, independente da realização do experimento.

ACCELERATED LIFE TESTING ENSAIO DE VIDA ACELERADO


Ensaio de vida no qual a solicitação é aumentada para
um nível acima do máximo especificado para a
característica do item (componente) sob ensaio.

ACCELERATED TESTING ENSAIO ACELERADO


Ensaio no qual é aplicado um nível de esforço que
excede as condições de referência, com o objetivo de
encurtar o tempo requerido para observar a resposta do
item objeto de ensaio, ao esforço, ou medir a resposta
(resultado) em um determinado tempo.

ACCEPTABLE ACEITÁVEL
Condição em que materiais, itens, produtos, serviços,
processos ou sistemas atendem aos requisitos da
qualidade normatizados, especificados ou acordados.

ACCEPTABLE QUALITY LEVEL (AQL) NÍVEL DE QUALIDADE ACEITÁVEL (NQA)


Máxima porcentagem defeituosa (ou número máximo de
defeitos ou não-conformidades) que, para fins de
aceitação por amostragem, pode ser considerada
satisfatória como média de um processo ou série
contínua de lotes.

ACCEPTANCE ACEITAÇÃO
Decisão de que um processo está operando de forma
satisfatória quanto às medidas estatísticas que estejam
sendo plotadas.

ACCEPTANCE AND REJECTION CRITERIA CRITÉRIOS DE ACEITAÇÃO-REJEIÇÃO


Critérios como números de aceitação e rejeição em
inspeção por amostragem, limites da especificação,
condições contratuais, ou qualquer outro critério com o
3

qual produtos ou serviços sejam avaliados com o


objetivo de aceitação ou rejeição.

ACCEPTANCE SAMPLING AMOSTRAGEM PARA ACEITAÇÃO


Metodologia de inspeção por amostragem cujos
resultados servem de base para uma tomada de decisão
quanto à aceitação ou não-aceitação de materiais, itens,
produtos ou serviços.

ACCESSIBILITY ACESSIBILIDADE
Grau em que clientes de determinados segmentos de
mercado são atingidos e satisfeitos por produtos e/ou
serviços.

ACCREDITATION CREDENCIAMENTO
Reconhecimento da capacidade técnica de uma entidade
para executar serviços em determinada área de atuação,
faixa e incerteza de medição.

ACCURACY EXATIDÃO
Proximidade entre um valor observado e o valor aceito
como referência.

ACHIEVEMENT ATENDIMENTO
Velocidade, competência, cortesia e disponibilidade com
que uma organização ou indivíduo acolhe os clientes e
lhes presta um serviço.

ACTION PLAN PLANO DE AÇÃO


Plano que descreve as orientações de médio e longo
prazos da direção, com objetivos, metas e formas de
avaliação.

ADJUSTMENT AJUSTE
1. Procedimento que consiste em descobrir se os pontos
representativos de uma série em um gráfico parecem se
alinhar segundo uma parte de curva e em determinar qual
é a curva que melhor traduz a suposta ligação entre estes
diferentes pontos representativos. 2. Processo de
determinação e aplicação de correção, de forma a reduzir
os erros ou eliminar discrepâncias entre resultados
obtidos. 3. Grau de liberdade ou de aperto entre duas
peças montadas acopladas, sendo uma externa (fêmea) e
4

outra interna (macho).

AESTHETICS ESTÉTICA
Aparência percebida pelo cliente.

AFFINITY DIAGRAM DIAGRAMA DE AFINIDADES


Método utilizado para converter conceitos vagos em
específicos, por meio do uso de linguagens e diagramas
apropriados.

ALTERNATIVE HYPOTHESIS HIPÓTESE ALTERNATIVA


Suposição de que existe desigualdade presente entre as
médias dos valores de uma população que estejam sendo
comparados, ou seja, suposição de que a hipótese nula
não seja verdadeira.

AMENDMENT EMENDA
Documento emitido para corrigir, acrescentar, substituir
ou eliminar disposições de um documento normativo.

APPRAISAL COSTS CUSTO DE AVALIAÇÃO


Somatório dos custos decorrentes das atividades de
inspeção, controle e auditoria da qualidade de produtos e
serviços, com o objetivo de determinar o nível de
qualidade de matérias-primas e produtos/serviços finais.

APPROVAL APROVAÇÃO
Autorização de recebimento, entrega ou utilização de
material, item, produto ou serviço (lote, batelada ou
partida), ou concordância ou permissão para uso de um
processo, planejamento, plano, programa, procedimento,
norma, etc., relativo à qualidade interna ou externamente
à organização.

ARROW DIAGRAM DIAGRAMA DE SETAS


Ferramenta muito semelhante ao gráfico de GANTT,
usada em programação juntamente com a rede PERT
(Program Evaluation and Review Technique) - Técnica
de Avaliação e Revisão de Programa.

ASSESSMENT AVALIAÇÃO
Estimativa ou determinação de valor de alguma coisa ou
5

situação, em comparação com uma especificação ou


padrão, com um objetivo determinado.

ASSIGNABLE CAUSE CAUSA ASSINALÁVEL


Causa determinável de uma variação em uma
característica.

ATTRIBUTE ATRIBUTO
Característica ou propriedade de uma unidade de produto
ou serviço, avaliada quanto à existência ou não de um
requisito especificado ou esperado.

ATTRIBUTE CONTROL CHART GRÁFICO DE CONTROLE POR ATRIBUTOS


Gráfico de controle no qual os dados coletados não
podem ser mensurados, seja pela própria natureza do
processo, seja por fatores econômicos e de
racionalização.

AUDIT OBSERVATION OBSERVAÇÃO DA AUDITORIA


Processo ou resultado da determinação da presença ou
ausência de atributos, ou realização de medidas ou
análise de uma variável.

AUTHORITY AUTORIDADE
Direito de dispor de recursos, incluindo as pessoas, de
acordo com arbítrio e discernimento pessoal, com o
objetivo de realizar um trabalho ou desempenhar um
cargo.
AUTOMATION AUTOMAÇÃO
Característica projetada para uma máquina que a torna
capaz de "sentir" seu mal funcionamento e de parar de
funcionar.

AVERAGE CHART GRÁFICO DE MÉDIAS


Gráfico de controle no qual a média de subgrupos X é
usada para avaliar a estabilidade do nível do processo.

AVERAGE DEVIATION DESVIO MÉDIO


Média aritmética dos desvios absolutos de uma série de
termos, tomados em relação à sua média aritmética.

AVERAGE OUTGOING QUALITY (AOQ) QUALIDADE MÉDIA RESULTANTE (QMR)


Nível de qualidade média esperado de um produto ou
serviço (saída) para um dado valor da qualidade do
produto ou serviço na entrada.
6

AVERAGE OUTGOING QUALITY LIMIT LIMITE DA QUALIDADE MÉDIA RESULTANTE


(AOQL) (LQMR)
Máxima qualidade média resultante para todos os níveis
possíveis de qualidade de recebimento, para uma dado
plano de amostragem para aceitação.

AVERAGE SAMPLE NUMBER NÚMERO MÉDIO DE AMOSTRAS


Número médio de unidades de amostra por lote usado
para tomada de decisões quanto à aceitação ou não-
aceitação de uma população, lote, batelada ou partida.

AVERAGE SAMPLE NUMBER CURVE CURVA DO NÚMERO MÉDIO DE AMOSTRAS


Representação gráfica do número médio de amostras em
função do nível de qualidade.

AVERAGE TOTAL INSPECTION (ATI) INSPEÇÃO TOTAL MÉDIA (ITM)


Número médio de unidades inspecionadas por lote
baseado no tamanho da amostra para lotes aceitos e em
todas as unidades inspecionadas para lotes não-aceitos -
aplicável quando o procedimento determina inspeção
100% dos lotes rejeitados.

AVERAGE TOTAL INSPECTION CURVE CURVA DE INSPEÇÃO TOTAL MÉDIA


Curva que indica a quantidade média de todas as
unidades inspecionadas por lote, incluindo a inspeção por
amostragem para os lotes aceitos e a inspeção 100% para
os lotes rejeitados, em função do percentual de
defeituosas no lote.
7

B
8

BATCH LOTE
Quantidade definida de material, itens, unidades de
produto ou serviço a serem produzidos, em fase de
produção ou já produzidos, sob condições uniformes e
dentro de um mesmo período de tempo.

BENCHMARKING BENCHMARKING
Processo sistemático e contínuo de avaliação de
estratégias, operações, processos, metodologias de
trabalho, produtos e serviços de organizações que
efetivamente pratiquem e sejam reconhecidas como
melhores de uma determinada classe e como exemplos
organizacionais.

BIAS ERRO SISTEMÁTICO


1. Diferença entre um valor supostamente exato e um
valor de referência. 2. Erro que ocorre em medições,
sempre de forma semelhante.

BINOMIAL DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO BINOMIAL


Distribuição discreta utilizada para descrever o número
de ocorrências X de um evento em n testes ou tentativas
independentes, quando a probabilidade p de ocorrência
do evento em cada teste for constante.

BOX PLOT BOX PLOT


Forma resumida de apresentação de uma distribuição em
que são ressaltadas a tendência central ou a média e a
dispersão dos dados.

BRAINSTORMING TEMPESTADE DE IDÉIAS


Técnica utilizada por grupos de trabalho ou equipes da
qualidade para encorajar a geração, esclarecimento e
avaliação de uma lista de idéias, problemas ou tópicos,
de forma criativa e rápida, a respeito de um determinado
assunto.
9

C
10

CALIBRATION CALIBRAÇÃO
1. Conjunto de operações que estabelece, em condições
específicas, a correspondência entre o estímulo e a
resposta de um instrumento ou sistema de medição. 2.
Procedimento metrológico que consiste em ajustar ou
retificar um determinado instrumento de medição e/ou
ensaio a um padrão aferido, de mesma natureza,
rastreado a padrão reconhecido por órgão oficial, para
torná-lo exato. 3. Processo pelo qual uma estação ou
laboratório confere seus resultados ou testa uma
metodologia nova.

CALIBRATION CERTIFICATE CERTIFICADO DE CALIBRAÇÃO


Documento que registra, de forma clara, objetiva e
precisa e de acordo com instruções descritas em métodos
adequados, os resultados de cada calibração ou ensaio de
equipamento ou instrumento de medição.

CAUSE-EFFECT DIAGRAM DIAGRAMA DE CAUSA-E-EFEITO


O mesmo que Diagrama de Ishikawa.

CENTRAL LIMIT THEOREM TEOREMA DO LIMITE CENTRAL


Teorema que estabelece que médias de amostras
tenderão a ser distribuídas normalmente em torno da
média da população, com variância menor do que a
variância individual.

CENTRAL LINE LINHA CENTRAL


Linha em um gráfico de controle representando a média
num período de longo prazo ou um valor padrão da
medida estatística que esteja sendo plotada.

CENTRAL TENDENCY TENDÊNCIA CENTRAL


Propensão de concentração dos valores relativos a uma
amostra ou população em torno de um determinado valor
entre os extremos (menor e maior valores).

CERTIFICATION CERTIFICAÇÃO
1. Ato ou efeito de atestar por escrito a qualificação
técnica de uma organização ou de um profissional. 2.
Atividade de comprovação da qualificação de itens,
materiais, produtos, pessoal ou sistemas da qualidade, no
11

todo ou em parte. 3. Rotina estabelecida que controla,


documenta e qualifica implementações e alterações de
fatores de processo.

CERTIFICATION BODY ORGANISMO CERTIFICADOR


Organismo imparcial, governamental ou não, ou a
organização da qualidade do fornecedor, que goza da
necessária competência, confiabilidade e integridade para
certificar um sistema da qualidade, compreendendo os
serviços e operações necessárias, por meio do qual estão
representadas todas as partes que dizem respeito ao
funcionamento do sistema.

CERTIFICATION SYSTEM SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO


Conjunto de regras e procedimentos para a condução das
atividades de certificação e para o seu gerenciamento.

CHAIN SAMPLING AMOSTRAGEM EM CADEIA


Inspeção por amostragem na qual o critério para
aceitação ou rejeição do lote depende em parte dos
resultados da inspeção dos lotes imediatamente
precedentes.

CHAIN SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM EM CADEIA


Inspeção por amostragem na qual o critério para
aceitação ou não-aceitação do lote depende em parte dos
resultados da inspeção dos lotes imediatamente
precedentes.

CHARACTERISTIC CARACTERÍSTICA
Aspecto funcional de um item, processo ou serviço
possuindo uma ou mais particularidades mensuráveis.

CHARACTERIZATION CARACTERIZAÇÃO
Desenvolvimento de um modelo matemático que
representa o desempenho de um material, item, produto
ou processo.

CHECK SHEET FOLHA DE VERIFICAÇÃO


Formulário no qual um conjunto de dados pode ser
sistematicamente coletado e registrado de maneira
ordenada e uniforme, permitindo rápida interpretação de
resultados.
12

CHECKLIST LISTA DE VERIFICAÇÃO


Documento que relaciona ações e providências relativas
a tarefas e atividades de execução, análise, controle,
auditoria ou garantia da qualidade, estabelecidas em
manuais, procedimentos ou instruções do sistema da
qualidade, com o objetivo de chamar a atenção, orientar,
padronizar e registrar essas ações e providências.

CHI-SQUARE DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO QUI-QUADRADO


Distribuição da soma quadrática de variáveis aleatórias
normais padronizadas independentes.

CLASS BOUNDARY LIMITE DE CLASSE


Cada um dos valores máximo e mínimo das fronteiras de
uma classe.

CLASS INTERVAL INTERVALO DE CLASSE


1. Amplitude de uma classe, ou seja, diferença entre o
maior valor (limite superior) e o menor valor (limite
inferior) de uma classe. 2. Em uma distribuição de
freqüências que apresente classes de mesma largura, é a
diferença entre quaisquer dois valores médios
consecutivos.

COMMISSIONING COMISSIONAMENTO
Ato da entrega de um equipamento ou instalação pela
equipe de projeto à equipe de operação, em condições de
operação e conforme previsto.
COMMITMENT TO QUALITY COMPROMETIMENTO COM A QUALIDADE
Envolvimento efetivo de uma empresa, por meio de seus
representantes de mais alto nível e de todos os
funcionários nos esforços de aperfeiçoamento da
qualidade em toda a sua extensão.

COMPANY EMPRESA
1. Parte interessada num negócio de fabricação,
produção, fornecimento ou aquisição de produto,
prestação ou compra de serviço. 2. Conjunto de fatores
de produção materiais e imateriais reunidos sob a
autoridade de um indivíduo ou de um grupo para atrair,
por meio da produção de bens e serviços, uma clientela e
daí obter rendimento monetário. 3. Coletividade em que
se justapõem competência, uma sociedade organizada
por relações hierárquicas, uma comunidade de trabalho e
13

de objetivos.

COMPATIBILITY COMPATIBILIDADE
Conveniência ou adaptação de produtos e/ou serviços
para serem utilizados em conjunto, sob condições
especificadas, de forma a cumprir com requisitos
relevantes, sem causar interações inaceitáveis.

COMPETITIVE ADVANTAGE VANTAGEM COMPETITIVA


Vantagem sobre os concorrentes, obtida pela oferta de
produtos e/ou serviços de maior valor, maior qualidade,
maiores benefícios aos clientes.

COMPOUND EVENT EVENTO COMPOSTO


Evento cuja ocorrência ou não-ocorrência afeta a
probabilidade de ocorrência do(s) outro(s) evento(s).

CONCESSION CONCESSÃO
Autorização por escrito concedida por um representante
da qualidade devidamente qualificado e autorizado para
tal, de entrega ao cliente de materiais, itens ou produtos
não-conformes com a especificação.

CONDITIONAL DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO CONDICIONAL


Distribuição de um subconjunto de p variáveis aleatórias
de uma distribuição de probabilidade a k variáveis
aleatórias, quando as outras (k-p) variáveis aleatórias
assumem valores fixos.

CONFIDENCE COEFFICIENT COEFICIENTE DE CONFIANÇA


Probabilidade de que um intervalo referente a uma
amostra estatística realmente inclua o parâmetro da
população.

CONFIDENCE INTERVAL INTERVALO DE CONFIANÇA


Faixa de valores entre dois limites de uma característica
da qualidade que, dentro da confiança estabelecida,
necessariamente conterá a média prevista.

CONFIDENCE LEVEL NÍVEL DE CONFIANÇA


Valor da probabilidade associado com um intervalo de
confiança ou um intervalo de tolerância estatística, ou
seja, probabilidade de que um determinado intervalo de
confiança, calculado a partir de um valor amostral,
contenha o verdadeiro valor da população.
14

CONFIDENCE LIMITS LIMITES DE CONFIANÇA


Limites superior e inferior de uma amostra estatística
que, para um determinado coeficiente de confiança,
inclui o parâmetro da população.

CONFORMANCE COSTS CUSTO DE CONFORMIDADE


Custos incorridos para a busca da conformidade aos
requisitos de clientes e na prevenção de defeitos ou não-
conformidades.

CONFORMITY CONFORMIDADE
1. Estado de concordância entre a real qualidade e a
qualidade planejada. 2. Cumprimento total por um
material, item, produto, serviço, processo ou sistema das
exigências de qualidade. 3. Julgamento ou indicação
afirmativa de que um produto ou serviço atende aos
requisitos de especificação, contrato, regulamentação ou
acordo firmado.
CONFORMITY ASSESSMENT AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE
Ensaio ou avaliação de um sistema, processo, produto ou
serviço quanto ao atendimento a características e/ou
resultado estabelecidos.

CONSULTANT CONSULTOR
Profissional capacitado a introduzir, facilitar a introdução
ou dar prosseguimento à política, planejamento, projeto,
plano ou programa da qualidade, fornecendo subsídios e
esclarecimentos quanto a conceitos, princípios, métodos
e atitudes relacionados à qualidade.

CONSUMER'S RISK RISCO DO CONSUMIDOR


Para um dado plano de amostragem, é a probabilidade de
se aceitar um lote ou batelada cuja qualidade esteja num
nível abaixo do nível indicado para ser aceito pelo plano.

CONTINGENCY TABLE TABELA DE CONTINGÊNCIA


Tabela a dupla entrada aplicável a duas características
qualitativas.

CONTINUOUS SAMPLING AMOSTRAGEM CONTÍNUA


Tipo de amostragem utilizada em linhas de produção
contínua, quando a formação de lotes de unidades de
produto ou serviço para fins de inspeção resultar em
aumento de custo e/ou aumento considerável do trabalho
e tempo de inspeção, quando não houver disponibilidade
15

de todos os meios necessários à inspeção, quando não


existir local para estocagem ou esse for inadequado.

CONTINUOUS SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM CONTÍNUA


Plano para aplicação em fluxo contínuo de unidades
individuais de produto ou serviço que envolve aceitação
ou não-aceitação de cada unidade e usa períodos
alternados de inspeção 100% e por amostragem,
dependendo da qualidade do produto ou serviço.

CONTRACT CONTRATO
Acordo escrito de cunho legal entre comprador e
fornecedor em que as partes estabelecem direitos e
obrigações recíprocas com referência a fornecimento de
material, item, produto ou serviço.

CONTRACT REVIEW ANÁLISE CRÍTICA DE CONTRATO


Avaliação dos requisitos contratuais, realizada tanto pelo
fornecedor quanto pelo comprador, com o objetivo de
assegurar-se de que os requisitos do sistema da qualidade
estejam adequadamente definidos e documentados, e de
que o fornecedor tenha capacidade para atendê-los,
considerando os fatores econômicos e riscos nas
respectivas situações.

CONTROL CHART GRÁFICO DE CONTROLE


Tipo especial de gráfico de linha (diagrama) utilizado
para apresentar e registrar tendências de desempenho
seqüencial ou temporal de um processo, indicando se o
mesmo está sob controle, ou seja, dentro dos limites
especificados.

CONTROL LIMITS LIMITES DE CONTROLE


Limites em um gráfico de controle utilizados como
critérios para sinalizar a necessidade de ação e para
julgamento a respeito do estado de controle estatístico de
um conjunto de dados.

CONVENTIONAL TRUE VALUE VALOR VERDADEIRO CONVENCIONAL


Valor de uma quantidade que, para um dado propósito,
pode ser substituto para o valor verdadeiro.

CORRECTION CORREÇÃO
16

Valor a ser adicionado ao resultado incorreto de uma


medição, de forma a compensar um erro sistemático
assumido.

CORRECTIVE ACTION AÇÃO CORRETIVA


Providência tomada com o objetivo de eliminar as causas
de uma não-conformidade, defeito, falha, a fim de
retificar condições adversas à qualidade e prevenir sua
repetição.

CORRELATION ANALYSIS ANÁLISE DE CORRELAÇÃO


Técnica analítica para deteminar o "grau de afinidade" de
uma variável dependente com um variável independente.

CORRELATION COEFFICIENT COEFICIENTE DE CORRELAÇÃO


Número entre -1 e 1 que indica o grau de correlação
linear entre duas variáveis.

COST-BENEFIT ANALYSIS ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO


Método de análise sistemática e rigorosa de opções de
alternativas, expressas em objetivos específicos para uma
organização.

COSTS CUSTO
Conjunto de valores (materiais, energia, informação,
economia de tempo) destinados ao cliente ou à
sociedade.

CRITICAL PATH CAMINHO CRÍTICO


Sucessão de operações que condicionam o prazo mínimo
de realização de um projeto, normalmente complexo.

CROSS-FUNCTIONAL EQUIPE INTERFUNCIONAL


Tipo de equipe da qualidade composto por membros de
áreas funcionais distintas que tem por objetivo propor
medidas para a melhoria da qualidade e resolver
problemas que afetam mais de uma área funcional.

CULTURE CULTURA
Conjunto de percepções, atitudes e modos de agir, de
instituições e valores espirituais e materiais de uma
organização (grupo social, sociedade, povo).

CUMULATIVE FREQUENCY FREQÜÊNCIA ACUMULADA


17

Soma das freqüências (absoluta ou relativa) dos valores


iguais ou inferiores ao valor dado.

CUMULATIVE SUM CHART (CUSUM) GRÁFICO DE SOMA CUMULATIVA (SOCUM)


Gráfico de controle sobre o qual são assinalados os
valores calculados estatisticamente para uma série de
amostras sucessivas e no qual a ordenada de cada ponto
registrado representa a ordenada do ponto imediatamente
anterior, acrescido do valor estatisticamente calculado da
última amostra.

CUSTOMER CLIENTE
Consumidor final, usuário, beneficiário ou segunda parte
interessada.

CUSTOMER DISSATISFACTION INSATISFAÇÃO DO CLIENTE


1. Estado de não-aceitação com relação a determinada
situação. 2. Não-atendimento aos requisitos da qualidade
esperados ou acordados com os clientes.

CUSTOMER EXPECTATIONS EXPECTATIVAS DO CLIENTE


Tudo o que os clientes gostariam de receber, o que
pensam que pode ser fornecido por uma organização ou
obtida da mesma, a um preço com o qual concordam em
pagar e no prazo que satisfaça seus interesses.

CUSTOMER FOCUS FOCO NO CLIENTE


Ato de organizações que conhecem as atitudes,
necessidades e expectativas do cliente, as concorrentes e
as tendências tecnológicas, que antecipam-se às
demandas do mercado, oferecem um conjunto de
produtos e/ou serviços que atendam às necessidades e
expectativas do cliente em condição de vantagem
competitiva, entregam o que prometem e mantêm
atitudes de cortesia nas relações.

CUSTOMER NEEDS NECESSIDADES DO CLIENTE


Expectativas e desejos dos clientes em relação a um
produto ou serviço.
CUSTOMER REQUIREMENTS REQUISITOS DO CLIENTE
Desejos e expectativas do cliente em relação a um
determinado produto a ser entregue ou serviço a ser
prestado por um fornecedor interno ou externo.

CUSTOMER SATISFACTION SATISFAÇÃO DO CLIENTE


18

1. Estado de aceitação positiva com relação a


determinada situação. 2. Atendimento aos requisitos da
qualidade esperados ou acordados com os clientes. 3.
Reação do usuário que recebe produtos e/ou serviços
visivelmente superiores a quaisquer outros do mercado e
no prazo.

CYCLE TIME TEMPO DE CICLO


Tempo requerido para completar um processo, ou seja,
transformar entradas em saídas.
19

D
20

DATA DADOS
Observações relativas às características e que permitem
fazer avaliação quantitativa da confiabilidade.

DATA COLLECTION COLETA DE DADOS


1. Reunião de informações necessárias e suficientes ao
estabelecimento de uma série estatística. 2. Coletânea de
respostas numéricas fornecidas por um sistema de
medição, instrumento ou sensor. 3. Fase de investigação
na qual são levantados dados referentes à qualidade de
um material, item, produto, serviço, processo, sistema ou
fornecedor para análise posterior.

DATA REVIEW ANÁLISE CRÍTICA DE DADOS


Estudo pormenorizado dos fatos que deram origem aos
dados relativos à ocorrência de um fenômeno.

DECISION TREE ÁRVORE DE DECISÃO


Representação da anatomia de uma decisão a ser tomada
e da decomposição das suas relações com eventuais
decisões futuras, reações de concorrência e suas
conseqüências.

DEDUCTION DEDUÇÃO
Processo ou resultado de raciocínio por meio do qual,
partindo de um todo, chega-se a uma conclusão
específica, ou, em outras palavras, a partir de um
conhecimento geral, é possível fazer julgamento a
respeito de um elemento específico.

DEFECT DEFEITO
Qualquer desvio de uma característica de um item em
relação aos seus requisitos, podendo afetar ou não a
capacidade do item em desempenhar uma função
requerida.

DEFECT CLASSIFICATION CLASSIFICAÇÃO DE DEFEITOS


Procedimento através do qual cada uma das
características de um requisito de um material, item,
produto ou serviço é quotada, listada e a seguir
classificada, segundo a gravidade do defeito ou não-
conformidade, de acordo com alguma divisão, dentro de
21

um intervalo de 0 a 100%.

DEFECTIVE ITEM ITEM DEFEITUOSO


Item que contém um ou mais defeitos.

DEFECTS PER UNIT DEFEITOS POR UNIDADE


Número de defeitos encontrados em uma unidade de
produto, ou o número total de defeitos encontrados em
um lote, dividido pelo número de unidades do lote.

DEGREE OF DEMONSTRATION GRAU DE DEMONSTRAÇÃO


Extensão da evidência que é produzida para dar
confiança de que os requisitos especificados estão sendo
cumpridos.

DEGREE OF FREEDOM GRAU DE LIBERDADE


Número inteiro utilizado para a entrada em tabelas
estatísticas de distribuição.

DELIVERY ENTREGA
Ato de pôr um produto ou serviço à disposição de quem
o encomendou.

DEMERIT DEMÉRITO
Alocação de valores numéricos para desclassificação de
materiais, itens, produtos, serviços, processos ou
sistemas em função da gravidade de defeitos ou não-
conformidades identificados, considerando-se sua
aplicação ou uso.

DEMING PRIZE PRÊMIO DEMING


Prêmio da qualidade mais cobiçado no Japão, instituído
em 1951 e patrocinado inicialmente por William
Edwards Deming.
DEPENDABILITY DEPENDABILIDADE
Termo genérico, não-quantitativo, utilizado para
descrever o desempenho da disponibilidade e seus
fatores de influência: confiabilidade, manutenabilidade e
suporte logístico de manutenção.

DEPENDABILITY PLAN PLANO DE DEPENDABILIDADE


Documento que apresenta práticas especificamente
relativas à dependabilidade, os recursos e a seqüência de
atividades relevantes para um determinado projeto,
sistema, produto ou contrato.
22

DEPENDABILITY PROGRAMME PROGRAMA DE DEPENDABILIDADE


Programa abrangente voltado para o desempenho quanto
à disponibilidade de um item e seus fatores de influência,
confiabilidade, mantenabilidade e logística de
manutenção.

DEPLOYMENT DESDOBRAMENTO
Extensão da utilização de métodos para atender aos
requisitos da qualidade.

DESIGN PROJETO
1. Desenvolvimento de um empreendimento que deve
atender às exigências técnicas da qualidade, de acordo
com requisitos ou conforme solicitação do cliente. 2.
Expressão de idéias em desenho, por escrito ou em
termos físicos. 3. Combinação de processos que
transformam conhecimento, trabalho, matérias-primas e
energia em um produto ou serviço final.

DESIGN MATURITY MATURIDADE DE PROJETO


Fator que trata da extensão em que o projeto é conhecido
e comprovado, seja por ensaio de desempenho, ou pela
experiência em campo.

DESIGN OF EXPERIMENTS PROJETO DE EXPERIMENTOS


Planejamento de experimentos tais que dados
estatisticamente válidos sejam obtidos e sejam capazes
de produzir resultados válidos, por meio de análises
estatísticas, quando os fatores estiverem variando sob
condições controladas.

DESIGN QUALITY QUALIDADE DO PROJETO


Medida do grau de adequação de um projeto em relação
aos requisitos da qualidade previamente estabelecidos.

DESIGN REVIEW ANÁLISE CRÍTICA DE PROJETO


Avaliação formal e metodológica de um projeto,
principalmente com o objetivo de avaliar se o objeto do
projeto funcionará com sucesso quando em uso, se pode
ser obtido numa relação custo/benefício interessante e,
quando aplicável, se é adequado à manutenção em curto
23

espaço de tempo e de baixo custo.

DETECTION DETECÇÃO
Conceito de controle da qualidade cuja base está na
inspeção, detecção e remoção de defeitos, falhas e não-
conformidade de material, item, produto ou serviço,
antes de envio/entrega aos clientes.

DETERMINATION COEFFICIENT COEFICIENTE DE DETERMINAÇÃO


Medida da extensão da associação que existe entre duas
variáveis X e Y.

DEVIATION DESVIO
Diferença entre a variável e o valor de referência.

DIAGRAM DIAGRAMA
Forma de representação gráfica das ligações de um
sistema, de dados ou informações diversas.

DISPATCH EXPEDIÇÃO
Ação de expedir, distribuir ou entregar produtos a
clientes.
DISPERSION MEASURES MEDIDAS DE DISPERSÃO
Medidas que permitem avaliar se os dados de observação
tendem a se dispersar em torno de um valor médio.

DISPOSABILITY DISPONIBILIDADE
Habilidade de um material, item, subconjunto, conjunto,
produto, serviço ou sistema estar em estado de
desempenhar a função para a qual tenha sido designado,
sob condições estabelecidas, por um dado período.

DISPOSITION OF NONCONFORMING ITEM DISPOSIÇÃO DE ITEM NÃO-CONFORME


Ação imediata a ser tomada após análise crítica da não-
conformidade de um item.

DOCUMENT DOCUMENTO
Qualquer expressão física de informação ou dados.

DOCUMENTATION DOCUMENTAÇÃO
Soma de várias formas de expressão física de informação
a respeito de uma área de conhecimento.

DOCUMENTATION CONTROL CONTROLE DE DOCUMENTAÇÃO


Sistemática que visa a garantir que todos os documentos
relativos à qualidade sejam distribuídos e utilizados por
todos os envolvidos.
24

DOUBLE SAMPLING AMOSTRAGEM DUPLA


Inspeção por amostragem na qual o resultado da inspeção
da primeira amostra de tamanho n1 conduz a uma decisão
sobre a aceitação, não-aceitação ou retirada de uma
segunda amostra de tamanho n2.

DOUBLE SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM DUPLA


Plano de inspeção em que uma amostra é inspecionada
cujo resultado pode levar a uma decisão sobre a
aceitação ou rejeição do lote, ou ainda a uma segunda
amostragem.

DURABILITY DURABILIDADE
Habilidade de um item em desempenhar uma função
requerida sob dadas condições de uso e manutenção, até
chegar ao estado limite.
25

E
26

EFFECTIVENESS EFICÁCIA
Grau em que um sistema operacional realiza o que dele
se espera.

EFFICIENCY EFICIÊNCIA
Relação entre os recursos humanos, as máquinas e o
capital investido e os resultados advindos do uso desses
recursos, ou seja, o grau de aproveitamento dos recursos
utilizados para a produção de bens e serviços.

ELECTRONIC DATA PROCESSING PROCESSAMENTO AUTOMÁTICO DE DADOS


Registro, processamento, armazenamento, transmissão e
apresentação de dados relativos à qualidade, por meios
eletrônicos, elétricos ou mecânicos.

EMPOWERMENT DELEGAÇÃO DE PODER


Autoridade de decisão e ação atribuída aos funcionários
de todos os níveis hierárquicos e funções, para a solução
de problemas relacionados a produtos, serviços,
processos e procedimentos, sem necessidade de prévia
autorização do superior hierárquico.

ENTITY ENTIDADE
1. Item ou elemento que pode ser considerado
individualmente. 2. Denominação atribuída a uma
organização que estabelece normas contratuais que
podem ser utilizadas entre clientes e fornecedores.

ENVIRONMENT MEIO AMBIENTE


Conjunto de todos os objetos que não fazem parte do
sistema em consideração, mas que exercem influência
sobre a sua operação.

ENVIRONMENTAL CONDITION CONDIÇÃO AMBIENTAL


Cada uma das características ambientais específicas de
um experimento, laboratório ou estação metrológica.

ERROR ERRO
Diferença entre um valor encontrado e o seu valor real ou
esperado.

ERROR OF MEASUREMENT ERRO DE MEDIÇÃO


Diferença entre o resultado de uma quantidade sujeita a
medição e o valor verdadeiro (de referência) para a
27

quantidade medida.

ESTIMATION ESTIMAÇÃO
Atribuição, a partir de valores observados em uma
amostra, de valores numéricos para os parâmetros de
uma distribuição escolhida como modelo estatístico da
população da qual esta amostra é retirada.

ESTIMATOR ESTIMADOR
Estatística utilizada para estimar parâmetros
populacionais desconhecidos.

EVENT EVENTO
1. Ocorrência de qualquer atributo. 2. Subconjunto de
um espaço amostral, ou seja, subconjunto da totalidade
dos resultados possíveis de um determinado
experimento.

EVENT TREE ANALYSIS ANÁLISE DA ÁRVORE DE EVENTOS


Técnica de análise de riscos que avalia as conseqüências
do potencial do acidente que possa resultar de uma falha
nos equipamentos ou de anomalias no processo,
denominado "evento inicial".

EXPECTED VALUE VALOR ESPERADO


Valor histórico médio de uma variável aleatória.

EXPERIMENT EXPERIMENTO
Teste ou conjunto de testes realizados com a finalidade
de verificar uma hipótese ou induzi-la a partir da
observação de um fenômeno natural ou provocado.

EXTERNAL FAILURE COSTS CUSTO DE FALHAS EXTERNAS


Somatório dos custos incorridos quando os
produtos/serviços não apresentam a necessária qualidade,
após sua transferência aos clientes.
28

F
29

F DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO F
Distribuição do quociente de duas variáveis aleatórias X2
independentes, cada uma dividida pelo seu número de
graus de liberdade.

FACTOR FATOR
1. Causa assinalável que pode vir a afetar os resultados
de um experimento. 2. Uma das variáveis sob estudo em
um experimento.

FACTUAL APPROACH ABORDAGEM FACTUAL


Administração de cada fase do trabalho por meio de
dados objetivos (fatos) ao invés de opiniões e tomada de
decisões baseadas nessas informações.

FAILURE FALHA
1. Estado anormal de um item, material, produto, serviço
ou sistema que seja uma ameaça a sua operação. 2.
Condição adversa que ocasiona que um componente,
equipamento ou sistema não cumpra com o planejado. 3.
Ação inadequada de um elemento humano em um
sistema homem-máquina.

FAILURE MODE AND EFFECTS ANALYSIS ANÁLISE DO MODO E EFEITOS DA FALHA


(FMEA) (AMEF)
Técnica utilizada para avaliar um projeto quanto aos
possíveis modos de ocorrência de uma falha, defeito ou
pane, identificando inicialmente as falhas em potencial e
estudando a seguir o seu efeito no sistema total e
definindo as ações preventivas em ordem de prioridade.

FAULT TREE ANALYSIS (FTA) ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS (AAF)


Análise dos modos de pane de subitens, eventos externos
ou combinações destes que podem resultar em um
determinado modo de pane de um item.

FEEDBACK REALIMENTAÇÃO
1. Dado extraído de um processo ou de uma situação e
utilizado no controle, previsão/projeção ou correção
imediata ou futura do processo ou situação. 2.
Complementação de um processo de comunicação entre
pessoas na forma de resposta a uma idéia, pensamento ou
30

proposição, transmitida sob a forma escrita, verbal ou por


movimentos.

FEEDBACK LOOP ALÇA DE REALIMENTAÇÃO


1. Sistema de realimentação de informações relativas ao
desempenho de uma organização em qualidade, que tem
por objetivo atingir e manter o nível de qualidade de um
material, item, produto, serviço, processo ou sistema. 2.
Seqüência sistemática de comunicação de informações a
respeito do desempenho de um processo.

FIELD PERFORMANCE DESEMPENHO NO CAMPO


Termo genérico que se refere ao modo como um
componente ou sistema opera, quando em uso,
normalmente comparado com o seu desempenho no
laboratório, linha de montagem ou fábrica.

FINAL INSPECTION INSPEÇÃO FINAL


1. Ensaio ou exame de um componente em ensaio de
vida contra requisitos de ponto final, após o componente
ter sido submetido à solicitação do ensaio de vida. 2.
Uma inspeção realizada em etapas sucessivas, ou após a
última etapa de uma fabricação, montagem, retrabalho,
modificação ou prestação de um serviço.

FINAL PRODUCT PRODUTO FINAL


1. Produto pronto para uso. 2. Termo de uso geral que
indica o que é gerado por um processo final, incluindo
tantos bens tangíveis quanto serviços. 3. Produto
fornecido ao cliente na forma por ele solicitada,
incluindo a embalagem e o acondicionamento.

FIRST PARTY ORGANISMO DE PRIMEIRA PARTE


Diz-se do produtor ou fornecedor, privado, público ou
misto.

FIRST PIECE INSPECTION INSPEÇÃO DA "PRIMEIRA PEÇA"


Inspeção realizada sobre itens de produto que
representam produção inicial ou que tenham sido objeto
de mudança.

FISHBONE DIAGRAM DIAGRAMA DE ESPINHA-DE-PEIXE


O mesmo que Diagrama de Ishikawa.
31

FISHER'S TEST TESTE DE FISHER


Teste no qual a estatística utilizada apresenta-se sob uma
distribuição F.

FLOW-CHART FLUXOGRAMA
Diagrama que representa o fluxo ou seqüência atual de
um trabalho ou processo de produção de um produto ou
serviço, por meio de uma simbologia própria.

FOLLOW-UP ACOMPANHAMENTO
1. Processo de monitoramento do estado real da
qualidade de forma a possibilitar o cumprimento de
objetivos e metas e a detecção de necessidade de ações
corretivas. 2. Processo de verificação do cumprimento
de todas as ações corretivas para a eliminação ou redução
de deficiências detectadas durante uma auditoria da
qualidade. 3. Processo em que o fabricante ou
fornecedor acompanha o produto ou serviço após a venda
para assegurar-se da satisfação do cliente e da
continuidade dos negócios.

FOOLPROOF FOOLPROOF
Mecanismo, dispositivo ou método para impossibilitar ou
dificultar a ocorrência de erros humanos por
inadvertência.

FRACTION DEFECTIVE FRAÇÃO DEFEITUOSA


Número de itens defeituosos dividido pelo número total
de itens observados.

FREQUENCY FREQÜÊNCIA
Número de vezes que um determinado valor de uma
variável qualitativa ou quantitativa foi observado.

FREQUENCY DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS


1. Associação dos valores observados de uma
determinada variável qualitativa ou quantitativa em uma
amostra ou população, com suas respectivas freqüências.
2. Série cujos dados estão agrupados em subintervalos do
intervalo que esteja sendo observado.

FREQUENCY POLYGON POLÍGONO DE FREQÜÊNCIAS


Representação gráfica de uma distribuição por meio de
um polígono cujas cujas abcissas são os pontos médios
32

de cada classe e as ordenadas são as freqüências.

FUNCTION FUNÇÃO
1. Característica de um material, item, produto ou serviço
que serve a um propósito útil e atende a uma necessidade
real do cliente ou usuário. B529 2. Toda e qualquer
atividade própria, normal ou natural que um produto ou
serviço desempenha.
33

G
34

GANTT CHART GRÁFICO DE GANTT


Tipo de gráfico de barras utilizado em planejamento e
controle de atividades, servindo também para mostrar a
quantidade de trabalho realizado em tempo e o quanto
falta para o término.

GAP BRECHA
Diferença entre o desempenho atual e o desempenho
competitivo de um processo.

GARBAGE IN, GARBAGE OUT "ENTRA LIXO, SAI LIXO"


Aplicável a Sistema de Informação da Qualidade e a
processamento de dados, significando que, quando se
automatiza um sistema falho, a falha será
computadorizada ou o "lixo" manual passará a ser "lixo"
automatizado.

GEOMETRIC AVERAGE MÉDIA GEOMÉTRICA


Raiz enésima do produto dos n termos que compõem
uma série.

GRADE CLASSE
Agrupamento com limites especificados de valores de
observações individuais ao longo da abcissa de um
histograma.

GUIDELINE DIRETRIZ
Amplo guia de conduta gerencial, incluindo as
prioridades e as normas de caráter geral, que orienta a
tomada de decisão nos diversos escalões de uma
organização e permite a concentração de esforços, dando
consistência e previsibilidade à maneira de atuação da
organização.
35

H
36

HANDLING MANUSEIO
Qualquer atividade que propicie a um produto ou serviço
ficar sob a influência de fatores externos que possam
afetá-lo ou alterar sua vizinhança.

HARMONIC MEAN MÉDIA HARMÔNICA


Resultado da divisão do número de termos de uma série
pela soma dos seus inversos.

HISTOGRAM HISTOGRAMA
Representação gráfica de uma distribuição de freqüências
ou série de distribuições quantitativas por meio de
retângulos justapostos em que a largura da barra
representa determinado intervalo de classe da variável, e
a altura corresponde à freqüência de ocorrência daquele
valor.

HOLD POINT PONTO DE ESPERA


Ponto de inspeção que requer, obrigatoriamente, o
parecer do Órgão de Inspeção, para que se possa dar
continuidade aos trabalhos de montagem, processos
especiais, produção ou fabricação.

HYPERGEOMETRIC DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO HIPERGEOMÉTRICA


Distribuição do número de ocorrências x de uma
característica em n tentativas ou testes em que a
amostragem é feita sem reposição, de uma população
finita de tamanho N na qual D membros apresentam a
característica.

HYPOTHESIS HIPÓTESE
1. Suposição feita como base para se tirar conclusões ou
como um ponto de partida de uma investigação. 2.
Equação que tem por objetivo fornecer descrição
funcional de fontes ou resultados de informação que
podem ser obtidas de um experimento.

HYPOTHESIS TESTING TESTE DE HIPÓTESES


Procedimento estatístico para testar hipóteses sobre um
parâmetro populacional e para decidir-se quanto à
rejeição ou não-rejeição das hipóteses.
37

I
38

IN-CONTROL PROCESS PROCESSO CONTROLADO


Processo de produção no qual as variâncias das
características da qualidade estão sob controle, dentro
dos limites especificados.

INFLUENCE QUANTITY QUANTIDADE DE INFLUÊNCIA


Quantidade que não é o objeto da medição, mas que
influencia o valor da quantidade ou a indicação do
instrumento de medição.

IN-PROCESS INSPECTION INSPEÇÃO DURANTE O PROCESSO


Inspeção realizada em vários estágios do processo de
produção ou prestação de serviço, antes da inspeção final
e em seqüência ao processamento.

INPUT ENTRADA
Conjunto de meios materiais e/ou informações utilizadas
em um processo para a produção de produtos, serviços
e/ou informações.

INSPECTION INSPEÇÃO
Avaliação da qualidade de alguma característica
relacionada a um padrão.

INSPECTION EQUIPMENT EQUIPAMENTO DE INSPEÇÃO


Qualquer equipamento, instrumento ou dispositivo
utilizado para estabelecer o valor de características ou
desempenho de um material, item, produto ou serviço.

INSPECTION ERRORS ERROS DE INSPEÇÃO


Erros no planejamento ou execução de uma inspeção;
uso inadequado de equipamentos ou uso de
equipamentos inadequados; inexistência de condições
ambientais apropriadas; erro na interpretação de
tolerância; erro na análise de resultados; erros humanos
cometidos por inspetores, analistas ou técnicos.

INSPECTION LEVEL NÍVEL DE INSPEÇÃO


Requisito de um esquema de amostragem que relaciona o
tamanho da amostra com relação ao tamanho do lote.
INSPECTION REPORT RELATÓRIO DE INSPEÇÃO
Relatório dos resultados de inspeções de materiais, item,
produtos e serviços.

INSPECTION STATION PONTO DE INSPEÇÃO


39

Local ou estágio de um processo ou ciclo de produção


onde são executados ensaios, testes, exames ou
verificações, por pessoal habilitado e com atribuições
para coletar dados e verificar o desempenho ou qualquer
característica da qualidade de um processo, item,
material, produto ou serviço.

INSPECTOR INSPETOR
Pessoa com conhecimento e habilidade para exercer
atividades de inspeção e controle da qualidade.

INSTRUCTION INSTRUÇÃO
Documento contendo detalhes para o cumprimento de
um procedimento, tarefa ou norma relativos à qualidade.

INSTRUMENTATION INSTRUMENTAÇÃO
Conjunto de técnicas e instrumentos utilizados para
observar, medir, controlar e atuar em fenômenos físicos.

INTERCHANGEABILITY INTERCAMBIALIDADE
Possibilidade de utilização de um item, componente ou
produto no lugar de outro(s), sem necessidade de
adaptação ou ajustes para satisfazer aos requisitos
necessários.

INTERESTED PARTIES PARTES INTERESSADAS


Clientes externos e internos, acionistas e a comunidade
que têm interesse no desempenho da organização, na
melhoria da qualidade de produtos, serviços, processos,
métodos, sistemas, etc. e no meio em que ela opera.

INTERNAL FAILURE COSTS CUSTO DE FALHAS INTERNAS


Somatório dos custos decorrentes de produtos/serviços
que não atendem às especificações da qualidade antes da
entrega dos mesmos aos clientes.
INTERNATIONAL STANDARD NORMA INTERNACIONAL
Norma adotada por um organismo internacional de
normalização.

INTERVAL INTERVALO
Separação em número, tempo ou espaço entre dois
eventos.

INVESTIGATION INVESTIGAÇÃO
Estudo cuidadoso e detalhado de um item, material,
produto, serviço, processo, sistema ou quantidade, com o
40

objetivo de se chegar a uma conclusão e de se tomar


alguma medida.

ISHIKAWA DIAGRAM DIAGRAMA DE ISHIKAWA


Técnica visual que interliga os resultados (efeitos) com
os fatores (causas), propiciando uma visualização prática
das variáveis (causas-raízes) que afetam um processo
analisado ou um problema, sendo uma das mais
importantes ferramentas do ciclo de melhoria da
qualidade de processos e uma das Sete Ferramenta do
Controles da Qualidade.

ISO (INTERNATIONAL ORGANIZATION ISO (ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PARA


FOR STANDARDIZATION) NORMALIZAÇÃO)
Criada em 1946 por 25 países, entre desenvolvidos e em
desenvolvimento - inclusive o Brasil - e sediada em
Genebra, na Suíça, a ISO destina-se a criar normas
técnicas para compatibilizar os interesses entre clientes e
fornecedores e subsidiar contratos comerciais.

ITEM ITEM
Termo genérico que engloba estruturas, sistemas,
subsistemas, equipamentos, unidade funcional,
componentes, instalações, conjuntos, peças ou materiais
que possam ser considerados individualmente e/ou
ensaiados separadamente.
41

J
42

K
43

KJ METHOD MÉTODO KJ
O mesmo que Diagrama de Afinidades.
44

L
45

LABORATORY LABORATÓRIO
Conjunto de recursos disponíveis para medições.

LEADERSHIP LIDERANÇA
Capacidade de criar finalidades, reger seres humanos,
atingir metas e compartilhar com todos os benefícios e as
conseqüências das realizações, por meio de informações
compiladas, pactuadas e transmitidas por toda a
organização.

LEAST SQUARES METHOD MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS


Método de ajuste de uma curva representativa de um
fenômeno descrito por uma série de pares de valores
assumidos por variáveis interdependentes.

LIFE EXPECTANCY EXPECTATIVA DE VIDA


Valor médio do tempo de vida de um item, estimado por
meio de resultados de ensaios de um certo número de
itens.

LIKELIHOOD PROBABILIDADE
Freqüência relativa esperada da ocorrência real ou da
possibilidade de um evento ocorrer.

LIMITING QUALITY (LQ) QUALIDADE LIMITE (QL)


Limite máximo de porcentagem de unidades variantes,
não-conformes ou defeituosas (ou número máximo de
variantes, não-conformidades ou defeitos por 100
unidades) admitido para fins de inspeção por
amostragem.

LIMITS OF PERMISSIBLE ERROR LIMITES DE ERRO PERMISSÍVEL


Valores extremos de um erro permitido por
especificações, contratos, regulamentos, etc., para um
dado equipamento de medição.

LOSS PERDA
Tudo aquilo além da quantidade mínima de recursos
indispensáveis de valor a um material, item, produto,
serviço, processo, sistema ou à organização.

LOT PLOT GRÁFICO DE LOTE


Designação de um histograma quando os dados nele
46

contidos forem referentes a um determinado lote de


unidades de produto ou serviço.
47

M
48

MAINTAINABILITY MANTENABILIDADE
1. Aptidão de um componente, produto, equipamento ou
sistema receber manutenção, dentro de um período de
tempo deteminado e a um custo preestabelecido. 2.
Conjunto de características qualitativas e quantitativas
referentes ao projeto e instalação, que permitem o
cumprimento dos objetivos operacionais com mínimas
despesas. 3. Probabilidade de que um sistema, após ter
falhado, seja retornado às condições de operação, em
certas condições, num período de tempo especificado.

MAINTENANCE MANUTENÇÃO
1. Operação de caráter preventivo, compreendendo
limpeza, ajustes, correções e verificações rotineiras em
instrumentos e equipamentos de medição, com o objetivo
de evitar possíveis falhas futuras. 2. Atividade logística
que compreende um conjunto de ações administrativas,
técnicas e econômicas a serem tomadas para a
conservação, recuperação do estado operacional ou
otimização do ciclo de vida de itens, produtos,
instrumento, máquinas, equipamentos, processos,
sistemas ou do conjunto dos meios de produção.

MALCOLM BALDRIGE NATIONAL QUALITY PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE MALCOLM


AWARD BALDRIGE
Reconhecimento concedido anualmente a empresas
americanas que demonstram excelência em termos de
ações, administração e resultados na qualidade de
produtos, serviços e da própria empresa.

MARKETING RESEARCH PESQUISA DE MARKETING


Pesquisa realizada com clientes, a fim de conhecer seu
nível de satisfação com os produtos/serviços (clientes
atuais) e/ou suas necessidades e expectativas explícitas e
implícitas (clientes atuais e/ou clientes em potencial).

MATERIAL MATERIAL
Denominação genérica de tudo que faça ou possa vir a
49

fazer parte de um fornecimento: matéria-prima, peça,


componente, subconjunto, conjunto, sistema, máquina,
instrumento, equipamento, acessório, sobressalente ou
qualquer outro item ou produto a ser fornecido, mediante
um pedido ou contrato.

MATERIAL CONTROL CONTROLE DE MATERIAL


Aplicação de métodos e procedimentos sistemáticos para
garantir que o fornecedor irá fornecer materiais em
conformidade com os requisitos de qualidade, custo e
entrega, e para garantir a rejeição de itens entregues fora
da especificação, contrato ou acordo.

MATRIX MATRIZ
Ferramenta cuja finalidade é conferir determinado
formato ou imprimir desejada forma ou efeito sobre um
certo material.

MEASUREMENT MEDIÇÃO
Conjunto de operações que têm por objetivo determinar o
valor de uma grandeza.

MEASUREMENT PLAN PLANO DE MEDIÇÃO


Documento que descreve o que deve ser medido, como e
quando as medições devem ser feitas e os níveis de
desempenho ou padrões, a fim de assegurar que os
resultados das medições forneçam informações
adequadas para conduzir, monitorar, controlar ou
melhorar um determinado processo.

MEASUREMENT SYSTEM SISTEMA DE MEDIÇÃO


Conjunto de elementos físicos (instrumentos de medir
acessórios) necessários para se atingirem os objetivos de
uma medição, por meio da aplicação de processos de
medição, em dadas condições.

MEASURING EQUIPMENT EQUIPAMENTO DE MEDIÇÃO


Dispositivo designado para fazer medição, sozinho ou
em conjunto com equipamento suplementar.

MEASURING INSTRUMENT INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO


Dispositivo utilizado com o propósito de fazer uma
medição, sozinho ou em conjunto com equipamento
50

suplementar, que pode ser usado para transferir um valor


comparativo para algum parâmetro desconhecido.

MEDIAN MEDIANA
Valor central de uma série de itens, quando todos os itens
da série estiverem dispostos em ordem crescente ou
decrescente de valor.

METHOD ENFOQUE
Conjunto de métodos utilizados por uma organização
para atender aos requisitos da Qualidade.

METROLOGICAL CONFIRMATION CONFIRMAÇÃO METROLÓGICA


Processo seqüencial planejado, sistematicamente
desenvolvido, implementado, verificado e documentado
de operações e avaliações, com periodicidade
gerenciável e sob condições operacionais e ambientais
especificadas, da consistência de medidas fornecidas por
um equipamento, com os limites de erro permissível para
essas medidas e das incertezas associadas ao resultado
dessas medições e se são condizentes com a distinção
necessária para fins de determinação da conformidade de
processos e/ou produtos monitorados pelo equipamento,
quando as capacidades requeridas das medidas estiverem
definidas e, assim, validar, identificar e preservar os
estados de exatidão, precisão e adequação ao uso do
equipamento ou, caso contrário, direcionar as
segregações, identificações, disposições e ações
corretivas e preventivas cabíveis.

METROLOGY METROLOGIA
Ciência que se ocupa do estudo, definição e
padronização de todos os meios de medição.

MID-POINT OF CLASS PONTO MÉDIO DE CLASSE


Média aritmética entre o limite superior e o limite
inferior de cada classe.

MIL-STD (MILITARY STANDARDS) MIL-STD


Normas Militares publicadas pelo Departamento de
Defesa dos Estados Unidos.

MINUTES ATA
Enunciado das ocorrências em grupo de clientes sob
51

formato-padrão.

MODEL MODELO
1. Representação física de um item ou material. 2.
Equação ou conjunto de equações que regem a relação
entre duas ou mais variáveis dependentes. 3.
Representação formal (matemática) das inter-relações
entre diversas variáveis características de um fenômeno.

MODIFICATION MODIFICAÇÃO
Combinação de todas as ações técnicas e administrativas
que visam a modificar um item.

MONITORING MONITORAMENTO
Processo de acompanhamento de resultados de um
negócio ou do desempenho de um produto ou serviço
entregue a um cliente.

MULTI-FUNCTIONAL TEAM EQUIPE MULTIFUNCIONAL


Tipo de equipe da qualidade composto por membros de
áreas funcionais distintas que tem por objetivo propor
medidas para a melhoria da qualidade e resolver
problemas que afetam mais de uma área funcional.

MULTIPLE SAMPLING AMOSTRAGEM MÚLTIPLA


Inspeção por amostragem na qual, após cada amostra ser
inspecionada, toma-se uma decisão sobre aceitar o lote
(ou batelada), não aceitá-lo ou inspecionar outra amostra.

MULTIPLE SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM MÚLTIPLA


Plano que estabelece regras para inspeção por
amostragem múltipla.

MULTIPLIER MULTIPLICADOR
1. Pessoa treinada em técnicas da qualidade que
sistematicamente repassa aos colegas de trabalho os
conhecimento adquiridos. 2. Diretor ou gerente com
grande capacidade multiplicadora de idéias e conceitos,
tanto interna quanto externamente à sua entidade, sendo
o principal responsável pela qualidade da organização,
em seu nível estratégico, podendo também atuar na
definição e na supervisão executiva do programa da
qualidade da organização, como um todo ou por área de
atividade. 3. Entidade que tem como objetivo
52

institucional a pesquisa, o desenvolvimento e a difusão


de conceitos, metodologias, sistemas e técnicas de gestão
da qualidade, bem como a cooperação técnica na área da
qualidade.
53

N
54

NATIONAL STANDARD NORMA NACIONAL


Norma adotada por um organismo nacional de
normalização.

NATIONAL STANDARDS BODY ORGANISMO NACIONAL DE NORMALIZAÇÃO


Organismo reconhecido em nível nacional cuja função
principal, por força de seus estatutos ou de lei do país, é a
preparação e publicação de normas nacionais ou
aprovação de normas preparadas por outras entidades.

NOMOGRAPH NOMOGRAMA
Diagrama que tem por finalidade solucionar os mais
variados cálculos e problemas, de forma gráfica, partindo
de parâmetros conhecidos.

NONCONFORMANCE COSTS CUSTO DE NÃO-CONFORMIDADE


Custos decorrentes do não-atendimento aos requisitos do
cliente, de retrabalhos ou de correção de defeitos ou não-
conformidades.

NONCONFORMITY NÃO-CONFORMIDADE
1. Estado ou condição de um sistema, processo, produto
ou serviço em que há uma ou mais características não-
conformes com a especificação ou outro padrão de
desempenho ou inspeção. 2. Qualquer falha em atender
às necessidades e/ou expectativas do cliente. 3. Qualquer
desvio de especificação, documentação, método ou
procedimento.

NONDESTRUCTIVE TESTING ENSAIO NÃO DESTRUTIVO


Ensaio que pode ser aplicado em peças acabadas ou
semi-acabadas, não prejudicando o seu emprego
posterior.

NORMAL DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO NORMAL


Histograma simétrico em forma de sino, teórico ou
provável, primeiramente demonstrado por Gauss,
originado de dados provenientes de um processo
aleatório, em que a variável está isenta de causas
especiais.
55

NORMAL INSPECTION INSPEÇÃO NORMAL


Inspeção utilizada de acordo com um esquema de
amostragem para aceitação, quando um processo for
considerado estar operando no nível de qualidade
aceitável.

NOTICE AVISO
Qualquer relatório ou notificação necessária para
administrar uma relação contratual.

NULL HYPOTHESIS HIPÓTESE NULA


Suposição de que não existe desigualdade entre as
médias de valores de populações que estejam sendo
comparados.
56

O
57

OBJECTIVE OBJETIVO
1. Valor que, num gráfico de somas acumuladas, é
subtraído de cada valor observado antes de serem
somados os resultados. 2. Conjunto de resultados
obtidos em amostragem seqüencial e múltipla que
qualifica um lote como aceitável. 3. Alvo a ser atingido
por uma organização, num prazo especificado.

OBJECTIVE EVIDENCE EVIDÊNCIA OBJETIVA


Constatação de natureza qualitativa ou quantitativa de
informações, dados ou fatos relativos à qualidade de
itens, materiais, produtos, serviços, processos ou
sistemas, respaldada em observações, medições e/ou
resultados de testes, ensaios ou outros meios.

OBSERVATION OBSERVAÇÃO
Processo ou resultado da determinação da presença ou
ausência de atributos, ou realização de medidas ou
análise de uma variável.

ONE-SIDED TEST ENSAIO UNILATERAL


Ensaio cuja região crítica é o conjunto de valores
menores ou maiores que um determinado valor.

OPERATING CHARACTERISTIC CURVE CURVA CARACTERÍSTICA DE OPERAÇÃO


Curva que indica, para um determinado plano de
amostragem, a probabilidade de aceitação de um lote, em
função da qualidade do lote ou em função da qualidade
do processo do qual o lote se originou.

OPERATION OPERAÇÃO
Combinação de todas as ações técnicas e administrativas
destinadas a permitir que um item cumpra uma função
requerida, reconhecendo-se a necessidade de adaptação
na ocorrência de mudanças nas condições externas.

OPERATION SHEET FOLHA DE OPERAÇÃO


Documento que estabelece a seqüência de operações a
serem realizadas para a produção ou fabricação de um
material, item ou produto, montagem de um conjunto ou
prestação de um serviço.
58

OPERATION STANDARD NORMA DE OPERAÇÃO


Documento de caráter geral destinado a uniformizar uma
determinada operação.

OPERATIONAL CONTROL CONTROLE DE OPERAÇÃO


Forma de controle que ocorre periodicamente durante a
operação de um processo, cujo propósito é o de tomar
uma decisão de "continuar ou parar".

OPPORTUNITY OPORTUNIDADE
Conjunto de forças externas favoráveis à organização.

ORGANIZATION ORGANIZAÇÃO
1. Empresa, firma, instituição, estabelecimento,
empreendimento ou grupo, público ou privado, que
compra e vende materiais, itens, produtos ou presta
serviços, com ou sem finalidade lucrativa. 2.
Estuturação de uma empresa constituída pela divisão de
suas atividades em funções, subfunções e tarefas
elementares.

ORGANIZATIONAL STRUCTURE ESTRUTURA ORGANIZACIONAL


Regulamentos, reponsabilidades e autoridades por meio
dos quais uma organização realiza suas funções.

OUT-OF-CONTROL PROCESS PROCESSO FORA DE CONTROLE


Condição de um processo em que o valor de um ou mais
parâmetros ou variáveis críticas ultrapassa os limites
máximo e/ou mínimo estabelecidos.

OUTPUT SAÍDA
Resultado(s) em termos de produtos, serviços e/ou
informações de um processo, ou seja, somatório de
entrada(s) mais um valor agregado.

P
59

PACKAGING EMBALAGEM
Sistema e materiais de proteção utilizados com o objetivo
de evitar deterioração de material, item ou produto
durante o seu transporte, desde o fornecedor até o ponto
de venda ou local de utilização.

PACKING ACONDICIONAMENTO
Maneira como um produto é transportado ao público
cliente/consumidor, tendo como elemento essencial a
embalagem.

PARAMETER PARÂMETRO
Uma constante ou um coeficiente que descreve alguma
característica de uma população ou universo, sendo,
portanto, um valor populacional.

PARETO PRINCIPLE PRINCÍPIO DE PARETO


Enfoque estatístico usado em classificação de causas
atribuíveis de defeitos, não-conformidades, custos, etc.,
de acordo com a freqüência de ocorrência.

PARTNERSHIP PARCERIA
Reunião entre organizações concorrentes ou não, clientes
e fornecedores, ou entre uma organização e seus
funcionários para um fim de interesse comum.

PATROL INSPECTION INSPEÇÃO DE RONDA


Inspeção na qual um inspetor se locomove segundo uma
rota especificamente determinada e realiza, em
seqüência, inspeções em um certo número de estações.

PDCA CYCLE CICLO PDCA


O PDCA, o mais conhecido dos ciclos de controle de
processos, trata do planejamento (PLAN) da atividade ou
tarefa, da sua execução (DO), da comparação dos
resultados com os padrões previamente estabelecidos
(CHECK) e da implementação (ACT) de ações de
melhoria (ou ações corretivas), sempre que forem
observados desvios.
PERFORMANCE DESEMPENHO
Resultado de realização de funções especificadas por um
item, produto, serviço, sistema, instalação, organização
ou pessoa.
60

PIE CHART GRÁFICO DE PIZZA


Gráfico circular que mostra as magnitudes ou
freqüências relativas de dados, em forma de fatias de
pizza.

POISSON DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO DE POISSON


Distribuição de uma variável aleatória discreta em que os
sucessos (ou insucessos) acontecem independentemente
uns dos outros, e a taxa de acontecimento de sucessos
(ou de insucessos) é constante em todo o intervalo
contínuo de tempo, área, volume, etc.

POPULATION POPULAÇÃO
1. Totalidade de itens, unidades de produto ou serviço ou
medições que estejam em consideração e a respeito dos
quais se procure alguma informação. 2. Qualquer
conjunto finito ou infinito de itens, objetos ou indivíduos
que apresentem pelo menos uma característica em
comum.

POSITION MEASURES MEDIDAS DE POSIÇÃO


Medidas utilizadas para indicar a ordem de grandeza de
dados ou observações, de forma a permitir a comparação
entre amostras.

POTENTIAL HAZARD PERIGO POTENCIAL


Conjunto de condições na operação de um item, produto
ou sistema com potencial para a iniciação de uma
seqüência de acidentes.

PRECISION PRECISÃO
1. Grau de dispersão de uma variável numa distribuição
de resultados obtidos da aplicação, por muitas vezes, dos
procedimentos estabelecidos, sob as mesmas condições
definidas. 2. Proximidade entre resultados de testes ou
medição individual. 3. Habilidade de um instrumento em
reproduzir sua própria medição. 4. Capacidade de um
dispositivo de medida em executar uma medição de
forma repetida, com certa variância definida.
61

PRE-CONTROL PRÉ-CONTROLE
Técnica utilizada para características mensuráveis que
permite controlar um processo e concomitantemente
observar a evolução de sua capabilidade.

PRELIMINARY DRAFT ANTEPROJETO


Conjunto de procedimentos que buscam organizar e
apresentar, dentro de uma escala de valores, os
antecedentes suficientes para justificar o mérito técnico-
econômico de uma iniciativa de dotação de recursos,
porém sem os detalhes exigidos para uma decisão final.

PREVENTION COSTS CUSTO DE PREVENÇÃO


Somatório dos custos decorrentes do planejamento,
implementação e manutenção de um sistema da
qualidade, com o objetivo de assegurar a conformidade
com as especificações da qualidade em níveis
econômicos.

PREVENTIVE ACTION AÇÃO PREVENTIVA


Ação tomada no sentido de impossibilitar ou, ao menos,
dificultar a recorrência de um problema devido à mesma
causa.

PROBABILITY DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADES


1. Função que determina a probabilidade de uma variável
aleatória assumir qualquer valor ou conjunto de valores
dados. 2. Maneira de descrever o resultado de um
sistema de causas comuns de variabilidade, na qual
valores individuais não são previsíveis, mas o grupo de
resultados apresenta disposição que pode ser
normalmente descrita em termos de localização, de
amplitude e de forma.

PROBLEM PROBLEMA
Resultado indesejado de um trabalho.

PROBLEM-SOLVING SOLUÇÃO DE PROBLEMA


Processo sistemático utilizado para eliminar um
62

problema, ou seja, eliminar suas causas básicas ou


primárias.

PROCEDURE PROCEDIMENTO
Conjunto de operações importantes e necessárias para
um objetivo enunciado.

PROCESS PROCESSO
Conjunto de atividades planejadas e interrelacionadas,
realizadas com o objetivo de gerar produtos e/ou serviços
que atendam às necessidades de clientes, sejam internos
ou externos.

PROCESS ANALYSIS ANÁLISE DO PROCESSO


Decomposição de um processo em partes, propiciando
melhor conhecimento sobre o mesmo, por meio da
identificação de pontos positivos e negativos.

PROCESS CAPABILITY CAPABILIDADE DO PROCESSO


Habilidade intrínseca de um processo de desempenhar
suas funções nas condições de trabalho, satisfazendo
certas especificações e tolerâncias.

PROCESS CAPABILITY STUDY ESTUDO DA CAPABILIDADE DO PROCESSO


Coleta controlada de dados estatísticos do processo, com
o objetivo de determinar estatisticamente a capabilidade
do processo, sob condições especificadas e com materiais
especificados.

PROCESS CONTROL CONTROLE DO PROCESSO


Avaliação sistêmica do desempenho de um processo, a
tomada de ações corretivas quando o desempenho não
estiver em conformidade com normas ou especificações,
e a tomada de ações preventivas (quando aplicáveis) para
garantir ou evitar a recorrência da(s) mesma(s) causa(s).

PROCESS DEVELOPMENT DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO


Expressão genérica que engloba as atividades de estudo
do projeto de um produto ou serviço, seleção do
processo, projeto do processo, provisão das instalações,
provisão de softwares (métodos, procedimentos,
instruções), provisão de maérias-primas, etc.

PROCESS IMPROVEMENT MELHORIA DO PROCESSO


63

Conjunto de mudanças, adaptações e ações necessárias à


melhoria da qualidade de um processo.

PROCESS LIABILITY RESPONSABILIDADE PELO PROCESSO


Ônus e obrigação do produtor e/ou distribuidos e
vendedor com relação à capabilidade do processo e, em
particular, quanto aos aspectos de segurança e saúde.

PROCESS OWNER DONO DO PROCESSO


Designação utilizada para identificar o reponsáel pelo
desempenho de um determinado processo.

PROCESS QUALITY AUDIT AUDITORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO


Análise dos elementos do processo e avaliação da
abrangência, da adequação das condições e da sua
provável eficácia.

PROCESS VARIABILITY VARIABILIDADE DO PROCESSO


Variação dimensional ou em outras características
mensuráveis de resultados de um processo de produção,
num determinado intervalo de tempo considerado.

PRODUCER'S RISK RISCO DO PRODUTOR


Para um dado plano de amostragem, é a probabilidade de
nãose aceitar um lote ou batelada que tenha qualidade
para ser aceito ou, em outras palavras, rejeitar um lote ou
batelada que tenha um nível de qualidade acima do nível
de qualidade aceitável.

PRODUCT PRODUTO
Resultado de atividades, operações ou processos.

PRODUCT CHARACTERISTICS CARACTERÍSTICAS DE PRODUTO


Propriedades de um produto (ou serviço) cujo objetivo é
atender a determinadas necessidades e expectativas do
cliente.

PRODUCT DESIGN PROJETO DO PRODUTO


Atividade de definir e prover as características do
produto ou serviço exigidas para atender às necessidades
e expectativas do cliente.

PRODUCT DEVELOPMENT DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO


Processo de fornecer a um novo produto ou produto
modificado as características da qualidade que atendam
64

às necessidades e às expectativas do cliente.

PRODUCT LIABILITY RESPONSABILIDADE PELO PRODUTO


Expressão geral usada para descrever o ônus sobre um
fabricante para restituir perdas relacionadas a lesão, dano
ou avaria causado por um produto.

PRODUCT PLANNING PLANEJAMENTO DO PRODUTO


Processo que envolve a identificação, classificação e
medição das características da qualidade de um produto
ou servço, estabelecimento de objetivos, requisitos e
restrições que afetam a qualidade e análise e tomada de
decisões, de forma a conjuminar os interesses e as
necessidades dos clientes com os interesses e capacitação
da empresa.

PRODUCT QUALITY AUDIT AUDITORIA DA QUALIDADE DO PRODUTO


Avaliação quantitativa da conformidade das
características do produto (ou serviço), segundo os
requisitos, especificação, norma, contrato ou acordo.

PRODUCTION PROCESSO DE PRODUÇÃO


Qualquer conjunto de atividades planejadas para alterar
uma ou mais características de um produto.

PRODUCTION CONTROL CONTROLE DE PRODUÇÃO


Controle de fluxo de materiais e dos parâmetros do
processo de forma a possibilitar uma determinada razão
de produção de produto ou serviço a uma dada qualidade.

PRODUCTIVITY PRODUTIVIDADE
Relação entre a saída produzida e a entrada requerida
para produzi-la.

PROGRAMME PROGRAMA
Delineamento de atividades com vista a se atingir
determinados objetivos e metas.

PROTOTYPE PROTÓTIPO
Modelo funcional completo de um componente,
aparelho, máquina, equipamento, produto ou serviço,
65

normalmente construído para ser como o produto final,


podendo ou não fazer usode algumas de todas as
facilidades, ferramentas, pessoas, etc., para avaliação de
suas características da qualidade, com vistas à produção
ou construção em série.
PUNCH CARD CARTÃO PERFURADO
Cartão prensado no qual são registradas informações
através de perfurações, com o objetivo de servir de
memória.

PURCHASE ORDER PEDIDO DE COMPRA


Solicitação formal, escrita, feita a um fornecedor,
fabricante ou não, especificando o fornecimento
desejado.

PURCHASER COMPRADOR
Organização, empresa, entidade, indivíduo ou seu
representante que contrata aquisição de material, item,
produto ou serviço.

PURCHASING AQUISIÇÃO
Obtenção de matérias-primas, materiais, itens, produtos
semi-acabados ou acabados e serviços necessários às
atividades de qualquer organização.
66

Q
67

QUADRATIC MEAN MÉDIA QUADRÁTICA


Raiz quadrada da média dos quadrados dos termos de
uma série.

QUALIFICATION PROCESS PROCESSO DE QUALIFICAÇÃO


Processo de demonstração e reconhecimento de
cumprimento de um conjunto de condições (normas,
procedimentos, instruções, métodos, processos, sistemas,
qualidade de produtos e/ou serviços, capacitação de
pessoal) em conformidade com requisitos
preestabelecidos, por meio de auditoria, testes, exames,
ensaios ou cálculos.

QUALITATIVE DATA DADOS QUALITATIVOS


Dados que identificam um item com relação a algum
limite, mas não atribui valor(es) à(s) característica(s) de
requisitos deste item.

QUALITY QUALIDADE
Totalidade de requisitos e características de um produto
ou serviço que estabelece a sua capacidade de satisfazer
determinadas necessidades.

QUALITY ASSURANCE GARANTIA DA QUALIDADE


Conjunto de ações sistematizadas necessárias e
suficientes para prover confiança de que um produto ou
serviço irá satisfazer os requisitos definidos da qualidade
que, por sua vez, devem refletir as necessidades e as
expectativas implícitas e explícitas do cliente.

QUALITY AUDIT AUDITORIA DA QUALIDADE


Avaliação planejada, programada e documentada,
executada por pessoal independente da área auditada,
para determinar, mediante investigação e avaliação de
evidência objetiva, o ambiente, a adequação e
observância de normas, especificações, procedimentos,
instruções, códigos, atividades ou programas
administrativos ou operacionais e outros documentos
aplicáveis, bem como a efetividade da implementação
dos mesmos e os resultados que estão sendo obtidos.
QUALITY AUDIT CONCLUSION CONCLUSÃO DA AUDITORIA DA QUALIDADE
Julgamento ou opinião expressa por um auditor ou
equipe de auditoria da qualidade a respeito do assunto
68

objeto da auditoria.

QUALITY AUDIT CRITERIA CRITÉRIOS DA AUDITORIA DA QUALIDADE


Políticas, práticas, procedimentos ou requisitos contra os
quais um auditor compara evidência coletada sobre o
assunto em questão.

QUALITY AUDIT FINDING CONSTATAÇÃO DA AUDITORIA DA QUALIDADE


Resultado documentado da avaliação de evidências
objetivas coletadas durante uma auditoria da qualidade,
comparada com os critérios previamente acordados.

QUALITY AUDIT OBSERVATION OBSERVAÇÃO DA AUDITORIA DA QUALIDADE


Constatação de fato feita durante uma auditoria da
qualidade e consubstanciada por evdência objetiva.

QUALITY AUDITOR AUDITOR DA QUALIDADE


Profissional qualificado para executar auditorias da
qualidade.

QUALITY CHARACTERISTICS CARACTERÍSTICAS DA QUALIDADE


Propriedades de um material, item, produto ou serviço
que podem ser avaliadas em função do grau de satisfação
de clientes e/ou dos requisitos determinados em uma
especificação, modelo, padrão conveniente ou desenho.

QUALITY CONTINUAL IMPROVEMENT MELHORIA CONTÍNUA DA QUALIDADE


Esforço contínuo de melhoria da qualidade, sustentado
no decorrer do tempo, que age sobre os processos,
produtos e serviços, em ermos humanos e tecnológicos,
com o objetivo de garantir que o nível de qualidade seja
sempre mais alo do que o custo competitivo.

QUALITY CONTROL (QC) CONTROLE DA QUALIDADE (CQ)


Técnicas operacionais e atividades utilizadas para
atender aos requisitos da qualidade em estágios
relevantes do ciclo da qualidade, objetivando o
monitoramento de processos, a eliminação de
desempenho insatisfatório, a satisfação de clientes e a
conseqüente eficácia econômica.

QUALITY CONTROL CIRCLE CÍRCULO DE CONTROLE DA QUALIDADE


69

Pequeno grupo voluntário e permanente de funcionários


que possuem interesses similares e se reúnem
regularmente para identificar e analisar problemas
selecionados, apresentar soluções e, quando possível,
implementá-las.

QUALITY CONTROL SYSTEM SISTEMA DE CONTROLE DA QUALIDADE


Conjunto de normas, procedimentos e instruções por
meio dos quais equipamentos, processos e operações são
operados e monitorados para a produção de produtos ou
prestação de serviços em conformidade com
especificações e tolerâncias.

QUALITY DEVELOPMENT DESENVOLVIMENTO DA QUALIDADE


Melhoria qualitaiva de uma empesa, organização ou país,
considerando-se além da melhoria de produtos, serviços
e processos e o sucesso no mercado, também as
transformações positivas, os métodos de gestão e as
relações no trabalho.

QUALITY EVALUATION AVALIAÇÃO DA QUALIDADE


Monitoramento ou observação sistemática para verificar
a conformidade de itens, produtos, serviços ou atividades
às especificações, à adequação ao uso e/ou à satisfação
de clientes.

QUALITY EXTERNAL AUDIT AUDITORIA EXTERNA DA QUALIDADE


Auditoria de todo o sistema da qualidade de uma
organização ou de parte dele, sendo executada por uma
outra organização interessada ou por terceiros.
QUALITY IMPLEMENTATION IMPLEMENTAÇÃO DA QUALIDADE
Processo que transforma o conjunto de planos,
programas e estratégias de qualidade em ações, de forma
a atingir os objetivos e metas da qualidade.

QUALITY INTERNAL AUDIT AUDITORIA INTERNA DA QUALIDADE


Auditoria de todo o sistema da qualidade de uma
organização ou de parte dele, sendo realizada pela
própria organização.

QUALITY LEAD AUDITOR AUDITOR-LÍDER DA QUALIDADE


Auditor designado como responsável pelo planejamento,
programação, direção, execução e controle de uma
auditoria da qualidade.
70

QUALITY LEVEL NÍVEL DE QUALIDADE


Conjunto de parâmetros e requisitos que caracterizam a
seletividade a ser aplicada ao sistema da qualidade de
produtos e serviços, em função do estágio de
desenvolvimento da tecnologia e da complexidade do
projeto, da complexidade do processo de produção, das
características do produto ou serviço, dos aspectos de
segurança e economicidade.

QUALITY LOSS PERDA DA QUALIDADE


Conjunto de perdas causadas pela não-realização do
potencial de recursos em processos e atividades, do tipo
satisfação do cliente, perda de oportunidade de adcionar
maior valor ao cliente, à organização e/ou à sociedade, e
perda de recursos e de materiais.

QUALITY MANAGEMENT GESTÃO DA QUALIDADE


Totalidade das funções envolvidas na determinação e
obtenção da qualidade.

QUALITY MANAGER GERENTE DA QUALIDADE


Pessoa com competência, responsabilidade e autoridade
necessária para proteger, desenvolver, implementar e
estabelecer um sistema da qualidade e/ou para gerenciá-
lo e fazê-lo operar de forma, no mínimo, satisfatória.
QUALITY MANUAL MANUAL DA QUALIDADE
Documento que descreve o sistema da qualidade de uma
organização, especificando a política, diretrizes,
atribuições, responsabilidades e procedimentos adotados
para a execução de todas as atividades que possam vir a
incluenciar a qualidade, bem como as formas de controle.

QUALITY MONTH MÊS DA QUALIDADE


Instituído no Japão em 1960, é celebrado, desde então,
em novembro de cada ano, com o objetivo de promover a
aplicação da qualidade nos meios de produção, para
melhorar a qualidade e a produtividade, aém de sugerir
aos consumidores a aquisição apenas de produtos que
sejam de qualidade.

QUALITY OBJECTIVE OBJETIVO DA QUALIDADE


Condição, estado, padrão ou resultado quantificado da
qualidade desejada, a ser perseguido, alcançado e
mantido em um período de tempo preiamente
71

estabelecido.

QUALITY PLAN PLANO DA QUALIDADE


Documento que relaciona e descreve as metodologias da
qualidade, os recursos necessários e a seqüência de
atividades relevantes para um determinado projeto,
contrato, processo, material, item, produto ou serviço.

QUALITY PLANNING PLANEJAMENTO DA QUALIDADE


Conjunto de atividades que visam determinar as
necessidades e expectativas do cliente e desenvolver
produtos, serviços e processos para suprir essas
necessidades e expectativas.

QUALITY POLICY POLÍTICA DA QUALIDADE


Conjunto das intenções, diretrizes e objetivos de uma
organização relativos à qualidade, formalmente
expressos pela alta administração.

QUALITY RECORD REGISTRO DA QUALIDADE


Conjunto de documentos ou informações registradas, por
qualquer meio, tais como relatórios de auditoria,
certificados de análise, atas do conselho da qualidade,
relatórios de equipes da qualidade, coleta de dados
resultantes de inspeção ou análise de discrepâncias,
análise crítica de dados, etc., que são elaborados,
atualizados e conservados com o objetivo de demonstrar
que a qualidade requerida é obtida e que o sistema da
qualidade funciona eficazmente, pois em grande parte a
rastreabilidade do produto ou seriço depende
essencialmente desta condição.

QUALITY REQUIREMENTS REQUISITOS DA QUALIDADE


Conjunto completo das características da qualidade de
um processo, item, material, produto ou serviço, com
valor nominal e seus respectivos limites máximo e/ou
mínimo de aceitação (tolerâncias).

QUALITY SYSTEM SISTEMA DA QUALIDADE


Estrutura organizacional, procedimentos, responsa-
bilidades, processos, atividades e recursos para
implementação da gestão da qualidade e atingimento de
objetivos da qualidade - garantia de que projetos,
72

processos, produtos e serviços irão satisfazer as


necessidades e as expectativas explícitas e implícitas dos
clientes, em consonância com a missão, os objetivos e as
metas da organização.

QUALITY TEAM EQUIPE DA QUALIDADE


Grupo de 5 a 8 funcionários que tem como objetivo
identificar problemas relacionados com o trabalho, medir
a freqüência desses problemas, seu impacto no cliente e
na organização, seus custos e recomendar ações
corretivas.

QUALITY TOOLS FERRAMENTAS DA QUALIDADE


Expressão de uso geral utilizada para designar as
ferramentas estatísticas - gráficos de controle, gráficos de
dispersão, gráficos de Pareto, histogramas, gráficos de
tendência, etc. - e as técnicas especificamente aplicadas à
qualidade - ciclo PDCA, controle estatístico de processo
(CEP), análise do modo e efeitos da falha (FMEA), etc.

QUANTITATIVE DATA DADOS QUANTITATIVOS


Dados resultantes de medições os quais apresentam
valores das características em referência.

QUARTILE QUARTIL
Valor que divide um conjunto de dados ordenado de
forma crescente, em quatro partes iguais.

QUARTILE DEVIATION DESVIO QUARTÍLICO


Média da diferença entre o terceiro e o primeiro quartis.
73

R
74

RANDOM ALEATÓRIO
Termo normalmente utilizado para enfocar que um
determinado processo sob consideração é, de alguma
forma, pobabilístico.

RANDOM NUMBERS NÚMEROS ALEATÓRIOS


Conjunto de números naturais que são gerados por um
processo envolvendo um elemento de chance.

RANDOM SAMPLE AMOSTRA ALEATÓRIA


Amostra de n elementos, retirada de uma população de N
elementos, de forma que todas as possíveis combinações
dos n elementos têm uma chance calculável de ser
retiradas.

RANDOM SAMPLING AMOSTRAGEM ALEATÓRIA


Processo de seleção no qual todos os elementos da
população são retirados "por sorteio" e que possui as
seguintes propriedades: todos os elementos têm igual
probabilidade de serem sorteados, em qualquer estágio
do processo e incluídos na amostra, e os elementos são
independentes uns dos outros.

RANDOM VARIABLE VARIÁVEL ALEATÓRIA


Quantidade que pode assumir qualquer dos valores de
um conjunto especificado (intervalo), com uma
determinada probabilidade.

RANK CLASSIFICAÇÃO
Ato ou efeito de se agrupar itens em classes.

RATIONAL SUBGROUP SUBGRUPO RACIONAL


Subgrupo dentro do qual assume-se que as causas
assinaláveis são constantes e nos quais observações
podem ser subdivididas para aplicação de certos métodos
de análises estatísticas.

RAW MATERIAL MATÉRIA-PRIMA


Bem adquirido por uma empresa para se tornar, após
transformação, parte do produto que a mesma produz.

RECEIVING CONTROL CONTROLE DE RECEBIMENTO


Verificação se itens, materiais e produtos entregues por
fornecedores correspondem às especificações e à
75

quantidade estabelecidas no pedido de compra, nota de


encomenda ou contrato.

RECEIVING INSPECTION INSPEÇÃO DE RECEBIMENTO


Inspeção de item, material, produto ou serviço no estado
e no estágio de recebimento, realizado pelo cliente ou seu
representante legal.

RE-CERTIFICATION RECERTIFICAÇÃO
Ato ou efeito de certificar-se novamente.

RECIPROCAL RECIPROCIDADE
Habilidade de um item (componente), produzido
segundo um determinado processo de produção,
funcionar adequadamente em qualquer conjunto ou
equipamento de que vier a fazer parte.

RECTIFICATION RETIFICAÇÃO
Correção de um ato escrito como, por exemplo, um
contrato ou cláusula contratual que apresenta omissão ou
erro.

RECTIFYING INSPECTION INSPEÇÃO RETIFICADORA


Remoção ou substituição de itens ou unidades
defeituosas durante a inspeção da totalidade ou de um
determinado número especificado de itens ou unidades
de produto ou serviço, de um lote ou batelada que não
tenha sido aceito por amostagem para aceitação.

REDUCED INSPECTION INSPEÇÃO REDUZIDA


Severidade de inspeção num nível abaixo da severidade
da inspeção normal.
REDUCTION REDUÇÃO
Diminuição da quantidade de amostras ou do número de
itens em um processo de amostragem a granel.

RE-ENGINEERING REENGENHARIA
Reprojeto de processos organizacionais que visa
melhorias significativas em fatores de resultado do tipo
custo, qualidade, atendimento e prazo de entrega.

REFERENCE REFERÊNCIA
1. Valor prescrito para uma grandeza. 2. Valor que serve
de base para aferição de aparelhos de medida,
instrumentos, máquinas, equipamentos, etc.
76

REFERENCE CONDITIONS CONDIÇÕES DE REFERÊNCIA


Conjunto de condições de uso para um instrumento de
medição prescritas para ensaio de desempenho ou para
garantir intercomparação válida dos resultados de
medição.

REFERENCE MATERIAL MATERIAL DE REFERÊNCIA


Substância ou dispositivo que possui característicasde
medida estáveis e em condiçõesde uso e que é utilizado
como um padrão de medição ou em aferição de
equipamentos de medida.

REGRESSION REGRESSÃO
Técnica estatística utilizada para explicar e fazer
previsão sobre o comportamento de uma variável
baseado em informações sobre outras variáveis.

REJECTION REJEIÇÃO
Conclusão de que um lote, batelada, partida ou
determinada quantidade de material, item, produto ou
serviço não satisfaz os critérios ou requisitos da
qualidade, baseado em informações obtidas de uma
unidade de produto ou serviço, de amostra(s) ou da
população.

RELATIONS DAGRAM DIAGRAMA DE RELAÇÕES


Diagrama quemostra as relações lógicas entre as diversas
etapas ou fatores importantes para a solução de um
problema, situação-problema ou processo complexo,
facilitando a implementação de soluções adequadas.

RELATIVE FREQUENCY FREQÜÊNCIA RELATIVA


Porcentagem de um determinado valor na amostra ou,
em outras palavras, relação entre o número de vezes que
um determinado valor é observado e o número total de
observações.

RELIABILITY CONFIABILIDADE
Habilidade de um sistema, instalação, equipamento,
dispositivo, produto ou serviço desempenhar suas
funções satisfatoriamente, de acordo com determinadas
especificações, num dado intervalo de tempo, sob
condições preestabelecidas.

REPAIR REPARO
77

Parte da manutenção corretiva na qual são


efetuadasações de manutenção efetiva sobre o item,
excluindo-se os atrasos logísticos.

REPEATABILITY REPETITIVIDADE
Medida de variação de resultados similares.

REPLICATION REPLICAÇÃO
Realização de um experimento ou de partes de um
experimento mais de uma vez nas mesmas condições,
com o objetivo de se obter uma estimativa mais precisa
do erro experimental.

REPORT RELATÓRIO
Documento que apresenta os resultados de determinada
atividade e respectiva interpretação, devendo estar de
acordo com os procedimentos e normas técnicas
aplicáveis.
REPRODUCIBILITY REPRODUTIVIDADE
Índice que estabelece a diferença máxima permissível
entre resultados de duas estações de medição ou
laboratórios diferentes para o mesmo ensaio, com
amostras equivalentes.

REQUIREMENT REQUISITO
Condição a ser atendida, necessariamente, por um
fornecedor, contrato, sistema, processo, material, item,
produto ou serviço.
REQUIREMENTS OF SOCIETY REQUISITOS DA SOCIEDADE
Conjunto de normas, regulamentos, códigos,
procedimentos, fatores de saúde, segurança e ambientais,
conservação de energia e de materiais.

RESOLUTION RESOLUÇÃO
A menor divisão de escala de um instrumento de
medição.

RESPONSE VARIABLE VARIÁVEL RESPOSTA


Variável que é o resultado de um tratamento
experimental.

RESPONSIBILITY RESPONSABILIDADE
Áreas de trabalho em que se espera que os funcionários
produzam determinados resultados.
78

REVIEW ANÁLISE CRÍTICA


Ferramenta utilizada para o estudo e a classificação de
características de um item.

REWORK RETRABALHO
Qualquer processo pelo qual um material, item, produto
ou serviço defeituoso ou não-conforme é submetido à
repetição de operações do processo produtivo de modo a
satisfazer os requisitos originalmente especificados e,
portanto, torná-lo em condições de ser aceito.

RISK ANALYSIS ANÁLISE DE RISCOS


Ramo da prevenção de perdas que trata do estudo dos
perigos em uma instalação e seus impactos ao meio
ambiente.

RISK ASSESSMENT AVALIAÇÃO DE RISCOS


Exame sistemático de um componente, sistema ou
instalação industrial real ou proposta, visando identificar
e formar opinião sobre ocorrências perigosas
potencialmente sérias e suas respectivas conseqüências.

RISK MANAGEMENT GESTÃO DE RISCOS


Processo por meio do qual são tomadas decisões de
aceiar um risco ou perigo potencial conhecido ou de
eliminá-lo ou reduzi-lo.

RISK RANKING CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS


Análise integrada dos riscos inerentes a um componente,
produto, serviço, sistema ou facilidade e sua
significância em um contexto apropriado.

ROBUSTNESS ROBUSTEZ
Indica que a metodologia é pouco sensível com relação a
mudanças não previstas nos fatores metrológicos.

ROOT CAUSE CAUSA-RAIZ


Razão ou motivo original para uma determinada
condição.

ROUNDING ARREDONDAMENTO
Aproximação de dados ou valores observados para
facilitar cálculos estatísticos.
79

ROUTINE INSPECTION INSPEÇÃO DE ROTINA


Inspeção periódica e contínua de itens, materiais,
produtos, serviços ou sistemas de um processo de
produção contínuo ou por batelada.

S
80

SAFETY SEGURANÇA
Imunidade quanto a riscos inaceitáveis a danos humanos.

SAMPLE AMOSTRA
Parte ou porção representativa de um conjunto ou
população, a ser medida, analisada ou ensaiada.

SAMPLE AVERAGE MÉDIA DA AMOSTRA


Média dos resultados de medição ou ensaio de uma
amostra.

SAMPLE SELECTION SELEÇÃO DE AMOSTRAS


Processo, normalmente com pretensão de ser aleatório,
por meio do qual é (são) selecionada(s) amostra(s) de
itens, produto ou quantidade de material de uma
população, com o objetivo de se determinar valor(es)
d(s) característica(s) da qualidade de interesse.

SAMPLE SIZE TAMANHO DA AMOSTRA


Quantidade de material ou número de unidades de
produto ou serviço especificado para ser selecionado de
uma população, lote ou distribuição, com um
determinado objetivo como, por exemplo, inspeção.

SAMPLE STANDARD DEVIATION DESVIO-PADRÃO DA AMOSTRA


Raiz quadrada positiva da variância da amostra.

SAMPLING AMOSTRAGEM
Processo de escolha de amostra(s) que consiste em
seleção criteriosa dos elementos de um lote ou população
que serão submetidos a um estudo, análise, inspeção e
avaliação, por meio de evidência objetiva.

SAMPLING ERROR ERRO DE AMOSTRAGEM


Parte do erro total de estimação de um parâmetro, que
corresponde à natureza aleatória da amostra.

SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM


Plano que determina o número de amostras a serem
retiradas de uma batelada, lote ou população, com o
objetivo de se obter informações sobre a qualidade e
possibilitar uma tomada de decisão.

SAMPLING PROCEDURE PROCEDIMENTO DE AMOSTRAGEM


81

Requisitos e/ou instruções operacionais relacionados ao


uso particular de planos de amostragem.

SAMPLING SCHEME ESQUEMA DE AMOSTRAGEM


Combinação de planos de amostragem com regras de
comutação e provisão para implementação de inspeção
100%.

SAMPLING SYSTEM SISTEMA DE AMOSTRAGEM


Coleção de esquemas de amostragem com indexação por
amplitudes de tamanho do lote, níveis de inspeção e
níveis de qualidade aceitáveis.

SAMPLING UNIT UNIDADE DE AMOSTRAGEM


Uma das unidades individuais na qual uma batelada, lote
ou população é dividida, ou considerada ser dividida,
com o porpósito de inspeção por amostragem.

SCALE ESCALA
Relação entre a grandeza representada e a grandeza real.

SCATTER PLOT DIAGRAMA DE DISPERSÃO


Gráfico utilizado para investigar possível correlação
entre duas variáveis e para provar possível correlação
entre causa-e-efeito.

SCRAP SUCATA
Material, item, componenete ou produto defeituoso ou
que apresente uma série de não conformidades que o
torne inadequado ao uso e cujo trabalho ou reparo não
seja viável economicamente.

SECOND PARTY ORGANISMO DE SEGUNDA PARTE


Diz-se do cliente, comprador ou usuário, pessoa física ou
jurídica (privada, pública ou mista).

SECONDARY DATA DADOS SECUNDÁRIOS


Informações disponíveis de imediato, mas que tenham
sido coletadas para um outro objetivo.

SEGREGATION OF NONCONFORMING SEGREGAÇÃO DE PRODUTO NÃO-CONFORME


PRODUCT
Ação a ser tomada para tratar de um produto não
conforme, com o objetivo de solucionar a não
conformidade.

SELF-CONTROL AUTOCONTROLE
82

Parte do controle de um processo realizado por um ou


mais operadores.

SELF-INSPECTION AUTO-INSPEÇÃO
Filosofia ou estado no qual o operador (ou funcionário)
tem autonomia para decidir se o produto produzido ou
serviço prestado está ou não em conformidade com a
meta de qualidade previamente estabelecida ou com
regras de trabalho especificadas.

SEQUENTIAL SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM SEQÜENCIAL


Plano de amostragem no qual são retiradas unidades de
amostra, uma a uma, inspecionadas e, com base nos
resultados, tomada decisão sobre a aceitação ou rejeição
do lote, ou inspeção de outra unidade.

SERVICE SERVIÇO
Atividade caracterizada pela execução de tarefas,
consideradas estas independentemente dos itens aos
quais se refiram.

SERVICEABILITY SERVICIBILIDADE
Facilidade de realização de serviços e inspeções
programadas em um componente, produto, equipamento
ou sistema, após uma falha.
SET-UP SET-UP
Tempo de preparação e troca de ferramentas em uma
máquina, cujo início é definido a partir da última peça
com qualidade produzida na operação anterior, até a
primeira peça com qualidade produzida na operação
subseqüente.

SEVEN QUALITY CONTROL TOOLS SETE FERRAMENTAS DO CONTROLE DA


QUALIDADE
Conjunto de ferramentas gerenciais da qualidade
composto po: diagrama de afinidades (método KJ),
diagrama da árvore, diagrama de relações, diagrama
matricial, diagrama de setas, diagrama de matriz de
dados e carta de programa de processo de decisão.

SHAKE DOWN SHAKE DOWN


Método de solução de problemas da qualidade por meio
da identificação minuciosa da causa fundamental, ou
seja, o que está, efetivamente, na origem do problema.
83

SHELF-LIFE VIDA EM PRATELEIRA


Intervalo de tempo, medido em unidade contínua,
durante o qual um item, sob condições estabelecidas de
armazenagem, manterá seus parâmetros estabelecidos
dentro dos limites especificados.

SINGLE SAMPLING AMOSTRAGEM SIMPLES


Tipo de amostragem na qual toma-se uma decisão
baseada na evidência de uma única amostra por lote.

SINGLE SAMPLING PLAN PLANO DE AMOSTRAGEM SIMPLES


Plano no qual é tomada uma única amostra para inspeção
e os resultados desta são considerados para fins de
determinação da aceitação ou rejeição do lote ou partida.

SIX SIGMA SEIS SIGMA


Meotodologia de redução de defeitos em produtos e
serviços para um níel de 3,4 partes por milhão.

SKEWNESS CURTOSE
Grau de "afilamento" de uma curva.

SKEWNESS COEFFICIENT COEFICIENTE DE CURTOSE


Medida da forma de uma distribuição (mais achatada ou
mais pontiaguda).

SKIP-LOT SAMPLING AMOSTRAGEM POR LOTE SALTEADO


Processo no qual alguns lotes de uma série são aceitos
sem inspeção e outros com inspeção parcial.

SPECIAL PROCESSES PROCESSOS ESPECIAIS


Processos cujos resultados não podem ser plenamente
verificados por meio de subseqüente inpeção e ensaio do
produto e onde, por exempo, as deficiências do processo
podem se tornar aparentes somente depois que o produto
estiver em uso.

SPECIFICATION ESPECIFICAÇÃO
Documento que define e descreve em detalhes os
requisitos da qualidade a serem cumpridos por um
material, item, produto, serviço, ou processo, segundo
normas estabelecidas por órgãos competentes ou pela
organização compradora, devendo estar em
conformidade com as necessidades e expectativas do
cliente e do usuário.
84

SPECIFICATION LIMITS LIMITES DE ESPECIFICAÇÃO


Limite máximo e mínimo, no caso de especificação
bilateral, ou somente máximo ou mínimo, no caso de
especificação unilateral, fixado(s) pelo
fabricante/prestador de serviço e/ou pelo cliente que
necessita(m) ser atendido(s) pela característica da
qualidade (item de controle) de forma a cumprir com os
requisitos da qualidade.

SPECIFIED MEASURING RANGE FAIXA DE MEDIÇÃO ESPECIFICADA


Conjunto de valores de uma grandeza a medir, para o
qual admite-se que o erro de um sistema de medição será
mantido dentro de limites especificados.
STABILITY ESTABILIDADE
Propriedade de estar sob controle estatístico.

STANDARD NORMA
Ponto de referência ou critério-padrão ao qual um
sistema, processo, prodtuo ou serviço deve corresponder.

STANDARD DEVIATION DESVIO-PADRÃO


Unidade estatística da medida da variabilidade de
observações em torno da média aritmética de um
conjunto de dados, ou seja, a raiz quadrada positiva da
variância.

STANDARD ERROR ERRO-PADRÃO


Medida do erro envolvido na estimação de um parâmetro
a partir de uma amostra.

STANDARDIZATION NORMALIZAÇÃO
Processo de estabelecer e aplicar regras para abordar
ordenadamente uma atividade específica para o benefício
e com a participação de todos os interessado e, em
particular, para promover a otimização da economia,
levando em consideração as condições funcionais e as
exigências de segurança e meio ambiente.

STATE OF ART "ESTADO DA ARTE"


Uso de princípios, métodos e/ou instrumentação que
individualmente ou coletivamente requerem técnicas
e/ou exatidão cima daquelas praticadas rotineiramente.

STATISTICAL INFERENCE INFERÊNCIA ESTATÍSTICA


Parte da estatística que trata da análise e interpretação de
85

dados experimentais, com o objetivo de se chegar a


conclusões ou fazer estimativas a respeito de populações.

STATISTICAL TECHNIQUES TÉCNICAS ESTATÍSTICAS


Técnicas muito utilizadas em qualidade que
compreendem a coleta de dados, tabulação, apresentação,
análise, interpretação e conclusão, incluindo melhor
conhecimento dos requisitos, expectativas e satisfação de
clientes, além dos dados da concorrência.

STATISTICS ESTATÍSTICA
Método de estudo representativo e analítico dos
elementos dos fenômenos que se apresentam em grande
número, para sua subseqüente apresentação.

STORAGE ARMAZENAMENTO
Conjunto das atividades que, dentro de uma empresa,
dizem respeito à estocagem e ao controle dos
movimentos que afetam os estoques.

STORYBOARDING STORYBOARDING
Método de organização e exposição de planejamento
para solução de problemas da qualidade, atas de reuniões
e da evolução dos trabalho de equipes da qualidade.

STRATEGIC PLANNING PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO


Processo de desenvolvimento e manutenção de um ajuste
estratégico entre objetivos e metas da qualidade, as
capacitações da organização e as diversas oportunidades
de mercado, considerando as necessidades e expectativas
dos clientes e o estágio dos concorrentes.

STRATIFICATION ESTRATIFICAÇÃO
Divisão de um grupo de valores observados ou medidos
em subgrupos, com base em determinados fatores,
constituindo um método de identificação e classificação
de variação de dados coletados..

STRATIFIED SAMPLING AMOSTRAGEM ESTRATIFICADA


Amostragem na qual a população é dividida em
subpopulação, estratos ou subclasses, das quais se
86

recolhem elementos, isoladamente, para perfazer a


amostra.
SUB-CONTRACT SUBCONTRATAÇÃO
Utilização de serviços de empresas constituídas ou de
profissionais autônomos, mediante remuneração.

SUBGROUP SUBGRUPO
Porção de um conjunto de observações, elementos,
indivíduos ou quantidade de material que apresentam
uma ou mais características em comum.

SUPPLIER FORNECEDOR
Organização ou pessoa contratada, setor interno ou
funcionário que fornece produto, seviço ou informação.

SUPPLY FORNECIMENTO
Remessa de materiais, itens ou produtos, ou entrega de
serviço adquirido pelo comprador (cliente intermediário
ou final), em conformidade com os requisitos de um
pedido de compra, contrato ou acordo firmado com o
fabricante ou fornecedor.

SYSTEM SISTEMA
Entidade física ou conceitual composta de partes
interdependentes, que interagem dentro de limites
preestabelecidos, para se atingir certa(s meta(s)
comum(ns).
87

T
88

t DISTRIBUTION DISTRIBUIÇÃO t
Distribuição de um quociente de variáveis aleatórias
independentes, cujo numerador é uma variável aleatória
normal padronizada e o denominador é a raiz quadrada
positiva do quociente entre uma variável aleatória X2 e o
seu número de graus de liberdade.

TARGET POPULATION POPULAÇÃO-ALVO


População sobre a qual são feitas inferências baseadas
numa amostra retirada aleatoriamente da própria
população.

TASK TAREFA
Trabalho, ação ou conjunto de ações a serem realizadas
para o cumprimento de determinada missão, objetivo ou
meta, num determinado prazo.

TEAMWORK TRABALHO DE GRUPO


Realização de tarefas e solução de problemas em regime
de colaboração de pessoas com especializações diversas
e complementares.

TECHNICAL SPECIFICATION ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA


Documento que especifica, por meio de dados técnicos
mínimos requeridos, produtos e/ouserviços, elementos ou
conjuntos específicos para os quais não é necessária a
elaboração de uma norma.

TECHNOLOGY TECNOLOGIA
Conjunto de conhecimentos empíricos e/ou científicos
ordenados sobre fenômenso físicos, químicos e sociais,
que podem ser usados na produção sistemática de bens e
prestação de serviços.

TENDENCY TENDÊNCIA
Erro sistemático que contribui para a existência de
diferenças entre resultados de testes ou medições e o
valor de referência aceito.
TENDER PROPOSTA
Oferta feita por um fornecedor em resposta a um convite
para satisfazer uma adjudicação de contrato para
fornecimento de produto ou serviço.

TEST ENSAIO
89

Meio de avaliação ou de classificação de características


da qualidade, parcialmente ou na totalidade, de matéria-
prima, material, componente, produto intermediário,
serviço, subsistema, sistema ou produto final, com o
objetivo de confirmar atendimento às necessidades do
cliente, especificação ou acordo firmado.

TEST DATA DADOS DE ENSAIO


Dados obtidos de observações feitas durante a realização
de um ensaio.

THIRD PARTY ORGANISMO DE TERCEIRA PARTE


Diz-se de profissional ou empresa independente,
imparcial, privada, pública ou mista, que possui a
necessária competência e confiabilidade e esteja
autorizada a representar os interesses da primeira e
segunda partes interessadas, com repeito a um assunto
para o qual tenha sido chamada a dar um parecer,
podendo também referir-se a uma qualificação ou
certificação.

THIRD-PARTY EVALUATION AVALIAÇÃO PELA TERCEIRA PARTE


Avaliação de produto/serviço, processo ou sistema da
qualidade contra um conjunto de padrões, por auditoria
do cliente, comprador ou usuário, pessoa física ou
jurídica (privada, pública ou mista).

TOLERANCE TOLERÂNCIA
Variabilidade total permissível em um processo ou em
uma característica da qualidade de uma unidade de
produto ou serviço.

TOLERANCE INTERVAL INTERVALO DE TOLERÂNCIA


Intervalo compreendido entre os valores-limite superior e
inferior de tolerância, ou seja, área na qual os valores de
uma característica mensurável estão dentro da
especificação.

TOP MANAGEMENT ALTA DIREÇÃO


Conjunto dos responsáveis ao mais alto nível da
hierarquia de uma organização (presidente, diretor geral,
diretores).

TOTAL QUALITY MANAGEMENT GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL


90

Processo sistemático de melhoria da satisfação de


clientes externos e internos, por meio do uso de
gerenciamento e cultura que incorporem princípios de
melhoria contínua da qualidade por toda a organização,
baseado no envolvimento de todos os seus membros e
visando ao sucesso e benefício de longo prazo de todos
os membros da organização e da sociedade.

TRACEABILITY RASTREABILIDADE
Capacidade de se conhecer o histórico, aplicação ou
localização de um material, item, produto, serviço,
processo ou atividade, dentro de limites previamente
estabelecidos, por meio de identificação/codificação
registrada através de gravação ou outro meio consistente.

TRUE VALUE VALOR VERDADEIRO


Valor que caracteriza uma quantidade perfeitamente
definida nas condições existentes quando a quantidade
estiver sendo considerada.

TWO-SIDED TEST ENSAIO BILATERAL


Teste em que a região crítica compreende
simultaneamente o conjunto de valores inferiores a um
primeiro valor dado e o conjunto dos valores superiores a
um segundo valor dado.
91

U
92

UNBIASED ESTIMATOR ESTIMADOR NÃO TENDENCIOSO


Estimador de um parâmetro tal que sua esperança
matemática seja igual ao valor verdadeiro desse
parâmetro.

UNCERTAINTY INCERTEZA
Grau de erro cometido em resultados de medidas.

UNIVERSE UNIVERSO
Grupo de populações de itens ou materiais sob
observação.

USER USUÁRIO
Pessoa que utiliza ou consome um produto ou serviço.
93

V
94

VALIDATION VALIDAÇÃO
Declaração formal, emitida por autoridades designadas,
sobre a condição de exatidão e de adequação ao uso de
um equipamento de medição, sendo válida para o
período intercalibração atualizado e desde que o
equipamento seja operado e mantido dentro das
condições especificadas.

VALUE ENGINEERING ENGENHARIA DO VALOR


Conjunto de técnicas utilizadas para otmização de
produto, serviço ou sistema, na fase de desenvolvmento.

VARIABILITY VARIABILIDADE
Conceito geral para a variação de valores numa
distribuição.

VARIABLE VARIÁVEL
Quantidade que pode assumir um conjunto especificado
de valores numa escala contínua.

VARIABLE CONTROL CHART GRÁFICO DE CONTROLE POR VARIÁVEIS


Gráfico utilizado para controlar o desempenho de um
processo quanto a sua variabilidade nos casos em que a
característica sob investigação é uma quantidade
mensurável.

VARIABLE UNIT UNIDADE VARIANTE


Unidade de produto ou serviço que contém pelo menos
um atributo ou característica variante, podendo também
apresentar outras variantes.

VARIANCE VARIÂNCIA
Medida de dispersão baseada na média quadrática dos
desvios em relação à média aritmética, ou seja, o
quadrado do desvio-padrão.

VARIATION VARIAÇÃO
Diferenças entre resultados individuais de dados,
características, funções ou processos.
VARIATION COEFFICIENT COEFICIENTE DE VARIAÇÃO
Índice obtido pela divisão do desvio-padrão pela média
de uma distribuição de medidas.

VERIFICATION VERIFICAÇÃO
Confirmação por exame e provisão de evidência objetiva
95

do cumprimento dos requisitos especificados.

VISUAL INSPECTION INSPEÇÃO VISUAL


Método de inspeção no qual o operador ou inspetor
acompanha a evolução de uma atividade, processo,
produto ou serviço, apenas visualmente.
96

W
97

WORK INSTRUCTION INSTRUÇÃO DE TRABALHO


Documento normativo que se destina a descrever a
maneira correta de executar uma operação e/ou tarefa, de
modo simples e direto.
98

X
99

Y
100

Z
101

ZERO DEFECT ZERO DEFEITO


Produto ou serviço isento de defeitos e de não-
conformidade.
102

BIBLIOGRAFIA

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). Coletânea de Normas


de Sistemas da Qualidade. Rio de Janeiro: ABNT, 1988.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION (ISO). ISO 9000 -


International Standards for Quality Management. 4.ed. Suíça: ISO, 1994.

KUME, Hitoshi. Statistical Methods for Quality Improvement. Repr. with corr. Tokyo:
AOTS, 1987.

MIZUNO, Shigeru. Management for Quality Improvement: the seven new QC tools.
Cambridge: Productivity Press, 1988.

MONTGOMERY, Douglas C. Introduction to Statistical Quality Control. 2.ed. Chichester:


Wiley, 1991.

PRAZERES, Paulo Mundin. Dicionário de Termos da Qualidade. São Paulo: Atlas, 1996.

RICHMOND, Samuel Bernard. Principles of Statistical Analysis. New York: Ronald Press
Co., 1957.

STANDARDS AUSTRALIA/STANDARDS NEW ZEALAND. ISO 9000 Handbook for


Small Business - HB 66(Int):2000. Strathfield/Wellington: Standards Australia/Standards
New Zealand, 2000.

WADSWORTH, Harrison M. Modern Methods for Quality Control and Improvement. New
York: Wiley, 1986.
103

DADOS DO PERITO

FRANCESCO DE CICCO

Engenheiro com especialização em Gerenciamento de Riscos. Atua há mais de 20


anos nessa área, tendo sido Pesquisador e Gerente da Divisão de Segurança do Trabalho da
FUNDACENTRO (1975 a 1985), Fundador e Diretor do IBGR - Instituto Brasileiro de
Gerência de Riscos (1985 a 1989), e Diretor-Geral do ITSEMAP do Brasil (1989 a 1992).
Desde 1991, é Diretor-Executivo do QSP - Centro da Qualidade, Segurança e
Produtividade para o Brasil e América Latina.

RG: 5.098.277-1
CREA: 42.236/D (6ª Região)
Endereço Residencial: R. Prof. Carlos de Carvalho, 63, 16º andar - SP
Endereço Comercial:R. Jerônimo da Veiga, 164, 7º andar - SP
Fone Comercial: 3079-6999

São Paulo, 3 de abril de 2000

Francesco De Cicco