SUMÁRIO

MATEMÁTICA

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15.

CONJUNTOS ............................................................................................. MAT 1 NÚMEROS NATURAIS ................................................................................ MAT 9 SÍNTESE PARA AUTO AVALIAÇÃO ......................................................... MAT 15 O USO DAS EXPRESÕES ALGÉBRICAS .................................................. MAT 17 EQUAÇÃO DO 1 GRAU ............................................................................ MAT 25 SÍNTESE PARA AUTO AVALIAÇÃO .......................................................... MAT 31 EQUAÇÃO DO 2 GRAU ............................................................................ MAT 33 LOGARITMO ........................................................................................... MAT 41 SÍNTESE PARA AUTO AVALIAÇÃO .......................................................... MAT 51 O PLANO CARTESIANO .......................................................................... MAT 53 DERIVADAS ............................................................................................. MAT 57 LIMITES .................................................................................................. MAT 63 DERIVADAS ............................................................................................. MAT 65 TÁBUA DE INTEGRAIS ............................................................................ MAT 69 SÍNTESE PARA AUTO AVALIAÇÃO .......................................................... MAT 73

REFERÊNCIA CRUZADA
MATEMÁTICA

APOSTILA ATIVIDADE 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 ASSUNTO
CONJUNTOS NÚMEROS NATURAIS SÍNTESE PARA AUTOAVALIAÇÃO O USO DAS EXPRESSÕES ALGÉBRICAS EQUAÇÃO DO 1º GRAU SÍNTESE PARA AUTOAVALIAÇÃO TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO EQUAÇÃO DO 2º GRAU LOGARITMO SÍNTESE PARA AUTOAVALIAÇÃO DERIVADAS LIMITES DERIVADAS TÁBUA DE INTEGRAIS SÍNTESE PARA AUTOAVALIAÇÃO

INTERNET ATIVIDADE 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 ASSUNTO
Vídeo Aula 1 Vídeo Aula 2 Auto-avaliação Vídeo Aula 3 Vídeo Aula 4 Auto-avaliação Vídeo Aula 5 Vídeo Aula 6 Auto-avaliação Vídeo Aula 7 Vídeo Aula 8 Auto-avaliação Vídeo Aula 9 Vídeo Aula 10 Auto-avaliação

7 são elementos do segundo. C.Matemática CONJUNTOS OBJETIVOS ATIVIDADE 1 O aluno será capaz de identificar e relacionar os conceitos envolvendo conjuntos. E são elementos do primeiro conjunto acima. Conjunto dos dias da semana. Por exemplo: Conjunto das letras maiúsculas do alfabeto. b) Elemento Cada membro ou objeto que entra na formação do conjunto. e são decorrência de três axiomas ou noções primitivas . Assim: V. Petersburgo (1845-1918). TEXTO Teoria dos Conjuntos. que tem sua origem nos trabalhos do Matemático russo Georg Ferdinand Ludwig Phillipp Cantor.5.noções cuja verdade é de si evidente: a) Conjuntos A noção de conjunto em Matemática é praticamente a mesma utilizada na linguagem cotidiana: agrupamento. classe. Conjunto dos Prefeitos da cidade de Franca na ultima década. I. coleção. e MAT 1 . nascido em S. Sábado. Conjunto dos números inteiros ímpares. 3. Domingo do terceiro. H.

V é um elemento do conjunto das letras maiúsculas do alfabeto. Como se vê são conceitos intuitivos e que se supõe sejam entendidos por todos. Sidnei o último. por uma letra maiúscula A. NOTAÇÃO Conjunto: Representado. C. novembro}. V pertence àquele conjunto. c. c) Pertinência entre elemento e conjunto Por exemplo. Se x é um elemento de A (ou x pertence a A) indicamos por: x ∈A Caso contrário. … Elemento: Por uma letra minúscula a. ou seja. abril.Matemática ATIVIDADE 1 Gilmar. setembro. x. Conjunto dos meses com menos de 31 dias: {fevereiro. Enquanto que v não pertence. b. ou seja. B. Conjunto dos números ímpares inteiros maiores do que 12 e MAT 2 . … Pertinência: Sejam A um conjunto e x um elemento. junho. Exemplos: Conjunto dos nomes de meus filhos: {Elinaldo. z.Igor}. se x não é um elemento de A (ou x não pertence a A) escrevemos x∉ A REPRESENTAÇÕES DE CONJUNTOS a) Extensão ou Enumeração Quando o conjunto é representado por uma listagem ou enumeração de seus elementos. Emiliane. y. de forma geral. Edilene. Devem ser escritos entre chaves e separados por vírgula ou ponto-evírgula.

chamado de conjunto vazio (Ø). c) Diagrama de Euler-Venn Um conjunto pode ser representado por meio de uma linha fechada e não entrelaçada. Simbolicamente: A = {x | x tem a Propriedade P} e lê-se: A é o conjunto dos elementos x tal que x tem a propriedade P. C = {x | x é um deputado federal eleito em 2006}. 15. são chamados de conjuntos unitários. Exemplos de Conjuntos Unitários: MAT 3 . B = {x | x é um número inteiro ímpar e 9 < x < 21}. ( | lê-se tal que ) Exemplos: A = {x | x é um time de futebol do Campeonato Brasileiro de 2006}. 17. CONJUNTO UNITÁRIO E CONJUNTO VAZIO A existência de conjunto com apenas um elemento. b) Propriedade dos Elementos Representação em que o conjunto é descrito por uma propriedade característica comum a todos os seus elementos. como mostrado na figura abaixo. 19}.Matemática ATIVIDADE 1 menores do que 20: {11. 13. e o conjunto sem qualquer elemento.

{x | x2 = -100 e x é um número real} = Ø. todo elemento de B pertence a A: A={ a. e somente se.b.b. A= { a.c.d. CONJUNTO UNIVERSO É um conjunto que contém todos os elementos do contexto no qual estamos trabalhando e também contém todos os conjuntos desse contexto. c. reciprocamente.O conjunto universo é representado por uma letra U.e .Matemática ATIVIDADE 1 Conjunto dos meses do ano com menos de 30 dias: {fevereiro}.d} e B= { d. A⊂B ou B ⊃ A logo A=B .c.a} ⇒ SUBCONJUNTO Um conjunto A é um subconjunto de (está contido em) B se. c) L contém P d) H não está contido em J . Exemplos de Conjuntos Vazios: {x | x >1 0 e x <1 0} = Ø. todo elemento x pertencente a A também pertence a B. IGUALDADE DE CONJUNTOS Dois conjuntos A e B são iguais quando todo elemento de A pertence a B e.b.f} então A ⊂ B ou B ⊃ A EXERCÍCIOS : GRUPO 1 1) Escreva em notação simbólica: a) a é elemento de B b) M é subconjunto de N .b. Conjunto dos números inteiros maiores do que 20 e menores do que 22: {21}. MAT 4 .c.d} e B={a.

e) o conjunto dos números naturais entre 5 e 15 .i .Matemática ATIVIDADE 1 e) H não contém J.. e) o conjunto dos números das frações próprias positivas de denominador 5.2. 4) Seja M = { 3.11.12 }.8} c) o conjunto dos números pares entre 5 e 13 . d) o conjunto dos números ímpares menores que 12 .5..7 } h) { x| x é algarismo do numero 2007 } 3) Escreva os conjuntos abaixo usando o método da propriedade característica : a) { 0.7. f) { x | x é letra da palavra Amora } g) { x| x 2 = 9 e x – 4 = .diga se as proposições abaixo são corretas : a) a ∈ N MAT 5 . o } .5.20} b) { 2.3.9..Enumere cada um dos conjuntos abaixo: a) { x ∈ M | b) { x ∈ M | c) { x ∈ M | d) { x ∈ M | e) { x ∈ M | x2 ≠ 9 } x+6=9} x é primo} x é par } s é impar } 5) Se N = { a . d) o conjunto dos números reais entre -3 e 9 incluindo -3 e excluindo 9.4. c) o conjunto dos números pares entre 10 e 23 .. b) o conjunto dos números naturais menores que 5 . e . f) n não é elemento de M 2) Enumere os elementos de cada um dos conjuntos : a) o conjunto dos números naturais entre 15 e 20 .

3} b) { 0. Se M = { 0. então N ⊂ M .3. MAT 6 . então N ⊄ M .9} assinale V ( verdadeiro) ou F ( falso) : a) M ⊂ N b) M ⊃ N c) M = N 8) Diga se as proposições abaixo são corretas ou não: a) { a.2.6} c) { 2 .4} c) { F.C. 5 } .c}= { b.2.A N. 3.R.3} .3. então N ⊂ M .5 .a .2. Se M = { 1.Matemática ATIVIDADE 1 b) a Ì N c) { a } ∈ N d) { a } Ì N 6) Construa todos os subconjuntos dos conjuntos abaixo: a) { 1. c) { x | x ∈ N e x < 10 } d) { x | x ∈ R e x > 0 } 10) Verifique se as afirmações são falsas ou verdadeiras : a) b) c) d) Se M = { 0. 5 } e N = {0. 4} .5} e N = { x ∈ ℜ| x – 1 = 2 } .3.c } b) ∅ ⊂ { 0. Se M = { 1.2.3 } ⊃ { x| x2-5x+6=0 } 9) Classifique os conjuntos em finitos ou infinitos: a) o conjunto dos números pares b) o conjunto dos números pares menores que 100. 0.1.b.5.4} e N = { 1.4.5 .3.2. então N ⊂ M .7 .3 } e N = { 0.A} 7) Dados os conjuntos M = { x | x é impar e positivo e menor que 10} e N ={ 1.

2001. Sebastião Medeiros da.Matemática ATIVIDADE 1 REFERÊNCIAS Silva. Silva. Matemática básica para cursos superiores.2007 ANOTAÇÕES MAT 7 . São Paulo:Atlas. Matemática básica para decisões administrativas.Fernando César Marra e. São Paulo: Atlas.

Matemática ATIVIDADE 1 ANOTAÇÕES MAT 8 .

8. 7. 2. Se um número natural é sucessor de outro.. 3. e o conjunto dos = {0. e estes números são feitos com algarismos: 0. 2.} Todo número natural tem um sucessor (número que vem depois do número dado). então. 5. 6.. . 4. O conjunto dos números naturais é representado por números naturais não-nulos. 9.} * = {1 . 7. os dois números juntos são chamados de consecutivos. 6. 5. 4.. 3. TEXTO O conjunto dos números naturais é representado pela letra N maiúsculo. 9. MAT 9 . O sucessor de 3 é o 4. Exemplo: O sucessor de 0 é o 1. 7. 6.. Qualquer número que resulte de uma contagem de unidades é chamado de número natural. 3.Matemática NÚMEROS NATURAIS OBJETIVOS ATIVIDADE 2 O aluno será capaz de relacionar os vários conjuntos apresentados. é representado por *. 8. 2. 5. 8. O sucessor de 10 é o 11. 1. 4. 10. . 1 . 9. 10.

.. 1. 18 e 19 são números consecutivos.} * = { ..5. -1. foi criado o conjunto dos números inteiros. (lê-se Uma forma de representar geometricamente o conjunto é construir uma reta numerada. podemos afirmar que todos os números MAT 10 . Nesse conjunto a diferença 3 – 5 é representada por -2. por exemplo. 4. Por isso. 0. escrevemos “está contido em ou é o subconjunto de "). e o número 1 em algum lugar. 2. 55 e 56 são números consecutivos. . considerar o número 0 como a origem. . não existe número natural Por isso.. -3. Indica-se por o conjunto dos números não-nulos: o conjunto dos n[úmeros inteiros e por * = { .. -4. -2. Números Inteiros A subtração nem sempre é possível em que represente a diferença 3 . tomar a unidade de medida como a distância entre 0 e 1 e por os números inteiros da seguinte maneira: Observando ainda na reta numerada.... 4. 2. . -1. 1.} Podemos ver que todo número natural é inteiro. -4. -2.Matemática ATIVIDADE 2 Exemplo: 2 e 3 são números consecutivos.. 3.. 3. -3.

podem ser resumidas pelo diagrama: MAT 11 . com o segundo não-nulo. não existe Por isso. Indica-se por o conjunto dos números racionais e por o conjunto dos números racionais não-nulos: Observe.Matemática ATIVIDADE 2 Números Racionais A divisão nem sempre é possível em número inteiro que represente o quociente -3 : 2. escrevemos . pois pode ser considerado como uma razão de denominador 1.5. portanto que número racional é todo aquele que pode ser representado com a razão entre dois números inteiros. temos também que Essas relações entre e . entendemos que todo número inteiro também é racional. por exemplo. foi criado o conjunto dos números racionais. Assim. . Nesse conjunto o quociente -3 : 2 é indicado por ou por –1. por isso. Como . por exemplo: 5 = .

que são números com infinitas casas decimais e não-periódicos. e o conjunto formado por eles é indicado por '. Podemos dizer. portanto que número real é todo número decimal. finito ou infinito.Matemática ATIVIDADE 2 Números Irracionais Dentre os números decimais existem as dízimas não-periódicas. Esses números são chamados de irracionais. isto é: As relações entre os conjuntos numéricos até agora apresentados podem ser feitos em um diagrama: MAT 12 . isto é: Números Reais Qualquer número racional ou irracional é chamado de número real. Indica-se por * o conjunto dos números reais não-nulos.

existem infinitos pontos). e a cada número real podemos associar um único ponto na reta. Veja a representação na reta de : REFERÊNCIAS Silva. Matemática básica para cursos superiores. Sebastião Medeiros da.Matemática ATIVIDADE 2 Veja a seguir as notações para representar alguns subconjuntos especiais de : Representação geométrica de A cada ponto de uma reta podemos associar um único número real. 2001. na reta. pois entre dois números reais existem infinitos números reais (ou seja. Dizemos que o conjunto é denso. MAT 13 . entre dois pontos associados a dois números reais. São Paulo: Atlas.

2007 ANOTAÇÕES MAT 14 .Matemática ATIVIDADE 2 Silva. São Paulo:Atlas.Fernando César Marra e. Matemática básica para decisões administrativas.

TEXTO Na teoria dos conjuntos. Os objetos podem ser qualquer coisa: números. pessoas. etc Os conjuntos podem ser representados por: 1-) Números Naturais 2-) Números Inteiros 3-) Números Racionais 4-) Números Irracionais 5-) Números Reais MAT 15 . Estes objetos são chamados de elementos ou membros do conjunto. outros conjuntos.Matemática SÍNTESE PARA AUTO-AVALIAÇÃO OBJETIVOS ATIVIDADE 3 O aluno será capaz de reconhecer e associar as operações entre conjuntos. um conjunto é descrito como uma coleção de objetos bem definidos.

Matemática ATIVIDADE 3 ANOTAÇÕES MAT 16 .

TEXTO No cotidiano. muitas vezes usamos expressões sem perceber que as mesmas representam expressões algébricas ou numéricas. Usamos a subtração para saber o valor do troco. Na cantina da faculdade. Por exemplo. onde a representa o preço do livro e b o preço de cada caneta. ao comprar um lanche. Numa papelaria. somamos o preço de um refrigerante com o preço de um salgado. As expressões algébricas são encontradas muitas vezes em fórmulas matemáticas. então temos uma expressão algébrica do tipo S-(1r+1s)=T.Matemática O USO DAS EXPRESSÕES ALGÉBRICAS OBJETIVOS ATIVIDADE 4 O aluno será capaz de relacionar e reconhecer uma expressão algébrica dentre outras. no cálculo de áreas de retângulos. quando calculamos o preço de um livro somado ao preço de duas canetas. usando expressões do tipo 1r+1s onde s representa o preço do salgado e r o preço do refrigerante. se S é o valor total de dinheiro disponível e T é o valor do troco. MAT 17 . triângulos e outras figuras planas. usamos expressões como 1a+2b. Por exemplo.

São também denominadas expressões literais. usaram as letras para representar números. que introduziu o uso ordenado de letras nas analogias matemáticas. porém. devemos obedecer a seguinte ordem: MAT 18 . as letras foram pouco usadas na representação de números e relações. Por exemplo: M = 2a+7b P = 23c+4 As letras nas expressões são chamadas variáveis o que significa que o valor de cada letra pode ser substituído por um valor numérico.Matemática ATIVIDADE 4 Elementos históricos Na Antiguidade. foi com o matemático francês François Viéte (1540-1603). quando desenvolveu o estudo do cálculo algébrico. os gregos Euclides e Aristóteles (322-384 a. pelos matemáticos italianos Germano (1501-1576) e Bombelli (autor de Álgebra publicada em 1572). Por exemplo: m = 7+5+4 q = (5×4)+15 Expressões Algébricas São expressões matemáticas que apresentam letras e podem conter números. O grande uso de letras para resumir mais racionalmente o cálculo algébrico passou a ser estudado pelo matemático alemão Stifel (1486-1567). observamos alguns cálculos algébricos.C). que escreveu o livro sobre Liber Abaci (o livro do ábaco) sobre a arte de calcular. Prioridade das operações numa expressão algébrica Nas operações em uma expressão algébrica. De acordo com fontes históricas. A partir do século XIII o matemático italiano Leonardo de Pisa (Fibonacci). Expressões Numéricas São expressões matemáticas que envolvem operações com números.

2. Para obter a área do quadrado cujo lado mede 7cm. 2. Exemplos: 1. MAT 19 . muda para 22. Consideremos X=2A+10 e tomemos A=5. Substituindo a=5cm nesta expressão. Assim: M = 4. A multiplicação pode ser indicada por × ou por um ponto · ou às vezes sem sinal. colchetes ou chaves. Conclusão: O valor numérico de uma expressão algébrica é o valor obtido na expressão quando substituímos a variável por um valor numérico. Calcular o perímetro de um triângulo eqüilátero cujo lado mede 5 cm. Exemplos: 1.Matemática ATIVIDADE 4 1. Um triângulo eqüilátero possui os três lados com mesma medida. deve-se realizar a operação que estiver dentro dos parênteses. obtemos P=3×5cm=15cm.5+2+7-7 = 20+2-0 = 22 Se A=5 e B=7. Seja M=4A+2+B-7 e tomemos A=5 e B=7. Antes de cada uma das três operações citadas. Muitas vezes devemos utilizar parênteses quando substituímos variáveis por valores negativos. Multiplicação ou Divisão 3. desde que fique clara a intenção da expressão. 3. o valor numérico de M=4A+2+B-7. Adição ou Subtração Observações quanto à prioridade: 1.5+10 = 10+10 = 20 2. devemos usar a expressão algébrica para a área do quadrado de lado L que é A=L×L=L². Assim X = 2. Potenciação ou Radiciação 2. sabendo-se que o perímetro de um triangulo eqüilátero pode ser representado por uma expressão algébrica da forma: P=a+a+a=3a.

Matemática ATIVIDADE 4 Assim. 3. as expressões algébricas aparecem na forma: 3x²y onde se observa que ela depende das variáveis literais x e y. O antecessor desse número (se existir). Identificação das expressões algébricas Com muita freqüência. b. d. O sucessor desse número. Como caso particular do exercício anterior. onde podem aparecer somente operações de adição. subtração ou multiplicação. então A=7×7=49cm². O dobro desse número. o valor da área mudará para A=8×8=64cm². do antecessor de a d. 4. Observação: Mudando o valor do lado para L=8cm. mas é importante identificá-las com nomes como: p(x. tome a=9 e calcule o valor numérico: a. c. escreva a expressão algébrica que representa cada um dos seguintes fatos: a. da terça parte de a somado com o sucessor de a Monômios e Polinômios São expressões matemáticas especiais envolvendo valores numéricos e literais. se L=7cm. do sucessor de a c.y) = 3x²y para deixar claro que esta é uma expressão algébrica que depende das MAT 20 . do dobro de a b. Um terço do número somado com seu sucessor. Se a letra y representa um número natural.

y)=3x²y. então para x=7 e y=2 temos que: p(7. Esta forma de notação é muito útil e nos leva ao conceito de função de várias variáveis que é um dos conceitos mais importantes da Matemática. teremos outro valor numérico: A regra dos sinais (multiplicação ou divisão) (+1) x (+1) = +1 (+1) x (-1) = -1 (-1) x (+1) = -1 (-1) x (-1) = +1 Regras da Potenciação Para todos os números reais x e y diferentes de zero. ao substituir as variáveis literais por valores numéricos.2) = 3 × 7² × 2 = 294 Se alterarmos os valores de x e de y para x=-1 e y=5. e.Matemática ATIVIDADE 4 variáveis x e y. m e n números inteiros. Valor numérico de uma expressão algébrica identificada É o valor obtido para a expressão. tem-se que: (+1) ÷ (+1) = +1 (+1) ÷ (-1) = -1 (-1) ÷ (+1) = -1 (-1) ÷ (-1) = +1 MAT 21 . Exemplo: Tomando p(x.

Adição ou Subtração de Monômios Para somar ou subtrair de monômios. deve-se primeiramente realizar a potenciação do valor numérico levando em consideração o sinal. Potenciação de Monômios Para realizar a potenciação de um monômio. tomar as potências literais e escrever a resposta de uma forma simplificada: Exemplos: A =(+4x²y)³= 4³ x²y x²y ²y = 256 x 6 y³ B =(-4x²y)³ = -4³x²y x²y x²y = -256x6 y³ MAT 22 . multiplicar as potências literais de mesma base e escrever a resposta de uma forma simplificada: Exemplos: A = -(4x²y). deve-se primeiramente dividir os valores numéricos observando com muito cuidado a regra de divisão dos sinais. Multiplicação de Monômios Para multiplicar monômios. deve-se primeiramente multiplicar os valores numéricos observando com muito cuidado a regra de multiplicação dos sinais.Matemática ATIVIDADE 4 Operações com expressões algébricas de Monômios 1. Divisão de Monômios Para dividir monômios.(-2xy) = +8x³y² 3. devemos primeiramente eliminar os parênteses e depois realizar as operações. dividir as potências literais de mesma base e escrever a resposta de uma forma simplificada: Exemplos: A = -(4x²y)÷(-2xy) = 2x 4. Exemplos: A = -(4x)+(-7x) = -4x-7x = -11x 2.

(x+y)² = x² + 2xy + y² Exemplos: (x+8)² = x²+2. y²=y.Matemática ATIVIDADE 4 Alguns Produtos Notáveis 1.8+8² = x²+16x+64 (1+x/5)² = 1+ 2x/5 +x²/25 Exercícios: Desenvolver as expressões: (a+8)² = (4y+2)² = 2. Quadrado da soma de dois termos Sabemos que x²=x. Resumindo: (x-y)² = x² . Este é um erro muito comum.x. o quadrado da diferença de x e y é igual ao quadrado de x somado com o quadrado de y menos duas vezes xy. mas o correto é: (x+y)² = x² + 2xy + y² Isto significa que o quadrado da soma de dois números sem sempre é igual à soma dos quadrados desses números.y.4+4² = x²-8x+16 MAT 23 .2xy + y² Exemplos: (x-4)² = x²-2.x. mas não é verdade que x² + y² = (x+y)² a menos que um dos dois termos seja nulo. Quadrado da diferença de dois termos Como um caso particular da situação anterior.x.

Matemática básica para cursos superiores.2007 MAT 24 . São Paulo: Atlas. Sebastião Medeiros da.Fernando César Marra e. São Paulo:Atlas. Matemática básica para decisões administrativas. 2001. (x+y)(x-y) = x² .y² Exemplos: (x+2)(x-2) = x²-2x+2x-4 = x²-4 Exercícios: Complete as expressões: (6-m)(6+m) = (b+6)(b-6) = (6+b)(b-6) = (6+b)(6-b) = (100-u)(100+u) = (u-100)(100+u) = REFERÊNCIAS Silva. Silva.Matemática ATIVIDADE 4 Exercícios: Complete o que falta. (5x-9)² =[ (k-6s)² =[ ] ] (p-[ ])² = p²-10p+[ ] 3. Produto da soma pela diferença de dois termos Em geral. o produto da soma de x e y pela diferença entre x e y é igual ao quadrado de x menos o quadrado de y.

onde a é diferente de 0. Equação do 1º grau Chamamos equação do 1º grau na incógnita x a toda equação que pode ser escrita na forma ax + b = 0 . Ex: 2x – 5 = 3 » o número desconhecido x recebe o nome de incógnita De princípio. TEXTO Equação é qualquer igualdade que só é satisfeita para alguns valores dos seus domínios. não podemos afirmar se essa igualdade é verdadeira ou falsa. sem conhecer o valor da incógnita x.Matemática EQUAÇÃO DO 1º GRAU OBJETIVOS ATIVIDADE 5 O aluno será capaz de conhecer e relacionar uma equação ou inequação do 1º grau. Porém podemos verificar facilmente que a equação acima se torna verdadeira para x = 4. Podemos adicionar ou subtrair um mesmo número MAT 25 . ax + b = 0 ( a e b são números reais e a ≠ 0 ) Uma equação do 1º grau pode ser resolvida usando a propriedade: ax + b = 0 » ax = -b x = -b / a * Convém lembrar que podemos transformar uma equação em outra equação equivalente mais simples. 2x – 5 = 3 » 2x = 8 » x = 4 Logo o conjunto verdade (V) ou conjunto solução (S) é 4.

8 » x = 2 Resolução de equações do 1º grau: Resolver uma equação significa encontrar valores de seus domínios que a satisfazem. E multiplicar ou dividir ambos os membros de uma equação por um número diferente de zero. Vamos MAT 26 . Para assimilarmos.Matemática ATIVIDADE 5 a ambos os membros da igualdade.(1-2x) = 5 – (x+9) 3 –7 + 14x = 5 – x – 9 14x + x = 5 – 9 – 3 + 7 15x= 0 x = 0 » V= {0} O método de resolução de equações do 1º grau. Para resolver equações do 1º grau. Determine o valor da incógnita x: a) 2x – 8 = 10 2x = 10 + 8 2x = 18 x = 9 » V = {9} b) 3 – 7. Ex: x – 5 = 0 » x –5 + 3 = 0 + 3 » x = 5 4x = 8 » 3. no qual coloca-se os valores de um lado do sinal (=) e as incógnitas do outro é apenas um “macete”. vamos resolver alguns exemplos.4x = 3. basta colocar as incógnitas de um lado do sinal (=) e os “números” do outro.

afim de deixarmos o valor de 2x “sozinho”.Matemática ATIVIDADE 5 ver o que realmente ocorre: Numa equação: 2x + 8 = 10 Adicionamos -8 a ambos os lados. deseja-se obter um conjunto de todas os possíveis valores que pode assumir uma ou mais incógnitas na equação proposta.8 2x = 2 x=1 V={1} Desigualdades do primeiro grau (1 variável) Relacionadas com as equações de 1o. Observem: 2x + 8 . grau. deveremos seguir os seguintes passos: MAT 27 . temos as desigualdades de primeiro grau.8 = 10 . (também denominadas inequações) que são expressões matemáticas em que os termos estão ligados por um dos quatro sinais: Nas desigualdades. Exemplo: Determinar todos os números inteiros positivos para os quais vale a desigualdade: 2x + 2 < 14 Para resolver esta desigualdade.

4 } Observação: Quando aparece mais do que um dos quatro de desigualdade. temos várias desigualdades “disfarçadas” em uma. 8. poderemos seguir o seguinte processo: Concluímos que o conjunto solução é: S = { 6.Matemática ATIVIDADE 5 Concluímos que o conjunto solução é formado por todos os números inteiros positivos menores do que 6: S = { 1. Exemplo: Determinar todos os números inteiros positivos para os quais valem as desigualdades: 12 < 2x + 2 < 20 Para resolver estas desigualdades. 9 } MAT 28 . 3. 5 } Para obter todos os números pares positivos satisfazendo à desigualdade 2x + 2 < 14 o conjunto solução será: S = { 2. 7. 4. 2.

2001. Sebastião Medeiros da. São Paulo:Atlas. Matemática básica para cursos superiores.Matemática ATIVIDADE 5 Para obter todos os números inteiros negativos satisfazendo às desigualdades 12 < 2x + 2 < 20 teremos apenas o conjunto vazio.2007 ANOTAÇÕES MAT 29 .Fernando César Marra e. como solução. Matemática básica para decisões administrativas. São Paulo: Atlas. isto é: S=Ø={} REFERÊNCIAS Silva. Silva.

Matemática ATIVIDADE 5 ANOTAÇÕES MAT 30 .

funções entre outros. conjuntos. deseja-se obter um conjunto de todas os possíveis valores que pode assumir uma ou mais incógnitas na equação proposta. ou seja. Exemplos: A relaçao entre o preço de venda e a quantidade vendida de um produto é dada pela equação q = 100 – 2 p . Resolver a equação. TEXTO Em matemática. grau. números inteiros. (também denominadas inequações) que são expressões matemáticas em que os termos estão ligados por um dos quatro sinais: Nas desigualdades. MAT 31 . ou problema por ela proposto consiste em determinar quem são os elementos de um determinado conjunto (o das possíveis soluções) que tornam a equação verdadeira. As entidades matemáticas envolvidas na equação podem .Matemática SÍNTESE PARA AUTO-AVALIAÇÃO OBJETIVOS ATIVIDADE 6 O aluno será capaz de reconhecer e relacionar os conjuntos numéricos e suas aplicações. uma equação é composta por incógnitas e coeficientes. uma equação é uma sentença aberta expressa por uma igualdade envolvendo expressões matemáticas.Determine os valores de p para os quais a quantidade vendida é de no mínimo 40 unidades . As equações normalmente propõem um problema sobre sua validade. temos as desigualdades de primeiro grau. Grosseiramente falando. DESIGUALDADES DO PRIMEIRO GRAU (1 VARIÁVEL) Relacionadas com as equações de 1o. Os coeficientes são entidadades matemáticas conhecidadas.

00. Um produto teve seu preço aumentado em 20% para pagamento a prazo.2 p ≥ 40 ( realizando as operações imversas) .20 x = 600 Resolvendo a equação temos : 1.2 p ≥ 40 – 100 .00. ANOTAÇÕES MAT 32 .2 p ≥ . resultando um total de R$600. logo 100 .20 x .Qual era o preço a vista? Resolução: Vamos chamar o preço a vista de x O acréscimo correspondente a 20% de x ou 0.00 .2 x = R$500. O valor acrecido é : x + 0. Resposta : O valor à vista era de R$500.60 ( – 1 ) → 2 p ≤ 60 → p ≤ 30 Resposta : O preço mínimo será de R$ 30.2 x = 600 → x = 600 : 1.Matemática ATIVIDADE 6 Resolução : q ≥ 40 .00.

1º caso: b=0 Considere a equação do 2º grau incompleta: x²-9=0 » x²=9 » x= » x= MAT 33 . toda a equação do tipo ax²+bx+c.b e c com Exemplos: Equação x²+2x+1 5x-2x²-1 a 1 -2 b 2 5 c 1 -1 . com coeficientes numéricos a.Incompletas: Se um dos coeficientes ( b ou c ) for nulo. temos uma equação do 2º grau incompleta. Classificação: . TEXTO Denomina-se equação do segundo grau.Matemática EQUAÇÃO DO 2º GRAU OBJETIVOS ATIVIDADE 7 O aluno será capaz de reconhecer e relacionar as situações problemas envolvendo equação e ou inequação do 2º grau.

vamos determinar a fórmula de Bháskara: Multiplicamos os dois membros por 4a: 4a²x²+4abx+4ac=0 4a²x²+4abx=-4ac Somamos b² aos dois membros: 4a²x²+4abx+b²=b²-4ac MAT 34 . que podem ser determinadas pela fórmula de Bháskara.9 3º caso: b=c=0 2x²=0 » x=0 Resolução de equações do 2º grau: A resolução de equações do 2º grau incompletas já foi explicada acima. b e c diferentes de zero. . ou seja. vamos agora resolver equações do 2º grau completas. do tipo ax²+bx+c=0 com a.Matemática ATIVIDADE 7 2º caso: c=0 Considere a equação do 2º grau incompleta: x²-9x=0 » Basta fatorar o fator comum x x(x-9)=0 » x=0.Uma equação do 2º grau pode ter até 2 raízes reais. Como Bháskara chegou até a fórmula de resolução de equações do 2º grau? Considerando a equação: ax²+bx+c=0.

b=-7 e c=2 = (-7)²-4. vamos resolver alguns exercícios: 1) 3x²-7x+2=0 a=3.Matemática ATIVIDADE 7 Fatorando o lado esquerdo e chamamos de (delta) ∆ = b²-4ac: (2ax+b)²= Logo: 2ax+b= 2ax=-b ou Fórmula de Bháskara: Utilizando a fórmula de Bháskara.2 = 49-24 = 25 Substituindo na fórmula: = e MAT 35 .3.

Neste caso. Assim. ( ) 3) 5x²-6x+5=0 a=5 b=-6 c=5 = (-6)²-4. tivemos uma equação do 2º grau com duas raízes reais e iguais.Matemática ATIVIDADE 7 Logo.x² + 4x -4=0 a = -1. Logo:V = φ » vazio MAT 36 . a equação não possui nenhuma raiz real. b= 4 e c= -4 ∆ = b 2 – 4ac = 4 2 -4( -1)(-4)= 16-16= 0 Substituindo na fórmula de Bháskara: X= . o conjunto verdade ou solução da equação é: 2) .4 ± 0 -2 =2 .5 = 36-100 = -64 Note que <0 e não existe raiz quadrada de um número negativo.5.

com e . a soma das raízes de uma equação do 2º grau é dada por: O produto das raízes será: MAT 37 .Matemática ATIVIDADE 7 Propriedades: Duas raízes reais e diferentes Duas raízes reais e iguais Nenhuma raiz real Relações entre coeficientes e raízes Vamos provar as relações descritas acima: Dado a equação ax²+bx+c=0. suas raízes são: e A soma das raízes será: Logo.

6x -8 =0 Sendo a=2. o produto das raízes de uma equação do 2º grau é dada por: Podemos através da equação ax²+bx+c=0.Matemática ATIVIDADE 7 Logo.Sx + P = 0 Exemplos: 1) Determine a soma e o produto das seguintes equações: a) x² . b=0 e c=4: MAT 38 .4x + 3=0 [Sol] Sendo a=1. b=-6 e c=-8 c) 4-x² = 0 Sendo a=-1. dividir por a. b=-4 e c=3: b) 2x² . Obtendo: Substituindo por e : Obtendo a Soma e Produto de uma equação do 2º grau: x² .

Exemplos resolvidos: a) Onde .c dos denominadores: 2x Então: Eliminando os denominadores. pois eles são iguais: » Aplicando a fórmula de Bháskara: Logo.Matemática ATIVIDADE 7 Resolução de equações fracionárias do 2º grau: Equações fracionárias são as que possuem incógnitas no denominador e o processo de resolução destas equações é o mesmo das equações não fracionárias. x = 2 e x` = 4.m. Sebastião Medeiros da. São Paulo: MAT 39 . pois senão anularia o denominador [Sol] Encontrando o m.-4} REFERÊNCIAS Silva. » S={2. Matemática básica para cursos superiores.

Matemática ATIVIDADE 7 Atlas. 2001. Silva. Matemática básica para decisões administrativas.2007 ANOTAÇÕES MAT 40 . São Paulo:Atlas.Fernando César Marra e.

Por exemplo: . Usualmente é escrito como logb x = n. é uma função de domínio n e imagem . enquanto exponenciais discretas são bem fáceis. maior que zero e diferente de 1. bijetora e contínua que retorna o expoente na equação b = x. b pode ser determinado utilizando radicais.Matemática LOGARITMO OBJETIVOS ATIVIDADE 8 O aluno será capaz de reconhecer e comparar os conceitos e propriedades de um logaritmo. Em termos simples o logaritmo é o expoente que uma dada base deve ter para produzir certa potência. pois 4 é o expoente que a base 3 deve usar para resultar 81. Esta assimetria tem aplicações em criptografia MAT 41 . No último exemplo o logaritmo de 81 na base 3 é 4. Um antilogaritmo é usado para mostrar o inverso de um logaritmo. TEXTO Na Matemática. Ele é escrito da seguinte maneira: antilogb(n) e significa o mesmo que bn. Um logaritmo discreto é uma noção relacionada na teoria finita de grupos. e x com exponenciais. Com bn = x. o logaritmo de base b. O logaritmo é uma de três funções intimamente relacionadas. O superlogaritmo de x cresce ainda mais lentamente que o logaritmo duplo para x grande. Para alguns grupos finitos. acredita-se que logaritmo discreto seja muito difícil de ser calculado. n com logaritmos. Um logaritmo duplo é a inversa da exponencial dupla. Um superlogaritmo ou hiper-logaritmo é a inversa da função super-exponencial.

biólogos e outros escrevem apenas "ln(x)" ou (ocasionalmente) "loge(x)" quando se trata do logaritmo natural de x. e outra a base 1. outra a base 10.e. o logaritmo natural de x. existe uma função logaritmo e uma função exponencial. i. e tomam "log(x)" para log10(x) ou. no contexto da computação. Note como logaritmos de todas as bases passam pelo ponto (1. se multiplica b por b (n) vezes.7. para encontrar x. Para cada base (b em b ). Engenheiros. log2(x). elas são as funções inversas.. 0). e escrevem "log10(x)" se o logaritmo na base-10 de x é procurado. n é o número de vezes que x precisa ser dividido por b para se obter 1. Com bn = x: • n Exponenciais determinam x quando dado n. MAT 42 .Matemática ATIVIDADE 8 Logaritmos e exponenciais: inversas Logaritmos em várias bases: uma linha representa a base e. • Logaritmos determinam n quando dado x. Para diferenciar o gráfico da função logarítmica do gráfico da função exponencial. pode-se utilizar a Regra da Mão Direita: Bases não especificadas • Matemáticos geralmente entendem "ln(x)" ou "log(x)" como significando loge(x).

C++. • Nas linguagens de programação mais usadas. Este uso foi sugerido por Edward Reingold e popularizado por Donald Knuth. veja logaritmo comum). logaritmo binário (log2) com intervalos musicais e em logaritmo comum (log10) quando tabelas de logaritmos são logaritmo indefinido quando a base é irrelevante. • MAT 43 . • usadas para simplificar cálculos manuais. A maior parte das razões para se pensar em logaritmos na base 10 tornaram-se obsoletas logo após 1970 quando calculadoras de mão se tornaram populares (para mais sobre esse assunto. mas a maioria usa "log". incluindo C. agora a maioria dos não-matemáticos tomam "log(x)" como o logaritmo na base 10 de x e usam "ln(x)" para se referir ao logaritmo natural de x. Não obstante. "log" ou "LOG" significa o logaritmo natural. Pascal. Quando "log" é escrito sem uma base (b faltando em logb). assuntos que lidam com bits. o significado pode normalmente ser determinado através do contexto: • • logaritmo natural (loge) em Análise. professor de matemática da Universidade de Berkeley. Fortran e BASIC. A notação "ln" foi introduzida em 1893 por Irving Stringham. alguns matemáticos adotaram a notação "ln". • A notação Log(x) também é usada pelos matemáticos para se referir ao ramo principal da função logaritmo natural. Em Ciência da Computação o logaritmo na base 2 é escrito como lg(x) para evitar confusão.Matemática ATIVIDADE 8 • Algumas vezes Log( x) (L maiúsculo) é usado significando log10(x). uma vez que calculadoras são feitas e normalmente usadas por engenheiros. Até 2005. as convenções usadas por eles foram incorporadas nas calculadoras. pelas pessoas que usam log(x) com l minúsculo significando loge(x).

Logaritmos são úteis para se resolver equações cujos expoentes são desconhecidos. várias quantidades na ciência são expressas como logaritmos de outras quantidades. Eles possuem derivadas simples. a mais importante para o uso na calculadora é a que permite encontrar logaritmos com bases que não as que foram programadas na calculadora (normalmente log e e log 10 ). Para encontrar um logaritmo com uma base b usando qualquer outra base a: PROVA DA FÓRMULA DE MUDANÇA DE BASE por definição aplica-se em ambos os lados simplifica-se o lado esquerdo da igualdade divide-se por logk(b) Tudo isso implica que todas as funções logaritmo (qualquer que seja sua base) são similares umas às outras.Matemática ATIVIDADE 8 Mudança de base Apesar de existirem identidades muito úteis. Além disso. por isso eles são com umente usados como soluções de integrais . Algumas vezes (especialmente em análise) é necessário calcular funções exponenciais arbitrárias f(x) x usando se apenas a exponencial natural e x: MAT 44 .

mas mais rapidamente e com menor precisão do que usando tabelas.Matemática ATIVIDADE 8 =e xlog(f(x)) Logaritmos trocam números por expoentes. MAT 45 . o que comprova a identidade. Outras ferramentas para realizar multiplicações antes da invenção da calculadora incluem Napier's bones e calculadoras mecânicas. realizava-se uma operação mais simples neles. Mantendo-se a mesma base. se: log(a) = x então a = 10x. Réguas de cálculo realizavam as mesmas operações usando logaritmos. onde um número já é um expoente) em uma tabela de logaritmos comuns. considerando-se b = 10 . é possível tornar algumas poucas operações mais fáceis: OPERAÇÃO COM NÚMEROS OPERAÇÃO COM EXPOENTES IDENTIDADE LOGARÍTMICA Demonstração da identidade log(a) + log(b) = log(ab) Por definição. e se encontrava o resultado numa tabela. Simplesmente se achavam os logaritmos dos dois números (multiplique e divida) ou o primeiro número (potência ou raiz. Logo. isto fazia com que operações difíceis de dois números fossem muito mais fáceis. Antes da calculadora eletrônica. tem-se: y Observa-se em ambos os lados da expressão acima que x + y = x + y.

999999. navegação e outros ramos da matemática prática. O termo antilogaritmo foi introduzido no final do século XVII e. é útil fazer a razão r na série geométrica próximo de 1. era uma ferramenta constantemente usada em observações. Para facilitar interpolações e cálculos. Os logaritmos originais de Napier não tinham log 1=0. para significar um número que indica uma razão: ?o?o? (logos) que significa razão. e a?? ?µo? (arithmos) significando número. de forma que uma série aritmética de logaritmos corresponde a uma série geométrica de números. MAT 46 . ao invés disso tinham log 107 = 0. Napier escolheu r = 1 ? 10 ? 7 = 0. Desse modo se N é um número e L é seu logaritmo tal qual calculado por Napier. Napier chamou os logaritmos de "números artificiais" e os antilogaritmos de "números naturais". Barão de Merchiston na Escócia. Napier não usou uma base como a concebemos hoje. os logaritmos também têm um papel muito importante em matemática teórica. L é aproximadamente 10 log1 / eN / 10 . De início. e especialmente a astronomia. quatro anos após a publicação de sua memorável invenção. apesar de nunca ter sido usado muito na matemática. Além de sua imensa utilidade na realização de cálculos práticos. Uma vez que (1 ? 10 7 ) é aproximadamente 1 / e. O método dos logaritmos naturais foi proposto pela primeira vez em 1614. mas seus logaritmos eram na base . fazendo com que cálculos muito difíceis se tornassem possíveis. Este método contribuiu para o avanço da ciência. Anterior à invenção de calculadoras e computadores.Matemática ATIVIDADE 8 História Joost Bürgi. Napier escolheu dessa forma porque a diferença entre dois logaritmos determina a razão entre os números dos quais eles são tomados. Napier formou a palavra logaritmo. foi o primeiro a formar uma concepção sobre logaritmos. um relojoeiro suíço a serviço do Duque de Hesse-Kassel. e Bürgi escolheu r = 1 + 10 ? 4 = 1. em um livro intitulado Mirifici Logarithmorum Canonis Descriptio escrito por John Napier. Mais tarde. persistiu em coleções de tabelas até não ser mais usado.0001. N = 10 (1 ? 10 7 7 ?7 L ?7 ) .

Em 1617. mas "isso não pode ser considerado uma grande quantidade. Sang. 1795). A única extensão publicada importante da tabela de Vlacq foi feita por Mr.Matemática ATIVIDADE 8 Tabelas de logaritmos Antes do advento do computador e da calculadora. Logaritmos de base-10 são úteis em cálculos quando meios eletrônicos não são disponíveis.000.000 números são utilizados. MAT 47 .000.000 foi preenchido por Adrian Vlacq. incluindo o uso de características e mantissas de logaritmos comuns (i.000 a 100. juntos com uma introdução que explicava a história. e que é possível haver erros quando mais de 2. a teoria e o uso dos logaritmos.000. contendo os logaritmos com 8 dígitos de todos os inteiros inferiores a 1. Briggs publicou a primeira versão de sua própria lista de logaritmos comuns. ao invés de parar em 100. que eram grandes no início da tabela. em 1871. quando se é considerado que a tabela foi um resultado de um cálculo original." (Athenaeum. que apareceu em 1628.) Uma edição do trabalho de Vlacq. usar logaritmos significava usar tabelas de logaritmos. 1872. titulado de "Thesaurus Logarithmorum Completus" por Jurij Vegal. cuja tabela tinha os logaritmos de 7 casas de todos os números abaixo de 200. O intervalo de 20. contendo diversas correções. que tinham de ser criadas manualmente. Briggs e Vlacq também publicaram tabelas originais de logaritmos de funções trigonométricas. 1794. os logaritmos eram de somente 10 dígitos. "Aritmética Logaritima". foi publicado em Leipzig. Em 1624 ele publicou ainda outra. 15 de Junho de 1872. base-10).100.000 a 90.. e essa adição era geralmente incluída em tabelas de 7 dígitos. visando diminuir os erros de interpolação. contendo os logaritmos de todos os inteiros de 1 a 20.000.e. dava os logaritmos de oito dígitos dos números entre 100. A tabela de 7 dígitos de Callet (Paris. mas em sua tabela. Foram descobertos mais tarde 603 erros na tabela de Vlacq.000 e de 90. Veja logaritmo comum para detalhes.000 e 108.000. Veja também as "Notícias Mensais da Sociedade Real de Astronomia" de Maio.

Matemática

ATIVIDADE 8
Além das tabelas mencionadas acima, uma grande coleção, chamada Tables du Cadastre, foi feita sob a direção de Prony, por um cálculo original, sob a ajuda do governo republicano francês. Esse trabalho, que continha os logaritmos de 9 dígitos de todos os números até o 100.000, e de 24 dígitos dos números entre 100.000 e 200.000, existe apenas no manuscrito in seventeen enormous folios, no observatório de Paris. Esse trabalho foi iniciado em 1792, e para garantir uma grande precisão de todos os cálculos, o trabalho foi realizado de duas formas diferentes, e ambos os manuscritos foram subsequentemente e cuidadosamente unidos, tendo todo o trabalho sido realizado em um período de dois anos (English Cyclopaedia, Biography, Vol. IV., artigo "Prony"). Interpolação cúbica poderia ser utilizada para encontrar o valor dos logaritmos, com uma precisão similar. Para os estudantes de hoje, que contam com a ajuda de calculadoras, o trabalho a respeito das tabelas acima mencionada, é pequeno para o avanço dos logaritmos. Algoritmo Para calcular logb(x) se b e x são números racionais e x ? b > 1: Se n0 é o maior número natural tal que bn0 ? x ou, alternativamente,

então

Este algoritmo recursivamente produz a fração contínua

MAT

48

Matemática

ATIVIDADE 8 REFERÊNCIAS
Silva, Sebastião Medeiros da, Matemática básica para cursos superiores. São Paulo: Atlas, 2001. Silva,Fernando César Marra e. Matemática básica para decisões administrativas. São Paulo:Atlas,2007

ANOTAÇÕES

MAT

49

Matemática

ATIVIDADE 8

MAT

50

Matemática

SÍNTESE PARA AUTO-AVALIAÇÃO OBJETIVOS

ATIVIDADE 9

O aluno será capaz de relacionar e interpretar corretamente os conceitos de função.

TEXTO

Função quadrática (Parábola) A função quadrática f:R->R é definida por f(x)=ax²+bx+c onde a, b e c são constantes reais, sendo que Dom(f)=R, Im(f)=R. Esta função também é denominada função trinômia do segundo grau, uma vez que a expressão a x² + b x + c = 0 representa uma equação trinômia do segundo grau ou simplesmente uma equação do segundo grau. O gráfico cartesiano desta função polinomial do segundo grau é uma curva plana denominada parábola.

A função do segundo grau mais simples é a função

. Todo ponto de

, ou seja, a ordenada de cada ponto é o quadrado da seu gráfico é da forma abscissa. A curva obtida denomina-se parábola

MAT

51

quando comparado ao gráfico de y=x2. tendo sempre como referência o gráfico de y=x . b e c. observando as transformações realizadas.Matemática ATIVIDADE 9 O objetivo aqui é o de descobrir como é o gráfico da função do segundo grau y=ax2+bx+c. Para adquirir essa compreensão. começamos com situações mais simples. dependendo dos parâmetros a. 2 ANOTAÇÕES MAT 52 . onde .

O nome de Descartes em Latim era Cartesius. Cada ponto P=(a. daí vem o nome cartesiano. a abscissa e a ordenada respectivamente. O eixo horizontal é o eixo das abscissas (eixo OX) e o eixo vertical é o eixo das ordenadas (eixo OY).b) do plano cartesiano é formado por um par ordenado de números.Matemática O PLANO CARTESIANO OBJETIVOS ATIVIDADE 10 O aluno será capaz de relacionar e entender os conceitos de função do primeiro e segundo graus. O primeiro número indica a medida do deslocamento a partir da origem para a direita (se positivo) ou para a esquerda (se negativo). Associando a cada um dos eixos o conjunto de todos os números reais. plano cartesiano ortogonal é constituído por dois eixos x e y perpendiculares entre si que se cruzam na origem. indicados entre parênteses. TEXTO Referência histórica: Os nomes Planos Cartesiano e Produto Cartesiano são homenagens ao seu criador René Descartes (1596-1650). filósofo e matemático francês. obtém-se o plano cartesiano ortogonal. MAT 53 . Este par ordenado representa as coordenadas de um ponto.

f(x)=x² f(x)=-4 x² f(x)=x²-4x+3 f(x)=-x²+2x+7 O gráfico de uma função quadrática é uma curva denominada parábola. A função quadrática é uma função f:R R que para cada x em R. Funções quadráticas Sejam a. 4. Exemplos: 1. Construção gráfica de uma parábola. com o não nulo. Observe no desenho que: (a.b) (b. f(x)=ax²+bx+c. MAT 54 .a) se a b.Matemática ATIVIDADE 10 O segundo número indica o deslocamento a partir da origem para cima (se positivo) ou para baixo (se negativo). 2. 3. b e c números reais.

Matemática ATIVIDADE 10 Seja y = x²+2x-3 Temos: a = 1 .4 ( 1)(-3)=16 x1 = 1 x=-b± ?∆ = -2±4 = 2b 2(1) x 2= -3 . usando o procedimento apresentado acima.b Construir. para a representação gráfica das funções quadráticas : a) b) c) d) y = x 2.4 . -4 ) 4 Agora observe como ficou o gráfico que representa a parábola: -∆ ) 4a raízes ou zeros da função( 1.0) e ( -3.4 x + 3 y= -x + 10 x -16 y=x 2 2 y=x2–6x+9 MAT 55 . 2a Assim temos : x v = -2 2 = -1 y v = -16 = . b = 2 e c= -3 .0) Vértice da parábola : V = ( . logo ∆= b 2 – 4 a c = 2 2. logo V = ( -1.

REFERÊNCIAS Silva. Matemática básica para cursos superiores. Silva.2007 MAT 56 . 5) O comprimento dos lados iguais de um triângulo isósceles é de 10 cm. Matemática básica para decisões administrativas. Construa um modelo funcional que descreva a área desse triângulo em função do terceiro lado. 2001. São Paulo: Atlas.Qual é o domínio desta função? 3) O comprimento de um dos lados de um campo de futebol de forma regular é 40% maior que o comprimento do outro lado. para a representação gráfica das funções quadráticas : a) y = x 2.4 x + 3 b) y= -x 2+ 10 x -16 c) y = x 2 d) y = x 2 – 6 x + 9 2) Expressar a área de um círculo em função de seu raio r . São Paulo:Atlas.Fernando César Marra e. Sebastião Medeiros da.Matemática ATIVIDADE 10 Construir. Qual é o modelo funcional que descreve a distância a ser percorrida pelo jogador em função: a) do comprimento maior do campo? b) do comprimento menor do campo? 4) Construir um modelo funcional que descreva a área de um triângulo eqüilátero em função do seu lado. usando o procedimento apresentado acima. Um jogador deve percorrer a diagonal do campo.

pode ser representada também pelos símbolos: y' . enquanto que trigonometricamente. no ponto x = x 0. a derivada é o coeficiente angular da reta tangente ao gráfico da função no ponto x0. A derivada de uma função f(x) no ponto x0 é dada por: São comuns as interpretações da derivada: geométrica e trigonométrica. TEXTO A derivada de uma função y = f(x) num ponto x = x 0 . É importante deixar claro que não são duas interpretações independentes como parece. isto é. seu valor é igual à tangente que essa reta faz com o eixo dos x. mas são formas de interpretar que se complementam. geometricamente. em um ponto x0 da mesma (daí a importância de se definir derivada em um ponto x0). dy/dx ou f ' (x).Matemática DERIVADAS OBJETIVOS ATIVIDADE 11 O aluno será capaz de relacionar os conceitos de limites e derivadas e aplicações. é igual ao valor da tangente trigonométrica do ângulo formado pela tangente geométrica à curva representativa de y=f(x). MAT 57 . A derivada de uma função y = f(x). ou seja. a derivada é a reta tangente à uma curva de uma função qualquer y = f(x).

L = 6 MAT 58 .9 5. vamos calcular a taxa média de variação no intervalo de extremos 3 e x . b=x a=3 ∆x=x–3 y = f (x ) = x2 + 4 y = f( 3 )= 3 2 + 4 = 13 ∆ y = x2 + 4 – 13 = x 2 – 9 ∴ TMV = ∆ y ∆x = x2 – 9 x–3 Se queremos o comportamento da TMV próximo ao ponto p = 3 devemos calcular o limite: Lim x 3 = x2 – 9 x–3 que é o limite que conduz a uma fração do tipo 0 .01 6.1 6.999 y 5 5. Para isso. 0 Portanto devemos construir tabelas : x 2 2.9 2.001 3 6 3 6 Logo o valor do limite é.1 3.99 5.Matemática ATIVIDADE 11 Exemplos 2 a) Queremos estudar o comportamento da função y= x + 4 próximo ao ponto p = 3.999 x 4 3.99 2.001 y 7 6.01 3.

e indicamos: y ´= (3) = 6.então sua derivada é y ´= k(x α ) ´= kα x α. Cálculo da função derivada 1) Derivada da potência Se y = x . Exemplos : a) y= 3 x2 b) y = 5 √ x y ´= ( 5 x ½)´= 5 ( x ) 2 -1/2 y´ = ( 3x -2) ´ = -6 x -3 MAT 59 .1 .1 . com α∈R . a tendência da função é crescer 6. com α∈R . y ´= 6 x 1 b) y = 5x 6 c) y = x -3 y´ = 30 x 5 y ´= -3 x -4 Regras de derivação R1 Se y =k x Derivada do produto de uma constante k por uma função. Interpretação : próximo ao ponto p= 3.então sua derivada é y ´= (x ) ´= α x Exemplos a) y = 3 x 2 α α α.Matemática ATIVIDADE 11 A derivada de y x2 + 4 no ponto p=3 vale 6. α .

Matemática ATIVIDADE 11 R2 Derivada da soma (ou diferença) de funções Se f e h são funções deriváveis e y = f ± h . h( x) 2 y´= f(x) + h(x)´+ f ( x) ´h(x) y ´= 3 x . (6x + 1) MAT 60 .0.6 + 6x . sua derivada é y ´= ( k) ´ Exemplos: a) y – 12 b ) y = . Exemplos: a) y = x 3 + x 2 b) y = x 6 + x 8 y ´= 3 x 2 + 2 x y´= 6 x 5 + 8 x 7 2) Derivada de uma constante Seja y = k .56 y ´= 0 y ´= 0 3) Derivada de um produto de duas funções . Se y = f (x ) .( 6x + 1) = 54 x + 6 2 2 Exemplos : y = 3 x .então sua derivada é: y ´= ( f ± h)´= f ´± h´.

Matemática ATIVIDADE 11 REFERÊNCIAS Silva. 2001. Silva. São Paulo: Atlas. Matemática básica para decisões administrativas. Matemática básica para cursos superiores. ANOTAÇÕES MAT 61 . São Paulo:Atlas.Fernando César Marra e. Sebastião Medeiros da. 2007.

Matemática ATIVIDADE 11 MAT 62 .

que nos permite calcular o limite da soma. Calcular limites desse tipo não gera problema algum.é um número L. ou seja calculamos o limite da razão incremental quando a distância entre os dois pontos tende para zero. Por outras palavras: calcular a derivada duma função num ponto a é determinar a tangente trigonométrica da tangente geométrica a curva nesse ponto. DEFINIÇÃO DE DERIVADA Quando os dois pontos da curva se aproximam indefinidamente. Geometricamente. Nesse caso. à medida que x se aproxima de pós valores da função aproxima-se do número L. a derivada é o declive da reta r no ponto a quando h tende para zero. a secante (reta que passa por esses dois pontos) acaba por transformar-se na tangente à curva no ponto a.é afirmar que. usamos o Teorema sobre as propriedades dos limites. MAT 63 . desde que algumas hipóteses estejam satisfeitas. produto ou quociente de funções. pois a função dada está definida no ponto para o qual a variável x está tendendo.Matemática LIMITES OBJETIVOS ATIVIDADE 12 O aluno será capaz de relacionar e interpretar corretamente os conceitos de função. TEXTO DEFINIÇÃO Dizer que o limite de uma função y= f(x).em um ponto p .

Matemática ATIVIDADE 12 Definição analítica. a derivada duma função exprime o coeficiente de variação da função no ponto a. : f é derivável em a se escreve-se : existe e outra forma menos usual de apresentar esta definição é onde representa o acréscimo da variável Do que foi visto anteriormente. ANOTAÇÕES MAT 64 .

por exemplo. No fundo estamos a calcular o declive da reta secante à curva em a e b É. Para calcular a variação média da função basta fazer o quociente entre estas duas variações. Portanto à variação de para b sucede a variação de f(a) para f(b). ao abaixo onde está representada uma função f(x).Matemática DERIVADAS OBJETIVOS ATIVIDADE 13 O aluno será capaz de reconhecer e relacionar os conceitos de derivadas. verifica-se que quando o valor de x aumenta de a para b a função f(x) também passa de f(a) para f(b). o que se passa quando se quer calcular a velocidade média de um móvel cuja trajetória é a curva f(x) MAT 65 . TEXTO Observando a fig.

Geometricamente. Definição analítica.Matemática ATIVIDADE 13 Definição de derivada Quando os dois pontos da curva se aproximam indefinidamente. ou seja calculamos o limite da razão incremental quando a distância entre os dois pontos tende para zero. a secante (reta que passa por esses dois pontos) acaba por transformar-se na tangente à curva no ponto a. Por outras palavras: calcular a derivada duma função num ponto a é determinar a tangente trigonométrica da tangente geométrica a curva nesse ponto. a derivada é o declive da reta r no ponto a quando h tende para zero. : f é derivável em a se escreve-se existe e outra forma menos usual de apresentar esta definição é onde representa o acréscimo da variável MAT 66 .

b. Derivada de uma constante Derivada da potência Portanto: MAT 67 .Determinar. c e n são constantes.x no ponto 3 2 Notação de Leibniz Até aqui temos designado a derivada de uma função f por f '(x) ( ou também como D(f(x)) ).Matemática ATIVIDADE 13 Exemplo 1: 1. a. Mas existe outra notação. para traduzir a derivada duma função: Algumas derivadas básicas Nas fórmulas abaixo. devida a Leibniz. usando a definição . u e v são funções da variável x. a derivada de v(x) = x .

Silva.2007 MAT 68 .Fernando César Marra e. Sebastião Medeiros da. Matemática básica para decisões administrativas. São Paulo:Atlas. Matemática básica para cursos superiores.Matemática ATIVIDADE 13 Soma / Subtração Produto por uma constante Derivada do produto Derivada da divisão Potência de uma função Derivada de uma função composta REFERÊNCIAS Silva. São Paulo: Atlas. 2001.

b] em intervalos parciais.Em cada um desses intervalos parciais. escolhemos um ponto p. O uso do sinal ( ‘ ) denota a derivada da função em ordem a x.∆xn recebe o nome de Soma de Riemann da função f sobre o intervalo [a. INTEGRAL DE RIEMANN Definição Seja f uma função contínua no intervalo [a. a subdivisão do intervalo[a. Esta página relaciona algumas das antiderivadas mais comuns. Usa-se C como constante arbitrária de integração que só pode ser determinada se tivermos conhecimento do valor da integral em algum ponto específico. ao contrário da diferenciação.∆x2+….+ f(pn ) . Cada função tem infinitas antiderivadas.< x n =b. diferenciadas entre si pelo valor específico de C.∆xi = f (p1) .. Estas fórmulas são apenas outra forma de apresentação das asserções da tabela de derivadas..b] para as MAT 69 .b] e a = xo < x 1 < x2 < ...∆x1+ f (p2) .Matemática TÁBUA DE INTEGRAIS OBJETIVOS ATIVIDADE 14 O aluno será capaz de reconhecer e aplicar corretamente os conceitos de integral. TEXTO Integração é uma das duas operações básicas em cálculo. existem tabelas de integrais conhecidas que frequentemente se mostram úteis. é uma operação não-trivial. A soma : Σ f( pi ) . Como.

calcular sua primitiva F(x). Seja y = 5 .4 )´= 5 INTEGRAL INDEFINIDA ∫ f (x) dx = F( x) + C Exemplo: Calcular a integral indefinida da função: y = 4x + 5 . Cálculo da integral definida Exemplo Dado y = f(x). ∫ (4x + 5) dx = 2 x2 + 5 x + c Cálculo da integral indefinida Fórmulas básicas de integração Sejam f e g funções que tenham primitivas P1 – A integral da soma ou diferença de duas funções.x ÎR A função F(x)= 5x é uma primitiva de f. pois :F´(x) =(5 x)´= 5 A função F(x)= 5x + 10 é uma primitiva de f. P2-A integral do produto de duas funções MAT 70 . pois :F´(x) =(5 x.4 é uma primitiva de f. pois :F´(x) =(5 x + 10)´= 5 A função F(x)= 5x . x ∈ R .Matemática ATIVIDADE 14 divisão adotada e para a escolha dos pontos p em cada intervalo.

5 dx d) ∫ ¾ dx e) ∫(x – x ) dx f)∫10x 4 dx g) ∫6x + 3x – 7)dx h) ∫ 2 e dx i) ∫ 3 sen x dx j) ∫ ( 3x – 2 cox ) dx l) ∫ ( (1 – 2 cos x) dx MAT 71 x 2 2 .Matemática ATIVIDADE 14 Integrais de Funções Simples Logaritmos Caso particular: Funções Exponenciais Caso particular: Funções Trigonométricas EXERCÍCIOS PROPOSTOS Calcular as integrais indefinidas a) ∫ 4 dx b) ∫ -6 dx c) ∫0.

2007 ANOTAÇÕES MAT 72 . Silva. Matemática básica para decisões administrativas.Fernando César Marra e. 2001.Matemática ATIVIDADE 14 REFERÊNCIAS Silva. São Paulo: Atlas. São Paulo:Atlas. Sebastião Medeiros da. Matemática básica para cursos superiores.

de outra forma. INTEGRAIS DE FUNÇÕES SIMPLES Logaritmos Caso particular: MAT 73 .Matemática SÍNTESE PARA AUTO-AVALIAÇÃO OBJETIVOS ATIVIDADE 15 O aluno será capaz de resolver e relacionar derivadas e integral. TEXTO Regras de integração de funções em geral ou.

Matemática ATIVIDADE 15 Funções Exponenciais Caso particular: Funções Trigonométricas Uma aplicação da integral indefinida 1) A integral indefinida funciona como uma espécie de inversa para a derivada. então: x² dx = x³/3 + C Algumas regras das integrais indefinidas Como a derivada de f(x)=xn+1/(n+1) é igual a g(x)=xn. segue que: xn dx = xn+1/(n+1) + C MAT 74 . Se f(x)=x².

Realmente: 10000 = P(0) = 117×0 + 100×0² + C logo P(x) = 117x + 100x² + 10000 e daqui há 5 anos. pois a derivada da função logarítmica f(x)=ln(x) é a função g(x)=1/x. então: x ex dx = e x + C 2)Se a taxa de crescimento da população de uma cidade daqui a x anos pode ser considerada como f(x)=117+200x e hoje existem 10.000 pessoas na cidade. a população da cidade será: P(5)=117×5 + 100×5² + 10000 = 13085 MAT 75 .000. assim: (1/x) dx = ln(x) + C Como a derivada da função exponencial f(x)=exp(x)=e é a própria f(x)=e x.Matemática ATIVIDADE 15 É fundamental que n seja diferente de -1. qual será o número total de pessoas da cidade daqui a 5 anos? Como: P’(x) = 117 + 200x então: P(x)= P’(x)dx= (117+200x)dx=117x+100x²+C assim. podemos obter o valor de C pois P(0)=10.

Matemática ATIVIDADE 15 ANOTAÇÕES MAT 76 .