CAPÍTULO I

1. INTRODUÇÃO

1.1. O PROBLEMA E A IMPORTÂNCIA

Segundo Bontempo (1999) as varizes do membro inferior são estudadas e tratadas desde a Antigüidade, existem referências à tratamentos que remotam à mais de 2000 anos. Esta preocupação da medicina com as varizes desde os primórdios da história da civilização ocorreu porque as varizes são bem visíveis. Constituem a mais comum de todas as doenças vasculares. Sua incidência é de cerca de 15% da população adulta. Incidem três vezes mais na mulher do que nos homens em decorrência de fatores hormonais. Esta patologia que segundo Boarim (1999) caracteriza-se pelas dilatações das veias superficiais das pernas. Essas veias dilatadas funcionam como barreiras para o sangue, fechando as válvulas quando ele passa, para que o sangue siga seu caminho.

Quando as paredes perdem a elasticidade e as válvulas começam a falhar, o sangue fica parado, formando depósitos causando as varizes. Entre as causas mais freqüentes estão a gravidez, a adolescência, a hereditariedade, o sedentarismo, a obesidade e o excesso de hormônios femininos1

Segundo o mesmo autor, “o perigo maior para a saúde, entretanto, reside na formação de trombos (coágulos) no interior dos vasos tortuosos, que, por contingência do destino podem a qualquer momento desprender-se e ocasionar

1

Disponível em www.angiopatiasinstituto.com.br, acessado em 06/01/2006

2

entupimentos” em cerebral.

órgãos distantes, levando à embolia pulmonar ou a embolia

Existem várias formas de tratar essa patologia tão comum: pela medicina convencional alguns medicamentos para afinar o sangue, cirurgias para retirada da veia afetada, mesoterapia (aplicação de injeções no local lesionado) com medicamentos específicos para a diminuição das varizes, na fisioterapia aplica-se o princípio da drenagem linfática manual, método desenvolvido após a segunda guerra mundial que visa uma melhora na circulação da linfa e do sangue, facilitando a circulação sangüínea e também amenizando os sintomas de dores como cansaço e também o edema nos membros inferiores; aplica-se também dentro da fisioterapia o uso de meias de contenção para facilitar o retorno venoso dos membros inferiores; dentro da medicina natural aplica-se os princípios da fitoterapia com uso interno e externo, a trofoterapia com princípios de reeducação alimentar e introdução de alimentos específicos tanto para prevenir como para amenizar os sintomas desta patologia, a geoterapia com aplicação de argilas específicas esterilizadas no local ajudam a diminuir o edema e aliviam as dores locais; os exercícios físicos como caminhadas curtas acompanhadas de exercícios respiratórios e hidroginástica podem ajudar isso depois da fase aguda da doença; e também dentro da medicina chinesa aplicam-se princípios dos cinco elementos para tratar as varizes utilizando a aurículoterapia para aliviar as dores e o edema nos membros inferiores e a aplicação das agulhas em pontos específicos para tratar não só os sintomas como a etiologia das varizes. Conforme exposto acima lança-se a pergunta: “Quais os efeitos fisiofuncionais das técnicas de drenagem linfática, fitoterapia e acupuntura combinadas para o tratamento de varizes em membros inferiores?

3

1.2. OBJETIVOS

1.2.1.

Geral

Investigar os efeitos fisiofuncionais das técnicas de drenagem linfática manual, fitoterapia brasileira e acupuntura utilizando agulhas como recurso associadas em conjunto para a melhora dos sintomas específicos das varizes como também evidenciar uma melhora na parte fisiofuncional da doença.

1.2.2.

Específicos

Verificar alívio da dor no decorrer do tratamento proposto Verificar alterações visuais dos membros inferiores antes e depois do tratamento Verificar a satisfação das pacientes antes e depois do tratamento Constatar a eficácia das três técnicas agrupadas para o tratamento e a melhoria nos sintomas das varizes em membros inferiores Colaborar com a comunidade científica no que diz respeito a comprovação de tratamentos intitulados “alternativos” a medicina convencional, respeitando as normas de publicações científicas para aumentar os dados no que diz respeito a medicina natural ou terapias naturais.

4

CAPÍTULO II

2. REVISÃO DE LITERATURA

2.1. AS VARIZES

2.1.1.

Definição E Epidemiologia

Segundo Di Pietro (2001), varizes ou veias varicosas são veias dilatadas, alongadas e tortuosas. Além de serem prejudiciais à estética, as varizes podem causar dor, cansaço e sensação de peso nas pernas. Sob o ponto de vista da mesma autora, as artérias levam o sangue do coração para as extremidades, e as veias têm a função de levar o sangue de volta ao coração, impulsionado, principalmente pela bomba muscular das panturrilhas. Dentro das veias existem pequenas válvulas que impedem o retorno venoso para as extremidades. Quando as válvulas não se fecham adequadamente, acontece esse retorno, a que se denomina refluxo. Quando acontece o refluxo, aumenta a quantidade de sangue dentro das veias, o que faz com que elas se dilatem. Para Robbins (1996), para que o sangue possa voltar ao coração, as veias possuem válvulas venosas que impedem seu refluxo. Caso essas pequenas válvulas falhem, o sangue reflui e causa a dilatação das veias devido ao aumento do volume sangüíneo. As varizes aparecem com mais freqüência nos membros inferiores: pés, pernas e coxas. As varizes se apresentam em três estágios distintos: telengiectasias, microvarizes e varizes. No estágio das telangiectasias as veias são bem fininhas,

5

com cerca de 0,5 milímetro de diâmetros. Nesta fase são fáceis de tratar. De 0,5 a 5 milímetros são chamadas de microvarizes e quando a dilatação passa dos 6 mm são denominadas de varizes. Quando chega nesse estágio poderão ocorrer sintomas como dor, inchaço nas pernas, flebite e até hemorragias e a pessoa poderá necessitar de uma intervenção cirúrgica para a retirada da veia.(FARDY, 2001)

2.1.2.

Fisiopatologia da Variz

Sabe-se que o sistema venoso transporta 98% das toxinas do meio intersticial e os 2% restantes são transportados pelo circuito linfático. A rede inteira da circulação do sangue está avaliada em 96.000 km, número que dá uma idéia da importância de suas ramificações. A partir do coração, as artérias decrescem para se tornarem finas arteríolas que são os capilares. Esse circuito se prolonga por vênulas e depois por veias de calibre maior que vão retornar ao coração, levando o sangue venoso. ( ROBBINS,1996)

“Quando o sangue contido na veia é impulsionado, ele empurra a válvula de encontro à parede do vaso, circulando assim livremente em direção ao coração. Como a progressão da corrente sangüínea venosa não é contínua, cessada a força que o impulsiona, tende o sangue a retornar pela ação da gravidade. Tal fato, entretanto, não ocorre porque o sangue se insinua no seio da válvula, fazendo com que a borda livre se encoste na parede do vaso. Desta forma, a luz da veia é temporariamente obliterada, até que novo impulso faça o sangue progredir em direção ao coração. Pode haver mais de uma válvula em um mesmo ponto da veia, sendo freqüente encontrar duas e mais raramente três. Insuficiência de uma válvula é a impossibilidade de impedir completamente o refluxo do sangue. A insuficiência de muitas válvulas de uma mesma veia provoca sua dilatação e conseqüente estase sangüínea: tal estado é conhecido pelo nome de varizes.” (DANGELO, JG & FATTINNI, C.A, 1998).

Se não fosse pelas válvulas nas veias, o efeito da pressão hidrostática faria com que a pressão venosa nos pés fosse sempre em torno de + 90 mmHg no adulto de pé. Entretanto, cada vez que movem as pernas, os músculos se contraem e

As artérias levam o sangue do coração para todo o corpo. depois de oxigenar e alimentar as células. e isso espreme o sangue para fora das veias. O defeito nas veias das pessoas que têm varizes está nas válvulas e nas paredes das veias. As válvulas orientam o sangue nas veias dos membros. . as veias superficiais que ficam sob a pele.6 comprimem as veias dentro desses músculos ou adjacentes a eles. Este sistema de bombeamento é conhecido como “a bomba venosa” ou “bomba muscular”. e impedem que o sangue faça o caminho errado. fazendo com que vaze líquido do sistema circulatório para dentro dos espaços dos tecidos. uma certa quantidade de sangue é impelida em direção ao coração. Como resultado. (FARDY. 2001) O mesmo autor elucida que na pessoa parada de pé. através da veia comunicante. e existem as veias profundas que ficam no meio da musculatura da perna e não são visíveis. sempre da veia superficial para a profunda. e a pressão venosa na parte inferior da perna subirá até o valor hidrostático pleno de 90 mmHg em cerca de 30 segundos. As pressões nos capilares também sobem muito. Existem dois tipos de veias nos membros inferiores. as pernas incham e o volume sangüíneo diminui. e a pressão nas veias é diminuída. descendo pelas veias. que ligam as veias superficiais e profundas. cada vez que uma pessoa move as pernas ou mesmo tenciona os músculos. As válvulas dentro das veias são dispostas de tal maneira que a direção do fluxo do sangue só pode ser para o coração. na camada de gordura e que podem ser visíveis. Conseqüentemente. e existem ainda as veias comunicantes. a pressão venosa nos pés de um adulto que caminha permaneça próxima ou abaixo de 25 mmHg. a bomba venosa não trabalha. e é bastante eficiente para que. em circunstâncias normais. O sangue então. retorna para o coração através das veias. quando a pessoa está de pé ou sentada.

È a musculatura da panturrilha. Estas veias. sem causar nenhuma alteração. que na verdade.2001) . existe. porque o coração impulsiona e. ( Fardy . ocorrendo o processo de dilatação e aparecimento de varizes. mas o sangue encontra dificuldades no caminho inverso: pés coração. que passa a ir de cima para baixo e da veia profunda para a superficial. (FATTINNI. estão ligadas através de outros vasos venosos com as grandes veias alojadas sob a pele. produzindo movimentos de bombeamento. para baixo é mais fácil. Nas pessoas em que as veias têm válvulas e paredes normais o sangue aguarda a oportunidade de voltar. Ao andar e correr. impulsionam o sangue para cima realizando a circulação. que flui a pouca distância sob a pele. além disso. se contraem e voltam a relaxar. o bombeamento dos músculos da panturrilha pode chegar até a grande veia da perna. os músculos da panturrilha bombeiam o sangue nas veias e atuam diretamente sobre elas no interior da perna. então. uma inversão no caminho do sangue. Quando os músculos se contraem. 1998) Nas pessoas em que as válvulas estão doentes acontece. contraindo e relaxando os músculos da perna. O sangue volta para o coração através do coração periférico. sobretudo os músculos da panturrilha trabalham. Mas este coração só funciona quando nos movimentamos. o corpo criou um sistema por meio do qual aproveita esse bombeamento e que facilita o retorno do sangue.7 Quando a pessoa está em pé ou sentada. A cada passo. Este fato provoca um aumento do volume sangüíneo dentro da veia superficial. que se encontram nos músculos. o sangue vai para o pé com facilidade. Por essa razão. Entretanto. a veia safena maior.

a doença funcional e a estética. Francischelli. conforme dado extraído do centro de estudos das angiopatias. mesmo pequenas varizes já as apresentam. TIPO II: (Varizes onde está presente a doença e a estética). Neste caso. os dois problemas devem ser considerados. o eczema venoso. pode estar presente também a preocupação estética.1.8 2. a fibrose. já é uma doença que envolve alguns riscos e problemas para o paciente. (2001): TIPO I: (Vasinhos e Microvarizes). considerando a questão de saúde e a estética. classificação feita pelo Dr. geralmente o paciente procura o médico pela questão estética. dividir as varizes em quatro tipos a seguir. TIPO IV: (Varizes com complicações). as hemorragias. sendo um problema que atinge mais a auto-estima do paciente. Neste caso. as complicações mais freqüentes são as tromboflebites. em outras situações. Tipos De Varizes Podemos de forma didática. a . a doença funcional está presente. Portanto. em outras situações. entretanto. sem que a questão estética esteja envolvida. TIPO III: (Varizes assintomáticas sem preocupação estética) todas as situações onde se apresentem varizes. as hiperpigmentações. por isso chama-se esse tipo de predominantemente estético. apesar de ser um problema de saúde. e por isso deve ser tratada.3. sem que o paciente esteja preocupado com a aparência estética. as úlceras de perna. não causa riscos imediatos. Em alguns casos as varizes podem atingir grandes dimensões antes de apresentar complicações.

9 dermatite Ocre. quando ocorrem em crianças. sem tratamento. e que já apresentam complicações. as infecções e o quadro de dor. associada a fatores desencadeantes como gestação. Geralmente. Alguns fatores são levados em consideração no surgimento desta patologia: 1. responsável pelas antiestéticas linhas vermelhas e azuis de diversos tamanhos. a doença funcional está presente.4. cerca de 70% das pessoas apresentam dilatações venosas nos membros inferiores. Calcula-se que 24 milhões de pessoas sofrem com os problemas decorrentes das varizes. sem que o paciente esteja preocupado com a aparência estética. Causas da Variz Para Boarim (1999). e as chamadas secundárias que aparecem por doenças adquiridas no decorrer da vida e são de tratamento mais difícil chamadas erroneamente de varizes internas. 2. A partir da puberdade há aumento progressivo na incidência das varizes. obesidade e sedentarismo.1. As chamadas primárias são aquelas que aparecem influenciadas pela tendência hereditária. sendo que acima dos 70 anos. o surgimento de varizes é raro antes dos 14 anos de idade e geralmente. profissões que . Existem também dois tipos de varizes assim classificadas: primárias e secundárias. fazem parte de deformidades vasculares congênitas. são pacientes onde o problema está presente há longo tempo. HEREDITARIEDADE: O indivíduo com propensão genética nasce com menor resistência da parede das veias e essa predisposição. Neste caso.

) ou que exigem grandes esforços (exemplo de estivadores.10 implicam um tempo prolongado em posições eretas (exemplos cabeleireiros.. na Segunda metade da gestação há aumento da pressão nas veias das pernas devido a compressão do útero. GRAVIDEZ: É o fator desencadeante mais importante que faz com que a incidência de varizes predomine nas mulheres. favorece o surgimento de varizes. POSIÇÕES CORPÓREAS: As posições que favorecem o aparecimento de varizes são a de ficar em pé por longos períodos ou sentado.. o que facilita o retorno do sangue. as veias tendem a se dilatar. Nestas posições existe a dificuldade para a circulação de retorno e é justamente quando as varizes aparecem. Isto explica o uso de anticoncepcionais como fator desencadeante para a patologia. se estivermos com os pés elevados. balconistas. . pois eles são à base de hormônios femininos. além das alterações hormonais que ocorrem durante todo o período de gestação. ALTERAÇÕES HORMONAIS: A influência dos hormônios femininos (estrogênio e progesterona) acontece porque estes afetam a parede das veias. porteiros. o coração fica para baixo e os pés para cima então o retorno sangüíneo fica favorecido. 4. Se esse aumento de pressão não for suficiente para provar dilatação permanente. 3. halterofilistas). que impulsiona o sangue para cima evitando o aparecimento de varizes e quando estamos deitados o coração fica no mesmo nível da perna. Nessa condição. 2. no entanto. Estando em movimento fazemos funcionar o coração periférico. com as gestações sucessivas. as veias voltam ao seu calibre inicial após o parto. Isto costuma ocorrer após a primeira gestação. tornando-se varicosas e assim permanecem após os partos.

1. ALIMENTAÇÃO: Pesquisas imputam ao consumo exagerado de laticínios grau considerável de culpa para o surgimento de varizes. a pessoa deve elevar as pernas por 15 minutos 2 a 3 vezes durante o dia. faz a musculatura da panturrilha se contrair ritmicamente. as meias agem desviando. elas perdem sua ação. A obesidade também é um fator responsável pelo aparecimento das varizes pela grande pressão hidrostática exercida sobre as veias e vasos do membro inferior. onde as varizes se formam. o sangue das vais superficiais.11 5. Se a pessoa . A proteína Láctea é extremamente alergizante. que reduz a ação traumática da pressão hidrostática sobre as veias. este movimento chamado dorsiflexão. Além disso. Prevenção Sob o ponto de vista de Thomé (1988). 2. Boarim (1999) afirma que outra medida é o uso de vitamina C. também deve-se movimentar os pés. fibra que reforça a parede do vaso. e à noite. Para vestir a meia elástica deve-se elevar as pernas por 20 minutos antes de colocar as meias para esvaziar bem as veias. deve-se usar meia elástica.5. em geral de média compressão. caso contrário. através da meias comunicantes. para as veias profundas. que faz a circulação funcionar. ocasionariam lesões vasculares precursoras de varizes. Que aumenta a síntese de colágeno. onde não existem varizes. quando chegar em casa. colocando em ação o coração periférico. como se estivesse acelerando um carro. Caso não seja possível. É importante tentar evitar atividades onde a pessoa é obrigada a ficar muitas horas em pé ou sentado. o ideal no tratamento de varizes é sempre evitar seu aparecimento. e são as próprias reações do organismo que.

O excesso de peso também provoca celulite que está associada as microvarizes e telangiectasias (vasinhos). Os melhores são andar. especialmente se for mulher. sauna. correr e nadar. o que dificulta a . tratamento de menopausa. O mesmo autor elucida que evitar o sol e o calor: o sol. sem o movimento rítmico. Evitar o excesso de peso: o excesso de peso sobrecarrega a circulação e provoca o aparecimento de varizes. Se uma maior quantidade de sangue passa pelos vasos superficiais eles se acomodam a essa situação e se dilatam sendo um fator que favorece o aparecimento de vasinhos nas pessoas que são predispostas. banhos muito quentes e demorados provocam o aquecimento da pele e a passagem de uma maior quantidade de sangue pelos vasos da pele. reposição hormonal) retêm líquidos e aumentam a pressão dentro das veias.12 tem história familiar de varizes. para evitar que o problema fique muito sério. Ter bons hábitos alimentares é saudável para todo o corpo. Evitar o uso de anticoncepcionais: os hormônios femininos (pílulas. mas deve ser constante. portanto melhoram a circulação de retorno. Fazer exercícios: os exercícios melhoram a força muscular da perna e. A melhor massagem para ajudar a circulação das veias chama-se drenagem linfática. Evitar o uso de salto alto: o salto alto faz com que a musculatura da perna fique permanentemente contraída. também amolecem as paredes dos vasos e são uns dos principais fatores desencadeantes de varizes. evitar exposição ao sol da praia. A massagem pode ajudar. deve começar a se prevenir desde a juventude. Quando estiver exposto ao calor da praia ou da piscina deve-se Ter o cuidado de entrar na água a cada 15 ou 20 minutos para evitar que a perna fique muito quente. por isso são medidas úteis evitar banhos muito quentes e demorados.

1. varizes não voltam se forem retiradas com cirurgia. Indiretamente estas manobras influenciam outras funções biológicas. mas o seu uso rotineiro certamente é. porque se as varizes não forem cuidadas poderão levar a sérias complicações no futuro. absorção de nutrientes pelo trato . as influências indiretas da drenagem seriam: nutrição celular. filtração e reabsorção dos capilares sangüíneos. quantidade de linfa processada dentro dos gânglios linfáticos. desintoxicação da musculatura esquelética. Por esse motivo é que se propõe o tratamento continuado de varizes. O uso em ocasiões especiais não chega a ser prejudicial..2.2. sobre a musculatura esquelética. sobre a imunidade. Uma veia que estava normal no momento de um tratamento. aparecem outras que devem ser tratadas. Efeitos da Drenagem Linfática Para Leduc (2002). mais tarde poderá estar doente. sobre a motricidade do intestino. Este fato não invalida qualquer tipo de tratamento. DRENAGEM LINFÁTICA 2. sobre o sistema nervoso vegetativo. porque a tendência hereditária existirá durante toda a vida.13 circulação venosa. Para Fattinni (1998). oxigenação dos tecidos. os movimentos de massagem têm como objetivo principal o aumento do volume de linfa admitido pelos capilares linfáticos e o aumento da velocidade de seu transporte através dos vasos linfáticos. que controla o problema estético e a doença conforme se manifestem. velocidade da linfa transportada. 2. O mesmo autor elucida que as influências diretas da drenagem são: capacidade dos capilares linfáticos.

Consiste em um sistema de capilares que começam de um modo cego. as relações entre o sistema linfático e outros sistemas circulatórios são divididas em três: o vascular sangüíneo. como também reabsorve parte do líquido tecidual. finalmente. não é fechado. e em uma série de vasos coletores de tamanho cada vez maior que. o fluxo da linfa é sempre em um sentido. mas comunica-se diretamente com o sistema venoso na raiz do pescoço. no sistema vascular sangüíneo. A função deste sistema consiste em assegurar que o sangue atinja todas as partes do organismo. O sistema linfático. para atingir os capilares. No sistema linfático.14 gastrointestinal. o sangue retorna ao coração pelas veias. A partir dos capilares. Uma característica do sistema linfático é a interpolação de filtros (gânglios linfáticos) ao longo de seus vasos principais. que não apenas permitem o escapamento do líquido nutriente para dentro dos espaços teciduais. através dos quais a linfa tem de passar antes de ser transferida às veias. O sistema vascular sangüíneo é um anel vascular fechado provido de uma bomba. isto é. a fim de que cada célula possa receber nutrição conforme suas necessidades funcionais. que captam o líquido tecidual não absorvido pelos capilares sangüíneos. o sangue flui em dois sentidos: a partir do coração e para o coração. o sangue flui afastando-se do coração. O sistema circulatório do líquido céfalo raquidiano é também um sistema fechado de canalizações. o céfaloraquidiano e o linfático. aumento na quantidade de líquidos excretados. Assim. distribuição de hormônios. drenam o líquido contido. . denominado linfa. ao contrário dos dois primeiros. Para Jacquemay (2000). para o coração. o coração. nas artérias e arteríolas. para dentro das veias subclávias.

sistema nervoso abalado entre outras. edema causado pela baixa pressão coloidosmótica no plasma.3. as principais indicações da drenagem linfática seriam: os edemas causados por: deficiência linfática. Procedimentos Segundo Di Pietro (2001). musculatura tensa. para o rejuvenescimento. edema gestacional. o profissional também deve estar em uma posição cômoda. Indicações Clínicas Segundo Di Pietro (2001). o cliente deve permanecer ainda por 20 minutos deitado. durante a drenagem cliente e profissional devem permanecer em silêncio. deve evitar qualquer tipo de manipulação neste estado de repouso. edema causado pelo aumento da pressão coloidosmótica do líquido interticial. deficiência circulatória venosa ou circulação sangüínea de retorno comprometida (varizes). para o tratamento de acne. . a iluminação deve ser discreta. da couperose. liposdistrofia ginóide (celulite). que lhe permita trabalhar com calma e concentrar sua atenção sobre o estado do tecido e sobre as reações gerais do seu paciente. as condições de trabalho para este tipo de massagem são as seguintes: o cliente deve encontrar-se numa posição cômoda e numa temperatura amena. no pré e pós-cirurgia plástica. eventualmente com fundo musical suave e calmo. de rosácea. 2.15 2. O ambiente ideal é calmo. edema causado pela elevação da pressão hidrostática nos capilares.2.2. após o término da drenagem. a pele deve estar limpa e sem produtos.2. causado pelo aumento da permeabilidade capilar.

Esse registro sistematizou a filosofia e patologia humana. a patologia. sendo que a sessão utiliza-se de 45 minutos para efetuar a massagem e 20 minutos de descanso na maca. ( ENQUIN 1998) Esta ciência surgiu na China. A Medicina tradicional Chinesa. a profilaxia e o tratamento das doenças. organizou questões diagnósticas. a qual chamaremos de MTC daqui em diante. a acupuntura consiste na inserção em profundidade de agulhas muito finas. tendo em vista que o necessário é no mínimo de dez sessões para que se obtenha um bom resultado. terapêuticas e preventivas ao estabelecer a base teórica da MTC. há aproximadamente 4. puntura: punturas). alguns milímetros em pontos específicos da pele. é uma ciência que abrange a filosofia . caso não seja possível pode abster-se a uma sessão a cada quinze dias. O importante é a constância no recebimento da técnica. o diagnóstico. isto é.3. Wing (1995) . 2. em plena Idade da Pedra.cita que o registro médico mais antigo é o Huang Di Nei Jing que é um resumo das experiências médicas e das conquistas terapêuticas de 770 aC a 221 aC. . O tempo necessário para a aplicação da técnica de drenagem linfática manual para auxiliar no tratamento das varizes seria de uma a três vezes por semana. ACUPUNTURA Conforme a origem da palavra (acus: agulha.16 A drenagem linfática utilizada foi baseada na técnica de Leduc. foi feita somente nos membros inferiores.500 anos.

onde corpo e mente configuram-se como duas facetas de uma mesma unidade. 2. a qual ele esta obrigado a dar respostas fisiológicas e patológicas. e de determinada influência umas sobre as outras em patología”. O mesmo autor elucida que as partes componentes do corpo humano “são inseparáveis de cada uma das outras estruturas. ao contrário de toda estrutura da ciência médica ocidental que tem como base a filosofia dualista – a oposição aceita entre mente e matéria. Na MTC. espírito e corpo.1 Bases da Medicina Tradicional Chinesa “A MTC dá grande importância a unidade do corpo humano em si e sua relação com a natureza.3. O homem é influênciado direta e indiretamente pelos movimentos da natureza. subsidiárias e condicionáis umas as outras em fisiologia. e dominar princípios básicos para prescrição e aplicação nos pontos específicos. 2002).17 Para Maciocia (1996). O mesmo autor cita que no tratamento de doenças com acupuntura é necessário diferenciar as condições patológicas de acordo com a teoria da MTC e as peculiaridades da acupuntura. relacionadas. a principal característica da acupuntura enquanto modalidade terapêutica é encarar o ser humano como um todo. e mantêm que o corpo humano mesmo é um todo orgânico e têm relações muito íntimas e inseparáveis com o meio natural externo” (WEN. manifestações físicas e mentais dos seus pacientes são manifestações inseparáveis de uma só e inalterável entidade. Quando o clima varia com a quatro estações num ano variam também três condições .

ritmo. ao meio dia a energia vital do corpo está predominante e domina sobre os fatores patogênicos. É uma conceituação filosófica. mas nas diferenças entre as síndromes que elas tem. a terra. os cinco elementos básicos que constituem a natureza. Podem representar dois fenômenos separados com naturezas contrárias. enquanto os fatores patogênicos mais fracos. na China. a tarde a energia vital começa a tornar-se mais fraca. De manhã a energia vital do corpo humano começa a tornar-se mais forte. originalmente. andar. na realidade. Existe entre eles uma interdependência e uma interrestrição que determinam seus estados de constante movimento e mutação. tensão). volume. bem como aspectos diferentes e . 1996). enquanto os fatores patogênicos mais fortes. cheio – verão. afundado – inverno. porque todos os fenômenos dos tecidos e órgãos. Segundo Lin Shu (1996). Essa teoria é usada como guia na prática médica. enquanto os fatores patogênicos vão para um ponto dominante (LIN SHU. A MTC não focaliza sua atenção principal nas similaridades e dissimilaridades entre as doenças. Segundo Wen (2002). o Metal e a água são. flutuante – outono.18 normais do pulso (frequência. estão classificados e são ineterpretados pelas interrelações desses elementos. sendo que Wu significa cinco e Hsing. o Fogo. uma maneira de generalizar os dois princípios opostos que podem ser observados em todos os fenômenos relacionados dentro do mundo natural. os termos yin e yang são aplicados para expressar qualidade dual e opostas. A ocorrência . da fisiologia e da patologia do corpo humano. desenvolvimento e mudanças de muitas doenças são sazonais. Os conco elementos ou seja a Madeira. designava-se os cinco elementos de Wu-Hsing. a meia noite a energia vital do corpo retorna aos órgãos internos. A teoria dos Cinco elementos ocupa um lugar importante na medicina chinesa. Pulso em corda – primavera. Trata-se da mesma doença com métodos diferentes.

dia e noite. elucida que os chamados meridianos na MTC são canais de reentrâncias musculares onde circulam deferentes tipos de energias que irradiam em todas as células do nosso corpo. brilho. Aqueles com propriedades básicas do fogo.19 opostos dentro do mesmo fenômeno. A sua fluidez. o povo chinês antigo chegou ao entendimento que todos os aspectos do mundo natural podiam ser compreendidos como tendo um aspecto dual. pertencem a yang e aqueles com propriedades básicas de água. . uma enfraquece a outra se fortificando e quando ocorre o desequilíbrio entre essas duas polaridades pode haver. a natureza yin e yang é um fenômeno relativo. por exemplo. quietude. é neles que estão localizados os pontos que usamos para auxiliar no diagnóstico. 2.3. calor e frio etc. movimento e quietude. manifestações patológicas. com a intensidade regular. como frio. Para Maciocia (1996).2 Noções dos Meridianos Wing (1995). Estas duas polaridades estão em posição e ao mesmo tempo em que se complementam e se contém de formas harmônicas. pois um contém o outro e um pode mudar para o outro. sem bloqueios ou estagnações. Assim. tudo no ambiente natural pode ser classificado como yin e yang. dando a elas um ritmo de trabalho. são fundamentais os meridianos. como: calor. pertencem a yin. brilho e obscuridade. vai determinar o estado de saúde da pessoa. obscuridade. baseado nas propriedades da água e fogo. movimento. Para a MTC e na Acupuntura. mais indica também onde o remédio dever ser aplicado. já que o equilíbrio entre ambas é necessário para a saúde. nas direções certas.

Canal do Pericárdio da mão – Jueyin. pois na combinação destes pontos entre si resulta a bioquímica humana. produzem diversas reações químicas dependendo da ordem que foram utilizados. 2. Canal da Vesícula Biliar do Pé – Shaoyang. Canal do Estômago do pé – Yangming. 2. 3. Canal do Baço do pé – Taiyang.(MACIOCIA. Três canais Yin do pé: 1. ao serem estimulados. criando um equilíbrio através do jogo de forças existentes nestes campos eletromagnéticos com sua bipolaridade. Três canais Yang da mão: 1. Canal do Rim do pé – Shaoyin. 2. Canal do Coração da mão – Shaoyin. 1996) As formas de utilização destes pontos nos permite regular a máquina humana. 1996) O mesmo autor cita que existem vários tipos de meridianos. Canal do Triplo Aquecedor da mão – Shaoyang. e são assim classificados: Três canais Yin da mão: 1.(MACIOCIA. 2. . Canal dos Pulmões da mão – Taiyin. 3. 3. Em primeiro lugar acham-se os 12 chamados principais. Canal do Intestino Delgado da mão – Taiyang. Três canais Yang do pé: 1.20 Os pontos demarcados anatomicamente no trajeto destes meridianos. Canal do Intestino grosso da mão – Yangming. Canal do Fígado do pé – Jueyin. conforme sua localização e função que desempenham.

O pulso. tanto dos membros quanto do tronco.21 3. é dividido em três zonas. um órgão ou função. A direção geral desses meridianos é vertical.o diagnóstico através da MTC é realizado através de cinco métodos: ver o doente. apalpar o seu pulso e verificar características específicas na sua língua. considera-se que todas as outras partes do organismo estão sob controle de um desses doze órgãos ou diversos.(ENQUIN. escutá-lo. em cada uma das três posições. e que se a pressão for gradualmente aumentada chega-se a um ponto onde a sensação ou percepção torna-se totalmente diversa. 1988) 2. Canal da Bexiga do pé – Taiyang. muito mais de doze meridianos separados. constituindo o corpo humano. A Segunda posição é aproximadamente oposta à apófise (saliência óssea) do rádio. Colocando-se levemente a polpa de um dedo sobre a artéria radial. naturalmente. é possível perceber que a sensação obtida difere em cada local – com exceção de pessoas em perfeito estado de saúde -. Embora existam. Se os pulsos da primeira posição . e por eles são regulados. como já foi citado. representando cada um.3. cada qual com uma posição superficial e outra profunda. Cada posição ocupa aproximadamente 13 milímetros dessa artéria – o espaço exato só pode ser avaliado com a prática – e varia um pouco de pessoa para pessoa. na artéria radial do punho. (ENQUIN. perguntar. 1988) Os meridianos principais são assimétricos e existe para cada lado do corpo. O diagnóstico do pulso é detalhado exigindo um bom conhecimento do terapeuta.3 Diagnóstico pela MTC Segundo Auterochi (1992).

e vice-versa. 1992) . no entanto possui detalhes que são bem peculiares. as pulsações podem ser classificadas em: a) superficial. A língua proporciona um diagnóstico mais global. d) longa ou curta. Na mão esquerda. cor da saburra (revestimento da língua. podemos considerar também a raiz da língua aquecedor inferior. faz-se o diagnóstico do intestino delgado. fígado e rins. estômago no meio da língua.22 apresentam vibração mais forte do que os da terceira. se ela é longa ou fina. O diagnóstico através da lingologia (pela observação da língua). diagnosticam-se através do pulso superficial os pulmões. se esta saburra está grossa ou espessa. caso houver). o baço e a circulação sexualidade. divide-se em coloração da língua (pálida . b) lisa (tranqüila) ou grossa (agitada. se a língua possui determinados tipos de marcas. fígado e baço pâncreas na lateral. Yang será mais poderosa que Yin. o meio da língua aquecedor médio. média ou profunda. não tão específico como o pulso. com pressão maior. o intestino grosso. considerados a base da acupuntura. a ponta da língua aquecedor superior. o estômago e o triplo aquecedor. Os órgãos mais estudados na língua são: coração e pulmão na ponta. c) cheia (excesso) ou vazia (carência) . púrpura ou vermelha). e que somente a língua possui. com pressão superficial. Ainda sob o ponto de vista de Auterochi (1992). Tanto para realizar um diagnóstico quanto para executar-se um tratamento. se a língua é grande. é imprescindível o conhecimento dos meridianos. Na mão direita. fina ou inexistente. edemaciada. amarelo ou branco. da natureza de seus pontos principais e das leis que regem esta forma de terapia. em ondas). se apresenta marcas dentilhadas ao lado. da vesícula e da bexiga. e no final da língua os rins. (ENQUIN. com pulso profundo. o coração.

pois considera que a doença se manifesta predominantemente na pele. 1995) 2. 1996) No primeiro tipo. o acúmulo de sangue resulta de um processo longo de estagnação de energia e de sangue (Qi E Xue) nos canais. 1996) O segundo tipo acontece em pessoas predispostas a varizes. a MTC (Medicina Tradicional Chinesa) preconiza um tratamento externo. ocorre . Este acúmulo se dá por duas razões diferentes. causando assim dilatações. As demais partes do organismo encontram-se sob controle de um ou vários desses órgãos.23 Existem doze meridianos. as veias têm paredes fracas. O trabalho excessivo e a posição desfavorável dificultam a circulação do sangue que vai se acumulando nas pernas. que é responsável pelos tecidos de sustentação no corpo. as varizes formam-se porque o sangue tem dificuldade em circular na veia e se acumula.4 Diagnóstico pela MTC para Varizes A visão oriental. (WING. que estão intimamente relacionados a doze órgãos. Neste caso. Isto é visto em pessoas que ficam longo tempo trabalhando em pé sem descansar. Assim. e outros secundários. esses doze órgãos – ou funções corporais – são considerados primários. Desta forma. 1992) O diagnóstico através da MTC considera os seguintes fatores: 1) ESTAGNAÇÃO DE ENERGIA E SANGUE NOS CANAIS: Esta síndrome refere-se a sinais e sintomas produzidos por circulação do sangue bloqueada devida a estagnação das atividades funcionais do Qi.(MACIOCIA. e o sangue escapa com facilidade. Estas têm fraqueza na energia do baço. Além do tratamento interno para a causa básica. (AUTEROCHI. ou da Medicina Tradicional Chinesa. (MACIOCIA.3.

o corpo humano é um todo organizado.br) Pela interpretação da MTC. 2) INCAPACIDADE DO BAÇO DE MANTER O SANGUE FLUINDO DENTRO DOS VASOS:Esta síndrome é causada pela insuficiência do qi do baço que leva à incapacidade de manter o sangue fluindo dentro dos vasos sangüíneos. (www. É o caso de microvarizes em pessoas predispostas. Caso ele não desempenhe adequadamente esta função. (AUTEROCHI. dor nas pernas. o baço dentro da MTC. composto de duas partes ligadas estruturalmente. sangramento com sangue escuro.pró. como vendedores que passam o dia todo de pé. o yin e o yang. é o órgão responsável por manter o sangue nos vasos. Esta teoria explica o aparecimento das doenças por um . microvarizes. Os sintomas são sensação de peso nas pernas e no corpo. úlcera crônica ma perna. na profundidade de alguns milímetros.com. Os sintomas são varizes de grosso calibre. em pontos da pele especificadamente determinados – tem como objetivo básico reequilibrar a quantidade e circulação de energia vital no organismo. Correspondem aos casos de varizes associados a uma posição inadequada de trabalho. porém opostas. 1992) 2.3.acupuntura. hematomas sem razão aparente.5 Aplicação da Acupuntura A técnica terapêutica que consiste na inserção de agulhas. anorexia. A teoria do yin yang enuncia que a atividade fisiológica do corpo humano é o resultado da manutenção de uma relação harmoniosa “da unidade dos contrários” dos dois princípios. tornando-o harmônico. o sangue escapa e se acumula nos tecidos. escurecimento da pele e sensação de distensão local. fadiga.24 uma estagnação crônica de energia e sangue que vai lesando os vasos sangüíneos.

Unindo-os por traços imaginários obtêm-se linhas longitudinais denominadas canais. o Yin representando a substância e o Yang. mudança de um aspecto no aspecto oposto. O yin e o yang coexistem então em um processo comum de oposição e de interdependência que os liga de modo indissociável. e a doença aparecerá segundo um dos processos patológicos seguintes: o reforço de um aspecto Yin ou Yang acarreta o enfraquecimento do outro aspecto. Yang deficiente. que não se encontram dispostos de maneira aleatória. 1995) A experiência mostra que ao se punçarem determinados pontos de um meridiano com agulhas metálicas.com. experimenta-se a sensação de que algo está transitando por eles. segundo a fórmula : “yin deficiente. As doenças são conseqüências naturais da má distribuição de energia . Esta energia. segundo os chineses. que formam uma rede fechada de circulação – isto é.br) A oposição dos dois fatores pode acarretar um desequilíbrio. Yin florescente”.acupuntura. constituem uma espécie de cadeia.25 desequilíbrio relativo de uma subida grande mais do yin ou do yang. onde um meridiano acaba. que os chineses chamam de Qi. foi traduzido por energia vital.pro. Os meridianos estão diretamente relacionados aos órgãos – ou funções corporais – a às demais partes do corpo. é a condição fundamental de uma atividade vital correta. outro principia. Yang desmedido. passagens ou meridianos. circula através dos corpos de forma regular. controlam-se mutuamente e mantêm um relativo equilíbrio. (WING. a fraqueza constitucional do Yin ou do Yang reforçará o aspecto oposto. o primeiro sendo a base do segundo e o segundo a força motora da produção do primeiro. a função vital. fraqueza simultânea dos dois aspectos. (www. como se fossem a continuação dos outros. Por todo o corpo estão espalhados pontos sensíveis. este algo. Quando os dois elementos estão em seu estado normal.

Se a energia circula. pois essa . contração. Todos os pontos utilizados foram bilaterais. A partir da estimulação de certos pontos pode-se alternar a dinâmica da circulação regional proveniente de microdilatações. Pontos Utilizados A escolha dos pontos foi realizada baseando-se nos sintomas apresentados pelas pacientes e também pela etiologia da doença. flacidez. E36. diminuindo a inflamação e a dor. neste caso. 1996) 2. Alguns sintomas de carência de energia são: sensação de vazio. calor.6. (WING. insatisfação. sendo assim. ( MACIOCIA. inflamação. sanando o espasmo. R3 e F3.26 vital. 1995) A seqüência utilizada no tratamento proposto inicia-se pela punturação dos pontos iniciando pelo lado esquerdo na seqüência o mesmo ponto do lado direito. C7. P9. dor. BP6. A seguir está a seqüência de pontos utilizados no tratamento que têm um ciclo com inicio no 1ºponto e fechamento no 16º ponto. Se for obstruída por obstáculo. De acordo com o ensinamento chinês . insegurança.3. A acupuntura altera a circulação sangüínea. o sangue pára”. Outros pontos promovem o relaxamento muscular. fraqueza. a retirada dos pontos inicia do 16º ponto na mesma seqüência de punturação até o último ponto que seria o 1º . frio. desânimo. convulsão. excesso de agressividade. BP10. que tem um início e um fim. IG4. espasmo. suor. o caminho da energia sempre é cíclico. também usamos uma formatação cíclica para obtermos um melhor resultado. A importância de seguir esta seqüência determinada de punturação segue o raciocínio da circulação de energia dentro dos meridianos. agitação. angústia. “o sangue circula acompanhando a energia. também o faz o sangue.

na depressão do lado radial da artéria radial. neste caso. P9 é o ponto de união de todos os vasos sangüíneos. Segue a descrição detalhada da função de cada ponto utilizado no tratamento. ponto Yuan primário do canal do pulmão e ponto Shu-riacho. entre os 1º e 2º ossos metacárpicos. Para apagar-se a luz. A escolha deste primeiro ponto para o início do tratamento deu-se pela sua capacidade de dilatar os vasos sangüíneos melhorando o fluxo de sangue nas veias e artérias. é onde o qi é retido. A energia luminosa percorreu em milésimos de segundo o seu caminho pela instalação elétrica para acender a luz desse cômodo. segundo Enquin (1998): • P9 ou TAIYUAN (Grande Abismo) : Ponto de influência dos vasos. • IG4 HE GU (Vale da Junção): Localizado no dorso da mão. deu-se o estímulo no mesmo interruptor só que desta vez ao contrário do primeiro. teve-se a intenção de acender a luz e deu-se o estímulo inicial. Por ser um ponto Yuan primário. estimula a circulação sangüínea e influencia o pulso. quebrando a corrente gerada pelo primeiro estímulo. inicia-se apertando o interruptor. A energia corre por determinados pontos “acendendo luzes” criando uma corrente única para um determinado fim. aproximado no meio do 2º osso metacarpiano no . ou seja. É um ponto de tonificação. Cita-se um exemplo cotidiano para facilitar o entendimento desta seqüência: quando se acende uma luz em algum cômodo de uma casa. no sentido oposto. Assim segue o curso da energia dentro de um ciclo preestabelecido na acupuntura. está localizado no término radial do vinco transversal do punho.27 seqüência não foi alterada em nenhuma das sessões realizadas para termos a certeza da eficiência do tratamento.

Este ponto tonifica o Qi e o sangue. tonifica o Qi e consolida o exterior. de sedação e também é o Yuan primário do canal do coração. pois aumenta o peristaltismo podendo ocasionar um aborto. Este ponto é responsável pela distribuição do sangue. Tem como natureza ser o ponto nascente é também o ponto Yuan primário do canal do intestino grosso. Este é o ponto mais importante para tonificar o Qi e o sangue nos padrões de deficiência. regulariza o Qi defensivo e nutritivo. no caso de varizes é ele que faz diminuir a cor azulada forte. • C7 SHENMEN (Porta da Mente): Localizado na extremidade ulnar da prega transversal do punho. fortalece o corpo.28 lado radial. ele remove estase do sangue. nutrir o sangue do coração (este órgão tem como função governar o sangue). Não deve ser utilizado em mulheres grávidas. resolve o edema. pois quando o Qi defensivo está debilitado nas camadas da . harmoniza a ascendência e a descendência. às vezes meio roxa que é bem visível nesta patologia. Tem as propriedades de interromper a dor. Embora se situe sobre os meridianos do estômago. ele tonifica o Qi do baço e o Qi do estômago. tonifica o sangue. riacho. É um ponto fonte. Utilizado nos casos de edema. remove as obstruções do meridiano. Este ponto é utilizado para qualquer problema relacionado ao sangue. para pessoas debilitadas e para patologias crônicas. É muito utilizado para desequilíbrios no sistema imunológico. Este ponto tem a propriedade de abrir os orifícios. • BP10 XUEHAI (Mar de Sangue) : Localizado dois cm acima do limite medial da patela. • E36 ZUSANLI (Três Milhas do Pé): Localizado cerca de um palmo para baixo do ápice da patela e um dedo a partir da crista anterior da tíbia. na depressão do lado radial do tendão do músculo flexor ulnar do carpo. aumenta a circulação do Qi e Xue (energia e sangue).

e uma vez que o rim é o fundamento de todo o Qi do organismo e o assento do Qi original. . Tonifica o Yin. sendo muito eficiente na tonificação do Qi e do Sangue. É o ponto Yuan primário do canal do fígado do pé Jueyin. também promove o fluxo suave do Qi do fígado. é utilizado para nutrir o sangue do fígado. no limite posterior do lado medial da tíbia. o sangue (Xue) coagula. pode nutrir o Yin. Como o rim também restaura a essência. na depressão anterior à junção do primeiro e segundo ossos metacárpicos. Também têm uma ação nas dores e flacidez das extremidades inferiores. que é o comandante do sangue. esfria o sangue. quando o Qi estagna. os ossos e a medula. acalma os espasmos. é o ponto de equilíbrio do canal. pode causar aborto. Este é um ponto muito importante utilizado para tonificar o rim em qualquer padrão de deficiência do Yin ou Yang do rim. O fígado é o órgão responsável pela livre circulação do fluxo do Qi. Apresenta uma influência profunda sobre o sangue. Em particular o ZUZANLI tonifica fortemente o Qi do aquecedor médio (Jiao Médio). • R3 TAIXI (Riacho Máximo): Localizado na depressão entre a ponta do maléolo medial e o tendão do osso calcâneo. • F3 TAICHONG (Precipitação Maior): Localizado no dorso do pé. move o sangue e elimina a estase. este ponto pode tonificar a essência. também pode remover a estase do sangue. Este ponto não deve ser utilizado em mulheres grávidas. interrompe a dor. ou seja.29 pele e os fluídos submergem em abundância dos meridianos para invadir o espaço debaixo da pele. Ele fortalece o baço. nutre o sangue. está em contato com o Qi original do meridiano do rim. Sendo ponto fonte. Este é o ponto mestre do sangue. • BP6 SANYINJIAO (Três encontros Yin) : Localizado a um palmo acima da ponta do maléolo medial. este ponto vai diretamente para o núcleo do último.

das mais simples e . Comporta numerosas escolas que estudam e empregam as plantas medicinais.0 cun R3 ou Taixi: perpendicular 0. sendo assim. C7 ou Shenmen: subcutânea 0.7 cun BP10 ou Xuehai: obliquamente para cima 1. não foi utilizado o método de redução ou tonificação.8 F3 ou Taichong: perpendicular 0. perpendicular 1.0 cun BP6 ou Sanyinjiao: perpendicular 1. Depois da inserção os pacientes permaneceram em repouso por um tempo aproximado de trinta minutos. Tempo de Tratamento A aplicação do tratamento teve a finalidade de equilibrar as funções dos órgãos. e sim o método de punturação neutra. FITOTERAPIA As plantas têm importantes virtudes para purificar o organismo e expelir toxinas.7 cun.30 2.4. suprem a falta de alguns elementos nutritivos. P9 ou Taiyuan: perpendicular 0. 2000) A fitoterapia consiste no conjunto das técnicas de utilização dos vegetais no tratamento das doenças e na recuperação da saúde. Cada ponto coma sua particularidade.7. sendo respeitada a profundidade de cada um.3. ou seja no sentido do ponto.5 cun. 2. IG4 ou Hegu: perpendicular 0.0 cun E36 ou Zuzanli. normalizam o funcionamento de outros. estimulam a ação de certos órgãos. (GOMARA.3 cun.

às científicas e experimentais.31 empíricas. Se encontrarem principalmente nas flores. frutos ou casca e é baseado nessa distribuição que se determina a parte a ser utilizada do vegetal. Efeitos da Fitoterapia O mecanismo de ação das plantas medicinais se deve à presença dos chamados princípios ativos que são substâncias que a planta sintetiza e armazena durante seu crescimento e vida e que são responsáveis pelo valor terapêutico ou não de uma planta. 1998) 2. ALCALÓIDES: geralmente tóxicos. (BOARIM. Desenvolvem ação tonificante sobre o organismo e estimulam e regulam o trato digestivo.4. 2.(NASCIMENTO. folhas. atropina. apresentam atividade farmacológica elevada como a morfina.000 o número de princípios ativos já encontrados. ou não. 1999) Segundo Murray (1990). (FARMACOPÉIA BRASILEIRA. clima. 2001) É a presença. Em sua forma mais rigorosa. ciclo de vida do vegetal. de um ou diversos destes princípios ativos que determinam a forte ou fraca atuação da erva no processo de cura.1. . escopolamina. PRINCÍPIOS AMARGOS: grande número de plantas contém estes princípios que lhes confere sabor amargo. etc. etc). Segue abaixo os principais grupos de princípios ativos: 1. estima-se em mais de 12. abrange os princípios e as técnicas da botânica e da farmacologia. Sua distribuição dentro da planta varia de acordo com cada tipo de vegetal. sementes. condições do habitat (solo.

e infestação . 4. TANINOS: ação adstringente. antiinflamatória. depurativas. outras sudoríficas. Possuem algumas funções cardiotônicas. 6. infecção (efeitos causados num organismo pela ação das toxinas produzidas por bactérias ou por quaisquer outros germes patogênicos). não sendo possível agrupá-los quimicamente. microbiano ou não). 7. diurética. Protegem a mucosa contra os irritantes locais e atenuam inflamações. diuréticas. MUCILAGENS: são substâncias que incham em contato com a água. evaporam ÓLEOS ESSENCIAIS: são componentes de cheiro forte. 2. que se facilmente em água. anti-séptica e antidiarréica. antiespasmódica. ÁCIDOS ORGÂNICOS: plantas que contém estes princípios têm sabor ácido e entre outras ações são refrescantes e laxativas. expectoração. as plantas medicinais são utilizadas para diversos fins. HETEROSÍDEOS: são o grupo mais distribuído no reino vegetal e seus efeitos são diferentes entre si. As plantas deste grupo são muito usadas em fitocosmética.4. previnem e curam diversas formas de patologias. 8. Principais Indicações Segundo Teske (1997). Entre eles estão os glicosídeos diversos.2.32 3. SAPONINAS: são mucolíticas. seus efeitos amenizam . 5. Reforçam a ação dos demais princípios ativos das plantas. Tem propriedades anti-séptica. Suas principais atividades farmacológicas são inflamação (é o conjunto das reações locais dos tecidos destinados a contrabalançar os efeitos de um agente nocivo.

os vermes intestinais. Essa é a forma mais recomendada para a preparação dos chás por preservar melhor o princípio ativo. Podem ser de três tipos: Infusão ou tisana: Consiste em despejar água fervendo sobre as ervas. .4. sem ferver. 18 a 24 horas para talos. Dosimetria Formas de Utilização das Plantas Para Teske (1997) varia de acordo com a forma de utilização das plantas.3.33 (invasão do organismo por parasitos de certo porte como a sarna. 2. Talos e raízes precisam mais tempo 20 a 30 minutos.1. flores e partes tenras e 15 a 30 minutos se são talos. cascas e raízes duras picadas. Essa forma é usada quando se pretende conservar os sais minerais e as vitaminas. em contraposição à infecção causada por micróbios). numa vasilha. etc. A seguir tem uma breve descrição das principais formas de utilizações das plantas medicinais e sua dosimetria: 2. sementes e partes tenras e.4. flores. Maceração: Consiste em colocar as ervas em água fria. e deixar repousar de 5 a 10 minutos. Decocção: Consiste em colocar as ervas na água fria e cozinhá-las 5 a 10 minutos se são folhas. Chás Processo de retirada de princípios ativos pela ação extratora da água.3. por um período de 10 a 18 horas se são folhas. cascas e raízes.

3. (Compendio de Fitoterapia.mães: São preparações líquidas resultantes da ação dissolvente de um veículo alcoólico sobre drogas de origem vegetal ou animal. Correspondem a 10% (em casos de plantas) e são obtidas pela maceração em álcool de diferentes títulos. da planta fresca ou raramente da planta seca.2. . que quer dizer que 200 gramas de erva seca permitem preparar mil gramas da tintura.4.Herbarium). Nessa dosagem várias plantas já apresentarão problemas de toxicidade o que faz com que. Tinturas –Mães – Tintura – Alcoolatura – Extrato Fluídos Tinturas . por segurança.L. Cada colher de erva verde pesa aproximadamente 5 gramas e 1 colher de erva seca pesa aproximadamente 2 gramas. Na maioria dos casos se utiliza um álcool a 60º G. As dosagens recomendadas são as seguintes: • • • • Adulto: 3 a 5 xícaras/dia 10 – 15 anos: 3 a 4 xícaras/dia 02 – 05 anos: 1 a 3 xícaras/dia 00 – 01 ano: ½ a 1 xícara/dia 2. As tinturas simples correspondem a 1/5 (20%) do seu peso em erva seca. Tinturas: As tinturas vegetais são preparadas à temperatura ambiente pela ação do álcool sobre uma erva seca (tintura simples) ou sobre uma mistura de ervas (tinturas compostas). seja aconselhável o uso em quantidades menores. maceração ou percolação. São preparadas por soluções simples.34 Dosimetria dos chás: A dose máxima recomendada para m chá é de 20 gramas para 1 litro de água.

Os extratos fluídos apresentam uma relação ponderal simples entre a droga e o extrato. o que facilita a posologia e a prescrição: 1 grama ou ml do extrato fluido equivale a : 1 grama de erva seca 5 gramas de alcoolatura ou tintura 10 gramas da tintura-mãe Dosimetria: Prescrição em gotas: a indicação de apenas uma erva por frasco é a forma mais em uso. obtidas de drogas vegetais manipuladas de forma que 100 gramas de extrato contenham o equivalente a 100 gramas da erva seca”. salvo indicação contrária devem ser preparadas de acordo com o seguinte processo geral: Planta seca. . agitando de vez em quando: coe espremendo fortemente. que perdem total ou parcialmente. “os extratos fluídos são preparações oficinais. As alcoolaturas simples. Por não terem sofrido ação do calor. seus princípios ativos são exatamente os mesmos encontrados nos fármacos respectivos. as suas propriedades por dessecação. Álcool – 1000 ml. e filtre o líquido por papel. Faça macerar a droga com o álcool em recipiente fechado. Extratos Fluídos: Segundo a Framacopéia Brasileira. convenientemente dividida – 500 gramas.35 Alcoolaturas: As alcoolaturas são obtidas pela ação dissolvente do álcool sobre uma ou várias substâncias vegetais frescas. podendo ser necessário recomendar um ou mais medicamentos no mesmo dia apenas em horas diferentes. (FARMACOPÉIA BRASILEIRA I). durante 15 dias.

seca. O método consiste na obtenção de um extrato líquido.4. 4 ou 5 partes da droga para se obter 1 parte de extrato. Geralmente a proporção droga/extrato é de 4:1 a 5:1. (FRAMACOPÉIA BRASILEIRA) Extratos secos padronizados: São obtidos da mesma forma que os extratos secos. obtidos através de concentração e secagem de extratos líquidos. Os fitoterápicos de uso tradicional são. Cascara Sagrada (Rhamus purshiana). da qual então o extrato será evaporado cuidadosamente (baixa temperatura 40ºC e pressão reduzida).1 a 0.ajustado com uma quantidade suficiente de amido.3. até a obtenção de um extrato concentrado com aspecto de um “caldo”. Pós – Extratos Secos – Extratos Secos Padronizados Pós: Consistem na droga vegetal. malto ou lactose para posterior secagem. apenas obedecem a uma padronização mais rigorosa. ou seja. Sene (Cássia senne). Exemplos de plantas usadas em pó: Boldo do Chile (Pneumus boldus). seja por percolação (extrato hidroalcoólico) ou extração com água fervente. moída finamente (0.36 2.3. sendo calculado sempre o mesmo padrão de princípios ativos para cada droga.2 mm). Carqueja (Baccharis trimera). encontrados nessa forma e não em extratos secos. Essa forma permite o cálculo exato de princípios ativos que se deseja administrar ou manipular. (FARMACOPÉIA BRASILEIRA) . na sua maioria.(FARMACOPÉIA BRASILEIRA) Extratos secos: São produtos de origem vegetal. em seguida.

(TESKE. Protetora sobre a barreira hemato-encefálica. As quatro primeiras em porcentagens iguais com exceção da cânfora que foi utilizada apenas em 0. aumentando a resistência capilar e efetuando uma vasodilatação dos vasos e arteriais dos membros. tais como fenômeno de oxidação devido à presença de radicais livres. tem ação preventiva e curativa contra as agressões endógenas e exógenas. preservando por mais tempo autonomia e qualidade de vida. Fitoterapia para Varizes • GINKGO BILOBA (Ginkgo biloba): pertence a família Ginkgoaceae. A árvore de ginkgo é considerada pelos botânicos como um fóssil vivo. Regulariza a permeabilidade capilar.4. e ancestral do carvalho. ginkgo biloba. Originário do Japão. auxiliando a depuração de resíduos metabólicos. distúrbios da atenção diminuição da capacidade auditiva. atuando na circulação arterial. A nível cerebral permite a diminuição das desordens da memória. centela asiática. a parte utilizada é a folha. Foi utilizado o gel base para esta preparação pela facilidade de absorção e . 1997) As ervas de escolha para o complexo fitoterápico de uso externo foram: castanha da índia. age inibindo a hipermeabilidade mediada pela bradicinina e histamina. Age diminuindo a agregabilidade das hemácias e têm ainda uma ação protetora contra a lise de eritrócitos. agindo na insuficiência vascular periférica. Ativa a circulação sangüínea. pode chegar a 40 m de altura. Estimulante da circulação sangüínea. sendo o único exemplar dessa família. atuando em processos trambóticos. hamamélis e cânfora. Reforça o tônus vascular a nível venoso. ação antiinflamatória e de prevenção do envelhecimento.1% para dilatar os poros facilitando a penetração dos outros componentes da fórmula. Diminui a hiperagregação plaquetária. venosa e capilar. casos de vertigens.37 2.4. mantendo a perfussão tissular.

originária dos Balcãs. tônico circulatório. O efeito tônico da castanhada-índia sobre o sistema venoso é percebido 15 a 30 minutos após a ingestão. CASTANHA-DA-ÍNDIA (Aesculus hippocastanum): pertence a família das Hipocastanáceas. eutrófico do tecido conjuntivo. antiirritante. tônico vulnerário. adstringente. aumentando a resistência e o tônus das veias. Esta função é ainda auxiliada pela melhora da circulação venosa de retorno e pela diminuição da . Diminui a permeabilidade e a fragilidade capilar. Segue a descrição detalhada da ação de cada uma das ervas utilizadas: GINKGO BILOBA: foi descrito anteriormente no uso interno. traduzindo-se principalmente pelo alívio da dor. normalizador da circulação venosa de retorno. Sua principal ação é sobre o sistema venoso. Desta forma. 1997) CENTELA (Centella asiática) pertence a família das umbelíferas.(TESKE.38 a rápida secagem do produto. Promove a normalização das trocas metabólicas entre a corrente sangüínea e os adipócitos. Os constituintes da fração triterpênica da centela atuam normalizando a produção de colágeno ao nível dos fibroblastos. parte utilizada é as folhas. estase venosa. neste complexo é de suma importância a sua presença. É uma árvore que tem cerca de 10 a 30 metros de altura. anticelulítico. Suas propriedades se devem principalmente aos saposídeos. calmante. preventivo de rugas. refrescante. as partes utilizadas são a casca e a semente. anti-hemorrágico. antiinflamatório. promovendo o restabelecimento de uma trama colágena normal e flexível e conseqüente desencarceramento das células adiposas. vasoconstritor. espasmos vasculares e tromboflebites. hidroxicumarinas e derivados flavônicos que atuam sobre a fragilidade capilar e como vasoconstrictores periféricos. vasodilatador periférico. ativa a circulação sangüínea e favorece o retorno venoso prevenindo acidentes vasculares.

Arbusto decíduo ou pequena árvore podendo chegar a 5 m de altura. exercendo ação vasoconstritora periférica agindo como vasomotor. uma ao acordar e outra antes de dormir. deve seguir um tempo indeterminado.(TESKE. até os sintomas visíveis diminuírem. vasoconstritor. 1997) HAMAMELIS: (Hamamelis virginiana): pertence a família das hamamelidáceas. neste composto foi utilizada apenas para descongestionar os poros para melhor penetração dos outros componentes fitoterápicos. nos casos de varizes. Também controla a fixação da prolina e alanina . partes utilizadas são as folhas e a casca.1 %. adstringente. Melhora o estado geral e acalma as dores. hemostático.39 fragilidade capilar. anti-hemorrágico. tônico. descongestivo. elementos fundamentais na formação do colágeno. com cerca de 3 a 20 cm de altura. Sua porcentagem na fórmula foi de 0. foram orientadas a tomarem suas devidas dosagens de Ginkgo Biloba em cápsulas.(TESKE. melhora a circulação. Originária da Austrália. no caso do gel. restabelecendo o equilíbrio entre a circulação arterial e venosa. favorecendo a circulação de retorno. que combate os processos degenerativos do tecido venoso. com acompanhamento semanal. erva pequena e rasteira. 1997) o Como dito anteriormente as pacientes fizeram uso deste complexo fitoterápico todos os dias. 1997) CÂNFORA: (Artemísia canfhorata) utilizada para dilatar e abrir os poros da pele tira dor e alivia o edema. o O tratamento através da fitoterapia. (TESKE. e a utilizarem o gel duas vezes ao dia. Sua ação sobre os edemas de origem venosa orienta o tratamento das celulites localizadas. Utilizada em compressas frias no combate a estados febris ou em compressas quentes para contusões e torções. nativa da América do Norte Pela sua propriedade adstringente deve ser usada com moderação. e no . A hamamélis regulariza a circulação.

40 caso das cápsulas até o estado geral da patologia seguir a um bom grau de evolução. Porém. a erva de uso interno deve ser alternada a cada quatro meses. para que o corpo não vicie no princípio ativo. Pode ser utilizado a castanha da índia na mesma proporção das cápsulas anteriores de Ginkgo . que passa a fazer menos efeito.

Cria intelectualmente representações significativas da realidade. Como relata Köche (1982. cognitivo e expositivo. Por ser ele existencial. p. o estudo de caso foi usado como parâmetro para tratamento de varizes sem necessidade de cirurgia. para tornar e realizar esta pesquisa sólida. como parte relevante da pesquisa. p. Por intermédio deles. sempre dentro de determinada área”. Procedeu-se assim um estudo de caso através de dois pacientes. condenado a viver a sua existência. tornou-se possível acompanhar especialistas da área estudada. fitoterapia brasileira e acupuntura utilizando agulhas como recurso associadas em . 13) “O homem é um ser jogado no mundo. A essas representações significativas chamamos de conhecimento”. sendo investigando os efeitos fisiofuncionais das técnicas de drenagem linfática manual. atribuindo-lhes significações. O estudo de caso foi classificado como explicativo. A estratégia bibliográfica encaminhou para o tipo de foco da pesquisa. METODOLOGIA Através de bibliografias especializas procedeu-se um levantamento sistemático de algumas publicações na área de medicina convencional e alternativa que estuda o sistema circulatório e a acupuntura. e no estudo de caso o controle sobre eventos comportamentais. 37) “A documentação temática visa coletar elementos relevantes para o estudo geral ou para realização de um trabalho em particular. tem que interpretar a si e ao mundo em que vive. Para Severino (1996.41 CAPÍTULO III 3. Como segunda estratégia de pesquisa.

tratamento e os resultados do caso.42 conjunto para a melhora dos sintomas específicos das varizes como também evidenciar uma melhora na parte fisiofuncional da doença. Colaborando com a comunidade científica na comprovação de tratamentos intitulados “alternativos” a medicina convencional. O estudo de caso permitiu uma investigação das características significantes de eventos vivenciados. Concluiu-se assim a capitação de dados. A maneira utilizada foi o desenvolvimento escrito de um relatório do acompanhamento. respeitando as normas de publicações científicas para aumentar os dados no que diz respeito a medicina natural ou terapias naturais . e direcionou-se para redigir conclusões.

d.63m P.P Nascida em 21/10/35 Idade: 68 anos Peso: 62 kg Altura: 1.Q. e a outra foi atendida na própria casa por não ter a disponibilidade de sair a noite para ser atendida na clínica. ANÁLISE DE DADOS 2. usou-se abreviações dos nomes. PACIENTE I Anamnese: Nome: L.43 CAPÍTULO IV 4.A: 130×90 mmHg Sexo: feminino . Segue abaixo descrição das duas pacientes. com a supervisão da Professora Gilda Santiago. Utilizou-se apenas duas pacientes para um controle melhor das atividades. APRESENTAÇÃO DOS CASOS / DADOS DOS PACIENTES As pacientes foram submetidas a sessões semanais de acupuntura uma delas na clínica escola da FIES.1. porém houve o acompanhamento da supervisora no sentido de sanar as possíveis dúvidas.

fezes ressecada. gosta de verduras legumes. Intestino: constipação. reumatismo nos ombros e nas mãos. vai ao banheiro de dois em dois dias. metabolismo é rápido. faz três refeições ao dia. lembra pouco dos sonhos e dorme em média oito horas por dia. dois filhos Queixa principal: dor no membro inferior esquerdo onde tem maior concentração de varizes. acorda durante a noite para ir ao banheiro urinar. Histórico: artrose nos tornozelos. pouca saliva. espondilose lombar. joelho esquerdo com enteropatia calcificada em inserção do quadríceps. sensação de inchaço nas pernas. lombalgia que irradia para as pernas. cansaço ao caminhar. . hemorróidas. dor no nervo ciático.44 Profissão: Do lar Estado civil: casada. Alimentação: toma bastante água. não consome muita carne nem laticínios. Urina: vai de seis a sete vezes ao dia. saburra leve branca e fina. Exame radiológico: perna esquerda com esporão plantar em calcâneo. varizes com coloração forte azulada. tem a cor escura. Sono: acorda muitas vezes durante a noite. mas logo dorme. ingere poucas frutas. longa. articulação coxo femural esquerda artrose incipiente com esclerose marginal acetabular. em média dois litros por dia. pielonefrite aguda. seca. Diagnóstico através da Língua: vermelha .

Diz-se que o baço mantém o sangue nos vasos sangüíneos. Início do tratamento: 12/04/03 Término: 23/06/03 Evolução do tratamento: Após primeira sessão de acupuntura sentiu-se bem melhor. depois voltou .45 Diagnóstico através do pulso: Pulso esquerdo: Coração +/Fígado +++ Rim -- Intestino delgado ++ Vesícula biliar -/+ Bexiga -/+ Pulso direito: Pulmão +/Baço Pâncreas +++ Pericárdio - Intestino grosso ++ Estômago ++ Triplo aquecedor -/+ Diagnóstico: Incapacidade do baço de manter o sangue fluindo nos vasos. com pouca dor nas pernas. são eles: pulmão. outros sistemas são responsáveis pela boa circulação do sangue nos vasos e por outras condições relacionadas com o sangue. o sangue pode extravasar. Se o Qi do baço é saudável. essa sensação de melhora permaneceu dois dias inteiros. Porém. o sangue circulará normalmente e permanecerá nos vasos. Se o Qi do baço for deficiente. fígado e rins. e está encarregado de manter o sangue unido. portanto estes outros órgãos também devem ser avaliados. coração.

K Nascida em 01/04/49 Idade: 54 anos Peso: 65kg Altura: 1. a sensação de cansaço nas pernas desapareceu. sentiu dor apenas uma vez na semana. os ramos maiores tornaram-se menores. início do tratamento com o gel fitoterápico. Até a décima Segunda sessão. PACIENTE II Anamnese Nome: T. a paciente relatou ausência da dor. Na quarta sessão. a urina clareou um pouco. normalizou a função do intestino que estava constipado. após três dias da sessão.Z. ficaram um pouco mais claras. onde encerrou-se o atendimento. relatou que seu sono melhorou muito.60 P. Na terceira semana fez-se uma sessão de drenagem linfática. as região lombar melhorou um pouco. as varizes espalharam-se. as varizes começaram a alterar sua coloração.A: 120×80mmHg Sexo: feminino . a dor no joelho não melhorou. não sentiu mais dor nas pernas nenhum dia da semana. os outros sintomas melhoraram. realizouse a drenagem linfática. Após a segunda sessão sentiu uma melhora significativa no quadro álgico. a sensação de peso nas pernas diminuiu. as varizes que estavam com um grande calibre e saltadas para fora da perna interiorizaram e permaneceram menos aparentes.46 um pouco a dor mais com menor intensidade. o sono melhorou muito acorda somente uma vez para ir ao banheiro. o quadro álgico permaneceu constante. a urina continua escura. relatou sentir dor na hemorróida. mais claros. Após a quinta sessão.

Intestino: fezes pastosas. constipada vai de dois em dois dias. toma clorella sente que regula o intestino. legumes. com cheiro forte. parestesia no pé esquerdo que irradia para o músculo gastrocnêmio. Diagnóstico através da língua: vermelha com petéquias na ponta e no meio. as vezes sente dor de cabeça. Urina: escura. pães. Alimentação: faz três refeições ao dia. pouco de insônia. Seu metabolismo é lento. varizes com coloração forte mais tendendo para a cor roxa. sente muito calor nas extremidades. toma muito chimarrão e não toma nem um copo de água ao dia. frutas. carnes de todos os tipos. vai 5 vezes ao dia. normalmente o sono é pesado. lembra pouco dos sonhos. está na menopausa.47 Profissão: esteticista Estado civil: casada com dois filhos Queixa principal: dores severas e inchaço nas duas pernas. acorda as vezes durante a noite. leite e derivados ingere com moderação. Diagnóstico através do pulso: Pulso esquerdo: Coração +++ Fígado ++ Rim +/- Intestino Delgado +/Vesícula biliar + Bexiga - Pulso direito: Pulmão -/+ Intestino Grosso + . Sono: dorme 5 horas por dia. gosta de verduras. com leve saburra branca e fina. ansiedade. sente-se um pouco triste as vezes.

. algumas regiões está quase imperceptível. A partir da sexta semana. as dores reduziram muito. a sensação de calor diminuiu. As varizes mostram-se bem melhores. Após a primeira sessão sentiu uma leve melhora na sensação de cansaço nas pernas. a paciente não teve mais dores nas pernas nem inchaço. reclamando de dores apenas ao final do dia de trabalho. Paciente relata melhora no sono. sua coloração está bem mais clara. e dois dias após a sessão. A partir da segunda sessão. as varizes demonstraram uma pequena alteração na sua coloração e também na disposição de seus feixes. bem distribuídas. acordando mais descansada. A dor no músculo gastrocnêmio persistiu forte irradiando para os pés. sente-se mais alegre. a parestesia sumiu totalmente. A paciente sente-se muito melhor após a Quinta sessão. Fez-se uma sessão de drenagem linfática um dia após a segunda sessão. Relatou uma sensação muito boa de leveza nas pernas após a sessão de massagem.48 Baço Pâncreas +++ Pericárdio +/- Estômago ++ Triplo aquecedor – Diagnóstico geral: Incapacidade do baço em manter o sangue nos vasos fluindo nos vasos Início do tratamento: 20/03/03 Término do tratamento:17/06/03 Evolução do tratamento: A paciente foi atendida em dozes sessões com apenas uma pausa de uma semana. diminuiu o edema nas pernas e a sensação de cansaço melhorou muito. melhorou em todos os aspectos. sentiu uma melhora significativa no quadro álgico. Feita mais uma sessão de drenagem linfática. não tem mais a parestesia. Na terceira semana.

Os pontos de acupuntura utilizados foram os mesmos em todas as sessões para ambas as pacientes. e o uso dos fitoterápicos interno e externo recomendado diariamente. constando de doze sessões semanais de acupuntura. Os fitoterápicos utilizados no tratamento foram recomendado de duas maneiras: uso interno através de cápsulas contendo dosagens um pouco diferentes respeitando o fator idade de cada paciente e de uso externo utilizando um gel duas vezes ao dia. PROCEDIMENTOS DO TRATAMENTO PROPOSTO Após uma prévia avaliação das pacientes. de uma anamnese para constatar o andamento do quadro álgico. ou seja. e os fitoterápicos também foram os mesmos. onde está presente a doença e a estética. As duas pacientes foram classificadas no tipo II.2. cinco sessões de drenagem linfática. a não tomarem banhos muito quente e nem exporem-se ao sol. de fundo hereditário. foi detectado o grau de evolução da patologia. ou seja. As sessões prosseguiam de uma análise visual da patologia. uma ao acordar e outra ao deitar-se. As pacientes foram orientadas a utilizarem meias elásticas de contenção média todos os dias após uma elevação do membro inferior por cerca de 20 minutos. .49 4. na mesma porcentagem para ambas as pacientes. O tratamento durou cerca de três meses. e primária.

com o intuito de preparar e afinar o sangue dentro dos vasos. SATISFAÇÃO PACIENTE II: A paciente relatou melhora nos aspectos principais relatados. em algumas regiões a diminuição foi quase plena. A erva de escolha para o uso interno foi o Ginkgo Biloba . continuará sendo atendida na clínica com a mesma orientação para dar continuidade ao tratamento que deve ser mantido ainda por algum tempo de manutenção. em cápsulas de 250 mg. até que os sintomas não voltem a persistirem. teve uma melhora significativa na aparência das varizes. uma cápsula vez ao dia para a paciente com mais de 60 anos e duas cápsulas uma vez ao dia para pacientes abaixo desta idade . sentiu-se bem melhor após as sessões. SATISFAÇÃO PESSOAL DOS PACIENTES COM O TRATAMENTO SATISFAÇÃO PACIENTE I : Ao final das doze sessões.50 Foram utilizados neste programa de tratamento diversos gêneros de plantas medicinais. A paciente utiliza todos os dias meias elásticas de compressão.3. gerando uma grande expectativa com o tratamento. mas somente a noite. Segue a descrição da erva de escolha: 4. A paciente não faz usos de meia elástica de contenção. e externamente para melhorar a circulação comprometida do membro inferior. . a paciente relatou satisfação com o tratamento.

somente depois deste período. os fitoterápicos tanto de uso interno como o de uso externo devem ser mantidos diariamente por no mínimo de nove meses. alternamse então as sessões para duas vezes ao mês com a acupuntura e uma vez ao mês com a drenagem linfática. optou-se por demonstrar resultados com dozes sessões. Depois de feito este controle intenso dos três meses iniciais. Acredita-se que esta patologia deva ser tratada por mais tempo. pode-se comprovar e eficiência de tratamentos alternativos a medicina convencional. . neste caso. alternando de três em três meses o fitoterápico de uso interno (Ginkgo Biloba por Castanha-da-índia).51 CONCLUSÃO Após o término do tratamento proposto. que normalmente opta pela cirurgia de retirada das veias comprometidas. pode-se manter o mesmo tratamento proposto por mais três meses. evitando tal intervenção cirúrgica e também normalizando a situação de vida das pacientes. mas a continuidade deste tratamento é essencial para que os resultados tornem-se permanentes. Porém. observamos significativas evoluções nestes processos. A melhora no aspecto de dor. edema e visualização da patologia foram controlados a partir da terceira semana de tratamento. Com o término das sessões.

52 Esta patologia tão comum no cotidiano da população mundial pode ser controlada. . pois é o melhor meio de evitar transtornos possíveis e principalmente amenizar os sintomas das varizes. mas principalmente devemos nos preocupar com a prevenção.

A acupuntura não está voltada diretamente para os agentes agressores externos. O Jing pós-celestial é a essência refinada dos alimentos. b) Essência Jing pós-celestial. para com isso sanar a doença. mas age sobre todo o sistema nervoso. uma substancia resultante de algo refinado. Essa essência é dividida em dois grandes grupos: a) Essência Jing pré-celestial. A essência pré-celestial é recebida na concepção formando a essência do embrião. onde utiliza o emprego de alguns materiais específicos como agulhas. ventosa. seu tratamento não visa apenas a tratar o local comprometido no corpo. estimulando o mecanismo de compensação e equilíbrio em todo o corpo. tendo sido praticada desde antigas civilizações. por isso. destilado. sementes. Denominação para as vísceras na medicina chinesa. Fitoterápico Fu Jing . esta técnica de massagem tem como objetivo principal o aumento do volume da linfa admitido pelos capilares linfáticos e o aumento da velocidade de seu transporte através dos vasos linfáticos.53 GLOSSÁRIO Acupuntura Uma técnica milenar utilizada na China antiga. moxa. para tratamento de diversas enfermidades. Drenagem linfática Utilizando manobras específicas. Indiretamente estas manobras influenciam outras funções biológicas. Fitoterapia É o tratamento feito com ervas medicinais. Plantas denominadas medicinais pelo emprego ser específico para o tratamento de determinadas enfermidades. O Jing é essência. Essa essência irá determinar a força e a vitalidade do indivíduo herdada doa pais.

é a essência produzida após o nascimento. O sangue (Xue) é uma espécie de líquido vermelho rico em nutrientes. também chamado ponto FONTE. É em si mesmo uma forma de Qi. De acordo com o antigo pensamento Chinês. reprodução e desenvolvimento. o sangue (Xue) seria um fluido inerte. Além de resultar na produção do Qi. O caractere Qi indica alguma coisa que possa ser material e imaterial ao mesmo tempo. É através deles que a energia vital dos zang fu passa e se acumula. O sangue (Xue) se origina de duas fontes: da essência do alimento do Estômago e Baço/Pâncreas. De modo geral. O Qi no corpo humano tem duas fontes: uma é a substancia vital inata. é o Qi que proporciona vida ao sangue (Xue). Pontos Yuan Cada um dos 12 meridianos regulares tem um ponto Yuan. A essência Jing é uma substancia orgânica que forma a base do crescimento. Qi Varizes Xue Zang . Às vezes inflamam e doem. o Qi era a substancia fundamental que constitui o inverso. bem como a atividade funcional dos órgãos e tecidos. a palavra Qi na MTC denota tanto a substancia essencial do corpo humano. da essência da vida armazenada no Rim. 1999). que mantêm sua atividade vital. grandes e pequenas. A outra é a essência do alimento e ar fresco que se recebe do ar. (Boarim. São veias anormalmente dilatadas e tortuosas. Há varizes superficiais e profundas. Além disto.54 sendo o estômago e baço/pâncreas responsáveis pela digestão e pelas funções de transformar e transportar as essências alimentares. Eles estão localizados próximos das articulações dos pulsos e tornozelos das quatro extremidades. Denominação para os órgãos na medicina chinesa. caracterizando a flebite. muito denso e material. O Qi é a essência mais elementar da qual o mundo é composto. que se herda dos pais antes no nascimento. e todos os fenômenos foram produzidos pelas mudanças e movimento do Qi. o sangue (Xue) é inseparável do Qi. sem o Qi. da água e dos alimentos.

1996. 6 ed. A drenagem linfática associada à energética chinesa. JACQUEMAY. 1988. Fisiologia humana e mecanismos das doenças. Alquimia vegetal: como fazer sua farmácia caseira.. Editor chefe Cheng Ximong. Curitiba: FIES. Os fundamentos da medicina chinesa: um texto abrangente para acupunturistas e fitoterapeutas. revisão científica Lo Sz Hsien. 2000. DANGELO. FERNANDES. 1999. VF. FATTINNI. São Paulo: Nova Cultural. A. CA. MACIOCIA. Rio de Janeiro: Record-Nova Era. Rio de Janeiro: Record Nova Era. D. Acupuntura e moxabustão. A drenagem-vitalidade. JG. BONTEMPO. 7 ed. 2002. G. 1999. 1998. 1992. São Paulo: Três. JC. 2 ed. São Paulo: Manole. 2001. 2 ed. . READER’S DIGEST. Apostila do curso de formação em drenagem linfática do IBRATE. M . São Paulo: Atheneu. AS. tradução Ednea Iara Souza Martins.55 REFERÊNCIAS ACUPUNTURA E MOXABUSTÃO CHINESA. Drenagem linfática corporal. 2001 GUYTON. N. 1999. 1998. ENQUIN. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan. Segredos e Virtudes da Plantas Medicinais. Curitiba. 3 ed. Rio de Janeiro: Reader’s Digest. KÖCHE. B. 1982. As fórmulas mágicas das plantas. BOTSARIS. AUTEROCHI. Anatomia Básica dos Sistemas Orgânicos. Z. São Lourenço de Brindes: Vozes. São Paulo: Rocca. REVISTA PLANETA ACUPUNTURA. 3 ed. PIETRO. 1992. O diagnóstico na medicina chinesa. São Paulo: Organização Andrei. São Paulo: Rocca.Medicina Natural. Fundamentos de metodologia científica.

Assoeste. Fitoterapia do emagrecimento. 1ºed. Curitiba – Pr. Guanabara Koogan 1998 BOARIM. www. Michael. Nutrição. Técnicas de treinamento em reabilitação cardíaca. Itaquaquecetuba. 2001. NASCIMENTO. 1988. 1987. Guia de Fórmulas para uma boa saúde. Curitiba – PR. 1º ed. M. 1996. AJ.com. 1997. 20 ed. 180p. SP : Editora Missionária. São Paulo. Ling-Shu Base da acupuntura tradicional chinesa. 5 ed. naturismo.com. Drenagem linfática manual. Daniel. São Paulo. Cascavel. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Andrei.1ºed. Enciclopédia da medicina natural.56 ROBBINS C. 1999. 1996. FARDY. GOMARA< Fernanda.br www. Curitiba: Herbarium Laboratório Botânico. A saúde através do naturismo. FARMACOPÉIA HOMEOPÁTICA BRASILEIRA. 2ºed. THOMË.pro. 1990 LEDUC. Volume I e II. Daniel. M. Cleuza. 2001.angiopatiasintituto.acupuntura. São Paulo: Cortez. Herbarium compêndio de fitoterapia. Patologia estrutural funcional. 3 ed. saúde. PARTE I. Paul S.São Paulo: Edições Vida Plena. Fundação Herbarium de Saúde e Pesquisa.br . 1995 . Andrei. Rio de Janeiro: GuanabaraKoogan. 2ºED. 1998. Editora Atheneu. WING. Revisado e deitado por Jaime Bruning. 2ºed. São Paulo. Manual prático de tratamentos naturais. Joseph. Manole. BOARIM. São Paulo LTDA. 2001 MURRAY. SEVERINO. TESKE. Antonio.

57 .

58 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful