Nota Técnica n° 0005/2010-SRD/ANEEL Em 11 de fevereiro de 2010.

Assunto: Retificação do conteúdo dos Módulos 6 e 8 da Revisão 1 dos Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST.

I. DO OBJETIVO Apresentar as motivações e as modificações propostas para retificação do conteúdo da Revisão 1 dos Módulos 6 e 8 dos Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional - PRODIST, aprovada pela Resolução Normativa n.º 395, datada de 15 de dezembro de 2009. II. DOS FATOS 2. A Resolução Normativa n.º 395/2009, datada de 15 de dezembro de 2009, aprovou a Revisão 1 dos Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional – PRODIST. 3. Desde a aprovação da Revisão 1 do PRODIST, a SRD tem recebido algumas consultas de distribuidoras e da sociedade em geral, por ligações telefônicas e correio eletrônico, sobre a aplicação de alguns pontos do regulamento, no que tange aos Módulos 6 e 8. Adicionalmente, a correspondência ABRADEE/B29.9.CT2010-0002, de 22 de janeiro de 2010, apresentou questionamento sobre o prazo para pagamento de compensação devido à transgressão dos limites dos indicadores individuais. III. DA ANÁLISE 4. Nesta seção será feita a apresentação de todos os pontos que serão objeto de retificação, destacando os motivadores e as justificativas relacionadas ao texto dos Módulos 6 e 8 do PRODIST. III.1. – Definição do k3 e do CM 5. As definições do k3 e do CM constantes do Módulo 8 do PRODIST não deixavam clara a abrangência das rubricas que devem compor a base de cálculo da compensação. Por esta razão, torna-se necessária a retificação dos Itens 2.13.2 e 5.11.4, conforme os textos a seguir:
* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência. 2 da Nota Técnica nº 0005/2010-SRD/ANEEL. num dia classificado como crítico. deve-se atentar para a leitura em conjunto da definição do Dia Crítico constante do Item 2. FIC e DMIC. 9. e interrupções não expurgáveis: (DECxp e FECxp). Assim.2. respectivamente. os dois agrupamentos deveriam capturar todas as interrupções de longa duração ocorridas no sistema de distribuição.2. 7.º 395/2009. tenha também interrupções de origem externa programadas. 5. num dia classificado como crítico. (DECip e FECip) e (DECind e FECind).12.7. As modificações implementadas nestes dispositivos tiveram o objetivo principal de permitir à Agência obter os dados de interrupção do serviço que compõem os indicadores coletivos de continuidade.2 e do Item 5.6. . referente ao mês de apuração.Fl.” III.6.Qualidade da Energia Elétrica.2 da Seção 8. Diversas modificações foram implementadas no Módulo 8 . (DECxn e FECxn). dado que o dia crítico não é orientado às interrupções.2. de forma que a soma das componentes criadas deveria representar todas as interrupções ocorridas no sistema de distribuição que se enquadram na definição de interrupção de longa duração. Todavia. Dentre as modificações destacamos aquelas constantes dos Itens 5. a Agência buscou criar uma base de dados que permita. 5. poderá ocorrer situações onde um determinado conjunto.4. descritos como segue: • • interrupções de origem interna.119 da Seção 1. – Estratificação dos indicadores de continuidade 6.1. correspondentes aos meses do período de apuração do indicador.6.2 dos Módulos 1 e 8 do PRODIST. considerando também as demandas e energias reativas excedentes.2.12. Com base na leitura destes itens. Esta estratégia foi planejada criando 2 (dois) grupamentos de indicadores. Ao instaurar estes dispositivos. através da Resolução Normativa n. Além disso.2. fica claro que as interrupções ocorridas em um determinado conjunto de unidades consumidoras. considerando também as demandas e energias reativas excedentes.3 e 5. no futuro. 8. parte integrante do PRODIST. realizar estudos com base nestes indicadores. sem sobreposição. não programadas e expurgáveis: (DECine e FECine). (DECinc e FECinc) e (DECino e FECino). E todas as referidas interrupções não devem ser contabilizadas nos indicadores coletivos DEC e FEC e individuais DIC. externa não programadas ou mesmo internas programadas. as quais em resumo criam uma série de indicadores que estratificam toda a apuração da continuidade. serão em sua totalidade expurgadas da apuração dos indicadores DEC e FEC. de forma completa e segmentada.” “CM = média aritmética dos encargos de uso do sistema de distribuição. de 11/02/2010 “k3 = valor do encargo de uso do sistema de distribuição. que compõem os indicadores DEC e FEC.2. quando da aprovação de sua revisão.

pois ao se expurgarem dos indicadores situações anômalas. Não resta dúvida que o dia crítico foi definido com intuito de suprimir dos indicadores situações estatisticamente anômalas. 13. Analisando-se a Figura 1. de 11/02/2010 10. 11. 12.6.2. Conforme já discutido anteriormente. sobre as quais a estrutura das equipes de manutenção existente será insuficiente.Fl. Figura 1 – Estratificação das interrupções de longa duração (em cinza estão identificados os indicadores que computam as interrupções expurgáveis). Também se pode justificar a definição do dia crítico sobre a ótica da modicidade tarifária. a proposta de retificação consiste em criar um conjunto de indicadores (DECipc e FECipc. além de melhor especificar indicadores. percebe-se que foram omitidas as parcelas referentes aos dias críticos provenientes dos eventos externos e internos programados. deve-se registrar que as ocorrências enquadradas nos indicadores DECinc ou FECinc absorvem parte das interrupções que poderiam ser enquadradas nos indicadores DECino ou FECino e DECine ou FECine. não mais serão se as mesmas ocorrerem em um dia classificado como crítico.) 5. Assim. é necessária a inclusão de três novos indicadores para considerar os outros tipos de interrupções que também podem ocorrer num dia classificado com crítico. DECxnc e FECxnc e DECxpc e FECxpc) que permitem absorver a parcela eventos externos e internos programados ocorridos em dia crítico.. permite-se a adequação da estrutura de atendimento emergencial da distribuidora com reflexos imediatos nos custos de prestação do serviço. fica claro que os indicadores hoje existentes no PRODIST abrangem todas as interrupções. A seguir apresentamos o extrato da proposta: “(. Ou seja. para manter a lógica inicialmente proposta de capturar todas as interrupções de longa duração. Ademais. Assim. ao observar-se a definição dos indicadores criados para contabilizar as interrupções enquadradas nestas situações.1 Para consideração dos indicadores DEC e FEC deverão ser consideradas as interrupções de longa duração. devendo ser segredadas nos seguintes indicadores: * A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência. 3 da Nota Técnica nº 0005/2010-SRD/ANEEL. interrupções que por sua natureza seriam isoladamente computadas nos indicadores DECino ou FECino e DECine ou FECine. Outrossim. Na figura a seguir é mostrada a estratificação dos eventos. não deverá haver sobreposição entre as interrupções nos indicadores.. não três dos tais .

não programada. não programada. ocorrida em situação de emergência e não ocorrida em dia crítico. DECxp e FECxp – DEC ou FEC devido a interrupção de origem externa ao sistema de distribuição e programada.7 Das interrupções descritas no item 5. não programada e não expurgável..Fl. ocorrida nas situações descritas nos incisos V e VII do item 5. ii.) 5. não ocorrida em dia crítico. vi.2. DECind e FECind – DEC ou FEC devido a interrupção de origem interna ao sistema de distribuição. DECipc e FECipc – DEC ou FEC devido a interrupção de origem interna ao sistema de distribuição.2. iv. ocorrida em dia crítico.2. DECxpc e FECxpc – DEC ou FEC devido a interrupção de origem externa ao sistema de distribuição.. DECip e FECip – DEC ou FEC devido a interrupção de origem interna ao sistema de distribuição e programada.6. . DECine e FECine – DEC ou FEC devido a interrupção de origem interna ao sistema de distribuição. DECino e FECino – DEC ou FEC devido a interrupção de origem interna ao sistema de distribuição.2 e não ocorrida em dia crítico. ocorrida em dia crítico. (. não programada e ocorrida em dia crítico.2. de 11/02/2010 i.6. programada..6. iv. programada. DECinc e FECinc – DEC ou FEC devido a interrupção de origem interna ao sistema de distribuição. v.2. ocorrida em dia crítico. deverão ser apurados os seguintes indicadores: i. não ocorrida em dia crítico. não ocorrida em dia crítico.. não programada. 4 da Nota Técnica nº 0005/2010-SRD/ANEEL. iii. DECxn e FECxn – DEC ou FEC devido a interrupção de origem externa ao sistema de distribuição e não programada. ii. DECxnc e FECxnc – DEC ou FEC devido a interrupção de origem externa ao sistema de distribuição.4 As interrupções expurgáveis devem ser segregadas para envio à ANEEL em: * A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.) 5. (. iii.12.

2 A distribuidora deverá informar na fatura dos consumidores. iii. FIC e DMIC a qualquer tempo. de 11/02/2010 i. iv.13. DECine e FECine.. vi.. para apuração mensal. v. – Informações da fatura 14. DECxpc e FECxpc. descrita no Item 5. entre os valores apurados e as eventuais compensações devidas ao consumidor. por parte dos consumidores. esta retificação define um mecanismo que garante que haja correspondência. DECipc e FECipc. Outra modificação que foi implementada no PRODIST diz respeito às informações que devem constar da fatura da unidade consumidora..3. b) valores apurados mensais de DIC. de forma clara e auto-explicativa. trimestrais e anuais definidos para os indicadores de continuidade individuais. os seguintes dados: a) limites mensais. Para proporcionar reprodutibilidade. além da identificação do período de referência da apuração que está sendo informada ao consumidor. dada uma mesma fatura. Por fim.Fl. FIC e DMIC. 15. trimestral e anual..)” III. A seguir apresentamos o extrato da proposta: “(. caso sejam violados os limites de continuidade individuais relativos à unidade consumidora. e) valor mensal do CM. Além disso. d) o direito do consumidor de receber uma compensação. foi necessário esclarecer os prazos em que estas informações devem constar da fatura. Assim. se viu necessário adicionar algumas informações à fatura.13. a proposta de retificação consiste em incluir na fatura mensal a apresentação dos limites trimestrais e anuais. DECinc e FECinc. ii. DECxnc e FECxnc. * A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência. 16.) 5. . (. DECino e FECino. do cálculo da compensação por transgressão dos limites individuais dos indicadores de continuidade. 5 da Nota Técnica nº 0005/2010-SRD/ANEEL. c) o direito do consumidor de solicitar à distribuidora a apuração dos indicadores DIC.2.

. deve ser informada aos consumidores a apuração dos indicadores DIC.Fl. Outra questão identificada está relacionada ao prazo para realizar a compensação aos acessantes quando da transgressão de limites de continuidade. a proposta de retificação consiste em ancorar no mês civil as referências para apresentação ao consumidor das apurações realizadas e das compensações a serem restituídas. 6 da Nota Técnica nº 0005/2010-SRD/ANEEL..11.2 e a eventual compensação de que trata o item 5. Foram recebidas pela ANEEL questões relacionadas ao entendimento dado para o Item 5.1 devem corresponder ao mesmo período de apuração.. Assim. e ser informadas em até dois meses após o referido período. A definição do prazo para compensação. pode gerar prazos diferenciados para diferentes distribuidoras.. Com vistas a reduzir esta assimetria está sendo proposto um texto que adequa ao mês civil o limite para realizar as compensações.11. que trata do prazo para efetuar o crédito da compensação por transgressão dos indicadores individuais.11. Uma das principais questões relacionadas ao prazo para efetuar a compensação diz respeito ao referencial para pagamento. de 11/02/2010 f) período de referência da apuração. A seguir apresentamos o extrato da proposta: “(.13.1 As informações listadas no item 5. (. As modificações da Seção III. No caso das interrupções ocorridas no mês de março.. 18.1.3 desta Nota Técnica podem ser ilustradas através de um exemplo. ancorado na emissão da fatura. 20. (.1 No caso de violação do limite de continuidade individual em relação ao período de apuração (mensal.)” 21.2. 19. * A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.. FIC e DMIC referente a este mês. a distribuidora ou concessionária de transmissão detentora de DIT deverá calcular a compensação ao consumidor ou à distribuidora acessante e efetuar o crédito na fatura.) 5. 5. até o mês de maio do mesmo ano.)” III. trimestral ou anual). O Item mencionado define que a compensação deve ser efetuada na fatura do mês subseqüente à apuração. O texto então define como limite o prazo de dois meses após o período de apuração (mês em que se registra a ocorrência).4..2 e III. – Prazo para realizar a compensação 17.13. apresentada em até dois meses após o período de apuração.

de 11/02/2010 Juntamente à apuração dos indicadores. com os seguintes dados: i. utilizado para fins de classificação dos limites de indicadores individuais.7 define os limites dos indicadores de continuidade individuais (DIC. 7 da Nota Técnica nº 0005/2010-SRD/ANEEL.1 A coleta e armazenamento dos dados de interrupções devem atender as seguintes diretrizes: (. constante da Alínea g do Item 5.12. v. nome do conjunto ao qual pertence a unidade consumidora. trimestre. também referente ao mês de março. em formulário próprio.. ano) referente à constatação da violação. endereço da unidade consumidora. . período (mês. * A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência. FIC e DMIC).1 da Seção 8.1 deve guardar estreita relação com o Item 5. A seguir apresentamos o extrato da proposta de modificação do Item 5. Por fim. a proposta de retificação consiste em alterar o termo que antes mencionava a tensão de fornecimento para refletir a tensão contratada. além do CM. nome do consumidor favorecido. deve-se informar os limites mensais. enquadramento da unidade consumidora em área urbana e não-urbana.1: “(. vii.2 do Módulo 8. III. 24.2 do Módulo 8.. que são estabelecidos de acordo com a localização e com a tensão contratada. Ainda foi identificada a necessidade de esclarecer o tema ligado ao registro das informações relacionadas à compensação de valores ao consumidor.) 5.5.Fl. a distribuidora deverá manter registro. valor do CM considerado no cálculo da compensação..12.12. Sendo assim. importância individual da compensação. Também foram modificados os títulos das Tabelas 1 a 5 do Anexo I da Seção 8. iv. O Item 5.10. Assim o registro mencionado na Alínea g do Item 5. 23.7.) g) na hipótese de ocorrer compensação de valores ao consumidor. deve constar da fatura que a informação é referente ao mês de março. iii. vi. para uso da ANEEL. trimestrais e anuais dos mesmos. – Definição da tensão contratada 22. ii. caso exista. tensão contratada.. viii.12.10.

8. Outra pequena retificação diz respeito à ausência da definição dos eventos de origem externa na tabela constante do Anexo II. Por fim. 28.)” III. valores apurados dos indicadores violados. A alteração aborda o Item 8. (.4. Neste item.4. denominada Lista de Fatos Geradores. de 15 de dezembro de 2009. definindo mais objetivamente o prazo para encaminhamento das informações à Agência. esclarecendo eventuais questões e dirimindo dúvidas da sociedade.7.427.6.Fl. foram feitos aperfeiçoamentos no Item 8. DA CONCLUSÃO 31. 27. Ressalta-se que o detalhamento do procedimento de envio constará do Manual de instruções para uso do sistema INDQUAL. de 11/02/2010 ix. foram necessárias alterações no texto do Módulo 6. Ademais. dadas as retificações propostas anteriormente.1. Para sanar este problema foi criada uma classificação específica para os eventos externos programados e externos não programados. * A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência. – Lista de fatos geradores 25. III. Outro ponto relacionado ao Módulo 6 diz respeito ao Item 8.2. IV.3. V. . – Envio das informações à ANEEL 26.6 devido à criação dos indicadores que estratificaram o DEC e o FEC e a necessidade de envio periódico dos indicadores totalizados DEC e FEC.. Conclui-se que as modificações propostas objetivaram o melhor entendimento do texto dos módulos e a correta interpretação dos mesmos. Conforme consta da nova tabela.4. 29. Os dispositivos legais aplicáveis ao caso são: a) Lei nº 9. as compensações devido às transgressões dos indicadores de continuidade são referenciadas ao período de apuração. o texto da tabela foi alterado no campo periodicidade para refletir o texto do Item. de 26 de dezembro de 1996. com intuito de tornar mais claros os indicadores que devem ser enviados à ANEEL com relação às compensações aos consumidores. enquanto que as devido aos indicadores de conformidade são referenciadas ao mês de pagamento. DO FUNDAMENTO LEGAL 30. e b) Resolução Normativa nº 395. 8 da Nota Técnica nº 0005/2010-SRD/ANEEL..

PRODIST. PAULO HENRIQUE SILVESTRI LOPES Superintendente de Regulação dos Serviços de Distribuição * A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.002137/2009-31. dê publicidade a esta retificação. o qual aprova a Revisão 1 dos Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional . .SRD RENATO EDUARDO FARIAS DE SOUSA Especialista em Regulação De acordo. 9 da Nota Técnica nº 0005/2010-SRD/ANEEL.Fl. Recomendamos que o Diretor relator do processo nº 48500. de 11/02/2010 VI. DAVI VIDAL RÔLA Especialista em Regulação DJANE MARIA SOARES FONTAN Especialista em Regulação LEONARDO MENDONÇA OLIVEIRA DE QUEIROZ Especialista em Regulação LUIZ HENRIQUE CAPELI Especialista em Regulação . DA RECOMENDAÇÃO 32.