VERSÃO

COMANDO DA AERONÁUTICA

EXAME DE ADMISSÃO AO ESTÁGIO DE ADAPTAÇÃO DE OFICIAIS TEMPORÁRIOS (EAOT 2011)

A

JOR - JORNALISMO

ESPECIALIDADE

LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 1. Este caderno contém 01 (uma) prova de REDAÇÃO, 01 (uma) prova de GRAMÁTICA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO, composta de 20 (vinte) questões objetivas numeradas de 01 (um) a 20 (vinte), e 01 (uma) prova de CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS, composta de 40 (quarenta) questões objetivas numeradas de 21 (vinte e um) a 60 (sessenta). Confira se todas as questões estão perfeitamente legíveis. Sendo detectada alguma anormalidade, solicite ao fiscal de prova a substituição deste caderno. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. Verifique se a “VERSÃO” da prova, a “ESPECIALIDADE” e o “NÚMERO DE INSCRIÇÃO” constantes deste caderno de questões conferem com os campos “VERSÃO”, “ESPECIALIDADE” e “NÚMERO DE INSCRIÇÃO” contidos em seu Cartão de Respostas. Iniciada a prova, é vedado formular perguntas. O caderno de questões pode ser utilizado livremente para fazer rascunhos (cálculos, desenhos, etc.). Não é permitido ao candidato comunicar-se com outro candidato, bem como utilizar consultas a livros, anotações, agendas eletrônicas, gravadores, ou usar máquina calculadora, telefone celular e/ou similares, ou qualquer instrumento receptor/transmissor de mensagens. No CARTÃO DE LEITURA ÓTICA PERSONALIZADO (CARTÃO DE RESPOSTAS), deve-se preencher apenas uma alternativa (a, b, c, d) de cada questão, com caneta esferográfica azul ou preta, conforme instrução contida. A questão não assinalada ou assinalada com mais de uma alternativa, emendada, rasurada, borrada ou que vier com outra assinalação, será anulada. A prova terá a duração de 4 (quatro) horas acrescidas de mais 20 (vinte) minutos para o preenchimento do Cartão de Respostas. É obrigatório que o candidato assine a Lista de Chamada e o Cartão de Respostas. questões só poderá ser levado pelo candidato que permanecer no recinto até o horário determinado oficialmente para o término da prova. 11. A desobediência a qualquer uma das determinações constantes no presente caderno e no Cartão de Respostas poderá implicar a anulação de sua prova.

10. Somente será permitido retirar-se do local de realização das provas decorridas 2 (duas) horas do início das provas. O caderno de

AGENDA (PRÓXIMOS EVENTOS)
DATA até 03/12/2010 EVENTO Divulgação das provas aplicadas e dos Gabaritos Provisórios. Preenchimento da Ficha Informativa sobre Formulação de Questão (FIFQ) na página do CIAAR,na Internet, até as 15 horas – horário de Brasília. Divulgação dos gabaritos oficiais e dos pareceres individuais sobre as FIFQ. Divulgação individual da correção da redação. Preenchimento do formulário de recurso para a Prova de Redação na página do CIAAR, na Internet, até as 15 horas – horário de Brasília. Divulgação da relação nominal de candidatos com os resultados obtidos nas provas escritas dos Exames de Escolaridade e Conhecimentos Especializados com suas respectivas médias, contendo a classificação provisória daqueles que obtiveram aproveitamento. Concentração Intermediária, das 9 horas às 11 horas (horário local).

até 08/12/2010

até 04/01/2011 até 04/01/2011 até 06/01/2011

até 21/01/2011

21/02/2011

e 4. Não serão corrigidas redações escritas em outros idiomas.8 tiver descontos (por erros) que somem valores superiores ao grau 10. a Terra vai se salvar sozinha. BRITÂNICO ESPECIALISTA EM MEIO AMBIENTE. 4. que considera o planeta como um superorganismo. O texto não poderá ultrapassar o limite (30 linhas) do impresso padrão recebido. 4. afirmou Lovelock em entrevista à BBC. 1. que é o que sempre fez. A coisa mais sensível a se fazer é aproveitar a vida enquanto podemos”. 4.1 estiver fora da tipologia textual ou do tema proposto.shtml. Sua dissertação deverá conter.5 estiver escrita de forma ilegível ou com caligrafia que impeça a compreensão do sentido global do texto. afirma criador da Teoria de Gaia Para Lovelock. 4. 2010. no qual todas as reações químicas. para quem a Terra. em letra legível. 70 (setenta) palavras.REDAÇÃO PROPOSTA ESCREVA UMA DISSERTAÇÃO ARGUMENTATIVA EM QUE VOCÊ SE MANIFESTE A RESPEITO DA AFIRMAÇÃO DE JAMES LOVELOCK. físicas e biológicas estão interligadas e não podem ser analisadas separadamente. que não seja o português. 4.4 contiver marcas que permitam a identificação do autor. precisamos ‘aproveitar a vida enquanto podemos’ Mudar os hábitos para tentar salvar o planeta é “uma bobagem”. 3 Jornalismo Prova A .1 Consideram-se palavras todas aquelas pertencentes às classes gramaticais da Língua Portuguesa. Se for salva.6 estiver escrita em outro idioma. na opinião de um dos mais conceituados especialistas em meio ambiente no mundo. 3. http://www. Acesso em: 08 out. 2. Considerado um dos “mentores” do movimento ambientalista em todo o mundo a partir dos anos 1970. “Tentar salvar o planeta é bobagem. porque não podemos fazer isso.2 não estiver em prosa. Humanidade não pode salvar o planeta. O cientista de 90 anos é autor da Teoria de Gaia. o britânico James Lovelock.uk/portuguese/noticias/2010/03/100331_lovelock_entrevista_rw. será salva por ela mesma. 4. VEICULADA NO TEXTO ABAIXO.7 for escrita a lápis (total ou parcialmente) ou com caneta que não seja de tinta preta ou azul. se for salva. a respeito do tema proposto.bbc. 4. Lovelock é também autor de ideias polêmicas como a defesa do uso da energia nuclear como forma de restringir as emissões de carbono na atmosfera e combater as mudanças climáticas. Será atribuído o grau O (zero) à redação que 4. INSTRUÇÕES 1.0000 (dez).co.3 apresentar número inferior a 70 (setenta) palavras. no mínimo.

Jornalismo Prova A 4 .

Não estou muito certo disso. escravos que foram de senhores. em comparação com o resto da cidade de Porto Príncipe. De todo o mundo.php?option=com_noticias&Itemid=18&task=detalhe&id=29745. de calamidade permanente. foram efetivamente pronunciadas. da ausência de uma instrução pública satisfatória. fosse porque se perdeu no terremoto. no que toca ao Haiti. como tantas vezes acontece. Os mortos de Porto Príncipe foram fazer companhia aos mortos de Lisboa. Os abastecimentos começaram a chegar a uma ilha onde tudo faltava. no meio do caos e da desorganização múltipla de um país que mesmo antes do sismo. onde os fatores propícios ao desenvolvimento são praticamente nulos e os conflitos armados. e talvez tenhamos já no horizonte algo em que parece ninguém querer pensar. mas ao menos que a lição do Haiti possa aproveitar-nos a todos. Adaptado de: http://www. Artigo de José Saramago No Dia de Todos os Santos de 1755 Lisboa foi Haiti. Temos aí o aquecimento global com as suas secas e as suas inundações. mas que os interesses de agora se obstinam em alimentar.br/index. desde gerações. fosse porque nunca lá existiu. milhões e milhões de euros e de dólares estão sendo encaminhados para o Haiti. Assinale a alternativa que completa correta e respectivamente as lacunas do texto I. Disse-as um oficial superior do exército. aos não-ser. com tempo e com trabalho. A enterrar os seus cento e vinte mil ou mais mortos anda agora o Haiti. Haverá outros terremotos. Lisboa foi reconstruída. que mais tarde viria a ser nomeado primeiro-ministro. que logo entraram na História. às – à – a – à as – à – à – à às – a – à – à as – a – a – a Quantos Haitis? Analise as afirmações sobre o texto. de distintas proveniências. reside em como se há-de reconstruir eficazmente a comunidade do seu povo. um grau razoável de homogeneidade social. teria respondido “Enterrar os mortos e cuidar dos vivos”. Como por ação de uma divindade particular. o Haiti também o será. enquanto a comunidade internacional se esforça por acudir aos vivos. Estas palavras. As igrejas estavam repletas de fiéis. escravos que são da necessidade. Esses são os Haitis que há que salvar. olhemos para este Haiti e para os outros mil Haitis que existem no mundo. da falta de assistência sanitária. nem mesmo a simples gratidão por haverem salvo vidas e bens sem nada terem feito para isso. como sempre. as emissões de CO2 que só forçados pela opinião pública os governos se resignarão a reduzir. aos vivos que sempre estiveram mortos porque a vida plena lhes foi negada.GRAMÁTICA e INTERPRETAÇÃO DE TEXTO LP – AERONÁUTICA – 20 QUESTÕES TEXTO I 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 1. outras catástrofes dessas a que chamamos naturais. A terra tremeu quando faltavam poucos minutos para ____ dez da manhã. Acesso em: 07 out. A questão. O coração do rico é a chave do seu cofre-forte. a nossa obrigação é cuidar dos vivos. já se encontrava em estado de catástrofe lenta. No Haiti. desta maneira espoliado do seu haver. em favor de alguém mais poderoso. Diz-se. Já não podemos fazer nada por eles. Agora. 5 Jornalismo Prova A . Há quem diga que a crise econômica veio corrigir o rumo suicida da humanidade. o secretário de Estrangeiros Sebastião José de Carvalho e Melo. mas não por ele. crê-se que morreram 90 mil. a) b) c) d) 2. outras inundações. e à vista do que aconteceu no Haiti parece certo. a possibilidade de uma coincidência dos fenômenos causados pelo aquecimento com a aproximação de uma nova era glacial que cobriria de gelo metade da Europa e agora estaria dando os primeiros e ainda benignos sinais. mas também para os que vivem no fio da navalha da fome.ihu. que fazer?”. Conta-se que ___ pergunta inevitável “E agora. as guerras entre etnias separadas por diferenças religiosas ou por rancores históricos cuja origem acabou por se perder da memória em muitos casos. os sermões e as missas no auge… Dos 275 mil habitantes que Lisboa tinha então.unisinos. moveu os corações dos ricos a acudir ____ desgraça de milhões de homens e mulheres que não podem sequer presumir do nome unificador de compatriotas porque pertencem ao mais ínfimo da escala social. que os desígnios de Deus são inescrutáveis. não só para aqueles que praticamente estão sentados em cima de instáveis falhas tectônicas para as quais não se vê solução possível. Entretanto. reduzido não só ___ mais extrema das pobrezas como historicamente alheio a um sentimento de consciência nacional que lhe permitisse alcançar por si mesmo. foram pouco afetados pelo sismo. 2010. Em Lisboa as orações dos fiéis não puderam impedir que o teto e os muros das igrejas lhes caíssem em cima e os esmagassem. Não há notícia de que um único haitiano rico tenha aberto os cordões ou aliviado as suas contas bancárias para socorrer os sinistrados. os bairros ricos.

1998. destituído de seu ter. 3. porque quem levou a autoria da frase foi um oficial superior do Exército. significa privado de seu crédito. Gabarito: C Justificativa: Interpretação de texto – significação contextual de elementos e de expressões. Analise as afirmações sobre o texto. A expressão “outros mil Haitis que existem no mundo” refere-se a lugares que. A expressão “espoliado de seu haver”.Este é exatamente o ponto que Saramago discute ao longo do texto. I. São Paulo: Editora Nacional. p. explorado em sua ideia. à semelhança do Haiti.As questões de 1 a 10 referem-se ao texto I. contextualmente. 2. 256 e 260. apresentam problemas sociais e políticos e/ou são vulneráveis às grandes catástrofes naturais. Novíssima gramática da língua portuguesa. e isso não foi a causa do terremoto. significa a) b) c) d) roubado de sua posse. II. Gabarito: D Justificativa: Interpretação de texto – significação contextual de elementos e de expressões. à ⇒ acudir a quem? Bibliografia: CEGALLA. Domingos Paschoal. Assinale a alternativa que completa correta e respectivamente as lacunas do texto I. II. III. 41. Quando escreve “No Dia de Todos os Santos de 1755 Lisboa foi Haiti” (l.As preces do povo português não foram ouvidas. 1. à ⇒ o povo reduzido a quê? 4. Saramago estabelece semelhanças entre a situação social e política de Lisboa e do Haiti. III. I. o que permitiu que muitas pessoas fossem atingidas pelo terremoto. todas estão corretas.O autor não compara a situação política e social dos dois países. 01). que as preces do povo do Haiti não foram ouvidas. mas a tragédia que se abateu sobre eles. apenas a afirmação II está correta. 08). Jornalismo Prova A 6 . ed. a) b) c) d) às – à – a – à as – à – à – à às – a – à – à as – a – a – a Gabarito: B Justificativa: Crase. apenas a afirmação III está correta. A expressão “espoliado de seu haver” (l. Pode-se afirmar que a) b) c) d) apenas a afirmação I está correta. Faltavam poucos minutos para as dez ⇒ apenas artigo 2. privado de seu crédito. Pode-se depreender. à ⇒ o secretário teria respondido à (a + a) pergunta inevitável 3. 8 e 9. 1. contextualmente. a partir da leitura dos parágrafos 7.

A conjunção que poderia unir corretamente as duas orações que iniciam o 5º parágrafo. 37) e. ed. Gabarito: B Justificativa: Período composto – coordenação. “inescrutáveis” ⇒ O sufixo forma adjetivos a partir de verbos. Domingos Paschoal. País ⇒ no meio do caos e da desorganização múltipla de um país (o Haiti) que mesmo antes do sismo. Domingos Paschoal. Substantivos a partir de verbos. a palavra “Haiti”. 6. Novíssima gramática da língua portuguesa. Analise os sufixos presentes em “poderoso” (l. “homogeneidade” ⇒ O sufixo forma substantivos a partir de adjetivos. já se encontrava em estado de catástrofe lenta. 1998. São Paulo: Editora Nacional. “inescrutáveis” (l. 4–2–1–3 4–3–2–1 3–4–1–2 2–1–4–3 Gabarito: A Justificativa: Formação das palavras – sufixação. assinale a alternativa que apresenta correta e respectivamente o tipo de palavras que formam. 1998. Assinale a palavra que não tem como referente. conforme. é a) b) c) d) mas ainda. Povo ⇒ A questão. desde gerações. p. milhões e milhões de euros e de dólares estão sendo encaminhados para o Haiti. 18) Ilha (l. São Paulo: Editora Nacional. 5. 09). Novíssima gramática da língua portuguesa. porquanto. ed. reside em como se há-de reconstruir eficazmente a comunidade do seu (do Haiti) povo Proveniências ⇒ De todo o mundo. a) b) c) d) País (l. p. no texto. no que toca ao Haiti. “aquecimento” ⇒ O sufixo forma substantivos a partir de verbos. 105-109. 7 Jornalismo Prova A . sem que houvesse qualquer mudança de pontuação ou alteração na estrutura sintática de cada uma. 15) Proveniências (l. 24) e “aquecimento” (l. 340 – 342. “poderoso” ⇒ O sufixo forma adjetivos a partir de substantivos. 17). 20) Gabarito: C Justificativa: Interpretação de texto. Adjetivos a partir de substantivos. é “e”. A conjunção que poderia unir corretamente as duas orações que iniciam o 5º parágrafo. que indica relação de conclusão. e. Bibliografia: CEGALLA. fosse porque nunca lá existiu. Substantivos a partir de adjetivos.4. sem que houvesse qualquer mudança de pontuação ou alteração na estrutura de cada uma. depois. (1) (2) (3) (4) a) b) c) d) Adjetivos a partir de verbos. Bibliografia: CEGALLA. fosse porque se perdeu no terremoto. de distintas proveniências. 41. “homogeneidade” (l. Ilha ⇒ Os abastecimentos começaram a chegar a uma ilha (o Haiti) onde tudo faltava. 41. de calamidade permanente. 11) Povo (l.

Domingos Paschoal. já que representa um adjunto adverbial deslocado. poderia ser separada por vírgula. ed. 9. 4 a 11. e (3) A reflexão sobre outras tantas tragédias em outros tantos Haitis e sobre ações que devem ser tomadas para evitá-las. 12 a 14. 6 a 12.7. Gabarito: B Justificativa: Acentuação gráfica. Jornalismo Prova A 8 . 4 a 10. Bibliografia: CEGALLA. 13 a 14. e (3) A reflexão sobre outras tantas tragédias em outros tantos Haitis e sobre as ações que devem ser tomadas para evitá-las. p. (2) A situação do Haiti depois do terremoto de janeiro de 2010. 1998. independentemente de seu emprego no texto? a) b) c) d) Viria. do terremoto (parágrafos 4 a 10). “permitíssemos” e “faltávamos” são proparoxítonas. As formas verbais “viríamos”. poderia ser separada por vírgula. a) A primeira vírgula está incorreta porque separa orações ligadas por “e”. Novíssima gramática da língua portuguesa. 11 a 14. e esta vírgula é opcional. 11 a 14. d)O ponto final entre os dois períodos do parágrafo não poderia ser substituído por vírgula porque causaria um problema de construção. 68. já que representa um adjunto adverbial deslocado. d) O ponto final entre os dois períodos do parágrafo poderia ser substituído por vírgula sem que isso causasse qualquer problema à estrutura do parágrafo. (2) A situação do Haiti depois do terremoto de janeiro de 2010 – descrição das consequências para o Haiti. Gabarito: C Justificativa: Pontuação. 1 a 3. ed. Assinale a alternativa correta sobre a pontuação do 8º parágrafo. Novíssima gramática da língua portuguesa. O texto I pode ser dividido em três partes distintas: (1) O terremoto que atingiu Lisboa em 1755 – descrição do que aconteceu em Lisboa (parágrafos 1 a 3). 41. São Paulo: Editora Nacional. São Paulo: Editora Nacional. 41. pondo no mesmo período duas orações completas sem que haja um elemento de ligação entre elas. no 2º período. 6 a 10. devem ser acentuadas. Enterrar. b)A segunda vírgula não está incorreta porque fecha a separação do comentário intercalado “e à vista do que aconteceu no Haiti parece certo”. Faltava. Das formas verbais a seguir. 80-87. Permitisse. 1 a 5. O texto I pode ser dividido em três partes distintas: (1) O terremoto que atingiu Lisboa em 1755. no 2º período. b) A segunda vírgula está incorreta porque separa uma oração subordinada substantiva completiva nominal. p. a)A primeira vírgula não está incorreta porque introduz um comentário do autor entre o verbo e a oração substantiva subjetiva que o segue. Bibliografia: CEGALLA. já que a terminação “os” não faz parte da regra que justifica o acento gráfico nas palavras paroxítonas. c) A locução “Em Lisboa”. 8. a) b) c) d) 1 a 3. qual não seria acentuada graficamente se estivesse na 1º pessoa do plural do tempo verbal em que se encontra. portanto. Gabarito: A Justificativa: Interpretação de texto. (parágrafos 11 a 14). que já não tinha boas condições sociais. “Enterrarmos” é paroxítona e não deve ser acentuada. c)A locução “Em Lisboa”. ⇒ Correto porque o verbo modal “poder” não indica obrigatoriedade. Assinale a alternativa que apresenta correta e respectivamente a relação dos parágrafos que compõem cada uma das partes. 1 a 5. 1998. Domingos Paschoal.

Israel havia declarado guerra ao Egito por conta da nacionalização do canal de Suez e do fechamento do porto de Eilat. Estados Unidos e Brasil. estão centrados na ajuda às vítimas da catástrofe. Acesso em 07 out. ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. A força foi criada para garantir um cessar fogo entre israelenses e árabes. o trabalho brasileiro é ainda mais necessário. à semelhança doapenashouveos vivos. disse. ⇒social III. cujo mandato é outorgado pela ONU. os vértices do trabalho de recuperação do Haiti _____ França. Apenas d)b) II e III. terá a sua homogeneidade social reconstruída. ampliar as atribuições da força de paz e permitir que. à semelhança do que houve em Lisboa. na prática as missões de paz já levam consigo um componente humanitário. inclusive com assistência humanitária. com tempo e com trabalho. c) Apenas a I e a II. as tropas atuem oficialmente na reconstrução do país. O país deve propor a ampliação dessas atribuições para a ONU.I. defende a ideia de queHaiti. a) chegou – será – foi b) chegaram– serão – foram c) chegaram – serão – foi 9 Jornalismo Prova A . afirmou. acredita que acontecimentos como o do Haiti podem servir de lição para todos nós. qual não seria acentuada graficamente se estivesse na 1º pessoa do plural do a)tempo verbal em que se encontra. (grifos da banca)b) Apenas a I e a III. centrado na questão da segurança. Provavelmente. Qual(is) das afirmações representa(m) o ponto de vista do autor? ⇒ Não há informação no texto que indique que a comunidade de Lisboa não tivesse homogeneidade social. Por isso. ⇒ nós. 11.html. II. que é quem dá as diretrizes da atuação. Com a destruição de presídios pelo terremoto. TEXTO II 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 General Armando Félix. afirma que o Haiti. passado o período mais crítico.10. agora. 2010. afirma que o devemos nos preocupar que com em Lisboa. independente de seu emprego no texto. Mas tudo depende da concordância e aprovação das Nações Unidas.com. agora. Apenas a I. atesta. principalmente por conta do excelente trabalho que foi feito naquele país. Outra coisa é o auxílio humanitário. defende a ideia de que devemos nos preocupar com os vivos. mas não diz que devemos ignorar o destino dos mortos. De acordo com Félix. existe a ideia de. d) I. defende a ideia de que devemos nos preocupar com os vivos. que acontecimentos como o como o do Haiti podem lição de lição para todos Isso pela leitura do penúltimo parágrafo II. De acordo com o estrategista.ig. E o comando das operações será brasileiro. pela absoluta falta de quem faça. O professor acredita que a importância do trabalho brasileiro crescerá muito. Mas. Adaptado de: http://ultimosegundo. Cavagnari acredita que o Brasil ainda liderará por muito tempo a missão no Haiti. terá a sua homogeneidade social reconstruída. III. O pesquisador da Unicamp afirma que. Gabarito:Esmagassem. Desde o dia em que a missão chegou ao Haiti. b) Apenas a I e a III. Além disso. que atualmente estão sendo muito bem utilizados. pode ser comprovado I. Em “Quantos Haitis”. II. José Saramago Em “Quantos Haitis”. José Saramago 9. disse ao iG que todos os esforços das tropas. as tropas brasileiras fizeram um trabalho ímpar ao controlar. terá a sua homogeneidade reconstruída. ignorando o destino dos mortos. José Saramago I. um grau razoável de homogeneidade social. a maior favela do país. Para Geraldo Cavagnari. A primeira missão de paz da ONU que teve a participação de tropas brasileiras ____ na chamada Crise do Canal de Suez. c)a) Viria. c) Permitisse. a Cité Soleil. Uma coisa é o trabalho da força de paz no Haiti. no Haiti. Salienta que devemos cuidar dos vivos.acredita acredita que acontecimentos do Haiti podem servir deservir para todos nós. o autor salienta que o Haiti é historicamente alheio a um sentimento de consciência nacional que lhe a) Apenas a por permitisse alcançar. especialista em estratégia militar do Núcleo de Estudos Estratégicos da Unicamp. Mas explicou que a ajuda humanitária não faz parte das atribuições da força de paz. E foram montados hospitais de campanha. a I e a II. Israel recuou e a ONU instalou a missão de paz para garantir a segurança local. ignorando o destino dos mortos. Enterrar.br/mundo/brasil+deve+consolidar+lideranca+na+reconstrucao+do+haiti+dizem+especialistas/n1237591 692832. Qual(is) das afirmações representa(m) o ponto de vista do autor? Das formas verbais a seguir. Em “Quantos Haitis”. ignorando o destino dos mortos. II. si mesmo. a ONU pressionará para que isso ocorra. d) A Justificativa: Interpretação de texto 10. em 1956. I. o Brasil terá de comandar a missão de reconstruir o Haiti. a fuga de criminosos e a violência inerente a essas catástrofes. III. III. Salvo alguma reviravolta. afirma que o Haiti. Assinale a alternativa que completa correta e respectivamente as lacunas do texto. à semelhança do que houve em Lisboa. as tropas brasileiras estão fazendo. I. que é muito pior do que qualquer favela do Rio de Janeiro. Com a intervenção internacional e reabertura do canal. _____ com ela médicos e dentistas. por exemplo.

p. I. Assinale a alternativa que apresenta a numeração correta das palavras em que há ocorrência de hiato. p. São Paulo: Editora Nacional. Novíssima gramática da língua portuguesa. Reviravolta II. Assinale a alternativa que completa correta e respectivamente as lacunas do texto. 41. ed. 120-121. Domingos Paschoal. Apenas a I e a III. ed. p.ditongo decrescente Período – hiato Pior . Jornalismo Prova A 10 . Apenas a II. 41. a) b) c) d) chegou – será – foi chegaram– serão – foram chegaram – serão – foi chegou– será – foram Gabarito: C Justificativa: Concordância verbal. p. Domingos Paschoal. Terremoto Qual(is) delas é (são) formada(s) por mais de um radical? a) b) c) d) Apenas a I. 41. Apenas a III. 21-31. Reviravolta ⇒ (re)vira + volta Internacional ⇒ inter é prefixo Terremoto ⇒ terr(a) + moto Bibliografia: CEGALLA. São Paulo: Editora Nacional. Domingos Paschoal. Os vértices do trabalho de recuperação do Haiti serão França. Estados Unidos e Brasil. São Paulo: Editora Nacional. 106-107. 1998. Muito – ditongo decrescente Auxílio – ditongo crescente Ideia . 12. ed. Analise as palavras a seguir. 99-101. extraídas do texto. 401-416. Novíssima gramática da língua portuguesa. Gabarito: D Justificativa: Formação das palavras – composição. (1) (2) (3) (4) (5) a) b) c) d) Muito Auxílio Ideia Período Pior 2–3 4–5 2–4 3–5 Gabarito: B Justificativa: Fonemas. 1998. 11. 13. 1998. Chegaram com ela médicos e dentistas ⇒ sujeito composto posposto ao verbo com núcleos no plural.hiato Bibliografia: CEGALLA. Internacional III. Novíssima gramática da língua portuguesa. ⇒ sujeito simples com núcleo no plural A primeira missão de paz da ONU que teve a participação de tropas brasileiras foi na chamada Crise do Canal de Suez ⇒ sujeito simples com núcleo no singular Bibliografia: CEGALLA.As questões de 11 a 20 referem-se ao texto II. p.

Bibliografia: CEGALLA. não há pontuação interna porque a oração principal é introduzida por “mas” e a subordinada é substantiva objetiva direta. 05-06) III. Mas tudo depende da concordância e aprovação das Nações Unidas. 323-324. 07) Comandar (l. (l. 80-87. São Paulo: Editora Nacional. se inseridas no período. ed. ed. torná-lo-iam incompleto. Novíssima gramática da língua portuguesa. I. Gabarito: B Justificativa: Preposição. 251. 1998. c)a fim de. 25) Gabarito: A Justificativa: Período simples – tipos de verbos. 03) II. Mas. p. 15. ed. Domingos Paschoal. (l. em todas. apenas em I e II. “c” e “d”. e. p. 16. as vírgulas isolam elemento intercalado. não há pontuação interna porque o período é composto por apenas uma oração. São Paulo: Editora Nacional. Bibliografia: CEGALLA. A palavra “para”. b)conforme. pela absoluta falta de quem faça. 41.14. em se tratando de. Qual das formas verbais a seguir não tem a mesma predicação das demais? a) b) c) d) Existe (l. (l. que inicia o 4º parágrafo. poderia ser corretamente substituída por a) b) c) d) dizendo. p. sem elementos intercalados. 11 Jornalismo Prova A . Mas explicou que a ajuda humanitária não faz parte das atribuições da força de paz. 1998. não têm qualquer relação semântica com o restante do período. Novíssima gramática da língua portuguesa. Novíssima gramática da língua portuguesa. conforme. as tropas brasileiras estão fazendo. em (II). A palavra “para”. Domingos Paschoal. d)em se tratando de. extraídos do texto. Qual das formas verbais a seguir não tem a mesma predicação das demais? Existe – verbo intransitivo Ampliar – verbo transitivo direto Comandar – verbo transitivo direto Instalar – verbo transitivo direto Bibliografia: CEGALLA. 1998. 41. a fim de. Além disso. que inicia o 4º parágrafo. 17) Instalou (l. em (III). 07) Ampliar (l. São Paulo: Editora Nacional. ⇒ As alternativas “a”. Gabarito: D Justificativa: Pontuação. Analise os períodos a seguir. A pontuação está correta em todas as assertivas: em (I). 09) Pode-se afirmar que a pontuação dos períodos acima está correta a) b) c) d) apenas em I. apenas em II. Domingos Paschoal. 41. poderia ser corretamente substituída por a)dizendo.

pretérito perfeito do indicativo. São Paulo: Editora Nacional. (1) (2) (3) (4) (5) (6) a) b) c) d) “a ajuda humanitária não faz parte das atribuições da força de paz” (l. apenas pela leitura do texto.” (l. 41. o Brasil terá de comandar a missão de reconstruir o Haiti. Gabarito: C Justificativa: Interpretação de texto. 1998. 174 e 357. p. 22-23) “que é muito pior do que qualquer favela do Rio de Janeiro. Bibliografia: CEGALLA. Novíssima gramática da língua portuguesa. Gabarito: D Justificativa: Emprego dos tempos verbais. 27-28) Apenas 1 e 3. 03) “as tropas brasileiras estão fazendo” (l. subordinada adverbial consecutiva. 19. Domingos Paschoal. 16-17) “E o comando das operações será brasileiro. coordenada sindética explicativa. Em “cujo mandato é outorgado pela ONU” (l. Gabarito: D Justificativa: Classes de palavras. Jornalismo Prova A 12 . 41. futuro do presente do indicativo. 20) “A força foi criada para garantir um cessar fogo entre israelenses e árabes.17. Analise os trechos a seguir. p. depois. o pronome relativo substitui “da força de paz no Haiti” e introduz uma oração adjetiva explicativa. 18.” (l. ed. 182-237. 22-23). o tempo verbal predominante é o a) b) c) d) presente do indicativo. subordinada adjetiva explicativa. No 5º parágrafo.” (l. “A força foi criada para garantir um cessar fogo entre israelenses e árabes. 04-05). Apenas 2 e 6. assinale a alternativa que apresenta afirmação (afirmações) que. Em “cujo mandato é outorgado pela ONU”. pretérito imperfeito do indicativo. extraídos do texto e. Apenas 5. São Paulo: Editora Nacional. 05-06) “Provavelmente.” (l. o tempo verbal predominante é o futuro do presente do indicativo porque indica ações futuras do Brasil. não se pode atribuir às declarações feitas pelo ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República e/ou pelo pesquisador da Unicamp. 1998. Domingos Paschoal. a palavra destacada introduz uma oração a) b) c) d) subordinada adjetiva restritiva. No 5º parágrafo. ed. Apenas 4. Bibliografia: CEGALLA.” (l. É informação dada pelo texto jornalístico e não pode ser atribuída objetivamente nem ao general nem ao pesquisador. Novíssima gramática da língua portuguesa.

a missão para o Canal de Suez foi citada apenas como a primeira missão de paz da ONU da qual o Brasil participou. na opinião tanto do militar quanto do especialista em estratégia militar. Analise as afirmações sobre o texto II. II e III. A ajuda humanitária. Apenas a II. A missão de paz no Haiti é a mesma que foi criada para a Crise do Canal de Suez.20. A participação na reconstrução do Haiti consolidará a liderança que o Brasil já vem exercendo na força de paz instalada naquele país. na opinião tanto do militar quanto do especialista em estratégia militar. Gabarito: A Justificativa: Interpretação de texto. Qual(is) está(ão) correta(s) de acordo com o texto? a) b) c) d) Apenas a I. A participação na reconstrução do Haiti consolidará a liderança que o Brasil já vem exercendo na força de paz instalada naquele país. II. Apenas a II e a III. é inerente às atribuições da força de paz. ⇒ A afirmação é apenas do militar. A missão de paz no Haiti é a mesma que foi criada para a Crise do Canal de Suez. ⇒ Está expresso no título do texto. indicado na referência. ⇒ Não está correto. I. é inerente às atribuições da força de paz. III. 13 Jornalismo Prova A . I. A ajuda humanitária.

2001) – o movimento do novo jornalismo proposto por Jimmy Berlin e Tom Wolfe teve muitos adeptos. Jorge. novo jornalismo. 2. Gabriel García Marques e Ernest Hemingway. Rio de Janeiro: Record.. 2003) A afirmativa afirma o objetivo da clipagem e não oferece obstáculos à compreensão do dito. 24. Bibliografia: DUARTE. p. Assinale a alternativa incorreta. Norman Mailer. Bibliografia: DUARTE. O presidente assistiu ao jogo.. Já é uma hora: vou sair. Jorge. William Hearst. a) b) c) d) release / notícia / públicos / crítica clipping / divulgação / empresas / relacionamento jornalismo / crítica / autoridades / pressão assessor de imprensa / veiculação / organizações / crítica Gabarito: B Justificativa: (Duarte.. Assessoria de Imprensa e relacionamento com a Mídia: teoria e técnica. ed. As opções adicionais são absurdas. Rio de Janeiro: Campus. Nilson. 2. Já o médico assistiu o ferido. 1999. ed. ed. a) b) c) d) Haviam onze mil pessoas no ginásio. são relacionados com o a) b) c) d) jornalismo sensacionalista. Tom Wolfe. O fato é conhecido pois Lee é considerado o pai das RP. 22. 140. 86 a 91) A questão A proposta está errada na sua redação em português. 2003. sobretudo.CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS 21. usualmente. 1999. Gabriel García Marquez e Ernest Hemingway. Getúlio Vargas. Norman Mailer. Atlas. Vera Íris. Os autores Truman Capote. O texto na TV: manual de telejornalismo. Jornalismo Prova A 14 . Historicamente se pode afirmar que a invenção da assessoria de imprensa ou assessoria de comunicação foi uma invenção de a) b) c) d) Ivy Lee. 2. Assessoria de Imprensa e relacionamento com a Mídia: teoria e técnica. poderá sinalizar para oportunidades de ______________ e. permitir que as(os) ______________ refinem seu trabalho de ______________ com a mídia. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. 390. se bem conduzido. Gabarito: A Justificativa: (Duarte. Truman Capote. Assinale a alternativa que completa correta e respectivamente as lacunas. Atlas. Bibliografia: LAGE. Gabarito: A Justificativa: (Paternostro. 2003. jornalismo investigativo. Faz vinte anos que ele morreu. O ______________ é a matéria-prima para o trabalho de auditoria que. p. jornalismo noticioso. p. Jospeh Goebbels. p. 23. 2003. Gabarito: D Justificativa: (Lage. 34). 2001. Bibliografia: PATERNOSTRO.

proximidade. 15 Jornalismo Prova A . atualidade. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. 2001. 1999. assegura a conformidade da matéria do jornal ou revista com interesses empresariais ou políticos e prevê o volume de informação necessário para as edições de uma ou mais edições. estilo literário. Bibliografia: LAGE. deve confrontar as diferentes perspectivas e selecionar fatos e versões que permitam ao leitores orientar-se diante da realidade. reportagem. Bibliografia: LAGE. Gabarito: C Justificativa: (Felipe Pena. informação visual.p. copidescar os textos e editar as reportagens. 27. 31 e 32) na área gráfica. interatividade. 1999. hipertexto. estilo literário. respectivamente. perenidade. 2001 – p. Estes são os elementos considerados quando se escreve para a TV: a) b) c) d) atualidade. Trata-se da a) b) c) d) diagramação. de forma pioneira. estão a) b) c) d) traduzir discursos públicos em linguagem popular e orientar o leitor. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. Felipe. A Última Hora e o Jornal do Brasil contribuíram. 2001. 37) o primeiro objetivo de uma pauta é planejar a edição. 23) em suma.p. uma pauta prevê volume de informação. Gabarito: B Justificativa: (Lage. p.2001 . a do Jornal do Brasil. Bibliografia: PENA. Nilson. Rio de Janeiro: Campus. monitorar os fatos e orientar a cobertura dos redatores. complexidade. Teoria do Jornalismo. Rio de Janeiro: Contexto. a) b) c) d) enviando ao exterior correspondentes de guerra. Nilson. 2005. Gabarito: D Justificativa: (Lage . Bibliografia: PATERNOSTRO. atuação do competidor não são elementos considerados no telejornalismo. 2001 . atuação do competidor. 176 a 183) O jornalismo on line é o oposto – é a descentralização da informação. mantendo também a independência editorial em relação às autoridades políticas do país. pauta. Bibliografia: LAGE. 35. valores comunitários. titular as matérias e pautar o editor. 2005. 29. instantaneidade. editoração. índice de audiência. Nilson. perenidade. envolvimento. 34. as primeiras que chegaram ao Brasil ainda no fim do século XIX. além de traduzir. Entre as principais funções exercidas pelo repórter. complexidade. Gabarito: A Justificativa: (Lage. 28. Gabarito: C Justificativa: (Paternostro.25. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. p. centralização da informação. a pauta é capaz de assegurar a conformidade da matéria do jornal ou revistas com interesses empresariais ou políticos. emoção. 36. coloquialismo. imprimindo suas edições em rotativas. imediatismo. Não é uma das principais características do jornalismo on line: a) b) c) d) convergência tecnológica. introduzindo uma profunda reforma gráfica e a utilização da pauta. alcance. pela Última Hora. Rio de Janeiro: Record. O texto na TV: manual de telejornalismo. Vera Íris. Rio de Janeiro: Record. distinguindo de forma clara a redação e a publicidade. Rio de Janeiro: Record. Planeja a edição. Uma das primeiras pautas estruturadas e completas em diários brasileiros foi no início da década de 1960. 64) Complexidade. 26. para o desenvolvimento da imprensa brasileira. o repórter. popularidade. 2001.

. 2005. é um divulgador da boa imagem daquele que o contrata. 33. Gabarito: C Justificativa: (Barbeiro. o abalo da reputação. Eugênio. A teoria da Agenda Setting propõe que a) b) c) d) a missão da mídia seja persuadir as pessoas. afirma: “o feedback complementa a teoria da informação tornando o processo de comunicação bidirecional.. mas opinião de públicos. p. p. 2005. Felipe. Rio de Janeiro: Contexto. 32. p. 2003. Teoria do Jornalismo. Qual valor não deve ser considerado na prática do jornalismo? a) b) c) d) Cultivar a isenção. 2003. isso requer que uma visão de mundo esteja presente em todas as páginas da revista para determinar o peso que cada um dos muitos fatos vai merecer naquela edição. a distorção. 2008. Diz-se que o texto das revistas (não apenas as semanais) é ‘editorializado’ e que. 144) A agenda setting não afirma que o jornalismo persuade. p.. d) Os pecados da imprensa incluem. A letra C é o oposto do que propor a teoria da agenda. propõe-se a dar a resenha dos fatos da semana – o que significa interpretar os acontecimentos para o leitor. Ora. p. 109 . Sobre ética e imprensa. haja uma luta entre uma opinião minoritária e outra majoritária. 31. 2008. não há diferença entre a atividade de um jornalista e a de um assessor de imprensa. cultivo da credibilidade) Deve-se cultivar a insenção. transformação do rumor em notícia e incitação de conflitos. Cultivar a reputação. parece que foi escrito por um único autor.. deliberada ou inadvertida. a mídia ajude as pessoas a conversarem sobre temas públicos. às vezes. Manual de Radiojornalismo: produção. Felipe.Uma emissora vive da reputação que tem. ele se encarrega de intermediar as relações de seu cliente (ou patrão) com repórteres em geral. 105) Ao recomendar aos jornalistas o distanciamento dos vários tipos de movimentos comunitários o espírito dos códigos visa preservar a independência editorial.A fórmula da revista semanal de informação. isenção é um objetivo a ser perseguido sempre. Bibliografia: BUCCI. 128 e 129) O jornalismo está longe de ser o espelho do real. 11) A imparcialidade não existe. uma visão de mundo está presente em todas as suas páginas. Assinale a alternativa que apresenta o argumento inaceitável. os assessores nmão praticam jornalismo. o indivíduo reaja às ordens e sugestões dos mass media. b) Rigorosamente.Rigorosamente. ética e Internet. Ou seja. 2005. inventada pela Time nos 1920. LIMA. sugere que não existe opinião pública. Heródoto. Isso é apenas da natureza do veículo. Jornalismo Prova A 16 . entre outros. mas a imparcialidade é impossível. Bibliografia: PENA.a listagem é arbitrária. Gabarito: D Justificativa: (Felipe Pena. Rio de Janeiro: Campus. o abuso do poder.80. c) O texto de revista pode ser editorializado mesmo que confundindo o conteúdo noticioso com a informação objetiva. Bibliografia: PENA. Companhia das Letras. a superexploração do sexo. apresentação de um suspeito como culpado.. A segunda opção diz respeito à teoria espiral do silêncio. Cultivar a acuidade. p. a invasão de privacidade.. 131 . 13. sendo o objetivo de ambos ajudar na formação da cidadania. o envenenamento das mentes das crianças. Paulo Rodolfo de. a reputação e a cuidade. Bibliografia: BARBEIRO. p. Gabarito: B Justificativa: (Bucci.. 2005.. p.” Gabarito: A Justificativa: (Felipe Pena. e as demais páginas deste capítulo.30.. A Teoria do Newsmaking a) b) c) d) rejeita a Teoria do Espelho por ser uma abordagem construtivista da notícia. Rio de Janeiro: Contexto. e de que modo serão enfocados. Cultivar a imparcialidade. Teoria do Jornalismo. mas é um bom ponto de partida. o culto das falsas imagens. propõe a ideia de que os receptores são ativos no processamento das notícias. a) Cabe ao jornalista distanciar-se de movimentos comunitários.

Considerando os critérios de noticiabilidade utilizados pela imprensa. o público é psicologicamente ativo. Teorias da comunicação. Paul A. 176) Nem todas as ocorrências são notícias. 2005. Bibliografia: WOLF. Comunicação Empresarial. 61 a 69. a) A Teoria Hipodérmica reflete o contexto em que nasceu. 38. 1995. Lisboa: Editorial Presença. como diz o dito popular. Considerando as inúmeras contribuições dadas pelos autores à teoria da comunicação. Gabarito: A Justificativa: (Argenti. pode-se afirmar que a) b) c) d) todas as ocorrências são notícias. 1995. As demais opções são absurdas. p. 37. Gabarito: B Justificativa: (Barbeiro. o jornalismo separa ‘o joio do trigo’.34. d) Os estudos de persuasão acolhem a ideia de que a recepção das mensagens não é padronizada e que. 2005. Bibliografia: WOLF. LIMA. há uma relação entre os critérios de seleção de fatos noticiosos e a rotina jornalística. publicando o ‘trigo’. Manual de Radiojornalismo: produção.estes tópicos todos são abordados p. 134) A resposta é factual e auto-explicativa. 2003. como afirma uma máxima conhecida. Semiologia e semiótica estudam ambas os signos. Rio de Janeiro: Campus. d) com Edward Hall e sua teoria proxêmica. Teorias da comunicação. p. Rio de Janeiro: Campus. Rio de Janeiro: Contexto. o poder do jornalismo é dizer às pessoas o que pensar. Bibliografia: PENA. c) Os autores críticos desenvolveram a ideia de que a comunicação de massa é positiva. Teoria do Jornalismo. pois exerce várias funções que ajudam a criar harmonia social. Mauro. Lisboa: Editorial Presença. As pessoas discordam com freqüência entre si e com a imprensa. a que trata do uso do espaço pelos humanos. Gabarito: B Justificativa: (Felipe Pena. 259) Bibliografia: ARGENTI. Gabarito: C Justificativa: (Mauro Wolf. b) com Kurt Lewin que propôs originalmente a ideia de filtros utilizados no fluxo noticioso. 2003. 54) Estes tem como característica uma abrangência maior. b) Signos verbais e não verbais distinguem-se pelo fato de que os primeiros são objeto da semiologia e os segundos da semiótica. 2006 . c) com Marshall McLuhan que ressaltou o papel que a televisão passara a ter na retribalização do mundo a partir dos anos 60. 2006. p. Gabarito: D Justificativa: (Mauro Wolf. 36. 2005. se especializa em música e esporte. ética e Internet. ou seja. O conceito de gatekeeper surgiu a) na teoria cibernética de Norbert Wiener que sugeriu a ideia inovadora de ‘controle’ dos sistemas. Publica-se o joio. 2005. Uma das principais características de uma emissora all-news é que ela a) b) c) d) atinge o jovem universitário. Heródoto. Bibliografia: BARBEIRO. o termo stakeholder é utilizado p. administrar a propaganda empresarial e gerenciar crises. 17 Jornalismo Prova A . Mauro. 35. A teoria crítica opõe-se à comunicação de massa. Boa notícia é a má notícia. portanto. transmite sua programação essencialmente através da Internet. Felipe. p. manter relacionamento com stakeholders. o poder que a televisão passou a ter ao introduzir novos costumes na sociedade e influenciar as atitudes das pessoas. pode aprofundar os temas abordados tendo por isso um caráter mais reflexivo. A comunicação empresarial não envolve a seguinte atividade: a) b) c) d) pautar a equipe de reportagem de um veículo de comunicação. com o aprofundamento dos temas. assinale a alternativa correta. fazer comunicação interna e manter relacionamento com a mídia. 31) A Teoria hipodérmica surgiu na era do rádio e não na era da TV. Paulo Rodolfo de.

c) decorrência da difusão em larga escala das comunicações massivas e do período dos regimes totalitários que utilizaram a propaganda como forma de incitação à guerra e à doutrinação política. 43 . transformando informação em opinião.2003.o repórter não julga os entrevistados). Gabarito: B Justificativa: (Barbeiro. Gabarito: D Justificativa: Lei de imprensa. 2005. b) resistir às pressões contrárias à verdade e julgar os entrevistados. 1995. interpretativo. 18 . Assinale a alternativa que não é adequada ao texto do rádio. d) resposta à Teoria dos Usos e Gratificação que propunha a polissemia na recepção das mensagens. 41. na era do rádio e no contexto dos nazi-fascismo. O STF derrubou em 30 de abril de 2009 a Lei de Imprensa de 1967. também o direito de uma pessoa manifestar preconceito de raça ou classe. pela ordem.o uso de fonte identificada é fundamental para a credibilidade da imprensa. a lei assegurava o sigilo às fontes. b) decorrência do interesse dos autores pelo processamento cognitivo das informações pela audiência. por decorrência. ética e Internet. 64 . Jornalismo Prova A 18 . prejudica a credibilidade da Gabarito: D Justificativa: (Barbeiro.39. c) estaria assegurado o direito de resposta. Manual de Radiojornalismo: produção. “O risco é subordinar a matéria a crenças ou teorias não comprovadas. b) no exercício da liberdade de manifestação do pensamento e de informação não seria permitido o anonimato. Bibliografia: LEI DE IMPRENSA. investigativo. Heródoto. Este documento não previa que a) o responsável por um crime cometido através da imprensa seria. 9 de fevereiro de 1967. LIMA. No entanto. c) procurar ao máximo a objetividade. ética e Internet. Mauro. p. A Teoria Hipodérmica surge em a) decorrência do interesse que os autores passaram a ter pelo interacionismo simbólico. Rio de Janeiro: Campus. A conduta ética do jornalista não envolve o seguinte comportamento: a) preservar os direitos dos cidadãos e evitar uso de fonte identificada. Paulo Rodolfo de. Cada frase deve expressar uma ideia evitando orações no plural. O texto precisa ter ritmo e ter cuidado com os cacófatos. d) a liberdade do pensamento estaria assegurada no país e. 2003. Lisboa: Editorial Presença.” Essa advertência cabe ao jornalismo a) b) c) d) informativo. 42. p. 2003 – p. Bibliografia: BARBEIRO. Gabarito: C Justificativa: (Mauro Wolf. 40.a exacerbação da notícia é a prática mais comum do sensacionalismo. Teorias da comunicação. d) exacerbar a notícia. O redator deve suprimir os artigos. Heródoto. Rio de Janeiro: Campus. 19 .os artigos não devem ser suprimidos). p. 2003. pois isso empresa. Bibliografia: BARBEIRO. Bibliografia: WOLF. Paulo Rodolfo de. o autor e o diretor ou editor-chefe do veículo. p. 43. Manual de Radiojornalismo: produção. LIMA. 20) Ou seja. sensacionalista. a) b) c) d) O texto deve ser feito na ordem direta.

Nilson. ou seja. 2003. O trabalho de assessoria de imprensa encontra subsídio teórico nas formulações de a) b) c) d) Norbert Wiener e sua Teoria da Cibernética. o que expressa o ponto de vista do editorialista. ser um texto similar ao editorial. Atlas. p. é a forma limite do jornalismo político. Aristóteles e sua Teoria da Retórica. Gabarito: B Justificativa: (Argenti. 137) O risco do jornalismo interpretativo é subordinar a matéria a crenças ou teorias não comprovadas. Teorias da comunicação.p. Bibliografia: LAGE. Gabarito: C Justificativa: (Duarte. principalmente. Assessoria de Imprensa e relacionamento com a Mídia: teoria e técnica. a identidade uma organização não varia de um público a outro. Gabarito: D Justificativa: (Mauro Wolf. 2005. guardando relações com o publicismo. 47. 2006 . Bibliografia: DUARTE. Rio de Janeiro: Record. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. atributos que caracterizavam o publicismo do século XIX. Erving Goffman e sua Teoria do Enquadramento. ser um artigo originário de uma fonte conhecida por sua especialidade no tema tratado. p. 34 Essa análise determina qual é o público alvo de sua organização. b) os estudos antropológicos sobre o uso do espaço e a gestualidade humana como proposto pela Cinésica e pela Proxêmica. Jorge. consolidar sua reputação.Gabarito: C Justificativa: (Lage. d) a teoria desenvolvida a partir dos anos 20 por filósofos sociais alemães ligados ao Instituto para a Pesquisa Social da Universidade de Frankfurt. Nilson. Lisboa: Editorial Presença. Rio de Janeiro: Record.p. 2001. tal como a crônica esportiva do jornalismo de esportes. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. 2001. Comunicação Empresarial. Mauro. As demais são abusrdas. Definir quais são os públicos-alvo da organização. Escolher o canal adequado de comunicação. Alvin Tofler e sua Teoria sobre o Choque de Ondas.p. Administrar a imagem e a identidade de uma organização uma vez que os dois termos são equivalentes. Bibliografia: ARGENTI. a indústria cultural: a) os estudos funcionalistas de comunicação cujo pioneiro foi Harold Laswell. Gabarito: A Justificatica: (Lage. Rio de Janeiro: Campus. 2001 . Paul A. Entre os principais atributos da crônica política. dessa forma. 2003 . 60 . Bibliografia: WOLF.p. p. ser evidente que é um texto de ficção que não está relacionado com os fatos do cotidiano. encontra-se: a) b) c) d) antecipar fatos e revelar tendências. a) b) c) d) Influenciar a percepção do público sobre a organização visando. 73 e 74) A única resposta correta é a D. 45. 2006. Procura antecipar fatos e revelar tendências. c) a semiótica como proposto originalmente por Ferdinand de Saussure. p. Assinale a alternativa que não se enquadra entre os principais objetivos da comunicação estratégica. 2005. Bibliografia: LAGE. 2001 .Diferentemente de sua imagem. Trata-se de uma teoria social inspirada no marxismo e tem como objeto de análise. 117) A crônica política. 44.determinar o canal de comunicação adequado é mais difícil para as empresas do que para as pessoas. 46. 32) A reputação tem base na percepção do público-alvo sobre a organização. 40 . 19 Jornalismo Prova A . 169 e 172) A assessoria de imprensa enquadra a notícia de acordo com os interesses do ator.

A função da edição de um programa noticioso no rádio não inclui a(s) seguinte(s) ação(ões): a) b) c) d) filtrar as reportagens. c) O jornalismo é antídoto à incerteza e. A opção C é o oposto . Nilson. A notícia trata de um fato relevante.o telejornalismo aprendeu do cinejornalismo. b) Assis Chateaubriand. a) b) c) d) Os critérios de noticiabilidade não são negociáveis entre repórteres e editores. somente apresenta os fatos valendo-se do ponto de vista ______________. 52. Gabarito: A Justificativa: (Lage. c) a caricatura crítica similar ao yellow kid publicado no fim do século XIX nos jornais de William Hearst e Joseph Pulitzer nos Estados Unidos. Gabarito: D Justificativa: (Barbeiro. Gabarito: C Justificativa: (Felipe Pena. 2003. 72) – algumas reportagens são passíveis de utilização de músicas) Bibliografia: BARBEIRO. o que aumenta sua eficácia. p. Teoria do Jornalismo. 73 – a noticiabilidade é negociada. ética e Internet. corrigir erros e avaliar o tempo de transmissão. Uma das marcantes reações ao jornalismo amarelo foi a) o articulismo. é fato claro no jogo de relações e aceito tacitamente pelas redações. d) O cinejornalismo aprendeu e desenvolveu sua técnica de reportagem do telejornalismo. b) o lead.. o Diário. Bibliografia: LAGE. Assinale a alternativa incorreta. intenso. a) b) c) d) do público / técnico / político / imparcialmente do assessorado / político / técnico / criticamente moral / crítico / técnico / socialmente fatual / jornalístico / organizacional / moralmente Jornalismo Prova A 20 . a) O editorial.p. Carlos Lacerda e Samuel Wainer são exemplos de ‘barões da imprensa’ brasileira que atuaram no país em períodos diferentes de sua história. Nilson. a crônica e o articulismo são exemplos do jornalismo informativo. pouco durável. Assinale a alternativa correta. É comum a redundância na comunicação social. Bibliografia: PENA. Felipe. inédito. enquanto a informação jornalística tem a pretensão de ser mais extensa. Manual de Radiojornalismo: produção. ou seja. introduzido no Brasil pelo Diário Carioca.p.2001 . 2003 .não apenas introduziu na imprensa brasileira a técnica do lead). 23) A opção é exemplo de jonrnalismo opinativo. d) o surgimento no Brasil do jornalismo marrom. A B – os três atuaram no mesmo período da histórica..p. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. Rio de Janeiro: Campus. Rio de Janeiro: Contexto. Rio de Janeiro: Record. p. A notícia é breve.a redundância é essencial para a comunicação. LIMA. Gabarito: B Justificativa: (Lage. como assessor de imprensa. 51. assumindo portanto papel ______________ e não apenas ______________. Bibliografia: LAGE.48. atual e próximo do leitor. mais completa. evitar o uso de música nas reportagens. 2005. intensidade. proximidade --.80.já a informação é mais intensa. mais rica na trama de relações entre os universos de dados. é consumido pelas massas. ineditismo. Paulo Rodolfo de. 2005 . Heródoto. Felipe Pena. 114) A notícia.p. 2001. 49. 2001. 2001 . por isso. 31) – . avaliar o uso de sonora obtida pelo repórter. atualidade. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. Assinale a alternativa que completa correta e respectivamente as lacunas da assertiva a seguir.. utilizar teaser na abertura. Rio de Janeiro: Record. a quem cabe o papel de agir ______________ e investigar as informações recebidas. A condição de que o jornalista.. 50.

2001 . 53.Paternostro. O texto na TV: manual de telejornalismo. 2. Assinale a alternativa que apresenta a principal modificação ocorrida na prática do jornalismo no fim do século XIX. ) quando o repórter faz uma gravação no local do acontecimento para transmitir informações do fato. Bibliografia: PATERNOSTRO. 2003. abandono da retórica publicista.p. Vera Íris. 63 e 65 (Fontes oficiais são mantidas pelo Estado. Bibliografia: DUARTE. 1. 2. 2001. Militante de uma ONG. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. 13. 150 e 151. Rio de Janeiro: Record.Lage. fontes oficiosas são aquelas que não estão autorizadas a falar em nome de um entidade. Nilson. 14 e 15. ) sequência que se dá a um assunto quando a notícia é quente e continua a despertar interesse nos telespectadores. Jorge. ) reportagem de reserva para o caso de a reportagem ao vivo estar com problemas técnicos.p. ( ( ( ( ( Stand Up Suíte Stand by Teto Transponder ) circuito do satélite. mecanização gráfica. ( ) Fonte Independente ( ) Fonte Oficiosa ( ) Fonte oficial A alternativa que apresenta a correta e respectiva sequência encontranda é a) b) c) d) 3–1–2 1–3–2 3–2–1 1–2–3 Gabarito: C Justificativa: Livro . O jornalismo dessa época evitou a militância e o envolvimento político. classificando as fontes. 3. 1. 54. Nilson. Gabarito: A Justificativa: Lage. a) b) c) d) 2–4–1–3–5 3–2–4–5–1 5–2–3–1–4 5–4–3–1–2 Gabarito: C Justificativa: Livro . deixando de ser produzido artesanalmente. 21 Jornalismo Prova A . Rio de Janeiro: Campus. Relacione a segunda coluna com a primeira. Atlas. 3. 2003 . por instituições que preservam algum poder de estado. 1999. 2001. As definições dos verbetes são técnicas. Porta-voz da junta comercial. Bibliografia: LAGE.p. Nascimento do mercado publicitário. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. ) está relacionado ao enquadramento do apresentador. 5. Relacione as colunas e assinale a alternativa que apresenta a correta e respectiva sequência encontrada. 1999 . O funcionário de um sindicato patronal dando entrevista em off. o jornalismo sensacionalista e o nascimento da reportagem. O jornalismo dessa época tornou-se majoritariamente informativo e balanceado. a) b) c) d) O jornalismo dessa época tornou-se sensacionalista e comercial. Rio de Janeiro: Record.Gabarito: B Justificativa: Livro . 55. Bibliografia: LAGE. 4. 2001 . 94.Jorge Duarte.p. O jornalismo dessa época adotou a tipografia. Assessoria de Imprensa e relacionamento com a Mídia: teoria e técnica. fontes independentes estão desvinculadas de uma relação de poder).

2001 . A. ajuda-os a se adaptar ao ambiente. Um sueco corajoso venceu o desafio. As pessoas não só são influenciadas pelo que os outros dizem como também pelo que imaginam que eles poderiam dizer.p. C. a) b) c) d) A seleção já está concentrada e se prepara para o jogo contra o Japão.p. Teorias da comunicação. através de uma conversação direta com a fonte. Rio de Janeiro: Campus. 76 e 77) está errada porque a informação de TV é superficial. 78 e 79) Permite o aprofundamento e detalhamento dos pontos abordados. 1. O texto na TV: manual de telejornalismo. 2001. Bibliografia: LAGE. O mais importante no telejornal é a imagem e não a palavra. 2005. 57. Teoria de Noelle Neuman sobre a Espiral do Silêncio. Bibliografia: PATERNOSTRO. Espiral do Silêncio. F. 2005 .Felipe Pena. Muitos acusam injustamente a TV de apresentar as notícias de forma superficial. nas coletivas. 59. 1999. Nilson. Relacione as colunas. Lisboa: Editorial Presença. As demais opções estão corretas.56. Gabarito: C Justificativa: (Paternostro. Rio de Janeiro: Record. PENA. Rio de Janeiro: Contexto. A alternativa que apresenta a correta e respectiva combinação entre algarismos e letras é a) b) c) d) 1D – 2E – 3C – 4A 1B – 2E – 3C – 4D 1D – 2B – 3E – 4F 1E – 2D – 3C – 4B Gabarito: C Justificativa: Livro 1 .p. Teoria Crítica de comunicação. a perseguir um objetivo e a se integrar num sistema. 4. a espontaneidade da entrevista via computador é menor que nos encontros face a face. Gabarito: B Justificativa: (Paternostro. D. Assinale a alternativa incorreta.p. E. Teoria da Agenda. Considere a linguagem da televisão e assinale a locução inadequada para o veículo. 2006. Rio de Janeiro: Campus. 69) (Exemplos retirados destas páginas). Bibliografia: WOLF. 2005. por telefone e internet. 3. ed. Jornalismo Prova A 22 . 57 e 131. 1999 . A compreensão que as pessoas têm em grande parte da realidade social lhes é fornecida pelos mass media. 65. 58. Gabarito: C Justificativa: (Lage. o melhor método de entrevista é o realizado a) b) c) d) em pool. 2. Sob o ponto de vista jornalístico. 2. Felipe. Dezenas de caças decolaram na noite de quarta-feira da base italiana de Aviano. 2005 . Teoria do Espelho. Bibliografia: PATERNOSTRO. Vera Íris. As citações dizem respeito às teorias e não cabe dúvidas. A realidade determina as notícias. Vera Íris. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. 155 e 125). p. B. Teoria estrutural-funcionalista de comunicação. Deve-se evitar redundâncias entre imagens e texto. Teoria do Jornalismo. Mauro. As administradoras estão preocupadas com a elevação brusca nos preços dos aluguéis. O texto na TV: manual de telejornalismo. 1999. A mídia socializa os indivíduos.(Mauro Wolf. Livro 2 . a) b) c) d) É preciso combinar informação visual com informação auditiva sem prejuízo para uma ou outra.

Ofensa à dignidade ou ao decoro. a) b) c) d) 1B – 2A – 3C 1B – 2C – 3A 1C – 2B – 3A 1A – 2B – 3C Gabarito: B Justificativa: Lei de Imprensa Bibliografia: LEI DE IMPRESA 23 Jornalismo Prova A . Injúria A.60. Imputar a alguém falsamente fato definido como crime. Assinale a alternativa que apresenta a combinação correta e respectiva entre números e letras. Calúnia 2. Considerando o que propunha a Lei da Imprensa de 1967. B. 1. C. Imputar a alguém fato ofensivo a sua reputação. combine as colunas. Difamação 3.

Jornalismo 1 2 3 Versão A B C D Versão B A B C Versão C C A C MLI .Fonoaudiologia 1 2 3 Versão A B C D Versão B A B C Versão C C A C JOR .Magistério Língua Inglesa 1 2 3 Versão A B C D Versão B A B C Versão C C A C 4 A A C 5 B C A 6 C B B 7 A A D 8 C D B 9 B C A 10 A B B 11 C A B 12 B D B 13 D C D 14 B D C 15 A D A 16 D A C 17 D B D 18 C D A 19 D B D 20 A C D 21 C A B 22 B D A 23 D B C 24 B D C 25 C D C 26 C C D 27 A D D 28 C C C 29 D A D 30 C C C 31 D C A 32 D A D 33 B D D 34 D B B 35 A C A 36 D B D 37 B B B 38 B A C 39 D C C 40 C B B 41 B C B 42 C D D 4 A A C 5 B C A 6 C B B 7 A A D 8 C D B 9 B C A 10 A B B 11 C A B 12 B D B 13 D C D 14 B D C 15 A D A 16 D A C 17 D B D 18 C D A 19 D B D 20 A C D 21 B B A 22 A C D 23 A C B 24 D C C 25 D B D 26 B C B 27 C A B 28 C C D 29 A B C 30 D D D 31 C A C 32 B C A 33 A B C 34 B D B 35 B C A 36 D B B 37 A A A 38 C C B 39 D C C 40 D B B 41 B D B 42 C D A 4 A A C 5 B C A 6 C B B 7 A A D 8 C D B 9 B C A 10 A B B 11 C A B 12 B D B 13 D C D 14 B D C 15 A D A 16 D A C 17 D B D 18 C D A 19 D B D 20 A C D 21 A D D 22 D B C 23 A C B 24 C B C 25 A B D 26 B A A 27 B C A 28 C A A 29 B D B 30 D A B 31 B D A 32 A C C 33 B B A 34 C A B 35 C A C 36 A D D 37 D C C 38 B C B 39 D C D 40 C A C 41 D C B 42 D D D 4 A A C 5 B C A 6 C B B 7 A A D 8 C D B 9 B C A 10 A B B 11 C A B 12 B D B 13 D C D 14 B D C 15 A D A 16 D A C 17 D B D 18 C D A 19 D B D 20 A C D 21 A D D 22 D B C 23 A C B 24 C B C 25 A B D 26 B A A 27 B C A 28 C A A 29 B D B 30 D A B 31 D D B 32 B D A 33 D A A 34 A A D 35 C D A 36 A B C 37 A C A 38 D C C 39 C B A 40 A C A 41 B C A 42 C B C 43 D A D 44 A D B 45 C B B 46 C A D 47 C B B 48 A D B 49 D D A 50 A A C 51 D B B 52 A D C 53 B B D 54 C B A 55 B D D 56 D B D 57 B C D 58 B B C 59 D A A 60 B D C 61 A A B 62 D D D 63 D A C 43 A A A 44 C A C 45 B D C 46 B C C 47 C B C 48 D D A 49 D A B 50 C B D 51 B C A 52 D D C 53 A C C 54 C C C 55 A C A 56 C A B 57 C C D 58 C A B 59 D D B 60 C B C 61 B C D 62 A D D 63 D D D 43 C C D 44 A A C 45 B D A 46 C B C 47 D B A 48 B A B 49 C B A 50 A C D 51 D D B 52 B A C 53 C C B 54 A C D 55 C B C 56 B D D 57 C D C 58 C A C 59 C A C 60 B B C 43 C B B 44 B B A 45 B D B 46 D D D 47 A C C 48 C D D 49 A D C 50 D C A 51 B D C 52 C A D 53 C C D 54 A C A 55 D B A 56 C D B 57 D A C 58 B C D 59 C A D 60 D D C NUT .Versão B A B C A C B A D C B A D C D D A B D B C D B C B B A C A D A D A B A C B C B A C D B C A C B C D D B A B C B A B C D B C A B D Versão C C A C C A B D B A B B B D C A C D A D D D C B C D A A A B B A B A A C C D C D A B C A C A D C C C D A C C B D D C C D B B B C EST .Nutrição 1 2 3 Versão A B C D Versão B A B C Versão C C A C 4 A A C 5 B C A 6 C B B 7 A A D 8 C D B 9 B C A 10 A B B 11 C A B 12 B D B 13 D C D 14 B D C 15 A D A 16 D A C 17 D B D 18 C D A 19 D B D 20 A C D 21 A D D 22 D B C 23 A C B 24 C B C 25 A B D 26 B A A 27 B C A 28 C A A 29 B D B 30 D A B 31 B C C 32 C B A 33 D A D 34 A A A 35 C C A 36 D B A 37 B A B 38 A C B 39 C D C 40 A A C 41 C B D 42 A A B 43 D D A 44 B B B 45 D D B 46 B C C 47 B B B 48 C D D 49 C C D 50 C C B 51 A B D 52 D A A 53 C B C 54 B D A 55 D A C 56 A D B 57 D B D 58 B C C 59 A D B 60 B A C 61 C C C 62 C C D 63 D C D PED .Fisioterapia 1 2 3 Versão A B C D Versão B A B C Versão C C A C FON .Pedagogia 1 2 3 Versão A B C D Versão B A B C Versão C C A C 4 A A C 5 B C A 6 C B B 7 A A D 8 C D B 9 B C A 10 A B B 11 C A B 12 B D B 13 D C D 14 B D C 15 A D A 16 D A C 17 D B D 18 C D A 19 D B D 20 A C D 21 A D B 22 B C D 23 D A B 24 D B C 25 C C A 26 B C D 27 A C D 28 C C A 29 B D D 30 A C A 31 A B C 32 D A B 33 A B B 34 D C B 35 B B B 36 A D D 37 A B C 38 D D C 39 B C A 40 A D D 41 D A A 42 C B D 43 D D C 44 B A A 45 D A B 46 B B A 47 C D A 48 B A B 49 A D A 50 B A B 51 C A D 52 D B D 53 C C D 54 C A C 55 C B A 56 C C C 57 B D C 58 A D C 59 C B B 60 D A C .Estatística 1 2 3 Versão A B C D Versão B A B C Versão C C A C 4 A A C 5 B C A 6 C B B 7 A A D 8 C D B 9 B C A 10 A B B 11 C A B 12 B D B 13 D C D 14 B D C 15 A D A 16 D A C 17 D B D 18 C D A 19 D B D 20 A C D 21 A D D 22 D B C 23 A C B 24 C B C 25 A B D 26 B A A 27 B C A 28 C A A 29 B D B 30 D A B 31 C D A 32 A B D 33 B A C 34 D C D 35 C C B 36 C D C 37 D A A 38 A C C 39 B B C 40 C C B 41 A C D 42 C B A 43 D A C 44 B D C 45 A C C 46 C A A 47 D D D 48 C A B 49 A B C 50 C B A 51 B C C 52 A A B 53 D A D 54 B B C 55 C C A 56 C C C 57 B B B 58 A D C 59 A A A 60 C B C 61 B C A 62 B A D 63 A C C FIS .