L D E JU NA

ST

T R IB U

IÇ A

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA

R S

FCV Nº 71002864221 2010/CÍVEL ENERGIA ELÉTRICA. INTERRUPÇÃO NO FORNECIMENTO EM DATA COMEMORATIVA. ILEGITIMIDADE PASSIVA DA EMPRESA ONDE LOCADO O ESPAÇO. RESPONSABILIDADE DA CONCESSIONÁRIA. AUSÊNCIA DE EXCLUDENTE DE ILICITUDE. DANOS MATERIAIS RECONHECIDOS EM PARTE. DANO MORAL CONFIGURADO. QUANTUM REDUZIDO. Ilegal a interrupção no fornecimento de energia elétrica sem que justificativa plausível fosse apresentada. Ademais, a ré sequer negou o fato, limitando-se a argumentar que a interrupção do serviço ocorreu por problemas técnicos do espaço da segunda ré, proprietária do estabelecimento locado para o evento, alegação que veio desacompanhada da prova pertinente, e, portanto, deve ser desacolhida. Falha do serviço ocorrida durante os festejos do aniversário de 15 anos da filha dos autores, o que impossibilitou a execução da festa conforme contratado, gerando constrangimentos aos recorridos, afora os prejuízos materiais, decorrentes da impossibilidade de utilização dos serviços de sonorização, iluminação e decoração, em face da falta do serviço essencial. Presente o agir abusivo perpetrado pela ré, restou configurado o abalo moral, devendo o quantum arbitrado em sentença ser minorado, porquanto adequado às peculiaridades do caso, em que a interrupção do serviço não chegou a acarretar o cancelamento do evento. RECURSO DA AUTORA IMPROVIDO. RECURSO DA RÉ PARCIALMENTE PROVIDO.

RECURSO INOMINADO Nº 71002864221 VANESSA STEINMETZ MARTINS COMPANHIA ESTADUAL DE DISTRIBUICAO DE ENERGIA ELETRICA - CEEE/D

SEGUNDA TURMA RECURSAL CÍVEL COMARCA DE PORTO ALEGRE RECORRENTE/RECORRIDO RECORRIDO/RECORRENTE

1

à unanimidade. Participaram do julgamento. Contestado o feito pelas rés. os eminentes Senhores DR. a 2 . EDUARDO KRAEMER (PRESIDENTE) E DR. em NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO DA PARTE AUTORA. DRA. Relatora. R ELA TÓ IO R Cuida-se de ação indenizatória. sobreveio sentença para. em data festiva. JERSON MOACIR GUBERT. FERNANDA CARRAVETTA VILANDE.L D E JU NA ST T R IB U IÇ A ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA R S FCV Nº 71002864221 2010/CÍVEL JONAS TADEU DA SILVA LOPES RECORRIDO A Ó D O C R Ã Vistos. decorrentes do corte no fornecimento de energia elétrica. inicialmente. Restaurante Pizzaria Solar. excluindo-a da lide. em que a parte autora postulou a condenação da ré ao pagamento de indenização por danos materiais e morais. além da signatária. acolher preliminar de ilegitimidade passiva da segunda ré. relatados e discutidos os autos. 26 de janeiro de 2011. Acordam os Juízes de Direito integrantes da Segunda Turma Recursal Cível dos Juizados Especiais Cíveis do Estado do Rio Grande do Sul.051. bem como para condenar a ré CEE ao pagamento de R$1. Porto Alegre. e DAR PARCIAL PROVIMENTO DO RECURSO INTERPOSTO PELA RÉ.00.

Se a sentença for confirmada pelos próprios acórdão”. a Súmula do julgamento servirá de valor suficiente à compensação do dano. por seus próprios fundamentos. pelo IGP-M. com fulcro no 3 . quanto ao valor de R$ 10. ainda.00. FERNANDA CARRAVETTA VILANDE (RELATORA) No que tange à condenação por danos materiais. arbitrado a título de indenização por danos morais. fundamentação sucinta e parte dispositiva.00 (dez mil reais). Recorreram as partes. a fim de que a indenização extrapatrimonial seja reduzida para R$4. nos termos do artigo 46 da Lei nº. postulando a reforma da decisão.L D E JU NA ST T R IB U IÇ A ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA R S FCV Nº 71002864221 2010/CÍVEL título de danos materiais. com a indicação suficiente do processo. além de R$ 10. Assim.000. a contar da publicação deste acórdão. 9. o qual prevê que “o julgamento em segunda instância constará apenas da ata. deverá incidir correção monetária. a sentença atacada merece ser confirmada. De outra banda. comporta redução. Com contrarrazões. vieram os autos conclusos.500. os parâmetros da proporcionalidade e razoabilidade atinentes ao caso concreto. Sobre a quantia.000.00 (QUATRO MIL E QUINHENTOS REAIS). é de ser acolhido o recurso interposto. sem importar em enriquecimento indevido da parte que dele se beneficiará. porque excessivo. fundamentos. pelos danos morais sofridos. levando-se em consideração. V TO O S DRA.099/95.

DR. NEGARAM PROVIMENTO AO RECURSO DA AUTORA. EDUARDO KRAEMER (PRESIDENTE) . mais juros legais de 1% ao mês. VOTO.L D E JU NA ST T R IB U IÇ A ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA R S FCV Nº 71002864221 2010/CÍVEL verbete da súmula 362 do STJ. DR. UNÂNIME." Juízo de Origem: 8. DEVERÁ A RECORRENTE VENCIDA ARCAR COM AS CUSTAS PROCESSUAIS E HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. Comarca de Porto Alegre: "DERAM PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO DA RÉ. JERSON MOACIR GUBERT . EDUARDO KRAEMER .De acordo com o(a) Relator(a). PELO PARCIAL PROVIMENTO DO RECURSO DA PARTE RÉ E PELO IMPROVIMENTO DO RECURSO INTERPOSTO PELA PARTE AUTORA.ESPECIAL CIVEL REG RESTINGA PORTO ALEGRE . CUJA EXIGIBILIDADE FICA SUSPENSA.Comarca de Porto Alegre 4 . a contar da citação.JUIZ.099/95. DE 55 DA LEI Nº. EM RAZÃO DO BENEFÍCIO DA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA. OS QUAIS FIXO EM ACORDO COM O ARTIGO 15% SOBRE O VALOR DO DECAIMENTO. 9.Recurso Inominado nº 71002864221.De acordo com o(a) Relator(a). DR.Presidente . POIS.