Fenomenologia

-1-

1- INTRODUÇÃO À AGRICULTURA BIOLÓGICO-DINÂMICA
Docente titular: João Carlos Ávila

1.1 - Introdução à Agricultura Biológico-Dinâmica
Autor: João Carlos Ávila
1.1.1 - 1ª Conferência
Observa-se na natureza uma crescente emancipação, à medida que se apresentam os quatro reinos, na seqüência: mineral, vegetal, animal, homem. O vegetal está totalmente inserido nos ritmos naturais; o animal e o homem menos inseridos ou mais emancipados. Por exemplo, o ciclo lunar mensal (28dias) corresponde ao ciclo menstrual feminino, mas não coincide com seu início e fim. Assim, também o ciclo semanal de sete dias manifesta-se em vários fenômenos naturais. O homem, dotado de um “eu” individual, revela um maior grau de emancipação. O vegetal está completamente inserido no contexto da natureza, incluindo aí o espaço sideral. A vida vegetal sobre a Terra é um reflexo do que se passa no Cosmo. Em torno da Terra estão os astros Lua, Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter e Saturno. Os três primeiros são os mais próximos e os três últimos, os planetas distantes. Entre os dois grupos está o Sol. Na Terra, a sílica (SiO2, quartzo) compõe quase a metade da crosta terrestre. Bipolares ao silício (Si) apresentam-se o cálcio (Ca), substâncias calcárias e afins. A vida vegetal resulta do equilíbrio entre essas duas forças ou duas substâncias, silícicas e calcárias. No silício atuam Saturno, Júpiter e Marte, no cálcio a Lua, Mercúrio e Vênus. As forças calcárias de Lua, Mercúrio e Vênus manifestam-se em forças de reprodução. As forças silícicas de Saturno, Júpiter e Marte desenvolvem forças de nutrição. O silício habilita o vegetal a captar energias mais distantes, repassadas e aperfeiçoadas pelos três últimos planetas. A água é o veículo das forças lunares na Terra. A ação lunar intensifica-se quando ocorre lua cheia após dias chuvosos, mais indicados para semeadura. Assim como a água veicula forças lunares, assim também o calor atmosférico é veículo de forças de Saturno, bem como de Júpiter e de Marte. Resumindo, podemos estabelecer as seguintes correlações: Lua, Mercúrio, Vênus, água, planetas próximos, órbitas curtas, forças de reprodução, elemento cálcio, plantas anuais. Saturno, Júpiter, Marte, calor, planetas distantes, órbitas longas, forças de nutrição, elemento silício, plantas perenes.

- CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica

que contém forças etéricas e astrais. O correto dimensionamento de cada criação é fundamental para constituir o organismo integrado e auto-sustentado. O sistema radicular recebe forças dos planetas distantes. por exemplo. No solo.1. de estruturação. desenvolvendo o corpo vegetal. buscando reduzir ao máximo o aporte de insumos externos. aromas. a Saturno e o verde. é opaco. Com a água e a terra ocorre o contrário. ao Sol. reorganização. funcionando como um organismo autônomo. sabores. O mesmo se dá com o ar. reestruturação. ou seja. a ramificada é terrestre. Qualquer aporte de esterco de fora é como um remédio para uma agricultura doente. atrai.2ª Conferência A fazenda é concebida como uma individualidade agrícola coesa. exige solo silicoso. restabelece a ordem e dá origem a um novo organismo. a Júpiter. Corresponde ao diafragma humano.2 . a organização protéica cresce em complexidade até atingir um clímax. O solo constitui um órgão nesse organismo. subterrânea. recarga.) concentra o cósmico no caule. No inverno repouso. penetrar na estrutura da Natureza. A argila é o elemento ascensor dessas forças. propriedades cósmicas. A rocha cósmica (Si) acolhe a luz no solo. O vermelho vincula–se a Marte. concentra. sobretudo Saturno. sensoriais. O cálcio no solo e as sutis substâncias calcárias homeopaticamente distribuídas no ar. atividade. O elemento cósmico atua via solo e raiz e ascende até a periferia manifestando–se em cores. A cenoura (raiz). Nós vivemos na parte aérea.Fenomenologia -2- 1. sugam e conduzem o elemento terrestre de volta ao solo. de cristalização. .CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . e o calor vivo. desgaste. quando predominam forças de cristalização. supra e subterrâneo. O silício é o receptor. o azul. que suga. atua então o elemento terrestre HÚMUS. Na semente. A raiz unitária (cenoura) é cósmica. a argila é o condutor ascendente das forças cósmicas. valor nutritivo. O animal traz o componente astral para o organismo agrícola. Forças de inverno são forças do frio. A individualidade agrícola é como um homem invertido: o sistema neuro-sensorial é a raiz. sua tonalidade de cor é cósmica. a barriga. auto–suficiente e diversificada. é construída a partir de um arquétipo cósmico. astrais. temo-lo de dois tipos: o calor morto. de sintonização com as fontes mais distantes. O húmus. As partes aéreas dependem dos planetas próximos. A planta forma e enriquece o seu solo graças ao efeito cálcico. Cada planta é imagem. ou permanece em dormência ou caotiza-se para receber a atuação cósmica do seu arquétipo. no solo. Ao germinar. ligado aos planetas mais distantes. Cumpre observar tais aspectos no trabalho de melhoramento. equivalente ao sistema metabólico–motor. que separa sistemas de órgãos. mais receptivas às forças cósmicas mais distantes. este imprimese nela. O solo arenoso favorece a concentração de força cósmica na raiz ou no caule da batata (falsa raiz). relacionado aos planetas próximos. radicular. é expressão de uma constelação cósmica. A cavalinha (90% de SiO2. No verão manifesta-se exuberância. o amarelo. Quanto ao calor. tornam– se mais inertes. de estruturação. sobretudo no inverno. terrestre (Ca). floral e foliar sobre o solo. Neste ponto. A flor em si é terrestre. O silício no solo é o receptor das forças cósmicas mais distantes.

aromas. O meio. lignina. O oxigênio. os componentes da proteína. entre os alquimistas. que arrasta o oxigênio vital para o carbono estrutural da célula. com a cabeça na terra.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . na periferia. é a imagem da individualidade agrícola. o portador de astralidade. sabores. o rebocador. esta armazenada pelo ATP e disponibilizada para os processos vitais). As estruturas de carbono são o suporte físico para a manifestação de processos vivos. Através do enxofre o “eu” universal. ao penetrar num ser vivo. O N é o mediador. o portador do astral. exoesqueletos de invertebrados (CaCO3. o carbono é o configurador. centro do sistema rítmicocirculatório. recebe a ação da Lua. estrutura óssea de vertebrados (fosfato de cálcio). de forças vitais ou forças etéricas. não interioriza o astral. o plasmador. o carbono em suas diversas ocorrências. mantendo-se constante a proporção de 78% de N para 21% de O. Os cinco elementos básicos são carbono (C). 1. . o 501. carbonato de cálcio) e esqueletos internos. de sensibilidade. que também significa portador de luz (phosphoros). em posição invertida.3ª Conferência A Terra e o Cosmo contêm forças e substâncias. a luz espiritual. liberando aí a energia a ser armazenada pelo ATP. usualmente portadores de energia. As substâncias ou elementos são portadores de forças. portador do éter vivo.O e energia. hidrogênio (H). estruturandoo (fotossíntese de carboidratos) e dissolvendo-o (respiração. O Sol atua via sistema neuro-sensorial pelo dianteiro até o coração. A Lua atua via sistema metabólico-motor. o traseiro. o animal que a ingere fornecerá o esterco adequado para o solo.) para todas as células via circulação sanguínea. e. oxigênio (O). cônico – cilíndrico é cósmico e capta atuações de Saturno. O preparado de sílica.1.terrestre é também visível no animal. o trifosfato de adenosina). O nitrogênio é o mediador sensível. nitrogênio (N) e enxofre (S). O dianteiro. ATP.. como grafite.. Entre o físico e o etérico interpõe-se o componente astral carregado pelo nitrogênio (N). vive no carbono. o coração. característicos das flores e frutas. fechando-se o ciclo. arredondado. é levado pela oxihemoglobina e trazido de volta como CO2. vegetal ou no solo. animal. H2. o chamado “ciclo fechado de nutrientes”. Na faina da natureza. Se a forrageira é rica em atuações cósmicas. o portador de informações astrais que fluem dos planetas e das estrelas e que se manifestam no mundo físico como propriedades organolépticas. O O2. torna-se oxigênio vivo. Mercúrio e Vênus. o intermediador . portador do etérico. O carbono (C) se nos apresenta como carvão. O nitrogênio é o transmissor e o silício (Si) é o receptor. O enxofre (sulphur) é o portador do “eu” espiritual e aparentado ao fósforo. como diamante. sendo o processo guiado pela luz espiritual do enxofre (S). portador de energia (p. assentados numa estrutura de 738 carbonos. Aí torna-se compreensível a composição da hemoglobina. o transmissor de sensorialidade. pela carboxihemoglobina. recebe a atuação do Sol. que contém dois átomos de S e 203 de N. favorece a ação da luz na síntese de carboidratos (fotossíntese) e. para conter em seu núcleo um Fe que transporta o oxigênio (O2. era tido como a “pedra filosofal”. CO2.Fenomenologia -3- A bipolaridade cósmico .3 . humano. carboidratos. C738 H1166 O208 N203 S2 Fe. E o portador dessas forças é o oxigênio (O). O carbono foi o primeiro elemento segregado para formar estrutura. ele constrói o corpo físico guiado pela racionalidade do enxofre (S). O animal. o estruturador por excelência. tais como cores. o mediador entre o físico carbônico e o etérico oxigênico. O N tem número atômico 7. Este o toca por fora. Mais tarde. Júpiter e Marte. adicionou-se o cálcio (Ca) para formar esqueletos externos. exatamente entre o C (nº 6) e O (nº 8). celulose. No ar a astralidade é quatro vezes maior que a vitalidade. constituindo as fibras vegetais. continuando o processo de solidificação. manifestando-se em qualidades astrais ou sensoriais.ex. O vegetal tem apenas corpo físico e etérico.

e assim alcança o conhecimento. Ele é altamente reativo. A nova planta forma o seu corpo a partir de estruturas fibrosas de carbono. formando carboidratos (CH2O)n. E então a argila. cada um portador de uma espiritualidade específica. Insere-se aí a importância das leguminosas. crescemos gradualmente para dentro de uma vivência do nitrogênio que nos envolve. fazendo surgir a nova vida. expressão do modelo arquetípico primordial. bastando combinar-se como a água (hidro). e o cálcio (Ca. Pela observação e elaboração meditativa dos fenômenos penetramos na sutil trama da vida e da Natureza. O lavrador não é um tolo. próximos ao solo. que a tudo solubiliza e que reconduz as formas físicas de volta ao Universo indistinguível. o hidrogênio (H). o portador do astral. As leguminosas papilonáceas tendem a frutificar e sementear desde os patamares inferiores. como as arbóreas. por isso mesmo receptivo às forças cósmicas. Suas vagens são frutos definhados que cedo partem para a sementeação. elemento estruturador que transcende a dualidade sílico-cálcica. Fe). tornamo-nos conscientes do principal componente do ar.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . fica matutando. A inspiração carbônica foliar conduz à fotossíntese. nos envolve como portador do astral. algo como uma inspiração nitrogênica. Pela meditação. o solvente ou catalisador universal. como verdadeiros órgãos sensoriais. e liberando energia. insere-se o nitrogênio. nº atômico 14. A leguminosa é o vegetal providencial que astraliza a terra. ficando apta a deixar-se imprimir pelo seu arquétipo. o carbono alia-se ao nobre silício. complexificando-os. O cálcio puxa para o solo o nitrogênio. O nitrogênio. o grande reciclador e purificador. ou também o caotizador. e presente não só no sólido mineral cristalizado no globo terrestre e no globo ocular (cristalino). por fim. abertos às impressões exteriores. A fotossíntese. arrastando consigo o oxigênio. precursora da proteossíntese. É bom que o agricultor medite. tornamo-nos receptivos às suas revelações. O carbono sozinho (carbo) poderia estruturar todas as plantas. nº atômico 6). muito mais profundamente do que nos permitem as grossas malhas dos meros conceitos intelectuais. . dos ácidos (H) e das bases (OH). como transmissor de revelações cósmicas. reagindo com o ar ou com a água. totalmente inerte. é polar à respiração. terrestre. assim como o carbono. base do húmus). compondo 78% do ar. radicular. E. um minúsculo exemplar de máxima complexidade organizada. como também sutil e homeopaticamente distribuído por toda parte. situa-se o carbono (C. estruturador cósmico. nº atômico 20. na síntese de compostos nitrogenados protéicos (proteossíntese). valendo-se aí de dois outros elementos estruturadores. também o matuto medita. a nova planta. De cal virgem rapidamente passa a cal extinta. a bipolaridade cósmicoterrestre. E resta ainda o quinto elemento protéico. de curta fertilidade. Assim entenderemos a semente. elemento característico da água (H2O). sob o efeito do hidrogênio (do H2O) caotiza-se instantaneamente. fixadoras de nitrogênio no solo graças ao poder aspirante do cálcio. para organizar todo o processo. Em síntese. Polar ao cobiçoso cálcio apresenta-se o nobre silício.Fenomenologia -4- conseqüentemente. é um meditante. No caos seminal a ordem cósmica se restabelece. se apresenta no meio. base da rocha). em associação com a mediadora argila (também silicatada). gerando ordem entre o cálcio. Aí tudo se torna conhecimento. A cobiça característica do cálcio atrai tudo para si. e o silício. temos a molécula protéica composta dos cinco elementos C H O N S. o cálcio. Para vencer a voracidade da cal (Ca). Entre o silício (Si. se não fosse a interferência da cal. e não apenas na periferia. calor. Atrai também óxidos metálicos (Al. leva à proteossíntese. A inspiração nitrogênica simbiótica. a argila e o silício. transcendendo a bipolaridade. Uma vez lançada à terra.

a pele é um órgão de contenção. o agricultor será capaz de produzir alimento saboroso e saudável.1. os chifres e os cascos. colocado no chifre.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . fermentadas aerobicamente de modo a formar um adubo equilibrado e estabilizado. Adubos minerais hidrossolúveis ou líquidos orgânicos pré-solubilizados apenas estimulam a aquosidade. O pó assim obtido é igualmente diluído e dinamizado em água e nebulizado sobre as plantas.4ª Conferência A Ciência Natural oficial e a Ciência Espiritual divergem quanto ao modo de abordar os fenômenos. No animal. adubar significa vitalizar e astralizar o elemento terroso sólido. vive no metabolismo. em local de terra humosa. porém. senão também astralizar o solo com estímulos sensoriais veiculados pelo nitrogênio. Quando sadio ele não deve exalar odores. no seu interior. O composto contém astralidade e etericidade menos intensas. transcendendo o estreito campo das substancialidades materiais. a formação do chifre se relaciona com toda a constituição do animal. sem se perder na atmosfera. Por exemplo. é enterrado no outono. típica dos cervídeos. na compostagem correta ele é contido. impregna-se dessas forças. de modo que o solo. intensificadas no inverno! Na primavera. E. de limitação para fora. capaz de verdadeiramente nutrir. adensando-a no organismo e formando massa corporal. O segundo preparado consiste de pó de quartzo umedecido. preparando-a para a semeadura e para o desenvolvimento de sua estrutura e do sistema radicular da futura planta. são pontos de maior isolamento.4 . segundo a Ciência Espiritual. altamente volátil. uma forma de reciclar resíduos vegetais e animais. fluxos de energia e de odores. apoiando de cima para baixo os efeitos do preparado de chifre – esterco. esterco fresco excessivamente astralizado faz a planta viçar mais e frutificar menos. assentando-se especialmente o astral. retira-se o chifre. e sim libera forças para que o corpo absorva continuamente pela respiração e pelos órgãos sensoriais (pele. Atuando a partir dos grandes contextos. a maior parte do alimento ingerido não se deposita no corpo. adubar os pastos e capineiras com composto estabilizado. Aromas são também nutrientes. o solo vivo nutre a planta. é aplicada em gotas grossas na terra arada. O alimento.Fenomenologia -5- 1. Esta abrange os amplos contextos da vida. olhos) a substância sutil do ambiente. mais assentadas. enterrado na primavera e desenterrado no outono. maduro. Todo organismo é delimitado por uma “pele” que contém. cornado. Tal esterco. uma exteriorização. permitindo ao cervo uma comunicação com o ambiente. forrageiras e animais desenvolvam a vivacidade interior necessária para que assimilem as forças e nutrientes sutis presentes no ambiente. O chifre distingue-se da galhada. também. fixado. seu conteúdo é diluído em água e agitado em movimentos giratórios durante uma hora. Essa água devidamente impregnada e dinamizada. mais firmes. e sim recebê-los do ambiente. Esta se abre para o exterior. . ricos em forças etéricas e astrais. Esta visão aplica-se também à questão da nutrição e da adubação. Mesmo sendo o nitrogênio portador do astral. concentrando forças vitais e astrais. Por exemplo. Portanto. ao percorrer o trajeto digestivo. no bovino. Por isso. O bovino. adubar não é só vitalizar. Portanto. recomenda-se. É preciso igualmente entender a verdadeira natureza da adubação. Os chifres fazem refluir o vital-astral para o interior. de baixo para cima. colocado num chifre de vaca. Daí a importância da compostagem. formando ao final um dejeto altamente eterizado e astralizado. Adubar significa vitalizar o solo. tende mais à interiorização. como válvulas fechadas para o exterior. Em suma.

Seu processamento se faz durante o inverno. pelo contrário. A agricultura continuamente extrai forças e substâncias do ambiente. na composição da molécula protéica. A bexiga é órgão excretor muito sensível às reações do animal a estímulos externos. precursor do húmus. etc. é conferir ao solo e à planta a capacidade de captar forças e substâncias sutis. chumbo. exigem um manejo adequado para serem absorvidos do ambiente. o órgão vegetal da periferia. obtendo-se aí algo fundamental para a melhoria do adubo. órgão do sistema metabólico. sensoriais. O primeiro. A flor de mil folhas é processada numa bexiga de cervo macho. aromas. Eles se instalam espontaneamente no monte de composto. Isso não significa inocular organismos. A flor de mil folhas. Em linguagem atual. tais como: silício. animal arisco. É como que um reflexo de sua sensorialidade ou de sua astralidade. Para produzir o preparado utiliza-se a flor. Os preparados biodinâmicos para composto transmitem ao adubo e ao solo a vitalidade necessária para viabilizar tais processos. atue corretamente na constituição do corpo vegetal propriamente dito. terrestre. quando se criam para isso as condições necessárias. mercúrio. A vivificação ocorre aplicando-se matéria orgânica sobre o elemento terroso sólido. feito de flor de mil folhas. A adubação busca recompor e manter a produtividade do solo. trofobiótica. ela impede efeitos frutificantes nocivos decorrentes de uma astralidade descontrolada. etc). vivificando-o. O solo vivo não só é capaz de disponibilizar os nutrientes próprios do solo. contendo esterco.Fenomenologia -6- 1. organolépticas. Não faz sentido tentar enriquecer o adubo com microorganismos eficazes. cálcico. necessários em maiores quantidades (fósforo. mercúrio. possuidor de galhada. diríamos: o mil folhas conhece o segredo da proteossíntese. arsênico. chumbo.5 . nem componentes minerais solúveis. preenchendo suas lacunas com o conhecimento superior. Os organismos não são causa. sabores. e sim conseqüência do manejo correto. cálcio.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . homeopática. O manejo biodinâmico é uma tecnologia de processo que favorece a captação no solo das sutis substâncias elicitantes. Ao elaborar adicionalmente o cálcio. Adubar é catalisar processos. Um manejo errado empobrece o solo. igualmente capaz de sintetizar substâncias a partir de seus efeitos sulfúricos e cálcicos: trata-se da flor de camomila. inundada de sons. em dosagem infinitesimal. arsênico.1.5ª Conferência A Ciência Espiritual não nega. região tocada pela astralidade. para tornar a terra apta a captar os demais elementos cósmicos que chegam ao solo em sutil dosagem homeopática. Alguns desses nutrientes (silício.) chegam à terra e agem como elicitores. estimulando processos vivos. presentes no ambiente em quantidades mínimas. graças ao seu teor de potássio e enxofre. tal como ocorre no fenômeno “vassourinha” ou “vassoura de bruxa”. elabora adequadamente o potássio. ela valoriza as conquistas da Ciência Natural e amplia seus horizontes. Outros. inserido em terra humosa. potássio. interagindo com o enxofre. como também absorver os nutrientes presentes no ambiente. lançamos mão também de um segundo preparado. empobrecendo-o. A flor de camomila é processada numa tripa de bovino. de modo que este. por mais eficientes que eles sejam. pratica-se agricultura predatória. Quando a adubação é insuficiente. irradiada da periferia cósmica para atuarem como catalisadores de processos de formação de biomassa vegetal. o 503. Ao lado do poder sintetizante do mil folhas. exigindo uma contínua adubação compensatória. chamado 502. potencializa suas virtudes e qualifica-se para atuar como um preparado. etc. e o preparado 503 está pronto para ser adicionado ao . tratada numa bexiga de cervo macho. propriedades astrais. Na primavera retira-se a tripa.

O quarto preparado. a partir dos grandes contextos e não apenas suprimindo sintomas por meios químicos. própria do reino animal. o hidrogênio (H). da flor de dente-de-leão. atuando igualmente nas causas. a adaptar-se às suas exigências específicas e individuais. para melhorar ainda mais o adubo. nitrogenóide. no solo e na vegetação. obtém-se da casca de carvalho. diríamos até de “inteligência”. processa-se a casca de carvalho numa caixa craniana de animal doméstico. É preciso impulsionar esse processo para que a Terra não continue a se empobrecer desse elemento. recorre-se a um outro órgão animal bovino. atraindo para si aquilo de que necessitam. “receptor de luz”. reside uma alquimia secreta que cria. que ao final se fixa como nitrogênio propriamente dito. deve ser agora interiorizado na planta via composto e solo. às influências das imediações. Ela é simplesmente comprimida e enterrada. bem como à terra que o recebe. a urtiga dióica. sem provocar choques no orgânico nem efeitos fitopatogênicos. regido por forças etéricas. absorvendo forças do verão e do inverno. permitindo que as forças astrais atuem equilibradamente. de grande importância nos fenômenos vitais. já antes elaborado no preparado 501 e aplicado externamente sobre as folhas. igualmente portador de silício. E justamente o silício. caracterizado como órgão sensorial responsável pela captação de energias.Temos aí. essa interação se fazia pelo enxofre portador de luz. Para potencializar as virtudes da flor de dente-de-leão. O elemento gerado internamente por transmutação é o nutriente do futuro numa agricultura que apenas ensaia seus primeiros passos. uma pele interior sensível a estímulos. mas sim do reino vegetal. Continuando a busca de uma melhoria do adubo. um grau de “sensatez”. também um órgão sensorial táctil. Isso representa uma extraordinária ampliação do raio de ação e de captação do mundo vegetal. o nitrogênio endógeno. Seu teor de silício e sua identificação com a luz solar a qualificam a atuar como autêntico mensageiro celestial que habilita o solo a captar o silício atmosférico necessário para tornar as plantas receptivas às irradiações do meio-ambiente. dinamizado e aspergido sobre o composto para estimulá-lo a comportar-se corretamente ante as atuações fosfóricas. Esse preparado reforça o efeito sanativo dos anteriores. por um ano. não oriundo do meio mineral (cristal de quartzo). E aí começa a ficar claro o controverso processo de ”transmutação biológica a baixa energia”. o 505. o CA (Curso Agrícola) propõe um quinto preparado capaz de atrair para o composto e para a planta o silício presente na circunvizinhança cósmica. no 502. produzindo nele.Fenomenologia -7- composto. um elemento de transição. tal como a pele exterior que envolve o corpo. Para reforçar os efeitos terapêuticos do cálcio. Essa é a maneira orgânica de prevenir ou curar doenças vegetais. em ambiente úmido. Se. quem o faz é o silício. habilitando-a a individualizar-se em prol das plantas. enterrada no inverno em local lamacento. Finalmente. No processo vivo. contém ferro. ele é capaz de amenizar a atuação excessivamente intensa do corpo etérico. num invólucro cálcico (crânio). o cálcio da casca de carvalho. o 504 confere a ele. . Por isso mesmo até dispensa um órgão animal como invólucro em seu processamento. adiciona-se a ele o extrato de flor de valeriana. Seu poder urticante denota uma forte astralidade. absorvendo forças terrestres do inverno. Como tal. o mesentério. uma membrana sensível e semitranslúcida que envolve os órgãos abdominais. portanto. porém dióico. rica em cálcio. de “racionalidade”. um efeito estimulante extraordinário. Os preparados catalisam processos de geração endógena de elementos com a ajuda do reciclador universal. Introduzido no centro da pilha de composto. este inserido num contexto vivo. diferenciando-se em macho e fêmea. por exemplo. o sensor universal. sendo capaz de anular seus efeitos nocivos no solo. O próximo preparado é o 504. Além de enxofre. potássio e cálcio.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . É só um vegetal. interagindo com potássio. no 506.

auxiliada por Mercúrio e Vênus. Para controlar pragas animais precisamos avançar além da esfera lunar. somente na lua cheia e. Na cinza assim obtida resta a energia negativa. Abordando o assunto com profundidade. não interioriza o corpo astral. hoje um astro independente. para fortalecer todo o âmbito terrestre. Para produzir novos indivíduos. espontânea. as quais devem ser racionalmente manejadas. é também designada erva indicadora e sanativa. A Terra sozinha pode promover um crescimento vegetal individual. Saturno atua via calor. aplicado em períodos proteolíticos.6ª Conferência Esta conferência trata do problema das doenças e pragas. as forças planetárias distantes de cunho saturnino atuam através do silício. O efeito será o oposto: o calor e a cinza tenderão gradativamente a aniquilar o poder reprodutivo original. planetária. para conter a exuberância desmedida? Incineremos as suas respectivas sementes e espalhemos suas cinzas em nossa lavoura. Por outro lado. propiciando seu definhamento. Também o fogo é seu destruidor. A cinza contrapõe-se à força solar taurina. tanto mais quando surge providencialmente no lugar em que se faz necessária. precisamos incluir os efeitos zodiacais. como também corrige carências nutricionais e estruturais. não tem emoções. irradiase modificado para a Terra. não tem corpo astral. um signo do elemento terra. O animal fica também suscetível a distúrbios quando não se respeita sua astralidade. A cinza espalhada no campo reduz as forças de reprodução do rato. promovendo as forças de nutrição. Para conter a reprodução de vermes nocivos da terra. Ela não só indica. fogo impregnado de Lua a aniquila. Como tal ela tem o mesmo direito de crescer como qualquer outra . favorecendo índices de qualidade.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . para dominar o poder reprodutivo do rato campestre. e ainda na pré-maturação. trazendo forças de reprodução. Contudo. erva nativa. Em outras palavras: água embebida de Lua promove abundância. para reproduzir e continuar a espécie. A Lua. promovem através do cálcio as forças de reprodução e proliferação. A semente possui capacidade ampliadora polar.1. incineramos seu pelame quando Vênus se encontra em Escorpião. A chamada “erva daninha”. O vegetal tem somente corpo físico e etérico. companheira ou medicinal. socorrese de forças da Lua. como acontece no manejo inadequado à espécie. Por exemplo. O que fazer. Patologias ocorrem quando o astral exorbita de seus limites e invade os domínios do etérico e do físico. melhor ainda. todo o cosmo.6 .separado da Terra. As forças da Lua via água propiciam exuberância. então. Não forma invaginações nem cavidades internas. a reprodução de células. oposta à energia reprodutiva do rato. na pré-florada e na préfrutificação (não na florada). de natureza lunar. apenas é tocado pela astralidade na periferia. de valor. devemos incinerá-los inteiros com o Sol em Touro. Consideremos agora a importante questão das chamadas “doenças vegetais”. recebe a força solar e a repassa modificada. um pré-requisito para a genuína fitossanidade. constata-se o seguinte: as influências cósmicas mais próximas. Da mesma forma o silício (preparados 501 e 508). Temos aí a conjunção de fatores proteolíticos: a plena lua cheia via chuva copiosa favorece a intensa propagação vegetativa.O princípio geral é este: o que está vivo em cada ser contém em si o germe de sua destruição. . após dias chuvosos.Fenomenologia -8- 1. também entendida como inço ou erva invasora. e não simplesmente combatidas ou exterminadas por medidas drásticas. Assim. via planetas próximos. ajuda a amenizar a proteólise e a otimizar a foto e a proteossíntese. como os nematódeos.

Na atual fase. A força da fecundidade depende de ser normal. diversificado e auto-sustentado. sais. entre outras coisas. solidamente constituídas e sintetizadas. finalmente incorpora-se e desenvolve-se o “eu” individual. a fruticultura. a terra será excessivamente vitalizada e astralizada. porém. Este é como um solo para aqueles. o chá de cavalinha. a pecuária. que transcende a soma de efeitos isolados. a atuação da Lua. Para alcançar esse ideal impõe-se consultar a Natureza em seu conjunto. especificamente. a interação de plantas e animais estende-se ao mundo diversificado dos insetos e das aves. fibras. justamente por não deixar a terrosidade atuar ascendentemente.1. na face externa. planta composta de 90% de silício na cinza.7 . a princípio. aumentam a suscetibilidade. A conseqüência é que a planta se transforma em campo fértil para proliferação de parasitas e fungos. portador de seiva bruta. formando em seu conjunto um organismo integrado. contendo seiva elaborada. aplicando-se. Isso se fará quando for necessário reforçar ou complementar os efeitos de todo o manejo apresentado nos capítulos precedentes. proteínas. como deveria. Isso se consegue. de como interagem a agricultura. Conjugando-se exageradamente a Lua com a água. Agora pergunta-se: o que fazer para aliviar a terra da excessiva força lunar? Muito simples: basta remeter a aquosidade para os limites que lhe são próprios e conferir à terra maior capacidade terrosa. a árvore. Da mesma forma. não muito forte. O que precisa ser vitalizado é a própria terra. Por queimar etapas e acelerar processos indevidamente. o EQUISSETUM. Mas. de processos astrais em sua periferia (movimentos. de todos os lados atuam as suas forças.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . E onde temos uma densa biomassa herbácea. nas áreas afetadas. a planta deixou instalarem-se doenças fúngicas e parasitárias. fecundação. a fase Terra. na Terra sólida. Ocorrerá excesso de força vegetativa acompanhada de carência de força generativa. 1. açúcares. Aparentemente não têm raízes fixadas a um solo.7ª Conferência Esta conferência trata das mais íntimas interações na Natureza. O manejo biodinâmico orienta-se para gerar substâncias. floração. vitaminas. uma camada formativa de células que geram novos tecidos vegetais: na face interna. os finos ramos emergem do tronco. capazes de verdadeiramente nutrir. frutificação. o lenho com o xilema. a água é apenas mediadora.Fenomenologia -9- Na planta. daí vai-se desdobrando o crescimento e a vida vegetal herbácea. pois. em dosagens diminutas. mas que. O câmbio é como um solo terroso. A excessiva atuação lunar enfraqueceu a atuação terrosa. visto que estamos justamente na quarta fase da nossa evolução planetária. mais vitalizado ou eterizado que o solo mineral embaixo. o líber ou floema. alcançando o sinergismo do sistema. mineral. acelerando o crescimento e propiciando uma sementeação prematura. a floresta. fundamental para a saúde do todo. o elemento sólido. a periferia da planta é uma região concentrada de astralidade. Assim se concebe um processo saudável. Ela se distingue das ervas e gramíneas que emergem diretamente do solo. sendo na árvore essa astralidade muito mais densa que em plantas herbáceas. bem como à micro e mesovida do solo. Da mesma forma comportam-se os ramos no tronco da árvore. em excesso. Lua e água são fatores proteolíticos. Do mundo vegetal destaquemos. Na árvore. ocorre o seguinte: forças da lua cheia intermediadas pela água promovem o crescimento e a reprodução. Por exemplo. necessários. . mas haurem suas substâncias do câmbio. suas raízes estão de tal forma emaranhadas a ponto de formar uma pasta radicular comunitária. As árvores são claramente concentradoras de substância astral. O mais importante é estimular a terrosidade.

Todos se interdependem. Um organismo rural ecologicamente equilibrado deve incluir florestas. tal como o 506. calculista.10 - perfumes. os insetos. É possível desenvolver uma percepção para distinguir o cheiro de plantas do solo e o cheiro mais intenso da copa das árvores. em interação sinérgica de importantes conseqüências econômicas. Descobrimos também a afinidade de mamíferos com as espécies arbustivas. por sua voracidade. A planta. bactérias e outros parasitas. elaborados e depois assimilados. as larvas. Lua e Sol emitem efeitos caloríficos e luminosos que geram massa óssea. Ela dá e vive de dar ar e calor. em inter-relação com o astral. recomenda-se a manutenção de várzeas úmidas. mais minerais do que nos contornos ou nas raízes de plantas herbáceas. o calor e a luz através de seu sistema neuro-sensorial. para o consumo animal. A planta faz fotossíntese graças às forças do calor e da luz. O que o agricultor outrora fazia por instinto. sabores. cuidam de espalhar e organizar a astralidade no espaço aéreo ocupado pela vegetação. aves e insetos. Atuam como reguladores de etericidade. via silício. o mais mineralizado. como também as minhocas. Pela contemplação. Por sua vez. sons). estabilização. Concluindo. Sendo a raiz o sistema neuro-sensorial da planta. O ar forma elementos para a massa muscular . hoje deve fazer com consciência clara. pomares. Em contrapartida. Como medida fitossanitária. Polinização e dispensão de sementes por insetos e aves são agentes de propagação florestal. No espaço radicular da árvore vivem as larvas. mais mineralizados. A planta é o purificador e o termostato natural. absorve diretamente minerais e líquidos via sistema neuro-sensorial (raiz). a sabedoria compensa os excessos da inteligência fria. Os alados. ligam-se ao ar. reciclam a matéria orgânica crua no sentido da humificação e mineralização. mais no sentido energético. Larvas e minhocas. de cunho materialista. à luz. Portanto. tal como o 505. tal como no animal e no homem. afinadas com o mineral. a astralidade e a etericidade crescem para a periferia e decrescem para o interior e para baixo. Ela é o inverso do animal. é também o menos vivo. seres subterrâneos que depois se metamorfoseiam e se transferem para o espaço aéreo como insetos. Vegetais arbustivos na pastagem promovem o melhoramento do rebanho. cores. O cerne e a raiz tendem a ser menos vivos. Consideremos agora a interação animal-planta. interagindo com as aves. contemplamos a bipolaridade fotossíntese-respiração. sobretudo com o cálcio da terra. Equilíbrio ecológico pressupõe a árvore. O animal absorve diretamente o ar. Na terra. mantendo-os afastados das lavouras adjacentes. por seu turno. regulam a etericidade. produz carboidratos e oxigênio para o animal: CO²+H²O luz e calor (CH²O)n+O² . arbustos e várzeas. alimentos sólidos e líquidos são primeiro ingeridos e digeridos. “habitat” de fungos.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . e libera no ambiente ar e calor. verificamos a afinidade dos seres alados com a floresta. são reguladores de astralidade. Arborização de pastos e campos é fundamental para a fertilidade. ou seja.Fenomenologia .

11 - A proteossíntese complementa a fotossíntese: CHO+N+S à CHONS. coração. dos alimentos. porém composto de materialidade cósmica que o organismo absorve de cima. Sistema metabólico-motor (órgãos abdominais e membros). ao invés de apenas tatear em arriscadas experimentações. A energia liberada é armazenada pelo ATP (Adenosina Trifosfato) e disponibilizada para os processos vitais.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . a entidade trimembrada do Homem é composta de três sistemas: 1º ) Sistema neuro-sensorial (cabeça.8ª Conferência A última conferência do Curso Agrícola. equivalente à área verde vegetal ( caule. sabores. o pólo vegetal. muito vitalizado. sistema nervoso). 1983). é preciso desenvolver um conhecimento sobre a verdadeira natureza da nutrição. etc).1. a base do “eu” individual. por isso mesmo apto a captar forças cósmicas. sede da consciência e do “eu”. do sistema intermediário. A interação harmoniosa de lavoura. água e energia (O² + reação celular à CO²+H²O+energia). região de floração e frutificação. o animal confinado se enfraquece fisicamente a partir da cabeça. de base material. Neste sentido. material. a princípio. cores. em oposição bipolar ao sistema metabólico-motor. Daí se depreende a importância da movimentação ao ar livre para ativar os sentidos de modo que a cabeça possa elaborar o alimento recebido do corpo. circulação sanguínea). O animal respira e gera gás carbônico. via órgãos sensoriais. reitera a importância do conhecimento científico-espiritual como base para as medidas práticas a serem adotadas no manejo da fazenda. da luz e com ela forma a sua massa corporal. dedicada à nutrição animal. o agricultor age com segurança. 2º ) 3º ) Abstraindo-se. aromas. Primeiramente. ainda em processo de desenvolvimento nesta quarta fase sólida da evolução da Terra e do Homem (STEINER. fria e inerte. do calor. luz. Sistema rítmico-circulatório (pulmão. Esta é a natureza da boa nutrição: o alimento ingerido libera forças terrestres de mobilização. silvicultura e pecuária constitui o organismo agrícola auto-sustentado. . Por essa razão. determinados itens como calor. talos. órgãos dos sentidos. fruticultura. são também nutrientes incorporados ao organismo animal. temos no animal uma pronunciada bimembração: o sistema neuro-sensorial. a sede da consciência. e que tem sua correspondência no sistema radicular da planta. quente. no Homem.Fenomenologia . do ar. de modo que o organismo possa absorver a sutil materialidade cósmica presente em toda parte e formar sua corporalidade. de natureza terrosa. correspondente à periferia astral da planta. Por exemplo. O componente mineral substancial do alimento ingerido é digerido no estômago. folhas). cérebro. e. mineral. assimilado no intestino e encaminhado à cabeça para aí formar a base física do sistema nervoso-sensorial. 1. Desse modo. inconsciente. vinculado às forças terrestres (força da gravidade.8 . sons. terrestre e receptor de forças cósmicas.

demonstramos a simplicidade do sistema de alimentação proposto: raízes para a cabeça. repercutindo positivamente no processo evolutivo. com produções médias anuais satisfatórias. O cérebro ordena a liberação de hormônios para o cio. Desde jovem o animal deve ingerir raízes. O animal ainda não tem um “eu”. como suplemento aos minerais fornecidos pelas ervas nativas e aromáticas colhidas pelo próprio animal no pasto. Cumpre dimensionar as diversas atividades de modo a garantir que os animais possam procurar por instinto próprio o que se produz no pasto. frutos. talos e folhas de gramíneas e leguminosas (70% e 30%. A monta natural é pré-requisito para lactações saudáveis. volumoso de talos e folhas de gramíneas e leguminosas para o sistema rítmico-circulatório e para a lactação. para que a cabeça possa trabalhar com vontade e gerar forças adequadas ao organismo. sendo o trevo a leguminosa trifoliada por excelência. o esterco do animal corretamente alimentado faz desenvolverem-se as verdadeiras forças do “eu”. gestação. O resíduo grosseiro que o intestino delgado não consegue assimilar. respectivamente). Uma vez abastecida a cabeça. o nabo forrageiro. a secreta e a excreta. meta da atual fase da evolução da Terra e do Homem. sementes e feno liberam forças terrestres para o metabolismo. Assim como a meta do Homem é o pleno desenvolvimento de sua livre individualidade. A ingestão de raízes é ideal para o sistema nervoso. Aí finalmente se compreende a aparentemente paradoxal. Quando forças e matérias interagem corretamente. e mais flores e . se quisermos. Sintetizando. É preciso manter na fazenda tantos e tais animais para que forneçam o esterco suficiente e correto para as lavouras. o rítmico-circulatório. Para fortalecer o sistema intermediário. também a fazenda deve constituir uma individualidade coesa. o que o qualifica como excelente adubo. distinguimos aí quatro fases: ingestão. A secreção láctea está diretamente relacionada à sexualidade. flores. com sementes.e excreção. flores. permeando todo o arraçoamento. oriunda sobretudo de partes radiculares contidas na ingesta. impróprio para produzir alimentos que promovam o fortalecimento da individualidade. Ervas aromáticas. E para estimular a lactação é preciso nutrir o sistema do meio. alimentamos o animal com ração volumosa. levado à raiz pela adubação. ou. levada a termo. e. Assim. neuro-sensorial. um circuito fechado de nutrientes de maior autosustentação possível. Neste contexto. suprem-se então as carências metabólicas. a digesta. monta.12 - Mas. O elemento terrestre material que compõe o cérebro é a secreção de uma essência assimilada pelo intestino. fecundação. ele encaminha para o intestino grosso para eliminação. por fim. e estimular a aptidão leiteira. extraordinária semelhança entre as circunvoluções intestinais e cerebrais. por exemplo.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . frutos ou feno de vegetais longilíneos. justamente o ponto de encontro entre as forças que fluem da frente sensorial e as matérias elaboradas atrás pelo metabolismo. A massa encefálica é massa orgânica mineralizada. temos: cio. Essa massa nobre terrestre constitui a base do desenvolvimento do “eu” individual. Já o esterco animal.Fenomenologia . secreção. sazonadas. porém. assim como libera a oxitocina para a lactação. digestão. pequenas quantidades de sal. no Homem. E não é só isso. propiciará o desenvolvimento do eu rudimentar vegetal. Visualizando todo o processo. por isso seu esterco ainda contém uma predisposição para o “eu”. A presença do touro traz segurança ao rebanho e favorece a liberação hormonal. quatro volumes de massa: a ingesta. resulta o bom leite e o leite abundante. contrariamente ao esterco humano. Também o conteúdo intestinal é afim ao conteúdo cerebral. prolongando-se por dez até quinze anos. parição e lactação. em pequenas quantidades. o que está realmente contido na cabeça? A cabeça contém uma essência física segregada pelo intestino na corrente sanguínea.

Ao final do Curso Agrícola. por natureza. flores e frutos bem amadurecidos. neles. Algo semelhante ocorre com a batata. atua sobre a organização independente do organismo. induz mais à imobilidade e ao misticismo. diabete e demais doenças degenerativas. atua muito diretamente sobre a cabeça. sobretudo do tomatal anterior. por exemplo. tornando-a exageradamente independente e inclinada ao intelectualismo frio de cunho materialista. estimulam os processos metabólicos e dão mobilidade aos membros. pois ativa forças ociosas que. e não terrena. provocando choques e resistências em quem ainda não está preparado para assimilá-los devidamente. acrescido de matéria orgânica desordenada e mal decomposta. e proíbe-se para portadores de processo cancerígenos. ele se fortalece. até cozidos. habilitando o corpo a absorver de todos os lados a plenitude de substância cósmica. o tomate difere das demais plantas. Ele adverte quanto ao risco de propagar os novos conceitos de forma inadequada.13 - frutos. gota.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . Neste caso. encontram-se em estágio vegetativo avançado rumo a maturação. distúrbios hepáticos. Steiner recomenda aos participantes o máximo de discrição quanto ao conteúdo ali apresentado. favorece deposições de ácido úrico. recomendase para tratar. Quanto ao tomate. Quanto ao cultivo. . reumatismo. permanecendo inativas no caso de um regime cárneo. Como falsa raiz. A ração ingerida serve para mobilizar forças terrestres para o metabolismo. ao cozimento solar. e. Prefere crescer sobre restos grosseiros. a menos que o indivíduo já seja. E como arraçoar animais de engorda? Por exemplo. um vegetal que tende a desenvolver uma vida mais independente. Por sua tendência à exclusão e ao isolamento. Alimentação crua. também uma solanácea. Para promover a engorda fornecem-se ao animal raízes. portador de vigor físico. enriquecidos de tortas de oleaginosas. as sementes. os gordos porcos contêm em sua corporalidade substância inteiramente cósmica.Fenomenologia . o crudivorismo vegetariano.

sensações. Sede das emoções. vital. Conjunto de forças etéricas responsável pelo fenômeno VIDA. sensitividade. sensorialidade. instintos. Força vital. vitalidade. Que exercem atração. no animal e no Homem.14 - Glossário Arroçoamento Alimento do animal. Astralidade Corpo astral Corpo etérico Elicitores Etericidade Eu Força etérica Qualidade do astral. cobiças. individualidade. Instância espiritual superior no Homem. organiza os processos vivos no corpo físico. animalidade.Fenomenologia . . sentimentos. paixões.CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica . Qualidade do etérico.

Rudolf. 1998. . 320p. São Paulo: Editora Antroposófica. A Ciência Oculta.Fenomenologia .CEABD Curso de Especialização em Agricultura Biológico-Dinâmica .ed.15 - REFERÊNCIAS STEINER. 4.

Related Interests