You are on page 1of 13

Sistemas de Amortização de Empréstimos

Disciplina: Matemática Financeira
Componentes:
Fabiana Louvatel
Guilherme Pieruccini
Marco Ramos
O trabalho a seguir mostra cinco tipos de sistemas de amortização de empréstimos, com suas
aplicações para o mercado de trabalho, exemplos de casos e soluções para demonstração.
Sistema Francês de Amortização (SFA):

Nome recebido por ter sido usado primeiramente na França, no século XIX. O SFA é o sistema
no qual as prestações pagas pelo devedor são sucessivas, periódicas e iguais, ou seja, não se alteram
durante todo o pagamento do empréstimo. As prestações são formadas pela soma dos juros e da
amortização mensal, onde a amortização diminui e os juros aumentam, em quantidades inversamente
proporcionais. Esse sistema é mais usado para financiamento de varejo, além de ser o mais usado para
instituições financeiras em geral.
Há duas maneiras de montar um financiamento nesse sistema: algebricamente e com o auxílio da
calculadora HP 12C.

Algébrico:
-Cálculos de uma prestação qualquer:
PMT=A+J
-Juros pagos numa prestação qualquer:
J=PMT-A ou J=PVp-1.i
-Amortização de uma prestação qualquer:
Ap=Ap-1(1+i)
-Montante já pago após o pagamento de “p” prestações:
FVp= A1[(1+i)p-1]/i
-Saldo devedor após o pagamento de “p” prestações:
PVp=PV-FVp

Calculadora HP 12C:
Primeiramente, inserem-se os valores que já temos, como PV, i, n e PMT da maneira tradicional, com os
respectivos botões. Após, segue-se esta seqüência para descobrirmos todos os valores do empréstimo,
começando com os juros, a amortização e o saldo devedor:

1 f AMORT (valor correspondente aos juros)
X > <Y (valor da primeira Amortização)
RCL PV (Saldo Devedor após o pagamento da primeira prestação)
1 f AMORT (valor correspondente aos juros da segunda prestação)
X> < Y (valor da segunda Amortização)
RCL PV (Saldo Devedor após o pagamento da segunda prestação)
1 f AMORT (valor correspondente aos juros da terceira prestação)
X> < Y (valor da terceira Amortização)
RCL PV (Saldo Devedor após o pagamento da terceira prestação)
1 f AMORT (valor correspondente aos juros da quarta prestação)
X> < Y (valor da quarta Amortização)
RCL PV (Saldo Devedor após o pagamento da quarta prestação)
1 f AMORT (valor correspondente aos juros da quinta prestação)
X> < Y (valor da quarta Amortização)
RCL PV (Saldo Devedor após o pagamento da quinta prestação)

E assim sucessivamente, para qualquer número de parcelas necessárias. Para saber juros e amortização
somados até certa parcela e o saldo devedor até a mesma, basta digitar “número da parcela f AMORT” e
seguir as seqüências X > < Y e RCL PV.

Exemplo:
Um empréstimo no valor de R$1000 será devolvido em 3 prestações iguais mensais e seguidas
de valor igual a R$416,35. O financiamento foi realizado com uma taxa de juros de 12% ao mês. Na
segunda prestação, quais serão os valores dos juros, da amortização e do saldo devedor?
Solução:
SaldoDevedor0=1000
N=3
PMT=416,35
I=12%a.m.

J1 = 12% . SD0
J1 = 0,12 . 1000 = 120
A1 = P1 – J1
A1 = 416,35 – 120 = 296,35
SD1 = SD0 – A1
SD1 = 1000 – 296,35 = 703,65
J2 = 12% . SD1
J2 = 0,12 . 703,65 = 84,44
A2 = P2 – J2
A2 = 416,35 – 84,44 = 331,91
SD2 = SD1 – A2
SD2 = 703,65 – 331,91 = 371,74

Logo, os juros totalizaram R$84,44; a amortização R$331,91 e o saldo devedor R$371,74.
Para cálculo na calculadora HP 12C:
Inserem-se os valores dados no problema:
1000 CHS PV
3n
12 i
416,35 PMT
Após, segue-se a seqüência “1 f AMORT, X > < Y, RCL PV” até obter os resultados pretendidos na
segunda prestação.

Sistema Price de Amortização:
Nome em homenagem ao economista inglês Richard Price. O sistema Price pode-se dizer ser um
caso particular do sistema francês. Como principais diferenças, temos a taxa apresentada em ano e o
período em um espaço menor que a taxa, como por exemplo, em mês. No resto, é tudo semelhante, com
prestações iguais e juros e amortização inversamente proporcionais.

Exemplo:
Empréstimo: R$ 100.000,00 – Prazo: 10 anos – Taxa: 25% aa.
Usando a fórmula séries de pagamentos iguais com termos postecipados:
PMT = PV x FRC (i, n) ∴ PMT = 100.000,00 x 0,28007 = R$ 28.007,00
Amort. = PMT – J
Amort1= PMT – J1 ∴ Amort1 = PMT – (PV0 x i)
Como o crescimento da amortização é exponencial, o valor da amortização em um determinado
momento t é calculado: Amortt = Amort1 x (1 + i)t – 1
Logo, a sexta parcela terá amortização: Amort6 = 3.007, 00 x (1,25)5 = 3.007,00 x 3,05176 =
9.176,64.
Saldo Devedor (SD): calculado pela diferença entre o valor devido no início do intervalo de
tempo e a amortização do período. Por conseguinte:

SDt = PMT x FVA (i, n – t )

SD7 = 28.007,00 x FVA (25%, 10 – 7) = 28.007,00 x 1,952 = 54.669,64

Juros ( J): Incide sobre o saldo devedor apurado no final de cada período imediatamente anterior:

J1 = SD0 x i = PV x i

J2 = SD1 x i = (PV – amort1) x i
J3 = SD2 x i = (PV – amort1 – amort2) x i
J4 = SD3 x i = (PV – amort1 – amort2 – amort3) x i
Jt = SDt –1 x i
Períodos
Saldo Devedor Amortização Juros Prestação
0 100.000,00 - - -
1 96.993,00 3.007,00 25.000,00 28.007,00
2 93.234,25 3.758,75 24.248,25 28.007,00
3 88.535,81 4.698,44 23.308,56 28.007,00
4 82.662,76 5.873,05 22.133,95 28.007,00
5 75.321,46 7.341,30 20.665,69 28.007,00
6 66.144,82 9.176,64 18.830,37 28.007,00
7 54.674,03 11.470,79 16.536,20 28.007,00
8 40.335,54 14.338,49 13.668,50 28.007,00
9 22.412,42 17.923,12 10.083,88 28.007,00
10 8,52 22.403,89 5.603,10 28.007,00
Total - 99.991,47 180.078,50 280.070,00

Solução na Calculadora HP:
Inserem-se os dados descritos na ordem do problema na calculadora. Seguindo os passos na
seqüência “1 f AMORT, X > < Y, RCL PV”, recebemos gradualmente os outros valores a serem
completados na tabela.

Sistema de Amortização Constante:
Recebe esse nome por sua principal característica, as amortizações serem iguais ou constantes.
Os juros, por incidirem sobre o saldo devedor, cujo montante decresce após o pagamento de cada
amortização, assumem valores decrescentes no período. Usado principalmente em financiamentos
imobiliários.
Não possui cálculo direto pela calculadora HP 12C, portanto todos os cálculos desse sistema são
manuais. Algumas fórmulas que auxiliam o cálculo são:
A=PV/n
Jp=PVp-1.i
PMTp=Jp+A
PVp=PV-p.A

Exemplo:
Um capital de R$36000 foi financiado através do Sistema SAC em 12 prestações mensais,
vencendo a primeira 30 dias após a assinatura do contrato. Considerando uma taxa de 5%a.m., o valor da
sexta prestação foi igual a?
Solução:
SaldoDevedor0=36000
N=12
I=5%a.m.
PMT6=?
A=SD0/n=36000/12=3000
PMT6=A6+J6
J6=5%.SD5
SD5=SD0-5.A
SD5=36000-5.3000=21000
J6=5%.21000=1050
PMT6=3000+1050
PMT6=4050
A sexta prestação tem o valor de R$4050.

Sistema de Amortização Crescente (SACRE):
Esse sistema foi criado e é usado exclusivamente pela Caixa Econômica Federal, com o intuito
de reduzir o saldo devedor mais rapidamente. É usado principalmente para créditos relacionados ao
Sistema Financeiro da Habilitação e também neste plano a prestação inicial pode comprometer até 30%
da renda, enquanto nos outros o comprometimento máximo é 25%. Segue uma tabela comparativa entre o
sistema SACRE, SAC e SFA:
Comparativo SAC SACRE SFA (TP)
Prestações =
Amortização + Decrescentes Decrescentes Constantes
Juros
Amortizações Constantes Decrescentes Crescentes
Juros Decrescentes Decrescentes Decrescentes
Saldo devedor diminui Saldo devedor diminui Prestação inicial menor em
Vantagem mais rapidamente em mais rapidamente em relação a calculada pelo
relação ao SFA relação a SFA ou SAC SAC ou SACRE

Saldo devedor diminui
Desvantagem Prestação inicial maior Prestação inicial maior mais lentamente em
relação ao SAC ou SACRE

Vemos claramente que apesar da prestação inicial maior, a amortização e os juros são
decrescentes através dos tempos, proporcionando mais facilidade no pagamento. Mas a principal
diferença em relação ao SAC é o novo recálculo feito após um certo período acordado entre ambas partes
do empréstimo. Normalmente esse período é de um ano, mas pode se tornar um trimestre, dependendo do
caso.
Algumas vezes, após terminar o prazo do financiamento, pode-se sobrar um valor residual. Esse
valor pode ser tanto positivo quanto negativo. Em caso positivo, o mutuário deve pagar o valor restante,
podendo ser estendido em até 50% do tempo contratado. Exemplificando, um contrato de 10 meses
poderia ser estendido por até mais 5 meses. Em caso negativo, o mutuário tem direito a receber o valor
pago.

Exemplo:
Um financiamento de 120 meses para um imóvel com valor de R$ 50.000,00; taxa de juros de
12%a.a. e TR (taxa referencial) mensal de 0,2149%.
Fórmula:
Prestação = saldo devedor x {( 1/n ) + ( taxa juros mês/100)}
Seguindo os valores do exemplo:
Prestação = 50.000 x { ( 1/120 ) + ( 0,1 ) } = 916,67
Assim temos o valor da primeira parcela. Consideramos n como sendo o período total do
financiamento menos o período já pago. Neste exemplo, para a primeira parcela n é igual a 120. Para a
13ª parcela n será igual a 108 (120 – 12).
O saldo devedor do financiamento é corrigido mensalmente pela TR (0,21490%). Desta forma,
primeiro corrige-se o saldo devedor, depois diminui a parcela da amortização, e assim, terá o saldo
devedor corrigido.
Cálculo do valor mensal dos juros a pagar:
Valor juros mensal = taxa juros mês x saldo devedor mês x TR
Cálculo do valor da amortização do seu financiamento
Valor amortização = prestação - valor juros mês
A tabela abaixo mostra uma visão geral sobre o exemplo:
N Amortização Juros Prestação Saldo Devedor
0 50000
1 809,22 107,45 916,67 49190,78
2 810,96 105,71 916,67 48379,82
Passados os 12 primeiros meses, o saldo devedor será corrigido, gerando uma nova prestação
que durará por mais 12 meses.

Sistema de Amortização Americano (SAA):
O sistema americano é bem simples. Diferente dos outros ele não possui amortização nas
parcelas mensais, sendo elas pagas somente na última prestação.

Exemplo:
Considere um empréstimo de R$5000 a ser pago em quatro prestações postecipadas anuais com
juros de 12% ao ano. Construa a planilha de pagamentos.
N Amortização Juros Prestação Saldo Devedor
0 5000
1 - 600 600 5000
2 - 600 600 5000
3 - 600 600 5000
4 5000 600 5600 -

A taxa de juros sobre o saldo devedor resulta em R$600 de juros. A amortização se mantém
zerada, só sendo adicionada no momento do último pagamento, para quitar a dívida total.

Além desse caso, existem os casos com o chamado “Fundo de Amortização” ou “Sinking fund”,
em inglês. O devedor pode constituir um fundo de amortização do empréstimo (sinking fund), no qual
deposita periodicamente as quotas de amortização. Essas quotas, por sua vez, devem render juros de tal
modo que, na data de pagamento do principal, o saldo desse fundo de amortização seja igual ao capital a
pagar, liquidando, dessa maneira, o empréstimo.
Se a taxa de aplicação do sinking fund ( is ) for menor que a taxa à qual o financiamento foi
contratado (i), o dispêndio total feito pelo devedor em cada período será maior que a prestação calculada
no Sistema Price. Isto é, o custo financeiro do Sistema de Amortização Americano será maior que o custo
financeiro do Sistema Price.

Exemplo mostrando a diferença entre o mesmo modelo com e sem fundo de amortização:
Um financiamento de R$ 500.000,00 é solicitado pelo Sistema Americano de Amortização à taxa
de 18% a.m. para retorno em 4 meses. Admitindo a taxa de captação de poupança igual a 15% a.m. no
período do financiamento, elaborar planilhas de desembolso nas condições de se considerar:
a) Sistema Americano sem formação de Fundo de Amortização
b) Sistema Americano com formação de Fundo de Amortização
Solução:
PV = 500.000,00
Prazo do empréstimo: 4 meses
i = 18% a.m.
is = 15% a.m. (taxa de capitalização)
a) S.A.A. sem formação de “fundo de amortização”.

PV FV
J J J J

0 1 2 3 4
J=i • PV = 0,18 • 500,000 = 90.000,00

Ao final do prazo do empréstimo (data “4”), juntamente com a última parcela de juros
(J=90.000,00), é devolvido o valor do financiamento (PV=500.000,00).

Mês Saldo devedor Amortização Juros Prestações
(t) PMT = q+J

0 500.000,00 - - -
1 500.000,00 - 90.000,00 90.000,00
2 500.000,00 - 90.000,00 90.000,00
3 500.000,00 - 90.000,00 90.000,00
4 0,00 500.000,00 90.000,00 590.000,00

b) S.A.A. com formação de “fundo de amortização”.
J = i • PV = 0,18 • 500,000 = 90.000,00
 is   0,15 
q = PV •   = 500.000 •   = 100.132,68
 (1 + is ) − 1  (1 + 0,15) − 1
n 4

q= Amortização

 (1 + is ) t − 1  (1 + 0,15) 1 − 1
SDt = PV − q •   ⇒ SD1 = 500.000 − 100.132,68 •   = 399.867,32
 is   0,15 

Mês Saldo devedor Amortização Juros Prestações
(t)

0 500.000,00 - - -
1 399.867,32 100.132,68 90.000,00 190.132,68
2 284.714,74 100.132,68 90.000,00 190.132,68
3 152.289,28 100.132,68 90.000,00 190.132,68
4 0,00 100.132,68 90.000,00 190.132,68
EXERCÍCIOS:

1-
132000 Enter
20 % -
105600 CHS PV
96 n
1i
PMT
12 f AMORT
X><Y
RCL PV

Juros pagos até a 12ª prestação: R$12221,35
Saldo devedor após o pagamento da 12ª prestação: R$97225,75

2-
a) Amortização do 4º mês: $28125
225000 Enter
8/

b) Soma dos juros pagos 2º e 3º mês: $14625
N Amortização Juros Saldo Devedor
0 225000
1 28125 9000 196875
2 28125 7875 168750
3 28125 6750 140625
Retira-se 4% do saldo devedor de cada mês para encontrar o juro do mês seguinte.
196875 Enter
4%
168750 Enter
4%
7875 Enter
6750 Enter +

c) Saldo devedor após pagamento da 5ª prestação: $84375
225000 Enter
28125 Enter
4x–

3-
a) SFA
N Amortização Juros Prestação Saldo Devedor
0 12000
1 2107,61 780 2887,61 9892,39
2 2244,6 643,01 2887,61 7647,79
3 2390,5 497,11 2887,61 5257,29
4 2545,89 341,72 2887,61 2711,4
5 2711,37 176,24 2887,61 0
Juros totais: R$ 2438,08

b) SAC
N Amortização Juros Prestação Saldo Devedor
0 12000
1 2400 780 3180 9600
2 2400 624 3024 7200
3 2400 468 2868 4800
4 2400 312 2712 2400
5 2400 156 2556 0
Juros totais: R$ 2340

4-
a) Prestação: R$ 3726,67
b) Juros: R$ 1495; Amortização: R$ 2166,67
c) Saldo devedor: R$ 30333,3
d) Juros acumulados: R$ 8385
e) Prestação: R$ 4194,40
N Amortização Juros Prestação Saldo Devedor
0 52000
1 2166,67 1560 3726,67 49833,33
2 2166,67 1495 3661,67 47666,66
3 2166,67 1430 45499,99
4 2166,67 1365 43333,32
5 2166,67 1300 41166,65
6 2166,67 1235
7 2166,67
8 2166,67
9 2166,67
10 2166,67 30333,3
...
24

5-
Cálculo com HP:
450000 CHS PV
12i
5n
PMT=124834,38
1 f AMORT
X><Y
RCL PV
...

SFA
N Amortização Juros Prestação Saldo Devedor
0 450000
1 70834,38 54000 124834,38 379165,62
2 79334,51 45499,87 124834,38 299831,11
3 88854,65 35979,73 124834,38 210976,46
4 99517,2 25317,18 124834,38 111459,26
5 111459,27 13375,11 124834,38 0
Pagamento total: R$ 624171,90

Cálculo algébrico para SAA:
SD1=450000-73708,87.[(1+0,1)pot.1-1/0,1]=376291,13

SD2=450000-73708,87.[(1+0,1)pot.2-1/0,1]=295211,37
SD3=450000-73708,87.[(1+0,1)pot.3-1/0,1]=206023,64

SD4=450000-73708,87.[(1+0,1)pot.4-1/0,1]=107917,13

SD5=450000-73708,87.[(1+0,1)pot.5-1/0,1]=0

Obs.: O “pot.” Nas equações simboliza potência.

SAA
N Amortização Juros Prestação Saldo Devedor
0 450000
1 73708,87 54000 127708,87 376291,13
2 73708,87 54000 127708,87 295211,37
3 73708,87 54000 127708,87 206023,64
4 73708,87 54000 127708,87 107917,13
5 73708,87 54000 127708,87 0
Pagamento total: R$ 638544,35

Portanto, o sistema francês será mais econômico.
Este trabalho nos mostrou as vantagens e desvantagens, tanto para quem empresta quanto a quem
pega emprestado, nos sistemas de amortização de empréstimos. Os sistemas discutidos são usados
diariamente por todos, portanto é importante conhecê-los para conseguir acordos e financiamentos justos.
Bibliografia:
PUCCINI, Abelardo de Lima. Matemática Financeira Objetiva e Aplicada. 7 ed. São Paulo: Saraiva,
2006.
MORATO, Augusto C.; CESAR Benjamin. Matemática Financeira. 2 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006
Websites:
www.pucrs.br
miltonborba.org
www.scribd.com
www.fadepe.com.br
www.folha.uol.com.br