You are on page 1of 5

ESTUDO DAS ATIVIDADES PRODUTIVAS NA ILHA DO MURUTUCÚ

Felipe Brabo1; Adalton Sales2; Jamille Patricio3

1
Graduando do Curso Tecnológico em Gestão Ambiental – Faculdade Ideal.
2
Graduando do Curso Tecnológico em Gestão Ambiental – Faculdade Ideal.
3
Graduando do Curso Tecnológico em Gestão Ambiental – Faculdade Ideal.

RESUMO
A pesquisa em foco buscou identificar e estudar os sistemas de exploração dos produtos da
floresta voltados para a venda em mercados locais, objetivando a caracterização
socioeconômica da comunidade ribeirinha da Ilha do Murutucú a partir da sua principal
atividade produtiva, o açaí. Logo, iremos compreender o processo desde a extração da matéria
até o produto final baseados nos saberes e práticas da localidade. A pesquisa observou que as
condições de produção, além da falta de saneamento básico contribuem para a degradação dos
recursos e disseminação dos problemas de saúde. Porém, a extração do açaí o constituiu como
principal fator de subsistência para a população. Por se constituir uma pesquisa
interdisciplinar, o trabalho vem se efetivando a partir de métodos e técnicas distintas e
complementares entre si, com abordagens qualitativas e quantitativas. Foram realizadas as
coletas de dados primários relativos aos aspectos humanos e epidemiológicos locais. Sendo
adotados os procedimentos de reconhecimento da área de estudo e identificação de lideranças
locais. Os aspectos humanos e epidemiológicos foram coletados através de questionários
domiciliares. Tais objetivos levaram a oferecer instrumentos para a, busca de políticas
públicas, sustentabilidade, ações ou estratégias que conduzam a uma melhoria da qualidade de
vida ribeirinha.
PALAVRAS-CHAVE: extrativismo, produção, saneamento, sustentabilidade, açaí.
ABSTRACT
The research focus was to identify and study the systems exploitation of florest products
targeted for sale in markets locations, aimed at the socioeconomic characteristics of
community riverside’s Island Murutucú from its main activity productive, açaí. Therefore we
will understand the process from extraction matter until the final product based on knowledge
and practices of location. The survey noted that the conditions of production, besides lack of
basic sanitation contribute to the degradation of resources and dissemination of health
problems. Howewer, the extraction of the açaí constituted the main factor of livelihood for the
population. For if constitute na interdisciplinary research work has been effecting the methods
and techniques from different and complementary to each other, with qualitative and
quantative approaches. Collections were performed primary data relating to human aspects
and epidemiological sites. Identification of local leaders. The human aspects and
epidemiological were collected through household interviews. These objectives led to
providing tools for, search public policy, sustainability, initiatives or estrategies that lead to
improve the quality of river life.
KEY WORDS: extraction, production, sanitation, sustainability, açaí.

INTRODUÇÃO
O estudo das atividades produtivas da ilha do Murutucú situada na região insular do
município de Belém consiste em uma pesquisa interdisciplinar desenvolvido pela Faculdade
Ideal, por meio do corpo discente e docente do Curso Tecnológico de Gestão Ambiental, e
estes visam diagnosticar a realidade sócio-econômica e condicionante ambientais vivida pelas
comunidades daquela região no que se diz respeito à forma do uso e exploração dos recursos
naturais produtivos ali disponíveis.
Em decorrência este trabalho relata o resultado dos estudos sobre as atividades
produtivas na ilha do Murutucú. Onde, a partir dos objetivos traçados no projeto de pesquisa
foram alcançados aqueles cujas hipóteses revelam que as condições socioeconômicas e
“culturais”, além da falta de saneamento básico, levam à inadequação do processo de coleta e
tratamento da matéria-prima disponível na localidade. A ilha de Murutucú localizada cerca de
9,2 km da capital/Belém, cujo percurso só pode ser realizado via fluvial, pelo rio Guamá, que
separa a ilha da parte continental do estado. Tem aproximadamente 8,8 km2, onde estão
dispersas 143 famílias perfazendo um total próximo de 840 pessoas, onde do total de pessoas
entrevistadas 30,66% são sexo masculino e 69,44% do sexo feminino, conforme dados
tabulados através de questionários aplicados dentro da própria ilha. Observa-se também que a
maior parcela da população local está concentrada na faixa etária de 25 a 35 ano,
caracterizada por uma população jovem.
Murutucú tem no extrativismo a sua principal atividade produtiva, geradora de renda na
qual podemos destacar o extrativismo do açaí, como sendo a matriz energética que
movimenta a economia local. Porém, existem outras fontes de renda que ajudam na
sobrevivência da comunidade com é o caso do cacau, cupuaçu, pupunha, o artesanato e
outros. Sendo estes comercializados em menor escala, sua destinação final são as feiras,
mercados e portos de Belém, destacando-se entre eles o porto da palha localizado no bairro da
Condor. Apesar das dificuldades, a proximidade com Belém supriu algumas necessidades
locais, principalmente no que diz respeito à educação, saúde e escoamento dos produtos de
comercialização dos ribeirinhos.
Essas questões tornam relevantes estudos, fazendo-se necessário uma pesquisa melhor
fundamentada como esta sobre as atividades remanescentes na ilha, haja vista que o fato de
serem poucos os trabalhos acadêmico-disciplinares que visam a questão produtiva das ilhas
sul de Belém, conjuntamente com a busca de instrumentos, políticas públicas, ações ou
estratégias que conduzam a uma melhoria significativa na qualidade de vida daquelas
comunidades.

MATERIAL E MÉTODOS
Por motivos metodológicos, o tema apresentado, Atividades Produtivas, foi
desenvolvido através de pesquisas bibliográficas e in loco, com a aplicação de questionários a
moradores e representantes da ilha, em que a obtenção de dados primários e secundários foi
possível.
No decorrer da pesquisa a apresentação de diagnósticos iniciais se deu através de
relatórios e da tabulação de dados já obtidos, e que tais diagnósticos foram avaliados pela
orientadora Msc. Lucidéa Santos no processo de elaboração do artigo científico. Mostrando o
açaí como principal fonte de renda dos moradores

Aqui nessa parte da pesquisa exploram-se as atividades


NS/SR 2,9
produtivas da Ilha. Perguntado sobre qual a principal
Marceneiro 2,9
Pesca 2,9 atividade produtiva, a exploração do açaí se destaca
Barqueiro 5,7 como a principal atividade, 85,7%. As demais atividades
Açaí 85,7
são inexpressivas: barqueiro (5,7%), pesca (2,9%),
,0 50,0 100,0
Merceneiro (2,9%).

RESULTADOS E DISCUSSÕES
No tocante as principais etapas realizadas pelos produtores de açaí desde o processo de
coleta do açaí (produto in natura) até o produto acabado (polpa), destacam-se três das
principais etapas: extrativismo, produção/beneficiamento, comercialização.
Na 1º etapa do extrativismo “coleta do açaí” realizada pelos próprios da ilha, entenda-se
como extrativismo “Sistema de exploração baseado na coleta e extração, de modo sustentável,
de recursos naturais renováveis”. Observaram-se as boas práticas disseminadas pelos
produtores no que se refere principalmente ao processo do beneficiamento e melhoria da
qualidade do produto final, haja vista realizarem o manejo de Pré-colheita (escolha da área,
seleção dos açaizeiros), Colheita(frutos maduros, horário adequado) e Pós-colheita(debulha
do fruto) do fruto visando favorecer a produção por meio de uma utilização equilibrada, ou
seja, retirando apenas uma parte do mesmo, para que a outra fique para garantir as produções
futuras.
Embora tiverem uma boa noção de manejo e de comercialização do fruto, muitos desses
produtores de açaí ainda esbarram na falta de apoio técnico e financiamentos para poderem
fortalecer a produção, sobretudo na entressafra onde há pouca oferta da fruta.
Na 2º etapa importa o acondicionamento adequando dos frutos, seja em cestos, paneiros
ou caixas de plásticos, tomando cuidado, pois a exposição à radiação solar direta aumenta a
possibilidade de ressecamento e deterioração dos frutos.
Existem dois processos de beneficiamento praticado pelos produtores locais, o
tradicional ou semi-industrial no qual são utilizadas máquinas despolpadeiras ou,
popularmente denominadas de batedeiras, semelhantes a um liquidificador, construídas em
aço inoxidável, modelo vertical, que procede ao despolpamento de bateladas do fruto de açaí
com a adição de água e o industrial.
Na etapa da Comercialização, parte do açaí ainda se encontra em sua forma natural
(caroço) e outra parte em forma de polpa, permitem tornar o açaí disponível para o mercado
consumidor durante longos períodos do ano. Essa exploração feita pela comunidade
Murutucuense é de fundamental importância para economia do Estado e principalmente da
ilha, haja vista que para a população ribeirinha, esta é uma das mais rentáveis possibilidades
comerciais proporcionadas pela natureza.

CONCLUSÕES
O setor produtivo da ilha ainda encontra sérios problemas no que diz respeito ao
tratamento de seus efluentes, a falta de mão-de-obra qualificada e infra-estrutura no
escoamento da produção, O estudo das Atividades Produtivas na ilha do Murutucú objetivou a
análise das relações socioeconômicas na comunidade local a partir de suas atividades
econômicas, principalmente o açaí.
A produção de frutos para o mercado local é uma atividade de baixo custo e de
excelente rentabilidade econômica. O fruto do açaizeiro possui um mercado regional muito
forte, por ser importante na alimentação diária das populações locais, pelos seus altos valores
nutricionais e além do que é uma preferência regional. No entanto, todo potencial produzido
em grande escala dos produtos florestais potencializados pelos ribeirinhos das ilhas sul de
Belém, ainda enfrentam dificuldades no que se refere ao transporte do produto já beneficiado
para os pontos de venda, que geralmente é a capital Belém, pois os barcos utilizados nas
viagens não apresentam condições adequadas para este tipo de transporte, além do que são
alugados a um valor considerável de mercado o que acaba gerando prejuízos para os
produtores locais.

LITERATURA CITADA
CASTRO, A de (1993). L’extractivisme de I’açaí. In: Rapport final SOFT. Paris/Manaus.
BELO, Joaquim S. Criação de reservas extrativistas para as ilhas de Belém.
DERGAN, J. MARCELO. História, memória e natureza: as comunidades da ilha do
Combu-Belém-PA. Belém. 2006
LESCURE, J. –P.; PINTON, F. & DELAVOUX, J. J. (1992). La Réserve Extrativiste: un
outil de protection du petit de producteur et de La forêt? Rapot de mission dans le
Moyen Juruá. Manaus: ORSTOM/INPA
MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. A Reserva Extrativista que Conquistamos. Manual
do Brabo. Brasília - 2002. 96p.