You are on page 1of 96

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

Material de apoio

Professor Paulo Cabral

www.gestaopedagogica.com.br

cabraljr@ymail.com
Conteúdo
Aula Introdutória ........................................ 3
Aula 1 – História da Administração .......... 12
Aula 2 – Abordagem Clássica da
Administração .......................................... 17
Aula 3 – Abordagem Clássica da
Administração (continuação) ................... 20
Aula 4 – Abordagem Clássica da
Administração (continuação) ................... 24
Aula 5 – Abordagem Clássica da
Administração .......................................... 30
Aula 6 – Abordagem Humanística ............ 35
Aula 7 – Abordagem Humanística ............ 39
Aula 8 – A Teoria da Burocracia ............... 50
Aula 9 – A Abordagem Estruturalista ....... 56
Aula 10 – A Abordagem Neoclássica ........ 62
Aula 11 – A Abordagem Neoclássica ........ 68
Aula 12 – A Abordagem Comportamental
.................................................................. 78
Aula 13 – A Abordagem Sistêmica ........... 84
Aula 14 – A Abordagem Contingencial ..... 93
Aula 15 – Tendências e possibilidades ..... 96

2
Aula Introdutória

3
4
5
6
7
8
9
10
11
Aula 1 – História da Administração1 que valorizavam a riqueza física e o
EVOLUÇÃO Estado, pois ao lado das reformas fiscais
preconizavam uma administração

A
história da Administração iniciou- sistemática, especialmente no setor
se num tempo muito remoto, público.
mais precisamente no ano 5.000
a.C., na Suméria, quando os antigos Na evolução histórica da administração,
sumerianos procuravam melhorar a duas instituições se destacaram: a Igreja
maneira de resolver seus problemas Católica Romana e as Organizações
práticos, exercitando assim a arte de Militares.
administrar.
A Igreja Católica Romana pode ser
Depois no Egito, Ptolomeu dimensionou considerada a organização formal mais
um sistema econômico planejado que não eficiente da civilização ocidental. Através
poderia ter-se operacionalizado sem uma dos séculos vem mostrando e provando a
administração pública sistemática e força de atração de seus objetivos, a
organizada. eficácia de suas técnicas organizacionais e
administrativas, espalhando-se por todo
Em seguida, na China de 500 a.C, a mundo e exercendo influência, inclusive
necessidade de adotar um sistema sobre os comportamentos das pessoas,
organizado de governo para o império, a seus fiéis.
Constituição de Chow2, com seus
regulamentos e as Regras de
Administração Pública de Confúcio
exemplificam a tentativa chinesa de
definir regras e princípios de
administração.

Apontam-se, ainda, outras raízes


históricas. As instituições otomanas, pela
forma como eram administrados seus
grandes feudos. Os prelados católicos, já
na Idade Média, destacando-se como
administradores natos. A Alemanha e a
Áustria, de 1550 a 1700, através do
aparecimento de um grupo de
professores e administradores públicos
chamados os fiscalistas ou cameralistas. Figura 1 - Hierarquia da igreja Católica
Os mercantilistas ou fisiocratas franceses,
As Organizações Militares evoluíram das
displicentes ordens dos cavaleiros
1
Extraído do site medievais e dos exércitos mercenários
http://www.cfa.org.br/download/RD1605.pdf
em 08/07/2010 dos séculos XVII e XVIII até os tempos
2
A constituição de Chow, promulgada em 1100 modernos com uma hierarquia de poder
AC, descrevia os cargos e atribuía tarefas a rígida e adoção de princípios e práticas
todos os servidores reais, do 1º ministro aos
administrativas comuns a todas as
criados domésticos, além de criar o concurso
publico. empresas da atualidade.

12
O fenômeno que provocou o E a moderna administração surgiu em
aparecimento da empresa e da moderna resposta a duas conseqüências
administração ocorreu no final do século provocadas pela Revolução Industrial, a
XVIII e se estendeu ao longo do século saber:
XIX, chegando ao limiar do século XX.
a) crescimento acelerado e
Esse fenômeno, que trouxe rápidas e desorganizado das empresas que
profundas mudanças econômicas, sociais passaram a exigir uma administração
e políticas, chamou-se Revolução científica capaz de substituir o empirismo
Industrial. A Revolução Industrial teve e a improvisação;
início na Inglaterra, com a invenção da
máquina a vapor, por James Watt, em b) necessidade de maior eficiência e
1776. A aplicação da máquina a vapor no produtividade das empresas, para fazer
processo de produção provocou um face à intensa concorrência e competição
enorme surto de industrialização, que se no mercado.
estendeu rapidamente a toda a Europa e Difícil é precisar até que ponto os homens
Estados Unidos. da Antiguidade, da Idade Média e até
A Revolução Industrial desenvolveu-se mesmo do início da Idade Moderna
em duas fases distintas: a primeira fase de tinham consciência de que estavam
1780 a 1860. É a revolução do carvão, praticando a arte de administrar.
como principal fonte de energia, e do Já no século XX, surge Frederick W.
ferro, como principal matéria-prima. Taylor, engenheiro americano,
apresentando os princípios da
Administração Científica e o estudo da
Administração como Ciência. Conhecido
como o precursor da TEORIA DA
ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA, Taylor
preconizava a prática da divisão do
trabalho, enfatizando tempos e métodos
a fim de assegurar seus objetivos "de
máxima produção a mínimo custo",
seguindo os princípios da seleção
científica do trabalhador, do tempo
padrão, do trabalho em conjunto, da
supervisão e da ênfase na eficiência.

Nas considerações da Administração


Figura 2 - Máquina a vapor
Científica de Taylor, a organização é
comparada com uma máquina, que segue
A segunda fase de 1860 a 1914. É a um projeto pré-definido; o salário é
revolução da eletricidade e derivados do importante, mas não é fundamental para
petróleo, como as novas fontes de a satisfação dos funcionários; a
energia, e do aço, como a nova matéria- organização é vista de forma fechada,
prima. Ao final desse período, o mundo já desvinculada de seu mercado; a
não era mais o mesmo. qualificação do funcionário passa a ser

13
supérflua em conseqüência da divisão de atraso na difusão generalizada das idéias
tarefas que são executadas de maneira de Fayol fez com que grandes
repetitiva e monótona e finalmente, a contribuintes do pensamento
administração científica, faz uso da administrativo desconhecessem seus
exploração dos funcionários em prol dos princípios. Fayol relacionou 14 (quatorze)
interesses particulares das empresas. princípios básicos que podem ser
estudados de forma complementar aos
Em 1911, Taylor publicou o livro de Taylor. As 05 (cinco) funções precípuas
considerado como a "bíblia" dos da gerência administrativa como:
organizadores do trabalho: PRINCÍPIOS
planejar, comandar, organizar, controlar e
DA ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA, que coordenar, o já conhecido e
tornou-se um best-seller no mundo exaustivamente estudado nas escolas de
inteiro. Reconhece-se hoje que as
administração -PCOCC - são os
propostas pioneiras de Taylor fundamentos da Teoria Clássica
deflagraram uma "febre" de
defendida por Fayol.
racionalização, que prepararam o terreno
para o advento do TQC (Total Quality Esta Teoria considera: a obsessão pelo
Control), ocorrido ao longo do pós- comando, a empresa como sistema
guerra. fechado e a manipulação dos
trabalhadores, que semelhante à
As propostas básicas de Taylor:
Administração Científica, desenvolvia
planejamento, padronização, princípios que buscavam explorar os
especialização, controle e remuneração
trabalhadores.
trouxeram decorrências sociais e culturais
da sua aplicação, pois representaram a Traçando-se um paralelo entre a
total alienação das equipes de trabalho e Administração Científica e a
da solidariedade grupal, fortes e vivazes Administração Clássica, conclui-se que
no tempo da produção artesanal. enquanto Taylor estudava a empresa
privilegiando as tarefas de produção,
Apesar das decorrências negativas para a
Fayol a estudava privilegiando as tarefas
massa trabalhadora, que as propostas de da organização. A ênfase dada pelo
Taylor acarretaram, não se pode deixar primeiro era sobre a adoção de métodos
de admitir que elas representaram um
racionais e padronizados e máxima
enorme avanço para o processo de divisão de tarefas enquanto o segundo
produção em massa. enfatizava a estrutura formal de empresa
Paralelamente aos estudos de Taylor, e a adoção de princípios administrativos
Henri Fayol que era francês, defendia pelos altos escalões.
princípios semelhantes na Europa, Na história da evolução da Administração
baseado em sua experiência na alta não se pode esquecer a valiosa
administração. Enquanto os métodos de
contribuição de Elton George Mayo, o
Taylor eram estudados por executivos criador da TEORIA DAS RELAÇÕES
europeus, os seguidores da HUMANAS, desenvolvida a partir de 1940,
Administração Científica só deixaram de
nos Estados Unidos e mais recentemente,
ignorar a obra de Fayol quando a mesma com novas idéias, com o nome de Teoria
foi publicada nos Estados Unidos. O do Comportamento Organizacional. Ela

14
foi, basicamente, o movimento de reação A partir de 1950 foi desenvolvida a Teoria
e de oposição à Teoria Clássica da Estruturalista, preocupada em integrar
Administração, com ênfase centrada nas todas as teorias das diferentes escolas
PESSOAS. Teve como origem: a acima enumeradas, que teve início com a
necessidade de humanizar e democratizar Teoria da Burocracia de Max Weber, que
a administração, o desenvolvimento das se baseia na racionalidade, isto é, na
chamadas ciências humanas (psicologia e adequação dos meios aos objetivos (fins),
sociologia), as idéias da filosofia para que se obtenha o máximo de
pragmática de John Dewey e da eficiência.
Psicologia Dinâmica de Kurt Lewin e as
conclusões do Experimento de Convém citar ainda, a Teoria de Sistemas
Hawthorne, já bastante estudado e desenvolvida a partir de 1970, que passou
discutido nas escolas de administração. a abordar a empresa como um sistema
Em 1932, quando a experiência foi aberto em contínua interação com o meio
suspensa, estavam delineados os ambiente que o envolve e a Teoria da
princípios básicos da Escola de Relações Contingência, desenvolvida no final da
Humanas, tais como: década de 1970. Para essa teoria a
empresa e sua administração são
a) o nível de produção como resultante variáveis dependentes do que ocorre no
da integração social; ambiente externo, isto é, a medida que o
meio ambiente muda, também ocorrem
b) o comportamento social do mudanças na empresa e na sua
empregado; administração como conseqüência.
c) a formação de grupos informais;

Figura 3 - As principais teorias da Administração

d) as relações interpessoais;
Assim sendo, os princípios fundamentais
e) a importância do conteúdo do cargo e das Teorias de Taylor, Fayol, Mayo e
a ênfase nos aspectos emocionais. Weber foram e serão sempre os pilares

15
da evolução e do desenvolvimento da
ciência da Administração e que têm
motivado e impulsionado os estudos,
pesquisas, trabalhos e obras dos seus
seguidores até os nossos dias.

Exercícios de fixação:

1 – Separar em grupos de cinco pessoas


no máximo e pesquisar na biblioteca o
conceito de administração. Preparar uma
resenha descritiva com cinco linhas no
mínimo expondo o parecer do grupo
sobre a definição pesquisada.

16
Aula 2 – Abordagem Clássica da se em engenharia mecânica em 1883,
Administração nesta época já havia trabalhado como
Estrategistas da abordagem Clássica: aprendiz e estava empregado na Midvale
Steel Company3, onde trabalhou como
Frederick Winslow Taylor maquinista, contramestre e engenheiro

C
onhecido com pai da chefe. Foi justamente na Midvale que ele
administração científica foi o mais desenvolveu os princípios que mais tarde
famoso guru da administração. seriam conhecidos como administração
Suas obras foram discutidas e científica.
implementadas em todo o mundo. Ao Por volta de 1886 Taylor se desliga da
mesmo tempo em que Taylor foi
Midvale, trabalha como gestor em outras
idolatrado, também foi demonizado. Os indústrias onde pode observar e agregar
seus métodos foram criticados por serem valor às suas teorias. Em 1898 ele foi
desumanizadores e incapacitante. contratado pela Bethlehem Steel
Embora muitos condenem seus métodos, Company4, onde enfim ele pode colocar
observa-se que muitos elementos da todo o seu sistema em prática. Neste
administração científica são realidade em mesmo período Taylor conduz uma
várias empresas. Porém o que tem se empresa independente de engenharia e
discutido é que não existe um sistema consegue se cercar outras pessoas
total, e cada empresa deve adequar e talentosas que o ajudam não somente na
mesclar modelos que atendam seu implantação de sua técnica, bem como na
contexto. propagação da mesma.

Em 1901 é lançado o livro Shop


Management, um sucesso extraordinário
em todo o mundo, com empresas de
vários continentes implementando as
técnicas ensinadas por Taylor. Destaque
para o engenheiro Roberto Simonsen5,
brasileiro que adotou métodos tayloristas
em suas empresas.

O termo administração científica, usado


para descrever todo o sistema de análise,
controle e reengenharia desenvolvido por
Taylor, foi cunhado em 1911 durante uma
reunião de engenheiros e pessoas
notórias da indústria. Ele gostou do

3
Figura 4 - Frederick Winslow Taylor A empresa foi mais notável indústria de aços
entre 1867 até 1976.
4
Era uma vez a segunda maior siderúrgica dos
Estados Unidos.
5
Taylor nasceu na Pensilvânia no dia 20 de Roberto Simonsen (R. Cochrane S.),
engenheiro, industrial, administrador,
março de 1856, filho de advogado e professor, historiador e político, nasceu em
oriundo de uma família próspera, formou- Santos, SP, em 18 de fevereiro de 1889.

17
termo criado, tanto que no mesmo ano remunerações diferentes pelo mesmo
lançou o livro The principles of Scientific trabalho: uma remuneração alta por
Management (Os princípios da tarefa, caso o trabalho seja terminado no
administração científica). menor prazo possível e em perfeitas
condições, e uma remuneração baixa, se o
Para entender plenamente o sistema de
trabalho se completar em mais tempo ou
Taylor é necessário levar em consideração
se há imperfeições nele (a remuneração
o cenário em que ele trabalhava e sua alta deveria ser tal que o operário pudesse
própria visão mental. A indústria receber mais por dia do que geralmente se
americana nas décadas de 1880 e 1890
pagava em estabelecimentos similares).
estava longe de ser eficiente. Não Isso é exatamente o contrario do plano
somente eram poucas as fábricas que usual de pagamento por tarefa, em que a
conseguiam eficiência ótima, como
remuneração dos operários é reduzida
raramente se encontravam sistemas de
quando eles aumentam a produtividade.6
medições para determinar o que seria
uma eficiência ótima, muito menos saber Taylor acreditava que o plano de
se estava sendo obtida. As maiorias dos remuneração diferencial aumentaria a
proprietários de fábricas só percebiam as produtividade por dar aos operários um
ineficiências quando os lucros incentivo para aumentar a produção,
começavam a cair. A resposta comum eliminando também outras práticas pelas
nesses casos era simplesmente cortar quais os operários simulavam estar em
salários em vez de investigar as causas atividade, reduzindo de forma deliberada
ocultas do problema. o ritmo de trabalho para um nível que
lhes aprouvesse.
As cabeças mais sábias sentiram que
devia haver uma solução para os Quando apresentado sua teoria, Taylor se
problemas de eficiência industrial e em deparou com uma indagação comum
meados de 1886 surgem as primeiras entre os empresários, como definir o
idéias para melhorar a remuneração dos escalonamento ideal? Como manter o
operários e conseqüentemente aumentar funcionário motivado? Pois uma eventual
a produção. É proposto por alguns a falha nestas escalas colocaria tudo a
distribuição de ganhos, ou como perder.
conhecemos atualmente a participação
nos lucros e, planos de premiação por Este questionamento foi bom, levou
tarefas. Taylor ainda na Midvale examina Taylor a segunda fase de seus estudos.
Ele conseguiu transformar um problema
a situação e as propostas e cria o sistema
de remuneração diferenciada, um sistema trabalhista em questão administrativa:
de bônus que oferecia salários mais altos criar condições para que a força de
trabalho operasse com máxima eficiência7.
aos homens que excediam suas cotas de
trabalho completado em dado período de Com isto ele segmentou ao máximo o
tempo. Veja a explicação nas palavras do trabalho dos operários na Bethlehem,
próprio Taylor:

O sistema de remuneração diferencial de 6


WITZEL, Morgan. 50 Maiores estrategistas de
trabalho por tarefa consiste administração. São Paulo: Contexto, 2005.
7
resumidamente em oferecer duas WITZEL, Morgan. 50 Maiores estrategistas de
administração. São Paulo: Contexto, 2005.

18
dividindo todas as funções em suas Não há duvida de que, quando
menores partes divisíveis. adequadamente implementada, a
administração científica tem condições de
A conclusão era que para implementar aumentar e com freqüência multiplicar a
um sistema de administração científica eficiência. O defeito do sistema de Taylor
seria necessário três estágios. Primeiro,
foi não ter conseguido embutir
estudar intensamente o processo de
mecanismos que combinassem eficiência
produção e dividir cada processo em suas
com humanidade.
tarefas e componentes. Em seguida,
observa-se a execução de cada tarefa, em Exercícios de fixação:
geral repetidas vezes, cronometrando-se
a duração. Esse elemento era conhecido 1 – O estudo do tempo foi desenvolvido
como estudo de tempo. Dados os tempos por Taylor, porém o estudo dos
observados, Taylor e seus engenheiros movimentos foi desenvolvido por um
calculavam então o tempo ótimo casal, pesquisem e elaborem uma
necessário para executar a atarefa. A resenha sobre este estudo. Grupo de
remuneração desta tarefa era então cinco pessoas.
fixada usando estes tempos ótimos como
padrões a serem atingidos por todos os
operários.

O grande problema enfrentado na época


foi a ganância dos empregadores, que
depois de colocar em prática a
administração científica e conseguir
aumento da produtividade a níveis
ótimos, baixavam os salários e exigiam os
mesmos resultados. Isto resultou em
artimanhas por parte dos operários, como
fazer corpo mole quando observados por
supervisores.

Entretanto, apesar de todos os seus


defeitos, a administração científica
também teve muitos pontos positivos. O
estudo metódico de como se executavam
as tarefas, e a que ritmo, ensinou os
administradores – e aos operários –
muitas coisas que eles não sabiam sobre a
natureza do trabalho. Os estudos de
tempo de Taylor aliados aos estudos dos
movimentos, tornou-se ao longo das
décadas o estudo de tempos e
movimentos, um instrumento de
planejamento de trabalho que ainda hoje
é amplamente adotado.

19
Aula 3 – Abordagem Clássica da portas da falência. A única unidade da
Administração (continuação) companhia que funcionava bem era a
Estrategistas da abordagem Clássica: mina de Commentry, onde Fayol era
gerente-geral. Diante dos fatos
Henri Fayol8 nomearam Fayol presidente da empresa.

F
ayol foi um engenheiro de minas Ao longo das duas décadas seguintes,
francês que desenvolveu
Fayol continuou a liderar a agora
independente do movimento
próspera companhia.
americano de administração científica,
uma teoria geral da administração de Passou a interessar-se mais pelos
empresas, a Teoria Clássica da problemas de administração, o que fica
Administração. claro em sua obra Administração geral e
industrial de 1925, onde declara que toda
Ao contrário de Taylor, Fayol concentrou- a empresa em qualquer campo, se
se nos deveres da alta administração, e caracteriza por seis tipos de atividades:
não na gestão de processos individuais. produção, comércio (ou marketing e
vendas), finanças, segurança,
contabilidade e administração.

Atividades
Administrativas

Atividades Atividades
Atividades Atividades Atividades
de de
Comerciais Financeiras Contábeis
Produção Segurança

Fayol nasceu em 29 de julho de 1841 em


Constantinopla, formou-se na Escola de À medida que cresce a empresa, também
Minas de Saint Etienne e foi contratado cresce a importância da administração,
ainda na escola, aos dezenove anos, pela pois se torna necessário controlar e
companhia de mineração Boigues coordenar os elementos dos outros cinco
Rambourg. Em 1888 a empresa esta às tipos.

Com esse fundamento, Fayol passa à sua


8
WITZEL, Morgan. 50 Maiores estrategistas de definição das tarefas da administração.
administração. São Paulo: Contexto, 2005.

20
Originalmente compostas de cinco afastar qualquer idéia de rigidez. Para ele
elementos: tudo era questão de medida, ponderação
e bom senso. Os princípios são universais
univers
 Planejar; e maleáveis, e adaptam-se
adaptam a qualquer
 Organizar;
tempo, lugar ou circunstância.
 Comandar;
 Coordenar; Os 14 Princípios Gerais da Administração,
Administração
 Controlar. segundo Fayol são:

Estes são os elementos da Administração  Divisão do trabalho – Consiste na


que constituem o processo especialização das tarefas e das
administrativo, que são localizáveis no pessoas para aumentar a
trabalho do administrador em qualquer eficiência;
nível ou área de atividade da empresa.

Planejar •Avaliar
Avaliar o futuro e o aprovisionamento dos recursos em função dele e, com
isto traçar o programa de ação

Organizar •Proporcionar
Proporcionar tudo que é util ao funcionamento da empresa e pode ser
dividida em organização material e social.

Comandar •Dirigir
Dirigir e orientar o pessoal, o objetivo é alcançar o máximo retorno de
todos os empregados no interesse dos aspectos globais do negócio.

Coordenar •Ligar
Ligar e harmonizar todos os atos e todos os esforços coletivos. Sincroniza
coisas e ações em proporções certas e adapta meios aos fins visados.

•Verificar
Verificar se tudo ocorre de acordo com as regras e as ordens. O objetivo é
Controle localizar fraquezas e erros no intuito de retificá-los
recorrências.
los e prevenir as

Figura 6 - As funções do administrador segundo


se Fayol

Um teste simples da validade do conceito


é considerar uma função administrativa  Autoridade e responsabilidade –
qualquer, retirar das responsabilidades do Autoridade é o direito de dar
ordens e o poder de esperar
administrador um ou mais dos elementos
obediência. A responsabilidade é
mencionados, e então considerar as
formas em que essa retirada aumenta o uma conseqüência natural da
risco e a incerteza do
o administrador. autoridade e significa o dever de
prestar contas. Ambas devem
Fayol definiu os Princípios Gerais da estar equilibradas entre si;
Administração,, é interessante observar
que ele utiliza o termo princípios para

21
 Disciplina – Depende de  Estabilidade do pessoal – A
obediência, aplicação, energia, rotatividade do pessoal é
comportamento e respeito aos prejudicial para a eficiência da
acordos estabelecidos; organização. Quanto mais tempo
uma pessoa permanecer no
 Unidade de comando – Cada cargo, tanto melhor para a
empregado deve receber ordens empresa;
de apenas um superior. É o
princípio da autoridade única;  Iniciativa – A capacidade de
visualizar um plano e assegurar
 Unidade de direção – Uma cabeça pessoalmente o seu sucesso;
e um plano para cada conjunto de
atividades que tenham o mesmo  Espírito de equipe – A harmonia e
objetivo; a união entre as pessoas são
grandes forças para a
 Subordinação dos interesses organização;
individuais aos gerais – Os
interesses gerais da empresa Para a Teoria Clássica de Taylor, a
devem sobrepor-se aos interesses estrutura organizacional é analisada
particulares das pessoas; de cima para baixo (da direção para a
execução) e do todo para as partes
 Remuneração do pessoal – Deve (da síntese para a análise), ao
haver justa e garantida satisfação contrário da abordagem científica.
para os empregados e para a Neste contexto fica mais claro que a
organização em termos de enquanto a Administração Científica
retribuição; se preocupava com a divisão do
trabalho no nível do operário,
 Centralização – Refere-se à fragmentando as tarefas deste, a
concentração da autoridade no Teoria Clássica se preocupava com a
topo da hierarquia da divisão no nível dos órgãos que
organização; compõem a organização, isto é, com
os departamentos, divisões, seções,
 Cadeia escalar – É a linha de unidades etc. Para a Teoria Clássica, a
autoridade que vai do escalão divisão do trabalho pode dar-se em
mais alto ao mais baixo em duas direções:
função do princípio do comando;
 Vertical – A autoridade aumenta à
 Ordem – Um lugar para cada coisa medida que se sobe na hierarquia
e cada coisa em seu lugar. É a da organização. Daí a
ordem material e humana; denominação autoridade de linha
para significar a autoridade de
 Equidade - Amabilidade e justiça comando de um superior sobre o
para alcançar a lealdade do subordinado.
pessoal;  Horizontal – Seguindo os
diferentes tipos de atividades da

22
organização. No mesmo nível 10. O que é processo administrativo?
hierárquico, cada departamento Explique.
ou seção passa a ser responsável
11. Quais os princípios gerais de
por uma atividade específica e
administração para Fayol?
própria.
12. O que significa cadeia de comando ou
A divisão do trabalho no sentido
cadeia escalar?
horizontal que assegura a
homogeneidade e equilíbrio é 13. Explique a divisão do trabalho e
chamada de departamentalização. A especialização para a Teoria Clássica.
idéia básica era a de que, quanto mais
departamentalizada a organização, 14. Qual a diferença entre divisão de
tanto mais ela seria eficiente. trabalho horizontal e vertical?

Exercícios de fixação:

Baseado no que estudamos e com


pesquisas na biblioteca, respondam as
questões abaixo, grupos de cinco alunos:

1. Qual a abordagem da Teoria Clássica?

2. Compare-a com a abordagem da


Administração Científica.

3. Compare a ênfase nas tarefas


(Administração Científica) e a ênfase
na estrutura (Teoria Clássica).

4. Comente a obra de Fayol.

5. Quais as funções básicas da empresa


segundo Fayol? Explique-as. Como
essas funções são vistas na
atualidade?

6. Qual o conceito de Administração


para Fayol?

7. Explique cada um dos elementos das


funções administrativas.

8. Defina a proporcionalidade das


funções administrativas.

9. Qual a diferença entre organização


como entidade social e organização
como parte do processo
administrativo?

23
Aula 4 – Abordagem Clássica da esclarecido e engenheiro talentoso que
Administração (continuação) projetou o Modelo T e construiu a linha
Estrategistas da abordagem Clássica: de produção de Highland Park com o
velho paranóico que descuidou de sua
Henry Ford9 companhia, contratou capangas da máfia
Henry Ford talvez seja o mais famoso para espancar os seus empregados e, a se
líder empresarial de todos os tempos. Ao acreditar em alguns testemunhos, levou
longo dos últimos cem anos, foi seu filho único à morte precoce. Henry
igualmente admirado e vilipendiado. Para Ford tem dois lados, e qualquer avaliação
alguns, foi o modelo do gênio empresarial tem de considerar os dois.
americano, que revolucionou a cultura e o Ford nasceu perto de Deaborn, Michigan,
estilo de vida americano ao levar carros no dia 30 de julho de 1863. Depois de uma
baratos às massas, dando início ao longo educação rudimentar trabalhou como
caso de amor americano com o
aprendiz de maquinista em Detroit,
automóvel. Para outros foi o incentivador suplementando o parco salário
do sistema de produção em massa, trabalhando em tempo parcial como
desumanizador e embrutecedor, que relojoeiro. Tinha particular interesse em
oprimiu a vida de milhões em todo o engrenagens e suas funções, e chegou a
mundo. levar em consideração fazer carreira de
relojoeiro. Retornado a Derborn em 1882,
fundou uma pequena oficina de máquinas
agrícolas. Em 1888, já com 25 anos, casou-
se com uma moça do lugar, Clara Bryant,
regressando com ela para Detroit, onde
se empregou na Edison Illuminating
Company. Ali seu talento natural de
engenheiro lhe permitiu prosperar, sendo
logo promovido, passando a engenheiro
chefe da área de Chicago em 1893 (seu
único filho, Edsel Ford, nasceu naquele
ano). Sua capacidade chamou a atenção
de Thomas Edison, de quem mais tarde
foi amigo intimo.

Desde o início, Ford era fascinado por


Figura 7 - Henry Ford
automóveis e pelo potencial que oferecia.
Parte do problema advém do fato de a Certamente, no final dos anos 1990, já
vida e a carreira do próprio Ford terem estava fazendo experimentos com o
mudado dramaticamente com a projeto de construção de automóveis.
passagem do tempo. Até mesmo Sua experiência com engrenagens no
observador mais simpático tem tempo de relojoeiro o ajudou a resolver
dificuldades em conciliar o empregador vários problemas sobre como converter a
força motriz produzida por vapor ou por
9 um motor de combustão interna em
WITZEL, Morgan. 50 Maiores estrategistas de
administração. São Paulo: Contexto, 2005.

24
acionamento das rodas. O projeto simples financiador foi Alexander Malcolmson,
da transmissão levou-o ao um negociante de carvão de Detroit.
desenvolvimento de um automóvel Outros sócios foram John e Horace
funcional em 1896. O carro, a que ele deu Dodge, que forneceram os primeiros
o nome de quadriciclo, usava roda de motores para os carros da Ford. O
bicicleta e pesava 225 quilos. Ford canadense James Couzens, ex-
incontinente o vendeu para levantar empregado de Malcolmson, foi
capital a fim de prosseguir suas contratado como tesoureiro e
experiências, continuando a fabricar e a supervisionou os trabalhos iniciais de
vender protótipos semelhantes durante marketing e administração. Com essa
vários anos. equipe foi fundada a Ford Motor
Company em Detroit em junho de 1903.
Em 1899, Ford se demitiu da Edison e,
com capital de um comerciante de
madeira, fundou a Detroit Automobile
Company. Faliu pouco depois, devido, em
grande parte, à sua pouca experiência em
problemas de produção. Em 1900 voltou a
tentar agora com a Henry Ford Company.
Como a primeira empresa, essa também
teve problema e produziu poucos carros,
mas conseguiu desenvolver um bom
projeto de carro de corrida. Ford
entusiasmou-se com as corridas, tanto Figura 8 – Ford Modelo N
que descuidou dos negócios e foi
Os primeiros anos foram cheios de
finalmente destituído da empresa pelo
problemas. Ford teve primeiro de lutar
sócio (ironicamente, a Henry Ford
contra um processo por violação de
Company foi comprada pela Cadillac que
patente proposto pela Associação dos
se tornou finalmente da General Motors).
Fabricantes Licenciados de Automóveis,
Ford fundou então uma sociedade com
que alegavam ter o direito exclusivo de
piloto de corridas Tom Cooper, e juntos
fabricar e vender automóveis a gasolina.
construíram um carro de corrida, o 999,
Em seguida, teve de tornar clara sua visão
que estabeleceu em 1902 o recorde
do futuro da companhia como produtora
mundial de velocidade em terra.
de carros baratos e de baixo custo,
Entretanto, apesar de as corridas serem defendendo essa posição contra
excitantes, as chances de riquezas eram Malcolmson, que queria produzir veículos
pequenas. A visão original de Ford de luxo e alto preço. Ford mostrou que
sempre fora a de construir carros baratos todos os outros fabricantes disputavam
que pudessem ser vendidos as massas. esse mercado, e portanto era sensato
Em 1903, não só já acumulara experiência descer para um patamar inferior no
de engenharia, mas também conhecia os mercado onde a concorrência era
contatos, os financiadores e, acima de praticamente inexistente. Venceu a
tudo, a equipe administrativa para tornar disputa, levando Malcolmson a se afastar
realidade aquele sonho. Dessa vez o em 1906. Passou finalmente a
momentosa atividade de fabricar

25
automóveis. O primeiro projeto contra a qual os outros fabricantes não
importante foi o Modelo N, um carro conseguiram competir. Depois de surgir
barato oferecido ao mercado naquele ano como objeto de luxo o carro se
por 600 dólares. As vendas foram transformou quase da noite para o dia em
suficientemente boas para convencer um produto de consumo de massa. As
Ford de que sua visão inicial estava famílias de classe média, e até mesmo as
correta. Partiu para o desenvolvimento dos operários mais próximos tinham
de duas inovações que lhe dariam fama: condições de comprar um carro. Essa
Modelo T e a fábrica de Highland Park. capacidade de antever o potencial de
mercado de carros teve papel
fundamental no sucesso de Ford.

Figura 10 - Highland Park


Figura 9 - Ford Modelo T
A preponderância do modelo T foi
O modelo T apelidado de “Tin Lizzie” possível em grande parte pela
pelos seus milhões de proprietários foi impressionante organização que o
aquele que trouxe o carro de massa para fabricava. Projetada pelo arquiteto Albert
os Estados Unidos e mudou para sempre Kahn e construída especificamente para
a cultura americana. Projetado por Childe produzir o modelo T, a fábrica de
Harold Willis e viabilizado pelo próprio Highland Park, Michigan, tinha uma área
Ford, o modelo T entrou no mercado em coberta de 155 mil metros quadrados.
1908 por 825 dólares. Com um motor de Tinha a maior linha de montagem já vista
22 cavalos e um projeto avançado de no mundo que foi cuidadosamente
chassis e direção, o carro era planejada para aumentar a velocidade da
tecnologicamente avançado ao ser produção de carros a um ponto jamais
lançado, e ainda assim o projeto o projeto tentado: em vez das 12 a 14 horas para
era tão simples que suas peças podiam montar um carro, os modelos T eram
ser produzidas em massa e facilmente montados com partes acabadas retiradas
montadas. Entre 1908 e 1927, foram do estoque em uma hora e meia. A
vendidos 17 milhões de modelos T, mas inauguração de Highland Park em 1910 foi
que todos os outros modelos de carros um choque para o mundo empresarial.
fabricados à época. Ford trabalhou Visitantes de outras companhias, e até
constantemente para reduzir o preço e mesmo de outros países vinham em
teve tanto sucesso que em meados na bandos para conhecê-la. Entre os que
década de 1920 o preço de um modelo T aprenderam com os métodos de
novo era 275 dólares. Essa foi uma receita produção de Ford estavam fabricantes de

26
calçados tcheco Thomas Bat’a que mais seu serviço três dos melhores
tarde criaria na Europa sua própria visão administradores dos Estados Unidos à
revolucionária da administração. Ford foi época. James Couzens, além de
aplaudido não somente pela engenharia administrar as finanças da companhia,
mecânica, mas também pela atenção ao implantou um sistema de distribuição e
detalhe e pelo sistema de produção uma rede nacional de concessionárias que
cuidadosamente projetado, baseado em foi desde o início uma das grandes forças
grande parte nos métodos da da Ford, permitindo a complementação
administração científica propostos por da produção em massa pela venda em
Taylor. massa. O engenheiro dinamarquês Willian
Knudsen veio para Ford de uma
subsidiária comprada em 1911, e já em
1916 era o responsável por toda
produção, não só de Highland Park, mas
também a de perto de duas dúzias de
subsidiárias que produziam peças e
conjuntos em todos os Estados Unidos.
Seu vice, Charles Sorenson, era um
desenhista que havia trabalhado com
Ford e Cooper em seus dias de carros de
corrida, e progrediu até se tornar gerente
Figura 11 - Linha de produção da Highland Park
de produção do Modelo T.
Também em termos de relações com os
operários, Ford foi visto por muitos como Por volta de 1920, Ford começou a perder
um visionário. Em 1914, reduziu a carga o controle. Os primeiros sinais de
horária diária para oito horas, acreditando problemas vieram á tona com a
que esse era o período ótimo de trabalho debandada da equipe administrativa. Um
para eficiência do operário, e também após o outro, altos administradores e
promoveu a famosa diária de 5 dólares, diretores brigaram com Ford e deixaram a
quase o dobro do salário médio da empresa. James Couzens foi o primeiro a
indústria. Em certa ocasião, quando sair, abandonando Ford e a indústria para
Higlhand Park anunciou que precisava de seguir a carreira política (mais tarde foi
operários, a fábrica atendeu a mais de mil senador dos Estados Unidos). Mais grave
interessados para cada vaga, permitindo foi a saída de knudsen para a rival General
aos chefes de produção selecionar Motors em 1920. Na GM, Knudsen
apenas os mais qualificados. Apesar das assumiu as responsabilidade pela
conotações posteriores de produção do Chevrolet, que perdia em
desumanização e desqualificação dos vendas para o Modelo T da Ford na
operários associados à produção em proporção de 7 por 1. Sete anos depois, o
massa, Highland Park era quase tão Chevrolet já havia tirado o Modelo T do
famosa no mundo sindical quanto mercado. A General Motors, reformada e
empresarial. reestruturada por Pierre Du Pont e Alfred
P. Sloan, era agora mais forte, mais
Outro fator de sucesso de Ford foi sua flexível e mais bem administrada que a
equipe administrativa. Já em 1910, tinha a Ford. Com James Mooney, responsável

27
pelos negócios internacionais, a GM se produção foi interrompida por seis meses
tornava também dominante no exterior. em 1927 a fim de preparar a fábrica para
E Ford começava a desprezar o elemento seu sucessor, o Modelo A. Este teve
mais importante da combinação, os sucesso, mas não tanto a ponto de evitar
consumidores. Seu famoso comentário, que a General Motors lhe tomasse o
“O cliente pode escolher um carro de posto de maior produtor de automóveis
qualquer cor, desde que seja preto”, que em termos de unidades vendidas. Uma
data desse período, talvez seja apócrifo, nova fábrica em River Rouge, Michigan,
mais ainda assim é indicativo da idéia de foi construída para produzir o Modelo A.
que agora apenas a produção era Maior e menos eficiente que Hihgland
importante. Park, tinha uma série de problemas que
atrasavam a produção e reduziam a
lucratividade. O moral na fábrica também
piorou. Ford, apesar de se opor
veementemente aos sindicatos, sempre
havia tratado bem e com justiça seus
operários. No entanto, passou a cortar
salários e aumentar as horas de trabalho.
Quando os empregados ameaçaram se
sindicalizar, Ford contratou Harry
Bennett, um ex-lutador e capanga da
Figura 12 - Ford e Seu filho Edsel Máfia de Chicago, que criou o famigerado
Ford Service Department, uma gangue de
Havia também sinais crescentes de
brutamontes que interrompia as reuniões
doença mental, e seu filho Edsel, que aos
sindicais e aterrorizava os operários pró-
22 anos havia sucedido a Couzens como
sindicalização.
secretário e tesoureiro da companhia, era
um dos que mais sofriam. Charles
Sorenson, leal a Ford até quase o final,
concordava que já nos anos 1920 Ford
estava paranóico, mostrando os
primeiros sinais de loucura, e seu filho era
a vítima de uma série de explosões de
raiva cada vez mais violentas. Apesar de
Edsel Ford ter assumido a presidência da
companhia, sentia-se cada dia mais
Figura 13 - Movimento Sindical na Highland Park
afetado de úlcera de estômago e
finalmente de um câncer que o matou em A morte de Edsel Ford em 1943 provocou
1943. Sorenson, que normalmente não a crise final. Parcialmente paralisado por
tolerava críticas do chefe, acreditava que um derrame, Ford anunciou que
Ford teve grande parte da culpa pela reassumiria a presidência da empresa. O
morte do filho. fato revoltou a esposa e a nora, viúva de
Edsel, que ameaçaram vender suas ações
Foram Sorenson e Edsel Ford que
para a General Motors a menos que Ford
convenceram Ford de que os dias do
se aposentasse. Ele finalmente cedeu, e
Modelo T tinham terminado, e a

28
clara Ford intercedeu junto ao governo
para obter a dispensa de Henry Ford II,
filho de Edsel, do serviço na Marinha.
Depois da guerra, o jovem Ford começou
a longa tarefa de reconstruir a
companhia, contratando novos talentos
administrativos, como Robert Mcnamara
e Lee Lacocca.

Como então podemos avaliar Henry Ford?


Sua carreira está aberta a muitas
interpretações diferentes, tendo todas
elas um elemento de verdade. A Ford de
1934 não é de forma alguma a mesma
Ford de 1914. É inegável que Ford
permaneceu mais do que devia; da
mesma forma, é difícil negar o sucesso
dos primeiros anos, ou seu impacto na
administração da indústria
automobilística e da indústria em geral.

Exercícios de fixação:

Agora que conhecemos Taylor e Fayol,


vamos fazer uma análise critica de Henry
Ford. Em grupos de cinco alunos,
relacionar o que encontramos das teorias
de Taylor e Fayol na Ford Motor
Company, os pontos positivos e
negativos e, o que ainda é aplicado em
empresas.

29
Aula 5 – Abordagem Clássica da entre as mais importantes da história das
Administração teorias e pratica da administração. Muitas
Considerações finais sobre Taylor, Ford e das idéias de Taylor são uadas até hoje e
Fayol10 provavelmente continuarão a ser.

O
início do século XX foi um Em 1903 Taylor divulgou o estudo Shop
momento de grandes Management, no qual propunha sua
transformações tecnológicas, filosofia de administração, que
econômicas e sociais. Foi a época em que compreendia quatro princípios:
surgiram e cresceram empresas para
fornecer em grande quantidades, os  O objetivo da boa administração
era pagar salários altos e ter
novos produtos que haviam sido criados e
que as pessoas desejavam: automóveis, baixos custos de produção;
lâmpadas elétricas, aparelhos de som,  Com esse objetivo, a
administração deveria aplicar
cinema e telefones. Nos Estados Unidos e
na Europa, as empresas industriais métodos de pesquisa para
expandiram-se aceleradamente para determinar a melhor maneira de
executar tarefas;
fornecer esses produtos e serviços.
Nasceu daí a necessidade de estudar  Os empregados deveriam ser
formas de lidar com enormes cientificamente selecionados e
treinados, de maneira que as
quantidades de recursos humanos e
materiais de todos os tipos, que essas pessoas e as tarefas fossem
empresas e os governos passaram a compatíveis;
 Deveria haver uma atmosfera e de
mobilizar.
íntima e cordial cooperação entre
Uma das preocupações marcantes dos a administração e os
administradores dessa época era a trabalhadores, para garantir um
eficiência dos processos de fabricação. A ambiente psicológico favorável à
pessoa que conseguiu montar um aplicação desses princípios.
conjunto de princípios e técnicas para
tratar a eficiência foi Taylor, líder de um Para colocar em prática o principio
grupo que promoveu o movimento da dos métodos de pesquisa, Taylor fazia
os estudos de tempos e movimentos.
administração cientifica. Os princípios e
técnicas criados por esse movimento Taylor cronometrava os movimentos
procuravam aumentar a eficiência da dos trabalhadores, dividindo-os nas
tarefas que os compunham,
produção por meio da racionalização do
trabalho, para evitar o desperdício e chamando-as de unidades básicas de
promover a prosperidade dos patrões e trabalho. Em seguida, analisava as
unidades básicas de trabalho,
dos empregados.
procurando encontrar a melhor
As contribuições que Taylor deixou, para maneira de executá-las e de combiná-
resolver esses problemas, contam-se las para a tarefa maior.

10
CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria
Usando um sistema de pagamento
geral da administração: uma visão abrangente por peças produzidas (ou por
da moderna administração das organizações. quantidade), que fazia os redimentos
Rio de Janeiro: Esevier, 2004.

30
do trabalhador aumentar de acordo uniformidade das peças.
com seu esforço, Taylor conseguiu
aumentar expressivamente a  Especialização do trabalhador. Na
eficiência. produção massificada, o produto
é dividido em partes e o processo
Um exemplo dos métodos de Taylor
de fabricá-lo é dividido em etapas.
foi a experiência na qual demonstrou
Cada etapa do processo
que a produtividade mais elevada produtivo corresponde à
resulta da minimização do esforço montagem de uma parte do
muscular. Essa é uma das idéias
produto. Cada pessoa e cada
fundamentais da administração grupo de pessoas, num sistema
científica: a produtividade resulta da de produção em massa, têm uma
eficiência do trabalho e não da
tarefa fixa dentro de uma etapa
maximização do esforço. A questão de um processo predefinido. A
não é trabalhar duro, nem depressa, divisão do trabalho implica na
nem bastante, mas trabalhar de
especialização do trabalhador.
forma inteligente.
A grande aceitação dos princípios da
O taylorismo desenvolveu-se em uma administração cientifica e da linha de
época de notável expansão da montagem é responsável pela notável
indústria e junto com outra inovação
expansão da atividade industrial em todo
revolucionária do inicio do século: a mundo. Entrando neste exato instante
linha de montagem de Henry Ford. em qualquer fábrica de grande porte, em
Foi Ford quem elevou ao mais alto qualquer lugar do planeta, você poderá
grau os dois princípios da produção constatar que Taylor e Ford iriam sentir-se
em massa, que é a fabricação de em casa. Linhas de montagem correm
produtos não diferenciados em carregando todos os tipos de produtos,
grande quantidade: peças em diferentes estágios de acabamento.
padronizadas e trabalhador Engenheiros de produção ou especialistas
especializado. em organização e métodos continuam
circulando, fazendo anotações em
 Peças e componentes pranchetas, desenhando fluxogramas,
padronizados e intercambiáveis. cronometrando e filmando as operações,
Na produção massificada, cada para em seguida, torná-las mais
peça ou componente pode ser eficientes.
montado em qualquer sistema ou
produto final. Para alcançar a A tecnologia sofisticou-se, há robôs ao
padronização, Ford passou a lado de pessoas, computadores,
utilizar o mesmo sistema de cronômetros digitais e câmeras de vídeo.
calibragem para todas as peças, No entanto, os princípios são exatamente
em todo o processo de os mesmos. Taylor continua a ter razão:
manufatura. Esse princípio deu as técnicas são apenas auxiliares dos
origem ao controle da qualidade, princípios.
cujo objetivo era assegurar a Ao lado de Taylor, o engenheiro francês
Fayol é um dos contribuintes mais

31
importantes do desenvolvimento do empresa. Os gerentes que não
conhecimento administrativo moderno. conseguem perceber essa distinção
De acordo com Fayol, a administração é envolvem-se com os detalhes técnicos da
uma atividade comum a todos os produção e prestação de serviços,
empreendimentos humanos (família, negligenciando as funções de administrar
negócios, governo), que sempre exigem toda a empresa. Ao apontar essa
algum grau de planejamento, distinção, Fayol ajudou a tornar mais
organização, comando, coordenação e nítido o papel dos executivos, os
controle. Portanto, todos deveriam administradores de nível mais alto na
estudá-la, o que exigiria uma teoria geral hierarquia da organização.
da administração que pudesse ser
ensinada. Para responder a essa Fayol completa sua teoria com a
necessidade, FAayol criou e divulgou sua proposição de catorze princípios (ver
própria teoria, com base em sua pagina 11) que devem ser seguidos para
experiência de administrador bem- que administração seja eficaz.
sucedido. Esse resultado ele atribuiu a seu Outro ponto relevante é que Fayol cuidou
sistema de administração, uma idéia que da administração da empresa de cima
se dividia em três partes principais: para baixo, a partir do nível executivo, ao
 A administração é uma função contrario de Taylor, que se preocupou
distinta das demais funções, predominantemente com as atividades
como finanças, produção, operacionais. Taylor cuidou da
distribuição e contabilidade; administração do trabalho; Fayol cuidou
do trabalho da administração. Algumas
 A administração é um processo de das idéias de Fayol estão ligadas a uma
planejamento, organização, noção de empresa hierárquica, em que o
comando, coordenação e dirigente é a principal fonte de energia
controle. (Na atualidade, há para as operações. Mesmo que essa
outras interpretações dessa idéia: noção viesse a ser aprimorada mais tarde,
comando e coordenação foram com a prática dos grupos inteligentes e
substituídos por liderança e autogeridos, as idéias fundamentais
outras funções de festão de continuam válidas em qualquer espécie
pessoas, a função execução foi de organização ou sistema de
acrescentada.) administração.

 O sistema de administração pode


ser ensinado e aprendido.

Fayol foi o pioneiro no reconhecimento


de que a administração deveria ser vista
como uma função separada das demais
funções da empresa. O maior impacto
dessa idéia esta na identificação do
trabalho dos gerentes como sendo
distinto das operações técnicas da

32
Abordagem Clássica
Administração Científica
Estudos Empíricos
• Tempos e
Movimentos
1. Período: 1903 • Organização
2. Período: 1911 Taylor Racional do
Trabalho (ORT)
• Org. Formal
Princípios:
• Planejamento Críticas:
• Preparo • Mecanicismo
• Controle Ênfase • Comprovação
• Execução nas Científica
Tarefas • Visão parcial da
organização
• Campo de
Aplicação

Figura 14 – Administração Científica

Abordagem Clássica
Teoria Clássica
Administração como Ciência
• Processo
Administrativo
Período: 1916 • Funções
Fayol Administrativas
• Org. Formal
Princípios: Críticas:
• Prever • Visão simplificada da
• Organizar organização
• Comandar Ênfase • Ausência de trabalhos
• Coordenar experimentais
• Controlar na • Extremo Racionalismo
na concepção da
Estrutura Administração
• Teoria da Máquina

Figura 15 - Teoria Clássica

33
Exercícios de fixação:

Em grupos de cinco alunos, discutir as


afirmações e apresentar as considerações
aos colegas:

• Theodore Levitt (n. 1925): “O sucesso


de Henry Ford na produção em massa
incentivou a crença de que a produção a
baixo custo era a chave do sucesso das
empresas, mas uma estratégia dessas
conduzia à limitação das expectativas.”

• Frederick Winslow Taylor (1856-1917):


“A gestão científica (scientific
management) consiste em uma análise
temporal das tarefas individuais que
permite melhorar o desempenho dos
trabalhadores. Depois de identificar os
movimentos necessários para cumprir
uma tarefa, deve-se determinar o tempo
ótimo de realização de cada um deles.”

• Henry Ford (1863-1947): “Como se


explica que quando preciso apenas de
mão-de-obra tenha de lidar com um ser
humano atrás delas?”

Atividade extra:

Uma das críticas feitas à Administração


Científica é a omissão do trabalho em
grupo. Você concorda com essa
afirmação? Pesquise na Internet, jornais
ou revistas exemplos em que a
participação e o envolvimento dos
funcionários resultaram em benefícios
para alguma organização.

34
Aula 6 – Abordagem Humanística Menlo Park, na Califórnia, em 8 de junho
O papel de Abraham Maslow11 de 1970.

A
braham Maslow foi o psicólogo Maslow buscou uma explicação para a
que fundou o que mais tarde veio motivação humana no núcleo íntimo que
a ser conhecido como a escola acreditava todos os seres humanos
humanista da psicologia. Seu principal possuíam. Esse núcleo íntimo não é
tema de estudo foi a motivação humana. hereditário nem genético: com efeito,
Sua fama atual resulta sobretudo do Maslow rejeitava energicamente o
desenvolvimento de sua “hierarquia de determinismo biológico. Pelo contrário,
necessidades”, que explica a motivação e compõem-se de um complicado conjunto
o comportamento das pessoas como de sentimentos, emoções, desejos,
resultado de diferentes conjuntos de necessidades e aspirações. Todo mundo
necessidades que as impelem. Embora possui esse núcleo, mas a composição
suas idéias não tenham sido difere de pessoa para pessoa, e ele se
imediatamente aceitas pelos colegas manifesta em cada indivíduo de maneiras
psicólogos, foram retomadas e adaptadas distintas em épocas diferentes. Nossas
por vários teóricos eminentes das necessidades não são estáticas, dizia
organizações, principalmente Rensis Maslow. Quando satisfazemos uma
Likert, Frederick Herzberg e Douglas necessidade, outras nessa hierarquia se
McGregor, que usaram sua hierarquia de tornam mais evidentes e precisam ser
necessidades para explicar muitos satisfeitas. Maslow foi praticamente
aspectos do comportamento colocado no ostracismo pela comunidade
organizacional. O conceito de hierarquia psicológica americana. Só bem mais tarde
de necessidades tem também passou a ser reconhecido como um
importantes implicações para o pioneiro da psicologia e seu trabalho
marketing na explicação do recebeu então a atenção que merecia.
comportamento dos consumidores. É
ainda hoje um conceito importante nos A hierarquia de necessidades dá a
dois campos. entender que todos os seres humanos
são motivados a executar ações –
Maslow nasceu em Nova York no dia 1º de inclusive a compra de bens e serviços e a
abril de 1908, filho de imigrantes russos. ida para o trabalho – por necessidades
Estudou psicologia na Universidade de íntimas. Essas necessidades podem ser
Wisconsin, obtendo o bacharelado em classificadas em vários tipos. Nem todo
1930 e o doutorado em 1934. De 1937 a tipo de necessidade tem a mesma
1951, deu aulas de psicologia no Brooklyn importância em cada época dada: Maslow
College, transferindo-se em seguida para diz que algumas necessidades sempre
a Universidade Branceis, onde fundou e superam outras. Todavia, uma vez
dirigiu o departamento de psicologia. Em satisfeitas as necessidades dominantes,
1961, afastou-se da Brandeis e se mudou outras passam então a exigir a atenção e
para a Califórnia, onde trabalhou em o nosso comportamento muda para
vários centros de pesquisa. Morreu em tentarmos satisfazê-las. Por exemplo,
quando temos fome, essa necessidade
11 tende a superar todas as outras e nosso
WITZEL, Morgan. 50 Maiores estrategistas de
administração. São Paulo: Contexto, 2005.

35
comportamento é dominado pela
necessidade de alimento. No entanto,
depois de termos comido, a necessidade
de alimento está satisfeita e então outras
passam a dominar. Essa progressão de
um conjunto de necessidades para outro
resulta em uma “hierarquia” de
necessidades. O ponto em que estamos
nessa hierarquia a cada momento dado
determina o tamanho de nossas
motivações e de nossas ações, tanto
como consumidores quanto no trabalho. Figura 16 - Pirâmide de Maslow

Necessidades psicológicas são exigências


Maslow classificou nossas necessidades
das coisas básicas que nos permitem
em cinco categorias em ordem
viver, como ar, água e alimento. Muitas
ascendente:
coisas podem nos faltar na vida, mas se
1. Necessidades psicológicas; nos falta alimento, provavelmente vamos
querer comer antes de qualquer outra
2. Necessidades de segurança; coisa. Ademais, como observa Maslow,
preferimos fazer da busca por alimento a
3. Necessidades de amor e de coisa mais importante de nossa vida e,
pertencimento; dependendo da nossa fome, nosso desejo
de alimento tenderá a superar outras
4. Necessidades de estima; idéias que poderíamos considerar
importantes, como liberdade, amor,
5. Necessidades de auto-realização. comportamento ético em relação aos
outros, e assim por diante. Em termos
As necessidades que estão no piso dessa econômicos, um homem faminto há de
hierarquia de ordem ascendente são as preferir comprar alimento a comprar um
mais predominantes, ou seja, superam as carro. Uma mulher faminta aceitará um
outras que estão no topo da hierarquia. trabalho por salário mais baixo do que o
São também, na vida comum, as exigido por outra bem alimentada.
necessidades mais facilmente satisfeitas.
As que estão no topo, ou perto dele, são Entretanto, uma vez satisfeita a
as mais complexas e difíceis de satisfazer. necessidade de alimento e outras
Na verdade, muita gente nem chega necessidades básicas para a continuação
perto do quinto estágio. da vida, nossa perspectiva muda. Tão
logo as necessidades psicológicas são
atendidas, diz Maslow, “imediatamente
surgem outras necessidades (mais altas)
e serão essas, e não as carências
fisiológicas, que passarão a dominar o
organismo”.

36
O conjunto seguinte de necessidades reconhecimento, atenção,
constitui o que Maslow denomina importância, dignidade ou apreço
necessidades de segurança. Estas podem [...]. A satisfação da necessidade
ser descritas como a necessidade de de auto-estima leva a sentimentos
segurança física para nós e para quem de confiança em si mesmo, valor,
nos é próximo, a qual se manifesta no força, capacidade e adequação,
desejo de segurança, de estabilidade, de de ser útil e necessário no mundo.
lei e de ordem, e ausência de ameaça Mas a não satisfação dela produz
física. Nas sociedades civilizadas, em que sentimentos de inferioridade, de
a ameaça de violência física é fraqueza e de desamparo.
comparativamente rara, ainda vemos
manifestações das necessidades de Resumindo, dizia Maslow, não satisfazer
segurança em áreas como o desejo de essas necessidades quando são
estabilidade e segurança no emprego, dominantes pode levar à neurose e ao
necessidade de proteção contra doenças colapso da personalidade.
e velhice por meio de seguros e pensões, Por fim, a mais alta nas ordens, há
e assim por diante. Necessidades de necessidade de auto-realização. Maslow
segurança também se manifestam de buscou esse termo nas teorias da Gestalt
maneira mais geral na preferência normal de Kurt Goldstein, porém expressão
pelo parente em detrimento do semelhante também existe na psicologia
desconhecido e a fuga de situações de taoísta e budista. Em essência mesmo
incerteza ou diante das quais não quando estamos bem alimentados, em
sabemos como reagir. segurança, amamos e somos amados,
Satisfeitas as necessidades psicológicas e temos respeito e senso de valor, ainda há
de segurança, surge um terceiro conjunto alguma coisa: a necessidade de fazer o
de necessidades de pertencer e de amor, que sentimos ser a nossa vocação. A
às vezes também referidas como busca da auto-realização não existe em
“necessidades sociais” nos textos todos, e é mais forte em algumas pessoas
posteriores de Maslow. Em quarto lugar que em outras. Contudo, naquelas em
vem a necessidade de auto-estima. Trata- quem a auto-realização é forte, haverá
se de um conjunto complexo de uma força que as impele a conquistar
necessidades, e Maslow o divide em duas alguma coisa à qual atribuem grande
valor pessoa. Grandes empreendedores
partes:
são dirigidos por essa necessidade, bem
 Primeiro, o desejo de força, de como muitos líderes políticos e religiosos
realização, de adequação, de e grandes humanitários.
domínio e competência, de
confiança diante do mundo e de A hierarquia das necessidades parece ser
independência e liberdade. um conceito simples, mas Maslow avisa
que ele não deve ser tratado como tal: há
 Em segundo lugar, temos o que muitos complicadores. A hierarquia das
podemos chamar de desejo de necessidades descreve nossas
reputação e prestígio [...] status, necessidades básicas, mas também
fama e glória, dominância, existem outras que estão fora da
hierarquia: Maslow relaciona, por

37
exemplo, o desejo de saber e
compreender, e as necessidades estéticas
(de beleza e de um ambiente atraente,
entre outras). Mostra também que a
hierarquia de necessidades básicas não é
fixa. Para algumas pessoas, por exemplo,
as necessidades de auto-estima são mais
importantes que as sociais e deverão ser
satisfeitas primeiro. Entretanto, na
maioria dos casos essas variâncias na
hierarquia são indicativas de
personalidade patológica.

As necessidades também podem ser


influenciadas pela cultura, ou seja, a
importância relativa e a natureza das
várias necessidades dependem da cultura
em que o indivíduo nasceu ou em que
vive. Finalmente, Maslow sustentava que
uma necessidade não precisa ser cem por
cento satisfeita para que a seguinte na
hierarquia passe a ser dominante: nessas
condições, um homem faminto não tem
necessariamente de saciar por completo
a fome antes de começar a pensar em sua
necessidade de segurança, nem nossas
necessidades sociais têm de ser
completamente satisfeitas antes de
buscarmos auto-estima. Isso leva a
situações em que necessidades múltiplas
se apresentam em graus variáveis, o que
se torna especialmente verdadeiro à
medida que avançamos para os níveis
mais altos da hierarquia.

Essa descrição da hierarquia das


necessidades, ainda que necessariamente
simplificada, mostra como pode ser um
instrumento poderoso de compreensão
da motivação humana nos contextos
empresariais e econômicos.

38
Aula 7 – Abordagem Humanística12 2. O desenvolvimento das chamadas
ciências humanas (Sociologia, Psicologia,
Antropologia, etc.);

A
Abordagem Humanística da 3. As conclusões da experiência de
Administração representa uma Hawthorne;
transferência da ênfase anterior, A Experiência de Hawthorne
colocada nos aspectos técnicos e formais
da Administração para os aspectos Aconteceu na Western Electric Company,
sociológicos e psicológicos do trabalho. à partir de 1927, visando determinar qual
Esse estudo compreendeu dois assuntos a relação existente entre a intensidade da
distintos: iluminação e a eficiência dos operários
(produtividade). A Western Electric
1. A análise do trabalho e adaptação do Company fabrica equipamentos e
trabalhador ao trabalho: Seleção de componentes telefônicos, e desenvolvia
pessoal, orientação profissional, métodos na época uma política de pessoal
de aprendizagem, fisiologia do trabalho, bastante voltada para o bem estar de
estudo dos acidentes e da fadiga. seus funcionários. Em sua fábrica, situada
no bairro de Hawthorne, em Chicago,
2. A adaptação do trabalho ao havia um departamento de montagem de
trabalhador: Estudo da personalidade do relês de telefone, composto basicamente
trabalhador e do chefe, da motivação e por moças, que executavam um trabalho
dos incentivos do trabalho, da liderança, manual de montagem, dependendo
das comunicações, das relações intensamente de sua velocidade manual
interpessoais e sociais dentro da para a produção. Antes do início da
organização. pesquisa, a produção média era de cinco
relês a cada seis minutos por pessoa. A
Essa abordagem constituiu-se na mais direção da companhia não se preocupava
ferrenha oposição à Teoria Clássica e seus em aumentar a produção, mas sim em
preceitos, pois apresentou evidências da conhecer um pouco mais sobre seus
existência de outros aspectos envolvendo funcionários. Essa experiência aconteceu
a produtividade humana nas em três fases:
organizações, de natureza não
mecanicista ou operacional. Essa teoria 1ª Fase : Nessa fase, foram estudados dois
abordou o lado humano das grupos de trabalho, que operando em
organizações. condições idênticas, tiveram sua
produção constantemente avaliada. Um
Origens: dos grupos teve suas condições
ambientais de trabalho mantidas
1. A necessidade de humanizar e constantes, enquanto o outro teve sua
democratizar a administração; iluminação intensificada,
propositalmente. Para frustração dos
pesquisadores (Mayo), ambos os grupos
12
MAXIMIAMNO, Antonio Cesar Amaru. apresentaram variações semelhantes de
Introdução à administração. São Paulo. Atlas, produtividade, independente da
2004.

39
intensidade da luz existente, levando os relações entre a organização informal dos
pesquisadores a verificação da existência operários e a organização formal da
de outras variáveis; descoberta do fator fábrica. A experiência de Hawthorne
psicológico, preponderante sobre o fator durou de 1927 a 1932, quando foi
fisiológico; encerrada por motivos não vinculados ao
2ª Fase: Com a introdução de novas seu desenvolvimento. Entretanto, a
variáveis independentes (horários de influência de seus resultados sobre a
descanso, lanches, reduções no período teoria administrativa foi fundamental,
de trabalho, sistema de pagamento) abalando terrivelmente os princípios da
buscava-se identificar aquela que mais se Teoria Clássica então dominante.
relacionava com a produtividade. Após
diversas variações nas condições de Conclusões da Experiência de Hawthorne
trabalho, que resultaram em crescimento
da produtividade, retornaram o trabalho
às condições originais, e mesmo assim A Experiência de Hawthorne permitiu o
presenciando um crescimento na delineamento dos princípios básicos da
produtividade das pessoas; Escola das Relações Humanas que veio a
se formar logo em seguida, por meio de
3ª Fase: Programa de entrevistas seus principais pesquisadores. Dentre as
buscando maiores conhecimentos sobre principais conclusões, podemos
as atitudes e sentimentos do trabalhador, apresentar as seguintes:
entrevistando 21.126 operários; revelação
da existência da organização informal; · Nível de produção é resultante da
por meio dessa organização informal, os integração social;
operários se mantinham unidos com uma
certa lealdade entre si ou para com a · Comportamento social dos empregados;
empresa; essa lealdade dividida entre o
· As recompensas e sanções sociais;
grupo e a companhia poderia trazer
conflito, tensão, inquietação e provável · Grupos informais;
descontentamento;
· As relações humanas;
4ª Fase: Foi montado um grupo
· A importância do conteúdo de cargo;
experimental, composto por nove
operadores, nove soldadores e dois · Ênfase nos aspectos emocionais.
inspetores, que passaram a ser
constantemente observados na sala de
observações de montagens de terminais; a) Nível de produção é resultante da
a observação permitiu perceber as integração social: é a capacidade social
artimanhas utilizadas por esses operários do trabalhador que estabelece seu nível
para reduzir seu trabalho, de acordo com de competência e eficiência, e não a sua
padrões que o próprio grupo considerava capacidade de executar movimentos
ideal; aqueles trabalhadores que não o eficientes dentro de um tempo
fizessem eram punidos simbolicamente previamente estabelecido. Quanto mais
pelo grupo; nessa última fase da integrado socialmente no grupo de
experiência, foi possível o estudo das

40
trabalho, tanto maior será sua disposição valores sociais, suas crenças e
para o trabalho; expectativas, que cada participante vai
assimilando e integrando em suas
atitudes e comportamento
b) Comportamento social dos
empregados: os trabalhadores não agem
e) As relações humanas: para poder
ou reagem isoladamente como
explicar e justificar o comportamento das
indivíduos, mas como membro de grupos. pessoas na organização, a Teoria das
A Teoria Clássica não chegara a perceber Relações Humanas passou a estudar
que não são os trabalhadores que
intensamente essas interações sociais
definem sua capacidade máxima de surgidas dentro das organizações, em
produção, mas sim os grupos com os face do grande número de grupos e às
quais ele interage. A qualquer desvio de
interações necessariamente resultantes;
comportamento pelo indivíduo, este será é exatamente a compreensão da
retaliado simbolicamente pelo grupo que natureza dessas relações humanas que
participa; permite ao administrador melhores
c) As recompensas e sanções sociais: as resultados de seus subordinados;
pessoas passam a ser avaliadas pelos
grupos que participam, de acordo com as f) A importância do conteúdo de cargo: a
normas de comportamento que o grupo maior especialização (e portanto maior
cria para si. São tomadas como boas fragmentação) do trabalho não é a forma
companheiras e colegas se o seu mais eficiente de divisão do trabalho, pois
comportamento se ajusta a essas normas não cria, necessariamente, a organização
e padrões de comportamento e são mais eficiente. Durante a experiência,
avaliadas como péssimas colegas ou percebeu-se que os operários mudavam
desleais se o seu comportamento de lugar várias vezes para variar a
transgride aquelas normas e padrões. monotonia. Percebeu-se então que o
Essas recompensas são simbólicas e não- conteúdo e a natureza do trabalho têm
materiais, porém influenciam enorme influência sobre o moral do
decisivamente na motivação e na trabalhador;
felicidade do trabalhador; g) Ênfase nos aspectos emocionais: os
d) Grupos informais: a empresa passou a elementos emocionais não-planejados e
ser visualizada como uma organização mesmo irracionais do comportamento
social composta de diversos grupos humano passam a merecer a atenção de
sociais informais, cuja estrutura nem quase todas as figuras da Teoria das
sempre coincide com a organização Relações Humanas. Daí o fato de serem
formal da empresa. Os grupos informais denominados sociólogos da organização,
constituem a organização humana da por alguns autores.
empresa, muitas vezes em contraposição
à organização formal estabelecida pela
Comparação entre a Teoria Clássica e
direção. Esses grupos informais definem Teoria das Relações Humanas
suas regras de comportamento, suas
formas de recompensas ou sanções
A colaboração humana é determinada
sociais, seus objetivos, suas escalas de

41
antes pela organização informal do que primárias por meio dos grupos com os
pela organização formal. A colaboração é quais interagem;
um fenômeno estritamente social, não-
lógico, calcado inteiramente em códigos 3. O comportamento dos grupos pode ser
sociais, convenções, tradições, manipulado por um adequado estilo de
supervisão e liderança;

Teoria Clássica Teoria das Relações Humanas


Trata a organização como uma Máquina Trata a organização como um Grupo de Pessoas
Enfatiza as tarefas ou a tecnologia Enfatiza as Pessoas
Inspirada em sistemas de engenharia Inspirada em Sistemas de Psicologia
Autoridade Centralizada Delegação Plena de Autoridade
Linhas claras de autoridade Autonomia do Empregado
Especialização e competência Técnica Confiança e Abertura
Acentuada divisão do trabalho Ênfase nas Relações Humanas entre as pessoas
Confiança nas regras e nos regulamentos Confiança nas Pessoas
Clara separação entre Linha e Staff Dinâmica Grupal e Interpessoal

Figura 17 - Teoria Clássica x Humanística

expectativas e modos rotineiros de reagir


às situações. Não é questão de lógica, 4. As normas do grupo funcionam como
mas de psicologia. Assim, para a maioria mecanismos reguladores do
dos operários, os estímulos psicológicos e comportamento dos membros;
sociais são mais importantes do que as
condições de ordem material ou
econômica. A concepção do homo Influência da Motivação Humana
economicus não explica adequadamente
o comportamento humano e peca por Com a Teoria das Relações Humanas
estabelecer uma relação lógica e primária passou-se a estudar a influência da
entre causa (condições físicas) e efeito motivação no comportamento das
(cooperação). Também a fadiga não tem pessoas. A motivação humana procura
apenas origem orgânica e fisiológica, mas explicar por que as pessoas se
principalmente subjetiva e psicológica. comportam. A compreensão da
Dentro desse espírito, a Teoria das motivação do comportamento humano
Relações Humanas trouxe novas exige o conhecimento das necessidades
dimensões e novas variáveis para a TGA. humanas fundamentais. Verificou-se que
o comportamento humano é
determinado por causas que, às vezes,
O Homem Social escapam ao próprio entendimento e
controle do homem. Essas causas se
1. Os trabalhadores são criaturas sociais chamam necessidades ou motivos: são
complexas, com sentimentos, desejos e forças conscientes ou inconscientes que
temores; levam o indivíduo a um determinado
comportamento. A motivação se refere
2. As pessoas são motivadas por certas ao comportamento que é causado por
necessidades e alcançam suas satisfações

42
necessidades dentro do indivíduo e que é As etapas do ciclo, envolvendo a
dirigido em direção aos objetivos que satisfação de uma necessidade,
podem satisfazer essas necessidades. o Ciclo Motivacional, pode ser assim
(ver aula sobre Maslow). explicado: o organismo humano
permanece em estado de equilíbrio

Figura 18 - Motivação

Ciclo Motivacional psicológico (equilíbrio de forças


psicológicas) até que um estímulo o
A partir da Teoria das Relações Humanas,
rompa e crie uma necessidade. Essa
todo o acervo de teorias psicológicas necessidade provoca um estado de
acerca da motivação humana passou a ser tensão em substituição ao anterior
aplicado dentro das empresas. Verificou-
estado de equilíbrio.
se que a motivação, no sentido
psicológico, é a tensão persistente que
leva o indivíduo a alguma forma de
comportamento visando a satisfação de
uma ou mais determinadas necessidades.

Ciclo Motivacional

Equilibrio

Estimulo ou
Satisfação
incentivo

Teoria X e Y Maslow

Comportamento
Necessidade
ou ação

Tensão

Figura 19 - Ciclo motivacional

43
A tensão conduz a um comportamento Quando o indivíduo tenta satisfazer essa
ou ação capaz de atingir alguma forma de tensão por meio da satisfação de outra
satisfação dessa necessidade. Se necessidade complementar ou
satisfeita a necessidade,, o organismo substitutiva, ocorre a compensação.
retorna a seu estado de equilíbrio inicial, Assim, a satisfação de outra necessidade
até que outro estímulo sobrevenha. Toda aplaca a necessidade mais importante e
satisfação é basicamente uma liberação reduz ou evita a frustração.
de tensão, uma descarga tensional que
permite o retorno ao equilíbrio anterior. Desta forma toda a necessidade humana
pode ser satisfeita, frustrada ou
compensada.Toda necessidade não-
Toda vez que alguma satisfação é satisfeita é motivadora de
bloqueada por alguma barreira, ocorre a comportamento, porém, quando uma
frustração, que gera uma tensão interna necessidade não é satisfeita dentro de
no indivíduo, deixando-o em intenso algum tempo razoável, ela passa a ser um
motivo frustrado.A frustração pode levar
estado de desequilíbrio.
a certas reações generalizadas, como
desorganização do comportamento,
agressividade, reações emocionais,
alienação e apatia.

Ciclo Motivacional com barreiras

Frustração
Equilibrio

Estimulo ou
Barreira
incentivo

Comportamento
Necessidade
ou ação

Tensão

Figura 20 - Ciclo motivacional com barreiras

44
Liderança do líder em relação aos seus
subordinados, isto é, maneiras pelas quais
Com a Teoria das Relações Humanas
o líder orienta sua conduta. Esta
passou-se a constatar a enorme influência abordagem se refere ao que o líder faz,
da liderança informal sobre o isto é, seu estilo de comportamento para
comportamento das pessoas. A liderança
liderar. Veja o quadro na próxima página
é necessária em todos os tipos de
para maiores esclarecimentos.
organização humana, principalmente nas
empresas e em cada um de seus c) Teoria situacional de liderança:
departamentos. Ela é igualmente
São as teorias que procuram explicar a
essencial em todas as demais funções da liderança dentro de um contexto bem
Administração: o administrador precisa mais amplo do que as teorias
conhecer a motivação humana e saber
anteriormente apresentadas. As teorias
conduzir as pessoas, isto é, liderar. situacionais de liderança partem do
“Liderança é a influência interpessoal princípio de que não existe um único
exercida numa situação e dirigida por
estilo ou característica de liderança válida
meio do processo de comunicação para toda e qualquer situação. O
humana à consecução de um ou de verdadeiro líder é aquele que é capaz de
diversos objetivos específicos”
se ajustar a um grupo particular de
pessoas sob condições extremamente
Existem três teorias à respeito da variadas.
liderança. A saber:

a) Teoria dos traços de personalidade: O Comunicações


líder apresenta características marcantes Para a Teoria das Relações Humanas, a
de personalidade que o distinguem das comunicação é importante no
demais pessoas. Certos indivíduos
relacionamento entre as posições e no
possuem uma combinação especial de esclarecimento e na explicação aos
traços de personalidade que podem ser participantes inferiores das razões das
definidos e utilizados para identificar orientações tomadas. Os subordinados
futuros líderes potenciais, bem como
devem receber continuamente dos
avaliar a eficácia da liderança. superiores um fluxo de comunicações
Traços Físicos : energia, aparência e peso capaz de suprir-lhes as necessidades. Por
Intelectuais : adaptabilidade,
outro lado, os superiores devem receber
agressividade, entusiasmo e dos subordinados um fluxo de
autoconfiança comunicações capaz de lhes oferecer
Sociais : cooperação, habilidades
uma idéia adequada do que está
interpessoais e habilidade administrativa acontecendo. A comunicação é uma
Traços Relacionados com a Tarefa : atividade administrativa que possui dois
impulso de realização, persistência e
propósitos:
iniciativa
a) Proporcionar informação e
b) Teoria dos estilos de liderança: compreensão necessárias para
São as teorias que estudam a liderança que as pessoas possam se
em termos de estilos de comportamento conduzir em suas tarefas;

45
b) Proporcionar atitudes que oposição à organização formal e em
promovam motivação, desarmonia com os objetivos da
cooperação e satisfação nos empresae)
cargos.
e) Padrões de relações e atitudes: os
Organização Informal grupos informais desenvolvem,
Desenvolve-se a partir da interação espontaneamente, padrões de
imposta e determinada pela relações e de atitudes e que passam a
organização formal. São padrões de ser aceitos e assimilados pelos seus
relações não encontradas no componentes, pois traduzem os
organograma da organização. interesses e aspirações do grupo
Encontramos amizades e
antagonismos, indivíduos que se f) Mudanças de níveis e alterações
identificam com outros, grupos que dos grupos informais: a mudança de
se afastam de outros e uma grande nível funcional de um indivíduo na
variedade de relações no trabalho e organização formal pode levá-lo a
fora dele e que constituem a chamada ingressar em outros grupos informais
organização informal. São em face das relações funcionais que
características da organização deverá manter com os outros
informal: indivíduos em outros níveis e setores
da empresa. Os grupos informais,
a) Relação de coesão ou portanto, tendem a se alterar com as
antagonismo: os indivíduos criam modificações da organização formal
relações pessoais de simpatia, ou
antipatia, cuja duração e intensidade g) Transcende a organização formal:
são variáveis enquanto a organização está
circunscrita ao local físico e ao horário
b) Status: cada indivíduo adquire uma de trabalho da empresa, a
certa posição social ou status em organização informal escapa a essas
função de seu papel em cada grupo, limitações
que sobrepõe-se à sua posição na
organização formal h) Padrões de desempenho nos
grupos informais: Os padrões de
c) Colaboração espontânea: existe em desempenho e de trabalho
toda a empresa, e é um pré-requisito estabelecidos pelo grupo informal
necessário à colaboração efetiva de nem sempre correspondem aos
pessoal, pois no nível informal existe padrões estabelecidos pela
um alto nível de colaboração administração. Podem ser maiores ou
espontânea que pode e deve ser menores, bem como podem estar em
aplicado em favor da empresa perfeita harmonia ou em completa
oposição, dependendo do grau de
d) Possibilidade de oposição à motivação do grupo quanto aos
organização formal: a organização objetivos da empresa
informal pode se desenvolver em
São consideradas origens da

46
organização informal: constelação de forças causais. Como a
mudança ou a resistência à mudança
1. Os interesses comuns que se são grandemente influenciadas pela
desenvolvem em certo número de natureza dos grupos aos quais a
pessoas e que, através deles, passam pessoa pertence, as tentativas de
a se sintonizar mas intimamente; mudança devem necessariamente
considerar a dinâmica de grupo.Da
2. A interação provocada pela própria mesma forma que o nível fisiológico
organização formal; do corpo se mantém em um nível
3. A flutuação de pessoal dentro da relativamente constante durante
empresa provoca normalmente a longos períodos de tempo, por meio
alteração dos grupos sociais de processos reguladores, um grupo
informais; pode compensar a ausência de um
colega pela contribuição aumentada
4. Os períodos de lazer permitem uma dos outros membros.A Escola da
intensa interação entre as pessoas, Dinâmica de Grupo desenvolve uma
possibilitando um estabelecimento e proposição de que o comportamento,
fortalecimento de vínculos sociais as atitudes, as crenças e os valores do
entre o pessoal. indivíduo baseiam-se firmemente nos
grupos aos quais pertence. O grau de
agressividade ou cooperação de uma
Os grupos informais, também
pessoa, seu grau de autoconfiança,
chamados de grupos de amizade, vão-
sua energia e produtividade no
se organizando naturalmente por
trabalho, suas aspirações, sua opinião
meio de adesões espontâneas de
sobre o que é verdadeiro e bom, seus
indivíduos que com eles se
amores ou ódios e suas crenças e
identificam. Os grupos informais são
preconceitos, todas essas
encontrados, às vezes, dentro da
características são determinadas em
organização formal. Entretanto,
alto grau pelo grupo a que pertence o
geralmente se compõem de
indivíduo
elementos de diversos grupos e níveis
hierárquicos da empresa. Assim,
As Características dos Grupos
como nem sempre existe uma
correspondência entre a formação a) Uma finalidade ou objetivo
dos grupos formais e informais, a comum;
hierarquia funcional existente na
organização formal nem sempre b) Uma estrutura;
prevalece nos grupos informais.
c) Uma organização dinâmica;

Dinâmica de Grupo d) Uma coesão interna.

Os processos grupais e os hábitos


sociais não são estáticos; ao As relações entre os membros de um
contrário, são processos vivos e grupo são denominados relações
dinâmicos decorrentes de uma

47
intrínsecas, enquanto que as relações que trabalho, pela ênfase nos grupos
os membros do grupo mantêm com informais - supervalorizando a
outros grupos ou pessoas são chamadas coesão grupal como condição de
de relações extrínsecas. elevação de produtividade e;

As Relações Humanas são os contatos  Apresentou um enfoque


conscientes estabelecidos entre manipulativo das relações
indivíduos e grupos, entre os empregados humanas - estratégia sutil de
e seus colegas, entre os subordinados e enganar os operários e fazê-los
seus chefes, entre os elementos de uma trabalhar mais.
seção e aqueles de outra. Um programa
de Relações Humanas tem por objeto
fomentar a cooperação eficaz entre os Exercícios de fixação:
membros de uma comunidade de
trabalho. Por meio da cooperação se Em grupos de cinco alunos, responder as
consegue, não só uma maior satisfação questões e discutir as afirmações.
das necessidades materiais e espirituais
1. Quando surgiu a Teoria das
do homem, mas também um substancial
Relações Humanas (TRH) e,
aumento da produtividade.
portanto, a abordagem
humanística da Administração?
Críticas a Teoria das Relações Humanas

2. Quais foram as origens da TRH?


A Teoria das Relações Humanas foi
severamente criticada por:
3. Explique por que foi feita a
 Representar uma oposição Experiência de Hawthorne.
cerrada à Teoria Clássica -
desconsiderando fatores 4. O que significa organização
decisivos e cruciais para esta, por informal?
uma inadequada visualização dos
problemas das relações 5. O que significa a afirmação: “o
industriais; nível de produção é resultante da
integração social”?
 Prendeu sua atenção a alguns
fenômenos corriqueiros e 6. Como é o comportamento social
superficiais, por apresentar uma dos empregados?
ingênua e romântica concepção
do operário - feliz, produtivo e 7. Como funcionam as recompensas
integrado no trabalho; e sanções sociais e simbólicas?

 Limitou de seu campo 8. Qual a crítica feita ao conceito de


experimental - aspectos interiores homo economicus?
das fábricas, pela parcialidade de
suas conclusões - por restringir-se 9. O que significa o conceito de
a apenas condições sociais do homo social?

48
10. O que são grupos informais?

11. Explique o conceito de relações


humanas.

12. Qual a importância do conteúdo


do cargo?

13. Qual é a tarefa básica do


administrador para a THR?

14. Qual a motivação mais


importante para as pessoas,
segundo a TRH?

Discutam as afirmações:

• Elton Mayo (1880-1949): “O fator


humano deve ser recuperado e
ressaltado, numa época em que a
produção em massa e desumanizante
imperam nas indústrias.”

• Fons Trompenaars (n.1932): “A cultura


organizacional afeta a maneira como
gerimos as empresas e quais são as
qualificações essenciais para o
administrador. A base para
compreendermos as culturas
empresariais é a conscientização de que
cada uma delas é constituída por uma
série de regras e métodos que a
sociedade desenvolveu para lidar com os
problemas que enfrenta.”

• Mary Parker Follett (1868-1933): “Existe


uma lei da situação: é a situação que deve
analisada como um todo, porque tudo
depende da situação. A maneira de
administrar, a maneira de trabalhar, a
solução dos problemas e a gestão de
conflitos; tudo isso depende da situação
envolvida.”

49
Aula 8 – A Teoria da Burocracia  O ressurgimento da Sociologia da
A base para a Abordagem Estruturalista13 Burocracia de Max Weber, seu
criador. A Sociologia da

A
teoria da Burocracia Burocracia propõe um modelo de
desenvolveu-se na Administração organização, e as organizações
por volta da década de 1940 em
não tardaram em tentar aplicá-lo
função dos seguintes aspectos: na prática, proporcionando as
 A fragilidade e parcialidade das bases da Teoria da Burocracia.
Teorias Clássicas e das Relações A burocracia é uma forma de organização
Humanas, ambas opnentes e humana que se baseia na racionalidade,
contraditórias, mas sem
isto é, na adequação dos meios aos
possibilitarem uma abordagem objetivos (fins) pretendidos, a fim de
global e integrada dos problemas garantir a máxima eficiência possível no
organizacionais. Ambas revelam
alcance desses objetivos. As origens da
pontos de vista extremistas e burocracia remontam à época da
incompletos sobre a organização,
antiguidade.
gerando a necessidade de um
enfoque mais amplo e completo. Tipos de Sociedade

 A necessidade de um modelo de Weber distingue três tipos de sociedade:


organização racional capaz de  Sociedade tradicional: na qual
caracterizar todas as variáveis predominam características
envolvidas, bem como o patriarcais e patrimonialistas,
comportamento dos membros como família, o clã, a sociedade
dela participantes, e aplicável não medieval etc.
somente à fábrica, mas a todas as
formas de organização humana, e  Sociedade Carismática: na qual
principalmente às empresas. predominam características
místicas, arbitrarias e
 O crescente tamanho e personalísticas, como nos grupos
complexidade das empresas revolucionários, nos partidos
passaram a exigir modelos políticos, nas nações em
organizacionais mais bem- revolução etc.
definidos. Tanto a Teoria Clássica
como a Teoria das Relações  Sociedade legal, racional ou
Humanas mostraram-se burocrática: na qual predominam
insuficientes para responder a normas impessoais e
nova situação. racionalidade na escolha dos
meios e dos fins, como nas
grandes empresas, nos estados
modernos, nos exércitos etc.
13
CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria
geral da administração: uma visão abrangente
da moderna administração das organizações.
Rio de Janeiro: Esevier, 2004.

50
Tipos de Autoridade

A cada tipo de sociedade corresponde,


É importante saber: para Weber, um tipo de autoridade.
Burocracia como forma de “Autoridade significa a probabilidade de
organização que um comando ou ordem específica
seja obedecido.” A autoridade representa
A burocracia – tal e qual ela existe o poder institucionalizado e oficializado.
hoje, como a base do moderno Poder implica o potencial para exercer
sistema de produção – teve sua influência sobre as outras pessoas. Poder
origem nas mudanças religiosas significa, para Weber, a probabilidade de
verificadas após o Renascimento. impor a própria vontade dentro de uma
Weber salienta que o sistema relação social, mesmo contra qualquer
moderno de produção, racional e forma de resistência e qualquer que seja
capitalista, não se originou das o fundamento dessa probabilidade.
mudanças tecnológicas nem das
relações de propriedade, como Ele define também diferentes tipos de
afirmava Karl Marx, mas de um novo autoridade:
conjunto de normas sociais morais,
a. Autoridade tradicional: quando os
às quais denominou “ética
subordinados aceitam as ordens
protestante”. O trabalho duro e
dos superiores como justificadas,
árduo como dádiva de Deus, a
porque essa sempre foi a maneira
poupança e o ascetismo que
pela qual as coisas foram feitas.
proporcionaram a reaplicação das
Divide em duas formas:
rendas excedentes, em vez de seu
dispêndio e consumo em símbolos  Patrimonial, na qual os
materiais e improdutivos de vaidade funcionários que
e prestígio. Verificou que o preservam a dominação
capitalismo, a burocracia (como tradicional são os
forma de organização) e a ciência servidores pessoais do
moderna constituem três formas de senhor – parentes,
racionalidade surgidas a partir favoritos, empregados
dessas mudanças religiosas etc. – e são geralmente
ocorridas nos países protestantes e dependentes
não em países católicos. As economicamente dele.
semelhanças entre o protestante (o
calvinista, principalmente) e o  Feudal, na qual o aparato
comportamento capitalista são administrativo apresenta
impressionantes. Essas três formas maior grau de autonomia
de racionalidade se apoiaram em relação ao senhor.
mutuamente nas mudanças
religiosas. Para compreender a b. Autoridade carismática: quando
burocracia, Weber estudou os tipos os subordinados aceitam as
de sociedade e os tipos de ordens do superior como
autoridade. justificadas, por causa da
influência da personalidade e da

51
liderança do superior com o qual atingido: a eficiência da
se identificam. organização.

c. Autoridade legal, racional ou 4. Impessoalidade nas relações - Essa


burocrática: quando os distribuição das atividades é feita
subordinados aceitam as ordens
impessoalmente, ou seja é feita
dos superiores como justificadas,
em termos de cargos e funções e
porque concordam com certos não de pessoas envolvidas.
preceitos ou normas que
consideram legítima e dos quais
5. Hierarquia da autoridade - A
deriva o comando. burocracia é uma organização que
Segundo o conceito popular, a burocracia estabelece os cargos segundo o
é entendida como uma organização onde princípio da hierarquia. Cada
a papelada se multiplica e se avoluma, inferior deve estar sobre a
impedindo soluções rápidas ou eficientes. supervisão de um superior.
Para Weber é exatamente o contrário. Nenhum cargo fica sem controle
Para ele burocracia é a organização ou supervisão.
eficiente por excelência. Weber
apresenta as seguintes características: 6. Rotinas e procedimentos
padronizados - A burocracia é uma
1. Caráter legal das normas e organização que fixa as regras e
regulamentos - É uma organização normas técnicas para o
ligada por normas e regulamentos desempenho de cada cargo. O
previamente estabelecidos por ocupante de um cargo – o
escrito. É baseada em legislação funcionário – não faz o que
própria que define com deseja, mas o que a burocracia
antecedência como a organização impõe que ele faça.
deve funcionar.
7. Competência técnica e
2. Caráter formal das comunicações - meritocracia - A burocracia é uma
A burocracia é uma organização organização na qual a escolha das
ligada por comunicação escrita. pessoas é baseada no mérito e na
Todas as ações e procedimentos competência técnica. E não nas
são feitos por escrito para preferências pessoais.
proporcionar a comprovação e
documentação adequadas. 8. Especialização da administração -
A burocracia é uma organização
3. Caráter racional e divisão do que se baseia na separação entre
trabalho - A Burocracia é uma a propriedade e a administração.
organização que se caracteriza Os membros do corpo
por uma sistemática divisão do administrativo estão separados
trabalho. Esta divisão do trabalho da propriedade dos meios de
atende a uma racionalidade, é produção. Em outros termos, os
adequada ao objetivo a ser administradores da burocracia

52
não são seus donos, acionistas ou Vantagens da Burocracia
proprietários.
1. Racionalidade em relação ao
9. Profissionalização dos alcance dos objetivos da
participantes - A burocracia é uma organização.
organização que se caracteriza
pela profissionalização dos seus 2. Precisão na definição do cargo e
participantes. Cada funcionário é na operação, pelo conhecimento
um profissional, pois: exato dos deveres.

a. É um especialista; 3. Rapidez nas decisões, pois cada


um conhece o que deve ser feito
b. É assalariado; e por quem e as ordens e papéis
c. É ocupante de cargo; tramitam através de canais
preestabelecidos.
d. É nomeado pelo
supervisor hierárquico; 4. Univocidade de interpretação
garantida pela regulamentação
e. Seu mandato é por
específica e escrita.
tempo indeterminado;

f. Segue carreira dentro da 5. Uniformidade de rotinas e


organização; procedimentos que favorece a
padronização, a redução de
g. Não possui a propriedade custos e erros, pois as rotinas são
dos meios de produção e definidas por escrito.
administração;
6. Continuidade da organização por
h. É fiel ao cargo e
meio da substituição do pessoal
identifica-se com os
que é afastado.
objetivos da empresa;

i. Administrador 7. Redução do atrito entre as


profissional tende a pessoas, pois cada funcionário
controlar cada vez mais as conhece o que é exigido dele e
burocracias. quais os limites entre suas
responsabilidades e as dos
10. Completa previsibilidade do outros.
funcionamento - O modelo
burocrático de Weber pressupõe 8. Constância, pois os mesmos tipos
que o comportamento dos de decisão devem ser tomados
membros da organização é entre suas responsabilidades e as
perfeitamente previsível, pois dos outros.
todos os funcionários devem
comportar-se de acordo com as 9. Confiabilidade, pois o negócio é
normas e regulamentos da conduzido através de regras
organização. conhecidas, e os casos similares

53
são metodicamente tratados isso significa eficiência. A organização é
dentro da mesma maneira racional se os meios mais eficientes são
sistemática. escolhidos para implementação das
metas. No entanto, são as metas coletivas
10. Benefícios para as pessoas na da organização e não as de seus membros
organização, pois a hierarquia é individuais que são levadas em
formalizada, o trabalho é dividido consideração. O fato de uma organização
entre as pessoas de maneira ser racional não implica que seus
ordenada, as pessoas são membros ajam racionalmente quanto às
treinadas para se tornarem próprias metas e aspirações. Muito ao
especialistas, podendo contrário: quanto mais racional e
encarreirar-se na organização em burocrática se torna a organização, tanto
função de seu mérito pessoal e mais as pessoas se tornam engrenagens
competência técnica. de uma máquina, ignorando o propósito e
o significado do seu comportamento.

Figura 21 - Burocracia

Exercícios de fixação:
Racionalidade burocrática
Responda as questões abaixo:
Um conceito ligado à burocracia é o de
racionalidade. No sentido weberiano, a 1. Explique as origens da Teoria da
racionalidade implica adequação dos Burocracia na Administração.
meios aos fins. No contexto burocrático,

54
2. Explique o conceito de
racionalidade na Teoria da
Burocracia.
3. Quais as vantagens da burocracia?
4. Explique a racionalidade
burocrática.

Discutam a Afirmação:

• Alvin Toffler (n. 1928): “O choque do


futuro significa que as burocracias, para
poderem mudar e sobreviver, vão se
transformar em adhocracias. Elas
precisarão se flexibilizar, agilizar e reduzir
níveis hierárquicos. A adhocracia é o
inverso da burocracia. Nela predominarão
as equipes de trabalho autônomas e
livres.”

55
Aula 9 – A Abordagem Estruturalista14 certo ponto nos trabalhos de Karl

A
Marx
Teoria das Relações Humanas foi • Necessidade de visualizar a
uma tentativa de introdução das organização com uma unidade
ciências do comportamento na social: Uma unidade grande e
teoria administrativa através de uma complexa, onde interagem
filosofia humanística a respeito da grupos sociais que compartilham
participação do homem na organização. alguns dos objetivos da
Contudo a partir da década de 1950 a organização (como a viabilidade
Teoria das Relações Humanas entrou em econômica da organização), mas
declínio, pois se de um lado combateu a que pode incompatibilizar com
Teoria Clássica, por outro não outros (como a maneira de
proporcionou as bases adequadas de uma distribuir lucros da organização).
nova teoria que a pudesse substituir. A Nesse sentido, o diálogo maior da
oposição entre a Teoria Clássica e a Teoria Teoria Estruturalista foi com a
das Relações Humanas criou um impasse Teoria das Relações Humanas.
dentro da administração que mesmo a
Teoria da Burocracia não teve condições • A influência do estruturalismo nas
de ultrapassar. A Teoria Estruturalista ciências sociais: Sua influência e
representa um desdobramento da Teoria repercussão no estudo das
da Burocracia e uma leve aproximação a organizações. O estruturalismo
Teoria das Relações Humanas. teve forte influência na Filosofia,
Representa também uma visão bastante na Psicologia, na Antropologia, na
crítica da organização formal. Matemática, na Lingüística,
chegando até na Teoria das
Origens da Teoria Estruturalista Organizações.

Foram as seguintes: • Novo conceito de estrutura: O


conceito de estrutura é bastante
• Oposição entre a Teoria
antigo. Estrutura é o conjunto
Tradicional e das Relações
formal de dois ou mais elementos
Humanas: Tornou-se necessária
e que permanece inalterado seja
uma posição mais ampla e
na mudança, seja na diversidade
compreensiva que abrangesse os
de conteúdos, isto é, a estrutura
aspectos que eram considerados
mantém-se mesmo com a
por uma e omitidos pela outra e
alteração de um de seus
vice-versa. A Teoria Estruturalista
elementos ou relações.
pretende ser uma síntese da
Teoria Clássica (formal) e da Podemos esboçar vários raciocínios
Teoria das Relações Humanas filosóficos e sociológicos em cima das
(informal), inspirando-se na estruturas. Contudo vamos fazer um
abordagem de Max Weber, e até pequeno resumo: A Teoria Estruturalista é
administrativa baseada no movimento
14
MAXIMIAMNO, Antonio Cesar Amaru. estruturalista, fortemente influenciado
Introdução à administração. São Paulo. Atlas,
pela sociologia organizacional. Estrutura
2004.

56
é o conjunto de elementos relativamente organização é limitada por recursos
estáveis que se relacionam no tempo e no escassos, e por isso, não pode tirar
espaço para formar uma totalidade. Em vantagens de todas as oportunidades que
administração, a estrutura corresponde a surgem: daí o problema de determinar a
maneira como as organizações estão melhor alocação de recursos. A eficiência
organizadas e estruturadas. é obtida quando a organização aplica
seus recursos naquela alternativa que
A Teoria Estruturalista é representada por produz melhor resultado.
grande figuras da Administração:
A Teoria Estruturalista concentra-se no
A Sociedade de Organizações estudo das organizações, na sua
estrutura interna e na interação com
Para os estruturalistas, a sociedade outras organizações. As organizações são
moderna e industrializada é um sociedade concebidas como unidades sociais (ou
de organizações, das quais o homem agrupamentos humanos)
passa a depender para nascer, viver e intencionalmente construídas e
morrer. Essas organizações são altamente reconstruídas, a fim de atingir objetivos
diferenciadas e requerem dos seus específicos. (exército, escolas, hospitais,
participantes determinadas igrejas, prisões). As organizações são
características de personalidade. Essas caracterizadas por um conjunto de
características permitem a participação relações sociais estáveis e
simultânea das pessoas em várias deliberadamente criadas com a explícita
organizações, nas quais os papéis intenção de alcançar objetivos ou
desempenhados variam. propósitos. Assim, a organização e uma
unidade social dentro da qual as pessoas
O estruturalismo ampliou o estudo das alcançam relações estáveis entre si, no
interações entre os grupos sociais sentido de facilitar o alcance de um
iniciado pela Teoria das Relações conjunto de objetivos ou metas.
Humanas, para os das interações entre as
organizações sociais. Da mesma forma 2. O Homem Organizacional
como interagem entre si os grupos
sociais, também interagem entre si as Enquanto a Teoria Clássica caracteriza o
organizações. "homo economicus" e a Teoria das
Relações Humanas, "o homem social", a
1. As organizações Teoria Estruturalista focaliza o "homem
organizacional", ou seja, o homem que
Constituem a forma dominante de desempenha papéis em diferentes
instituição da moderna sociedade: São a organizações.
manifestação de uma sociedade
altamente especializada e Na sociedade das organizações, moderna
interdependente, que se caracteriza por e industrializada, aparece a figura do
um crescente padrão de vida. As "homem organizacional" que participa
organizações permeiam todos os simultaneamente de várias organizações.
aspectos da vida moderna e envolvem a O homem moderno, ou seja, o homem
participação de numerosas pessoas. Cada organizacional, para ser bem sucedido em

57
todas as organizações, precisa ter as Os estruturalistas utilizam, para estudar
seguintes características de as organizações, uma análise
personalidade: organizacional mais ampla do que a de
qualquer teoria anterior, pois pretendem
• Flexibilidade: em face das conciliar a Teoria Clássica e a Teoria das
constantes mudanças que Relações Humanas, baseando-se também
ocorrem da vida moderna, bem na Teoria da Burocracia. Assim, a análise
como da diversidade dos papéis das organizações do ponto de vista
desempenhados nas diversas estruturalista é feita a partir de uma
organizações, que podem chegar abordagem múltipla que leva em conta
a inversão, aos bruscos simultaneamente os fundamentos da
desligamentos das organizações e Teoria Clássica, da Teoria das Relações
aos novos relacionamentos. Humanas e da Teoria da Burocracia. Trata-
se de uma abordagem múltipla utilizada
• Tolerância as Frustrações: para pela Teoria Estruturalista que envolve:
evitar o desgaste emocional
decorrente do conflito necessário • Tanto a organização formal como
entre necessidades a organização informal
organizacionais e necessidades • Tanto as recompensas salariais e
individuais, cuja mediação é feita materiais como as recompensas
através de normas racionais, sociais e simbólicas
escritas e exaustivas, que • Todos os diferentes níveis
procuram envolver toda a hierárquicos de uma organização
organização. • Todos os diferentes tipos de
organizações
• Capacidade de adiar as • A análise intra-organizacional e
recompensas: e poder compensar análise interorganizacional.
o trabalho rotineiro dentro da
organização, em detrimento das 1. Abordagem Múltipla: Organização
preferências e vocações pessoais Formal e Informal
por outros tipos de atividade
profissional. Enquanto a Teoria Clássica se
concentrava na organização formal e a
• Permanente desejo de Realização: Teoria das Relações Humanas somente na
garantido a conformidade e organização informal, os estruturalistas
cooperação com as normas que tentam estudar o relacionamento entre
controlam e asseguram o acesso a ambas as organizações: a formal e a
posições de carreira dentro da informal, em uma abordagem múltipla.
organização, proporcionando
recompensas e sanções sociais e A Teoria Estruturalista vai tentar
materiais. relacionar as relações formais e informais
dentro e fora da organização. Os
Análise das Organizações estruturalistas não alteram os conceitos
da organização formal e informal. (formal
tudo o que estiver expresso no

58
organograma como hierarquia, regras, alcançar metas conhecidas. Os
regulamentos, controle de qualidade e objetivos organizacionais são
informal as relações sociais). A Teoria explicitados (com por exemplo a
Estruturalista tentar encontrar o maximização dos lucros), todos
equilíbrio entre os elementos racionais e os aspectos e componentes da
não racionais do comportamento organização são escolhidos em
humano que constitui o ponto principal função de sua contribuição ao
da vida, da sociedade e do pensamento objetivo e as estruturas
moderno. Constitui o problema da Teoria organizacionais são cuidadas para
das Organizações atingir a mais alta eficiência, os
recursos são adequados e
2. Abordagem Múltipla: Recompensas alocados de acordo com um plano
Materiais e Sociais diretor, todas ações são
apropriadas e iniciadas por planos
Os estruturalistas combinam os estudos e seus resultados devem coincidir
da Teoria Clássica e da Teoria das com os planos. É um sistema
Relações Humanas. O significado das fechado, tendo como
recompensas salariais e sociais e tudo que característica a visão focalizada
se inclui nos símbolos de posição apenas nas partes internas do
(tamanho da mesa ou do escritório, sistema, com ênfase no
carros da companhia, etc) é importante planejamento e controle.
na vida de qualquer organização. Expectativa de certeza e de
viabilidade. Neste modelo inclui a
Para as recompensas sociais e simbólicas abordagem clássica da
sejam eficientes, quem as recebe deve administração e a teoria da
estar identificado com a organização que burocracia.
as concede. Os símbolos e significados
devem ser prezados e compartilhados • Modelo natural de organização:
pelos outros, como a esposa, colegas, Concebe a organização com um
amigos, vizinhos, etc. Por essas razões, as conjunto de partes
recompensas sociais são menos eficientes independentes que, juntas,
com os funcionários de posições mais constituem um todo. O objetivo
baixas do que com os de posições mais básico é a sobrevivência do
altas. sistema. O modelo natural
procura tornar tudo funcional e
3. Abordagem Múltipla: Os diferentes
equilibrado, podendo ocorrer
Enfoques da Organização
disfunções. A auto-regulação é o
mecanismo fundamental que
As organizações para os estruturalistas
naturalmente governa as relações
podem ser concebidas segundo duas
entre as partes e suas atividades,
diferentes concepções:
mantendo o sistema equilibrado e
estável ante as perturbações
• Modelo racional da organização:
provindas do ambiente externo.
Concebe a organização com um
Este modelo traz com inevitável
meio deliberado e racional de
aparecimento a organização

59
informal nas organizações. É um executadas, os programas são
sistema aberto tendo como desenvolvidos e as técnicas são
característica a visão focalizada aplicadas. É o nível que cuida da
sobre o sistema e sua execução das tarefas a curto
interdependência com o prazo e segue os programas e
ambiente. Expectativa de rotinas desenvolvidas pelo nível
incerteza e de imprevisibilidade. gerencial.

4. Abordagem Múltipla: Os Níveis da 5. Abordagem Múltipla: A Diversidade de


Organização Organizações

Assim com o modelo burocrático de Enquanto a Administração Científica e a


Weber, as organizações sofrem uma Escola das Relações Humanas focalizaram
multiplicidade de problemas que são as fábricas, a abordagem estruturalista
classificados e categorizados para que a ampliou o campo da análise da
responsabilidade por sua solução seja organização, a fim de incluir outros tipos
atribuída a diferentes níveis hierárquicos: diferentes de organizações além das
fábricas: organizações pequenas, médias
• Nível Institucional: É o nível mais e grandes, públicas e privadas, empresas
alto, composto dos dirigentes ou dos mais diversos tipos (indústrias ou
altos funcionários. É também produtoras de bens, prestadoras de
denominado nível estratégico, serviços, comerciais, agrícolas, etc),
pois é responsável pela definição organizações militares (exército, marinha,
dos principais objetivos e das aeronáutica), organizações religiosas
estratégias organizacionais (igreja), organizações filantrópicas,
relacionadas a longo prazo. partidos políticos, prisões, sindicatos, etc.
A partir do estruturalismo a administração
não ficou mais restrita as fábricas, mas
passou a ser entendida a todos os tipos
• Nível Gerencial: É o nível possíveis de organizações. Além disso,
intermediário, situado entre o toda a organização, a medida que cresce
institucional e o técnico, cuidando torna-se complexa e passa a exigir um
do relacionamento e da adequada administração.
integração desses dois níveis.
Uma vez tomadas as decisões no 6. Abordagem Múltipla: Análise
nível institucional, o nível Interorganizacional
gerencial é o responsável pela sua
transformação em planos e em Os estruturalistas além de se preocupar
programas para que o nível com os fenômenos internos, também se
técnico os execute. preocupam com os fenômenos que
ocorrem externamente nas organizações,
• Nível Técnico: É o nível mais baixo mas que afetam os que ocorrem dentro
da organização. Também delas, ou seja, os fenômenos internos.
denominado nível operacional, é Assim, os estruturalistas se baseiam em
o nível em que as tarefas são uma abordagem de sistema aberto e

60
utilizam o modelo natural de organização
como base de seus estudos. A análise
organizacional passa a ser feita através de
uma abordagem múltipla, ou seja, através
das análises intra-organizacional
(fenômenosn internos) e
interorganizacional (fenômenos
externos).

Exercícios de fixação:

Em grupos de cinco alunos, pesquisar na


biblioteca as seguintes questões:

1. Explique as várias abordagens


estruturalistas na Sociologia.

2. Defina o conceito de estrutura.

3. Explique a sociedade de
organizações e suas
características.

4. Explique as quatro etapas do


desenvolvimento das
organizações.

5. Explique as etapas da sociedade.

6. Conceitue organizações e suas


características.

7. O que são organizações formais?

8. O que são organizações


complexas?

9. Explique a tipologia ou taxonomia


das organizações.

61
Aula 10 – A Abordagem Neoclássica Frankfurt, onde freqüentou a
Peter Drucker e a retomada sobre o universidade, graduando-se como doutor
papel do Administrador em direito internacional em 1931. Por essa
ocasião já trabalhava como jornalista

P
eter Drucker é provavelmente um financeiro para um diário de Frankfurt,
dos autores sobre administração
aprendendo ao mesmo tempo economia
mais populares e conhecidos de
e negócios. Inimigo implacável dos
todos os tempos. Um guru que merece nazistas, Drucker retornou para a Áustria
integralmente essa condição, é logo depois da ascensão de Hitler ao
habitualmente o mais citado em todas as
poder em 1933, mas lá ficou pouco
pesquisas entre homens de negócios tempo. Mudou-se para Londres, e
como um dos mais importantes trabalhou durante vários anos como
pensadores e escritores de administração
banqueiro, tendo conhecido Jonh
do século xx. Publicou mais de vinte livros Maynard Keynes. Em 1937, mudou-se para
importantes e numerosos artigos, Nova York, onde encontrou trabalho
publicados ao longo de mais de sessenta
como jornalista e consultor financeiro. Em
anos. Seus interesses e idéias cobrem 1941 assumiu um posto acadêmico no
todo o espectro da administração, da Bennington College, em Vermont,
ética à tecnologia, da economia à
passando depois para a Universidade de
administração do conhecimento. Nova York em 1952. Faleceu em 11 de
Provavelmente mais que qualquer outro, novembro de 2005, em Claremont,
definiu a natureza da administração e as
Califórnia, EUA) onde continou sendo um
tarefas e os objetivos do administrador na
escritor prolífico e ativo até sua morte.
empresa e na sociedade modernas. Entre
as muitas honrarias que já recebeu em A partir de meados da década de 1930, e
sua carreira, há uma que é única entre os em especial nos anos 40, o aspecto mais
gurus da administração: um empresário importante da carreira de Drucker foi o de
coreano cuja admiração por Peter escritor, e é possível marcar os estágios
Drucker chegava ao ponto da adulação, de seu desenvolvimento intelectual por
mudou seu próprio nome para “Peter seus livros. Drucker sempre foi eclético, e
Drucker” em homenagem a seu herói. há muitos cruzamentos de interesse em
suas obras. Ainda assim, é possível
classificar seus livros em três estágios:
Drucker nasceu em Viena em 19 de 1. Os livros de “economia” do
novembro de 1909. Seu pai, Adolph
primeiro período, inclusive The
Drucker, era advogado e membro End of Economic Man (1939). The
importante da intelligentsia liberal do Future of Industrial Man (1942) e
Império Austro-Húngaro anterior à
Concept of the Corportation
guerra, e tinha Joseph Schumpeter entre (1946).
seus amigos. Drucker foi educado no
Gymnasium de Viena, e ainda adolescente
2. Os livros de “administração”, a
flertou brevemente com o socialismo. partir da década de 1950 até a de
Aos dezessete anos mudou-se para a 1970, inclusive, principalmente,
Alemanha, trabalhando durante algum
The Practice of Management
tempo em Hamburgo antes de ir para

62
(1954), The Effective Executive Peter Starbuck resumia assim seus
(1966) e Mangement: Tasks, argumentos: “A primeira
Responsibilities, Practices (1974). responsabilidade da administração era
produzir resultados econômicos
3. Os livros “filosóficos”, a partir de traduzidos em lucros: a segunda
meados dos anos 1970 até o responsabilidade era trabalhar de forma
presente, a começar de The boa para a sociedade, sem jamais tentar
Unseen Revolution (1976) e assumir o trabalho da sociedade”.
incluem Innovation and
Entrepreneurship (1985), the New Riqueza e liberdade, para Drucker, eram
Realities (1989) e Managing in a necessariamente equivalentes, um não
Time of Great Change (1995). funcionava sem o outro, e concluir que o
mercado livre oferecia a melhor
No primeiro estágio, Drucker estava oportunidade de se chegar aos dois.
interessado na natureza da sociedade
econômica e no novo mundo que emergia O passo seguinte foi começar a estudar
da velha ordem da primeira metade do com mais profundidade os mecanismos
século XX. Tlhe End of Economic Man do mercado, em particular a instituição
(1939) discute a ascensão do mais importante do capitalismo ocidental,
15
totalitarismo e oferece algumas a corporação. Concept f the Corporation
respostas possíveis da parte do mundo (1946) é um estudo da General Motors, na
livre. The Failure of Industrial Man (1942) época a maior corporação do mundo,
leva adiante o mesmo tema, com mais de meio milhão de empregados
argumentando que uma sociedade em todo o mundo. Fundada pelo
industrial não é incompatível com uma talentoso porém despreparado
sociedade livre. Suas influências nesse entrepreneur William C. Durant em 1908,
período são fortemente liberais: a companhia foi assumida por Pierre Du
Schumpeter, o filósofo existencialista Pont em 1920. Du Pont usou sua
Soren Kierkegaard e o industrial judeu- capacidade organizacional para conseguir
alemão Walter Rathenau, assassinado uma transformação semelhante à que
pelos nazistas em 1922. Nos Estados havia conseguido em sua própria
Unidos, leu e se impressionou com The empresa, a fabricante de explosivos Du
Modern Corportation and Private Property Pont.
(1932) de Adolphe Berle e Gardiner
Means: Como James Burnham, ainda que Ao diversificar a empresa pela forma
de uma perspectiva diferente, Drucker se multidivisional mais tarde descrita por
opunha ao divórcio entre propriedade e Alfred Chandler em Strategy and
controle na corporação. Isso, diz Drucker, Structure (1962), Du Pont também
levaria ao poder sem responsabilidade. convocou uma equipe de administradores
altamente profissionais e talentosos,
15 entre eles Alfred Sloan e James dl.
Totalitarismo é um termo empregado pela
primeira vez pelo regime fascista de Benito Mooney, para dirigir a companhia. Na
Mussolini, na Itália. Significou, a princípio, um década de 1940, a GM era admirada não
regime político baseado na extensão do poder só por sua lucratividade, mas também
do Estado a todos os níveis e aspectos da
sociedade ("Estado Total", "Estado Máximo"). pelo grande sucesso de sua estrutura e

63
organização. Tomando a GM como o ideal organização e à estrutura. Duas
da corporação moderna, Drucker perguntas precisam de resposta: que tipo
começou a examinar o que exatamente de empresa somos e que tipo de empresa
faziam as corporações e seus deveríamos ser? Apenas quando essas
administradores. Concept of the perguntas tiverem resposta pode-se
Corporation continua sendo ainda hoje tomar uma decisão relativa à estrutura
um dos melhores estudos de caso de adequada.
organização já escritos. Drucker fez mais
que simplesmente descrever a operação Em The Practice of Managemente, e mais
da organização; ele retira camada após tarde em Managing for Results (1964),
camada para revelar uma compreensão Drucker apresentou duas expressões que
mais profunda do que fazia funcionar a desde então têm sido muito criticadas:
GM e seu pessoal. administração por objetivos (APO) e
administração por resultados. Considera-
Uma das conclusões mais importantes de se que as duas levam a um estilo de
Concept of the Corporation foi que o administração fixado em definição de
sucesso da administração é julgado pelos metas e padronização. O guru da
resultados – sempre pressupondo, qualidade W. Edwards Deming, por
evidentemente, que esses resultado exemplo, se opunha ferrenhamente à
sejam obtidos eticamente. Começava aí o administração por objetivos, que julgava
segundo “estágio” dos escritos de um obstáculo para o único objetivo
Drucker, em que via a administração legítimo da administração, o
como atividade, profissão e disciplina. aperfeiçoamento contínuo. Mas isso é
The Practice of Management (1954) é sua uma leitura errônea da intenção de
primeira tentava de resumir o que é Drucker. Com administração por
administração; muitos ainda o resultados, em particular, Drucker tenta
consideram seu melhor livro. O trabalho afastar os administradores de uma
da alta administração consiste em definir adesão rígida a tarefas e rotinas, em
políticas, medir desempenho e avaliar busca de um estado de espírito
resultados. Seguindo os ensinamentos de concentrado em formas novas e criativas
Henri Fayol, ele relaciona as tarefas de se chegar lucrativamente aos
básicas da administração: definir resultados. Influenciado pela obra de
objetivos, organizar, motivar, medir e Schumpeter sobre atividade empresarial
comunicar. Absolutamente essencial é a e inovação. Drucker começou a dar mais
relação entre administradores e ênfase à importância fundamental da
empregados: estes devem ser vistos não inovação para a administração.
como instrumentos de execução de uma
tarefa, mas como um recurso para se Sua filosofia da administração atinge sua
atingir objetivos maiores. Quanto melhor forma madura em Management: Tasks,
for a relação entre as duas partes, mais Responsibilities and Practices de 1974.
valioso se torna esse recurso. Em outra Uma vez mais, principia pela noção de
passagem, em que repercutem partes da que administradores devem se afastar da
obra da maturidade de Chandler, Drucker idéia de administrar processos e tentar
insiste em que os administradores não administrar para resultados. Enfatiza a
devem dar ênfase excessiva à importância fundamental do

64
administrador para a empresa. A função Theodore Levitt, ele próprio um guru do
do administrador é a de um catalisador, marketing de certa importância, conferiu
reunindo recursos estáticos de produção mais tarde a Drucker o crédito de ter sido
e tornando-os ativos. Literalmente, é o o primeiro a ter essa percepção e de
administrador que sopra vida na empresa trazer o marketing para o foco de
e a faz funcionar. É possível que no futuro atenção geral dos líderes empresariais
os trabalhadores se tornem redundantes, americanos. Essa afirmação talvez possa
substituídos pela automação, contudo as ser excessiva. Escritores do início do
máquinas não podem substituir a século XX que trataram de propaganda e
centelha de vida proporcionada pela de marketing, como John Lee Mahin e
administração. No futuro, segundo Herbert Casson, já haviam dito a mesma
Drucker, é possível que todo emprego coisa, este último comentando em seu
seja de natureza administrativa. Teremos livro Ads and Sales (1911) que: “Não é
então avançado de uma sociedade de verdade que novos produtos sejam
trabalho para uma sociedade de fabricados para atender à demanda. Não
administração. existe demanda. A demanda e os
produtos têm de ser fabricados. O público
As primeiras tarefas do administrador sempre se conformou com o antigo
são, por conseguinte, mobilizar recursos desconforto, até que o vendedor o
e criar produção. O segundo conjunto de convencesse a ceder”. Mas apesar de ter
tarefas relaciona-se com orientação e sido articulada, e bem, essa lição se
controle. Na visão de Drucker, esse papel perdeu ou foi esquecida pelas empresas
é quase inteiramente proativo: “As forças americanas nesse ínterim. É justo dizer
econômicas definem limites para o que que Drucker ajudou a trazer a idéia de
pode fazer um administrador. Criam Marketing de vota para o centro do
oportunidades para sua ação. Mas não pensamento empresarial, abrindo
são capazes por si sós de ditar o que um caminho para a obra posterior de Levitt e,
negócio é, nem o que ele faz”. Em uma em especial, de Philip Kotler.
declaração famosa, ele atribuía aos
administradores o papel principal não Portanto, recai sobre os administradores
somente de criação da empresa, mas a dupla tarefa de reunir trabalho e
também de criação de seus mercados: recursos para criar produção, e de criar
mercados onde se possam vender os
Há uma única definição válida do objetivo produtos resultantes. Por meio dessas
da empresa: criar um cliente. Os duas tarefas, os administradores devem
mercados não são criados por Deus, pela lutar para agregar valor, criando algo que
natureza nem pelas forças econômicas, e seja maior que a soma dos recursos
sim pelas pessoas que administram uma utilizados. Aqui Drucker afasta-se da
empresa. Um desejo satisfeito pela administração científica, que enfatiza o
empresa pode ter sido sentido pelos uso mais eficiente dos recursos. Em vez
consumidores [...] mas continuou sendo disso, sublinha o ambiente criativo em
um potencial até que os empresários a que os administradores devem usar os
convertessem em ação efetiva. Só então recursos da forma mais eficaz para chegar
passam a existir consumidores e um aos objetivos da empresa. Essa
mercado. combinação e catalisador e controle

65
proativo aproxima-se muito da comercial. Como se comentou em uma
identificação da empresa com seus resenha:
administradores. Drucker não chega a
dizer que os administradores são a Drucker nunca perde de vista o bem
empresa, mais insiste repetidamente em público embutido na organização, em
seu papel primordial. Anteriormente, geral, e na corporação, em particular. As
havia comentado que: “A empresa só corporações devem ser administradas não
pode decidir, agir e comportar-se da somente de acordo com um conjunto de
mesma forma que seus administradores – regras pragmáticas, mas também dentro
em sim mesma a empresa não tem de uma estrutura filosófica que se ajuste ao
existência efetiva”. papel da organização na sociedade
industrial.
Ao tratar das responsabilidades da
administração, Drucker afirma que elas Outra vez Drucker não está dizendo nada
são três: de novo: o argumento de que as
1) alcançar desempenho econômico; corporações são, pelo menos em parte,
instrumentos sociais vem de Berle e
2) tornar produtivo o trabalho a fim de Means, de William Zebina Ripley, o
que se atinja mais facilmente os professor de economia de Harvard que
resultados; deu aulas a Ddolph Berle e escreveu uma
série de penetrantes ensaios sobre a
3) administrar os impactos sociais que a América empresarial sob o título Main
empresa certamente terá sobre seu Street and Wall Street (1927), e, ainda
ambiente. antes, do advogado e historiador John
Davis, cujo estudo Corporations (1902)
Fala de “responsabilidades” e não chegou a muitas das mesma conclusões
liderança, recomendando aos de Drucker sobre a relação entre empresa
administradores fazer que as coisas sejam e sociedade. Entretanto, notável em
realizadas de forma a não ter eles Drucker é a capacidade de transmitir sua
próprios de liderar diretamente o esforço. mensagem a seu público e fazê-lo ouvi-la
Em sua opinião, os administradores e entendê-la.
deveriam ser o pivô em torno do qual gira
a organização, e não diretores liderando É essa aptidão que caracteriza a terceira
do alto, ou comandantes lá na vanguarda. fase de suas obras, quando começa a se
Importância particular tem o terceiro afastar da disciplina central da
conjunto de responsabilidades, aquelas administração para se dedicar a seu
perante a sociedade. A dimensão social impacto na sociedade e seu futuro. Em
do trabalho nunca pode ser esquecida, e Innovation and Entepreneurship (1985),
isso se torna ainda mais importante à por exemplo, retoma os temas
medida que a empresa cresce e se torna schumpeterianos que havia discutido na
mais poderosa. Em determinada década de 1950 e ressalta mais uma vez a
passagem Drucker chega a dizer que o importância dos dois, não só no sucesso
aumento da responsabilidade social é da administração de empresas, como na
parte do preço a ser pago pelo sucesso criação de riquezas e na manutenção de
uma sociedade forte livre. Em The New

66
Realities (1989), fala sobre os vínculos se mal aplicada, pode se tornar uma
entre tecnologia, política, governo, camisa-de–força organizacional e
economia e meio ambiente, e sobre o redobrou esforços pedindo mais
impacto destes sobre a administração flexibilidade e foco no consumidor. Uma
como função e profissão. Em um capítulo queixa mais grave talvez seja a de ter
intitulado “Management as a Social criado, ainda que inadvertidamente, a
Function and Liberal Art”, descreve de que idéia do “administrador transferível”,
maneira o impacto do conhecimento está segundo a qual a competência
mudando as premissas fundamentais administrativa é mais importante que a
subjacentes à grande parte do natureza da empresa, e um administrador
pensamento da administração. No início bem treinado é capaz de se dar
do século XX, a tarefa dos igualmente bem em qualquer tipo de
administradores era coordenar e dirigir os empresa. O próprio Drucker nunca
esforços de grandes forças de trabalho de aceitou isso, e também nesse caso
baixa qualificação. No final do século, as afirmou reiteradamente que os
forças de trabalho eram menores, mais administradores devem conhecer o
educadas e mais informadas, e isso exigia negócio em que estão. Contudo, a
uma abordagem diferente da sua percepção de que a competência
administração. A partir da década de administrativa é inteiramente genérica e
1980, Drucker também vem liderando a facilmente transferível continua forte.
convocação para o desenvolvimento da Contra ela, entretanto, persiste o fato de
administração do conhecimento como que os 35 livros de Drucker e seus mais de
disciplina. cem ensaios e artigos o tornam o guru da
administração mais amplamente lido e
Homem eclético, Drucker também citado de nosso tempo.
escreveu uma novela histórica e foi
curador de uma exposição de arte Exercícios de fixação:
japonesa. Gostava de se assumir como
intelectual, e não como acadêmico.
Evidentemente, seu pensamento nem Em grupos de cinco alunos pesquisarem
sempre era original: É um brilhante sobre o neoliberalismo.
sintetizador de idéias, e não um criador
de novos paradigmas. Seu maior talento é
o de comunicador: era capaz de compilar
idéias em um estilo fácil de ler e com bom
senso que fala diretamente aos
empresários sem parecer
condescendente. Tem a aptidão de atingir
um grande público, dom de poucos
escritores que tratam de administração.

Sua obra tem sido criticada, em especial,


como já foi dito, com relação à
administração por objetivos. Drucker
admite que a administração por objetivos,

67
Aula 11 – A Abordagem Neoclássica
ABORDAGEM NEOCLÁSSICA DA 1 - Ênfase na Prática da Administração
ADMINISTRAÇÃO
A Teoria Neoclássica caracteriza-se por

A
pesar de toda influência das uma forte ênfase nos aspectos práticos
ciências do comportamento da administração, pelo pragmatismo e
sobre a teoria administrativa, os pela busca de resultados concretos e
pontos de vista dos autores clássicos palpáveis, muito embora não se tenha
nunca deixaram de subsistir. Malgrado descurado dos conceitos teóricos da
toda a crítica aos postulados clássicos e administração. Os autores neoclássicos
aos novos enfoques da organização, buscam desenvolver os seus conceitos de
verifica-se que os princípios de forma prática e utilizável, visando
administração, a departamentalização, a principalmente a ação administrativa. A
racionalização do trabalho, a teoria só tem valor quando
estruturação linear ou funcional, enfim, a operacionalizada na prática.
abordagem clássica, nunca fora
totalmente substituída por outra 2 - Reafirmação relativa dos postulados
abordagem, sem que alguma coisa fosse clássicos
mantida. Todas as teorias administrativas
se assentaram na Teoria Clássica, seja A Teoria Neoclássica é quase como que
como ponto de partida, seja como crítica uma reação à enorme influência das
para tentar uma posição diferente, mas a ciências do comportamento no campo da
ela relacionada intimamente. Administração em detrimento dos
aspectos econômicos e concretos que
Teoria Neoclássica da Administração envolvem o comportamento das
organizações. E, para tanto, retomam
A Teoria Neoclássica da Administração grande parte do material desenvolvido
representa o ressurgimento das Teorias pela Teoria Clássica, redimensionando-o e
Clássica e Científica de Administração, reestruturando-o de acordo com as
retomando diversos dos assuntos contingências da época atual, dando-lhe
abordados por essas teorias, aplicando uma configuração mais ampla e flexível.
novos pontos de vista, novas abordagens,
ampliando o campo de atuação do 3 - Ênfase nos princípios gerais de
administrador, e consolidando assim essa administração
ciência. Os temas abordados pelas
abordagens clássica e neoclássica ainda Os Princípios de Administração que os
são considerados de extrema importância clássicos utilizavam como leis científicas
até os dias de hoje, ressalvando-se a são retomadas pelos neoclássicos como
flexibilidade e a volatilidade exigidas pelo critérios mais ou menos elásticos para a
meio ambiente e pela tecnologia. busca de soluções administrativas
práticas. Os administradores são
Características Principais da Teoria essenciais a qualquer empresa dinâmica e
Neoclássica bem-sucedida. São homens que devem
planejar, dirigir e controlar as operações
As principais características básicas da do negócio. Os aspectos básicos da
Teoria Neoclássica são as seguintes:

68
administração são comuns a qualquer alcançar a operação mais eficiente
tipo de empreendimento humano. e econômica.

Como quase todos os autores da Teoria Autoridade


Clássica, os Neoclássicos também se
preocupam em estabelecer os princípios  Deve haver linhas claras de
gerais de administração capazes de autoridade descendo do topo até
orientar o administrador no a base da organização, e
desenvolvimento de suas funções. Esses responsabilidade da base ao topo.
princípios gerais, apresentados de forma
e conteúdos variados por parte dos  A responsabilidade e a autoridade
autores, procuram definir a maneira pela de cada posição devem ser
qual o administrador deve planejar, claramente definidas por escrito.
organizar, dirigir e controlar o trabalho de
seus subordinados. Os princípios têm um  A responsabilidade deve ser
papel na Administração equivalente ao sempre acompanhada de
das leis nas ciências físicas, pois visam correspondente autoridade.
demonstrar uma relação de causa-efeito .
Enquanto a lei é uma demonstração de  A autoridade para tomar ou iniciar
certos fenômenos que, uma vez ação deve ser delegada o mais
conhecidos, são inevitáveis sob certas próximo possível da cena de ação.
condições, um princípio é uma proposição
geral aplicável a determinados  O número de níveis de autoridade
fenômenos para proporcionar um guia deve ser o mínimo possível.
para a ação. Relações
Objetivos  Há um limite quanto ao número
 Os objetivos da empresa e de de posições que pode ser
seus departamentos devem ser eficientemente supervisionado
claramente definidos e por um único indivíduo.
estabelecidos por escrito. A
organização deve ser simples e  Cada indivíduo na organização
flexível. deve reportar-se a apenas um
único supervisor.
Atividades e Agrupamento de Atividades
 A responsabilidade da autoridade
 As responsabilidades designadas mais elevada para com os atos de
para uma posição devem ser
seus subordinados é absoluta.
confinadas tanto quanto possível
ao desempenho de uma simples Ênfase nos objetivos e resultados.
função.
 Toda organização existe, não para
 As funções devem ser designadas si mesma, mas para alcançar
para os departamentos na base objetivos e produzir resultados. É
da homogeneidade no sentido de em função de seus objetivos e
resultados que organização deve

69
ser dimensionada, estruturada e Para os autores neoclássicos, a
orientada. Administração consiste em orientar,
dirigir e controlar os esforços de um
Um dos melhores produtos da Teoria grupo de indivíduos para um objetivo
Neoclássica é a chamada APO - comum. E o bom administrador é,
Administração por Objetivo. Enquanto a
naturalmente, aquele que possibilita ao
Administração Científica colocava ênfase
grupo alcançar seus objetivos com o
nos métodos e na racionalização do mínimo dispêndio de recursos e de
trabalho e a Teoria Clássica punha ênfase esforço e com menos atritos com outras
nos princípios gerais de administração, a
atividades úteis.
Teoria Neoclássica considera os meios na A administração é uma atividade
busca da eficiência, mas enfatiza generalizada e essencial a todo esforço
fortemente os fins e resultados, na busca
humano coletivo, seja na empresa
de eficácia. Há um forte deslocamento industrial, na empresa de serviços, no
para os objetivos e resultados. exército, nos hospitais, na igreja, etc. O
homem cada vez mais necessita cooperar
As organizações não vivem para si com outros homens para atingir seus
próprias, mas são meios, são órgãos objetivos: nesse sentido, a Administração
sociais que visam à realização de uma
é basicamente a coordenação de
tarefa social. A sobrevivência - objeto atividades grupais.
típico da espécie biológica - não é um Um dos fenômenos marcantes do século
objetivo adequado da organização. O
atual é o surgimento de uma sociedade
objetivo da organização está fora dela, e de organizações. Nessa sociedade as
é sempre uma contribuição específica tarefas importantes estão sendo
para o indivíduo e para a sociedade.
confiadas a grandes instituições, como o
governo, a universidade, o sindicato, a
Ecletismo da Teoria neoclássica empresa, etc. Essa sociedade de
Os autores neoclássicos, embora se organizações tende a um pluralismo de
baseiem fortemente na abordagem objetivos, a uma diversidade de
clássica, são amplamente ecléticos, instituições e a uma difusão do poder.
absorvendo conteúdo de quase todas as Essas organizações agem entre si e,
outras teorias administrativas, dentre elas embora sejam interdependentes, elas
a Teoria das Relações Humanas, a Teoria têm de viver e trabalhar juntas.
da Burocracia, a Teoria Estruturalista, a
Teoria Behaviorista, a Teoria matemática Eficácia x eficiência
e a Teoria de Sistemas.
Cada empresa deve ser considerada sob o
Devido a esse ecletismo é que ponto de vista de eficácia e de eficiência,
consideramos a Teoria Neoclássica como simultaneamente. Eficácia é uma medida
uma Teoria Clássica atualizada com os
normativa do alcance de resultados,
conceitos da Administração moderna e enquanto a eficiência é uma medida
dentro do figurino eclético que apresenta normativa da utilização de recursos nesse
a formação do administrador hoje.
processo. Em termos econômicos, a
eficácia de uma empresa refere-se à sua
Administração como Técnica Social capacidade de satisfazer uma

70
necessidade da sociedade por meio do mostra a figura abaixo.
suprimento de seus produtos (bens ou
serviços), enquanto a eficiência é uma O Processo Administrativo: a interação
relação técnica entre entradas e saídas. dinâmica das funções administrativas
Nestes termos, eficiência é uma relação
entre custos e benefícios. As Funções Administrativas, quando
A eficiência representa a relação entre os consideradas como um todo, formam o
recursos aplicados e o produto final processo administrativo. Quando
obtido: é a razão entre o esforço e o consideradas isoladamente, o
resultado, entre a despesa e a receita, planejamento, a direção, a organização e
entre o custo e o benefício resultante. o controle constituem funções
A eficiência se preocupa em fazer administrativas. Quando consideradas em
corretamente as coisas e da melhor sua abordagem global para alcançar
maneira possível. Daí a ênfase nos objetivos, formam o processo
métodos e procedimentos internos. A administrativo. O processo administrativo
eficácia se preocupa em fazer as coisas é determinado pelo conjunto das funções
corretas para atender às necessidades da administrativas.
empresa e do ambiente que a circunda.
O Processo Administrativo
Centralização x descentralização Planejamento
O problema da centralização versus
descentralização é um assunto muito As empresas não trabalham na base da
discutido pela teoria neoclássica. Os improvisação. Quase tudo nelas é
autores dessa escola preocuparam-se em planejado antecipadamente. O
discutir as vantagens e desvantagens de Planejamento figura como a primeira
ambas as possibilidades, sem se função administrativa, por ser
preocupar em afirmar que essa ou aquela exatamente aquela que serve de base
seria a melhor opção para as empresas. para as demais funções. O planejamento
é a função administrativa que determina
antecipadamente quais são os objetivos
Funções do administrador
que devem ser atingidos e como se deve
Para a Teoria Neoclássica, as funções do fazer para alcançá-los.
administrador correspondem aos Começa com a determinação dos
elementos da administração, que Fayol objetivos e detalha os planos necessários
definira no seu tempo (planejar, para atingi-los da melhor maneira
organizar, comandar, coordenar e possível. Planejar é definir os objetivos e
controlar) com uma roupagem escolher antecipadamente o melhor
atualizada. Basicamente, as funções do curso de ação para alcançá-los.
administrador são: planejamento,
organização, direção e controle. O O planejamento define onde se pretende
desempenho dessas quatro funções chegar, o que deve ser feito, quando,
básicas forma o chamado processo como e em que seqüência.
administrativo. O processo administrativo
é cíclico, dinâmico e interativo, como As Premissas do Planejamento:

71
a) Estabelecimento de Objetivos restrita e detalhada.
c) Abrangência do Planejamento
Objetivos são resultados futuros que se
deseja atingir. Há uma hierarquia de Além da hierarquia de objetivos, existe
objetivos, pois alguns deles são mais também uma hierarquia do
importantes e predominam sobre os planejamento. Neste sentido, existem
demais. três níveis distintos de planejamento: o
O planejamento é um processo que planejamento estratégico, o tático e o
começa com os objetivos e define os operacional.
planos para alcançá-los. Esta definição faz
do estabelecimento dos objetivos a ser • Planejamento Estratégico: é o
alcançado o ponto de partida do planejamento mais amplo e abrangente
planejamento. A fixação dos objetivos é a da organização.
primeira coisa a ser feita: saber onde se • Planejamento Tático: é o planejamento
pretende chegar para se saber feito em nível departamental.
exatamente como chegar lá. • Planejamento Operacional: é o
planejamento feito para cada tarefa ou
b) Desdobramento dos objetivos atividade.

Os objetivos das organizações podem ser


visualizados dentro de uma hierarquia
que vai desde os objetivos globais da
organização (no topo da hierarquia) até
os objetivos operativos ou operacionais
que envolvem simples instruções para a
rotina cotidiana (na base da hierarquia).
Desta maneira, o planejamento compõe-
se tanto de estratégias e políticas de
longo prazo por meio das quais se
pretende alcançar os objetivos globais da
organização, como também de um
conjunto de planos detalhando as
atividades cotidianas para o alcance dos
objetivos imediatos relacionados com d) Tipos de Planos
uma divisão ou órgão da organização.
O planejamento produz um resultado
A partir dos objetivos organizacionais, a imediato: o plano. Um plano é o produto
empresa pode fixar suas políticas do planejamento e constitui o evento
diretrizes, metas, programas, intermediário entre o processo de
procedimentos, métodos e normas. planejamento e o processo de
Enquanto os objetivos organizacionais implementação do planejamento. Todos
são amplos e genéricos, à medida que se os planos têm um propósito comum: a
desce nos seus desdobramentos, a previsão, programação e a coordenação
focalização torna-se cada vez mais de uma seqüência lógica de eventos, os
quais, se aplicados com sucesso, deverão
conduzir ao alcance dos objetivos que os

72
comandam. Existem quatro tipos como um todo.
distintos de planos, a saber: 2. Organização ao nível departamental: é
a organização que abrange cada
• Planos relacionados com os métodos, departamento da empresa.
denominados procedimentos. 3. Organização ao nível das tarefas: é a
• Planos relacionados com dinheiro, organização que focaliza cada tarefa,
denominados orçamentos. atividade ou operação especificamente.
• Planos relacionados com o tempo,
denominados programas ou Direção
programações.
• Planos relacionados com A Direção constitui a terceira função
comportamentos, denominados normas administrativa e vem logo depois do
ou regulamentos. planejamento e da organização. Definido
o planejamento e a organização, resta
Organização fazer as coisas andarem e acontecerem.
Este é o papel da direção: acionar e
Organização será considerada aqui a dinamizar a empresa. A direção está
função administrativa, parte integrante relacionada com a ação, com o colocar-se
do processo administrativo. Neste em marcha, e tem muito a ver com as
sentido, organização significa o ato de pessoas. Ela está diretamente relacionada
organizar, estruturar e integrar os com a atuação sobre os recursos
recursos e os órgãos incumbidos de sua humanos da empresa.
administração e estabelecer as relações Assim a direção é a função administrativa
entre eles e as atribuições de cada um. que se refere às relações interpessoais
Trataremos da organização como a dos administradores em todos os níveis
segunda função administrativa e que da organização e os seus respectivos
depende do planejamento, da direção e subordinados. Como não existem
do controle para formar o processo empresas sem pessoas, a direção
administrativo. constitui uma das mais complexas
funções administrativas pelo fato de
Após o planejamento, segue-se a função envolver orientação, assistência à
de organização, que consiste em: execução, comunicação, motivação,
a) Determinar as atividades específicas enfim, todos os processos pelo meio dos
necessárias ao alcance dos objetivos quais os administradores procuram
planejados (especialização); influenciar os seus subordinados para que
b) Agrupar as atividades em uma se comportem dentro das expectativas e
estrutura lógica (departamentalização); consigam alcançar os objetivos da
c) Designar as atividades às específicas organização.
posições e pessoas (cargos e tarefas).
Controle
A organização pode ser feita em três
níveis diferentes: Trataremos, neste trabalho, o controle
como a quarta função administrativa, que
1. Organização ao nível global: é a depende do planejamento, da
organização que abrange a empresa organização, e da direção para formar o

73
processo administrativo. comparado com o padrão para se
A finalidade do controle é assegurar que verificar eventuais desvios ou variações.
os resultados daquilo que foi planejado, A comparação da atuação com o que foi
organizado e dirigido se ajustem tanto planejado não busca apenas localizar as
quanto possível aos objetivos variações, erros ou desvios, mas também
previamente estabelecidos. A essência do permitir a predição de outros resultados
controle reside na verificação se a futuros e localizar as dificuldades para
atividade controlada está ou não criar condições para que as operações
alcançando os objetivos ou resultados futuras possam alcançar melhores
desejados. resultados.

Fases do Controle d) Ação Corretiva

a) Estabelecimento de Padrões ou O objetivo do controle é manter as


Critérios operações dentro dos padrões
estabelecidos para que os objetivos sejam
Os padrões representam o desempenho alcançados da melhor maneira possível.
desejado. Os critérios representam as
Assim, as variações, erros ou desvios
normas que guiam as decisões. devem ser corrigidos para que as
Constituem os objetivos que o controle operações sejam normalizadas. A ação
deverá assegurar ou manter. A
corretiva visa fazer com que aquilo que é
Administração Científica preocupou-se feito seja feito extremamente de acordo
em desenvolver técnicas capazes de com o que se pretendia fazer.
proporcionar bons padrões, como o
tempo padrão no estudo dos tempos e
Administração por objetivos - APO
movimentos. O custo padrão, os padrões
de qualidade, os padrões de volume de A Teoria Neoclássica deslocou
produção são exemplos de padrões ou progressivamente a atenção antes
critérios. colocada nas chamadas atividades-meio
para os objetivos ou finalidades da
b) Observação do Desempenho organização. O enfoque baseado no
processo e a preocupação maior com as
O processo de controle atua no sentido
atividades (meios) passaram a ser
de ajustar as operações a determinados substituídos por enfoque nos resultados e
padrões previamente estabelecidos e objetivos alcançados (fins). A
funciona de acordo com a informação
preocupação de como administrar passou
que recebe. à preocupação de por que ou para que
administrar. A ênfase em fazer
c) Comparação do Desempenho com o
corretamente o trabalho (the best way de
Padrão Estabelecido Taylor) para alcançar a eficiência passou à
É importante determinar os limites dentro ênfase em fazer o trabalho mais relevante
dos quais a variação ou erro ocorrido aos objetivos da organização para
entre o desempenho esperado e o obtido alcançar a eficácia. O trabalho passou de
poderá ser aceito como normal ou um fim em si mesmo a um meio de obter
desejável. O desempenho deve ser resultados.

74
A APO (Administração por Objetivos), controle administrativo fundamentado no
também conhecida por Administração princípio de que, para atingir resultados, a
por Resultados, constitui um modelo organização precisa antes definir em que
administrativo bastante difundido e negócio está atuando e aonde pretende
plenamente identificado com o espírito chegar. Inicialmente se estabelecem os
pragmático e democrático da Teoria objetivos anuais da empresa, formulados
Neoclássica. Seu aparecimento é recente: na base de um plano de objetivos em
em 1954, Peter F. Drucker publicou um longo prazo (que podem ser qüinqüenais
livro (Prática de Administração de ou decenais); os objetivos de cada
Empresas) , no qual caracterizava pela gerente ou departamento são feitos na
primeira vez a APO, sendo considerado base dos objetivos anuais da empresa. A
seu criador. APO é um processo pelo qual os
gerentes, superior e subordinado, de uma
Características da APO organização identificam objetivos
comuns, definem as áreas de
A APO é uma técnica de direção de responsabilidade de cada um em termos
esforços por meio do planejamento e de resultados esperados e usam esses

75
objetivos como guias para a operação dos definem objetivos quantificados
negócios. Obtêm-se objetivos comuns e (numéricos) e com tempos
firmes que eliminam qualquer hesitação predeterminados.
do gerente, ao lado de uma coesão de
esforços em direção aos objetivos 3. Interligação dos objetivos
principais da organização. departamentais
Na realidade, a APO é um sistema
dinâmico que integra a necessidade da Sempre existe alguma forma de
companhia de alcançar seus objetivos de correlacionar os objetivos dos vários
lucro e crescimento, a par da necessidade órgãos ou gerentes envolvidos, mesmo
do gerente de contribuir para o seu que nem todos os objetivos estejam
próprio desenvolvimento. É um estilo apoiados nos mesmo princípios básicos.
exigente e compensador de Essa ligação é virtualmente automática,
administração. envolvendo objetivos comerciais com
Em suma, a APO apresenta as seguintes objetivos de produção, por exemplo, ou
características principais: objetivos de um nível com os objetivos
dos níveis superiores e inferiores.
1. Estabelecimento conjunto de objetivos
4. Elaboração de planos táticos e de
entre o executivo e o seu supervisor
planos operacionais com ênfase na
Tanto o executivo quanto o seu superior mensuração e controle
participam do processo de
estabelecimento e fixação de objetivos. A partir dos objetivos departamentais
Essa participação, no entanto, varia muito traçados, o executivo e o seu superior (ou
conforme o sistema adotado. A somente o executivo que posteriormente
participação do executivo pode variar, obtém a aprovação de seu superior)
indo desde sua simples presença durante elaboram os Planos Táticos adequados
as reuniões, onde pode ser ouvido, até a para alcançá-los da melhor maneira.
possibilidade de o executivo iniciar a Assim, os planos táticos constituirão os
proposta de reestruturação do trabalho meios capazes de alcançar aqueles
com relativa autonomia no objetivos departamentais. Na seqüência,
desenvolvimento do plano. os planos táticos serão desdobrados e
melhor detalhados em planos
2. Estabelecimento de objetivos para cada operacionais, como veremos adiante.
departamento ou posição Em todos esses planos a APO enfatiza a
quantificação, a mensuração e o controle.
Basicamente, a APO está fundamentada
Torna-se necessário mensurar os
no estabelecimento de objetivos por resultados obtidos e compará-los com os
posições de gerência. Os objetivos, em resultados planejados. É exatamente a
alto nível, podem ser denominados
mensuração e o controle que causam as
objetivos, metas, alvos ou finalidades, maiores dificuldades de implantação da
porém, a idéia básica é a mesma: APO, pois, se o resultado não pode ser
determinar os resultados que um gerente
medido, é melhor esquecer o assunto.
em determinado cargo deverá alcançar.
Freqüentemente, os sistemas de APO

76
5. Contínua avaliação, revisão e Teoria já existe há várias décadas, e
reciclagem dos planos predomina ainda hoje nas nossas
organizações.
Praticamente, todos os sistemas de APO
possuem alguma forma de avaliação e de
revisão regular do processo efetuado, por
meio dos objetivos já alcançados e dos
objetivos a serem alcançados, permitindo
que algumas providências sejam tomadas
e novos objetivos fixados para o período
seguinte. O executivo, de posse dos
planos estratégicos da empresa (de longo
prazo), elabora os planos táticos de seu
departamento (médio prazo) e
operacionais com seus subordinados
(curto prazo).Os resultados da execução
dos planos são continuamente avaliados
e comparados com os objetivos fixados.
Em função dos resultados obtidos,
procede-se à revisão, ao reajuste dos
planos ou a alterações nos objetivos
estabelecidos. No ciclo seguinte, repete-
se a mesma sequência.

6. Participação atuante da chefia

Há grande participação do superior. A


maior parte dos sistemas de APO envolve
mais o superior do que o subordinado. Há
casos em que o superior estabelece os
objetivos, “vende-os”, mensura-os e
avalia o progresso. Esse progresso
frequentemente usado é muito mais
controle por objetivos do que
Administração por Objetivos.

A APO, sem dúvida alguma, representa


uma evolução na TGA, apresentando uma
nova metodologia de trabalho,
reconhecendo o potencial dos
funcionários das empresas, ampliando o
seu campo de atuação para outros tipos
de organizações (e não somente
indústrias), permitindo estilos mais
democráticos de administração. Essa

77
Aula 12 – A Abordagem Comportamental abrigo, desejo sexual, etc. Esse grupo de
necessidades está relacionado com a
Teoria Comportamental da sobrevivência do indivíduo e com a
Administração preservação da espécie.

A Teoria Comportamental (Behaviorista) 2. Necessidades de Segurança:


da Administração veio significar uma nova Necessidades de segurança, estabilidade,
direção e um novo enfoque dentro da busca de proteção contra a ameaça ou
teoria administrativa: a abordagem das privação, e a fuga ao perigo.
ciências do comportamento, estudando a
motivação humana (suas necessidades 3. Necessidades Sociais: necessidade de
básicas), definindo estilos de associação, de participação, de aceitação
administração, caracterizando as por parte dos companheiros, de troca de
organizações como sistemas sociais amizade, de afeto e amor.
cooperativos e como sistemas de
decisões. 4. Necessidades de Estima: Relacionadas
com a maneira pela qual a pessoa se vê e
Novas Proposições Sobre a Motivação se avalia. Envolvem a auto-apreciação, a
Humana autoconfiança, a necessidade de
aprovação social e de respeito, de status,
O homem é considerado um animal prestígio e consideração.
complexo dotado de necessidades
complexas e diferenciadas. Segundo os 5. Necessidades de Auto-realização: São as
autores behavioristas, o administrador necessidades humanas mais elevadas e
precisa conhecer as necessidades que estão no topo da hierarquia. São as
humanas para melhor compreender o necessidades de cada pessoa realizar o
comportamento humano e utilizar a seu próprio potencial e de
motivação humana como poderoso meio autodesenvolver-se continuamente (ser
para melhorar a qualidade de vida nas constantemente mais do que é - vir a ser
organizações. tudo o que pode ser).

Hierarquia das Necessidades de Maslow Necessidades Primárias: Necessidades


fisiológicas e Necessidades de segurança
Abraham H. Maslow, psicólogo e
consultor americano, apresentou uma Necessidades Secundárias: Necessidades
teoria da motivação segundo a qual as sociais, Necessidade de estima e
necessidades humanas estão dispostas Necessidades de auto-realização
em níveis, numa hierarquia de
importância e influência. Nessa hierarquia A teoria da hierarquia das necessidades
das necessidades (pirâmide de Maslow), de Maslow pressupõe os seguintes
encontram-se cinco níveis de aspectos:
necessidades:
1. Somente quando um nível inferior de
1. Necessidades Fisiológicas: Necessidades necessidades está satisfeito ou
de alimentação, sono e repouso, de adequadamente atendido é que o nível

78
imediatamente mais elevado surge no 5. Qualquer comportamento motivado é
comportamento. um canal pelo qual muitas necessidades
fundamentais podem ser expressas ou
2. Nem todas as pessoas conseguem satisfeitas conjuntamente.
chegar ao topo da pirâmide de
necessidades. 6. Qualquer frustração ou possibilidade
de frustração de certas necessidades
3. Quando as necessidades mais baixas passa a ser considerada ameaça
estão razoavelmente satisfeitas, as psicológica. Essa ameaça é que produz as
reações gerais de emergência no
necessidades localizadas nos níveis mais comportamento humano.
elevados começam a dominar o
comportamento. Contudo, quando uma Várias pesquisa não chegaram a provar
necessidade de nível mais baixo deixa de cientificamente a teoria de Maslow e
ser satisfeita, ela volta a predominar no algumas delas até a invalidaram. Contudo,
comportamento, enquanto gerar tensão a teoria de Maslow é bem estruturada
no organismo. suficientemente para poder oferecer um
esquema orientador e útil para o
4. Cada pessoa possui sempre mais de comportamento do administrador.
uma motivação. Toda necessidade está
intimamente ligada com o estado de
satisfação ou insatisfação de outras
necessidades. Seu efeito sobre o
organismo é sempre global e nunca
isolado.

Abordagem Comportamental
Não-Satisfação Satisfação

 Insucesso na profissão Auto-  Sucesso na profissão


 Desprazer no trabalho Realização  Prazer no trabalho

 Baixo status  Interação facilitada pelo


 Baixo salário arranjo físico
Estima  Prestígio na profissão
 Sensação de ineqüibilidade

 Baixa interação e mal  Elevada interação e bom


relacionamento com colegas, Sociais relacionamento com
chefia e subordinados colegas, chefia etc.
 Tipo e ambiente de trabalho  Tipo e ambiente de
mal-estruturados trabalho bem-estruturados
 Políticas da empresa Segurança  Políticas da empresa
imprevisíveis previsíveis e estáveis

 Confinamento do local  Remuneração


de trabalho Fisiológicas adequada
 Remuneração

79
Enriquecimento de tarefas (Herzberg) comportamento das pessoas. Por sua vez
os estilos de administração dependem
O enriquecimento de tarefas (job substancialmente das convicções que os
enrichment) consiste em uma constante administradores têm a respeito do
substituição de tarefas mais simples e comportamento humano dentro das
elementares do cargo por tarefas mais organizações. Essas convicções moldam
complexas, a fim de acompanhar o não apenas a maneira de conduzir as
crescimento individual de cada pessoas, mas também a maneira pela
empregado, oferecendo-lhe condições de qual se divide o trabalho, se planejam e se
desafio e de satisfação profissional no organizam as atividades. Mc Gregor
cargo. Segundo Herzberg, o preocupou-se em comparar dois estilos
enriquecimento de tarefas traz efeitos opostos e antagônicos de administrar,
altamente desejáveis, como o aumento que denominou de Teoria X e Teoria Y.
da motivação, aumento de produtividade, Vejamos abaixo os pressupostos a
redução do absenteísmo (faltas e atrasos respeito do comportamento humano
ao serviço) e redução da rotatividade de existentes em cada uma dessas teorias:
pessoal (demissões de empregados).

Pressuposições da Teoria X Pressuposições da Teoria Y


As pessoas são esforçadas e gostam de ter o
As pessoas são preguiçosas e indolentes
que fazer

O trabalho é uma atividade tão natural quanto


As pessoas evitam o trabalho
brincar ou descansar

As pessoas evitam a responsabilidade a fim de As pessoas procuram e aceitam


se sentirem mais seguras responsabilidades e desafios

As pessoas podem ser automotivadas e


As pessoas precisam ser controladas e dirigidas
autodirigidas

As pessoas são ingênuas e sem iniciativa As pessoas são criativas e competentes

Estilos de Administração A Teoria Y desenvolve um estilo de


administração muito aberto e dinâmico,
A Teoria Comportamental procurou extremamente democrático, através do
demonstrar a variedade de estilos de qual administrar é um processo de criar
administração que estão à disposição do oportunidades, liberar potenciais,
administrador. A administração das remover obstáculos, encorajar o
organizações em geral (e das empresas crescimento individual e proporcionar
em particular) está fortemente orientação quanto a objetivos. Segundo
condicionada pelos estilos com que os Mc Gregor, a teoria Y é geralmente
administradores dirigem, dentro delas o aplicada nas empresas através de um

80
estilo de direção baseado em uma série A organização oferece uma variedade de
de medidas inovadoras e humanistas, incentivos, como salários, benefícios
dentre as quais salienta as seguintes: sociais, oportunidades de crescimento, de
consideração, de prestígio ou poder
a) Descentralização das decisões e pessoal, de condições físicas adequadas
delegação de responsabilidades; de trabalho, para obter a cooperação das
b) Ampliação do cargo para maior pessoas em todos os níveis hierárquicos.
significado do trabalho; A função do executivo, isto é, de cada
c) Participação nas decisões mais administrador dentro da organização, é a
altas e administração consultiva; de criar e manter um sistema de esforços
d) Auto-avaliação do desempenho cooperativos, atividade essencial para a
sobrevivência das organizações.
Sistemas de Administração
Processo Decisorial
Rensis Likert, outro autor da Teoria
Comportamental da Administração A Teoria Comportamental concebe e
propõe uma classificação de Sistemas de organização como um sistema de
Administração, definindo quatro perfis decisões, ou seja, todas as pessoas
organizacionais, caracterizados através dentro de uma organização, em todas as
de quatro variáveis: processo decisorial, áreas de atividades, em todos os níveis
sistema de comunicação, relacionamento hierárquicos e em todas as situações
interpessoal e sistema de recompensas e estão continuamente tomando decisões
punições. Vejamos no quadro abaixo relacionadas ou não com o seu trabalho.
esses sistemas, bem como suas
vantagens e desvantagens, e tipos de Teoria das Decisões
empresas onde eles são mais freqüentes.
Decisão é o processo de análise e escolha,
Organização como um Sistema Social entre várias alternativas disponíveis, do
Cooperativo curso de ação que a pessoa deverá seguir.
O processo decisorial é complexo e
As organizações são sistemas sociais depende tanto das características
baseados na cooperação entre as pessoais do tomador de decisões quanto
pessoas. Uma organização somente da situação em que está envolvido e da
existe quando ocorrem três condições: maneira como percebe essa situação. A
rigor, o processo decisorial envolve sete
1) interação entre duas ou mais pessoas; etapas demonstradas na figura abaixo.
Cada uma dessas etapas influencia as
2) desejo e disposição para a cooperação; demais e todo o conjunto do processo.
Nem sempre essas sete etapas são
3) finalidade de alcançar um objetivo
seguidas à risca. Se a pressão for muito
comum.As pessoas não atuam
forte para uma solução imediata, as
isoladamente, mas através de interações
etapas 3, 5 e 7 podem ser abreviadas ou
com outras pessoas, para poderem
suprimidas. Quando não há nenhuma
alcançar da melhor maneira os seus
pressão, elas podem ser ampliadas por
objetivos.
tempo indeterminado.

81
Decorrências da Teoria das Decisões Homem Administrativo

Simon salienta que o processo decisorial A Teoria Comportamental nos traz um


começa com o indivíduo e permite-lhe novo conceito de homem. Para esses
solucionar problemas ou defrontar-se autores, o homem procura a maneira
com situações. Como a subjetividade nas satisfatória e não a melhor maneira de
situações é muito acentuada, Simon fazer um trabalho. O comportamento
enumera algumas decorrências da Teoria administrativo é satisfaciente e não
das Decisões: otimizante, pois o homem administrativo
toma decisões sem poder procurar todas
a) Racionalidade Limitada: O indivíduo as alternativas possíveis: não procura o
que vai decidir raramente possui todas as máximo lucro, mas o lucro adequado; não
informações necessárias para tomar a o preço ótimo, mas o preço razoável.
melhor decisão.
Comportamento Organizacional
b) Imperfeição nas decisões: não existem
decisões perfeitas. Umas são melhores Comportamento Organizacional é o
que outras. estudo do funcionamento e da dinâmica
das organizações e como os grupos e os
c) Relatividade das decisões: toda decisão indivíduos se comportam dentro delas.
é uma acomodação, pois a alternativa Como a organização é um sistema
escolhida jamais permite uma realização cooperativo racional, ela somente pode
perfeita ou completa dos objetivos alcançar seus objetivos se as pessoas que
visados. O nível de realização é a compõem coordenarem seus esforços a
satisfatório e não ótimo. fim de alcançar algo que individualmente
jamais conseguiriam. Assim surge uma
d) Hierarquia das Decisões: O interação entre as pessoas e organização,
comportamento é planejado sempre que a que se dá o nome de processo de
é guiado por objetivos e é racional reciprocidade: a organização espera que
quando escolhe as alternativas mais as pessoas realizem suas tarefas e
adequadas que levam à consecução dos concede-lhes incentivos e recompensas,
objetivos (Meio x Fim). enquanto as pessoas oferecem suas
atividades e trabalho esperando certas
e) Racionalidade Administrativa: O satisfações pessoais. A decisão de
comportamento dos indivíduos nas participar é parte essencial da teoria do
organizações é planejado, isto é, equilíbrio organizacional. O equilíbrio
orientado no sentido de alcançar reflete o êxito da organização em
objetivos. remunerar seus participantes com
quantias adequadas (sejam de dinheiro
f) Influência Organizacional: A
ou de satisfações não-materiais) e motivá-
organização retira de seus participantes a
los a continuarem fazendo parte da
faculdade de decidir independentemente
organização, garantindo com isto sua
sobre certos assuntos e a substitui por
sobrevivência.
um processo decisório próprio e
previamente estabelecido.

82
Conflito entre os Objetivos
Organizacionais e os Objetivos
Individuais

Um dos temas preferidos pelos


behavioristas é o conflito entre os
objetivos que as organizações procuram
atingir e os objetivos que individualmente
cada participante pretende alcançar. A
interdependência entre as necessidades
do indivíduo e as da organização é
imensa: a vida e os objetivos de ambos
estão inseparavelmente entrelaçados. O
importante é que o alcance do objetivo
de uma das partes nunca venha a
prejudicar ou a tolher o alcance do
objetivo de outra. Ambas as partes
devem contribuir mutuamente para o
alcance de seus respectivos objetivos.

83
Aula 13 – A Abordagem Sistêmica tratar seus objetivos de estudos como
sistemas. Dentre eles está a
Abordagem Sistêmica da Administração Administração.

A Abordagem Sistêmica da Administração

O
biólogo alemão Ludwig von
trata de três escolas principais:
Bertalanffy elaborou por volta da
década de 50 um teoria
interdisciplinar capaz de transcender aos · Cibernética e Administração
problemas exclusivos de cada ciência e
· Teoria Matemática da Administração
proporcionar princípios gerais e modelos · Teoria de Sistemas
gerais para todas as ciências envolvidas,
de modo que as descobertas efetuadas
em cada ciência pudessem ser utilizadas Cibernética e Administração
pelas demais. Essa teoria interdisciplinar -
denominada Teoria Geral dos Sistemas -
A Cibernética é uma ciência relativamente
demonstra o isomorfismo das várias jovem. Foi criada por Norbert Wiener
ciências, permitindo maior aproximação entre os anos de 1943 e 1947, justamente
entre as suas fronteiras e o
na época em que surgiu o primeiro
preenchimento dos espaços vazios entre computador de que se tem notícia, assim
elas. como a Teoria de Sistemas.

Cibernética é a ciência da comunicação e


do controle, seja no animal (homem,
seres vivos), seja na máquina. A
comunicação é que torna os sistemas
integrados e coerentes e o controle é que
regula o seu comportamento. A
Cibernética compreende os processo e
sistemas de transformação da informação
e sua concretização em processos físicos,
fisiológicos, psicológicos etc. de
transformação da informação.
Essa teoria é essencialmente totalizante:
A Cibernética é uma teoria dos sistemas
os sistemas não podem ser plenamente
de controle baseada na comunicação
compreendidos apenas pela análise
(transferência de informação) entre o
separada e exclusiva de cada uma de suas
sistema e o meio e dentro do sistema, e
partes. Ela se baseia na compreensão da
do controle (retroação) da função dos
dependência recíproca de todas as
sistemas com respeito ao ambiente.
disciplinas e da necessidade de sua
integração.
Campo de Estudo da Cibernética
Assim, os diversos ramos do
conhecimento - até então estranhos uns
O campo de estudo da Cibernética são os
aos outros pela intensa especialização e
sistemas. Sistema é qualquer conjunto de
isolamento conseqüente - passaram a
elementos que estão dinamicamente

84
relacionados entre si, formando uma
atividade para atingir um objetivo, Um dos grandes problemas da
operando sobre entradas, (informação, Cibernética é a representação de
energia e matéria) e fornecendo saídas sistemas originais através de
(informação, energia ou matéria) outros sistemas comparáveis, que
processadas. Os elementos, as relações são denominados modelos. No
entre eles e os objetivos (ou propósitos) sentido literal da palavra, modelo
constituem os aspectos fundamentais da é a representação simplificada de
definição de um sistema. alguma parte da realidade.
Existem três razões para a
Propriedades dos Sistemas Cibernéticos utilização de modelos:

Os sistemas cibernéticos apresentam três a) A manipulação de entidades


propriedades principais: reais(pessoas ou organizações) é
socialmente inaceitável ou
a) São excessivamente complexos,
legalmente proibida;
portanto devem ser focalizados através b) O volume de incerteza com que
da caixa negra (veremos adiante); a administração está lidando
b) São probabilísticos, portanto, devem cresce rapidamente e faz
ser focalizados através da estatística e da aumentar desproporcionalmente
teoria da informação; as conseqüências dos erros.
c) A capacidade de construir
• São auto-regulados, portanto, modelos que constituem boas
devem ser focalizados através da representações da realidade
retroação que garante a aumentou enormemente.
homeostase.
Na construção de um modelo,
O Sistema Cibernético apresenta devem ser considerados o
a diversidade e é extremamente isomorfismo e o homomorfismo.
complexo. No fundo, é uma Os sistemas são isomorfos
máquina manipuladora de quando possuem semelhança de
informações, pelas suas relações forma. Os sistemas são
com o ambiente. A atividade de homomorfos quando guardam
seu mecanismo depende de sua entre si proporcionalidades de
capacidade de receber, formas, embora nem sempre do
armazenar, transmitir e modificar mesmo tamanho. Assim, um
informações. É uma máquina de sistema deve ser representado
operar informações: pela sua por um modelo reduzido e
grande diversidade, possui grande simplificado, através do
grau de incerteza, sendo homomorfismo do sistema
descritível apenas em termos de original. É o caso de maquetes ou
probabilidades. plantas de edifícios, diagramas de
circuitos elétricos ou eletrônicos,
Representação dos Sistemas: os organogramas de empresas,
Modelos fluxogramas de rotinas e

85
procedimentos, modelos
matemáticos de decisão etc. Conceito de Retroação

Conceito de Entrada, Saída e A retroação (feedback) serve para


Caixa Negra comparar a maneira como um
sistema funciona em relação ao
O sistema recebe entradas padrão estabelecido para ele
(inputs) ou insumos para poder funcionar: quando ocorre alguma
operar, processando ou diferença (desvio ou discrepância)
transformando essas entradas em entre ambos, a retroação
saídas (outputs). A entrada de um incumbe-se de regular a entrada
sistema é aquilo que o sistema para que sua saída se aproxime
importa ou recebe do seu mundo do padrão estabelecido. A
exterior. A entrada pode ser retroação confirma se o objetivo
constituída de um ou mais dos foi cumprido, o que é
seguintes elementos: fundamental para o equilíbrio do
sistema.
·Informação
·Energia Podemos identificar dois tipos de
·Materiais retroação:

Saída (output) é o resultado final · Retroação Positiva: é a ação


da operação ou processamento estimuladora da saída que atua
de um sistema. Todo sistema sobre a entrada do sistema. Na
produz uma ou várias saídas. retroação positiva, o sinal de
Através da saída, o sistema saída amplifica e reforça o sinal de
exporta o resultado de suas entrada;
operações para o meio ambiente.

O conceito de caixa negra refere- · Retroação Negativa: é a ação frenadora


se a um sistema cujo interior não e inibidora da saída que atua sobre a
pode ser desvendado, cujos entrada do sistema. Na retroação
elementos internos são negativa o sinal de saída diminui e inibe o
desconhecidos e que só pode ser sinal de entrada.
conhecido “por fora”, através de
manipulações externas ou de A retroação impõe correções no sistema,
observação externa. Utiliza-se o no sentido de adequar suas entradas e
conceito de caixa negra em duas saídas e reduzir os desvios ou
circunstâncias: discrepâncias no sentido de regular seu
funcionamento.
a) quando o sistema é
impenetrável ou inacessível; Conceito de Homeostasia
b) quando o sistema é
excessivamente complexo, de O conceito de homeostasia surgiu na
difícil explicação ou detalhamento fisiologia animal, com Claude Bernard, ao

86
propor que todos os mecanismos vitais ocorrência;
têm por objetivo conservar constantes as
condições de vida no ambiente interno. A · Informação: é um conjunto de dados
homeostasia é um equilíbrio dinâmico com um significado, ou seja, que reduz a
obtido através da auto-regulação, ou seja, incerteza ou que aumenta o
através do autocontrole. É a capacidade conhecimento a respeito de algo;
que tem o sistema de manter certas
variáveis dentro de limites, mesmo · Comunicação: é quando uma informação
quando os estímulos do meio externo é transmitida a alguém, sendo, então,
forçam essas variáveis a assumir valores compartilhada também por essa pessoa.
que ultrapassam os limites da Comunicar significa tornar comum a uma
normalidade. A homeostase é obtida ou mais pessoas uma determinada
através de dispositivos de retroação informação.
(feedback), que são basicamente
sistemas de comunicação que reagem O sistema de comunicação tratado pela
teoria da informação consiste em seis
ativamente a uma entrada de informação.
componentes: fonte, transmissor, canal,
receptor, destino e ruído. Cada um desses
A eficiência de um sistema em manter sua componentes do sistema de
homeostase em relação a uma ou mais comunicações tem o seu papel:
variáveis pode ser avaliada pelos seus
erros ou desvios, ou seja, pelas sub ou · Fonte significa a pessoa, coisa ou
supercorreções que faz quando pretende processo que emite ou fornece as
estabelecer seu equilíbrio. Se o número mensagens por intermédio do sistema;
de erros tende a aumentar em vez de
diminuir, o objetivo jamais será atingido: · Transmissor significa o processo ou
o sistema entrará em oscilação e perderá equipamento que opera a mensagem
sua integridade. transmitindo-a da fonte ao canal. O
transmissor codifica a mensagem
Conceito de Informação fornecida para poder transmiti-la;

· Canal significa o equipamento ou espaço


O conceito de informação envolve um intermediário entre o transmissor e o
processo de redução de incerteza. Na receptor;
sociedade moderna, a importância da
disponibilidade da informação ampla e · Receptor significa o processo ou
variada cresce proporcionalmente ao equipamento que recebe a mensagem no
aumento da complexidade da própria canal. Para tanto, o receptor decodifica a
sociedade. Para se compreender mensagem para poder colocá-la à
adequadamente o conceito de disposição do destino;
informação, deve-se envolvê-lo com dois
· Destino significa a pessoa, coisa ou
outros conceitos: o de dados e o de
processo a quem é destinada a
comunicação.
mensagem no ponto final do sistema de
comunicação;
· Dado: é um registro ou anotação a
respeito de determinado evento ou

87
· Ruído significa a quantidade de soma dos efeitos que produziriam
perturbações indesejáveis que tendem a quando atuando individualmente. Assim,
deturpar e alterar, de maneira a sinergia consiste o efeito multiplicador
imprevisível, as mensagens transmitidas. das partes de um sistema que alavancam
A palavra interferência, por vezes, é seu resultado global.
utilizada para conotar um perturbação de
origem externa ao sistema, mas que Conceito de Informática
influencia negativamente o seu
funcionamento. A informática é considerada a disciplina
que lida com o tratamento racional e
Conceito de Redundância sistemático da informação por meios
automáticos. Embora não se deva
Redundância é a repetição da mensagem confundir informática com
para que sua recepção seja mais computadores, na verdade ela existe
garantida. A redundância introduz no porque existem os computadores. Como
sistema de comunicação uma certa vimos, o surgimento da cibernética foi
capacidade de eliminar o ruído e prevenir paralelo ao surgimento do primeiro
distorções e enganos na recepção da computador (Eniac, entre 1942 e 1945 -
mensagem. Universidade de Pensilvania).

Conceitos de Entropia e Sinergia Principais Conseqüências da Cibernética


na Administração
A entropia significa que partes do sistema
perdem sua integração e comunicação Se a primeira Revolução Industrial
entre si, fazendo com que o sistema se desvalorizou o esforço muscular humano,
decomponha, perca energia e informação a segunda Revolução Industrial
e degenere. Se a entropia é um processo (provocada pela Cibernética) está
pelo qual um sistema tende à exaustão, à levando a uma desvalorização do cérebro
desorganização, à desintegração e, por humano.
fim à morte, para sobreviver o sistema
precisa abrir-se a reabastecer-se de
energia e de informação para manter a Duas são as principais conseqüências da
sua estrutura. A informação também Cibernética na Administração:
sofre uma perda ao ser transmitida. Isto
significa que todo sistema de informação · Automação: os autômatos, em
possui uma tendência entrópica. Daí Cibernética, são engenhos que contém
decorre o conceito de ruído. Quando dispositivos capazes da tratar
nenhum ruído é introduzido na informações que recebem do meio
transmissão, a informação permanece exterior e produzir ações ou respostas. O
constante. autômato cibernético trata a informação
de tal maneira que pode até mudar sua
própria estrutura interna em função dela
Sinergia existe quando duas ou mais (aprendizagem).
causas produzem, atuando
conjuntamente, um efeito maior do que a · Informática: A informática está se

88
transformando em um importante principalmente para a resolução de
ferramental tecnológico à disposição do problemas de tomada de decisão. Vimos
homem para promover seu que o modelo é a representação de
desenvolvimento econômico e social pela alguma coisa ou o padrão de algo a ser
agilização do processo decisório e pela feito. Na Teoria Matemática, o modelo é
otimização da utilização dos recursos usado geralmente como simulação de
existentes. situações futuras e a avaliação da
probabilidade de sua ocorrência. Sejam
TEORIA MATEMÁTICA DA matemáticos ou comportamentais, os
ADMINISTRAÇÃO modelos proporcionam um valioso
instrumento de trabalho para a
A Teoria Matemática aplicada aos administração lidar com problemas.
problemas administrativos é mais
conhecida como Pesquisa Operacional. Os problemas podem ser classificados em
dois grandes grupos:
Teoria Matemática põe ênfase no
processo decisório e procura tratá-lo de · Problemas estruturados: é aquele que
modo lógico e racional, através de uma pode ser perfeitamente definido, pois
abordagem quantitativa. suas variáveis principais - como os vários
estados da natureza, ações possíveis,
A Teoria Matemática desloca a ênfase na possíveis conseqüências - são conhecidas.
ação para a ênfase na decisão que a
antecede. · Problemas não estruturados: é aquele
O processo decisorial é a seqüência de que não pode ser claramente definido,
etapas que formam uma decisão. A pois uma ou mais de suas variáveis é
Tomada de decisão, conforme desconhecida ou não pode ser
apresentada pelos defensores dessa determinada com algum grau de
teoria, possui um aspecto matemática, confiança.
dicotômico, permitindo uma análise
teoricamente precisa dos problemas TEORIA DE SISTEMAS
(abordagem quantitativa).
A Teoria Geral de Sistemas (T.G.S.) surgiu
Segundo a Teoria da Decisão, todo o com os trabalhos do biólogo alemão
problemas administrativo equivale a um Ludwig von Bertalanffy. A Teoria Geral de
processo de decisão. Existem dois tipos Sistemas não busca solucionar problemas
extremos de decisão, as decisões ou tentar soluções práticas, mas sim
programadas e as não - programadas. produzir teorias e formulações
conceituais que possam criar condições
Necessidade de Modelos Matemáticos de aplicações na realidade empírica.
em Administração Bertalanffy criticava a visão que se tem
do mundo dividida em diferentes áreas,
A Teoria Matemática preocupa-se em como física, química, biologia, psicologia,
construir modelos matemáticos capazes sociologia, etc. São divisões arbitrárias. E
de simular situações reais na empresa. A com fronteiras solidamente definidas. E
criação de modelos matemáticos volta-se

89
espaços vazios entre elas. A natureza não (hardware).
está dividida em nenhuma dessas partes.
· Sistemas abstratos: quando compostos
A Teoria Geral dos Sistemas afirma que as de conceitos, planos, hipóteses e idéias
propriedades dos sistemas não podem (software).
ser descritas significativamente em
termos de seus elementos separados. A
Quanto à sua natureza, os sistemas
compreensão dos sistemas somente podem ser abertos ou fechados.
ocorre quando estudamos os sistemas
globalmente, envolvendo todas as
· Sistemas fechados: são os sistemas que
interdependências de suas partes. não apresentam intercâmbio com o meio
Conceito de Sistemas ambiente que os circunda, pois são
herméticos a qualquer influência
Um sistema é um conjunto de elementos ambiental.
interdependentes e interagentes; um · Sistemas abertos: são os sistemas que
grupo de unidades combinadas que apresentam relações de intercâmbio com
formam um todo organizado e cujo
o ambiente, através de entradas e saídas.
resultado (output) é maior do que o
resultado que as unidades poderiam ter Parâmetros dos Sistemas
se funcionassem independentemente.
O sistema caracteriza-se por
Características dos Sistemas determinados parâmetros. Parâmetros
são constantes arbitrárias que
Dois conceitos retratam duas caracterizam, por suas propriedades, o
características básicas de um sistema: valor e a descrição dimensional de um
sistemas específico ou de um
· Propósito ou objetivo: todo sistema tem
componente do sistema.
um ou alguns propósitos ou objetivos.
Os parâmetros dos sistemas são:
· Globalismo ou Totalidade: todo sistema
tem uma natureza orgânica, pela qual · Entrada ou insumo ou impulso: (input) é
uma ação que produza mudança em uma a força de arranque ou de partida do
das unidades do sistema, com muita sistema que fornece o material ou energia
probabilidade deverá produzir mudanças para a operação do sistema.
em todas as outras unidades deste.
· Saída ou produto ou resultado: (output)
Tipos de Sistemas é a finalidade para a qual se reuniram
elementos e relações do sistema.
Quanto à sua constituição, os sistemas
podem ser físicos ou abstratos: · Processamento ou processador ou
transformador: (throughput) é o
· Sistemas físicos ou concretos: quando fenômeno que produz mudanças, é o
são compostos de equipamentos, de mecanismo de conversão das entradas
maquinaria e de objetos ou coisas reais. em saídas.

90
· retroação, retroalimentação ou por diversas partes relacionadas entre si,
retroinformação: (feedback) é a função que trabalham em harmonia umas com as
de sistema que visa comparar a saída com outras, com a finalidade de alcançar uma
um critério ou padrão previamente série de objetivos, tanto da organização
estabelecido. A retroação tem por como de seus participantes.
objetivo o controle.

· Ambiente: é o meio que envolve As organizações possuem as


externamente o sistema. O sistema características dos sistemas abertos. É
aberto recebe entradas do ambiente, importante alinhar algumas
processa-as e efetua saídas novamente características básicas das organizações
ao ambiente, de tal forma que existe enquanto sistemas:
entre ambos - sistema e ambiente - uma
constante interação. · Comportamento Probabilístico e Não-
Determinístico das Organizações:
O Sistema Aberto O comportamento humano nunca é
totalmente previsível. As pessoas são
O Sistema Aberto mantém um complexas, respondendo a muitas
intercâmbio de transações e conserva-se variáveis, que não são totalmente
constantemente no mesmo estado (auto- compreensíveis. Por estas razões, a
regulação), apesar da matéria e energia Administração não pode esperar que
que o integram se renovarem consumidores, fornecedores, agências
constantemente (equilíbrio dinâmico ou reguladoras e outros tenham um
homeostase). O sistema aberto é comportamento previsível.
influenciado pelo meio ambiente e influi
sobre ele, alcançando um estado de · As organizações como Partes de uma
equilíbrio dinâmico nesse meio. Sociedade Maior e Constituída de Partes
O modelo de sistema aberto é sempre um Menores: As organizações são vistas
complexo de elementos em interação e como sistemas dentro de sistemas. Os
em intercâmbio contínuo com o sistemas são complexos de elementos
ambiente. Dentro desse novo colocados em interação. Essa interação
posicionamento, a abordagem sistêmica entre os elementos produz um todo que
teve profundas repercussões na teoria não pode ser compreendido pela simples
administrativa. investigação das várias partes tomadas
isoladamente.
A Organização como um Sistema Aberto
· Interdependência das Partes: A
A descrição de sistema aberto é organização é um sistema social com
exatamente aplicável a uma organização partes independentes e inter-
empresarial. Uma empresa é um sistema relacionadas. O sistema organizacional
criado pelo homem e mantém uma compartilha com os sistemas biológicos a
dinâmica interação com seu meio propriedade de uma intensa
ambiente. interdependência de suas partes, de
Influi sobre o meio ambiente e recebe modo que uma mudança em uma das
influências dele. É um sistema integrado

91
partes provoca um impacto sobre as nova maneira de ver as coisas. não
outras. somente em termos de abrangência, mas
principalmente quanto ao enfoque. o
· Homeostase ou Estado Firme: A enfoque do todo e das partes, do dentro
organização precisa conciliar dois e do fora, do total e da especialização, da
processos opostos, ambos
integração interna e da adaptação
imprescindíveis para a sua sobrevivência,
externa, da eficiência e da eficácia. A
a saber: (1) homeostasia, que é a visão gestáltica e global das coisas,
tendência do sistema em permanecer privilegiando a totalidade e as suas partes
estático ou em equilíbrio, mantendo seu
componentes, sem desprezar o que
status quo interno; e (2) adaptabilidade, chamamos de emergente sistêmico: as
que é a mudança na organização do propriedades do todo que não aparecem
sistema, na sua interação ou nos padrões
em nenhuma de suas partes.
requeridos para conseguir um novo e
diferente estado de equilíbrio com o
ambiente externo, mas alterando seu
status quo. A homeostasia garante a
rotina do sistema, enquanto a
adaptabilidade leva a ruptura, a mudança
e a inovação.

· Fronteiras ou Limite: É a linha que serve


para demarcar o que está dentro e o que
está fora do sistema. Nem sempre a
fronteira de um sistema existe
fisicamente.

· Morfogênese: A organização pode


modificar sua constituição e estrutura por
um processo cibernético, através do qual
seus membros comparam os resultados
desejados com os resultados obtidos e
passam a detectar os erros que devem
ser corrigidos, para modificar a situação.

O Homem Funcional

A Teoria de Sistemas baseia-se no


conceito do “homem funcional”, que
comporta-se em um papel dentro das
organizações, inter-relacionado-se com os
demais indivíduos como um sistema
aberto.

· A perspectiva sistêmica trouxe uma

92
Aula 14 – A Abordagem Contingencial subsistemas e delineado por limites
identificáveis em relação ao seu supra-
sistema ambiental.

A
palavra Contingência significa TEORIA DA CONTINGÊNCIA
algo incerto ou eventual, que
pode suceder ou não. Dentro de A Teoria da Contingência nasceu a partir
um aspecto mais amplo, a Abordagem de uma série de pesquisas feitas para
Contingencial salienta que não se atinge a verificar os modelos de estruturas
eficácia organizacional seguindo um único organizacionais mais eficazes em
e exclusivo modelo organizacional, ou determinados tipos de indústrias. Os
seja, não existe uma forma única que seja pesquisadores, cada qual isoladamente,
melhor para organizar no sentido de procuraram confirmar se as organizações
alcançar os objetivos altamente variados eficazes de determinados tipos de
das organizações dentro de um ambiente indústrias seguiam os pressupostos da
também altamente variado. Os estudos Teoria Clássica, como a divisão do
atuais sobre as organizações complexas trabalho, a amplitude de controle, a
levaram a uma nova perspectiva teórica: a hierarquia de autoridade etc. Os
estrutura de uma organização e seu resultados surpreendentemente
funcionamento é dependente da conduziram a uma nova concepção de
interface com o ambiente externo. organização: a estrutura de uma
organização e o seu funcionamento são
A mais notável contribuição dos autores dependentes da interface com o
da abordagem contingencial está na ambiente externo. Em outros termos, não
identificação das variáveis que produzem há uma única e melhor forma de
maior impacto sobre a organização, como organizar (the best way).
ambiente e tecnologia, para então
predizer as diferenças na estrutura e no São apresentados, pelos autores da
funcionamento das organizações devidas escola contingencial, duas variáveis
às diferenças nestas variáveis. principais que determinam toda a
organização da empresa e os
A Abordagem Contingencial marca uma relacionamentos entre suas partes: o
nova etapa no estudo da Teoria Geral da ambiente e a tecnologia.
Administração, assumindo uma
abordagem eclética, comparando as Ambiente
demais teorias administrativas existentes
à luz dessas variáveis, aplicando seus Ambiente é tudo aquilo que envolve
diversos princípios em cada situação externamente uma organização (ou um
distinta de cada organização. sistema). É o contexto dentro do qual
uma organização está inserida. Como a
A Teoria da Contingência é um passo além
organização é um sistema aberto, ela
da Teoria de Sistemas em Administração.
mantém transações e intercâmbio com
A visão contingencial da organização e de
seu ambiente. Isto faz com que tudo o
sua administração sugere que uma
que ocorre externamente no ambiente
organização é um sistema composto de
passe a influenciar internamente o que

93
ocorre na organização. organização, pois o mesmo ambiente
pode ser percebido de maneiras
Como o ambiente é vasto, complexo, diferentes por duas organizações.
envolvendo tudo o mais ao redor da
organização, ele pode ser analisado em Tecnologia
dois segmentos:
Sob um ponto de vista administrativo,
1. Ambiente Geral: é o macroambiente, ou consideraremos a tecnologia como algo
seja o ambiente genérico e comum a que se desenvolve predominantemente
todas as organizações. O ambiente geral nas organizações, em geral, e nas
é constituído de um conjunto de empresas, em particular, através de
condições semelhantes para todas as conhecimentos acumulados e
organizações. As principais dessas desenvolvidos sobre o significado e
condições são: execução de tarefas - know-how - e pelas
suas manifestações físicas decorrentes -
 Condições tecnológicas;
máquinas, equipamentos, instalações -
 Condições econômicas; constituindo um enorme complexo de
 Condições políticas; técnicas usadas na transformação dos
 Condições legais;
insumos recebidos pela empresa em
 Condições demográficas; resultados, isto é, em produtos e serviços.
 Condições ecológicas; A tecnologia pode estar ou não
 Condições culturais. incorporada a bens físicos. A tecnologia
incorporada está contida em bens de
2. Ambiente de Tarefa: é o ambiente mais capital, matérias-primas intermediárias e
próximo e imediato de cada organização. componentes etc. (hardware). A
É o segmento do ambiente geral do qual tecnologia não incorporada encontra-se
uma determinada organização extrai as nas pessoas - como técnicos, peritos,
suas entradas e deposita suas saídas. O especialistas, engenheiros, pesquisadores
ambiente tarefa é constituído por: - sob formas de conhecimentos
intelectuais ou operacionais, facilidade
 Fornecedores de entradas; mental ou manual para executar as
 Clientes ou usuários; operações, ou em documentos que a
 Concorrentes; registram e visam assegurar sua
 Entidades reguladoras. conservação e transmissão - como mapas,
plantas, desenhos, projetos, patentes,
relatórios (software).
O grande problema com que as Em suma, tecnologia é o conhecimento
organizações de hoje se defrontam é a que pode ser utilizado para transformar
incerteza. Aliás, a incerteza é o grande elementos materiais em bens ou serviços,
desafio atual da Administração. Contudo, modificando sua natureza ou suas
a incerteza não está no ambiente. A características.
incerteza está na percepção e na
interpretação das organizações e não na A tecnologia tem a propriedade de
realidade ambiental percebida. Parece determinar a natureza da estrutura e do
mais adequado falar-se em incerteza na comportamento organizacional. Existe

94
um forte impacto da tecnologia sobre a existe é uma variedade de alternativas de
vida, natureza e funcionamento das métodos ou técnicas proporcionados
organizações.

Abordagem Contingencial
Teoria da Contingência
• Organizações
Período: 1950 Lawrence / formais e
Lorsch informais
• Organizações
• Princípios: complexas
Complexidade • Homem Complexo
organizacional: • Sistema aberto e
ambiente, Ênfase
no ambiente, sistema fechado
tecnologia, tecnologia,
estrutura, tarefas, estrutura
tarefas e e pessoas
pessoas • Críticas:
• Relativismo em
• Surgem Estudos: ADM
• Ambiente Organizacional • Compatibilidade
(sentido lato)
• Gestão do Conhecimento
entre sistemas
• Cultura Organizacional abertos e
voltada às Tecnologias fechados
• Cenários

A tecnologia, em nome do progresso, cria pelas diversas teorias administrativas, um


incentivos em todos os tipos de dos quais poderá ser apropriado para
empresas, para levar os administradores a uma situação determinada. A abordagem
melhorarem cada vez mais a eficácia, mas contingencial está sendo aplicada em
sempre dentro do critério normativo de quase todos os campos da teoria
produzir eficiência. administrativa com resultados
animadores.
· A Abordagem Contingencial é
eminentemente eclética e integrativa,
manifestando uma tendência a absorver
os conceitos das diversas teorias
administrativas - cada qual criticando as
demais - no sentido de alargar os
horizontes e mostrar que nada é
absoluto. A tese central da abordagem
contingencial é de que não há um método
ou técnica geralmente válidos, ótimos ou
ideais para todas as situações: o que

95
Aula 15 – Tendências e possibilidades

96